SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ"

Transcrição

1 SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ Ref.: 0084/24 (Favr referir-se a este númer em tdas as crrespndências) Esta empresa está cnvidada a apresentar prpsta à UNESCO de Elabraçã de Prgrama Editrial para Institut Brasileir de Infrmaçã em Ciência e Tecnlgia ferecend seus melhres preçs e cndições de entrega referentes as bens e/u serviçs descrits abaix: ITEM DESCRIÇÃO DOS BENS E/OU SERVIÇOS QTD Revisã bibligráfica sbre Cmunicaçã Científica Revisã bibligráfica sbre tema Cmunicaçã Científica, levantand s tips e frmats de publicaçã editads pel IBICT. Análise ds prcesss e nrmas editriais e administrativas adtads pel IBICT Estud e análise para elabraçã de Regiment Intern d Cmitê Editrial Prpsta de Nrmas e Linhas Editriais Prpsta de prcesss administrativs e peracinais Plan de Marketing Relatóri Final Estud e análise ds prcesss e nrmas editriais e administrativas adtads pela Crdenaçã de Editraçã, cm vistas à prpsiçã de melhrias ns mesms, entre utrs que venham a ser detectads durante a pesquisa, e que deverã ser aplicads institucinalmente. Dcument técnic cntend prpsta de um regiment intern para Cmitê Gestr Editrial. Dcument técnic cntend prpstas para nrmas e linhas editriais para Prgrama Editrial d IBICT. Dcument técnic cntend prpsta de prcesss administrativs e peracinais para implementaçã d Prgrama Editrial. Dcument técnic cntend Plan de Marketing d Prgrama Editrial d IBICT, incluind, mas nã exclusiv a, definiçã da lgística, metdlgia de definiçã de preçs, entre utrs. Dcument técnic cntend relatóri final sbre a pesquisa cm prpsta de um Prgrama Editrial d IBICT, apresentand definiçã de mdels de dcuments, sugestã de sistemas de gestã e indicadres de qualidade para a preservaçã e melhria cntínua da imagem institucinal, bem cm da manutençã, evluçã e melhria cntínua ds prcesss e serviçs da Crdenaçã de Editraçã.

2 Gerais Frmat abert: 28,5 x 50 cm. Frmat fechad: 22 x 28,5 cm. Lmbada: de acrd cm tamanh d cnteúd. *Versã eletrônica e exemplar impress de cada dcument CAPA Frmat fechad: 22 x 28,5 cm; Cr: 2 u mais, permitind uma cr especial metálica; Lmbada: de acrd cm tamanh d cnteúd intern; Frmat abert: 28,5 x 50 cm; Laminaçã BOPP 28,5 x 50 cm; Baix relev 14 x 22 cm; Laminaçã Ht Stamping 14 x 22 (a ser aplicad n baix relev); Papel Cuchê Fsc 300g; Verniz lcal Psicinad 28,5 x 50 cm; Capa dura frmada pr 3 peças de papelã. MIOLO Papel Pólen Bld 70g; Será exigid papel riund de reflrestament, cm certificad FSC (Frest Stewardship Cuncil) Cnselh de Manej Flrestal, que pderá ser cmprvad cm a apresentaçã de Nta Fiscal de cmpra d papel; cres: 2 u mais cres; Númer de páginas: de acrd cm tamanh d cnteúd ctar pr página; Acabament: unids cm cstura; Lmbada cm entretela; OBS.: Qualquer despesa necessária para frneciment ds serviçs bjet deste Term de Referência crrerá pr cnta da empresa cntratada, inclusive a cntrataçã de cnsultres externs, revisã de text, leitura de prvas, transprte e entrega ds materiais n lcal slicitad. CONDIÇÕES Cndições Gerais Cndições Gerais d Cntrat (Anex I) Praz de Entrega ds Bens/Serviçs 20 (vinte) dias após a assinatura d Cntrat. *OBS.: A versã eletrônica e exemplar impress de cada dcument, cnstante ds itens acima, deverá ser feita após a aprvaçã da versã final feita pela Crdenaçã de Editraçã.

3 Lcal de Entrega ds Bens/Serviçs Apresentaçã da Prpsta Institut Brasileir de Infrmaçã em Ciência e Tecnlgia (IBICT) SAUS Setr de Autarquias Sul Quadra 05 Lte 06 Blc H Respnsável pel recebiment: Ramón Martins Sdma da Fnseca Crdenaçã de Editraçã OBS: A entrega ds materiais deverá ser previamente ntificada através d A prpsta deverá cnter: - Númer da Licitaçã - Nme Fantasia da Licitante - Razã Scial da licitante - Endereç, Telefne, Fax, Site, - Dads Bancáris (Banc, Agência, Cnta) - Nme cmplet e CPF d Respnsável Legal - Cópia d cartã d CNPJ Validade da Prpsta 60 (sessenta) dias Critéri de Avaliaçã Menr Preç Glbal Praz para Questinaments 20 de agst de 24 Data final para envi da Prpsta 18:00h d dia 25 de agst de 24 Endereç de envi da Prpsta

4 ANEXO I: Cndições Gerais d Cntrat para Frneciment de Bens e Serviçs 1. ACEITAÇÃO DO CONTRATO Este Cntrat só pde ser aceit pela assinatura d Cntratad e pela entrega pntual ds bens de acrd cm s terms deste Cntrat, cnfrme especificad neste dcument. A aceitaçã deste Cntrat resultará em um Cntrat entre as partes em que s direits e brigações das Partes serã regids unicamente pels terms e cndições deste Cntrat, incluind estas Cndições Gerais. Nenhuma dispsiçã adicinal u incnsistente prpsta pel Cntratad brigará a UNESCO a nada, a mens que acrdad pr escrit pr seu funcinári devidamente autrizad. 2. DEFINIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS Bens sã, incluind, mas nã se limitand a, equipaments, peças sbressalentes, cmmdities, matérias-primas, cmpnentes, prduts intermediáris e s prduts que Cntratant é brigad a frnecer sb este Cntrat. Os serviçs incluem, sem limitaçã, serviçs cnexs a frneciment ds prduts, instalaçã, treinament, transprte e quaisquer utras brigações, cnfrme exigid n âmbit deste Cntrtatat. 3. PAGAMENTO A UNESCO efetuará, n cumpriment ds prazs de entrega, salv dispsiçã em cntrári n presente Cntrat, pagament n praz de até 30 dias após recebiment da Nta Fiscal d Cntratad e cópias ds dcuments de embarque especificads neste Cntrat. O pagament pela UNESCO nã implica aceitaçã ds prduts nem de quaisquer trabalhs u serviçs relacinads ns terms deste Cntrat. 4. ISENÇÃO DE IMPOSTOS A Seçã 7 da Cnvençã sbre Privilégis e Imunidades das Nações Unidas prevê, nmeadamente, que a UNESCO e seus órgãs subsidiáris sã isents de tds s impsts direts e estã isents de direits aduaneirs em relaçã a artigs imprtads u exprtads para seu us ficial. Assim, Cntratad autriza a UNESCO a deduzir da fatura qualquer mntante que representa tais impsts u direits cbrads a UNESCO pel Cntratad. O pagament desse valr ajustad cnstituirá pagament integral pela UNESCO. N cas de qualquer autridade tributária se recusar a recnhecer a isençã da UNESCO a partir de tais impsts u taxas, Cntratad deverá cnsultar imediatamente a UNESCO. 5. MARCAS Sempre que um INCOTERM fr usad neste Cntrat ele deverá ser interpretad de acrd cm s INCOTERMS LICENÇA DE EXPORTAÇÃO O Cntratad deverá bter qualquer licença de exprtaçã exigida para s bens. 7. INSPEÇÃO E ACEITAÇÃO Tds s bens devem ser sujeits a inspeçã e testes pela UNESCO u seu representante designad, na medida d pssível, em tds s temps e lugares, incluind períd de fabricaçã e, em qualquer cas, antes da aceitaçã final pela UNESCO. Se qualquer inspeçã u teste é feit nas instalações d Cntratad u de seu frnecedr, Cntratad, sem cust adicinal, frnecerá tdas as instalações e assistência razáveis para a segurança e cmdidade ds inspectres n exercíci das suas funções. Tdas as inspeções e testes nas instalações d Cntratad u de seu frnecedr serã realizads de frma a nã atrasar indevidamente u interrmper as atividades cmerciais rdinárias d Cntratad u seu frnecedr. A aceitaçã final u rejeiçã ds bens deve ser feita mais breve pssível após a entrega, mas a falha em inspecinar e/u aceitar e/u rejeitar as bens sã retiram d Cntratad a respnsabilidade pr bens nã cnfrmes, nem impõe brigações à UNESCO. O Cntratad deverá frnecer e manter um sistema de cntrle de prcess de fabricaçã, qualidade e inspeçã que abranja s bens aceitáveis para a UNESCO. Os registrs de td trabalh de inspeçã pel Cntratad deverã ser mantids cmplets e dispnibilizads à UNESCO durante a execuçã ns terms d presente Cntrat e pels 24 (vinte e quatr) meses seguintes u para qualquer utr períd que pde ser especificad neste Cntrat. Cópias de tdas as certificações de materiais e s resultads ds testes deverã ser apresentadas à UNESCO mediante slicitaçã. 8. ADEQUAÇÃO DOS PRODUTOS, INCLUINDO EMBALAGEM O Cntratad garante que s prduts estejam em cnfrmidade cm as especificações e apts para s fins as quais esses prduts sã nrmalmente utilizads, bem cm para fins de, em lcais nde e sb circunstâncias frnecidas pela UNESCO a Cntratad. O Cntratad garante que s prduts sã nvs, de fabricaçã atual e livre de defeits de prjet, fabricaçã e materiais. O Cntratad também garante que s bens estejam firmemente cntid, embalads e marcads, levand em cnsideraçã (s) md(s) de embarque, de frma e md a prteger s bens durante a entrega a seu destin final. A nã ser que um períd mais lng seja especificad n presente cntrat, Cntratad garante e atesta que reparará u substituirá, sem despesa para a UNESCO u seus clientes, quaisquer bens u cmpnentes que cmprvadamente estejam cm defeit n desenh, material u mã de bra dentr de um períd de (um) an a partir da data em que tais bens sejam clcads em us. 9. PÓS-VENDA A Cntratada deverá manter e frnecer assistência técnica, manutençã, serviçs, repars e revisã ds prduts cnfrme slicitaçã da UNESCO e de seus clientes referentes a este Cntrat. 10. INDENIZAÇÃO O Cntratad deverá indenizar e salvaguardar, às suas expensas, a UNESCO, seu pessal e seus clientes de e cntra tdas as ações, reclamações, demandas e respnsabilidades de qualquer natureza u tip, incluind s custs decrrentes de ats u missões d Cntratad u d seu pessal u pr utrs respnsáveis n desempenh ns terms deste Cntrat. 11. PATENTE O Cntratad deverá defender às suas expensas qualquer prcess u açã mvida cntra a UNESCO u seus clientes cm base em uma alegaçã de que qualquer prdut u us nrmal d mesm frnecid sb este Cntrat cnstitui qualquer vilaçã de qualquer patente de qualquer país, se ntificada pr escrit pela autridade cmpetente. As infrmações e assistência para a defesa ds mesms crrerã a expensas d Cntratad. O Cntratad deverá pagar tds s dans e custs nela imputadas à UNESCO u seus clientes. A Cntratada deverá, às suas próprias expensas e a seu critéri, receber da UNESCO direit de cntinuar a usar s bens, mdificá-ls para que se trnem nã infratres u, cm a aprvaçã da UNESCO, remva referidas bens e reemblsar preç de cmpra, incluind s custs de transprte e instalaçã. 12. SEGURO CONTRA INCÊNDIO E COBERURA ESTENDIDA Em tds s temps antes da entrega ds bens e/u serviçs, Cntratad deverá efetuar e manter segur cntra incêndi e segur de cbertura estendida em cima de quaisquer bens sujeits a este cntrat em um mntante igual a valr segurável de tais bens e de serviçs incrprads cm valres a serem pags a Cntratad e à UNESCO de acrd cm surgiment ds seus interesses. 13. VARIAÇÃO NAS QUANTIDADES As quantidades especificadas neste Cntrat nã pderã ser aumentadas u diminuídas sem a prévia autrizaçã pr escrit da UNESCO. 14. MUDANÇAS A UNESCO pderá, a qualquer mment, mediante ntificaçã pr escrit, fazer alterações n âmbit geral deste Cntrat. Se qualquer mudança prvcar um aument u diminuiçã d preç u temp necessári para desempenh d presente Cntrat, será feit um ajuste eqüitativ n preç d Cntrat e/u n crngrama de entrega, e Cntrat deverá ser alterad, rescindid u reeditad em cnfrmidade. Qualquer reclamaçã pel Cntratad para ajuste ns valres deve ser infrmada dentr de 30 (trinta) dias a cntar da data d recebiment da ntificaçã de mudança; n entant, a UNESCO pderá, a seu critéri exclusiv, receber e agir sbre qualquer reclamaçã, a qualquer temp, antes d pagament final ns terms deste Cntrat. A falha em nã cncrdar cm s ajustes será uma cntrvérsia a ser decidida de acrd cm a Cláusula 25. Entretant, nada nesta Cláusula isentará Cntratad de prsseguir cm Cntrat, cnfrme alterad. Nenhuma mdificaçã u alteraçã ns terms deste Cntrat será válida u aplicável cntra a UNESCO, a mens que seja pr escrit e assinada pr um representante devidamente autrizad da UNESCO. 15. RESCISÃO POR CONVENIÊNCIA A UNESCO pderá rescindir este Cntrat, n td u em parte, mediante ntificaçã a Cntratad. Após recebiment da ntificaçã de rescisã, Cntratad deverá tmar medidas imediatas para trazer trabalh e s serviçs a fim de uma frma rápida e rdenada, reduzirá as despesas a mínim e nã realizará qualquer cmprmiss para frente a partir da data de

5 recebiment da ntificaçã de rescisã. Em cas de Rescisã pr Cnveniência, nenhum pagament será devid pela UNESCO a Cntratad, excet para bras e serviçs executads de frma satisfatória antes da rescisã, para as despesas necessárias para a terminaçã rápida e rdenada d trabalh e para cust de tal trabalh necessári. Na medida em que a cmputaçã desse pagament devid pela UNESCO pde nã ser suficiente para Cntratad, em relaçã à rescisã d Cntrat, Cntratad pderá reivindicar um ajuste eqüitativ de acrd cm s prcediments para ajuste eqüitativ referida na Cláusula 14 acima. 16. REMÉDIOS PARA O DESCUMPRIMENTO Em cas de descumpriment d Cntrat pr parte d Cntratad, incluind, mas nã limitad, a nã btençã de licenças necessárias para exprtaçã u para fazer a entrega de tds s bens até a data de entrega acrdad, a UNESCO pderá, após ter dad a Cntratad avis prévi razável executar e sem prejuíz de quaisquer utrs direits u recurss, exercer uma u mais das seguintes direits: (1) adquirir a ttalidade u parte dds bens e/u serviçs de utras fntes/frncedres, cas em que a UNESCO pderá trnar a Cntratada respnsável pr quaisquer custs adicinais decrrentes deste at; (2) recusar-se a aceitar a entrega da ttalidade u de parte ds bens e/u serviçs; (3) rescindir este Cntrat; (4) exigir que Cntratad envie s bens/serviçs pela via mais premium, às expensas d Cntratad, para cumprir crngrama de entrega; (5) impr uma indenizaçã. 17. PENALIDADES POR ATRASO Se cntratante nã entregar a ttalidade u parte ds bens u nã executar qualquer ds serviçs n praz especificad n Cntrat, a UNESCO pderá, sem prejuíz de quaisquer utrs direits e recurss, deduzir d preç ttal estipulad n presente Cntrat mntante de 0,5% d preç de tais bens u serviçs nã executads pr cada semana de atras (u parte dele), até um períd de 8 semanas. 18. FORÇA MAIOR Nã bstante as dispsições das Cláusulas 16 e 17, Cntratad nã pderá ser respnsabilizad pr missã u indemnizaçã, na medida em que seu fracass em cumprir as suas brigações ns terms deste Cntrat é resultad de um event de Frça Mair. Para s fins deste Cntrat, frça mair é definida cm um event fra d cntrle d cntratante, que nã envlva culpa u negligência d Cntratad e que nã seja previsível, incluind desastres naturais, guerra (declarada u nã) e utrs events de natureza u frça similar. 19. FONTE DAS INSTRUÇÕES O Cntratad nã deverá buscar nem aceitar instruções de qualquer autridade externa à UNESCO cm relaçã à execuçã de seus serviçs cnstantes n presente Cntrat. O Cntratad deverá abster-se de qualquer açã que pssa afetar a UNESCO u as Nações Unidas de maneira adversa, devend cumprir seus cmprmisss cm plena cnsideraçã pels interesses da UNESCO. 20. FUNCIONÁRIOS NÃO SE BENEFICIARÃO O Cntratad deverá garantir que nenhum funcinári da UNESCO u das Nações Unidas receba u tenha ferta d Cntratad de qualquer benefíci diret u indiret prveniente d presente Cntrat u prêmi psterir. O Cntratad cncrda que a vilaçã desta dispsiçã representa a vilaçã de um term essencial deste Cntrat. 21. USO DO NOME, EMBLEMA OU SÊLO OFICIAL DA UNESCO OU DA ONU O Cntratad nã deverá divulgar u trnar públic fat de que é um Cntratad da UNESCO, nem deverá, de md algum, usar nme, emblema u sel ficial da UNESCO u das Nações Unidas, u qualquer abreviaçã d nme da UNESCO u das Nações Unidas em cnexã cm seu negóci u similar. 22. CESSÃO E INSOLVÊNCIA O Cntratad nã deverá, excet após a btençã da aprvaçã prévia pr escrit da UNESCO, ceder, transferir, penhrar u fazer utra dispsiçã deste Cntrat u de qualquer parte deste dcument u qualquer ds direits d Cntratante u brigações ns terms deste Cntrat. Cas cntratante se trne inslvente u se cntrle d Cntrat mudar devid à inslvência, a UNESCO pderá, sem prejuíz de qualquer utr direit u recurs, rescindir este Cntrat mediante ntificaçã pr escrit a Cntratante. 23. TRABALHO INFANTIL O Cntratad declara e garante que nem ele, nem qualquer de seus frnecedres está envlvid em qualquer prática que nã esteja de acrd cm s direits estabelecids na Cnvençã sbre s Direits da Criança, incluind Artig 32 da mesma, que, entre utras cisas, determina que a criança seja prtegida de realizar qualquer trabalh que seja insalubre u que interfira em sua educaçã u seja perigs para sua saúde u desenvlviment físic, mental, espiritual, mral u scial. Qualquer quebra dessa declaraçã e garantia dará direit à UNESCO de rescindir este Cntrat imediatamente mediante ntificaçã a Cntratad, sem custs para a UNESCO. 24. MINAS O Cntratad declara e garante que nem ele nem qualquer de seus frnecedres está ativamente e diretamente envlvid em atividades de patenteament, desenvlviment, mntagem, prduçã, cmérci u fabricaçã de minas u em atividades relacinadas a cmpnentes básics utilizads na fabricaçã de minas. O term minas significa aqueles dispsitivs definids n Artig 2, Parágrafs 1, 4 e 5 d Prtcl II anexad à Cnvençã de 1980 sbre Pribições e Restrições a Us de Certas Armas Cnvencinais Que Pdem Ser Cnsideradas Cm Excessivamente Agressivas u de Efeits Indiscriminads. Qualquer quebra dessa declaraçã e garantia dará direit à UNESCO de rescindir este Cntrat imediatamente mediante ntificaçã a Cntratad, sem qualquer respnsabilidade pels encargs de rescisã u qualquer utra brigaçã de qualquer tip para a UNESCO. 25. ARBITRAGEM Qualquer cntrvérsia u reclamaçã resultante de u em cnexã cm qualquer dispsiçã deste Cntrat u qualquer vilaçã d mesm deverá ser, se nã fr reslvida pr cnciliaçã direta, reslvida de acrd cm as Regras de Arbitragem da UNCITRAL em vigr na data deste Cntrat. A UNESCO e Cntratad ficarã sujeits a qualquer sentença arbitral prferida cm resultad da referida arbitragem cm adjudicaçã final de qualquer cntrvérsia u queixa. 26. CONCILIAÇÃO Sempre que, n decurs da negciaçã referida na Cláusula 25 acima, as partes desejarem buscar uma sluçã amigável de tal disputa, cntrvérsia u reivindicaçã pr mei de cnciliaçã, esta será vinculada pela sentença prferida cm resultad da cnciliaçã cm send julgament final de qualquer cntrvérsia u reclamaçã. 27. PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES Nada cntid u relacinad a este Cntrat pderá ser cnsiderad cm renúncia, expressa u implícita, de quaisquer ds privilégis e imunidades das Nações Unidas, incluind seus órgãs subsidiáris. 28. SEGURANÇA A respnsabilidade pela segurança e prteçã d cntratante e d seu pessal e da prpriedade e da prpriedade UNESCO sb custódia d cntratante, cabe a cntratante. O cntratante deverá: (a) