Ações das agências de defesa do consumidor para a promoção da alimentação saudável adequada e solidária

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ações das agências de defesa do consumidor para a promoção da alimentação saudável adequada e solidária"

Transcrição

1 Ações das agências de defesa do consumidor para a promoção da alimentação saudável adequada e solidária Manuela Dias Nutricionista I Seminário Estadual Rede-SANS Agosto/2012 Águas de Lindóia, SP

2 Agenda: Proteste: quem somos e o que fazemos Resultados de testes realizados pela Proteste Principais temas levantados pela Proteste

3 Quem somos? A Proteste é uma entidade civil sem fins lucrativos, apartidária e economicamente independente. É a maior entidade de defesa do consumidor da América Latina, com 250 mil membros ativos.

4 Missão Promover a defesa dos consumidores Prover a melhor decisão de compra para o nosso associado Contribuir para melhorar as relações de consumo na sociedade Visão Ser referência na defesa e conscientização do consumidor

5 Cooperação Internacional: Membro da Euroconsumers (Bélgica, Espanha, Itália e Portugal), Consumers International e ICRT (International Consumer Research and Testing).

6 O que fazemos? Realização de testes e textos informativos Participações em audiências, painéis setoriais, consultas públicas, reuniões, debates e fóruns de interesse do consumidor Serviço de orientação ao associado Organização de seminários anuais e temáticos Elaboração de guias, cartilhas e folderes (...)

7 Como são feitos nossos testes? Não é função da PROTESTE fiscalizar ou certificar e sim COMPARAR!

8 Como são feitos nossos testes? Base: ISO GUIDE 46:1985 (Comparative Testing of Consumer Products and Related Services) Escolha dos produtos testados: Sugestões de associados, consumidores em geral e de profissionais da área Compra dos produtos: Consumidor comum Transporte: Cuidado com as temperaturas e condições dos alimentos até a chegada nos laboratórios

9 Como são feitos nossos testes? Laboratórios: Credenciados, acreditados e independentes Análises: Rotulagem, físico-químicas, microbiológicas, macro e microscópicas, moleculares, sensoriais Resultados das Análises: Interpretação e avaliação segundo leis, normas, consensos científicos nacionais e internacionais

10 Como são feitos nossos testes? Apresentação dos resultados: 1) Teste comparativo: após rigorosa avaliação dos resultados, cada parâmetro é classificado em uma escala ( muito bom, bom, aceitável, regular e ruim ) e os produtos recebem uma nota final (0-100). Além disso, são dados os títulos de Melhor do Teste e Escolha Certa 2) Teste de segurança: não há título. Resultado na forma de número ou conceito

11 Teste comparativo de Palmito (Ago/2012)

12 Teste de segurança: Gordura trans (Julho/2012)

13 Como são feitos nossos testes? Envio de resultados: fabricantes recebem os resultados do seu produto antes da publicação do teste.

14 Onde publicamos?

15 Onde publicamos? Revista Proteste: 176 textos alimentares 34 foram textos frios (caráter informativo) 17 testes de segurança 125 testes comparativos Revista Proteste Saúde: 11 textos alimentares 4 textos frios 6 testes de segurança 1 teste comparativo

16 Onde publicamos? Site: todo o conteúdo da revista, além de testes e textos exclusivos para este canal

17 Agenda: Proteste: quem somos e o que fazemos Resultados de testes realizados pela Proteste Principais temas levantados pela Proteste

18 Resultados dos testes Cenário geral problemas mais comuns: Rotulagem: data de fabricação; validade após abertura Excesso de sódio, gordura e açúcar Aditivos químicos desnecessários ou em excesso Fragmentos de insetos

19 Resultados dos testes Água mineral 20L(Proteste Nº 95): Produtos contaminados com P. aeruginosa Feijão carioca (Proteste Nº 101) Problemas na classificação vegetal Higiene de restaurantes tipo self-service (Proteste Nº 102) 20% das amostras com coliformes a 45ºC 6% B. cereus

20 Resultados dos testes Leite fermentado (Proteste Nº 102) Contagem de bactérias lácteas inferior ao estabelecido pela legislação Tortas e quiches congelados (Proteste Nº 105) Apenas 1 produto sem gordura trans Frozen Yogurt (site) Ausência de legislação e baixa contagem de bactérias lácteas

21 Resultados dos testes Achocolatado em pó (Proteste Nº107) Sacarose varia de 40 a 80% Fubá (Proteste Nº114) 4 produtos com teor de ferro e 5 com teor de ácido fólico abaixo do limite legal Pesticidas em hortaliças (Proteste Saúde Nº1) 7,5% com resíduos dentro do limite estabelecido por lei e 32,5% com resíduos acima do limite ou não autorizados para uso na cultura

22 Resultados dos testes Teor de sódio nos alimentos (Proteste Saúde Nº03) 154 produtos testados. 46% dos alimentos testados tem alto teor de sódio. Transgênicos (Proteste Saúde Nº06) 8 produtos com mais de 2% de ingredientes transgênicos sem a identificação no rótulo.

23 Resultados dos testes Teor de açúcar nos alimentos (Proteste Saúde Nº09) 95 produtos testados. Apenas 6 com baixo teor de açúcar, mas com edulcorantes artificiais em sua composição. Teor de gordura trans nos alimentos (Proteste Saúde Nº10) 53 produtos testados. 68% não tem gordura trans em sua composição.

24 Publicamos o teste, e agora? Quando necessário, notificamos os organismos fiscalizadores e legisladores. Aguardamos o posicionamento destes organismos e nos colocamos à disposição para discussões técnicas.

25 Agenda: Proteste: quem somos e o que fazemos Resultados de testes realizados pela Proteste Principais temas levantados pela Proteste

26 Principais temas levantados pela Proteste Redução de sódio nos alimentos industrializados Benzeno em refrigerantes Caramelo 4 em refrigerantes de cola Publicidade de alimentos Corantes e edulcorantes em alimentos para crianças

27 Principais temas levantados pela Proteste Redução de sódio nos alimentos industrializados - Participação nos Seminários promovidos pelo MS - Crítica ao pacto

28 Principais temas levantados pela Proteste Benzeno em refrigerantes - Teste realizado em 2009: 7 refrigerantes com benzeno - Acordo do MPF/MG e indústrias até 5 anos - Redução para 5µg/L

29 Principais temas levantados pela Proteste Corante Caramelo 4-4 metilmidazol (4MI) substância potencialmente cancerígena - Brasil: maior quantidade, segundo pesquisa americana - Substituição do corante

30 Principais temas levantados pela Proteste Publicidade de alimentos - Suspensão da RDC N 24/2010

31 Os alertas a seguir, seriam veiculados nas peças publicitárias (televisão, internet, material impresso, etc.): "O (nome/ marca comercial do alimento) contém muito açúcar e, se consumido em grande quantidade, aumenta o risco de obesidade e de cárie dentária". "O (nome/ marca comercial do alimento) contém muita gordura saturada e, se consumida em grande quantidade, aumenta o risco de diabetes e de doença do coração". O (nome/ marca comercial do alimento) contém muita gordura trans e, se consumida em grande quantidade, aumenta o risco de doenças do coração". "O (nome/ marca comercial do alimento) contém muito sódio e, se consumido em grande quantidade, aumenta o risco de pressão alta e de doenças do coração".

32

33 Principais temas levantados pela Proteste Aditivos alimentares - Amarelo tartrazina, amarelo crepúsculo, eritrosina, vermelho 40, azul brilhate, benzoato de sódio - Glutamato monossódico - Nitrito de sódio - Incentivo à alimentos in natura ou pouco processados

34 Finalizando... A opinião do consumidor!

35 Objetivo: Percepção do Consumidor sobre a Qualidade dos Alimentos Entender os anseios e analisar a percepção dos consumidores em relação à qualidade dos alimentos vendidos no Brasil. Metodologia: - N=1216 (erro amostral 2,9%) - Questionário online, através do software Perfect Forms - Tabulação e análise dos dados no software SPSS - Período de aplicação do questionário: 27/07/2011 a 07/08/2011

36 Deixe aqui sua opinião sobre os alimentos vendidos no Brasil e o que gostaria que melhorasse: Já melhorou bastante mas acho que isso depende do consumidor querer fiscalizar. 1. Consciência da população em reclamar; 2. Eficiência dos órgãos de controle (ANVISA, Vigilâncias Sanitárias Municipais e Estaduais); 3. Diminuição dos teores de sal, açúcar e aditivos nos alimentos." A fiscalização sanitária deve ser mais efetiva e isenta de interesses das grandes corporações, visando o bem estar das pessoas. Acho importantíssimo que se reduzam as quantidades de sal, açúcar e gordura nos alimentos e que haja mais responsabilidade, mais fiscalização, principalmente para os alimentos destinados às crianças (muito corante, muita gordura, etc.). Gostaria que houvesse mais fiscalização nos supermercados em relação a armazenamento e temperaturas dos alimentos.

37 Acho que apresentam qualidade satisfatória, havendo, contudo, diferenças em função do tipo de alimento e da marca. As embalagens deveriam trazer informações mais compatíveis com o baixo nível de educação da maioria dos consumidores. Acho que falta mais divulgação que permita o consumidos saber o que está comprando, o que são transgênicos, light, diet, orgânicos e quais as vantagens e desvantagens. Acho que os alimentos industrializados estão com teor de sal cada vez mais alto, gordura e açúcar nem se fala, e o brasileiro come mal cada vez mais, aumentando assim o numero de pessoas com doenças cardíacas e obesas. Acho que o país está bem servido em termos de alimentos. A questão maior é preço/imposto, que dificulta o acesso a maior parte da população.

38

39 Obrigada pela atenção!

ROTULAGEM DE ALIMENTOS

ROTULAGEM DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS Profª Ana Paula F. Bernardes Silva A QUEM COMPETE MINISTÉRIO DA SAÚDE: Produtos de origem animal; Vegetais e cereais (grãos) in natura; Bebidas e vinagre; Mel. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA:

Leia mais

Testes comparativos no Brasil e a influência no consumo seguro. São Paulo Seminário Internacional Consumo Seguro

Testes comparativos no Brasil e a influência no consumo seguro. São Paulo Seminário Internacional Consumo Seguro Testes comparativos no Brasil e a influência no consumo seguro São Paulo Seminário Internacional Consumo Seguro QUEM É A PRO TESTE? Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, totalmente independente,

Leia mais

A experiência Pro Teste em Testes Comparativos de Produtos. São Paulo Outubro de 2006

A experiência Pro Teste em Testes Comparativos de Produtos. São Paulo Outubro de 2006 A experiência Pro Teste em Testes Comparativos de Produtos São Paulo Outubro de 2006 QUEM É A PRO TESTE? Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, totalmente independente, e completamente mantida

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. Penna) Determina a impressão de advertência em rótulos e embalagens de alimentos, medicamentos e cosméticos que contenham os corantes sintéticos, acerca de seus respectivos

Leia mais

Ensaios para a Segurança de Equipamentos Elétricos de Consumo

Ensaios para a Segurança de Equipamentos Elétricos de Consumo III ESW Brasil 2007 Seminário Internacional de Engenharia Elétrica na Segurança do Trabalho Ensaios para a Segurança de Equipamentos Elétricos de Consumo Alessandra Macêdo Pro Teste Associação Brasileira

Leia mais

Sucos industrializados: melhor substituto aos refrigerantes?

Sucos industrializados: melhor substituto aos refrigerantes? Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO Centro de Ciências Biológicas e da Saúde CCBS Escola de Nutrição EN Departamento de Tecnologia de Alimentos DTA PPGAN Programa de Pós-graduação em

Leia mais

NOTA TÉCNICA SPEIS/VISA nº 02/2015

NOTA TÉCNICA SPEIS/VISA nº 02/2015 Prefeitura Municipal de Salvador- PMS Secretaria Municipal de Saúde- SMS Diretoria de Vigilância á Saúde- DVIS Subcoordenação de Vigilância Sanitária- VISA Setor de Produtos e Serviços de Interesse á Saúde-

Leia mais

Palavras-chave Rotulagem de alimentos, consumidores, supermercados, hipermercados

Palavras-chave Rotulagem de alimentos, consumidores, supermercados, hipermercados Avaliação do hábito de leitura pelos consumidores de rótulos de alimentos e bebidas comercializados em supermercados e hipermercados na região metropolitana de Belo Horizonte Marina Celle BRANDÃO 1, Wemerson

Leia mais

Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes

Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes Faculdade de Gastronomia AÇÚCAR Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes No singular açúcar, refere-se à sacarose proveniente da cana-de-açúcar e beterraba No plural açúcares diz respeito aos vários

Leia mais

ISO/IEC 17050-1. Avaliação da conformidade Declaração de conformidade do fornecedor Parte 1: Requisitos gerais

ISO/IEC 17050-1. Avaliação da conformidade Declaração de conformidade do fornecedor Parte 1: Requisitos gerais QSP Informe Reservado Nº 42 Janeiro/2005 ISO/IEC 17050-1 Avaliação da conformidade Declaração de conformidade do fornecedor Parte 1: Requisitos gerais Tradução livre especialmente preparada para os Associados

Leia mais

Vigilância Sanitária de. Saneantes

Vigilância Sanitária de. Saneantes Vigilância Sanitária de Saneantes Gerência-Geral Geral de Saneantes Curitiba, junho de 2013 BASE LEGAL PARA REPRESSÃO AOS SANEANTES CLANDESTINOS Art. 2º - Somente poderão extrair, produzir, fabricar, transformar,

Leia mais

VI ENEL CAMPINA GRANDE Regulamento Técnico de Rotulagem de Produto de Origem Animal Embalado

VI ENEL CAMPINA GRANDE Regulamento Técnico de Rotulagem de Produto de Origem Animal Embalado MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUPERINTENDÊNCIA FEDERAL DE AGRICULTURA NA PARAÍBA SERVIÇO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS VI ENEL CAMPINA GRANDE Regulamento Técnico de Rotulagem

Leia mais

5ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL

5ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL 5ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL COMIDA DE VERDADE NO CAMPO E NA CIDADE: POR DIREITOS E SOBERANIA ALIMENTAR Os Conselhos Federal e Regionais de Nutricionistas (CFN/CRN), atendendo

Leia mais

Os Alimentos e os Consumidores. Porto Alegre

Os Alimentos e os Consumidores. Porto Alegre Os Alimentos e os Consumidores Sezifredo Paulo Alves Paz 7 Novembro de 2008 Porto Alegre Fórum Nacional das Entidades Entidades Civis de Defesa do Consumidor Criado em 1998 20 associações em 13 estados

Leia mais

Segurança de Alimentos: visão e legislação

Segurança de Alimentos: visão e legislação S & S Consultoria Implementação em Sistemas de Gestão da Segurança de Alimentos Segurança de Alimentos: visão e legislação Nut. Dra. Sabrina Bartz Introdução O mundo tem 7 bilhões de pessoas e a garantia

Leia mais

Rotulagem de alimentos embalados. Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO

Rotulagem de alimentos embalados. Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO Rotulagem de alimentos embalados Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO Rotulagem É toda inscrição, legenda, imagem ou toda matéria

Leia mais

ALERTA AOS CONSUMIDORES: Fique atento com os suplementos alimentares!

ALERTA AOS CONSUMIDORES: Fique atento com os suplementos alimentares! ALERTA AOS CONSUMIDORES: Fique atento com os suplementos alimentares! Pílula natural para emagrecimento, Quer perder peso agora?, Produto anticatabólico, Promove o ganho de massa muscular, Combate o envelhecimento

Leia mais

Rotulagem de Alergênicos em Alimentos e Bebidas

Rotulagem de Alergênicos em Alimentos e Bebidas Rotulagem de Alergênicos em Alimentos e Bebidas Resolução ANVISA/RDC Nº 26 DE 02/07/2015 Tendências e Estrutura do Setor de Sorvete SINDSORVETE /MG Magda Regina Gonçalves de Paula Ferreira 04 de dezembro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

ANEXO REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE COMPOSTO LÁCTEO

ANEXO REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE COMPOSTO LÁCTEO ANEXO REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE COMPOSTO LÁCTEO 1. ALCANCE 1.1. OBJETIVO: estabelecer a identidade e os requisitos mínimos de qualidade que deve atender o produto Composto

Leia mais

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo?

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

(Apenso 5.674, de 2013)

(Apenso 5.674, de 2013) COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI N o 5.469, DE 2013 (Apenso 5.674, de 2013) Dispõe sobre a obrigatoriedade e da especificação de calorias dos alimentos comercializados, em cardápios de restaurantes

Leia mais

PROCEDIMENTO POP XX RECOLHIMENTO DE ALIMENTOS CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO REGISTRO DAS REVISÕES

PROCEDIMENTO POP XX RECOLHIMENTO DE ALIMENTOS CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO REGISTRO DAS REVISÕES PÁGINA: 1 de 7 CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO ÁREA/SETOR Nº DE CÓPIAS REGISTRO DAS REVISÕES N.º REVISÃO DATA ALTERAÇÃO SUGERIDA POR: 00 Emissão inicial do documento - ELABORADO POR: Assinatura: Data: REVISADO

Leia mais

1 Objetivos. 2 Categorias de Certificação do SAQ. 3 - Taxa de registro para produtores. 4 Requisitos para Certificação Selo ABIS

1 Objetivos. 2 Categorias de Certificação do SAQ. 3 - Taxa de registro para produtores. 4 Requisitos para Certificação Selo ABIS 1 Objetivos O presente documento estabelece as competências que um organismo de certificação da Gestão da Segurança de Alimentos, conforme a norma ABNT NBR ISO 22000:2006, deve atender para obter e manter

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RDC N 24, DE 8 DE JUNHO DE 2015

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RDC N 24, DE 8 DE JUNHO DE 2015 AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RDC N 24, DE 8 DE JUNHO DE 2015 Dispõe sobre o recolhimento de alimentos e sua comunicação à Anvisa e aos consumidores. A Diretoria Colegiada

Leia mais

uso in vitro são aceitos os seguintes documentos como comprovação do cumprimento das Boas Práticas de Fabricação e Controle:

uso in vitro são aceitos os seguintes documentos como comprovação do cumprimento das Boas Práticas de Fabricação e Controle: 1. Vamos registrar um contador hematológico. Gostaríamos de saber como registrar os reagentes de uso exclusivo para ele (tampão de diluição, solução de limpeza, lisante). Como devemos classificar estes

Leia mais

Classificação dos corantes caramelos II, III e IV e dos demais corantes autorizados para uso em alimentos.

Classificação dos corantes caramelos II, III e IV e dos demais corantes autorizados para uso em alimentos. Informe Técnico n. 68, de 3 de setembro de 2015. Assunto: Classificação dos corantes caramelos II, III e IV e dos demais corantes autorizados para uso em alimentos. 1. Introdução A Gerência Geral de Alimentos

Leia mais

V FÓRUM EMPRESARIAL DO MERCOSUL

V FÓRUM EMPRESARIAL DO MERCOSUL Alessandro C. S. Ferreira Diretor Corporativo Comercial e Inovação V FÓRUM EMPRESARIAL DO MERCOSUL Competitividade e Inovação no Setor de Biotecnologia e Saúde 1. Fatores de Competitividade 2. Mercado

Leia mais

Ficha de informação de segurança de produto químico (FISPQ) DETERGENTE NEUTRO MALTEX

Ficha de informação de segurança de produto químico (FISPQ) DETERGENTE NEUTRO MALTEX Ficha de informação de segurança de produto químico (FISPQ) 01/06 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto:. Aplicação: Utilizado para limpeza manual de louças e remoção de resíduos de

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Política de Alimentação e Nutrição _ Nutrição e Vigilância Sanitária de Alimentos _ Ana Virgínia de Almeida Figueiredo Ana Virgínia de Almeida Figueiredo Gerente de Inspeção e Controle de Riscos de Alimentos

Leia mais

PNV Divulgação de Boas Práticas. Rede de Frio. Ana Paula Abreu

PNV Divulgação de Boas Práticas. Rede de Frio. Ana Paula Abreu PNV Divulgação de Boas Práticas Rede de Frio Dezembro 2011 Ana Paula Abreu S. Farmacêuticos A efectividade e a segurança das vacinas dependem também das suas condições de transporte, de conservação e de

Leia mais

2. DIREITOS DO CONSUMIDOR DE ALIMENTOS

2. DIREITOS DO CONSUMIDOR DE ALIMENTOS 5ª. REUNIÃO DA COMISSÃO PAN-AMERICANA DE INOCUIDADE DOS ALIMENTOS (COPAIA) Rio de Janeiro, Brasil, 10 de junho de 2008 Tema 3 da Agenda Provisória COPAIA 5/3 (Port.) 9 de junho de 2008 ORIGINAL: ESPANHOL

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: SACAROSE - Código interno de identificação do produto: S1002 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios Ltda - Endereço:

Leia mais

Considerando a necessidade de estabelecer a identidade e a qualidade dos produtos de cervejaria destinados ao consumo humano;

Considerando a necessidade de estabelecer a identidade e a qualidade dos produtos de cervejaria destinados ao consumo humano; MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 54, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2001 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, SUBSTITUTO DO MINISTÉRIO DA

Leia mais

Regulamentação da Rotulagem de Alimentos Alergênicos. Consulta Pública 29/2014

Regulamentação da Rotulagem de Alimentos Alergênicos. Consulta Pública 29/2014 Regulamentação da Rotulagem de Alimentos Alergênicos Consulta Pública 29/2014 Histórico - contexto regulatório interno Revisão do regulamento de rotulagem geral no MERCOSUL: Solicitada pelo Brasil em 2009

Leia mais

A ROTULAGEM AMBIENTAL NO CONTEXTO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL

A ROTULAGEM AMBIENTAL NO CONTEXTO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL A ROTULAGEM AMBIENTAL NO CONTEXTO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL Diego Castro 1 Selene Castilho 2 Silvia Miranda 3 Artigo elaborado em maio/2004 Nas últimas décadas, verificou-se no cenário mundial o desenvolvimento

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC Nº. 18, DE 27 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas.

RESOLUÇÃO - RDC Nº. 18, DE 27 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas. RESOLUÇÃO - RDC Nº. 18, DE 27 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o inciso IV

Leia mais

Regulamento das Unidades do Centro Paula Souza

Regulamento das Unidades do Centro Paula Souza Regulamento das Unidades do Centro Paula Souza 1. Cronograma Geral 2. Participação Período / 2013 03 de abril a 05 de maio Etapas Inscrição dos Projetos no site (www.feteps.com.br) Etecs e Fatecs 18 de

Leia mais

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo?

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011. Amanda Poldi

O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011. Amanda Poldi O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011 Amanda Poldi CRIANÇA-DEFINIÇÃO LEI 11.265/2006 CRIANÇA: indivíduo até 12 (doze) anos de idade incompletos; CRIANÇA DE PRIMEIRA

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE CAPACITAÇÃO DE MERENDEIRAS DO MUNICÍPIO DE SALGUEIRO-PE, NA MODALIDADE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA

PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE CAPACITAÇÃO DE MERENDEIRAS DO MUNICÍPIO DE SALGUEIRO-PE, NA MODALIDADE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE CAPACITAÇÃO DE MERENDEIRAS DO MUNICÍPIO DE SALGUEIRO-PE, NA MODALIDADE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA EDITAL Nº 05/2013 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

factos e mitos ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS

factos e mitos ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS factos e mitos ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS FACTO: Os estudos disponíveis não permitem concluir que o consumo de bebidas refrescantes não alcoólicas (independentemente

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 343, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2005.

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 343, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2005. ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 343, DE 13 DE DEZEMBRO

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIMICO - FISPQ Página 1 de 8 1. Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: Cera Cinderela - Código interno de identificação do produto: LP 001 - Produto Notificado na ANVISA / MS: - Nome da empresa: POLICLEAN

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: DODECILSULFATO DE SÓDIO - Código interno de identificação do produto: D1014 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios

Leia mais

TECNOLOGIA DE PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL

TECNOLOGIA DE PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA E SOLOS TECNOLOGIA DE PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL Prof.: Daniel M. Tapia T. O que é alimento? Substância ou mistura de substâncias

Leia mais

* Rótulos dos Alimentos. Equipe: Divair Doneda, Vanuska Lima, Clevi Rapkiewicz, Júlia S. Prates

* Rótulos dos Alimentos. Equipe: Divair Doneda, Vanuska Lima, Clevi Rapkiewicz, Júlia S. Prates * Rótulos dos Alimentos * A preservação ou conservação refere-se às formas de modificação dos alimentos e das bebidas a fim de que eles se mantenham adequados para consumo humano por mais tempo......,

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: SULFATO DE ALUMÍNIO E POTÁSSIO - Código interno de identificação do produto: S1049 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios

Leia mais

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS 1. Introdução As Boas Práticas Nutricionais constituem-se um importante instrumento para a modificação progressiva da composição nutricional

Leia mais

DESINCRUSTANTE TEK-210 Limpador Desincrustante de Sujidades Carbonizadas LEIA ATENTAMENTE O RÓTULO ANTES DE USAR O PRODUTO USO INSTITUCIONAL

DESINCRUSTANTE TEK-210 Limpador Desincrustante de Sujidades Carbonizadas LEIA ATENTAMENTE O RÓTULO ANTES DE USAR O PRODUTO USO INSTITUCIONAL DESINCRUSTANTE TEK-210 Limpador Desincrustante de Sujidades Carbonizadas LEIA ATENTAMENTE O RÓTULO ANTES DE USAR O PRODUTO USO INSTITUCIONAL Propriedades: DESINCRUSTANTE TEK-210 é um poderoso limpador

Leia mais

Profa Tânia Maria Leite da Silveira

Profa Tânia Maria Leite da Silveira Profa Tânia Maria Leite da Silveira Como o consumidor adquire informações sobre os alimentos? Conhecimento da família Educação Mídia Publicidade Rotulagem Importância da rotulagem Informações corretas

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL PARA ROTULAGEM AMBIENTAL FALCÃO BAUER ECOLABEL BRASIL

PROCEDIMENTO GERAL PARA ROTULAGEM AMBIENTAL FALCÃO BAUER ECOLABEL BRASIL 1. Introdução O Falcão Bauer Ecolabel é um programa de rotulagem ambiental voluntário que visa demonstrar o desempenho ambiental de produtos e serviços através da avaliação da conformidade do produto com

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO. que acompanha o documento. Proposta de

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO. que acompanha o documento. Proposta de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 27.3.2014 SWD(2014) 119 final DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO que acompanha o documento Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: CORANTE CARAMELO CER Página: (1 of 8) ATENçÃO: Leia atentamente esta Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico (FISPQ) antes

Leia mais

LEI Nº 7.043, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007

LEI Nº 7.043, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007 LEI Nº 7.043, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007 Publicada no DOE(Pa) de 09.10.07. Dispõe sobre Política Estadual para a Promoção do Uso de Sistemas Orgânicos de Produção Agropecuária e Agroindustrial. Lei: A ASSEMBLÉIA

Leia mais

PAC 11. Controle da matéria-prima, ingredientes e material de embalagens

PAC 11. Controle da matéria-prima, ingredientes e material de embalagens PAC 11 Página 1 de 8 PAC 11 Controle da matéria-prima, ingredientes e material de embalagens PAC 11 Página 2 de 8 1. Objetivo----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------03

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: TIOCIANATO DE AMÔNIO - Código interno de identificação do produto: T1012 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios Ltda

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL OBRIGATORIEDADE

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL OBRIGATORIEDADE FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Os artigos 578 e 579 da CLT preveem que as contribuições devidas aos sindicatos, pelos que participem das categorias econômicas ou profissionais ou das profissões liberais representadas

Leia mais

Sistemas de Gestão da Segurança Alimentar

Sistemas de Gestão da Segurança Alimentar Sistemas de Gestão da Segurança Alimentar 29 de Setembro de 2006 Rui Almeida ralmeida@consulai.com Rastreabilidade Higiene e Segurança dos Suplementos Alimentares 29 de Setembro de 2006-1 Agenda Introdução

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: CLORETO DE OURO - Código interno de identificação do produto: C1111 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios Ltda -

Leia mais

Ficha de informação de segurança de produto químico (FISPQ) DESENGORDURANTE MALTEX.

Ficha de informação de segurança de produto químico (FISPQ) DESENGORDURANTE MALTEX. 01/05 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DO DISTRIBUIDOR Nome do produto: Desengordurante MALTEX. Aplicação: indicado para desengordurar e limpar superfícies em restaurantes, açougues, frigoríficos, peixarias,

Leia mais

a) preparado contendo uva (fruta) correspondente a um ingrediente característico:

a) preparado contendo uva (fruta) correspondente a um ingrediente característico: MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 18, DE 19 DE JUNHO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso das atribuições

Leia mais

Ambiente Produtos de Limpeza Ltda. FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

Ambiente Produtos de Limpeza Ltda. FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Produto: Limpa Vidros RCD Ambientare Página 1 de 5 1. Identificação do Produto e da Empresa PRODUTO Nome do Produto: Limpa Vidros RCD Ambientare Registro M.S. nº: Produto Notificado na Anvisa/MS nº 25351.210916/2005-30

Leia mais

(As informações aqui apresentadas são de caráter declaratório, podendo o texto final, ter formatação diferente)

(As informações aqui apresentadas são de caráter declaratório, podendo o texto final, ter formatação diferente) MODELO DE INSTRUÇÃO DE USO GUIA PONTA TROCATER (As informações aqui apresentadas são de caráter declaratório, podendo o texto final, ter formatação diferente) DESCRIÇÃO DO PRODUTO O Guia Ponta Trocater,

Leia mais

Etapas. Inscrição dos projetos no site - inserção do pré-projeto 01 de abril a 05 de maio. Divulgação dos projetos finalistas - 11 de junho

Etapas. Inscrição dos projetos no site - inserção do pré-projeto 01 de abril a 05 de maio. Divulgação dos projetos finalistas - 11 de junho Regulamento Etapas Inscrição dos projetos no site - inserção do pré-projeto 01 de abril a 05 de maio Divulgação dos projetos finalistas - 11 de junho Inserção dos resumos para publicação 21 de julho Inserção

Leia mais

Vigilância Sanitária de Alimentos. Ana Valéria de Almeida Carli Médica Veterinária Coordenadora do SIM-CURITIBA e Vigilância Sanitária de Alimentos

Vigilância Sanitária de Alimentos. Ana Valéria de Almeida Carli Médica Veterinária Coordenadora do SIM-CURITIBA e Vigilância Sanitária de Alimentos Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria Municipal da Saúde Centro de Saúde Ambiental Vigilância Sanitária de Alimentos Ana Valéria de Almeida Carli Médica Veterinária Coordenadora do SIM-CURITIBA e

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Queijo Regional do Norte ou Queijo Tropical de Uso Industrial, conforme anexo.

Art. 1º Aprovar o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Queijo Regional do Norte ou Queijo Tropical de Uso Industrial, conforme anexo. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 4 DE ABRIL DE 2002 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA,

Leia mais

Nome do Produto: Inseticida Granulado LANDREX PLUS FISPQ N-: 17 Página 1/5 Data da última revisão: 24.05.2015

Nome do Produto: Inseticida Granulado LANDREX PLUS FISPQ N-: 17 Página 1/5 Data da última revisão: 24.05.2015 Página 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Empresa fabricante: Landrin Indústria e Comércio de Inseticidas Ltda. Tel.: XX54-3330-9600 Informação em caso de emergência Tel.: 0800 707 0550 Tel.:

Leia mais

Relatório Mensal de Atividades

Relatório Mensal de Atividades Relatório Mensal de Atividades Março/2015 Divisão de Superação de Barreiras Técnicas do Inmetro Relatório de Atividades - Mar/2015 Sumário 1. Notificações Brasileiras... 1 2. Notificações Estrangeiras...

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE CORANTES NA INDÚSTRIA QUE PROCESSA BALAS, PIRULITOS E CHICLETES

UTILIZAÇÃO DE CORANTES NA INDÚSTRIA QUE PROCESSA BALAS, PIRULITOS E CHICLETES UTILIZAÇÃO DE CORANTES NA INDÚSTRIA QUE PROCESSA BALAS, PIRULITOS E CHICLETES Geisa Simplício de Oliveira PAZZOTI Docente UNILAGO AUTORES RESUMO A aceitação do produto alimentício pelo consumidor está

Leia mais

2. Existem actividades dentro do sector dos alimentos para animais que estejam isentas de registo ou aprovação?

2. Existem actividades dentro do sector dos alimentos para animais que estejam isentas de registo ou aprovação? PERGUNTAS MAIS FREQUENTES- ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. Que estabelecimentos carecem de registo ou aprovação no âmbito do sector dos alimentos para animais? Todos os estabelecimentos, em nome singular ou colectivo,

Leia mais

ADEQUAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO JUNTO AOS MANIPULADORES DE ALIMENTOS DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE GOIÂNIA - GO.

ADEQUAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO JUNTO AOS MANIPULADORES DE ALIMENTOS DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE GOIÂNIA - GO. ADEQUAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO JUNTO AOS MANIPULADORES DE ALIMENTOS DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE GOIÂNIA - GO. ZAGO, Márcio Fernando Cardoso 1 ; COUTO, Daiane Borges Sousa do 2 ; SILVEIRA, Nusa

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: ACETATO DE SÓDIO ANIDRO - Código interno de identificação do produto: A1014 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios

Leia mais

MANUFATURA PRODUTOS KING

MANUFATURA PRODUTOS KING PÁGINA 1 de 11 FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO TÍTULO ÓLEO DE PEROBA. Nº FISPQ 200001 1 IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA E DO PRODUTO Nome do produto: ÓLEO DE PEROBA. Nome da empresa: LTDA.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ipiranga do Norte

Prefeitura Municipal de Ipiranga do Norte Lei nº 400, de 21 de março de 2013. DISPÕE SOBRE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INSPEÇÃO MUNICIPAL - SIM DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL E VEGETAL NO MUNICIÍPIO DE IPIRANGA DO NORTE-MT E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

PORTARIA CVS 05 de 05 de fevereiro de 2010

PORTARIA CVS 05 de 05 de fevereiro de 2010 PORTARIA CVS 05 de 05 de fevereiro de 2010 Atualização do fluxo de notificações em farmacovigilância para os Detentores de Registro de Medicamentos no Estado de São Paulo e dá providências correlatas;

Leia mais

CFEM FÁCIL Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais

CFEM FÁCIL Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Fundação Estadual do Meio Ambiente FÁCIL Fundação Estadual do Meio Ambiente Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos - Sisema Secretaria

Leia mais

Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011

Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011 Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011 Dispõe sobre o regulamento técnico para fórmulas infantis para lactentes destinadas a necessidades dietoterápicas específicas e fórmulas infantis

Leia mais

LOTES 01- PERECÍVEIS FRIOS

LOTES 01- PERECÍVEIS FRIOS LOTES 0- PERECÍVEIS FRIOS 3 4 5 Lingüiça, do tipo calabresa, resfriada, industrialmente embalada, com SIF, embalagem plástica transparente atóxica não reciclada, contendo informações sobre o fabricante

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: TRIS PLUS CONCENTRADO Detergente Neutro. Fabricante: Quimiline Ind. e Com. Eireli.

Leia mais

FARMÁCIA BÁSICA MUNICÍPIO: UNIDADE DE SAÚDE: TERMO DE VISTORIA - AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS

FARMÁCIA BÁSICA MUNICÍPIO: UNIDADE DE SAÚDE: TERMO DE VISTORIA - AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS FARMÁCIA BÁSICA MUNICÍPIO: UNIDADE DE SAÚDE: TERMO DE VISTORIA - AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS Escolher aleatoriamente 0 medicamentos constantes da última aquisição realizada e comparar o preço de fábrica

Leia mais

AGENDA DA PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

AGENDA DA PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL AGENDA DA PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Ações do Ministério da Saúde Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição CGAN/ DAB / SAS Ministério da Saúde Encontro com Referências Estaduais de Alimentação

Leia mais

Consulta Pública nº 21/2013. Recolhimento de. Suzany Portal S. Moraes Gerência Geral de Alimentos. Brasília, 3 de abril de 2014.

Consulta Pública nº 21/2013. Recolhimento de. Suzany Portal S. Moraes Gerência Geral de Alimentos. Brasília, 3 de abril de 2014. Consulta Pública nº 21/2013 Recolhimento de Suzany Portal S. Moraes Gerência Geral de Alimentos Brasília, 3 de abril de 2014. Consulta Pública nº. 21/2013 Prazo para envio das contribuições: encerrado

Leia mais

3. A quem se aplica a RDC 67/2009? A todos os detentores de registro (inclusive cadastro) de produtos para a saúde sediados no Brasil.

3. A quem se aplica a RDC 67/2009? A todos os detentores de registro (inclusive cadastro) de produtos para a saúde sediados no Brasil. PERGUNTAS E RESPOSTAS RDC 67/2009 1. O que é a RDC 67/2009 e do que trata? É uma Resolução da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) que regulamenta a organização da tecnovigilância

Leia mais

DETERGENTE MAIS. Autorização ANVISA 3.03.374-7 Produto Notificado: 25351.164337/20029-29

DETERGENTE MAIS. Autorização ANVISA 3.03.374-7 Produto Notificado: 25351.164337/20029-29 01 de 12 Autorização ANVISA 3..374-7 Produto Notificado: 25351.164337/20029-29 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Detergente (Lava-Louças) Marca: Mais Código Interno do Produto:

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: ETILENOGLICOL - Código interno de identificação do produto: E1020 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios Ltda - Endereço:

Leia mais

Instrução Normativa MAPA 15/2009 (D.O.U. 28/05/2009)

Instrução Normativa MAPA 15/2009 (D.O.U. 28/05/2009) Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento BINAGRI - SISLEGIS Instrução Normativa MAPA 15/2009 (D.O.U. 28/05/2009) MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014.

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014. 1 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014.) D.O.U. de 22/09/2011 Dispõe sobre o regulamento técnico para fórmulas

Leia mais

REGRA DE CERTIFICAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES

REGRA DE CERTIFICAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES Página: 1/08 Elaborado por: Claudio Francisco Verificado por: Karen Martins Aprovado por: Arnaldo Barbulio Filho Data Aprovação: 22/07/13 OBJETIVO Esta Regra de Certificação estabelece os critérios utilizados

Leia mais

CONDIÇÕES DE RECEBIMENTO DE CARNES EM RESTAURANTE COMERCIAL NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA (RS) 1

CONDIÇÕES DE RECEBIMENTO DE CARNES EM RESTAURANTE COMERCIAL NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA (RS) 1 CONDIÇÕES DE RECEBIMENTO DE CARNES EM RESTAURANTE COMERCIAL NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA (RS) 1 MEDEIROS, Laissa Benites 2 ; NAISSINGER, Maritiele 2 ; PEREIRA, Larissa 2 ; SACCOL, Ana Lúcia de Freitas 2.

Leia mais

ANIS ENSINO RELIGIOSO

ANIS ENSINO RELIGIOSO ANIS ENSINO RELIGIOSO RESUMO EXECUTIVO PROSARE, ANO 2007 1. Instituição: Anis Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero CLSW 304, bloco B, sala 134, Brasília/DF, 70673-632. Endereço para correspondência:

Leia mais

ANVISA. Sistema de Tratamento e Distribuição de Água Tratada para Hemodiálise STDATH

ANVISA. Sistema de Tratamento e Distribuição de Água Tratada para Hemodiálise STDATH ANVISA Sistema de Tratamento e Distribuição de Água Tratada para Hemodiálise STDATH André Luiz Lopes Sinoti CINFS/GGTES/ANVISA Florianópolis - SC Novembro - 2010 Normas da ANVISA e do MS a serem observadas

Leia mais

Produto para proteger e dar brilho em superfícies de plástico e borrachas

Produto para proteger e dar brilho em superfícies de plástico e borrachas JohnsonDiversey Solubex 20 Produto para proteger e dar brilho em superfícies de plástico e borrachas Não deixa resíduos nem mela os pneus A formulação balanceada de Solubex 20 permite a aplicação do produto

Leia mais

A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO François E. J. de Bremaeker Luiz Estevam Gonçalves Rio de Janeiro fevereiro de 2015 A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo,

Leia mais

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome apresentação do programa Brasília, maio 2007 PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome ONAUR RUANO Secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional CRISPIM

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO Nº 39, DE 14 DE AGOSTO DE 2013

MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO Nº 39, DE 14 DE AGOSTO DE 2013 MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO Nº 39, DE 14 DE AGOSTO DE 2013 Dispõe sobre os procedimentos administrativos para concessão da Certificação de

Leia mais

ESCLARECIMENTOS SOBRE PH E CORROSIVIDADE EM PRODUTOS SANEANTES

ESCLARECIMENTOS SOBRE PH E CORROSIVIDADE EM PRODUTOS SANEANTES ESCLARECIMENTOS SOBRE PH E CORROSIVIDADE EM PRODUTOS SANEANTES ABIPLA / CRQ-IV 15/10/2007 Unicamp: 15-18 crianças/mês acidentadas com soda caústica. Faixa etária: 2-3 anos Cicatriz evolui para fechamento

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: SELENITO DE SÓDIO - Código interno de identificação do produto: S1005 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios Ltda

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA

MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO - RDC Nº 39, DE 14 DE AGOSTO DE 2013 DOU de 15/08/2013 [Página 50] Dispõe sobre os procedimentos administrativos

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 5/2014

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 5/2014 PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 5/2014 Dispõe sobre a reorganização da Rede Nacional de Certificação Profissional - Rede Certific. OS MINISTROS DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no

Leia mais