Transdutor de Potência (analógico)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Transdutor de Potência (analógico)"

Transcrição

1 Transdutr de Ptência (analógic) Revisã /08/2013 [1] Intrduçã Os transdutres analógics de ptência têm pr finalidade cnverter a ptência ativa e/u reativa de um sistema em um sinal cntínu (de tensã u crrente) e islad galvanicamente das entradas. Sã dispnibilizads s seguintes mdels: W30/WA: Mediçã de ptência ativa (watt) W31/RA: Mediçã de ptência reativa (var) W32/WR: Mediçã de ptência ativa + reativa (duas saídas isladas) [2] Princípi de funcinament Os transdutres realizam a cnversã da ptência em um sinal cntínu através d princípi TDM (time divisin multiplicatin). O sinal de saída é linearmente prprcinal as sinais de entrada. [3] Aplicaçã Cnversã da ptência ativa u reativa de um sistema em um sinal analógic para indicaçã u prcessament em CLPs, indicadres digitais, remtas, etc... [4] Grandeza medida Ptência ativa (W) e/u reativa (Var) [5] Precisã Ptência: 0,25% (0,2% sb cnsulta) (a 25º, respeitadas as faixas recmendadas para tensã e crrente) Ft ilustrativa ENTRADA DE TENSÃO (MEDIÇÃO) Nminal: 110, 115, 150, 220, 380 u 115/ Faixa recmendada de utilizaçã: 80 a 120% Sbrecarga: 1,2 x Vn (cntínua), 1,5 x Vn (1s) Cnsum intern: < 0,5VA Freqüência: 50 u 60 Hz ENTRADA DE CORRENTE (MEDIÇÃO) Nminal: 1Ac.a. u 5Ac.a. Faixa recmendada de utilizaçã: 10 a 110% Sbrecarga: 1,5 x In (cntínua), 20 x In (1s) Cnsum: < 0,5VA [7] Saída analógica 3 Vc.a. Valres de saída e resistência mínima (saída em tensã) u máxima (saída em crrente) admissíveis: [6] Características Elétricas ISOLAÇÃO GALVÂNICA Entradas e saídas: 2kV (60Hz, 1 minut) ALIMENTAÇÃO AUXILIAR mac.c. (0-10kΩ) mac.c. (0-2kΩ) mac.c. (0-1kΩ) mac.c. (0-750Ω) mac.c. (0-750Ω) Vc.c. (1kΩ mínim) Vc.c. (1kΩ mínim) Vc.c. (2kΩ mínim) Nminal: 12, 24, 48 u 125Vc.c. / 110 u 220Vc.a Faixa de utilizaçã: 80 a 120% d valr nminal (CC) e 85 a 115% d valr nminal para (CA). Cnsum intern: < 5 VA Opcinal: saída d tip bi-direcinal (exempl: Vc.c.) u zer central (exempl: mAc.c.) N cas d mdel cm saída bidirecinal valr da resistência de saída é mesm d mdel equivalente unidirecinal levand em cnsideraçã valr psitiv da faixa esclhida. Ripple de saída: < 0,5% (em relaçã a fund de escala) Temp de respsta: < 400ms KRON Instruments Elétrics Ltda. Fne: (11) Site: /6

2 Transdutr de Ptência (analógic) Revisã /08/2013 [8] Características Mecânicas INVÓLUCRO Material: alumíni extrudad de elevada resistência mecânica e para altas temperaturas Grau de prteçã: IP-40 para invólucr MONTAGEM Tip: fund de painel Psiçã de mntagem: qualquer Fixaçã: através de parafuss CONEXÕES ELÉTRICAS [10] Esquemas de Ligaçã Cab recmendad: secçã mínima de 1,5mm² para tensã e alimentaçã auxiliar. Para sinal de crrente, dimensinament depende da distância e ptência ds TCs envlvids. Cab para saída: dimensinament depende da distância e impedância d(s) equipament(s) a serem cnectads na saída. Se utilizad em ambientes cm ruíds u perturbações elétricas, dar preferência a um cab blindad. Tip: brneira (parafus M3) Grau de prteçã: IP-00 Cab máxim a ser utilizad: 4mm² (recmendad: 2,5mm² cm us de terminais) [9] Cndições ambientais relevantes Temperatura de peraçã: -10 a 60ºC Temperatura de armazenament e transprte: -25 a 60º C Umidade relativa d ar: máxim de 95% (sem cndensaçã) Ceficiente de temperatura: 0,01% / ºC KRON Instruments Elétrics Ltda. Fne: (11) Site: /6

3 Transdutr de Ptência (analógic) Revisã /08/2013 [10] Esquemas de Ligaçã (cntinuaçã) Transdutr 1 element 2 fis Mdel WA u RA Transdutr 1 element 2 fis Mdel WR (cmbinad) Transdutr 2 elements 3 fis Mdel WA u RA Transdutr 2 elements 3 fis Mdel WR (cmbinad) N cas de us de transfrmadres externs estes deverã ser de mediçã. Nunca deixar secundári ds TCs em abert, nã use fusíveis u disjuntres em série cm circuit de crrente e nã utilize s TCs cm crrente de trabalh acima da permitida. É recmendável a instalaçã de blc de aferiçã. KRON Instruments Elétrics Ltda. Fne: (11) Site: /6

4 Transdutr de Ptência (analógic) Revisã /08/2013 [10] Esquemas de Ligaçã (cntinuaçã) Transdutr 2,5 elements 4 fis Mdel WA u RA Transdutr 3 elements 4 fis Mdel WA u RA Transdutr 3 elements 4 fis Mdel WR (cmbinad) Transdutr 1 element 3 fis Mdel WA u RA KRON Instruments Elétrics Ltda. Fne: (11) Site: /6

