O tráfego na Avenida Caxangá e a problemática do crescimento desordenado da frota automobilística na cidade do Recife - PE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O tráfego na Avenida Caxangá e a problemática do crescimento desordenado da frota automobilística na cidade do Recife - PE"

Transcrição

1 O tráfego na Avenida Caxangá e a problemática do crescimento desordenado da frota automobilística na cidade do Recife - PE INTRODUÇÃO Recife-Pernambuco tem uma densidade demográfica bastante alta se comparada aos demais municípios de sua Região Metropolitana e como na maioria dos grandes centros não teve planejamento urbano até os anos 70, com o decorrer do tempo a especulação imobiliária fez com que grande parte da população com menor renda fosse empurrada para a periferia, onde se deparou com pouca ou nenhuma estrutura urbana, mas se tornou grande detentora de atividades financeiras relacionadas a seu núcleo central, atraindo grandes quantidades de pessoas pela sua demanda de empregos. Com isso começou-se a haver uma maior necessidade de melhores meios de transporte, isso porque agora existiam grandes distâncias a se percorrer, e não se demorou muito para a descentralização do comércio influenciar na situação de caos urbano, e foi assim que o setor viário mostrou sua importância o que ocasionou em intervenções em seu campo institucional e em seus aparatos, sendo a ferrovia de grande valor para a população da Região Metropolitana do Recife. Desde os primórdios da história a questão de mobilidade é essencial no quesito de desenvolvimento regional, e Recife desde a época era apenas um povoado tinha seus rios e mar, onde esses foram de suma importância para o desenvolvimento da cidade, pois com eles se pensou em outras formas de locomoção, inicialmente se deu pelas embarcações e logo depois para os trens de ferro, que abriram literalmente o caminho para o progresso, derivado deles o transporte hoje em meios privados e públicos. O transporte na cidade do Recife hoje é uma garantia de desenvolvimento de atividades cotidianas e também de lazer, a localização de um território é um fator que

2 influência diretamente na estrutura urbana, fazendo com que parte da população usufrua de melhores meios de transporte e outras não. Figura1- Avenida Caxangá Fonte: Maplink. A imagem acima mostra a Avenida Caxangáque surgiu em um período onde mal existiam fluxos de carros, por não haver ruas largas para tal fluxo ocorrer, e na capital pernambucana a situação não era diferente, nem sequer um pouco do restante do país: ruas esburacadas, estreitas e muitas mal localizadas, prejudicavam o fluxo de pessoas, mercadorias e capital, o que influenciava diretamente ao estado econômico da capital no século XIX. E mesmo em meio á tantos impasses, em 1833 um estrada que prometia ser uma importante ramificação em termos de interligar municípios economicamente importantes, começou a ser construída, e logo foi designada com o nome de Estrada de Paudalho o que posteriormente seria modificado para Estrada do Ambolê, porém foi oficialmente a primeira estrada, na até então província, regularmente construída e uma importante interligação das ramificações municipais de Recife. A estrada de Paudalho deu ao Recife o poder de ir e vim de uma forma mais prática e eficaz, carros já podiam circular com seu quase constante alargamento. Antes o local tratava-se apenas de uma passagem, por onde chegava-se aos engenhos de açúcar, porém sempre à cavalo. O fato de ligar o bairro da Madalena com o bairro da Caxangá,

3 foi primordialmente importante, a tornando uma digna e bastante especulativa estrada, mesmo naquela época, em que os investimentos públicos eram um tanto mais ineficientes dos de atualmente. Um exemplo de tal ineficiência é que o primeiro trecho da estrada de Paudalho, só foi concluído no ano de 1842, nove anos depois de seu inicio. Em 1940 época do Estado Novo- e período em que o estado de Pernambuco encontrava-se sob o governo de Novaes Filho, com paralelepípedos rejuntados com cimento sobre uma massa de concreto e alargada com vários aterros, a primeira reforma de asfaltamento na Avenida Caxangá aconteceu. Já no segundo mandato de Pelópidas Silveira, novamente houve a ampliação da avenida e em 1966 houve também a inauguração de uma segunda faixa de rolamento em cimento armado, inauguração esta prestigiada pessoalmente pela presença do até então presidente da republica Marechal Humberto Castelo Branco. Todas as drásticas e simultaneamente lentas mudanças que ocorreram na avenidacaxangá construíram e desenharam no tempo as características e importâncias atuais; dando-lhe uma peculiaridade de ser unicamente essencial, desde do fluxo e mobilidade urbana até os fatores históricos e culturais, que fizeram parte da do que o grande e tão conhecido Recife é. Hoje, sabe-se que diante de tantas investidas, a avenida é uma das maiores do mundo em linha reta, com aproximadamente 6km de extensão e ligando diversos e importantes bairros. Permitindo o acesso irrestrito dos mais variados tipos de transporte rodoviários, incluindo os ônibus e por isto também trata-se um ícone em termos de mobilidade urbana em transportes coletivos. Sendo um intrigante investimento publico, pois seus benefícios são inegáveis e seus impasses são preocupantes. A Avenida é uma importante ligação dos bairros da cidade do Recife e da Região Metropolitana, isso faz com que ela uma conexão entre o centro da Cidade e bairros circundantes, por esses motivos a Avenida Caxangá tem grande passagem de carros, motos e ônibus diariamente, o que tem afetado a locomoção na cidade,

4 mostrando que o aumento de veículos gera transtornos para seus usuários em horários de maior fluxo. Para melhorar o fluxo foi pensado na construção do Corredor Leste-Oeste, que são 20km de pista que interligam desde Jardim Irajá a Diadema, ele é baseado no modelo viário que já existe, alargando e fazendo a duplicação do mesmo, para que o trafego melhorasse foram construídos quatro viadutos, para que a obra fosse efetuada tiveram que desocupar quase 200 imóveis, para que assim se pudesse construir faixa exclusiva para ônibus e que essa ligasse ao metrô e a Linha 18-Bronze. Figura2- Corredor Leste-Oeste Fonte: Governo de Pernambuco. A imagem mostra o Corredor Leste-Oeste que será o responsável pela mobilidade de mais de 120 mil pessoas diariamente no percurso que vai da Praça do Derby ao Terminal integrado de Camaragibe, passando pela Avenida Caxangá. O Brasil em uma década aumentou 400x o seu transporte privado, e o que parecia uma solução mostrou que na verdade era um problema, segundo o IEPA de 2011, 65% da população utiliza transporte público para se locomover esse percentual

5 cai para 36% nas cidades que não são capitais e em todos os municípios brasileiros 23% da população adota o carro como meio de transporte. OBJETIVO Atualmente vem-se utilizando com frequência o termo mobilidade, isso por conta de transtornos ocasionados pelos congestionamentos no centro que estão cada fez mais presentes no cotidiano dos Recifenses, local onde automóvel é supervalorizado e o transporte público cada vez mais precário, o termo mobilidade faz referência as pessoas e cargas que podem ser locomovidas a pé, bicicleta ou veículos motorizados, que são individuais (particulares) ou público (coletivos), ela depende de inerências como renda, cultura e nível escolar. O que acentua a precarização do transporte e consequentemente o aumento do trânsito é a falta de infraestrutura, além de manutenção ruim e sistema viário cheio de pontes que causam fatores que auxiliam no pioramento do trânsito. Na visão de estudiosos é necessário priorizar meio de transportes que não sejam motorizados e diminuir o uso de veículos privados, isso tudo para poder assegurar a melhoria do sistema do transporte público, é necessário a conscientização do poder público para que juntamente com a população possam focar em conseguir melhorias no planejamento de remoção de obstruções de tráfego na cidade. Para amenizar os problemas no trânsito e na poluição de várias cidades estão inserindo meios alternativos de transporte, como ônibus, skates e bicicletas são os mais utilizados, segundo os dados de 2012 da ONU, o Brasil é o segundo maior poluidor da América Latina, juntamente com o México é o responsável metade da emissão de gases poluente da América Latina, o que leva a uma má qualidade do ar nas cidades gerando doenças que vem se proliferando. O número de carros nas ruas é fruto de um transporte público de má qualidade, o crescimento da frota automobilística gira em torno da necessidade de melhores condições das vias públicas. O objetivo do presente trabalho é chamar a atenção do

6 transporte público e outros meios alternativos de locomoçãobuscando visualizar o processo de alternativas para solução de problemas enfrentados por quem utiliza a malha viária do Recife com ênfase na Avenida Caxangá e no Corredor Leste-Oeste, vendo se esse é ou não válido para a problemática de mobilidade urbana. METODOLOGIA A metodologia foi baseada na construção de um referencial empírico sobre as principais obras clássicas que discutem o espaço urbano, modernidade e o processo de (re)produção do espaço. Foi observada a constituição do espaço urbano da cidade do Recife, tendo como base as modificações geradas pela construção de um corredor de transporte, ligando o centro da cidade do Recife à cidade de Camaragibe, região metropolitana, denominado Corredor Leste-Oeste, além de um túnel viário. Para tal foram realizadas visitas aos principais pontos de obras de infraestrutura no percurso da Avenida Caxangá. RESULTADOS PRELIMINARES Os resultados preliminares demonstram que a mobilidade urbana na Av. Caxangá está sendo comprometida pelos constantes congestionamentos, cada vez mais frequentes em diversos intervalos de tempo durante o dia. Devido à valorização do transporte particular, seja carro ou motocicleta, em detrimento ao público, atualmente em situação precária de uso, observou-se a ocorrência de problemas sequenciais não somente no Recife, como também em cidades circunvizinhas de médio e grande porte. Deste modo, o aumento da frota de veículos além de afetar a circulação dos usuários de transporte público e/ou privado, bem como de pedestres, ocasiona uma diminuição da qualidade de vida, aumento da poluição do ar, elevação do nível de estresse no trânsito e, consequentemente, elevação do número de acidentes.

7 Apesar de ser visto como tábua de salvação o Corredor Leste-Oeste vem ocasionando uma piora do tráfego urbano nos dias atuais, isso porque com suas obras inacabadas detém grande espaço nas vias públicas, piorando o que procurava amenizar, o tráfego intenso em horário de pico, mas que no futuro pode sim atingir sua expectativa que é a melhora do bem estar das pessoas no trânsito. REFERÊNCIAS OFICINA CONSULTORES ASSOCIADOS, Transporte não-motorizado. In: Seminário sobre o Plano Diretor de Transporte da Cidade de Teresina. Anais, RESENDE, L. social Conflitos de trânsito em áreas de polos geradores de tráfego e instituições de interesse: a educação para o trânsito como alternativa. Dissertação (Mestrado em Geografia) Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia (MG), VASCONCELLOS, E. A. A cidade, o transporte e o trânsito. São Paulo: Pró-Livros, acesso em: 28 de junho de acesso em 28 de junho de :catid=28&Itemid=23>> acesso em 27 de junho de acesso em 27 de junho de 2014.

8

MOBILIDADE URBANA. André Abe Patricia Stelzer

MOBILIDADE URBANA. André Abe Patricia Stelzer MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL André Abe Patricia Stelzer Atualmente, a mobilidade urbana é parte da política de desenvolvimento urbano sustentável. Trata do deslocamento de bens e pessoas e do atendimento

Leia mais

Compreendendo o espaço

Compreendendo o espaço Módulo 1 Unidade 2 Compreendendo o espaço Para início de conversa... A forma como você se locomove na cidade para ir de um lugar a outro tem a ver com as direções que você toma e com o sentido para o qual

Leia mais

CORREDOR LESTE-OESTE: LIGAÇÃO ENTRE A ÁREA CENTRAL DO RECIFE E A CIDADE DA COPA EM SÃO LOURENÇO DA MATA 1

CORREDOR LESTE-OESTE: LIGAÇÃO ENTRE A ÁREA CENTRAL DO RECIFE E A CIDADE DA COPA EM SÃO LOURENÇO DA MATA 1 Andresa Maria Mendes da Silva¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹ Graduanda do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Mata Norte da Universidade de Pernambuco. Bolsista PFA/UPE.

Leia mais

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM UBERLÂNDIA, MG Luciano Nogueira José Aparecido Sorratini ANÁLISE DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE REDE SEMIPÚBLICA DE

Leia mais

Mobilidade Caminhos para o Futuro

Mobilidade Caminhos para o Futuro EVENTO DIÁLOGOS CAPITAIS: METRÓPOLES BRASILEIRAS O FUTURO PLANEJADO Mobilidade Caminhos para o Futuro Ricardo Young PPS Vereador Município de SP ricardoyoungvereador http://www.ricardoyoung.com.br/ 21/JULHO/2014

Leia mais

PROPOSTAS MOBILIDADE PROPOSTAS DE MÉDIO E LONGO PRAZO

PROPOSTAS MOBILIDADE PROPOSTAS DE MÉDIO E LONGO PRAZO PROPOSTAS MOBILIDADE PROPOSTAS DE MÉDIO E LONGO PRAZO AGENDA DO DEBATE: Pedestres Bicicleta Transporte público: ônibus e trilhos Circulação viária carros, motos e caminhões Acessibilidade Educação e trânsito

Leia mais

Consulta Pública PROPOSTAS

Consulta Pública PROPOSTAS Consulta Pública POLÍTICA DE LOGÍSTICA URBANA DE BELO HORIZONTE - 2015 PBH BHTRANS / outubro 2015 PROPOSTAS 1. Causas básicas do caos urbano 1. Desequilíbrio entre a oferta e a demanda do uso da estrutura

Leia mais

Mobilidade Urbana. GT de Infraestrutura do CREA-ES, 22/dez/2014

Mobilidade Urbana. GT de Infraestrutura do CREA-ES, 22/dez/2014 Mobilidade Urbana GT de Infraestrutura do CREA-ES, 22/dez/2014 Mobilidade Urbana É quando todos os modais de tráfego têm ou podem ter movimento e acessibilidade. Mobilidade não é distância percorrida,

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES JULHO 2015 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS URBANO Fonte: Pesquisa de mobilidade 2012 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS

Leia mais

TUTORIAL DE UTILIZAÇÃO GOOGLE MAP MAKER

TUTORIAL DE UTILIZAÇÃO GOOGLE MAP MAKER TUTORIAL DE UTILIZAÇÃO GOOGLE MAP MAKER 2 Sumário 1. INÍCIO... 3 2. ADICIONAR VIAS... 4 3. EDITAR NOME DA VIA... 8 4. EDITAR NUMERAÇÃO DA VIA...12 5. EDITAR SENTIDO DA VIA...16 6. BOAS PRÁTICAS DE MAPEAMENTO...

Leia mais

Restrição de transporte de cargas em áreas urbanas. Estudo de caso: avenida Morangueira

Restrição de transporte de cargas em áreas urbanas. Estudo de caso: avenida Morangueira PLANEJAMENTO E GESTÃO DO TRÂNSITO AN P Restrição de transporte de cargas em áreas urbanas. Estudo de caso: avenida William Cestari Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana da Universidade

Leia mais

A importância do estudo das diferenças de percepção entre ciclistas e aspirantes para o planejamento.

A importância do estudo das diferenças de percepção entre ciclistas e aspirantes para o planejamento. A importância do estudo das diferenças de percepção entre ciclistas e aspirantes para o planejamento. AUTORES ALVES, Felipe Alberto Martins¹; ANDRADE, Beatriz Rodrigues². ¹Universidade Federal do Ceará.

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2012

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2012 Sistema de Informações da Mobilidade Urbana Relatório Geral 2012 Julho/2014 Relatório Geral 2012 1 Sumário executivo... 3 2 Mobilidade... 25 2.1 Valores para Brasil (municípios acima de 60 mil habitantes)...

Leia mais

AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS

AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS Pablo de Barros Cardoso Professor, Universidade do Grande Rio, Brasil Vânia Barcellos Gouvêa Campos Professora, Instituto Militar

Leia mais

Danilo Munhoz Alves Corrêa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio danilomunhoz@globo.com. 1 - Introdução

Danilo Munhoz Alves Corrêa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio danilomunhoz@globo.com. 1 - Introdução Sistema Modal de Transportes no Município do Rio de Janeiro: a modernização dos eixos de circulação na cidade carioca para a Copa do Mundo de Futebol em 2014 e as Olimpíadas em 2016. 1 - Introdução Danilo

Leia mais

Transporte fluvial Mobilidade com Desenvolvimento Turístico Urbano e Inclusão Social

Transporte fluvial Mobilidade com Desenvolvimento Turístico Urbano e Inclusão Social Transporte fluvial Mobilidade com Desenvolvimento Turístico Urbano e Inclusão Social O Rio Capibaribe já foi navegável e suas águas limpas serviam para banhos medicinais. Ele serviu de escoamento para

Leia mais

CAPA. Transporte público,

CAPA. Transporte público, Transporte público, insatisfação c O Idec testou os ônibus e o metrô de Belo Horizonte e de São Paulo e constatou demora, superlotação e outros problemas que desrespeitam os direitos do usuário Shutterstock/Montagem

Leia mais

CONCEITOS IMPORTANTES 04/03/2013. Prof. Rodrigo Rosa - UFES 1

CONCEITOS IMPORTANTES 04/03/2013. Prof. Rodrigo Rosa - UFES 1 P R O F. D R. E N G. R O D R I G O D E A L V A R E N G A R O S A C R E A : 5. 6 3 3 - D - E S r o d r i g o r o s a @ c t. u f e s. b r C e l. : 2 7 9 9 4 1-3 3 0 0 CONCEITOS IMPORTANTES Privatização:

Leia mais

2. Todos os modais deveriam passar por um posto de controle (PC), pré-estabelecido, no centro da cidade.

2. Todos os modais deveriam passar por um posto de controle (PC), pré-estabelecido, no centro da cidade. BELO HORIZONTE/MG SETEMBRO/2008 Realização: Apoio: Desafio Intermodal O objetivo desta atividade é obter dados quantitativos e qualitativos sobre deslocamentos usando os meios de transportes disponíveis

Leia mais

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais

Ipojucatur Transportes e Turismo Ltda. Benefícios do Transporte Fretado na sua empresa.

Ipojucatur Transportes e Turismo Ltda. Benefícios do Transporte Fretado na sua empresa. Ipojucatur Transportes e Turismo Ltda. Benefícios do Transporte Fretado na sua empresa. Metodologia Informações baseadas e retiradas de empresas especializadas e especialistas na área de transporte coletivo.

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL MEDIATECA RS Autor: Pedro Arthur Câmara O terreno está localizado na cidade de Porto Alegre, no Bairro Centro Histórico. Á área é de uso misto, tendo uma grande concentração de atividades comerciais e

Leia mais

Panorama do Plamus Julho de 2015

Panorama do Plamus Julho de 2015 Panorama do Plamus Julho de 2015 O PLAMUS foi elaborado por consórcio de três empresas LogitEngenharia, Strategy& e Machado Meyer Advogados, com cinco parceiros Consórcio Empresa brasileira, fundada há

Leia mais

MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA

MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA DE TRANSPORTE E TRANSITO DE JOÃO PESSOA STTRANS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº 001/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 2010/047142 ANEXO IV DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO

Leia mais

Transporte Hidroviário Urbano

Transporte Hidroviário Urbano PHD 2537 Introdução Contexto atual No Brasil, o transporte rodoviário é responsável por 96,02% da movimentação de passageiros Necessidade de expansão da infra-estrutura devido ao crescimento das cidades

Leia mais

MOBILIDADE URBANA: UM DESAFIO PARA GESTORES PÚBLICOS

MOBILIDADE URBANA: UM DESAFIO PARA GESTORES PÚBLICOS MOBILIDADE URBANA: UM DESAFIO PARA GESTORES PÚBLICOS ARTIGO Manoel Reis Coordenador de projetos da FGV Projetos Manoel Reis é engenheiro naval, mestre em engenharia pela Escola Politécnica da USP e tem

Leia mais

A Curitiba de 2024. Entenda

A Curitiba de 2024. Entenda Emendas ao Plano Direitor propõem a paulistinização do trânsito em Curitiba Gazeta do Povo - Curitiba/PR - HOME - 04/10/2015-21:49:00 Modelo em gestão de mobilidade urbana para o restante do país nas décadas

Leia mais

MOBILIDADE URBANA Marta Monteiro da Costa Cruz Fábio Romero Gesiane Silveira

MOBILIDADE URBANA Marta Monteiro da Costa Cruz Fábio Romero Gesiane Silveira Marta Monteiro da Costa Cruz Fábio Romero Gesiane Silveira Mobilidade Urbana Palestrantes: Marta Cruz Engenheira Civil Universidade Federal do Espírito Santo Gesiane Silveira Engenheira Civil Universidade

Leia mais

Alternativas para as propostas da Copa em Belo Horizonte

Alternativas para as propostas da Copa em Belo Horizonte 8ª BIENAL INTERNACIONAL DA ARQUITETURA Workshop para Qualificação Urbana em Cidades-Sede da COPA 2014 Belo Horizonte Alternativas para as propostas da Copa em Belo Horizonte 24 a 27 de novembro de 2009

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Operações urbanas: Lapa-Brás e o novo traçado ferroviário

Urban View. Urban Reports. Operações urbanas: Lapa-Brás e o novo traçado ferroviário Urban View Urban Reports Operações urbanas: Programa Falando em dinheiro, coluna Minha cidade, meu jeito de morar e investir Rádio Estadão ESPN Operações urbanas: Com o intuito de direcionar o crescimento

Leia mais

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL META Refletir sobre as características da população brasileira como fundamento para a compreensão da organização do território e das políticas de planejamento e desenvolvimento

Leia mais

Duplo sentido ciclável. Experiência de Paris.

Duplo sentido ciclável. Experiência de Paris. Duplo sentido ciclável. Experiência de Paris. Thiago Máximo É preciso pensar a mobilidade urbana, como um sistema. Muitas vezes a questão da circulação nas grades cidades é pensada apenas para sanar problemas

Leia mais

Depto. Engenharia Industrial Estudo sobre a Mobilidade Sustentável Diretrizes para o Município do Dr. Madiagne Diallo, Prof. Coordenador do Laboratório de Apoio à Decisão Coordenador de Assessoria Técnica

Leia mais

Registro OAB-RS nº 1.578

Registro OAB-RS nº 1.578 Responsabilidade de Norte Rebelo Advogados Associados S/S Registro OAB-RS nº 1.578 Elaborado por Nikolai Sosa Rebelo [OAB/RS 76.330] Supervisionado e revisado por Darci Norte Rebelo [OAB/RS 2.438] e Darci

Leia mais

Desafio National Geographic 2010 CADERNO DE CAMPO

Desafio National Geographic 2010 CADERNO DE CAMPO Realização: Patrocínio: Desafio National Geographic 2010 CADERNO DE CAMPO 2 São Paulo em movimento: os sistemas de circulação na cidade Em 1872, São Paulo tinha 31 mil habitantes. Quase um século depois,

Leia mais

ATIVIDADE 03 POR água ABAIXO!

ATIVIDADE 03 POR água ABAIXO! ATIVIDADE 03 POR água ABAIXO! A água, elemento fundamental para a sobrevivência humana, foi motivo de muitos problemas para os moradores da Regional Norte. Além das dificuldades que eles tiveram de enfrentar

Leia mais

A cada dia, há mais gente nas cidades...

A cada dia, há mais gente nas cidades... 05/12/2012 A cada dia, há mais gente nas cidades... População urbana e rural no mundo: 1950-2050 urbana rural Cidades com mais de 1 milhão de habitantes no mundo: Em 1950: 86 cidades Em 2008: 400 cidades

Leia mais

QUAL O NÚMERO DE VEÍCULOS QUE CIRCULA EM SÃO PAULO?

QUAL O NÚMERO DE VEÍCULOS QUE CIRCULA EM SÃO PAULO? QUAL O NÚMERO DE VEÍCULOS QUE CIRCULA EM SÃO PAULO? RESENHA Carlos Paiva Qual o número de veículos que circula em um dia ou a cada hora do dia na Região Metropolitana, no município e no centro expandido

Leia mais

SEMINÁRIO AV. CONDE DA BOA VISTA

SEMINÁRIO AV. CONDE DA BOA VISTA SEMINÁRIO AV. EQUIPE: ANDERSON DÉBORAH KALINE JEISIANE NADJA VIEIRA NATONIEL SOLANGE SEMINÁRIO AV. CONTEÚDO DA APRESENTAÇÃO: CONTEXTO HISTÓRICO EVOLUÇÃO URBANA ACESSIBILIDADE CONSIDERAÇÕES FINAIS CONTEXTO

Leia mais

METRÔ 2020. Arquiteto e Urbanista Alberto Epifani Gerente de Planejamento e Integração de Transportes Metropolitanos do Metrô de São Paulo

METRÔ 2020. Arquiteto e Urbanista Alberto Epifani Gerente de Planejamento e Integração de Transportes Metropolitanos do Metrô de São Paulo METRÔ 2020 Expansão Metrô 2020, Novas Linhas já programadas, Linhas em estudo, Aspecto multimodal - Integração com outros meios de transporte Arquiteto e Urbanista Alberto Epifani Gerente de Planejamento

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Viajeo Plus City Showcase in Latin America Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Nívea Oppermann Peixoto, Ms Diretora de Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil EMBARQ Brasil auxilia governos e empresas

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO 1. INTRODUÇÃO Atualmente a tecnologia vem se desenvolvendo cada vez mais rápido para suprir as necessidades da população.

Leia mais

Mergulhão da Praça XV está interditado e a Av. Rio Branco opera em mão dupla, do Aterro à Av. Presidente Vargas

Mergulhão da Praça XV está interditado e a Av. Rio Branco opera em mão dupla, do Aterro à Av. Presidente Vargas Mergulhão da Praça XV está interditado e a Av. Rio Branco opera em mão dupla, do Aterro à Av. Presidente Vargas A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), da CET-Rio,

Leia mais

A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para

A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para outro. Os transportes podem se distinguir pela possessão:

Leia mais

Apresentação Zonas 30 e Ruas Completas Rede Vida no Trânsito 11 de Março de 2015

Apresentação Zonas 30 e Ruas Completas Rede Vida no Trânsito 11 de Março de 2015 Apresentação Zonas 30 e Ruas Completas Rede Vida no Trânsito 11 de Março de 2015 O PLAMUS foi elaborado por consórcio de três empresas Logit Engenharia, Strategy& e Machado Meyer Advogados, com cinco parceiros

Leia mais

ANÁLISE ESPAÇO TEMPORAL DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO - PERNAMBUCO

ANÁLISE ESPAÇO TEMPORAL DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO - PERNAMBUCO Autor: Lucas André Penha dos Santos Universidade Federal de Pernambuco Email: llucas.94@hotmail.com Coautor(a): Kétcia Ferreira de Santana Universidade Federal de Pernambuco Email: ketciaferrira@hotmail.com

Leia mais

Apesar da Lei que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, datar de janeiro de 2012, até agora, passados dois anos

Apesar da Lei que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, datar de janeiro de 2012, até agora, passados dois anos O presente projeto de Lei que autoriza a implantação do Corredor Capão Redondo / Campo Limpo / Vila Sonia é apresentado de maneira descolada do Projeto de Lei 0017/2014, ora em 2ª votação, e que autoriza

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO PIB PARANAENSE - 2009 A 2014

A EVOLUÇÃO DO PIB PARANAENSE - 2009 A 2014 A EVOLUÇÃO DO PIB PARANAENSE - 2009 A 2014 Marcelo Luis Montani marcelo.montani@hotmail.com Acadêmico do curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Mônica Antonowicz Muller monicamuller5@gmail.com Acadêmica

Leia mais

Mobilidade no Campus Faixa Exclusiva de Ônibus e Ciclofaixa na CUASO

Mobilidade no Campus Faixa Exclusiva de Ônibus e Ciclofaixa na CUASO Mobilidade no Campus Faixa Exclusiva de Ônibus e Ciclofaixa na CUASO A Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira (CUASO), no Butantã, tem uma média de circulação de 40 mil veículos por dia. Inserida

Leia mais

CICLOVIAS COMO ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL PARA A MOBILIDADE URBANA UM ESTUDO DE CASO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO BONITO - SP

CICLOVIAS COMO ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL PARA A MOBILIDADE URBANA UM ESTUDO DE CASO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO BONITO - SP Eixo Temático: Tecnologias CICLOVIAS COMO ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL PARA A MOBILIDADE URBANA UM ESTUDO DE CASO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO BONITO - SP Lidia Moura 1 Cynthia Akemi 2 Luiz Eduardo Moschini 3 RESUMO:

Leia mais

IDENTIDADE DE POLÍTICOS E DESENVOLVIMENTO DE LONGO- PRAZO

IDENTIDADE DE POLÍTICOS E DESENVOLVIMENTO DE LONGO- PRAZO IDENTIDADE DE POLÍTICOS E DESENVOLVIMENTO DE LONGO- PRAZO Aluno: Isabela Salgado Silva Pereira Orientador: Claudio Ferraz Introdução É de consentimento geral que o nível de desenvolvimento econômico de

Leia mais

7º Encontro de Logística e Transportes

7º Encontro de Logística e Transportes 7º Encontro de Logística e Transportes Transportes Metropolitanos na RMSP Roberto Arantes Filho Coordenador de Relações Institucionais da STM Fiesp-SP,21/05/2012 Módulo 1 Contexto de Atuação Regiões metropolitanas

Leia mais

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA O ENFRENTAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS EM ÁREAS URBANAS: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE BELÉM, PARÁ, BRASIL

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA O ENFRENTAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS EM ÁREAS URBANAS: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE BELÉM, PARÁ, BRASIL INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA O ENFRENTAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS EM ÁREAS URBANAS: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE BELÉM, PARÁ, BRASIL Priscila da Silva Batista Instituto Tecnológico, Universidade

Leia mais

Empresários debatem obras de mobilidade urbana no RN em Foco

Empresários debatem obras de mobilidade urbana no RN em Foco 22.05.13 No Minuto.com Empresários debatem obras de mobilidade urbana no RN em Foco Projeto da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN aconteceu nesta quarta-feira (22), no Versailles Tirol.

Leia mais

Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011

Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011 Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011 Resultados positivos dos quinze anos de concessões ferroviárias comprovam a importância das ferrovias para o desenvolvimento do País Crescimento de

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA Seminário Internacional sobre Cidades Inteligentes, Cidades do Futuro Comissão de Desenvolvimento Urbano CDU Câmara dos Deputados A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília 06

Leia mais

Análise do IBEU para a RIDE-DF e a AMB

Análise do IBEU para a RIDE-DF e a AMB Análise do IBEU para a RIDE-DF e a AMB Rômulo José da Costa Ribeiro Professor Doutor da Universidade de Brasília UnB, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo PPG-FAU, Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Título: BRT Metropolitano Litoral Sul.

Título: BRT Metropolitano Litoral Sul. Título: BRT Metropolitano Litoral Sul. Autores: Angelique Joseli de Oliveira ¹; Tamara Crioruska Tarasiuk 1 ¹ Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo - EMTU/SP. Superintendência de Engenharia

Leia mais

PREPARAÇÃO PARA A INTERPRETAÇÃO DA FORMA URBANA FORTALEZENSE

PREPARAÇÃO PARA A INTERPRETAÇÃO DA FORMA URBANA FORTALEZENSE PREPARAÇÃO PARA A INTERPRETAÇÃO DA FORMA URBANA FORTALEZENSE TODAS AS RELAÇÕES SOCIAIS, MESMO SENDO LIGADAS A CLASSE, FAMÍLIA, COMUNIDADE, MERCADO, ESTADO E PODER, MANTÊM-SE ABSTRATAS E SUBTERRÂNEAS ATÉ

Leia mais

abril/2013 CICLOVIA ZONA NORTE

abril/2013 CICLOVIA ZONA NORTE abril/2013 CICLOVIA ZONA NORTE introdução Das temáticas de crise das grandes cidades nos dias de hoje, uma das questões mais contundentes é a mobilidade urbana. A cidade de São Paulo, metrópole que sofre

Leia mais

Soluções Utilizadas pela Prefeitura Municipal de Curitiba nos Pavimentos Urbanos. Engª. Manuela do Amaral Marqueño Prefeitura Municipal de Curitiba

Soluções Utilizadas pela Prefeitura Municipal de Curitiba nos Pavimentos Urbanos. Engª. Manuela do Amaral Marqueño Prefeitura Municipal de Curitiba Soluções Utilizadas pela Prefeitura Municipal de Curitiba nos Pavimentos Urbanos Engª. Manuela do Amaral Marqueño Prefeitura Municipal de Curitiba Apresentação Pavimentos de Concreto em Curitiba Evolução

Leia mais

Desafios do Rio de Janeiro para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016: transporte

Desafios do Rio de Janeiro para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016: transporte Nº 1 de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016: transporte A escolha do Rio de Janeiro para ser a sede dos Jogos Olímpicos coroou o bom momento vivido pela cidade e pelo estado, que irá receber investimentos

Leia mais

SP 01/04/92 NT 144/92. Telemarketing: Uma Alternativa de Pesquisa de Opinião para o Sistema de Transporte Público

SP 01/04/92 NT 144/92. Telemarketing: Uma Alternativa de Pesquisa de Opinião para o Sistema de Transporte Público SP 01/04/92 NT 144/92 Telemarketing: Uma Alternativa de Pesquisa de Opinião para o Sistema de Transporte Público Assessoria Técnica da Presidência - ATE Introdução Nas grandes cidades, as restrições naturais

Leia mais

Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons. Programa Cidades Sustentáveis

Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons. Programa Cidades Sustentáveis Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons Programa Cidades Sustentáveis CONTEXTO No Mundo Atualmente: mais da metade da humanidade já vive em cidades 2030: 60% e 2050: 70% (ONU) Emissões de gases de efeito

Leia mais

TRANSPORTE COLETIVO URBANO E A ROTEIRIZAÇÃO

TRANSPORTE COLETIVO URBANO E A ROTEIRIZAÇÃO TRANSPORTE COLETIVO URBANO E A ROTEIRIZAÇÃO Tamires Soares Ferreira 1, Dante Alves Medeiros Filho 2, Emanuely Velozo Aragão Bueno 3 RESUMO:NAS EMPRESAS DE GRANDE E MÉDIO PORTE TEMOS A INCIDÊNCIA DO SISTEMA

Leia mais

Interseções. Lastran/Ufrgs

Interseções. Lastran/Ufrgs Interseções Lastran/Ufrgs 1 Noções Gerais Interseção é o local onde 2 ou mais vias se interceptam. Local de grande número de acidentes: 53% dos acidentes em vias rurais; 78% dos acidentes em vias urbanas;

Leia mais

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL: AS TIPOLOGIAS HABITACIONAIS E O SEU REFLEXO NA PRODUÇÃO DA CIDADE ATRAVÉS DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL: AS TIPOLOGIAS HABITACIONAIS E O SEU REFLEXO NA PRODUÇÃO DA CIDADE ATRAVÉS DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA 316 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL: AS TIPOLOGIAS HABITACIONAIS E O SEU REFLEXO NA PRODUÇÃO DA CIDADE ATRAVÉS DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA Gustavo Favaretto Martinez, Marcelo Batista Pigioni, Mayra

Leia mais

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Diminuir a necessidade de viagens motorizadas: Posicionando melhor os equipamentos sociais, descentralizando os serviços públicos, ocupando

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professor: Josiane Vill Disciplina: Geografia Série: 2ª Ano Tema da aula: transporte e Telecomunicação Objetivo da aula:. Entender as principais formas de

Leia mais

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Seminário de Mobilidade Urbana Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Celio Bouzada 23 de Setembro de 2015 Belo Horizonte População de Belo Horizonte: 2,4 milhões de habitantes População da

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DE MOBILIDADE URBANA

COMISSÃO ESPECIAL DE MOBILIDADE URBANA COMISSÃO ESPECIAL DE MOBILIDADE URBANA AUDIÊNCIA PÚBLICA A LEI DE MOBILIDADE URBANA NO BRASIL CONSTATAÇÕES E DESAFIOS AGOSTO 2013 Dr. Emilio Merino INDICE 1. Antecedentes 2. Cenários urbanos 3. A Lei 12.587/2012

Leia mais

PORTO ALEGRE EM ANÁLISE 2013

PORTO ALEGRE EM ANÁLISE 2013 PORTO ALEGRE EM ANÁLISE 2013 Na data em que Porto Alegre comemora seus 241 anos de fundação, o Observatório da Cidade apresenta o Porto Alegre em Análise 2013. Trata-se de um espaço que tem como desafio

Leia mais

TRANSPORTE PÚBLICO. Novos conceitos para o transporte de passageiros

TRANSPORTE PÚBLICO. Novos conceitos para o transporte de passageiros TRANSPORTE PÚBLICO Novos conceitos para o transporte de passageiros A história do transporte O Começo... o... Caminhos a pé e por animais Os caminhos eram percorridos a pé ou em lombos de cavalos, carroças

Leia mais

Visita técnica EMBARQ Brasil 16 de outubro de 2014. Apoio na elaboração do parecer técnico

Visita técnica EMBARQ Brasil 16 de outubro de 2014. Apoio na elaboração do parecer técnico Visita técnica EMBARQ Brasil 16 de outubro de 2014 Rejane Fernandes, Diretora de Relações Estratégicas & Desenvolvimento Diogo Pires Ferreira, Coordenador de Projetos de Transporte Apoio na elaboração

Leia mais

AFETA A SAÚDE DAS PESSOAS

AFETA A SAÚDE DAS PESSOAS INTRODUÇÃO Como vai a qualidade de vida dos colaboradores da sua empresa? Existem investimentos para melhorar o clima organizacional e o bem-estar dos seus funcionários? Ações que promovem a qualidade

Leia mais

AS INTERFACES DO PLANEJAMENTO URBANO COM A MOBILIDADE

AS INTERFACES DO PLANEJAMENTO URBANO COM A MOBILIDADE AS INTERFACES DO PLANEJAMENTO URBANO COM A MOBILIDADE Quando focalizamos a condição de sermos moradores de um aglomerado, isso nos remete a uma posição dentro de um espaço físico, um território. Esse fato,

Leia mais

DESAFIOS PARA A MOBILIDADE URBANA JOÃO BRAGA

DESAFIOS PARA A MOBILIDADE URBANA JOÃO BRAGA DESAFIOS PARA A MOBILIDADE URBANA JOÃO BRAGA Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano Recife Caso você fosse o gestor, quais seriam suas principais intervenções no trânsito do Recife? SE A SITUAÇÃO

Leia mais

CRESCIMENTO URBANO E ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA NO MUNICÍPIO DE POUSO ALEGRE MG

CRESCIMENTO URBANO E ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA NO MUNICÍPIO DE POUSO ALEGRE MG CRESCIMENTO URBANO E ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA NO MUNICÍPIO DE POUSO ALEGRE MG Gustavo Costa Teixeira Discente do curso de Geografia modalidade Bacharelado da Universidade Federalde Alfenas UNIFAL-MG / gustavo.costa.t@hotmail.com

Leia mais

XII-015 ORÇAMENTO PARTICIPATIVO E SANEAMENTO AMBIENTAL A EXPERIÊNCIA DE SANTO ANDRÉ (SP) DE 1998 A 2003

XII-015 ORÇAMENTO PARTICIPATIVO E SANEAMENTO AMBIENTAL A EXPERIÊNCIA DE SANTO ANDRÉ (SP) DE 1998 A 2003 XII-015 ORÇAMENTO PARTICIPATIVO E SANEAMENTO AMBIENTAL A EXPERIÊNCIA DE SANTO ANDRÉ (SP) DE 1998 A 2003 Marcelo Bispo (1) Projetista Industrial Pós Graduado em Gestão Ambiental pela Faculdade de Saúde

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

Rio Branco, capital do Estado do Acre, foi fundada no final de 1882, na margem direita do Rio Acre pelo seringalista NeutelMaia com onome Voltada

Rio Branco, capital do Estado do Acre, foi fundada no final de 1882, na margem direita do Rio Acre pelo seringalista NeutelMaia com onome Voltada Prefeitura Municipal de Rio Branco Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito RBTRANS II Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Programa Cidades Sustentáveis Melhor Mobilidade,

Leia mais

Plano Diretor de Trânsito e Transporte

Plano Diretor de Trânsito e Transporte Região Sudeste Rio de Janeiro servicospublicos@niteroi.rj.gov.br Baía de Guanabara Niterói Veículos = maior mobilidade, crescimento das cidades Aumento da frota = congestionamento menor mobilidade. Maiores

Leia mais

Ilustríssimo Senhor Dr. Joaquim Barreto DD. Superintendente de Operações da Companhia de Engenharia de Tráfego - CET

Ilustríssimo Senhor Dr. Joaquim Barreto DD. Superintendente de Operações da Companhia de Engenharia de Tráfego - CET Ofício conjunto n o 02/2014 AAJB/ AMadá/ SAAP/ Vila Madá Viva/ SOSsego Vila Madalena São Paulo, 01 de abril de 2014 Ilustríssimo Senhor Dr. Joaquim Barreto DD. Superintendente de Operações da Companhia

Leia mais

junho/june 2012 - Revista O Papel

junho/june 2012 - Revista O Papel sérgio brito Por Luiz Bersou, diretor do Instituto Épico de Administração : luizbersou@bcaconsultoria.com.br Gestão por Ponto Flutuante H Gráfico 1 enry Ford, diz a história, propunha-se a fabricar carros

Leia mais

DEIXAR ESPAÇO EM BRANCO (aprox. 8 cm)

DEIXAR ESPAÇO EM BRANCO (aprox. 8 cm) 1) Na Astronomia, o Ano-luz é definido como a distância percorrida pela luz no vácuo em um ano. Já o nanômetro, igual a 1,0 10 9 m, é utilizado para medir distâncias entre objetos na Nanotecnologia. Considerando

Leia mais

É recomendável ordenar e responder apenas àquelas perguntas que podem efetivamente contribuir para um aprofundamento da análise da organização.

É recomendável ordenar e responder apenas àquelas perguntas que podem efetivamente contribuir para um aprofundamento da análise da organização. Roteiro de Apoio Análise da Sustentabilidade Institucional Antonio Luiz de Paula e Silva alpsilva@fonte.org.br 1 O presente documento apresenta uma série de perguntas para ajudar no levantamento de dados

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011 Sistema de Informações da Mobilidade Urbana Relatório Geral 2011 Dezembro/2012 Relatório Geral 2011 1 Sumário executivo... 3 2 Mobilidade... 28 2.1 Valores para Brasil (municípios acima de 60 mil habitantes)...

Leia mais

IDEIA FORÇA. Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade)

IDEIA FORÇA. Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade) IDEIA FORÇA Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade) DETALHAMENTO: Mobilidade humana (trabalhador precisa respeito); Melhorar a qualidade e quantidade de transporte coletivo (Lei da oferta

Leia mais

NOTA TÉCNICA 0037_V1_2014 TRANSPORTE COLETIVO URBANO LINHAS CIRCULARES

NOTA TÉCNICA 0037_V1_2014 TRANSPORTE COLETIVO URBANO LINHAS CIRCULARES NOTA TÉCNICA 0037_V1_2014 TRANSPORTE COLETIVO URBANO LINHAS CIRCULARES Jaraguá do Sul (SC), Abril de 2014. ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Jaraguá Ativa: Cidade inteligente e sustentável, cidade para pessoas.

Leia mais

Passo 6: Selecionar as ferramentas de pesquisa

Passo 6: Selecionar as ferramentas de pesquisa Identificação da realidade rural, os problemas e necessidades sentidas pelos integrantes da comunidade. Fatores limitantes e potenciais na produção (técnicos, econômicos, ambientais, etc.). Estrutura social

Leia mais

UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES?

UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES? UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES? BUENO, Maria Helena Berardo Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Goiás - UnUCET ( Unidade

Leia mais

Projeto Pensar Araguaína. Faculdade Católica Dom Orione

Projeto Pensar Araguaína. Faculdade Católica Dom Orione EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO Sabemos que uma gestão democrática da educação tem como ponto de partida a escolha do Diretor pela Comunidade. Na sua gestão, como será a escolha dos Diretores das Escolas Municipais?

Leia mais

Marketing Educacional como manter e captar novos alunos

Marketing Educacional como manter e captar novos alunos Marketing Educacional como manter e captar novos alunos Baiard Guggi Carvalho Publicitário, consultor em marketing educacional e em tecnologia aplicada à educação N os dias de hoje, se perguntarmos para

Leia mais

Ferrovias em expansão

Ferrovias em expansão Ferrovias em expansão Brasil pode ter acréscimo de 8.040 quilômetros de ferrovias. Atualmente, 4.849 km estão em obras O o transporte de carga e oito para passageiros. conta com mais 19 projetos no papel

Leia mais

PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE COLETIVO NA ZUNA SUL DO RIO DE JANEIRO

PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE COLETIVO NA ZUNA SUL DO RIO DE JANEIRO PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE COLETIVO NA ZUNA SUL DO RIO DE JANEIRO Aluno: Marina Waetge Orientador: Hugo Repolho Introdução A infraestrutura de transportes de uma cidade é essencial para o seu desenvolvimento.

Leia mais

USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA

USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA An Innovations in Technology and Governance Case Study Desde o final dos anos 1980, diversos governos

Leia mais

MOBILIDADE URBANA: OS MODAIS DE TRANSPORTE

MOBILIDADE URBANA: OS MODAIS DE TRANSPORTE Engº Emiliano Affonso Neto 20 de Setembro de 2013 Realização: ASPECTOS A SEREM ABORDADOS 1. A Escolha do Modo de Transporte 2. Modos de Transporte 3. Recomendações ASPECTOS A SEREM ABORDADOS 1. A Escolha

Leia mais

Avaliação do desempenho de rotas de tráfego utilizando informações coletadas através de GPS.

Avaliação do desempenho de rotas de tráfego utilizando informações coletadas através de GPS. Avaliação do desempenho de rotas de tráfego utilizando informações coletadas através de GPS. Vinícius de Magalhães 1 ; Marcelo Vinícius de Magalhães Ribeiro 2 1 Empresa de Transportes e Trânsito de Belo

Leia mais

ATIVIDADE PORTUÁRIA E A FORD BAHIA: QUESTÕES OPERACIONAIS NA MOVIMENTAÇÃO DE CARGA

ATIVIDADE PORTUÁRIA E A FORD BAHIA: QUESTÕES OPERACIONAIS NA MOVIMENTAÇÃO DE CARGA ATIVIDADE PORTUÁRIA E A FORD BAHIA: QUESTÕES OPERACIONAIS NA MOVIMENTAÇÃO DE CARGA Ricardo Bahia Rios Mestre em Geografia/UFBA Instituto Federal da Bahia Campus Salvador E-mail: ricardorios@ifba.edu.br

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL: POR UMA ACESSIBILIDADE MAIS JUSTA

BOAS PRÁTICAS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL: POR UMA ACESSIBILIDADE MAIS JUSTA BOAS PRÁTICAS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL: POR UMA ACESSIBILIDADE MAIS JUSTA Nivaldo Gerôncio da Silva Filho 1 Resumo: Nos últimos 20 anos, as preocupações com os fatores socioambientais vêm se configurando

Leia mais