RESUMOS. Os resumos foram formatados de acordo com os padrñes estipulados pela IX Mostra de ProduÄÅo CientÇfica.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESUMOS. Os resumos foram formatados de acordo com os padrñes estipulados pela IX Mostra de ProduÄÅo CientÇfica."

Transcrição

1 RESUMOS Os resumos foram formatados de acordo com os padrñes estipulados pela IX Mostra de ProduÄÅo CientÇfica.

2 Autor Principal: AdÅo Carlos Costa Moraes Orientador: Hamilton Rosa Ferreira Instituição: Unisal campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: HistÖria Eixo: HistÖria, PolÇtica e Cultura Título: R. C. 32: SÅo Paulo vai á luta. Resumo: A RevoluÄÅo Constitucionalista de 1932 foi o maior conflito armado do sâculo XX em nosso paçs e a ältima guerra acontecida no Brasil com tamanhas proporäñes bâlicas. ãlâm disto, ela ocorreu em nosso Estado e mais especificamente em nossa regiåo, do Vale do ParaÇba, onde foram travadas as maiores batalhas. Com base nestes dados se vå a necessidade de trabalhar este tema de maneira a estimular os alunos a uma compreensåo mais aprofundada e crçtica em relaäåo a esta guerra. Contudo, â preciso estar atento as diversas correntes ideolögicas e as diferentes leituras das motivaäñes e desdobramento da RevoluÄÅo de Alguns a våem como separatista e elitista, defendendo os privilâgios da elite cafeicultora paulista, alijada do poder popular e buscando a redemocratizaäåo e constitucionalizaäåo do paçs. Atravâs de pesquisas orientadas, discussñes e exposiäåo se buscarç que os alunos tenham um conhecimento mais crçtico e aprofundado da RevoluÄÅo Constitucionalista de Palavra-chave: SÅo Paulo, RevoluÄÅo, Getälio Vargas.

3 Autor Principal: Adilson Martins Pereira Orientador: Paulo Sergio de Sena Instituição: Unisal campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: Geografia Eixo: TÖpicos Especiais - Humanas Título: O Transporte Rodoviçrio no Vale do paraçba e suas ImplicaÄÑes na Economia Brasileira Resumo: O processo de estçgio para a carreira docente â de fundamental importéncia para os futuros profissinais. Devido a importéncia do tema, a elaboraäåo do estçgio de docåncia na escola, nçvel Ensino Mâdio, pensou-se em assunto de relevéncia para o aprendizado de Geografia. Isso foi possçvel, pois a Rodovia Presidente Dutra â um tema que implica no cotidiano bem como no desenvolvimento da regiåo em que vivemos. A construäåo das rodovias esta presente na formaäåo das cidades do Vale do ParaÇba relatada neste projeto e tambâm como via de transporte intimamente relacionada com a economia, numa regiåo estratâgica do Brasil. Durante a aplicaäåo do projeto, ao fazer consulta em resoluäåo do Denatran, percebeu-se a importéncia da implantaäåo da educaäåo de trénsito para os alunos do Ensino Mâdio. O Projeto propñe discutir a importéncia da implantaäåo das rodovias como eixo propulsor da economia no Vale do ParaÇba no Sâculo XX e a queståo da educaäåo de trénsito. O estçgio foi realizado no Ensino Mâdio do Colâgio Albert Einstein de Guaratinguetç. Primeiramente observou-se a estrutura da escola e foi traäada uma meta: escolher o publico alvo para, posteriormente, levar a direäåo o referido projeto. Para elaborar este projeto primeiramente pensou-se na construäåo das rodovias como eixo propulsor da economia, aspecto importante para o ensino de Geografia. Trata-se de uma ciåncia que abrange diversos aspectos como economia, atualidades, ambiente, desenvolvimento urbano, etc. Palavra-chave: Rodovias

4 Autor Principal: Adriana Soares Orientador: Jung Mo Sung Instituição: Universidade Metodista de SÅo Paulo Curso: Mestrado - Ciåncias da ReligiÅo Eixo: EducaÄÅo e Compromisso Social Título: Espiritualidade e EducaÄÅo para a Liberdade Resumo: Este estudo, fundamentalmente bibliogrçfico, discute a relaäåo entre espiritualidade e educaäåo para a liberdade, a partir da perspectiva antropolögica da natureza mimeticamente desejante do ser humano como elemento chave para a compreensåo das relaäñes humanas e da espiritualidade, como dimensåo fundamental para o engajamento na luta pela transformaäåo da sociedade. Por meio de pesquisa bibliogrçfica, procede-se á ançlise do problema identificado por Paulo Freire, de que o opressor hospedado no oprimido representa um obstçculo para a libertaäåo, sob a Ötica da teoria do desejo mimâtico de Renâ Girard. Trabalha-se com a hipötese de que o elemento antropolögico fundamental presente no pensamento de Paulo Freire, esquecido á medida que sua proposta pedagögica assumiu um carçter meramente conscientizador, refere-se á dimensåo da espiritualidade. Diante do abismo que se coloca entre a utopia da libertaäåo e a realidade instaura-se o cençrio de crise que recai, nåo apenas sobre educadores formais, como tambâm sobre muitos daqueles que, em algum momento de suas vidas, se engajaram na luta pela transformaäåo social. Uma vez que o mâtodo â sabido, e â conscientizar, o fato de que a transformaäåo sonhada nåo tenha ocorrido leva a conclusåo de que alguma coisa falhou no processo. Considerando que cada vez mais somos colocados diante de questñes relativas ao futuro da humanidade e á possibilidade de sobrevivåncia humana no planeta mediante os rumos de uma sociedade que produz uma exclusåo social em proporäñes cada vez maiores, faz-se urgente encontrar caminhos que nos levem a uma profunda transformaäåo nos parémetros que regem as relaäñes humanas. Assim, faz-se necessçrio identificar os elementos que pautam tais relaäñes, identificando suas contradiäñes e encontrando possibilidades a partir da reflexåo crçtica sobre suas bases, sob a perspectiva de que a transformaäåo da realidade estç dialeticamente relacionada á transformaäåo do ser humano. Palavra-chave: Opressor-oprimido, desejo mimâtico, educaäåo para a liberdade, espiritualidade, testemunho, libertaäåo

5 Autor Principal: Adriana Villar Tullio Orientador: Isabelita Maria Crosariol Instituição: PUC campus Rio de Janeiro Curso: PÖs-GraduaÄÅo Eixo: TÖpicos Especiais - Humanas Título: Silåncio Resiståncia: Vozes de Angola Resumo: A pesquisa acadåmica nasce de uma queståo, expande-se no processo e prolifera, quando se desdobra em ensino e extensåo. Do mesmo modo, as pesquisas na çrea das Literaturas Africanas de LÇngua Portuguesa (um campo de pesquisa relativamente novo), paulatinamente tåm-se destacado e conseguido um maior espaäo nas salas das universidades e nos projetos de extensåo. Contemplando essas literaturas, o trabalho " Silåncio Resiståncia: Vozes de Angola" pretende discutir a resiståncia perante o colonizador durante o perçodo de luta pela independåncia angolana, observando o comportamento de personagens que silenciaram por opäåo, suportaram brutal tortura, e, ao calarem-se, disseram muito com sua atitude. Tanto o protagonista da novela " A vida verdadeira de Domingos Xavier " (escrita pouco antes da prisåo de Luandino), como o do conto O fato completo de Lucas Matesso (escrito jç no cçrcere), revelam-se heröis da histöria angolana, como homens que nåo abandonaram seu povo. Assim, em ambas as obras, o escritor Josâ Luandino Vieira explora o carçter programçtico necessçrio ao perçodo sem abandonar o aspecto estâtico, ao mesmo tempo em que reforäa a importéncia da literatura na construäåo da nacionalidade angolana. Elaborado a partir de pesquisa bibliogrçfica, este trabalho se apoia em textos teöricos e crçticos de Albert Memmi, Francisco Noa, Franz Fanon, Kabengele Munanga, Ondjaki, Maria Aparecida Santilli, Rita Chaves, Isabelita Maria Crosariol, entre outros. Palavra-chave: Josâ Luandino Vieira; resiståncia; silåncio; literatura; nacionalidade.

6 Autor Principal: Adriano Neves de Sç Orientador: Prof. MSc. Eng. Roderley Camargo Instituição: Unisal campus Campinas/ SÅo Josâ Curso: Engenharia de AutomaÄÅo e Controle Apresentação: Painel Eixo: TÖpicos Especiais - Humanas Título: AplicaÄÅo do Pro/Engineer na Ançlise Estrutural e SÇntese de uma Antena ParabÖlica Resumo: Antena â um elemento de ligaäåo entre dois pontos em que â possçvel transmitir informaäñes (dados, vçdeo e çudio) via ondas eletromagnâticas. Esta ligaäåo entre as antenas såo chamadas de enlaces. As antenas eståo cada dia mais presentes e såo encontradas em cima de torres, prâdios, dentro de täneis e em residåncias. A partir desta situaäåo, este trabalho tem como objetivo simular virtualmente projetos de aprimoramentos estruturais de antenas atravâs do sistema CAE (Computer Aided Engineering), mais objetivamente via software Pro/Engineer.A metodologia que serç usada para a ançlise e sçntese deste projeto serç o mâtodo dos elementos finitos, contemplando: 1) Ançlise modal (freqèåncias naturais), 2) Ançlise estçtica, 3) Ançlise târmica, 4) Ançlise de flambagem. O espectro da ançlise e sçntese do modelo matemçtico tridimensional, serç obtido via pacote de simulaäñes do Pro/Engineer, mödulo Mechanica. Este software de engenharia assistida pelo computador (CAE), utiliza modelos digitais 3D para simular fenêmenos fçsicos reais, via mâtodos numâricos convergentes e realizaäñes de cçlculos estruturais, envolvendo tensñes estçticas lineares e seus deslocamentos correlatos. Os resultados seråo expressos no formato de tensñes de Von Mises e deslocamento total em unidades do sistema metrico internacional.resultados Preliminares: De posse do desenho 2D da antena, serç modelado o desenho 3D em ambiente grafico interativo, com as caracterçsticas e requisitos de engenharia do produto, para depois ser submetido a ançlise e sçntese, via mâtodo dos elementos finitos.finalizadas as simulaäñes, obteremos os dados que seråo convertidos em informaäñes tâcnicas importantes, para uso na otimizaäåo da antena e para outras melhorias, por exemplo: melhor tipo de material a ser utilizado, espessura vital mçnima, projeto para minimo custo (DFMC) e construäñes fçsicas (estruturais) da antena parabölica ideais. Palavra-chave: Analise estrutural, Sintese, CAE, Metodologia, Elementos finitos.

7 Autor Principal: Agatta da Costa Manso Orientador: Elisa Maria Antunes Lopes Soares Instituição: Unisal- campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: Direito Eixo: Direito, Direitos Humanos e a Vivåncia da Cidadania Título: Direitos Humanos no Sitema Penitenciçrio Resumo: Os direitos humanos englobam temas de grande interesse e importéncia em émbito mundial. Quando se trata do sistema prisional do Brasil podemos enfatizar sârios problemas causados, tanto, por autoridades, quanto, pelos internos. Existe uma ampla gama de tratados e normas internacionais destinados a orientar os serviäos penitenciçrios de todo o mundo. O fato de haver um ambiente em que todas as pessoas agiram de maneira contrçria aos costumes da sociedade nåo quer dizer que devam ser tratadas de maneira diferente do que â previsto pela CosntituiÄÅo Federal. A Carta Magna defende todos os direitos em que os cidadåos devam ser tratados de maneira digna e respeitosa, nåo importando se infratores ou nåo. Os tribunais ou outros ÖrgÅos judiciais, que tratam do caso decretaram que elas devem ser privadas de sua liberdade, mas nåo devem perder sua humanidade. Os servidores penitenciçrios tambâm nåo podem ser esquecidos no que diz respeito á dignidade humana. Quanto mais esses dois grupos reconhecem e observam sua humanidade em comum, tanto mais digna e humana â uma prisåo. Ocorre que as penitenciçrias devem possuir seu sistema de regras, interna, que devem ser cumpridas pelos internos, tanto no caso dos servidores, quanto dos presos. Os regulamentos devem ser divulgados amplamente na penitenciçria e devem ser colocados á disposiäåo de cada pessoa presa, quando de sua admissåo inicial. Dentre os Direitos ressalvados pela legislaäåo brasileira eståo o direito á vida; o direito de propriedade, o direito de famçlia, dentro das limitaäñes da prisåo; O preso tem direito de orientar a educaäåo dos filhos; A presa tem o direito de manter consigo o filho atâ a idade prâ-escolar; direito á educaäåo e ao trabalho remunerado; Direito á seguridade social, Direito ao tratamento reeducativo; Direito a alojamento com condiäñes sanitçrias; Direito á qualidade de vida; Direito á progressåo e afetaäåo do regime apropriado, Direito do egresso á assiståncia pös-penal. Palavra-chave: Direito, Sistema, PrisÅo, Brasil, PolÇticas Publicas, Dignidade, Humanos, Tribunais, Liberdade, Penitenciaria

8 Autor Principal: Aimone Moliterno Jänior Orientador: Hamilton Rosa Ferreira Instituição: Unisal campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: HistÖria Apresentação: Painel Eixo: EducaÄÅo e Compromisso Social Título: A Nova Abordagem de Cidadania - ComparaÄÑes entre BrasÇlia e Lorena Resumo: O objetivo desse trabalho â construir um novo conceito para a palavra "Cidadania". A Cidadania esteve por muito tempo atrelada ao ato de votar e na Grâcia Antiga as reformas de ClÇstenes ampliava o voto para todos os homens maiores de 18 anos que fossem nascidos em Atenas, e tambâm de eleger os que respeitassem essas condiäñes. Com o advento da RevoluÄÅo Francesa, a cidadania foi estendida para todos que tivessem acima de 18 anos (Homens e Mulheres), porâm ainda continuou atrelada ao ato de votar e ser votado. Foi esse o conceito de cidadania que o Brasil assumiu junto com as idâias repäblicanas. Mas esse conceito de cidadania jç estç ultrapassado, pois cidadania nåo â somente votar e ser votado, e sim respeitar o bem päblico e os direitos de cada indivçduo, que habita a cidade, o estado ou o paçs. Para construir esse conceito, o presente trabalho analisa material propagandçcio dos governos municipais, estaduais e federal, e interpreta uma sârie de fotos que foram tiradas em BrasÇlia e Lorena. Palavra-chave: Cidadania, RevoluÄÅo Francesa e Direitos Humanos

9 Autor Principal: Alan Augusto DAvila de Oliveira Demais Autores: Eden Rossi de Lima Jänior Orientador: Josâ Walmir GonÄalves Duque Instituição: Unisal campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: Ciåncia da ComputaÄÅo Eixo: ComputaÄÅo Aplicada Título: Portal Temçtico para ExecuÄÅo de Modelos Matemçticos de PrevisÅo de Tempo Resumo: Modelos Numâricos de PrevisÅo de Tempo e Clima (MNPTC) possuem uma grande comunidade de usuçrios, porâm, requerem um grande poder computacional para serem processados, o que restringe seu uso para fins diversos. O Centro de PrevisÅo de Tempo e Estudos Climçticos (CPTEC), por sua vez, dispñe desses recursos, representados principalmente pelos seus supercomputadores. Visando facilitar a manipulaäåo dos parémetros de modelos meteorolögicos, sua execuäåo e disponibilizaäåo dos resultados, este trabalho tem como objetivo o estudo e o desenvolvimento de uma aplicaäåo que faäa uso de frameworks para a manipulaäåo, gerenciamento e execuäåo do Modelo de CirculaÄÅo Geral da Atmosfera (MCGA) do CPTEC. Esta aplicaäåo serç visçvel externamente a qualquer usuçrio cadastrado, atravâs de um ponto änico de acesso e oferecerç ao usuçrio a manipulaäåo de parémetros do modelo e sua execuäåo. Durante o desenvolvimento, primeiramente serç realizado um estudo sobre o Modelo de CirculaÄÅo Geral da Atmosfera (MCGA), que â o modelo numârico da atmosfera a ser utilizado. Posteriormente, seråo estudadas as tecnologias que daråo suporte ao projeto, como portais, portlets, frameworks, persiståncia de dados e conectividade em servidores utilizando a plataforma Java, todas necessçrias para a construäåo do Portal Temçtico em que consiste a apicaäåo. ApÖs a simulaäåo da execuäåo do modelo e a construäåo do portal, ambos seråo integrados. Com os estudos realizados atâ entåo, pêde-se perceber a complexidade de MNPTC e da tecnologia de Portais, em contraponto com a grande utilidade desta aplicaäåo no que tange um estudo de caso usando especificaäåo de portlets. Espera-se, como resultado desse trabalho que a execuäåo de MNPTC seja mais simples, rçpida e segura, tanto para os usuçrios, quanto para o CPTEC e que se democratize o acesso aos recursos computacionais desde Centro de Pesquisa bem como aos resultados de seus processamentos. Palavra-chave: PrevisÅo de Tempo; Modelos Matemçticos para PrevisÅo de Tempo; Framework; Portal

10 Autor Principal: Alberto Luiz Barboza Neto Demais Autores: JoÅo Paulo Aparecido da Rosa; Anderson Luiz de Souza Orientador: Roque Luiz Sibioni Instituição: Unisal campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: Filosofia Eixo: Ambiente e Sociedade: Ançlises e Prçticas Cotidianas Título: A Filosofia como preservaäåo da vida: meio ambiente Resumo: O presente trabalho tem a pretensåo de apontar algumas reflexñes que possam indagar sobre a necessidade de pensar uma nova relaäåo entre a filosofia no ensino mâdio e as questñes ambientais tåo importantes na atualidade. Modelos ecolögicos, preservaäåo de "ecos-sistema", sustentabilidade, proteäåo ambiental, equilçbrio entre homem e natureza, e tantos outros conceitos, tornaram-se temas comuns, recorrentes, porâm, relevantes no inçcio deste sâculo e atâ a atualidade. No émbito educacional que â o foco deste trabalho, tais problemçticas se tornaram atrativas e bastante comentadas entre os discentes em reuniñes pedagögicas, planejamentos, eventos comemorativos e com os docentes, envolvendo tambâm a comunidade, na qual os mesmos atuam e residem. O trabalho pretende refletir as seguintes questñes: Porque a preocupaäåo com o meio ambiente tornou-se tåo importante no nosso tempo? Serç que a preocupaäåo ecolögica se dç em decorråncia do risco que estamos correndo? Serç possçvel uma educaäåo que promova a preservaäåo do meio ambiente? O que tornou o meio ambiente um meio de consumo exacerbado? Logo, no que a educaäåo, de modo geral, e a filosofia de um modo mais especçfico, podem contribuir para esta conscientizaäåo ecolögica? Serç que podemos e conseguiremos implantar um processo educacional para preservar a vida? Palavra-chave: filosofia, meio-ambiente, preservaäåo, vida, educaäåo

11 Autor Principal: Alâcio Marinho de Brito Junior Orientador: Rodrigo Ortiz Salema Instituição: Universidade de Taubatâ Curso: Filosofia Eixo: TÖpicos Especiais - Humanas Título: Sobre a noäåo de RepresentaÄÅo em Arthur Schopenhauer Resumo: O escopo dessa pesquisa â examinar o conceito de representaäåo na filosofia de Arthur Schopenhauer. Improvisando um movimento de esclarecimento a cerca da acepäåo de mundo, que segue um viâs epistemolögico, no qual a queståo primeira para a estruturaäåo da conexåo entre sujeito e objeto â a representaäåo, como primeiro registro da consciåncia. Nesse sentido, analisamos a relaäåo do sujeito, como prâ-requisito que pressupñe todo o conhecimento do mundo, ou seja, â o sustentçculo da constituiäåo da totalidade do conhecimento. Deste modo, equacionamos a fundamentaäåo da representaäåo, partindo da implicaäåo de que hç um princçpio de razåo suficiente, que â a soma do tempo, espaäo e causalidade como formas inatas do entendimento, e que, em outras palavras, afirma que nada â sem uma razåo pela qual â. Em seguida, consideramos a noäåo de corpo, visto que, â a zona primeira para explorar as fases que o cârebro percorre, antes de apresentar suas imagens. Esse cârebro estç incumbido de coletar as informaäñes dos sentidos, as distintas sensaäñes e sintetizç-las para a percepäåo. Por fim, expor a noäåo de efetividade, ou seja, do fazer-efeito do sujeito para delinear o propösito da pesquisa e fundamentar a realidade intuçda da representaäåo de mundo em Schoepenhauer. Palavra-chave: RepresentaÄÅo; IntuiÄÅo; Realidade; PrincÇpio de RazÅo; Conhecimento

12 Autor Principal: Alessandra Cardelli de Souza Campos Orientador: Outros Instituição: Unisal campus Campinas/ Liceu Curso: Direito Eixo: Direito, Direitos Humanos e a Vivåncia da Cidadania Título: Teoria Geral dos Contratos Eletrênicos Resumo: A presente pesquisa tem por objeto os Contratos Eletrênicos -celebrados pela internet ou outros meios digitais, visando realizar a ançlise da validade jurçdica de tais contratos sob a Ötica do ordenamento jurçdico brasileiro. Os objetivos deste trabalho foram: conceituar contratos eletrênicos, estabelecendo os princçpios e a teoria geral aplicçveis, e estabelecer um paralelo entre os contratos firmados por meios "tradicionais" e os novos modelos de contratos na sociedade da informaäåo. Para tanto foram utilizadas pesquisas bibliogrçficas, com as obras referenciais do assunto, ançlise da legislaäåo aplicçvel e dos projetos de lei que tramitam no Congresso a respeito do tema e estudo jurisprudencial. O resultado final perseguido foi o de demonstrar qual a diferenäa entre os contratos celebrados pela Internet ( ou outras mçdias digitais) e os contratos tradicionais, estabelecendo se a legislaäåo geral â igualmente aplicçvel a ambas as espâcies contratuais, ressaltando suas similaridades e peculiaridades. Palavra-chave: direto, direito digital, contratos, contratos eletrênicos

13 Autor Principal: Alessandra Cilmara da Silva Livramento Orientador: Elcio Henrique Dos Santos Instituição: Unisal campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: AdministraÄÅo Eixo: GestÅo da InformaÄÅo Título: Estratâgias e Tecnologia da InformaÄÅo, uma forma de alavancar o Turismo Rural na cidade de Lorena Resumo: O Turismo Rural tem grande potencial para gerar renda na cidade de Lorena. A cidade, com suas fazendas histöricas oferece oportunidade änica para o crescimento de produtos da çrea rural, tais como: a produäåo de leite, queijo, doces, artesanatos e o aumento da estadia dos visitantes no municçpio. Esse portifölio proporcionando, automaticamente, o aumento da renda para famçlias, produtores, comârcio e todos envolvidos no movimento da economia da cidade; gerando novos empregos, possibilitando a oportunidade de melhoria da qualidade de vida dos seus habitantes. Entretando, o Turismo Rural na cidade de Lorena ainda caminha lento e dç impressåo de ter "perdido" o trem das oportunidades. O desafio agora â fazer com que o administrador tenha participaäåo e passe a focar a importéncia da aplicaäåo de estratâgias. Inovar â preciso! Precisamos transformar o Turismo Rural de Lorena mais aberto para investimentos e fazer com que os proprietçrios de fazendas, sçtios, restaurantes, agåncias entre outros do setor tenham a visåo de empreendedor para recepcionar este tipo de Turismo, podendo assim gerar renda a cidade. Estamos pröximos aos maiores pölos emissores de turistas do paçs, SÅo Paulo e Rio de Janeiro, tem o turismo como uma alternativa viçvel para o crescimento econêmico da cidade. Precisamos aplicar a Tecnologia da InformaÄÅo, pois o comportamento do consumidor em turismo estç mais exigente, pois planejam a viagem e querem informaäñes rçpidas, como as curiosidades do destino, passeios, receptivos, locaäñes, hotâis, entre outras, gerando assim a necessidade da agilidade e eficiåncia nas informaäñes, que devem estar sempre atualizadas, permitindo assim a comercializaäåo da viagem com qualidade e rapidez. A importéncia da boa administraäåo â para que todos os envolvidos possam obter na prçtica resultados positivos que estejam voltados em gerar renda, qualificaäåo, conscientizaäåo e desenvolvimento social. Palavra-chave: Estratâgias; Tecnologia da InformaÄÅo; Turismo Rural

14 Autor Principal: Alessandra Costa da Rocha Demais Autores: Ana Carolina Carneiro Silva; Marilia Mattos Pereira Leite; Ana Maria Penha Teixeira. Orientador: Humberto Felipe da Silva Instituição: Unisal campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: PÖs-GraduaÄÅo Apresentação: Painel Eixo: GestÅo de Pessoas, ComunicaÄÅo e RelaÄÑes Empresariais Título: SeleÄÅo por Competåncias Resumo: A çrea de geståo de pessoas estç passando por grandes mudanäas e por importantes inovaäñes. Com o fenêmeno da globalizaäåo, as informaäñes fluem em velocidade cada vez mais rçpida e as empresas que nåo seguirem o ritmo iråo perder mercado para a concorråncia. Desta forma todas as empresas passaram a focar a produtividade, qualidade, eficiåncia e competitividade. Neste novo contexto, as pessoas deixam de ser o problema das organizaäñes e passam a ser a soluäåo de seus problemas. Assim a seleäåo por competåncia vem ganhando espaäo nos organizaäñes, isso porque atravâs dela se diminui as chances da seleäåo dar errada, sendo capaz de medir cada habilidade que os indivçduos possuem para um bom desempenho no cargo. As pessoas mais procuradas såo as que possuem habilidades, conhecimentos e atitudes, que satisfaäam os requisitos na execuäåo de seu papel na empresa. Com base nestes princçpios, o presente trabalho utilizou como metodologia a pesquisa bibliogrçfica. Na primeira parte do trabalho foi feita revisåo sobre o conceito de competåncias. A segunda parte traz exemplos das etapas do processo seletivo. Jç na terceira, foram enfatizadas as entrevistas e dinémicas focadas nas competåncias das pessoas, argumentando que este processo tem o cuidado de nåo prejudicar o candidato e nem a empresa, e por isso, traz fidedignidade na aplicaäåo. Palavra-chave: Competåncia, SeleÄÅo, Entrevista e Dinémica por Competåncia.

15 Autor Principal: Alessandra da Silva Gomes Instituição: Unicamp Curso: Ciåncia da ComputaÄÅo Eixo: TÖpicos Especiais - Exatas Título: Algoritmo PSO em Robocode: AdaptaÄÅo do Radar Resumo: Neste trabalho foi implementado um algoritmo PSO em Robocode, software implementado em linguagem Java que simula um ambiente de batalha de robês. Nele â possçvel implementar habilidades estratâgicas em robês que såo colocados para duelar.a proposta de utilizar um algoritmo de I.A. surgiu diante da dificuldade de se implementar um robê que fosse capaz de vencer inimigos com diversos tipos de estratâgias de batalha. O algoritmo selecionado foi o PSO (Particle Swarm Optimization), por seu excelente desempenho e facilidade de implementaäåo. O nome dado ao robê foi Eros. O algoritmo PSO utilizado teve foco na otimizaäåo do radar. Dessa forma, a proposta era conseguir localizar o quanto antes o inimigo e, posteriormente, nåo perdå-lo atâ o fim da batalha. Para verificar se o radar alcanäava este objetivo, cinco robês do pacote sample do Robocode foram utilizados como inimigos individuais de batalha: Corners, Crazy, Tracker, RamFire. O critârio de seleäåo foi as diferentes estratâgias apresentadas por cada um deles. Alâm disso, os parémetros referentes ao enxame e total de iteraäñes do PSO foram modificados e organizados em seis conjuntos de teste. Sucessivos testes foram realizados para cada um dos seis conjuntos. Os resultados apresentados såo uma mâdia dos valores obtidos. Eros obteve vitöria em 100% dos testes. Os resultados referentes á mâdia de tiros que atingiram o alvo foram: Enxame = 50 e IteraÄÑes de 25, 150 e 300 Corners = 22%, 63% e 67% Crazy = 31%, 45% e 50% Tracker = 49%, 83% e 87,5% TrackFire = 40%, 76% e 83% RamFire = 52%, 71% e 78% Enxame = 150 e IteraÄÑes de 25, 150 e 300 Corners = 48%, 70% e 79% Crazy = 35%, 48% e 52% Tracker = 66%, 87% e 89% TrackFire = 57,5%, 88% e 91% RamFire = 74%, 84% e 90% A implementaäåo do PSO no robocode apresentou resultados muito bons. Com 100% de vitöria inclusive nos casos de baixa taxa de acertos, o Eros conseguiu atingir o objetivo de se adaptar as diversas estratâgias em que foi colocado a duelar. Parémetros para enxame de 250 e iteraäñes de 300 apresentaram bons resultados, mas nåo foram aceitçveis, pois implicou em lentidåo durante a execuäåo do jogo. Atualmente, trabalha-se na aplicaäåo de outros algoritmos de I.A. para solucionar este problema. Palavra-chave: Robocode, PSO, AdaptaÄÅo, Radar

16 Autor Principal: Alessandra de Carvalho Soares Demais Autores: Luiz Ricardo Pevide; Maiara Alves Cardoso; Maisa Perez da Silva Orientador: Anelise de Barros Leite Nogueira Instituição: Unisal campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: Psicologia Apresentação: Painel Eixo: EducaÄÅo e Saäde: Debates sobre prevenäåo e intervenäåo Título: Brinquedoteca: EspaÄo de Aprendizagem e Desenvolvimento Resumo: ë clara a importéncia do brincar, dos brinquedos e dos jogos para o desenvolvimento e a aprendizagem da crianäa, e o espaäo lädico tem merecido atenäåo nåo sö de psicölogos e educadores, como tambâm de pesquisadores de outras çreas do conhecimento, que salientam o brincar como algo indispensçvel ao completo atendimento das necessidades das crianäas. O presente trabalho realiza-se nessa direäåo tendo como queståo principal a maior exploraäåo e uso da brinquedoteca como espaäo fundamental ao mundo infantil. O objetivo geral â de demonstrar os benefçcios deste espaäo lädico, brinquedos e jogos ao desenvolvimento e aprendizagem das crianäas. O päblico-alvo â pertinente a um lar (situado em cidade do interior paulista) que ampara crianäas e adolescentes que vivem sob condiäñes difçceis, em contexto de vulnerabilidade social, composto por bebås, e crianäas na faixa de 3 a 9 anos, incluindo-se neste os prâ-adolescentes e adolescentes (11 a 16 anos), os quais interagem com as crianäas em vçrias atividades. Procura-se ainda orientar os adultos que lidam com as crianäas. Os instrumentos bçsicos (de autoria da orientadora e autores deste trabalho de intervenäåo) såo uma ficha de catalogaäåo de brinquedos e jogos, e uma ficha de observaäåo dos comportamentos apresentados no decorrer das atividades lädicas. Brincando, a crianäa aprende espontaneamente, sem pressåo ou medo de errar, mas com prazer pela busca do conhecimento, como destaca a literatura nessa çrea. O tema proposto neste projeto, e que se encontra em andamento, â de suma importéncia para o aprendizado do estudante de psicologia, pois, possibilita o aproveitamento prçtico atravâs da intervenäåo na brinquedoteca, junto ás crianäas residentes do Lar. Palavra-chave: Brinquedoteca, espaäo lädico, aprendizagem e desenvolvimento.

17 Autor Principal: Alexandre Andrade Martins Orientador: Fernando Altemeyer Junior Instituição: Unisal campus SÅo Paulo/ Pio XI Curso: Teologia Eixo: TÖpicos Especiais - Humanas Título: Me Ungiu para Evangelizar os Pobres... (Lc 4, 16-30):Cristologia no encontro com a realidade pobre e plural da Amârica Latina Resumo: O presente trabalho apresenta o resultado de uma pesquisa teolögica sobre a queståo de uma Cristologia encarnada na realidade do povo latino-americano, feita a partir de uma perçcope bçblica. A pesquisa tem o estilo de SÇntese teolögica, isto â, a partir de um eixo central, responsçvel por nortear todo estudo, procuramos fazer uma ligaäåo com os principais temas refletidos nos tratados fundamentais da teologia catölica. Sendo assim, o eixo central da nossa pesquisa foi a Cristologia que teve como ponto de partida o estudo do texto bçblico Lc 4, O estudo foi dividido em trås capçtulos: o primeiro apresenta um estudo exegâtico e hermenåutico de Lc 4, 16-30, no qual procura fazer uma ançlise literçria dessa perçcope e um estudo histörico-crçtico do seu contexto, sobretudo no que diz respeito a unäåo do Senhor sobre Jesus para evangelizar os pobres. O segundo capçtulo faz uma apresentaäåo de como os pobres foram vistos na TradiÄÅo da Igreja e esboäa alguns elementos da teologia sistemçtica surgidos do texto lucano. Por fim, o terceiro capçtulo, com um carçter mais pastoral, mostra como a Igreja, sob a assiståncia do EspÇrito Santo, continua a missåo de Jesus Cristo de anunciar o evangelho aos pobres. A conclusåo tenta amarrar os trås capçtulos e, para isso, mostra que dois eixos que perpassaram os capçtulos do comeäo ao fim: o texto de Lc 4, e a realidade do povo latino-americano, contexto do qual brotou uma reflexåo cristolögica encarnada e para o qual ela â dirigida, a fim de ser um boa-notçcia para os pobres e sofredores desse continente. Palavra-chave: Cristologia, Envangelizar, Pobres, EncarnaÄÅo, MissÅo

18 Autor Principal: Alexandro Santana Orientador: Jose Marcos Mine Vanzella Instituição: Unisal campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: Filosofia Eixo: TÖpicos Especiais - Humanas Título: A Pessoa Humana e o Sentido da Vida em Vitor Frankl: Liberdade, Responsabilidade e Significado Resumo: Vivemos numa sociedade em que o ter, o poder e o prazer såo elementos que movem a existåncia de muitas pessoas; muitas delas, que nåo conseguem realizar estes desejos, acabam por nåo encontrar um sentido para viver. E mesmo aqueles que possuem bens e que, aparentemente såo bem sucedidos e realizados, quando precisam responder a questñes referentes ao sentido de suas existåncias, sentem ecoar dentro de si a total falta de sentido de suas vidas. O contexto descrito â a base das reflexñes do presente trabalho de sintese filosöfica, que tem por objetivos: aprofundar o conhecimento e discussåo no mâtodo logoterçpico de Vitor Emil Frankl; refletir sobre a busca da resposta ao questionamento do sentido da vida; abordar a dimensåo da transcendåncia como parte essencial ao ser-homem.ele estç dividido em 03 (trås) capçtulos, a seguir: CapÇtulo 01: A Vontade de sentido e a liberdade responsçvel (capacidade de autodeterminar-se).o homem â aquele que se interroga sobre o sentido de sua vida. O homem nåo pode se reduzir á simples objeto, isto â, a simples estar no mundo.capçtulo 02: A pessoa humana como um ser livre frente aos condicionamentos que a cercam na sociedade atual. (a partir de seus valores).estamos vivendo os primeiros anos do sâculo XXI e do III Milånio. Um momento em que se discute se houve a passagem do paradigma da modernidade para um paradigma da pösmodernidade ou se ainda vivemos a modernidade tardia, ou as conseqèåncias da modernidade. CapÇtulo 03: DimensÅo espiritual: constituiäåo da realidade especçfica do homem, como preservaäåo da unidade do ser. A Logoterapia sustenta que somente quando se fala do espiritual comeäa-se a falar do especificamente humano do homem. Com a idâia de salvaguardar a unidade do ser homem, Frankl propñe a dimensåo da transcendentalidade para a superaäåo da divisåo do ser humano. Palavra-chave: Sentido da Vida, Liberdade, Responsabilidade e Significado

19 Autor Principal: Alexia de Almeida Ramos Orientador: Henrique Alckmin Prudente Instituição: Unisal campus Lorena/ SÅo Joaquim Curso: Geografia Eixo: Ambiente e Sociedade: Ançlises e Prçticas Cotidianas Título: Recrie sua vida:recicle Resumo: A exploraäåo desmedida dos recursos do planeta causa grandes danos a todo tipo de vida nele existente. Destacando-se entre as medidas de diminuiäåo dos impactos ambientais, encontra-se a queståo do lixo, que quando depositado em lugares adequados e reaproveitado, pode diminuir significativamente esses impactos. Vivemos em uma sociedade que estimula de forma exorbitante o consumo, consequentemente a produäåo de lixo ocorre exacerbadamente, e essas toneladas de lixo, såo depositados diversas vezes em locais inadequados, permitindo a proliferaäåo de doenäas, contaminaäåo dos solos e çguas e desastres como enchentes. Importante se faz a conscientizaäåo dos discentes, que desde cedo podem iniciar nos projetos de reciclagem, utilizando o mâtodo de coleta seletiva dentro de suas casas e escolas, para um ambiente limpo e melhoria da qualidade de vida. Atravâs de explicaäåo dos conceitos, fotos e histörias ilustradas, o processo de conscientizaäåo se concretiza, formando cidadåos conscientes de seus deveres. Palavra-chave: Reciclagem

20 Autor Principal: Aline Ferreira da Silva Orientador: Ana Läcia MagalhÅes Instituição: Fatec campus Guaratinguetç Curso: GestÅo Empresarial Apresentação: Painel Eixo: QuestÑes Locais, Regionais e Nacionais Título: Mulher: Conquistas e Desafios no Mercado de Trabalho e na ForÄa Aârea Brasileira Resumo: A presenäa feminina no mundo do trabalho sempre foi causa de preconceito. Sendo assim, identificar exemplos de sucesso em çreas variadas â demonstrar que, independentemente da profissåo exercida, a mulher â capaz de ser måe, esposa, donade-casa, empreendedora e Ötima profissional. Este trabalho contempla um universo que, durante milånios, foi exclusivamente masculino: as ForÄas Armadas. Para o desenvolvimento do trabalho, a metodologia adotada â: utilizaäåo de referåncias teöricas com a finalidade de conhecer e analisar as modificaäñes culturais relativas á mulher no mercado de trabalho; comparativo visual, atravâs de fotografias do passado e do presente; coleta de dados quantitativos nas SeÄÑes Administrativas de uma OrganizaÄÅo Militar - Escola de Especialistas de Aeronçutica, em Guaratinguetç/SP - com o objetivo de comparar o percentual de homens e mulheres formados naquela OrganizaÄÅo Militar, nos ältimos dez anos; levantamento qualitativo, por meio de questionçrios aplicados em 3% do efetivo daquela Escola (cerca de 90 pessoas), para coletar opiniñes sobre aspectos da presenäa feminina na ForÄa Aârea Brasileira; tabulaäåo e ançlise dos resultados obtidos. Os resultados esperados såo: relatar a ascensåo profissional feminina, com um apanhado histörico e aprofundando o exemplo da ForÄa Aârea Brasileira; incentivar mulheres a conquistar seu espaäo no mercado de trabalho; demonstrar, por meio do exemplo, que â possçvel á mulher conciliar casa e carreira; apresentar a ForÄa Aârea Brasileira para a sociedade, principalmente para o päblico feminino. A metodologia proposta, aplicada em um campo de trabalho tipicamente masculino as ForÄas Armadas procurarç mostrar que a mulher jç nåo â mais uma foräa de trabalho secundçria. Ela â uma profissional capaz de desempenho igual ou superior ao de um trabalhador do sexo masculino, independentemente da profissåo exercida. Palavra-chave: Mercado de trabalho

UM ESTUDO SOBRE O INTERESSE DOS COLABORADORES EM SEGUIR CARREIRA PROFISSIONAL NAS LOJAS AMERICANAS EM MARINGÁ/PR

UM ESTUDO SOBRE O INTERESSE DOS COLABORADORES EM SEGUIR CARREIRA PROFISSIONAL NAS LOJAS AMERICANAS EM MARINGÁ/PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 UM ESTUDO SOBRE O INTERESSE DOS COLABORADORES EM SEGUIR CARREIRA PROFISSIONAL NAS LOJAS AMERICANAS EM MARINGÁ/PR Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki

Leia mais

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO.

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. Grupo PET Administração Universidade Federal de Lavras UFLA Resumo Os jovens formam o conjunto

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL Júlio César de Almeida (FASA) julioc.almeida@hotmail.com Gisele Figueiredo Braz

Leia mais

O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas

O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas Publicado em XXXXX Data: XX/XX/XXXX 1. Introdução É evidente a necessidade de interação

Leia mais

A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹

A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹ A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹ DIOSKELLY ABDO² LORHANNY RODRIGUES SANTOS³ LILIANA ARAUJO⁴ MARCO AURÉLIO CAIXETA⁵ PEDRO

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA EM EDUCAÇÃO FÍSICA A PARTIR DO PROJETO "BRINCANDO COM A COMUNIDADE".

CONSIDERAÇÕES SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA EM EDUCAÇÃO FÍSICA A PARTIR DO PROJETO BRINCANDO COM A COMUNIDADE. 1 CONSIDERAÇÕES SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA EM EDUCAÇÃO FÍSICA A PARTIR DO PROJETO "BRINCANDO COM A COMUNIDADE". AMANDA RIBEIRO MIRANDA NHADYA NASCIMENTO BRITO IESMA/UNISULMA amirandaimp@hotmail.com nhadyabrito@hotmail.com

Leia mais

Palavras chaves: Pedagogia da alternância, Pedagogia empreendedora, formação profissional, ensino-aprendizagem.

Palavras chaves: Pedagogia da alternância, Pedagogia empreendedora, formação profissional, ensino-aprendizagem. O PRINCÍPIO DA PEDAGOGIA EMPREENDEDORA NO CURSO TÉCNICO DE AGROPECUÁRIA, DA ESCOLA FAMÍLIA AGRÍCOLA DO PACUÍ. DARLENE DO SOCORRO DEL-TETTO MINERVINO DR. SANDRA REGINA GREGÓRIO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 O USO DO COMPUTADOR COMO FERRAMENTA PARA TRABALHAR COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Jane Aparecida de Souza Santana (FCT/Unesp) Ms. Flaviana dos Santos Silva Profª Drª Elisa Tomoe Moriya Schlünzen

Leia mais

EDUCAÇÃO ESCOLAR: GESTOR OU ADMINISTRADOR?

EDUCAÇÃO ESCOLAR: GESTOR OU ADMINISTRADOR? EDUCAÇÃO ESCOLAR: GESTOR OU ADMINISTRADOR? Maria Rafaela de Oliveira FECLESC-UECE Renata Leite Moura FECLESC-UECE RESUMO Este trabalho apresenta algumas reflexões acerca da Educação Escolar e dos desafios

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA: UM CAMINHO POSSÍVEL? PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS

FORMAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA: UM CAMINHO POSSÍVEL? PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS FORMAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA: UM CAMINHO POSSÍVEL? PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS Santos SP - Maio/ 2010 Marta Fernandes Garcia Secretaria de Educação Prefeitura

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO

TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DO GRANDE

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SOCIAL E EDUCAÇÃO PÚBLICA TRABALHANDO EM CONJUNTO: O PROERD COMO UM EXEMPLO DE INTERAÇÃO.

DESENVOLVIMENTO SOCIAL E EDUCAÇÃO PÚBLICA TRABALHANDO EM CONJUNTO: O PROERD COMO UM EXEMPLO DE INTERAÇÃO. DESENVOLVIMENTO SOCIAL E EDUCAÇÃO PÚBLICA TRABALHANDO EM CONJUNTO: O PROERD COMO UM EXEMPLO DE INTERAÇÃO. DINIZ, Carlos Alberto Malveira 1 Universidade Estadual de Montes Claros Unimontes carlosalbertodiniz@ymail.com

Leia mais

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática.

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática. DESAFIOS DO ENSINO DA INFORMÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES RESUMO Jéssyca Edly Messias Ribeiro (IFRN) jeh_edly@hotmail.com Jefferson Hernane da Silva

Leia mais

PROGRAMAs de. estudantil

PROGRAMAs de. estudantil PROGRAMAs de empreendedorismo e protagonismo estudantil Ciclo de Palestras MAGNUM Vale do Silício App Store Contatos Calendário Fotos Safari Cumprindo sua missão de oferecer uma educação inovadora e de

Leia mais

A ARTICULAÇÃO ENTRE ENSINO MÉDIO E ENSINO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO, SEGUNDO A LDB E AS NOVAS DIRETRIZES CURRICULARES

A ARTICULAÇÃO ENTRE ENSINO MÉDIO E ENSINO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO, SEGUNDO A LDB E AS NOVAS DIRETRIZES CURRICULARES A ARTICULAÇÃO ENTRE ENSINO MÉDIO E ENSINO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO, SEGUNDO A LDB E AS NOVAS DIRETRIZES CURRICULARES Guiomar Namo de Mello Diretora Executiva da Fundação Victor Civita Membro do Conselho

Leia mais

PROCESSO N. 352/03 PROTOCOLO N.º 5.252.763-5 PARECER N.º 31/04 APROVADO EM 13/02/04

PROCESSO N. 352/03 PROTOCOLO N.º 5.252.763-5 PARECER N.º 31/04 APROVADO EM 13/02/04 PROTOCOLO N.º 5.252.763-5 PARECER N.º 31/04 APROVADO EM 13/02/04 CÂMARA DE PLANEJAMENTO INTERESSADO: COLÉGIO ESTADUAL OLAVO BILAC MUNICÍPIO: IBIPORÃ ASSUNTO: Credenciamento da Instituição e Autorização

Leia mais

AFETIVIDADE, PARA QUE TE QUERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL?

AFETIVIDADE, PARA QUE TE QUERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL? AFETIVIDADE, PARA QUE TE QUERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL? Jailza de Lima Oliveira (UNEB - Bolsista PIBID/CAPES) Larissa Santos do Sacramento (UNEB - Bolsista PIBID/CAPES) Lucimara de Oliveira Soares (UNEB -

Leia mais

Palavras-chave: Formação de professores, software livre e TIC s.

Palavras-chave: Formação de professores, software livre e TIC s. INFORMÁTICA EDUCATIVA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM UMA ESCOLA PÚBLICA: PROCESSOS DE POTENCIALIZAÇÃO DOS SABERES E PRÁTICAS Jardel Silva 1 Alex Sandro C. Sant Ana 2 RESUMO Aliada às discussões

Leia mais

1 POR QUE EMPRESA JÚNIOR?

1 POR QUE EMPRESA JÚNIOR? Título: SOLUÇÃO ESTATÍSTICA JÚNIOR- PRIMEIRA DO GÊNERO NO RJ Autores:Regina Serrão Lanzillotti - lanzillotti@uol.com.br Aline Moraes da Silva alineuerj@zipmail.com.br Anna Paula Leite de Mattos anna.mattos@zipmail.com.br

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 432 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

COMUNICAÇÃO SOCIAL: Habilitação em Relações Públicas. Beatriz Alves Corrêa Nº USP: 7165852

COMUNICAÇÃO SOCIAL: Habilitação em Relações Públicas. Beatriz Alves Corrêa Nº USP: 7165852 COMUNICAÇÃO SOCIAL: Habilitação em Relações Públicas Beatriz Alves Corrêa Nº USP: 7165852 CBD0282 Formas, Estados e Processos da Cultura na Atualidade A USP hoje e daqui a 20 anos SÃO PAULO JULHO DE 2014

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NO COTIDIANO ESCOLAR

OS PRINCÍPIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NO COTIDIANO ESCOLAR OS PRINCÍPIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NO COTIDIANO ESCOLAR Alex Vieira da Silva 1 RESUMO O presente artigo pretende discutir os princípios da gestão democrática no contexto educacional, visando perceber

Leia mais

CONSTRUINDO A CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

CONSTRUINDO A CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA CONSTRUINDO A CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA Lorena Bispo do Nascimento* Welane dos Santos Silva** RESUMO O principal objetivo desse artigo é de promover desde cedo a conscientização nos alunos da

Leia mais

Transformação Humana em Educação e Mediação

Transformação Humana em Educação e Mediação Transformação Humana em Educação e Mediação O Instituto Them, empresa formada por psicólogas e mediadoras, presta serviços nas áreas de gestão de conflitos e comunicação. Apresenta como diferenciais a

Leia mais

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR Robson Rogaciano Fernandes da Silva (Mestrando-Universidade Federal de Campina Grande) Ailanti de Melo Costa Lima (Graduanda-Universidade Estadual

Leia mais

PORTARIA Nº 185, DE 12 DE JULHO DE 2012

PORTARIA Nº 185, DE 12 DE JULHO DE 2012 PORTARIA Nº 185, DE 12 DE JULHO DE 2012 Torna públicas as teses e diretrizes para a elaboração de uma Política Nacional de Empreendedorismo e Negócios PNEN, e dá outras providências. O MINISTRO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO DA ESCOLA ORLANDO VENÂNCIO DOS SANTOS DO MUNICÍPIO DE CUITÉ-PB

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO DA ESCOLA ORLANDO VENÂNCIO DOS SANTOS DO MUNICÍPIO DE CUITÉ-PB PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO DA ESCOLA ORLANDO VENÂNCIO DOS SANTOS DO MUNICÍPIO DE CUITÉ-PB Nelson Leal dos Santos Júnior 1 Universidade Federal de Campina Grande

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EM EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE MÉDIO PORTE NO BRASIL. Elisabete Maria de Freitas Arquiteta

Leia mais

BRINCANDO DE MATEMÁTICO

BRINCANDO DE MATEMÁTICO BRINCANDO DE MATEMÁTICO Carlos Alberto Rezende de Carvalho Junior Universidade Federal do Paraná (UFPR) carloscarvalhoj@gmail.com Janio de Jesus Cardoso Universidade Federal do Paraná (UFPR) ijanio_pt@yahoo.com.br

Leia mais

JOGOS NAS AULAS DE HISTÓRIA ATRAVÉS DO PIBID: UMA POSSIBILIDADE DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO E DE INTERAÇÃO

JOGOS NAS AULAS DE HISTÓRIA ATRAVÉS DO PIBID: UMA POSSIBILIDADE DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO E DE INTERAÇÃO JOGOS NAS AULAS DE HISTÓRIA ATRAVÉS DO PIBID: UMA POSSIBILIDADE DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO E DE INTERAÇÃO Rayssa Eutália Gurjão Coutinho Borges 1 Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) E-mail: rayssagurjao@hotmail.com

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VIABILIZAÇÃO DO REGIME DE COLABORAÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PARANÁ

PERSPECTIVAS DE VIABILIZAÇÃO DO REGIME DE COLABORAÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PARANÁ PERSPECTIVAS DE VIABILIZAÇÃO DO REGIME DE COLABORAÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PARANÁ Mauricio Pastor dos Santos 1 PUCPR Grupo de Trabalho Políticas Públicas, Avaliação e Gestão da Educação Básica Agência

Leia mais

DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES

DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES Rogério Sousa AZEVEDO (1); Iara M Cavalcante NOLETO (2) (1 e 2) Instituto Federal de

Leia mais

EIXO 4 - Política e Gestão da Educação Profissional e Tecnológica

EIXO 4 - Política e Gestão da Educação Profissional e Tecnológica EIXO 4 - Política e Gestão da Educação Profissional e Tecnológica FÓRUNS DE ESTUDOS: UMA ALTERNATIVA DE DISCUSSÃO DE NOVAS POSSIBILIDADES E AÇÕES NA MELHORIA DO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO E FORTALECIMENTO

Leia mais

Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico

Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico Manual do Curso São Paulo Educação Executiva 2016 Apresentação O Sindusfarma deseja oferecer aos seus associados à possibilidade de

Leia mais

Comunicação em Saúde: Experiências da Rádio Web Saúde com jovens latino-americanos Comunicação em Saúde

Comunicação em Saúde: Experiências da Rádio Web Saúde com jovens latino-americanos Comunicação em Saúde Comunicação em Saúde: Experiências da Rádio Web Saúde com jovens latino-americanos Comunicação em Saúde Ana Valéria Machado Mendonça¹ Grasiela de Sousa Pereira² Dyego Ramos Henrique Raelma Paz Silva Maria

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA DE GESTÃO EFICAZ - Projeto Via Turismo 1.1 Histórico da Prática Eficaz Descrever como surgiu o programa/prática e indicar a data de início das ações. O Projeto Via Turismo

Leia mais

DESENVOLVIMENTO INFANTIL EM DIFERENTES CONTEXTOS SOCIAIS

DESENVOLVIMENTO INFANTIL EM DIFERENTES CONTEXTOS SOCIAIS DESENVOLVIMENTO INFANTIL EM DIFERENTES CONTEXTOS SOCIAIS Coordenadoras: Karla da Costa Seabra (Universidade do Estado do Rio de Janeiro / Faculdade de Educação) Susana Engelhard Nogueira (Instituto Federal

Leia mais

Perspectivas de Formação de Formadores com apoio da EaD: emprego de métodos ativos e avaliação formativa

Perspectivas de Formação de Formadores com apoio da EaD: emprego de métodos ativos e avaliação formativa 1 Perspectivas de Formação de Formadores com apoio da EaD: emprego de métodos ativos e avaliação formativa Solange Rauchbach Garani Escola da Magistratura do Paraná E-mail: solangergarani@yahoo.com.br

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE ALMEIDA, Rozelaine Rubia Bueno D 1 Resumo Este artigo tem como objetivo apresentar uma reflexão sobre as mudanças na legislação do Ensino

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UM ESTUDO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA, NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS, NO CAMPUS DE GURUPI. Nome dos autores: Josilia Ferreira Dos Santos,

Leia mais

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum 1. O direito constitucional à educação é concretizado, primeiramente, com uma trajetória regular do estudante, isto é, acesso das crianças e jovens a

Leia mais

Tema de Trabalho : Desenvolvimento com Eqüidade e Responsabilidade Ambiental

Tema de Trabalho : Desenvolvimento com Eqüidade e Responsabilidade Ambiental Desde 2003 o Brasil é membro efetivo da Associação Internacional de Conselhos Econômicos e Sociais e Instituições Similares (AICESIS), e em junho de 2007 assumiu a sua presidência para um mandato de dois

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO MENTAL DO INDIVIDUO

DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO MENTAL DO INDIVIDUO DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO MENTAL DO INDIVIDUO Maria Sebastiana Gomes Mota¹ Francisca Elisa de Lima Pereira² Resumo: Este artigo tem como objetivo

Leia mais

RESUMO DO CURSO. Nome do curso: MBA em Gestão Empresarial : Ênfase em Pessoas, Produção e Logística.

RESUMO DO CURSO. Nome do curso: MBA em Gestão Empresarial : Ênfase em Pessoas, Produção e Logística. RESUMO DO CURSO Nome do curso: MBA em Gestão Empresarial : Ênfase em Pessoas, Produção e Logística. Área do Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas Nível do curso: pós-graduação lato sensu Modalidade:

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA (EDUCAÇÃO) DO CAMPO

PÓS-GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA (EDUCAÇÃO) DO CAMPO PÓS-GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA (EDUCAÇÃO) DO CAMPO Instituição Certificadora: FALC Faculdade da Aldeia de Carapicuíba Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001/ 2007 Carga Horária: 460h Período de Duração: 12

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR

EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR ARNOR, Asneth Êmilly de Oliveira; DA SILVA, Ana Maria Gomes; DA SILVA, Ana Paula; DA SILVA, Tatiana Graduanda em Pedagogia -UFPB-

Leia mais

O PERFIL DO ENGENHEIRO SEGUNDO AS EMPRESAS

O PERFIL DO ENGENHEIRO SEGUNDO AS EMPRESAS O PERFIL DO ENGENHEIRO SEGUNDO AS EMPRESAS Michelle Mike Nose 1, Daisy Aparecida do Nascimento Rebelatto 2 Universidade de São Paulo 1 Escola de Engenharia de São Carlos Av. Trabalhador São Carlense, 400

Leia mais

A EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO: VIVENDO E APRENDENDO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO: VIVENDO E APRENDENDO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL P á g i n a 123 A EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO: VIVENDO E APRENDENDO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Fábio de Melo BANDEIRA (Esp./UEG) (fabiobandeira@ueg.br) Ludimilla Ribeiro de ALMEIDA (UEG/G) (lu_dimilla22@hotmail.com)

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE TELEMARKETING ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo

Leia mais

LINGUAGEM: O COMPLEXO JOGO DAS MUDANÇAS SOCIAIS

LINGUAGEM: O COMPLEXO JOGO DAS MUDANÇAS SOCIAIS LINGUAGEM: O COMPLEXO JOGO DAS MUDANÇAS SOCIAIS Aline Almeida de Araújo 1 RESUMO A sociolinguística estuda as variações do meio social, procura entender e explicar as várias maneiras de expressão dos falantes.

Leia mais

Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação

Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação Felipe Schadt 1 O presente capítulo 2 é parte integrante do livro Metodologia da Pesquisa-ação, do

Leia mais

4h diárias - 16 meses

4h diárias - 16 meses 4h diárias - 16 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM RECEPCIONISTA ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral: 4 -

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil. julho 2012

Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil. julho 2012 Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil julho 2012 Metodologia e Perfil de Entrevistados Método Amostra por conveniência Questionário (quantitativo)

Leia mais

A Grade Curricular da Habilitação de Relações Públicas da Universidade de Santa Cruz do Sul 1

A Grade Curricular da Habilitação de Relações Públicas da Universidade de Santa Cruz do Sul 1 A Grade Curricular da Habilitação de Relações Públicas da Universidade de Santa Cruz do Sul 1 Priscila dos Santos STEFFENS 2 Renata Gerhardt PICCININ 3 Jaqueline Lopes LUZ 4 Bruno KEGLER 5 Fabiana da Costa

Leia mais

Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br

Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br Índice Quem é o Pedagogo?... Qual a duração do curso?... Quais os objetivos do curso?... E os campos de atuação?... Que

Leia mais

Estratégia de Institucionalização da Avaliação Institucional na UFBA. Eixo I Criação de estratégias e metodologias para o trabalho da CPA

Estratégia de Institucionalização da Avaliação Institucional na UFBA. Eixo I Criação de estratégias e metodologias para o trabalho da CPA Estratégia de Institucionalização da Avaliação Institucional na UFBA Universidade Federal da Bahia (UFBA) Eixo I Criação de estratégias e metodologias para o trabalho da CPA Antonio Virgilio Bastos Bittencourt

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP

VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 385 VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE

Leia mais

O Proeja no IFG: o processo seletivo para admissão aos cursos ofertados no Campus Goiânia

O Proeja no IFG: o processo seletivo para admissão aos cursos ofertados no Campus Goiânia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDRAL DE EDUCAÇÃO, CIENCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS MARCELO MENDES DOS SANTOS O Proeja no IFG: o processo seletivo para

Leia mais

A ESCOLA ITINERANTE DE INFORMÁTICA DA PREFEITURA DO RECIFE COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO DIGITAL LIMITES E POSSIBILIDADES

A ESCOLA ITINERANTE DE INFORMÁTICA DA PREFEITURA DO RECIFE COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO DIGITAL LIMITES E POSSIBILIDADES 1 A ESCOLA ITINERANTE DE INFORMÁTICA DA PREFEITURA DO RECIFE COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO DIGITAL LIMITES E POSSIBILIDADES Recife PE Maio 2009 Flávia Barbosa Ferreira de Santana Universidade Federal de

Leia mais

A VISÃO DOS TUTORES NA EAD DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS - uma sugestão de formação corporativa ao serviço público

A VISÃO DOS TUTORES NA EAD DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS - uma sugestão de formação corporativa ao serviço público 1 A VISÃO DOS TUTORES NA EAD DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS - uma sugestão de formação corporativa ao serviço público Goiânia GO abril/2015 Dayse Mysmar Tavares Rodrigues TJGO dmysmar@hotmail.com

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS NO ENSINO DE ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Resumo

A UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS NO ENSINO DE ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Resumo A UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS NO ENSINO DE ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Camila Lacerda Ortigosa Pedagogia/UFU mila.lacerda.g@gmail.com Eixo Temático: Educação Infantil Relato de Experiência Resumo

Leia mais

TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA

TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS

Leia mais

Perspectivas de Formação de Formadores com apoio da EaD: emprego de métodos ativos e avaliação formativa

Perspectivas de Formação de Formadores com apoio da EaD: emprego de métodos ativos e avaliação formativa Perspectivas de Formação de Formadores com apoio da EaD: emprego de métodos ativos e avaliação formativa Texto revisto pela autora, quanto ao conteúdo. Retirada a indicação da instituição pois não atua

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT RESUMO INTRODUÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT RESUMO INTRODUÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT Antonio Evangelino de Carvalho Soares Cintia Silvia Victor dos Santos Claudinei Candido Vieira Érica Natália Martins Silva Kátia Ribeiro dos Santos Marco Túlio

Leia mais

Proposta de estruturação de um sistema de gestão da qualidade em uma empresa de construção civil na cidade de Venda Nova do Imigrante - ES

Proposta de estruturação de um sistema de gestão da qualidade em uma empresa de construção civil na cidade de Venda Nova do Imigrante - ES Proposta de estruturação de um sistema de gestão da qualidade em uma empresa de construção civil na cidade de Venda Nova do Imigrante ES André Drumond Soares (Faculdade do Espírito Santo) adrumonds@bol.com.br

Leia mais

FORMAÇÃO INICIAL: AS EXPECTATIVAS DE ALUNOS DE PEDAGOGIA ACERCA DA PEDAGOGIA EMPRESARIAL

FORMAÇÃO INICIAL: AS EXPECTATIVAS DE ALUNOS DE PEDAGOGIA ACERCA DA PEDAGOGIA EMPRESARIAL FORMAÇÃO INICIAL: AS EXPECTATIVAS DE ALUNOS DE PEDAGOGIA ACERCA DA PEDAGOGIA EMPRESARIAL Regina Lúcia Maciel De Sousa RESUMO As constantes mudanças econômicas e sociais configuram um novo cenário de valorização

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E SOCIEDADE CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA Nova

Leia mais

Eco-Mundi 1. PALAVRAS-CHAVE: game; remake; PacMan; natureza; sustentabilidade.

Eco-Mundi 1. PALAVRAS-CHAVE: game; remake; PacMan; natureza; sustentabilidade. Eco-Mundi 1 Gabriela Cardoso LEITÃO 2 Amanda Lorraine Teles RODRIGUES 3 Bruno Andrew Furtado de SOUSA 4 Luisa Pinto ALMEIDA 5 Lamounier Lucas PEREIRA JUNIOR 6 Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte,

Leia mais

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011.

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011. 1 CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA Araras, maio de 2011. Fernando da Silva Pereira Centro Universitário Hermínio Ometto UNIARARAS SP fernandosilper@uniararas.br

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Edificações Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física

EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Edificações Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO

A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO Msc. Maria Iolanda Fontana - PUCPR / UTP miolandafontana@hotmail.com RESUMO O presente trabalho sintetiza parcialmente o conteúdo da dissertação de

Leia mais

PATRULHA AMBIENTAL MIRIM: Um espaço de Emancipação dos Sujeitos

PATRULHA AMBIENTAL MIRIM: Um espaço de Emancipação dos Sujeitos PATRULHA AMBIENTAL MIRIM: Um espaço de Emancipação dos Sujeitos RESUMO Elizane Pegoraro Bertineti 1 Tanise Stumf Böhm 2 O presente texto busca apresentar o trabalho realizado pela Patrulha Ambiental Mirim

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL

O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL Viviane Cardoso¹ Resumo: O objetivo desse artigo é refletir como os ideais da pedagogia freireana tem contribuído para as práticas

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PIBID 1 NA FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015

I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015 I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015 A GESTÃO ESCOLAR E O POTENCIAL DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Leia mais

Conheça as propostas formuladas nos eventos preparatórios em todo o estado de SP

Conheça as propostas formuladas nos eventos preparatórios em todo o estado de SP Proposta: Propor mudanças nas leis que regem a publicação, desenvolvimento e divulgação dos testes no Brasil, de forma que se padronizem e ofereçam subsídios do alcance e limites dos testes. Proposta:

Leia mais

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE ENFERMAGEM DO CESUMAR SOB A ÓTICA DO SUS

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE ENFERMAGEM DO CESUMAR SOB A ÓTICA DO SUS 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE ENFERMAGEM DO CESUMAR SOB A ÓTICA DO SUS Lizyanne Saldanha Soares 1, Natalia Máximo Souza Lima 2, Raquel Gusmão Oliveira

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

ENSINO MÉDIO INTEGRADO: analisando o currículo de matemática

ENSINO MÉDIO INTEGRADO: analisando o currículo de matemática ENSINO MÉDIO INTEGRADO: analisando o currículo de matemática Fernanda Pereira Santos 1 Profª. Drª. Célia Maria Fernandes Nunes 2 Profª. Drª. Marger Ventura Viana 3 Resumo Com esta pesquisa pretende-se

Leia mais

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2010 SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO FINANCEIRA EM CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA. Contatos Luiz Augusto Gonçalves de

Leia mais

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO 1 ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO CELINA APARECIDA ALMEIDA PEREIRA ABAR Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Brasil abarcaap@pucsp.br - VIRTUAL EDUCA 2003-1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3

Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3 DIMENSÕES DE SUSTENTABILIDADE NOS PROGRAMAS DE COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Márcio José Celeri Doutorando em Geografia da UNESP/Rio Claro marcioceleri@yahoo.com.br Ana Tereza Cáceres Cortez Docente

Leia mais

Gestão em Sistemas de Saúde

Gestão em Sistemas de Saúde INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão em Sistemas de Saúde Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Aprovado no dia XX/XX/2013 Pró diretoria de

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias OS CICLOS DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO HUMANO E A REALIDADE DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA PÚBLICA Suzane Ribeiro Milhomem E-mail:

Leia mais

Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance

Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance SEVERO¹, Ana Beatrice Santana SILVA², Danielle Rousy Dias da ANJOS 3, Eudisley Gomes dos PRESTES 4, Mateus Augusto Santos FERNANDES 5, Raul Felipe de

Leia mais

PRATICANDO OS 3R s. 1. Introdução

PRATICANDO OS 3R s. 1. Introdução PRATICANDO OS 3R s América SANTIAGO 1 Barbara Baumgarten Baião PEREIRA 2 Faida Denise RODRIGUES 3 Patrícia Cardoso BRÍGIDO 2 Thaise Domingos Martins de SOUZA 1 Tamires CEOLIN 1 RESUMO: Este artigo tem

Leia mais

METAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

METAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL METAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Meta 01. Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de 04 a 5 anos de idade e ampliar, a oferta de educação infantil em creches de forma a atender a 50% da população

Leia mais

RELATÓRIO FINAL. BIBLIOTECA ESCOLAR: espaço de ação pedagógica. Victor Hugo Vieira Moura 1 INTRODUÇÃO

RELATÓRIO FINAL. BIBLIOTECA ESCOLAR: espaço de ação pedagógica. Victor Hugo Vieira Moura 1 INTRODUÇÃO 190 RELATÓRIO FINAL BIBLIOTECA ESCOLAR: espaço de ação pedagógica Victor Hugo Vieira Moura 1 INTRODUÇÃO Uma das características mais marcantes da chamada sociedade da informação é o extraordinário desenvolvimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL 1 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO O ENSINO DA SOCIOLOGIA PARA PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO Contribuindo para a formação continuada dos professores de Sociologia do ensino médio do Rio Grande do Sul. OBJETIVOS GERAIS

Leia mais

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA 1 Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA Diretor Acadêmico: Edison de Mello Gestor do Projeto: Prof. Marco Antonio da Costa 2 1. APRESENTAÇÃO Prepare seus alunos para explorarem o desconhecido, para

Leia mais

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL Larissa dos Santos Gomes Resumo O presente artigo refere-se ao trabalho de conclusão

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS.

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. BARBOSA, Roger Eduardo 1 Resumo Neste artigo analisaremos como o planejamento estratégico na gestão de pessoas nas

Leia mais

ESPAÇO E TEMPO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALTERNATIVAS DIDÁTICO- PEDAGÓGICAS.

ESPAÇO E TEMPO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALTERNATIVAS DIDÁTICO- PEDAGÓGICAS. ESPAÇO E TEMPO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALTERNATIVAS DIDÁTICO- PEDAGÓGICAS. Introdução: O presente artigo tem a pretensão de fazer uma sucinta exposição a respeito das noções de espaço e tempo trabalhados

Leia mais

TIMPACTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DA PRÁTICA DE TURISMO EM AMBIENTES RURAIS.

TIMPACTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DA PRÁTICA DE TURISMO EM AMBIENTES RURAIS. TIMPACTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DA PRÁTICA DE TURISMO EM AMBIENTES RURAIS. SILVA, Odair Vieira da. Bacharelado e Licenciatura em Geografia Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP),

Leia mais

A METODOLOGIA DA PESQUISA DE MERCADOAPLICADA À PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS

A METODOLOGIA DA PESQUISA DE MERCADOAPLICADA À PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS 1 A METODOLOGIA DA PESQUISA DE MERCADOAPLICADA À PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS Maria Lúcia Ribeiro Da COSTA 1 João Cezario Giglio MARQUES 2 RESUMO: O estudo e a pesquisa de mercado

Leia mais

Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia. Manual de Estágios Currículo 2009.02

Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia. Manual de Estágios Currículo 2009.02 Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia Manual de Estágios Currículo 2009.02 Belo Horizonte Dezembro de 2009 1 FICHA TÉCNICA CORPO ADMINISTRATIVO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA Presidente

Leia mais