Cláudia Pereira de DEUS* *Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia INPA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cláudia Pereira de DEUS* *Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia INPA"

Transcrição

1 Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus Purus : Gestão, Biodiversidade e Conservação Cláudia Pereira de DEUS* *Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia INPA Instituto Piagaçu - IPi

2 Os caminhos da Conservação no Brasil Primeiros Parques criados no Brasil: Itatiaia (1937); Iguaçu, Serra dos Órgão e Sete Quedas (1939). Sede da Eco-92 brasileiros assumindo os movimentos de defesa do meio ambiente. Assinatura do Protocolo do Kyoto (1997) redução em pelo menos 5% de gases poluentes pelos países industrializados até Lei Sistema Nacional de Unidades de Conservação SNUC Lei Sistema Nacional de Unidades de Conservação SNUC 2000.

3 Criação de UC é um processo complexo -identificação de áreas prioritárias -reconhecimento do uso tradicional i -definição da categoria mais apropriada -participação informada da sociedade - vontade política

4 Unidades de Conservação no Estado do Amazonas: Até o momento existem de uso sustentável e 8 Unidades de Conservação no de proteção integral Estado

5 Diversidade Biológica Desde 1944 Alta biodiversidade Rota migratória da tartaruga da Amazônia (Podocnemis expansa) Historicamente alta densidade de pirarucu (Arapaima gigas) epeixe-boi (Trichechus inunguis)

6 População humana no baixo Purus Cerca de 4000 pessoas Agricultura, pesca, madeira, castanha do brasil Reserva de Desenvolvimento Sustentável

7 MANAUS ANORI BERURI COARI

8

9 Decreto de criação Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu Purus O Decreto de Criação garante: - A exploração dos recursos naturais na RDS-PP; - A continuidade do uso dos recursos naturais pelas populações locais e outros grupos sociais que usam a área. A exploração dos recursos naturais deve ser orientada por um Plano de Manejo

10 PLANO DE MANEJO O que é? Para que serve? É um documento que organiza a utilização dos recursos naturais de uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável ou de qualquer outro tipo de Unidade de Conservação, e que contém todas as normas para direcionar a gestão da UC. Na RDS-PP deve ser construído de forma participativa, ou seja, deve garantir que todos os grupos sociais que utilizam a área possam ajudar na elaboração desse documento

11 O Conselho Deliberativo deve: Ser representativo ti e ter capacidade d de gestão, de forma a promover a qualidade de vida das populações tradicionais e a conservação dos recursos naturais. Reunir-se com freqüência regular para discutir, resolver, decidir e propor sobre questões demandadas previamente, de acordo com as necessidades da RDS

12 COMO ESTAMOS TRABALHANDO?

13 METODOLOGIA DE ABORDAGEM AVALIAÇÃO RURAL PARTICIPATIVA Veracidade dos dados Aquisição de mais e melhores informações AVALIAÇÃO LOCAL POR PESQUISADORES, QUANTIFICANDO RECURSOS E DIAGNOSTICANDO SEU ESTADO ATUAL DE EXPLORAÇÃO ELABORAÇÃO DO PLANO DE GESTÃO PARTICIPATIVO Recurso financeiro Tempo Pessoal qualificado

14 Programas e projetos desenvolvidos na RDS-PP 1. CONSERVAÇÃO E MANEJO DA PESCA 2. DIVERSIDADE E CONSERVAÇÃO DA ICTIOFAUNA - Distribuição espacial 3. DIVERSIDADE E CONSERVAÇÃO DA HERPETOFAUNA 4. DIVERSIDADE E CONSERVAÇÃO DE PRIMATAS 5. DIVERSIDADE E CONSERVAÇÃO DA AVIFAUNA 6. DIVERSIDADE E MANEJO DE QUELÔNIOS 7. CONSERVAÇÃO E MANEJO DE JACARÉS - Avaliação populacional, caça. 8. CONSERVAÇÃO MANEJO DE ANIMAIS SILVESTRES - Avaliação populacional, caça; 9. DIAGNÓSTICO SÓCIO-ECONÔMICO DAS COMUNIDADES NÃO-INDÍGENAS identificação dos principais problemas enfrentados. 10. AGROEXTRATIVISMO: ATIVIDADES MADEIREIRAS E AGRICULTURA FAMILIAR - alternativas econômicas. 11. GIS - ANÁLISE E INTEGRAÇÃO DOS DADOS

15

16 SETORIZAÇÃO FITOFISIONOMIA HIDROGRAFIA: MICROBACIAS ÁREA DE USO DAS COMUNIDADES

17 Subprojetos Objetivos Metas

18 O trabalho da Equipe de Pesca do IPi na RDS Piagaçu Purus Pesquisas -Levantamento da ictiofauna distribuição espacial, áreas de endemismo etc. -Peixes ornamentais - acará disco -Aruanã -Pirarucu -Monitoramento da produção pesqueira da frota comercial

19 Frota pesqueira Criar uma proposta p de regulamentação da pesca, com zoneamento espacial e temporal, aprovada pelas comunidades e encaminhada ao Conselho Deliberativo - Colônias de Pesca (Manaus, Manacapuru, Beruri, Codajás, Anamã, Coari) -Regatões - Comunitários - Barcos sem registro

20 CONHECIMENTO DA BIOLOGIA DE ALGUMAS ESPÉCIES COMO SUPORTE PARA O MANEJO ARUANÃ Osteoglossum bicirrhosum Comércio - consumo alimentar e ornamental Objetivo: levantar informações sobre a pesca, o comércio e a biologia básica do aruanã branco,,para subsidiar o manejo desta espécie na área da Reserva. Fecundidade d da fêmea X tamanho efetivo da prole - redução de 25% - capacidade dos machos desempenharem o cuidado parental. Resultados contribuem para definição de regras de exploração impostas pelo IBAMA: Portaria 01/2001 IBAMA estipula 44 cm. L50 55 cm tamanho mínimo de captura.

21 ARUANÃ Comercializado seco e salgado : 100 ton. salgado Redução de 62,5% de peso 100 ton. = 267 ton. peso fresco

22 ACARÁ-DISCO Symphysodon aequifasciatus Objetivo: Descrever e avaliar a abundância, características biológicas (alimentação e reprodução) e estratégias de manejo da pesca do acará-disco Avaliar experimentalmente t a abundância, métodos de captura e testar o potencial de colonização de ambientes artificiais do acarádisco na RDS-PP.

23 PIRARUCU Arapaima gigas Espécie sobre-explorada explorada População em declínio CITES II Convenção sobre o comércio internacional das espécies em perigo de extinção - Baixa fecundidade: 500 ovos na fase adulta atinge 5 anos - Distribuição restrita à região amazônica; - Depende do oxigênio atmosférico

24 PIRARUCU Arapaima gigas Objetivo: aumentar a densidade de pirarucu em pelo menos 25% no período de 6 anos. Determinação da densidade atual de pirarucus na Reserva Contagem de pirarucu - estimativa visual Estudo populacional definição do tamanho de primeira i maturação, taxa de mortalidade, d etc. Mapeamento das áreas de reprodução, alimentação, home-range. Manejo de lagos - proteção de áreas de cabeceiras; suspensão da pesca do pirarucu em alguns lagos; definição da produção máxima sustentável (MSY)

25 Experiência de RDS Mamirauá auá Táticas de zoneamento áreas de proteção total Táticas de limitação de esforços - redução nos atuais níveis de abate: - Manter o tamanho mínimo de abate em 150 cm do CT; - Proibir a comercialização de mantas secas e salgadas com comprimento inferior a 115 cm e de mantas frescas inferiores a 125 cm; - Cumprir o período de defeso (dezembro-maio); - Proibir o uso de malhadeira reduzindo a taxa de capturabilidade; Inicio do trabalho em Atualmente é permitido o abate de 30 mil adultos de pirarucu da região de Fonte Boa/Mamirauá/Auti-Paraná.

26 BIODIVERSIDADE E MANEJO DE QUELÔNIOS Distribuição e abundância Localização e mapeamento das praias de desova Impacto da caça ilegal e da coleta de ovos Proposta de Conservação e Manejo para os quelônios da RDS Piagaçu-Purus

27 AVALIAÇÃO POPULACIONAL, CAÇA E CONSERVAÇÃO DE JACARÉS Estimativa da distribuição e da abundância das 2 espécies Áreas de reprodução localizadas e mapeadas.

28 META Avaliação dos impactos da caça e propostas para a o manejo do jacaré

29 ATIVIDADES MADEIREIRAS E MERCADOS Mapeamento das áreas de exploração Estimativa do número de pessoas envolvidas na produção Identificação dos principais i i mercados legais e ilegaisi Avaliação da importância econômica da atividade Proposta de plano de manejo florestal

30 Levantamentos faunísticos Peixe: 360 espécies identificadas. Avifauna: Herpetofauna: 98 espécies anuros 70 espécies lagartos 18 espécies cobras 40 espécies de hábitos aquáticos

31 Primatas: 14 espécies identificadas e relacionadas com a fitofisionomia da região.

32 População jovem: Situação sócio-econômica ca - Crianças (0 a 12 anos) 45% - Adolescentes(13 a 19 anos) 18% - Adultos (20 a 65 anos) 34% - Idosos ( mais que 65 anos) 3% Nível de escoloaridade: baixo - Pessoas estudando 27% - Pessoas que já estudaram 22% - Pessoas que nunca estudaram - 35% Principal renda: - Pesca - Madeira - Agricultura Não madeireira (Castanha do brasil) - Caça de jacaré Principais problemas enfrenados : - Falta de organização social - Não responderam 16% -Assistência precária à saúde (Parasitose, doenjça de pele, gripe, etc.) - Precariedade escolar

33 Agradecimentos Support: Wildlife Conservation Society Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Universidade Federal do Amazonas Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá Fundação O Boticário Governo do Estado do Amazonas Ministério de Ciência e Tecnologia

Ciclo BIOTA-Educação SP, setembro de 2013. QUEIROZ, Helder L. Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM

Ciclo BIOTA-Educação SP, setembro de 2013. QUEIROZ, Helder L. Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM As Principais Ameaças a Conservação do Ecossistema de Várzea Amazônica, e a Experiência do Instituto Mamirauá (IDSM-OS) Ciclo BIOTA-Educação SP, setembro de 2013 QUEIROZ, Helder L. Instituto de Desenvolvimento

Leia mais

[ meio ambiente ] 68 ecoaventura l Pesca esportiva, meio ambiente e turismo. Por: Oswaldo Faustino

[ meio ambiente ] 68 ecoaventura l Pesca esportiva, meio ambiente e turismo. Por: Oswaldo Faustino [ meio ambiente ] Ameaçado de extinção, o Pirarucu, o maior peixe de escamas de nossas águas, ganhou programa de manejo e seus exemplares voltam a atingir número e tamanhos que permitem anualmente sua

Leia mais

PROJETO Avaliação dos impactos do manejo dos estoques pesqueiros sob diferentes sistemas de gestão.

PROJETO Avaliação dos impactos do manejo dos estoques pesqueiros sob diferentes sistemas de gestão. Rede de pesquisa Rede de pesquisa Manejo Integrado dos Recursos Pesqueiros na Várzea Amazônica. Estudo comparativo de duas regiões: Baixo Amazonas e Baixo Purus. PROJETO Avaliação dos impactos do manejo

Leia mais

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago Consulta Pública 2015 Base Legal Lei Federal nº 9.985 de 18 de julho de 2000 Regulamenta o artigo 225 da Constituição Federal e Institui o Sistema Nacional

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA RELACIONADA NO ÂMBITO DOS TEMAS

Leia mais

Justificativa para a criação da Unidade de Conservação. - Ponta de Pirangi

Justificativa para a criação da Unidade de Conservação. - Ponta de Pirangi Justificativa para a criação da Unidade de Conservação - Ponta de Pirangi Os recifes de corais são ecossistemas que abrigam grande biodiversidade marinha, tendo, portanto uma grande relevância ecológica,

Leia mais

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA No Brasil, as leis voltadas para a conservação ambiental começaram a partir de 1981, com a lei que criou a Política Nacional do Meio Ambiente. Posteriormente, novas leis

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Previsão Legal Objetivos Categorias Finalidades Gestão do Sistema Quantitativos Outros Espaços Protegidos Distribuição Espacial Relevância O Brasil possui alguns

Leia mais

Manejo Sustentável da Floresta

Manejo Sustentável da Floresta Manejo Sustentável da Floresta 1) Objetivo Geral Mudança de paradigmas quanto ao uso da madeira da floresta, assim como a percepção dos prejuízos advindos das queimadas e do extrativismo vegetal. 2) Objetivo

Leia mais

As Questões Ambientais do Brasil

As Questões Ambientais do Brasil As Questões Ambientais do Brasil Unidades de conservação de proteção integral Existem cinco tipos de unidades de conservação de proteção integral. As unidades de proteção integral não podem ser habitadas

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00 1. Conceitos Básicos a) unidade de conservação: espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes,

Leia mais

Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA

Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA 3º Seminário de Comunicação Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável P A L E S T R A COMUNICAÇÃO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA Relações Públicas P e Jornalista

Leia mais

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Setembro/2013 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A CRIAÇÃO DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO 1. O que são unidades de conservação (UC)?

Leia mais

Diário Oficial n 2.605 43, Ano XX - Estado do Tocantins, quinta-feira, 6 de março de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA No 002, 04 de março de 2008.

Diário Oficial n 2.605 43, Ano XX - Estado do Tocantins, quinta-feira, 6 de março de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA No 002, 04 de março de 2008. Diário Oficial n 2.605 43, Ano XX - Estado do Tocantins, quinta-feira, 6 de março de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA No 002, 04 de março de 2008. Dispõe sobre parâmetros de caracterização e uniformização dos

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 146, DE 10 DE JANEIRO DE 2007 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 146, DE 11 DE JANEIRO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 146, DE 11 DE JANEIRO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 146, DE 11 DE JANEIRO DE 2007 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁ- VEIS - IBAMA, no uso das atribuições legais previstas no art.

Leia mais

EIXO 02 Uso sustentável das áreas protegidas

EIXO 02 Uso sustentável das áreas protegidas EIXO 02 Uso sustentável das áreas protegidas 1 OBJETIVOS DA OFICINA 1. Apresentar a Estrutura da Agenda Regionais e das Agendas Municipais 2. Apresentar o Objetivo geral do Eixo 3. Apresentar as Diretrizes

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

Ministério do Meio Ambiente IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Unidade de Conservação Área geograficamente estabelecida para se alcançar um objetivo específico de conservação por meio do uso controlado dos recursos biológicos

Leia mais

A reserva de desenvolvimento sustentável Mamirauá

A reserva de desenvolvimento sustentável Mamirauá A reserva de desenvolvimento sustentável Mamirauá HELDER L. QUEIROZ DENTRE OS CRESCENTES problemas enfrentados pela Amazônia, o desmatamento tem sido o mais visível e agudo, provocando debates intensos

Leia mais

Mapeamento Participativo em Sete Unidades de Conservação no Extrativismo Não Madeireiro

Mapeamento Participativo em Sete Unidades de Conservação no Extrativismo Não Madeireiro Mapeamento Participativo em Sete Unidades de Conservação no Extrativismo Não Madeireiro Mônica Suani Barbosa da Costa 1 Karina de Oliveira Milhomem 2 Therezinha de Jesus Pinto Fraxe 3 Suellen Amorim da

Leia mais

12/06/2015. Erosão em voçoroca CONCENTRAÇÃO GLOBAL DE CO2 ATMOSFÉRICO TRATAMENTO DE ÁREAS DEGRADADAS NÍVEIS DE GÁS CARBÔNICO EM MAUNA LOA (HAWAI)

12/06/2015. Erosão em voçoroca CONCENTRAÇÃO GLOBAL DE CO2 ATMOSFÉRICO TRATAMENTO DE ÁREAS DEGRADADAS NÍVEIS DE GÁS CARBÔNICO EM MAUNA LOA (HAWAI) DESMATAMENTO ECOLOGIA Unidade 5 MADEIRA CARVÃO PASTAGENS AGRICULTURA MINERAÇÃO LOTEAMENTOS DESMATAMENTO DESMATAMENTO RONDÔNIA RONDÔNIA EROSÃO - DESMATAMENTO - SOLO DESPROTEGIDO - CHUVAS - DESAGREGAÇÃO

Leia mais

Em 2050 a população mundial provavelmente

Em 2050 a população mundial provavelmente Declaração mundial Armazenamento de Água para o Desenvolvimento Sustentável Em 2050 a população mundial provavelmente ultrapassará nove bilhões de habitantes O aumento da população mundial, tanto rural

Leia mais

sociais (7,6%a.a.); já os segmentos que empregaram maiores contingentes foram o comércio de mercadorias, prestação de serviços e serviços sociais.

sociais (7,6%a.a.); já os segmentos que empregaram maiores contingentes foram o comércio de mercadorias, prestação de serviços e serviços sociais. CONCLUSÃO O Amapá tem uma das menores densidades populacionais, de cerca de 2,6 habitantes por km 2. Em 1996, apenas três de seus 15 municípios possuíam população superior a 20 mil habitantes e totalizavam

Leia mais

Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade. Sisbio

Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade. Sisbio Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade Sisbio Sisbio Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade Sistema interativo e simplificado de atendimento à distância e de informação. O

Leia mais

CRIAÇÃO DE MOSAICO DE MANGUEZAL DA BAÍA DE

CRIAÇÃO DE MOSAICO DE MANGUEZAL DA BAÍA DE CRIAÇÃO DE MOSAICO DE UC NA ÁREA DE MANGUEZAL DA BAÍA DE VITÓRIA Coordenação: Elizete Siqueira Participação: Ibama, Ufes, Capitania dos Portos, Iema, Prefeituras e Câmaras Municipais, CNRBMA, Ipema, Pesquisadores,

Leia mais

AS RESERVAS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMO ALTERNATIVA PARA A CONSERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE E MANUTENÇÃO DA CULTURA CAIÇARA.

AS RESERVAS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMO ALTERNATIVA PARA A CONSERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE E MANUTENÇÃO DA CULTURA CAIÇARA. AS RESERVAS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMO ALTERNATIVA PARA A CONSERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE E MANUTENÇÃO DA CULTURA CAIÇARA. Ana Carolina de Campos Honora 1 Presentes na região costeira dos Estados

Leia mais

ANEXO III TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO III TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO III TERMO DE REFERÊNCIA Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável Departamento de Zoneamento Territorial Projeto GCP/BRA/080/EC PROJETO PACTO MUNICIPAL

Leia mais

FLORESTA NACIONAL DE BRASÍLIA (Como preservá- la para as presentes e futuras gerações?)

FLORESTA NACIONAL DE BRASÍLIA (Como preservá- la para as presentes e futuras gerações?) FLORESTA NACIONAL DE BRASÍLIA (Como preservá- la para as presentes e futuras gerações?) Promotor de Jus,ça do MPDFT Promotoria de Defesa do Meio Ambiente (PRODEMA) Dr. PAULO LEITE Audiência Pública dia

Leia mais

Reserva de Desenvolvimento Sustentável: Manejo Integrado dos Recursos Naturais e Gestão Participativa

Reserva de Desenvolvimento Sustentável: Manejo Integrado dos Recursos Naturais e Gestão Participativa Dimensões Humanas da Biodiversidade Reserva de Desenvolvimento Sustentável: Manejo Integrado dos Recursos Naturais e Gestão Participativa Helder L. Queiroz e Nelissa Peralta Instituto de Desenvolvimento

Leia mais

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental Capítulo 6 - Conservação ambiental 71 72 6.1 Unidades de Conservação As Unidades de Conservação da Natureza (UCs) constituem espaços territoriais e mari- 46 55' 46 50' 46 45' nhos detentores de atributos

Leia mais

Conservação de tubarões e raias do Brasil EDITAL 01/2016

Conservação de tubarões e raias do Brasil EDITAL 01/2016 Conservação de tubarões e raias do Brasil EDITAL 01/2016 A sobrepesca e a degradação de habitats por fontes diversas têm alterado profundamente as populações de animais marinhos, trazendo consequências

Leia mais

1.1. Fonte: Elaborado por STCP Engenharia de Projetos Ltda., 2011.

1.1. Fonte: Elaborado por STCP Engenharia de Projetos Ltda., 2011. 1 - APRESENTAÇÃO A Área de Proteção Ambiental (APA) Serra Dona Francisca, localizada no município de Joinville/SC, com área mapeada de 40.177,71 ha, foi criada através do Decreto n 8.055 de 15 de março

Leia mais

Porque atuar pensando em Conservação Ambiental?

Porque atuar pensando em Conservação Ambiental? Histórico Ano de Criação:2000 Inicio:Combate ao Tráfico de Animais Silvestres A partir de 2003: Implementação do PNCF.ATER voltada para a temática ambiental 2005:Conquista do Premio Ford Motor-PROJETO

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Reserva Extrativista Chico Mendes

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Reserva Extrativista Chico Mendes MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE Reserva Extrativista Chico Mendes Termo de Referência 2013.0729.00042-4 1 - Identificação Contratação de Serviço Pessoa

Leia mais

Homem e natureza unidos pela vida

Homem e natureza unidos pela vida conservação Homem e natureza unidos pela vida texto André Gustavo A maior unidade de conservação da várzea amazônica, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, prova que com leis, pesquisas e

Leia mais

ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS

ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS OBJETIVO Esta chamada tem por objetivo financiar projetos relacionados a ações de gestão e avaliação

Leia mais

Programa Nacional de Rastreamento de Embarcações de Pesca por Satélite

Programa Nacional de Rastreamento de Embarcações de Pesca por Satélite Programa Nacional de Rastreamento de Embarcações de Pesca por Satélite O programa foi instituído por meio da Instrução Normativa Interministerial n.º 02, de 04 de setembro de 2006 e criado em virtude do

Leia mais

Marco legal, definições e tipos

Marco legal, definições e tipos Unidades de conservação Marco legal, definições e tipos Prof. Me. Mauricio Salgado " Quando vier a Primavera, Se eu já estiver morto, As flores florirão da mesma maneira E as árvores não serão menos verdes

Leia mais

Área de Propriedade da Federação/Estado/Município ha porcentagem do total %

Área de Propriedade da Federação/Estado/Município ha porcentagem do total % Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida RPPN Mitra do Bispo Estado Municipio (s) Minas Gerais Bocaina de Minas Nome Instituição Gestora

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO LOCAL: UM ESTUDO SOBRE GESTÃO PARTICIPATIVA TENDO COMO CASO A APA ALTER DO CHÃO/PA

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO LOCAL: UM ESTUDO SOBRE GESTÃO PARTICIPATIVA TENDO COMO CASO A APA ALTER DO CHÃO/PA UNIDADES DE CONSERVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO LOCAL: UM ESTUDO SOBRE GESTÃO PARTICIPATIVA TENDO COMO CASO A APA ALTER DO CHÃO/PA Andréa Simone Gomes Rente O presente estudo visa entender, com o aporte de conceitos

Leia mais

Conflitos Territoriais e Mosaicos de Áreas Protegidas

Conflitos Territoriais e Mosaicos de Áreas Protegidas Conflitos Territoriais e Mosaicos de Áreas Protegidas 2 Curso de Gestão de Mosaicos de Áreas Protegidas Acadebio, 15 de agosto de 2012 Terras Indígenas Unidades de Conservação Territórios Quilombolas Territórios

Leia mais

Texto da Dibap p/ Intranet

Texto da Dibap p/ Intranet Texto da Dibap p/ Intranet DIBAP A Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas tem como missão: empreender ações para a conservação da biodiversidade fluminense, administrar as unidades de conservação

Leia mais

Planejamento Turístico para Promoção do Turismo de Base Comunitária: experiências no Amazonas e no Pará

Planejamento Turístico para Promoção do Turismo de Base Comunitária: experiências no Amazonas e no Pará Capítulo do Livro: Série Integração, Transformação e Desenvolvimento: Áreas Protegidas e Biodiversidade Fundo Vale para o Desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro. 2012. Planejamento Turístico para

Leia mais

CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL

CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL 2 Manual para Produção de Madeira na Amazônia APRESENTAÇÃO O plano de manejo pode ser organizado em três etapas. 1 Na primeira, faz-se o zoneamento ou divisão da propriedade

Leia mais

Capacitação para o Desenvolvimento Sustentável na Amazônia

Capacitação para o Desenvolvimento Sustentável na Amazônia Programa 0502 Amazônia Sustentável Objetivo Promover o desenvolvimento da Amazônia, mediante o uso sustentável de seus recursos naturais. Indicador(es) Número de Ações 9 Taxa de participação de produtos

Leia mais

Serviço Veterinário Oficial A importância em Saúde Animal e Saúde Pública

Serviço Veterinário Oficial A importância em Saúde Animal e Saúde Pública Serviço Veterinário Oficial A importância em Saúde Animal e Saúde Pública Supervisão Regional de Pelotas - SEAPA Objetivos do Serviço Veterinário Oficial * Promoção da saúde animal * Prevenção, controle

Leia mais

NORMA DE EXECUÇÃO N.º 2, DE 26 DE ABRIL DE 2007

NORMA DE EXECUÇÃO N.º 2, DE 26 DE ABRIL DE 2007 INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS DIRETORIA DE FLORESTAS NORMA DE EXECUÇÃO N.º 2, DE 26 DE ABRIL DE 2007 Institui, no âmbito desta Autarquia, o Manual Simplificado

Leia mais

Manejo Comunitário do Pirarucu Arapaima gigas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá Amazonas, Brasil

Manejo Comunitário do Pirarucu Arapaima gigas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá Amazonas, Brasil Manejo Comunitário do Pirarucu Arapaima gigas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá Amazonas, Brasil Manejo Comunitário do Pirarucu Arapaima gigas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

Projeto de Fortalecimento e Intercâmbio de Mosaicos de Áreas Protegidas na Mata Atlântica

Projeto de Fortalecimento e Intercâmbio de Mosaicos de Áreas Protegidas na Mata Atlântica Documento de referência RBMA: Subsídios para Marco Regulatório de Mosaicos de Áreas Protegidas versão 1.0 agosto 2009 I Definição e base conceitual: 1 Os mosaicos foram definidos no SNUC a partir de: LEI

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL. Zoneamento Ambiental. Espaços Territoriais especialmente protegidos ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.

GESTÃO AMBIENTAL. Zoneamento Ambiental. Espaços Territoriais especialmente protegidos ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail. ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL GESTÃO AMBIENTAL Zoneamento Ambiental Espaços

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO PROJETO

RELATÓRIO FINAL DO PROJETO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS Nome da organização: Conservation Strategy Fund Título do projeto: Economics of the Conservation of Corridors in the Atlantic Forest Parceiros que contribuíram

Leia mais

SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SEMADS. I Abertura das Atividades Socioambientais da SEMADS

SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SEMADS. I Abertura das Atividades Socioambientais da SEMADS S EMADS-INFO Volume 1, Edição 1, Agosto de 2015 I Abertura das Atividades Socioambientais da SEMADS A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável promoveu no dia 06 de março de 2015, no Auditório

Leia mais

Mosaicos de áreas protegidas. Gestão integrada - o desafio da articulação interinstitucional

Mosaicos de áreas protegidas. Gestão integrada - o desafio da articulação interinstitucional Mosaicos de áreas protegidas Gestão integrada - o desafio da articulação interinstitucional Curso Introdução a Gestão de UCs Rio Branco, junho 2008 SNUC Art. 26. Quando existir um conjunto de unidades

Leia mais

ÍNDICE. 8.2.3 - Unidades de Conservação e Áreas Prioritárias para Conservação... 1/4. 8.2.3.1 - Áreas Prioritárias para Conservação...

ÍNDICE. 8.2.3 - Unidades de Conservação e Áreas Prioritárias para Conservação... 1/4. 8.2.3.1 - Áreas Prioritárias para Conservação... 2324-00-EIA-RL-0001-01 UHE SANTO ANTÔNIO DO JARI ÍNDICE 8.2.3 - Unidades de Conservação e Áreas Prioritárias para Conservação... 1/4 8.2.3.1 - Áreas Prioritárias para Conservação... 3/4 agosto de 2009

Leia mais

Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida. Informações Básicas. Nome da Unidade/Área Protegida Parque Estadual da Ilha Anchieta

Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida. Informações Básicas. Nome da Unidade/Área Protegida Parque Estadual da Ilha Anchieta Ficha Resumo de Unidade de Conservação/Área Protegida Informações Básicas Nome da Unidade/Área Protegida Parque Estadual da Ilha Anchieta Estado Municipio (s) São Paulo Ubatuba Nome Instituição Gestora

Leia mais

PROJETO SEMEANDO SUSTENTABILIDADE EDITAL DE SELEÇÃO PARA O II CURSO ECOLOGIA DA FLORESTA. Porto Velho e Itapuã do Oeste/RO 27 a 30 de novembro de 2013

PROJETO SEMEANDO SUSTENTABILIDADE EDITAL DE SELEÇÃO PARA O II CURSO ECOLOGIA DA FLORESTA. Porto Velho e Itapuã do Oeste/RO 27 a 30 de novembro de 2013 PROJETO SEMEANDO SUSTENTABILIDADE EDITAL DE SELEÇÃO PARA O II CURSO ECOLOGIA DA FLORESTA Porto Velho e Itapuã do Oeste/RO 27 a 30 de novembro de 2013 INSCRIÇÕES ATÉ O DIA 08/11/2013 Porto Velho, 22 de

Leia mais

O que é a Convenção de Ramsar? Convenção de Zonas Úmidas de Importância Internacional

O que é a Convenção de Ramsar? Convenção de Zonas Úmidas de Importância Internacional O que é a Convenção de Ramsar? Convenção de Zonas Úmidas de Importância Internacional (Ramsar, Irã, 1971) Missão: a conservação e o uso racional de todas as zonas úmidas por meio de ação local, regional

Leia mais

Município de Colíder MT

Município de Colíder MT Diagnóstico da Cobertura e Uso do Solo e das Áreas de Preservação Permanente Município de Colíder MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Julho de 2008 Introdução O município de Colíder está localizado

Leia mais

Estrutura de projeto de Serviços Ambientais

Estrutura de projeto de Serviços Ambientais Estrutura de projeto de Serviços Ambientais 1 Definição do escopo NOME: PAE SERINGAL MATA GRANDE - BEIRA DA BR, ESTADO DO ACRE OBJETIVOS: CONTER O DESMATAMENTO DENTRO DO PAE ATRAVÉS DE ATIVIDADES EXTRATIVISTAS

Leia mais

Manejo de recursos naturais e desenvolvimento de alternativas econômicas sustentáveis.

Manejo de recursos naturais e desenvolvimento de alternativas econômicas sustentáveis. Manejo de recursos naturais e desenvolvimento de alternativas econômicas sustentáveis. O projeto de manejo de recursos naturais desenvolve conceitos e técnicas que permitem a identificação e o manejo dos

Leia mais

REGULAMENTO DE PESCA DESPORTIVA NA ALBUFEIRA DE VASCOVEIRO

REGULAMENTO DE PESCA DESPORTIVA NA ALBUFEIRA DE VASCOVEIRO REGULAMENTO DE PESCA DESPORTIVA NA ALBUFEIRA DE VASCOVEIRO Julho 2013 PREÂMBULO A Barragem de Vascoveiro foi construída com o objetivo de fornecer água à cidade de Pinhel e a algumas freguesias do Concelho.

Leia mais

ESTRUTURA POULACIONAL DE H. ancistroides (Ihering, 1911) EM RIACHOS URBANOS NO MUNICIPIO DE TOLEDO, PARANA

ESTRUTURA POULACIONAL DE H. ancistroides (Ihering, 1911) EM RIACHOS URBANOS NO MUNICIPIO DE TOLEDO, PARANA ESTRUTURA POULACIONAL DE H. ancistroides (Ihering, 1911) EM RIACHOS URBANOS NO MUNICIPIO DE TOLEDO, PARANA 1* Thales Serrano Silva, 2 Tiago Debona, 3 Vinicius Valiente do Santos, 4 Ricardo Soni, 5 Éder

Leia mais

O programa brasileiro de unidades de conservação

O programa brasileiro de unidades de conservação O programa brasileiro de unidades de conservação MARINA SILVA Ministério do Meio Ambiente, Esplanada dos Ministérios, Brasília, Distrito Federal, Brasil. e-mail: marina.silva@mma.gov.br INTRODUÇÃO A Convenção

Leia mais

Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas. Supervisão de Unidade de Conservação APA Ilha do Bananal/Cantão RELATÓRIO:

Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas. Supervisão de Unidade de Conservação APA Ilha do Bananal/Cantão RELATÓRIO: RELATÓRIO: IDENTIFICAÇÃO E MONITORAMENTO DE LOCAIS DE DESOVA DE Podocnemis expansa e Podocnemis unifilis, NO RIO ARAGUAIA, MUNICÍPIO DE ARAGUACEMA, TOCANTINS - ATIVIDADES INTEGRANTES DO PROJETO QUELÔNIOS

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Reserva Extrativista Chico Mendes

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Reserva Extrativista Chico Mendes MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE Reserva Extrativista Chico Mendes Termo de Referência nº 2013.0930.00022-3 1 - Identificação Contratação de Serviço de

Leia mais

Realização. Conselho Brasileiro de Manejo Florestal FSC Brasil. www.fsc.org.br

Realização. Conselho Brasileiro de Manejo Florestal FSC Brasil. www.fsc.org.br C e rtificação gr u p o em Realização Apoio Conselho Brasileiro de Manejo Florestal FSC Brasil www.fsc.org.br 28 01 C er t ifi ca çã o emgrupo em Realização Apoio Conselho Brasileiro de Manejo Florestal

Leia mais

Dimensão ambiental e atuação parlamentar. Consultoras Legislativas da Área XI

Dimensão ambiental e atuação parlamentar. Consultoras Legislativas da Área XI Dimensão ambiental e atuação parlamentar Ilidia Juras Suely Araújo Consultoras Legislativas da Área XI SUMÁRIO "Limites da Terra principais problemas ambientais: no mundo no Brasil A atuação parlamentar

Leia mais

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável 1. Objetivos da Chamada de Projetos para esta Linha de Ação Temática O objetivo da chamada

Leia mais

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MAMIRAUÁ IDSM/OS/MCTI PROGRAMA DE MANEJO DE PESCA

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MAMIRAUÁ IDSM/OS/MCTI PROGRAMA DE MANEJO DE PESCA INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MAMIRAUÁ IDSM/OS/MCTI PROGRAMA DE MANEJO DE PESCA EDITAL DO CURSO DE GESTÃO COMPARTILHADA DOS RECURSOS PESQUEIROS COM FOCO NO MANEJO PARTICIPATIVO DE PIRARUCU (Arapaima

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PPA

CONSTRUÇÃO DE INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PPA CONSTRUÇÃO DE INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PPA CARACTERIZAÇÃO DO PPA Planejamento Estratégico Desenvolvimento Sustentável Resultados Esperados PPA Evolução da Gestão Verificação da Efetividade

Leia mais

LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 CAPÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA

LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 CAPÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA Publicada D.O.E. Em 19.01.99 LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 Dispõe sobre a criação da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia - ADAB e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA

Leia mais

Elaboração do projeto

Elaboração do projeto Elaboração do projeto Há muitas formas possíveis de se realizar um projeto, e o grupo deve discutir e decidir como irá fazê-lo. É fundamental refletir sobre algumas questões que deverão nortear as ações:

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO AMAZONAS

CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO AMAZONAS RESOLUÇÃO/CEMAAM/Nº01/08 Estabelece normas e procedimentos para regularização ambiental de TANQUES, VIVEIROS, BARRAGENS, PEQUENOS RESERVATÓRIOS, CANAIS DE IGARAPÉS E TANQUES REDE DESTINADOS PARA A AQÜICULTURA

Leia mais

Mudanças climáticas e projetos de créditos de carbono -REFLORESTAMENTO-

Mudanças climáticas e projetos de créditos de carbono -REFLORESTAMENTO- Mudanças climáticas e projetos de créditos de carbono -REFLORESTAMENTO- Magno Castelo Branco magno@iniciativaverde.org.br As florestas no âmbito do MDL -Definição das Modalidades e Procedimentos relacionados

Leia mais

Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Sistema Nacional de Unidades de Conservação

Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Sistema Nacional de Unidades de Conservação Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Sistema Nacional de Unidades de Conservação Unidades de Conservação SNUC Sistema Nacional de Unidades de Conservação Sistema Nacional de Unidades de Conservação Lei

Leia mais

Reserva da Biosfera da Amazônia Central

Reserva da Biosfera da Amazônia Central Reserva da Biosfera da Amazônia Central Estudo de caso da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã Seminário Internacional sobre Mineração e Sustentabilidade Socioambiental em Reservas da Biosfera

Leia mais

Edital de Seleção para o Curso de Mobilizadores Sociais Locais para a Reestruturação do Conselho Consultivo do Parque Nacional da Lagoa do Peixe

Edital de Seleção para o Curso de Mobilizadores Sociais Locais para a Reestruturação do Conselho Consultivo do Parque Nacional da Lagoa do Peixe Página 1 de 6 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE CRIAÇÃO E MANEJO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO COORDENAÇÃO REGIONAL CR9 PARQUE NACIONAL DA LAGOA

Leia mais

Eixo 2. Uso sustentável das áreas protegidas 10/04/2013

Eixo 2. Uso sustentável das áreas protegidas 10/04/2013 Eixo 2 Uso sustentável das áreas protegidas 10/04/2013 1 Objetivos do grupo Refletir sobre os desafios de uso sustentável das áreas protegidas no litoral, de forma a garantir a proteção da biodiversidade

Leia mais

UF: AM. 15112 - Tribunal Regional do Trabalho da 11a. Região - Amazonas/Roraima. 20121 - Secretaria Especial dos Direitos Humanos

UF: AM. 15112 - Tribunal Regional do Trabalho da 11a. Região - Amazonas/Roraima. 20121 - Secretaria Especial dos Direitos Humanos ORÇAMENTO DA UNIÃO PARA 2010 - INVESTIMENTOS POR UF UF: AM 15112 - Tribunal Regional do Trabalho da 11a. Região - Amazonas/Roraima 02.122.0571.10WS.0105 - Construção do Edifício-Sede do Fórum Trabalhista

Leia mais

1 - CONTEXTO O Projeto Corredores Ecológicos, componente do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais Brasileiras tem como principal

1 - CONTEXTO O Projeto Corredores Ecológicos, componente do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais Brasileiras tem como principal MINISTÉRIO DO MEIO AMBENTE SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA PILOTO PARA A PROTEÇÃO DAS FLORESTAS TROPICAIS BRASILEIRAS PROJETO CORREDORES ECOLÓGICOS SUB PROJETO CONSOLIDAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA DOS ÓLEOS

Leia mais

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves Técnico em Aquicultura Legislação Pesqueira e Ambiental Prof.: Thiago Pereira Alves SNUC Conceito É o conjunto organizado de unidades de conservação protegidas (federais, estaduais, municipais) que, planejado,

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO ASSENTAMENTO PAE SOBERANA

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO ASSENTAMENTO PAE SOBERANA PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO ASSENTAMENTO PAE SOBERANA Ponta de Pedras Marajó Pará Janeiro-2015 Dados Gerais Projeto ATER-Marajó Chamada Pública 01/2013 INCRA SEDE Ano 2013 Lote 19 Realização Instituto

Leia mais

Núcleo PPBio Rondônia

Núcleo PPBio Rondônia Núcleo PPBio Rondônia Ângelo Gilberto Manzatto Coordenador Adeilza Felipe Sampaio Gerente da Grade Cuniã Programa de Pesquisa em Biodiversidade PPBio Amazônia Ocidental http://ppbio.inpa.gov.br Histórico

Leia mais

SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Prof. Dr. Thiago Leite Engenheiro Florestal (UnB-DF) Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais com ênfase em Educação Ambiental (UnB-DF) Doutorado em Ciências Florestais com ênfase em Agroecologia (UnB-DF)

Leia mais

A Proposta: www.negocios.org.br. Experimentar e demonstrar maneiras de promover negócios sustentáveis na Amazônia Brasileira.

A Proposta: www.negocios.org.br. Experimentar e demonstrar maneiras de promover negócios sustentáveis na Amazônia Brasileira. A Proposta: www.negocios.org.br Experimentar e demonstrar maneiras de promover negócios sustentáveis na Amazônia Brasileira. Missão Reduzir a pressão negativa sobre a floresta por meio de negócios com

Leia mais

Portaria n.º 172, de 24 de abril de 2014.

Portaria n.º 172, de 24 de abril de 2014. Portaria n.º 172, de 24 de abril de 2014. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições constitucionais previstas no Art. 71, inciso IV, da Constituição do Estado de Mato Grosso,

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações PROCESSO 026-2013 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

Informações Básicas para Licenciamento de PARCELAMENTO DE SOLO PARA FINS RESIDENCIAIS Licença Prévia

Informações Básicas para Licenciamento de PARCELAMENTO DE SOLO PARA FINS RESIDENCIAIS Licença Prévia Informações Básicas para Licenciamento de PARCELAMENTO DE SOLO PARA FINS RESIDENCIAIS Licença Prévia SMAMA DDRGA INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO: As instruções necessárias para o preenchimento da folha de

Leia mais

Florestas de Proteção: Áreas Prioritárias para Conservação e Ações para a Preservação das Áreas Protegidas

Florestas de Proteção: Áreas Prioritárias para Conservação e Ações para a Preservação das Áreas Protegidas Florestas de Proteção: Áreas Prioritárias para Conservação e Ações para a Preservação das Áreas Protegidas Fotos: Fundação Araripe Dra. Cecília Costa Depto. De Botänica UFPE cepacosta@yahoo.com.br Perda

Leia mais

Mudanças Climáticas e Economia. Secretaria de Acompanhamento Econômico SEAE

Mudanças Climáticas e Economia. Secretaria de Acompanhamento Econômico SEAE Mudanças Climáticas e Economia Secretaria de Acompanhamento Econômico SEAE Junho de 2009 Aquecimento global como falha de mercado O clima tem forte relação com a atividade econômica: Interação mais conhecida

Leia mais

No caminho certo... Meio Ambiente

No caminho certo... Meio Ambiente 46 No caminho certo... Interdisciplinaridade, pesquisas científicas, envolvimento da comunidade, parcerias e monitoramento constante fazem de projeto brasileiro de proteção às tartarugas marinhas modelo

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DA RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PIAGAÇU-PURUS

PLANO DE GESTÃO DA RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PIAGAÇU-PURUS PLANO DE GESTÃO DA RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PIAGAÇU-PURUS Versão para consulta pública Foto: Kika Gouvêa PLANO DE GESTÃO RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PIAGAÇU-PURUS VOLUME I Versão

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA BACIA DO RIO TAQUARI

PROGRAMA DE AÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA BACIA DO RIO TAQUARI Manutenção e recuperação da capacidade produtiva da região do Médio e Baixo Apoiar o desenvolvimento de atividades produtivas com espécies adaptadas a região (fauna e flora) Identificar as potencialidades

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS

EDUCAÇÃO PARA PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS ARTIGO EDUCAÇÃO PARA PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS ANA CLAUDEISE NASCIMENTO E ELIZABETH LIMA DA GAMA RESUMO Este artigo apresenta a experiência da concepção e desenvolvimento do Programa de Educação Ambiental

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006 Regulamenta o 4º do art. 225 da Constituição Federal, para instituir o Plano de Gerenciamento da Floresta Amazônica. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei

Leia mais

Demandas de pesquisas para viabilizar o manejo florestal sustentável nas Unidades de Conservação Estaduais UCE do Amazonas

Demandas de pesquisas para viabilizar o manejo florestal sustentável nas Unidades de Conservação Estaduais UCE do Amazonas Demandas de pesquisas para viabilizar o manejo florestal sustentável nas Unidades de Conservação Estaduais UCE do Amazonas COntribuição no seminário Mercado de oportunidades para o conhecimento das UCE

Leia mais

ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS

ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS CLASSIFICAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS HUMANOS Classe 1 - ECOSSISTEMA NATURAL MADURO ( Floresta Amazônica ); Classe 2 - ECOSSISTEMA NATURAL CONTROLADO (SNUC); Classe 3 - ECOSSISTEMA

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOA GRANDE GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOA GRANDE GABINETE DO PREFEITO LEI N.º 1274/2015 ESTADO DA PARAÍBA DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNICIPAL - SIM, EM ALAGOA GRANDE, ESTADO DA PARAIBA, ESTABELECER NORMAS E PROCEDIMENTOS DE INSPEÇÃO SANITARIA EM ESTABELECIMENTO

Leia mais

DESMATAMENTO EM ÁREAS PROTEGIDAS DA CAATINGA

DESMATAMENTO EM ÁREAS PROTEGIDAS DA CAATINGA DESMATAMENTO EM ÁREAS PROTEGIDAS DA CAATINGA Laura Sabbatini Trebbi 1,2, Bianca Vigo Groetaers Vianna 1,2, Bruno Mariani Piana 1,2, Daniel Moraes de Freitas 3, Rodrigo Antônio de Souza 3 1 Empresa Júnior

Leia mais