Ciclo BIOTA-Educação SP, setembro de QUEIROZ, Helder L. Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ciclo BIOTA-Educação SP, setembro de 2013. QUEIROZ, Helder L. Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM"

Transcrição

1 As Principais Ameaças a Conservação do Ecossistema de Várzea Amazônica, e a Experiência do Instituto Mamirauá (IDSM-OS) Ciclo BIOTA-Educação SP, setembro de 2013 QUEIROZ, Helder L. Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM

2 O Bioma Amazônia O maior bloco remanescente de florestas tropicais no mundo; km² (1/3 da América do Sul); Presente em 9 países, abrigando de 30 a de habitantes; 69% deste bloco está localizado no Brasil.

3 A Bacia Amazônica Maior bacia fluvial do mundo, com cerca de 20% de toda a água doce do planeta; O rio mais longo e caudaloso do mundo; Responsável por grande parte do equilíbrio hídrico do mundo.

4 A Amazônia Brasileira Mais de 60% do território do Brasil ( km2); Inclui nove unidades da federação; Com quase de habitantes (12% da população brasileira); Com baixa densidade demográfica (3,67 ind./km2); A densidade média do Brasil é de quase 20 ind,/km2.

5 As maiores ameaças à Biodiversidade em todo o mundo: Fatores que geram perda de habitats naturais (mudanças nos ambientes naturais) Fatores que levam à redução das populações (causas de aumento da mortalidade )

6 As maiores ameaças à Conservação da Amazônia: Mudanças em grande escala na paisagem (causas de desmatamento, represas, etc.) Transformações em pequena escala nos habitats naturais (uso inadequado dos recursos)

7 Arco do Desmatamento Um grande símbolo da perda de ambientes naturais na Amazônia é o acúmulo de fatores de mudança de habitats nas bordas do Bioma.

8 Causas de Desmatamento Queimadas

9 Causas de Desmatamento Extração de Madeira

10 Causas de Desmatamento Represas e Mineração

11 Causas de Desmatamento Pecuária (pastagens)

12 Causas de Desmatamento Expansão agrícola

13 Causas de Desmatamento Projetos de Infraestrutura Estradas, hidrovias, oleodutos e gasodutos, etc. = novas oportunidades para migração.

14 Transformações de Habitat em Pequena Escala: São de difícil detecção; Causam mudanças na composição e na estrutura dos habitats naturais, com efeitos de longo prazo.

15 Mudanças de Pequena Escala Extração Inadequada de Madeira Impactos sobre a fauna em longo prazo.

16 Mudanças de Pequena Escala Sobrepesca e uso inadequado dos recursos pesqueiros Impactos na redução de estoques, e de pequenas populações de peixes.

17 Mudanças de Pequena Escala Caça não sustentável Impactos na estrutura e composição da floresta.

18 Ambientes Alagáveis representam uma grande parte da Amazônia Brasileira Novas avaliações fazem com que as estimativas de participação das florestas alagáveis na Amazônia estão mudando de 3% para 20 a 25%

19 A maior parte destas florestas (em terrenos de baixa altitude) é de várzeas, forestas alagáveis por águas brancas, de origem andina, ricas em sedimentos e nutrientes. Hess, Melack, Novo, Barbosa e Gastil, 2004

20 seasonal tidal Próximas à costa, as várzeas estão sob influência das marés, com variação diária das águas de alagamento. A porção maior da várzea, entretanto, está mais no interior, sob regime de alagamento sazonal. Hess, Novo, Slymaker, Holt, Steffen et al., 2002

21 Fontes de sedimentos e nutrientes: Rio Solimões-Amazonas, Rio Içá, Rio Jutai, Rio Japurá, Rio Juruá, Rio Purus. Nova fonte de sedimentos: Rio Madeira. As várzeas ao longo do rio Amazonas (Solimões- Amazonas) são altamente produtivos devido à grande carga de sedimentos e nutrientes nas águas.

22 Devido a esta produtividade, os recursos naturais são abundantes, e as florestas de várzea são densamente ocupadas deste o período pré-colombiano. Todas as grandes cidades amazônicas e a maior parte das pequenas estão ai (cerca de 75% da população, ou +/ de pessoas). Novo e Affonso, 2007

23 A conservação destas florestas é difícil, por causa da sua antinga e intensa ocupação. Existem poucas áreas protegidas, e muitas propostas de criação. Rodrigues, S.T.; Pinagé, E.R.; Rezende, V.; Baby, A. T.; Carvalho, L. & Scaramuzza, C.A.M Áreas Prioritárias para Conservação, ARPA e Desmatamento na Amazônia (LEP-WWF).

24 Mamirauá hectares Amanã hectares

25 Reserva Mamirauá : Criada em 1990 pelo Governo do Amazonas 100% Várzea 126 vilas ribeirinhas habitantes Reserva Amanã : Criada em 1998 pelo Governo do Amazonas 16% Várzea 38 vilas ribeirinhas habitantes A conservação gera impactos positivos diretos e indiretos em sete cidades da região (Tefé, Alvarães, Uarini, Fonte Boa, Maraã, Barcelos and Coari), e sobre uma população de cerca de pessoas.

26 A principal motivação para a proteção desta parte da Amazônia, no início dos anos 80 do século XX foi a proteção deste macaco único, raro e ameaçado.

27 Hoje isso é senso comum, mas na época era uma novidade. Um grande projeto de pesquisas, que teve início dos anos 90, foi transformado numa instituição em Não apenas para implantar o funcionamento destas duas reservas. A grande novidade (naquela época) foi que esta instituição buscava fórmulas para compatibilizar a permanência das pessoas na área, com a sua conservação, associando uso adequada por recursos com a melhoria da qualidade de vida daquelas pessoas.

28 Missão Desenvolver pesquisas para a conservação da biodiversidade amazônica por meio do seu uso sustentado e participativo, permitindo a melhoria da qualidade de vida da população local.

29 O Instituto Organização social criada em 1999, e primeiro contrato de gestão assinado com o MCTI em Sede em Tefé (AM) com laboratórios, acervo, biblioteca, e 15 bases de campo. 153 funcionários, 30 bolsistas DTI, 25 PIBIC s, 20 estagiários e alunos de pós graduação. Cerca de 100 colaboradores de outras instituições (universidades e institutos de pesquisas, tanto no Brasil quanto no exterior).

30 A experiência de Mamirauá A) Pesquisas em Ciências Sociais: Socioeconomia de populações tradicionais ribeirinhas. Antropologia, organização social, sociologia rural, etc. Formas ancestrais (arqueologia) e modernas de manejo tradicional de recursos naturais.

31 A experiência de Mamirauá B) Pesquisas para manejo florestal madeireiro e não-madeireiro: Ecologia florestal, ecologia de comunidades e ecologia populacional. Regeneração, estabelecimento, colonização e crescimento. Ecologia de paisagens. Uso tradicional e moderno de recursos florestais.

32 A experiência de Mamirauá C) Pesquisas para manejo sustentado dos recursos pesqueiros Levantamentos e ecologia de comunidades. Ecologia de populações, biologia reprodutiva, crescimento, ecologia alimentar, e ecologia da pesca. Formas de uso tradicional e moderno dos recursos. Focalizadas em espécies de maior importância econômica, como recursos alimentares ou ornamentais.

33 A experiência de Mamirauá

34 A experiência de Mamirauá D) Pesquisas para manejo sustentado dos recursos cinegéticos Levantamentos e ecologia de comunidades. Ecologia de populações, biologia reprodutiva, crescimento, ecologia alimentar, e ecologia da caça. Focalizadas em espécies de maior importância alimentar.

35 A experiência de Mamirauá E) Pesquisas em Tecnologias Sociais Desenvolvimento de tecnologias de manejo sustentável de recursos naturais (especialmente pesqueiros, madeireiros e cinegéticos), e para incremento da qualidade de vida (formas alternativas de energia com baixa emissão de carbono, tratamento de água, saneamento, etc.).

36 A experiência de Mamirauá

37 A experiência de Mamirauá

38 Renda per capita (R$) Manejo florestal Após 10 anos, os valores de mercado da madeira leve e pesada cresceram em mais de 250%, já que o manejo legalizou uma operação originalmente ilegal, que sofreu uma redução abrupta. 80 R$/m3 de madeira pesada Numb. illegal logs R$/m3 madeira leve Seringa 60 Assacu e outras boias 50 Murupita 40 Muiratinga ,200,00 1,000,00 800,00 600,00 400,00 200, Um incremento médio de 67% na renda domiciliar mensal foi observada nestes 10 anos nas associações envolvidas.

39 Manejo de pesca Após 10 anos, o tamanho médio do pirarucu capturado, principal espécie pescada localmente, ultrapassou o limite mínimo legal (150cm), e os estoques pesqueiros cresceram em mais de 300%. Average Size of Pirarucu Caught (cm) Number of fishermen envolved Um incremento de 130% na renda domiciliar média mensal foi observada nestes 10 anos entre os pescadores envolvidos. 1 0,9 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,

40 Multiplicação de boas práticas Neste mesmo período foram mapeadas as oportunidades de replicação das boas práticas de manejo desenvolvidas, considerando que a maior parte delas ocorre em florestas alagadas de várzea. Manejo florestal Manejo de pesca As cadeias produtivas de produtos extrativos são muito relevantes para boa parte dos estados da Região Norte. Brasil = 0,45 0,50% do PIB Norte = 3,6 15,3% dos PIB s estaduais Manejo de fauna

41 Novos desafios A expansão das ações do IDSM irá levar benefícios diretos a um número maior de comunidades e entidades ligadas às populações tradicionais ribeirinhas, levando impactos positivos diretos e indiretos para mais de habitantes, apenas em sua primeira fase. O efeito demonstrativo dos projetos-piloto, e sua capacidade de influencia na elaboração de políticas públicas em várias áreas e diferentes níveis de administração podem amplificar este público potencial de beneficiários para mais de de pessoas. Este programa está sendo iniciado com apoio do MCTI, e com a manutenção de importantes colaboradores em grupos de pesquisas de diversas instituições, como o INPA e o MPEG.

42 As áreas de multiplicação da ação do IDSM iniciada em 2010:

43 Região 1 Alto Solimões 1 Terras Indígenas do Vale do Javari (próximas à tríplice fronteira com Colômbia e Peru)

44 Região 2 Médio e Baixo Solimões 1 EE Juami-Japurá 2 EE Jutai-Solimões 3 RESEX Rio Jutaí 4 RESEX Auati-Paraná 5 RDS Mamirauá 6 RDS Amanã 7 RESEX Rio Unini 8 PARNA Jau 9 PARNA Anavilhanas 10 RDS Uatumã 11 RESEX Baixo Juruá 12 FLONA Tefé 13 RDS Piagaçu-Purus Atividades de pesquisa, assessoria para manejo sustentável de recursos naturais, e apoio à implementação direta de sistemas de manejo, especialmente por meio de convênio ou termos de cooperação técnica com várias instituições.

45 Região 3 Médio Amazonas 1 Região de Santarém e Oriximiná Atividades de pesquisa, e início de um possível suporte institucional visando a assessoria para manejo sustentável de recursos naturais.

46 Região 4 Baixo Amazonas e Zona Costeira 1 RESEX Mãe Grande 2 APA Algodoal- Maiandeua 3 RESEX Maracanã 4 RESEX Chocoare-Mato Grosso 5 RESEX Mar. Tracuateua 6 RESEX Mar. Caeté-Taperaçu 7 RESEX Mar. Araí-Peroba 8 RESEX Mar. Gurupi-Piriá Atividades de pesquisa, e assessoria para manejo sustentável de recursos naturais.

47 Região 5 Sudeste do Amapá 1 REBIO Parazinho 2 REBIO Lago Piratuba 3 REBIO Maracá-Jipioca 4 APA do Rio Curiaú Atividades de pesquisa e conservação de mamíferos aquáticos.

48 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MAMIRAUÁ IDSM-OS/MCT Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL PLANO AMAZÔNIA SUSTENTÁVEL - PAS SECRETARIA DE POLÍTICAS DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL PLANO AMAZÔNIA SUSTENTÁVEL - PAS SECRETARIA DE POLÍTICAS DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA DE POLÍTICAS DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL COORDENAÇÃO DE PLANEJAMENTO TERRITORIAL PLANO AMAZÔNIA SUSTENTÁVEL - PAS Brasília, outubro/novembro de 2007 O QUE

Leia mais

ÍNDICE. 8.2.3 - Unidades de Conservação e Áreas Prioritárias para Conservação... 1/4. 8.2.3.1 - Áreas Prioritárias para Conservação...

ÍNDICE. 8.2.3 - Unidades de Conservação e Áreas Prioritárias para Conservação... 1/4. 8.2.3.1 - Áreas Prioritárias para Conservação... 2324-00-EIA-RL-0001-01 UHE SANTO ANTÔNIO DO JARI ÍNDICE 8.2.3 - Unidades de Conservação e Áreas Prioritárias para Conservação... 1/4 8.2.3.1 - Áreas Prioritárias para Conservação... 3/4 agosto de 2009

Leia mais

O Sistema Estadual de Unidades de Conservação (SEUC) do Amazonas: momento atual e perspectivas futuras

O Sistema Estadual de Unidades de Conservação (SEUC) do Amazonas: momento atual e perspectivas futuras O Sistema Estadual de Unidades de Conservação (SEUC) do Amazonas: momento atual e perspectivas futuras Centro Estadual de Unidades de Conservação Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento

Leia mais

As Questões Ambientais do Brasil

As Questões Ambientais do Brasil As Questões Ambientais do Brasil Unidades de conservação de proteção integral Existem cinco tipos de unidades de conservação de proteção integral. As unidades de proteção integral não podem ser habitadas

Leia mais

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental Capítulo 6 - Conservação ambiental 71 72 6.1 Unidades de Conservação As Unidades de Conservação da Natureza (UCs) constituem espaços territoriais e mari- 46 55' 46 50' 46 45' nhos detentores de atributos

Leia mais

Os recursos hídricos no Brasil e no mundo

Os recursos hídricos no Brasil e no mundo Os recursos hídricos no Brasil e no mundo DISPONIBILIDADE DE ÁGUA POR HAB./ANO NO MUNDO (ANA, 2005) Exemplos de países situados na parte superior da lista Ranking Continente País Recursos Hídricos

Leia mais

Cláudia Pereira de DEUS* *Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia INPA

Cláudia Pereira de DEUS* *Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia INPA Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus Purus : Gestão, Biodiversidade e Conservação Cláudia Pereira de DEUS* *Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia INPA Instituto Piagaçu - IPi Os caminhos

Leia mais

12/06/2015. Erosão em voçoroca CONCENTRAÇÃO GLOBAL DE CO2 ATMOSFÉRICO TRATAMENTO DE ÁREAS DEGRADADAS NÍVEIS DE GÁS CARBÔNICO EM MAUNA LOA (HAWAI)

12/06/2015. Erosão em voçoroca CONCENTRAÇÃO GLOBAL DE CO2 ATMOSFÉRICO TRATAMENTO DE ÁREAS DEGRADADAS NÍVEIS DE GÁS CARBÔNICO EM MAUNA LOA (HAWAI) DESMATAMENTO ECOLOGIA Unidade 5 MADEIRA CARVÃO PASTAGENS AGRICULTURA MINERAÇÃO LOTEAMENTOS DESMATAMENTO DESMATAMENTO RONDÔNIA RONDÔNIA EROSÃO - DESMATAMENTO - SOLO DESPROTEGIDO - CHUVAS - DESAGREGAÇÃO

Leia mais

Dimensão ambiental e atuação parlamentar. Consultoras Legislativas da Área XI

Dimensão ambiental e atuação parlamentar. Consultoras Legislativas da Área XI Dimensão ambiental e atuação parlamentar Ilidia Juras Suely Araújo Consultoras Legislativas da Área XI SUMÁRIO "Limites da Terra principais problemas ambientais: no mundo no Brasil A atuação parlamentar

Leia mais

Unidades de conservação valorizando o patrimônio natural brasileiro

Unidades de conservação valorizando o patrimônio natural brasileiro Unidades de conservação valorizando o patrimônio natural brasileiro Fábio França Silva Araújo Departamento de Áreas Protegidas Ministério do Meio Ambiente Unidades de conservação: Espaços territoriais

Leia mais

COMPLEXOS REGIONAIS A AMAZÔNIA

COMPLEXOS REGIONAIS A AMAZÔNIA COMPLEXOS REGIONAIS A AMAZÔNIA Ocupa mais de 5 milhões de km ²; Abrange quase toda a região Norte, centro-norte do Mato Grosso e oeste do Maranhão; É marcada pela presença da Floresta Amazônica; A Floresta

Leia mais

PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO. Conciliando Biodiversidade e Agricultura

PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO. Conciliando Biodiversidade e Agricultura PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO Conciliando Biodiversidade e Agricultura DESAFIO Compatibilizar a Conservação e a Agricultura O crescimento da população global e a melhoria dos padrões de vida aumentaram

Leia mais

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MAMIRAUÁ IDSM/OS/MCTI PROGRAMA DE MANEJO DE PESCA

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MAMIRAUÁ IDSM/OS/MCTI PROGRAMA DE MANEJO DE PESCA INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MAMIRAUÁ IDSM/OS/MCTI PROGRAMA DE MANEJO DE PESCA EDITAL DO CURSO DE GESTÃO COMPARTILHADA DOS RECURSOS PESQUEIROS COM FOCO NO MANEJO PARTICIPATIVO DE PIRARUCU (Arapaima

Leia mais

Análise de Viabilidade

Análise de Viabilidade Análise de Viabilidade 1. Identificação Município: Itaúna Localização: Região de Tabuões Bacia Hidrográfica: Rio São Francisco 2. Resultados: Considerando as especulações que estão sendo levantadas com

Leia mais

Prof. Pedro Brancalion

Prof. Pedro Brancalion Prof. Pedro Brancalion Reserva Legal: área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, delimitada nos termos do art. 12, com a função de assegurar o uso econômico de modo sustentável dos

Leia mais

A Natureza ilhada: concepção de Áreas Protegidas no Brasil, política de criação e implantação no Brasil

A Natureza ilhada: concepção de Áreas Protegidas no Brasil, política de criação e implantação no Brasil A Natureza ilhada: concepção de Áreas Protegidas no Brasil, política de criação e implantação no Brasil Dra. Sueli Angelo Furlan Laboratório Climatolofia e Biogeografia Departamento de Geografia Faculdade

Leia mais

Modificação das Paisagens por Atividades Humanas

Modificação das Paisagens por Atividades Humanas BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO IBB021 AULA 7 I. Consequências Ecológicas da Modificação de Paisagens Causas e distribuição das modificações da paisagem Modificação da estrutura de comunidades de plantas e animais

Leia mais

Antônia Lucia Monteiro/CGEUC/DIREC/IBAMA

Antônia Lucia Monteiro/CGEUC/DIREC/IBAMA Antônia Lucia Monteiro/CGEUC/DIREC/IBAMA IBAMA O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis/IBAMA é uma Autarquia, vinculada ao Ministério do Meio Ambiente/MMA, responsável

Leia mais

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago Consulta Pública 2015 Base Legal Lei Federal nº 9.985 de 18 de julho de 2000 Regulamenta o artigo 225 da Constituição Federal e Institui o Sistema Nacional

Leia mais

Água Subterrânea na Amazônia: Relevância, Estado Atual do Conhecimento e Estratégia de Pesquisa

Água Subterrânea na Amazônia: Relevância, Estado Atual do Conhecimento e Estratégia de Pesquisa Água Subterrânea na Amazônia: Relevância, Estado Atual do Conhecimento e Estratégia de Pesquisa Ingo Daniel Wahnfried * * Departamento de Geociências, ICE, Universidade Federal do Amazonas Manaus/AM Introdução

Leia mais

CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL

CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL 2 Manual para Produção de Madeira na Amazônia APRESENTAÇÃO O plano de manejo pode ser organizado em três etapas. 1 Na primeira, faz-se o zoneamento ou divisão da propriedade

Leia mais

B I O G E O G R A F I A

B I O G E O G R A F I A B I O G E O G R A F I A FLORESTA AMAZÔNICA 2011 Aula XII O bioma Amazônia representa aproximadamente 30% de todas as florestas tropicais remanescentes do mundo e nele se concentra a maioria das florestas

Leia mais

SHS-381 Gestão de Áreas Protegidas. Prof. Victor E. L. Ranieri. Aula 2

SHS-381 Gestão de Áreas Protegidas. Prof. Victor E. L. Ranieri. Aula 2 SHS-381 Gestão de Áreas Protegidas Prof. Victor E. L. Ranieri Aula 2 Aula passada... Perda da biodiversidade é um macro problema de âmbito global. Muitos instrumentos podem ser usados para atacar este

Leia mais

Fortalecimento da Gestão Regional Conjunta para o Aproveitamento Sustentável da Biodiversidade Amazônica

Fortalecimento da Gestão Regional Conjunta para o Aproveitamento Sustentável da Biodiversidade Amazônica Fortalecimento da Gestão Regional Conjunta para o Aproveitamento Sustentável da Biodiversidade Amazônica PAULO KAGEYAMA. SBF Ministério do Meio Ambiente PRIMEIRA REUNIÃO DE COORDENADORES NACIONAIS DO PROJETO

Leia mais

EXPLORAÇÃO FLORESTAL E A PRESERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE Paulo Kageyama. DCBio. SBF. MMA

EXPLORAÇÃO FLORESTAL E A PRESERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE Paulo Kageyama. DCBio. SBF. MMA EXPLORAÇÃO FLORESTAL E A PRESERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE Paulo Kageyama. DCBio. SBF. MMA INTRODUÇÃO BRASIL É O CAMPEÃO DE BIODIVERSIDADE - E DAÍ? MANEJO DA FLORESTA: MADEIRA E NÃO MADEIRA PLANTAÇÕES FLORESTAIS:

Leia mais

Viagem ao rio Arapiuns - 05 dias Santarém, Pará, Amazônia 2010

Viagem ao rio Arapiuns - 05 dias Santarém, Pará, Amazônia 2010 Viagem ao rio Arapiuns - 05 dias Santarém, Pará, Amazônia 2010 1º dia, Santarém - Anã café da manhã no barco saída de Santarém as 06:30, em direção a comunidade de Anã (de 3 a 4 horas de navegação) chegada

Leia mais

Questões ambientais do Brasil

Questões ambientais do Brasil Questões ambientais do Brasil Ao longo da história do Brasil, o desmatamento esteve presente em todos os ciclos econômicos responsáveis pela construção do país, o que reduziu bastante a biodiversidade

Leia mais

Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA

Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA 3º Seminário de Comunicação Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável P A L E S T R A COMUNICAÇÃO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA Relações Públicas P e Jornalista

Leia mais

Questões Climáticas e Água

Questões Climáticas e Água Questões Climáticas e Água Material de apoio para Monitoria 1. (UNICAMP-2012) O mapa abaixo indica a ocorrência de queda de neve na América do Sul. Observe o mapa e responda às questões. a) Que fatores

Leia mais

Os impactos ambientais de maior incidência no país

Os impactos ambientais de maior incidência no país Os impactos ambientais de maior incidência no país Segundo a Pesquisa de Informações Básicas Municipais Perfil dos Municípios Brasileiros/MUNIC 2008, realizada regularmente pelo Instituto Brasileiro de

Leia mais

Sistema de Cadastro Ambiental Rural

Sistema de Cadastro Ambiental Rural Sistema de Cadastro Ambiental Rural XX Simpósio Jurídico ABCE ÂNGELO RAMALHO ASSESSOR MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO DIRETORIA DE FOMENTO E INCLUSÃO FLORESTAL São Paulo, Outubro/2014

Leia mais

A reserva de desenvolvimento sustentável Mamirauá

A reserva de desenvolvimento sustentável Mamirauá A reserva de desenvolvimento sustentável Mamirauá HELDER L. QUEIROZ DENTRE OS CRESCENTES problemas enfrentados pela Amazônia, o desmatamento tem sido o mais visível e agudo, provocando debates intensos

Leia mais

Assessoria de Assuntos Estratégicos e Relações institucionais ASAE Gabinete do Ministro

Assessoria de Assuntos Estratégicos e Relações institucionais ASAE Gabinete do Ministro Assessoria de Assuntos Estratégicos e Relações institucionais ASAE Gabinete do Ministro Roteiro Plano Amazônia de Pesca e Aquicultura Amazônia Legal Pesca e Aquicultura na Amazônia Legal Plano Amazônia

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO AMAZONAS: política para produtos não madeireiros

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO AMAZONAS: política para produtos não madeireiros DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO AMAZONAS: política para produtos não madeireiros ESTADO DO AMAZONAS 1.5 milhões/km2. 3.341 milhões/habitantes 1,4 milhões/km2 Reserva de floresta tropical 98% Cobertura florestal

Leia mais

Código Florestal contexto.problemas.propostas

Código Florestal contexto.problemas.propostas Código Florestal contexto.problemas.propostas tasso.azevedo@gmail.com 1. Contexto 2. Problemas 3. Propostas 1 Regulamentação sobre florestas Constituição Federal (1988) Código Florestal (1965) Lei de Crimes

Leia mais

Desenvolvimento Endógeno em Comunidades Tradicionais da Amazônia

Desenvolvimento Endógeno em Comunidades Tradicionais da Amazônia Desenvolvimento Endógeno em Comunidades Tradicionais da Amazônia O caso do uso sustentável do cipó-titica (Heteropsis flexuosa) no Estado do Amapá Antonio Claudio Almeida de Carvalho Eng o. Agrônomo CREA-AP

Leia mais

O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes

O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes Secretária executiva do FSC, ONG que gerencia a principal certificação de florestas, diz que o desafio agora é ampliar atuação na Mata Atlântica

Leia mais

Serviços dos ecossistemas aquáticos

Serviços dos ecossistemas aquáticos Recursos hídricos na Região Sudeste: segurança hídrica, riscos, impactos e soluções Serviços dos ecossistemas aquáticos Colaboradores Maione Wittig Franco Raquel Cordeiro Francisco AR Barbosa LIMNEA/ICB-UFMG

Leia mais

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 Editora F-5MA2 Rua Floriano Peixoto Santos, 55 Morumbi CEP 05658-080 São Paulo - SP Tel.: (11) 3749 3250 Apresentação A população crescendo, florestas sumindo, calor aumentando,

Leia mais

Livro. Amazônia. do Aquário de São Paulo

Livro. Amazônia. do Aquário de São Paulo Livro mazônia do quário de São Paulo Bioma mazônia mazônia ocupa a porção norte do Brasil e é nosso maior bioma. m bioma é um conjunto de ecossistemas semelhantes. pesar de ser considerado um bioma único,

Leia mais

[ meio ambiente ] 68 ecoaventura l Pesca esportiva, meio ambiente e turismo. Por: Oswaldo Faustino

[ meio ambiente ] 68 ecoaventura l Pesca esportiva, meio ambiente e turismo. Por: Oswaldo Faustino [ meio ambiente ] Ameaçado de extinção, o Pirarucu, o maior peixe de escamas de nossas águas, ganhou programa de manejo e seus exemplares voltam a atingir número e tamanhos que permitem anualmente sua

Leia mais

A BIOMASSA FLORESTAL PRIMARIA

A BIOMASSA FLORESTAL PRIMARIA A BIOMASSA FLORESTAL PRIMARIA Entende-se por biomassa florestal primaria (BFP) a fração biodegradável dos produtos gerados e que são processados com fins energéticos. Nos casos dos reflorestamentos, a

Leia mais

Núcleo Regional de Coari -AM

Núcleo Regional de Coari -AM Núcleo Regional de Coari -AM Fernando P. Mendonça, UFAM/Coari Programa de Pesquisa em Biodiversidade PPBio Amazônia Ocidental http://ppbio.inpa.gov.br Histórico Convite do Núcleo executor: Novembro/2009

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O NOVO CÓDIGO FLORESTAL E SUAS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS

REFLEXÕES SOBRE O NOVO CÓDIGO FLORESTAL E SUAS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS REFLEXÕES SOBRE O NOVO CÓDIGO FLORESTAL E SUAS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS Dr. Sergius Gandolfi www.lerf.esalq. 22/03/2012 19:30 20:30h - São Carlos-SP Escola Paulista da Magistratura Laboratório de Ecologia

Leia mais

Analise este mapa topográfico, em que está representada uma paisagem serrana de Minas Gerais:

Analise este mapa topográfico, em que está representada uma paisagem serrana de Minas Gerais: QUESTÃO 01 2 Analise este mapa topográfico, em que está representada uma paisagem serrana de Minas Gerais: Um grupo de turistas, hospedado na pousada localizada nesse mapa, realizou uma caminhada ecológica

Leia mais

Biodiversidade em Minas Gerais

Biodiversidade em Minas Gerais Biodiversidade em Minas Gerais SEGUNDA EDIÇÃO ORGANIZADORES Gláucia Moreira Drummond Cássio Soares Martins Angelo Barbosa Monteiro Machado Fabiane Almeida Sebaio Yasmine Antonini Fundação Biodiversitas

Leia mais

Perfil Municipal - Queimada Nova (PI)

Perfil Municipal - Queimada Nova (PI) Caracterização do Território Área: 1.438,4 km² Densidade Demográfica: 5,8 hab/km² Altitude da Sede: 410 m Ano de Instalação: 1.993 Distância à Capital: 416,7 km Microrregião: Alto Médio Canindé Mesorregião:

Leia mais

DISPOSIÇÕES PERMANENTES

DISPOSIÇÕES PERMANENTES Revista RG Móvel - Edição 31 DISPOSIÇÕES PERMANENTES CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR): O novo Código Florestal determina a criação do CAR (Cadastro Ambiental Rural) e torna obrigatório o registro para todos

Leia mais

Silvicultura & Meio Ambiente Celso Foelkel

Silvicultura & Meio Ambiente Celso Foelkel Silvicultura & Meio Ambiente Celso Foelkel www.celso-foelkel.com.br www.eucalyptus.com.br Porquê precisamos plantar florestas? O ser humano sempre amou as coisas de madeira e as florestas Afinal, a floresta

Leia mais

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO Trabalho de pesquisa em andamento Sidinei Esteves de Oliveira de Jesus Universidade Federal do Tocantins pissarra1@yahoo.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade. Sisbio

Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade. Sisbio Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade Sisbio Sisbio Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade Sistema interativo e simplificado de atendimento à distância e de informação. O

Leia mais

Amazônia e aquecimento global - 14/02/2007

Amazônia e aquecimento global - 14/02/2007 Amazônia e aquecimento global - 14/02/2007 Local: Brasília - DF Fonte: Agência Amazônia Link: http://www.agenciaamazonia.com.br/ Reconhecido especialista em aquecimento global, o cientista Philip Fearnside

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA BACIA DO RIO TAQUARI

PROGRAMA DE AÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA BACIA DO RIO TAQUARI Manutenção e recuperação da capacidade produtiva da região do Médio e Baixo Apoiar o desenvolvimento de atividades produtivas com espécies adaptadas a região (fauna e flora) Identificar as potencialidades

Leia mais

Esse incremento no consumo alimentar se deve principalmente ao processo de urbanização e o aumento da renda per capita

Esse incremento no consumo alimentar se deve principalmente ao processo de urbanização e o aumento da renda per capita Segundo estimativas da ONU, A população mundial atingirá 9,3 bilhões de habitantes em 2050; O maior crescimento populacional ocorrerá nos países em desenvolvimento, onde é esperado incremento do consumo

Leia mais

O Lavrado de Roraima:

O Lavrado de Roraima: DIAGNÓSTICO O Lavrado de Roraima: importância biológica, desenvolvimento e conservação na maior savana do Bioma Amazônia Ciro CAMPOS, Flavia PINTO, Reinaldo Imbrozio BARBOSA ciro.roraima@yahoo.com.br,

Leia mais

GEOGRAFIA LISTA DE RECUPERAÇÃO - 7º ANO RECUPERAÇÃO FINAL 2015 1. Objetivas:

GEOGRAFIA LISTA DE RECUPERAÇÃO - 7º ANO RECUPERAÇÃO FINAL 2015 1. Objetivas: GEOGRAFIA Objetivas: 01 No último século, o Brasil deixou de ser um país essencialmente rural e se tornou um país urbano-industrial. Nesse processo, foram muitas as mudanças em seu espaço geográfico, especialmente

Leia mais

01. (FUVEST) Dentre os vários aspectos que justificam a diversidade biológica da Mata Atlântica, encontram-se:

01. (FUVEST) Dentre os vários aspectos que justificam a diversidade biológica da Mata Atlântica, encontram-se: 01. (FUVEST) Dentre os vários aspectos que justificam a diversidade biológica da Mata Atlântica, encontram-se: I. Concentração nas baixas latitudes, associadas a elevadas precipitações. II. Distribuição

Leia mais

Os desafios da extração mineral na Região Norte em prol do desenvolvimento socioeconômico

Os desafios da extração mineral na Região Norte em prol do desenvolvimento socioeconômico Centro de Tecnologia Mineral Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Os desafios da extração mineral na Região Norte em prol do desenvolvimento socioeconômico Rodrigo Braga da Rocha Villa Verde Renata

Leia mais

Reserva de Desenvolvimento Sustentável: Manejo Integrado dos Recursos Naturais e Gestão Participativa

Reserva de Desenvolvimento Sustentável: Manejo Integrado dos Recursos Naturais e Gestão Participativa Dimensões Humanas da Biodiversidade Reserva de Desenvolvimento Sustentável: Manejo Integrado dos Recursos Naturais e Gestão Participativa Helder L. Queiroz e Nelissa Peralta Instituto de Desenvolvimento

Leia mais

Ensino Fundamental II

Ensino Fundamental II Ensino Fundamental II Valor da prova: 2.0 Nota: Data: / /2015 Professora: Angela Disciplina: Geografia Nome: n o : Ano: 9º 3º bimestre Trabalho de Recuperação de Geografia Orientações: - Leia atentamente

Leia mais

O Capítulo III do SNUC define os seguintes objetivos e normas para as categorias de man ejo:

O Capítulo III do SNUC define os seguintes objetivos e normas para as categorias de man ejo: 4.4 - Unidades de Conservação Segundo PEREIRA et al., (1999) Unidades de Conservação (UCs) Costeiras e Marinhas são aquelas situadas na faixa que se estende desde o limite interior dos ambientes com influência

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006 Regulamenta o 4º do art. 225 da Constituição Federal, para instituir o Plano de Gerenciamento da Floresta Amazônica. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei

Leia mais

O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas

O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPEA Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais DIRUR Eixo Temático: Sustentabilidade

Leia mais

Segurança Alimentar e Nutricional na Amazônia

Segurança Alimentar e Nutricional na Amazônia Segurança Alimentar e Nutricional na Amazônia Contribuições ao debate na XI Plenária do Consea Agosto de 2013 Aprimoramento da estratégia de identificação e caracterização das famílias pertencentes a povos

Leia mais

Biomas Brasileiros. 1. Bioma Floresta Amazônica. 2. Bioma Caatinga. 3. Bioma Cerrado. 4. Bioma Mata Atlântica. 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense

Biomas Brasileiros. 1. Bioma Floresta Amazônica. 2. Bioma Caatinga. 3. Bioma Cerrado. 4. Bioma Mata Atlântica. 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense Biomas Brasileiros 1. Bioma Floresta Amazônica 2. Bioma Caatinga 3. Bioma Cerrado 4. Bioma Mata Atlântica 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense 6. Bioma Pampas BIOMAS BRASILEIROS BIOMA FLORESTA AMAZÔNICA

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Da Sra. Thelma de Oliveira) Art. 1º Ficam suspensas, pelo período de três anos, as autorizações para

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Da Sra. Thelma de Oliveira) Art. 1º Ficam suspensas, pelo período de três anos, as autorizações para PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Da Sra. Thelma de Oliveira) Suspende as autorizações para queimadas e desmatamentos ou, supressão de vegetação na Amazônia Legal. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Ficam

Leia mais

ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS

ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS CLASSIFICAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS HUMANOS Classe 1 - ECOSSISTEMA NATURAL MADURO ( Floresta Amazônica ); Classe 2 - ECOSSISTEMA NATURAL CONTROLADO (SNUC); Classe 3 - ECOSSISTEMA

Leia mais

Desmatamento. Manter as florestas de pé é vital para o planeta.

Desmatamento. Manter as florestas de pé é vital para o planeta. Desmatamento de pé é vital para o planeta. 7 Nosso desafio é fazer as florestas valerem mais de pé do que derrubadas. O desmatamento é uma das grandes ameaças à sustentabilidade do planeta. Mais que o

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00 1. Conceitos Básicos a) unidade de conservação: espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes,

Leia mais

O retrato da água no Brasil na visão da Sociedade

O retrato da água no Brasil na visão da Sociedade O retrato da água no Brasil na visão da Sociedade Enfrentando a escassez da água O Dia da Água, instituído por resolução da assembleia das ONU em 22 de março de 1992, chama atenção da sociedade para a

Leia mais

Áreas degradadas. Áreas degradadas conceitos e extensão

Áreas degradadas. Áreas degradadas conceitos e extensão Áreas degradadas Áreas degradadas conceitos e extensão Conceituação e caracterização de áreas degradadas O ecossistema que sofreu alterações relativas à perda da cobertura vegetal e dos meios de regeneração

Leia mais

SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Prof. Dr. Thiago Leite Engenheiro Florestal (UnB-DF) Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais com ênfase em Educação Ambiental (UnB-DF) Doutorado em Ciências Florestais com ênfase em Agroecologia (UnB-DF)

Leia mais

COMISSÃO DA AMAZÔNIA, INTEGRAÇÃO NACIONAL E DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL

COMISSÃO DA AMAZÔNIA, INTEGRAÇÃO NACIONAL E DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL COMISSÃO DA AMAZÔNIA, INTEGRAÇÃO NACIONAL E DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N o 2.590, DE 2010 (MENSAGEM N o 921/2008) Autoriza a União a ceder ao Estado de Rondônia, a título

Leia mais

Patrimônio da Humanidade BRASIL

Patrimônio da Humanidade BRASIL Patrimônio da Humanidade BRASIL Patrimônio da Humanidade BRASIL Um local denominado patrimônio mundial é reconhecido pela UNESCO (Organização das Nações Unidas ara a Educação, a Ciência e a Cultura) como

Leia mais

Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global

Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global II Congresso de Mineração da Amazônia Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global Vânia Somavilla Vale - Diretora de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Novembro de

Leia mais

O VALOR DA NATUREZA E A ENGENHARIA AMBIENTAL

O VALOR DA NATUREZA E A ENGENHARIA AMBIENTAL O VALOR DA NATUREZA E A ENGENHARIA AMBIENTAL Joésio Deoclécio Pierin Siqueira Eng. Florestal, Dr. em Economia e Política Florestal Vice-Presidente da STCP Engenharia de Projetos DEFINIÇÃO DE SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS

Leia mais

Combatendo as causas das mudanças climáticas

Combatendo as causas das mudanças climáticas WWF-Brasil SHIS EQ QL 06/08 Conj. E 2º andar Lago Sul 71620-430 Brasília-DF Brasil Tel: +55 61 3364-7400 Fax: +55 61 3364-7474 Panda@wwf.org.br http://www.wwf.org.br Combatendo as causas das mudanças climáticas

Leia mais

Tema Conservação da Biodiversidade Painel: Mercedes Maria da Cunha Bustamante, UnB

Tema Conservação da Biodiversidade Painel: Mercedes Maria da Cunha Bustamante, UnB Tema Conservação da Biodiversidade Painel: Mercedes Maria da Cunha Bustamante, UnB Cerrado: Mudança Climática e Biodiversidade Prof. Mercedes Bustamante Departamento de Ecologia Universidade de Brasília

Leia mais

CORRUPÇÃO E MEIO AMBIENTE

CORRUPÇÃO E MEIO AMBIENTE CORRUPÇÃO E MEIO AMBIENTE A corrupção gera um sério impacto sobre o meio ambiente. Uma série de setores são particularmente vulneráveis à corrupção, incluindo a silvicultura, a proteção de espécies ameaçadas

Leia mais

Oportunidades da Agropecuária Brasileira

Oportunidades da Agropecuária Brasileira Oportunidades da Agropecuária Brasileira Carne sustentável para o mundo Buenos Aires, 28 de setembro de 2010 SANIDADE ANIMAL BEM ESTAR ANIMAL PRESERVAÇÃO AMBIENTAL RASTREABILIDADE 1 O governo brasileiro

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NA COSTA LESTE DE SALINAS DA MARGARIDA-BAHIA

CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NA COSTA LESTE DE SALINAS DA MARGARIDA-BAHIA I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental COBESA CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL DO ECOSSISTEMA MANGUEZAL NA COSTA LESTE DE SALINAS DA MARGARIDA-BAHIA Augusto César da Silva Machado Copque Geógrafo

Leia mais

Heron Martins, Antônio Fonseca; Carlos Souza Jr.; Márcio Sales & Adalberto Veríssimo (Imazon) RESUMO

Heron Martins, Antônio Fonseca; Carlos Souza Jr.; Márcio Sales & Adalberto Veríssimo (Imazon) RESUMO Heron Martins, Antônio Fonseca; Carlos Souza Jr.; Márcio Sales & Adalberto Veríssimo (Imazon) RESUMO O SAD detectou 184 quilômetros As florestas degradadas na Amazônia quadrados de desmatamento na Legal

Leia mais

MOSAICOS DE UNIDADES DE CONSERVACÃO E ÄREAS PROTEGIDAS- INTRODUÇÃO

MOSAICOS DE UNIDADES DE CONSERVACÃO E ÄREAS PROTEGIDAS- INTRODUÇÃO MOSAICOS DE UNIDADES DE CONSERVACÃO E ÄREAS PROTEGIDAS- INTRODUÇÃO O Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza SNUC - lei n 9.985/2000 traz a figura organizacional Mosaico, no cap. IV art.

Leia mais

Fluxo de energia. e Ciclos biogeoquímicos. Profª Reisila Mendes. BIOLOGIA 1ª série

Fluxo de energia. e Ciclos biogeoquímicos. Profª Reisila Mendes. BIOLOGIA 1ª série Fluxo de energia e Ciclos biogeoquímicos BIOLOGIA 1ª série Profª Reisila Mendes Fluxo de energia na cadeia alimentar Fluxo da matéria nos ecossistemas Ciclo da água 1 precipitação 2 infiltração 3 - evapotranspiração

Leia mais

Cenário Atual BACIA AMAZÔNICA

Cenário Atual BACIA AMAZÔNICA Cenário Atual BACIA AMAZÔNICA A Bacia Amazônica representa hoje uma das mais importantes áreas do planeta considerando questões ligadas à biodiversidade, sustentabilidade e mudanças climáticas. Geograficamente,

Leia mais

Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste

Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste No Brasil as políticas afirmativas tiveram inicio com a Constituição de 1988. A Legislação de Recursos Hídricos avançou em mecanismos de gestão e governança

Leia mais

MÓDULO 1 CLASSES GERAIS. Professora: Andréa Carla Lima Rodrigues Monitora: Laís Leal

MÓDULO 1 CLASSES GERAIS. Professora: Andréa Carla Lima Rodrigues Monitora: Laís Leal MÓDULO 1 ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS Professora: Andréa Carla Lima Rodrigues Monitora: Laís Leal ECOSSISTEMAS HUMANOS As necessidades e desejos da população humana em expansão têm requerido um

Leia mais

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Perfil - 2-1. Fatos sobre Brasil 2. Contexto Florestal 3. Estratégias para

Leia mais

Reserva da Biosfera da Amazônia Central

Reserva da Biosfera da Amazônia Central Reserva da Biosfera da Amazônia Central Estudo de caso da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã Seminário Internacional sobre Mineração e Sustentabilidade Socioambiental em Reservas da Biosfera

Leia mais

Conservação de tubarões e raias do Brasil EDITAL 01/2016

Conservação de tubarões e raias do Brasil EDITAL 01/2016 Conservação de tubarões e raias do Brasil EDITAL 01/2016 A sobrepesca e a degradação de habitats por fontes diversas têm alterado profundamente as populações de animais marinhos, trazendo consequências

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2016. (Do Sr. SARNEY FILHO) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI Nº, DE 2016. (Do Sr. SARNEY FILHO) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI Nº, DE 2016 (Do Sr. SARNEY FILHO) Altera dispositivos da Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º A Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, passa a vigorar

Leia mais

Principais ameaças às Briófitas da Região Amazônica brasileira e estudos de casos

Principais ameaças às Briófitas da Região Amazônica brasileira e estudos de casos 1 Principais ameaças às Briófitas da Região Amazônica brasileira e estudos de casos REGINA CÉLIA LOBATO LISBOA - MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI regina@museu-goeldi.br 1. PRINCIPAIS AMEAÇAS ÀS BRIÓFITAS NA

Leia mais

Diagnóstico de unidades de conservação no Nordeste brasileiro - presente e futuro: Pernambuco

Diagnóstico de unidades de conservação no Nordeste brasileiro - presente e futuro: Pernambuco 22 Diagnóstico de unidades de conservação no Nordeste brasileiro - presente e futuro: Pernambuco Josué Francisco da Silva Junior 1 1 Pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Unidade de Execução de

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA RELACIONADA NO ÂMBITO DOS TEMAS

Leia mais

Ecologia: definição. OIKOS Casa LOGOS Estudo. Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente.

Ecologia: definição. OIKOS Casa LOGOS Estudo. Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente. Profª Kamylla Ecologia: definição OIKOS Casa LOGOS Estudo Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente. Componentes do Ecossistema Substâncias Abióticas; Componentes Bióticos:

Leia mais

Nosso Território: Ecossistemas

Nosso Território: Ecossistemas Nosso Território: Ecossistemas - O Brasil no Mundo - Divisão Territorial - Relevo e Clima - Fauna e Flora - Ecossistemas - Recursos Minerais Um ecossistema é um conjunto de regiões com características

Leia mais

PROBLEMAS AMBIENTAIS NO BRASIL 1 INTRODUÇÃO

PROBLEMAS AMBIENTAIS NO BRASIL 1 INTRODUÇÃO Problemas Ambientais no Brasil 1 PROBLEMAS AMBIENTAIS NO BRASIL 1 INTRODUÇÃO! Os problemas ambientais no Brasil estão relacionados ao complexo quadro de crise geral e a falta de uma política quanto ao

Leia mais

O USO DA BIODIVERSIDADE COMO PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

O USO DA BIODIVERSIDADE COMO PRESERVAÇÃO AMBIENTAL O USO DA BIODIVERSIDADE COMO PRESERVAÇÃO AMBIENTAL Stefani de Souza Patricia de Freitas Co-autor - Prof. MSc. Cristian Coelho Silva cristian_coelho@yahoo.com.br luscheuer@hotmail.com Palavras-chave: sustentabilidade,

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com BIOMAS É um conjunto de vários ecossistemas, que possuem certo nível de homogeneidade. Composto pelo fatores bióticos

Leia mais