LeasePlan Consultancy Services. A Fiscalidade Verde e as oportunidades para as frotas = = = empresariais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LeasePlan Consultancy Services. A Fiscalidade Verde e as oportunidades para as frotas = = = empresariais"

Transcrição

1 = A Fiscalidade Verde e as oportunidades para as frotas = = = empresariais =

2 LeasePlan PR Survey 3 A Fiscalidade Verde e as oportunidades para as frotas empresariais Index 1 Introdução 4 2 Sumário executivo 7 3 Cenários analisados 16 4 Conheça melhor os veículos elétricos 25 5 FAQs 40 6 Premissas do estudo 42

3 A Fiscalidade Verde e as oportunidades para as frotas empresariais 5 Introdução A Fiscalidade Verde e as oportunidades para as frotas empresariais Para 2015, o Governo preparou um conjunto de medidas a que chamou de Reforma da Fiscalidade Verde, com o objetivo de redefinir o sistema de tributação ambiental e energética de forma a promover a competitividade económica, a sustentabilidade ambiental e a eficiente utilização dos recursos. As alterações abrangem os setores da água, do ordenamento do território, dos resíduos, das florestas e biodiversidade, dos transportes, da energia e das emissões. No que respeita ao setor automóvel as alterações são, na sua maioria, por incentivos e desagravamentos de impostos para veículos com motorizações elétricas, híbridas plug-in e veículos movidos Gás de Petróleo Liquefeito (GPL) ou Gás Natural Veicular (GNV), com o objetivo de dotar os veículos ambientalmente mais responsáveis de maior competitividade económica atendendo a que as vendas destes veículos nos últimos dois anos foi inferior a 1% do total das vendas de veículos novos. Esta reduzida expressão das vendas sucedeu porque, comparativamente aos veículos movidos pelos tradicionais motores de combustão interna, os elétricos e híbridos plug-in têm um custo de utilização superior, por via do preço de aquisição mais elevado (influenciado pelo custo das baterias e volumes de produção reduzidos). Assim, o crescimento das vendas numa fase inicial de implementação, depende muito de incentivos financeiros para que se tornem uma alternativa viável. Este estudo tem como objetivo identificar eventuais oportunidades de otimização dos custos das frotas empresariais, perante as alterações introduzidas pelas medidas da Fiscalidade Verde.

4 Sumário executivo 7 Sumário executivo

5 Alterações fiscais 9 Sumário executivo Alterações fiscais IRC Tributação Autónoma Redução das taxas de Tributação Autónoma sobre encargos com veículos ligeiros de passageiros híbridos plug-in, movidos a GPL e GNV: Taxas de Tributação Autónoma 2014 Valor de aquisição Veículos ligeiros GPL e GNV Híbridos Plug-in Veículos de passageiros elétricos Inferior a % 10% 10% 0% Entre e ,5% 27,5% 27,5% 0% Superior a % 35% 35% 0% Taxas de Tributação Autónoma 2015 Valor de aquisição Veículos ligeiros GPL e GNV Híbridos Plug-in Veículos de passageiros elétricos Inferior a % 7,5% 5% 0% Entre e ,5% 15% 10% 0% Superior a % 27,5% 17,5% 0% IVA Possibilita-se a dedução do IVA para despesas de aquisição, locação e transformação com viaturas elétricas ou híbridas plug-in e em 50% para veículos movidos a GPL ou a GNV, desde que o custo de aquisição não ultrapasse os seguintes limites: ISV Valor de aquisição Veículos Veículos elétricos Híbridos plug-in Movidos a GPL ou GNV Agravamento médio de 3% do Imposto Sobre Veículos (ISV). Adicionalmente, as taxas de ISV para veículos híbridos, GPL ou GNV e híbridos plug-in sofrerão alterações de acordo com a seguinte tabela: Percentagem face à taxa normal de ISV Veículos Automóveis ligeiros de passageiros equipados com motores híbridos 50% 60% Automóveis ligeiros de passageiros que utilizem GPL ou Gás natural 50% 40% Automóveis ligeiros de passageiros equipados com motores híbridos 100% 25% plug-in, autonomia mínima no modo elétrico de 25 km. Depreciações de veículos ligeiros de passageiros ou mistos Estabelecidos novos limites à dedutibilidade de gastos com depreciações relativamente às viaturas adquiridas nos períodos de tributação que se iniciem em ou após 1 de janeiro de 2015: Valor de aquisição Veículos Veículos elétricos Híbridos plug-in Movidos a GPL ou GNV Restantes veículos É criado um regime de incentivo fiscal ao abate, traduzido na redução do ISV ou na atribuição de um subsídio no valor de: a) na aquisição de um veículo elétrico novo. b) na aquisição de um veículo híbrido plug-in novo. OUTRAS MEDIDAS INCLUÍDAS NAS ALTERAÇÕES AOS CÓDIGOS DE IRC E IRS: Veículos N1 Os encargos com veículos N1 deixam de estar isentos de Tributação Autónoma a partir de 1 de janeiro de 2015, aplicando-se ao parque automóvel existente. IRS Desagravou-se a carga fiscal nas situações em que a atribuição de um veículo é enquadrável como rendimento em espécie do colaborador, sendo considerado agora o valor de mercado do veículo e não o valor de aquisição, na determinação do referido rendimento.

6 10 LeasePlan Sumário executivo Sumário executivo Impacto das medidas na competitividade As medidas apresentadas e que fazem parte da Reforma da Fiscalidade Verde representam um desagravamento fiscal para os veículos elétricos, híbridos plug-in e movidos a GPL/GNV e como tal terão um impacto positivo no Total Cost of Ownership (TCO) dos mesmos. Veículos Híbridos plug-in: Os veículos híbridos plug-in, em média, têm redução de 24% do TCO. O impacto vem da possibilidade de dedução de 100% do IVA e da introdução de taxas de Tributação Autónoma reduzidas para estes veículos, até agora sujeitos às taxas normais. Depreciação 31% TCO 2014 Portagens 5% Seguro 6% Manutenção, Pneus e VS 6% Juros 6% TCO 2015 Veículos Híbridos plug-in -24% Veículos Elétricos -12% Impostos 39% Gestão 2% Impostos 20% IVA 10,7% (27%) IUC 1,1% (3%) TA 25,9% (66%) ISV 1,3 % (4%) IVA 4,9% (25%) IUC 1,4% (7%) TA 11,7% (60%) ISV 1,5% (8%) Depreciação 45% Os veículos elétricos, em média, têm uma redução de 12% do TCO (Total Cost of Ownership). O impacto vem da redução de custos com IVA, uma vez que os custos de aquisição/locação são dedutíveis em 100%. TCO 2014 Portagens 10% Seguro 9% Manutenção, Pneus e VS 9% TCO 2015 Veículos GPL/GNV: Os veículos movidos a GPL, em média, têm redução de 6% do TCO. O impacto positivo vem da possibilidade de dedução de IVA em 50% e também pela introdução de taxas de Tributação Autónoma reduzidas para estes veículos, até agora sujeitos às taxas normais. TCO 2014 TCO 2015 Combustível 13% Portagens 10% Seguro 9% Veículos GPL/GNV -6% Impostos 14% Juros 6% Gestão 3% Impostos 3% Depreciação 24% Manutenção, Pneus e VS 9% Juros 5% IVA 14,4% (100%) IUC 0% (0%) TA 0% (0%) ISV 0% (0%) IVA 3,1% (100%) IUC 0% (0%) TA 0% (0%) ISV 0% (0%) Impostos 27% Gestão 3% Impostos 23% IVA 10,7% (39%) IUC 1,9% (7%) TA 10,9% (40%) ISV 4,0% (14%) IVA 7,4% (33%) IUC 2,1% (9%) TA 8,7% (39%) ISV 4,4% (19%)

7 12 LeasePlan Sumário executivo Impacto das medidas na competitividade 13 Principais conclusões e recomendações dos segmentos analisados: Com a informação do impacto destas alterações, considerámos a substituição de veículos mais representativos das frotas automóveis empresariais (com motorizações Diesel) por estes tipos de veículos (elétricos, plug-in e GPL) analisando a sua competitividade financeira (através de comparação de TCOs). Com efeito, do ponto de vista do custo, a Reforma da Fiscalidade Verde veio trazer competitividade aos veículos movidos por motores elétricos, híbridos plug-in e GPL/GNV, posicionando alguns modelos como mais competitivos comparativamente aos tradicionais motores alimentados exclusivamente a gasóleo ou gasolina. Porém, a oferta de veículos elétricos, híbridos plug-in e GPL é ainda escassa, não conseguindo satisfazer todos os segmentos, especialmente no caso dos veículos híbridos plug-in, com menos de uma dezena de modelos disponíveis no nosso mercado. Por outro lado, na decisão deve também ser considerado o tipo de utilização dos veículos da sua frota, de forma a evitar dificuldades operacionais, nomeadamente no que respeita à autonomia das baterias dos veículos 100% elétricos, cujo alcance real é próximo de 120km. Por fim, o sempre latente risco de alterações fiscais pois, caso os benefícios para os veículos elétricos, híbridos plug-in e movidos a GPL/GNV sejam removidos, resultará num impacto muito significativo na competitividade destes modelos penalizando substancialmente o TCO dos mesmos.

8 Impacto das medidas na competitividade 15 Para uma melhor compreensão das conclusões e impactos, analisámos os segmentos de veículos mais representativos de uma frota empresarial: Euros 1200 Euros Plug-IN Diesel Diesel 973 Diesel 964 Plug-IN Plug-IN 894 Elétrico GPL Diesel 568 Elétrico 672 GPL 613 Diesel 640 Elétrico 643 GPL 689 Diesel 505 Elétrico 596 GPL Plug-IN GPL Elétrico Plug-IN Elétrico GPL Plug-IN 1. Utilitários 2. Familiar pequeno 3. Familiar pequeno premium 4. Familiar médio 5. Familiar médio premium 6. Veículos de comerciais ligeiros Conclusão: Neste segmento os Conclusão: Os veículos 100% elé- Conclusão: Os veículos 100% elé- Conclusão: A opção por um veícu- Conclusão: Os veículos híbridos Conclusão: Neste segmento as modelos equipados com motores tricos são uma opção! É possível tricos são uma opção! É possível lo movido a GPL pode levar a uma plug-in são uma opção! É possível motorizações a Diesel mantêm-se Diesel continuam a ser a melhor até alcançar um TCO equiparável até alcançar poupanças de 12% poupança sgnificativa (22% no até alcançar poupanças de 7% como as mais competitivas opção. às motorizações Diesel. no TCO, comparativamente às TCO) face a um veículo de motori- no TCO, comparativamente na medida em que beneficiam das As medidas da Fiscalidade Verde Neste caso, as medidas da Fiscali- motorizações Diesel. zação a Diesel. Não existe oferta às motorizações Diesel. As medidas isenção de Tributação Autónoma são insuficientes para dotar os dade Verde, na forma de dedução As medidas da Fiscalidade Verde, de veículos elétricos e híbridos da Fiscalidade Verde foram efetivas, e da dedutibilidade do IVA veículos elétricos e GPL de compe- do IVA em 100%, foram efetivas. neste caso na forma de dedução plug-in. neste caso na forma de dedução em 100%. titividadade. Recomendação: Caso a Responsabi- do IVA em 100%, foram efetivas As medidas da Fiscalidade Verde do IVA em 100% e da redução das Recomendação: Manter veículos Não existe oferta de híbridos lidade Social Corporativa seja uma Não existe oferta de veículos mo- foram efetivas, neste caso na taxas de Tributação Autónoma. com motorizações Diesel. plug-in. missão, recomendamos a opção vidos a GPL. forma de dedução do IVA em 50% Não existe oferta de veículos elétri- Recomendação: Manter os veícu- por motorizações elétricas mas Recomendação: Optar por um e redução das taxas de Tributação cos movidos a GPL. los com motorizações Diesel. apenas para quilometragens anuais veículo elétrico, caso o perfil de Autónoma. Recomendação: Optar por um híbrido a partir de km pois, até lá, utilização o permita (distância Recomendação: Optar por uma Plug-in, ainda que não podendo os Diesel são mais económicos. diária percorrida). solução a GPL, ainda que não generalizar esta medida para todos Todavia, tenha presente que, caso Todavia, tenha presente que, caso podendo generalizar esta medida os segmentos por escassez de oferta. os incentivos deixem de existir, os incentivos deixem de existir, para todos os segmentos, por Caso a Responsabilidade Social incorrerá em maiores custos face incorrerá em maiores custos face escassez de oferta. Corporativa seja uma missão, à opção Diesel. Acresce ainda que à opção Diesel. Todavia, tenha em atenção que recomendamos a opção por moto- os modelos elétricos apresentam nem todos os postos de abasteci- rizações híbridas plug-in. Todavia, a limitação da autonomia entre mento disponibilizam GPL. tenha presente que, caso os incen- carregamentos. tivos deixem de existir, incorrerá em maiores custos face à opção Diesel.

9 Detalhe dos segmentos analisados 17 Detalhe dos segmentos analisados Nos vários segmentos foram analisados cenários de substituição de veículos movidos exclusivamente por motores de combustão interna (Diesel), por veículos elétricos, híbridos plug-in e GPL/GNV. Para cada segmento analisado foram utilizados veículos equiparáveis que tivessem o menor Total Cost of Ownership (TCO). A comparação é efetuada para a quilometragem anual média de km, contudo validámos a sensibilidade dos resultados a uma variação de quilometragem anual entre km e km por forma a determinar a consistência dos resultados.

10 18 LeasePlan Detalhe dos segmentos analisados Detalhe dos segmentos analisados Familiar pequeno Neste segmento, o modelo com motorização a Diesel é o que apresenta o melhor TCO. Ccontudo, o modelo elétrico consegue ser igualmente competitivo ao apresentar uma diferença inferior a 1%. Também aqui, o custo de aquisição mais elevado do modelo elétrico é compensado por um custo energético menor bem como pela inexpressiva carga fiscal (2% do TCO). O modelo híbrido plug-in é penalizado por ter o custo de aquisição mais elevado e, consequentemente, um maior valor de locação e impostos (sobretudo Tributação Autónoma). O TCO do veículo com motorização a GPL é 8% mais elevado que o Diesel. 1. Utilitário Diesel Elétrico Plug-IN GPL Ford Focus 1.5 TDCi 120 CV Nissan Leaf 109 CV Toyota Prius Plug-in 99 CV Opel Astra 1.4T GPL 140 CV Neste segmento, o modelo Diesel é o mais competitivo. O veículo movido a GPL apresenta um TCO superior em aproximadamente 8% e o elétrico superior em 18%. A falta de competitividade do veículo elétrico prende-se com o elevado custo de aquisição (visível pelo custo de locação) ainda que, em parte, compensado pela reduzida carga fiscal e energética. Neste segmento não existe oferta de modelos híbridos plug-in Diesel Elétrico Plug-IN GPL Opel Corsa 1.3 CDTi 95 CV Renault ZOE 88 CV Ford Fiesta 1.4.Ti-VCT 92 CV Na análise quilométrica, verifica-se que a motorização Custos Locação Custos Exploração Combustível Impostos Diesel é sempre mais competitiva, independentemente Na análise quilométrica, verifica-se que o veículo elétrico é o mais competitivo, a partir de km anuais, com uma poupança crescente face à motorização Diesel que chega aos 6% nos km anuais (110km diários). da quilometragem anual Km anuais Km anuais TA: 10% CO2: 98 g/km TA: 0% CO2: 0 g/km TA: 10% CO2: 92 g/km TA: 7,5% CO2: 133 g/km TA: 10% CO2: 89 g/km TA: 0% CO2: 0 g/km TA: 7,5% CO2: 133 g/km Custos Locação Custos Exploração Combustível Impostos Diesel Elétrico GPL Diesel Elétrico Plug-IN GPL

11 20 LeasePlan Detalhe dos segmentos analisados Detalhe dos segmentos analisados 21 Neste segmento, o veículo de motorização elétrica é o mais competitivo conseguindo ter um TCO 10% mais baixo do que modelo com a motorização Diesel. O custo de aquisição inferior a torna a carga de impostos deste modelo elétrico desprezável (2% do seu TCO), anulando o efeito de uma amortização superior ao modelo de combustão convencional que sofre da elevada carga fiscal (33% do seu TCO). A opção híbrida plug-in é a menos competitiva e não existe oferta 3. Familiar pequeno premium 4. Familiar médio A motorização a GPL apresenta o melhor TCO, representando uma redução de 22% face à motorização a Diesel. Esta poupança resulta da menor carga fiscal na medida em que pode deduzir o IVA em 50% e está sujeito a uma taxa de Tributação Autónoma de 7,5%, que compara positivamente com o veículo de motorização Diesel com uma taxa de 27,5%. Neste segmento não há modelos exclusivamente elétricos nem híbridos plug-in disponíveis no mercado nacional. de veículos GPL/GVN Km anuais Diesel Elétrico Plug-IN GPL BMW Série 1 118D 143 CV BMW i CV Audi A3 SB E-Tron 1.4 TFSi 150 CV 0 Diesel Elétrico Plug-IN GPL Opel Insignia ST 2.0 CDTi 140 CV Opel Insignia ST 1.4T GPL 140 CV TA: 27,5% CO2: 109 g/km TA: 0% CO2: 0 g/km TA: 17,5% CO2: 37 g/km TA: 27.5% CO2: 104g/km TA: 7.5% CO2: 131 g/km Custos Locação Custos Exploração Combustível Impostos Custos Locação Custos Exploração Combustível Impostos O modelo elétrico apresenta-se sempre como o mais competitivo, com uma poupança crescente face à motorização Diesel que chega aos 16% nos km anuais. Na análise quilométrica, verifica-se que o veículo movido a GPL é sempre o mais competitivo Km anuais Km anuais Diesel Elétrico Plug-IN Diesel GPL

12 22 LeasePlan Detalhe dos segmentos analisados Detalhe dos segmentos analisados 23 A motorização híbrida plug-in é a mais competitiva, representando uma redução de 7% face à motorização a Diesel. O modelo híbrido plug-in consegue a sua competitividade através de uma menor carga fiscal (dedução de IVA e taxa reduzida de Tributação Autónoma), bem como de um custo energético mais baixo. A marca Mitsubishi pode não ser percecionada como premium, contudo por se tratar de um modelo SUV optámos por colocá-lo neste segmento. Por outro lado esse mesmo facto pode ser um impeditivo para algumas empresas com restrições na sua política de frota. A outra opção disponível 5. Familiar médio premium 6. Veículos comerciais ligeiros A motorização Diesel é a mais competitiva. A reduzida carga fiscal já existente nos veículos comerciais com motorização Diesel não permite que as vantagens fiscais da Reforma da Fiscalidade Verde tragam qualquer alteração de competitividade neste segmento. não é competitiva, influenciada pelo custo de aquisição mais elevado. Neste segmento não existem motorizações elétricas disponíveis no nosso mercado Diesel Elétrico Plug-IN GPL BMW Série 3 Touring 318D 143 CV Mitsubishi Outlander PHEV 121 CV Volvo V D6 PHEV 283 CV Diesel Elétrico Plug-IN GPL Citröen Berlingo Van 1.6 HDi 75 CV Nissan NV200 Flex Basic 109 CV Fiat Dobló Cargo 1.4 GPL 120 CV TA: 27,5% CO2: 98 g/km TA: 10% CO2: 44 g/km TA: 17,5% CO2: 48 g/km TA: 0% CO2: 136 g/km TA: 0% CO2: 0 g/km TA: 0% CO2: 134 g/km Custos Locação Custos Exploração Combustível Impostos Custos Locação Custos Exploração Combustível Impostos Na análise quilométrica, não se verificam alterações de posições relativas. Na análise quilométrica, verifica-se que o veículo movido a Diesel é sempre o mais competitivo Km anuais Km anuais Diesel Plug-IN (1) Plug-IN (2) Diesel Elétrico GPL

13 Conheça melhor os veículos elétricos 25 Conheça melhor os veículos elétricos

14 26 LeasePlan Conheça melhor os veículos elétricos Conheça melhor os veículos elétricos 27 Os primeiros elétricos Os primeiros veículos com propulsão feita através de motores elétricos remontam ao século XIX, mais concretamente a 1835 quando Thomas Davenport construiu o primeiro veículo 100% elétrico. Seguiram-se décadas de desenvolvimentos e a popularidade destes veículos cresceu entre os utilizadores citadinos até aos anos 20 do século passado, em 1900 cerca de 28% dos automóveis produzidos nos EUA eram elétricos. Porém, seguiram-se anos de abrandamento e declínio do interesse por este tipo de motorizações, especialmente quando Henry Ford iniciou a produção em massa do Ford T. Os fatores determinantes para tal foram a falta de desenvolvimento das baterias, a reduzida autonomia, a rápida evolução dos motores de combustão interna, a construção de infra-estruturas rodoviárias que exigiam veículos que percorressem distâncias maiores e as descobertas mundiais de reservas de petróleo que tornaram os combustíveis fósseis mais baratos. O renascer do interesse por veículos elétricos Na Thomas Edison ao lado de um exemplar elétrico da época. A preocupação com a poluição atmosférica levou os EUA a recomendar a construção de automóveis ecológicos em Ainda na segunda metade do século XX, as várias crises do petróleo, nomeadamente, a de 1973 com o preço de petróleo a subir mais de %, a crise política no Irão em 1979 a provocar um aumento de 1000% e mais tarde a guerra do Golfo, foram o motor para os fabricantes automóveis revisitarem os seus projetos de veículos elétricos (exclusivos ou combinados) que tinham nas gavetas e lançarem no mercado, ainda que algo timidamente, modelos com motorizações alternativas. Em 1997 o protocolo de Quioto veio também incentivar o interesse por veículos elétricos. Este acordo internacional estabeleceu compromissos para a redução da emissão dos gases que agravam o efeito estufa e, consequentemente, o aquecimento global, dando visibilidade e consciencialização às emissões de CO2. As reduções de emissões apenas com motores convencionais representavam uma melhoria anual estimada de 2%, insuficiente para alcançar a meta traçada de 89g/km para 2020, assim as motorizações elétricas (com zero emissões) ganhavam cada vez mais sentido de oportunidade. Estratégia dos fabricantes A estratégia dos fabricantes foi necessariamente como transmissões economizadoras de combustível, adaptada a estas condicionantes externas e iniciou-se pela otimização dos motores de combustão atrito e, numa visão de longo prazo, o desenvolvi- recuperação de energia na travagem, pneus de baixo interna através de avançadas tecnologias de injeção mento de veículos híbridos e elétricos que antevê-se direta de combustível, introdução de sistemas que reduzem o consumo (também conhecidos pela funcio- evolução das motorizações pode ser representada da precederem os motores movidos a hidrogénio. A nalidade start/stop ), e de outras soluções técnicas seguinte forma: Células de combustível / Hidrogénio Veículos elétricos Veículos híbridos Combustíveis alternativos Otimização dos combustíveis convencionais Otimização dos motores de combustão interna Vários fabricantes acreditam no hidrogénio como o combustível do futuro e, como tal, preparam o lançamento dos primeiros veículos com motorizações alimentadas a hidrogénio. No entanto, existem 3 fatores preponderantes que (ainda) impedem a expansão desta forma de combustível, o custo de construir uma dispendiosa rede de abastecimento, o custo de produzir hidrogénio em estado líquido como forma combustível e as dificuldades de armazenamento no automóvel. Como exemplo, a Toyota prepara-se para lançar o seu modelo Mirai (significa futuro em Japonês) Toyota Mirai que é o seu primeiro veículo movido a hidrogénio.

15 28 LeasePlan Conheça melhor os veículos elétricos Conheça melhor os veículos elétricos 29 Tipos de propulsão Para além dos motores convencionais de combustão interna, resumidamen- Híbridos em paralelo: Idêntico ao anterior mas com a diferença de que é te descrevemos os vários tipos de propulsão híbrida que os fabricantes têm possível funcionar em modo exclusivamente elétrico, ainda que por poucos desenvolvido: quilómetros (2-3kms). Este tipo de veículo tem sistema de recuperação de energia na travagem para recarregar as baterias. Com baterias de capacida- Micro-híbridos: Modelos equipados com motor térmico com o sistema de de superior ao anterior, a redução de consumo de combustível em utilização Start/Stop que desliga o motor quando o carro pára, por exemplo num semáforo, voltando a trabalhar quando se pressiona a embraiagem. Este urbana vai de 10% a 50%. Esta tecnologia tem sido mais explorada pelo fabricante Toyota, sob a desig- Toyota Prius HSD Lexus CT 200H sistema permite reduzir o consumo de combustível entre 6% a 16%. Para nação HSD (Hybrid Synergy Drive). tal, dispõem de uma bateria de capacidade superior de forma a permitir armazenar a energia suficiente ao funcionamento do sistema start/stop. Híbridos plug-in em paralelo: Muito semelhante ao anterior mas com moto- Atendendo às exigentes metas impostas pela União Europeia, a maioria dos res mais potentes e baterias de capacidade substancialmente superior que novos veículos já dispõem deste sistema como equipamento de série. permite fazer deslocações de algumas dezenas de quilómetros (30-50) em modo 100% elétrico. Atendendo à maior capacidade da bateria, o carrega- Híbridos em Série: Motorizações convencionais, auxiliadas por um pequeno motor elétrico (entre 20 e 40 cv) e baterias de capacidade superior às mento por via da regeneração nas travagens e descidas é insuficiente para carregar as baterias a 100%. Por esse motivo, estão dotados da possibilidade de carregamento numa tomada de corrente doméstica normal. Toyota Prius Plug-IN Audi A3 Sportback E-Tron anteriores, a evolução da micro-hibridização. O motor elétrico e as baterias funcionam como impulso extra sempre que é exigido maior esforço ao Híbridos plug-in em série: Ao contrário do modelo anterior, aqui a estrela motor tradicional, como por exemplo, nos arranques, em subidas e acelera- é o motor elétrico na medida em que este tipo de motorização distingue-se ções mais fortes. O módulo elétrico é alimentado por baterias e pela energia por ser sempre o motor elétrico a fornecer potência às rodas, embora tenha recuperada nas travagens.não tem modo de funcionamento exclusivamente um motor de combustão interna mas que funciona apenas como gerador de elétrico, o motor elétrico apenas assiste o motor de combustão interna e por energia para o carregamento da bateria quando esta se está a esgotar. Em Honda Jazz IMA Honda CR-V IMA breves segundos. Com um sistema de regeneração de energia em travagens, circustâncias muito específicas, o motor gerador (de combustão) pode estas motorizações permitem uma poupança de consumo de combustível entre 10% e 20%, especialmente em utilização urbana. Esta tecnologia tem acionar diretamente o motor elétrico. Com baterias completamente carregadas, a sua autonomia é próxima de 60 km. Opel Ampera Chevrolet Volt sido mais explorada pelo fabricante Honda, sob a designação IMA (Integra- Esta tecnologia tem sido mais explorada pelo fabricante Americano GM ted Motor Assist). (General Motors). Elétricos: O motor de combustão interna é substituído por um ou vários motores elétricos e um conjunto de baterias que fornecem energia ao motor elétrico. A solução clássica é ter o motor colocado à frente e/ou atrás, nos sistemas mais complexos os motores elétricos estão acoplados às rodas motrizes dianteiras e/ ou traseiras. A autonomia média anunciada dos veículos existentes no mercado ronda os 150 km-200 kms embora, em ambiente real, na verdade, seja próxima de 120 kms. A recarga total das baterias pode durar entre 4 e 10 horas ou, num carregamento rápido, é possível carregar 80% em 30 minutos. A Nissan tem sido o fabricante mais ativo na comercialização deste tipo de Nissan Leaf Tesla Model S veículos com o inovador Nissan Leaf. Também a Tesla, um recém nascido fabricante Americano de automóveis exclusivamente elétricos, sedeado em Sillicon Valley, tem feito muitos progressos inovadores no desenvolvimento de baterias de elevada capacidade.

16 30 LeasePlan Conheça melhor os veículos elétricos Conheça melhor os veículos elétricos 31 Conheça melhor os veículos elétricos Atributos e constrangimentos dos veículos elétricos e híbridos O desconhecimento sobre os veículos 100% elétricos é ainda grande de forma que damos a a conhecer os seus principais atributos e constragimentos: Veículos elétricos Atributos: Constragimentos: Maior eficiência (85%) relativamente aos motores de combustão interna (35%) Custo da energia propulsora (eletricidade) muito inferior Consumo energético inferior Não emitem CO2 (utilização) Motores elétricos são mais leves que os de combustão Custos de manutenção inferiores por (quase) não terem partes móveis Redução do período de imobilização devido à elevada fiabilidade dos motores elétricos Possibilidade de programação do horário de carregamento (e.g. tarifário bi-horário) Agradabilidade/ flexibilidade de utilização superiores Binário constante desde 0 RPM, impulso linear Silêncio de utilização (maior conforto e menor poluição sonora) Sistema recuperador de energia em desacelerações/ travagens Estima-se que, em 75% das vezes, não será necessário recorrer ao pedal de travão, já que dispõe de importante travão-motor Acesso a zonas de circulação restrita (muito importante nas cidades) Estacionamento isento de pagamento em várias cidades Baterias com autonomia limitada (apx. 120km) e vida útil ainda incerta Velocidade máxima limitada eletronicamente para garantir autonomia Capilaridade da Infra-estrutura para carregamento Preço das baterias Espaço (as baterias retiram espaço à bagageira) Peso (acrescido) das baterias e sistema elétrico Tempo de recarga demorado Utilização limitada (pequenas deslocações a velocidades moderadas/baixas) Maior dependência do ritmo evolutivo da tecnologia Oferta atual reduzida Capilaridade dos pontos de assistência mecânica (período de adaptação do mercado) Resistência à aceitação da tecnologia Resistência por parte dos condutores à alteração dos hábitos de utilização A autonomia dos motores elétricos tem sido uma limitação para o aumento de vendas destes tipos de veículos. Uma autonomia real de 120km, continua a ser impeditivo da massificação dos veículos elétricos, por mais incentivos que possam ter. No entanto, a média de distâncias percorridas diariamente situa-se entre os 35km e 50km (dias úteis), o que faz com que a adequabilidade destes veículos possa ser repensada. Nissan Leaf 100% elétrico. Veículos híbridos e híbridos plug-in Atributos: Constragimentos: Reduzem parcialmente as emissões de Resultados mais evidentes apenas a CO2 e dependência do petróleo baixas velocidades e deslocações curtas, ambiente urbano/sub-urbano. Tecnologia existente e que não obriga a grande pesquisa e desenvolvimento Custos de Manutenção previsivelmente Economia de combustível que pode superiores (2 motores+baterias) variar entre os 10% e os 50% Os plug-in têm custos de produção Maior aceitação do consumidor ainda mais elevados atendendo às dispendiosas baterias de maior autonomia Menor risco no valor estimado de revenda Autonomia superior à dos motores convencionais Espaço (as baterias retiram espaço à Peso das baterias e sistema híbrido Agradabilidade/suavidade na condução bagageira)

17 32 LeasePlan PR Conheça Surveymelhor os veículos elétricos LeasePlan PR Survey 33 Conheça melhor os veículos elétricos Consumos energéticos e TCO Conheça melhor os veículos elétricos O papel dos governantes 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% O consumo energético dos veículos elétricos está dependente de vários fatores: perfil do percurso, peso do veículo, peso da carga transportada e velocidade média. Tendo por base o consumo médio dos veículos abaixo considerados, referências de eficiência, chegamos à rápida conclusão que, de todas as motorizações disponíveis, o veículo elétrico é o que apresenta um menor custo de utilização (24% do custo energético do veículo a gasolina): Custo energético Gasolina Híbrido GPL Diesel Plug-N Elétrico VW Golf VII 1.4 TSi 150 CV Toyota Auris 1.8 HSD 136 CV Opel Astra 1.4. GPL 140 CV Ford Focus 1.5 TDCi 120 CV Toyota Prius 1.8 Plug-in 99 CV Nissan Leaf 109 CV Ao considerarmos todas as componentes de custos mensais, conclui-se que a competitividade do elétrico está a par da motorização Diesel. O modelo híbrido plug-in é penalizado por um custo de aquisição mais alto e por não ser tão beneficiado em termos fiscais como o elétrico Gasolina Híbrido GPL Diesel Plug-N Elétrico VW Golf VII 1.4 TSi 150 CV Toyota Auris 1.8 HSD 136 CV Opel Astra 1.4. GPL 140 CV Ford Focus 1.5 TDCi 120 CV Toyota Prius 1.8 Plug-in 99 CV Nissan Leaf 109 CV Em todos os países tem-se observado uma enorme correlação entre os incentivos fiscais e o sucesso de vendas de veículos elétricos e híbridos plug-in. Os Governos de vários países comprometeram-se com metas que diminuam o aquecimento global e como forma de suportar este objetivo têm utilizado subsídios diretos, benefícios fiscais e alterações regulatórias que pretendem expandir o mercado de veículos elétricos. Algumas medidas que os Governos têm apresentado como forma de minimizar o impacto de um custo de aquisição superior causado pelas baterias, são: Isenção de impostos de registo e circulação Subsídios no ato de compra de veículos elétricos e híbridos plug-in Locais de estacionamento reservados para veículos elétricos Circulação permitida a veículos elétricos em zonas de acesso restrito (BUS) Isenção de pagamento de portagens e parques de estacionamento públicos para veículos elétricos Pacote de incentivos para a instalação de pontos de carregamento em condomínios privados A eletricidade para carregamento de veículos elétricos com redução de taxa de IVA Etc Em Portugal, a recente aprovada Reforma da Fiscalidade Verde vem dar incentivos para a troca de veículos de combustão interna por veículos elétricos e híbridos plug-in, nomeadamente para as frotas empresariais. Incentivo para veículos elétricos: Isenção de Imposto Sobre Veículos (I.S.V) e Imposto de Circulação (I.U.C.) Isenção de Tributação Autónoma Dedutibilidade do IVA Incentivo ao abate Locais de estacionamento reservados para V.E.s Valor de depreciação fiscalmente aceite de (veículos de motores de combustão interna ) Incentivos para veículos híbridos plug-in: Redução em 75% do Imposto Sobre Veículos (I.S.V) Taxas reduzidas de Tributação Autónoma Dedutibilidade do IVA Incentivo ao abate Valor de depreciação fiscalmente aceite de (veículos de motores de combustão interna ) Impostos Depreciação Juros Seguro Manutenção, Pneus e VS Combustível Portagens Gestão Preço Compra

18 Conhecer melhor os veículos elétricos 35 Conheça melhor os veículos elétricos Rede pública de postos de carregamento Conheça melhor os veículos elétricos Emissões de CO2 e o conceito well to wheel MOBI.E No início de 2008 foi criado o consórcio MOBI.E que configura uma solução que integra todos os sistemas de carregamento para a mobilidade elétrica numa plataforma única, aberta e universal. Uma rede que se estende por todo país e conta com pontos de carregamento normal e 50 pontos de carregamento rápido em espaços de acesso público. Os pontos de abastecimento estão situados em garagens particulares, em parques de estacionamento público (centros comerciais, hotéis, aeroportos, bombas de gasolina e na via pública). Os carregamentos são feitos de acordo com a necessidade do utilizador: carga rápida 20 a 30 minutos; carga lenta 6 a 8 horas. As vendas de veículos elétricos nunca chegaram perto das expetativas criadas e em 2011 com o cancelamento dos incentivos para a aquisição de veículos elétricos houve um abrandamento mais significativo. Estes postos foram pouco utilizados e alguns não estão, recorrentemente, em funcionamento. Contudo a rede está criada e com os incentivos necessários voltará a estar pronta para responder a um novo crescimento de veículos elétricos e híbridos que terão à sua disposição: Na análise de emissões de CO2 de um equipamento deve ter-se em consideração não apenas o consumo do mesmo na sua utilização, mas desde a origem de produção de energia, refinação e transporte. Assim as emissões devem ser contabilizadas desde a produção até às rodas, from well to wheel: Rede de carregamento inteligente Energia elétrica proveniente essencialmente de fontes renováveis para abastecer os veículos elétricos Presente em todo o território nacional e acessível por todos os utilizadores Compatível com todas as marcas de veículos elétricos Mesmo quando analisamos os veículos elétricos, embora tenham emissões nulas durante a sua Postos de carregamento na via pública e parques de estacionamento utilização, a origem da eletricidade determina os níveis de emissão totais, que podem ser: Permite repor os níveis de energia gastos, de forma simples e cómoda Reduzidos: Eletricidade oriunda maioritariamente de energias renováveis (hídrica, eólica, solar, etc) Permite ainda ao cidadão saber do estado de carregamento do seu veículo, locais de Médios: Eletricidade maioritariamente oriunda de estações nucleares carregamento ou outras informações, a qualquer momento Elevados: Eletricidade maioritariamente oriunda do gás, combustível e carvão. Concebido para que no futuro possa aceder a mais funcionalidades A rede consiste em pontos de carregamento normal e 50 pontos de carregamento rápido em espaços de acesso público. Permitirá ainda ao utilizador saber do estado de carregamento do seu veículo, locais de carregamento ou outras informações a qualquer momento: > Através da Internet, PDA, telemóvel ou outros suportes > Permite selecionar as operações mais vantajosas a cada momento > Permite analisar a sua fatura de mobilidade com o objetivo de otimizar consumos Emissões de CO2 (g/km) Projecção Well to Wheel para 2030 Sistemas de propulsão elétrica Turbo Diesel HEV PHEV10 PHEV30 PHEV60 BEV FCV Consumo de combustível (litros/100kms) Depósito às rodas Poço ao depósito Consumo de petróleo BEV: Battery electric vehicle; PHEV: Plug-in hybrid electric vehicle; FCV: Fuel cell vehicle; HEV: Hybrid electric vehicle; Turbo: Gasolina

19 36 LeasePlan Conheça melhor os veículos elétricos Conhecer melhor os veículos elétricos 37 Conheça melhor os veículos elétricos Oferta existente em Portugal Veículos elétricos Veículos híbridos plug-in Quadriciclos Micro-carros Pequenos familiares Pequeno familiar premium Renault Twizy Smart Fortwo Tazzari Zero Toyota Prius Opel Ampera Audi A3 Sportback E-Tron BMW i3 Utilitários Médios familiares VW E-UP Mitsubishi i-miev Renault ZOE Citroen C-Zero Peugeot ion Volvo V60 Mitsubishi Outlander Pequenos familiares Pequeno familiar premium Premium Nissan Leaf Nissan EVALIA VW E-Golf Ford Focus Electric BMW i3 BMW i8 Mercedes Classe S Porshe Panamera S e-hybrid Porshe Cayenne S e-hybrid Tesla Model S Comerciais Próximos lançamentos Veículos elétricos Próximos lançamentos Veículos híbridos plug-in Renault Kangoo ZE Nissan NV 200 Peugeot Partner Elétrica Citröen Berlingo Full Electric Mercedes Classe B Electric BMW Série 3 Plug-IN BMW X5 Plug-IN Mercedes C300H Station Mercedes GLC-H Mercedes GLE-H VW Passat Variant GTE Volvo XC90 T8 Plug-IN Audi Q5 Hybrid Audi Q7 Hybrid Audi A8 Hybrid

20 Veículos GPL Utilitários e pequenos utilitários Dacia Sandero Fiat Panda Kia Picanto Fiat 500 Hyundai i10 Ford Fiesta Fiat Punto Lancia Ypsilon Opel Mokka Opel Meriva Pequenos familiares Opel Astra Alfa Romeo Giulietta Fiat 500L Lancia Delta Dacia Duster Médio familiar Médios familiares 7 lugares Comerciais Veículos GNV Utilitário GNV Pequeno familiar GNV

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização III 1 novembro 31 dezembro 2014

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização III 1 novembro 31 dezembro 2014 Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização III 1 novembro 31 dezembro 2014 Índice Enquadramento Principais trabalhos no período Análise de resultados Indicadores

Leia mais

RESUMO FISCALIDADE AUTOMÓVEL 2015

RESUMO FISCALIDADE AUTOMÓVEL 2015 RESUMO FISCALIDADE AUTOMÓVEL 2015 1 1 ISV tabelas A, B e C Aumento de 3%. 2 2 ISV redução nos veículos importados usados A tabela D mantém-se inalterada, apesar de ter existido uma proposta de alteração

Leia mais

CONHEÇA OS INCENTIVOS DA LEI DA FISCALIDADE VERDE

CONHEÇA OS INCENTIVOS DA LEI DA FISCALIDADE VERDE Pág: 14 EM CARGA INCENTIVOS PARA VE S Corte: 1 de 8 100% 1000 DEDUÇÃO DE IVA PARA EMPRESAS DESCONTO NA AQUISIÇÃO DE QUADRICICLO PESADO CONHEÇA OS INCENTIVOS DA LEI DA FISCALIDADE VERDE O Orçamento de Estado

Leia mais

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização II 1 setembro 2014 31 outubro

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização II 1 setembro 2014 31 outubro Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização II 1 setembro 2014 31 outubro Indice Enquadramento Principais trabalhos no período Análise de resultados Indicadores de

Leia mais

Programa de Demonstração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório final. Julho 2015

Programa de Demonstração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório final. Julho 2015 Programa de Demonstração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório final Julho 2015 Índice 1. Sobre a iniciativa 2. Apresentação dos resultados Índice 1. Sobre a iniciativa 2. Apresentação dos resultados

Leia mais

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização I 16 Junho - 31 Agosto 2014

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização I 16 Junho - 31 Agosto 2014 Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização I 16 Junho - 31 Agosto 2014 Indice Enquadramento Principais trabalhos no período Análise de resultados Indicadores de

Leia mais

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização IV 1 janeiro 28 fevereiro 2015

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização IV 1 janeiro 28 fevereiro 2015 Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização IV 1 janeiro 28 fevereiro 2015 Índice Enquadramento Principais trabalhos no período Análise de resultados Indicadores

Leia mais

Impostos sobre Veículos

Impostos sobre Veículos Impostos sobre Veículos Além dos encargos com a sua aquisição, os proprietários de veículos motores, sejam pessoas singulares ou coletivas, têm obrigações fiscais a cumprir anualmente. A aquisição de veículos

Leia mais

ÍNDICE. 1. Introdução. 2. Principais Vantagens do Aluguer Operacional. Guia Contabilístico e Fiscal do Renting

ÍNDICE. 1. Introdução. 2. Principais Vantagens do Aluguer Operacional. Guia Contabilístico e Fiscal do Renting ÍNDICE 1. Introdução 2. Principais Vantagens do Aluguer Operacional 3. Normas Contabilísticas e de Relato Financeiro 9 (NCRF 9) 4. Regime Contabilístico Locatário 5. Regime Fiscal - Locatário 6. Quadro

Leia mais

AUMENTE A POUPANÇA E RENTABILIDADE NO SEU CONTRATO DE RENTING

AUMENTE A POUPANÇA E RENTABILIDADE NO SEU CONTRATO DE RENTING AUMENTE A POUPANÇA E RENTABILIDADE NO SEU CONTRATO DE RENTING 7 dicas para otimizar o Aluguer Operacional de Veículos www.gestao-frotas.com AUMENTE A POUPANÇA E RENTABILIDADE NO SEU CONTRATO DE RENTING

Leia mais

REFORMA DA FISCALIDADE AUTOMÓVEL Auditório da ACAP 6 de Junho 2007

REFORMA DA FISCALIDADE AUTOMÓVEL Auditório da ACAP 6 de Junho 2007 REFORMA DA FISCALIDADE AUTOMÓVEL Auditório da ACAP 6 de Junho 2007 lano Geral da Exposição 1. Aspectos estruturantes da reforma (Gonçalo Falcão) 2. Novo regime de tributação automóvel (Gonçalo Falcão)

Leia mais

NEWSLETTER N.º 4 PORTUGAL FEVEREIRO 2015

NEWSLETTER N.º 4 PORTUGAL FEVEREIRO 2015 NEWSLETTER N.º 4 PORTUGAL FEVEREIRO 2015 FISCALIDADE VERDE Foi aprovado no passado dia 31 de Dezembro, a Lei n.º 82-D/2014 que promove reforma da tributação ambiental, regulamentando assim a Fiscalidade

Leia mais

Reforma da Fiscalidade Verde. 16 de outubro 2014

Reforma da Fiscalidade Verde. 16 de outubro 2014 Reforma da Fiscalidade Verde 16 de outubro 2014 OBJETIVOS: Reduzir a dependência energética do exterior Induzir padrões de produção e de consumo mais sustentáveis, reforçando a liberdade e responsabilidade

Leia mais

Gestão de Frota. Engº Luís Prazeres Brisa Auto-estradas de Portugal

Gestão de Frota. Engº Luís Prazeres Brisa Auto-estradas de Portugal Gestão de Frota Engº Luís Prazeres Brisa Auto-estradas de Portugal Frota Grupo Brisa Índice 1 2 3 Diferentes modelos de gestão segundo a dimensão e diversidade da frota. Politica de combustiveis aplicada

Leia mais

são mesmo o futuro? Pedro Meunier Honda Portugal, S.A.

são mesmo o futuro? Pedro Meunier Honda Portugal, S.A. Automóveis Híbridos: H são mesmo o futuro? Pedro Meunier Honda Portugal, S.A. Veículos em circulação por região Biliões de Veículos 2.5 2 1.5 1 0.5 0 2000 2010 2020 2030 2040 2050 Total África América

Leia mais

Bluefleet. Bem vindo a um futuro mais azul! Veículos eléctricos!

Bluefleet. Bem vindo a um futuro mais azul! Veículos eléctricos! Bem vindo a um futuro mais azul! Veículos eléctricos! ALD Automotive Mobilidade sustentável As Nações Unidas prevêm que em 2050 dois terços da população viverá nas cidades, ou seja cerca de 6 biliões de

Leia mais

LeasePlan Consultancy Services ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2014 E OS IMPOSTOS SOBRE VEÍCULOS EMPRESARIAIS. Com o apoio:

LeasePlan Consultancy Services ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2014 E OS IMPOSTOS SOBRE VEÍCULOS EMPRESARIAIS. Com o apoio: LeasePlan Consultancy Services ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2014 E OS IMPOSTOS SOBRE VEÍCULOS EMPRESARIAIS Com o apoio: ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2014 E OS IMPOSTOS SOBRE VEÍCULOS EMPRESARIAIS INDEX 1. Introdução

Leia mais

LeasePlan Consultancy Services ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2014 E OS IMPOSTOS SOBRE VEÍCULOS EMPRESARIAIS. Com o apoio:

LeasePlan Consultancy Services ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2014 E OS IMPOSTOS SOBRE VEÍCULOS EMPRESARIAIS. Com o apoio: LeasePlan Consultancy Services ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2014 E OS IMPOSTOS SOBRE VEÍCULOS EMPRESARIAIS Com o apoio: ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2014 E OS IMPOSTOS SOBRE VEÍCULOS EMPRESARIAIS Index 1. Introdução

Leia mais

Taxa reduzida em serviços de reparação de velocípedes

Taxa reduzida em serviços de reparação de velocípedes IVA Dedução em Viaturas de turismo Passa a ser possível a dedução integral do IVA em despesas relativas à aquisição, fabrico, importação, locação e transformação em viaturas ligeiras de passageiros ou

Leia mais

Gás Natural Veicular alternativa para uma mobilidade mais inteligente. 9º Encontro Transportes em Revista Lisboa, 25 Junho 2015

Gás Natural Veicular alternativa para uma mobilidade mais inteligente. 9º Encontro Transportes em Revista Lisboa, 25 Junho 2015 Gás Natural Veicular alternativa para uma mobilidade mais inteligente 9º Encontro Transportes em Revista Lisboa, 25 Junho 2015 Índice 1. Grupo Dourogás 2. O Gás Natural 3. UE: mobilidade sustentável 4.

Leia mais

Conferência. Reforma da Fiscalidade Automóvel. Lisboa, 6 de Junho de 2007

Conferência. Reforma da Fiscalidade Automóvel. Lisboa, 6 de Junho de 2007 Conferência Reforma da Fiscalidade Automóvel 1 Lisboa, 6 de Junho de 2007 2 Proposta de Directiva da União Europeia Aponta para a transferência global da carga fiscal, nos automóveis, do momento da compra

Leia mais

Reforma da Fiscalidade Ambiental Principais medidas

Reforma da Fiscalidade Ambiental Principais medidas N.º 02 09 de Janeiro 2015 Reforma da Fiscalidade Ambiental Principais medidas No quadro de uma reforma da fiscalidade ambiental, foi publicada, em 31 de Dezembro, para vigorar já em 2015, uma lei que procede

Leia mais

GAMA FIAT GPL BI-FUEL: PROJECTADA, FABRICADA E GARANTIDA PELA FIAT

GAMA FIAT GPL BI-FUEL: PROJECTADA, FABRICADA E GARANTIDA PELA FIAT GAMA FIAT GPL BI-FUEL: PROJECTADA, FABRICADA E GARANTIDA PELA FIAT GPL Euro 5 da Fiat Segurança Economia Tecnologia Ecologia A Gama Fiat GPL Bi-Fuel 1 GPL Euro 5 da Fiat A nova oferta GPL Euro 5 da Fiat

Leia mais

Mudança tecnológica na indústria automotiva

Mudança tecnológica na indústria automotiva ESTUDOS E PESQUISAS Nº 380 Mudança tecnológica na indústria automotiva Dyogo Oliveira * Fórum Especial 2010 Manifesto por um Brasil Desenvolvido (Fórum Nacional) Como Tornar o Brasil um País Desenvolvido,

Leia mais

carregamento por cada carro ainda só foram vendidos 231 E23

carregamento por cada carro ainda só foram vendidos 231 E23 CARROS ELÉTRICOS: PREÇOS COMEÇAM A CAIRO Renault Twizy vai ser posto à venda em Portugal já em abril por 6990. Atualmente há 4,5 postos de carregamento por cada carro ainda só foram vendidos 231 E23 Tantas

Leia mais

Ant A ón io Costa Cost

Ant A ón io Costa Cost Futuro do Automóvel Respeitando os Recursos Naturais António Costa Relações Publicas Toyota & Lexus Comunicação e Marketing Out. 2013 A Natureza impõe-nos um novo paradigma Tempestades Secas EUA, 2010

Leia mais

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015 2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra Lisboa, 13 de Junho de 2015 EMEL EMEL Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.M. S.A., tem como objecto a gestão

Leia mais

Congresso da Associação Ibérica de Gás Natural para a Mobilidade. Barcelona, 20 de outubro de 2015 Carlos Almeida Diretor-Geral da DGEG

Congresso da Associação Ibérica de Gás Natural para a Mobilidade. Barcelona, 20 de outubro de 2015 Carlos Almeida Diretor-Geral da DGEG Congresso da Associação Ibérica de Gás Natural para a Mobilidade A DIRETIVA EUROPEIA SOBRE INFRAESTRUTURAS DE COMBUSTÍVEIS ALTERNATIVOS Barcelona, 20 de outubro de 2015 Carlos Almeida Diretor-Geral da

Leia mais

HISTÓRIA DO VEÍCULO ELÉTRICO

HISTÓRIA DO VEÍCULO ELÉTRICO HISTÓRIA DO VEÍCULO ELÉTRICO Veículo elétrico híbrido projetado por Ferdinand Porsche em 1900 Thomas Edson inspecionando um carro elétrico em 1913 1832 a 1839 Robert Anderson Eficiência energética Facilidade

Leia mais

Bruno Galante Comunicação Institucional e Sustentabilidade Toyota Caetano Portugal

Bruno Galante Comunicação Institucional e Sustentabilidade Toyota Caetano Portugal Mobilidade Urbana Eficiente: Visão Toyota Bruno Galante Comunicação Institucional e Sustentabilidade Toyota Caetano Portugal Mobilidade Urbana Eficiente Mobilidade = Pessoas Desafiamos os mais novos a

Leia mais

Desafios e Oportunidades na Mobilidade Eléctrica. Ipark Seminar Albufeira Rui Filipe Marques

Desafios e Oportunidades na Mobilidade Eléctrica. Ipark Seminar Albufeira Rui Filipe Marques Desafios e Oportunidades na Mobilidade Eléctrica Ipark Seminar Albufeira Rui Filipe Marques Tópicos O paradigma da Mobilidade Eléctrica Vs Veículos a combustão Infra-estrutura de carregamento Enquadramento

Leia mais

Reforma da Fiscalidade Verde Uma análise em que pode confiar. Especial Tax News Flash 24 Outubro 2014

Reforma da Fiscalidade Verde Uma análise em que pode confiar. Especial Tax News Flash 24 Outubro 2014 Reforma da Fiscalidade Verde Uma análise em que pode confiar Especial Tax News Flash 24 Outubro 2014 Proposta de Lei de Reforma da Fiscalidade Verde No dia 23 de Outubro de 2014, foi apresentada pelo Governo,

Leia mais

Cláudio Casimiro Conferência Sustentabilidade Energética Local Barreiro 22 de Outubro de 2010

Cláudio Casimiro Conferência Sustentabilidade Energética Local Barreiro 22 de Outubro de 2010 Uma contribuição para a Mobilidade Sustentável! Cláudio Casimiro Conferência Sustentabilidade Energética Local Barreiro 22 de Outubro de 2010 1 Enquadramento Parque com cerca de 5,81 Milhões de veículos

Leia mais

Cidade sem Carros & Fiscalidade Verde Novembro 2014

Cidade sem Carros & Fiscalidade Verde Novembro 2014 Oradores: Cidade sem Carros & Fiscalidade Verde Novembro 2014 - Sousa Campos, diretor da divisão de marketing e vendas da Toyota Caetano Portugal - Mafalda Sousa, da associação ambientalista Quercus -

Leia mais

TTULO. Seminário sobre Financiamento

TTULO. Seminário sobre Financiamento TTULO bjectivo / Compromisso: Dar a conhecer o Renting e a sua importância na gestão de Empresas aos associados da 2 Definição / Âmbito Diferenciação Impactos e Vantagens Processo de Negócio TODAS AS VANTAGENS

Leia mais

Células de combustível

Células de combustível Células de combustível A procura de energia no Mundo está a aumentar a um ritmo alarmante. A organização WETO (World Energy Technology and Climate Policy Outlook) prevê um crescimento anual de 1,8 % do

Leia mais

Aluguer Operacional e Gestão de Frotas

Aluguer Operacional e Gestão de Frotas the world leading fleet and vehicle management company LeasePlan Portugal Lagoas Park - Edifício 6-2740-244 Porto Salvo Ed. Cristal Douro - R. do Campo Alegre, nº 830 - sala 35-4150-171 Porto Tel.: 707

Leia mais

Mobilidade Urbana e Competidores do Motor de Combustão Interna: o desafio da eficiência versus o custo. Paulo R. Feldmann- FEA USP

Mobilidade Urbana e Competidores do Motor de Combustão Interna: o desafio da eficiência versus o custo. Paulo R. Feldmann- FEA USP Mobilidade Urbana e Competidores do Motor de Combustão Interna: o desafio da eficiência versus o custo Paulo R. Feldmann- FEA USP Nossa experiência no IEE A recarga da bateria de 1 V.E. requer 24 kwh equivalente

Leia mais

SAE - Simpósio Novas Tecnologias na Indústria Automobilística

SAE - Simpósio Novas Tecnologias na Indústria Automobilística SAE - Simpósio Novas Tecnologias na Indústria Automobilística 13 de abril de 2009 1 O Papel da Tecnologia para o Futuro da GM Jaime Ardila Presidente, GM do Brasil & Operações Mercosul 2 O Papel da Tecnologia

Leia mais

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. Caro participante, Agradecemos a sua presença no III Megacity Logistics Workshop. Você é parte importante para o aprimoramento

Leia mais

Tenho de mudar. o meu estilo de. vida?

Tenho de mudar. o meu estilo de. vida? Tenho de mudar o meu estilo de vida? E se eu quiser percorrer mais quilómetros? Que distância posso percorrer só com bateria? Por que razão a electricidade é a energia do futuro? O Eléctrico com uma autonomia

Leia mais

Carro Elétrico. Rafael M. Ribeiro Direito da Energia 2015/2016

Carro Elétrico. Rafael M. Ribeiro Direito da Energia 2015/2016 Carro Elétrico Rafael M. Ribeiro Direito da Energia 2015/2016 Nota Histórica Ányos Jedlik (1828) Thomas Davenport (1834) Início do século XX dominavam o mercado 1910 Introdução dos veículos produzidos

Leia mais

MOB CARSHARING PROTOCOLOS

MOB CARSHARING PROTOCOLOS O QUE É O MOB CARSHARING A QUEM SE DESTINA VANTAGENS ECONÓMICAS VANTAGENS AMBIENTAIS MOB CARSHARING PARTICULARES MOB CARSHARING EMPRESAS MOB CARSHARING PROTOCOLOS COMO FUNCIONA A FROTA CONTACTOS 01 02

Leia mais

Informação à Imprensa

Informação à Imprensa Informação à Imprensa Setembro, 2007 Panorama cronológico da investigação Conceitos de mobilidade amigos do ambiente Desde 1971, técnicos de design e engenheiros da GM/Opel desenvolvem intenso trabalho

Leia mais

Plano de Distribuição de Veículos Elétricos para Seul

Plano de Distribuição de Veículos Elétricos para Seul Plano de Distribuição de Veículos Elétricos para Seul 2011. 05. 11(4a-f) Matriz de Proteção Ambiental Governo Metropolitano de Seul 1 Conteúdo Qualidade do Ar em Seul Gestão de qualidade do ar Esforços

Leia mais

A MOBILIDADE ELÉCTRICA

A MOBILIDADE ELÉCTRICA A MOBILIDADE ELÉCTRICA Contextualização As significativas alterações climáticas e o aumento do preço dos combustíveis sustentam um dos maiores desafios do século XXI - fiabilidade, segurança e sustentabilidade

Leia mais

15 Modelos Mais Vendidos em Março de 2007

15 Modelos Mais Vendidos em Março de 2007 Análise do Mercado de Passageiros - Março de 2007 O mercado de ligeiros de passageiros no mês de Março foi de 20.631 unidades vendidas, obtendo-se um acumulado de 49.132 viaturas vendidas. A tendência

Leia mais

Ranking de Veículos em Emissões de CO2 por km rodado

Ranking de Veículos em Emissões de CO2 por km rodado 0 2012 Ranking de Veículos em Emissões de CO2 por km rodado Índice 1 1. Apresentação 2 1.1. Metodologia 2 2. Resultados 3 3. No Caminho da Sustentabilidade 5 3.1. Mercado Modelo 5 3.2. Iniciativas no Brasil

Leia mais

Tributações autónomas, gastos e encargos não fiscais

Tributações autónomas, gastos e encargos não fiscais Tributações autónomas, gastos e encargos não fiscais Este trabalho pode auxiliá-lo numa tarefa nem sempre clara nem sempre fácil: o apuramento das tributações autónomas. Para tal, são-lhe apresentadas

Leia mais

Ambiente Reforma da Fiscalidade Ambiental

Ambiente Reforma da Fiscalidade Ambiental 13 de janeiro de 2015 Ambiente Manuel Gouveia Pereira mgp@vda.pt Angela Lucas asl@vda.pt Foi publicada, a 31 de dezembro de 2014, a Lei n.º 82-D/2014, que procede à alteração das normas fiscais ambientais

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA ELÉTRICA ANDERSON WESLLEY DA SILVA ZAMPOLI BRUNO MIGUEL ABIB FELIPE MOREIRA DAQUILA ANÁLISE DE DEMANDA DE ENERGIA

Leia mais

Índice Apresentação Vantagens Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Profissional Funcionalidades Cartão Galp Frota Galp Frota Online

Índice Apresentação Vantagens Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Profissional Funcionalidades Cartão Galp Frota Galp Frota Online Índice Índice Apresentação Vantagens Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Profissional Funcionalidades Cartão Galp Frota Galp Frota Online Informação de Gestão Elementos de Personalização

Leia mais

Evolução e perspectivas dos veículos elétricos híbridos

Evolução e perspectivas dos veículos elétricos híbridos Evolução e perspectivas dos veículos elétricos híbridos 2 de julho de 2008 São Paulo - SP Antonio Nunes Jr ABVE- Associação Brasileira do Veículo Elétrico Como, em transporte, responder aos desafios da

Leia mais

VALOR RESIDUAL Enquadramento contabilístico e fiscal

VALOR RESIDUAL Enquadramento contabilístico e fiscal perspetivas newsletter NOV2014 VALOR RESIDUAL Enquadramento contabilístico e fiscal 1- O que é o valor residual de um ativo fixo tangível? Nos termos previstos na Norma Contabilística e de Relato Financeiro

Leia mais

A experiência da EMEL na adopção de veículos eléctricos

A experiência da EMEL na adopção de veículos eléctricos A experiência da EMEL na adopção de veículos eléctricos EMEL EMEL Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.M. S.A., tem como objecto a gestão do estacionamento público no Município

Leia mais

OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL

OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos MARÇO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 SUMÁRIO 1. Introdução...3 2. Histórico...3

Leia mais

A briga pelo menor consumo

A briga pelo menor consumo + Entrevista: Mais informação para o consumidor + Mercado: Carroceria 100% em alumínio será realidade nos veículos de produção em massa, nos EUA, diz especialista + Transportes: O alumínio no semirreboque

Leia mais

O impacto dos veículos eléctricos na

O impacto dos veículos eléctricos na O impacto dos veículos eléctricos na mobilidade urbana Cláudio Casimiro Sessão de Debate Lisboa E-Nova Centro de Informação Urbana de Lisboa 7 de Dezembro de 2010 1 Enquadramento A mobilidade urbana é

Leia mais

Portugal será o 3º país da UE com tributação automóvel mais elevada

Portugal será o 3º país da UE com tributação automóvel mais elevada Portugal será o 3º país da UE com tributação automóvel mais elevada O Automóvel Club de Portugal propõe: Que não limite o incentivo ao abate na aquisição de carros novos que emitam mais 140 g/km. Que não

Leia mais

Solução Verde para o trasporte dacidade de São Paulo. Maio 2011, Rio de Janeiro

Solução Verde para o trasporte dacidade de São Paulo. Maio 2011, Rio de Janeiro Solução Verde para o trasporte dacidade de São Paulo Maio 2011, Rio de Janeiro Três principais questões ambientais Crise global de petróleo Emissões de CO2 Poluição do Ar 40%dos combustíveis fósseis líquidos

Leia mais

Inovação TECNOLÓGICA DAS MOTORIZAÇÕES

Inovação TECNOLÓGICA DAS MOTORIZAÇÕES Inovação EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DAS MOTORIZAÇÕES DOSSIER 13 JORGE LIZARDO NEVES O futuro é sem dúvida eléctrico Vem aí a Era de motores menos poluentes e mais eficientes. Quem o diz é o Jorge Lizardo Neves,

Leia mais

GESTÃO DE FROTAS. Amobilidade está a tornar-se cada vez

GESTÃO DE FROTAS. Amobilidade está a tornar-se cada vez especial ID: 58204143 01-03-2015 Pág: 16 Área: 21,53 x 25,90 cm² Corte: 1 de 5 GESTÃO DE FROTAS photo: Arsel - Fotolia.com Partilha de veículos chega às empresas. Partilha e flexibilidade. Estas são as

Leia mais

POTENCIAL E OPORTUNIDADES DO USO DE VEÍCULOS HÍBRIDOS NO BRASIL

POTENCIAL E OPORTUNIDADES DO USO DE VEÍCULOS HÍBRIDOS NO BRASIL POTENCIAL E OPORTUNIDADES DO USO DE VEÍCULOS HÍBRIDOS NO BRASIL Aníbal Durães de Almeida Júnior 1 ; Paula Leopoldino de Barros 1 ; Guilherme Wilson da Conceição 1 ; Richele Cabral Gonçalves 1 ; 1 FETRANSPOR

Leia mais

Combustíveis Alternativos

Combustíveis Alternativos Combustíveis Alternativos Baterias e recarga são gargalos tecnológicos para disseminação de carros elétricos; viabilidade comercial poderá vir da China Os fabricantes de carros chineses estão "bem-posicionados"

Leia mais

Veículo Elétrico: uma soluçã o transporte urbano. Fortaleza-CE 17 Set 2010

Veículo Elétrico: uma soluçã o transporte urbano. Fortaleza-CE 17 Set 2010 Veículo Elétrico: uma soluçã ção o tecnológica para o transporte urbano Fortaleza-CE 17 Set 2010 Agenda Introdução Por que Veículo Elétrico? Classificação dos Veículos Elétricos Impacto no Sistema Elétrico

Leia mais

Neste artigo iremos dedicar especial atenção às novas regras do. IRS, introduzidas pela Reforma levada a cabo pelo Governo no final

Neste artigo iremos dedicar especial atenção às novas regras do. IRS, introduzidas pela Reforma levada a cabo pelo Governo no final TENDÊNCIAS NOS NEGÓCIOS PARA 2015 Neste artigo iremos dedicar especial atenção às novas regras do IRS, introduzidas pela Reforma levada a cabo pelo Governo no final de 2014. Não deixe de estar por dentro

Leia mais

ANEXO 02- EXEMPLO DE VEÍCULOS ELÉCTRICOS HÍBRIDOS

ANEXO 02- EXEMPLO DE VEÍCULOS ELÉCTRICOS HÍBRIDOS ANEXO 02- EXEMPLO DE VEÍCULOS ELÉCTRICOS HÍBRIDOS 123 Conteúdo 1 Exemplo de Veículos eléctricos Híbridos... 124 1.1 Exemplo de Híbrido Paralelo... 124 1.1.1 Toyota Hybrid System II... 124 1.2 Exemplo de

Leia mais

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhores representantes das associações

Leia mais

FUSO A Daimler Group Brand NOVA CANTER ECO HYBRID. Green light for efficiency

FUSO A Daimler Group Brand NOVA CANTER ECO HYBRID. Green light for efficiency FUSO A Daimler Group Brand NOVA CANTER ECO HYBRID Green light for efficiency RENTABILIDADE E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Quando os desafios e tarefas dos transportes modernos se juntam às exigências europeias

Leia mais

Saab BioPower Hybrid Concept Adiciona Transmissão Híbrida de Dois Modos

Saab BioPower Hybrid Concept Adiciona Transmissão Híbrida de Dois Modos Informação Julho de 2006 Saab BioPower Hybrid Concept Adiciona Transmissão Híbrida de Dois Modos O primeiro híbrido do mundo capaz de funcionar só com combustível renovável puro Transmissão híbrida de

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 6546-(314) Diário da República, 1.ª série N.º 252 31 de dezembro de 2014 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 82-C/2014 de 31 de dezembro Altera o Código do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas,

Leia mais

andar de carro Poderia ser apenas mais um carro eléctrico.

andar de carro Poderia ser apenas mais um carro eléctrico. Motores Teste Chevrolet Volt Silêncio que se vai andar de carro Poderia ser apenas mais um carro eléctrico. Mas o Volt chegou com ambições mais elevadas: tornar os eléctricos numa verdadeira opção, alargando

Leia mais

Conversão de Veículos Convencionais em Veículos Eléctricos

Conversão de Veículos Convencionais em Veículos Eléctricos Seminário: Mobilidade Eléctrica: O Veículo Viabilidade da transformação de Veículos Conversão de Veículos Convencionais em Veículos Eléctricos (Experiência adquirida na ESTGV) Vasco Santos (vasco@estv.ipv.pt)

Leia mais

Aproveitamento dos Potenciais de Veículos Híbridos e da Mobilidade Elétrica

Aproveitamento dos Potenciais de Veículos Híbridos e da Mobilidade Elétrica Aproveitamento dos Potenciais de Veículos Híbridos e da Mobilidade Elétrica Implicações para Políticas de Transportes Pietro Erber 18/06/2012 Fluxo de Energia em Automóvel EUA/DOE 100 6 3 13 4 87 Emissões

Leia mais

Eficiência Energética e Mercados de Carbono Sector dos Transportes

Eficiência Energética e Mercados de Carbono Sector dos Transportes Eficiência Energética e Mercados de Carbono Sector dos Transportes Lisboa, 20 de Novembro 2009 Cláudio Casimiro claudio.casimiro@ceeeta.pt tel. +351 213 103 510 fax +351 213 104 411 Rua Dr. António Cândido,

Leia mais

PORTUGAL PRECISA DE DESENVOLVER UMA ESTRATÉGIA PARA O HIDROGÉNIO

PORTUGAL PRECISA DE DESENVOLVER UMA ESTRATÉGIA PARA O HIDROGÉNIO Pág: 9 Área: 22,57 x 29,17 cm² Corte: 1 de 5 PORTUGAL PRECISA DE DESENVOLVER UMA ESTRATÉGIA PARA O HIDROGÉNIO Em Portugal, os especialistas consideram que o hidrogénio poderá ser uma solução para a mobilidade

Leia mais

A 4 FLEET DISPONIBILIZA

A 4 FLEET DISPONIBILIZA A 4 FLEET DISPONIBILIZA LINHAS DE NEGÓCIO COMPLEMENTARES para satisfazer as necessidades do mercado automóvel Market Intelligence Outsourcing Consulting E-trading E-TRADING 1Link Service Network Operador

Leia mais

Mobilidade eléctrica. Jorge Cruz Morais. Seminário Mobilidade Eléctrica Lisboa, 2 de M arço de 2011

Mobilidade eléctrica. Jorge Cruz Morais. Seminário Mobilidade Eléctrica Lisboa, 2 de M arço de 2011 Mobilidade eléctrica Jorge Cruz Morais Seminário Mobilidade Eléctrica Lisboa, 2 de M arço de 2011 factores da alteração Aumento da Procura Emissões de CO2 O consumo mundial de energia primária Evolução

Leia mais

Foram incluídos nesta edição mais de 190 esquemas eléctricos para o seguinte modelo:

Foram incluídos nesta edição mais de 190 esquemas eléctricos para o seguinte modelo: Novidades do Autodata Online Veículos novos Nesta actualização incluem-se 128 modelos totalmente novos, que cobrem, entre si, uma totalidade de mais de 2400 secções de dados. As novas gamas de modelo incluem:

Leia mais

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Carros Eléctricos - Renault Estudos de Mercado Docentes: Manuel José Damásio Carlos Poupa

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Carros Eléctricos - Renault Estudos de Mercado Docentes: Manuel José Damásio Carlos Poupa Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Carros Eléctricos - Renault Docentes: Manuel José Damásio Carlos Poupa Discentes: Leila Alexandra Ramos Gomes Nº: 20092315 Sara Raquel Quintas Xarepe

Leia mais

ALD PROFLEET2 SOLUÇÕES AVANÇADAS DE TELEMÁTICA

ALD PROFLEET2 SOLUÇÕES AVANÇADAS DE TELEMÁTICA ALD PROFLEET2 SOLUÇÕES AVANÇADAS DE TELEMÁTICA O que é o ALD ProFleet2? É um serviço de dados que utiliza um sistema telemático avançado de gestão de frotas e que lhe permite administrar, localizar em

Leia mais

Objetivos. Benefícios

Objetivos. Benefícios Objetivos Mais competitividade, tecnologia e segurança para os carros produzidos e vendidos no Brasil. Grande mercado nacional permite, via incentivo tributário, colocar os carros vendidos e produzidos

Leia mais

Novas medidas e benefícios fiscais para 2014. Abílio Sousa

Novas medidas e benefícios fiscais para 2014. Abílio Sousa Novas medidas e benefícios fiscais para 2014 Abílio Sousa Programa Vetores essenciais das medidas de natureza fiscal constantes da lei do OE 2014 DLRR um novo benefício fiscal para PME A reforma do IRC

Leia mais

A eficiência energética nos combustíveis e transportes

A eficiência energética nos combustíveis e transportes A eficiência energética nos combustíveis e transportes Workshop Quercus Eficiência Energética Desafios e oportunidades para Portugal 6 de Março 2015 Agenda 1. Enquadramento 2. Desafios 3. A Galp e a mobilidade

Leia mais

Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR)

Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR) Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR) Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres Objectivos

Leia mais

Orçamento do Estado para 2004

Orçamento do Estado para 2004 Orçamento do Estado para 2004 (Lei nº107-b/2003, de 31 de Dezembro de 2003) Principais Medidas Fiscais com Incidência na Actividade Empresarial 1 IRC - Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas

Leia mais

mais do que uma forma de conduzir, ao serviço da mobilidade sustentável Tiago Lopes Farias

mais do que uma forma de conduzir, ao serviço da mobilidade sustentável Tiago Lopes Farias Eco-condução: mais do que uma forma de conduzir, uma forma de estar ao serviço da mobilidade sustentável Tiago Lopes Farias 24 de Maio 2010 Mobilidade e Energia Diagnóstico Mais de 5 milhões de veículos

Leia mais

SERÁ QUE HÁ MOTIVAÇÃO PARA INVESTIR NO VEÍCULO ELÉTRICO NO BRASIL?

SERÁ QUE HÁ MOTIVAÇÃO PARA INVESTIR NO VEÍCULO ELÉTRICO NO BRASIL? Maksen SERÁ QUE HÁ MOTIVAÇÃO PARA INVESTIR NO VEÍCULO ELÉTRICO NO BRASIL? O VE É UM DOS TEMAS MAIS DISCUTIDOS DA ATUALIDADE, NO ENTANTO NÃO EXISTE AINDA UM CONSENSO QUANTO À TECNOLOGIA E ESTIMATIVAS DE

Leia mais

Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial

Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial Sistema de mobilidade elétrica de duas rodas de elevada eficiência e performance José Carlos Marques da Silva Dezembro

Leia mais

Ônibus Híbrido Plug-In a Etanol Antonio Otélo Cardoso

Ônibus Híbrido Plug-In a Etanol Antonio Otélo Cardoso Ônibus Híbrido Plug-In a Etanol Antonio Otélo Cardoso Diretoria Técnica de ITAIPU Assessoria de Mobilidade Elétrica Sustentável Visão de Futuro: Ônibus eficientes, emissão ZERO! Os ônibus são um dos principais

Leia mais

Benefícios e Desafios das Tecnologias Veiculares Alternativas no Transporte Público de Curitiba

Benefícios e Desafios das Tecnologias Veiculares Alternativas no Transporte Público de Curitiba Benefícios e Desafios das Tecnologias Veiculares Alternativas no Transporte Público de Curitiba Roberto Gregorio da Silva Junior Presidente da Urbanização de Curitiba S.A. Belo Horizonte, 15 março 2016

Leia mais

ALD SHARING. HÁ NOVAS FORMAS DE MOBILIDADE NAS CIDADES CHEGOU O ALD SHARING! O primeiro sistema de partilha de veículos e mobilidade para empresas

ALD SHARING. HÁ NOVAS FORMAS DE MOBILIDADE NAS CIDADES CHEGOU O ALD SHARING! O primeiro sistema de partilha de veículos e mobilidade para empresas ALD SHARING HÁ NOVAS FORMAS DE MOBILIDADE NAS CIDADES CHEGOU O ALD SHARING! O primeiro sistema de partilha de veículos e mobilidade para empresas SOLUCÕES INOVADORAS Uma das grandes prioridades para a

Leia mais

A Gestão de Frotas em 2015 Previsões sobre o futuro da Gestão de Frotas

A Gestão de Frotas em 2015 Previsões sobre o futuro da Gestão de Frotas P 1 A Gestão de Frotas em 2015 Estudo da Leasedrive Velo Vehicle Management P 1 Índice A Gestão de Frotas em 2015... 2 Empresas de gestão de frotas... 3 Frotas verdes... 3 Produtos e serviços AOV, ALD,

Leia mais

9o. Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias Motores de combustão interna para os veículos elétricos híbridos

9o. Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias Motores de combustão interna para os veículos elétricos híbridos Motores de combustão interna para os veículos elétricos híbridos Waldyr Luiz Ribeiro Gallo DE FEM - UNICAMP São Paulo, 12 de setembro de 2013 Sumário 1. Por que não veículos elétricos? 2. O papel do veículos

Leia mais

Filtros de Partículas Diesel

Filtros de Partículas Diesel Introdução A presente nota informativa pretende esclarecer as questões mais frequentes sobre Filtros de Partículas Diesel e as respectivas normas europeias de emissões. Durante as últimas duas décadas

Leia mais

www.blue-print.com/pt

www.blue-print.com/pt Blue Print Página dois Notícias Sites específicos para todos os diferentes tipos de utilizadores (Distribuidores e Oficinas) e pela primeira vez sites dedicados ao Consumidor Final e Corporativo Informação

Leia mais

Volvo Buses Volvo Buses

Volvo Buses Volvo Buses O Grupo Volvo é um dos líderes mundiais na fabricação de caminhões, ônibus, equipamentos de construção, motores marítimos e industriais. Volvo na América dos Sul Volvo Colômbia Bogotá Volvo Peru Lima Mack

Leia mais

ISEL. Sérgio Faias. Engenheiro Electromecânico. Seminário O Futuro do Engenheiro Electromecânico 18 Maio 2005

ISEL. Sérgio Faias. Engenheiro Electromecânico. Seminário O Futuro do Engenheiro Electromecânico 18 Maio 2005 ISEL Sérgio Faias Engenheiro Electromecânico Seminário O Futuro do Engenheiro Electromecânico 18 Maio 2005 1 Curriculum Vitae Escola Profissional de Setúbal Técnico Manutenção Electromecânica Estágios

Leia mais

Assim como o salário mínimo, que passou a ser R$ 788,00 em 2015, todos os mercados tiveram adequações ao longo de 10 anos.

Assim como o salário mínimo, que passou a ser R$ 788,00 em 2015, todos os mercados tiveram adequações ao longo de 10 anos. Curiosidade automotiva Preços de automóveis x salário mínimo A JATO Dynamics do Brasil, líder em fornecimento de informações automotivas, desenvolveu uma análise que apurou o valor do salário mínimo e

Leia mais

DE PRONTIDÃO 1. Tenho sempre a viatura disponível? 2. Como proceder para requerer a viatura de substituição?

DE PRONTIDÃO 1. Tenho sempre a viatura disponível? 2. Como proceder para requerer a viatura de substituição? Perguntas e Respostas F.A.Q. s GENÉRICO 1. O que é o Renting/AOV? 2. Qual a diferença entre um Renting/AOV e os outros tipos de financiamento? 3. O que é necessário para obter uma operação em Renting/AOV?

Leia mais