Abril Educação S.A. Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Abril Educação S.A. Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes"

Transcrição

1 Abril Educação S.A. Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes

2 ABRIL EDUCAÇÃO S.A. Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes ÍNDICE Página Relatório da Administração 1-11 Balanços patrimoniais Demonstrações do resultado 14 Demonstrações das mutações do patrimônio líquido 15 Demonstrações dos fluxos de caixa 16 Demonstrações do valor adicionado 17 Notas explicativas da administração às demonstrações financeiras Conselho de Administração e Diretoria 77 Relatório dos auditores independentes 78-79

3 Abril Educação Relatório da Administração 2011 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras da Abril Educação S.A. relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011, acompanhadas do Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras. As demonstrações financeiras consolidadas da Companhia foram preparadas conforme as práticas contábeis adotadas no Brasil emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPCs) e de acordo com os Padrões Internacionais de Demonstrações Financeiras (International Financial Reporting Standards (IFRS) emitidos pelo International Accounting Standards Board (IASB). As informações apresentadas nesse relatório apresentam consolidações distintas. O Sistema de Ensino e o Curso Preparatório Anglo foram adquiridos em julho de 2010; as Escolas e o Curso Preparatório ph, as Escolas Técnicas do Brasil (ETB), em abril de 2011 e o Sistema de Ensino Maxi em outubro de Os ativos dessas operações passaram a ser reconhecidos nas demonstrações financeiras consolidadas da Companhia a partir das respectivas datas de aquisição, influenciando a evolução do desempenho da Abril Educação do exercício de 2010 para o exercício de Informações adicionais sobre o desempenho operacional e financeiro estão disponíveis na internet, no site da Abril Educação, (www.abrileducacao.com.br/investidor), no site da CVM (www.cvm.gov.br) ou no site da BM&FBOVESPA (www.bovespa.com.br). Mensagem da Administração O ano de 2011 foi marcado por um progresso significativo nos negócios da Abril Educação. Avançamos de forma acelerada em direção aos nossos objetivos de crescimento com geração de valor através do aumento da abrangência de nossos negócios com um foco bem definido: uma contribuição relevante para a melhoria da qualidade da educação básica, essencial para o desenvolvimento socioeconômico do Brasil. Registramos receitas de R$ 772,1 milhões, 51% acima da receita de R$ 512,2 milhões auferida em O EBITDA de R$ 218,2 milhões representou um avanço de +113% em relação ao EBITDA de R$ 102,5 milhões registrado em Este valor de EBITDA inclui o impacto negativo do programa de opções de ações para executivos da Companhia instituído em 2011, no valor de R$ 13,7 milhões (sendo R$ 10,5 milhões sem efeito caixa). A margem EBITDA de 28% evoluiu oito pontos percentuais em relação à margem de 20% observada em O lucro líquido, por sua vez, mais que triplicou em relação ao observado em 2010, de R$ 14,4 milhões, alcançando R$ 48,3 milhões. A contabilização do lucro líquido foi impactada pela amortização da mais valia de intangíveis relacionadas às aquisições recentes (R$ 23,7 milhões) e pelo imposto de renda/contribuição social diferido do Anglo (R$ 14,2 milhões), referentes aos efeitos da amortização do seu ágio fiscal e reconhecimento do aproveitamento futuro dos seus prejuízos fiscais acumulados. Nenhum destes dois efeitos tem impacto sobre o caixa da companhia. Demos um salto relevante em 2011 ao abrirmos o capital na BMF&BOVESPA. A oferta inicial de ações (IPO) da Abril Educação, realizada em julho, nos proporcionou uma estrutura de capital prudente, sólida e bastante adequada às nossas ambições de crescimento. O lançamento bem sucedido de nossas ações 1

4 ocorreu apesar de um momento desafiador do mercado de capitais. Captamos R$ 371,1 milhões e, conforme previamente anunciado, decidimos reservar 67% desse valor para aquisições estratégicas. Nos oito meses entre a data do IPO da Abril Educação e o fechamento dos mercados no dia 20 de março de 2012, nossas ações valorizaram-se 34%, sobre o preço do fechamento do IPO, ante uma variação de 13% do Ibovespa no mesmo período, levando o valor de mercado da Companhia para R$ 2,0 bilhões naquela mesma data. Acreditamos que os excelentes resultados obtidos pela Companhia e seus acionistas em 2011 foram consequência: (a) da atenção dada ao desenvolvimento de nossos negócios com qualidade e eficiência; (b) da realização de aquisições de ativos de qualidade, complementares e sinérgicos, diversificando nossa base de receitas; (c) da integração bem sucedida dos negócios adquiridos; (d) da consistência de todas as ações da Companhia com sua estratégia focada no provimento de soluções de serviços e conteúdos para as escolas de ensino básico, onde se encontram regularmente matriculados cerca de 44 milhões de alunos no Brasil. Em relação ao foco no desenvolvimento dos negócios existentes, cumpre ressaltar o recorde das editoras Ática e Scipione, na entrega de 50,4 milhões de livros didáticos no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) do governo federal, que compra e distribui livros para todas as escolas públicas de nível básico do país. O resultado das editoras Ática e Scipione foi significativamente superior ao de seus principais concorrentes. Nossos livros didáticos chegaram a cerca de 126 mil escolas onde estão matriculados aproximadamente 30 milhões de alunos. Encerramos o ano de 2011 com 1,6 mil escolas e 462 mil alunos atendidos por nossos Sistemas de Ensino, um acréscimo de 565 escolas e 145 mil alunos em relação ao que servíamos ao final de 2010, devido ao impacto das aquisições e do crescimento orgânico de nossos negócios neste crescente segmento do setor de educação básica. O curso Anglo, localizado na cidade de São Paulo, e o colégio e curso ph, do Estado do Rio de Janeiro, continuaram a apresentar excelentes índices de aprovação nos concursos e vestibulares das melhores universidades, destacando-se em relação a todos os demais concorrentes em suas respectivas regiões de atuação. Encerramos 2011 tendo atendido nas salas de aula de nossas 16 unidades próprias, incluindo as quatro unidades da ETB, mais de 20 mil alunos, uma evolução de + 4 mil alunos em relação ao que atendemos em 2010, também devido ao forte crescimento orgânico e por meio de aquisições imprimido durante o ano. Em 2011 agregamos ao nosso portfólio novos negócios com alto potencial de crescimento e rentabilidade: O Grupo ph, formado pelo colégio ph e pelo curso preparatório para vestibulares ph, renomado grupo de ensino carioca, foi adquirido em abril. Esta aquisição nos permite aumentar nossa experiência e credenciais na oferta de soluções de qualidade para salas de aula de escolas clientes, além de nos dar uma marca de credibilidade para o lançamento de um sistema de ensino no Estado do Rio de Janeiro, segundo maior do país, com base nos conteúdos e serviços desenvolvidos pela Abril Educação e pelo corpo docente do Grupo ph. O controle da ETB - Escolas Técnicas do Brasil: A ETB foi a primeira iniciativa da Abril Educação na área do Ensino Técnico, visando um mercado de três mil escolas técnicas privadas do país, além 2

5 das cerca de escolas atendidas pelos sistemas de ensino básico da Companhia, para as quais planejamos vender serviços e material didático de ensino técnico; O sistema de ensino Maxi - que acrescentou 85 mil alunos ao nosso negócio e foi concluído em outubro. Essa aquisição se soma aos dois sistemas que já detínhamos: Anglo, referência no mercado de São Paulo, e SER, ambos com atuação em todo o território nacional, aumentando a massa crítica da Abril Educação neste segmento. A aquisição de 5,9% de participação no capital da Livemocha: empresa americana de ensino de idiomas online, serviço que pretendemos explorar em breve no Brasil em parceria com a matriz americana. Além disso, em fevereiro de 2012, adquirimos a Escola Satélite: empresa dedicada à elaboração, produção e coordenação de cursos telepresenciais, com ênfase na preparação de estudantes para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Essa operação visa agregar, ao nosso portfólio de negócios, serviços a distância de preparação para testes e concursos, assim como para cursos livres, de idiomas e técnicos. Acreditamos que essas aquisições reforçaram nossa plataforma de produtos e serviços, ampliando o nosso potencial de crescimento e impulsionando a diversificação das nossas receitas, ajudando a reduzir os efeitos das sazonalidades típicas do nosso negócio de livros didáticos. Foram também importantes os êxitos alcançados na bem-sucedida integração do sistema de ensino Anglo, da ETB e do Grupo ph, atestando nossa habilidade na incorporação de novas operações. No Anglo logramos imprimir taxas de crescimento tanto nos cursos preparatórios como no sistema de ensino que não eram observadas há cinco anos naqueles negócios. Geramos economias importantes nos custos industriais, logísticos e de direitos autorais, encerrando o ano de 2011 com resultados significativamente melhores do que os do ano de 2010, quando o Anglo foi adquirido. Fomos também capazes de, em poucos meses, executar o plano de lançamento do sistema de ensino ph para escolas privadas do Rio de Janeiro, levando-o em apenas dois meses de campanha a 37 novas escolas e 12 mil alunos. E com a expertise do Grupo ETB e o braço editorial da Companhia, juntamos forças para desenvolver um sistema de ensino técnico que está sendo apresentado às escolas clientes da Abril Educação a partir do mês de março de Em todas as empresas adquiridas fomos capazes de reter virtualmente 100% dos clientes e do talento adquirido, dando-lhes inclusive oportunidades e responsabilidades expandidas a fim de transferir as melhores práticas encontradas naquelas empresas para os demais negócios da Abril Educação. A melhoria significativa da rentabilidade do sistema de ensino SER se deveu, em grande parte, à transferência de melhores práticas do sistema de ensino Anglo. Acreditamos que a Abril Educação tem à sua frente atraentes avenidas de crescimento para percorrer, em uma indústria que movimenta estimados R$ 38 bilhões por ano, e que está em contínua expansão. É nosso objetivo reforçar ainda mais o nosso modelo de negócios, focado na base do sistema educacional brasileiro e na qualidade dos serviços ofertados, buscando assegurar crescimento orgânico consistente para os nossos negócios atuais e que venham a ser adquiridos no futuro, em linha com o que fomos capazes de fazer até o momento. Pretendemos continuar atentos às oportunidades de mercado que agreguem marcas fortes, metodologia pedagógica diferenciada e atuação regional significante à nossa Companhia. Da mesma forma, vamos continuar a nossa estratégia de identificar potenciais de crescimento por meio de ofertas complementares 3

6 de serviços, tais como cursos preparatórios para concursos e de idiomas, objetivando capturar sinergias adicionais e aprimorando eficiências. O Brasil universalizou o ensino fundamental, com 98% das crianças matriculadas na educação primária. A melhoria de renda, por sua vez, deverá levar a população brasileira a investir mais em educação e a cobrar mais pela qualidade do ensino oferecido. A melhoria da qualidade é um dos maiores desafios do Brasil para assegurar a sua própria competitividade econômica com desenvolvimento sustentável. Entendemos que esse é o nosso compromisso. E que este deve vir a ser também o nosso diferencial, como a maior empresa de educação básica no Brasil em receita, produção de conteúdo e serviços. Aspirarmos ser um dos agentes mais importantes da transformação para o ensino de qualidade pelo qual o Brasil necessita passar. Perfil Corporativo Uma das maiores companhias de educação com foco na educação básica e pré-universitária no Brasil, com marcas reconhecidas nacionalmente nos principais segmentos em que atua. As fontes de receitas são diversificadas, complementares, sinérgicas e capazes de atender todas as necessidades de conteúdo e serviços do ciclo educacional básico e pré-universitário. Atualmente, a companhia está presente em diversos segmentos: editoras, escolas e sistemas de ensino básico e técnico, cursos preparatórios para concursos, ensino a distancia e de idiomas. A estratégia se baseia em atender escolas públicas e privadas com uma plataforma completa de produtos, conteúdos, serviços e tecnologias de qualidade integrados, capazes de gerar alta fidelização de clientes e baixas taxas de inadimplência. A escala e o foco no crescimento orgânico, na aquisição de ativos de alta qualidade e na exploração de sinergias são os pilares dos níveis de rentabilidade e de criação de valor para os investidores na área de educação no Brasil. A administração da companhia é formada por executivos com competência comprovada e grande experiência no setor, além de seus dois principais acionistas terem sólida experiência no setor da educação e editorial. Base Acionária Atualmente nossa base acionária está dividida da seguinte forma, sendo 25% das ações que compõem o capital social negociadas na BM&FBovespa ( free float ), sob a forma de UNITS: Free Float 25% Família Civita 56% BR Educacional 19% 4

7 Análise dos Resultados Econômico-Financeiros Receita Operacional As receitas operacionais da Companhia são derivadas das receitas geradas pelas principais linhas de negócios: (i) Editoras; (ii) Sistemas de Ensino; e (iii) Escolas e Cursos Preparatórios. As principais marcas, dentre cada uma das linhas de negócios são, respectivamente, (i) Ática e Scipione; (ii) Anglo, ph, SER e Maxi; e (iii) Anglo, ph, ETB. Abaixo, gráfico ilustrando a divisão de receitas por negócios: Nota: É importante destacar que as informações apresentadas nesse relatório apresentam consolidações distintas. O Sistema de Ensino e o Curso Preparatório Anglo foram adquiridos em julho de 2010; as Escolas e o Curso Preparatório ph, as Escolas Técnicas do Brasil (ETB) em abril de 2011 e o Sistema de Ensino Maxi em outubro de 2011, sendo que os ativos dessas operações passaram a ser reconhecidas nas demonstrações financeiras consolidadas da Companhia, a partir das respectivas datas de aquisição. O gráfico acima não considera R$(0,2) mm de eliminações entre empresas. A diversificação da base de receitas da Abril Educação, com a incorporação das empresas Anglo (em 2010), do Grupo ph e da ETB (em 2011), contribuiu positivamente para a atenuação da sazonalidade dos negócios das Editoras (Ática e Scipione), que apresentam resultados concentrados no primeiro e no quarto trimestre de cada ano. Em 2011, fica evidente o crescimento da relevância dos negócios de Sistemas de Ensino, Cursos Preparatórios e Escolas próprias, com receitas mais regulares ao longo do ano. Receita Líquida Em 2011, a receita líquida consolidada da Companhia atingiu R$ 772,1 milhões, composta pelas receitas provenientes das Editoras (Ática e Scipione), que totalizaram R$ 506,3 milhões, do Grupo Anglo (Sistema de Ensino e Curso Preparatório), cuja receita atingiu R$ 163,9 milhões, do Sistema de Ensino SER, com receitas de R$ 37,5 milhões, complementadas pelas contribuições das receitas de R$ 64,4 milhões do Grupo ph (Escola e Curso Preparatório), da ETB (Ensino Técnico) e do Sistema de Ensino Maxi, a partir das datas de suas respectivas aquisições. Comparada com o ano de 2010, a receita líquida evoluiu 51%. 5

8 Abaixo ilustramos o gráfico com a evolução da receita líquida da Abril Educação em relação a 2010: Evolução Receita Líquida (R$ mm) +51% 96,2 60,1 19,1 3,6 0,9 772,1 512,2 80, Editoras Anglo ph SER ETB MAXI 2011 Crescimento por negócio em relação a 2010 Nota: O gráfico acima não considera R$(0,2) mm de eliminações entre empresas. Receita das Editoras Em 2011, a receita líquida das Editoras (Ática e Scipione) atingiu R$ 506,3 milhões, apresentando uma evolução de R$ 80,2 milhões, ou um aumento de 19% em relação a Essa linha de negócio apresenta, regularmente, uma forte sazonalidade de vendas, que se concentram no primeiro e no último trimestre de cada ano. No início do exercício são concluídas as vendas para as escolas privadas antes do início do ano letivo, que ocorre em fevereiro ou março. A venda para as escolas públicas se dá, principalmente, no último trimestre, após a conclusão dos processos licitatórios de compras do governo, que se define geralmente no decorrer do terceiro trimestre. Os livros para os programas de governo são faturados com maior antecedência, em virtude da grande operação logística requerida na entrega para a vasta rede de escolas públicas do país. No último trimestre os distribuidores de livros, destinados a escolas privadas, também iniciam o processo de compras, contribuindo para que seja, normalmente, o mais importante período do ano para as editoras. Mercado Privado: Em 2011, a venda de livros no mercado privado totalizou mil unidades, resultando na receita líquida de R$ 187,6 milhões, com crescimento de 11% em relação a 2010, em virtude do aumento do preço médio dos livros vendidos. Mercado Público: A receita líquida proveniente do mercado público foi de R$ 318,7 milhões, 24% acima das receitas de R$ 256,7 milhões para este setor realizadas em 2010, em virtude do resultado obtido pela Companhia nos programas PNLD (Programa Nacional de Livro Didático) e EJA (Educação de Jovens e Adultos). A quantidade de livros comprados pelo governo em 2011 para o ano letivo de 2012 cresceu pelo terceiro ano consecutivo atingindo a marca de 161,9 milhões de unidades. Deste volume consolidado, a Abril Educação, através de suas editoras Ática e Scipione, assegurou uma participação de mercado de 31,1%, liderando o programa. Com pedido total de 50,4 milhões de livros, as editoras Ática e Scipione bateram o recorde histórico do número de livros do PNLD. Receita do Sistema de Ensino SER: Em 2011 a receita líquida do SER totalizou R$ 37,5 milhões, + 104% acima das receitas de R$ 18,4 milhões verificadas em Contribuíram para este crescimento de receitas do SER (a) o aumento no número de alunos servidos; (b) o reajuste médio na tabela de preços 4,4%; e (c) a antecipação de pedidos para 2012 no quarto trimestre de Esta antecipação por parte das escolas deverá ser observada também em anos subsequentes, pois reflete um novo ciclo comercial de vendas visando evitar atrasos na entrega do início do ano letivo. 6

9 Receita do Grupo Anglo: A receita líquida total do Grupo Anglo foi de R$163,9 milhões, 142% acima da receita registrada em Essa receita é proveniente de dois segmentos: Sistemas de Ensino e Cursos Preparatórios. Vale destacar que como o Grupo Anglo foi adquirido em julho de 2010, a receita nesse período foi parcialmente reconhecida. Já em 2011 foi considerada a contribuição integral da receita nos resultados consolidados da Companhia. (a) Sistemas de Ensino: Em 2011, a receita líquida anual foi de R$113,4 milhões, influenciada pelo (i) crescimento na quantidade de alunos que totalizou 257 mil; e (ii) reajuste de 4,5% na tabela de preços. (b) Cursos Preparatórios: Em 2011 a receita liquida foi de R$50,6 milhões, reflexo dos cerca de 11 mil alunos matriculados em suas três unidades e do reajuste de 8,0% na tabela de preços. Receita do Grupo ph: Em 2011, a receita líquida totalizou R$60,1 milhões entre maio e dezembro de 2011, uma vez que Abril Educação adquiriu o Grupo ph em abril de Esse desempenho é reflexo: (i) do total de 7,0 mil alunos matriculados em suas nove unidades de Escolas de ensino básico e Cursos Pré- Vestibulares; e (ii), reajuste médio na tabela de preços de cerca de 7,6%. Receita da ETB e Outros: Em 2011, a receita líquida da ETB atingiu R$ 3,6 milhões. As outras receitas da Companhia, que incluem a receita do sistema de ensino Maxi, somaram R$1 milhão. Vale destacar que a ETB e o Sistema de Ensino Maxi foram adquiridos em abril e outubro de No caso do Maxi, as vendas realizadas no ano de 2011 já haviam praticamente se encerrado. Custo das Mercadorias Vendidas e Lucro Bruto, Consolidados: Em 2011, o Custo das Mercadorias Vendidas consolidado foi de R$ 298,0 milhões, um aumento de 29% comparado a 2010, abaixo do crescimento da receita líquida de 51%. Os principais negócios apresentaram reduções nos custos de papel e serviços gráficos e ganhos operacionais de escala. De modo que o lucro bruto consolidado foi de R$ 474,1 milhões, um avanço de R$193,5 milhões em relação a 2010, com elevação da margem bruta consolidada em seis pontos percentuais, de 55% para 61% em O Grupo Anglo, com contribuição integral no exercício, apresentou uma margem bruta de 73%, uma elevação de 11 pontos percentuais em relação a 2010, quando suas operações foram reconhecidas somente no segundo semestre. O incremento no lucro bruto do Grupo Anglo foi de R$ 77,2 milhões, totalizando R$119,3 milhões. As editoras elevaram sua margem bruta de 56% para 58% em 2011, com incremento de R$ 55,0 milhões no lucro bruto. O Sistema de Ensino SER apresentou significativa melhora por meio de racionalizações na sua operação e maior escala, sua margem bruta cresceu 51 pontos percentuais, de 4% para 55%, que adicionou R$ 20,0 milhões ao lucro bruto. O Grupo ph com contribuição somente em 2011, também apresentou lucro bruto relevante de R$ 39,4 milhões, equivalente a 66% de margem. Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas, Consolidados: Em 2011, as Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas atingiram R$323,3 milhões, + 48% em relação a 2010, porém abaixo do crescimento de 51% nas receitas. Em 2011, essa linha foi impactada pelas despesas oriundas dos novos negócios adquiridos, que não foram reconhecidos em Vale destacar alguns dos principais fatores que contribuíram para o aumento de R$104,6 milhões na linha das despesas: (i) reconhecimento das despesas das empresas adquiridas (Anglo, ph, Maxi e ETB), que não ocorreram em igual período do ano passado e que representou R$ 47,8 milhões; (ii) aumento nas despesas das Editoras e Sistema de Ensino de R$ 24,9 milhões, para dar sustentação ao crescimento dos dois negócios, cujas receitas cresceram diluindo custos fixos; (iii) amortização de mais valia de ativos intangíveis, sem efeito de desembolso caixa no valor de R$ 12,7 milhões; (iv) reconhecimento de outorga de opção de ações para a administração, no valor de R$ 13,7 milhões (sendo R$ 10,5 milhões sem efeito caixa); e (vi) R$ 5,5 milhões nas despesas associadas ao Centro Corporativo da Abril Educação, estabelecido em junho de 2010, para dirigir (como holding) as diversas unidades de negócio da empresa. 7

10 EBITDA e Lucro Líquido - A Abril Educação encerrou o exercício de 2011 com EBITDA* de R$ 218,2 milhões, + 113% acima do EBITDA de R$ 102,5 milhões do exercício de A margem EBITDA foi de 28% sobre a receita líquida, acima da margem de 20% de O Lucro Líquido evoluiu 235% em relação a 2010 alcançando R$ 48,3 milhões. A contabilização do lucro líquido foi impactada pela amortização da mais valia de intangíveis relacionadas às aquisições recentes (R$ 23,7 milhões) e pelo imposto de renda/contribuição social diferido do Anglo (R$ 14,2 milhões), referentes aos efeitos da amortização do seu ágio fiscal e reconhecimento do aproveitamento futuro dos seus prejuízos fiscais acumulados. Nenhum destes dois efeitos tem impacto sobre o caixa da companhia. *EBITDA não é uma medida reconhecida pelas práticas contábeis adotadas no Brasil. Não possui um significado padrão e pode não ser comparável a medidas com títulos semelhantes fornecidos por outras companhias. A Abril Educação divulga o EBITDA porque utiliza esse indicador para medir seu desempenho operacional. Dividendos - O Conselho de Administração aprovou, em 20 de março, a distribuição de R$11,5 milhões sob a forma de dividendos, o que representa 25% do lucro líquido do período, após a constituição de reserva legal de 5%. A proposta de distribuição do resultado de 2011 será aprovada em Assembleia Geral que deverá ocorrer em abril de Investimentos - Com base no demonstrativo de fluxo de caixa, os investimentos consolidados da Abril Educação no ano de 2011 foram: (i) Aquisição do Grupo ph, ETB e Maxi, líquido do caixa adquirido (R$ 191,2 milhões); (ii) Pagamento de parcela anual de valor principal de R$ 62,6 milhões, associada à parte financiada da aquisição do Anglo; e (iii) Aquisições de ativos imobilizados (veículos e equipamentos de computação) e intangíveis (sistemas de computação e softwares), que totalizaram R$ 11,7 milhões. Geração de Caixa Em 2011, a Companhia gerou um caixa operacional a serviço da dívida de R$ 187,4 milhões. A melhoria substancial do caixa gerado em relação a 2010, quando a companhia gerou um fluxo negativo de R$2,2 milhões, deveu-se a uma melhor gestão do capital de giro, com alongamento dos prazos de pagamento, à melhoria de margens dos negócios existentes e ao acréscimo das aquisições feitas que apresentaram margens mais elevadas e baixa necessidade de capital de giro. Estrutura de Capital - No encerramento de 2011, o endividamento consolidado líquido da Abril Educação era de R$ 277,8 milhões, equivalente à dívida bruta de R$ 583,5 milhões, líquida de disponibilidades de caixa de R$ 305,6 milhões. Do total da dívida, 72% correspondiam a dívidas de longo prazo. A Companhia não incorre em riscos ou em impactos cambiais, pois todo o seu endividamento é contratado em moeda local. Ao final do ano, o Patrimônio Líquido da empresa era de R$ 959,0 milhões. Com o ingresso dos recursos da oferta pública de ações realizada em julho último, a empresa foi significativamente recapitalizada e alcançou confortável posição financeira, a qual lhe permite implementar seu plano de desenvolvimento. Estamos com uma estrutura de capital prudente e sólida, com um índice de alavancagem financeira de apenas 22%. 8

11 Estrutura de Capital - R$ mm Patrimonio Líquido Dívida Líquida 434,1 516,4 245,4 21% 912,9 277,8 22% 959,0 44% 47% 548,7 577,2 56% 53% 79% 78% DEZ 10 JUN 11 SET 11 DEZ 11 Dívida Líquida/EBITDA 4,2x 1,3x Principais Indicadores Financeiros Receita Líquida - R$ milhões EBITDA* (R$ milhões) & Margem (%) Lucro Líquido (R$ milhões) & Margem (%) +51% 772,1 +113% 28% 218,2 +235% 6% 48,3 512,2 20% 102,5 3% 14, Nota: É importante destacar que as informações apresentadas nesse relatório apresentam consolidações distintas. O Sistema de Ensino e o Curso Preparatório Anglo foram adquiridos em julho de 2010; as Escolas e o Curso Preparatório ph, as Escolas Técnicas do Brasil (ETB) em abril de 2011 e o Sistema de Ensino Maxi em outubro de 2011, sendo que os ativos dessas operações passaram a ser reconhecidas nas demonstrações financeiras consolidadas da Companhia, a partir das respectivas datas de aquisição. Principais Indicadores Operacionais Quantidade de Alunos Quantidade de Escolas Quantidade de Livros Vendidos % % % Sistemas de Ensino Escolas e Cursos Sistemas de Ensino Escolas e Cursos 9

12 Preço Ação - R$ R$ em Milhões Evento Subsequente Em fevereiro de 2012 a Companhia adquiriu 51% da Escola Satélite por R$6,2 milhões. Com esta aquisição, a Companhia se prepara para oferecer às mais de escolas associadas aos seus Sistemas de Ensino a possibilidade de distribuição de serviços de ensino à distância com conteúdo da Abril Educação, de preparação para testes e concursos e de idiomas, dentre outros. Desempenho em Bolsa Em 27 de julho de 2011, a Abril Educação realizou a sua bem sucedida Oferta Inicial de Ações (IPO), e passou a ter as suas UNITS listadas no Nível 2 de Governança Corporativa da BMF&BOVESPA. A Companhia procurou implementar a maior parte das práticas do Novo Mercado em sua estrutura de governança e de relacionamento com acionistas minoritários, incluindo por exemplo 100% de tag along para suas UNITS, no caso de eventual venda do controle da empresa. Cada UNIT da Abril Educação corresponde a uma ação ordinária (ON) da Companhia, combinada a duas de suas ações preferenciais (PN). Até o dia 20 de março de 2012 as UNITS da Abril Educação tiveram uma valorização de 34%, sobre o preço do fechamento do IPO, ante uma variação de 13% do Índice Bovespa, em igual período ,00* jul 29-ago 30-set 4-nov 8-dez 11-jan 14-fev 20-mar *Preço na abertura de capital. Preço (R$) vc. Volume (R$ mm) (26/07/2011 a 20/03/2012) Volume (R$) Preço 26, Governança Corporativa O Conselho de Administração da Abril Educação é composto por nove membros, sendo dois representantes de acionistas minoritários e dois independentes. O histórico e o conhecimento de mercado dos nossos principais acionistas, com quem interagimos frequentemente, são um importante suporte para a administração. As práticas de governança corporativa são modernas e elevadas, os acionistas controladores contribuem com experiência relevante nos setores editorial e de educação. As Companhias que ingressam no Nível 2 da BMF&BOVESPA submetem-se, voluntariamente, a seguir alguns compromissos societários, que garantem maior equilíbrio de direitos entre todos os seus acionistas. Dentre os requisitos para a listagem no Nível 2, os mais relevantes são: (i) conferir direito de voto restrito 10

13 às ações preferenciais (ver mais detalhes desse item no Regulamento); (ii) oferecer às ações preferenciais sem direito a voto ou com voto restrito, no mínimo, 80% do valor pago às ações ordinárias; (iii) detalhar e incluir informações adicionais nas informações trimestrais; e (iv) disponibilizar as demonstrações financeiras anuais no idioma inglês com base em princípios de contabilidade internacionalmente aceitos. A adesão do Nível 2 se dá por meio de assinatura de contrato entre a Companhia, seus Administradores e Acionistas Controladores e a BMF&BOVESPA, além da adaptação do Estatuto Social da Companhia às regras contidas no Regulamento do Nível 2 de Governança Corporativa. Adesão à Câmara de Arbitragem do Mercado A Companhia aderiu à Câmara de Arbitragem do Mercado, conforme cláusula estabelecida em seu Estatuto Social. Essa instância, instituída pela Bolsa de Valores, arbitra disputas e controvérsias que possam existir entre controladores de empresas listadas no Nível 2, Acionistas em geral, Administradores, membros do Conselho Fiscal e a própria Bolsa. Relacionamento com Auditores Independentes A política da Companhia é regida pelo princípio de independência dos auditores e restringe serviços a serem prestados pelas empresas contratadas com essa finalidade. Nesse sentido, no ano de 2011, a Pricewaterhouse Coopers (PwC) não realizou outros serviços relacionados à auditoria para a Companhia, sendo assegurada a prestação de serviços de forma objetiva e independente. Declaração da Diretoria Em conformidade com as disposições na Instrução CVM no. 480/09, a Diretoria declara que discutiu e revisou as demonstrações financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011, e concordou com as opiniões expressas no Relatório de Auditores Independentes. Agradecimentos Expressamos nossa gratidão e reconhecimento a todos os funcionários, clientes, acionistas, parceiros e ao poder público, pelo apoio e confiança em nossa missão de construir uma Companhia capaz de ser uma influência positiva na melhoria da qualidade do ensino básico no Brasil e na busca constante de criação de valor. A Administração São Paulo, 20 de março de

14 BALANÇOS PATRIMONIAIS Em 31 de dezembro (valores expressos em milhares de reais) ATIVO Controladora Consolidado CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa (nota 7) Contas a receber de clientes (nota 9) Estoques (nota 10) Impostos a recuperar (nota 11) Dividendos a receber (nota 34) Juros sobre o capital próprio (nota 34) Adiantamentos e despesas antecipadas (nota 12) NÃO CIRCULANTE Empréstimos e outros créditos com partes relacionadas (nota 34) Ativos financeiros (nota 8) Impostos a recuperar (nota 11) Imposto de renda e contribuição social diferidos (nota 20) Depósitos judiciais (nota 19) Adiantamentos e despesas antecipadas (nota 12) Investimentos (nota 13) Intangível (nota 14) Imobilizado (nota 15) Total do ativo As notas explicativas da Administração são parte integrante das demonstrações financeiras. 12

15 BALANÇOS PATRIMONIAIS Em 31 de dezembro (valores expressos em milhares de reais) PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO Controladora Consolidado CIRCULANTE Fornecedores e demais contas a pagar (nota 16) Empréstimos e financiamentos (nota 17) Impostos e contribuições a pagar (nota 18) Imposto de renda e contribuição social a pagar Dividendos a pagar (nota 24) Contas a pagar por aquisição de participação societária (nota 32) NÃO CIRCULANTE Fonecedores e demais contas a pagar (nota 16) Contas a pagar por aquisição de participação societária (nota 32) Empréstimos e financiamentos (nota 17) Impostos e contribuições a pagar (nota 18) Provisão para contingências (nota 19) Imposto de renda e contribuição social diferidos (nota 20) Total do passivo PATRIMÔNIO LÍQUIDO Atribuído aos acionistas da controladora Capital social (nota 23) Reservas de capital (notas 22 e 24) Reservas de lucros (nota 24) Dividendos adicionais propostos Participação dos não controladores Total do patrimônio líquido Total do passivo e patrimônio líquido As notas explicativas da Administração são parte integrante das demonstrações financeiras. 13

16 DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO (valores expressos em milhares de reais, exceto resultado por ação) Controladora Consolidado Receita líquida (nota 26) Custos dos produtos e serviços (nota 27) - - ( ) ( ) Lucro bruto Despesas com vendas (nota 27) (142) - ( ) ( ) Despesas gerais e administrativas (nota 27) (27.723) (3.622) ( ) (56.575) Outras receitas (despesas), líquidas (nota 28) (2.730) Lucro (Prejuízo) operacional (27.864) (2.404) Receitas financeiras (nota 29) Despesas financeiras (nota 29) (1.380) (160) (94.967) (52.038) Variação cambial líquida (nota 29) (622) (12) Lucro (Prejuízo) antes do resultado de participação societária (5.266) Resultado da equivalência patrimonial (nota 13) Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social Imposto de renda e contribuição social (nota 30) (41.672) (18.717) Lucro líquido do exercício Atribuído à Acionistas da Companhia Participação dos não controladores (614) Lucro básico por ação - R$ (nota 24) 0, ,04437 Lucro diluído por ação - R$ (nota 24) 0, ,04437 Não houve resultados abrangentes a serem divulgados As notas explicativas da Administração são parte integrante das demonstrações financeiras. 14

17 DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (valores expressos em milhares de reais) Reserva de capital Reservas de lucros 0pções Dividendos Patrimônio Capital Reserva outorgadas Reserva Retenção de adicionais Lucros líquido atribuido Participação dos social de capital de ações legal lucros propostos acumulados aos controladores não controladores Total SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE Dividendos anteriormente propostos não distribuídos Aumento de capital conforme AGE de 27/07/2010 (nota 23) Aumento de capital conforme AGE de 11/08/2010 (nota 23) Lucro líquido do exercício Destinação do resultado - Constituição reserva legal (721) Dividendos mínimos obrigatórios propostos (3.424) (3.424) - (3.424) - Dividendos adicionais propostos (10.272) SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE Plano de opção de compra de ações (nota 22) Distribuição de dividendos adicionais proposto exercício (10.272) - (10.272) - (10.272) Aumento de capital conforme AGE de 02/05/2011 (nota 23) Aumento de capital conforme AGE de 24/05/2011 (nota 23) Aumento de capital com emissão de ações conforme RCA de 21/07/2011 (nota 23) Gastos com emissão de ações (nota 23) - (23.158) (23.158) - (23.158) Lucro líquido do exercício (614) Outras movimentações com não controladores Destinação do resultado - Constituição de reserva legal (2.416) Dividendos mínimos obrigatórios propostos (11.475) (11.475) - (11.475) - Retenção de lucros (34.425) SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE Não houve resultados abrangentes a serem divulgados As notas explicativas da Administração são parte integrante das demonstrações financeiras. 15

18 DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO (valores expressos em milhares de reais) Controladora Consolidado FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Caixa gerado nas operações (nota 31) (1.163) (2.165) Juros pagos - - (57.611) - Imposto de renda e contribuição social pagos (1.663) (425) (27.272) (5.122) CAIXA LÍQUIDO GERADO PELAS (APLICADO NAS) ATIVIDADES OPERACIONAIS (2.826) (7.287) FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS Aquisições de: Imobilizado (456) - (8.901) (7.581) Intangível - - (2.821) (2.292) Ativos financeiros (3.132) - (3.132) - Aporte de capital em subsidiária - ( ) - - Aquisição de subsidiária no exercício, líquida do caixa adquirido (nota 33) - - ( ) ( ) Pagamento de aquisição de subsidiária do exercício anterior - - (62.563) - Redução (aumento) de capital em controladas ( ) Dividendos recebidos Reorganização societária 3-3 (3.050) Mútuos concedidos a partes relacionadas ( ) ( ) (515) - Mútuos recebidos de partes relacionadas Juros recebidos CAIXA LÍQUIDO APLICADO NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS ( ) ( ) ( ) ( ) FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS Captação de empréstimos e financiamentos Pagamentos de empréstimos e financiamentos - - ( ) (9.113) Pagamentos de PAES e impostos parcelados - - (1.953) (71) Aumento de capital Aumento de capital em controladas Dividendos pagos (13.696) - (13.696) - CAIXA LÍQUIDO GERADO NAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS AUMENTO DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA Caixa e equivalentes de caixa no início do exercício Caixa e equivalentes de caixa no final do exercício MOVIMENTAÇÃO LÍQUIDA DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA As notas explicativas da Administração são parte integrante das demonstrações financeiras. 16

19 DEMONSTRAÇÕES DO VALOR ADICIONADO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO (valores expressos em milhares de reais) Controladora Consolidado RECEITAS Venda de produtos e serviços (nota 26) Outras receitas Provisão para créditos de liquidação duvidosa (291) INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS Matérias primas consumidas Custo dos produtos e serviços vendidos Materiais, energia, serviços de terceiros e outros VALOR ADICIONADO BRUTO (7.551) (1.502) RETENÇÕES Depreciações e amortizações (notas 14 e 15) VALOR ADICIONADO LÍQUIDO PRODUZIDO (7.611) (1.502) VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA Resultado de equivalência patrimonial (nota 13) Receitas financeiras (nota 29) Variação cambial ativa (nota 29) VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO Pessoal e encargos Remuneração direta Benefícios FGTS Impostos, taxas e contribuições (2.401) Federais (2.401) Estaduais Municipais Remuneração de capital de terceiros Juros (nota 29) Variação cambial passiva (nota 29) Aluguéis Direitos autorais Outros Remuneração de capital próprio Juros sobre o capital próprio Dividendos Lucros retidos Participação dos não controladores - - (614) - VALOR ADICIONADO TOTAL DISTRIBUÍDO As notas explicativas da Administração são parte integrante das demonstrações financeiras. 17

20 NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 (valores expressos em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) 1. INFORMAÇÕES GERAIS A Abril Educação S.A. (a Companhia ) é uma sociedade anônima de capital aberto com sede na cidade de São Paulo, que em conjunto com suas controladoras (conjuntamente, o Grupo ) atuam no segmento de educação básica e pré-universitária, por meio de linhas de negócios estruturadas da seguinte forma: Editoras Ática e Scipione - editoras de livros didáticos e paradidáticos; sistema de ensino SER; Gráfica e Editora Anglo - sistema de ensino Anglo e cursos pré-vestibulares; Grupo PH - escolas próprias de ensino básico e cursos pré-vestibulares, Grupo ETB - ensino técnico e profissionalizante; e Maxiprint Gráfica e Editora - sistema de ensino Maxi. Assim, suas atividades são representadas pela edição, impressão, publicação, divulgação e comercialização, no atacado ou varejo, de livros, apostilas e publicações para educação básica, podendo ainda realizar treinamento especializado para professores e gestores escolares, reuniões, palestras e workshops relacionados a educação, além das atividades pedagógicas de seus cursos de ensino básico e profissionalizantes através de sistemas de ensino e escolas próprias. A Companhia é controlada pela Abrilpar S.A. e, em julho de 2011, realizou oferta pública de distribuição primária de ações com emissão de certificados de depósitos de ações, nominativos, escriturais e sem valor nominal (units). A emissão dessas demonstrações financeiras foi aprovada pelo Conselho de Administração da Companhia em 20 de março de RESUMO DAS PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS As principais políticas contábeis aplicadas na preparação destas demonstrações financeiras estão definidas abaixo. Essas políticas vêm sendo aplicadas de modo consistente em todos os exercícios apresentados. 2.1 Base de apresentação As demonstrações financeiras foram elaboradas considerando o custo histórico como base de valor e ativos financeiros disponíveis para venda mensurados ao valor justo. A preparação de demonstrações financeiras requer o uso de certas estimativas contábeis críticas e também o exercício de julgamento por parte da administração da Companhia no processo de aplicação das políticas contábeis do Grupo. Aquelas áreas que requerem maior nível de julgamento e possuem maior complexidade, bem como as áreas nas quais premissas e estimativas são significativas para as demonstrações financeiras, estão divulgadas na nota 3. 18

21 (a) Demonstrações financeiras consolidadas As demonstrações financeiras consolidadas da Companhia foram preparadas e estão sendo apresentadas conforme as práticas adotadas no Brasil incluindo os pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPCs) e conforme as normas internacionais de relatório financeiro (International Financial Reporting Standards (IFRS), emitidos pelo International Accounting Standard Board (IASB). (b) Demonstrações financeiras individuais As demonstrações financeiras individuais da controladora foram preparadas conforme as práticas contábeis adotadas no Brasil emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPCs) e são divulgadas em conjunto com as demonstrações financeiras consolidadas. Nas demonstrações financeiras individuais, as controladas são contabilizadas pelo método de equivalência patrimonial. Os mesmos ajustes são feitos tanto nas demonstrações financeiras individuais quanto nas demonstrações financeiras consolidadas para chegar ao mesmo resultado e patrimônio líquido atribuível aos acionistas da controladora. No caso da Abril Educação S.A., as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicadas nas demonstrações financeiras individuais diferem do IFRS aplicável às demonstrações financeiras separadas, apenas pela avaliação dos investimentos em controladas pelo método de equivalência patrimonial, enquanto conforme IFRS seria pelo custo ou valor justo. (c) Mudanças nas políticas contábeis e divulgações 2.2 Consolidação Não há novos pronunciamentos ou interpretações de CPC/IFRS vigendo a partir de 2011 que poderiam ter um impacto significativo nas demonstrações financeiras da Companhia. As seguintes políticas contábeis são aplicadas na elaboração das demonstrações financeiras consolidadas. Controladas Controladas são todas as entidades (incluindo as entidades de propósito específico) nas quais o Grupo tem o poder de determinar as políticas financeiras e operacionais, geralmente acompanhada de uma participação de mais do que metade dos direitos a voto (capital votante). A existência e o efeito de possíveis direitos a voto atualmente exercíveis ou conversíveis são considerados quando se avalia se a Companhia controla outra entidade. As controladas são totalmente consolidadas a partir da data em que o controle é transferido para o Grupo. A consolidação é interrompida a partir da data em que o controle termina. A Companhia usa o método de contabilização da aquisição para contabilizar as combinações de negócios. A contraprestação transferida para a aquisição de uma controlada é o valor justo dos ativos transferidos, passivos incorridos e instrumentos patrimoniais emitidos pela Companhia. A contraprestação transferida inclui o valor justo de algum ativo ou passivo resultante de um contrato de contraprestação contingente quando aplicável. Custos 19

22 relacionados com aquisição são contabilizados no resultado do exercício conforme incorridos. Os ativos identificáveis adquiridos e os passivos e passivos contingentes assumidos em uma combinação de negócios são mensurados inicialmente pelos valores justos na data da aquisição. A diferença entre o valor justo de compra em relação ao valor justo da participação anterior da Companhia e dos ativos líquidos identificáveis adquiridos é registrado como ágio (goodwill). O excesso da contraprestação transferida e do valor justo na data da aquisição de qualquer participação patrimonial anterior na adquirida em relação ao valor justo da participação da Companhia de ativos líquidos identificáveis adquiridos é registrada como ágio (goodwill). Transações entre companhias, saldos e ganhos não realizados em transações entre empresas da Companhia são eliminados. Os prejuízos não realizados também são eliminados a menos que a operação forneça evidências de uma perda (impairment) do ativo transferido. As políticas contábeis das controladas são alteradas quando necessário para assegurar a consistência com as políticas adotadas pela Companhia. 2.3 Informações por segmento de negócios As informações por segmentos operacionais são apresentadas de modo consistente com o relatório interno fornecido para o principal tomador de decisões operacionais, estão apresentados na nota 25. O principal tomador de decisões operacionais, responsável pela alocação de recursos e pela avaliação de desempenho dos segmentos operacionais, é o Conselho de Administração, também responsável pela tomada de decisões estratégicas da Companhia. 2.4 Conversão de moeda estrangeira (a) Moeda funcional e moeda de apresentação Os itens incluídos nas demonstrações financeiras da Companhia são mensurados usando a moeda do principal ambiente econômico no qual a empresa atua ("a moeda funcional"). As demonstrações financeiras consolidadas estão apresentadas em R$, que é a moeda funcional da Companhia e, também, a moeda de apresentação do Grupo. (b) Transações e saldos As operações com moedas estrangeiras são convertidas para a moeda funcional, utilizando as taxas de câmbio vigentes nas datas das transações ou da avaliação, na qual os itens são remensurados. Os ganhos e as perdas cambiais resultantes da liquidação dessas transações e da conversão pelas taxas de câmbio do final do exercício, referentes a ativos e passivos monetários em moedas estrangeiras, são reconhecidos na demonstração do resultado, no resultado financeiro em variação cambial líquida. As alterações no valor justo dos títulos monetários em moeda estrangeira, classificados como disponíveis para venda, são separadas entre as variações cambiais relacionadas com o custo 20

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

Reunião APIMEC / Abril Educação

Reunião APIMEC / Abril Educação Reunião APIMEC / Abril Educação Aviso Legal Aviso Legal O presente documento não deve em nenhuma circunstância, ser considerado uma recomendação de investimento nas Units. Antes de investir nas Units,

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

Comentários de Desempenho ITR 2T/11 Mensagem da Administração O segundo trimestre de 2011 encerrou-se com importantes avanços no desenvolvimento da Abril Educação e na execução de sua estratégia de diversificação

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T11

Apresentação de Resultados 3T11 Apresentação de Resultados 3T11 Aviso Legal Aviso Legal O presente documento não deve em nenhuma circunstância, ser considerado uma recomendação de investimento nas Units. Antes de investir nas Units,

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

GTD PARTICIPAÇÕES S.A.

GTD PARTICIPAÇÕES S.A. GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

Abril S.A. e empresas controladas

Abril S.A. e empresas controladas Abril S.A. e empresas controladas DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2010 e Relatório dos Auditores Independentes 1 Abril S.A. e empresas controladas

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012, de 2011 e de 2010

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012, de 2011 e de 2010 ABCD Gonçalves & Tortola S.A. Demonstrações financeiras em Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 7 Demonstrações

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014 Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas Demonstrações financeiras em IFRS e baseadas nos Pronunciamentos Técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC em

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade

Leia mais

Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A.

Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. Dommo Empreendimentos Imobiliários S.A. Relatório de revisão dos auditores independentes sobre as Informações Trimestrais (ITRs) trimestre findo em 30 de junho de 2015 1. INFORMAÇÕES GERAIS A Dommo Empreendimentos

Leia mais

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 80 Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 Parecer dos Auditores Independentes 81 Aos Acionistas da Inepar Telecomunicações S.A Curitiba - PR 1. Examinamos

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 São Paulo, 22 de março de 2012 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2010 - KARSTEN SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2010 - KARSTEN SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15

RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15 RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15 São Paulo, 11 de maio de 2015 - A Abril Educação S.A. (BM&FBOVESPA: ABRE3) divulga seus resultados do 1º trimestre de 2015 (1T15). Os comentários aqui incluídos

Leia mais

METALÚRGICA DUQUE S/A CNPJ N 84.683.762/0001-20 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DE 2011

METALÚRGICA DUQUE S/A CNPJ N 84.683.762/0001-20 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DE 2011 METALÚRGICA DUQUE S/A CNPJ N 84.683.762/0001-20 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DE 2011 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Metalúrgica Duque S/A, referentes

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS - CONSOLIDADA

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS - CONSOLIDADA ABRIL EDUCAÇÃO APRESENTA RECEITA DE R$ 224,9 MILHÕES E EBITDA DE R$ 85,1 MILHÕES. INÍCIO TARDIO DAS AULAS, MUDANÇAS NO TRATAMENTO CONTÁBIL E NA GESTÃO DO CAPITAL DE GIRO AFETAM TEMPORALMENTE AS RECEITAS

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 534, DE 29 DE JANEIRO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 534, DE 29 DE JANEIRO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 02 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

Dados da Empresa / Composição do Capital

Dados da Empresa / Composição do Capital Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRADESPAR S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRADESPAR S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ANEXO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2)

ANEXO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Deliberação CVM nº 640, de 7 de outubro de 2010 (Pág. 57) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 02(R2) do Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC sobre efeitos das mudanças

Leia mais

Proposta da Administração. Indústrias Romi S.A. CNPJ/MF 56.720.428/0001-63

Proposta da Administração. Indústrias Romi S.A. CNPJ/MF 56.720.428/0001-63 Proposta da Administração Indústrias Romi S.A. CNPJ/MF 56.720.428/0001-63 Informações requeridas pela Instrução CVM n o 481/09, em atendimento ao Edital de Convocação das Assembleias Gerais Ordinária e

Leia mais

Demonstrações Financeiras Estácio Participações S.A.

Demonstrações Financeiras Estácio Participações S.A. Demonstrações Financeiras Estácio Participações S.A. 31 de dezembro de 2011 e 2010 com Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Demonstrações financeiras individuais e consolidadas

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - ESTACIO PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - ESTACIO PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01047-2 SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES 60.500.139/0001-26 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01047-2 SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES 60.500.139/0001-26 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Guararapes Confecções S.A. e Controladas

Guararapes Confecções S.A. e Controladas 1 Informações gerais Atividades operacionais A Guararapes Confecções S.A. ( Companhia ) e suas controladas (conjuntamente, "o Grupo"), constituída em 6 de outubro de 1956, é uma sociedade anônima de capital

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2010 - BRASIL INSURANCE PARTICIPAÇÕES E ADMINISTRAÇÃO S/A Versão : 4. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2010 - BRASIL INSURANCE PARTICIPAÇÕES E ADMINISTRAÇÃO S/A Versão : 4. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

Fertilizantes Heringer S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2011

Fertilizantes Heringer S.A. Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2011 Demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em de 2011 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2014

Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2014 Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2014 2 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Acionistas e Administradores do Banco Daycoval S.A. São Paulo - SP Examinamos as demonstrações

Leia mais

AUMENTO DE 13,8% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$817 MILHÕES NO 3T14

AUMENTO DE 13,8% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$817 MILHÕES NO 3T14 AUMENTO DE 13,8% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$817 MILHÕES NO 3T14 Barueri, 28 de Outubro de 2014 A Cielo S.A. (BM&FBOVESPA: CIEL3 / OTCQX: CIOXY) anuncia hoje seus resultados do terceiro trimestre

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010 1. Mercado de Capitais Cotações: (14/05/2010) ALPA3 R$ 6,10 ALPA4 R$ 5,95 Valore de Mercado: R$ 2,1 bilhões 2. Teleconferência Data: 18/05/2010 às 16h00

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2014 - CAMBUCI SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2014 - CAMBUCI SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A.

VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. Demonstrações Contábeis 31 de Dezembro de 2014 e 2013 Conteúdo Relatório dos Auditores

Leia mais

TAM S.A. TAM S.A e suas controladas Demonstrações Financeiras individuais e consolidadas em 31 de março de 2014 e relatório dos auditores

TAM S.A. TAM S.A e suas controladas Demonstrações Financeiras individuais e consolidadas em 31 de março de 2014 e relatório dos auditores TAM S.A e suas controladas Demonstrações Financeiras individuais e consolidadas em 31 de março de 2014 e relatório dos auditores independentes Índice das Demonstrações Financeiras Balanços patrimoniais

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11

Apresentação de Resultados 2T11 Apresentação de Resultados 2T11 Aviso Legal Aviso Legal Encontra-se em curso a distribuição pública inicial primária e secundária de certificados de depósitos de ações ( Units ) de emissão da Abril Educação

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - TOTVS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - TOTVS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Demonstrações Financeiras MPX Energia S.A. (Companhia aberta)

Demonstrações Financeiras MPX Energia S.A. (Companhia aberta) Demonstrações Financeiras MPX Energia S.A. 31 de dezembro de 2012 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e 2011 Índice

Leia mais

BETAPART PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013. Página 1 de 16

BETAPART PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013. Página 1 de 16 BETAPART PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013 Página 1 de 16 BETAPART PARTICIPAÇÕES S.A. Demonstrações Contábeis Em 31 de Dezembro de 2014 e de 2013 Conteúdo Relatório

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Eólica Faísa V Geração e Comercialização de Energia Elétrica S.A.

Eólica Faísa V Geração e Comercialização de Energia Elétrica S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011 (Não auditado) (Não auditado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 4) 415 7 Fornecedores

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO AO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS FACPC. Relatório dos auditores independentes

FUNDAÇÃO DE APOIO AO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS FACPC. Relatório dos auditores independentes FUNDAÇÃO DE APOIO AO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS FACPC Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2015 e 2014 FPRJ/ORN/TMS 0753/16 FUNDAÇÃO DE APOIO AO COMITÊ

Leia mais

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A. INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO

SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A. INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1 Informar o lucro líquido do exercício - O montante do lucro líquido do exercício é de R$ 8.511.185,59 (oito

Leia mais

AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14

AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14 AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14 Barueri, 29 de Julho de 2014 A Cielo S.A. (BM&FBOVESPA: CIEL3 / OTCQX: CIOXY) anuncia hoje seus resultados do segundo trimestre

Leia mais

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Diretores e Mantenedores da FUNDAÇÃO PRÓ RIM JOINVILLE SC Examinamos as demonstrações financeiras da Fundação Pró Rim, que compreendem

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras demonstrações financeiras 1 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Ao Conselho de Administração e aos Acionistas da Ultrapar Participações S.A. São Paulo SP Examinamos

Leia mais

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_...

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... Página 1 de 14 CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Considerações ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO

Leia mais

Expansão do Foco para consolidar a liderança

Expansão do Foco para consolidar a liderança Novembro, 2012 Expansão do Foco para consolidar a liderança Longa tradição em Educação Novo foco Spin-off Spin-off da Abril S.A., 100% controlada pela Família Civita Abril S.A. adquire as editoras Ática

Leia mais

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e de 2011

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e de 2011 Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e de 2011 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

Ecoporto Holding S.A. (Anteriormente Denominada Ecoporto Holding Ltda.)

Ecoporto Holding S.A. (Anteriormente Denominada Ecoporto Holding Ltda.) Ecoporto Holding S.A. (Anteriormente Denominada Ecoporto Holding Ltda.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as

Leia mais

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2012 Índice Página Relatório dos auditores

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02101-6 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 08.807.432/0001-10 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02101-6 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 08.807.432/0001-10 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Demonstrações Financeiras Arezzo Indústria e Comércio S.A.

Demonstrações Financeiras Arezzo Indústria e Comércio S.A. Demonstrações Financeiras Arezzo Indústria e Comércio S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Índice Relatório dos auditores independentes sobre

Leia mais

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões.

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões. Desempenho Operacional e Financeiro Consolidado As informações contidas neste comunicado são apresentadas em Reais e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que compreendem

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes... 3. Relatório do Comitê de Auditoria... 4. Demonstração Consolidada do Resultado... 5

Relatório dos Auditores Independentes... 3. Relatório do Comitê de Auditoria... 4. Demonstração Consolidada do Resultado... 5 Demonstrações Contábeis Consolidadas de acordo com as Normas internacionais de relatório financeiro (IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board - IASB 2014 Bradesco 1 Sumário oação de

Leia mais

Relatório da Administração - IFRS

Relatório da Administração - IFRS Relatório da Administração - IFRS 1 - Conjuntura O desempenho geral da economia brasileira, no primeiro trimestre de 2008, como vem acontecendo desde 2007, mostrou-se favorável, com crescimento real nos

Leia mais

ABC Aberta S.A. www.pwc.com.br

ABC Aberta S.A. www.pwc.com.br www.pwc.com.br ABC Aberta S.A. Demonstrações financeiras ilustrativas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2014 Demonstrações financeiras ilustrativas

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Adiantamento para futuro Capital Prejuízos aumento Explicativa n o social acumulados Subtotal de capital Total SALDO EM 01 DE DEZEMBRO DE 2010 255.719.100

Leia mais

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil)

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 1.829 Fornecedores 58.422 Contas a Receber 238.880

Leia mais

OER Caçu Energia S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais

OER Caçu Energia S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais . Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo 2013 Passivo e patrimônio líquido (passivo a descoberto) 2013 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 200 Empréstimos e

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

Demonstrações Financeiras Magazine Luiza S.A.

Demonstrações Financeiras Magazine Luiza S.A. Demonstrações Financeiras Magazine Luiza S.A. e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras...

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

Estácio Registra Crescimento de 166% no Lucro Líquido Ajustado EBITDA ajustado aos impostos cresceu R$ 17,2 milhões

Estácio Registra Crescimento de 166% no Lucro Líquido Ajustado EBITDA ajustado aos impostos cresceu R$ 17,2 milhões 2T07 Estácio Registra Crescimento de 166% no Lucro Líquido Ajustado EBITDA ajustado aos impostos cresceu R$ 17,2 milhões Rio de Janeiro, de 2007 A Estácio Participações (BOVESPA: ESTC11), maior organização

Leia mais

Relatório Anual CUSTOS DAS VENDAS E DESPESAS OPERACIONAIS

Relatório Anual CUSTOS DAS VENDAS E DESPESAS OPERACIONAIS MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Ao refletir sobre o ano de 2013, observo com satisfação a trajetória que percorremos durante o período. Eposso afirmar com certeza que, ao completar 75 anos,

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014 LUPATECH S.A. CNPJ/MF nº 89.463.822/0001-12 NIRE 43300028534 Companhia Aberta de Capital Autorizado Novo Mercado Relatório da Administração Mensagem da Administração Senhores

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 03 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A. Índice

Raízen Combustíveis S.A. Índice Raízen Combustíveis S.A. Índice Balanço patrimonial...2 Demonstração do resultado...4 Demonstração do resultado abrangente...5 Demonstração das mutações do patrimônio líquido...6 Demonstração dos fluxos

Leia mais

METALÚRGICA RIOSULENSE S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Em 31 de dezembro de 2013

METALÚRGICA RIOSULENSE S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Em 31 de dezembro de 2013 METALÚRGICA RIOSULENSE S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Em 31 de dezembro de 2013 Senhores Acionistas, A Administração da Metalúrgica Riosulense S.A. apresenta para apreciação e análise, as informações

Leia mais

Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Brasmotor S.A. 31 de dezembro de 2010 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações

Leia mais

ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC CNPJ nº 54.526.082/0001-31 Companhia Aberta www.itautec.com.br

ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC CNPJ nº 54.526.082/0001-31 Companhia Aberta www.itautec.com.br ITAUTEC S.A. GRUPO ITAUTEC CNPJ nº 54.526.082/000131 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 30 DE SETEMBRO DE 2013 A Itautec S.A., companhia brasileira de capital aberto atuante no setor de tecnologia em soluções

Leia mais

Resultados 2T12 / 1S12

Resultados 2T12 / 1S12 Abril Educação encerrou o 2T12 com uma receita líquida de R$ 102,5 milhões e crescimento de 28% sobre 2T11. São Paulo, 14 de agosto de 2012 - A Abril Educação S.A. (BM&FBOVESPA: ABRE11) divulga seus resultados

Leia mais

Lojas Americanas S.A.

Lojas Americanas S.A. 1. Contexto operacional A Lojas Americanas S.A. ("LASA" ou a "Companhia") é uma sociedade anônima de capital aberto com ações negociadas na Bolsa de Valores do Estado de São Paulo sob os códigos LAME3

Leia mais

Agência Nacional de Transportes Terrestres ANTT Relatório de orientação técnica para o encerramento do exercício de 2012

Agência Nacional de Transportes Terrestres ANTT Relatório de orientação técnica para o encerramento do exercício de 2012 Agência Nacional de Transportes Terrestres ANTT Relatório de orientação técnica para o encerramento do exercício de 2012 Prefácio Com a convergência das normas brasileiras de contabilidade para as normas

Leia mais

MAHLE REPORTA EBITDA DE R$ 104,6 MILHÕES NO 2T14; MARGEM DE 17,7%

MAHLE REPORTA EBITDA DE R$ 104,6 MILHÕES NO 2T14; MARGEM DE 17,7% MAHLE REPORTA EBITDA DE R$ 104,6 MILHÕES NO 2T14; MARGEM DE 17,7% Mogi Guaçu (SP), 11 de agosto de 2014 - A MAHLE Metal Leve S.A. (BM&FBOVESPA: LEVE3), Companhia líder na fabricação e comercialização de

Leia mais

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior Última Cotação em 30/09/2014 FBMC4 - R$ 20,60 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2014): R$ 20.269,7 mil US$ 9.234,5 mil São Bernardo do Campo, 12 de

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) ATIVO Nota Explicativa CIRCULANTE 39.755 68.651 Disponibilidades 522 542 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 13.018 27.570 Relações Interdependências 6-1.733 Operações

Leia mais