Juventude Adventista Clubes de DESBRAVADORES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Juventude Adventista Clubes de DESBRAVADORES"

Transcrição

1 Juventude Adventista Clubes de DEBRAVADORE Regulamento Interno da JA I. Funcionamento dos Clubes de DEBRAVADORE Um Clube de DEBRAVADORE (Tições, Desbravadores, Companheiros e éniores) não é um mero clube recreativo ou social, uma colónia de férias ou um ATL. É muito mais do que isto. É uma filosofia, um programa educativo com um método que visa suprir as necessidades físicas, mentais, sociais e espirituais das crianças, dos adolescentes e dos jovens. 1. Módulos de acção JA O Ministério da Juventude Adventista 1 mundial reorganizou, a partir do ano de 2000, os antigos sete módulos JA em quatro. Estes módulos foram estabelecidos para que os dirigentes em qualquer parte do mundo, sejam eles nacionais, regionais ou locais, não corram o risco de perder o rumo, mas possam alcançar o alvo: A mensagem do advento a todo o mundo nesta geração e o objectivo primordial: alvação e erviço, podendo, desta forma, serem unificados ao mesmo tempo filosofias, objectivos e actuações. 1. Discipulado a. O processo de aprender e de seguir o Mestre b. Desenvolve os aspectos de crescimento pessoal dos jovens. 2. Liderança a. Aquilo que cada dirigente tem que mostrar como resultado do seu discipulado. b. Visa a formação JA dos jovens e dirigentes. c. Envolve o Departamento JA e as Comissões Regionais. 3. Testemunho (Evangelismo) a. Partilhar o amor ao serviço dos outros da mesma forma que Jesus o fez. b. Estimula o testemunho tradicional e métodos inovadores. c. Desenvolve e consciencializa atitudes e valores. 4. Missão (erviço) a. Envolvimento pessoal e colectivo no cumprimento da Missão. b. Promove o serviço à comunidade e a prestação directa de serviços. Todos os projectos que um Clube realizar devem ser cuidadosamente avaliados, visando estar centrados em algum destes módulos, para que possam atender ao propósito do Ministério JA. Qualquer actividade que não leve em consideração estes módulos, corre o risco de absorver tempo, recursos e ideias e não alcançar a eficiência desejada. É sempre importante lembrar que não estamos em tempo de desperdiçar energia. 1 Em abreviado porderá aparecer sob uma das duas formas possiveis: Ministério JA ou MJA Página 1 de 10

2 Juventude Adventista Clubes de DEBRAVADORE 2. Elementos básicos de um programa A programação de um Clube de DEBRAVADORE, para que seja completa e cumpra o seu papel, deve desenvolver quatro elementos básicos no seu conteúdo. Os quatro módulos mostram as áreas a desenvolver e ao mesmo tempo, onde devemos concentrar energias. Os quatro elementos dão consistência ao caminho que deve ser seguido. A Adoração É a oportunidade de aproximação com Deus, para o fortalecimento da fé, da devoção e do testemunho. Uma actividade sem base espiritual é como uma árvore sem raiz. Perde o sentido e o objectivo. Algumas actividades que fortalecem esta base são: Pregação, meditação; Momentos de oração; Louvor; Testemunhos. B Instrução É o agente básico para produzir uma mudança de comportamento. É a base intelectual do Ministério JA. Visa instruir no caminho da vida eterna e na procura da felicidade com Deus neste mundo de pecado. Algumas actividades que fortalecem esta dimensão são: Formação JA: programa das Classes Progressivas e programa das Especialidades; Ano bíblico; Leitura do Espírito de Profecia; Debates, Colóquios, Mesas Redondas, Acções de esclarecimento, Capelas. C Companheirismo A ênfase do companheirismo está na integração e recreação. As actividades sociais, desportivas e técnicas também devem ser usadas para salvar. Neste ponto destacam-se as bases social e física do Ministério JA. Algumas actividades que fortalecem este ponto são: Actividades sociais como intercâmbios, visitas de estudo; Actividades recreativas como acampamentos, saídas, caminhadas, observação da natureza; Actividades desportivas. D erviço Oferece a oportunidade de envolvimento missionário e comunitário. Os DEBRAVADORE gostam e devem ser desafiados para este serviço. É o Ministério JA em movimento, utilizando todas as faculdades físicas, mentais, espirituais e sociais ao serviço do enhor. Algumas actividades que fortalecem esta dimensão são: Página 2 de 10

3 Juventude Adventista Clubes de DEBRAVADORE Grupos de acção JA pró-comunidade; Grupos de intervenção em caso de catástrofe; Projectos de evangelismo; Promoção de rastreios e planos de saúde; Visitas a hospitais, orfanatos, lares de idosos, prisões, casas particulares. 3. A missão, símbolos e ideias Aqui estão as prioridades do Ministério JA, de um Clube de DEBRAVADORE. Elas devem direccionar o trabalho e a planificação e devem ser relembradas sempre e em todas as ocasiões. A Declaração de Missão do Núcleo e/ou do Clube: Ter Cristo (...) trabalhar em favor (...) promovendo (...) Nota a elaborar pelo Núcleo e/ou Clube no início do ano de actividades, tendo em consideração o mote do ano do Departamento JA da Conferência Geral. B Triângulo dos DEBRAVADORE Triângulo desenvolvimento trifásico (espiritual / social, mental e físico) Escudo a fé Espada o espírito, a palavra de Deus Azul lealdade Vermelho sacrifício de Cristo, redenção Amarelo presença de Deus, excelência Branco pureza No quadro especifico da Divisão Euro-Africana, da qual nós fazemos parte, foi estipulado que a diferenciação entre as diversas classes etárias é feita através da cor da barra superior do triângulo. Para os Tições a côr da barra superior é o vermelho, para os Desbravadores é o amarelo e para os Companheiros e éniores, o azul. De notar que a sequência das cores corresponde à dos lenços das respectivas classes etárias. C- Globo JA Mundo Objectivo central da nossa Missão e Acção. Deve ser visto em termos colectivos e globais, enquanto comunidade mundial, e em termos individuais, sendo o mundo tão grande ou tão pequeno como a nossa esfera de acção. Pomba o amor de Deus que impele ao serviço na depêndencia do Espirito anto. Chamas evocam que nenhum ser humano é uma ilha em si mesmo e que necessita de estar integrado na Igreja enquanto comunidade dos crentes que se ombreiam uns aos outros, para que a chama da presença de Deus não desfaleça. Azul lealdade. Dourado presença de Deus, excelência como objectivo de vida de cada ser humano. Página 3 de 10

4 Juventude Adventista Clubes de DEBRAVADORE D Emblema JA - Liderança Mundo Nossa missão (ver supra cite). Três Anjos Tríplice mensagem angélica (Apoc. 14). Cruz Centro da Mensagem e da existência de cada Clube e de cada DEBRAVADOR. E Bandeira Branco Pureza Vermelho Redenção Amarelo Excelência Azul Lealdade Estrelas concedidas pelo Departamento JA aos Clubes que completem 5 ou múltiplos de 5 anos de existência. Distinção honrosa concedida pelo Departamento JA, a partir de uma análise cuidada e continuada, ao(s) Clube(s) que durante o ano cumpriram a sua planificação. F Alvo Tições Brilhando cada vez mais Desbravadores, Companheiros e éniores A mensagem do advento a todo o mundo nesta geração Mateus 28:18-20 G Lema Tições e Desbravadores O Amor de Cristo nos constrange II Coríntios 5:14 Companheiros e éniores Testemunho, erviço e Acção H Voto Tições Com Jesus, com a ajuda dos meus pais e do Clube, prometo fazer sempre o meu melhor. Desbravadores Pela graça de Deus serei puro, bondoso e leal, guardarei as leis dos JA, serei servo de Deus e amigo de todos. Companheiros e éniores Pela graça de Deus, com a vossa ajuda e com alegria, quero ser servo de Deus, respeitar e amar os outros, guardar a lei dos JA e aprofundar os seus valores. Página 4 de 10

5 Juventude Adventista Clubes de DEBRAVADORE I Propósito Os jovens pelos jovens, os jovens pela Igreja, os jovens pelos semelhantes Inspirado no slogan Partilhe sua Fé, que em 1974 motivou a conquista de jovens em todo o mundo. J Objectivo alvação e erviço Esta é a evolução actual do objectivo adoptado em 1926 durante a sessão da Associação Geral, alvar do pecado e guiar no serviço. L Mote a) Mundial (estabelecido anualmente pelo Departamento de Jovens da Conferência Geral, de acordo com os objectivos do plano quinquenal); b) Local (a definir pelos dirigentes e DEBRAVADORE, segundo as expectativas, recursos e necessidades particulares do Clube). 4. Estrutura organizativa Para a subsistência, pleno funcionamento e eficácia, toda a organização necessita de uma estrutura que a sustenha e faça funcionar. Conselho de Igreja Coordenador Vice ecretário Ancião conselheiro * Coordenação JA DEBRAVADORE Conselho JA Coordenador Pastor Vice Coordenador ecretário Ancião conselheiro Director dos Tições Director dos Desbravadores Director dos Companheiros Director dos éniores Director Grupos de Interesse Clube de Tições Director Vice-director ecretário 6 a 11 anos Clube de Desbravador es Director Vice-director ecretário 12 a 15 anos Clube de Companheiro s Director Vice-director ecretário 16 a 21 anos Clube de éniores Director Vice-director ecretário 22 a 30 anos Página 5 de 10

6 Juventude Adventista Clubes de DEBRAVADORE 5. Planificação Visando atender o jovem como um todo, criar envolvimento e fornecer bons programas, não há alternativa senão a de programar, planificar cuidadosamente. Ou se dedica tempo a planificar o sucesso ou então, se recusarmos fazê-lo, estaremos directamente a planificar o fracasso. Quem falha em planificar, planifica falhar. A falta de uma planificação é um dos males que perseguem os Clubes de DEBRAVADORE, e a decisão de mudar esta realidade vai trazer como resultado a satisfação dos jovens, da igreja, e o envolvimento de ambos. À medida que nos aproximamos da crise final, em vez de achar que há menos necessidade de ordem e harmonia de acção, devemos ser mais sistemáticos do que temos sido até agora. (Ellen White, Mensagens Escolhidas, vol. III). É essencial trabalhar com ordem, seguindo um plano organizado e um alvo definido. (Ellen White, Manuscritos). Por detrás da planificação devem estar sempre os objectivos, os propósitos JA. No entanto, cada Núcleo / Clube terá que ser visto como um caso individual, com a sua própria identidade, recursos e passado. Logo, a planificação e o modo de agir terão obrigatoriamente que estar de acordo com a estrutura existente Percurso da planificação É necessário, dar alguns passos para poder organizar uma planificação simples, eficiente e edificante. Vejamos as seguintes sugestões: Reunir com o Conselho de Igreja e o Conselho JA para ouvir, projectar e avaliar as ideias mestras; e rentabilizar esforços e recursos, Reunir com os Tições, Desbravadores, Companheiros e éniores e ouvir a sua opinião sobre o que eles esperam, desejam e necessitam. Poderá ser feito através de inquéritos, debate, jogos cooperativos ou uma simples reunião; Definir os alvos, os objectivos de longo, médio e curto prazo, baseados nas necessidades apresentadas (a partir da proposta apresentada no Anexo 01); Analisar o calendário do Departamento de Jovens da UPAD, da Comissão Regional da Zona e da igreja local; Elaborar um calendário anual geral, e/ou um calendário trimestral mais específico e/ou ainda um calendário mensal detalhado; Apresentar os calendários anual, trimestral e mensal ao Conselho de Igreja e ao Conselho JA, a fim de se optimizar espaços e recursos materiais e humanos. Página 6 de 10

7 Juventude Adventista Clubes de DEBRAVADORE 5.2. Avaliar prioridades e definir objectivos Deve-se sempre dar lugar às prioridades. Assim, será necessário questionar o porquê, a finalidade e os resultados das actividades. Propomos que cada Clube considere as seguintes questões: - O que é preciso fazer? - Por que é preciso fazer? Vale a pena fazer isso? - Quando é preciso fazer? Qual o momento mais apropriado? - Onde é preciso fazer? Qual o lugar apropriado? - Quem fará? Qual a pessoa certa? - Como se fará? Qual o melhor caminho? Propomos ainda a seguinte grelha onde se materializa a questão das prioridades: Actividades Prioritárias 01 Acampamento / Retiro local Férias do Carnaval Por Quê? É necessária a pesquisa e a partilha bíblica Quando? 23 a 27 de Fevereiro Onde? Quem? Como? Parque de Campismo da Costa de Lavos Pastor convidado e direcção do Clube Promoção à Igreja e enc. de educação Procurem realizar: - Poucos projectos grandes, pois eles desgastam os DEBRAVADORE; - Alguns projectos médios, pois eles motivam os DEBRAVADORE; - Muitos projectos pequenos, pois eles envolvem os DEBRAVADORE. Propomos neste momento que passemos ao trabalho prático. Há que definir os objectivos (ver Anexo 01) e elaborar os calendários anual, trimestral e mensal segundo a proposta de uma Grelha de Funcionamento (ver Anexo 02) Grelha de Funcionamento (Anexo 02) A ideia é converter e classificar todas as actividades de um Clube de DEBRAVADORE em unidades. Por exemplo: quando realizamos uma reunião baseada sobre o estudo da natureza, isto corresponde a uma unidade natureza ; quando realizamos um culto ou uma investidura, isto corresponde a uma unidade espiritual. Assim, 1 unidade = uma reunião ou actividade de 1h30 a 2h00 Página 7 de 10

8 Juventude Adventista Clubes de DEBRAVADORE Existem quatro categorias de Unidades: Unidade (simples, ex.: espiritual; técnicas; desporto); Multi-Unidade (conjugação de unidades simples, ex.: espiritual + técnicas + formação. A unidade é distribuída pelas unidades contempladas) ; Unidade Preferencial (unidades principais no contexto do Clube e do movimento JA) U-P; Unidade DEBRAVADORE (unidades que implicam envolvimento, interdisciplinariedade dos Clubes de DEBRAVADORE locais) U-DEB. Para que um Clube funcione em pleno, é necessário realizar mínimos em cada unidade durante o ano. Eis os mínimos propostos por unidade, a atingir por trimestre: Módulos JA Unidades Mínimos por trimestre Discipulado A - Espiritual Liderança B - Formação C - Técnicas D - Natureza E - Artes e Ofícios Testemunho e Missão F - ócio-cultural G - Desporto Total Mínimos anuais Nestes mínimos de cada unidade estão incluídas as Multi-Unidades, as Unidades Preferenciais e as Unidades DEBRAVADORE. Devem ser também incluídas as participações nos Acampamentos Regional e Nacional (enquanto Clube), duas actividades locais de exterior (saídas, acampamentos, retiros, intercâmbios), uma Cerimónia de Investiduras e participação activa na emana de Oração dos Jovens. O objectivo principal é, portanto, equilibrar as actividades pelas unidades, procurando ao longo do ano atingir todos os mínimos a todas as unidades, conseguindo dessa forma o tão almejado desenvolvimento integral do DEBRAVADOR Listagem de actividades por Unidades e Categorias (Anexos 03) Esta listagem de actividades é puramente sugestiva. Outras ideias e outras estratégias surgirão ao longo do vosso trabalho. Página 8 de 10

9 Juventude Adventista Clubes de DEBRAVADORE É importante que as actividades semanais do Clube não se fiquem unicamente pelo mero cumprimento das unidades. Outras actividades, outros momentos são também importantes e necessários. Fica aqui uma proposta de ordem de trabalhos a ser aplicada nos Clubes de DEBRAVADORE numa manhã / tarde de actividades: Abertura Encerramento Ordem Unida (facultativo) Meditação / Escola abatina Período de Oração Informações Questões administrativas (quotas, planificação, reuniões) Actividade(s) Unidades A/B/C/D/E/F/G Ordem Unida (facultativo) Informações Oração Final Colectivo Individual, em grupos ou colectivo Individual, em grupos ou colectivo Individual, em grupos ou colectivo Individual, em grupos ou colectivo Individual, em grupos ou colectivo Colectivo Atenção algumas notas importantes A realização de qualquer actividade que envolva mais de três Núcleos / Igrejas terá que ser solicitada à Comissão Regional da Zona(s) mediante apresentação do FormJA001, disponível no sítio ou junto da secretaria da JA. A CR entrará em contacto com o Departamento JA que decidirá autorizar ou não a sua realização, tendo para isso tomado em consideração o seu calendário e o dos outros Departamentos da UPAD. Quando planificarem uma Cerimónia de Investiduras, não se esqueçam de colocar em marcha o processo de oficialização da mesma, contactando para isso a Comissão Regional da vossa Zona através dos formulários JA específicos para o assunto. Desta forma, o Departamento JA e as Comissões Regionais terão conhecimento e poderão então validar a actividade e reconhecer o funcionamento do vosso Clube. obre este assunto, recomenda-se a leitura do DocJA Avaliação O Departamento JA, por intermédio das Comissões Regionais, avaliará o desempenho dos Clubes de DEBRAVADORE do país. erá para isso indispensável uma regular comunicação entre as direcções dos Clubes e os elementos das Comissões Regionais. Para que esta avaliação seja realizada, são sugeridos os seguintes procedimentos: Página 9 de 10

10 Juventude Adventista Clubes de DEBRAVADORE - Elaborar, no início do ano eclesiástico/civil, a grelha de planificação por objectivos (Anexo 01) e enviá-la para a Comissão Regional da Zona; - Elaborar, no início do ano e/ou de cada trimestre, a grelha de Funcionamento (Anexo 02) e enviála para a Comissão Regional da Zona; - Elaborar, no final do ano eclesiástico/civil, a grelha de Funcionamento real / relatório (Anexo 02), que reflecte a realidade do ano, o cumprimento ou não dos projectos expressos nas grelhas de planificação; As Comissões Regionais, ao terem em seu poder as grelhas, farão uma análise cuidadosa e avaliarão o seu conteúdo e o seu cumprimento mediante a grelha / relatório final. Esta avaliação será quantificada, mas responderá sobretudo a critérios qualitativos. erá portanto uma avaliação por Alvos que se atingem pelo cumprimento e comprovação das Unidades. Um Clube que alcançou os seus objectivos, as Unidades exigidas, alcançará alvos que lhe permitirão no final do ano entrar ou não no Quadro de Honra do Departamento JA. e assim for o caso, o Clube será um Clube de Honra e por isso receberá, para esse ano, uma distinção a aplicar na bandeira do Clube. À terceira distinção (3 anos, consecutivos ou não, como Clube de Honra) o Departamento oferecerá uma moldura especial. Os resultados desta avaliação serão divulgados no sítio ou na Revista JA (em formato digital ou impressa em papel) órgãos oficias da Juventude Adventista. As Comissões Regionais e o Departamento JA ficarão sempre disponíveis para qualquer ajuda ou esclarecimento durante todo este processo. Última actualização 30 de Outubro de 2003 Página 10 de 10

11 CLUBE DE DE (Núcleo) PLANIFICAÇÃO por OBJECTIVO para o ANO de 200 Tiago Alves 98 Longo Prazo Médio Prazo Curto Prazo Ano 200 1º trimestre 2º trimestre 3º trimestre 4º trimestre Mensal / emanal Espirituais ócioculturais Formação Natureza Técnicas Desporto Arte e Ofícios Logísticos Funcionamento dos Clubes de DEBRAVADORE Anexo 01 - Planificação por Objectivos

12 Juventude Adventista Planificação - º Trimestre 200 Clube de de (Núcleo) Unidades Programa JA DICIPULADO LIDERANÇA TETEMUNHO E MIÃO Datas Espiritual Formação Técnicas Natureza Artes e Ofícios ócio-cultural Desporto D D D D D D D D D D D D D D D D D D D D D D D D D D x Totais exta-feira A.3 / B.14 Unidade (exemplo) ábado M - U Multi-Unidade D Domingo Actividades Regionais e Nacionais D Durante a emana (de exta a Quinta) U-P Unidade Preferencial U-DEB Unidade DEBRAVADORE x Actividade Funcionamento dos Clubes de DEBRAVADORE Anexo 02 - Grelha de Funcionamento

13 Juventude Adventista DEBRAVADORE Espiritual A1 Unidade A - de A1 a A5 Renovação Começa o ano com um fim-de-semana completo, com actividades destinadas a realçar a Bíblia. O sermão de ábado, as músicas, até a refeição pode ser preparada com alimentos mencionados na Bíblia. Aproveita para fazeres o lançamento do ano bíblico. Enriquece com a tua imaginação. Espiritua l A6 Unidade A - de A6 a A13 Construir Alicerces Distribui, por pequenos grupos, as diversas doutrinas bíblicas (utiliza o livro 27 crenças fundamentais Publicadora Atlântico) e pedelhes que encontrem as aplicações práticas para a vida quotidiana. Depois partilhem uns com os outros, explicando como é que podem crescer mais perto de Deus. A2 A3 A4 A5 Maratona Realiza uma maratona de 12 horas de leitura bíblica na tua igreja, convidando jovens de todas as idades para lerem em voz alta durante apenas algum minutos cada. Deve estar tudo organizado de tal maneira que não existam tempos mortos e haja ritmo. Utiliza todas as forças vivas da tua igreja e especialmente dos teus clubes. Enriquece com música de fundo, diapositivos, flanelógrafo... Os Evangelhos são excelentes para este tipo de acções. Mostra à igreja que o grupo procura o testemunho directo mencionado nos escritos de E G White. Estafetas Faz com que durante este trimestre o teu grupo possa escrever todo o Novo Testamento, no ábado na igreja e/ou durante a semana. Escolhe um responsável pela transcrição que muda cada ábado. Apresenta o relatório à igreja. No final, oferece todos os volumes à Biblioteca da tua zona, ao Presidente da Junta... ou guarda nos arquivos da igreja, mas sempre com um cerimonial de enaltecer o trabalho realizado e tempo para que possam ser contadas experiências dos escribas. Palavra em Acção Pede sugestões a grupos de jovens, ou indivíduos, para projectos comunitários baseados num só texto bíblico. Faz desse texto o mote do projecto e assegura-te da motivação do voluntariado. A7 A8 U-P A9 A10 U-P A11 A12 Afirmação Programa uma série de encontros evangelísticos com a igreja (Ex: durante 2 semanas), apresentado pelos jovens. O tema para cada noite pode estar centrado nas doutrinas que estudaram, mas agora sob a forma de música, mímica, marionetas, jogo. Tem o cuidado de te assegurares de que a base é a verdade bíblica e que é essa que é apresentada. Cerimónia de Investiduras Uma Cerimónia que poderá incluir um Culto Jovem e/ou uma reunião de cânticos, partilha de experiências e visionamento de vídeos e diapositivos das actividades levadas acabo pelo Clube. Jogos Bíblicos Concursos de mímica, desenho, perguntas, inigmas, etc. Estudos Bíblicos Promove a realização, da parte dos Desbravadores, de Cursos Bíblicos. Ex.: Nos eus Passos, A Bíblia Responde. Leitura e discussão Escolhe, juntamente com os Desbravadores, um livro da Colecção JÁ. Leiam-no e conversem sobre ele, destacando o que de prático e edificante apreenderam. Conhecimento Bíblico Incentiva e promove aos Desbravadores a Especialidade de Conhecimento Bíblico. Deixa-te surpreender elecciona trechos bíblicos (ex: cartas de Paulo / João / histórias que poucos leram A13 U-P Reunião de Oração Promovida uma vez por mês. Para os sermões serão sugeridos esboços ugestões de actividades retiradas do manual da Conferência Geral 2001 Ano da Renovação. Unidade A Página 1 de 5

14 Espiritual A14 U-DEB A15 A16 A17 A18 U-P Juventude Adventista DEBRAVADORE mas muitos ouviram) e distribui pelos teus jovens, para que os leiam e partilhem alguma coisa que os tenha surpreendido. Unidade A - de A14 a A18 ábado JA Organizem, as direcções de DEBRAVADORE, um ábado especial com um programa exclusivamente realizado pelos jovens para a Igreja, a Escola abatina, o culto, os programas da tarde e da noite. Envolvam o máximo de jovens, distribuam tarefas por todos, façam deste ábado um dia de acção e testemunho. Espaço interior Começa um trimestre com um fim-desemana especial, que sirva de retiro, para introspecção do grupo e do indivíduo. Um programa que pode ser feito na igreja, no clube ou na natureza. O importante é predispor cada jovem para a oração e reflexão, de forma a identificarem as suas maiores necessidades espirituais e, na Bíblia, encontrarem as respostas e conselhos. A oração deve ter papel de relevo. Encontro com amizade Este é um programa para um dia, com o objectivo de realçar a amizade. Deve ser um programa que abranja actividades de acção, bem movimentadas e de partilha. Cada actividade deve enfatizar a amizade, o porquê da sua importância, como é que isso nos ajuda a ser melhores (ou piores) e como fazer novos amigos. Pessoalmente Realça a amizade na Bíblia. Um debate sobre o que é que faz com que uma relação funcione e outra seja destruída. Então, introduz o facto de que Jesus deseja ser amigo, tornar-se íntimo de cada jovem. Conversem sobre o que é que Jesus fez para merecer a nossa amizade. Um-para-um Estabelece um programa que convide cada jovem a ter o seu ministério um-para-um, onde pode ajudar alguém, dentro ou fora da Espiritua l A19 A20 A21 U-DEB A22 A23 U-DEB elaborados e divulgados pelo Departamento. Unidade A - de A19 a A23 Conhecer a Deus Encontros em sítios diferentes e variados (os locais menos esperados são os melhores) com pessoas que viveram grandes experiências com Deus. Escutar e ver testemunhos vivos da acção de Deus. Que cada um se sinta livre para partilhar as suas experiências pessoais. Diploma bíblico Estudo de um livro da Bíblia, individualmente, para além da leitura e do óbvio em que terra vivia o autor / quais as suas características / que tipo de relacionamento teve com Deus... com um orientador diferente cada semana. No final fazer um teste e entregar diplomas a todos, diferenciando o aproveitamento. Vida Espiritual Organiza um fim-de-semana centrado no desenvolvimento de um relacionamento pessoal com Deus. Este deve ser um acontecimento com tarefas divididas pelos participantes. Fazer o lançamento dos padrinhos espirituais (incluir toda a igreja ). Isto pode ser feito por escolha, por sorteio,... pelo que a tua imaginação ditar. O objectivo é cada padrinho poder contribuir para o aumento da vida espiritual de cada jovem. Dia de oração Abre um trimestre com um dia inteiro baseado na oração do Pai nosso como está relatado em Mateus 6. Escolhe músicas, uma decoração especial que realce a oração e os princípios que Cristo instruiu. Convida toda a comunidade a assistir a este dia especial de celebração da oração. (Jovens de outras denominações a oração cria pontes). O Banco de orações Coloca uma caixa à entrada da tua igreja, de forma a que os membros possam depositar aí os seus motivos de oração. Lembra-lhes que os jovens terão a oportunidade de juntar as suas vozes, pedindo a Deus resposta em ugestões de actividades retiradas do manual da Conferência Geral 2001 Ano da Renovação. Unidade A Página 2 de 5

15 Espiritual A24 U-DEB A25 A26 A27 U-DEB A28 A29 Juventude Adventista DEBRAVADORE igreja, a nível pessoal. Pode ser o acompanhamento de um idoso (mesmo por carta), explicações a uma criança em idade escolar, preparação da comida para alguém... Unidade A - de A24 a A29 Maratona de oração Informar a igreja de que os jovens estarão num longo período (12 ou 24 horas) em oração, estarão continuamente em ligação ao céu. Convida a igreja a participar. Diversifica a forma de orar (pequenos grupos,de, 3, de 7, pessoas, individuais... / oração pelo canto...). Confissão do Rei Passa uma ou duas reuniões a estudar as orações de David, tal e qual podes encontrar no livro de almos. Mostra o quão similar é o relacionamento de David com Deus, no passado, e o nosso hoje às vezes alegre e jovial, bastantes vezes frustrante. Assinala que Davi continuou a orar, até nos tempos de angústia, irritação e tristeza. Operação limpeza Escolhe um fim-de-semana para encorajares os teus jovens a uma decisão de colocarem de lado os velhos pecados e sentimentos amargos que tolhem as suas vidas. Prega e conversa sobre o perdão e a natureza destrutiva da culpa. Convida todos a uma limpeza da alma e a um novo começo com Deus. Tiro ao alvo Convida cada jovem a escolher um adulto ou uma criança para ser o seu alvo de oração durante um mês. Encoraja a que se juntem de tempos a tempos para orarem juntos e reverem as necessidades e desafios que enfrentam, acertando a agenda de intercessão. Relatório No final do trimestre, organiza uma reunião pública, onde cada jovem apresentará um Espiritua l A30 A31 A32 A33 A34 tempos de dificuldades. Isto aumentará a atenção dos teus jovens em relação às necessidades dos outros. Unidade A - de A30 a A34 O Deus misterioso Propomos que comeces um trimestre com uma reunião em que tenhas um convidado surpresa, escondido e, por diversas pistas, por ti fornecidas, os jovens devem-no poder identificar. Podem ser feitas perguntas, para juntar a informação. Pode ser realizada, com fotografias destorcidas por computador... Relaciona isso com os ensinamentos sobre o Espírito anto invisível mas bem real. Dons Espirituais Um fim-de-semana passado no meio da natureza é excelente para trabalhares na identificação dos dons espirituais de cada jovem. Desenvolve acções de forma a que cada um aperfeiçoe os seus dons. Certificate de que todos os põem em prática, dentro e fora da igreja. Esforço de equipa Cria grupos de acção com jovens que tenham identificado os seus dons. Trabalha projectos em conjunto com e para a igreja. Este é uma boa iniciativa para deitares uma olhadela aos departamento mais parados e fracos da tua igreja. Quadro do poder Faz um jornal mural, onde são relatadas as acções dos jovens, com o poder e ajuda do Espírito anto. Utiliza fotografias, textos... que mostrem os jovens exercendo os seus dons espirituais. Dia do Espirito anto Organiza um domingo de limpezas na tua igreja e espaços envolventes. A ideia é estabelecer um paralelo com o trabalho do Espírito anto no coração, onde as coisas do velho homem e cheias de pecado são removidas. Trabalho duro? im. Mas o ugestões de actividades retiradas do manual da Conferência Geral 2001 Ano da Renovação. Unidade A Página 3 de 5

16 Juventude Adventista DEBRAVADORE Espiritual pequeno relatório sobre o que aprendeu durante o trimestre. Realça o trabalho de Deus nas suas vidas como resultado de um melhoramento da sua vida pessoal de oração. resultado é muito bonito e agradável. Certifica-te que o grupo faz a ligação. A35 Espalhando o fogo Motiva os membros do teu grupo para se unirem a organizações civis humanitárias da tua comunidade (Banco alimentar contra a fome / Liga dos Amigos do hospital... / AA) e a partilharem os seus dons com os outros. Espiritua l A39 Unidade A - de A39 a A41 A36 A37 A38 Unidade A - de A35 a A38 Estafetas (Adaptação do A3 para Tições) Programa a reescrita de um livro Bíblico durante um determinado tempo (trimestre, p/ex.)num espaço reservado em cada reunião. Uma variante poderá ser a reescrita de uma história onde, até os tições que ainda não sabem escrever, podem participar na sua ilustração. Outra poderá ser a selecção de episódios da vida de Jesus ou de outras personagens mencionadas e a elaboração de uma banda desenhada ou de um Novo Testamento ilustrado. Os livros deverão integrar a Biblioteca do clube, para futura consulta. Temas Activos No espaço reservado à meditação, abordem temas espirituais, tendo como suporte um jogo ou um trabalho manual que não só motive a participação dos Tições como também facilite a sua compreensão e memorização. Poderão acompanhar-se ou ilustrar-se as meditações concretizando as ideias expostas através da realização de experiências com diferentes materiais e produtos. A40 A41 Encontros Promove encontros com pessoas que viveram grandes experiências com Deus, onde se escutem testemunhos vivos da acção de Deus e se dialogue. Os encontros poderão também ocorrer com personagens do passado (personagens bíblicas, Ellen White, um valdense, etc) sendo interessante que quem as represente se vista a rigor. Maior aliciante será o facto de serem os Tições a ir ao encontro da pessoa em causa. Por isso devem escolher-se locais de encontro variados. Caminhada Musical Organiza uma caminhada pela Natureza, na qual todos devem procurar elementos (naturais) que lembrem um cântico / hino. Abordado o assunto, canta-se o cântico / hino no local. Tribunal De quando em vez simula a realização de um julgamento onde um Tição hipotético é acusado de ter tomado determinada atitude. Escolha-se um advogado de acusação e um de defesa. Os restantes farão de jurados, debatendo no final as razões subjacentes às suas decisões. Lista Bíblica (Manuseio da Bíblia) Forneça-se a cada unidade uma lista de versículos bíblicos onde sejam referidos objectos ou coisas da natureza (consoante o local onde se desenvolva a actividade). Os Tições deverão partir, na posse de uma Bíblia, à procura dos elementos referidos na lista. Exs: -Mateus 22:19; João 13:5; ofonias 1:12;... ugestões de actividades retiradas do manual da Conferência Geral 2001 Ano da Renovação. Unidade A Página 4 de 5

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

Excursionista Nome: Unidade: Geral 1. Ter no mínimo 14 anos de idade. Cole aqui sua copia de identidade. Excursionista. Desbravador Unidade 1

Excursionista Nome: Unidade: Geral 1. Ter no mínimo 14 anos de idade. Cole aqui sua copia de identidade. Excursionista. Desbravador Unidade 1 Excursionista Nome: Unidade: Geral 1. Ter no mínimo 14 anos de idade. Cole aqui sua copia de identidade 2. Ser membro ativo do Clube de Desbravadores. Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez R

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

Lição 9 Completar com Alegria

Lição 9 Completar com Alegria Lição 9 Completar com Alegria A igreja estava cheia. Era a época da colheita. Todos tinham trazido algo das suas hortas, para repartir com os outros. Havia muita alegria enquanto as pessoas cantavam louvores

Leia mais

Unidade 1: A Bíblia: Um Guia de Sobrevivência e Vitória A Bíblia é como uma Semente: Ela pode ser Plantada em meu Coração

Unidade 1: A Bíblia: Um Guia de Sobrevivência e Vitória A Bíblia é como uma Semente: Ela pode ser Plantada em meu Coração Unidade 1: A Bíblia: Um Guia de Sobrevivência e Vitória A Bíblia é como uma Semente: Ela pode ser Plantada em meu Coração Para as crianças de 7 e 8 anos, este trimestre inicia enfatizando o Fruto, do Crescimento.

Leia mais

Introdução: Satisfazendo a fome espiritual 05

Introdução: Satisfazendo a fome espiritual 05 Sumário Introdução: Satisfazendo a fome espiritual 05 Série 1: Lidando com o Estresse Estresse 1: Novos lugares, Novas situações estressantes 12 Estresse 2: O sonho impossível 18 Estresse 3: No calor do

Leia mais

Multiplicação de Células

Multiplicação de Células Multiplicação de Células O objetivo principal da Célula Sub-metas: 1. Definir uma Data 2. Aumentar a presença de Deus 3. Levantar um novo Líder 4. Firmar novos membros 5. Encontrar um novo Anfitrião Multiplicar

Leia mais

JOVENS COM UMA MISSÃO JOCUM ARACAJU PROJETO INTERCESSÃO INTERCESSORES E GRUPOS DE INTERCESSÃO

JOVENS COM UMA MISSÃO JOCUM ARACAJU PROJETO INTERCESSÃO INTERCESSORES E GRUPOS DE INTERCESSÃO JOVENS COM UMA MISSÃO JOCUM ARACAJU PROJETO INTERCESSÃO INTERCESSORES E GRUPOS DE INTERCESSÃO Miss. Gustavo Lima Silva (Beréu) & Wanessa S. B. Santos Silva (Brasil) Recife, 2010. SUMÁRIO INTRODUÇÃO...

Leia mais

Dons Espirituais. A maior causa de nossa fraqueza espiritual como um povo é a falta de fé real nos dons espirituais. (Review and Herald 14/08/1868).

Dons Espirituais. A maior causa de nossa fraqueza espiritual como um povo é a falta de fé real nos dons espirituais. (Review and Herald 14/08/1868). Dons Espirituais Por que é importante conhecer o tema? Somos admoestados a conhecê-los. (I Corintios 12:1). Somos motivados a usá-los. (I Timóteo 4:10). Somos responsáveis pelo uso. (I Pedro 4:10). A maior

Leia mais

Conhecer, sentir e viver a Floresta

Conhecer, sentir e viver a Floresta Projeto de Sensibilização e Educação da População Escolar Conhecer, sentir e viver a Floresta 2011-12 Floresta, Fonte de Vida Guia das Atividades - - Dia de S. Martinho, Castanhas e Castanheiros - Dia

Leia mais

UMA ESCOLA SABATINA MISSIONÁRIA

UMA ESCOLA SABATINA MISSIONÁRIA UMA ESCOLA SABATINA MISSIONÁRIA Uma das principais funções da Escola Sabatina é levar os membros a cumprirem a missão. Desde o início, havia uma clara certeza de sua função missionária: Há, na Escola Sabatina,

Leia mais

PRÓLOGO. #21diasdeamor. DEUS É AMOR 1 João 4:8

PRÓLOGO. #21diasdeamor. DEUS É AMOR 1 João 4:8 PRÓLOGO DEUS É AMOR 1 João 4:8 Quando demonstramos amor, estamos seguindo os passos de Jesus. Ele veio para mostrar ao mundo quem Deus é. Da mesma maneira, temos a missão de mostrar ao mundo que Deus é

Leia mais

Programa das Especialidades dos DESBRAVADORES da JA

Programa das Especialidades dos DESBRAVADORES da JA Programa das Especialidades dos DESBRAVADORES da JA 1 - Filosofia e normas de funcionamento 1. As especialidades visam o despertar de vocações e o desenvolvimento harmonioso das faculdades dos DESBRAVADORES.

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

UNIDADE 2: APRENDENDO A BRILHAR

UNIDADE 2: APRENDENDO A BRILHAR Frutos-3 Impact0 LIÇÃO 9 VIVENDO A VIDA COM DEUS 9-11 Anos UNIDADE 2: APRENDENDO A BRILHAR FÉ EMAÇÃO Neste Trimestre, as crianças aprenderão sobre Graça, Crescimento e Mutualidade. Esses aspectos serão

Leia mais

ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO

ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO ANOTAÇÕES Como Planejar Um Culto Sensível Aos Não-crentes INTRODUÇÃO Uma das características do ministério de Jesus é que ele atraía muitas pessoas A Bíblia diz que "Numerosas

Leia mais

Sempre Abundantes. IDE Curso E1 - Células. Lição 6 Multiplicando a sua célula

Sempre Abundantes. IDE Curso E1 - Células. Lição 6 Multiplicando a sua célula Sempre Abundantes IDE Curso E1 - Células Multiplicando a sua célula Vídeo: não desista agora! 2 Que lições aprendemos com este vídeo? Grupos de 4 a 6 pessoas Conversem sobre o vídeo e formulem duas lições

Leia mais

Juniores aluno 7. Querido aluno,

Juniores aluno 7. Querido aluno, Querido aluno, Por acaso você já se perguntou algumas destas questões: Por que lemos a Bíblia? Suas histórias são mesmo verdadeiras? Quem criou o mundo? E o homem? Quem é o Espírito Santo? Por que precisamos

Leia mais

Você foi criado para tornar-se semelhante a Cristo

Você foi criado para tornar-se semelhante a Cristo 4ª Semana Você foi criado para tornar-se semelhante a Cristo I- CONECTAR: Inicie o encontro com dinâmicas que possam ajudar as pessoas a se conhecer e se descontrair para o tempo que terão juntas. Quando

Leia mais

Disciplina de Leitura Pessoal Manual do Aluno David Batty

Disciplina de Leitura Pessoal Manual do Aluno David Batty Disciplina de Leitura Pessoal Manual do Aluno David Batty Nome Data de início: / / Data de término: / / 2 Leitura Pessoal David Batty 1ª Edição Brasil As referências Bíblicas usadas nesta Lição foram retiradas

Leia mais

IGREJA PENTECOSTAL DO EVANGELHO PLENO Ministério de Avivamento Mundial Maranatha

IGREJA PENTECOSTAL DO EVANGELHO PLENO Ministério de Avivamento Mundial Maranatha TREINAMENTO DE PROFESSORES DA ESCOLA BÍBLICA INFANTIL Provérbios 22: 6 Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele. Objetivos da EBD Infantil: A EBD infantil

Leia mais

Obedecer a Deus, Honrar aos pais e viver bem!

Obedecer a Deus, Honrar aos pais e viver bem! Obedecer a Deus, Honrar aos pais e viver bem! Obedecer. Palavra fácil de entender, mas muitas vezes difícil de colocar em prática. Principalmente quando não entendemos ou concordamos com a orientação dada.

Leia mais

Estudo Bíblico Colossenses Guia do Líder Por Mark Pitcher. LIÇÃO 1 SUA MAIOR PRIORIDADE - Colossenses 3:1-4

Estudo Bíblico Colossenses Guia do Líder Por Mark Pitcher. LIÇÃO 1 SUA MAIOR PRIORIDADE - Colossenses 3:1-4 Estudo Bíblico Colossenses Guia do Líder Por Mark Pitcher Os quatro estudos a seguir tratam sobre a passagem de Colossenses 3:1-17, que enfatiza a importância de Jesus Cristo ter sua vida por completo.

Leia mais

Lição 8 Trabalhar com Líderes

Lição 8 Trabalhar com Líderes Lição 8 Trabalhar com Líderes Já havia mais de um ano que o António se tornara membro da sua igreja. Ele tinha aprendido tanto! Começou a pensar nos líderes da igreja que o tinham ajudado. Pensava naqueles

Leia mais

DICAS DA COORDENADORA ESTADUAL DE JCA

DICAS DA COORDENADORA ESTADUAL DE JCA DICAS DA COORDENADORA ESTADUAL DE JCA Queridas irmãs, é com temor e tremor que estou diante deste desafio do trabalho junto a JCA, mas sei que quem nos capacita é o Senhor da obra; certo de contar com

Leia mais

JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO

JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO ORIENTAÇÕES BÁSICAS JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO JPEG é Jovens em Pequenos Grupos. A nova identidade dos pequenos grupos para jovens. NECESSIDADE DE ORGANIZAÇÃO DA IGREJA PEQUENOS GRUPOS Pequenos grupos

Leia mais

Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015]

Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015] 1 Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015] Página 9 Na ilustração, Jesus está sob a árvore. Página 10 Rezar/orar. Página 11 Amizade, humildade, fé, solidariedade,

Leia mais

VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE

VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE Versão adaptada de Eugénio Sena para Wir Bauen Eine Stadt de Paul Hindemith 1. MARCHA (Entrada) Uma cidade nossa amiga Não queremos a cidade antiga. Nós vamos pensar tudo de

Leia mais

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

igreja UMA em 4 estações

igreja UMA em 4 estações igreja UMA em 4 estações OS ESTÁGIOS DA VIDA DA CÉLULA Lideres saudáveis já compreenderam que é necessário mais do que um templo para o desenvolvimento sadio de uma comunidade cristã. A celebração no templo

Leia mais

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança.

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança. Radicais Kids Ministério Boa Semente Igreja em células Célula Especial : Dia Das mães Honrando a Mamãe! Principio da lição: Ensinar as crianças a honrar as suas mães. Base bíblica: Ef. 6:1-2 Texto chave:

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL ESCOLA DOMINICAL FEITA PRA MIM E PRA VOCÊ

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL ESCOLA DOMINICAL FEITA PRA MIM E PRA VOCÊ GINCANA ESCOLA DOMINICAL Para comemorar o Dia da Escola Dominical, o Departamento Nacional de Escola Dominical, desenvolveu esta gincana para envolver toda a igreja local. Tema da Gincana: Escola Dominical

Leia mais

Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei

Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei O velho testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas e verdadeiras.

Leia mais

COMO SE PREPARA UMA REPORTAGEM i DICAS PARA PREPARAR UMA REPORTAGEM

COMO SE PREPARA UMA REPORTAGEM i DICAS PARA PREPARAR UMA REPORTAGEM COMO SE PREPARA UMA REPORTAGEM i DICAS PARA PREPARAR UMA REPORTAGEM Ver, ouvir, compreender e contar eis como se descreve a reportagem, nas escolas de Jornalismo. Para haver reportagem, é indispensável

Leia mais

Conselho Missionário da Igreja. O que é? Como organizar?

Conselho Missionário da Igreja. O que é? Como organizar? Conselho Missionário da Igreja O que é? Como organizar? O que é? Como organizar? É o agente da Missão é o Corpo de Cristo e o comprometimento da Igreja surge a partir da oração, estudo dos princípios bíblia

Leia mais

SECRETARIA GERAL DO TRABALHO MASCULINO TEMA: "Sacerdócio Real".

SECRETARIA GERAL DO TRABALHO MASCULINO TEMA: Sacerdócio Real. SECRETARIA GERAL DO TRABALHO MASCULINO TEMA: "Sacerdócio Real". "José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto a fonte; seus galhos se estendem sobre o muro." Gen. 49:22 UPH EM AÇÃO Sugestão para programações

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE VOUZELA PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL 2014/2015 Designação da Formação Toxicodependências Programa de Respostas Integradas As Crianças Marcam a Diferença! Natação 1º Ciclo Prolongamento de Horário

Leia mais

Junho 2007 nº4 MENSAGEM DO PRESIDENTE Olá Viva A edição da nossa revista O Ambúzio de Junho 2007 é um convite a uma visita às nossas Praia da Barra e da Costa Nova, e um desafio para que continues a participar

Leia mais

Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender.

Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. 2009-2010 Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. Paulo Freire 1 ÍNDICE Introdução... 3 Objectivos... 3 Actividades... 3 Localização... 4 Horário provável de funcionamento...

Leia mais

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal Personal Commitment Guide Guia de Compromisso Pessoal Nome da Igreja ou Evento Nome do Conselheiro Telefone 1. Salvação >Você já atingiu um estágio na vida em que você tem a certeza da vida eterna e que

Leia mais

MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37

MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37 MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37 1 1. Objetivos: Ensinar que quando Moisés aproximou-se de Deus, os israelitas estavam com medo. Ensinar que hoje em dia, por causa de Jesus, podemos nos sentir perto de Deus

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

Jardim Zoológico Centro Pedagógico

Jardim Zoológico Centro Pedagógico N.º 9 2008 111 (111-115) Jardim Zoológico Centro Pedagógico Vera Sequeira * [ vera_lia@netcabo.pt ] 1. Introdução Se no seu início, os zoos eram meras exposições de animais, museus vivos repletos de curiosidades,

Leia mais

Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2

Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2 Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2 Fases do método PHAST... 3 1. Técnica: Historias Comunitárias... 4 2. Técnica: Enfermeira Felicidade... 5 3. Técnica: Mapeamento comunitário... 6

Leia mais

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica OBLATOS ORIONITAS linhas de vida espiritual e apostólica Motivos inspiradores da oblação orionita laical O "carisma" que o Senhor concede a um fundador, é um dom para o bem de toda a Igreja. O carisma

Leia mais

Perguntas que não querem calar & Respostas que todos querem ouvir

Perguntas que não querem calar & Respostas que todos querem ouvir Perguntas que não querem calar & Respostas que todos querem ouvir Participe você também... 1 Qual a diferença entre Clube de Jovens, Sociedade de Jovens, Departamento Jovem e Ministério Jovem? Ministério

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação DEPARTAMENTO: Pré-Escolar PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES - PROPOSTA DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO - 2010 / 2011 Coordenador(a):

Leia mais

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA Nestes últimos anos tem-se falado em Catequese Renovada e muitos pontos positivos contribuíram para que ela assim fosse chamada. Percebemos que algumas propostas

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL SUGESTÃO DE CELEBRAÇÃO DE NATAL 2013 ADORAÇÃO Prelúdio HE 21 Dirigente: Naqueles dias, dispondo-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, entrou na casa de Zacarias e saudou

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

GRUPOS. são como indivíduos, cada um deles, tem sua maneira específica de funcionar.

GRUPOS. são como indivíduos, cada um deles, tem sua maneira específica de funcionar. GRUPOS são como indivíduos, cada um deles, tem sua maneira específica de funcionar. QUANTOS ADOLESCENTES A SUA CLASSE TEM? Pequenos (de 6 a 10 pessoas) Médios ( de 11 pessoa a 25 pessoas) Grandes ( acima

Leia mais

Programa de Incentivo à Leitura Infantil Revista EBD Aprender+ 1º Tri 2016: O Ministério de Jesus

Programa de Incentivo à Leitura Infantil Revista EBD Aprender+ 1º Tri 2016: O Ministério de Jesus O PIL KIDS foi desenvolvido para ajudar na fixação das lições das revistas EBD infantil da Editora Betel de forma lúdica e contém várias atividades semanais elaboradas dentro de uma perspectiva e linguagem

Leia mais

1 Criação de uma bolsa anual de árvores para oferta

1 Criação de uma bolsa anual de árvores para oferta Floresta Comum, Qual o objectivo principal do Floresta Comum? O objectivo? O Floresta Comum, é um programa de incentivo à reflorestação com a floresta autóctone portuguesa. Para a concretização deste objectivo,

Leia mais

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros DEUS SE REVELA ATRAVÉS DOS OUTROS Ser Marista com os outros: Experimentar caminhos de vida marista comunitariamente INTRODUÇÃO

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

Lição. Versículo Bíblico "Seja forte e corajoso". Josué 1:7 (NVI)

Lição. Versículo Bíblico Seja forte e corajoso. Josué 1:7 (NVI) FRUTOS-1 Descoberta Lição 12 4-6 Anos C rescimento e Mutualidade são os "Frutos" enfatizados para as crianças de 4 a 6 anos nesse currículo. Nós começamos aprendendo que a Bíblia é o melhor livro da Terra

Leia mais

Centro de Desenvolvimento Infantil Estimulopraxis

Centro de Desenvolvimento Infantil Estimulopraxis Centro de Desenvolvimento Infantil Estimulopraxis Janeiro de 2013 Este documento tem como objectivo ajudar as pessoas mais próximas do GB a complementar o trabalho executado ao longo das sessões de Reabilitação

Leia mais

plano anual de educação ambiental

plano anual de educação ambiental plano anual de educação ambiental 2009/2010 complexo de educação ambiental da quinta da gruta PROGRAMA FAMÍLIAS Grelha Resumo por Sector Sector Rios/Espaços Verdes Animais Dias comemorativos Férias Datas

Leia mais

Um de seus principais objetivos como professor(a) da Escola Dominical é incentivar os jovens a aprender como estudar

Um de seus principais objetivos como professor(a) da Escola Dominical é incentivar os jovens a aprender como estudar Atividades de Aprendizado Atividades para as aulas da Escola Dominical APRENDIZADO do EVANGELHO Um de seus principais objetivos como professor(a) da Escola Dominical é incentivar os jovens a aprender como

Leia mais

LIÇÃO 5 Outros Dons de Serviço: (Parte 1) Ministrar, Ensinar, Exortar

LIÇÃO 5 Outros Dons de Serviço: (Parte 1) Ministrar, Ensinar, Exortar LIÇÃO 5 Outros Dons de Serviço: (Parte 1) Ministrar, Ensinar, Exortar Terminámos o nosso estudo dos quatro dons a que chamámos dons de serviço. Embora a lista de Efésios 4 indique cinco dons, considerámos

Leia mais

Cartão de aspirante a líder de Aventureiros

Cartão de aspirante a líder de Aventureiros Orientações Gerais 1. CANDIDATO: O Candidato a Líder poderá iniciar os requisitos da Classe após receber uma recomendação escrita da comissão da sua igreja. 2. PROVA: Todo candidato a Líder deverá fazer

Leia mais

Desafio para a família

Desafio para a família Desafio para a família Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da espiritualidade. O sonho de Deus para a família é que seja um

Leia mais

PROJETO FAZENDO ARTE ESPÍRITA

PROJETO FAZENDO ARTE ESPÍRITA 1. IDENTIFICAÇÃO PROJETO FAZENDO ARTE ESPÍRITA Elaborado pelos jovens, participantes da COJEDF de 2004 Executante: Diretoria de Infância e Juventude/DIJ da Federação Espírita do Distrito Federal/FEDF Previsão

Leia mais

Ser Voluntário. Ser Solidário.

Ser Voluntário. Ser Solidário. Ser Voluntário. Ser Solidário. Dia Nacional da Cáritas 2011 Colóquio «Ser Voluntário. Ser Solidário». Santarém, 2011/03/26 Intervenção do Secretário Executivo do CNE, João Teixeira. (Adaptada para apresentação

Leia mais

Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016

Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016 Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016 Aos dezanove dias do mês de Setembro de dois mil e quinze realizou-se em Fátima, na Casa Nossa Senhora do Carmo, o encontro de apresentação

Leia mais

Lição 01 O propósito eterno de Deus

Lição 01 O propósito eterno de Deus Lição 01 O propósito eterno de Deus LEITURA BÍBLICA Romanos 8:28,29 Gênesis 1:27,28 Efésios 1:4,5 e 11 VERDADE CENTRAL Deus tem um propósito original e eterno para minha vida! OBJETIVO DA LIÇÃO Que eu

Leia mais

MISSÃO PAÍS. Manual da Missão País

MISSÃO PAÍS. Manual da Missão País MISSÃO PAÍS Manual da Missão País Introdução Nos dias de hoje, quando ouvimos falar de missão, pensamos logo em acções de voluntariado em países subdesenvolvidos onde é preciso todo o tipo de ajuda para

Leia mais

SECRETARIADO FRATERNO NACIONAL DA JUFRA DO BRASIL

SECRETARIADO FRATERNO NACIONAL DA JUFRA DO BRASIL SECRETARIADO FRATERNO NACIONAL DA JUFRA DO BRASIL R. Homem de Melo, 80 Cambeba, Fortaleza - CE CEP: 60.841-605 Saudações de paz e Bem irmãos e irmãs da Juventude Franciscana do Brasil. Espero por meio

Leia mais

INFORMAÇÕES PARA RECEBER UMA EQUIPE DE EVANGELISMO DA ESCOLA MISSIONÁRIA DE FÉRIAS (EMF)

INFORMAÇÕES PARA RECEBER UMA EQUIPE DE EVANGELISMO DA ESCOLA MISSIONÁRIA DE FÉRIAS (EMF) INFORMAÇÕES PARA RECEBER UMA EQUIPE DE EVANGELISMO DA ESCOLA MISSIONÁRIA DE FÉRIAS (EMF) Olá Pastor (a) / Amigo (a) de Missões. A JOCUM Jovens Com Uma Missão, situada em Campinas apresenta nesse informativo

Leia mais

Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16

Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16 Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16 Índice Introdução. 3 1. Apresentação geral.... 4 2. Os CPM no seio da Igreja......5 3. Os animadores.....7 4. O papel do Assistente Espiritual... 8 5. A equipa

Leia mais

Lição 3 O Plano de Deus Para os Obreiros

Lição 3 O Plano de Deus Para os Obreiros Lição 3 O Plano de Deus Para os Obreiros O António estudou as razões por que os crentes da Igreja primitiva se reuniam. Observou que muitos tipos de necessidades reuniam os crentes a necessidade de ensino,

Leia mais

Programa de Incentivo à Leitura Infantil Revista EBD Aprender+ 4º Tri 2015: A Vida de Jesus

Programa de Incentivo à Leitura Infantil Revista EBD Aprender+ 4º Tri 2015: A Vida de Jesus O PIL KIDS foi desenvolvido para ajudar na fixação das lições das revistas EBD infantil da Editora Betel de forma lúdica e contém várias atividades semanais elaboradas dentro de uma perspectiva e linguagem

Leia mais

REQUESITOS PARA AS CLASSES DE LIDERANÇA JOVEM

REQUESITOS PARA AS CLASSES DE LIDERANÇA JOVEM CARTÃO LÍDER J.A. REQUESITOS PARA AS CLASSES DE LIDERANÇA JOVEM As classes de Liderança Jovem são oferecidas a Jovens Adventistas batizados com mais de 16 anos de idade. Cada nível de liderança deve ser

Leia mais

GEMAS BÍBLICAS AVALIAÇÕES GEMAS PROVA PROVA 2 PROVA 3 PROVA 4 PROVA 5 PROVA 6 PROVA 7 PROVA 8

GEMAS BÍBLICAS AVALIAÇÕES GEMAS PROVA PROVA 2 PROVA 3 PROVA 4 PROVA 5 PROVA 6 PROVA 7 PROVA 8 EDUCANDO PARA JESUS MATERIAL AUXILIAR CLASSE INSTRUTOR DT.TAREFA ANO Nº TAREFA AMIGO 07 GEMAS BÍBLICAS AVALIAÇÕES GEMAS PROVA PROVA 2 PROVA 3 PROVA 4 PROVA 5 PROVA 6 PROVA 7 PROVA 8 1 MARÇO ABRIL MAIO

Leia mais

CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de Vale de Ovil Escola Básica e Secundária do Vale de Ovil Código 345702 CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação é qualitativa e contínua com o objectivo de reconhecer

Leia mais

Edição 2014/2015 Clube de Kung Fu Hong Long Todos os direitos reservados

Edição 2014/2015 Clube de Kung Fu Hong Long Todos os direitos reservados Edição 2014/2015 Clube de Kung Fu Hong Long Todos os direitos reservados GUIA DO PRATICANTE O presente Guia é um primeiro contacto com o programa de ensino das artes marciais chinesas promovido pelo Clube

Leia mais

6 Estimular a Criatividade

6 Estimular a Criatividade OZARFAXINARS N.2 DEZEMBRO 2005 121 6 Estimular a Criatividade Como aspecto menos valorizado pela Escola, a criatividade pode estimular novas formas de o jovem se relacionar com o mundo, desenvolvendo atitudes

Leia mais

5º. Dia 3 de Março. Enxergando a vida do ponto de vista dedeus. Que é a sua vida? Tiago 4.14b; nvi

5º. Dia 3 de Março. Enxergando a vida do ponto de vista dedeus. Que é a sua vida? Tiago 4.14b; nvi 5º. Dia 3 de Março Enxergando a vida do ponto de vista dedeus Que é a sua vida? Tiago 4.14b; nvi Nós não vemos as coisas como são, mas como nós somos.anaïs Nin O modo de você enxergar sua vida molda sua

Leia mais

TIMOR LESTE. O PESO DA ORAÇÃO DOS JUSTOS! Tema. Peso e balança justos pertencem ao Senhor Provérbios 16:11a Versículo Chave

TIMOR LESTE. O PESO DA ORAÇÃO DOS JUSTOS! Tema. Peso e balança justos pertencem ao Senhor Provérbios 16:11a Versículo Chave 70 TIMOR LESTE O PESO DA ORAÇÃO DOS JUSTOS! Tema Peso e balança justos pertencem ao Senhor Provérbios 16:11a Versículo Chave PÁIS ALVO No Timor Leste as pessoas são muito acolhedoras, sempre com um sorriso,

Leia mais

Lição Três. Falando com Deus. (Aprendendo a Orar) QUE É A ORAÇÃO

Lição Três. Falando com Deus. (Aprendendo a Orar) QUE É A ORAÇÃO Livro 1 página 20 Lição Três Falando com Deus (Aprendendo a Orar) QUE É A ORAÇÃO Definição: A oração é simplesmente falar com Deus e escutá-lo. É como ter uma conversa com um bom amigo. Que Privilégio!

Leia mais

1º Domingo de Agosto Primeiros Passos 02/08/2015

1º Domingo de Agosto Primeiros Passos 02/08/2015 1º Domingo de Agosto Primeiros Passos 02/08/2015 JESUS ESTÁ COMIGO QUANDO SOU DESAFIADO A CRESCER! OBJETIVO - Saber que sempre que são desafiados a crescer ou assumir responsabilidades, Jesus está com

Leia mais

COMPETÊNCIA AÇÕES ESTRATÉGICAS

COMPETÊNCIA AÇÕES ESTRATÉGICAS Planejamento Estratégico da UFMBB para o ano de 2012 Ênfase: Desafiadas a ser padrão de integridade Tema: Ser como Cristo - meu ideal Divisa: "Assim brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam

Leia mais

Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS

Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS Um bom plano de divulgação deverá assegurar que todos os envolvidos estão a par do que está a ser proposto e do que irá acontecer

Leia mais

VIGÍLIA DE LOUVOR JOVEM

VIGÍLIA DE LOUVOR JOVEM VIGÍLIA DE LOUVOR JOVEM Se espera de uma v i g í l i a jo v e m um bom planejamento, divulgação, objetivo e um tema definido acertando em cheio o objetivo proposto no planejamento da vigília. Em uma vigília

Leia mais

Programa 7ASR de Especialização em Liderança Jovem. Programação

Programa 7ASR de Especialização em Liderança Jovem. Programação Sexta a Noite Programa 7ASR de Especialização em Liderança Jovem Programação Entendendo os jovens Adventistas de hoje; Trabalhando com mentes universitárias; Sábado de manhã Como liderar a geração que

Leia mais

C A R T Ã O L Í D E R J. A. Este documento não substitui o Cartão de Classes de Líder Jovem da Divisão Sul Americana

C A R T Ã O L Í D E R J. A. Este documento não substitui o Cartão de Classes de Líder Jovem da Divisão Sul Americana C A R T Ã O L Í D E R J. A. Este documento não substitui o Cartão de Classes de Líder Jovem da Divisão Sul Americana CLASSES DE LIDERANÇA JOVEM As classes de Liderança Jovem são oferecidas a jovens Adventistas,

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

Como Estudar a Bíblia

Como Estudar a Bíblia Como Estudar a Bíblia Caderno de Estudos Por David Batty Estudos em Grupo Para Novos Cristãos 2 Direitos Reservados 2003 Comitê Acadêmico do Teen Challenge Internacional, EUA. Todos os direitos, incluindo

Leia mais

GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA. As profissões. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor

GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA. As profissões. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor As profissões Introdução Preparação da visita A Casa Inacabada é um dos espaços que faz parte da exposição

Leia mais

Secretaria Regional para as Atividades Regionais. Atividades Regionais, oportunidades educativas sensacionais! ABERTURA REGIONAL DO ANO ESCUTISTA

Secretaria Regional para as Atividades Regionais. Atividades Regionais, oportunidades educativas sensacionais! ABERTURA REGIONAL DO ANO ESCUTISTA Secretaria Regional para as Atividades Regionais Atividades Regionais, oportunidades educativas sensacionais! ABERTURA REGIONAL DO ANO ESCUTISTA 2013 Não tenhas medo Atividades Regionais, oportunidades

Leia mais

Despertando campeões espirituais! Escola Sabatina Estreito/2015

Despertando campeões espirituais! Escola Sabatina Estreito/2015 Despertando campeões espirituais! Escola Sabatina Estreito/2015 É preciso lançar desafios para despertar o campeão espiritual que existem dentro de cada coração. Professor: Unidos no amor divino, conduziremos

Leia mais

RECAPITULANDO... MATEUS 28:18-20

RECAPITULANDO... MATEUS 28:18-20 MÓDULO 1 RECAPITULANDO... MATEUS 28:18-20 18 Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. 19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os

Leia mais

Plano de Acção de Núcleo 2009/2011

Plano de Acção de Núcleo 2009/2011 Pl de Acção de 2009/2011 «Nas Pegadas de Paulo Criamos Caminhos» CNE Douro Sul 1 Introdução «Nas Pegadas de Paulo» Queremos criar um claro espírito de patrulha, rica pela diversidade de opiniões, idades

Leia mais

Construir uma estratégia

Construir uma estratégia Aula 7 Construir uma estratégia Construindo um Percurso - Programa de Empreendedorismo para o 3º Ciclo do Ensino Básico - Aula 7 - Página: 1 / 21 Programa de Empreendedorismo para o 3º Ciclo do Ensino

Leia mais

Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017

Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017 Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017 O presente documento tem como objetivo apresentar, os valores, as linhas orientadoras, a estratégia e o plano

Leia mais

Ação 1 Foral andante o que eu escrevo, o que tu lês

Ação 1 Foral andante o que eu escrevo, o que tu lês Ação 1 Foral andante o que eu escrevo, o que tu lês Criar ambientes de partilha; Proporcionar momentos de incentivo à leitura e ao relevo das ilustrações; Facilitar e promover a criatividade e imaginação;

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Arruda Dos Vinhos PLANO DE ACTIVIDADES CENTRO DE RECURSOS

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Arruda Dos Vinhos PLANO DE ACTIVIDADES CENTRO DE RECURSOS EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Arruda Dos Vinhos PLANO DE ACTIVIDADES CENTRO DE RECURSOS 2006 / 2009 Setembro 2006 PROJECTO DE TRABALHO DO CENTRO DE RECURSOS - 2006/09 PLANO NACIONAL DE LEITURA Identificação

Leia mais

AS CONEXÕES. QUEBRA GELO: Cite o nome de uma pessoa que mais te influenciou na vida. Comente como essa pessoa é, e explique como te influenciou.

AS CONEXÕES. QUEBRA GELO: Cite o nome de uma pessoa que mais te influenciou na vida. Comente como essa pessoa é, e explique como te influenciou. Lição 4 AS CONEXÕES QUEBRA GELO: Cite o nome de uma pessoa que mais te influenciou na vida. Comente como essa pessoa é, e explique como te influenciou. VERSO DA SEMANA: Sim, qualquer que seja o tipo de

Leia mais