SHS-381 Gestão de Áreas Protegidas. Prof. Victor E. L. Ranieri. Aula 2

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SHS-381 Gestão de Áreas Protegidas. Prof. Victor E. L. Ranieri. Aula 2"

Transcrição

1 SHS-381 Gestão de Áreas Protegidas Prof. Victor E. L. Ranieri Aula 2

2 Aula passada... Perda da biodiversidade é um macro problema de âmbito global. Muitos instrumentos podem ser usados para atacar este problema. Uma possível forma de classificação desses instrumentos seria: instrumentos de comando e controle, instrumentos econômicos e instrumentos de informação/educação Um dos instrumentos mais conhecidos e de aplicação mais antiga e difundida é a criação de áreas naturais protegidas. Marco de referência do conceito atual de área protegida: 1872 Ao longo da história, diversos objetivos foram agregados ao conceito de área protegida.

3 Aula passada... Área protegida ( Protected Area ): Área de terra e/ou mar especialmente dedicada a proteção e manutenção da diversidade biológica e dos recursos naturais e culturais associados, manejada por instrumentos legais ou outros meios efetivos (IUCN, 1994) Objetivo básico das áreas protegidas: conservação in situ Atualmente há mais de 30 milhões de km 2 de áreas sob alguma forma de proteção no mundo. Desde 1994, a IUCN propõe uma nomenclatura para padronizar a classificação das áreas protegidas segundo os objetivos de manejo dessas áreas. No Brasil, o termo área protegida abrange uma ampla variedade de figuras de proteção.

4 Modalidades de áreas protegidas no Brasil Aula de hoje Unidades de Conservação Legalmente instituídas Áreas de Preservação Permanente Terras indígenas / remanescentes de quilombos Reservas Legais Sítios do Patrimônio Mundial Natural Convenções Internacionais Reserva da Biosfera Sítios Ramsar

5 Brasil Lei 9.985/00 Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC Unidade de Conservação: espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes, legalmente instituído pelo Poder Público, com objetivos de conservação e limites definidos, sob regime especial de administração, ao qual se aplicam garantias adequadas de proteção. (Art. 2º - Inciso I) Outras definições importantes do SNUC

6 Sistema : Combinação de partes coordenadas entre si e que concorrem para um resultado ou para formarem um conjunto. SNUC: sistema composto por unidades de conservação federais, estaduais e municipais com diversos objetivos de manejo que, em conjunto, visam atingir os objetivos definidos pela lei. 13 objetivos Art. 4º: Manutenção da diversidade biológica; proteção de espécies ameaçadas; restauração de ecossistemas; proteção dos recursos hídricos, do solo, de paisagens e de atributos geológicos, arqueológicos, espeleológicos, culturais etc.; promoção da pesquisa, da educação, da recreação e do turismo em contato com a natureza; garantia da subsistência das populações tradicionais.

7 Categorias de UCs no Brasil Unidades de Proteção Integral Somente possível uso indireto - 5 Categorias: - Estação Ecológica; - Reserva Biológica; - Parque Nacional (Estadual ou Parque Natural Municipal); - Monumento Natural; - Refúgio de Vida Silvestre.

8 Categorias de UCs no Brasil Unidades de Uso Sustentável: Possível uso direto - 7 Categorias - Floresta Nacional; - Reserva de Fauna; - Reserva Extrativista; - Área de Proteção Ambiental (APA); - Reserva de Desenvolvimento Sustentável; - Área de Relevante Interesse Ecológico; - Reserva Particular do Patrimônio Natural.

9 Atividade Em grupos, procurar descobrir quais os objetivos de manejo de cada uma das categorias de UCs previstas no SNUC apenas pelo nome da categoria - Estação Ecológica - Reserva Biológica (REBIO) - Parque Nacional (PARNA) - Monumento Natural - Refúgio de Vida Silvestre - Floresta Nacional (FLONA) - Reserva de Fauna - Reserva Extrativista (RESEX) - Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) - Área de Proteção Ambiental (APA) - Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) - Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN)

10 S OBJETIVO PERTENCE A CATEGORIA N OBJETIVO NÃO SE APLICA A CATEGORIA

11 Estação Ecológica e Reserva Biológica OBJETIVOS RB EE 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S S 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS S S 04 PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE POSTURA) S S 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS N N 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS S S 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S S 10 INCENTIVAR PESQUISA S S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE N N 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS N N 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL N N 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO N N DOMÍNIO PUB PUB

12 Parque Nacional OBJETIVOS PN 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS S 04 PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE POSTURA) S 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS S 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS S 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S 10 INCENTIVAR PESQUISA S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE S 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS N 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL S 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO N DOMÍNIO PUB

13 Monumento Natural OBJETIVOS 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS N 04 PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE POSTURA) 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS S 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS S 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S 10 INCENTIVAR PESQUISA S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE S 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS N 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL S 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO N DOMÍNIO MN N PUB/PRI

14 Refúgio da Vida Silvestre Sauim-de-coleira RVS Sauim Castanheiras OBJETIVOS 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S RVS 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS S PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE S 04 POSTURA) 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS N 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS N 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S 10 INCENTIVAR PESQUISA S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE S 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS N 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL S 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO N DOMÍNIO PUB/PRI

15 Floresta Nacional OBJETIVOS 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS S PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE S 04 POSTURA) 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS N 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS N 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S 10 INCENTIVAR PESQUISA S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE S 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS S 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL S 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO S DOMÍNIO FN PUB

16 Reserva de Fauna? OBJETIVOS 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS S PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE S 04 POSTURA) 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS N 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS N 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S 10 INCENTIVAR PESQUISA S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE S 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS S 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL S 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO S DOMÍNIO RF PUB

17 Reserva Extrativista e Reserva de Desenvolvimento Sustentável OBJETIVOS RE RDS 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S S 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS S S PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE S S 04 POSTURA) 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS N N 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS N N 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S S 10 INCENTIVAR PESQUISA S S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE N S 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS S S 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL S S 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO S S DOMÍNIO PUB PUB

18 Área de Proteção Ambiental OBJETIVOS 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S APA 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS S PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE S 04 POSTURA) 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS S 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS S 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S 10 INCENTIVAR PESQUISA S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE S 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS S 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL S 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO S DOMÍNIO PUB/PRI

19 Área de Relevante Interesse Ecológico Sta. Genebra Vassununga OBJETIVOS ARIE 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS S PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE S 04 POSTURA) 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS S 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS S 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S 10 INCENTIVAR PESQUISA S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE S 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS S 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL S 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO S DOMÍNIO PUB/PRI

20 Reserva Particular do Patrimônio Natural OBJETIVOS RPPN 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS S PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE S 04 POSTURA) 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS S 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS S 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S 10 INCENTIVAR PESQUISA S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE S 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS N 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL S 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO S DOMÍNIO PRI

21 Categorias de UCs no Brasil Na lei Na prática Proteção Integral Proteção Integral Uso Sustentável OBJETIVOS RB EE PN MN RVS RPPN FN RF RE RDS APA ARIE 01 PRESERVAR DIVERSIDADE BIOLÓGICA S S S S S S S S S S S S 02 PRESERVAR/RESTAURAR ECOSSISTEMAS S S S S S S S S S S S S 03 PROTEGER ESPÉCIES RARAS/ENDÊMICAS/VULNERÁVEIS S S S N S S S S S S S S PROTEGER SÍTIOS BIÓTICOS (NINHAIS, PRAIAS DE S S S N S S S S S S S S 04 POSTURA) 05 PRESERVAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S S S S S S S S S S S S 06 MANEJAR RECURSOS DA FAUNA/FLORA S S S S S S S S S S S S 07 PROTEGER PAISAGENS/BELEZAS CÊNICAS N N S S N S N N N N S S 08 PROTEGER SÍTIOS ABIÓTICOS S S S S N S N N N N S S 09 PROTEGER RECURSOS HÍDRICOS S S S S S S S S S S S S 10 INCENTIVAR PESQUISA S S S S S S S S S S S S 11 PROMOVER EDUCAÇÃO AMBIENTAL S S S S S S S S S S S S 12 PROMOVER RECREAÇÃO AO AR LIVRE N N S S S S S S N S S S 13 PROMOVER MONITORAMENTO AMBIENTAL S S S S S S S S S S S S 14 INCENTIVAR USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS N N N N N N S S S S S S 15 ESTIMULAR O DESENVOLVIMENTO REGIONAL N N S S S S S S S S S S 16 SERVIR COMO ZONA DE AMORTECIMENTO N N N N N S S S S S S S DOMÍNIO PUB PUB PUB PUB/PRI PUB/PRI PRI PUB PUB PUB PUB PUB/PRI PUB/PRI Uso Sustentável

22 UCs no Brasil dados atuais Fonte: dados apresentados pelo MMA no Congresso Mundial de Parques 2014 (Sidney, Austrália)

23 UCs no Brasil dados atuais Fonte: dados apresentados pelo MMA no Congresso Mundial de Parques 2014 (Sidney, Austrália)

24 Localização das UCs federais e estaduais e das TIs UCs Federais Proteção Integral 24

25 Localização das UCs federais e estaduais e das TIs UCs Federais Proteção Integral UCs Federais Uso Sustentável 25

26 Localização das UCs federais e estaduais e das TIs UCs Federais Proteção Integral UCs Federais Uso Sustentável UCs Estaduais Proteção Integral 26

27 Localização das UCs federais e estaduais e das TIs UCs Federais Proteção Integral UCs Federais Uso Sustentável UCs Estaduais Proteção Integral UCs Estaduais Uso Sustentável 27

28 Localização das UCs federais e estaduais e das TIs UCs Federais Proteção Integral UCs Federais Uso Sustentável UCs Estaduais Proteção Integral UCs Estaduais Uso Sustentável Terras Indígenas 28

29 Percentual da superfície total do município utilizada para agropecuária ( anthropic land use ) SPAROVEK, G.; BERNDES, G.; KLUG, I. L. F.; BARRETTO, G. O. P. Brazilian Agriculture and Environmental Legislation: Status and Future Challenges. Environ. Sci. Technol. 2010, 44,

30 Criação, alteração de categoria e desafetação de UCs (Capítulo IV SNUC) Porém... Medida Provisória 558/2012, convertida na Lei de 23/06/2012 (um dia após o término da Rio+20) desafeta hectares de sete UCs na Amazônia, para construção de usinas hidrelétricas, regularização fundiária e projetos de mineração. Atualmente existem Projetos de Lei tramitando no Congresso Nacional que alteram as regras para criação e desafetação de UCs, Terras Indígenas e Áreas Remanescentes de Quilombolas com destaque para PEC 215/2000 e apensadas (PEC 161/2007, 291/2008 etc.) Texto PEC 215/2000

31 Desafetação de UCs na Amazônia Fonte: Imazon - Desmatamento em Áreas Protegidas Reduzidas na Amazônia

Unidades de Conservação da Natureza

Unidades de Conservação da Natureza Unidades de Conservação da Natureza Emerson A. de Oliveira, MSc., Doutorando em Ciências Florestais/Conservação da Natureza - UFPR Técnico Especializado - DAP/SBF/MMA Rio do Sul - SC Julho, 2009 DEFINIÇÕES

Leia mais

Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Sistema Nacional de Unidades de Conservação

Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Sistema Nacional de Unidades de Conservação Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Sistema Nacional de Unidades de Conservação Unidades de Conservação SNUC Sistema Nacional de Unidades de Conservação Sistema Nacional de Unidades de Conservação Lei

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

Ministério do Meio Ambiente IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Unidade de Conservação Área geograficamente estabelecida para se alcançar um objetivo específico de conservação por meio do uso controlado dos recursos biológicos

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO UNIDADES DE CONSERVAÇÃO espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes, legalmente instituído pelo Poder Público com objetivo

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC - SNUC PREVISÃO LEGAL Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e àcoletividade

Leia mais

Curso de Especialização de Gestão Pública e Meio Ambiente. Disciplina de Legislação Ambiental. Professora Cibele Rosa Gracioli

Curso de Especialização de Gestão Pública e Meio Ambiente. Disciplina de Legislação Ambiental. Professora Cibele Rosa Gracioli Curso de Especialização de Gestão Pública e Meio Ambiente Disciplina de Legislação Ambiental Professora Cibele Rosa Gracioli SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA - SNUC Lei 9.985 de

Leia mais

As Questões Ambientais do Brasil

As Questões Ambientais do Brasil As Questões Ambientais do Brasil Unidades de conservação de proteção integral Existem cinco tipos de unidades de conservação de proteção integral. As unidades de proteção integral não podem ser habitadas

Leia mais

GLOSSÁRIO: - MEIO URBANO; - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL; - RISCOS AMBIENTAIS; - IMPACTO SIGNIFICATIVO.

GLOSSÁRIO: - MEIO URBANO; - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL; - RISCOS AMBIENTAIS; - IMPACTO SIGNIFICATIVO. FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DISCIPLINA: NAI PROFESSORA: Drª CÁTIA FARIAS GLOSSÁRIO: - MEIO URBANO; - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL; - RISCOS AMBIENTAIS; -

Leia mais

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves Técnico em Aquicultura Legislação Pesqueira e Ambiental Prof.: Thiago Pereira Alves SNUC Conceito É o conjunto organizado de unidades de conservação protegidas (federais, estaduais, municipais) que, planejado,

Leia mais

Criação de uma Unidade de Conservação na ZPA-6. Morro do Careca e sistema dunar Dunar contínuo

Criação de uma Unidade de Conservação na ZPA-6. Morro do Careca e sistema dunar Dunar contínuo Criação de uma Unidade de Conservação na ZPA-6 Morro do Careca e sistema dunar Dunar contínuo Justificativa: Art. 225 da Constituição Federal: SNUC: Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente

Leia mais

NOÇÕES DE LEGISLAÇÃO AMBIENTAL CURSO: ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: CIÊNCIA DO AMBIENTE PROFESSOR: RAMON LAMAR PARTE III 05/11/2015

NOÇÕES DE LEGISLAÇÃO AMBIENTAL CURSO: ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: CIÊNCIA DO AMBIENTE PROFESSOR: RAMON LAMAR PARTE III 05/11/2015 CURSO: ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: CIÊNCIA DO AMBIENTE PROFESSOR: RAMON LAMAR PARTE III LEGISLAÇÃO AMBIENTAL NOÇÕES DE LEGISLAÇÃO AMBIENTAL Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981, conhecida como Política

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO UNIDADES DE CONSERVAÇÃO LINHA DO TEMPO - PRINCIPAIS MARCOS 1992 ECO-92, RIO DE JANEIRO, BRASIL. INSTITUIÇÃO DE CONVENÇÕES, NO ÂMBITO DA ONU: CONVENÇÃO DA DIVERSIDADE BIOLÓGICA CDB; CONVENÇÃO DE MUDANÇAS

Leia mais

Conselho Gestor APA DA VÁRZEA RIO TIETÊ GTPM

Conselho Gestor APA DA VÁRZEA RIO TIETÊ GTPM Conselho Gestor APA DA VÁRZEA RIO TIETÊ GTPM I.UNIDADE DE CONSERVAÇÃO Espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes, legalmente

Leia mais

GESTÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

GESTÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO GESTÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ÁREAS DE PROTEÇÃO AMBIENTAL APA José Fernando (Zéca) Bianca 1. Objetivo Informar agentes de transformação social: instituições representantes do poder público; da sociedade

Leia mais

Consolidação Territorial de Unidades de Conservação. Eliani Maciel Lima Coordenadora Geral de Regularização Fundiária

Consolidação Territorial de Unidades de Conservação. Eliani Maciel Lima Coordenadora Geral de Regularização Fundiária Consolidação Territorial de Unidades de Conservação Eliani Maciel Lima Coordenadora Geral de Regularização Fundiária CONSOLIDAÇÃO TERRITORIAL Implantação e gestão territorial das UCs REGULARIZAÇÃO DA SITUAÇÃO

Leia mais

Reserva da Biosfera da Amazônia Central

Reserva da Biosfera da Amazônia Central Reserva da Biosfera da Amazônia Central Estudo de caso da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã Seminário Internacional sobre Mineração e Sustentabilidade Socioambiental em Reservas da Biosfera

Leia mais

FLORESTA NACIONAL DE BRASÍLIA (Como preservá- la para as presentes e futuras gerações?)

FLORESTA NACIONAL DE BRASÍLIA (Como preservá- la para as presentes e futuras gerações?) FLORESTA NACIONAL DE BRASÍLIA (Como preservá- la para as presentes e futuras gerações?) Promotor de Jus,ça do MPDFT Promotoria de Defesa do Meio Ambiente (PRODEMA) Dr. PAULO LEITE Audiência Pública dia

Leia mais

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiência em Gestão Territorial

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiência em Gestão Territorial Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiência em Gestão Territorial João Albuquerque - Outubro/ 2009 Reservas da Biosfera-A escala dos Biomas Art. 41. A Reserva da Biosfera é um modelo, adotado internacionalmente,

Leia mais

A COEXISTÊNCIA DA PROPRIEDADE PRIVADA NA RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.

A COEXISTÊNCIA DA PROPRIEDADE PRIVADA NA RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. A COEXISTÊNCIA DA PROPRIEDADE PRIVADA NA RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Vanylton Bezerra dos Santos 1 As áreas protegidas detêm uma contribuição vital em relação à conservação dos recursos naturais

Leia mais

ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS

ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS ANEXO CHAMADA III DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES PARA GESTÃO E AVALIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS OBJETIVO Esta chamada tem por objetivo financiar projetos relacionados a ações de gestão e avaliação

Leia mais

Unidades de Conservação no âmbito da Lei Estadual 20.922/13 e a Mineração. Carlos Leite Santos Tales Peche Socio

Unidades de Conservação no âmbito da Lei Estadual 20.922/13 e a Mineração. Carlos Leite Santos Tales Peche Socio Unidades de Conservação no âmbito da Lei Estadual 20.922/13 e a Mineração. Carlos Leite Santos Tales Peche Socio 0 Junho/2013 Introdução A contribuição da Vale no processo de conservação e preservação

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00 1. Conceitos Básicos a) unidade de conservação: espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes,

Leia mais

A Natureza ilhada: concepção de Áreas Protegidas no Brasil, política de criação e implantação no Brasil

A Natureza ilhada: concepção de Áreas Protegidas no Brasil, política de criação e implantação no Brasil A Natureza ilhada: concepção de Áreas Protegidas no Brasil, política de criação e implantação no Brasil Dra. Sueli Angelo Furlan Laboratório Climatolofia e Biogeografia Departamento de Geografia Faculdade

Leia mais

Diagnóstico de unidades de conservação no Nordeste brasileiro - presente e futuro: Pernambuco

Diagnóstico de unidades de conservação no Nordeste brasileiro - presente e futuro: Pernambuco 22 Diagnóstico de unidades de conservação no Nordeste brasileiro - presente e futuro: Pernambuco Josué Francisco da Silva Junior 1 1 Pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Unidade de Execução de

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Previsão Legal Objetivos Categorias Finalidades Gestão do Sistema Quantitativos Outros Espaços Protegidos Distribuição Espacial Relevância O Brasil possui alguns

Leia mais

Telefone p/ contato: ( ) FAX: ( ) e-mail: Coordenadas geográficas * (Lat/Long) no Sistema Geodésico, SAD-69 Lat. -. Long ( )

Telefone p/ contato: ( ) FAX: ( ) e-mail: Coordenadas geográficas * (Lat/Long) no Sistema Geodésico, SAD-69 Lat. -. Long ( ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR NOME / RAZÃO SOCIAL *: End.: rua/av *: n *: Bairro *: CEP *: Município *: Telefone *: ( ) FAX *: ( ) e-mail: CNPJ (CGC/MF n.º) *: CGC/TE n. *: CPF/CIC n. *: End. P/ correspondência:

Leia mais

PRESERVAÇÃO DO PATRIMONIO NATURAL NO SUL MERIDIONAL DA SERRA DO ESPINHAÇO

PRESERVAÇÃO DO PATRIMONIO NATURAL NO SUL MERIDIONAL DA SERRA DO ESPINHAÇO PRESERVAÇÃO DO PATRIMONIO NATURAL NO SUL MERIDIONAL DA SERRA DO ESPINHAÇO Ronald Carvalho Guerra Diretor de Meio Ambiente Prefeitura Municipal de Ouro Preto Gerente da APA da Cachoeira das Andorinhas -

Leia mais

Reunião Técnica Plano de Manejo APA Várzea do Tietê

Reunião Técnica Plano de Manejo APA Várzea do Tietê Reunião Técnica Plano de Manejo APA Várzea do Tietê CIESP DISTRITAL OESTE 07/08/2014 Apresentação para Ciesp Oeste - Agosto/2014 Sumário: 1. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO CONSIDERAÇÕES GERAIS 2. PLANO DEMANEJO

Leia mais

Zoneamento. No caso desse exercício, as UTBs de interesse são as Unidades de Conservação (ou UC).

Zoneamento. No caso desse exercício, as UTBs de interesse são as Unidades de Conservação (ou UC). Zoneamento O Zoneamento é o instrumento de ordenação territorial usado para atingir melhores resultados no manejo de qualquer unidade territorial básica (UTB). No caso desse exercício, as UTBs de interesse

Leia mais

MOSAICO DE ÁREAS PROTEGIDAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA - MAPES

MOSAICO DE ÁREAS PROTEGIDAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA - MAPES MOSAICO DE ÁREAS PROTEGIDAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA - MAPES ACADEBIO Agosto de 2012 Suiane Benevides Marinho Brasil /RVS Rio dos Frades / Sec. Executiva do COMAPES EXTEMO SUL DA BAHIA CORREDOR CENTRAL

Leia mais

Art. 6 o O SNUC será gerido pelos seguintes órgãos, com as respectivas atribuições:

Art. 6 o O SNUC será gerido pelos seguintes órgãos, com as respectivas atribuições: SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO CF/88 art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao

Leia mais

CHAMADA DE PROPOSTAS Nº 1/2015

CHAMADA DE PROPOSTAS Nº 1/2015 Programa Áreas Protegidas da Amazônia Departamento de Áreas Protegidas Secretaria de Biodiversidade e Florestas Ministério do Meio Ambiente CHAMADA DE PROPOSTAS Nº 1/2015 APOIO FINANCEIRO AO PROCESSO DE

Leia mais

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores Fotografias PauloHSilva//siaram Saber Mais... Ambiente Açores Convenção Diversidade Biológica O que é a Convenção da Diversidade Biológica? A Convenção da Diversidade Biológica é um acordo assinado entre

Leia mais

Eixo 2. Uso sustentável das áreas protegidas 10/04/2013

Eixo 2. Uso sustentável das áreas protegidas 10/04/2013 Eixo 2 Uso sustentável das áreas protegidas 10/04/2013 1 Objetivos do grupo Refletir sobre os desafios de uso sustentável das áreas protegidas no litoral, de forma a garantir a proteção da biodiversidade

Leia mais

Mineração e Áreas Protegidas

Mineração e Áreas Protegidas Márcio Silva Pereira Salvador, 08.06.2010 Rua da Assembléia, 66-17 Andar - Centro - Rio de Janeiro / RJ - CEP: 20011-000 tel: (55 21) 2114-1700 - fax: (55 21) 2114-1717 - http://www.svmfa.com.br I. Recursos

Leia mais

Unidades de Conservação do Estado do Maranhão

Unidades de Conservação do Estado do Maranhão SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL Unidades de Conservação do Estado do Maranhão Lívia Karen Ribeiro de Paula Souza Superintendente

Leia mais

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves Técnico em Aquicultura Legislação Pesqueira e Ambiental Prof.: Thiago Pereira Alves IFSC Instituto Federal de Santa Catarina DIREITO AMBIENTAL NO BRASIL Política Nacional de Recursos Hídricos (LEI Nº 9.433/1997)

Leia mais

Antônia Lucia Monteiro/CGEUC/DIREC/IBAMA

Antônia Lucia Monteiro/CGEUC/DIREC/IBAMA Antônia Lucia Monteiro/CGEUC/DIREC/IBAMA IBAMA O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis/IBAMA é uma Autarquia, vinculada ao Ministério do Meio Ambiente/MMA, responsável

Leia mais

FLORESTAS NACIONAIS DO MACAUÃ E DE SÃO FRANCISCO

FLORESTAS NACIONAIS DO MACAUÃ E DE SÃO FRANCISCO GUIA DO CONSELHEIRO www.icmbio.gov.br FLORESTAS NACIONAIS DO MACAUÃ E DE SÃO FRANCISCO Contato Rua: Siqueira Campos, 220 Sena Madureira-AC Fone/Fax: 68 3612 3204 Apoio Presidenta da República Dilma Vana

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA. DECRETO LEI n 1.144 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2002. CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA. DECRETO LEI n 1.144 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2002. CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 DECRETO LEI n 1.144 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2002. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DECRETA: Dispõe sobre o Sistema Estadual de Unidades de Conservação da Natureza de Rondônia - SEUC/RO e dá outras providências

Leia mais

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental Capítulo 6 - Conservação ambiental 71 72 6.1 Unidades de Conservação As Unidades de Conservação da Natureza (UCs) constituem espaços territoriais e mari- 46 55' 46 50' 46 45' nhos detentores de atributos

Leia mais

SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA MATERIAL COMPLEMENTAR UNIDADE I PROFESSOR: EDUARDO PACHECO

SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA MATERIAL COMPLEMENTAR UNIDADE I PROFESSOR: EDUARDO PACHECO SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA MATERIAL COMPLEMENTAR UNIDADE I PROFESSOR: EDUARDO PACHECO 2 - Marco político, normativo e de contexto nacional 2.1 - Marco político atual para

Leia mais

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Setembro/2013 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A CRIAÇÃO DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO 1. O que são unidades de conservação (UC)?

Leia mais

ICMS SOCIOAMBIENTAL E AS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE PERNAMBUCO

ICMS SOCIOAMBIENTAL E AS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE PERNAMBUCO ICMS SOCIOAMBIENTAL E AS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE PERNAMBUCO LEGISLAÇÃO DAS UCs Sistema Nacional de Unidades de Conservação Lei Federal n 9.985/2000 (SNUC) Decreto Federal n 4.340/2002 (Regulamenta o

Leia mais

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo

Leia mais

Marco legal, definições e tipos

Marco legal, definições e tipos Unidades de conservação Marco legal, definições e tipos Prof. Me. Mauricio Salgado " Quando vier a Primavera, Se eu já estiver morto, As flores florirão da mesma maneira E as árvores não serão menos verdes

Leia mais

ÍNDICE. II.5.2.3 - Áreas Protegidas... 1/6. II.5.2.3.1 - Unidades de Conservação na Região - UCs... 1/6

ÍNDICE. II.5.2.3 - Áreas Protegidas... 1/6. II.5.2.3.1 - Unidades de Conservação na Região - UCs... 1/6 2330-00-EIA-RL-0001-00 Julho de 2010 Rev. nº 00 GASODUTO DO PARÁ ÍNDICE II.5.2.3 - Áreas Protegidas... 1/6 II.5.2.3.1 - Unidades de Conservação na Região - UCs... 1/6 II.5.2.3.2 - Áreas Prioritárias para

Leia mais

12/06/2015. Erosão em voçoroca CONCENTRAÇÃO GLOBAL DE CO2 ATMOSFÉRICO TRATAMENTO DE ÁREAS DEGRADADAS NÍVEIS DE GÁS CARBÔNICO EM MAUNA LOA (HAWAI)

12/06/2015. Erosão em voçoroca CONCENTRAÇÃO GLOBAL DE CO2 ATMOSFÉRICO TRATAMENTO DE ÁREAS DEGRADADAS NÍVEIS DE GÁS CARBÔNICO EM MAUNA LOA (HAWAI) DESMATAMENTO ECOLOGIA Unidade 5 MADEIRA CARVÃO PASTAGENS AGRICULTURA MINERAÇÃO LOTEAMENTOS DESMATAMENTO DESMATAMENTO RONDÔNIA RONDÔNIA EROSÃO - DESMATAMENTO - SOLO DESPROTEGIDO - CHUVAS - DESAGREGAÇÃO

Leia mais

Resolução SEMAD nº 318, de 15 de fevereiro de 2005. (Publicação - Diário do Executivo - "Minas Gerais" - 18/02/2005)

Resolução SEMAD nº 318, de 15 de fevereiro de 2005. (Publicação - Diário do Executivo - Minas Gerais - 18/02/2005) Page 1 of 10 Resolução SEMAD nº 318, de 15 de fevereiro de 2005 Disciplina o cadastramento das unidades de conservação da natureza e outras áreas protegidas, bem como a divulgação periódica das informações

Leia mais

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiências e Aspectos Conceituais. Clayton F. Lino - Maio/ 2009

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiências e Aspectos Conceituais. Clayton F. Lino - Maio/ 2009 Mosaicos de Áreas Protegidas na Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Experiências e Aspectos Conceituais Clayton F. Lino - Maio/ 2009 SNUC MOSAICOS LEI FEDERAL Nº 9.985-00 Art. 26. Quando existir um conjunto

Leia mais

ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL

ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL OLIVEIRA, Maria Antônia Falcão de; VASCONCELOS, Mônica

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DA MINERAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DA MINERAÇÃO Ministério de Minas e Energia Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral UNIDADES DE CONSERVAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DA MINERAÇÃO II ENCONTRO DE GERENTES DE EXPLORAÇÃO MINERAL Desafios das

Leia mais

O que é uma área protegida?

O que é uma área protegida? O que é uma área protegida? Um espaço geográfico definido, reconhecido e destinado ao manejo, através de instrumento legal ou outro meio efetivo, com o objetivo de promover a conservação da natureza a

Leia mais

Unidades de Conservação Federal, Mineração e Elaboração de Planos de Manejo

Unidades de Conservação Federal, Mineração e Elaboração de Planos de Manejo Unidades de Conservação Federal, Mineração e Elaboração de Planos de Manejo Belém-PA Dezembro/2012 Proteger o patrimônio natural e promover o desenvolvimento socioambiental Portaria MME N 882, de 25

Leia mais

SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Prof. Dr. Thiago Leite Engenheiro Florestal (UnB-DF) Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais com ênfase em Educação Ambiental (UnB-DF) Doutorado em Ciências Florestais com ênfase em Agroecologia (UnB-DF)

Leia mais

Análise do sistema nacional de unidades de conservação (Lei nº 9. 985 de 18/07/2000) e as implicações para o turismo

Análise do sistema nacional de unidades de conservação (Lei nº 9. 985 de 18/07/2000) e as implicações para o turismo Análise do sistema nacional de unidades de conservação (Lei nº 9. 985 de 18/07/2000) e as implicações para o turismo Adalgisa Bandeira de Araújo (UnB) adal.araujo@gmail.com Resumo: Este estudo é uma análise

Leia mais

Líderes da Conservação - Instituto de Desenvolvimento Sustentável

Líderes da Conservação - Instituto de Desenvolvimento Sustentável Líderes da Conservação - Instituto de Desenvolvimento Sustentável Considerada uma das mais avançadas do mundo. Sua estrutura começou a ser composta em 1981, a partir da Lei 6.938. Da Política Nacional

Leia mais

30 anos da FLONA do Jamari História e desafios

30 anos da FLONA do Jamari História e desafios 30 anos da FLONA do Jamari História e desafios Porto Velho- RO Outubro/2014 Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio Autarquia Federal vinculada ao MMA Missão: Proteger o patrimônio

Leia mais

AS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO MUNICIPAIS

AS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO MUNICIPAIS AS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO MUNICIPAIS ESTRATÉGIAS PARA CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE Anita Correia Diretora da Divisão de Unidades de Conservação e Proteção da Biodiversidade e Herbário DEPAVE-8 - SVMA

Leia mais

Unidades de conservação valorizando o patrimônio natural brasileiro

Unidades de conservação valorizando o patrimônio natural brasileiro Unidades de conservação valorizando o patrimônio natural brasileiro Fábio França Silva Araújo Departamento de Áreas Protegidas Ministério do Meio Ambiente Unidades de conservação: Espaços territoriais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SERTÃO SANTANA Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente, Turismo, Indústria e Comércio

PREFEITURA MUNICIPAL DE SERTÃO SANTANA Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente, Turismo, Indústria e Comércio PREFEITURA MUNICIPAL DE SERTÃO SANTANA Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente, Turismo, Indústria e Comércio Licenciamento Ambiental Local ATIVIDADES AGROPECUÁRIAS IRRIGAÇÃO (111,00) Exceto

Leia mais

IMÓVEIS PRIVADOS EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE DOMÍNIO PÚBLICO

IMÓVEIS PRIVADOS EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE DOMÍNIO PÚBLICO IMÓVEIS PRIVADOS EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE DOMÍNIO PÚBLICO Agosto de 204 Compensação de Reserva Legal Compensação em processos de Licenciamento Essa licença não vale para fotos e ilustrações, que permanecem

Leia mais

O desmatamento nas Unidades de Conservação em Mato Grosso 1,2

O desmatamento nas Unidades de Conservação em Mato Grosso 1,2 Resumo O desmatamento nas Unidades de Conservação em Mato Grosso 1,2 Instituto Centro de Vida - ICV Alta Floresta e Cuiabá, Setembro de 2006 Roberta dos Santos Laurent Micol Gustavo Irgang Dra. Jane Vasconcellos

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente SECRETARIA DE BIODIVERSIDADE E FLORESTAS DEPARTAMENTO DE ÁREAS PROTEGIDAS

Ministério do Meio Ambiente SECRETARIA DE BIODIVERSIDADE E FLORESTAS DEPARTAMENTO DE ÁREAS PROTEGIDAS Ministério do Meio Ambiente SECRETARIA DE BIODIVERSIDADE E FLORESTAS DEPARTAMENTO DE ÁREAS PROTEGIDAS ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO MUNICIPAIS Brasília 2010 República Federativa do Brasil

Leia mais

Institui o Sistema Estadual de Unidades de Conservação da Natureza SEUC, no âmbito do Estado de Pernambuco, e dá outras providências.

Institui o Sistema Estadual de Unidades de Conservação da Natureza SEUC, no âmbito do Estado de Pernambuco, e dá outras providências. LEI Nº 13.787, DE 08 DE JUNHO DE 2009 (publicada no DOE de 09.06.09) Institui o Sistema Estadual de Unidades de Conservação da Natureza SEUC, no âmbito do Estado de Pernambuco, e dá outras providências.

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N o 2.602, DE 2010 Susta os efeitos do Decreto nº 7.154, de 9 de abril de 2010. Autora: Deputado SARNEY FILHO Relator:

Leia mais

As unidades de conservação do bioma Caatinga

As unidades de conservação do bioma Caatinga As unidades de conservação do bioma Caatinga The Nature Conservancy do Brasil Associação Caatinga 295 André Pessoa INTRODUÇÃO Parque Nacional da Serra da Capivara, PI A Caatinga, região semi-árida única

Leia mais

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA No Brasil, as leis voltadas para a conservação ambiental começaram a partir de 1981, com a lei que criou a Política Nacional do Meio Ambiente. Posteriormente, novas leis

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação.

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação. GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação. LEI Nº 14.247, DE 29 DE JULHO DE 2002. - Vide Decreto nº 5.806, de 21-07-2003. Institui o Sistema Estadual de Unidades

Leia mais

1.1.1 SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE

1.1.1 SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE BINETE DO SECRETÁRIO PUBLICADA NO DOE DE 31-03-2010 SEÇÃO I PÁG 105-106 RESOLUÇÃO SMA- 029 DE 30 DE MARÇO DE 2010 Dispõe sobre estudos técnicos para subsidiar alteração de limites e mudança de categorias

Leia mais

SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO LEI No 9.985, DE 18 DE JULHO DE 2000. Regulamenta o art. 225, 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades

Leia mais

Definição Bio Diversidade Brasil Biomas Brasileiros Mata Atlântica

Definição Bio Diversidade Brasil Biomas Brasileiros Mata Atlântica UC, SNUC e o MoNa Marcelo Andrade Biólogo Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMAC Gestor do Monumento Natural dos Morros do Pão de Açúcar e da Urca Gestor do Parque Natural Municipal Paisagem Carioca

Leia mais

Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia

Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia Ao anunciar o título de "Sítio Ramsar" ao Parque Nacional Marinho de Abrolhos, o ministro do Meio Ambiente

Leia mais

1.1. Fonte: Elaborado por STCP Engenharia de Projetos Ltda., 2011.

1.1. Fonte: Elaborado por STCP Engenharia de Projetos Ltda., 2011. 1 - APRESENTAÇÃO A Área de Proteção Ambiental (APA) Serra Dona Francisca, localizada no município de Joinville/SC, com área mapeada de 40.177,71 ha, foi criada através do Decreto n 8.055 de 15 de março

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 172 MA

FICHA PROJETO - nº 172 MA FICHA PROJETO - nº 172 MA Mata Atlântica Pequeno Projeto 1) TÍTULO: Morro do Caçador Uma Proposta de Unidade de Conservação. 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Florianópolis, Ilha de Santa Catarina.

Leia mais

Autores: Renata Gomes do Couto Ribeiro, Rosimeire da Silva Borges, Fabrício Queiroz, Breno Marinho, Douglas Battistella, Lazaro Lemes da Silva.

Autores: Renata Gomes do Couto Ribeiro, Rosimeire da Silva Borges, Fabrício Queiroz, Breno Marinho, Douglas Battistella, Lazaro Lemes da Silva. EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM UNIDADE DE CONSERVAÇÃO: Aproveitamento de Resíduos Sólidos Para Produção de Mudas Nativas do Cerrado. Orientadora: Fábia Silva de Oliveira Lima Autores: Renata Gomes do Couto Ribeiro,

Leia mais

Monitoramento de Biodiversidade. Por Paulo Henrique Bonavigo

Monitoramento de Biodiversidade. Por Paulo Henrique Bonavigo Monitoramento de Biodiversidade Por Paulo Henrique Bonavigo CDB Convenção da Diversidade Biológica (Eco 92). Metas de Aichi 2020. 5 objetivos estratégicos A. Tratar das causas fundamentais de perda de

Leia mais

UCs E PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO NATURAL E CULTURAL. Márcia Leuzinger

UCs E PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO NATURAL E CULTURAL. Márcia Leuzinger UCs E PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO NATURAL E CULTURAL Márcia Leuzinger ETEP CDB: instituição de APs como estratégia para preservação in situ da biodiversidade; Lei da PNMA (art. 9º, VI) : criação de ETEP como

Leia mais

A importância das Áreas Protegidas Propostas no ZSEE-MT

A importância das Áreas Protegidas Propostas no ZSEE-MT O Instituto Centro de Vida (ICV) é uma OSCIP fundada em 1991, em Cuiabá, que vem trabalhando dentre outras atividades no monitoramento do desmatamento e da gestão florestal como também em estudos sobre

Leia mais

O PLANO DE MANEJO NO PARQUE ESTADUAL DO LAJEADO: PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO

O PLANO DE MANEJO NO PARQUE ESTADUAL DO LAJEADO: PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO 1 O PLANO DE MANEJO NO PARQUE ESTADUAL DO LAJEADO: PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO Acadêmicos: Vogado, Leonardo Torres, Ronaldo Sousa, Sâmio Carmo, Soraya Prof. Orientador: José Lopes Soares Neto RESUMO

Leia mais

Unidades de Conservação Federais. Dados das Áreas Protegidas

Unidades de Conservação Federais. Dados das Áreas Protegidas Unidades de Conservação Federais Dados das Áreas Protegidas Unidades de Conservação Proteção Integral Preservar a natureza, sendo admitido apenas o uso indireto dos seus recursos naturais, com exceção

Leia mais

Povos Tradicionais e Indígenas da Amazônia Brasileira

Povos Tradicionais e Indígenas da Amazônia Brasileira Povos Tradicionais e Indígenas da Amazônia Brasileira Beneficiários dos Pagamentos por Serviços Ambientais Mary Helena Allegretti Katoomba Group GVces Outubro 2006 Populações tradicionais e indígenas protegem

Leia mais

Considerações sobre o Decreto nº 7.154, de 2010

Considerações sobre o Decreto nº 7.154, de 2010 Considerações sobre o Decreto nº 7.154, de 2010 ILIDIA DA ASCENÇÃO GARRIDO MARTINS JURAS ROSELI SENNA GANEM Consultoras Legislativas da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial,

Leia mais

PANORAMA DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO EM MATO GROSSO

PANORAMA DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO EM MATO GROSSO PANORAMA DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO EM MATO GROSSO Gabriela Victória Corrêa da Silva 1, Jessica Maria Klemp Moura, Marcelo Sacardi Biudes, Nadja Gomes Machado 1 Laboratório de Biologia da Conservação,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO NACIONAL DO PATO MERGULHÃO

PLANO DE AÇÃO NACIONAL DO PATO MERGULHÃO OBJETIVO GERAL O objetivo deste plano de ação é assegurar permanentemente a manutenção das populações e da distribuição geográfica de Mergus octosetaceus, no médio e longo prazo; promover o aumento do

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA Restrições x Oportunidades Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável SDS Dr. Gilney Amorim Viana ASPECTOS REGULATÓRIOS RELEVANTES Código Florestal:

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

Seminário de Atualização para Jornalistas sobre a COP 9 da Convenção sobre a Diversidade Biológica

Seminário de Atualização para Jornalistas sobre a COP 9 da Convenção sobre a Diversidade Biológica Seminário de Atualização para Jornalistas sobre a COP 9 da Convenção sobre a Diversidade Biológica Biodiversidade e Áreas Protegidas Anael Aymoré Jacob Coordenador do Bioma Amazônia - DIREP/ICMBIO Convenção

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 9.985, DE 18 DE JULHO DE 2000. Mensagem de Veto Regulamenta o art. 225, 1 o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal,

Leia mais

16/4/2010. Marcelo Orlandi Ribeiro Auditor Federal de Controle Externo - TCU Engenheiro Civil. Itens constantes do edital MPOG 2010

16/4/2010. Marcelo Orlandi Ribeiro Auditor Federal de Controle Externo - TCU Engenheiro Civil. Itens constantes do edital MPOG 2010 CONCURSO MPOG 2010 ANALISTA DE INFRA-ESTRUTURA ÁREA I Marcelo Orlandi Ribeiro Auditor Federal de Controle Externo - TCU Engenheiro Civil Aula 1 de 4 Itens constantes do edital MPOG 2010 Conhecimentos gerais

Leia mais

LEI Nº 13.787, DE 8 DE JUNHO DE 2009.

LEI Nº 13.787, DE 8 DE JUNHO DE 2009. LEI Nº 13.787, DE 8 DE JUNHO DE 2009. Institui o Sistema Estadual de Unidades de Conservação da Natureza SEUC, no âmbito do Estado de Pernambuco, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO:

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA RELACIONADA NO ÂMBITO DOS TEMAS

Leia mais

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E FLORESTAL PROFESSORA ENG. FLORESTAL CIBELE ROSA GRACIOLI OUTUBRO, 2014. OBJETIVOS DA DISCIPLINA DISCUTIR PRINCÍPIOS ÉTICOS QUESTÃO AMBIENTAL CONHECER A POLÍTICA E A LEGISLAÇÃO VOLTADAS

Leia mais

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago Consulta Pública 2015 Base Legal Lei Federal nº 9.985 de 18 de julho de 2000 Regulamenta o artigo 225 da Constituição Federal e Institui o Sistema Nacional

Leia mais

Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Federais

Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Federais Programa 0499 Parques do Brasil Objetivo Ampliar a conservação, no local, dos recursos genéticos e o manejo sustentável dos parques e áreas de proteção ambiental. Indicador(es) Taxa de proteção integral

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI N 1.560, DE 5 DE ABRIL DE 2005. Publicado no Diário Oficial nº 1.896 Institui o Sistema Estadual de Unidades de Conservação da Natureza - SEUC, e adota outras providências. O Governador do Estado do

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA Cláudia Albuquerque da Silva 1 RESUMO O presente artigo apresenta um breve estudo sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza.

Leia mais

América Latina Logística Malha Sul ALL

América Latina Logística Malha Sul ALL América Latina Logística Malha Sul ALL Capítulo 10 Mapeamento das Unidades de Conservação Rio Grande do Sul Junho/2010 Revisão 0 10.1 INTRODUÇÃO O presente capítulo refere-se ao Programa de Mapeamento

Leia mais

O Sistema Estadual de Unidades de Conservação (SEUC) do Amazonas: momento atual e perspectivas futuras

O Sistema Estadual de Unidades de Conservação (SEUC) do Amazonas: momento atual e perspectivas futuras O Sistema Estadual de Unidades de Conservação (SEUC) do Amazonas: momento atual e perspectivas futuras Centro Estadual de Unidades de Conservação Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento

Leia mais

O Capítulo III do SNUC define os seguintes objetivos e normas para as categorias de man ejo:

O Capítulo III do SNUC define os seguintes objetivos e normas para as categorias de man ejo: 4.4 - Unidades de Conservação Segundo PEREIRA et al., (1999) Unidades de Conservação (UCs) Costeiras e Marinhas são aquelas situadas na faixa que se estende desde o limite interior dos ambientes com influência

Leia mais