GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA"

Transcrição

1 BAARELADO EM

2 BAARELADO EM UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de. Credenciada cm universidade na década de 90, inauguru seu segund câmpus, lcalizad na regiã da Mca, para ferta cncentrada de curss na área da Saúde. Nas duas primeiras décadas d nv milêni, a Universidade cntinuu sua trajetória de expansã cm lançament de nvs câmpus Mrumbi, Vale d Anhangabaú, Paulista 1 e Paulista 2 e pls de educaçã a distância em diversas regiões. A lng de sua história, a Anhembi Mrumbi trnu-se recnhecida pela ferta de curss inédits cm: Gastrnmia, Aviaçã Civil, Design Digital, Quirpraxia, entre utrs. Em 2005, trna-se uma universidade internacinalizada a integrar a Rede Internacinal de Universidades Laureate, dinamizand ainda mais binômi criatividade e invaçã que sempre esteve presente na Anhembi Mrumbi. Cm a internacinalizaçã, passu a ferecer as estudantes a prtunidade de frmaçã e atuaçã mundial pr mei de prgramas exclusivs de intercâmbi para cmplement de suas matrizes curriculares, múltipla diplmaçã, estági internacinal, entre utrs. Situada em Sã Paul, a Anhembi Mrumbi cnta, atualmente, cm cerca de 36,2 mil estudantes em Curss Superires de Tecnlgia, de Graduaçã, Pós-graduaçã Lat Sensu, nas mdalidades presencial e a distância, além de Pós-graduaçã Strict Sensu e curss de Extensã. A Universidade tem cm missã Prver educaçã de alta qualidade, frmand líderes e prfissinais capazes de respnder às demandas d mund glbalizad e cntribuir para prgress scial cm espírit empreendedr e valres étics. Sua visã é: Cnslidar a psiçã de liderança n Ensin Superir em tdas as áreas de cnheciment em que atua, frmand mair númer de prfissinais diferenciads, pr mei da excelência acadêmica, invaçã e internacinalidade. Nsss valres mdelam nssas ações, ptencializand ainda mais resultads sempre vltads à educaçã e à excelência acadêmica, assegurand a perenidade de nssa Instituiçã, que valriza Respeit à Diversidade, Trabalh em Equipe, a Invaçã, Fc em Resultad, a Respnsabilidade Crprativa, Cmprmiss Scial, a Ética, Transparência e a Paixã. ESCOLA DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA O principal element mtivadr para a frmaçã da Escla de Engenharia e Tecnlgia fi a cnstataçã da necessidade de um melhr planejament d prcess ensin-aprendizagem, bjetivand a qualidade d prfissinal e d cidadã que se pretende frmar. A elabraçã e cnstruçã d prjet de uma nva Escla - enquant prpsta de trabalh cletivamente assumida - pde cntribuir para que s curss envlvids atinjam seus bjetivs, sintetizads na frmaçã de prfissinais cmpetentes, criativs, cm visã crítica, bem cm de cidadãs cientes de suas respnsabilidades para cm a sciedade. Cmpõem a Escla s seguintes curss de Graduaçã: Bacharelad em Engenharia (habilitações Civil, Prduçã, Elétrica, Mecânica, Ambiental e Cmputaçã), Sistemas de Infrmaçã, Ciência da Cmputaçã e Aviaçã Civil; Curs de graduaçã tecnlógica em Análise e Desenvlviment de Sistemas, Gestã de Tecnlgia da Infrmaçã e Redes de Cmputadres. 2

3 O Prjet da Escla de Engenharia e Tecnlgia - bem acmpanhad em sua execuçã e peridicamente revist e aperfeiçad - certamente cnstitui-se em valis instrument indutr da melhria da qualidade e da busca da excelência n ensin de graduaçã. Váris fatres, interns e externs, cntribuíram para a implantaçã d Prjet da Escla; tds, de algum md, vinculam-se à cnvicçã de que planejament e avaliaçã cnstituem-se em ações indispensáveis à eficiência e eficácia das atividades de frmaçã integral d prfissinal de Engenharia, Tecnlgia da Infrmaçã e áreas afins, que se pretende entregar à sciedade e a mercad de trabalh. Um element impulsinadr decisiv, assciad a fatres interns, fi a necessidade de reestruturaçã curricular ds curss, de md a melhr atender às demandas d mercad e permitir mair flexibilidade curricular. Um prjet cnjunt de trabalh, visand a engajament ds segments dcente, discente e técnic-administrativ, à eficiência d prcess e à qualidade da frmaçã plena d estudante em terms científic-culturais, prfissinais e de cidadania, cnstitui grande diferencial ds curss pertencentes a esta Escla. SOBRE O CURSO O setr eletreletrônic e setr de cmunicações, dentr da área de infraestrutura sã de ntória imprtância, respnsáveis pela estrutura tecnlógica que pssibilita a trca de infrmações em nível glbal, relevantes a desenvlviment sciecnômic, inclusã digital e demcratizaçã da infrmaçã. Os sistemas de infrmaçã digital cntribuem para aprimrament ds serviçs de telefnia, dads e multimídia, expandind s sistemas digitais de difusã de infrmaçã, a Internet e s sistemas digitais de transmissã de rádi e televisã. Nesse cenári, mudanças significativas crreram n chamad setr elétric, que envlve a geraçã, transmissã e distribuiçã de energia elétrica, nrtead mais recentemente pr uma nva diretriz de sustentabilidade e alta eficiência, cnduzind país a discutir mudanças radicais na estrutura e bjetivs d setr elétric. Uma pssível crise energética n Brasil mstra a imperisa necessidade de uma atuaçã muit mais efetiva nesta área, desde a cncepçã de prduts de menr cnsum energétic, até a implementaçã de uma estrutura de geraçã e distribuiçã de energia mais eficiente. Neste cntext, é fundamental papel da Engenharia Elétrica na frmaçã de prfissinais que pssam enfrentar eficientemente esta nva realidade, cm frmaçã multidisciplinar e perfil mais atualizad e cmpatível cm as nvas exigências d mercad. Além d camp riginalmente pertinente à Engenharia Elétrica, que envlve s sistemas eletreletrônics, utras áreas fram send agregadas à frmaçã d prfissinal tais cm: micreletrônica, telemática, autmaçã/cntrle e cmputaçã. O curs, prtant, frnece as bases cnceituais e s fundaments destas áreas devidamente articulads, preparand um prfissinal para atuar em diverss segments dentr da Engenharia Elétrica. Sã diferenciais d curs de Engenharia Elétrica: Frmaçã básica plena, atendend a uma tendência generalista d mercad prfissinal, ampliand a empregabilidade d egress; Abslut alinhament às rientações previstas nas diretrizes curriculares d MEC e às nvas atribuições prfissinais dadas pela Resluçã CONFEA n 1.010, de agst de 2005; Pssibilidade de cursar um semestre em na Universidad Eurpea de Madri; Matriz curricular fcand cmpetências e habilidades em áreas que permeiam a frmaçã de um prfissinal cm frmaçã ética e scial; Envlviment em atividades práticas desde iníci d curs em labratóris específics; Parcerias cm empresas para pesquisa e desenvlviment aplicad, viabilizand prjets de iniciaçã científica, trabalhs de cnclusã de curs, estágis, treinament, curss e primeir empreg. Aplicaçã da mderna engenharia, cm prjets e cntexts reais, cm Prjet ERBATRONIC, veícul elétric de alt desempenh premiad na Maratna de Eficiência Energética 2007, event de enrme prestígi e visibilidade nas diversas áreas de Engenharia. 3

4 BAARELADO EM OBJETIVOS DO CURSO GERAIS Demnstrar cnheciment e entendiment ds principais fats, cnceits, princípis e terias relacinadas à sua área de frmaçã, e utras crrelatas, n prcess de sluçã de prblemas n âmbit de sua atuaçã prfissinal; Dminar e aplicar as terias, práticas e ferramentas na especificaçã, elabraçã, implementaçã e avaliaçã de tecnlgias e prjets; Pssuir pensament e atitude invadra e criativa nas suas atividades prfissinais e na sua vida pessal; Ser capaz de criar nvas tecnlgias e avançs científics, prpiciand melhrias para as empresas, sciedade e mei ambiente; Atuar respeitand s princípis étics da prfissã e atent às necessidades da sciedade, visand à sustentabilidade tend cm referência a Ética Mair; Cperar u liderar uma equipe de trabalh numa pstura multidisciplinar, cmunicand-se de frma eficaz e buscand permanente aprimrament prfissinal; Aprimrar racicíni matemátic, lógic e abstrat; Analisar e selecinar as ferramentas, tecnlgias, técnicas e métds mais adequads para a sluçã de prblemas e elabraçã de prjets; Elabrar e cnduzir as etapas de um prjet de pesquisa e desenvlviment, identificand fntes e infrmações relevantes à área de estud e atuaçã. ESPECÍFICOS Saber identificar as tecnlgias atuais e futuras, send capaz de cntribuir à invaçã dentr da área de Engenharia Elétrica; Saber aplicar s cnceits matemátics, físics, tecnlógics e instrumentais nas várias subáreas da Engenharia Elétrica na sluçã de prblemas na prática prfissinal assim cm a identificaçã de eficiência e cmplexidade destas sluções; Utilizar cnheciment adquirid na especificaçã, prjet, integraçã e peraçã de sistemas de cmunicaçã, autmaçã e cntrle de prcesss, além de geraçã e distribuiçã de energia, de tal frma que ist demnstre a cmpreensã da relaçã cust/benefíci envlvend as decisões de prjet; Ser capaz de supervisinar e crdenar equipes de implantaçã, peraçã e manutençã de equipaments eletreletrônics; Ter capacidade técnica para fiscalizar e auditar equipaments, sistemas u serviçs envlvend a Engenharia Elétrica; Ser capaz de elabrar prpstas técnic-cmerciais e avaliar sua viabilidade em prjets de Engenharia Elétrica; Pder atuar cm gestr técnic-administrativ em empresas da área eletreletrônica; Pder prestar suprte, assessria e cnsultria em empresas e instituições de ensin; Ser capaz de bservar as nvas tecnlgias que permitem us mais cnsciente ds recurss naturais e energétics. 4

5 PÚBLICO-ALVO Estã apts a ingressar n curs s estudantes que pssuam ensin médi cmplet (segund grau) e que tenham aptidã para desenvlver algumas das cmpetências abaix relacinadas: Cnhecer as tecnlgias atuais, send capaz de cntribuir cm a invaçã tecnlógica. Aplicar s cnceits matemátics, físics, tecnlógics e instrumentais nas várias subáreas da Engenharia Elétrica na sluçã de prblemas na prática prfissinal assim cm na identificaçã de eficiência e cmplexidade destas sluções. Cnceber equipaments eletreletrônics analógics e digitais para aplicações vltadas nas áreas de entreteniment, cmunicaçã, cntrle de prcesss e geraçã, transmissã, distribuiçã e utilizaçã de energia elétrica e de prteçã cntra descargas atmsféricas e de aterrament. Especificar, prjetar, integrar, implantar e perar sistemas de cmunicaçã para estruturaçã das redes de transmissã de sinais de vz, imagens e dads. Estudar, prjetar e especificar materiais, cmpnentes, dispsitivs e equipaments elétrics, eletrmecânics, magnétics, de ptência, de instrumentaçã, de aquisiçã de dads e de máquinas elétricas. Prjetar e implantar sistemas de cntrle e autmaçã de prcesss de fabricaçã e gerenciament de infrmações. Especificar, desenvlver e implantar sistemas de distribuiçã e cntrle de energia elétrica. Identificar e analisar as rápidas mudanças ecnômicas e sciais, em escala glbal e nacinal, que influenciam n ambiente empresarial. Identificar a respnsabilidade scial da prfissã, mantend s cmprmisss étics estabelecids. Assimilar criticamente cnceits que permitam a cmpreensã das práticas e terias referentes à Engenharia Elétrica. 5

6 BAARELADO EM MATRIZ CURRICULAR (GRADE 2014) Atividades de Engenharia Ciências Ambientais Cmunicaçã e Expressã Desenh Técnic Fundaments de Física Infrmática Aplicada Matemática Cálcul Diferencial Expressã Gráfica de Prjets Física Geral Metdlgia: Ciência e Nrmas Técnicas Sistemas Digitais Antrplgia e Cultura Brasileira Cálcul Integral Física Aplicada à Engenharia Gestã da Qualidade Química Aplicada à Engenharia Tópics Avançads em Sistemas Digitais Álgebra Linear e Vetres Fundaments de Circuits Elétrics Mecânica Geral Métds Numérics Prjet Integrad I Prpriedades ds Materiais Cálcul Aplicad à Engenharia Elétrica Circuits Elétrics de Crrente Alternada Desenvlviment Human e Scial 5 Fenômens de Transprte Prbabilidade e Estatística Empreendedrism e Sustentabilidade Fundaments de Eletrmagnetism Prjet Integrad II Resistência ds Materiais Tópics Avançads em Circuits Elétrics 0 Circuits Eletrônics Eletrmagnetism Aplicad Fundaments de Cnversã de Energia Princípis de Cmunicaçã 320 Cnversã de Energia Aplicada Eletrônica Aplicada Prpagaçã Eletrmagnética Sistemas de Cmunicaçã 320 Eletrônica de Ptência Fundaments de Servmecanisms Optativa I Prcessament Digital de Sinais Prjet Integrad de Curs I 0 Autmaçã Industrial Eletrtécnica Optativa II Prjet Integrad de Curs II Redes Digitais Sistemas de Áudi e Víde 4 Atividades Cmplementares 2 Estági Supervisinad 160 CARGA HORÁRIA TOTAL: 4.2 6

7 S 1 SEMESTRE ATIVIDADES DE ENGENHARIA h Discute papel scial ds engenheirs na sciedade brasileira e a regulamentaçã prfissinal. Discute respnsabilidades e atribuições ds engenheirs pautada na visã d mercad de trabalh e nvs camps de atuaçã. Abrda a Engenharia e as técnicas de criaçã e invaçã, além de tópics e cass especiais das grandes áreas da engenharia nacinal. CIÊNCIAS AMBIENTAIS h Estuda a bisfera e seu equilíbri, analisand s efeits das ações antrópicas sbre equilíbri eclógic, verificand cm é pssível prspectar desenvlviment tecnlógic cm base na sustentabilidade ds recurss naturais e d mei ambiente. Discute tecnlgias aplicadas às prduções industriais e às cnstruções civis e abrda s prblemas ambientais decrrentes da cupaçã urbana. COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO h A disciplina abrda aspects relacinads à rganizaçã de texts prduzids em diferentes linguagens. Frnece subsídis teórics e prátics para a prduçã de texts cerentes, cmpreensã da intertextualidade, tips de text e gêners de discurs, relacinand-s a seus cntexts de prduçã e recepçã. DESENHO TÉCNICO h Explra a leitura, cmpreensã e execuçã de desenhs técnics e de engenharia, elements imprtantes para a visualizaçã espacial. Oferece cnheciments prátics sbre métd de cncepçã e as nrmas que regem a elabraçã, em escala, de desenhs técnics. Intrduz ferramentas básicas para elabraçã de desenhs de prjets de Engenharia. FUNDAMENTOS DE FÍSICA h Nesta disciplina sã explradas e retmadas as bases da Física newtniana clássica, essenciais para aprimrand d pensar físic, tant teóric, abstrat cm aplicad. Os cnceits e a mdelagem matemática ds sistemas físics sã cnstruíds sbre aplicações nas mais diversas áreas da Engenharia e das tecnlgias, prprcinand uma bservaçã assertiva da natureza. INFORMÁTICA APLICADA h Abrda us analític-estratégic das planilhas eletrônicas tratand, sbretud, ds aspects cnceituais que envlvem us de tais aplicativs. A disciplina inicia cm uma intrduçã à história da cmputaçã, evluçã das planilhas eletrônicas e sua utilidade. Na sequência sã apresentads s recurss deste tip de sftware: representaçã de infrmações, fórmulas, funções, gráfics e ferramentas de análise de dads, aplicads à sluçã de prblemas. MATEMÁTICA h Nesta disciplina, sã trabalhads cnceits fundamentais da matemática e da lógica matemática, frtalecend cnheciment prévi d estudante, aprimrand pensar lógic-abstrat e levand- à reflexã sbre a cnceituaçã, frmulaçã e aplicaçã d ferramental desenvlvid. O ferramental adquirid cnstituirá a base para a cnstruçã de nvs cnceits tant em engenharia quant em tecnlgia. S 2 SEMESTRE CÁLCULO DIFERENCIAL h Nesta disciplina sã intrduzids nvs cnceits e frmalisms matemátics essenciais a desenvlviment d pensament analític-abstrat, além da manipulaçã e aplicaçã de limites e derivadas na cmpreensã detalhada de fenômens recrrentes ns sistemas físics, químics, cmputacinais e das engenharias. A explraçã dessa abrdagem da matemática é fundamental na frmaçã d estudante. 7

8 BAARELADO EM EXPRESSÃO GRÁFICA DE PROJETOS h Sã abrdads cmands e recurss de sftwares específics de desenh técnic. Sã realizadas interpretações de prjets de engenharia pr cmputadr e incentivad us de sftware para elabraçã de prjets gráfics cnstituíds pr vistas (plantas), crtes (seções) e detalhes de cnstruções de peças, redes de circuits elétrics, prjets hidráulics, bras e layuts, cm recurss de impressã. FÍSICA GERAL h Discute cnceits fundamentais para cmpreensã ds fenômens que cmpõem a Mecânica ds Fluids e ds fenômens relacinads à Óptica Gemétrica, cm abrdagem teórica e ensais em labratóri. O detalhament desses cnceits e a resluçã de prblemas representam a base necessária para aprendizad de disciplinas aplicadas ns diverss rams da Engenharia. METODOLOGIA: CIÊNCIA E NORMAS TÉCNICAS h A disciplina enfca a imprtância e relevância d cnheciment científic e de sua prduçã; intrduz s métds e as técnicas de pesquisa, abrangend s aspects peracinais para a elabraçã de trabalhs científics cujas práticas sã exigidas em nível universitári. SISTEMAS DIGITAIS h Enfca princípis da álgebra bleana, suas prpriedades e teremas, intrduz técnicas para cnstruçã de prtas lógicas, que sã s blcs funcinais básics ds circuits lógics digitais. Apresenta ferramentas para a síntese e análise de circuits elementares, metdlgias de prjet rientadas à cmbinaçã desses móduls e, prtant, a implementaçã de sistemas digitais de mair cmplexidade. S 3 SEMESTRE ANTROPOLOGIA E CULTURA BRASILEIRA h A disciplina intrduz, desdbra e aprfunda s cnceits que cmpõem as áreas específicas das ciências sciais, enfatizand a antrplgia scial. Discute as sciedades cntemprâneas, em especial, suas relações sciais, plíticas, ecnômicas e culturais. Abrda a diversidade cultural brasileira, suas manifestações e prduçã material. CÁLCULO INTEGRAL h Abrda s cnceits fundamentais de cálcul integral para a sluçã e interpretaçã de prblemas envlvend variáveis na sluçã de prblemas de engenharia. Os cnceits sã aplicads em situações reais que crrem na elabraçã de sftwares, de prjets e na prduçã industrial, seja da cnstruçã civil, mecânica u elétrica. FÍSICA APLICADA À ENGENHARIA h Trata cnceits e fundaments de temperatura, teria cinética ds gases ideais, termdinâmica, eletrstática, eletricidade e eletrmagnetism, apiads em ensais labratriais. Cnstituem cnceits imprtantes e prévis na cmpreensã ds fenômens discutids em disciplinas aplicadas, tais cm geraçã de energia elétrica, elabraçã de estruturas mecânicas e civis. GESTÃO DA QUALIDADE h Aplica cnceits de prdutividade e qualidade para a melhria ds prcesss de manufatura e serviçs a partir da mdelagem d sistema de negóci em sistemas administrativs e prduçã. Aplica ferramentas da qualidade baseads n cicl PDCA cm bjetiv de alcançar ganhs de prdutividade e cmpetitividade para sistema de negóci. QUÍMICA APLICADA À ENGENHARIA h Abrda cnceits fundamentais da química geral aplicads as mecanisms de transfrmações e perações envlvidas na demanda de prduçã de bens e serviçs. Discute cnceits básics de fenômens relacinads a mei ambiente: pluiçã, tratament de pluentes, limites permissíveis; e as materiais empregads nas engenharias: patlgias, durabilidade, especificações e prduçã de nvs materiais. 8

9 TÓPICOS AVANÇADOS EM SISTEMAS DIGITAIS h Frnece s cnceits básics de sistemas cm micrcntrladres envlvend estud da arquitetura, prjet físic e a prgramaçã em linguagem de mntagem para teste d sistema. Apresenta s cnceits básics de micrprcessadres, arquitetura básica, linguagem Assembly 51, periférics básics, além de aplicações cm s micrcntrladres 51 e PIC. S 4 SEMESTRE ÁLGEBRA LINEARES E VETORES h Esta disciplina abrda s cnceits elementares de sistemas de equações lineares e suas técnicas de sluçã, intrduzind ainda ideias fundamentais de vetres, espaç vetrial, pnt, reta e plan, suas relações, prpriedades e perações matemáticas para auxiliar na resluçã de prblemas. FUNDAMENTOS DE CIRCUITOS ELÉTRICOS h Intrduz s fundaments e a mdelagem matemática para a análise de circuits elétrics RR, RL, RC e RLC de crrente cntínua ns regimes transitóri e permanente. Sã estudadas e aplicadas as leis de Kirchhff para crrentes e tensões (nós e malhas) para s circuits série e paralel. Também sã abrdads s teremas de Thevenin, Nrtn e de superpsiçã. MECÂNICA GERAL h Trata ds cnceits teórics e fundamentais de centr de gravidade, mment de inércia, equilíbri estátic e mviment rígid plan. Tais cnceits cnstituem subsídis para análise e interpretaçã d equilíbri estátic de estruturas, equipaments e sistemas diverss. MÉTODOS NUMÉRICOS h A disciplina trata ds mdels matemátics cuja finalidade é reslver prblemas reais sejam eles físics, químics u ecnômics, dentre utrs. A mdelagem é realizada utilizand cmputadr cm uma ferramenta de engenharia, pssibilitand a futur engenheir slucinar prblemas, em sua área, de frma prática e lógica. PROJETO INTEGRADO I h Primeir prjet desenvlvid a lng d semestre letiv, empregand s cnceits já adquirids n curs, cm frma de sistematizaçã e ampliaçã d cnheciment, para a análise e prpsiçã de sluções tecnlógicas de prblemas reais. PROPRIEDADES DOS MATERIAIS h Abrda cnceits teórics de diverss materiais (aç, cncret, madeira, cerâmica, rcha etc.) relacinads às prpriedades tecnlógicas específicas, us na cnstruçã civil e na indústria, em prcesss de beneficiament industrial, bem cm s impacts a mei ambiente. Abrda, ainda, s ensais para caracterizaçã tecnlógica ds materiais. S 5 SEMESTRE CÁLCULO APLICADO À h Revisa cnceits de Cálcul Diferencial e Integral e aplica Cálcul de Várias Variáveis. Fundamenta as Transfrmadas de Laplace e s peradres diferenciais. Aplica s peradres diferenciais e as Equações de Maxwell. Estuda as séries numéricas aplicadas à Engenharia Elétrica, sistemas lineares, interplaçã plinmial e integraçã numérica. 9

10 BAARELADO EM CIRCUITOS ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA h A disciplina abrda s cnceits e a mdelagem matemática para análise de circuits elétrics RR, RL, RC e RLC de crrente alternada ns regimes transitóri e permanente. Pr mei da análise fasrial, sã estudadas e aplicadas as leis de Kirchhff (nós e malhas) para circuits série e paralel. Também sã analisads cmprtament e s parâmetrs ds circuits em respsta livre e à excitaçã. DESENVOLVIMENTO HUMANO E SOCIAL h Explra de que maneira se desenvlve psiquism a partir da inserçã d indivídu n ambiente psicsscial, identificand as manifestações d incnsciente n cmprtament d sujeit. Abrda fenômen da percepçã e sua relaçã cm desenvlviment de aptidões mentais. Dedica-se também à psiclgia rganizacinal e a impact da cmunicaçã, mtivaçã e liderança nas relações de trabalh. FENÔMENOS DE TRANSPORTE h Abrda s fundaments ds fenômens de transprte de calr, de massa e de quantidade de mviment, essenciais em prcesss de engenharia. Enfque é dad as tópics básics da mecânica ds fluids, apiads na realizaçã de experiments prátics cm a identificaçã de fenômens físics que crrem a lng d prcess. PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA h Sã estudads s cnceits básics de prbabilidade e estatística, pr mei de prcesss matemátics pertinentes a entendiment de fenômens estudads e, sbretud, pela cnstruçã e cmpreensã das ptencialidades e limites d desenvlviment analític da bservaçã da natureza, que gera cnclusões relevantes e agrega nvs saberes sbre bjet de um estud u experiment. S 6 SEMESTRE EMPREENDEDORISMO E SUSTENTABILIDADE h Abrda empreendedrism e papel d empreendedr, suas habilidades e características. Sã abrdads s aspects estratégics, gerenciais e peracinais que subsidiam a elabraçã d plan de negócis necessári à viabilidade de um empreendiment. Destaque é dad a desenvlviment sustentável, empreendedrism étic e cnsum respnsável. FUNDAMENTOS DE ELETROMAGNETISMO h Trata ds cnceits teórics fundamentais sbre camps eletrmagnétics estátics, imprtantes para a cmpreensã d camp elétric de uma distribuiçã cntínua de carga, d ptencial elétric, da lei de Gauss da eletrstática, das equações de Laplace e da densidade de energia em camps eletrstátics. PROJETO INTEGRADO II h Segund prjet desenvlvid a lng d semestre letiv, empregand s cnceits já adquirids n curs, cm frma de sistematizaçã e ampliaçã d cnheciment, para a análise e prpsiçã de sluções tecnlógicas de prblemas reais. RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS h A disciplina trata das prpriedades mecânicas ds materiais, d cálcul de vigas isstáticas cm a btençã ds esfrçs interns slicitantes, da determinaçã de tensões nrmais devid às ações axiais e de flexã simples e da determinaçã das tensões de cisalhament devid à açã da frça crtante, assunts que subsidiam prjets e análises d cmprtament de estruturas. TÓPICOS AVANÇADOS EM CIRCUITOS ELÉTRICOS h A disciplina intrduz cnceits de frequência cmplexa, funçã de transferência e análise de rede n dmíni "s". Utilizaçã da transfrmada de Laplace que pssibilita a resluçã das equações diferenciais características ds circuits elétrics analisads. Estuda s quadripls e ressnância cm aplicaçã em circuits de filtr e cm acplament magnétic. 10

11 S 7 SEMESTRE CIRCUITOS ELETRÔNICOS h Abrda a teria ds dispsitivs semicndutres que utilizam junçã PN (dids) e junçã PNP u NPN (transistres biplares TBJ). Estuda s circuits retificadres, sem filtr e cm filtr, em fntes reguláveis de tensã cntínua, amplificadres e utrs circuits transistrizads. Analisa s principais parâmetrs e avalia cmprtament ds circuits estudads. ELETROMAGNETISMO APLICADO h Trata da cntinuaçã ds cnceits teórics na área de eletrmagnetism, estudand s camps magnetstátics e s camps magnétics variantes n temp. É estudad flux magnétic, a densidade de flux magnétic, a lei de Bit-Savart, da Lei circuital de Ampere e das equações de Maxwell em circuits magnétics. FUNDAMENTOS DE CONVERSÃO DE ENERGIA h Trata ds cnceits teórics fundamentais sbre princípi de funcinament ds geradres e mtres elétrics elementares, relevantes para a cmpreensã de cnceits cm camp magnétic, lei de Faraday-Lenz, frça magnética, trque magnétic e ds circuits elétrics equivalentes ds geradres e mtres em crrente cntínua. PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÃO h Abrda a análise de sinais periódics e nã periódics cmumente presentes em sistemas de cmunicaçã, utilizand recurss matemátics cm a Série e a Transfrmada de Furier. Sã discutidas as técnicas matemáticas de mdulaçã e demdulaçã em amplitude (AM-DSB, AM-SSB, AM-SC), em fase (PM), em frequência (FM) e a mdulaçã digital pr pulss (PCM, PAM, PWM e PPM). S 8 SEMESTRE CONVERSÃO DE ENERGIA APLICADA h A disciplina trata ds cnceits teórics e fundamentais das principais máquinas de cnversã de energia elétrica. Analisa s princípis de funcinament e as aplicações ds transfrmadres, auttransfrmadres, alternadres síncrns, mtres síncrns, mtres assíncrns e mtres mnfásics. ELETRÔNICA APLICADA h A disciplina dá cntinuidade à teria ds dispsitivs semicndutres, transistres biplares (TBJ) e transistres de efeit de camp (FET), estudand respectiv funcinament e circuits básics. Analisa aplicações em fntes de tensã cntínua e amplificadres, além de estudar sua aplicaçã em circuits amplificadres e circuits de filtrs. PROPAGAÇÃO ELETROMAGNÉTICA h Trata ds cnceits teórics fundamentais sbre a prpagaçã ds sinais eletrmagnétics n espaç livre e em linhas de transmissã. Explica parâmetr impedância das linhas de transmissã, s cnceits de reflexã d sinal eletrmagnétic cm incidência nrmal e blíqua, a taxa de nda estacinária, a atenuaçã e a utilizaçã da Carta de Smith. SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO h A disciplina abrda s sistemas de cmunicaçã digitais e avalia s mecanisms de degradaçã de sinais. Sã intrduzids s cnceits relativs as ruíds na transmissã e analisa as características e s parâmetrs de desempenh de receptres. Sã analisadas e cmparadas as várias mdulações digitais, permitind avaliações quant a cmprtament espectral de cada uma. 11

12 BAARELADO EM S 9 SEMESTRE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA h Estuda as principais classes de cnversres estátics respnsáveis pela cnversã e adequaçã da energia elétrica para as aplicações em alta ptência em infraestruturas industriais. Apresenta dispsitivs cm cnversres CA-CC-retificadres; CA-CA-reguladres CA; CC-CC-fntes chaveadas e chppers; CC-CA-inversres, para aplicações ds dispsitivs semicndutres de ptência. FUNDAMENTOS DE SERVOMECANISMOS h A disciplina trata ds cnceits teórics na área de cntrle de sistemas lineares, relevantes para estud da funçã de transferência, da respsta transitória, da estabilidade, ds tips de cmpensaçã, d métd lugar das raízes e d métd da respsta em frequência em sistemas lineares de malha aberta e fechada. OPTATIVA I h É ferecid um rl de disciplinas as estudantes, incluind LIBRAS. PROCESSSAMENTO DIGITAL DE SINAIS h Abrda técnicas e circuits de cnversã A/D e D/A para a aquisiçã de sinais analógics e digitais. Apresenta s fundaments das técnicas de prcessament digital de sinais de temp discret, equações de diferenças e Sistema Linear Amstrad Invariante n Temp (LIT), Transfrmada Z e Transfrmada de Furier Discreta. Estuda cnceit e a aplicaçã da Cnvluçã e discute Filtragem Digital. PROJETO INTEGRADO DE CURSO I h Orienta e desenvlve, pr mei de um prjet prátic, a metdlgia básica de pesquisas científicas e tecnlógicas. Estabelece s prcediments indispensáveis para revisã crítica da literatura d tema da pesquisa, bem cm para cmpreensã d prcess de cnheciment, visand desenvlviment tecnlógic. S 10 SEMESTRE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL h Apresenta técnicas de autmaçã industrial, incluind s níveis de autmaçã e as hierarquias ds sistemas utilizads. Intrduz cnceits, aplicações e prgramaçã de Cntrladres Lógics Prgramáveis (CLP), estrutura e cmands de Cntrle Numéric Cmputadrizad (CNC) e apresenta s principais elements estruturais de rbótica. ELETROTÉCNICA h Abrda teria e prática para a elabraçã de prjets e implantaçã de instalações elétricas prediais e industriais (NBR 5410). Estuda simblgia e materiais elétrics, prjet elétric de dimensinament de cndutres, eletrduts, dispsitivs de prteçã, prumadas e iluminaçã, bem cm dimensinament de alimentaçã e prteçã de mtres elétrics, crreçã de fatr de ptência e subestaçã. OPTATIVA II h É ferecid um rl de disciplinas as estudantes, incluind LIBRAS. PROJETO INTEGRADO DE CURSO II h Cnsiste na aplicaçã ds fundaments cnceituais adquirids n curs em um prjet cuj tema é definid a partir de prblemas reais existentes, nas áreas de Engenharia, Infrmática e Tecnlgias. O prjet é cmpst pela estruturaçã metdlógica da pesquisa de um cas real, suas etapas de cnstruçã, métds e técnicas de pesquisa quantitativa e qualitativa e relatóri final de pesquisa. 12

13 REDES DIGITAIS h A disciplina estuda a estrutura integrada das atuais redes digitais de cmunicaçã de dads e suas funcinalidades. Sã avaliadas as arquiteturas das redes de telefnia fixa e móvel, além das redes de pactes d padrã TCP/IP. Sã estudads s elements das redes ópticas, redes de acess e da cmunicaçã pr satélites, além d sistema de transmissã de TV digital. SISTEMAS DE ÁUDIO E VÍDEO h Sã estudads s principais prcesss de cmpactaçã de áudi digital e suas aplicações. É avaliad tratament de cres em sistemas de víde analógic ns sistemas de televisã NTSC e PAL. Sã intrduzids s cnceits de prcessament digital de imagens. Os prcesss de cmpressã e digitalizaçã d sinal de víde sã estudads e as técnicas utilizadas na transmissã de TV digital. SISTEMA DE AVALIAÇÃO A Universidade Anhembi Mrumbi desenvlve a avaliaçã de aprendizagem em duas etapas: N1 e N2. A N1 cnsiste em uma série de atividades desenvlvidas a lng d semestre que permitem avaliar estudante cntinuamente. A N2 cnsiste em uma prva presencial individual. A nta final d estudante (NF) é btida a partir da média entre N1 e N2. É cnsiderad aprvad estudante que atingir média igual u superir a 6,0 (seis). Ns curss e disciplinas na mdalidade a distância, a N2 crrespnde a 60% da nta final. O estudante tem direit a realizar prva de segunda chamada n cas de ter perdid a prtunidade de cumprir a prva na data estipulada, u para fins de melhria de nta. Se, eventualmente, fr reprvad estudante deverá cumprir nvamente a disciplina em regime de dependência. FREQUÊNCIA A avaliaçã d desempenh esclar, além d aprveitament, abrange também aspects de frequência. A Universidade adta cm critéri para aprvaçã a frequência mínima de 75% da carga hrária ttal da disciplina. O estudante que ultrapassar esse limite está autmaticamente reprvad na disciplina. Nas disciplinas e curss a distância, a frequência é apurada a partir da cmpletude das atividades prpstas n ambiente de aprendizagem e seguem mesm critéri para aprvaçã. 13

14 BAARELADO EM DIREÇÃO / COORDENAÇÃO DIREÇÃO DA ESCOLA DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA Prf. Dr. Fabian d Prad Marques Bacharel em Ciência da Cmputaçã pela Universidade de Sã Paul (1997), mestre em Ciência da Cmputaçã e Matemática Cmputacinal pela Universidade de Sã Paul (2000) e dutr em Ciência da Cmputaçã e Matemática Cmputacinal pela Universidade de Sã Paul (2004). Além de diretr, atua também cm dcente. Tem experiência em crdenaçã de curss de Graduaçã e de Pós-graduaçã, gestã e avaliaçã acadêmica. Tem experiência na área de Ciência da Cmputaçã, cm ênfase em Otimizaçã Cmbinatória, atuand principalmente ns seguintes temas: prblemas de crte em bbinas de aç, prblema da mchila, timizaçã inteira e prblema de crte e empactament. COORDENAÇÃO DO CURSO BAARELADO EM Prf. Dr. August Mendes Gmes Júnir Bacharel em Ciência da Cmputaçã pela Universidade Estadual de Maringá (2002), n estad d Paraná. Mestre (2005) em Engenharia Elétrica cm ênfase em Cmputaçã e Dutr (2011) em Ciências pela Escla Plitécnica da Universidade de Sã Paul. Desenvlve pesquisas nas áreas de Prcessament de Alt Desempenh, Sistemas Distribuíds, Otimizaçã, Cmpiladres e Prgramaçã, fazend parte d grup de pesquisa d Labratóri de Cmputaçã de Alt Desempenh da Escla Plitécnica da USP. É dcente e crdenadr d curs de Elétrica, além de dcente e crdenadr d curs de Sistemas de Infrmaçã e dcente ns curss Ciência da Cmputaçã e Engenharia de Cmputaçã da Universidade Anhembi Mrumbi. COORDENAÇÃO ADJUNTA DO CURSO BAARELADO EM Prf. Ms. Albert Antôni de Suza Cm graduaçã (1986) e mestrad (1993) em Engenharia Elétrica pela Escla Plitécnica da Universidade de Sã Paul (USP). Atuand há 16 ans cm dcente, tem ministrad principalmente as disciplinas Arquitetura de Cmputadres e Sistemas Digitais ns curss de Ciência da Cmputaçã, Engenharia da Cmputaçã, Engenharia Elétrica e Sistemas de Infrmaçã. Paralelamente à atividade dcente, atua há 22 ans na área de Tecnlgia da Infrmaçã da Universidade Estadual Paulista - UNESP, tend sid seu diretr n períd entre 2006 e Atualmente, respnde pel Grup de Planejament Estratégic em TI da UNESP. O crdenadr adjunt é cntratad em regime de temp parcial, cm dedicaçã de 32 hras semanais distribuídas entre atividades de crdenaçã e ensin. Destas, 20 hras sã dedicadas à crdenaçã d curs e 12 hras dedicadas a atividades de ensin em sala de aula. ANHEMBI MORUMBI PARA VOCÊ Vcê, estudante, é parte integrante da cmunidade acadêmica da Anhembi Mrumbi e pde desfrutar de tda infraestrutura que a Universidade ferece. Sã seis câmpus cm instalações mdernas, labratóris de última geraçã, biblitecas cm acerv abundante, além de academias de ginástica. CÂMPUS Centr Rua Dr. Almeida Lima, Mca Paulista 1 Av. Paulista, Bela Vista Paulista 2 Rua Treze de Mai, Bela Vista Mrumbi Av. Rque Petrni Jr., 630 Mrumbi Vale d Anhangabaú Rua Líber Badaró, 487 Centr Vila Olímpia Rua Casa d Atr, 275 Vila Olímpia 14

15 Mai / 2014

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM EVENTOS

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM EVENTOS GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil,

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE PRODUÇÃO EDITORIAL COM ÊNFASE EM MULTIMEIOS

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE PRODUÇÃO EDITORIAL COM ÊNFASE EM MULTIMEIOS UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BAARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BAARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE PSICOLOGIA

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE PSICOLOGIA UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA BAARELADO EM BAARELADO EM UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BAARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BAARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE FISIOTERAPIA

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE FISIOTERAPIA UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO BAARELADO EM BAARELADO EM UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional Códig / Nme d Curs Status Códig - Área Subárea Especialida Dads Gerais 196 / Escla Gestres- Curs Especializaçã em Gestã Esclar Ativ 49 / Educaçã Gestã Educacinal Gestã Esclar Nivel d Curs Especializaçã

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA MECÂNICA: ENERGIAS RENOVÁVEIS E TECNOLOGIA NÃO POLUENTE

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA MECÂNICA: ENERGIAS RENOVÁVEIS E TECNOLOGIA NÃO POLUENTE GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BAARELADO EM GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BAARELADO EM UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BAARELADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO GUIA RÁPIDO DO CURSO DE BAARELADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM EVENTOS EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM EVENTOS EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil,

Leia mais

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s)

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s) Prpsta Prjet: Data 25/05/2005 Respnsável Autr (s) Dc ID Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes Lcalizaçã Versã d Template

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL Carga Hrária: 16 hras/atividade Hrári: 8h30 às 18h (cm interval para almç) Brasília, 26 e 27 de nvembr de 2015

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Informática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróleo e Gás

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Informática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróleo e Gás PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Infrmática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróle e Gás Objetiv: Elabrar e desenvlver um prjet na área prfissinal,

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA EAD TECNOLOGIA EM HOTELARIA EAD TECNOLOGIA EM HOTELARIA EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer

Leia mais

SUMÁRIO. A Stavale & CCT oferece treinamentos abertos e in company.

SUMÁRIO. A Stavale & CCT oferece treinamentos abertos e in company. A Stavale & CCT ferece treinaments aberts e in cmpany. Clabradres mais qualificads e empresa mais lucrativa. Sluções mais rápidas e efetivas. Treinaments custmizads para sua empresa. Dispms de sala cm

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 01/09/2014 a 07/10/2014 Carg: Analista Financeir Cntábil Taxa de Inscriçã: R$ 75,00 Salári/Remuneraçã: R$ 7.491,32 Nº Vagas: 01 Data da Prva: 30/11/2014

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médi PLANO DE ENSINO 2009 Médi Prfissinalizante ( ) Prfissinalizante ( ) Graduaçã ( x ) Pós-graduaçã ( ) I. Dads Identificadres Curs Superir de Tecnlgia em Gestã Ambiental

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS Questã n 1 Cnheciments Específics O text dissertativ deve cmtemplar e desenvlver s aspects apresentads abaix. O papel d PPA é de instrument de planejament de médi/lng praz que visa à cntinuidade ds bjetivs

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (X) PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE EXTENSÃO Acadêmic ; Scial PROJETO DE INTERDISCIPLINARIDADE

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Missã d Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA QUALIDADE EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA QUALIDADE EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

CAPÍTULO IV. Valores, Crenças, Missão, Visão.e Política da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira

CAPÍTULO IV. Valores, Crenças, Missão, Visão.e Política da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira CAPÍTULO IV Valres, Crenças, Missã, Visã.e Plítica da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira Há alguns ans, quand tínhams ótims atletas, perdíams a Cpa d Mund de futebl, as Olimpíadas, errand em cisas básicas.

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

Status: Ativo. Natureza: Aberto. Revisado por: GCMIG. Título: Proposta de critérios e procedimentos para seleção de chefias do INPE

Status: Ativo. Natureza: Aberto. Revisado por: GCMIG. Título: Proposta de critérios e procedimentos para seleção de chefias do INPE Referência: CPA-077-2008 Versã: 1.0 Status: Ativ Data: 09/julh/2008 Natureza: Abert Númer de páginas: 13 Origem: GCMIG e GEOPI Revisad pr: GCMIG Aprvad pr: GCMIG Títul: Prpsta de critéris e prcediments

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital Banc Industrial d Brasil S.A. Gerenciament de Capital 2014 1 Sumári 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 4 4. PLANO DE CAPITAL... 5 5. RESPONSABILIDADES... 6

Leia mais

Universidade Luterana do Brasil Faculdade de Informática. Disciplina de Engenharia de Software Professor Luís Fernando Garcia www.garcia.pro.

Universidade Luterana do Brasil Faculdade de Informática. Disciplina de Engenharia de Software Professor Luís Fernando Garcia www.garcia.pro. Universidade Luterana d Brasil Faculdade de Infrmática Disciplina de Engenharia de Sftware Prfessr Luís Fernand Garcia www.garcia.pr.br EVOLUÇÃO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE 10 Sistemas Legads O investiment

Leia mais

Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 -

Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 - T e c n l g i a Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 - Os melhres e mais mderns MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensin tecnlógic de qualidade. Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 -

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AURÉLIA DE SOUSA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prva Escrita e Prva Oral de Inglês 11.º An de esclaridade DECRETO-LEI n.º 139/2012, de 5 de julh Prva (n.º367) 1.ªe 2.ª Fase 6

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE CINEMA E AUDIOVISUAL

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE CINEMA E AUDIOVISUAL UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

GUIA RÁPIDO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI A Universidade Anhembi Morumbi foi criada em 1970 com o intuito de oferecer o primeiro curso superior de Turismo. Na década de 80, amplia sua oferta de cursos em diferentes

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO 4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS

3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO 4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS An 2-B Frmulári de preenchiment brigatóri,

Leia mais

Competências Comportamentais para profissionais de TI/TIC

Competências Comportamentais para profissionais de TI/TIC Cmpetências Cmprtamentais para prfissinais de TI/TIC Eduard Rcha Diretr da DSG Cnsultria Cmpetências Cmprtamentais para prfissinais de TI/TIC 8 hras carga hrária A quem se Destina Especialistas da área

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil,

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil,

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA (Licenciatura)

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA (Licenciatura) GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA (Licenciatura) GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA (Licenciatura) UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs

Leia mais

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. ATUALIZA DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO ALFABETIZAÇÃO PARA ESTUDANTES DAS TURMAS DO 2º, 3º e 4º ANOS E 4ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL, COM DOIS ANOS

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PUBLICIDADE E PROPAGANDA PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta

Leia mais

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre:

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre: Circular / (CA) nº 18 / 2015 Unaí-(MG), 03 de agst de 2015. ASSUNTO: Faculdade CNEC Unaí Prcediments necessáris para iníci d 2º Semestre de 2015. Prezads (as) Prfessres (as), Apresentams abaix, s prcediments

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 23/11/2014 a 18/12/2014 Carg: Técnic de Nível Superir: Ciências Cntábeis Taxa de Inscriçã: R$ 60,00 Salári/Remuneraçã: R$ 4.232,00 Nº Vagas: 01

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM AVIAÇÃO CIVIL

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM AVIAÇÃO CIVIL UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

Escla Superir Agrária de Cimbra Prcessament Geral de Aliments LEAL 2009/2010 Aqueciment Óhmic Brenda Mel, nº 20803030 Inês Ricard, nº 20090157 Nádia Faria, nº 20803060 O que é? Prcess nde a crrente eléctrica

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO 1 INTRODUÇÃO A crescente cmplexidade ds prjets, a quantidade de infrmaçã que lhes está assciada e aument d númer de intervenientes n prcess cnstrutiv, transfrmaram a indústria da cnstruçã numa indústria

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e vocabulário

Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e vocabulário ASSCIAÇÃ BRASILIRA NRMAS TÉCNICAS NFIRMAÇÃ D NRMA BRASILIRA ABNT NBR IS 9000:2005 Sistemas de gestã da qualidade Fundaments e vcabulári A ABNT, cnsiderand que a Nrma Internacinal (IS 9000:2005) fi cnfirmada

Leia mais

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2015.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2015.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12

Leia mais

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 A Diretria d SEBRAE/RS trna públic presente edital e cnvida Artesãs representads pr Assciações e/u Cperativas de Artesanat d Ri Grande d Sul a inscreverem-se

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 27/10/2014 a 21/11/2014 Carg: Auxiliar de Sala: Educaçã Infantil Taxa de Inscriçã: R$ 48,00 Salári/Remuneraçã: R$ 1.146,27 Nº Vagas: Cadastr de

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS Julh 2007 INTRODUÇÃO As amplas, prfundas e rápidas transfrmações pr que passa a nssa sciedade prvcaram, frçsamente,

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

Para você que procura o máximo em atendimento!

Para você que procura o máximo em atendimento! Para vcê que prcura máxim em atendiment! Sftware de Gestã Cnsultria em T.I. Manutençã de Equipaments Redes Hspedagem de Sistemas Web Design Distribuidra de Infrmática Nssa Empresa Para vcê que prcura máxim

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE LETRAS EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE LETRAS EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO DE LETRAS EAD GUIA RÁPIDO DO CURSO DE LETRAS EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12

Leia mais