5 Transdutr de Ptência (analógic) Revisã /08/2013 [11] Dimensinal Dimensões em milímetrs. Tlerância: 1mm KRON Instruments Elétrics Ltda. Fne: (11) Site: /6

6 Transdutr de Ptência (analógic) Revisã /08/2013 [12] Especificaçã pr códig A cdificaçã d prdut permite a crreta especificaçã em prjet, garantind que material cmprad seja exatamente necessári para a aplicaçã. A identificaçã é feita pr mei de uma seqüência alfanumérica de 13 caracteres. W Fix 0 Fix 2 Fix 30: WA (Transdutr de Ptência Ativa) 31: RA (Transdutr de Ptência Reativa) 32: WR (Transdutr de Ptência Ativa + Reativa) Circuit a ser medid: 1: Mnfásic: 1 element 2 fis 2: Trifásic Delta: 2 elements 3 fis 3: Trifásic Estrela: 2,5 elements 4 fis (smente WA u RA) 4: Trifásic Estrela: 3 elements 4 fis 5: Mnfásic: 1 element 3 fis (Quadratura) Entrada de tensã: 11: 110 V 15: 115 V 20: 150 V 22: 220 V 38: 380V 50: 115/ 3 V 99: Cnfrme pedid (sb cnsulta) A tensã que deve ser infrmada é sempre a fase-fase (excet n mdel mnfásic) Entrada de crrente: 1: 1 Ac.a. 5: 5 Ac.a. Freqüência: 1: 60 Hz 2: Cnfrme pedid (sb cnsulta) 3: 50 Hz Saída: 1: mac.c. 2: mac.c. 3: mac.c. 4: mac.c. 5: mac.c. 6: Vc.c. 7: Vc.c. 8: Vc.c. 9: Cnfrme pedid (exempl: ma ) Alimentaçã auxiliar: 1: 110Vca 2: 220Vca 3: 125Vcc 4: 48Vcc 5: 24Vcc 6: 12Vcc 7: Cnfrme pedid (Vc.a. - sb cnsulta) 8: Cnfrme pedid (Vc.c. - sb cnsulta) Classe: 1: 0,25% (Padrã) 2: 0,2% (Opcinal sb cnsulta) [13] Versões especiais Pdem ser slicitadas características especiais para s transdutres de ptência, cnfrme abaix: PROTEÇÃO DOS BORNES Acrílic de prteçã para s brnes de cnexã, visand impedir cntat cm as cnexões elétricas após a instalaçã d transdutr. FATOR DE AFERIÇÃO O transdutr, pr padrã, é fabricad cm seu fund de escala send mair valr pssível de ptência ativa u reativa. N entant, pde ser especificad pel cliente um fatr de aferiçã entre 0,5 e 1,2. TROPICALIZADO Tratament especial para us em ambientes agressivs u aplicações específicas (exempl: cncessinária de energia). Pderá haver cust adicinal para s pcinais mencinads acima. As infrmações cntidas nesta ficha técnica estã sujeitas à alteraçã sem avis prévi. Para crreta utilizaçã d prdut, deve ser cnsultad Manual d Usuári antes de sua instalaçã u peraçã. Alguns itens apresentads pdem ser pcinais, send necessária a crreta especificaçã d prdut pr mei d códig. KRON Instruments Elétrics Ltda. Fne: (11) Site: /6

Transdutor de corrente alternada (analógico)

Transdutor de corrente alternada (analógico) Transdutr de crrente (analógic) Revisã 1.1 22/04/2014 [1] Intrduçã Os transdutres de crrente têm pr finalidade cnverter um determinad sinal de crrente em um sinal cntínu islad galvanicamente. Sã dispnibilizads

Leia mais

Transdutor de tensão ou corrente contínua (analógico)

Transdutor de tensão ou corrente contínua (analógico) Transdutr de tensã u crrente cntínua (analógic) Revisã 3.3-18/11/2015 [1] Intrduçã Os transdutres de tensã u crrente cntínua têm pr finalidade cnverter um determinad sinal de tensã u crrente em um sinal

Leia mais

Transdutor de tensão alternada (analógico)

Transdutor de tensão alternada (analógico) Transdutr de tensã (analógic) Revisã 6.1 26/12/2012 [1] Intrduçã Os transdutres de tensã têm pr finalidade cnverter um determinad sinal de tensã em um sinal cntínu islad galvanicamente. Sã dispnibilizads

Leia mais

Transdutor de temperatura ou resistência (analógico)

Transdutor de temperatura ou resistência (analógico) Transdutr de temperatura u resistência (analógic) Revisã 2.3 14/1/214 [1] Intrduçã Os transdutres de temperatura e resistência têm pr finalidade, respectivamente, cnverter temperatura (pr mei de sensres,

Leia mais

Transdutor de tensão alternada (analógico)

Transdutor de tensão alternada (analógico) [1] Intrduçã Os transdutres de tensã têm pr finalidade cnverter um determinad sinal de tensã em um sinal cntínu islad galvanicamente. Sã dispnibilizads s seguintes mdels: VA: para sistema cm frma de nda

Leia mais

Transdutor de temperatura ou resistência (analógico)

Transdutor de temperatura ou resistência (analógico) Transdutr de temperatura u resistência (analógic) Revisã 2.4 20/08/2018 [1] Intrduçã Os transdutres de temperatura e resistência têm pr finalidade, respectivamente, cnverter temperatura (pr mei de sensres,

Leia mais

Transdutor de temperatura ou resistência (analógico)

Transdutor de temperatura ou resistência (analógico) [1] Intrduçã Os transdutres de temperatura e resistência têm pr finalidade, respectivamente, cnverter temperatura (pr mei de sensres, nã incluss) e valres de resistência em um sinal analógic. Sã dispnibilizads

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor de Resistência Transdutor de Temperatura W151 / W152. Revisão I

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor de Resistência Transdutor de Temperatura W151 / W152. Revisão I MANUAL DO USUÁRIO Transdutor de Resistência Transdutor de Temperatura W151 / W152 Índice Capítulo Página Introdução 3 Termo de Garantia 3 Características Técnicas 4 Esquemas de Ligação 6 Saída Analógica

Leia mais

Princípio de funcionamento Aplicações Características elétricas Características mecânicas Entrada de tensão (medição)

Princípio de funcionamento Aplicações Características elétricas Características mecânicas Entrada de tensão (medição) 1 ANO DE GARANTIA Apresentação Os transdutores analógicos de potência têm por nalidade converter a potência ativa e/ou reativa de um sistema em um sinal contínuo (de tensão ou corrente) e isolado galvanicamente

Leia mais

Medidor TKE-01. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida

Medidor TKE-01. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida [1] Introdução O TKE-01 é um instrumento para instalação em fundo de painel, que permite a medição do consumo de energia ativa (Wh) ou reativa (Varh) em sistema de corrente alternada (CA). A leitura do

Leia mais

KPF08 e KPF-12. Controladores de Fator de Potência. [1] Introdução. [4] Grandezas medidas. [2] Princípio de funcionamento.

KPF08 e KPF-12. Controladores de Fator de Potência. [1] Introdução. [4] Grandezas medidas. [2] Princípio de funcionamento. [1] Introdução Controladores de fator de potência são instrumentos utilizados para medição e compensação de potência reativa em instalações elétricas. O fator de potência, definido pela razão entre potência

Leia mais

Medidores de energia e multimedidores digitais

Medidores de energia e multimedidores digitais Medidores de energia e multimedidores digitais Medição de Energia Elétrica Eficiência Energética Rateio de Energia Elétrica, Água e Gás Medição Horosazonal (Ponta e Fora de Ponta) Sistemas de Comunicação

Leia mais

Linha Geral de instrumentos digitais e analógicos

Linha Geral de instrumentos digitais e analógicos Os produtos aqui apresentados são desenvolvidos e fabricados pela Kron Instrumentos Elétricos Ltda: Indicador digital para medição e indicação de tensão e corrente (alternada ou contínua) ou qualquer unidade

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor de Potência WA / RA / WR

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor de Potência WA / RA / WR MANUAL DO USUÁRIO WA / RA / WR Revisão 1.1 Junho/2012 Índice Capítulo Página Introdução 3 Termo de Garantia 3 Características Técnicas 4 Esquemas de Ligação 6 Transdutor 1 elemento 2 Fios WA ou RA 6 Transdutor

Leia mais

Indicador Digital. Voltímetro Digital BDI

Indicador Digital. Voltímetro Digital BDI Voltímetro Digital BDI Adotado em tecnologia SMT Display a LEDs de alta luminosidade Medição em método RMS Medição até 9999V Medição direta ( F-N e F-F ) índice Medição corrente alternado - BDI-E184V P3

Leia mais

Multimedidor Portátil MPK

Multimedidor Portátil MPK [1] Introdução O Multimedidor Portátil é um instrumento que facilita a análise de instalações elétricas em campo com alta flexibilidade. A solução é composta de: Multimedidor: Instrumento digital microprocessado,

Leia mais

Sensor de Nível Digital / Analógico

Sensor de Nível Digital / Analógico Sensr de Nível Digital / Analógic VERSÃO 2.2 - MANUAL DE REFERÊNCIA RevA1-06/11 Este manual é publicad pela Flex Telecm smente para fins de referência pr parte d usuári. Td esfrç pssível fi realizad para

Leia mais

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO Transfrmadres 1.1- INTRODUÇÃO N estud da crrente alternada bservams algumas vantagens da CA em relaçã a CC. A mair vantagem da CA está relacinada cm a facilidade de se elevar u abaixar a tensã em um circuit,

Leia mais

Soft starter - Matriz auxiliar de seleção SIRIUS

Soft starter - Matriz auxiliar de seleção SIRIUS Sft starter Matriz auiliar de seleçã SIRIUS www.siemens.cm.br/sirius Aplicações Standard / Simples Aplicações de alta funcinalidade Partidas nrmais (Classe ) Partidas pesadas (Classe ) Partidas muit pesadas

Leia mais

Multimedidor MKM-X [1] Introdução Para novas aplicações, considerar a utilização do Multimedidor Mult-K.

Multimedidor MKM-X [1] Introdução Para novas aplicações, considerar a utilização do Multimedidor Mult-K. [1] Introdução O Multimedidor MKM-X é um instrumento digital microprocessado, para instalação em porta de painel, que permite a medição de até 21 parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada (CA).

Leia mais

Indicador Analógico EW96 / EW144

Indicador Analógico EW96 / EW144 [1] Introdução Os indicadores analógicos de potência modelo EW (potência ativa - watts) tem por finalidade a medição da potência de um determinado circuito com forma de onda senoidal. O tipo de circuito

Leia mais

Medidor TKE-120. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida

Medidor TKE-120. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida [1] Introdução O Medidor TKE-120 é um instrumento para instalação em fundo de painel, que permite a medição do consumo de energia ativa (Wh) ou reativa (VArh) em sistemas de corrente alternada (CA). Possui

Leia mais

Indicador Analógico EV96 / EV144

Indicador Analógico EV96 / EV144 [1] Introdução Os indicadores analógicos de potência modelo EV (potência reativa - Var) tem por finalidade a medição da potência de um determinado circuito com forma de onda senoidal. O tipo de circuito

Leia mais

Indicador Analógico EW96 / EW144 EV96 / EV144

Indicador Analógico EW96 / EW144 EV96 / EV144 [1] Introdução Os indicadores analógicos de potência modelo EW (potência ativa - watts) ou EV (potência reativa vars) tem por finalidade a medição da potência de um determinado circuito com forma de onda

Leia mais

ACUMULADOR DE PRESSÃO. Linha de produto 9.1. Pré-seleção

ACUMULADOR DE PRESSÃO. Linha de produto 9.1. Pré-seleção ACUMULADOR DE PRESSÃO Linha de prdut Préseleçã 9.1 Acumuladr de pressã cm diafragma Acumuladr D,725 Acumuladr D,75 Acumuladr D,1625 Acumuladr D,321 Acumuladr D,3225 Acumuladr D,51 Acumuladr D,751 Acumuladr

Leia mais

Boletim Técnico R&D 07/08 CARACTERÍSTICAS DO DRIVER MPC6006 20 de maio de 2008

Boletim Técnico R&D 07/08 CARACTERÍSTICAS DO DRIVER MPC6006 20 de maio de 2008 Bletim Técnic R&D 07/08 CARACTERÍSTICAS DO DRIVER MPC6006 20 de mai de 2008 O bjetiv deste bletim é mstrar as características d driver MPC6006. Tópics abrdads neste bletim: APRESENTAÇÃO DA CPU MPC6006;

Leia mais

Botões e Sinaleiros Ø 30 mm Serviços Pesados

Botões e Sinaleiros Ø 30 mm Serviços Pesados Btões e Sinaleirs Ø 30 mm Serviçs Pesads Tecnlgia para serviçs pesads Btões e Sinaleirs Mair e mais cmpleta linha Baix cust de manutençã Os btões de cmand e sinaleirs cm a furaçã internacinal de Ø 30 mm

Leia mais

[1] Introdução. [2] Aplicações. [6] Condições ambientais relevantes. [3] Benefícios. [7] Características Mecânicas. [4] Precisão

[1] Introdução. [2] Aplicações. [6] Condições ambientais relevantes. [3] Benefícios. [7] Características Mecânicas. [4] Precisão [1] Introdução Os medidores trifásicos IKron 03 são instrumentos digitais para medição de grandezas elétricas em sistemas trifásicos (estrela e delta), bifásicos e monofásicos, aplicáveis em baixa, média

Leia mais

www.bluemedia.com.br MEDIDORES

www.bluemedia.com.br MEDIDORES www.bluemedia.com.br MEDIDORES Detector de Falhas e Analisador Preditivo - PA A linha PA de Detectores de Falhas e Analisadores Preditivos KRON traz uma nova abordagem para o conceito de monitoramento

Leia mais

Modelo GC 2109 T. Família GC 2009 Microcontrolado Indicador Digital de Temperatura 1/8 DIN - 98 x 50mm

Modelo GC 2109 T. Família GC 2009 Microcontrolado Indicador Digital de Temperatura 1/8 DIN - 98 x 50mm Modelo T Família GC 2009 Microcontrolado 1/8 DIN - 98 x 50mm Os Indicadores Digitais de Temperatura da Família GC 2009 são instrumentos precisos e compactos, baseados na moderna tecnologia dos microcontroladores,

Leia mais

BEXIGAS PARA ACUMULADOR

BEXIGAS PARA ACUMULADOR 18.1 Generalidades A cnstruçã da bexiga em uma única peça sem emendas, u uniã vulcanizada, segue um prcediment riginal da HT que vem se aperfeiçand a lng de muit temp, é a característica especial deste

Leia mais

Indicadores Digitais DG48/96

Indicadores Digitais DG48/96 [1] Introdução Os indicadores digitais DG 48 e DG 96 são instrumentos para medição de tensão, corrente, temperatura ou outra variável de processo. A indicação é sempre feita de forma linear. [2] Princípio

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor DC/DC (isolador galvânico) Revisão II

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor DC/DC (isolador galvânico) Revisão II MANUAL DO USUÁRIO Transdutor DC/DC (isolador galvânico) Índice Capítulo Página Introdução 3 Termo de Garantia 3 Características Técnicas 4 Esquemas de Ligação 6 Saída Analógica 8 Instalação do Produto

Leia mais

Multimedidor Mult-K [1] Introdução Mult-K Foto ilustrativa [2] Princípio de funcionamento [5] Precisão Mult-K

Multimedidor Mult-K [1] Introdução Mult-K Foto ilustrativa [2] Princípio de funcionamento [5] Precisão Mult-K [1] Introdução O Multimedidor Mult-K é um instrumento digital microprocessado, para instalação em porta de painel, que permite a medição de até 44 parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada

Leia mais

Indicador digital DGM-96

Indicador digital DGM-96 [] Introdução O é um instrumento digital microprocessado para instalação em porta de painel, que permite a medição de tensão, corrente, freqüência e indicação de cálculo de RPM, horas trabalhadas (carga)

Leia mais

Transdutor Digital MKM-01

Transdutor Digital MKM-01 [1] Introdução O Transdutor é um instrumento digital microprocessado, para instalação em fundo de painel, que permite a medição de até 33 parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada (CA). Para

Leia mais

Extrator de Sucos Modelo

Extrator de Sucos Modelo O PREÇO ALIADO À QUALIDADE METALÚRGICA SIEMSEN LTDA. Rua: Anita Garibaldi, nº 22 - Bairr: Sã Luiz - CEP: 8851-10 Brusque - Santa Catarina - Brasil Fne: +55 (0 )7 211 000 / 255 2000 Fax: +55 (0 )7 211 020

Leia mais

2.1 Características Técnicas

2.1 Características Técnicas 2.1 Características Técnicas 2.1.1 Tensão da alimentação auxiliar... 2.1-2 2.1.2 Cargas... 2.1-2 2.1.3 Entradas de corrente... 2.1-2 2.1.4 Entradas de tensão... 2.1-2 2.1.5 Freqüência... 2.1-2 2.1.6 Exatidão

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Indicadores Digitais DG-48 / DG-96 / DG-96 Duplo

MANUAL DO USUÁRIO. Indicadores Digitais DG-48 / DG-96 / DG-96 Duplo MANUAL DO USUÁRIO DG-48 / DG-96 / DG-96 Duplo Índice Capítulo Página Introdução 3 Termo de Garantia 3 Características Técnicas 4 Esquemas de Ligação 5 Instalação do Produto 7 Curva de resposta 8 Exemplos

Leia mais

Lista de exercícios Conceitos Fundamentais

Lista de exercícios Conceitos Fundamentais Curs: Engenharia Industrial Elétrica Disciplina: Análise Dinâmica Prfessr: Lissandr Lista de exercícis Cnceits Fundamentais 1) Em um circuit trifásic balancead a tensã V ab é 173 0 V. Determine tdas as

Leia mais

Sistema FlexNEC SS. Componentes e acessórios modulares para soluções em sistemas industriais de movimentação.

Sistema FlexNEC SS. Componentes e acessórios modulares para soluções em sistemas industriais de movimentação. Sistema FlexNEC SS Cmpnentes e acessóris mdulares para sluções em sistemas industriais de mvimentaçã. 11/2012 Esquema de mntagem Sistema FlexNEC SS Cmpnentes e acessóris para esteiras transprtadras Imagem

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

Ignição por centelhamento elétrico em queimadores a gás.

Ignição por centelhamento elétrico em queimadores a gás. PRODUTO: ACS-TE--C5 FOLHA TÉCNICA 1/6 1. CERTIFICAÇÕES DA SELCON 2. APLICAÇÃO Ignição por centelhamento elétrico em queimadores a gás. IMPORTANTE: Este transformador de ignição substitui o modelo ACS-TE-21-C4,

Leia mais

Medidor de Energia Mult-K 30Wh

Medidor de Energia Mult-K 30Wh [1] Introdução O Medidor de Energia Mult-K 30Wh é um instrumento digital microprocessado, para instalação em fundo de painel, que permite a medição do consumo de energia ativa (kwh). Com este medidor,

Leia mais

abb Características Ficha técnica IDM 96 Multimedidor Três displays de LED

abb Características Ficha técnica IDM 96 Multimedidor Três displays de LED Ficha técnica IDM 96 Multimedidor Multimedidor para sistemas trifásicos ou monofásicos com medição de 56 variáveis elétricas. Possui medição de harmônicas até a 63ª ordem, THD para corrente e captura de

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Contatores para Manobra de Capacitores Linha CWMC

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Contatores para Manobra de Capacitores Linha CWMC Motores utomação Energia Transmissão & Distribuição Tintas utomação Contatores para Manobra de Capacitores Linha CWMC Manobras de Capacitores para Correção do Fator de Potência linha de contatores especiais

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor de Frequência. Revisão III

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor de Frequência. Revisão III MANUAL DO USUÁRIO Revisão III Índice Capítulo Página Introdução 3 Termo de Garantia 3 Características Técnicas 4 Dimensional do Produto 5 Esquema de Ligação 6 Saída Analógica 7 Instalação do Produto 9

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra

Descrição do Produto. Dados para Compra Descrição do Produto Os módulos supressores para pontos analógicos AL-3492 e AL-3493 foram desenvolvidos para oferecer alta proteção contra surtos de tensão em pontos de entrada ou saída analógicos. Por

Leia mais

Multimedidor MKM-G. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandezas medidas.

Multimedidor MKM-G. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandezas medidas. [1] Introdução O Multimedidor MKM-G é um instrumento digital microprocessado, para instalação em porta de painel, que permite a monitoração dos parâmetros básicos de um GMG (grupo moto gerador). Pode ser

Leia mais

Compatível com o módulo AIO571 Nota: Os conectores de interface dos módulos podem ser do tipo alavanca (para os módulos novos) ou do tipo parafuso.

Compatível com o módulo AIO571 Nota: Os conectores de interface dos módulos podem ser do tipo alavanca (para os módulos novos) ou do tipo parafuso. Automação Industrial Módulos Controlador P7C - HI Tecnologia 7C 573 57 3 O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta

Leia mais

Transdutor Digital MKM-02

Transdutor Digital MKM-02 [1] Introdução O Transdutor é um instrumento digital microprocessado, para instalação em fundo de painel, que permite a medição de parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada (CA). É um instrumento

Leia mais

5 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

5 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL 54 5 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL O nss bjetiv é avaliar desempenh ds dispsitivs pteletrônics LED e ftdetectres cm sensres de mediçã da variaçã da cncentraçã de pluentes particulads atmsférics. Cm este prpósit

Leia mais

A nova metodologia de apuração do DI propõe que o cálculo seja baseado em grupos de taxas e volumes, não mais em operações.

A nova metodologia de apuração do DI propõe que o cálculo seja baseado em grupos de taxas e volumes, não mais em operações. Taxa DI Cetip Critéri de apuraçã a partir de 07/10/2013 As estatísticas d ativ Taxa DI-Cetip Over (Extra-Grup) sã calculadas e divulgadas pela Cetip, apuradas cm base nas perações de emissã de Depósits

Leia mais

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130. V.1.

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130. V.1. Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130 V.1.01 / Revisão 4 ÍNDICE Item Página 1. Introdução...01 2. Características...01

Leia mais

Vantagens do Sistema Trifásico

Vantagens do Sistema Trifásico Vantagens d Sistema Trifásic Original: 6-06-03 Hmer Sette Revisã: 30-06-03 Agra que sistema trifásic chegu as amplificadres, cm advent d TRI 6000 S da Etelj, interesse pel assunt na cmunidade de áudi aumentu

Leia mais

Building Technologies

Building Technologies Building Technologies Detecção de Incêndio Catálogo de Produtos BC80 Índice Página 1. Central de Detecção e Alarme de Incêndio Série BC8001... 4 BC8001/e Central de Detecção e Alarme de Incêndio BC8001

Leia mais

Válvula reguladora de vazão com conexões instantâneas

Válvula reguladora de vazão com conexões instantâneas Válvula reguladra de vazã cm cnexões instantâneas Tip em linha RHS tips de variaçã de mntagem Mntagem em trilh DIN Mntagem direta Mntagem d suprte em L Mntagem d suprte Suprte de mntagem em trilh DIN Suprte

Leia mais

1- Objetivo Orientar e apoiar a utilização dos serviços de Biblioteca por parte do corpo docente, discente e comunidade.

1- Objetivo Orientar e apoiar a utilização dos serviços de Biblioteca por parte do corpo docente, discente e comunidade. Sistema de Gestã de Prcesss Sistema de Gestã da Qualidade Utilizaçã ds Serviçs de Bibliteca 1- Objetiv Orientar e apiar a utilizaçã ds serviçs de Bibliteca pr parte d crp dcente, discente e cmunidade.

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES SS CONTROLADOR DE ENERGIA REATIVA Computer-14d -xx - 144a MANUAL DE INSTRUÇÕES ( M 981 601 / 98C ) REGULADOR DE ENERGIA REATIVA COMPUTER- 14 d 2 1.- REGULADORES DE ENERGIA REATIVA COMPUTER-14d-144a Os

Leia mais

Multimedidor MKM-C. [1] Introdução. [5] Precisão. [2] Princípio de funcionamento. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandezas medidas

Multimedidor MKM-C. [1] Introdução. [5] Precisão. [2] Princípio de funcionamento. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandezas medidas [1] Introdução O Multimedidor MKM-C é um instrumento digital microprocessado, para instalação em porta de painel, que permite a medição de até 26 parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada (CA).

Leia mais

LEITOR PROX 9004 VERSÃO DO MANUAL

LEITOR PROX 9004 VERSÃO DO MANUAL LEITOR PROX 9004 VERSÃO DO MANUAL 1.3 de 11/02/2014 7548 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Itens que Acompanham... 5 3. Especificações Técnicas... 6 4. Características Gerais... 6 5. Recomendações de Instalação...

Leia mais

Manual de instalação e configuração do módulo de entradas WEBER-REP

Manual de instalação e configuração do módulo de entradas WEBER-REP Manual de instalação e configuração do módulo de entradas WEBER-REP Sumário CONVENÇÕES UTILIZADAS...3 DESCRIÇÃO GERAL...4 VANTAGENS...4 CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS...4 ESPECIFICAÇÕES GERAIS...5 LED DE STATUS

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

CR20T. Manual do Usuário

CR20T. Manual do Usuário CR20T Manual do Usuário R 1 Índice Descrição Geral... 3 Aplicações... 3 Características Técnicas... 3 Modo de Operação... 4 Programação...4 Diagrama em blocos do menu... 5 Diagramas de funcionamento...

Leia mais

4.1 Representação em PU

4.1 Representação em PU UIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Análise de Sistemas Elétrics de Ptência 1 4.1 Representaçã em PU P r f. F l á v i V a n d e r s n G m e s E - m a i l : f l a v i. g m e s @ u f j f. e d u. b r E E

Leia mais

Dados técnicos. Polaridade de saída Intervalo seguro de comutação s a 0... 7 mm Dados característicos Condições de montagem B. 5 mm C.

Dados técnicos. Polaridade de saída Intervalo seguro de comutação s a 0... 7 mm Dados característicos Condições de montagem B. 5 mm C. 0102 Designação para encomenda Características 10 mm não nivelado forma plana Entalhe de montagem para agrupador de cabos Dados técnicos Dados gerais Função do elemento de comutação Contacto de trabalho

Leia mais

15/02/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES

15/02/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES IV.2_Controle e Automação II Formando Profissionais Para o Futuro SENSORES Introdução No estudo da automação em sistemas industriais, comerciais e/ou residenciais há a necessidade de determinar as condições

Leia mais

CAPÍTULO - 6 CICLOCONVERSORES

CAPÍTULO - 6 CICLOCONVERSORES CAPÍTULO 6 CICLOCONERSORES 6.1 INTRODUÇÃO O ciclcnversr é destinad a cnverter uma determinada freqüência numa freqüência inferir, sem passagem pr estági intermediári de crrente cntínua. A cnversã de uma

Leia mais

Aula 05 Fontes Independentes e Dependentes

Aula 05 Fontes Independentes e Dependentes Campus I Jã Pessa Disciplina: Análise de Circuits Curs Técnic Integrad em Eletrônica Prfª: Rafaelle Felician 1. Mdels de Circuits Eletrônics Intrduçã Aula 05 Fntes Independentes e Dependentes Uma das funções

Leia mais

o o o o o o Arq.: AN300C Revisão: C Data: 02/04/15 2

o o o o o o Arq.: AN300C Revisão: C Data: 02/04/15 2 Arq.: AN300C Revisã: C Data: 02/04/15 2 Arq.: AN300C Revisã: C Data: 02/04/15 3 Mdel 50000 Entrada (CC) Saída (CA) Ptência CC máxima Tensã de Circuit Abert Sugerida (Vc) Tensã CC mínima Tensã CC máxima

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA FONTE DIGITAL MODELO PS-3060D

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA FONTE DIGITAL MODELO PS-3060D MANUAL DE INSTRUÇÕES DA FONTE DIGITAL MODELO PS-3060D Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do aparelho ÍNDICE 1. Introdução... 01 2. Especificações... 02 2.1. Gerais...

Leia mais

Transmissor de Pressão Submersível 2.75

Transmissor de Pressão Submersível 2.75 Folha de Dados Transmissor de Pressão Submersível 2.75 Geral Os transmissores de pressão da MJK foram desenvolvidos para medição de nível pela imersão do transmissor de pressão em tanques abertos, poços

Leia mais

π Resposta: 4 + j195 Ω.

π Resposta: 4 + j195 Ω. Operaçã e Cntrle de Sistemas de Ptência Lista de Exercícis N. 1 Parte 1: Análise em Regime Permanente de Circuits de Crrente Alternada 1. Se uma fnte csenidal v(t) = 50 cs wt, cm f = 60 Hz, é cnectada

Leia mais

Análise de Riscos. Componentes de um Sistema de Segurança

Análise de Riscos. Componentes de um Sistema de Segurança Chaves Análise de Riscs Análise de riscs segund NBR 4009, EN 954- e NBR 453 Cabe a prjetista a tarefa de reduzir u eliminar tant quant pssível znas de perig desde a cncepçã da máquina até sua cnstruçã

Leia mais

21 55 102 Volume de ar (fluxo livre) 24 55 100 Volume de ar (com filtro de exaustão instalado) m³/h. 14 40 75 Nível de ruído

21 55 102 Volume de ar (fluxo livre) 24 55 100 Volume de ar (com filtro de exaustão instalado) m³/h. 14 40 75 Nível de ruído Série - Ventilador com Filtro (24 630) m³/h SÉRIE.50.8.xxx.1020.50.8.xxx.2055.50.8.xxx.3100 Ventilador com Filtro adequado para armários e painéis elétricos, versões de 120V ou 230V AC Baixo nível de ruído

Leia mais

Sistema de Comercialização de Radiofármacos - Manual do Cliente

Sistema de Comercialização de Radiofármacos - Manual do Cliente Sistema de Cmercializaçã de Radifármacs - Manual d Cliente O IEN está dispnibilizand para s seus clientes um nv sistema para a slicitaçã ds radifármacs. Este nv sistema permitirá a cliente nã só fazer

Leia mais

Questão 11. Questão 12. Resposta. Resposta S 600. Um veículo se desloca em trajetória retilínea e sua velocidade em função do tempo é apresentada

Questão 11. Questão 12. Resposta. Resposta S 600. Um veículo se desloca em trajetória retilínea e sua velocidade em função do tempo é apresentada Questã Um veícul se deslca em trajetória retilínea e sua velcidade em funçã d temp é apresentada na fiura. a) Identifique tip de mviment d veícul ns intervals de temp de 0 a 0 s,de 0 a 30 s e de 30 a 0

Leia mais

Medidor de Energia e Transdutor Digital de Grandezas Elétricas Mult-K 120. [5] Precisão

Medidor de Energia e Transdutor Digital de Grandezas Elétricas Mult-K 120. [5] Precisão [1] Introdução O Medidor de Energia e Transdutor é um instrumento digital microprocessado, para instalação em fundo de painel, que permite a medição de até 44 parâmetros elétricos em sistema de corrente

Leia mais

Descrição Geral 04. Descrição Geral 05. Programação 06. Funcionamento 07. Funcionamento 08. Funcionamento 09. Funcionamento 10

Descrição Geral 04. Descrição Geral 05. Programação 06. Funcionamento 07. Funcionamento 08. Funcionamento 09. Funcionamento 10 Parabéns por ter adquirido um dos produtos da empresa Fertron, uma empresa que tem orgulho de ser brasileira, atendendo clientes em todo o território nacional e também em diversos países. Nossa meta é

Leia mais

ÍNDICE 1. INFORMAÇÕES BÁSICAS

ÍNDICE 1. INFORMAÇÕES BÁSICAS ÍNDICE 1. INFORMAÇÕES BÁSICAS 3 2. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3 3. UTILIZAÇÃO 5 3.1. Indicações de operação 5 3.2. Funcionamento 7 3.3. Observações 8 4. CERTIFICADO DE GARANTIA 9 4.1. Condições de garantia

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E CALIBRAÇÃO

MANUAL DE OPERAÇÃO E CALIBRAÇÃO MANUAL DE OPERAÇÃO E CALIBRAÇÃO ] CONVERSOR DE SINAL PARA CÉLULA DE CARGA (Versão 1.2 Out./10) 1 INDÍCE PÁG. 1 Garantia 3 2 Introdução 3 3 Instalação 3 4 Dados Técnicos 4 5 Alimentação Elétrica 4 6 Disposição

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento Informática Disciplina Sistemas de Instrumentação Engenharia de Sistemas e 1 Ano Curso Ano 2º Semestre Informática º Lectivo Aulas TeóricoPráticas Ficha de Trabalho N.º5 2005/2006 Título Sistemas

Leia mais

Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 -

Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 - T e c n l g i a Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 - Os melhres e mais mderns MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensin tecnlógic de qualidade. Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 - XC110 -

Leia mais

Manual de Instruções do Leitor Prox 9004

Manual de Instruções do Leitor Prox 9004 Manual de Instruções do Leitor Prox 9004 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Especificação Técnica... 5 3. Itens que Acompanham... 5 4. Configuração do Sistema... 6 5. Esquema de Ligação... 7 4. Fixação

Leia mais

LABORATÓRIO DE ELETROTÉCNICA GERAL I EXPERIÊNCIA: ENERGIA, POTÊNCIA E FATOR DE POTÊNCIA (EP)

LABORATÓRIO DE ELETROTÉCNICA GERAL I EXPERIÊNCIA: ENERGIA, POTÊNCIA E FATOR DE POTÊNCIA (EP) LABORATÓRIO DE ELETROTÉCNICA GERAL I EXPERIÊNCIA: ENERGIA, POTÊNCIA E FATOR DE POTÊNCIA (EP) NOTA RELATÓRIO -.... Grupo:............ Professor:...Data:... Objetivo:............ 1 - Considerações gerais

Leia mais

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Indicador Microprocessado ITM44. Versão: 1.xx / Rev.

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Indicador Microprocessado ITM44. Versão: 1.xx / Rev. Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais Manual de Instruções Indicador Microprocessado ITM44 Versão: 1.xx / Rev. 03 ÍNDICE Item Página 1. Introdução... 02 2. Características... 02 3.

Leia mais

Sistema de deteção de fuga de gás. para aquecimento de salas e ambientes semelhantes

Sistema de deteção de fuga de gás. para aquecimento de salas e ambientes semelhantes 7 601 INTELLIGAS Sistema de deteção de fuga de gás para aquecimento de salas e ambientes semelhantes A unidade de controlo eletrónico para a deteção de fuga de gás com sensor individual destina-se a controlar

Leia mais

Rele de Fuga a Terra RFTC-1

Rele de Fuga a Terra RFTC-1 [1] Introdução Os Reles de fuga à terra são instrumentos utilizados para auxiliar na proteção de pessoas, painéis e equipamentos em geral. São capazes de identificar presença de fluxo de corrente elétrico

Leia mais

Rele de Fuga a Terra RFT-3C

Rele de Fuga a Terra RFT-3C [] Introdução Os Reles de fuga à terra são instrumentos utilizados para auxiliar na proteção de pessoas, painéis e equipamentos em geral. Acoplados a sensores de corrente toroidais apropriados, são capazes

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

Relé Auxiliar RCA 116

Relé Auxiliar RCA 116 Relé Auxiliar RCA 116 Aplicação, Estrutura e Funcionamento. Aplicação O Relé Auxiliar RCA 116 é especialmente apropriado para uso em instalações de comando manual, controles automáticos e supervisão. O

Leia mais

Rele de Fuga a Terra RFTC-1

Rele de Fuga a Terra RFTC-1 Rele de Fuga a Terra RFTC-1 [1] Introdução Os Reles de fuga à terra são instrumentos utilizados para auxiliar na proteção de pessoas, painéis e equipamentos em geral. São capazes de identificar presença

Leia mais

Manual de instalação e configuração do módulo de saídas NSR-08

Manual de instalação e configuração do módulo de saídas NSR-08 Manual de instalação e configuração do módulo de saídas NSR-08 Sumário DESCRIÇÃO GERAL...4 VANTAGENS...4 CARACTERÍSTICAS...4 LED DE STATUS DO MODULO...4 ESQUEMA DE LIGAÇÕES...5 LIGAÇÃO DO CABO DE COMUNICAÇÃO...6

Leia mais

Menu de Programação e Operação - Amperímetro Digital - Família GC 2009 Microcontrolado.

Menu de Programação e Operação - Amperímetro Digital - Família GC 2009 Microcontrolado. Operação - Amperímetro Digital - Família GC 2009 Microcontrolado. Com dois reles independentes para controle ou alarme, contatos reversíveis tipo SPDT e Sinal de Saída para Retransmissão da Amperagem medida

Leia mais

MEDIÇÃO DE FATURAMENTO PARA CONSUMIDORES LIVRES (SMF)

MEDIÇÃO DE FATURAMENTO PARA CONSUMIDORES LIVRES (SMF) COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃO MEDIÇÃO DE FATURAMENTO PARA CONSUMIDORES LIVRES (SMF) JUNHO/2016 ÍNDICE 1 MEDIÇÃO DE FATURAMENTO PARA CONSUMIDOR LIVRE 1 1.1 Introdução

Leia mais

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado CCM44. Versão 0.xx / Rev.

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado CCM44. Versão 0.xx / Rev. Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado CCM44 Versão 0.xx / Rev. 03 Índice Ítem Página 1. Introdução... 02 2. Características...

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do RS Faculdade de Engenharia

Pontifícia Universidade Católica do RS Faculdade de Engenharia Pntifícia Universidade Católica d S Faculdade de Engenharia LABOATÓO DE ELETÔNCA DE POTÊNCA EXPEÊNCA 4: ETFCADO TFÁSCO COM PONTO MÉDO ( PULSOS) OBJETO erificar qualitativa e quantitativamente cmprtament

Leia mais

2. APLICAÇÃO Ignição por centelhamento elétricos em queimadores de gás, ou combustíveis líquidos leves como óleo diesel, álcool, querosene, etc..

2. APLICAÇÃO Ignição por centelhamento elétricos em queimadores de gás, ou combustíveis líquidos leves como óleo diesel, álcool, querosene, etc.. PRODUTO: ACS-TE-1-C6 FOLHA TÉCNICA 1/11 1. CERTIFICAÇÕES DA SELCON 2. APLICAÇÃO Ignição por centelhamento elétricos em queimadores de gás, ou combustíveis líquidos leves como óleo diesel, álcool, querosene,

Leia mais

Indicador Digital LC 3 ½ dígitos

Indicador Digital LC 3 ½ dígitos Página 1/5 Características Processo de medição por rampa dupla Indicação automática de polaridade (+ ou -) Indicação de sobrecampo para 3 ½ dígitos (±1) Correção automática do ponto zero Tamanhos (mm):

Leia mais