Curso Superior de Tecnologia emtelemática Programação Orientada a Objetos Streams em Java. Copyright 2010 Prof. César Rocha

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso Superior de Tecnologia emtelemática Programação Orientada a Objetos Streams em Java. Copyright 2010 Prof. César Rocha"

Transcrição

1 Curso Superior de Tecnologia emtelemática Programação Orientada a Objetos Streams em Java Copyright 2010 Prof. César Rocha 1

2 Objetivos Explorar os conceitos fundamentais acerca do uso de streams de arquivos em Java Principais classes, abrindo conexões de streams, leitura e gravação de objetos com streams, serialização e boas práticas de programação. Como trocar dados com outros programas não-java Leitura e gravação de texto e caracteres com streams Exercícios e vários exemplos de códigos que você deve testar visando solidificar seus conhecimentos A diversidade de novas classes neste móduloé grande! 2

3 Motivação Vimos que uma aplicação Java possui diversos objetos cooperantes com estado e comportamento Cada objeto é único e possui seus próprios dados O quê fazer quando precisamos salvar todo o estado de um (ou mais) objeto(s) no disco? Aplicação bancária, onde todos os objetos Transação devem ser gravados em um arquivo de lote diário Um Jogo de computador, onde o estado atual de um Personagem deve ser gravado para uma sessão futura E quando a aplicaçãodeve trocarinformações com outros sistemas (muitas vezes não-oo)? 3

4 Alternativas Em Java, basicamente, há dois formatos possíveis para gravar dados em arquivos, conforme a seguir: ❶ Serialização: um arquivo irá guardar uma fila de objetos serializados. O conteúdo deste arquivo é quase ilegível, mas natural à JVM. Quando há necessidade de recuperar o objeto a partir do arquivo, ele é inflado e enviado para a memória, automaticamente ❷ Texto/Caracteres: um arquivo irá guardar uma cadeia de caracteres. Neste processo, o programador cria seu formato pessoal de armazenamento e pode compreendê-lo. Usa-se, geralmente, algum delimitador para materializar este formato 4

5 Passos para gravar objetos Seguem os passos básicos necessários para escrever (enviar) um objeto para um arquivo no disco: ❶ Criar um FileOutputStream: FileOutputStream fos = new FileOutputStream( arquivo.ser ); ❷ Criar um ObjectOutputStream: ObjectOutputStream oos = new ObjectOutputStream(fos); ❸ Gravar o objeto: Cliente c1 = new Cliente(); oos.writeobject(c1); ❹ Fechar a conexão: oos.close(); Note a concatenação. Dica: se arquivo.ser não existir no disco, ele será criado. 5

6 Interface Serializable Se sua classe precisa ser serializada, implemente a interface Serializable (marker interface) public class Cliente implements Serializable { private String nome; private double salario; Dica: estes valores serão salvos em arquivo.ser public Cliente(){... public String import getnome(){ java.io.fileoutputstream; import java.io.ioexception; public void import setnome(string java.io.objectoutputstream; n){ public double getsalario(){ public void public setsalario(double class GravaCliente s){ { public String public tostring(){ static void main( String[] args ) { Cliente c = new Cliente(); try { FileOutputStream fos = new FileOutputStream("arquivo.ser"); ObjectOutputStream oos = new ObjectOutputStream(fos); oos.writeobject(c); oos.close(); catch ( IOException e ) { e.printstacktrace(); 6

7 Importante E o queacontece quando o objeto possuivariáveis membros do tiporeferência (outros objetos)? Quandoum objeto é serializado, todaa árvore (hierarquia) que forma o objeto principal é serializada automaticamente Porém, os objetos membrostambém devem ser serializáveis, casocontráriouma exceção do tipo NotSerializableException será gerada. E o queacontece quando nãotemos acesso a classe membro para corrigir (alterar o código)? Podemosusar a herança de implementação (extends) 7

8 Passos para restaurar/ler objetos Seguem os passos básicos necessários para ler (restaurar) um objeto a partir de um arquivo: ❶ Criar um FileInputStream: FileInputStream fis = new ❷ Criar um ObjectInputStream: ObjectInputStream ois = new FileInputStream( arquivo.ser ); ObjectInputStream(fis); ❸ Ler o objeto: Cliente novo = (Cliente) ois.readobject(); ❹ Fechar a conexão: ois.close(); Note a concatenação. Dica: os objetos devem ser lidos na mesma ordem em que foram gravados anteriormente (fila). 8

9 Passos para gravar caracteres Seguem os passos básicos necessários para escrever (enviar) um texto para um arquivo no disco: ❶ Criar um FileWriter FileWriter fw = new FileWriter( arquivo.txt ); ❷ Concatená-lo com um BufferedWriter: BufferedWriter bw = new ❸ Gravar o texto: bw.write( Um texto ); ❹ Fechar a conexão: bw.close(); BufferedWriter(fw); Dica: O controle (separadores) deve ser feito pelo programador 9

10 Exemplo Lembre-se: o controle sobre toda a formataçãodo arquivo(separadores, quebras de linha, etc) é tarefa do programador do sistema import java.io.bufferedwriter; import java.io.filewriter; import java.io.ioexception; public class GravaTexto { public static void main( String[] args ) { try { FileWriter fw = new FileWriter("compras.txt"); BufferedWriter bw = new BufferedWriter(fw); bw.write("100"); bw.write( #"); bw.write("feijão"); bw.write("\n"); bw.write("200"); bw.write( #"); bw.write("arroz"); bw.write("\n"); bw.close(); catch ( IOException e ) { e.printstacktrace(); 10

11 Passos para ler caracteres Seguem os passos básicos necessários para ler (restaurar) um texto a partir de um arquivo: ❶ Criar um FileReader FileReader fr = new FileReader( arquivo.txt ); ❷ Concatená-lo com um BufferedReader: BufferedReader br = new BufferedReader(fr); ❸ Lê o texto: String s = br.readline(); ❹ Fechar a conexão: br.close(); Dica: quando não houver mais linhas, readline() retornará null 11

12 Exemplo O quê fazer paraextrair os dados em cima de cada uma das linhas presentes no arquivo? Use o método split() oua classe StringTokenizer import java.io.bufferedreader; import java.io.filereader; import java.io.ioexception; public class LeTexto { public static void main( String[] args ) { try { FileReader fr = new FileReader("compras.txt"); BufferedReader br = new BufferedReader(fr); String linha = null; while ( (linha = br.readline())!= null ) { String[] v = linha.split("#"); for ( String dado : v ) System.out.println(dado); br.close(); catch ( IOException e ) { e.printstacktrace(); 12

13 Para um bom aproveitamento: Codifique os exemplos mostrados nestes slides e verifique pontos de dúvidas Resolva todas as questões da lista de streams Procure o professor ou monitor da disciplina e questione conceitos, listas, etc. Não deixe para codificar tudo e acumular assunto para a avaliação. Este é apenas um dos assuntos abordados na prova! 13

Programação II Java Streams. Christopher Burrows

Programação II Java Streams. Christopher Burrows Programação II Java Streams Christopher Burrows Java Streams - Introdução As aplicações informáticas consistem em trocas de dados entre duas ou mais fontes/destinos. As Streams servem para representar

Leia mais

Descrição. Implementação. Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos

Descrição. Implementação. Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos Descrição Implemente nesta atividade de laboratório um programa em Java utilizando threads

Leia mais

Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para a entrada e saída padrão. Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para arquivos

Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para a entrada e saída padrão. Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para arquivos O pacote java.io Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/ 1 Objetivos Ler e escrever

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 15 Prof. ISVega Maio de 2004 Arquivos de Texto CONTEÚDO 15.1Processamento

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu.

Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu. Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu.br Conceitos Arquivos permitem armazenar dados de maneira

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com Java. Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br

Programação Orientada a Objetos com Java. Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br Programação Orientada a Objetos com Java Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br TRATAMENTO DE EXCEÇÕES Tratamento de Exceções O tratamento de exceções de Java envolve vários conceitos importantes:

Leia mais

Objetivo do programa: Implementação de um analisador de Logs do Servidor Web com base nos requisitos da unidade curricular de Estatística.

Objetivo do programa: Implementação de um analisador de Logs do Servidor Web com base nos requisitos da unidade curricular de Estatística. Objetivo do programa: Implementação de um analisador de Logs do Servidor Web com base nos requisitos da unidade curricular de Estatística. package ProjetoIntegrador; import java.io.bufferedreader; import

Leia mais

ruirossi@ruirossi.pro.br

ruirossi@ruirossi.pro.br Tratamento de Exceções Rui Rossi dos Santos ruirossi@ruirossi.pro.br Mediador: Rui Rossi dos Santos Slide 1 o Exceção: condição anormal Introdução o Causas: Falhas na implementação Falhas na operação o

Leia mais

Roteiro. Introdução a Arquivos. Streams Serialização Arquivos de Acesso Randômico Exercícios. Armazenamento. Dados em vetores, listas e variáveis

Roteiro. Introdução a Arquivos. Streams Serialização Arquivos de Acesso Randômico Exercícios. Armazenamento. Dados em vetores, listas e variáveis Arquivos e Porto Alegre, novembro de 2006 Adaptado das aulas dos Profs: Isabel Manssour, Luciana Nedel, Bernardo Copstein e Júlio Machado Roteiro Serialização Arquivos de Acesso Randômico Exercícios Armazenamento

Leia mais

Em JAVA, todas as considerações (ou quase todas) que se relacionam com as mais

Em JAVA, todas as considerações (ou quase todas) que se relacionam com as mais STREAMS DE JAVA Em JAVA, todas as considerações (ou quase todas) que se relacionam com as mais diferentes formas de se realizar a leitura e a escrita de dados a partir das mais diversas fontes e para os

Leia mais

Exercícios de Revisão Java Básico

Exercícios de Revisão Java Básico Exercícios de Revisão Java Básico (i) Programação básica (estruturada) 1) Faça um programa para calcular o valor das seguintes expressões: S 1 = 1 1 3 2 5 3 7 99... 4 50 S 2 = 21 50 22 49 23 48...250 1

Leia mais

Programação de Redes de Computadores em Java

Programação de Redes de Computadores em Java Programação de Redes de Computadores em Java Material reescrito para os alunos da disciplina CAP312 Programação de Redes de Computadores do programa de pós-graduação em Computação Aplicada do Instituto

Leia mais

STREAMS (FLUXOS) EM JAVA uma Introdução

STREAMS (FLUXOS) EM JAVA uma Introdução STREAMS (FLUXOS) EM JAVA uma Introdução Miguel Jonathan DCC-IM/UFRJ (rev. maio 2010) A palavra stream em inglês significa um "fluxo de água", como um riacho. A idéia que transmite é de algo fluindo continuamente,

Leia mais

Arquivos. Profa. Thienne Johnson EACH/USP

Arquivos. Profa. Thienne Johnson EACH/USP Arquivos Profa. Thienne Johnson EACH/USP Java, como programar, 6ª edição Deitel & Deitel Capítulo 14 Programadores utilizam arquivos para armazenar dados a longo prazo Dados armazenados em arquivos são

Leia mais

Ficheiros. Ficheiros - Motivação. Streams. Entrada Binária. Não. Ficheiro

Ficheiros. Ficheiros - Motivação. Streams. Entrada Binária. Não. Ficheiro Ficheiros - Motivação Ficheiros Exemplo Suponha que desenvolve um programa para a calcular a média aritmética da primeira prova de frequência de uma turma e passado algum tempo realiza uma segunda prova

Leia mais

Como oferecer estes serviços em Java??

Como oferecer estes serviços em Java?? Bacharelado em Ciência e Tecnologia Leitura e Escrita em Arquivos Prof a Maria das Graças B. Marietto (teoria) graca.marietto@ufabc.edu.br Prof a Christine Marie Schweitzer (prática) chrism@larc.usp.br

Leia mais

Aula 2 APIs Básicas de Java

Aula 2 APIs Básicas de Java Aula 2 APIs Básicas de Java Rafael Santos Janeiro/Fevereiro 2010 http://www.lac.inpe.br/~rafael.santos 1 /94 Apresentação Curso Parte 1: Orientação a Objetos e Java Parte 2: IO, Sockets e rede, Threads,

Leia mais

Capítulo 6. Java IO - Ficheiros

Capítulo 6. Java IO - Ficheiros Capítulo 6. Java IO - Ficheiros 1/26 Índice Indice 6.1 - Entrada e saída de dados 6.2 - Ficheiros de texto 6.3 - Ficheiros com formato proprietário 6.4 - A classe File 2/26 Índice 6.1 Entrada e saída de

Leia mais

Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java

Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java Java and all Java-based marks are trademarks or registered trademarks of Sun Microsystems, Inc. in the U.S. and other countries. Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java Capítulo 10 Arquivos e Streams

Leia mais

LP2 Laboratório de Programação 2 Ciência da Computação. Arquivos

LP2 Laboratório de Programação 2 Ciência da Computação. Arquivos Arquivos Um arquivo é uma abstração utilizada para uniformizar a interação entre o ambiente de execução e os dispositivos externos. A interação de um programa com um dispositivo através de arquivos passa

Leia mais

Bruce Eckel, Thinking in Java, 4th edition, PrenticeHall, New Jersey, cf. http://mindview.net/books/tij4. jvo@ualg.pt José Valente de Oliveira 16-1

Bruce Eckel, Thinking in Java, 4th edition, PrenticeHall, New Jersey, cf. http://mindview.net/books/tij4. jvo@ualg.pt José Valente de Oliveira 16-1 Streams III Bruce Eckel, Thinking in Java, 4th edition, PrenticeHall, New Jersey, cf. http://mindview.net/books/tij4 jvo@ualg.pt José Valente de Oliveira 16-1 Previously: Serializing a collection public

Leia mais

P R O G R A M A. Stream Stream. Stream. Figura 1. Streams representam fluxos unidirecionais de dados, seja em entrada ou saída.

P R O G R A M A. Stream Stream. Stream. Figura 1. Streams representam fluxos unidirecionais de dados, seja em entrada ou saída. Universidade do Vale do Rio dos Sinos Laboratório 2 Prof. Gerson Cavalheiro Material de Apoio Aula 3 Manipulação de s Em Java, assim como em C e C++, a entrada/saida (input/output) é realizada através

Leia mais

PROGRAMAÇÃO COM OBJECTOS

PROGRAMAÇÃO COM OBJECTOS PROGRAMAÇÃO COM OBJECTOS Nuno Mamede Departamento de Engenharia Informática Instituto Superior Técnico Programação com Objectos de caracteres - 4 - STREAMS! Stream: " Uma abstracção " Representa uma fonte

Leia mais

Módulo VIII Linguagem Java Entrada e Saída de Dados Arquivos

Módulo VIII Linguagem Java Entrada e Saída de Dados Arquivos Especialização Avançada em Sistemas Distribuídos - EASD Módulo VIII Linguagem Java Entrada e Saída de Dados Arquivos Marcela Santana e Sérgio Gorender Universidade Federal da Bahia Arquivos Outro dispositivo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO TOCANTINS TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PRÁTICA EM PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS ESTUDO DE CASO II

UNIVERSIDADE DO TOCANTINS TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PRÁTICA EM PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS ESTUDO DE CASO II ESTUDO DE CASO II Um sistema de recursos humanos tem a finalidade de auxiliar empresas de recrutamento e seleção no gerenciamento de candidatos e de vagas oferecidas por empresas de diversos ramos, além

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 06 APRESENTAÇÃO Uso e criação de classes; uso de herança; uso de final,

Leia mais

A ) O cliente terá que implementar uma interface remota. . Definir a interface remota com os métodos que poderão ser acedidos remotamente

A ) O cliente terá que implementar uma interface remota. . Definir a interface remota com os métodos que poderão ser acedidos remotamente Java RMI - Remote Method Invocation Callbacks Folha 9-1 Vimos, na folha prática anterior, um exemplo muito simples de uma aplicação cliente/ servidor em que o cliente acede à referência remota de um objecto

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

Configuração de Cliente de Web Service HTTPS

Configuração de Cliente de Web Service HTTPS Configuração de Cliente de Web Service HTTPS Envio de registros civis ao SIRC através de Central de Registros Civis Configurando_Cliente_de_Web_Service_HTTPS.odt 1 de 20 Histórico de Revisões Data Versão

Leia mais

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null Palavras -chave de JAV A abstract catch do final implements long private static throw void boolean char double finally import native protected super throws volatile break class float insfcanceof new public

Leia mais

Threads e Sockets em Java. Threads em Java. Programas e Processos

Threads e Sockets em Java. Threads em Java. Programas e Processos Threads em Java Programas e Processos Um programa é um conceito estático, isto é, um programa é um arquivo em disco que contém um código executável por uma CPU. Quando este programa é executado dizemos

Leia mais

Programa de Computador que funciona em Rede

Programa de Computador que funciona em Rede Programa de Computador que funciona em Rede professor Robinson Vida Noronha 1 Paradigma Um programa rodando em rede é como uma loja. 2 Uma loja é composta por Vendedores Vendedores 3 Um loja deve servir

Leia mais

Analisar os sistemas operacionais apresentados na figura e responder as questões abaixo: Identificar

Analisar os sistemas operacionais apresentados na figura e responder as questões abaixo: Identificar Projeto Integrador Sistemas Operacionais Prof.ª Lucilia Ribeiro GTI 3 Noturno Grupo: Anderson Alves da Mota. André Luiz Silva. Misael bezerra dos santos. Sandro de almeida silva. Analisar os sistemas operacionais

Leia mais

Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas. Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares

Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas. Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares Objetivos Conceito de exceções Tratar exceções pelo uso de try, catch e

Leia mais

Java : Comunicação Cliente-Servidor.

Java : Comunicação Cliente-Servidor. Java : Comunicação Cliente-Servidor. Objetivo: Capacitar o aluno a desenvolver uma aplicação servidora para múltiplos clientes. Apresentar as classes Socket e ServerSocket, classes de fluxo de dados, a

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel As 52 Palavras Reservadas O que são palavras reservadas São palavras que já existem na linguagem Java, e tem sua função já definida. NÃO podem

Leia mais

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. Sintaxe Geral Tipos de Dados Comentários Comentários: De linha: // comentário 1 // comentário 2 De bloco: /* linha 1 linha 2 linha n */ De documentação: /** linha1 * linha2 */ Programa Exemplo: ExemploComentario.java

Leia mais

Java 2 Standard Edition. Entrada. Helder da Rocha www.argonavis.com.br

Java 2 Standard Edition. Entrada. Helder da Rocha www.argonavis.com.br Java 2 Standard Edition Entrada e Saída Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Assuntos abordados Este módulo explora os componentes mais importantes do pacote java.io e outros recursos da linguagem relacionados

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

Caso 1 NetScanner Main

Caso 1 NetScanner Main Caso 1 NetScanner import java.util.scanner; import java.net.unknownhostexception; import java.util.logging.level; import java.util.logging.logger; import javax.swing.joptionpane; public class Main { System.out.println("Digite

Leia mais

Multithreading. Programação Orientada por Objectos com Java. Ademar Aguiar. MRSC - Programação em Comunicações

Multithreading. Programação Orientada por Objectos com Java. Ademar Aguiar. MRSC - Programação em Comunicações Programação Orientada por Objectos com Java www.fe.up.pt/~aaguiar ademar.aguiar@fe.up.pt 1 Multithreading 154 Objectivos Ser capaz de: Explicar os conceitos básicos de multithreading Criar threads múltiplos

Leia mais

Objetivos do Capítulo

Objetivos do Capítulo Capítulo 33 Arquivos e Fluxos de Dados Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Objetivos do Capítulo Analisar os conceitos de fluxo de entrada e de fluxo de saída de

Leia mais

Prova de Java. 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos)

Prova de Java. 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos) Prova de Java 1) Copie o programa abaixo no eclipse e complete-o, utilizando os conceitos aprendidos durante o curso. (4 pontos) O programa consiste em uma aplicação que simula o comportamento de dois

Leia mais

Cliente-servidor com Sockets TCP

Cliente-servidor com Sockets TCP Cliente-servidor com Sockets TCP Paulo Sérgio Almeida Grupo de Sistemas Distribuídos Departamento de Informática Universidade do Minho 2007/2008 c 2000 2007 Paulo Sérgio Almeida Cliente-servidor com Sockets

Leia mais

Redes de Computadores - 2010/1

Redes de Computadores - 2010/1 Redes de Computadores - 2010/1 Miniprojeto Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Professor: Magnos Martinello 20 de maio de 2010 1 1 Proposta A proposta do trabalho é reforçar o compreendimento

Leia mais

Faculdade Instituto Educare - FIED Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Linguagem de Programação I Prof.: Rhyan Ximenes E-mail: rxbrito@gmail.

Faculdade Instituto Educare - FIED Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Linguagem de Programação I Prof.: Rhyan Ximenes E-mail: rxbrito@gmail. Um pouco da história Faculdade Instituto Educare - FIED Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Linguagem de Programação I Prof.: Rhyan Ximenes E-mail: rxbrito@gmail.com Introdução a Linguagem Java Java

Leia mais

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código }

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código } Este documento tem o objetivo de demonstrar os comandos e sintaxes básicas da linguagem Java. 1. Alguns passos para criar programas em Java As primeiras coisas que devem ser abordadas para começar a desenvolver

Leia mais

Herança. Alberto Costa Neto DComp - UFS

Herança. Alberto Costa Neto DComp - UFS Herança Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Motivação Vimos como se faz encapsulamento e a importância de fazê-lo... Contudo, também é possível fazer encapsulamento em algumas linguagens não OO O que mais

Leia mais

Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans.

Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans. 1 - Criando uma classe em Java Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans. Antes de criarmos a(s) classe(s) é necessário criar o projeto

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS CUP Disk Memoey CUP Memoey Disk Network CUP Memoey Disk Remote Method Invocation (RMI) Introdução Solução JAVA para Objetos Distribuídos Um objeto existe em uma máquina É possível

Leia mais

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções Escola Superior de Gestão e Tecnologia Tratamento de Exceções Objetivos Compreender como o tratamento de exceção e de erro funciona. Como u4lizar try, throw e catch para detectar, indicar e tratar exceções,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS COLEGIADO DE INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS COLEGIADO DE INFORMÁTICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS COLEGIADO DE INFORMÁTICA Disciplina: Redes de Computadores Ano: 2007 Professor: Luiz Antonio Trabalho 1º Bimestre Cliente/Servidor

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -TRATAMENTO DE EXCEÇÕES Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ROTEIRO 5. Tratamento de Exceções Introdução e conceitos Capturando exceção usando

Leia mais

Reuso com Herança a e Composiçã

Reuso com Herança a e Composiçã Java 2 Standard Edition Reuso com Herança a e Composiçã ção Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Como aumentar as chances de reuso Separar as partes que podem mudar das partes que não mudam. Exemplo:

Leia mais

BC0505 Processamento da Informação

BC0505 Processamento da Informação BC0505 Processamento da Informação Assunto: Modularização de código e passagem de parâmetros Aula Prática: 4 Versão: 0.2 Introdução Modularização No Java, como em outras linguagens de Programação Orientadas

Leia mais

Programação para Android. Aula 07: Persistência de dados Shared Preferences, Internal e External Storage

Programação para Android. Aula 07: Persistência de dados Shared Preferences, Internal e External Storage Programação para Android Aula 07: Persistência de dados Shared Preferences, Internal e External Storage Persistência de dados Na maioria das aplicações precisamos ter algum tipo de persistência de dados.

Leia mais

Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1

Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1 Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1 Professor Leandro A. F. Fernandes http://www.ic.uff.br/~laffernandes Conteúdo: Entrada e saída de dados Material elaborado pelos profs. Anselmo Montenegro

Leia mais

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java.

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java. Exceções em Java Miguel Jonathan DCC/IM/UFRJ (rev. abril de 2011) Resumo dos conceitos e regras gerais do uso de exceções em Java O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação

Leia mais

Licenciatura em Engenharia Informática PROVA DE TESTE PRÁTICO Sistemas Distribuídos I 2º Semestre, 2005/2006

Licenciatura em Engenharia Informática PROVA DE TESTE PRÁTICO Sistemas Distribuídos I 2º Semestre, 2005/2006 Departamento de Informática Faculdade de Ciências e Tecnologia UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Licenciatura em Engenharia Informática PROVA DE TESTE PRÁTICO Sistemas Distribuídos I 2º Semestre, 2005/2006 NOTAS:

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java. Threads Threads Threads. Threads

Programação Orientada a Objetos em Java. Threads Threads Threads. Threads Universidade Federal do Amazonas Departamento de Ciência da Computação IEC481 Projeto de Programas Programação Orientada a Objetos em Java Threads Threads Threads Threads Professor: César Melo Slides baseados

Leia mais

JPA: Persistência padronizada em Java

JPA: Persistência padronizada em Java JPA: Persistência padronizada em Java FLÁVIO HENRIQUE CURTE Bacharel em Engenharia de Computação flaviocurte.java@gmail.com Programação Orientada a Objetos X Banco de Dados Relacionais = Paradigmas diferentes

Leia mais

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB)

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB) Uma Introdução à Arquitetura Francisco C. R. Reverbel 1 Copyright 1998-2006 Francisco Reverbel O Object Request Broker (ORB) Via de comunicação entre objetos (object bus), na arquitetura do OMG Definido

Leia mais

Aula 30 - Sockets em Java

Aula 30 - Sockets em Java Aula 30 - Sockets em Java Sockets Sockets são estruturas que permitem que funções de software se interconectem. O conceito é o mesmo de um soquete (elétrico, telefônico, etc...), que serve para interconectar

Leia mais

Java Spaces Exemplos

Java Spaces Exemplos Java Spaces Exemplos Programação com Objetos Distribuídos (C. Geyer) Java Spaces - Exemplos V0 1 Autoria! Autores! Local " Cláudio Geyer " Instituto de Informática " UFRGS " disciplina: Programação com

Leia mais

DEFINIÇÃO DE MÉTODOS

DEFINIÇÃO DE MÉTODOS Cursos: Análise, Ciência da Computação e Sistemas de Informação Programação I - Prof. Aníbal Notas de aula 2 DEFINIÇÃO DE MÉTODOS Todo o processamento que um programa Java faz está definido dentro dos

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 11: Entradas / Saídas LEEC@IST Java 1/72 Introdução É comum separar os dados que entram ou saem do ambiente para o programa em informação binária e informação textual.

Leia mais

Erros, exceçõ. ções e asserçõ

Erros, exceçõ. ções e asserçõ Java 2 Standard Edition Erros, exceçõ ções e asserçõ ções Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Controle de erros com Exceções Exceções são Erros de tempo de execução Objetos criados a partir de classes

Leia mais

ÁBACO TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO LTDA.

ÁBACO TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO LTDA. 2011 ÁBACO TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO LTDA. CNPJ 37.432.689/0001-33 Inscrição Estadual: 13.137.931-3 Rua Barão de Melgaço, 3726, Centro Norte CEP 78005-300 Fone: (65) 3617-0777 / FAX: (65) 3623-0646 CUIABÁ/MT

Leia mais

Curso de Java Módulo I Exceções, Entrada e Saída Programação Swing Fábio Mengue fabio@unicamp.br Centro de Computação - Unicamp

Curso de Java Módulo I Exceções, Entrada e Saída Programação Swing Fábio Mengue fabio@unicamp.br Centro de Computação - Unicamp Curso de Java Módulo I Exceções, Entrada e Saída Programação Swing Fábio Mengue fabio@unicamp.br Centro de Computação - Unicamp Exceções O termo exception é uma abreviatura da frase exceptional event.

Leia mais

Entrada/saída e rede

Entrada/saída e rede JAVA 6 Entrada/saída e rede ESTE MÓDULO MOSTRA AS APIS JAVA PARA ACESSO A DISCO E À REDE. Uma visão geral do modelo de multithreading da linguagem também é oferecida. Tópicos abordados neste módulo Threads

Leia mais

Java Básico. Matrícula de Alunos. Marco Antonio, Arquiteto de Software TJDF ma@marcoreis.eti.br. Novembro/2005

Java Básico. Matrícula de Alunos. Marco Antonio, Arquiteto de Software TJDF ma@marcoreis.eti.br. Novembro/2005 Java Básico Matrícula de Alunos Marco Antonio, Arquiteto de Software TJDF ma@marcoreis.eti.br Novembro/2005 Objetivos OO: trocar mensagens entre os objetos Exception: tratar exceções Análise: implementar

Leia mais

Danilo Antônio Leite. Todo o desenvolvimento dos algoritmos e os testes foram realizados em um computador com as seguintes configurações:

Danilo Antônio Leite. Todo o desenvolvimento dos algoritmos e os testes foram realizados em um computador com as seguintes configurações: PÓS GRADUAÇÃO EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL - CEFET-MG ALGORITMOS E ESTRUTURAS DE DADOS - PROF. DRA. CRISTINA D. MURTA TRABALHO PRÁTICO N o 2 IMPLEMENTAÇÃO, EXECUÇÃO, TESTE E MEDIÇÃO EM TABELAS

Leia mais

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Assuntos abordados Este módulo explora detalhes da construção de classes e objetos Construtores Implicações da

Leia mais

MIDDLEWARE Aplicativos RMI, RPC e eventos Camadas Protocolo Requesição-Respostal Middleware Representação Externa dos Dados Sistemas Operacionais

MIDDLEWARE Aplicativos RMI, RPC e eventos Camadas Protocolo Requesição-Respostal Middleware Representação Externa dos Dados Sistemas Operacionais RMI JAVA MIDDLEWARE Aplicativos RMI, RPC e eventos Protocolo Requesição-Respostal Camadas Middleware Representação Externa dos Dados Sistemas Operacionais RMI REMOTE METHOD INVOCATION Invocação remota

Leia mais

Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA

Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA Versão 1.4 Índice 1. Objetivo..3 2. Processo..3 3. API de Criptografia - Biblioteca Java..4 3.1 WEBTACryptoUtil..4 3.1.1 decodekeyfile..4 3.1.2

Leia mais

Manual de Envio de Torpedos SMS Comtele. Introdução... 02. 1.Cadastrar um Grupo... 02. 2.Inserir ou Importar Contatos... 06. 2.1 Ordem de envio...

Manual de Envio de Torpedos SMS Comtele. Introdução... 02. 1.Cadastrar um Grupo... 02. 2.Inserir ou Importar Contatos... 06. 2.1 Ordem de envio... Manual de Envio de Torpedos SMS Comtele Índice Introdução... 02 1.Cadastrar um Grupo... 02 2.Inserir ou Importar Contatos... 06 2.1 Ordem de envio... 08 3.Criar e Enviar uma Mensagens... 12 4. Salvando

Leia mais

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Java Básico Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Classes Abstratas construção de uma classe abstrata construção de classes derivadas Classes e Herança Uma classe define

Leia mais

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA 1) Qual será o valor da string c, caso o programa rode com a seguinte linha de comando? > java Teste um dois tres public class Teste { public static void main(string[] args) { String a = args[0]; String

Leia mais

Mecanismos de Comunicação. Sockets em java (http://java.sun.com/docs/books/tutorial/networking/sockets/)

Mecanismos de Comunicação. Sockets em java (http://java.sun.com/docs/books/tutorial/networking/sockets/) Mecanismos de Comunicação Sockets em java (http://java.sun.com/docs/books/tutorial/networking/sockets/) Sockets o que é? Um socket é um mecanismo de comunicação (dois sentidos) entre dois programas a funcionar

Leia mais

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 09 Introdução à Java Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Java: Sintaxe; Tipos de Dados; Variáveis; Impressão de Dados.

Leia mais

CONEXÃ O NFS-E SISTEMÃ ISS-INTEL UTILIZÃNDO JÃVÃ E SSL

CONEXÃ O NFS-E SISTEMÃ ISS-INTEL UTILIZÃNDO JÃVÃ E SSL CONEXÃ O NFS-E SISTEMÃ ISS-INTEL UTILIZÃNDO JÃVÃ E SSL Autor : Julio P. Leiser House Company Data : 17/08/2011 16:00 ETAPA 1 IMPORTAR CERTIFICADO A1 DO CLIENTE COM EXTENSÃO.PFX NO INTERNET EXPLORER A partir

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 03 APRESENTAÇÃO: Hoje vamos conhecer o comando switch, o bloco try catch;

Leia mais

POO Programação Orientada a Objetos. Classes em Java

POO Programação Orientada a Objetos. Classes em Java + POO Programação Orientada a Objetos Classes em Java + Classes 2 Para que a JVM crie objetos: Ela precisa saber qual classe o objeto pertence Na classe estão definidos os atributos e métodos Programamos

Leia mais

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this.

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Aula 2 Objetivos Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Encapsulamento, data hiding é um conceito bastante importante em orientação a objetos. É utilizado para restringir o acesso

Leia mais

Chamadas Remotas de Procedimentos (RPC) O Conceito de Procedimentos. RPC: Programa Distribuído. RPC: Modelo de Execução

Chamadas Remotas de Procedimentos (RPC) O Conceito de Procedimentos. RPC: Programa Distribuído. RPC: Modelo de Execução Chamadas Remotas de Chamada Remota de Procedimento (RPC) ou Chamada de Função ou Chamada de Subrotina Método de transferência de controle de parte de um processo para outra parte Procedimentos => permite

Leia mais

UNIVERSIDADE DO TOCANTINS TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PRÁTICA EM PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE DO TOCANTINS TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PRÁTICA EM PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS ESTUDO DE CASO II Um sistema de venda de passagens de uma empresa de transportes visa um maior controle na venda de passagens, obedecendo ao limite de assentos dos veículos e evitando falhas. Empresas

Leia mais

Roteiro para criação de Applet

Roteiro para criação de Applet Roteiro para criação de Applet 1. Abra um editor de texto qualquer, como o Bloco de notas, e digite o código abaixo: 1. import java.awt.*; 2. import java.awt.event.*; 3. import java.applet.applet; 4. import

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Marcelo Lobosco DCC/UFJF Comunicação em Sistemas Distribuídos Aula 06 Agenda Modelo Cliente-Servidor (cont.) Invocação Remota de Método (Remote Method Invocation RMI) Visão Geral

Leia mais

Comunicação via Sockets. Prof. Orlando Loques - IC/UFF. versão 26-04-2001

Comunicação via Sockets. Prof. Orlando Loques - IC/UFF. versão 26-04-2001 Comunicação via Sockets Prof. Orlando Loques - IC/UFF versão 26-04-2001 Referências: - Slides Prof. Alexandre Sztajnberg, UERJ - Capítulo 15, Applied Operating System Concepts, Silberschatz & Galvin; Wiley

Leia mais

Relacionamentos entre objetos. Relacionamentos entre objetos. Relacionamentos entre objetos. Relacionamentos entre objetos

Relacionamentos entre objetos. Relacionamentos entre objetos. Relacionamentos entre objetos. Relacionamentos entre objetos Programação Orientada a Objetos Relacionamentos entre objetos Associação, composição e agregação Construtores e sobrecarga Variáveis de classe e de instância Reinaldo Gomes reinaldo@cefet-al.br Objetos

Leia mais

Drive MySql de conexão para Eclipse

Drive MySql de conexão para Eclipse Drive MySql de conexão para Eclipse de Setembro de 0 Olá, neste artigo iremos focar em como utilizar o drive de conexão do Mysql na IDE eclipse. Veremos passo-a-passo como instalar, o que é uma coisa muito

Leia mais

Groovy & Grails. Arian Pasquali. quarta-feira, 12 de outubro de 11

Groovy & Grails. Arian Pasquali. quarta-feira, 12 de outubro de 11 Groovy & Grails Arian Pasquali Arian Pasquali 24 anos eu Formado em Sistemas de Informação Java, Objective-C, Flex, Groovy SCJP, SCJA, ACE 6 anos de Java Orientação a Objetos Plataforma Multi-plataforma

Leia mais

Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados

Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados UTFPR DAELN - Disciplina de Fundamentos de Programação II ( IF62C ). 1 Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados 1) Introdução! Em algumas situações, pode ser necessário preservar os objetos

Leia mais

Java 2 Standard Edition Fundamentos de

Java 2 Standard Edition Fundamentos de Java 2 Standard Edition Fundamentos de Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Sobre este módulo Este módulo pretende apenas cobrir conceitos essenciais sobre programação em rede com Java Como criar um

Leia mais

Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this.

Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this. Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this.x = x; this.y = y; public String tostring(){ return "(" + x + "," +

Leia mais