Capítulo 6. Java IO - Ficheiros

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo 6. Java IO - Ficheiros"

Transcrição

1 Capítulo 6. Java IO - Ficheiros 1/26

2 Índice Indice Entrada e saída de dados Ficheiros de texto Ficheiros com formato proprietário A classe File 2/26

3 Índice 6.1 Entrada e saída de dados Entrada e saída de dados Ficheiros de texto Ficheiros com formato proprietário rio A classe File 3/26

4 6.1 Entrada e saída de dados Informação binária e textual Normalmente os dados que entram ou saem do ambiente para o programa contêm representação dos dados nos formatos: Streams (Canais) -Binário Informação constituída por zeros e uns que codificam qualquer tipo de dados e têm que ser interpretados pela aplicação -Texto Informação constituída por letras, dígitos, caracteres especiais que no Java correspondem ao tipo primitivo CHAR. Um Stream é um objecto que comunica com um dispositivo físico de leitura ou escrita de dados -Os programas Java lêem e escrevem dados sequencialmente através dos Streams -O Stream é composto por um fluxo infinito e ordenado de bytes sem tamanho pré-definido Permitem obter abstracção de uma fonte genérica ou destino genérico de dados -O Stream disponibiliza sempre os mesmo métodos para qualquer dispositivo Scanner ficheiro = new Scanner(new File( data.txt )); Scanner teclado = new Scanner(System.in); Package java.utils: Classe que lê texto e transforma num tipo apropriado. 4/26

5 6.1 Entrada e saída de dados Classes utilizadas para entrada e saída de dados Pertencentes ao pacote java.io - InputStream: classe abstracta que lê fluxos binários de informação - OutputStream: classe abstracta que escreve fluxos binários de informação - Reader: a classe abstracta que lê fluxos de texto - Writer: a classe abstracta que escreve fluxos de texto Formato binário Formato texto Pertencentes ao pacote java.utils - Scanner: classe que lê texto e transforma no tipo apropriado (Java 5.0) 5/26

6 6.1 Entrada e saída de dados Classes utilizadas para entrada e saída de dados Hierarquia de classes pertencentes ao pacote java.io As classes que controlam os Streams dividem-se em dois grandes grupos: -InputStream, OutputStream e suas respectivas subclasses permitem ler e escrever bytes. (formato binário) -Reader, Writer e suas respectivas subclasses permitem ler e escrever caracteres (texto) 6/26

7 6.1 Entrada e saída de dados Classes utilizadas para entrada e saída de dados Descrição das classes java.io - File: classe que permite gerir ficheiros e directorias -Inputstream: classe abstracta que cria as condições para que as suas subclasses leiam bytes -FileInputStream: classe que permite ler bytes a partir de um ficheiro de texto. -FilterInputStream: classe que rescreve alguns métodos de InputStream de forma a permitir que as suas subclasses façam manipulação de bytes -BufferedInputstream: classe que usa um buffer para ler sequencialmente blocos de bytes a partir de um stream, optimizando o esforço de I/O,permitindo marcar a última posição lida e conseguindo fazer reset -DataInputStream: classe que permite ler bytes sequencialmente a partir de um ficheiro, convertendo-os para os tipos primitivos Java (int, long, float, double, etc.) -Reader: classe asbtracta que cria as condições para que as suas subclasses leiam caracteres; 7/26

8 6.1 Entrada e saída de dados Classes utilizadas para entrada e saída de dados Descrição das classes java.io -BufferedWriter: classe que permite escrever uma linha de texto, usando o caracter de fim de linha específico da plataforma -BufferedReader: classe que permite ler uma linha do ficheiro de input, optimizando o esforço de I/O -InputStreamReader: classe que lê bytes do InputStream e converte-os para char, seguindo o character set indicado, ou por omissão, o definido no sistema operatiovo -FileReader: classe para ler ficheiros de texto usando o character set definido no sistema operativo, que podemos obter com System.getproperty( file.encoding ) -FileWriter: classe para escrever ficheiros de texto usando o character set definido no sistema operativo. -PrintWriter: classe criada para escrever todos os formatos nativos de dados (int, long, double, etc.) em ficheiros de texto, deforma semelhante à escrita no standard output (consola) 8/26

9 6.1 Entrada e saída de dados Char Sets padrão do JAVA Dependem do sistema operativo (System.getproperty( file.encoding )). (O Windows usa Cp1252 que é uma versão modificada de ISSO ) 9/26

10 Índice 6.2 Ficheiros de texto Entrada e saí ída de dados Ficheiros de texto Ficheiros com formato proprietário rio A classe File 10/26

11 6.2 Ficheiros de texto em Java Leitura de um char de cada vez Utilização das classes FileReader e FileWriter permitem : -Criar associação entre o objecto usado no programa e o ficheiro (stream). -Trabalhar com caracteres independentemente da plataforma desde que se defina correctamente a propriedade System.getproperty( file.encoding ). public class teste { FileReader (File f); FileReader (String "nome"); FileWriter (File f); FileWriter (String "nome"); FileWriter (String "nome", boolean a); } Construtores aceitam string que corresponde ao nome do ficheiro ou a um objecto da classe File Construtor aceita parâmetro boolean append que se true, efectua append na escrita do ficheiro. Se false cria um novo ficheiro 11/26

12 6.2 Ficheiros de texto em Java Leitura de um char de cada vez Utilização das classes BufferedReader : Método read() Lê 1 caracter -Devolve o código unicode (nº inteiro) do caracter lido por FileReader(); BufferedReader in = new BufferedReader(new FileReader("Ficheiro01IN.txt")); BufferedWriter out = new BufferedWriter(new FileWriter("Ficheiro01OUT.txt")); while ((n=in.read()!=-1)){ } c=(char) n; out.write(c); in.close(); out.close(); Canal de entrada Canal de Saída Ler enquanto não chegar ao fim do ficheiro (Atenção lança 1 excepção) Converte int em char Escreve o caracter no canal de saída Fechar os canais para libertar recursos -Os caracteres lidos por FileReader ou escritos por FileWriter são empacotados pelas classes BufferedReader e BufferedWriter para aumentar a eficiência 12/26

13 6.2 Ficheiros de texto em Java Programa que conta o nº de caracteres de um ficheiro de entrada e copia o seu conteudo caracter a caracter para um ficheiro de saída import java.io.*; public class Copia { public static void main (String[] args) throws IOException{ int n, count =0; char c; Obrigatório BufferedReader in = new BufferedReader(new FileReader( d:/ficheiroin.txt")); BufferedWriter out = new BufferedWriter(new FileWriter( d:/ficheiroout.txt")); } } while ((n = in.read())!= -1 )){ c=(char) n; count ++; Não esquecer que BufferedReader devolve o INT referente ao caracter out.write(c); } in.close(); out.close(); System.out.println(count); 13/26

14 6.2 Ficheiros de texto em Java Programa que conta o nº de caracteres de um ficheiro de entrada e copia o seu conteudo caracter a caracter para um ficheiro de saída Nota: O mesmo programa pode ser realizado recorrendo apenas á classe File. No entanto as classes Buffered são mais eficientes. import java.io.*; public class Copia { public static void main (String[] args) throws IOException{ int n, count =0; char c; } FileReader in = new FileReader( d:/ficheiroin.txt"); FileWriter out = new FileWriter( d:/ficheiroout.txt"); while ((n = in.read())!= -1 ){ c=(char) n; count ++; out.write(c); in.close(); out.close(); System.out.println(count); }} 14/26

15 6.2 Ficheiros de texto em Java Ler e escrever linhas de texto Para ler um ficheiro de texto linha a linha utilizamos o método readline() da classe BufferedReader() import java.io.*; public class teste1 { public static void main (String[] args) throws IOException{ BufferedReader in = new BufferedReader(new FileReader("D:/FicheiroIN.txt")); PrintWriter out = new PrintWriter(new FileWriter("D:/FicheiroOUT.txt")); String s = in.readline(); while (s!= null) { out.println(s); s = in.readline(); }in.close(); out.close();}} Ler uma linha (método readline()) Repetir enquanto não chegar ao fim do ficheiro Escrever uma linha Para escrever uma linha utilizamos o método println() da classe PrintWriter() O Fim de linha é automático independente da plataforma (\CR\LF em Windows e \LF em UNIX) 15/26

16 Índice 6.3 Ficheiros com formato proprietário Entrada e saí ída de dados Ficheiros de texto Ficheiros com formato proprietário A classe File 16/26

17 6.3 Ficheiros com formato proprietário A representação dos caracteres de texto depende da plataforma Existem diferentes convenções para representar caracteres -ASCII, EBCDIC, UNICODE, etc. Existem diferentes convenções para representar o final de linha e final de ficheiro (\CR\LF em Windows e \LF em UNIX) -Nem sempre os ficheiros são portáteis entre diferentes plataformas Como solução o JAVA armazena os caracteres segundo uma norma internacional No entanto este tipo de formato impede a leitura através de um editor de texto comum Normas utlizadas pelo JAVA para representação de dados das variáveis built in -UTF-8 -ISO/IEC File System Safe UCS Transformation format (FSS_UTF) -Documento número P316 incluido em X/Open preliminary specification 17/26

18 6.3 Ficheiros com formato proprietário Leitura e escrita de dados do tipo built in As classes DataInputStream e DataOutputStream permitem ler e escrever dados primitivos do Java num formato portátil e independente da plataforma Array de caracteres é como se fosse uma String 18/26

19 6.3 Ficheiros com formato proprietário Exemplo: Ficheiro de dados (I) Criar um ficheiro binário de dados que armazena as encomendas feitas a uma loja de ferragens O ficheiro deve ter o seguinte formato e tipos de variáveis: double;int;string numa única linha -Double indica o preço do item -Int indica a quantidade encomendada desse item -String é a descrição do item Para permitir que as descrições tenham tamanho variável utilizamos um caracter separador ; Sequência de dados escrito no ficheiro FicheiroOut.dat 0.05;1;ChaveFendas;2.3;45;Martelo;1.4;98;parafuso;23.0;150;Tinta; preço quantidade descrição... continua Separadores de dados ; O programa irá ler os dados do ficheiro criado anteriormente e imprimi-los 19/26

20 6.3 Ficheiros com formato proprietário Exemplo: Ficheiro de dados (II) import java.io.*; public class Ficheiro02Cap6 { public static void main (String[] args) throws IOException { // Criar ficheiro com registos cujos campos estão separados por TAB // e pertencem a tipos de dados diferentes DataOutputStream out = new DataOutputStream( new FileOutputStream("d:/FicheiroOut.data")); double [] precos = {0.05,2.3,1.4,23.0}; int [] quantidades = {1,45,98,150}; String[] descricoes = {"ChaveFendas","Martelo","parafuso","Tinta"}; } for (int i=0;i<precos.length;i++){ out.writedouble(precos[i]); out.writechar(';'); // Separador TAB out.writeint(quantidades[i]); out.writechar(';'); // Separador TAB out.writechars(descricoes[i]); // Chars = String out.writechar(';'); // Separador TAB out.close(); Escrita dos dados sequencialmente no ficheiro 20/26

21 Exemplo: Ficheiro de dados (III) 6.3 Ficheiros com formato proprietário // Ler o ficheiro criado anteriormente DataInputStream in = new DataInputStream( new FileInputStream("d:/FicheiroOut.data")); double preco;int quantidade; String desc; double total = 0.0;char c; try { System.out.println("A sua encomenda foi:"); while (true){ } preco = in.readdouble(); in.readchar(); // Ler o TAB quantidade = in.readint(); in.readchar(); // Ler o TAB //Não existe o método para ler Strings readchars(). Sendo assm, ler tudo o que //são caracteres diferentes de TAB para a descrição desc = ""; while ((c=in.readchar())!= ';') { desc = desc +c ;} System.out.println( quantidade + " unidades de " + desc + " a " + preco + " Euro"); total = total + quantidade * preco; } catch (EOFException e) { System.out.println("Chegou ao final do ficheiro!!!"); Enquanto não existir a excepção EOF (End Of file) Lê os valores tipo Double e Int Atribui-os ás variáveis Lê todos os caracteres que não sejam o separador (Não é possível ler Strings) } System.out.println("Valor total: " + total + " Euro"); in.close();} } 21/26

22 6.3 Ficheiros com formato proprietário Exemplo: Ficheiro de dados (IV) Comentários: A utilização de um caracter separador de campo (neste caso ; ) só é importante em Strings, pois estas têm tamanhos variáveis e não se conhece a sua dimensão na leitura de um ficheiro neste formato. (A utilização nos outros campos é opcional e está lá para ajudar visualizar a integridade) A leitura do ficheiro termina com uma excepção. Para a evitar pode escrever-se no inicio do ficheiro o número total de registos a ler. -Se antes da String a ler se indicar o seu comprimento evitamos o separador de campo. A ordem de escrita dos dados foi: double ; int ; String. Se a ordem de leitura for diferente (por exemplo int ; double ; string não teremos erro os valores introduzidos não serão correctamente lidos 22/26

23 Índice 6.4 A classe File Entrada e saí ída de dados Ficheiros de texto Ficheiros com formato proprietário rio A classe File 23/26

24 6.4 A classe File Utilidades da classe File Não manipula o conteúdo do ficheiro Permite: -Esconder as diferenças entre sistemas operativos -Determinar se um path (caminho) é absoluto ou relativo -Listar o conteúdo de uma directoria -Determinar se há permissões para ler / escrever num ficheiro -Remover um ficheiro e criar uma directoria -Determinar a dimensão de um ficheiro e a data da última alteração 24/26

25 6.4 A classe File Como usar a classe File A classe File possui um grande número de métodos para obter informações sobre ficheiro ou directoria. Em baixo estão alguns exemplos: 25/26

26 FIM 26/26

Programação Orientada a Objetos com Java. Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br

Programação Orientada a Objetos com Java. Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br Programação Orientada a Objetos com Java Prof. Júlio Machado julio.machado@pucrs.br TRATAMENTO DE EXCEÇÕES Tratamento de Exceções O tratamento de exceções de Java envolve vários conceitos importantes:

Leia mais

Arquivos. Profa. Thienne Johnson EACH/USP

Arquivos. Profa. Thienne Johnson EACH/USP Arquivos Profa. Thienne Johnson EACH/USP Java, como programar, 6ª edição Deitel & Deitel Capítulo 14 Programadores utilizam arquivos para armazenar dados a longo prazo Dados armazenados em arquivos são

Leia mais

Programação II Java Streams. Christopher Burrows

Programação II Java Streams. Christopher Burrows Programação II Java Streams Christopher Burrows Java Streams - Introdução As aplicações informáticas consistem em trocas de dados entre duas ou mais fontes/destinos. As Streams servem para representar

Leia mais

Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para a entrada e saída padrão. Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para arquivos

Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para a entrada e saída padrão. Ler e escrever bytes, caracteres e Strings de/para arquivos O pacote java.io Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/ 1 Objetivos Ler e escrever

Leia mais

Ficheiros. Ficheiros - Motivação. Streams. Entrada Binária. Não. Ficheiro

Ficheiros. Ficheiros - Motivação. Streams. Entrada Binária. Não. Ficheiro Ficheiros - Motivação Ficheiros Exemplo Suponha que desenvolve um programa para a calcular a média aritmética da primeira prova de frequência de uma turma e passado algum tempo realiza uma segunda prova

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu.

Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu. Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu.br Conceitos Arquivos permitem armazenar dados de maneira

Leia mais

P R O G R A M A. Stream Stream. Stream. Figura 1. Streams representam fluxos unidirecionais de dados, seja em entrada ou saída.

P R O G R A M A. Stream Stream. Stream. Figura 1. Streams representam fluxos unidirecionais de dados, seja em entrada ou saída. Universidade do Vale do Rio dos Sinos Laboratório 2 Prof. Gerson Cavalheiro Material de Apoio Aula 3 Manipulação de s Em Java, assim como em C e C++, a entrada/saida (input/output) é realizada através

Leia mais

Módulo VIII Linguagem Java Entrada e Saída de Dados Arquivos

Módulo VIII Linguagem Java Entrada e Saída de Dados Arquivos Especialização Avançada em Sistemas Distribuídos - EASD Módulo VIII Linguagem Java Entrada e Saída de Dados Arquivos Marcela Santana e Sérgio Gorender Universidade Federal da Bahia Arquivos Outro dispositivo

Leia mais

Mecanismos de Comunicação. Sockets em java (http://java.sun.com/docs/books/tutorial/networking/sockets/)

Mecanismos de Comunicação. Sockets em java (http://java.sun.com/docs/books/tutorial/networking/sockets/) Mecanismos de Comunicação Sockets em java (http://java.sun.com/docs/books/tutorial/networking/sockets/) Sockets o que é? Um socket é um mecanismo de comunicação (dois sentidos) entre dois programas a funcionar

Leia mais

Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java

Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java Java and all Java-based marks are trademarks or registered trademarks of Sun Microsystems, Inc. in the U.S. and other countries. Desenvolvimento Orientado a Objetos com Java Capítulo 10 Arquivos e Streams

Leia mais

STREAMS (FLUXOS) EM JAVA uma Introdução

STREAMS (FLUXOS) EM JAVA uma Introdução STREAMS (FLUXOS) EM JAVA uma Introdução Miguel Jonathan DCC-IM/UFRJ (rev. maio 2010) A palavra stream em inglês significa um "fluxo de água", como um riacho. A idéia que transmite é de algo fluindo continuamente,

Leia mais

Em JAVA, todas as considerações (ou quase todas) que se relacionam com as mais

Em JAVA, todas as considerações (ou quase todas) que se relacionam com as mais STREAMS DE JAVA Em JAVA, todas as considerações (ou quase todas) que se relacionam com as mais diferentes formas de se realizar a leitura e a escrita de dados a partir das mais diversas fontes e para os

Leia mais

Capítulo II Modelos de Programação Distribuída

Capítulo II Modelos de Programação Distribuída Capítulo II Modelos de Programação Distribuída From: Coulouris, Dollimore and Kindberg Distributed Systems: Concepts and Design Edition 4, Addison-Wesley 2005 From: M. Ben-Ari Principles of Concurrent

Leia mais

Como oferecer estes serviços em Java??

Como oferecer estes serviços em Java?? Bacharelado em Ciência e Tecnologia Leitura e Escrita em Arquivos Prof a Maria das Graças B. Marietto (teoria) graca.marietto@ufabc.edu.br Prof a Christine Marie Schweitzer (prática) chrism@larc.usp.br

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

Roteiro. Introdução a Arquivos. Streams Serialização Arquivos de Acesso Randômico Exercícios. Armazenamento. Dados em vetores, listas e variáveis

Roteiro. Introdução a Arquivos. Streams Serialização Arquivos de Acesso Randômico Exercícios. Armazenamento. Dados em vetores, listas e variáveis Arquivos e Porto Alegre, novembro de 2006 Adaptado das aulas dos Profs: Isabel Manssour, Luciana Nedel, Bernardo Copstein e Júlio Machado Roteiro Serialização Arquivos de Acesso Randômico Exercícios Armazenamento

Leia mais

Java 2 Standard Edition. Entrada. Helder da Rocha www.argonavis.com.br

Java 2 Standard Edition. Entrada. Helder da Rocha www.argonavis.com.br Java 2 Standard Edition Entrada e Saída Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Assuntos abordados Este módulo explora os componentes mais importantes do pacote java.io e outros recursos da linguagem relacionados

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET

Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET 1. OBJECTIVOS - Entender o contexto da plataforma.net - Desenvolver programas simples em C#.NET - Saber efectuar entradas de dados em modo Consola e Windows Forms

Leia mais

INF1013 MODELAGEM DE SOFTWARE

INF1013 MODELAGEM DE SOFTWARE INF1013 MODELAGEM DE SOFTWARE Departamento de Informática Ivan Mathias Filho ivan@inf.puc-rio.br Programa Capítulo 18 Sockets OLadoServidor O Lado Cliente Múltiplos Clientes 1 Programa Capítulo 18 Sockets

Leia mais

Arquivos. Estruturas de Dados II Vanessa Braganholo

Arquivos. Estruturas de Dados II Vanessa Braganholo Arquivos Estruturas de Dados II Vanessa Braganholo Entidades } Aplicações precisam armazenar dados sobre as mais diversas entidades, que podem ser concretas ou abstratas } Funcionário de uma empresa (concreto)

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação LP: Laboratório de Programação Apontamento 15 Prof. ISVega Maio de 2004 Arquivos de Texto CONTEÚDO 15.1Processamento

Leia mais

Camada de Transporte. Bruno Silvério Costa

Camada de Transporte. Bruno Silvério Costa Camada de Transporte Bruno Silvério Costa Serviços Oferecidos à camada superior Camadas de rede, transporte e aplicação. Primitivas do Serviço de Transporte As primitivas para um serviço de transporte

Leia mais

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ...

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ... Programação Na Web Linguagem Java Parte II Sintaxe António Gonçalves break com o nome do bloco Nome do bloco Termina o bloco class class Matrix Matrix { private private int[][] int[][] mat; mat; public

Leia mais

Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1

Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1 Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1 Professor Leandro A. F. Fernandes http://www.ic.uff.br/~laffernandes Conteúdo: Entrada e saída de dados Material elaborado pelos profs. Anselmo Montenegro

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java Linguagem Java Objetivos Compreender como desenvolver algoritmos básicos em JAVA Aprender como escrever programas na Linguagem JAVA baseando-se na Linguagem Portugol aprender as sintaxes equivalentes entre

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Criar a classe Aula.java com o seguinte código: public class Aula { public static void

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel As 52 Palavras Reservadas O que são palavras reservadas São palavras que já existem na linguagem Java, e tem sua função já definida. NÃO podem

Leia mais

Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA

Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA Manual do Desenvolvedor Criptografia de Arquivos do WebTA Versão 1.4 Índice 1. Objetivo..3 2. Processo..3 3. API de Criptografia - Biblioteca Java..4 3.1 WEBTACryptoUtil..4 3.1.1 decodekeyfile..4 3.1.2

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas. Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares

Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas. Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares Objetivos Conceito de exceções Tratar exceções pelo uso de try, catch e

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia emtelemática Programação Orientada a Objetos Streams em Java. Copyright 2010 Prof. César Rocha

Curso Superior de Tecnologia emtelemática Programação Orientada a Objetos Streams em Java. Copyright 2010 Prof. César Rocha Curso Superior de Tecnologia emtelemática Programação Orientada a Objetos Streams em Java Copyright 2010 Prof. César Rocha 1 Objetivos Explorar os conceitos fundamentais acerca do uso de streams de arquivos

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Iniciar o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Inicie o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

Cliente-servidor com Sockets TCP

Cliente-servidor com Sockets TCP Cliente-servidor com Sockets TCP Paulo Sérgio Almeida Grupo de Sistemas Distribuídos Departamento de Informática Universidade do Minho 2007/2008 c 2000 2007 Paulo Sérgio Almeida Cliente-servidor com Sockets

Leia mais

A ) O cliente terá que implementar uma interface remota. . Definir a interface remota com os métodos que poderão ser acedidos remotamente

A ) O cliente terá que implementar uma interface remota. . Definir a interface remota com os métodos que poderão ser acedidos remotamente Java RMI - Remote Method Invocation Callbacks Folha 9-1 Vimos, na folha prática anterior, um exemplo muito simples de uma aplicação cliente/ servidor em que o cliente acede à referência remota de um objecto

Leia mais

Sockets. Introdução. Introdução. Programando para redes em Java. mecanismo de alto nível para acessar recursos na Internet.

Sockets. Introdução. Introdução. Programando para redes em Java. mecanismo de alto nível para acessar recursos na Internet. Sockets Programando para redes em Java Introdução n O URLs e URLConnections fornecem um mecanismo de alto nível para acessar recursos na Internet. n Em aplicações de servidor de cliente, o servidor fornece

Leia mais

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null Palavras -chave de JAV A abstract catch do final implements long private static throw void boolean char double finally import native protected super throws volatile break class float insfcanceof new public

Leia mais

Descrição. Implementação. Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos

Descrição. Implementação. Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos Descrição Implemente nesta atividade de laboratório um programa em Java utilizando threads

Leia mais

Programação Paralela e Distribuída. Prof. Cidcley T. de Souza

Programação Paralela e Distribuída. Prof. Cidcley T. de Souza Programação Paralela e Distribuída Prof. Cidcley T. de Souza Conteúdo Parte I Introdução aos Sockets Tipos de Sockets Classes Java: InetAddress, Datagram Sockets, Stream Sockets, Output e Input Classes

Leia mais

Slides_Java_1 !"$ % & $ ' ' Output: Run java. Compile javac. Name of program. Must be the same as name of file. Java source code.

Slides_Java_1 !$ % & $ ' ' Output: Run java. Compile javac. Name of program. Must be the same as name of file. Java source code. Slides_Java_1!"#$!" $ % & $ Sistemas Informáticos I, 2005/2006 ( Java source code Compile javac Java bytecode Run java Output:!"#) %& Name of program. Must be the same as name of file.!"#$!"$ % & $ Where

Leia mais

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código }

Comandos de repetição For (inicialização; condição de execução; incremento/decremento) { //Código } Este documento tem o objetivo de demonstrar os comandos e sintaxes básicas da linguagem Java. 1. Alguns passos para criar programas em Java As primeiras coisas que devem ser abordadas para começar a desenvolver

Leia mais

Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica

Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica Vítor E. Silva Souza (vitor.souza@ufes.br) http://www.inf.ufes.br/~vitorsouza Departamento de Informática Centro Tecnológico Universidade

Leia mais

LP2 Laboratório de Programação 2 Ciência da Computação. Arquivos

LP2 Laboratório de Programação 2 Ciência da Computação. Arquivos Arquivos Um arquivo é uma abstração utilizada para uniformizar a interação entre o ambiente de execução e os dispositivos externos. A interação de um programa com um dispositivo através de arquivos passa

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 03 APRESENTAÇÃO: Hoje vamos conhecer o comando switch, o bloco try catch;

Leia mais

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA 1) Qual será o valor da string c, caso o programa rode com a seguinte linha de comando? > java Teste um dois tres public class Teste { public static void main(string[] args) { String a = args[0]; String

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Redes de Computadores - 2010/1

Redes de Computadores - 2010/1 Redes de Computadores - 2010/1 Miniprojeto Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Professor: Magnos Martinello 20 de maio de 2010 1 1 Proposta A proposta do trabalho é reforçar o compreendimento

Leia mais

Exercícios de Revisão Java Básico

Exercícios de Revisão Java Básico Exercícios de Revisão Java Básico (i) Programação básica (estruturada) 1) Faça um programa para calcular o valor das seguintes expressões: S 1 = 1 1 3 2 5 3 7 99... 4 50 S 2 = 21 50 22 49 23 48...250 1

Leia mais

Organização de programas em Java. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br

Organização de programas em Java. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Organização de programas em Java Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Vamos programar em Java! Mas... } Como um programa é organizado? } Quais são os tipos de dados disponíveis? } Como variáveis podem

Leia mais

Olho por olho, e o mundo acabará cego. Mohandas Gandhi

Olho por olho, e o mundo acabará cego. Mohandas Gandhi Sockets Olho por olho, e o mundo acabará cego. Mohandas Gandhi Conectando-se a máquinas remotas. Protocolo Da necessidade de dois computadores se comunicarem surgiram diversos protocolos que permitissem

Leia mais

Linguagens de. Aula 02. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Linguagens de. Aula 02. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagens de Programação III Aula 02 Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagens de Programação Técnica de comunicação padronizada para enviar instruções a um computador. Assim

Leia mais

Comunicação entre processos

Comunicação entre processos Comunicação entre processos Processo: um programa em execução num sistema terminal (host) Processos em sistemas distintos comunicam trocando mensagens Processo Cliente: processo que inicia a comunicação

Leia mais

Capítulo 5. Tratamento de excepções

Capítulo 5. Tratamento de excepções Capítulo 5. Tratamento de excepções 1/20 Índice Indice 5.1 - Excepção 5.2 - Try-Catch-Finally 5.3 - Escalar excepção não tratada 5.4 - Como lançar excepções 2/20 Índice 5.1 Excepção 5.1 - Excepção 5.2

Leia mais

Java - Introdução. Professor: Vilson Heck Junior. vilson.junior@ifsc.edu.br

Java - Introdução. Professor: Vilson Heck Junior. vilson.junior@ifsc.edu.br Java - Introdução Professor: Vilson Heck Junior vilson.junior@ifsc.edu.br Agenda O que é Java? Sun / Oracle. IDE - NetBeans. Linguagem Java; Maquina Virtual; Atividade Prática. Identificando Elementos

Leia mais

Sintaxe Básica de Java Parte 1

Sintaxe Básica de Java Parte 1 Sintaxe Básica de Java Parte 1 Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marcioubeno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Estrutura de Programa Um programa

Leia mais

Programação com sockets (em Java)

Programação com sockets (em Java) com sockets (em Java) Prof. Dr. Julio Arakaki Depto. Ciência da 1 Comunicação entre processos // aplicações - é um dos mecanismos mais utilizados - Java oferece modos de utilização:. TCP ( Transmission

Leia mais

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 09 Introdução à Java Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Java: Sintaxe; Tipos de Dados; Variáveis; Impressão de Dados.

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 1: Introdução MEEC@IST Java 1/27 História versões (1) [1995] Versão 1.0, denominada Java Development Kit (JDK) 212 classes em 8 pacotes Lento, muitos bugs, mas com Applets

Leia mais

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. Sintaxe Geral Tipos de Dados Comentários Comentários: De linha: // comentário 1 // comentário 2 De bloco: /* linha 1 linha 2 linha n */ De documentação: /** linha1 * linha2 */ Programa Exemplo: ExemploComentario.java

Leia mais

Noções sobre Objetos e Classes

Noções sobre Objetos e Classes Noções sobre Objetos e Classes Prof. Marcelo Cohen 1. Elementos de programação Revisão de programação variáveis, tipos de dados expressões e operadores cadeias de caracteres escopo de variáveis Revisão

Leia mais

Threads e Sockets em Java. Threads em Java. Programas e Processos

Threads e Sockets em Java. Threads em Java. Programas e Processos Threads em Java Programas e Processos Um programa é um conceito estático, isto é, um programa é um arquivo em disco que contém um código executável por uma CPU. Quando este programa é executado dizemos

Leia mais

Caso 1 NetScanner Main

Caso 1 NetScanner Main Caso 1 NetScanner import java.util.scanner; import java.net.unknownhostexception; import java.util.logging.level; import java.util.logging.logger; import javax.swing.joptionpane; public class Main { System.out.println("Digite

Leia mais

Equivale a um conjunto de if 's encadeados, porém mais estruturado.

Equivale a um conjunto de if 's encadeados, porém mais estruturado. Switch (Case) Equivale a um conjunto de if 's encadeados, porém mais estruturado. switch(expressao_ordinal) ordinal_1: bloco1; ordinal_2: bloco2; default: diretiva_default; Exemplo - switch public class

Leia mais

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis Variáveis Variáveis são locais onde armazenamos valores na memória. Toda variável é caracterizada por um nome, que a identifica em um programa,

Leia mais

Programação para Android. Aula 07: Persistência de dados Shared Preferences, Internal e External Storage

Programação para Android. Aula 07: Persistência de dados Shared Preferences, Internal e External Storage Programação para Android Aula 07: Persistência de dados Shared Preferences, Internal e External Storage Persistência de dados Na maioria das aplicações precisamos ter algum tipo de persistência de dados.

Leia mais

Comunicação via Sockets. Prof. Orlando Loques - IC/UFF. versão 26-04-2001

Comunicação via Sockets. Prof. Orlando Loques - IC/UFF. versão 26-04-2001 Comunicação via Sockets Prof. Orlando Loques - IC/UFF versão 26-04-2001 Referências: - Slides Prof. Alexandre Sztajnberg, UERJ - Capítulo 15, Applied Operating System Concepts, Silberschatz & Galvin; Wiley

Leia mais

UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Estrutura de Dados. AULA 6 Filas

UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Estrutura de Dados. AULA 6 Filas UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação Estrutura de Dados AULA 6 Filas Estrutura de Dados A Estrutura de Dados Fila Fila é uma estrutura de dados usada em programação, que tem regras para

Leia mais

Algoritmos e Programação _ Departamento de Informática

Algoritmos e Programação _ Departamento de Informática 16 ARQUIVOS Um arquivo corresponde a um conjunto de informações (exemplo: uma estrutura de dados-registro), que pode ser armazenado em um dispositivo de memória permanente, exemplo disco rígido. As operações

Leia mais

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções)

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções) Aulas anteriores... Formulação adequada do problema Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução Definição do algoritmo Método de decomposição hierárquica utilizando

Leia mais

ÇÃO COM OBJECTOS PROGRAMAÇÃ. Programação com Objectos. Programação com Objectos TUDO É UM OBJECTO TUDO É UM OBJECTO ÍNDICE.

ÇÃO COM OBJECTOS PROGRAMAÇÃ. Programação com Objectos. Programação com Objectos TUDO É UM OBJECTO TUDO É UM OBJECTO ÍNDICE. PROGRAMAÇÃ ÇÃO COM OBJECTOS TUDO É UM OBJECTO Programação com Objectos ÍNDICE Introdução aos objectos Polimorfismo TUDO É UM OBJECTO Interface e classes internas Instruções de controlo Guardar os objectos

Leia mais

Modulo II Tópicos em Java - IO

Modulo II Tópicos em Java - IO Modulo II Tópicos em Java - IO Prof. Ismael H F Santos April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - ismael@tecgraf.puc-rio.br 1 Ementa Modulo II - Tópicos em JAVA - IO Entrada e Saída - Streams Filtros de Streams

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA Curso de Especialização em Tecnologia Java UTFPR Capítulo 1 Parte 1 Introdução à tecnologia Java Ambiente de desenvolvimento Java Introdução à Tecnologia Java O que é Java?

Leia mais

Aula 30 - Sockets em Java

Aula 30 - Sockets em Java Aula 30 - Sockets em Java Sockets Sockets são estruturas que permitem que funções de software se interconectem. O conceito é o mesmo de um soquete (elétrico, telefônico, etc...), que serve para interconectar

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DISCIPLINA:

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DISCIPLINA: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DISCIPLINA: PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS PROFESSOR: REINALDO GOMES ASSUNTO: PRIMEIRO PROGRAMA EM JAVA (COMPILAÇÃO

Leia mais

Faculdade Instituto Educare - FIED Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Linguagem de Programação I Prof.: Rhyan Ximenes E-mail: rxbrito@gmail.

Faculdade Instituto Educare - FIED Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Linguagem de Programação I Prof.: Rhyan Ximenes E-mail: rxbrito@gmail. Um pouco da história Faculdade Instituto Educare - FIED Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Linguagem de Programação I Prof.: Rhyan Ximenes E-mail: rxbrito@gmail.com Introdução a Linguagem Java Java

Leia mais

Objetivos do Capítulo

Objetivos do Capítulo Capítulo 33 Arquivos e Fluxos de Dados Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Objetivos do Capítulo Analisar os conceitos de fluxo de entrada e de fluxo de saída de

Leia mais

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções Escola Superior de Gestão e Tecnologia Tratamento de Exceções Objetivos Compreender como o tratamento de exceção e de erro funciona. Como u4lizar try, throw e catch para detectar, indicar e tratar exceções,

Leia mais

Programação de Redes de Computadores em Java

Programação de Redes de Computadores em Java Programação de Redes de Computadores em Java Material reescrito para os alunos da disciplina CAP312 Programação de Redes de Computadores do programa de pós-graduação em Computação Aplicada do Instituto

Leia mais

socket Objetivo: aprender a construir aplicações cliente/servidor que se comunicam usando sockets

socket Objetivo: aprender a construir aplicações cliente/servidor que se comunicam usando sockets Programação de Sockets Mário Meireles Teixeira. UFMA-DEINF Programação de Sockets Objetivo: aprender a construir aplicações cliente/servidor que se comunicam usando s API de Sockets: introduzida no UNIX

Leia mais

Ficheiros binários 1. Ficheiros binários

Ficheiros binários 1. Ficheiros binários Ficheiros binários 1 Ficheiros binários 1. Considere que dispõe de ficheiros binários cujo conteúdo é constituído por uma ou mais estruturas como a indicada a seguir struct registo { int ref; float var;

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Introdução a conceitos e a prática de programação

Introdução a conceitos e a prática de programação Instituto de Informática - UFG Disciplina: Introdução à Computação Introdução a conceitos e a prática de programação Autores: Marcelo Akira e Anderson Soares Fevereiro de 2011 Alguns direitos autorais

Leia mais

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com HelloWorld.java: public class HelloWorld { public static void main (String[] args) { System.out.println( Hello, World ); } } Identificadores são usados

Leia mais

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Assuntos abordados Este módulo explora detalhes da construção de classes e objetos Construtores Implicações da

Leia mais

Armazenamento de Dados. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

Armazenamento de Dados. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Armazenamento de Dados Prof. Antonio Almeida de Barros Junior 1 Armazenamento de Dados Todos os dados que utilizamos até o momento, ficavam armazenados apenas na memória. Ao final da execução dos programas,

Leia mais

INF1337 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS

INF1337 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS INF1337 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS Departamento de Informática PUC-Rio Andrew Diniz da Costa andrew@les.inf.puc-rio.br Programa Capítulo 2 Visão Geral da Tecnologia Java Aplicação Hello

Leia mais

NOTAS INTRODUTÓRIAS SOBRE PROGRAMAÇÃO EM JAVA (PARTE I)

NOTAS INTRODUTÓRIAS SOBRE PROGRAMAÇÃO EM JAVA (PARTE I) NOTAS INTRODUTÓRIAS SOBRE PROGRAMAÇÃO EM JAVA (PARTE I) João M. P. Cardoso Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade do Algarve Campus de Gambelas 8000 117 Faro, Portugal Email: jmcardo@ualg.pt 1

Leia mais

Lab de Programação de sistemas I

Lab de Programação de sistemas I Lab de Programação de sistemas I Apresentação Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Agenda Orientação a Objetos Conceitos e Práticas Programação OO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 02 APRESENTAÇÃO: Apresentação; conceitos básicos da linguagem java; estrutura

Leia mais

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET PADI 2015/16 Aula 1 Introdução à Plataforma.NET 1 Sumário 1. Framework.NET Arquitectura 2. Linguagem C# 2.0 Sintaxe C# vs. Java vs. C++ 3. IDE: MS Visual Studio 2005 ou superior Ferramentas Console/Win

Leia mais

Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência

Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência 1. Introdução Universidade Federal do ABC Disciplina: Processamento da Informação (BC-0505) Assunto: Dados, variáveis, operadores e precedência Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência Nesta

Leia mais

Curso de Java Módulo I Exceções, Entrada e Saída Programação Swing Fábio Mengue fabio@unicamp.br Centro de Computação - Unicamp

Curso de Java Módulo I Exceções, Entrada e Saída Programação Swing Fábio Mengue fabio@unicamp.br Centro de Computação - Unicamp Curso de Java Módulo I Exceções, Entrada e Saída Programação Swing Fábio Mengue fabio@unicamp.br Centro de Computação - Unicamp Exceções O termo exception é uma abreviatura da frase exceptional event.

Leia mais