Strategic Public Relations

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Strategic Public Relations"

Transcrição

1 MASTERCLASS Estratégias, Gestão e Avaliação de Relações Públicas & Assessoria de Imprensa Strategic Public Relations O que vai conseguir assistindo a este evento de alto nível? Um conhecimento aprofundado dos conceitos e estratégias de Relações Públicas Soluções de comunicação de acordo com o público ao que se dirige Estratégias que vão mais além da elaboração de notas de imprensa na construção de relações com os media Ferramentas de sucesso para alcançar, manter ou recuperar uma boa imagem junto ao público Gerir de forma eficaz a comunicação em situações de crise Capacidade para fidelizar os seus contactos Habilidade para avaliar os resultados obtidos e para determinar se as acções foram adequadas aos objectivos propostos A sua Formadora Srª Drª Rita de Sá Directora Geral STUDYCOM Luanda 13, 14 e 15 de Maio de 2009 Hotel Trópico Inscreva-se em

2 Estratégias, Gestão e Avaliação de Relações Públicas & Assessoria de Imprensa Horário Os Assistentes serão recebidos no 1º dia às 8.00 h. O Evento terá início às 8.30 h., terminando aproximadamente às h. Enfoque e Metodologia Didáctica Os Masterclass do iir constituem uma oportunidade única para o desenvolvimento de competências profissionais necessárias para a rentabilização diária do seu trabalho. Por este motivo, é para nós imprescindível que a formação assente nos seguintes pilares: Sessão de Networking Fundamental para a interactividade do grupo, esta Sessão permite que os participantes se conheçam entre si, criando um espaço de partilha de know-how e apresentem os objectivos básicos a alcançar. A Formadora, em função das prioridades do grupo conduzirá o Masterclass incidindo nos temas de maior interesse. Formadores de Excelência e Experiência Real Para abordar com exactidão, conhecimento e experiência de campo as questões relacionadas com o desenvolvimento de estratégias de RP e Assessoria de Imprensa, trazemos até si uma máxima especialista nesta matéria. Colaboradora do iir em Portugal, foi seleccionada de acordo com rigorosos critérios baseados na experiência, know-how e resultados obtidos em eventos anteriores. Situações e Casos Reais de Negócio Todas as ferramentas e técnicas aplicadas têm como objectivo resolver situações reais de negócio. Os Oradores estão confirmados. O iir Portugal reserva-se o direito de alterar o programa e de substituir os oradores, se a isso se vir obrigado, sempre por motivos alheios à sua vontade iir PORTUGAL S.L Seminário especialmente desenvolvido para: A sua Formadora Empresas Multisectoriais Directores de Comunicação Responsáveis de Comunicação Externa Responsáveis de Relações Públicas Directores de Marketing Responsáveis por Unidades de Negócio Responsáveis de Relação com os Meios Administração Pública Administração Central Empresas Públicas Directores de Comunicação Chefes de Gabinete Técnicos de Comunicação Srª Drª Rita de Sá Directora Geral. STUDYCOM Licenciada em Comunicação Social, vertente de Marketing, Publicidade e Relações Públicas, pelo Instituto de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa, Pós-Graduada em Assessoria de Imprensa pela Universidade Independente, cursou ainda Introdução ao Jornalismo através da CENJOR. Actualmente é Directora Geral da StudyCom-Consultoria de Comunicação, Lda., empresa da qual é sóciafundadora. Entre 1999 e 2001 foi Senior Account no Departamento de Comunicação e Assessoria de Imprensa, na Unimagem-Comunicação e Imagem, S.A., tendo desempenhado funções relativas a esta categoria profissional com Clientes nas áreas do Grande Consumo (soft drinks, águas, bebidas espirituosas) Automóvel, Informática e TI s, Consultoria/Serviços, Administração Pública, Banca e Seguros, tendo assegurado todas as vertentes da Gestão da Comunicação dos diversos Clientes. Anteriormente foi Assessora do Gabinete de Imprensa da BA&N-Comunicação e Imagem, Lda., sendo Responsável pela monitorização e recolha de notícias para os vários Clientes da Empresa, elaboração de Relatórios de Imprensa e Contactos com os Órgãos de Comunicação Social. Entre 1992 e 1997 foi Assistente de Marketing/Relações Públicas bilingue italiano-português no Instituto Italiano para o Comércio Externo. 2 Para inscrições [ Tel.: Fax: ]

3 Strategic Public Relations Luanda 13, 14 e 15 de Maio de 2009 Módulo I Uma visão a 360º Ao longo deste Módulo os/as assistentes analisarão o contexto global no qual se desenvolvem as tarefas dos/as profissionais de Relações Públicas e a importância do papel assumido pelos mesmos. Segundo Reis (1993) "Para que a gestão [da informação] seja eficaz, é necessário que se estabeleçam um conjunto de políticas coerentes que possibilitem o fornecimento de informação relevante, com qualidade suficiente, precisa, transmitida para o local certo, no tempo correcto, com um custo apropriado e facilidades de acesso por parte dos utilizadores autorizados". Saiba de que forma os/as RP ajudam as organizações e os seus públicos a uma adaptação mútua Conceitos e ideias RP, Comunicação e Management O profissional de RP e a Gestão da Informação Áreas de intervenção Módulo II A quem nos dirigimos? Tipos de Público: Interno e Externo Qual o poder que o público interno tem entre mãos? Recorde que os profissionais da sua empresa ou instituição são actores de diversos círculos sociais que muita influência têm na construção da reputação da sua empresa e no impacto sobre o seu público externo. E o público externo? As pessoas que utilizam de seus produtos ou prestação de serviços da sua empresa necessitam saber que estão certos ao aliar-se à sua empresa/organização. E para isto a empresa/organização precisa de ter um bom diferencial e um bom relacionamento com seu público interno, pois o público interno serve de espelho para as pessoas que estão lá fora. O público comunidade : a empresa/entidade e o desenvolvimento de atitudes de cidadania empresarial ou responsabilidade social O público órgãos de Comunicação Social Módulo III Assessoria de Imprensa: consiga os seus objectivos Ao longo deste Módulo ser-lhe-ão dadas as ferramentas para que: Estabeleça relações sólidas e confiáveis com os meios de comunicação e os seus agentes Torne-se uma fonte de informação respeitada e requisitada Crie situações para a cobertura de/sobre as actividades do assessorado para alcançar, manter ou recuperar uma boa imagem junto ao público Apresente e consolide as informações ajustadas aos interesses do assessorado no contexto mediático Implemente uma cultura de comunicação nos aspectos interno e externo através da pró-actividade junto à estrutura mediática Capacite o assessorado a entender e lidar com a imprensa O que temos a comunicar O objecto da comunicação em cada momento Comunicação corporativa ou institucional Comunicação de produtos/serviços Para quem comunicar Definição e elaboração de Media Lists Como fazer Onde recolher a informação Quem escreve sobre o quê 3 Visite [ ]

4 PROGRAMA Módulo IV Comunicar com os órgãos de comunicação social: vários formatos e um objectivo? A comunicação com os órgãos de comunicação social pode ter vários formatos dependendo do objectivo da mesma. Constate por si mesmo/a que formato melhor se adequa às necessidades do assessorado e garanta, desde o início o sucesso das suas acções. O press release ou comunicado de imprensa Redacção eficaz de comunicados de imprensa Timings Formas de envio dos press releases Encontros com a imprensa Dos pequenos-almoços às viagens de imprensa Envio de convites Timings de envio Módulo V Regras de ouro protocolares na relação com os meios de comunicação O profissional de RP é muitas vezes a cara da empresa/instituição, podendo inclusivamente determinar a imagem da mesma. Não deixe que nada o/a surpreenda! Chame as pessoas certas para os eventos da sua empresa/instituição. Organização de conferências de imprensa e/ou apresentações à imprensa A relevância e regras de ouro do protocolo Elaboração de check lists - não deixe nada ao acaso A importância da Imprensa de Sociedade e a presença de VIP s na cobertura mediática de eventos Acreditação de meios em grandes eventos Dossier de Imprensa ou Press Kits Módulo VI Comunicação em Situações de Crise Comunicar em situações de crise é saber comunicar uma situação adversa com o objectivo de posicionar a versão do protagonista, garantindo a sua intervenção nos meios de comunicação e transmitindo uma posição de abertura e transparência. Mas tenha em mente que pior do que as consequências de uma crise são as consequências de não reacção à crise e que a maioria das crises de imagem, se bem administradas, podem ser superadas com relativa facilidade. Gestão eficaz da comunicação de crise Media training: a televisão e a rádio como aliados estratégicos Módulo VII Efectivação do Trabalho de Assessoria de Imprensa Todas as ferramentas para envolver os seus contactos e fidelizá-los! Follow-ups Fidelização de contactos Módulo VIII Visualização, Medição e Avaliação de Resultados Após a realização das acções, deverá analisar os resultados obtidos assim como tentar levar a cabo uma previsão das consequências a médio e a curto prazo. Só assim poderá determinar se a Assessoria de Imprensa foi ou não adequada aos objectivos propostos. Clipping electrónico diário Relatórios de imprensa mensais e/ou por acção Aferição de resultados 4 Para inscrições [ Tel.: Fax: ]

5 Estimado/a Profissional, As RP s e os Departamentos de Comunicação têm um papel cada vez mais determinante na obtenção de objectivos da empresa, havendo uma aposta cada vez mais forte para definir uma estratégia eficaz. Tendo em conta que a máxima dos profissionais de RP e Comunicação é fazer as coisas bem e dálas a conhecer, é imprescindível aprender como actuar da melhor forma possível. Para abordar as questões mais importantes e que marcam a diferença entre uma boa e uma óptima estratégia, trazemos até si uma profissional de referência, numa excelente oportunidade para rever conceitos, adquirir competências específicas de comunicação, planear e avaliar a sua estratégia de Comunicação. Construa a reputação da sua empresa dia-a-dia junto ao seu público interno e externo assistindo ao Masterclass: Strategic Public Relations Luanda 13, 14 e 15 de Maio de Dias de formação intensiva para fazer dos mass media os seus melhores aliados: > O profissional de RP e a gestão da informação > Comunicação com os diferentes tipos de público > Assessoria de Imprensa > Comunicar com os órgãos de comunicação social > Questões protocolares em conferências de imprensa e apresentações > Comunicar em situações de crise > Avaliação de resultados > E muito mais! Com os melhores cumprimentos, Andreia Nabais Directora de Programas iir em Angola P.S.: Descubra as estratégias mais eficazes de comunicação com os Media! Formação imprescindível para a sua empresa Gestão e Avaliação do Desempenho Luanda 16 e 17 de Março de 2009 Mapas Financeiros Luanda 17 e 18 de Março de 2009 Basel II Compliance: Implementação de Modelos Avançados na Gestão de Risco Luanda 17 e 18 de Março de 2009 Gestão do Risco em Projectos Luanda 17 e 18 de Março de 2009 Controlo de Custos e Orçamentos em Manutenção Luanda 18 e 19 de Março de 2009 Quality Financial Reporting Luanda 19 e 20 de Março de 2009 Arquivo Digital Luanda 11 e 12 de Maio de 2009 Geradores Luanda 12 e 13 de Maio de 2009 Strategic IT Manager Luanda 12, 13 e 14 de Maio de 2009 Sistemas de Climatização Luanda 14 de Maio de Visite [ ]

6

FORMAÇÃO DE FORMADORES INTERNOS

FORMAÇÃO DE FORMADORES INTERNOS 1ª EDIÇÃO CURSO FORMAÇÃO DE FORMADORES INTERNOS Como preparar e habilitar os formadores com meios e técnicas que permitam garantir uma aprendizagem contínua e eficaz, através de metodologias pedagógicas

Leia mais

EXCEL para CORPORATE FINANCE

EXCEL para CORPORATE FINANCE SEMINÁRIO 1ª Edição EXCEL para CORPORATE FINANCE Como construir um Modelo de Business Plan para melhorar o desenho e seguimento da estratégia financeira corporativa LUANDA 12 e 13 de OUTUBRO de 2011 Como

Leia mais

Strategic IT Manager +351 21 793 29 89. Gestão de Custos, Orçamentos e KPIs em IT. Como planificar, controlar e rentabilizar os investimentos

Strategic IT Manager +351 21 793 29 89. Gestão de Custos, Orçamentos e KPIs em IT. Como planificar, controlar e rentabilizar os investimentos www.iirangola.com MASTERCLASS IT Gestão de Custos, Orçamentos e KPIs em IT Strategic IT Manager Como planificar, controlar e rentabilizar os investimentos Variáveis no desenho do orçamento: objectivos,

Leia mais

GESTÃO DOCUMENTAL. Saiba como Organizar, Implementar e Gerir um Sistema de

GESTÃO DOCUMENTAL. Saiba como Organizar, Implementar e Gerir um Sistema de Pela primeira Vez em Angola! Seminário Saiba como Organizar, Implementar e Gerir um Sistema de GESTÃO DOCUMENTAL Alcance Níveis Elevados de Qualidade e Reduza Custos Operacionais e Financeiros LUANDA 28

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 2ª EDIÇÃO Requisitos para Implementar, Elaborar e Gerir SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE LUANDA 20 e 21 de OUTUBRO de 2014 Razões pelas quais a sua presença é obrigatória Compreenda as finalidades dos SGQ

Leia mais

Saiba como realizar uma Gestão Eficiente, reduzir os Riscos e controlar o Cash Flow 3MBA

Saiba como realizar uma Gestão Eficiente, reduzir os Riscos e controlar o Cash Flow 3MBA 8ª EDIÇÃO Saiba como realizar uma Gestão Eficiente, reduzir os Riscos e controlar o Cash Flow Gestão de Tesouraria dias 3MBA Form ventos FORMAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS Prático e focalizado nos assuntos

Leia mais

OPERAÇÕES ADUANEIRAS. PLANEAMENTO e GESTÃO de. Gestão Aduaneira e Tributária no Comércio Exterior. incompany. O seu FORMADOR

OPERAÇÕES ADUANEIRAS. PLANEAMENTO e GESTÃO de. Gestão Aduaneira e Tributária no Comércio Exterior. incompany. O seu FORMADOR SEMINÁRIO 2ª EDIÇÃO PLANEAMENTO e GESTÃO de OPERAÇÕES ADUANEIRAS Gestão Aduaneira e Tributária no Comércio Exterior LUANDA 11 e 12 de DEZEMBRO de 2013 O seu FORMADOR Conheça o Funcionamento e Opere com

Leia mais

Planeamento de uma Auditoria. Processo de Realização de uma Auditoria Controlo do Framework Completar o Assignment Auditoria do Assignment Checklist

Planeamento de uma Auditoria. Processo de Realização de uma Auditoria Controlo do Framework Completar o Assignment Auditoria do Assignment Checklist 5ª EDIÇÃO CURSO Sociser empresa 100% Angolana, partner do iir Aprenda e incorpore as últimas ferramentas e metodologias para DEFINIR, IMPLEMENTAR e REPORTAR um planning completo de AUDITORIA INTERNA LUANDA

Leia mais

Técnicos Comerciais. CURSO Técnicas Fundamentais 1 para o Sucesso nas Vendas. Domine as etapas de um processo completo de uma Venda

Técnicos Comerciais. CURSO Técnicas Fundamentais 1 para o Sucesso nas Vendas. Domine as etapas de um processo completo de uma Venda Produzido e desenvolvido pelo Sociser empresa 100% Angolana, partner do iir Cursos para CURSO Técnicas Fundamentais 1 para o Sucesso nas Vendas Domine as etapas de um processo completo de uma Venda CURSO

Leia mais

MARKETING e MARKETING ONLINE. MARKETING e MARKETING ONLINE

MARKETING e MARKETING ONLINE. MARKETING e MARKETING ONLINE MARKETING e MARKETING ONLINE Introdução ao Marketing fundamentos e conceitos OBJECTIVO: Conhecer as principais metodologias e conceitos de Marketing a ter em conta no desenvolvimento comercial e estratégico

Leia mais

Fábrica das Marcas(R) A Criatividade na construção de Marca para PME S

Fábrica das Marcas(R) A Criatividade na construção de Marca para PME S Fábrica das Marcas(R) construção de Marca Neste curso serão abordadas as melhores formas de assentar a competividade das empresas nos atributos das suas marcas, procurando factores de diferenciação que

Leia mais

AUDITORIA INTERNA QUALIDADE

AUDITORIA INTERNA QUALIDADE 2ª EDIÇÃO Analisar, Monitorizar e Melhorar o Desempenho do Sistema de Gestão da Qualidade AUDITORIA INTERNA QUALIDADE DA LUANDA 22 e 23 de OUTUBRO de 2014 Analise o processo de integração da função Qualidade

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1ª EDIÇÃO Requisitos para Implementar, Elaborar e Gerir SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE LUANDA 21 e 22 de OUTUBRO de 2013 Razões pelas quais a sua presença é obrigatória Compreenda as finalidades dos SGQ

Leia mais

IT SEGURANÇA. Luanda 26, 27 e 28 de Setembro de 2011 PROGRAMA

IT SEGURANÇA. Luanda 26, 27 e 28 de Setembro de 2011 PROGRAMA 1ª Edição Como Desenhar e Implementar uma estratégia IT SEGURANÇA Evite riscos e garanta a continuidade do negócio REQUISITOS LEGAIS /ANÁLISE DE RISCO / GESTÃO DE RISCO DISASTER RECOVERY PLAN / AUDITORIA

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DA QUINTA DAS FLORES

ESCOLA SECUNDÁRIA DA QUINTA DAS FLORES ESCOLA SECUNDÁRIA DA QUINTA DAS FLORES Projecto Educativo - 2004/2007 INTRODUÇÃO O que importa é que a escola pense e para pensar são precisas muitas cabeças. Uma cabeça sozinha pode pensar, pode chegar

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas Serra da Gardunha - Fundão Ano Lectivo 2010/2011 Ensino Básico A avaliação escolar tem como finalidade essencial informar o aluno, o encarregado de educação e o próprio professor,

Leia mais

Mini MBA para Secretáriado Executivo e

Mini MBA para Secretáriado Executivo e A communications, training and events management company SEMINÁRIO Mini MBA para Secretáriado Executivo e Assessoria de Alta Direcção Lisboa www.letstalkgroup.com Mini MBA para Secretáriado Executivo e

Leia mais

O PAPEL DA GESTÃO DE ÁREA URBANA NO SUCESSO DAS OPERAÇÕES INTEGRADAS DE REABILITAÇÃO J. Braz Pereira UGAU CHP

O PAPEL DA GESTÃO DE ÁREA URBANA NO SUCESSO DAS OPERAÇÕES INTEGRADAS DE REABILITAÇÃO J. Braz Pereira UGAU CHP O PAPEL DA GESTÃO DE ÁREA URBANA NO SUCESSO DAS OPERAÇÕES INTEGRADAS DE REABILITAÇÃO J. Braz Pereira UGAU CHP PORTO VIVO, SRU SEMINÁRIO ALFÂNDEGA DO PORTO 4 E 5 DE DEZEMBRO DE 2009 Pressuposto O impacto

Leia mais

Criar uma Cultura para a Sustentabilidade MAIS um exemplo de boas práticas. V CICLO Economia Social Avaliar e Planear

Criar uma Cultura para a Sustentabilidade MAIS um exemplo de boas práticas. V CICLO Economia Social Avaliar e Planear Criar uma Cultura para a Sustentabilidade MAIS um exemplo de boas práticas V CICLO Economia Social Avaliar e Planear Helena Gata Lisboa, 28 de Maio de 2015 Ao contrário de Penélope HARD Estrutura Procedimentos

Leia mais

GESTÃO DE STOCKS. E INVENTÁRIOS Rentabilize a Sua Organização Melhorando os Procedimentos 3ª EDIÇÃO CURSO

GESTÃO DE STOCKS. E INVENTÁRIOS Rentabilize a Sua Organização Melhorando os Procedimentos 3ª EDIÇÃO CURSO 3ª EDIÇÃO CURSO Técnicas e Métodos Para Racionalizar os Custos GESTÃO DE STOCKS E INVENTÁRIOS Rentabilize a Sua Organização Melhorando os Procedimentos LUANDA 7 e 8 de JULHO de 2014 Saiba porque necessitamos

Leia mais

ANGOLA BANKING SERIES GOVERNANÇA CORPORATIVA 14 HORAS FORMAÇÃO À MEDIDA ANGOLA BANKING SERIES

ANGOLA BANKING SERIES GOVERNANÇA CORPORATIVA 14 HORAS FORMAÇÃO À MEDIDA ANGOLA BANKING SERIES GOVERNANÇA CORPORATIVA 14 HORAS FORMAÇÃO À MEDIDA ANGOLA BANKING SERIES OBJECTIVOS DO CURSO Saiba como prevenir, detectar e implementar medidas que garantam um Bom Governo Empresarial Conheça as melhores

Leia mais

Training Course. DESTINATÁRIOS Este curso destina-se a todos os colaboradores Gestores e Profissionais de Recursos humanos.

Training Course. DESTINATÁRIOS Este curso destina-se a todos os colaboradores Gestores e Profissionais de Recursos humanos. MBA GESTÃO POR COMPETÊNCIAS DESCRIÇÃO O desafio maior do gestor de recursos humanos numa economia de grande competitividade é atrair, reter ou capacitar os seus recursos humanos para um desempenho de alto

Leia mais

GESTÃO DE FROTAS E LOGÍSTICA DA DISTRIBUIÇÃO

GESTÃO DE FROTAS E LOGÍSTICA DA DISTRIBUIÇÃO 3ª EDIÇÃO CURSO Desenvolver e implementar GESTÃO DE FROTAS E LOGÍSTICA DA DISTRIBUIÇÃO Optimize Custos e estabeleça Métricas de Performance LUANDA 9 e 10 de JULHO de 2014 Planifique de forma integral a

Leia mais

Moçambique. Agenda EVENTOS 2013 NEW!! INSCREVA-SE EM. Também in Company. inscrip@iirportugal.com. VISITE www.iirportugal.com

Moçambique. Agenda EVENTOS 2013 NEW!! INSCREVA-SE EM. Também in Company. inscrip@iirportugal.com. VISITE www.iirportugal.com Moçambique Agenda EVENTOS 2013 NEW!! Também in Company INSCREVA-SE EM inscrip@iirportugal.com VISITE www.iirportugal.com INOVAÇÃO Estimado cliente, Temos o prazer de lhe apresentar em exclusiva o novo

Leia mais

Project Management. Masterclass. www.iirangola.com. Depois de mais de 20 horas de formação volte à sua empresa e:

Project Management. Masterclass. www.iirangola.com. Depois de mais de 20 horas de formação volte à sua empresa e: www.iirangola.com Masterclass Project Management Depois de mais de 20 horas de formação volte à sua empresa e: Domine a terminologia inerente ao project management Descreva o ciclo de vida de um projecto

Leia mais

FORMAÇÃO INTEREMPRESAS & SERVIÇOS

FORMAÇÃO INTEREMPRESAS & SERVIÇOS FORMAÇÃO INTEREMPRESAS & SERVIÇOS Parceria com para acções no Porto 1 FORMAÇÃO ESPECIALIZADA GRH A GlobalConsulting tem-se afirmado nos últimos 20 anos como uma Empresa especializada em Gestão de Recursos

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. www.vantagem.com PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. www.vantagem.com PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

Marketing Pessoal. aumentem de valor.

Marketing Pessoal. aumentem de valor. P U B L I C A Ç Ã O N º 3 2 3 D E Z E M B R O 2 0 0 9 Marketing Pessoal PONTOS DE INTERESSE: Conceito Na Prática Definir Objectivos Marca Pessoal Marketing Pessoal pode ser definido como o processo de

Leia mais

DGAJ/DF. Curso em E-learning

DGAJ/DF. Curso em E-learning Curso em E-learning Introdução O que é estudar a distância O estudo à distância é uma forma diferente de aprender. Para que uma pessoa possa estudar à distância, necessita desenvolver algumas habilidades

Leia mais

Gestão de Arquivo, Comunicação Escrita e Telefónica para ASSISTENTE PESSOAL

Gestão de Arquivo, Comunicação Escrita e Telefónica para ASSISTENTE PESSOAL MASTER-COURSE Gestão de Arquivo, Comunicação Escrita e Telefónica para ASSISTENTE PESSOAL e de DIRECÇÃO Angola MASTER-COURSE5 Gestão de Arquivo, Comunicação Escrita e Telefónica para ASSISTENTE PESSOAL

Leia mais

MINI-MBA de Especialização em Gestão de Turismo e Hotelaria

MINI-MBA de Especialização em Gestão de Turismo e Hotelaria MINI-MBA de Especialização em Gestão de Turismo e Hotelaria Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 2 Objectivo Geral... 2 Objetivos Específicos... 2 Estrutura

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA 11ª, 12ª e 13ª classes Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Metodologia do Ensino de Educação

Leia mais

Basileia III e CRD IV - 2ª Edição

Basileia III e CRD IV - 2ª Edição www.pwc.pt/academy Basileia III e CRD IV - 2ª Edição Alterações e impactos para os Bancos e Sociedades Financeiras Lisboa, 26 de novembro Academia da PwC 2ª Edição Venha conhecer connosco as alterações

Leia mais

sistema de gestão do desempenho e potencial Directório de Competências e de Perfis Profissionais

sistema de gestão do desempenho e potencial Directório de Competências e de Perfis Profissionais SGDP sistema de gestão do desempenho e potencial :: Directório de Competências e de Perfis Profissionais :: Directório de Competências e de Perfis Profissionais ÍNDICE Competências Inovação e Criatividade

Leia mais

QiDEIA C O M U N I C A Ç Ã O

QiDEIA C O M U N I C A Ç Ã O QiDEIA CREATE WHAT YOU SEE. CREATE WHAT YOU FEEL. CREATE WHAT YOU HAVE NEVER SEEN. JUST CREATE. NATHAN SAWAYA QUEM SOMOS A Qideia é uma agência de comunicação, vocacionada para a estratégia e implementação

Leia mais

Property & Construction Property & Construction. Estudos de Remuneração 2012

Property & Construction Property & Construction. Estudos de Remuneração 2012 Property & Construction Property & Construction Estudos de Remuneração 2012 3 Michael Page Page Estudos de Remuneração 2012 - Property & Construction 4 Apresentamos-lhe os Estudos de Remuneração 2012,

Leia mais

Foram 5479 dias e noites a garantir telecomunicações de qualidade em Angola e de Angola para o mundo.

Foram 5479 dias e noites a garantir telecomunicações de qualidade em Angola e de Angola para o mundo. Comunicado de Imprensa MULTITEL Organiza Jantar Conferência alusivo aos 15 anos sobre Corporate Governance Os principais desafios da gestão corporativa em Angola. Há 15 anos que a Multitel tem garantido

Leia mais

internet Admirável mundo novo

internet Admirável mundo novo internet Admirável mundo novo Vídeo Estamos na era da imagem em movimento. O estático dá lugar ao dinâmico para, de uma forma mais activa, atractiva e interactiva chamar a atenção, cativar o interesse,

Leia mais

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1. Oferta Formativa 1.1. Dinamizar e consolidar a oferta formativa 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1.1.2. Promover o funcionamento de ciclos de estudos em regime

Leia mais

Intervenção Psicossocial na Freguesia de São Julião do Tojal, especificamente no Bairro CAR

Intervenção Psicossocial na Freguesia de São Julião do Tojal, especificamente no Bairro CAR Comissão Social de Freguesia de São Julião do Tojal Intervenção Psicossocial na Freguesia de São Julião do Tojal, especificamente no Bairro CAR 1- Enquadramento do Projecto A freguesia de São Julião do

Leia mais

CÁTEDRA DE PORTUGUÊS LÍNGUA SEGUNDA E ESTRANGEIRA. FACULDADE DE LETRAS E CIÊNCIAS SOCIAIS (UEM) e INSTITUTO CAMÕES

CÁTEDRA DE PORTUGUÊS LÍNGUA SEGUNDA E ESTRANGEIRA. FACULDADE DE LETRAS E CIÊNCIAS SOCIAIS (UEM) e INSTITUTO CAMÕES CÁTEDRA DE PORTUGUÊS LÍNGUA SEGUNDA E ESTRANGEIRA FACULDADE DE LETRAS E CIÊNCIAS SOCIAIS (UEM) e INSTITUTO CAMÕES COLÓQUIO PORTUGUÊS EM CONTEXTO AFRICANO MULTILINGUE: EM BUSCA DE CONSENSOS SESSÃO DE ABERTURA

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011

PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011 PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011 INDICE: Quem somos? Oferta formativa Curso Acções Formativas CURSO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES ESTES MIÚDOS SÃO IMPOSSÍVEIS!!! - GESTÃO DE COMPORTAMENTOS

Leia mais

Controlo de custos, orçamentos e auditoria de

Controlo de custos, orçamentos e auditoria de MASTERCLASS www.iirangola.com Óptima experiência baseada na partilha de conhecimentos entre o Formador e os Formandos. De facto o saber não ocupa lugar Nuno Monteiro Coordenador de. BANCO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAL

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO 3.1.1 PROGRAMA DE FORMAÇÃO-ACÇÃO PARA PME REGULAMENTO DE CANDIDATURA PARA ENTIDADES

Leia mais

CURSO DE VERÃO E&O Formação em Elaboração de Candidaturas / Gestão Ciclo de Projecto

CURSO DE VERÃO E&O Formação em Elaboração de Candidaturas / Gestão Ciclo de Projecto CURSO DE VERÃO E&O Formação em Elaboração de Candidaturas / Gestão Ciclo de Projecto INTRODUÇÃO A necessidade sentida por um cada vez maior número de técnicos de diversas áreas disciplinares nas vertentes

Leia mais

3. ORIENTAÇÃO OPERACIONAL. 3.1 Organização e equipa

3. ORIENTAÇÃO OPERACIONAL. 3.1 Organização e equipa transferência comuns. No que toca à rede regional, a cooperação já foi iniciada há algum tempo com o projecto do Sistema Regional de Transferência e Tecnologia que está em curso. No âmbito da rede este

Leia mais

Cristina Fernandes. Manual. de Protocolo. Empresarial

Cristina Fernandes. Manual. de Protocolo. Empresarial Cristina Fernandes Manual de Protocolo Empresarial Lisboa Universidade Católica Editora 2014 Índice Prefácio de Catarina Zagalo 13 Parte I O enquadramento do protocolo 1 O protocolo 16 1.1. Definição de

Leia mais

Regulamento Interno. Dos Órgãos. de Gestão. Capítulo II. Colégio de Nossa Senhora do Rosário

Regulamento Interno. Dos Órgãos. de Gestão. Capítulo II. Colégio de Nossa Senhora do Rosário Colégio de Nossa Senhora do Rosário Capítulo II Dos Órgãos Regulamento Interno de Gestão Edição - setembro de 2012 Índice do Capítulo II Secção I Disposições Gerais 1 Secção II Órgãos e Responsáveis das

Leia mais

Artigo 1.º. Âmbito e objeto

Artigo 1.º. Âmbito e objeto PROJETO DE REGULAMENTO DO CONCURSO PÚBLICO PARA A SELEÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DE INVESTIGAÇÃO E SUA INTEGRAÇÃO NO ROTEIRO NACIONAL DE INFRAESTRUTURAS DE INVESTIGAÇÃO DE INTERESSE ESTRATÉGICO Artigo 1.º

Leia mais

Recursos Humanos em Portugal

Recursos Humanos em Portugal O Maior Salão Profissional de Recursos Humanos em Portugal 9.ª Edição 17e 18 de Março de 2010 Centro de Congressos do Estoril www.ife.pt OS DECISORES SÃO UMA PRESENÇA GARANTIDA + 2000 profissionais de

Leia mais

Delegação Regional do Norte. - Relatório de Actividades -

Delegação Regional do Norte. - Relatório de Actividades - Delegação Regional do Norte - Relatório de Actividades - 2006 SUMÁRIO Nota Introdutória 1. Participação no Conselho Directivo Nacional da BAD 2. Promoção dos profissionais 2.1. Formação Profissional 2.1.1.

Leia mais

Mantenha-se atualizado sobre as novidades de como desenvolver e implementar com êxito. Ensaios Clínicos

Mantenha-se atualizado sobre as novidades de como desenvolver e implementar com êxito. Ensaios Clínicos 7º CURSO ANUAL PARA OS PROFISSIONAIS DE ENSAIOS CLÍNICOS EM Mantenha-se atualizado sobre as novidades de como desenvolver e implementar com êxito Ensaios Clínicos Form ventos FORMAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE

Leia mais

Gestão por Competências

Gestão por Competências Gestão por Competências Definição de Gestão Gerir, assim como administrar tem a ver com todo o controle e ações propostas de um conjunto que pode envolver pessoas, empresas e clientes. Gerir é conseguir

Leia mais

Questionário de satisfação para colaboradores

Questionário de satisfação para colaboradores Questionário de satisfação para colaboradores Identificação da Organização: Data: Instruções de resposta ao questionário: Este questionário versa um conjunto de temáticas relativas ao modo como o colaborador

Leia mais

C O B I T Control Objectives for Information and related Technology

C O B I T Control Objectives for Information and related Technology C O B I T Control Objectives for Information and related Technology Goiânia, 05 de Janeiro de 2009. Agenda Evolução da TI Desafios da TI para o negócio O que é governança Escopo da governança Modelos de

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Formação Profissional Ficha Técnica Título Programa de Metodologia do Ensino de Matemática

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO-2009

PLANO DE FORMAÇÃO-2009 PLANO DE FORMAÇÃO-2009 - Associação Vicentina- Formação Modular Certificada (Destinatários: ) UFCD 4278- Animador- Perfil e Estatuto Profissional (25H) UFCD 4279- Animação Sociocultural- Áreas de Intervenção

Leia mais

PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE. PROGRAMA DE TRABALHO PARA 2000 (Nº 2, alínea b), do artigo 5º da Decisão nº 1400/97/CE)

PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE. PROGRAMA DE TRABALHO PARA 2000 (Nº 2, alínea b), do artigo 5º da Decisão nº 1400/97/CE) PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE VERSION FINALE PROGRAMA DE TRABALHO PARA 2000 (Nº 2, alínea b), do artigo 5º da Decisão nº 1400/97/CE) 1. INTRODUÇÃO As actividades da União

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. www.vantagem.com PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. www.vantagem.com PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

Regulamento de Estágio do Mestrado em Desporto 2009

Regulamento de Estágio do Mestrado em Desporto 2009 Instituto Politécnico de Santarém ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR MESTRADO EM DESPORTO REGULAMENTO DE ESTÁGIO Este regulamento enquadra-se no âmbito do artigo 21.º do regulamento específico do

Leia mais

Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL

Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL Começo por agradecer a todos terem vindo a este seminário. Em especial à Senhora Secretária de Estado que muito nos honra com a sua presença

Leia mais

E- Marketing - Estratégia e Plano

E- Marketing - Estratégia e Plano E- Marketing - Estratégia e Plano dossier 2 http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 E-MARKETING ESTRATÉGIA E PLANO 2 VANTAGENS DE UM PLANO DE MARKETING 3 FASES DO PLANO DE E-MARKETING 4 ESTRATÉGIAS DE

Leia mais

Martinho André Cerqueira de Oliveira

Martinho André Cerqueira de Oliveira Martinho André Cerqueira de Oliveira O Recurso a Tecnologias Web para Suporte da Gestão do Conhecimento Organizacional Um Exemplo Nacional Orientador: Prof. Doutor Luís Borges Gouveia Universidade Fernando

Leia mais

Manual da Qualidade. Rodrigo Barata Mediação de Seguros. Revisão n. 01 Data de Publicação: 2009-04-2408 Elaborado por: RodrigoBarata Estado:

Manual da Qualidade. Rodrigo Barata Mediação de Seguros. Revisão n. 01 Data de Publicação: 2009-04-2408 Elaborado por: RodrigoBarata Estado: Rodrigo Barata Página 2 de 14 Indice 1. Promulgação 3 2. Politica da Qualidade 3 3. Missão da Empresa 4 4. Campo de aplicação 4 4.1 Referências 4 5. Apresentação da Empresa Rodrigo Barata Unipessoal 5

Leia mais

Data Protection Officer

Data Protection Officer SEMINÁRIO 1ª EDIÇÃO Conheça os Pontos Chave para Aplicar com Êxito a Nova Legislação Europeia Data Protection Officer Form ventos FORMAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS Com a Participação Especial de CNPD -

Leia mais

FORMAÇÃO O seu sucesso passa por nós!

FORMAÇÃO O seu sucesso passa por nós! CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2012 2013 O seu sucesso passa por nós! ÍNDICE 3 Apresentação do CPS 4 Onde estamos 2 5 Soluções Formativas 6 Áreas de Formação 7 Cursos 9 Contactos APRESENTAÇÃO DO CPS Somos uma associação

Leia mais

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS INSTI INSTUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO

Leia mais

Licenciatura em Comunicação Empresarial

Licenciatura em Comunicação Empresarial Resumo Este artigo tem como objectivo principal fazer uma breve análise da comunicação do pessoal-mix de uma organização, as vantagens de uma boa comunicação entre os mais variados sectores de actividade

Leia mais

POLÍTICA DE DIVERSIDADE DO GRUPO EDP

POLÍTICA DE DIVERSIDADE DO GRUPO EDP POLÍTICA DE DIVERSIDADE DO GRUPO EDP CONTEXTO Respeitar a diversidade social e a representatividade presente nas comunidades em que as organizações se inserem é um dever ético e simultaneamente um fator

Leia mais

MISSÃO VISÃO VALORES OS NOSSOS

MISSÃO VISÃO VALORES OS NOSSOS VISÃO MISSÃO Criar Recursos Humanos de Excelência e alta qualidade que tenham a capacidade de inovação, competitividade e criação de riqueza, num ambiente exigente ao nível nacional e internacional. Contribuir

Leia mais

Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA )

Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA ) Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA ) Preâmbulo O regulamento da Universidade Sénior de Almada (USALMA) foi aprovado pela Associação de Professores do Concelho de Almada (APCA) em reunião

Leia mais

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma*

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Glória Macedo, PQND do 4º Grupo do 2º Ciclo do EB e Formadora do CFAE Calvet de Magalhães, Lisboa A Reorganização Curricular do Ensino Básico

Leia mais

Controlo Financeiro de Filiais

Controlo Financeiro de Filiais SEMINÁRIO 1ª EDIÇÃO Obtenha as ferramentas imprescindíveis e conheça as melhores práticas para Controlo Financeiro de Filiais Seminário Hands-On Form ventos FORMAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS Assegure o

Leia mais

Our people make the difference

Our people make the difference Our people make the difference 1 Paulo Renato Pereira Exponor, 04.05.2006 Gestão por Competências Breve introdução: Gestão por competências Importância das competências transversais Exemplos de competências

Leia mais

2º CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM: ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO DE GESTÃO EM ENFERMAGEM DOCUMENTO ORIENTADOR

2º CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM: ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO DE GESTÃO EM ENFERMAGEM DOCUMENTO ORIENTADOR 2º CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM: ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO DE GESTÃO EM ENFERMAGEM DOCUMENTO ORIENTADOR Lisboa 2010 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. NATUREZA E JUSTIFICAÇÃO DO CURSO 3. COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS

Leia mais

CARTA DE EMPREGO. A carta de emprego/apresentação deverá ser usada em duas situações: Resposta a ofertas/anúncios de emprego Candidaturas espontâneas

CARTA DE EMPREGO. A carta de emprego/apresentação deverá ser usada em duas situações: Resposta a ofertas/anúncios de emprego Candidaturas espontâneas CARTA DE EMPREGO A carta de emprego/apresentação deverá ser usada em duas situações: Resposta a ofertas/anúncios de emprego Candidaturas espontâneas ANÚNCIOS DE JORNAIS (CARTA DE RESPOSTA) Redigida de

Leia mais

O que esperar do SVE KIT INFORMATIVO PARTE 1 O QUE ESPERAR DO SVE. Programa Juventude em Acção

O que esperar do SVE KIT INFORMATIVO PARTE 1 O QUE ESPERAR DO SVE. Programa Juventude em Acção O QUE ESPERAR DO SVE Programa Juventude em Acção KIT INFORMATIVO Parte 1 Maio de 2011 Introdução Este documento destina-se a voluntários e promotores envolvidos no SVE. Fornece informações claras a voluntários

Leia mais

CICLO CERTIFICADO ACTIVISION CIEO Coaching Indivíduos, Equipas & Organizações

CICLO CERTIFICADO ACTIVISION CIEO Coaching Indivíduos, Equipas & Organizações CICLO CERTIFICADO ACTIVISION CIEO Coaching Indivíduos, Equipas & Organizações In partnership: 1 OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS! Adquirir as 11 competências do coach de acordo com o referencial da ICF! Beneficiar

Leia mais

Programa Avançado 2010 LISBOA Inicio a 26 Março 2010 PORTO Inicio a 26 Março 2010 LEIRIA Inicio a 26 Março 2010 A formação em Gestão de Projectos tem vindo a assumir uma importância cada vez maior em todo

Leia mais

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO EFECTIVIDADE DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS ESCOLAS PROJECTO ESSE Orientações para as visitas às escolas 1 Introdução As visitas às escolas realizadas segundo o modelo

Leia mais

Informação Pública: Valor e Limites para as Organizações Cívicas e Solidárias. Dra. Teresa Salis Gomes ( CIVITAS )

Informação Pública: Valor e Limites para as Organizações Cívicas e Solidárias. Dra. Teresa Salis Gomes ( CIVITAS ) Informação do Sector Público: Acesso, reutilização e comercialização 24 de Novembro de 2004 Representação da Comissão Europeia em Portugal Informação Pública: Valor e Limites para as Organizações Cívicas

Leia mais

Desde 1995, tem sido desenvolvido no Centro Municipal de Juventude, um espaço no âmbito da dança contemporânea, através da ESCOLA DE DANÇA.

Desde 1995, tem sido desenvolvido no Centro Municipal de Juventude, um espaço no âmbito da dança contemporânea, através da ESCOLA DE DANÇA. Desde 1995, tem sido desenvolvido no Centro Municipal de Juventude, um espaço no âmbito da dança contemporânea, através da ESCOLA DE DANÇA. Destinando a formação a alunos de todas as idades, o ensino da

Leia mais

Literacia Financeira - ADULTOS -

Literacia Financeira - ADULTOS - Literacia Financeira - ADULTOS - Vamos ensinar a Fazer Contas à Vida - Adultos! O nosso objectivo é ensinar adultos de contextos sociais mais desfavorecidos, a Fazer Contas à Vida Adultos, dotando-os de

Leia mais

V COLÓQUIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS

V COLÓQUIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS V COLÓQUIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS ANGOLA 40 ANOS DE INDEPENDÊNCIA: MEMÓRIA, IDENTIDADES, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO Luanda, Anfiteatro da Faculdade de Ciências Sociais (FCS) da Universidade

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Manual de Políticas da CERCI Elaborado por/data Departamento de Gestão da Qualidade/Março 2013 Aprovado por/data Direção/18.03.2013 Revisto por/data Índice 1. Política e Objetivos

Leia mais

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 10ª e 11ª Classes

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 10ª e 11ª Classes república de angola ministério da educação PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 10ª e 11ª Classes Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário FASE DE EXPERIMENTAÇÃO Ficha Técnica Título Programa de

Leia mais

APRENDIZAGEM AUTODIRIGIDA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS PARA JOVENS ENTER TOOLBOX SUMÁRIO EXECUTIVO

APRENDIZAGEM AUTODIRIGIDA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS PARA JOVENS ENTER TOOLBOX SUMÁRIO EXECUTIVO ENTER APRENDIZAGEM AUTODIRIGIDA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS PARA JOVENS TOOLBOX SUMÁRIO EXECUTIVO Esta publicação foi adaptada pelo parceiro BEST Institut für berufsbezogene Weiterbildung

Leia mais

Orientações para desenvolver uma Política de DPC Provas requeridas para a acreditação Acrescentando valor: conjunto de boas práticas

Orientações para desenvolver uma Política de DPC Provas requeridas para a acreditação Acrescentando valor: conjunto de boas práticas CRITÉRIO 2: COMISSÃO DE INTERNA Este capítulo inclui: Visão geral Orientações para desenvolver uma Política de Provas requeridas para a acreditação Acrescentando valor: conjunto de boas práticas VISÃO

Leia mais

ÍNDICE QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS PORTFÓLIO CONTATOS

ÍNDICE QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS PORTFÓLIO CONTATOS ÍNDICE 3 4 10 21 QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS PORTFÓLIO CONTATOS 2 QUEM SOMOS SALVADO CONTEMPORARY DESIGN CONSULTING É a perfeita união entre dois profissionais apaixonados pelo seu trabalho. Carlos Salvado,

Leia mais

Estágios de Cooperação Internacional BES/ AMI. 8ª Edição Ano 2013

Estágios de Cooperação Internacional BES/ AMI. 8ª Edição Ano 2013 Estágios de Cooperação Internacional BES/ AMI 8ª Edição Ano 2013 Março de 2013 Queres fazer parte desta Missão? Se queres chegar mais longe em experiência e vivência Pelo oitavo ano consecutivo o BES realiza

Leia mais

ESTUDOS DE. Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA

ESTUDOS DE. Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA ESTUDOS DE Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA A EMPRESA O Grupo Marktest tem consolidado ao longo dos últimos 26 anos uma forte posição nas áreas dos Estudos de Mercado, da informação e na área

Leia mais

Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK)

Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK) UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA CURRÍCULO DA ÁREA DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE EMPRESAS AFAGE Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK) Maputo, Julho de 2015 UDM 1

Leia mais

Contabilidade e Controlo de Gestão. 2. O ciclo de gestão. Contabilidade e Controlo de Gestão. 3º ano - Gestão Turística e Hoteleira - Ramo- GT

Contabilidade e Controlo de Gestão. 2. O ciclo de gestão. Contabilidade e Controlo de Gestão. 3º ano - Gestão Turística e Hoteleira - Ramo- GT Contabilidade e Controlo de Gestão Ano letivo 2013/2014 Gustavo Dias 5.º Semestre Ciclo de Gestão Planear Definir o rumo da empresa, ou seja, o que se pretende atingir (objectivos) e para tal o que fazer

Leia mais

DOSSIER DE IMPRENSA Junho de 2006

DOSSIER DE IMPRENSA Junho de 2006 DOSSIER DE IMPRENSA Junho de 2006 O PROJECTO O projecto Ideias que Mudam o Mundo é uma iniciativa que vem ao encontro da nova visão corporativa da empresa, resumida no lema Bayer: Science For A Better

Leia mais

REGULAMENTO. As empresas de Utilities e Telecom e seus fornecedores podem inscrever um ou mais Cases nas categorias:

REGULAMENTO. As empresas de Utilities e Telecom e seus fornecedores podem inscrever um ou mais Cases nas categorias: REGULAMENTO 1. O PRÊMIO O PRÊMIO SMART Utilities & Telecom, regido por este regulamento, tem como objetivo distinguir e reconhecer as melhores práticas de relacionamento com o cliente em Utilities e Telecom:

Leia mais

P-06. Revendo o Treinamento Comportamental. Bernardo Leite - bernardo@rhestrategia.com.br www.bernardoleite.com.br

P-06. Revendo o Treinamento Comportamental. Bernardo Leite - bernardo@rhestrategia.com.br www.bernardoleite.com.br P-06 Revendo o Treinamento Comportamental Bernardo Leite - bernardo@rhestrategia.com.br www.bernardoleite.com.br Proposta Refletir e analisar a metodologia de treinamentos comportamentais. O que acontece

Leia mais

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe república de angola ministério da educação PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe 2º Ciclo do Ensino Secundário Geral Ensino Técnico-Profissional FASE DE EXPERIMENTAÇÃO Ficha Técnica Título Programa de

Leia mais

Unidade 9: Diálogos deliberativos

Unidade 9: Diálogos deliberativos Unidade 9: Diálogos deliberativos Como podemos utilizar as sínteses de evidências? Informar os grupos de interesse Divulgação da síntese de políticas Informações adaptadas derivadas da síntese Meios de

Leia mais

Módulo 4: Competências Organizacionais

Módulo 4: Competências Organizacionais Módulo 4: Competências Organizacionais Índice 1. Introdução do Módulo 2. Conteúdos teóricos 3. Hora de organizar: Sensibilização para a Auto-gestão da Identidade Digital e eportfólio Feira Anual de Metalúrgica

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Artigo 1.º Âmbito 1 - O presente regulamento de avaliação de desempenho aplica-se a todos os docentes que se encontrem integrados na carreira. 2 - A avaliação

Leia mais