Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação"

Transcrição

1 Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 15 Prof. ISVega Maio de 2004 Arquivos de Texto CONTEÚDO 15.1Processamento de Arquivos Processamento de Arquivos de Texto Escrita de Texto COM Filtros Leitura de Texto COM Filtros Aplicação: Controle de Estoque Criação do Arquivo de Estoque Processamento do Arquivo de Estoque.. 11 Exercícios Java. Objetivos Mostrar como ler e escrever arquivos de texto em 15.1 Processamento de Arquivos Uma necessidade comum de programação é a leitura e escrita de arquivos em disco. As informações armazenadas em um objeto-arquivo ou são codificadas na forma de bytes (dados) ou na forma de texto (linhas de caracteres). 1

2 Arquivos Pré-definidos Três objetos-arquivo para armazenagem de textos são automaticamente criados, quando se executa um programa em Java: System.in, System.out e System.err. Subsistema java.io Para fazer uso dos mecanismos de processamento de arquivos em Java, deve-se importar o subsistema (pacote) java.io. Exemplo 15.1 Para que um objeto da classe Livro tenha acesso aos mecanismos de processamento de arquivos da Tecnologia Java, a sua classe deverá importar o pacote java.io (Figura 15.1). Livro <<import>> java.io Figura 15.1: Importação do pacote java.io (diagrama de classes UML). Em Java: import java.io.*; public class Livro { // Uso dos mecanismos importados... Textos e Dados Por outro lado, as seqüências de bytes podem ser vistas como texto ou como dados (estruturados). No primeiro caso, deve-se utilizar instâncias do tipo Reader e Writer. No segundo caso, deve-se usar instâncias do tipo FilterInputStream e FilterOutputStream Processamento de Arquivos de Texto Processamento de Texto com Filtros O processamento de arquivos de texto (caracteres unicode) com filtros é feito por objetos da classe BufferedReader e BufferedWriter. O arquivo, propriamente dito, é representado por objetos das classes Reader ou Writer. Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-2

3 Escrita de Texto COM Filtros O padrão dinâmico da escrita em arquivos de texto filtros pode ser descrito pelo mapa de execução mostrado na Figura Programa dados.txt arqtexto : FileWriter new dados.txt arqtexto new texto write filtro : BufferedWriter flush close Figura 15.2: Padrão para escrita em arquivos de texto. Inicialmente, cria-se um contexto de execução que interage diretamente com o arquivo, no caso dados.txt. Este contexto é utilizado para construir o filtro de acesso ao conteúdo do arquivo. O filtro é um contexto da classe BufferedWriter. Com a ajuda do filtro, diversas linhas de texto podem ser escritas no arquivo utilizando-se a operação write(). Este serviço recebe a linha de texto a ser escrita, repassando-a para o contexto de execução que interage diretamente com o arquivo. Imediatamente antes de se fechar o filtro (que, por sua vez, provoca o fechamento do arquivo), deve-se executar o comando flush(), que envia quaisquer linhas de texto ainda presentes no filtro para o arquivo. Observa-se que todas as interações com o arquivo e com o filtro devem ser inseridas em uma região de tratamento de exceções (assinaladas como relâmpagos em vermelho na Figura 15.2). Modelo de Implementação em Java A Figura 15.3 ilustra um modelo de processamento de arquivos de texto em Java. Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-3

4 Figura 15.3: Modelo de objetos para escrita de arquivos de texto (vista do BlueJ). Um modelo de implementação em Java deste modelo de escrita em arquivos de texto seria: lab/texto/escritatextofiltro.java Texto: (escrita com filtro) classes importadas public class EscritaTextoFiltro { public BufferedWriter filtro; public void escrever() { Texto: (escrita com filtro) abertura e criação do filtro Texto: (escrita com filtro) escrita no arquivo Texto: (escrita com filtro) fechamento do arquivo Importação de Classes para Escrita As seguintes classes são normalmente importadas quando se programa computações com escrita em arquivos de texto: Texto: (escrita com filtro) classes importadas import java.io.filewriter; import java.io.bufferedwriter; import java.io.ioexception; Abertura do Arquivo de Texto O processamento se inicia com a abertura do arquivo de texto e a criação do filtro a ser utilizado para processar a sua informação: Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-4

5 Texto: (escrita com filtro) abertura e criação do filtro // ABRIR ARQUIVO DE TEXTO E CRIAR FILTRO FileWriter arqtexto = new FileWriter( "dados.txt" ); filtro = new BufferedWriter( arqtexto ); Escrita no Arquivo de Texto Em seguida, passa-se à escrita de linhas de texto no arquivo. Strings podem ser escritas com o uso da operação write(). Mudanças de linha no arquivo podem ser feitas ativando-se a operação newline(): Texto: (escrita com filtro) escrita no arquivo // ESCREVER NO ARQUIVO DE TEXTO filtro.write( "Isto eh um teste!" ); filtro.newline(); Fechamento do Arquivo de Texto Finalmente, após a escrita das informações no arquivo, deve-se fechá-lo, para que o texto não seja perdido: Texto: (escrita com filtro) fechamento do arquivo // ESVAZIAR FILTRO E FECHAR O ARQUIVO DE TEXTO filtro.flush(); filtro.close(); Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-5

6 Leitura de Texto COM Filtros Os principais passos de computação envolvidos na leitura de um texto armazenado em arquivos de texto são apresentados na Figura Programa dados.txt arqtexto : FileReader new dados.txt arqtexto new readline filtro : BufferedReader texto close Figura 15.4: Padrão para leitura de arquivos de texto. Modelo de Implementação em Java A Figura 15.5 ilustra um modelo de processamento de arquivos de texto em Java. Figura 15.5: Modelo de objetos para leitura de arquivos de texto (vista do BlueJ). Um modelo de implementação em Java deste modelo de leitura em arquivos de texto seria: lab/texto/leituratextofiltro.java Texto: (leitura com filtro) classes importadas public class LeituraTextoFiltro { Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-6

7 public BufferedReader filtro; public void ler() { Texto: (leitura com filtro) abertura e criação do filtro Texto: (leitura com filtro) leitura no arquivo Texto: (leitura com filtro) fechamento do arquivo Importação de Classes para Leitura As seguintes classes são normalmente importadas quando se programa computações com leitura de arquivos de texto: Texto: (leitura com filtro) classes importadas import java.io.filereader; import java.io.bufferedreader; import java.io.ioexception; import java.io.filenotfoundexception; Abertura do Arquivo de Texto O processamento se inicia com a abertura do arquivo de texto e a criação do filtro a ser utilizado para processar a sua informação: Texto: (leitura com filtro) abertura e criação do filtro // ABRIR ARQUIVO DE TEXTO E CRIAR FILTRO FileReader arqtexto = new FileReader( "dados.txt" ); filtro = new BufferedReader( arqtexto ); catch( FileNotFoundException e ) { Leitura do Arquivo de Texto Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-7

8 Em seguida, passa-se à leitura de linhas de texto do arquivo com a ativação da operação readline(): Texto: (leitura com filtro) leitura no arquivo // LER DO ARQUIVO DE TEXTO String linha = filtro.readline(); System.out.println( linha ); Fechamento do Arquivo de Texto Finalmente, após a leitura das informações no arquivo, deve-se fechá-lo: Texto: (leitura com filtro) fechamento do arquivo // FECHAR O ARQUIVO DE TEXTO filtro.close(); 15.3 Aplicação: Controle de Estoque Esta seção cria um arquivo contendo produtos, quantidades e preços unitários, o qual é posteriormente processado, produzindo um relatório de estoque. O modelo de classes da aplicação, bem como dos objetos fundamentais, é descrito na Figura Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-8

9 Figura 15.6: Importação do pacote java.io (diagrama de classes UML) Criação do Arquivo de Estoque A criação do arquivo de estoque, denominado estoque.txt, segue o padrão anteriormente descrito para o caso de arquivos de texto. lab/estoque/estoquista.java pacotes importados na criação do estoque public class Estoquista { public BufferedWriter filtro = null; public void cadastrar() { abrir o arquivo de texto e criar o filtro de escrita do estoque obter as quantidades de produtos e escrever no arquivo esvaziar o filtro e fechar o arquivo de texto System.exit(0); São os seguintes as classes necessárias para criar o arquivo de estoque: pacotes importados na criação do estoque import java.io.filewriter; import java.io.bufferedwriter; import java.io.ioexception; A abertura e criação do filtro de escrita obedece ao padrão: Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-9

10 abrir o arquivo de texto e criar o filtro de escrita do estoque // ABRIR ARQUIVO DE TEXTO E CRIAR FILTRO BufferedWriter filtro = null; FileWriter arqtexto = new FileWriter( "estoque.txt" ); filtro = new BufferedWriter( arqtexto ); A parte principal da criação do arquivo de estoque deve percorrer cada produto e solicitar que o estoquista informe a quantidade atual existente. Inicialmente os produtos e preços unitários são definidos. Em seguida, cria-se um optico:leitoroptico para solicitação das quantidades. Uma repetição controlada por contador percorre cada produto e solicita a quantidade existente. Este valor é convertido para int, sendo utilizado para montar uma linha, escrita no arquivo de texto: obter as quantidades de produtos e escrever no arquivo // ESCREVER NO ARQUIVO DE TEXTO String[] produtos = { "Lapis", "Borracha", "Caderno", "Caneta" ; String[] precos = { "0.70", "0.35", "5.00", "1.20" ; LeitorOptico optico = new LeitorOptico(); for( int i = 0; i < produtos.length; i++ ) { int qtde = optico.obterint( "Quantidade de " + produtos[i] + "?"); String linha = produtos[i] + " " + qtde + " " + precos[i]; filtro.write( linha ); filtro.newline(); optico = null; A parte final esvazia o filtro e fecha o arquivo de texto contendo as informações sobre o estoque atual: Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-10

11 esvaziar o filtro e fechar o arquivo de texto // ESVAZIAR FILTRO E FECHAR O ARQUIVO DE TEXTO filtro.flush(); filtro.close(); O contexto envolvendo o leitor óptico apenas solicita a quantidade de produto disponível no estoque, simulando o dispositivo real de leitura utilizado pelo estoquista: lab/estoque/leitoroptico.java import javax.swing.joptionpane; public class LeitorOptico { public int obterint( String pergunta ) { String linha = JOptionPane.showInputDialog( pergunta ); int n = 0; n = Integer.parseInt( linha ); catch( NumberFormatException e ) { System.out.println( "Quantidade desconhecida" ); return n; Processamento do Arquivo de Estoque O processamento do arquivo de estoque deve ler os valores informados e gerar um relatório da situação atual dos produtos. lab/estoque/estoque.java classes importadas para o processamento do estoque public class Estoque { public Item[] produtos = new Item[ 100 ]; public void recuperaritens() { abrir o arquivo de texto e criar o filtro de leitura do estoque carregar as informações sobre cada produto e gerar o relatório fechar o arquivo de estoque mostrar o relatório do estoque São os seguintes os arquivos importados para o processamento do estoque: Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-11

