Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 MANUTENÇÃO EM MANCAIS E ROLAMENTOS

2 Atrito É o contato existente entre duas superfícies sólidas que executam movimentos relativos. O atrito provoca calor e desgaste entre as partes móveis. O atrito depende diretamente do acabamento superficial e do tipo de material que é fabricado as peças.

3 Mancais: classificação Mancais de deslizamento: São constituídos de uma bucha fixada num suporte. Esses mancais são usados em máquinas pesadas ou em equipamentos de baixa rotação, porque a baixa velocidade evita superaquecimento dos componentes expostos ao atrito.

4 Mancais: classificação Mancais de rolamento: São aqueles que comportam esferas e rolos nos quais o eixo se apoia. Quando o eixo gira, as esferas ou rolos também giram confinados dentro do mancal. Neste caso, o atrito formado entre as partes é de rolamento.

5 Vantagens dos Rolamentos menor atrito e aquecimento; baixa exigência de lubrificação; intercambialidade internacional; não há desgaste no eixo; pequeno aumento da folga durante a vida útil.

6 Desvantagens dos Rolamentos maior sensibilidade aos choques; maiores custos de fabricação; tolerância pequena para carcaça e alojamento do eixo; não suporta cargas tão elevadas como os mancais de deslizamento; ocupa maior espaço radial.

7 Normalização de Rolamentos A normalização de um rolamento é feita a partir do diâmetro interno. Para cada diâmetro são definidas três séries de rolamentos: Leve: são usadas para cargas pequenas Média ou pesada: utilizados para cargas mais pesadas.

8 Classificação dos rolamentos: Rolamentos radiais: são construídos para suportar cargas atuando perpendicularmente ao eixo. Rolamentos axiais: são rolamentos projetados para suportar cargas que atuam na direção do eixo.

9 Classificação dos rolamentos: Rolamentos mistos: suportam tanto carga radial como axial. Impedem o deslocamento tanto no sentido transversal quanto axial.

10 Tipos de Cargas em Rolamentos Os rolamentos podem receber três tipos de carga: - carga rotativa; - carga fixa; - cargas rotativas e fixas.

11 Componentes dos Rolamentos Vedação: previne a contaminação por penetração de partículas e retém o lubrificante no rolamento. Corpos girantes: trabalham entre o anel externo e interno do rolamento. Podem ser: esfera, rolo esférico simétrico e assimétrico, rolo cilíndrico, agulha e rolo cônico.

12 Componentes dos Rolamentos: Corpos girantes Esferas: Menor atrito (contato uniforme), maior velocidade e trabalha com cargas leves ou médias. Rolos: Maior atrito (maior contato), menor velocidade e trabalham com cargas médias e pesadas.

13 Componentes dos Rolamentos: Corpos girantes Agulhas: Tem as mesmas características dos rolos, pois a agulha nada mais é do que um rolo mais fino e alongado, porém tem a vantagem de ocupar menor espaço radial.

14 Componentes dos Rolamentos Anéis externo e interno: são as partes por onde os rolamentos serão fixados ou alojados. São fabricados de aços temperados; aço cromo contendo 1% de carbono e 1,5% de cromo; aço liga cromo-níquel ou cromo-manganês.

15 Componentes dos Rolamentos Gaiolas: São responsáveis por: - evitar o contato entre os corpos girantes para minimizar o atrito e a gera de calor; - guiar os corpos girantes; - fornecer espaço para a lubrificação; - reter os corpos girantes quando os rolamentos separativos são montados ou desmontados.

16 Componentes dos Rolamentos: Variação das Gaiolas Gaiola de Poliamida (P): pouco peso, alta alasticidade, boas propriedades de deslizamen boa lubrificação marginal, limite de temperatura de +120ºC. Gaiola de aço (J): pouco peso, alta resistência, alto limite de temperatura, alta resistência à vibração e aceleração e sensível à falta de lubrificação. Gaiola de latão (M): altíssima resistência à vibração e aceleração, apropriada para altas velocidades de trabalho com circulação

17 Tipos de Rolamentos: Fixo de uma carreira de esferas a) opera em altas velocidades; b) baixa capacidade de ajuste angular c) preço vantajoso; d) é aplicado onde se quer baixo ruído e baixa vibração; e) pouca manutenção e atenção em serviço; f) suporta cargas radiais e pequenas cargas axiais; g) requer perfeito alinhamento entre o eixo e os furos da caixa;

18 Tipos de Rolamentos: Auto-compensador de esferas a) É um rolamento com duas carreiras de esferas com pista esférica no anel externo; b) Tem a propriedade de ajustes angulares, compensado possíveis desalinhamentos ou flexões do eixo (entre 4 e 7º para cargas normais); c) Podem ter furos cilíndricos ou cônicos; d) Pode ter o anel interno prolongado.

19 Tipos de Rolamentos: Contato angular de uma carreira de esferas a) São adequados para suportarem cargas axiais em um sentido ou cargas combinadas; b) As esferas e os anéis internos formam ângulos variando entre 15º, 25º, 30º e 40º; c) Quanto maior o ângulo de contato, maior será a capacidade de carga axial; d) Quanto menor o ângulo de contato melhor será para altas rotações e melhor a sua precisão; e) Devem ser montados aos pares para poder receber cargas axiais nos dois sentidos

20 Tipos de Rolamentos: Contato angular de uma carreira de esferas

21 Tipos de Rolamentos: Rolo Cilíndrico a) É apropriado para cargas radiais elevadas; d) Seus componentes são separáveis, o que facilita a montagem e desmontagem; c) As gaiolas podem ser de latão usinado, nylon ou aço prensado.

22 Tipos de Rolamentos Auto-compensador de uma carreira de rolos Seu emprego é particularmente indicado para construções em que se exige uma grande capacidade para suportar carga radial e a compensação de falhas de alinhamento.

23 Tipos de Rolamentos Auto-compensador de duas carreiras de rolos É um rolamento adequado aos mais pesados serviços. Os rolos são de grande diâmetro e comprimento. Devido ao alto grau de oscilação entre os rolos e pistas, existe uma distribuição uniforme da carga.

24 Tipos de Rolamentos Rolos Cônicos Além de cargas radias, os rolamentos de rolos cônicos também suportam cargas axiais em um sentido. Os anéis são separáveis. O anel interno e o externo podem ser montados separadamente. Como só admitem cargas axiais em um sentido, torna-se necessário montar os anéis aos pares, um contra o outro.

25 Tipos de Rolamentos Axial de esferas Admitem elevadas cargas axiais, porém, não podem ser submetidos a cargas radias. Para que as esferas sejam guiadas firmemente em suas pistas, é necessária a atuação permanente de uma carga axial mínima.

26 Tipos de Rolamentos Axial auto-compensador de rolos Possui grande capacidade de carga axial devido à disposição inclinada dos rolos. Também pode suportar consideráveis cargas radiais. A pista esférica do anel da caixa confere ao rolamento a propriedade de alinhamento angular, compensando possíveis desalinhamentos ou flexões do eixo.

27 Tipos de Rolamentos Agulha Possui uma seção transversal muito fina em comparação com os rolamentos de rolos comuns. É utilizado especialmente quando o espaço radial é limitado.

28 Tipos de Rolamentos Com proteção Precisam ser protegidos ou vedados em função das características de trabalho. A vedação é feita por blindagem (placas)

29 O que é vida útil de um rolamento? É o número de revoluções ou horas de trabalho à uma determinada rotação que o rolamento pode atingir antes que se manifeste o primeiro sinal de fadiga em um de seus anéis ou corpos girantes. Ela depende de alguns fatores: temperatura de trabalho, tipo de carga, cuidados na sua instalação, tipo de lubrificante e de lubrificação, vibrações, tipo de manutenção, etc.

30 Prevenção de falhas prematuras Montagem Incorreta: Cerca de 16% de todas as falhas prematuras nos rolamentos são causadas por má montagem (usualmente impactos fortes) e pelo desconhecimento da disponibilidade das ferramentas de montagem corretas.

31 Prevenção de falhas prematuras Lubrificação Inadequada: Embora os rolamentos vedados para vida possam ser montados e aquecidos,cerca de 36% das falhas prematuras são causadas por especificação incorreta e aplicação inadequada do lubrificante. Sendo assim, o rolamento falhará muito antes de sua duração, pois geralmente são os componentes menos acessíveis das máquinas. Lubrificação muito freqüente ou negligenciada, constitui um problema.

32 Prevenção de falhas prematuras Contaminação: Um rolamento é um componente de precisão que não funcionará eficazmente a menos que tanto ele próprio como os seus lubrificantes estejam isolados de contaminação. 14% de todas as falhas prematuras são atribuídas aos problemas de contaminação.

33 Prevenção de falhas prematuras Fadiga: Sempre que as máquinas estejam sobrecarregadas, servidas incorretamente ou sem apoio, os rolamentos sofrem as conseqüências, resultando em 34% de todas as falhas prematuras nos rolamentos. Podem-se evitar falhas súbitas ou inesperadas desde que os rolamentos negligenciados ou fadigados emitam sinais de alarme, que podem ser detectados e interpretados com a utilização de equipamentos de monitorização.

34 Defeitos comuns dos Rolamentos Podem ocorrer por: Desgaste - deficiência de lubrificação; - presença de partículas abrasivas; - oxidação (ferrugem); - desgaste por patinação (girar em falso);

35 Defeitos comuns dos Rolamentos Fadiga A origem da fadiga está no deslocamento da peça, ao girar em falso. A peça se descasca, principalmente nos casos de carga excessiva. Descascamento parcial revela fadiga por desalinhamento, ovalização ou por conificação do alojamento.

36 Defeitos comuns dos Rolamentos Falhas mecânicas - brinelamento: é caracterizado por depressões correspondentes aos roletes ou esferas nas pistas do rolamento. Resulta de aplicação da pré-carga, sem girar o rolamento, ou da prensagem do rolamento com excesso de interferência.

37 Defeitos comuns dos Rolamentos Falhas mecânicas - goivagem: é defeito semelhante ao de brinelamento, mas provocado por partículas estranhas que ficam prensadas pelo rolete ou esferas nas pistas.

38 Defeitos comuns dos Rolamentos Falhas mecânicas - sulcamento: é provocado pela batida de uma ferramenta qualquer sobre a pista rolante.

39 Defeitos comuns dos Rolamentos Falhas mecânicas - queima por corrente elétrica: é geralmente provocada pela passagem da corrente elétrica durante a soldagem. As pequenas áreas queimadas evoluem rapidamente com o uso do rolamento e provocam o deslocamento da pista rolante.

40 Defeitos comuns dos Rolamentos Falhas mecânicas - rachaduras e fraturas: resultam, geralmente, de aperto excessivo do anel ou cone sobre o eixo. Podem, também, aparecer como resultado do girar do anel sobre o eixo, acompanhado de sobrecarga.

41 Defeitos comuns dos Rolamentos Falhas mecânicas - emgripamento: pode ocorrer devido a lubrificante muito espesso ou viscoso. Pode acontecer, também, por eliminação de folga nos roletes ou esferas por aperto excessivo.

42 Verificação dos rolamentos em uso Na rotina de verificação são usados os seguintes procedimentos: ouvir, sentir, observar.

43 Cuidados com Rolamentos na montagem verificar se as dimensões do eixo e cubo estão corretas; usar o lubrificante recomendado pelo fabricante; remover rebarbas; no caso de reaproveitamento do rolamento, devese lavá-lo e lubrificá-lo imediatamente para evitar oxidação; não usar estopa nas operações de limpeza; trabalhar em ambiente livre de pó e umidade.

44 Desmontagem de rolamento com interferência no eixo A desmontagem de rolamento com interferência no eixo pode ser feita com um saca-polias. As garras desta ferramenta deverão ficar apoiadas diretamente na face do anel interno.

45 Desmontagem de rolamento com interferência no eixo Na falta de um saca-polias, pode-se usar um punção de ferro ou de metal relativamente mole, com ponta arredondada, ou uma outra ferramenta similar. O punção deverá ser aplicado na face do anel interno. O rolamento não deverá, em hipótese alguma, receber golpes diretos do martelo. Esse método exige bastante cuidado, pois há riscos de danificar o rolamento e o eixo.

46 Desmontagem de rolamento com interferência na caixa Quando o rolamento possui juste com interferência na caixa, como em uma roda, ele poderá ser desmontado com o auxílio de um pedaço de tubo metálico com faces planas e livres de rebarbas. Uma das extremidades do tubo é apoiada no anel externo, enquanto a extremidade livre recebe golpes de martelo. Os golpes deverão ser dados ao longo de toda a extremidade livre do tubo.

47 Desmontagem de rolamento com interferência na caixa Caso haja ressaltos entre os rolamentos, deve-se usar um punção de ferro ou de metal relativamente mole, com ponta arredondada, ou ferramenta similar. Os esforços deverão ser aplicados sempre no anel externo.

48 Desmontagem de rolamento com interferência na caixa O conjunto do anel interno de um rolamento autocompensador de rolos ou de esferas pode ser desalinhado. O desalinhamento permite o uso de um saca-polias no anel externo.

49 Desmontagem de rolamento montados sobre buchas Os rolamentos auto-compensadores de rolos ou esferas são geralmente montados com buchas de fixação.essas buchas apresentam a vantagem de facilitar a montagem e a desmontagem dos rolamentos, uma vez que o assento do eixo, com o uso dessas buchas, passa a não necessitar de uma usinagem precisa. A ilustração mostra, da esquerda para a direita, os seguintes elementos: porca de fixação, arruela de trava, rolamento e bucha de fixação.

50 Desmontagem de rolamento montados sobre buchas

51 Montagem de rolamentos A montagem de rolamentos deve pautar-se nos seguintes princípios: escolher o método correto de montagem; observar as regras de limpeza do rolamento; limpar o local da montagem que deverá estar seco; selecionar as ferramentas adequadas que deverão estar em perfeitas condições de uso; inspecionar cuidadosamente os componentes que posicionarão os rolamentos; remover as rebarbas e efetuar a limpeza do eixo e encostos; verificar a precisão de forma e dimensões dos assentos do eixo e da caixa; verificar os retentores e trocar aqueles que estão danificados; retirar o rolamento novo - em caso de substituição - da sua embalagem original somente na hora da montagem. A embalagem apresenta um protetor antiferruginoso.

52 Montagem de rolamentos com interferência no eixo

53 Montagem de rolamentos com interferência na caixa Usar um pedaço de tubo metálico contra a face do anel externo após a lubrificação das partes a serem montadas. Cuidar para que o rolamento não fique desalinhado em relação à caixa. Utilizar uma prensa hidráulica ou mecânica. Aquecer a caixa para a montagem de rolamentos grandes

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba E Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase Diego Rafael Alba 1 Mancais De modo geral, os elementos de apoio consistem em acessórios para o bom funcionamento de máquinas. Desde quando o homem passou a

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Buchas Guias Mancais de Deslizamento e Rolamento Buchas Redução de Atrito Anel metálico entre eixos e rodas Eixo desliza dentro da bucha, deve-se utilizar lubrificação.

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Curso de Engenharia de Produção Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Mancais: São elementos de máquinas que suportam eixo girante, deslizante ou oscilante. São classificados em mancais de: Deslizamento

Leia mais

MANCAIS DE ROLAMENTOS. 1. Introdução 2- Classificação. 3. Designação de rolamentos. 4. Defeitos comuns dos rolamentos. 5. Critérios de seleção.

MANCAIS DE ROLAMENTOS. 1. Introdução 2- Classificação. 3. Designação de rolamentos. 4. Defeitos comuns dos rolamentos. 5. Critérios de seleção. MANCAIS DE ROLAMENTOS. 1. Introdução 2- Classificação. 3. Designação de rolamentos. 4. Defeitos comuns dos rolamentos. 5. Critérios de seleção. Os mancais em geral têm como finalidade servir de apóio às

Leia mais

Mancais de rolamento I

Mancais de rolamento I A UU L AL A Mancais de rolamento I Um mecânico de manutenção, ao iniciar a desmontagem de um conjunto mecânico, constatou a existência de uma série de rolamentos. Examinando os rolamentos, verificou que

Leia mais

Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos

Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos Mancal é um suporte de apoio de eixos e rolamentos que são elementos girantes de máquinas. Os mancais classificam-se em duas categorias: mancais de deslizamento mancais

Leia mais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais Seleção do 2. Seleção do Os s e de estão disponíveis numa variedade de tipos, formas e dimensões. Quando se faz a correta seleção do para a sua aplicação, é importante considerar diversos fatores, e analisar

Leia mais

Mancais. TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA Elementos de Máquinas. Professor: André Kühl andre.kuhl@ifsc.edu.br

Mancais. TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA Elementos de Máquinas. Professor: André Kühl andre.kuhl@ifsc.edu.br Mancais TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA Elementos de Máquinas Professor: André Kühl andre.kuhl@ifsc.edu.br Introdução à Mancais O mancal pode ser definido como suporte ou guia em que se apóia o eixo; No ponto

Leia mais

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE UNP-130408 1 de 6 INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS A vida útil das correntes transportadoras e elevadoras está diretamente ligada aos cuidados com a instalação, lubrificação

Leia mais

Classificação e Características dos Rolamentos

Classificação e Características dos Rolamentos Classificação e Características dos 1. Classificação e Características dos 1.1 dos rolamentos A maioria dos rolamentos é constituída de anéis com pistas (um anel e um anel ), corpos rolantes (tanto esferas

Leia mais

Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens

Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens A UU L AL A Um conjunto de engrenagens cônicas pertencente a uma máquina começou a apresentar ruídos estranhos. O operador da máquina ficou

Leia mais

DISTRIBUIDORA DE PEÇAS VOLVO SCANIA IVECO. Rolamentos Causas e Soluções

DISTRIBUIDORA DE PEÇAS VOLVO SCANIA IVECO. Rolamentos Causas e Soluções Rolamentos e Oxidação e corrosão A superfície se torna parcial ou totalmente oxidada e ocasionalmente o óxido também se apresenta ao longo das linhas dos passos dos corpos rolantes. Condições inadequadas

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA (APOIO, ELÁSTICO E VEDAÇÃO) Notas de Aulas v.2015 ELEMENTOS DE APOIO BUCHAS Radial Axial Cônica ELEMENTOS DE APOIO BUCHAS ELEMENTOS DE

Leia mais

Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol

Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol Rolamentos para Todas as Necessidades da Sua Usina A Solução Perfeita para Qualquer Aplicação Com suas duas fortes marcas, INA e FAG, a qualidade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO POSITIVO ESTUDO DE METODOLOGIAS DE MONTAGEM DE ROLAMENTOS EM EIXOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO POSITIVO ESTUDO DE METODOLOGIAS DE MONTAGEM DE ROLAMENTOS EM EIXOS CENTRO UNIVERSITÁRIO POSITIVO ESTUDO DE METODOLOGIAS DE MONTAGEM DE ROLAMENTOS EM EIXOS CURITIBA 2007 ALBERTO CASTANHEIRA SANTOS JEFFERSON MARQUES LEANDRO EVER DA COSTA TERRA ESTUDO DE METODOLOGIAS DE

Leia mais

Introdução. elementos de apoio

Introdução. elementos de apoio Introdução aos elementos de apoio A UU L AL A Esta aula - Introdução aos elementos de apoio - inicia a segunda parte deste primeiro livro que compõe o módulo Elementos de máquinas. De modo geral, os elementos

Leia mais

USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO

USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO Cassetes Os cassetes laminadores são micro cadeiras de laminação, que substituem as fieiras nas máquinas de trefilação. Seu surgimento no

Leia mais

Caixas SNH. www.fcm.ind.br VE-001-SNH. Copyright FCM 2001

Caixas SNH. www.fcm.ind.br VE-001-SNH. Copyright FCM 2001 Catálogo Eletrônico VE-001-SNH www.fcm.ind.br Caixas SNH Copyright FCM 2001 O conteúdo deste catálogo é de propriedade da empresa FCM - Fábrica de Mancais Curitiba Ltda., sendo proibida a reprodução parcial

Leia mais

Manual de Instruções e Operação Moinhos USI-180

Manual de Instruções e Operação Moinhos USI-180 USIFER A Solução em Moagem Indústria Metalúrgica Ltda. Rua Vêneto, n 969 Bairro Nova Vicenza CEP 95180-000 Farroupilha RS Fones: (54) 3222 5194 Vendas (54) 3261 7356 Fábrica e-mail: usifermoinhos@usifermoinhos.com.br

Leia mais

Aula 17 Projetos de Melhorias

Aula 17 Projetos de Melhorias Projetos de Melhorias de Equipamentos e Instalações: A competitividade crescente dos últimos anos do desenvolvimento industrial foi marcada pela grande evolução dos processos produtivos das indústrias.

Leia mais

7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 NX-4 FALCON

7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 NX-4 FALCON NX-4 FALCON 7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 DIAGNOSE DE DEFEITOS 7-3 COMPRESSÃO DO CILINDRO 7-4 REMOÇÃO DA TAMPA DO CABEÇOTE 7-5 DESMONTAGEM DA TAMPA DO 7-6 CABEÇOTE REMOÇÃO DA ÁRVORE DE

Leia mais

Composição de uma ferramenta elétrica

Composição de uma ferramenta elétrica ABC das Ferramentas (módulo II) Composição de uma ferramenta elétrica As ferramentas elétricas convencionais ou a bateria são compostas por 3 (três) partes básicas que são: 1. Estrutural Constituem a parte

Leia mais

Vedação => TC. Vedação => TA. Vedação => TG. Vedação => TS

Vedação => TC. Vedação => TA. Vedação => TG. Vedação => TS Montagem das caixas SNHL Vedação => TC Vedação => TA Vedação => TG Vedação => TS Burger S/A Industria e Comércio Técnica/di 15/05/2009 66 Vedação TC Vedadores de Feltro TC Os vedadores são constituídos

Leia mais

Manual de montagem e operação para EAS -dutytorque Tipo 404_. 400 Tamanho 2 9

Manual de montagem e operação para EAS -dutytorque Tipo 404_. 400 Tamanho 2 9 Ler atentamente e respeitar o manual de operação. A inobservância pode causar avarias de funcionamento ou a falha do limitador de torque, bem como os danos associados. Índice Página 1: - Índice - Símbolos

Leia mais

Travas e vedantes químicos

Travas e vedantes químicos A U A UL LA Travas e vedantes químicos O mecânico de manutenção de uma empresa de caminhões tentava eliminar, de todas as formas, um vazamento de óleo que persistia na conexão de um manômetro de um sistema

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS O acoplamento ACRIFLEX AD, consiste em dois flanges simétricos inteiramente usinados, pinos de aço com superfícies retificadas e buchas amortecedoras de borracha nitrílica à prova

Leia mais

Transmissor de Vazão Mod. RTVG

Transmissor de Vazão Mod. RTVG 1. Introdução O Medidor de vazão tipo turbina é um instrumento de medição de vazão volumétrico. O elemento sensível à vazão é um rotor com um sistema de palhetas fixas, suspenso livremente sobre um eixo

Leia mais

Batentes. Batente de esferas 378. Batentes autocompensadores de rolos 384

Batentes. Batente de esferas 378. Batentes autocompensadores de rolos 384 Batente de esferas 378 Definições e aptidões 378 Séries 378 Tolerâncias 379 Elementos de cálculo 379 Elementos de montagem 379 Características 380 Batente de esferas de efeito simples 380 Batentes autocompensadores

Leia mais

MANCAIS 24/09/13. Depto. Eng. Mecânica / UFPE - Elementos de Máquinas- Prof. José Maria Barbosa

MANCAIS 24/09/13. Depto. Eng. Mecânica / UFPE - Elementos de Máquinas- Prof. José Maria Barbosa MANCAIS 1 Mancais de Rolamentos Nomenclatura Definição: tipo de mancal em que a carga principal é transferida por meio de elementos em contato por rolamento. 2 Mancais de Rolamentos - Objetivos 1. Identificar

Leia mais

Eixos e correntes. Como o mecânico de manutenção deverá proceder para reparar os defeitos citados acima?

Eixos e correntes. Como o mecânico de manutenção deverá proceder para reparar os defeitos citados acima? Eixos e correntes A UU L AL A Uma máquina em processo de manutenção preventiva apresentava vários eixos e algumas correntes, além de mancais que necessitavam de reparos. Entre os eixos, um cônico e um

Leia mais

Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos

Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos CAT. No. 9211 P NTN NTN Produtos que trazem benefícios em várias aplicações Equipamentos de siderurgia pertencem a grandes linhas que operam 24 horas por dia,

Leia mais

NSK Bearing Doctor. Diagnóstico Rápido de Ocorrências em Rolamentos. Obtenha a máxima performance. Diagnóstico Rápido de Falhas de Rolamentos

NSK Bearing Doctor. Diagnóstico Rápido de Ocorrências em Rolamentos. Obtenha a máxima performance. Diagnóstico Rápido de Falhas de Rolamentos NSK Bearing Doctor Diagnóstico Rápido de s em Rolamentos Diagnóstico Rápido de Falhas de Rolamentos Obtenha a máxima performance. Este catálogo contém informações sobre o correto manuseio de rolamentos,

Leia mais

Conceitos essenciais sobre mancais de rolamento e de deslizamento

Conceitos essenciais sobre mancais de rolamento e de deslizamento Conceitos essenciais sobre mancais de rolamento e de deslizamento Débora Ariana Correa da Silva Érika Barbosa dos Santos Prof. Dr. Ulysses de Barros Fernandes Tecnologia em Mecatrônica Industrial Faculdade

Leia mais

Preparativos Antes da Montagem

Preparativos Antes da Montagem Preparativos Antes da Montagem Manter o local da montagem seco e livre de poeira. Observar a limpeza do eixo, alojamento e das ferramentas. Organizar a área de trabalho. Selecionar as ferramentas adequadas

Leia mais

Fábrica de Mancais Curitiba Ltda

Fábrica de Mancais Curitiba Ltda Caixas SNH e SN30 Fábrica de Mancais Curitiba Ltda SNH As caixas de rolamentos com base SNH foram projetadas para possibilitar maior flexibilidade na escolha do rolamento, vedação e lubrificação. Foram

Leia mais

Manual de Instruções Aparelho Abdominal

Manual de Instruções Aparelho Abdominal Manual de Instruções Aparelho Abdominal Parabéns, você acabou de adquirir o Aparelho Abdominal! Um produto ideal para você cuidar da sua saúde e do seu corpo no conforto da sua casa. Temos certeza que

Leia mais

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Os discos de corte e desbaste são produzidos e controlados com rigor, sendo submetidos a testes internos que objetivam a reprodução da qualidade lote

Leia mais

Rolamentos de Triplo Anel

Rolamentos de Triplo Anel Rolamentos NSK para a Indústria Papeleira Padronizados para melhor qualidade, preços competitivos e melhor prazo de entrega Rolamentos NSK para a Indústria Papeleira A NSK tem mais de 80 anos de experiência

Leia mais

Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA

Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA Rolamento autocompensador de rolos esféricos de alta performance com maior capacidade de carga Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Página 1 de 9 Informativo nº 9 VENTILADOR DE MESA 30cm VENTNK1200 ASSUNTO: Lançamento. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Alimentação: Cor: Potência do aparelho: Consumo de energia: Característica diferencial: Período

Leia mais

4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 1 4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos ACRIFLEX AG são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre eles, de borracha sintética de elevada resistência

Leia mais

Todos nós temos muito em comum, independentemente de vermos isso ou não. Práticas de Papel e Celulose da SKF

Todos nós temos muito em comum, independentemente de vermos isso ou não. Práticas de Papel e Celulose da SKF SKF Communication Segmento Global de Papel Support e Celulose Centre da SKF Volume 2 Nº 6 Setembro de 2012 Práticas de Papel e Celulose da SKF Todos nós temos muito em comum, independentemente de vermos

Leia mais

Sumário. FS 6209 Manual de Serviços

Sumário. FS 6209 Manual de Serviços FS 6209 Sumário Seção A Visão geral da transmissão FS6209 Transmissão Eaton Synchromesh 9 velocidades Descrição do modelo 1 Identificação da transmissão 1 Descrição Geral 2 Características 2 O Sistema

Leia mais

Carolina Vilanova. 26/12/13 www.omecanico.com.br/modules/revista.php?action=printout&recid=423. Desmontagem e dicas da caixa VW

Carolina Vilanova. 26/12/13 www.omecanico.com.br/modules/revista.php?action=printout&recid=423. Desmontagem e dicas da caixa VW Desmontagem e dicas da caixa VW Vamos apresentar nessa reportagem as características, dicas de manutenção, desmontagem e montagem da caixa de câmbio MQ200, que em suas várias aplicações, equipa a maioria

Leia mais

Diagnose de suspensão (rolamento de roda)

Diagnose de suspensão (rolamento de roda) Diagnose de suspensão (rolamento de roda) Principais Funções do Rolamento Redução da força de atrito Suportar cargas Guiar partes móveis Redução da Força de Atrito Atrito de escorregamento Atrito de rolamento

Leia mais

WEGeuro Indústria Eléctrica S.A. Manual de Instruções. Motores Assíncronos Trifásicos à Prova de Explosão

WEGeuro Indústria Eléctrica S.A. Manual de Instruções. Motores Assíncronos Trifásicos à Prova de Explosão Ref. 110.15 - Rev 00 04/2011 Manual de Instruções Motores Assíncronos Trifásicos à Prova de Explosão Ref. 110.15 Rev. 00 04/2011 2 Manual de Instruções Motores Assíncronos Trifásicos à prova de explosão

Leia mais

DEFEITOS EM BOMBAS CENTRIFUGA E SOLUÇÕES

DEFEITOS EM BOMBAS CENTRIFUGA E SOLUÇÕES DEFEITOS EM BOMBAS CENTRIFUGA E SOLUÇÕES simples multiestágio BOMBEAMENTO INSUFICIENTE E NULO VAZÃO OU PRESSÃO NULAS OU INSUFICIENTE VÁLVULA PRESA OU ENTUPIDA ROTOR FURADO, ENTUPIDO OU COM DESGASTE EXECESSIVO

Leia mais

AULA 33 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: OPERAÇÕES DE CORTE

AULA 33 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: OPERAÇÕES DE CORTE AULA 33 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: OPERAÇÕES DE CORTE 257 33. PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: OPERAÇÕES DE CORTE 33.1. Introdução As peças que serão retificadas, normalmente, chegam à retificadora com um sobremetal

Leia mais

5Manutenções no Sistema de

5Manutenções no Sistema de Manutenção Preventiva dos Filtros do Ar A manutenção adequada deve incluir, também, uma inspeção completa dos sistemas. Todas as conexões, as tubulações ou dutos entre o filtro e o motor devem ser mantidos

Leia mais

Introdução... 3 Modelos & Designação... 4 Materiais... 6 Montagem... 7 Funcionamento... 8. Retentores de Pressão... 93. Retentores BADUO...

Introdução... 3 Modelos & Designação... 4 Materiais... 6 Montagem... 7 Funcionamento... 8. Retentores de Pressão... 93. Retentores BADUO... www.hidromarinha.pt Rua José Alves Júnior, 2430-076 Marinha Grande, Portugal TEL +351 244 570 400 Fax +351 244 568 914 GPS 39 o 44'28.07"N 8 o 54'11.33"W Í Introdução... 3 Modelos & Designação... 4 Materiais...

Leia mais

PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS

PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 INFORMATIVO TÉCNICO PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS 1/21 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 O PRINCIPAL COMPONENTE DE

Leia mais

Boletim da Engenharia

Boletim da Engenharia Boletim da Engenharia 10 Verificação e Ajuste da Folga Axial dos Compressores Parafuso 11/02 Tipos de compressores: OS.53 / OS.70 / OS.74 HS.53 / HS.64 / HS.74 HSKC 64 / HSKC 74 Sumário Página 1 Introdução

Leia mais

Parâmetros de corte. Você só vai saber a resposta, se estudar esta aula. Os parâmetros

Parâmetros de corte. Você só vai saber a resposta, se estudar esta aula. Os parâmetros Parâmetros de corte Na aula passada, você aprendeu que usinagem é todo o processo de fabricação pelo qual o formato de uma peça é modificado pela remoção progressiva de cavacos ou aparas de material. Você

Leia mais

- Índice. - Indicações de segurança - Símbolos de segurança e de aviso - Vistas do limitator de torque (variantes)

- Índice. - Indicações de segurança - Símbolos de segurança e de aviso - Vistas do limitator de torque (variantes) Ler atentamente e respeitar o manual de operação. A inobservância pode causar avarias de funcionamento ou a falha do limitador de torque, bem como os danos associados. Índice Página 1: Página 2: Página

Leia mais

Ferramentas de manutenção

Ferramentas de manutenção Ferramentas de manutenção Menos atrito. Mais soluções. Com mais de 100 anos de experiência em tecnologia de rolamentos, a Timken compreende a importância dos procedimentos de manutenção adequados para

Leia mais

Qu e f a z j u s a o s e u n o m e

Qu e f a z j u s a o s e u n o m e Ma n c a i s Co m p l e t o s ISN Do d g e Ma n c a i s Completos ISN DODGE Conjuntos Montados com Rolamentos Autocompensadores de Rolos Qu e f a z j u s a o s e u n o m e Há mais de 125 anos, a marca

Leia mais

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção. Lavador de Ar

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção. Lavador de Ar Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção ISO 9001:2008 VENTEC AMBIENTAL EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES LTDA Rua André Adolfo Ferrari, nº 550 - Distrito Industrial Nova Era - Indaiatuba - São Paulo

Leia mais

27 Sistemas de vedação II

27 Sistemas de vedação II A U A UL LA Sistemas de vedação II Ao examinar uma válvula de retenção, um mecânico de manutenção percebeu que ela apresentava vazamento. Qual a causa desse vazamento? Ao verificar um selo mecânico de

Leia mais

TRANSPALETES MANUAIS MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CATÁLOGO PEÇAS DE REPOSIÇÃO

TRANSPALETES MANUAIS MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CATÁLOGO PEÇAS DE REPOSIÇÃO TM-IC TM-Z TM-IT TRANSPALETES MANUAIS MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CATÁLOGO PEÇAS DE REPOSIÇÃO Prezado Cliente, Você acaba de adquirir o Transpalete Hidráulico Manual (Linha TM)PALETRANS, um equipamento

Leia mais

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Anel de Fixação Série RFN 8006

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Anel de Fixação Série RFN 8006 Para conexões eixo-cubo extremamente tensionadas a união por encolhimento é insuperável. Nenhum outro tipo de fixação pode oferecer qualidades semelhantes, no que diz respeito à resistência à fadiga sob

Leia mais

Utilizem sempre peças originais, para que possam ter garantida a performance e vida útil do seu equipamento. ALGODEN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA

Utilizem sempre peças originais, para que possam ter garantida a performance e vida útil do seu equipamento. ALGODEN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA ALGODEN INSTRUÇÕES GERAIS Antes de colocar em operação o equipamento, este deve funcionar em vazio durante algum tempo. Neste período deve se dar atenção nos diferentes pontos de lubrificação. Durante

Leia mais

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Aparelho de Levantamento. Série B200

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Aparelho de Levantamento. Série B200 Manual de Montagem, Operação e Manutenção Aparelho de Levantamento Série B200 Português Índice Página 1 Aplicação e características gerais 1 Aplicação e características gerais 3 1.1 Aplicação 3 1.2 Características

Leia mais

Lubrificação IV. Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança. Sistema selado

Lubrificação IV. Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança. Sistema selado A U A UL LA Lubrificação IV Introdução Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança da caixa de câmbio de um automóvel. Um mecânico verificou que a caixa de câmbio estava com problemas por falta de óleo.

Leia mais

AULA 34 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS

AULA 34 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS AULA 34 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS 265 34. PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS 34.1. Introdução Para obter uma boa operação de usinagem em retificação, alguns cuidados devem ser

Leia mais

------------------------------- -----------------------------Henflex. Henflex------------------------------ Índice

------------------------------- -----------------------------Henflex. Henflex------------------------------ Índice Índice 1.Características Gerais... 2 2.Seleção do Tamanho do Acoplamento... 2 2.1- Dimensionamento dos acoplamentos Henflex HXP para regime de funcionamento contínuo... 2 2.2 Seleção do Acoplamento...

Leia mais

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 Conheça o funcionamento, diagnóstico e reparo do ajustador de freio automático, um componente primordial para segurança, aplicado em veículos pesados. Que a

Leia mais

Um especialista em manutenção preditiva

Um especialista em manutenção preditiva Análise de vibrações A UU L AL A Um especialista em manutenção preditiva foi chamado para monitorar uma máquina em uma empresa. Ele colocou sensores em pontos estratégicos da máquina e coletou, em um registrador,

Leia mais

Operação e Manutenção em Moinhos. Hans Strobel M&D - NdB

Operação e Manutenção em Moinhos. Hans Strobel M&D - NdB Operação e Manutenção em Moinhos Hans Strobel M&D - NdB Construção básica de um Moinho Separação Produto/Elementos de Moagem Mancal com Rolamentos Câmara de Moagem Transmissão por polias e correias Vedação

Leia mais

Rolamentos de esferas Rolamentos de rolos Caixas Acessórios. Rolamentos. Rolamentos FAG Ltda.

Rolamentos de esferas Rolamentos de rolos Caixas Acessórios. Rolamentos. Rolamentos FAG Ltda. Rolamentos FAG Rolamentos de esferas Rolamentos de rolos Caixas Acessórios Rolamentos Rolamentos FAG Ltda. Catálogo WL 41 520/3 P Designações, iniciadas com números Página 10 Rolamento autocompensador

Leia mais

Transmissão FSO 1305. Manual de Serviços

Transmissão FSO 1305. Manual de Serviços Transmissão FSO 1305 Manual de Serviços Índice Introdução...4 Designações e especificações...5 Lubrificação...6 Operação...7 Fluxo de potência...8 Aplicação de colas e selantes...9 Recomendações de torque...10

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda.

International Paper do Brasil Ltda. International Paper do Brasil Ltda. Autor do Doc.: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Técnicas de Inspeção, Montagem, uso de Rebolos ( Esmeris

Leia mais

LIMAGEM. Introdução Noções de limagem Tipos de Lima

LIMAGEM. Introdução Noções de limagem Tipos de Lima LIMAGEM Introdução Noções de limagem Tipos de Lima Temas a abordar Limagem manual; Classificação de limas; Métodos e regras de trabalho; Materiais industriais; Outros tipos de limagem; Exercícios simples

Leia mais

Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia

Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia O Poder do Conhecimento em Engenharia A única coisa mais intensa que o calor é a sua concorrência Poucos ambientes industriais têm condições

Leia mais

Roda CP Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Janeiro / 2002

Roda CP Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Janeiro / 2002 3 Roda CP Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Janeiro / 2002 Substitui: Dezembro/2000 Página 1 de 14 Introdução: As Rodas Scotch-Brite C&P (Cutting & Polishing) são um eficiente e econômico produto

Leia mais

Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title

Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title Additional Manual do Information Produto be certain. 100-238-343 A Informações sobre Direitos Autorais Informações sobre Marca Registrada Informação

Leia mais

PULVERIZADOR MOTORIZADO PARA TRANSPORTAR NAS COSTAS

PULVERIZADOR MOTORIZADO PARA TRANSPORTAR NAS COSTAS PULVERIZADOR MOTORIZADO PARA TRANSPORTAR NAS COSTAS Manual do Operador COMPONENTES e ACESSÓRIOS Tampa do tanque de produtos químicos Bocal Lança Tanque de produtos químicos Vela de ignição Acionador de

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SOPRADORES TIPO ROOTS DOSITEC SÉRIE Cutes - CR

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SOPRADORES TIPO ROOTS DOSITEC SÉRIE Cutes - CR MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SOPRADORES TIPO ROOTS DOSITEC SÉRIE Cutes - CR Parabéns por adquirir sopradores roots Dositec, série Cutes - CR, os quais são o resultado de avançado projeto

Leia mais

Descrição B. Cilindro sensor PD 40..

Descrição B. Cilindro sensor PD 40.. Descrição B Cilindro sensor PD 40.. PT 1. Segurança 2 2. unção 3 3. Transporte 8 4. Montagem 8 5. Instalação 9 6. Comissionamento 10 7. uncionamento/operação 10 8. Eliminação de falhas / Reparação 11 9.

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções TN5 B/56 +55 (16) 33833818 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com.

bambozzi Manual de Instruções TN5 B/56 +55 (16) 33833818 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com. A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 33833818 bambozzi Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA

CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA *Imagens meramente ilustrativas CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA Modelo V8 Chave de impacto

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Correias e Polias Correntes Definição Polia: São peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo do motor e pelas correias. Correias: É o elemento da máquina que,

Leia mais

ÍNDICE 1. ROTEIRO PARA SELEÇÃO DE ROLAMENTOS...2

ÍNDICE 1. ROTEIRO PARA SELEÇÃO DE ROLAMENTOS...2 ÍNDICE 1. ROTEIRO PARA SELEÇÃO DE ROLAMENTOS...2 1.1. NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO DO ROLAMENTO.... 2 1.1.1. Séries Dimensionais:... 2 1.1.2. Símbolos das Séries de Rolamentos... 2 1.1.3. Símbolos de Furo...

Leia mais

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 24/2015 ENGENHARIA MECÂNICA Campus Santos Dumont

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 24/2015 ENGENHARIA MECÂNICA Campus Santos Dumont Questão 01 O registro representado na Figura 1 é composto por vários componentes mecânicos, muitos deles, internamente à caraça. Peças com essa característica são difíceis de representar em desenhos técnicos,

Leia mais

Acoplamento Altamente Elástico

Acoplamento Altamente Elástico Acoplamento Altamente Elástico Spxpt 04/02 GENERALIDADES Acoplamentos altamente elásticos Speflex modelos SPA e SPG O acoplamento VULKAN SPEFLEX é constituído de um elemento altamente elástico em borracha

Leia mais

1. Estruturas e tipos de rolamentos

1. Estruturas e tipos de rolamentos 1. Estruturas e tipos de rolamentos 1-1 Estrutura Os rolamentos normalmente consistem de anéis de rolamento, elementos de rolagem e uma gaiola (veja Fig. 1-1). Os elementos de rolagem são dispostos entre

Leia mais

Unidade Hidráulica de Pré-Crimpagem com Múltiplas Cabeças (MHSU) Instruções de Instalação e Operação

Unidade Hidráulica de Pré-Crimpagem com Múltiplas Cabeças (MHSU) Instruções de Instalação e Operação www.swagelok.com Unidade Hidráulica de Pré-Crimpagem com Múltiplas Cabeças (MHSU) Instruções de Instalação e Operação MHSU para tubos de até 1"/25 mm com base MHSU para tubos maiores do que 1"/25 mm com

Leia mais

Manual de Usuário. (Y-200, Y-300, Y-400, Y-500, Y-550, Y- 600, Y-700, Y-850, Y-1200, Y-1500 e Y- 2000)

Manual de Usuário. (Y-200, Y-300, Y-400, Y-500, Y-550, Y- 600, Y-700, Y-850, Y-1200, Y-1500 e Y- 2000) AUTOMATIZADORES PARA PORTAS DE ENROLAR IMPORTAÇÃO E SUPORTE TÉCNICO NA INSTALAÇÃO Manual de Usuário (Y-200, Y-300, Y-400, Y-500, Y-550, Y- 600, Y-700, Y-850, Y-1200, Y-1500 e Y- 2000) SAC: 55 + 11 3088

Leia mais

Caderno Técnico (Como Resolver 01) Diagnóstico e solução sobre embreagens

Caderno Técnico (Como Resolver 01) Diagnóstico e solução sobre embreagens Caderno Técnico (Como Resolver 01) Diagnóstico e solução sobre embreagens 1 dificuldade de engate, pouco tempo após a troca da embreagem Veículos de maior incidência: KOMBI e FUSCA análise técnica: Trata-se

Leia mais

rimetal máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário Máquinas para Baterias

rimetal máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário Máquinas para Baterias máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário ÍNDICE INTRODUÇÃO Apresentação Dados Técnicos Cuidados Segurança Limpeza 2 3 4 5 6 MANUTENÇÃO Instruções Manutenção Preventiva REGULAGEM E AJUSTES

Leia mais

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX MN

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX MN CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre eles, de borracha sintética de elevada resistência a abrasão.

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Banco de Musculação Gonew Scoot 4.0

MANUAL DO USUÁRIO. Banco de Musculação Gonew Scoot 4.0 MANUAL DO USUÁRIO Banco de Musculação Gonew Scoot 4.0 IRSB5.indd 5/7/5 4:33 PM IRSB5.indd 5/7/5 4:33 PM Sumário Informações importantes de segurança Diagrama de vista explodida Lista de peças Instruções

Leia mais

Manual Dana de Montagem de Eixos Diferenciais você Linha Direta Dana Canal On-Line Equipes de Promoção e Assistência Técnica

Manual Dana de Montagem de Eixos Diferenciais você Linha Direta Dana Canal On-Line Equipes de Promoção e Assistência Técnica Como já é tradição no mercado, a Dana apresenta mais uma novidade que vai facilitar muito a vida dos profissionais que trabalham na reparação de sistemas de transmissão. É a nova edição do Manual Dana

Leia mais

Acoplamento. Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, Conceito. Classificação

Acoplamento. Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, Conceito. Classificação A U A UL LA Acoplamento Introdução Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, percebeu um estranho ruído na roda. Preocupada, procurou um mecânico. Ao analisar o problema, o mecânico concluiu que

Leia mais

TREINAMENTOS TÉCNICOS

TREINAMENTOS TÉCNICOS 0000 TREINAMENTOS TÉCNICOS TEÓRICOS E PRÁTICOS CONHECIMENTO.TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA SUA EMPRESA A Empresa Ao longo dos 19 anos de sua existência, a PRIMEIRA LINHA COMERCIAL DE ROLAMENTOS LTDA, tem direcionado

Leia mais

Mancais de Rolamento. Prof. Alan Christie da Silva Dantas

Mancais de Rolamento. Prof. Alan Christie da Silva Dantas Mancais de Rolamento Prof. Alan Christie da Silva Dantas O que são? Mancais de apoio onde o esforço principal é transmitido através de um elemento de contato rolante, O atrito inicial e o atrito de serviço

Leia mais

TÉCNICO EM MECÂNICA NOME: Nº INSC.: PRRH. Pró-Reitoria de Recursos Humanos

TÉCNICO EM MECÂNICA NOME: Nº INSC.: PRRH. Pró-Reitoria de Recursos Humanos TÉNIO M MÂNI NOM: Nº INS.: PRRH Pró-Reitoria de Recursos Humanos Para a usinagem de uma engrenagem de 55 dentes, de módulo 2 mm, foi utilizada uma barra de seção circular de 5". onsiderando a necessidade

Leia mais

Procedimento de Manutenção Preventiva Mecânica

Procedimento de Manutenção Preventiva Mecânica GOM - GERÊNCIA DE APOIO À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO Procedimento de Manutenção Preventiva Mecânica Edição Data Alterações em relação a edição anterior 1ª 26/06/14 Edição inicial Objetivo A Gerência de Apoio

Leia mais

Introdução: Tabela: Medidas de segurança

Introdução: Tabela: Medidas de segurança Introdução: As Biseladoras Internas Merax podem ser utilizadas para biselar e /ou facear paredes de tubos de diâmetro interno de 16 mm à 610 mm em diferentes espessuras (conforme tabela abaixo). Tabela:

Leia mais

Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter

Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter Página CILINDROS... 150 Inspeção e medição... 150 Retificação de cilindros... 150 Acabamento... 151 Limpeza... 151 MANCAIS DE MOTOR... 152 Mancal

Leia mais

Industry. SNR, a solução concreta para suas aplicações

Industry. SNR, a solução concreta para suas aplicações Industry SNR, a solução concreta para suas aplicações Suas exigências e nosso savoir-faire: uma mistura homogênea O cimento, na forma de concreto, está presente em todos os lugares. Todo nosso ambiente

Leia mais