PESQUISA-AÇÃO CRITÉRIOS PARA ESCOLHA DE 5 MUNICÍPIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PESQUISA-AÇÃO CRITÉRIOS PARA ESCOLHA DE 5 MUNICÍPIOS"

Transcrição

1 PESQUISA-AÇÃO CRITÉRIOS PARA ESCOLHA DE 5 MUNICÍPIOS O Projeto Um Plano Articulado para Cultura e Educação pretende colaborar para a formulação de um sistema educacional articulado entre as experiências de Educação Formal (com foco no ensino fundamental, educação integral) e as de Educação Não Formal, realizadas em distintas instâncias sociais com o objetivo de formular princípios capazes de orientar as políticas da cultura voltadas para a educação. Através da pesquisa-ação pretende-se que os espaços educativos passem a ter um enfoque integrador, consolidando a presença da cultura em suas diversas manifestações, através do seu reconhecimento, valorização e utilização nas práticas pedagógicas. JUSTIFICATIVA METODOLÓGICA PARA A ESCOLHA DOS MUNICÍPIOS No sentido de alcançar os objetivos previamente determinados nesta pesquisa, foi necessário estabelecer critérios que permitissem definir quais os municípios mais adequados para a implementação da pesquisa-ação que compõe o Projeto Um Plano Articulado para Cultura e Educação. Entendemos que, para o Projeto representar qualitativamente o cenário brasileiro atual, seria fundamental que os 5 (cinco) municípios teriam de:

2 Pertencer a cada uma das 5 (cinco) regiões diferentes do Brasil; Contemplar a diversidade cultural Brasileira; Estar em consonância com as Políticas Públicas de Cultura e Educação; Ter em seu território a maior diversidade de equipamentos educacionais e culturais possível. Assim, foi definido que todos os municípios deveriam satisfazer às seguintes condições (critérios da fase 1): Adesão do Plano Nacional de Cultura (Fonte: MinC, 28/02/2012); Adesão do Programa Mais Educação (Fonte: MEC, 2011); Municípios de Extrema Pobreza (Fonte: MDS/IBGE, 2010) Índice de Violência Juvenil (IVJ) médio ou elevado (Fonte: Observatório de Segurança, 2009). Posteriormente a essa primeira fase, foram considerados critérios mais específicos, de forma a contemplar diferentes aspectos culturais, educacionais e sociais, que permitem um retrato representativo do macro cenário brasileiro. O segundo grupo de critérios (fase 2) de seleção, engloba essencialmente os seguintes níveis de análise: Reconhecimento de Práticas - Práticas desenvolvidas pela sociedade e reconhecidas através de premiações em ASAS, Observatório das Boas Práticas, Itau/Unicef, Fundação BB, entre outros), 2010 e 2009 Prêmio Interações Estéticas. (Fontes: arquivo Casa da Arte de Educar e MinC, respectivamente). Diferentes contextos (diversidade de origem, escola indígena/ribeirinha, quilombola, rurais/urbanas) permite avaliar a implementação de metodologias

3 inovadoras em matéria de educação em diferentes cenários e a forma como saberes se expressam nos distintos territórios.(fonte: INEP, Censo Escolar 2010) Equipamentos educacionais e culturais identificação e quantificação de: Universidades (Fonte: INEP, Censo da Educação Superior 2010); bibliotecas (Fonte: MinC, 2012); museus (Fonte: IBRAM, Cadastro Nacional de Museus, 2010); Pontos de Cultura (Fonte: Instituto Lidas, Cadastramento da Teia Nacional 2010). Dados Sociais e Educacionais permitem desenhar um retrato socioeconômico dos Municípios em que será implementada a pesquisa-ação, relacionando estes indicadores de forma transversal com os restantes indicadores de seleção: IDH (Fonte: PNUD/IPEA/FJP, Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil, 2003); população residente (Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2010); taxa de analfabetismo, traduzida pelas pessoas de 15 anos ou mais que não sabem ler e escrever (Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2010); estabelecimentos de saúde (Fonte: Ministério da Saúde, Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde do Brasil CNES, 2012); taxa de defasagem idade-série (Fonte: MEC/INEP/DEED, 2009); escolas de educação profissional no eixo tecnológico cultura (Fonte: INEP, Censo Escolar 2010); IDEB(Fonte: MEC/INEP, 2009); Prova Brasil (Fonte: MEC/INEP, 2009).

4 Um fator considerado como diferencial positivo, são Municípios que, atendendo aos critérios acima referidos, ocupem também uma posição de Município-Pólo em sua região, isto é, cidades que se destaquem dentre os demais núcleos urbanos menores e exerçam grande influência em seu entorno. Neste sentido, entende-se fundamental considerar a situação de municípios circunvizinhos quando da escolha dos Municípios-Pólo. SELEÇÃO MUNICÍPIOS FILTROS CRITÉRIOS FASE 1: Plano Nacional de Cultura Programa Mais Educação Municípios de Extrema Pobreza Área de Vulnerabilidade CRITÉRIOS FASE 2: Reconhecimento de Práticas Diferentes Contextos Equipamentos Educacionais e Culturais Dados Sociais e Educacionais RANKING DOS MUNICÍPIOS NA DA FASE 1

5 Para que os municípios brasileiros pudessem ser classificados pelos 4 (quatro) critérios da Fase 1, foram estabelecidas notas para cada um dos critérios, e através da nota total (soma das 4) chega-se aos municípios prioritários (com maiores notas). Plano Nacional de Cultura nota 5 para municípios com adesão publicada, nota 4 para adesão em processo (outras situações) e nota 0 para não integrante. Programa Mais Educação nota 4 para municípios que aderiram ao programa. Municípios de Extrema Pobreza nota 5 para municípios com mais de 50% da população em extrema pobreza, nota 4 para municípios entre 30 e 49,9%, nota 3 de 15% a 29,9%; nota 2 de 5% a 14,5%; nota 1 abaixo de 4,99%. Índice de Violência Juvenil nota 3 para municípios com IVJ acima de 0,45 (alta); nota 2 para municípios entre 0,370 e 0,449 (média); nota 1 para IVJ menor que 0,369 (baixa). Dessa forma, a maior nota/pontuação é 17. PROCESSO DE SELEÇÃO DA FASE 1 1. Estabelecimento do ranking dos municípios que atendem aos critérios da fase 1; 2. Identificação dos municípios em que houve adesão ao Plano Nacional de Cultura e ao Programa Mais Educação(301 municípios) 3. Verificação da Adesão ao Programa Mais Educação no Estado e no Município- valorização da capacidade de articulação e consonância de Políticas Públicas (Municipal, Estadual, Federal); 4. Separação dos municípios selecionados, por região.

6 RANKING DOS MUNICÍPIOS NA DA FASE 2 Na segunda fase, a comparação se dá entre municípios de uma mesma região. Para efeito de comparação relativa à existência de equipamentos educacionais/culturais, foi estabelecida nota 4 para os municípios onde existem os 4 tipos de equipamentos, nota 3 onde existem apenas 3 tipos, e assim por diante. Já para classificação relativa aos critérios IDH, taxa de distorção idade-série e taxa de analfabetismo, foi estabelecida, para cada critério, nota 1 (um) para o município que apresenta a melhor situação, e aumentando a nota a medida em que a situação piora. A soma de todas as notas de cada município possibilita a classificação geral pelos três critérios. PROCESSO DE SELEÇÃO DA FASE 2 1. A Densidade Populacional; 2. Existência de equipamentos educacionais/culturais; 3. Reconhecimento em Práticas; 4. Diversidade Cultural (presença de escolas indígenas/ribeirinhas, quilombolas, origem da população, etc); 5. Educação Profissional no Eixo Cultura; 6. Nota total dos critérios IDH, Distorção Idade-Série e Taxa Analfabetismo; 7. IDEB.

7 MUNICÍPIOS SELECIONADOS Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Porto Velho Recife Rio de Janeiro Porto Alegre Campo Grande (RO) (PE) (RJ) (RS) (MS) DADOS E INFORMAÇÕES SOBRE OS MUNICÍPIOS SELECIONADOS REGIÃO NORTE: PORTO VELHO (RO) Micro-Região Lábrea, Canutama, Humaitá (N), Machadinho d'oeste, Cujubim, Itapuã do Oeste, Candeias do Jamari (L), Acrelândia (O), Alto Paraíso, Buritis, Nova Mamoré, departamento do Pando-Bolívia (S). População Área da unidade territorial (Km²) ,429 Densidade demográfica (hab/km²)- 12,57 Código do Município Gentílico porto-velhense Adesão ao PNC Programa Mais educação em esfera municipal Programa Mais educação em esfera estadual IDH - município ,71 IDH município ,763 Índice de Violência Juvenil (IVJ) Alto ( 0,472) Taxa de analfabetismo acima dos 15 anos 5.10 IDEB ,2 IDEB ,2 IDEB ,3 Prova Brasil (nota média) 4,26

8 QUANTIDADE DE UNIVERSIDADES Pública Federal 2 Estadual 0 Municipal 0 Privada 5 Privada S/ Fins Lucrativos 7 TOTAL 14 NÚMERO DE ESCOLAS Indígenas//Ribeirinhas 9 Assentamentos 8 Quilombolas 0 Urbanas 81 Rurais 96 TOTAL 1347 QUANTIDADE DE BIBLIOTECAS Comunitárias 0 Públicas Estadual 1 Públicas Federal 0 Públicas Municipal 1 Universidade Estadual 0 Universidade Federal 1 Ponto de Cultura 02 Ponto de Leitura 13 Pontão de Leitura 0 Total 34 QUANTIDADE DE ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE Público Federal 1 Público Estadual 19 Público Municipal 75 Privado 335 TOTAL 430

9 CULTURA: Não existe Conselho municipal de cultura. Em relação à articulação interinstitucional, não existe convênio de parceria com o setor privado, mas existe apoio do setor privado ou de comunidades. Principais atividades artesanais: barro, frutas e sementes, madeira. EDUCAÇÃO: O município não tem um Plano Municipal de Educação. Conselhos regulamentados: de Controle e Acompanhamento Social do FUNDEF, Escolares, de Alimentação Escolar, e de Transporte Escolar. Existe capacitação de professores em: temática de gênero; temática raça/etnia; orientação sexual, mas não existe em direitos humanos. Existe escola apta a receber pessoas com deficiência. As 5 principais ações: investimento na organização administrativa, autonomia financeira na escola, participação da comunidade na gestão da escola, campanha para matrícula, diminuição da evasão escolar. Em relação à articulação interinstitucional, existe convênio de parceria com o setor privado, mas não existe apoio do setor privado ou de comunidades. TRABALHO E RENDA: O município possui programas ou ações de geração de trabalho e renda para: adolescentes, jovens e população de baixa renda. O município possui política de apoio ao 1º. emprego. A prefeitura desenvolve política ou plano de inclusão digital.

10 REGIÃO NORDESTE: RECIFE (PE) Região Metropolitana Abreu Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Ilha de Itamaracá, Ipojuca, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista, São Lourenço. População Área da unidade territorial (Km²) 218,498 Densidade demográfica (hab/km²) ,61 Código do Município Gentílico recifense Adesão ao PNC Programa Mais educação em esfera municipal Programa Mais educação em esfera estadual IDH - município ,740 IDH município ,797 Índice de Violência Juvenil (IVJ) Muito Alto (0,522) Taxa de analfabetismo acima dos 15 anos 7,3 IDEB ,4 IDEB ,3 IDEB ,8 Prova Brasil (nota média) 4,18 QUANTIDADE DE UNIVERSIDADES Pública Federal 3 Estadual 1 Municipal 0 Privada 14 Privada S/ Fins Lucrativos 17 TOTAL 35

11 NÚMERO DE ESCOLAS Indígenas//Ribeirinhas 0 Assentamentos 0 Quilombolas 0 Urbanas 1346 Rurais 1 TOTAL 1347 QUANTIDADE DE BIBLIOTECAS Comunitárias 0 Públicas Estadual 1 Públicas Federal 0 Públicas Municipal 2 Universidade Estadual 1 Universidade Federal 2 Ponto de Cultura 15 Ponto de Leitura 13 Pontão de Leitura 0 Total 34 QUANTIDADE DE ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE Público Federal 5 Público Estadual 25 Público Municipal 217 Privado 1711 TOTAL 1958 CULTURA: Existe Conselho municipal de cultura. Em relação à articulação interinstitucional, existe convênio de parceria com o setor privado, e existe apoio do setor privado ou de comunidades. Principais atividades artesanais: culinária típica, madeira.

12 EDUCAÇÃO: O município não tem um Plano Municipal de Educação. Conselhos regulamentados: de Controle e Acompanhamento Social do FUNDEF, Escolares, de Alimentação Escolar, e de Transporte Escolar. Existe capacitação de professores em: direitos humanos; temática de gênero; temática raça/etnia; orientação sexual. Existe escola apta a receber pessoas com deficiência. As 5 principais ações: participação da comunidade na gestão da escola, campanha para matrícula, diminuição da evasão escolar, regulamentação e valorização da carreira de magistério, capacitação de professores. Em relação à articulação interinstitucional, existe convênio de parceria com o setor privado, mas não existe apoio do setor privado ou de comunidades. TRABALHO E RENDA: O município possui programas ou ações de geração de trabalho e renda para: jovens, pessoas com deficiência, e população de baixa renda. O município possui política de apoio ao 1º. emprego. A prefeitura desenvolve política ou plano de inclusão digital.

13 REGIÃO SUDESTE: RIO DE JANEIRO (RJ) Região Metropolitana Rio de Janeiro, Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Japeri, Magé, Nilópolis,Niterói, Nova Iguaçu, Paracambi, Queimados, São Gonçalo, São João demeriti, Seropédica, Mesquita e Tanguá. População Área da unidade territorial (Km²) 1.200,279 Densidade demográfica (hab/km²) ,81 Código do Município Gentílico carioca Adesão ao PNC Programa Mais educação em esfera municipal Programa Mais educação em esfera estadual IDH - município ,798 IDH município ,842 Índice de Violência Juvenil (IVJ) 0,471 (alto) Taxa de analfabetismo acima dos 15 anos 2,9 IDEB ,6 IDEB ,2 IDEB ,5 Prova Brasil (nota média) 4,88 QUANTIDADE DEUNIVERSIDADES Pública Federal 7 Estadual 4 Municipal 0 Privada 13 Privada S/ Fins Lucrativos 52 TOTAL 76

14 NÚMERO DE ESCOLAS Indígenas//Ribeirinhas 0 Assentamentos 0 Quilombolas 1 Urbanas 4219 Rurais 4 TOTAL 4224 QUANTIDADE DE BIBLIOTECAS Comunitárias 0 Públicas Estadual 2 Públicas Federal 2 Públicas Municipal 25 Universidade Estadual 1 Universidade Federal 2 Ponto de Cultura 26 Ponto de Leitura 21 Pontão de Leitura 2 Total 81 QUANTIDADE DE ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE Público Federal 52 Público Estadual 82 Público Municipal 280 Privado 3314 TOTAL 3728 CULTURA: Não existe Conselho municipal de cultura. Em relação à articulação interinstitucional, existe convênio de parceria com o setor privado e existe apoio do setor privado ou de comunidades. Principais atividades artesanais: bordado, material reciclado, metal.

15 EDUCAÇÃO: O município tem Plano Municipal de Educação e este incorpora educação em direitos humanos no currículo da rede de escolas. Conselhos regulamentados: de Controle e Acompanhamento Social do FUNDEF, Escolares, de Alimentação Escolar, e de Transporte Escolar. Existe capacitação de professores em: temática de gênero; temática raça/etnia; orientação sexual, mas não existe em direitos humanos. Existe escola apta a receber pessoas com deficiência. As 5 principais ações: participação da comunidade na gestão da escola, diminuição da evasão escolar, regulamentação e valorização da carreira de magistério, capacitação de professores, contratação de professores. TRABALHO E RENDA: O município possui programas ou ações de geração de trabalho e renda para: jovens, pessoas com deficiência, e população de baixa renda. O município possui política de apoio ao 1º. emprego. A prefeitura desenvolve política ou plano de inclusão digital. REGIÃO SUL: PORTO ALEGRE (RS) Região Metropolitana Alvorada, Canoas, Cachoeirinha, Gravataí, Viamão, Guaíba, Eldorado do Sul, Esteio, Sapucaia do Sul, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Nova Santa Rita, Triunfo, Charqueadas, Montenegro, Capela de Santana, Portão, Estância Velha, Ivoti, Dois

16 Irmãos, Sapiranga, Campo Bom, Araricá, Nova Hartz, Perobé, Taquara, Glorinha, Arroio dos Ratos, São Jerônimo, Santo Antônio da Patrulha, Rolante, Igrejinha. População Área da unidade territorial (Km²) 496,684 Densidade demográfica (hab/km²) ,52 Código do Município Gentílico porto-alegrense Adesão ao PNC Programa Mais educação em esfera municipal Programa Mais educação em esfera estadual IDH - município ,824 IDH município ,865 Índice de Violência Juvenil (IVJ) Médio(0,386) Taxa de analfabetismo acima dos 15 anos 2,21 IDEB ,2 IDEB ,4 IDEB ,5 Prova Brasil (nota média) 4,62 QUANTIDADE DE UNIVERSIDADES Pública Federal 1 Estadual 2 Municipal 0 Privada 8 Privada S/ Fins Lucrativos 18 TOTAL 29 NÚMERO DE ESCOLAS Indígenas//Ribeirinhas 0 Assentamentos 0 Quilombolas 0 Urbanas 1029 Rurais 0 TOTAL 1029

17 QUANTIDADE DE BIBLIOTECAS Comunitárias 0 Públicas Estadual 1 Públicas Federal 0 Públicas Municipal 1 Universidade Estadual 1 Universidade Federal 2 Ponto de Cultura 1 Ponto de Leitura 1 Pontão de Leitura 0 Total 5 QUANTIDADE DE ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE Público Federal 15 Público Estadual 11 Público Municipal 240 Privado 2738 TOTAL 3004 EDUCAÇÃO: O município não tem um Plano Municipal de Educação. Conselhos regulamentados: de Controle e Acompanhamento Social do FUNDEF, Escolares, de Alimentação Escolar, e de Transporte Escolar. Existe capacitação de professores em: direitos humanos; temática de gênero; temática raça/etnia; orientação sexual. Existe escola apta a receber pessoas com deficiência. As 5 principais ações: investimento na organização administrativa, autonomia financeira na escola, participação da comunidade na gestão da escola, contratação de professores.

18 Desenvolvimento de projetos voltados para promoção de uma educação que contribua para a redução da discriminação racial, por gênero e por orientação sexual. Em relação à articulação interinstitucional, existe convênio de parceria com o setor privado e existe apoio do setor privado ou de comunidades. CULTURA: Existe Conselho municipal de cultura. Em relação à articulação interinstitucional, existe convênio de parceria com o setor privado, e existe apoio do setor privado ou de comunidades. Principais atividades artesanais: bordado, fios e fibras, madeira. TRABALHO E RENDA: O município possui programas ou ações de geração de trabalho e renda para: adolescentes, jovens, pessoas com deficiência, e população de baixa renda. O município possui política de apoio ao 1º. emprego. A prefeitura desenvolve política ou plano de inclusão digital. Região Centro Oeste: Campo Grande (MS) Micro-Região Bandeirantes,Corguinho, Jaraguari, Rio Negro, Rochedo, Sidrolândia (1) e Terenos.

19 População Área da unidade territorial (Km²) 8.092,966 Densidade demográfica (hab/km²)- 97,22 Código do Município Gentílico campograndense Adesão ao PNC Programa Mais educação em esfera municipal Programa Mais educação em esfera estadual IDH - município IDH município ,814 Índice de Violência Juvenil (IVJ) 3,92( Médio) Taxa de analfabetismo acima dos 15 anos 3,93 IDEB IDEB IDEB Prova Brasil (nota média) 5.60 QUANTIDADE DE UNIVERSIDADES Pública Federal 01 Estadual 00 Municipal 00 Privada 03 Privada S/ Fins Lucrativos 06 TOTAL 10 NÚMERO DE ESCOLAS Indígenas//Ribeirinhas 2 Assentamentos 0 Quilombolas 2 Urbanas 0 Rurais 10 TOTAL 450

20 QUANTIDADE DE BIBLIOTECAS Comunitárias 0 Públicas Estadual 0 Públicas Federal 0 Públicas Municipal 2 Universidade Estadual 0 Universidade Federal 1 Ponto de Cultura 3 Ponto de Leitura 3 Pontão de Leitura 0 Total 9 QUANTIDADE DE ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE Público Federal 02 Público Estadual 08 Público Municipal 107 Privado 1129 TOTAL 1246 EDUCAÇÃO: O município tem Plano Municipal de Educação e este incorpora educação em direitos humanos no currículo da rede de escolas. Conselhos regulamentados: de Controle e Acompanhamento Social do FUNDEF e de Alimentação Escolar (Conselhos Escolares e de Transporte não estão regulamentados). Existe capacitação de professores em: direitos humanos; temática de gênero; temática raça/etnia; mas não tem capacitação em orientação sexual. Existe escola apta a receber pessoas com deficiência. As 5 principais ações: autonomia financeira na escola, campanha para matrícula, diminuição da evasão escolar, capacitação de professores, melhorias ou implementação de programas de assistência escolar.

21 Em relação à articulação interinstitucional, existe convênio de parceria com o setor privado, mas não existe apoio do setor privado ou de comunidades. CULTURA: Existe Conselho municipal de cultura. Em relação à articulação interinstitucional, existe convênio de parceria com o setor privado, mas não existe apoio do setor privado ou de comunidades. Principais atividades artesanais: barro, madeira, tecelagem. TRABALHO E RENDA: O município possui programas ou ações de geração de trabalho e renda para: adolescentes, jovens, indígenas, pessoas com deficiência, idosos e população de baixa renda. O município possui política de apoio ao 1º. emprego. A prefeitura desenvolve política ou plano de inclusão digital. Sueli de Lima Coordenadora Geral Casa da Arte de Educar

(continua) TABELA 1.1 Composição e População da Aglomeração Urbana (AUPOA) e Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPOA)

(continua) TABELA 1.1 Composição e População da Aglomeração Urbana (AUPOA) e Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPOA) 1 INTRODUÇÃO Este relatório consolida os principais resultados obtidos com a pesquisa sobre acidentes de trânsito nas aglomerações urbanas brasileiras pesquisa Renavam, efetuada como parte integrante do

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE PROGRAMA ESCOLA ABERTA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE PROGRAMA ESCOLA ABERTA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE PROGRAMA ESCOLA ABERTA 1. Princípios orientadores Fruto de um acordo de cooperação técnica entre o Ministério da Educação e a Unesco, o programa

Leia mais

Estabelecimentos de hospedagem. Motéis (1) Total 7 479 3 507 1 501 1 855 616 327 678 741 303. Porto Velho 70 48 5 15 2 2 208 5 028

Estabelecimentos de hospedagem. Motéis (1) Total 7 479 3 507 1 501 1 855 616 327 678 741 303. Porto Velho 70 48 5 15 2 2 208 5 028 capacidade, segundo os as Regiões Metropolitanas das Capitais, (continua) 7 479 3 507 1 501 1 855 616 327 678 741 303 Porto Velho 70 48 5 15 2 2 208 5 028 Rio Branco 36 20 2 14-1 231 2 832 Região Metropolitana

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO DO ESTADO (continuação) Profª Analiese Apelt Turma: 152

A ORGANIZAÇÃO DO ESTADO (continuação) Profª Analiese Apelt Turma: 152 A ORGANIZAÇÃO DO ESTADO (continuação) Profª Analiese Apelt Turma: 152 A ORGANIZAÇÃO DO ESTADO A Capital: capital = principal; sede do governo estadual; onde são tomadas as decisões de interesse do estado;

Leia mais

V ENCONTRO DE ECONOMIA CATARINENSE Área Temática: 6. Economia Social e Políticas Públicas

V ENCONTRO DE ECONOMIA CATARINENSE Área Temática: 6. Economia Social e Políticas Públicas V ENCONTRO DE ECONOMIA CATARINENSE Área Temática: 6. Economia Social e Políticas Públicas UMA ANÁLISE DAS POLÍTICAS SOCIAIS E DOS INDICADORES DE EDUCAÇÃO NOS MUNICÍPIOS DO COREDE METROPOLITANO DELTA DO

Leia mais

Textos para Discussão FEE N 112

Textos para Discussão FEE N 112 ISSN 1984 5588 Textos para Discussão FEE N 112 Secretaria do Planejamento, Gestão e Participação Cidadã Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Heuser Caracterização da Região Metropolitana

Leia mais

CRECHE, EQUIPAMENTO DE SAÚDE E CENTRO COMERCIAL

CRECHE, EQUIPAMENTO DE SAÚDE E CENTRO COMERCIAL CRECHE, EQUIPAMENTO DE SAÚDE E CENTRO COMERCIAL CENTRO INTEGRADO DE ATENÇÃO À SAÚDE E UPA CENTRO DE REFERÊNCIA E EQUIPAMENTO DE ESPORTE COMPLEXO DO ALEMÃO RJ Infraestrutura Habitação Mobilidade Equipamentos

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO RIO GRANDE DO SUL - 2013

DIAGNÓSTICO DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO RIO GRANDE DO SUL - 2013 DEPLAN/SEDUC 1 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO DIAGNÓSTICO DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO RIO GRANDE DO SUL - 2013 Porto Alegre Outubro/2014 DEPLAN/SEDUC 2 Equipe

Leia mais

DDD DO MUNICÍPIO. Região UF Área Local SÃO PAULO SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 12 SANTOS BAURU 14 SOROCABA RIBEIRÃO PRETO

DDD DO MUNICÍPIO. Região UF Área Local SÃO PAULO SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 12 SANTOS BAURU 14 SOROCABA RIBEIRÃO PRETO Região UF Área Local DDD DO MUNICÍPIO SÃO PAULO 11 3 SP SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 12 SANTOS 13 BAURU 14 SOROCABA 15 RIBEIRÃO PRETO 16 RIBEIRÃO PRETO 16 SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 17 PRESIDENTE PRUDENTE 18 CAMPINAS

Leia mais

20o. Prêmio Expressão de Ecologia

20o. Prêmio Expressão de Ecologia 20o. Prêmio Expressão de Ecologia 2012-2013 Folder da Conferência Sustentabilidade e Deficiência onde nosso projeto foi apresentado Setor de Diversidade em Cachoeirinha Encontro da Comissão Organizadora

Leia mais

Alpestre Alto Feliz Ararica Bagé Brochier Butiá Cachoeirinha Campo Bom Canoas Capão da Canoa Capão do Leão Capivari do Sul Casca Caxias do Sul

Alpestre Alto Feliz Ararica Bagé Brochier Butiá Cachoeirinha Campo Bom Canoas Capão da Canoa Capão do Leão Capivari do Sul Casca Caxias do Sul Apoio: Apoio: Alpestre Alto Feliz Ararica Bagé Brochier Butiá Cachoeirinha Campo Bom Canoas Capão da Canoa Capão do Leão Capivari do Sul Casca Caxias do Sul Cidreira Ciríaco Cruzeiro do Sul David Canabarro

Leia mais

Panorama Municipal. Município: Cabo de Santo Agostinho / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia

Panorama Municipal. Município: Cabo de Santo Agostinho / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia Município: Cabo de Santo Agostinho / PE Aspectos sociodemográficos Demografia A população do município ampliou, entre os Censos Demográficos de 2000 e 2010, à taxa de 1,93% ao ano, passando de 152.836

Leia mais

SÍNTESE: PESQUISA DE MEIOS DE HOSPEDAGEM IBGE

SÍNTESE: PESQUISA DE MEIOS DE HOSPEDAGEM IBGE SÍNTESE: PESQUISA DE MEIOS DE HOSPEDAGEM IBGE Divisão de Informações e Estudos Estratégicos do Turismo Secretaria do Turismo Governo do Estado do Rio Grande do Sul Agosto 2013 EQUIPE TÉCNICA Governador

Leia mais

O papel do gestor municipal na promoção da sustentabilidade urbana na produção da Habitação de Interesse Social.

O papel do gestor municipal na promoção da sustentabilidade urbana na produção da Habitação de Interesse Social. O papel do gestor municipal na promoção da sustentabilidade urbana na produção da Habitação de Interesse Social. Maria do Carmo Avesani Diretora do Departamento de Produção Habitacional Secretaria Nacional

Leia mais

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO MARIA CRISTINA MOLINA LADEIRA Diretora de Transportes da EPTC CIDADE DE PORTO ALEGRE Informações Básicas População = 1.420.600 Hab. Área = 496,8 Km² Renda Percapita

Leia mais

Panorama das Bibliotecas Universitárias Brasileiras. Paula Mello UFRJ-CBBU

Panorama das Bibliotecas Universitárias Brasileiras. Paula Mello UFRJ-CBBU Panorama das Bibliotecas Universitárias Brasileiras Paula Mello UFRJ-CBBU BIBLIOTECAS Bibliotecas UNIVERSITÁRIAS Universitárias por POR região REGIÃO Bibliotecas 2013 Centro-Oeste 680 Nordeste 1.265 Norte

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira NOTA INFORMATIVA DO IDEB 2013 (Atualizada em maio de 2015) Os resultados do Ideb 2013 para escola, município,

Leia mais

OBJETIVOS DO MILÊNIO: O QUÊ SE PODE ESPERAR DOS INDICADORES NOS MUNICÍPIOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE ATÉ 2015 12.

OBJETIVOS DO MILÊNIO: O QUÊ SE PODE ESPERAR DOS INDICADORES NOS MUNICÍPIOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE ATÉ 2015 12. ALAS Asociación Latinoamericana de Sociologia. XXIX Congreso Latinoamericano de Sociologia. 29 de setembro a 4 de outubro de 2013. FACSO, Santiago-Chile. Titulo: OBJETIVOS DO MILÊNIO: O QUÊ SE PODE ESPERAR

Leia mais

Diagnóstico da violência, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), a partir da incidência de homicídios

Diagnóstico da violência, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), a partir da incidência de homicídios 1 Diagnóstico da violência, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), a partir da incidência de homicídios Alexandre da Silva Medeiros UFRGS Juan Mario Fandiño Marino UFRGS Pedro Vargas Fernandes

Leia mais

Universalizar a educação primária

Universalizar a educação primária Universalizar a educação primária META 2 terminem um ciclo completo de ensino. Garantir que, até 2015, todas as crianças, de ambos os sexos, Escolaridade no Estado de São Paulo O aumento sistemático das

Leia mais

PROGRAMAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL : TELEMAR

PROGRAMAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL : TELEMAR PROGRAMAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL : TELEMAR TELECOM SOCIAL 2005 Nova Atitude Social para Sustentação do Desenvolvimento Ronaldo Iabrudi Brasília, 04 de maio de 2005 O GRUPO TELEMAR RESPONSABILIDADE

Leia mais

Panorama Municipal. Município: Barreiros / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia

Panorama Municipal. Município: Barreiros / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia Município: Barreiros / PE Aspectos sociodemográficos Demografia A população do município ampliou, entre os Censos Demográficos de 2000 e 2010, à taxa de 0,40% ao ano, passando de 39.151 para 40.732 habitantes.

Leia mais

Cinco setores industriais mais importantes nos municípios que compõem o Fórum da Baixada

Cinco setores industriais mais importantes nos municípios que compõem o Fórum da Baixada Cinco setores industriais mais importantes nos municípios que compõem o Fórum da Baixada # Divisão de Atividade Econômica, segundo classificação CNAE - versão 2.0 Fórum da Baixada - Total de Atividades

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome O Brasil assume o desafio de acabar com a miséria O Brasil assume o desafio de acabar com a

Leia mais

Portos Secos. DF Brasília ALF/A. I. de Brasília Brasília 1.91.32.01-8. MS Corumbá IRF/Corumbá Corumbá 1.93.31.01-0

Portos Secos. DF Brasília ALF/A. I. de Brasília Brasília 1.91.32.01-8. MS Corumbá IRF/Corumbá Corumbá 1.93.31.01-0 Portos Secos RF UF Cidade 1 Unidade de Municípios abrangidos DF Brasília ALF/A. I. de Brasília Brasília 1.91.32.01-8 MS Corumbá IRF/Corumbá Corumbá 1.93.31.01-0 GO Anápolis DRF/Anápolis Anápolis 1.30.32.01-0

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO COMBO VIVO 3 EM 1 COM PLANOS VIVO FIXO

REGULAMENTO PROMOÇÃO COMBO VIVO 3 EM 1 COM PLANOS VIVO FIXO REGULAMENTO PROMOÇÃO COMBO VIVO 3 EM 1 COM PLANOS VIVO FIXO Esta Promoção é realizada pela S.A, (doravante denominada ) Antes de participar da Promoção, o usuário deve ler o presente Regulamento e, participando

Leia mais

Campanha Clarear Relatório 1º semestre 2013

Campanha Clarear Relatório 1º semestre 2013 Campanha Clarear Relatório 1º semestre 2013 Campanha Clarear A Campanha Clarear éuma parceria da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e 5 entidades filantrópicas do estado, com o objetivo de viabilizar

Leia mais

PROMOÇÃO VIVO FIXO 2013 REGULAMENTO

PROMOÇÃO VIVO FIXO 2013 REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO FIXO 2013 REGULAMENTO I. DISPOSIÇÕES GERAIS DA PROMOÇÃO I.I. Antes de participar da Promoção, o usuário deve ler o presente Regulamento. A adesão à Promoção implica no entendimento e na aceitação

Leia mais

METAS E ESTRATÉGIAS DO Plano Municipal de Educação de Afuá 2015-2025

METAS E ESTRATÉGIAS DO Plano Municipal de Educação de Afuá 2015-2025 METAS E ESTRATÉGIAS DO Plano Municipal de Educação de Afuá 2015-2025 3- METAS E ESTRATÉGIAS. META 1: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco)

Leia mais

EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL

EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL PROPOSTAS PRIORITÁRIAS EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL SUB EIXO 1.1 - Produção de Arte e Bens Simbólicos - Implementar políticas de intercâmbio em nível regional, nacional e internacional,

Leia mais

Gestão escolar para resultados de aprendizagem: direitos, autonomia e equidade Ricardo Henriques

Gestão escolar para resultados de aprendizagem: direitos, autonomia e equidade Ricardo Henriques Gestão escolar para resultados de aprendizagem: direitos, autonomia e equidade Ricardo Henriques 02 de setembro de 2015 Direitos de aprendizagem garantidos? Porcentagem de jovens que aos 16 anos já completaram

Leia mais

Censo Demográfico de 2010. Primeiros resultados. População e Domicílios recenseados

Censo Demográfico de 2010. Primeiros resultados. População e Domicílios recenseados Censo Demográfico de 2010 Primeiros resultados População e Domicílios recenseados Data 29/11/2010 Censo Demográfico de 2010 Todos os domicílios residenciais particulares foram recenseados. A coleta dos

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2014/027

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2014/027 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2014/027 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário

Leia mais

5 Análise dos indicadores educacionais do Brasil

5 Análise dos indicadores educacionais do Brasil 5 Análise dos indicadores educacionais do Brasil A fome de instrução não é menos deprimente que a fome de alimentos. Um analfabeto é um espírito subalimentado. Saber ler e escrever, adquirir uma formação

Leia mais

d) ampliar a produção acadêmica e científica sobre questões relacionadas à educação, a partir das bases de dados do INEP;

d) ampliar a produção acadêmica e científica sobre questões relacionadas à educação, a partir das bases de dados do INEP; MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP EDITAL n o 001/2006/INEP/CAPES

Leia mais

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO As Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e Educação

Leia mais

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3o Bimestre 5o ano Geografia Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia os dados e o gráfico do censo do

Leia mais

Plano Nacional de Educação Oportunidades ou Ameaças?

Plano Nacional de Educação Oportunidades ou Ameaças? Plano Nacional de Educação Oportunidades ou Ameaças? Extrato do PL Art. 1º Fica aprovado o Plano Nacional de Educação - PNE, com vigência por 10 (dez) anos, a contar da aprovação desta Lei, na forma do

Leia mais

Risco Social na Região Metropolitana do Rio de Janeiro:

Risco Social na Região Metropolitana do Rio de Janeiro: Risco Social na Região Metropolitana do Rio de Janeiro: Um quadro sobre as condições socioeconômicas das crianças e jovens 1995-2003 *. André Urani, Érica Amorim, Juliana Speranza, Mauricio Blanco - IETS

Leia mais

72,0% DA POPULAÇÃO É NEGRA É DE 75,6% ALAVANCADO PELO GRANDE NÚMERO DE PESSOAS QUE SE AUTODECLARAM PARDAS (68,1%) 40,2 MILHÕES 38,0 MILHÕES

72,0% DA POPULAÇÃO É NEGRA É DE 75,6% ALAVANCADO PELO GRANDE NÚMERO DE PESSOAS QUE SE AUTODECLARAM PARDAS (68,1%) 40,2 MILHÕES 38,0 MILHÕES IGUALDADE RACIAL AGENDA IGUALDADE RACIAL O Governo Federal vem promovendo a incorporação da perspectiva da igualdade racial nas políticas governamentais, articulando ministérios e demais órgãos federais,

Leia mais

Mobilidade Urbana PROMOB

Mobilidade Urbana PROMOB Licitação Programa do Sistema de Estadual Transporte de Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife Mobilidade Urbana PROMOB STPP/RMR ARAÇOIABA 15.108 90 IGARASSU 82.277 323 ITAPISSUMA 20.116

Leia mais

COMISSÃO TÉCNICA INTERINSTITUCIONAL 2 CTI 2

COMISSÃO TÉCNICA INTERINSTITUCIONAL 2 CTI 2 COMISSÃO TÉCNICA INTERINSTITUCIONAL 2 CTI 2 Tema: Educação e Cultura Propostas para aproveitamento do potencial da política de educação e cultura no combate ao empobrecimento e na redução das desigualdades

Leia mais

SERVIÇOS DE TELEFONIA MÓVEL PARA TELEMETRIA COM FORNECIMENTO DE CHIPS

SERVIÇOS DE TELEFONIA MÓVEL PARA TELEMETRIA COM FORNECIMENTO DE CHIPS REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL FL.: 1 de 5 SERVIÇOS DE TELEFONIA MÓVEL PARA TELEMETRIA COM FORNECIMENTO DE CHIPS Rev. 0 Rev. 1 Rev. 2 Rev. 3 DATA: 12/03/13 19/03/13 08/04/13 10/07/13 EXECUÇÃO: DIEGO

Leia mais

JOVEM ÍNDIO E JOVEM AFRODESCENDENTE/JOVEM CIGANO E OUTRAS ETNIAS OBJETIVOS E METAS

JOVEM ÍNDIO E JOVEM AFRODESCENDENTE/JOVEM CIGANO E OUTRAS ETNIAS OBJETIVOS E METAS JOVEM ÍNDIO E JOVEM AFRODESCENDENTE/JOVEM CIGANO E OUTRAS ETNIAS OBJETIVOS E METAS 1. Assegurar com políticas públicas e programas de financiamento o direito dos jovens índios, afrodescendentes, camponeses

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA CONSELHEIROS TUTELARES E CONSELHEIROS DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA CONSELHEIROS TUTELARES E CONSELHEIROS DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 1 Rio de Janeiro, em 13 de fevereiro de 2009 EDITAL PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA VAGAS REMANESCENTES CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA CONSELHEIROS TUTELARES E CONSELHEIROS DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Leia mais

EDITAL Nº 17/2011 EDITAL COMPLEMENTAR - PROGRAMA DE BENEFÍCIOS 2011/1

EDITAL Nº 17/2011 EDITAL COMPLEMENTAR - PROGRAMA DE BENEFÍCIOS 2011/1 EDITAL Nº 17/2011 EDITAL COMPLEMENTAR - PROGRAMA DE BENEFÍCIOS 2011/1 O Diretor-Geral do -, no uso de suas atribuições, conferidas pela Portaria nº 16/2009, torna público que estão abertas as inscrições

Leia mais

RS 2030 - Texto de Referência 7 Balanço do Saneamento Básico no RS 1

RS 2030 - Texto de Referência 7 Balanço do Saneamento Básico no RS 1 RS 2030 - Texto de Referência 7 Balanço do Saneamento Básico no RS 1 O Saneamento Básico compreende o desenvolvimento dos serviços de abastecimento de água, coleta de esgoto sanitário e tratamento de efluentes,

Leia mais

ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013

ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013 LEGENDA: EM VERMELHO O QUE INCLUÍMOS NO FÓRUM EJA / RJ DE 17/6/2013 ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013 ILUMINADO DE VERDE PROPOSTA

Leia mais

PROPOSTAS PRIORITÁRIAS

PROPOSTAS PRIORITÁRIAS PROPOSTAS PRIORITÁRIAS EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL SUB EIXO: 1.1 - Produção de Arte e Bens Simbólicos 1 - Implementar políticas de intercâmbio em nível regional, nacional e internacional

Leia mais

Fórum Estadual de Educação PR Plano Nacional de Educação PNE 2011/2020

Fórum Estadual de Educação PR Plano Nacional de Educação PNE 2011/2020 Fórum Estadual de Educação PR Plano Nacional de Educação PNE 2011/2020 Sessão de Debate Regional Sudoeste, 01/07/2011 UTFPR Campus Pato Branco Região: Sudoeste Cidade: Pato Branco Data do debate: 01-07-2011

Leia mais

Número de matrículas na educação básica por dependência administrativa. Brasil - 2008/2014. Matrícula na educação básica. Pública

Número de matrículas na educação básica por dependência administrativa. Brasil - 2008/2014. Matrícula na educação básica. Pública Número de matrículas na educação básica por dependência administrativa Matrícula na educação básica geral Pública % Federal Estadual Municipal Privada % 2008 53.232.868 46.131.825 86,7 197.532 21.433.441

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Participação social, educação, cultura e intersetorialidade

PALAVRAS-CHAVE: Participação social, educação, cultura e intersetorialidade PESQUISA-AÇÃO: UM PLANO ARTICULADO PARA CULTURA E EDUCAÇÃO Sueli de Lima Moreira 1 Maria de Lourdes deda Deloupy 2 RESUMO: O projeto Um Plano Articulado para Cultura e Educação constituiu-se numa pesquisa-ação,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO - MDA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL - SDT ACORDO DE EMPRÉSTIMO FIDA Nº

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO - MDA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL - SDT ACORDO DE EMPRÉSTIMO FIDA Nº TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS NÃO CONTINUADOS (não alterar os campos em cinza) TR nº MODALIDADE TEMA PROCESSO SELETIVO TR_16_2015_PDHC Produto Sistematização de Experiências Inovadoras Parecer Nº 00558/2015/CONJUR-MDA/CGU/AGU,

Leia mais

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza OConselho da Comunidade Solidária foi criado em 1995 com base na constatação de que a sociedade civil contemporânea se apresenta como parceira indispensável

Leia mais

III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL.

III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL. III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL. DOCUMENTO BASE: 1 - A comissão organizadora propõe aos delegados das pré conferências a aprovação das seguintes propostas de políticas e ações

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO Ações de Inclusão Social e de Combate à Pobreza Modelo Próprio de Desenvolvimento Infra-estrutura para o Desenvolvimento Descentralizado Transparência na Gestão

Leia mais

CONTEXTUALIZAÇÃO/ JUSTIFICATIVA

CONTEXTUALIZAÇÃO/ JUSTIFICATIVA TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS NÃO CONTINUADOS (não alterar os campos em cinza) TR nº MODALIDADE TEMA PROCESSO SELETIVO Produto Planejamento Territorial TR_02_2015_PDHC Participativo Parecer Nº 00558/2015/CONJUR-MDA/CGU/AGU,

Leia mais

Pesquisa. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República

Pesquisa. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Pesquisa A Implementação do PNEDH nas Diretrizes do Ensino Fundamental nos Municípios Brasileiros Instituição Executora: Coordenação Geral: Apoio: Gajop Gajop e Undime Secretaria de Direitos Humanos da

Leia mais

ANEXO II INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DAS METAS DO PDME

ANEXO II INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DAS METAS DO PDME ANEXO II INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DAS METAS DO PDME No presente documento, estão listados os indicadores básicos que serão utilizados para monitoramento e avaliação das metas

Leia mais

MUNICIPALIZAÇÃO. Prof. Rodolfo Joaquim Pinto da Luz Secretário Municipal de Educação de Florianópolis e Presidente da UNDIME/SC

MUNICIPALIZAÇÃO. Prof. Rodolfo Joaquim Pinto da Luz Secretário Municipal de Educação de Florianópolis e Presidente da UNDIME/SC MUNICIPALIZAÇÃO Prof. Rodolfo Joaquim Pinto da Luz Secretário Municipal de Educação de Florianópolis e Presidente da UNDIME/SC NOVAS RESPONSABILIDADES AOS MUNICIPIOS Ampliação do Ensino Fundamental de

Leia mais

Sinproja, Jaboatão dos Guararapes, PE. 27 de maio de 2011

Sinproja, Jaboatão dos Guararapes, PE. 27 de maio de 2011 Projeto de Lei 8035 / 2010 Plano Nacional de Educação 2011-2020 Sinproja, Jaboatão dos Guararapes, PE 27 de maio de 2011 Paulo Rubem Santiago - Deputado Federal PDT - PE www.paulorubem.com.br Titular da

Leia mais

DESEMPENHO DA GESTÃO PÚBLICA DAS MAIORES

DESEMPENHO DA GESTÃO PÚBLICA DAS MAIORES DESEMPENHO DA GESTÃO PÚBLICA DAS MAIORES CIDADES BRASILEIRAS Agosto de 2013 DESAFIOS DA GESTÃO MUNICIPAL» O mundo está cada vez mais urbano. A maior parte da população mundial vive em cidades. Estudos

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Políticas de Educação de Jovens e

Políticas de Educação de Jovens e Ministério da Educação Políticas de Educação de Jovens e Adultos Junho de 2011 Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Documentos de Referência Legislação Constituição

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL, CURRÍCULO E CIDADANIA: O CASO DO MUNICÍPIO DE DUQUE DE CAXIAS

EDUCAÇÃO AMBIENTAL, CURRÍCULO E CIDADANIA: O CASO DO MUNICÍPIO DE DUQUE DE CAXIAS EDUCAÇÃO AMBIENTAL, CURRÍCULO E CIDADANIA: O CASO DO MUNICÍPIO DE DUQUE DE CAXIAS Cleonice Puggian - Doutora em Educação, Universidade de Cambridge. Docente do Programa de Ensino das Ciências na Educação

Leia mais

2.291 12,97 0,694 0,746 87.535 R$ 18.640,25 R$ 620,10

2.291 12,97 0,694 0,746 87.535 R$ 18.640,25 R$ 620,10 Mapa Social São João da Urtiga Documento gerado em 04/04/206 às 5:37:37 População Censitária (200) 4.726 População Residente Urbana (200) 2.29 População Residente Rural (200) 2.435 Quantidade de Eleitores

Leia mais

CENSO ESCOLAR EDUCACENSO O ITEM COR/RAÇA NO CENSO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO BÁSICA

CENSO ESCOLAR EDUCACENSO O ITEM COR/RAÇA NO CENSO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DO CENSO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO BÁSICA CENSO ESCOLAR

Leia mais

Programa Mais Educação Avaliação de Impacto e Estudo Qualitativo

Programa Mais Educação Avaliação de Impacto e Estudo Qualitativo Programa Mais Educação Avaliação de Impacto e Estudo Qualitativo *** Esta apresentação propõe-se a trazer um breve panorama do trabalho realizado e, para isso, omite diversos pontos metodológicos e de

Leia mais

Política Nacional de Educação Infantil

Política Nacional de Educação Infantil Política Nacional de Educação Infantil (arquivo da Creche Carochinha) Junho/2012 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem

Leia mais

Fornecimento de Óculos para Alunos Portadores de Deficiência Visual

Fornecimento de Óculos para Alunos Portadores de Deficiência Visual Programa 1060 Brasil Alfabetizado Objetivo Criar oportunidade de alfabetização a todos os jovens e adultos Justificativa De acordo com o Censo de 2000 do IBGE, 13,6% da população de 15 anos e mais é analfabeta.

Leia mais

ESTRUTURA SOCIAL E SEGMENTAÇÃO URBANA NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE (RMPA), EM 2000

ESTRUTURA SOCIAL E SEGMENTAÇÃO URBANA NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE (RMPA), EM 2000 1 SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E GESTÃO FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA Siegfried Emanuel Heuser ISSN 1676-1375 ISBN 978-85-7173-093-9 ESTRUTURA SOCIAL E SEGMENTAÇÃO URBANA NA REGIÃO METROPOLITANA DE

Leia mais

Mobilidade Urbana em Regiões Metropolitanas

Mobilidade Urbana em Regiões Metropolitanas Mobilidade Urbana em Regiões Metropolitanas Ministério das Cidades Apresentação: PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE - PMPA Secretaria Municipal dos Transportes - SMT Empresa Pública de Transporte e Circulação

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 06/07/2012 (nº 130, Seção 1, pág.

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 06/07/2012 (nº 130, Seção 1, pág. PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 06/07/2012 (nº 130, Seção 1, pág. 24) Dispõe sobre a IV Conferência Nacional Infantojuvenil pelo

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Êxodo urbano: por que as cidades de médio porte estão atraindo os moradores das metrópoles?

Urban View. Urban Reports. Êxodo urbano: por que as cidades de médio porte estão atraindo os moradores das metrópoles? Urban View Urban Reports Êxodo urbano: por que as cidades de médio porte Morar nos grandes centros tem suas vantagens, como mais opções de trabalho, educação e lazer. Mas também tem seu lado negativo.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA CATÁLOGO DOS CURSOS Coordenação Institucional: Profª. Dra. Flavia Mendes de Andrade e Peres Coordenadores

Leia mais

Experiência: Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)

Experiência: Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) Experiência: Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) Gabinete da Presidência Responsável: Reynaldo Fernandes, Presidente

Leia mais

Plano de Saneamento Regional e Municipais

Plano de Saneamento Regional e Municipais 3º Seminário Internacional de Saneamento e 1ª Conferência Regional dos Planos de Saneamento do Consórcio Pró-Sinos Plano de Saneamento Regional e Municipais FEEVALE Novo Hamburgo 02 e 03/12/2013 Resíduos

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO- METAS E ESTRATÉGIAS

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO- METAS E ESTRATÉGIAS PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO- METAS E ESTRATÉGIAS Meta 1: universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação

Leia mais

SAúDE e PReVENÇãO NaS ESCoLAS Atitude pra curtir a vida

SAúDE e PReVENÇãO NaS ESCoLAS Atitude pra curtir a vida SAúDE e PReVENÇãO NaS ESCoLAS Atitude pra curtir a vida UNAIDS/ONUSIDA Relatório para o Dia Mundial de Luta contra AIDS/SIDA 2011 Principais Dados Epidemiológicos Pedro Chequer, Diretor do UNAIDS no Brasil

Leia mais

A educação no Rio de Janeiro

A educação no Rio de Janeiro A educação no Rio de Janeiro Simon Schwartzman Na década de 90, em todo o Brasil, o acesso à educação melhorou, e o Rio de Janeiro não ficou atrás. Antes, não havia escolas suficientes para todas as crianças.

Leia mais

SECRETARIA DE CIDADANIA E

SECRETARIA DE CIDADANIA E SECRETARIA DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL 2012 O Programa Arte, Cultura e Cidadania - Cultura Viva, iniciado em 2004 pelo Ministério da Cultura, objetiva reconhecer e potencializar iniciativas culturais

Leia mais

- 41 - Lição III RIO GRANDE DO SUL

- 41 - Lição III RIO GRANDE DO SUL Lição III RIO GRANDE DO SUL - 41 - Na lição anterior estudamos sobre o Brasil. Vimos que existem 26 Estados e 1 Distrito Federal. E um desses Estados, é o Rio Grande do Sul, que fica no extremo sul do

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Resíduos Sólidos, Gestão, Plano Diretor de Gestão Integrada, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Aterros Sanitários

PALAVRAS-CHAVE: Resíduos Sólidos, Gestão, Plano Diretor de Gestão Integrada, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Aterros Sanitários III-124 A IMPLANTAÇÃO DOS ATERROS PROPOSTOS NO PLANO DIRETOR DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO ATRAVÉS DE EMPRESAS PRIVADAS João Alberto Ferreira (1) D.Sc.

Leia mais

Brasil Economia e Educação. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação

Brasil Economia e Educação. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Brasil Economia e Educação Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Gini e PIB Per Capita 380 Gini e Pib Per Capita (1960 - base =100) 120 PIB Per Capita 330 280 230 180 1995 111,42 108,07 1992

Leia mais

Referenciais Estratégicos

Referenciais Estratégicos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Referenciais Estratégicos Coordenação Comissão Central do

Leia mais

Presencial: Formação Continuada Material didático

Presencial: Formação Continuada Material didático 8. CURSO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL 8.1. Apresentação O Curso de Educação Ambiental é um curso de formação continuada de professores de educação básica, com carga horária de 180h distribuído em módulos. Ofertado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Superintendência de Cultura e Comunicação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Superintendência de Cultura e Comunicação CHAMADA DE PROJETOS PARA O PLANO DE CULTURA DA UFES PREVISTO NO EDITAL MAIS CULTURA NAS UNIVERSIDADES A da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão, convida

Leia mais

3. DO CURSO, DAS VAGAS E DO PÚBLICO-ALVO

3. DO CURSO, DAS VAGAS E DO PÚBLICO-ALVO EDITAL DE SELEÇÃO A Universidade Federal de Rondônia torna público o processo seletivo para ingresso no Curso de Especialização Lato Sensu em Coordenação Pedagógica Modalidade EAD, pelo Programa Nacional

Leia mais

REFERÊNCIAS PARA UMA POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO

REFERÊNCIAS PARA UMA POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GRUPO PERMANENTE DE TRABALHO DE EDUCAÇÃO DO CAMPO REFERÊNCIAS PARA UMA POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO CADERNO DE SUBSÍDIOS BRASÍLIA Outubro, 2003 2 ÍNDICE APRESENTAÇÃO...5

Leia mais

Características e condições de moradia dos habitantes metropolitanos

Características e condições de moradia dos habitantes metropolitanos 1 Características e condições de moradia dos habitantes metropolitanos Iára Regina Castello UFRGS Os dados coletados nos Censos Demográficos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) incluem

Leia mais

Palestras e Oficinas realizadas em 2009. Palestra/ Oficinas Data Local Organização

Palestras e Oficinas realizadas em 2009. Palestra/ Oficinas Data Local Organização Palestras e Oficinas realizadas em 2009 Palestra/ Oficinas Data Local Organização Gestão e liderança de sistemas de ensino com foco na melhoria da aprendizagem dos alunos 18/02/2009 São Paulo - SP SINESP

Leia mais

2A educação é o principal catalisador para

2A educação é o principal catalisador para objetivo 2. atingir o ensino básico universal O Estado da Amazônia: Indicadores A Amazônia e os Objetivos do Milênio 2010 o desenvolvimento humano e para a construção de uma sociedade mais justa (Unesco,

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL 08 de Novembro de 2012 O que é o Brasil Rural? O Brasil Rural Diversidade: raças, origens étnicas, povos, religiões, culturas Conflitos: concentração de terra, trabalho

Leia mais

GUIA DO PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS LOCAIS

GUIA DO PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS LOCAIS GUIA DO PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS LOCAIS Esse documento ajudará sua organização a conhecer o que o Instituto Alcoa valoriza e também a avaliar se a sua proposta se adequa aos requisitos do Programa

Leia mais

Lara, Patrícia Tanganelli - UNESP/Marília Eixo Temático: Formação de professores na perspectiva inclusiva

Lara, Patrícia Tanganelli - UNESP/Marília Eixo Temático: Formação de professores na perspectiva inclusiva A CONSTITUIÇÃO DE UMA POLÍTICA DE INCLUSÃO ESCOLAR NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO: ESTUDO DE CASO ATRAVÉS DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Lara, Patrícia Tanganelli - UNESP/Marília

Leia mais

Coordenação-Geral dos Direitos da População em Situação de Rua. Política Nacional para a População em Situação de Rua

Coordenação-Geral dos Direitos da População em Situação de Rua. Política Nacional para a População em Situação de Rua Política Nacional para a O Desafio da Implementação das Políticas Transversais Professor: Carlos Ricardo Período: Novembro de 2013 Reconhecimento das experiências desenvolvidas há mais de 20 anos (1980

Leia mais

Legenda: Áreas migradas do 0800 para o 4004. Áreas onde o 4004 já estava ativado.

Legenda: Áreas migradas do 0800 para o 4004. Áreas onde o 4004 já estava ativado. Legenda: Áreas migradas do 0800 para o 4004. Áreas onde o 4004 já estava ativado. CÓD. ÁREA (DDD) UF ÁREA METROPOLITANA REGIÃO CONURBADA 11 SP SÃO PAULO ARUJA BARUERI BIRITIBA-MIRIM CAIEIRAS CAJAMAR CARAPICUIBA

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Infantil

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Infantil Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Educação Infantil Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário também

Leia mais