12 classes importadas para o processamento do estoque import java.io.filereader; import java.io.bufferedreader; import java.io.ioexception; import java.io.filenotfoundexception; import java.util.stringtokenizer; A abertura do arquivo de estoque para leitura, segue o padrão normal visto anteriormente: abrir o arquivo de texto e criar o filtro de leitura do estoque // ABRIR ARQUIVO DE TEXTO E CRIAR FILTRO BufferedReader filtro = null; FileReader arqtexto = new FileReader( "estoque.txt" ); filtro = new BufferedReader( arqtexto ); catch( FileNotFoundException e ) { A carga de informações do arquivo faz uso do filtro de leitura de linhas. Para cada linha recuperada, o produto, sua quantidade e preço unitário devem ser determinados. Um contexto denominado analisador da classe StringTokenizer pode ser utilizado para esta finalidade. O analisador é criado para cada linha. O serviço nexttoken() retorna a cadeia de caracteres que antecede um separador (o espaço e o terminador de linha são os separadores normais). No caso deste sistema, cada linha contém três informações (produto, quantidade e preço) separaradas por um espaço. Por conseguinte três ativações do serviço nexttoken() são utilizadas para recuperar estas informações. A partir delas, um novo contexto da classe Item é construído, sendo de imediato inserido na lista produtos, representado o estoque atual: Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-12

13 carregar as informações sobre cada produto e gerar o relatório // LER DO ARQUIVO DE TEXTO Item[] produtos = new Item[ 100 ]; int n = 0; String linha = filtro.readline(); while( linha!= null ) { StringTokenizer analisador = new StringTokenizer( linha ); String produto = analisador.nexttoken(); recuperar um item e inserir na lista de produtos linha = filtro.readline(); No núcleo da estrutura de repetição controlada por sentinela, deve-se recuperar as informações de um único item, criar um objeto encapsulando estas informações e inseri-lo na lista de produtos do estoque: recuperar um item e inserir na lista de produtos int qtde = Integer.parseInt( analisador.nexttoken() ); double preco = Double.parseDouble( analisador.nexttoken() ); produtos[n] = new Item( produto, qtde, preco ); n++; catch( NumberFormatException e ) { System.out.println( "ERRO no arquivo de entrada: linha ignorada" ); System.out.println( linha ); Após a leitura de todas as linhas do arquivo de estoque, ele é fechado: fechar o arquivo de estoque // FECHAR O ARQUIVO DE TEXTO filtro.close(); Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-13

14 Por último, a lista de produtos é apresentada, contabilizando-se o valor total de cada produto disponível: mostrar o relatório do estoque public void gerarrelatorio() { for( int i = 0; i < produtos.length; i++ ) { System.out.println( produtos[i] ); A classe Item modela a estrutura de informações de um item estocado. A estrutura é composta pelo nome do produto, sua quantidade em estoque e o seu preço unitário. Adicionalmente, uma propriedade de formatação é utilizada no momento da conversão feita pelo serviço tostring(): lab/estoque/item.java import java.text.decimalformat; public class Item { private String _produto; private int _quantidade; private double _preco; private DecimalFormat _formato; public Item( String produto, int quantidade, double preco ) { _produto = produto; _quantidade = quantidade; _preco = preco; _formato = new DecimalFormat( "0.##" ); public String tostring() { return _produto + ":" + _quantidade + " a " + _preco + " = " + _formato.format( (_quantidade * _preco) ); Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-14

15 EXERCÍCIOS 15.1 MODELO GERAL DE ESCRITA EM ARQUIVOS DE TEXTO Implemente e execute o programa de escrita em arquivos de dados com filtro: Tarefa Tarefa Crie o projeto ex15.1. Crie a classe EscritaTextoFiltro. Tarefa Crie o objeto escritor e envie a mensagem escritor.escrever() MODELO GERAL DE LEITURA DE ARQUIVOS DE TEXTO Implemente e execute o programa de leitura em arquivos de dados com filtro: Tarefa Tarefa Tarefa Crie o projeto ex15.2. Crie a classe LeituraTextoFiltro. Crie o objeto leitor e envie a mensagem leitor.ler() CONTROLE DE ESTOQUE Sobre o sistema de controle de estoque: Tarefa Tarefa Tarefa Tarefa Crie o projeto ex15.3. Implemente o programa do sistema de controle de estoque. Crie os objetos aldo:estoquista e bazar:estoque. Qual o efeito do processamento da mensagem aldo.cadastrar()? Tarefa Qual o efeito do processamento das mensagens bazar.recuperaritens() seguida de bazar.gerarrelatorio()? Tarefa Altere o arquivo Estoque.java de modo a ser apresentado o valor total estocado (somatória dos valores dos produtos estocados). OBS: procure utilizar um novo método totalizar(produtos):void que recebe o array produtos por referência e retorna o cálculo solicitado. Copyright c , Dr. Italo S. Vega 15-15

Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu.

Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu. Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu.br Conceitos Arquivos permitem armazenar dados de maneira

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 16 Prof. ISVega Maio de 2004 Arquivos Binários CONTEÚDO 16.1 Processamento

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia emtelemática Programação Orientada a Objetos Streams em Java. Copyright 2010 Prof. César Rocha

Curso Superior de Tecnologia emtelemática Programação Orientada a Objetos Streams em Java. Copyright 2010 Prof. César Rocha Curso Superior de Tecnologia emtelemática Programação Orientada a Objetos Streams em Java Copyright 2010 Prof. César Rocha 1 Objetivos Explorar os conceitos fundamentais acerca do uso de streams de arquivos

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 7 Prof. ISVega Março de 2004 Controle de Execução: Seleção Simples CONTEÚDO

Leia mais

Arquivos. Profa. Thienne Johnson EACH/USP

Arquivos. Profa. Thienne Johnson EACH/USP Arquivos Profa. Thienne Johnson EACH/USP Java, como programar, 6ª edição Deitel & Deitel Capítulo 14 Programadores utilizam arquivos para armazenar dados a longo prazo Dados armazenados em arquivos são

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 4 Prof. ISVega Fevereiro de 2004 Ambiente BlueJ CONTEÚDO 4.1 BlueJ como Ferramenta

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 3 Prof. ISVega Fevereiro de 2004 Estilo de Codificação CONTEÚDO 3.1 Regras

Leia mais

Objetivos do Capítulo

Objetivos do Capítulo Capítulo 33 Arquivos e Fluxos de Dados Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Objetivos do Capítulo Analisar os conceitos de fluxo de entrada e de fluxo de saída de

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 10 Prof. ISVega Abril de 2004 Controle de Execução: Iteração CONTEÚDO 10.1Repetição

Leia mais

ruirossi@ruirossi.pro.br

ruirossi@ruirossi.pro.br Tratamento de Exceções Rui Rossi dos Santos ruirossi@ruirossi.pro.br Mediador: Rui Rossi dos Santos Slide 1 o Exceção: condição anormal Introdução o Causas: Falhas na implementação Falhas na operação o

Leia mais

Objetivo do programa: Implementação de um analisador de Logs do Servidor Web com base nos requisitos da unidade curricular de Estatística.

Objetivo do programa: Implementação de um analisador de Logs do Servidor Web com base nos requisitos da unidade curricular de Estatística. Objetivo do programa: Implementação de um analisador de Logs do Servidor Web com base nos requisitos da unidade curricular de Estatística. package ProjetoIntegrador; import java.io.bufferedreader; import

Leia mais

Capítulo 6. Java IO - Ficheiros

Capítulo 6. Java IO - Ficheiros Capítulo 6. Java IO - Ficheiros 1/26 Índice Indice 6.1 - Entrada e saída de dados 6.2 - Ficheiros de texto 6.3 - Ficheiros com formato proprietário 6.4 - A classe File 2/26 Índice 6.1 Entrada e saída de

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com Java. Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br

Programação Orientada a Objetos com Java. Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br Programação Orientada a Objetos com Java Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br TRATAMENTO DE EXCEÇÕES Tratamento de Exceções O tratamento de exceções de Java envolve vários conceitos importantes:

Leia mais

P R O G R A M A. Stream Stream. Stream. Figura 1. Streams representam fluxos unidirecionais de dados, seja em entrada ou saída.

P R O G R A M A. Stream Stream. Stream. Figura 1. Streams representam fluxos unidirecionais de dados, seja em entrada ou saída. Universidade do Vale do Rio dos Sinos Laboratório 2 Prof. Gerson Cavalheiro Material de Apoio Aula 3 Manipulação de s Em Java, assim como em C e C++, a entrada/saida (input/output) é realizada através

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 2 Prof. ISVega Fevereiro de 2004 Ciclo de Programação CONTEÚDO 2.1 Ciclo de

Leia mais

Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para a entrada e saída padrão. Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para arquivos

Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para a entrada e saída padrão. Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para arquivos O pacote java.io Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/ 1 Objetivos Ler e escrever

Leia mais

Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1

Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1 Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1 Professor Leandro A. F. Fernandes http://www.ic.uff.br/~laffernandes Conteúdo: Entrada e saída de dados Material elaborado pelos profs. Anselmo Montenegro

Leia mais

Como oferecer estes serviços em Java??

Como oferecer estes serviços em Java?? Bacharelado em Ciência e Tecnologia Leitura e Escrita em Arquivos Prof a Maria das Graças B. Marietto (teoria) graca.marietto@ufabc.edu.br Prof a Christine Marie Schweitzer (prática) chrism@larc.usp.br

Leia mais

Exercícios de Revisão Java Básico

Exercícios de Revisão Java Básico Exercícios de Revisão Java Básico (i) Programação básica (estruturada) 1) Faça um programa para calcular o valor das seguintes expressões: S 1 = 1 1 3 2 5 3 7 99... 4 50 S 2 = 21 50 22 49 23 48...250 1

Leia mais

Programação para Android. Aula 07: Persistência de dados Shared Preferences, Internal e External Storage

Programação para Android. Aula 07: Persistência de dados Shared Preferences, Internal e External Storage Programação para Android Aula 07: Persistência de dados Shared Preferences, Internal e External Storage Persistência de dados Na maioria das aplicações precisamos ter algum tipo de persistência de dados.

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 12 Prof. ISVega Abril de 2004 Interação com o Usuário CONTEÚDO 12.1Módulo

Leia mais

STREAMS (FLUXOS) EM JAVA uma Introdução

STREAMS (FLUXOS) EM JAVA uma Introdução STREAMS (FLUXOS) EM JAVA uma Introdução Miguel Jonathan DCC-IM/UFRJ (rev. maio 2010) A palavra stream em inglês significa um "fluxo de água", como um riacho. A idéia que transmite é de algo fluindo continuamente,

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 8 Prof. ISVega Março de 2004 Controle de Execução: Seleção Múltipla CONTEÚDO

Leia mais

Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA

Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA Versão 1.4 Índice 1. Objetivo..3 2. Processo..3 3. API de Criptografia - Biblioteca Java..4 3.1 WEBTACryptoUtil..4 3.1.1 decodekeyfile..4 3.1.2

Leia mais

Coleções. Conceitos e Utilização Básica. c Professores de ALPRO I 05/2012. Faculdade de Informática PUCRS

Coleções. Conceitos e Utilização Básica. c Professores de ALPRO I 05/2012. Faculdade de Informática PUCRS Coleções Conceitos e Utilização Básica c Professores de ALPRO I Faculdade de Informática PUCRS 05/2012 ALPRO I (FACIN) Coleções: Básico 05/2012 1 / 41 Nota Este material não pode ser reproduzido ou utilizado

Leia mais

Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET

Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET 1. OBJECTIVOS - Entender o contexto da plataforma.net - Desenvolver programas simples em C#.NET - Saber efectuar entradas de dados em modo Consola e Windows Forms

Leia mais

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null Palavras -chave de JAV A abstract catch do final implements long private static throw void boolean char double finally import native protected super throws volatile break class float insfcanceof new public

Leia mais

Prova de Java. 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos)

Prova de Java. 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos) Prova de Java 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos) O programa consiste em uma aplicação que simula o comportamento de dois

Leia mais

Roteiro do Programa e Entrada/Saída

Roteiro do Programa e Entrada/Saída Roteiro do Programa e Entrada/Saída c Professores de ALPRO I Faculdade de Informática PUCRS 03/2012 ALPRO I (FACIN) Roteiro do Programa e E/S 03/2012 1 / 32 Sumário 1 Relembrando 2 Programa Definição de

Leia mais

LP2 Laboratório de Programação 2 Ciência da Computação. Arquivos

LP2 Laboratório de Programação 2 Ciência da Computação. Arquivos Arquivos Um arquivo é uma abstração utilizada para uniformizar a interação entre o ambiente de execução e os dispositivos externos. A interação de um programa com um dispositivo através de arquivos passa

Leia mais

Redes de Computadores - 2010/1

Redes de Computadores - 2010/1 Redes de Computadores - 2010/1 Miniprojeto Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Professor: Magnos Martinello 20 de maio de 2010 1 1 Proposta A proposta do trabalho é reforçar o compreendimento

Leia mais

Descrição. Implementação. Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos

Descrição. Implementação. Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos Descrição Implemente nesta atividade de laboratório um programa em Java utilizando threads

Leia mais

UNIVERSIDADE DO TOCANTINS TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PRÁTICA EM PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS ESTUDO DE CASO II

UNIVERSIDADE DO TOCANTINS TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PRÁTICA EM PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS ESTUDO DE CASO II ESTUDO DE CASO II Um sistema de recursos humanos tem a finalidade de auxiliar empresas de recrutamento e seleção no gerenciamento de candidatos e de vagas oferecidas por empresas de diversos ramos, além

Leia mais

Capítulo II Modelos de Programação Distribuída

Capítulo II Modelos de Programação Distribuída Capítulo II Modelos de Programação Distribuída From: Coulouris, Dollimore and Kindberg Distributed Systems: Concepts and Design Edition 4, Addison-Wesley 2005 From: M. Ben-Ari Principles of Concurrent

Leia mais

Laboratório de Programação

Laboratório de Programação Ambiente BlueJ 1 Laboratório de Programação Dr. Italo Santiago Vega Curso de Graduação Ciência da Computação Pontifícia Universidade de São Paulo Copyright 1998-2004, Italo S. Vega Ambiente BlueJ 1-1 Semana

Leia mais

double [] precoa = new double [1000]; // Preço com desconto para compras Avista

double [] precoa = new double [1000]; // Preço com desconto para compras Avista import java.util.scanner; import javax.swing.joptionpane; import java.text.decimalformat; public class ControleVendas{ public static String arraytostring(string[] array, String delimiter) { StringBuilder

Leia mais

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código }

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código } Este documento tem o objetivo de demonstrar os comandos e sintaxes básicas da linguagem Java. 1. Alguns passos para criar programas em Java As primeiras coisas que devem ser abordadas para começar a desenvolver

Leia mais

Ficheiros. Ficheiros - Motivação. Streams. Entrada Binária. Não. Ficheiro

Ficheiros. Ficheiros - Motivação. Streams. Entrada Binária. Não. Ficheiro Ficheiros - Motivação Ficheiros Exemplo Suponha que desenvolve um programa para a calcular a média aritmética da primeira prova de frequência de uma turma e passado algum tempo realiza uma segunda prova

Leia mais

Programação II Java Streams. Christopher Burrows

Programação II Java Streams. Christopher Burrows Programação II Java Streams Christopher Burrows Java Streams - Introdução As aplicações informáticas consistem em trocas de dados entre duas ou mais fontes/destinos. As Streams servem para representar

Leia mais

Algoritmos e Programação _ Departamento de Informática

Algoritmos e Programação _ Departamento de Informática 16 ARQUIVOS Um arquivo corresponde a um conjunto de informações (exemplo: uma estrutura de dados-registro), que pode ser armazenado em um dispositivo de memória permanente, exemplo disco rígido. As operações

Leia mais

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções Escola Superior de Gestão e Tecnologia Tratamento de Exceções Objetivos Compreender como o tratamento de exceção e de erro funciona. Como u4lizar try, throw e catch para detectar, indicar e tratar exceções,

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

A ) O cliente terá que implementar uma interface remota. . Definir a interface remota com os métodos que poderão ser acedidos remotamente

A ) O cliente terá que implementar uma interface remota. . Definir a interface remota com os métodos que poderão ser acedidos remotamente Java RMI - Remote Method Invocation Callbacks Folha 9-1 Vimos, na folha prática anterior, um exemplo muito simples de uma aplicação cliente/ servidor em que o cliente acede à referência remota de um objecto

Leia mais

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com HelloWorld.java: public class HelloWorld { public static void main (String[] args) { System.out.println( Hello, World ); } } Identificadores são usados

Leia mais

Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas. Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares

Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas. Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares Objetivos Conceito de exceções Tratar exceções pelo uso de try, catch e

Leia mais

Lab de Programação de sistemas I

Lab de Programação de sistemas I Lab de Programação de sistemas I Apresentação Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Agenda Orientação a Objetos Conceitos e Práticas Programação OO

Leia mais

Encapsulamento de Dados

Encapsulamento de Dados Encapsulamento de Dados Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Modificadores de Visibilidade Especificam

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 03 APRESENTAÇÃO: Hoje vamos conhecer o comando switch, o bloco try catch;

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Templates e Pilhas. 1. Introdução

Templates e Pilhas. 1. Introdução Templates e Pilhas 1. Introdução Templates ou Generics é considerado uma forma de polimorfismo [1]. É uma forma de programar onde o tipo do dado não é considerado. Programa-se para um tipo de dado indefinido.

Leia mais

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Breve Histórico A linguagem de programação C foi criada na década de 70, por Dennis Ritchie, que a implementou,

Leia mais

Tipos agregados. Tipos estruturados

Tipos agregados. Tipos estruturados Tipos agregados ou Tipos estruturados permitem a implementação de agrupamentos de dados. exemplos: lista de valores que representam as taxas mensais de inflação durante um ano; ficha de cadastro de um

Leia mais

Programação de Redes de Computadores em Java

Programação de Redes de Computadores em Java Programação de Redes de Computadores em Java Material reescrito para os alunos da disciplina CAP312 Programação de Redes de Computadores do programa de pós-graduação em Computação Aplicada do Instituto

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013. Arquivos. Pedro O.S. Vaz de Melo

Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013. Arquivos. Pedro O.S. Vaz de Melo Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013 Arquivos Pedro O.S. Vaz de Melo Problema 1 Considere que um arquivo de dados contém os valores das dimensões (tam. max.: 100) e dos elementos de duas matrizes

Leia mais

Módulo VIII Linguagem Java Entrada e Saída de Dados Arquivos

Módulo VIII Linguagem Java Entrada e Saída de Dados Arquivos Especialização Avançada em Sistemas Distribuídos - EASD Módulo VIII Linguagem Java Entrada e Saída de Dados Arquivos Marcela Santana e Sérgio Gorender Universidade Federal da Bahia Arquivos Outro dispositivo

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

BC0505 Processamento da Informação

BC0505 Processamento da Informação BC0505 Processamento da Informação Assunto: Modularização de código e passagem de parâmetros Aula Prática: 4 Versão: 0.2 Introdução Modularização No Java, como em outras linguagens de Programação Orientadas

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Roteiro. Introdução a Arquivos. Streams Serialização Arquivos de Acesso Randômico Exercícios. Armazenamento. Dados em vetores, listas e variáveis

Roteiro. Introdução a Arquivos. Streams Serialização Arquivos de Acesso Randômico Exercícios. Armazenamento. Dados em vetores, listas e variáveis Arquivos e Porto Alegre, novembro de 2006 Adaptado das aulas dos Profs: Isabel Manssour, Luciana Nedel, Bernardo Copstein e Júlio Machado Roteiro Serialização Arquivos de Acesso Randômico Exercícios Armazenamento

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Programação para web JavaScript

Programação para web JavaScript Programação para web JavaScript Professor: Harlley Lima E-mail: harlley@decom.cefetmg.br Departamento de Computação Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais Belo Horizonte, 4 de maio 2016

Leia mais

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB)

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB) Uma Introdução à Arquitetura Francisco C. R. Reverbel 1 Copyright 1998-2006 Francisco Reverbel O Object Request Broker (ORB) Via de comunicação entre objetos (object bus), na arquitetura do OMG Definido

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Inicie o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

Mecanismos de Comunicação. Sockets em java (http://java.sun.com/docs/books/tutorial/networking/sockets/)

Mecanismos de Comunicação. Sockets em java (http://java.sun.com/docs/books/tutorial/networking/sockets/) Mecanismos de Comunicação Sockets em java (http://java.sun.com/docs/books/tutorial/networking/sockets/) Sockets o que é? Um socket é um mecanismo de comunicação (dois sentidos) entre dois programas a funcionar

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Arquivos. Pedro O.S. Vaz de Melo

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Arquivos. Pedro O.S. Vaz de Melo Algoritmos e Estruturas de Dados I Arquivos Pedro O.S. Vaz de Melo Problema 1 Considere que um arquivo de dados contém os valores das dimensões (tam. max.: 100) e dos elementos de duas matrizes de números

Leia mais

UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Estrutura de Dados. AULA 6 Filas

UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Estrutura de Dados. AULA 6 Filas UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação Estrutura de Dados AULA 6 Filas Estrutura de Dados A Estrutura de Dados Fila Fila é uma estrutura de dados usada em programação, que tem regras para

Leia mais

Java 2 Standard Edition Fundamentos de

Java 2 Standard Edition Fundamentos de Java 2 Standard Edition Fundamentos de Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Sobre este módulo Este módulo pretende apenas cobrir conceitos essenciais sobre programação em rede com Java Como criar um

Leia mais

Aula 2. Objetivos Conceitos; Instalação do Text Pad; Entendendo o código java do AloMundo1 Codificação do AloMundo2,AloMundo3 e AloMundo4.

Aula 2. Objetivos Conceitos; Instalação do Text Pad; Entendendo o código java do AloMundo1 Codificação do AloMundo2,AloMundo3 e AloMundo4. Aula 2 Objetivos Conceitos; Instalação do Text Pad; Entendendo o código java do AloMundo1 Codificação do AloMundo2,AloMundo3 e AloMundo4. Conceitos O software controla os computadores(freqüentemente conhecido

Leia mais

Linguagem de Programação III

Linguagem de Programação III Linguagem de Programação III Aula-3 Criando Classes em Java Prof. Esbel Tomás Valero Orellana Da Aula Anterior Classes em Java, sintaxe básica Tipos básicos de dados em Java, como escolher o tipo apropriado

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS COLEGIADO DE INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS COLEGIADO DE INFORMÁTICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS COLEGIADO DE INFORMÁTICA Disciplina: Redes de Computadores Ano: 2007 Professor: Luiz Antonio Trabalho 1º Bimestre Cliente/Servidor

Leia mais

FTP FILE F TRANSFER PROTOCOL. Tópicos

FTP FILE F TRANSFER PROTOCOL. Tópicos FTP FILE F TRANSFER PROTOCOL Tópicos Revisão da aplicação FTP Implementação simples em Java de uma conexão FTP Implementação simples em Java de um comando de transferência de arquivo Descrição dos exercícios

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Iniciar o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

Sintaxe Básica de Java Parte 1

Sintaxe Básica de Java Parte 1 Sintaxe Básica de Java Parte 1 Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marcioubeno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Estrutura de Programa Um programa

Leia mais

FBV - Linguagem de Programação II. Um pouco sobre Java

FBV - Linguagem de Programação II. Um pouco sobre Java FBV - Linguagem de Programação II Um pouco sobre Java História 1992: um grupo de engenheiros da Sun Microsystems desenvolve uma linguagem para pequenos dispositivos, batizada de Oak Desenvolvida com base

Leia mais

Capítulo 14. Herança a e Polimorfismo. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra

Capítulo 14. Herança a e Polimorfismo. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Capítulo 14 Herança a e Polimorfismo Objetivos do Capítulo Apresentar os conceitos de herança e de polimorfismo. Explorar os diversos recursos disponíveis no Java para a aplicação da herança e do polimorfismo

Leia mais

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição Lista de Contas Lista de Contas: Assinatura null Quais são os métodos necessários? class ListaDeContas { void inserir (Conta c) { void retirar (Conta c) { Conta procurar (String num) { Listas de Contas:

Leia mais

Em JAVA, todas as considerações (ou quase todas) que se relacionam com as mais

Em JAVA, todas as considerações (ou quase todas) que se relacionam com as mais STREAMS DE JAVA Em JAVA, todas as considerações (ou quase todas) que se relacionam com as mais diferentes formas de se realizar a leitura e a escrita de dados a partir das mais diversas fontes e para os

Leia mais

Arquivos. Estruturas de Dados II Vanessa Braganholo

Arquivos. Estruturas de Dados II Vanessa Braganholo Arquivos Estruturas de Dados II Vanessa Braganholo Entidades } Aplicações precisam armazenar dados sobre as mais diversas entidades, que podem ser concretas ou abstratas } Funcionário de uma empresa (concreto)

Leia mais

Modelagem e Implementação (Incremental de um Software para Controle) de Aquário de Peixes

Modelagem e Implementação (Incremental de um Software para Controle) de Aquário de Peixes Modelagem e Implementação de Aquário de Peixes- por Jorge Fernandes - Página 1 Modelagem e Implementação (Incremental de um Software para Controle) de Aquário de Peixes Jorge Fernandes Natal, Agosto de

Leia mais

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos.

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos. import java.util.scanner; class Data... class Compromisso... public class Agenda private Compromisso[] compromissos; private Compromisso[] realoquecompromissos (Compromisso[] vetor, int tamanhodesejado)

Leia mais

5 Caso de estudo O cartão fidelidade

5 Caso de estudo O cartão fidelidade 5 Caso de estudo O cartão fidelidade Cartão de fidelização de clientes das distribuidoras de combustível. Definição em JAVA da classe CartaoFidelidade, que deverá apresentar uma funcionalidade semelhante

Leia mais

Orientação a Objetos com Java

Orientação a Objetos com Java Orientação a Objetos com Java Julio Cesar Nardi julionardi@yahoo.com.br 2011/2 Apresentação 3: Orientação Objetos: Conceitos Básicos Objetivos: Compreender os Conceitos Básicos da Orientação a Objetos;

Leia mais

INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO UNICAMP 1o. SEMESTRE DE 2009. Profa. Cecília M. F. Rubira

INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO UNICAMP 1o. SEMESTRE DE 2009. Profa. Cecília M. F. Rubira INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO UNICAMP 1o. SEMESTRE DE 2009 Profa. Cecília M. F. Rubira Sala 13, cmrubira@ic.unicamp.br Versão: 1.1 Data: 22 de abril de 2009. Estudo de Caso: Sistema de Folha de Pagamento Este

Leia mais

Programa de Computador que funciona em Rede

Programa de Computador que funciona em Rede Programa de Computador que funciona em Rede professor Robinson Vida Noronha 1 Paradigma Um programa rodando em rede é como uma loja. 2 Uma loja é composta por Vendedores Vendedores 3 Um loja deve servir

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel Ambiente de Desenvolvimento Orientação a Objetos É uma técnica de desenvolvimento de softwares que consiste em representar os elementos do mundo

Leia mais

Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java

Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java Java and all Java-based marks are trademarks or registered trademarks of Sun Microsystems, Inc. in the U.S. and other countries. Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java Capítulo 10 Arquivos e Streams

Leia mais

Programação com Acesso a BD. Programação com OO Acesso em Java

Programação com Acesso a BD. Programação com OO Acesso em Java Programação com OO Acesso em Java a BD Curso: Técnico em Informática Campus: Ipanguaçu José Maria Monteiro Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento Clayton Maciel de Informática

Leia mais

Curso de Java. Orientação a objetos e a Linguagem JAVA. TodososdireitosreservadosKlais

Curso de Java. Orientação a objetos e a Linguagem JAVA. TodososdireitosreservadosKlais Curso de Java Orientação a objetos e a Linguagem JAVA Roteiro A linguagem Java e a máquina virtual Objetos e Classes Encapsulamento, Herança e Polimorfismo Primeiro Exemplo A Linguagem JAVA Principais

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

POO Programação Orientada a Objetos. Classes em Java

POO Programação Orientada a Objetos. Classes em Java + POO Programação Orientada a Objetos Classes em Java + Classes 2 Para que a JVM crie objetos: Ela precisa saber qual classe o objeto pertence Na classe estão definidos os atributos e métodos Programamos

Leia mais

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 1 UML Introdução Fases de Desenvolvimento Notação Visões Análise de Requisitos Casos de Uso StarUML Criando Casos de Uso Orientação a Objetos Diagrama de Classes

Leia mais

Java : Comunicação Cliente-Servidor.

Java : Comunicação Cliente-Servidor. Java : Comunicação Cliente-Servidor. Objetivo: Capacitar o aluno a desenvolver uma aplicação servidora para múltiplos clientes. Apresentar as classes Socket e ServerSocket, classes de fluxo de dados, a

Leia mais

Java TM e o Modelo de Objetos

Java TM e o Modelo de Objetos Java TM e o Modelo de Objetos Java Deployment Course: Aula 1 por Jorge H C Fernandes (jorge@dimap.ufrn.br) DIMAp-UFRN Java e o Modelo de Objetos Objetivos desta Aula Introduzir conceitos básicos do modelo

Leia mais

Android e Bancos de Dados

Android e Bancos de Dados (Usando o SQLite) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do

Leia mais

Computação II - Java Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Aula Prática - Herança, Polimorfismo e Construtores

Computação II - Java Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Aula Prática - Herança, Polimorfismo e Construtores Computação II - Java Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Aula Prática - Herança, Polimorfismo e Construtores 1 Exercícios Exercício 1: Construtores e Testes Analise a classe Conta.java, mostrada na

Leia mais

Introdução a Java. Mário Meireles Teixeira. l Java é tanto uma linguagem de programação de alto nível quanto uma plataforma de desenvolvimento

Introdução a Java. Mário Meireles Teixeira. l Java é tanto uma linguagem de programação de alto nível quanto uma plataforma de desenvolvimento Mário Meireles Teixeira UFMA DEINF Tecnologia Java Java é tanto uma linguagem de programação de alto nível quanto uma plataforma de desenvolvimento de aplicações Java como linguagem de programação desenvolvimento

Leia mais

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ...

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ... Programação Na Web Linguagem Java Parte II Sintaxe António Gonçalves break com o nome do bloco Nome do bloco Termina o bloco class class Matrix Matrix { private private int[][] int[][] mat; mat; public

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais