GRADE CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE PINTURA DE CAVALETE 2016

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GRADE CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE PINTURA DE CAVALETE 2016"

Transcrição

1 GRADE CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE PINTURA DE CAVALETE 2016 Módul l CIENCIAS EMPRESARIAIS ORGANIZAÇÃO APRESENTAÇÃO PESSOAL - DOCUMENTAÇÃO 05 de Març Sábad Das 9 às 17h Apresentaçã d curs Sbre lcal de trabalh: Organizaçã, higienizaçã, iluminaçã, ventilaçã, materiais de us individual Sbre cnservadr/restauradr: Prteçã e segurança primária Apresentaçã pessal d cnservadr/restauradr Manusei de quadrs Sbre dcumentaçã de uma bra Ficha Técnica (cm preencher crretamente) Cnfecçã de ficha técnica de um quadr - bservaçã de dans 06 de Març Dming Das 9 às 17h Imprtância da dcumentaçã: Pesquisa, registrs técnics e relatóris usads na cnservaçã e restaur Ficha Técnica Sbre relatóris intercalads na restauraçã de uma bra de arte Ficha de Diagnstic Ficha Orçamentaria Ficha de autrizaçã de restaur e recib Ficha de retirada e entrega da bra - entrada e saída d ateliê Ficha de garantia pr trabalh executad Relatóri intercalad em trabalh executad Organizaçã em ateliê u labratóri de restaur: Registrs de bras restauradas Armazenament de dcuments Trabalh em equipe sbre Terias e Tratads aplicads a restaur.

2 Módul ll DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA 02 de Abril Sábad Das 9 às 17h Sbre ficha técnica (dúvidas) Prcesss de xidaçã e envelheciment de materiais. Mapeament de dans Divisã fracinária Exame Organléptic de diagnóstic: Prcesss de deteriraçã mecânics, físics e químics da camada pictórica: Manchas/ Sujidades Ataque de fungs Perdas pictóricas Sbre craquelament Causas d craquelament Faceament 03 de Abril Dming Das 9 às 17h Apresentaçã de trabalh em grup sbre Terias e Tratads aplicads a restaur Us de câmera digital Recurss da ftgrafia em auxíli a cnservadr/restauradr Ftgrafia direcinada a restaur, mapeament de dans Registr Ftgráfic Dcumental Relatóri ftgráfic de dans Trabalh em equipe - Pesquisa sbre terms técnics usads na cnservaçã e restaur Módul lll QUÍMICA APLICADA AO RESTAURO PROTEÇÃO E SEGURANÇA DO CONSERVADOR/RESTAURADOR 07 de Mai Sábad Das 9 às 17h Cnfecçã de swab Química: Prduts químics: manusei e descarte Prteçã e segurança n trabalh d cnservadr/restauradr Teste de slubilidade química Limpeza mecânica de sujidades Fixaçã da camada pictórica 08 de Mai Dming Das 9 às 17h Apresentaçã d trabalh sbre terms técnics usads na cnservaçã e restaur Prduts químics: Embalagem, manusei, transprte, armazenament Prteçã e segurança n trabalh d cnservadr/restauradr Registr sbre: Diagnóstic e patgenia Trabalh em equipe sbre Nrmas Técnicas Exercíci prpst

3 Módul IV RESTAURO ESTRUTURAL DE TELA E SUPORTE 04 de Junh Sábad Das 9 às 17h Limpeza Química de sujidades e remçã de vernizes Sbre telas Suturas - brdas falsas - bturações reentelament parcial (rasgs) Sbre suprte: chassi, bastidr Analise estrutural de suprte (nível, ângul, fragilidade, ataque de xilófags) 05 de Junh Dming Das 9 às 17h Apresentaçã d trabalh em equipe sbre Nrmas Técnicas Sbre telas: Tips de tela: tramas Preparaçã Lacunas e/u perdas pictóricas Planificaçã u descncheament Reintegraçã - Preenchiment de lacunas - bturaçã Nivelament da camada pictórica Islament de lacunas Trabalh em equipe sbre Códig de Ética Exercíci prpst Módul V ARTES E TÉCNICAS - I ÉTICA PROFISSIONAL 02 de Julh Sábad Das 9 às 17h Características ds Pigments e Aglutinantes Óle: Efeits específics e características. Cnstruçã pictórica a base de tintas a óle. Acrílicas: Características físic-químicas das tintas acrílicas Têmperas: A v, a caseína, aquarelas, guaches, utrs. Pastel: Grafites, lápis sec, les, aquarelável, características crmáticas e efeits especiais. Vernizes: Resinas naturais e sintéticas - Patinas e velaturas Tips de resinas e emulsões Intervençã, reversibilidade

4 03 de Julh Dming Das 9 às 17h Apresentaçã de trabalh sbre Códig de Ética Análise de bra cm repintura Pentiment Remçã de repintura Estud de cas Sbre relatóris intercalads em restauraçã de Obras de Arte Sbre Reintegraçã crmática Acndicinament e transprte de quadrs Trabalh em equipe sbre pigments Exercíci prpst Módul VI ARTES E TÉCNICAS - II 06 de Agst Sábad Das 9 às 17h Sbre pigments: Circul crmátic Escala de tns e valres Técnicas de reintegraçã de plicrmia u recuperaçã estética pictórica 07 de Agst Dming Das 9 às 17h Apresentaçã d trabalh em equipe sbre pigments História ds pigments Exercíci Técnica Ilusinista Exercícis de Tratteggi Exercícis de Pntilhism Trabalh em equipe sbre métds científics de investigaçã Exercíci prpst Módul VII METODOS CIENTIFICOS DE INVESTIGAÇÃO 03 de Setembr Sábad Das 9 às 17h Apresentaçã de trabalh sbre métds científics de investigaçã Tecnlgias e recnheciment de métds científics de investigaçã 04 de Setembr Dming Das 9 às 17h Tecnlgias e recnheciment de métds científics de investigaçã Trabalh em equipe sbre materiais de restaur Exercíci prpst

5 Módul VIII CONSERVAÇÃO PREVENTIVA ATAQUE BIOLÓGICO MICRO-ORGANISMOS E ROEDORES 01 de Outubr Sábad Das 9 às 17h Apresentaçã d trabalh em equipe sbre materiais de restaur Ataque bilógic Análise Cnceits, Terminlgia, Descriçã e Caracterizaçã de Agente Remçã de fungs Ações de cnservaçã 02 de Outubr Dming Das 9 às 17h Cntrle Bilógic: Micr-rganisms, insets, redres e utrs Cnservaçã Preventiva Fatres ambientais e a Cnservaçã de Acervs: Iluminaçã Temperatura e Umidade Relativa Mnitrand a temperatura e umidade relativa Equipaments para mnitrament da umidade relativa e temperatura Trabalh em grup sbre equipaments e instrumentais auxiliares a cnservaçã e restaur Módul IX CONSERVAÇÃO E RESTAURO TÉCNICAS DE REETELAMENTO I - II 05 de Nvembr Sábad Das 9 às 17h Apresentaçã d trabalh sbre equipaments e instrumentais auxiliares a cnservaçã e restaur Técnicas de reentelament 06 de Nvembr Dming Das 9 às 17h Técnicas de reentelament Finalizaçã d Relatóri Técnic Dcumental

6 Módul X 03 de Dezembr Sábad Das 9 às 17h Cálcul e prepar de: Sluções Emulsões Géis de limpeza Cnfecçã de vernizes Aplicaçã de verniz Mntagem da bra em suprte (chassi) Duvidas e encerrament 04 de Dezembr Dming Das 9 às 17h 09h - Apresentaçã de trabalh final Obra restaurada Históric Relatóris Gráfics Relatóri Ftgráfic Dcumental 11h Arrumaçã da Expsiçã de encerrament 15h - Cquetel de Encerrament (cm cnvidads).

7 TÍTULO DA DISCIPLINA: Artes e Técnicas - AT DISCIPLINA: Artes e Técnicas EMENTA DA DISCIPLINA O bjetiv desta disciplina é familiarizar alun cm s pigments, a história e suas características, identificand s principais existentes e suas premissas. Estud sbre técnicas e materiais utilizads na cnfecçã da camada pictórica para crreta identificaçã ds fatres de deteriraçã, degradaçã e uma segura intervençã restaurativa. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Artes plásticas: Circul Crmátic Escala de tns e valres Recuperaçã estética pictórica: Técnicas: Pntilhism - Tratteggi Ilusinista Sbre pinceis, cm esclher adequad. Teria da cr: História ds pigments e suas características Tecnlgia de materiais: Pigments e Aglutinantes Óle: Efeits específics, características físic-químicas ds óles. Cnstruçã pictórica a base de tintas a óle. Acrílicas: Características físic-químicas das tintas acrílicas, tips de resinas e emulsões. Têmperas: A v, a caseína, aquarelas, guaches, utrs. Pastel: Grafites, lápis sec, les, aquarelável, características crmáticas e efeits especiais. Vernizes: Resinas naturais e sintéticas - Patinas e velaturas

8 TÍTULO DA DISCIPLINA: Ciências Empresariais DISCIPLINA: Ciências Empresariais EMENTA DA DISCIPLINA O bjetiv desta disciplina é a apresentaçã, dentlgia e códig de ética d cnservadr/restauradr. Assim cm a reflexã sbre fntes dcumentais e fíci d cnservadr/restauradr. Utilizaçã da catalgaçã de bras de arte cm instrument de análise e interpretaçã de dads levantads durante um restaur. Cnfecçã de fichas cntend a classificaçã, cnceits cntids n material, dimensões e definiçã das principais categrias. Dcumentaçã da bra, cnteúd e análise ds dads. Segurança e Prteçã d Cnservadr/Restauradr Métd Administrativ de Dcumentaçã. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Ética Prfissinal d Cnservadr Restauradr Terias e códig de ética prfissinal Relaçã cm s bens culturais Pesquisa e dcumentaçã Relaçã cm prprietári u respnsável legal Relaçã cm públic Relaçã cm clegas e cm a prfissã Métd Administrativ de Dcumentaçã Principais registrs grafics dcumentais Registr gráfic dcumental, desenvlviment metdlógic: Ficha Técnica Ficha rçamentária Terms de recebiment da bra Registr gráfic e ftgráfic dcumental Registr gráfic intercalad Itens de segurança e prteçã d cnservadr/restauradr

9 TÍTULO DA DISCIPLINA: Cnservaçã e Restaur CR DISCIPLINA: Cnservaçã e Restaur EMENTA DA DISCIPLINA O bjetiv desta disciplina é levar alun a identificar as principais crrentes hje existentes, e suas premissas teóric-metdlógicas. Intrduçã cnceitual, teria d restaur, cnceits básics de preservaçã, cnservaçã e restaur. Terms usads em restaur. Apresentaçã de cnceits gerais relacinads a camp da preservaçã, bem cm as áreas e estuds multidisciplinares relativs à cnservaçã e a preservaçã d patrimôni. De frma sucinta, apresentar um históric sbre desenvlviment da área de cnservaçã de bens culturais, abrdand as terias principais e dcuments nacinais e internacinais prduzids. Cnceituaçã e elabraçã de plíticas de preservaçã. Elabraçã de um prgrama cm estratégia de preservaçã, incluind tópics cm: diagnóstic de preservaçã; análise e gerenciament de risc; determinaçã de valr, estabeleciment de priridades e decisões de preservaçã; plans de prevençã e respsta a situações de emergência e treinament/capacitaçã. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Intrduçã à Cnservaçã e Restaur Manusei, transprte e embalagem de quadrs Acndicinament - Armazenament Cnservaçã Preventiva Fatres ambientais e a Cnservaçã de Acervs Temperatura e Umidade Relativa Mnitrand a temperatura e umidade relativa Equipaments para mnitrament da umidade relativa e da temperatura Higienizaçã d lcal de trabalh Exame Organléptic de diagnóstic: Prcesss de deteriraçã mecânics, físics e químics da camada pictórica: Craquelaments/craquelures principais causas Ataque de fungs identificaçã e analise Perdas pictóricas Esmaeciment d pigment Manchas/ Sujidades Prcesss de xidaçã e envelheciment de materiais.

10 TÍTULO DA DISCIPLINA: Química/Física DISCIPLINA: Química/Física EMENTA DA DISCIPLINA Aplicaçã da Química na Cnservaçã e Restaur. Prpriedades físicas e químicas de cmpsts rgânics. A química rgânica e mei ambiente. Operações de labratóri Realizaçã de experiments sbre temas que refrcem aprendizad de cnceits fundamentais de química, tais cm: reações químicas ds slventes e suas prpriedades físicas, químicas e bilógicas. Txicidade ds slventes. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Micrbilgia aplicada a bens culturais Química aplicada à restauraçã Cnceit de slubilidade química Cnceits fundamentais de química Testes de slubilidade química Prcesss de degradaçã químics / físics Calcul e prepar de sluções, emulsões e géis de limpeza. Métds analítics de investigaçã de bras de arte. Exame Organléptic de diagnóstic: Prcesss de deteriraçã mecânics, físics e químics da camada pictórica: Craquelaments/craquelures principais causas Ataque de fungs Perdas pictóricas Esmaeciment d pigment Manchas Sujidades Prcesss de xidaçã e envelheciment de materiais.

11 TÍTULO DA DISCIPLINA: Ftgrafia DISCIPLINA: Ftgrafia EMENTA DA DISCIPLINA O bjetiv desta disciplina é inserir a ftgrafia, cm instrument auxiliar a trabalh d cnservadr/restauradr. Utilizand técnicas de registr ftgráfic, send fundamental na recuperaçã estética pictórica, pssibilitand mapear pntualmente em cada quadrante s dans de tda a bra. Cm ciência auxiliar a cnservaçã e restaur, levar cnheciments sbre registr Ftgráfic Dcumental e Registr Intercalad para dcumentaçã em cnservaçã u restaur realizad. Ftgrafia Básica: Equipaments Câmera Digital CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Ftgrafia cm instrument auxiliar a cnservadr/restauradr Divisã e fraçã para registr dcumental intercalad Registr Ftgráfic Dcumental Metdlgia: A didática d NAR Núcle de Artes, Cnservaçã e Restaur, é direcinada a 50% de aulas teóricas expsitivas, cm apresentações de Pwer Pint e 50% de aulas práticas. O cnteúd englba e abrda tds s prcediments adtads n restaur de pinturas sbre cavalete, nas diversas fases de intervençã. Desde a avaliaçã preliminar de dans e retirada da bra, passand pr dcumentaçã, ética prfissinal, restaur, até a entrega da bra a lcal de rigem. Em busca de nss bjetiv, que é frmaçã e infrmaçã acadêmica, intrduzims n mercad curss cm 50% de aulas práticas e 50% de aulas teóricas. Entendems que restauraçã se aprende na prática e em nsss curss s aluns aprendem a restaurar, restaurand.

12 Materiais de cnsum: Os materiais de cnsum serã frnecids pel curs: Slventes químics Materiais para restaur (aglutinantes, ceras, resinas, etc) Tecids Ferramentas Materiais de us individual: Material de us individual que será usad a partir da primeira aula: Cadern para ntações / caneta/ lápis/ brracha Luvas Máscara para pó Trena Lupa Trincha Material de us individual slicitad psterirmente: (NÃO COMPRAR DE IMEDIATO) Bisturi cab n 3 e 4 Laminas de bisturi n 3 e 4 Pinça Pinça hemstática Espátulas Algdã Avental/jalec Vidr para descarte Pinceis 3 tubs de tinta

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médi PLANO DE ENSINO 2009 Médi Prfissinalizante ( ) Prfissinalizante ( ) Graduaçã ( x ) Pós-graduaçã ( ) I. Dads Identificadres Curs Superir de Tecnlgia em Gestã Ambiental

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina. Infrmaçã Exame de Equivalência à Frequência Educaçã Visual e Tecnlógica 2º cicl d Ensin Básic 2012 1. Intrduçã O presente dcument visa divulgar as características da prva final d 2.º cicl d ensin básic

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão FMUSP - HC. Faculdade de Medicina da USP Diretoria Executiva da FMUSP e Diretoria Executiva dos LIMs

Procedimento Operacional Padrão FMUSP - HC. Faculdade de Medicina da USP Diretoria Executiva da FMUSP e Diretoria Executiva dos LIMs 1. OBJETIVOS: fixar nrma para realizaçã ds prcediments de cleta interna de carcaças de animais de experimentaçã n Sistema FMUSP-HC, bservand-se as devidas cndições de higiene e segurança. 2. ABRANGÊNCIA:

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 18/10/2014 a 30/11/2014 Carg: Agente de Api Técnic Taxa de Inscriçã: R$ 55,00 Salári/Remuneraçã: R$ 958,76 Nº Vagas: 12 Data da Prva: 01/02/2015

Leia mais

SUMÁRIO. A Stavale & CCT oferece treinamentos abertos e in company.

SUMÁRIO. A Stavale & CCT oferece treinamentos abertos e in company. A Stavale & CCT ferece treinaments aberts e in cmpany. Clabradres mais qualificads e empresa mais lucrativa. Sluções mais rápidas e efetivas. Treinaments custmizads para sua empresa. Dispms de sala cm

Leia mais

CURSO DE INICIAÇÃO. Programa do Curso

CURSO DE INICIAÇÃO. Programa do Curso CURSO DE INICIAÇÃO Duraçã: 16 hras - 2 Dias Frmadr: Belinda Lureir u Sandra Gril u Daniel Seelw Prgrama d Curs - Filsfia e Cultura RE/MAX - Métds e Técnicas de Angariaçã - Métds e Técnicas de Psicinament

Leia mais

Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde

Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde Curs Prfissinal de Técnic Auxiliar de Saúde Planificaçã Anual de Higiene, Segurança e Cuidads Gerais An Letiv 2014/2015 Códig Módul Cnteúds - - Apresentaçã 17/09/14 - - Avaliaçã Diagnóstica Inicial 6572

Leia mais

Mestrado em Sistemas de Informação

Mestrado em Sistemas de Informação U n i v e r s i d a d e d M i n h Departament de Sistemas de Infrmaçã Mestrad em Sistemas de Infrmaçã 2003/2005 Tecnlgias de Streaming em Cntexts de Aprendizagem Sb a rientaçã d Prfessr Dutr Henrique Sants

Leia mais

FISPQ Nº 009/2001 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - NBR 14725

FISPQ Nº 009/2001 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - NBR 14725 Nme d Prdut: PASTENIZ R PRETO 1531 Data: 25.06.2008 Revisã: 0 Códig Nº: PA 71.049 Página 1 de 5 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - NBR 14725 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

1- Objetivo Orientar e apoiar a utilização dos serviços de Biblioteca por parte do corpo docente, discente e comunidade.

1- Objetivo Orientar e apoiar a utilização dos serviços de Biblioteca por parte do corpo docente, discente e comunidade. Sistema de Gestã de Prcesss Sistema de Gestã da Qualidade Utilizaçã ds Serviçs de Bibliteca 1- Objetiv Orientar e apiar a utilizaçã ds serviçs de Bibliteca pr parte d crp dcente, discente e cmunidade.

Leia mais

o o o o o o o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 Rio 2016 Organising Committee for the Olympic and Paralympic Games

o o o o o o o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 Rio 2016 Organising Committee for the Olympic and Paralympic Games Requeriments de Sustentabilidade para Cmbustíveis: Tips de cmbustíveis: Para ônibus deverá ser utilizad diesel cm 20% de bidiesel (B20), de rigem vegetal; Para geradres deverá ser utilizad diesel cm 20%

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração do Relatório Ambiental Prévio (RAP)

Termo de Referência para Elaboração do Relatório Ambiental Prévio (RAP) Term de Referência para Elabraçã d Relatóri Ambiental Prévi (RAP) O Relatóri Ambiental Prévi é um estud técnic elabrad pr um prfissinal habilitad u mesm equipe multidisciplinar que ferece elements para

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre / 2º semestre A - Intrduçã Neste semestre, sua

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO 52ª PREMIAÇÃO ANUAL IAB RJ EDITAL 2014 INTRODUÇÃO O Institut de Arquitets d Brasil - IAB-RJ cnvca arquitets e urbanistas a participarem da 52ª Premiaçã Anual ds Arquitets que, em 2014, agrega às categrias

Leia mais

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 Este frmulári deve ser preenchid pr tds s aluns matriculads n Mestrad em Atençã à Saúde n an de 2013. Os dads servirã para atualizar, n Cleta Capes, as atividades

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%.

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%. 1. TEORIA Para prcesss específics de utilizaçã, é necessári manter cndições de temperatura e umidade relativa d ar em cndições específicas para prduçã e u trabalh. Prcesss de desumidificaçã visam manter

Leia mais

Contabilidade Martins

Contabilidade Martins DOCUMENTOS PARA CONTABILIDADE Visand melhrar nss intercâmbi administrativ e s serviçs prestads pr este escritóri, remetems instruções cm relaçã a sua mvimentaçã mensal, dand ênfase a cntrle de arquivs,

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 23/11/2014 a 18/12/2014 Carg: Técnic de Nível Superir: Ciências Cntábeis Taxa de Inscriçã: R$ 60,00 Salári/Remuneraçã: R$ 4.232,00 Nº Vagas: 01

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas Unidade 7: Sínteses de evidências para plíticas Objetiv da Unidade Desenvlver um entendiment cmum d que é uma síntese de evidências para plíticas, que inclui e cm pde ser usada 3 O que é uma síntese de

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

o o o o o o o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 Rio 2016 Organising Committee for the Olympic and Paralympic Games

o o o o o o o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 Rio 2016 Organising Committee for the Olympic and Paralympic Games Requeriments de Pódi: Requeriments Mandatóris: O frnecedr deverá adtar s requeriments mínims definids n Códig Básic da Iniciativa Ética Cmercial (IEC) / Ethical Trading Initative (ETI): O empreg deverá

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA]

2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA] 2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA] Plan Anual de Expressã Plástica An Letiv 2012/2013 Intrduçã: A Arte é cm um vulcã, alg que brta espntaneamente, alg que vem d interir, das entranhas, d

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE FISIOTERAPIA Autrizad pela Prtaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seçã

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Sã Paul 2013 1 1 INTRODUÇÃO Este Manual tem a finalidade de servir à nrmalizaçã da elabraçã de Trabalhs de Cnclusã de Curs TCC pr mei de artigs científics,

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ Ref.: 0084/24 (Favr referir-se a este númer em tdas as crrespndências) Esta empresa está cnvidada a apresentar prpsta à UNESCO de Elabraçã de Prgrama Editrial para Institut

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvlviment de Sistemas 3ª série Fundaments de Sistemas Operacinais A atividade prática supervisinada (ATPS) é um métd de ensinaprendizagem desenvlvid

Leia mais

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU Cnsulta Serviçs de cnceçã e desenvlviment criativ, prduçã e mntagem d Fórum PORTUGAL SOU EU Julh 2014 Cnteúd 1. Intrduçã... 2 2. Enquadrament... 2 3. Públic-Alv... 2 4. Objetivs da Cnsulta... 3 5. Cndições

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 1º semestre / 2015 O FGV Law Prgram da Escla

Leia mais

Escla Superir Agrária de Cimbra Prcessament Geral de Aliments LEAL 2009/2010 Aqueciment Óhmic Brenda Mel, nº 20803030 Inês Ricard, nº 20090157 Nádia Faria, nº 20803060 O que é? Prcess nde a crrente eléctrica

Leia mais

Curso de Atualização em Cirurgia e Próteses Sobre Implantes Osteointegráveis. Centro de Estudos. Manual do aluno 2013/1

Curso de Atualização em Cirurgia e Próteses Sobre Implantes Osteointegráveis. Centro de Estudos. Manual do aluno 2013/1 Curs de Atualizaçã em Cirurgia e Próteses Sbre Implantes Osteintegráveis Centr de Estuds Manual d alun 2013/1 Curs de Atualizaçã em Cirurgia e Próteses Sbre Implantes Osteintegráveis Prfessres Daniel Telles

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

Gestão de SHST e Ambiente. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança aplicáveis às entidades externas

Gestão de SHST e Ambiente. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança aplicáveis às entidades externas 1 / 7 I. OBJETIVO E ÂMBITO Este dcument estabelece as regras de Segurança n Trabalh e Ambiente aplicáveis a entidades que venham a desenvlver actividades dentr da RESIESTRELA, em regime de cntrat, prestaçã

Leia mais

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

FISPQ Nº 025/2008 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - NBR 14725

FISPQ Nº 025/2008 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - NBR 14725 Nme d Prdut: POLÉSTER VF BRANCO 028/04 Data da última revisã: 20.02.2008 Códig Nº: PA32.096 Página 1 de 5 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - NBR 14725 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E

Leia mais

Objetivos. A quem se destina. Programa. Comportamento de Compra do Shopper. Natureza da compra. Lógica de escolha. Compras planejadas e não planejadas

Objetivos. A quem se destina. Programa. Comportamento de Compra do Shopper. Natureza da compra. Lógica de escolha. Compras planejadas e não planejadas Sluções in Stre Objetivs Evidenciar s pilares fundamentais para desenvlviment de um trabalh cm categrias e marcas n Pnt de Venda, munind s participantes de infrmações que permitam cnhecer shpper e sua

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/6 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ABATE E DESRAME DE ÁRVORES 2 DESCRIÇÃO As tarefas de abate e desrame de árvres estã habitualmente relacinadas cm s seguintes trabalhs Levantaments

Leia mais

Instruções para as apresentações científicas

Instruções para as apresentações científicas Instruções para as apresentações científicas As apresentações pderã ser realizadas na frma de PÔSTER u ORAL, dentr das especialidades dntlógicas: Ciências Básicas, Estmatlgia/Radilgia/Patlgia, Cirurgia,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

WORKSHOP SOBRE PANORAMAS ATUAL E FUTURO DA ENGENHARIA COSTEIRA NO BRASIL

WORKSHOP SOBRE PANORAMAS ATUAL E FUTURO DA ENGENHARIA COSTEIRA NO BRASIL REUNIÃO PREPARATÓRIA SOBRE O TEMA SEDIMENTOS Ri de Janeir, 17 e 18 de utubr de 2005 Participantes: Jã Eduard Addad (ICTM) - jã@terraemar.rg.bf... Crdenadr Claudi Freitas Neves (COPPE/UFRJ) - neves@pen.cppe.ufrj.br...

Leia mais

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AURÉLIA DE SOUSA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prva Escrita e Prva Oral de Inglês 11.º An de esclaridade DECRETO-LEI n.º 139/2012, de 5 de julh Prva (n.º367) 1.ªe 2.ª Fase 6

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: EQUIPAMENTOS PARA A COESÃO LOCAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 Ns terms d regulament específic Equipaments para a Cesã Lcal,

Leia mais

FESTIVAL DA CANÇÃO FRANCESA 2014 O MELHOR DA MÚSICA FRANCESA (INCLUINDO O REPERTORIO FRANCÓFONO)

FESTIVAL DA CANÇÃO FRANCESA 2014 O MELHOR DA MÚSICA FRANCESA (INCLUINDO O REPERTORIO FRANCÓFONO) FESTIVAL DA CANÇÃO FRANCESA 2014 O MELHOR DA MÚSICA FRANCESA (INCLUINDO O REPERTORIO FRANCÓFONO) CALENDÁRIO DO FESTIVAL DA CANÇÃO FRANCESA DA ALIANÇA FRANCESA 2014 13 de julh de 2014 Lançament e publicaçã

Leia mais

Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 -

Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 - T e c n l g i a Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 - Os melhres e mais mderns MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensin tecnlógic de qualidade. Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 -

Leia mais

PVC Não dá para imaginar a vida moderna sem ele

PVC Não dá para imaginar a vida moderna sem ele PVC Nã dá para imaginar a vida mderna sem ele Sã Paul, 26 de nvembr de 2012 A GBC Brasil Ref.: Cmentáris sbre item Materiais e Recurss, crédit 4 Cntrle de Materiais Cntaminantes Referencial GBC Brasil

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2008/2009, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 10/11/2014 a 10/12/2014 Carg: Analista de Desenvlviment Taxa de Inscriçã: R$ 75,00 Salári/Remuneraçã: até R$ 5.218,56 Nº Vagas: 15 + Cadastr de

Leia mais

MARCELLO VIEIRA LASNEAUX

MARCELLO VIEIRA LASNEAUX MARCELLO VIEIRA LASNEAUX RESUMO DAS QUALIFICAÇÕES Cnheciment de diversas áreas de bilgia, grande experiência cm prfessr de ensin básic, ratória, capacidade de trabalhs interdisciplinares, gestã, crdenaçã,

Leia mais

GUIA DE APOIO AO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE

GUIA DE APOIO AO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE GUIA DE APOIO AO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE Reprte de Ameaça Iminente de Dan Ambiental e de Ocrrência de Dan Ambiental n Âmbit d Regime da Respnsabilidade Ambiental Agência Prtuguesa d Ambiente Julh

Leia mais

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL Carga Hrária: 16 hras/atividade Hrári: 8h30 às 18h (cm interval para almç) Brasília, 26 e 27 de nvembr de 2015

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO OPERAÇÕES DE DESMATAÇÃO, DESARBORIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE FITOFARMACÊUTICOS

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO OPERAÇÕES DE DESMATAÇÃO, DESARBORIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE FITOFARMACÊUTICOS Página 1 de 9 0 CONTROLO DE REVISÕES... 2 1 OBJECTIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 2 REFERÊNCIAS... 2 3 DEFINIÇÕES... 2 4 ABREVIATURAS... 3 5 PROCEDIMENTO... 3 5.1 NECESSIDADE DE DESARBORIZAÇÃO OU DESMATAÇÃO...

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos Guia Prátic d Estági Seu Estági em 5 Passs O que é Estági? A atividade de estági é um fatr significativ na frmaçã d prfissinal, pr prprcinar a interaçã d alun cm a realidade da prfissã e a cmplementaçã

Leia mais

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s)

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s) Prpsta Prjet: Data 25/05/2005 Respnsável Autr (s) Dc ID Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes Lcalizaçã Versã d Template

Leia mais

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO CURSO: ELETRICISTA DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELETRICA - PRONATEC 200 hras ÁREA: ENERGIA MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE(S) HABILITADA(S): CETEC - Araguaína

Leia mais

FISPQ Nº 270/2008 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - NBR 14725

FISPQ Nº 270/2008 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - NBR 14725 Nme d Prdut: POLASTA F AZUL TITANIUM MET 214 Data: 10.10.2008 Revisã: 0 Códig Nº: PA 38.214. Página 1 de 5 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - NBR 14725 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E

Leia mais

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 027/ DE 19 DE NOVEMBRO DE VESTIBULAR 16/01 O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP 64.073-505,

Leia mais

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre:

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre: Circular / (CA) nº 18 / 2015 Unaí-(MG), 03 de agst de 2015. ASSUNTO: Faculdade CNEC Unaí Prcediments necessáris para iníci d 2º Semestre de 2015. Prezads (as) Prfessres (as), Apresentams abaix, s prcediments

Leia mais

FRWTC-300 DESENVOLVIMENTO C# E ORIENTAÇÃO POR OBJETOS

FRWTC-300 DESENVOLVIMENTO C# E ORIENTAÇÃO POR OBJETOS FRWTC-300 DESENVOLVIMENTO C# E ORIENTAÇÃO POR OBJETOS SOBRE A FRAMEWORK A Framewrk (www.frwtc.cm) atua diretamente cm prfissinais d segment de tecnlgia em busca de capacitaçã, atualizaçã e certificaçã,

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Antropologia do Consumo no Marketing

Antropologia do Consumo no Marketing Antrplgia d Cnsum n Marketing Objetivs Demnstrar cm as influências culturais estã relacinadas cm s hábits de cnsum, a relaçã cm as Marcas e cmprtament de cmpra, evidenciand assim, prcess fundamental para

Leia mais

Procedimentos para o uso de TI no DRH

Procedimentos para o uso de TI no DRH Prcediments para us de TI n DRH As clabradres d DRH Cm parte das diretrizes divulgadas através d memrand nº 243/2008-SAM01, e visand melhrias na manutençã de cmputadres, segurança das infrmações e cntrle

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO Term de Referência Anex I - Especificaçã técnica Cntrataçã de Empresa para prestaçã de Serviçs de Treinament na suíte Libreffice TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA AGRICULTURA E ALIMENTAÇÃO FAO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MDS PROCESSO 011/2009 ANEXO I

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA AGRICULTURA E ALIMENTAÇÃO FAO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MDS PROCESSO 011/2009 ANEXO I ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA AGRICULTURA E ALIMENTAÇÃO FAO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MDS PROCESSO 011/2009 ANEXO I Term de Referência PESQUISA PARA AVALIAÇÃO DO PROGRAMA

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Manual de Prevenção de Riscos Profissionais

SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Manual de Prevenção de Riscos Profissionais Manual de Prevençã de Riscs Prfissinais NORMAS TÉCNICAS Listagem nã exaustiva de Nrmas Técnicas prtuguesas sbre aspects que se relacinam cm a segurança e saúde d trabalh Fernand Cabral SEGURANÇA E SAÚDE

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

Diretoria de Regulação de Emissores (DRE)

Diretoria de Regulação de Emissores (DRE) Diretria de Regulaçã de Emissres (DRE) Principais alterações a Regulament e Manual d Emissr 14/03/2016 x Cnfidencial Us Us Intern Públic 1 Regulament e Manual: principais alterações Divulgaçã: até 31/març.

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

FRWTC-200 INTRODUÇÃO JAVA SE

FRWTC-200 INTRODUÇÃO JAVA SE FRWTC-200 INTRODUÇÃO JAVA SE SOBRE A FRAMEWORK A Framewrk (www.frwtc.cm) atua diretamente cm prfissinais d segment de tecnlgia em busca de capacitaçã, atualizaçã e certificaçã, curss IN-COMPANY persnalizads

Leia mais

Requerimentos de Energia Temporária: Requerimentos Mandatórios:

Requerimentos de Energia Temporária: Requerimentos Mandatórios: Requeriments de Energia Temprária: Requeriments Mandatóris: Adtar s requeriments mínims definids n Códig Básic da Iniciativa Ética Cmercial (IEC) / Ethical Trading Initative (ETI): O empreg deverá ser

Leia mais

Versão 4.0. Central IT Governança Corporativa PROJETO 78. Documento de Entrega. Fábrica. Deploy 1.0.0-Beta. Produto: CitSmart GRP

Versão 4.0. Central IT Governança Corporativa PROJETO 78. Documento de Entrega. Fábrica. Deploy 1.0.0-Beta. Produto: CitSmart GRP Central IT Gvernança Crprativa Versã PROJETO 78 Dcument de Entrega de Deply da Fábrica Deply 1.0.0-Beta Prdut: CitSmart GRP 2/7 FO-098 Versã: Dcument de Entrega de Deply da Fábrica Históric de Revisã Data

Leia mais

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seçã 1. Pág. 20 Cmpnente Curricular: BIOLOGIA GERAL Códig: ENF - 101 Pré-requisit: Nenhum Períd Letiv: 2016.1 Prfessr:

Leia mais

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital Banc Industrial d Brasil S.A. Gerenciament de Capital 2014 1 Sumári 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 4 4. PLANO DE CAPITAL... 5 5. RESPONSABILIDADES... 6

Leia mais

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional Códig / Nme d Curs Status Códig - Área Subárea Especialida Dads Gerais 196 / Escla Gestres- Curs Especializaçã em Gestã Esclar Ativ 49 / Educaçã Gestã Educacinal Gestã Esclar Nivel d Curs Especializaçã

Leia mais

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações Mdelagem, qualificaçã e distribuiçã em um padrã para geinfrmações Julia Peixt 14h, 14 de junh de 2010. Mtivaçã Acerv de dads desde 1994 em diferentes áreas de pesquisa; Muitas pessas fazend muits trabalhs

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais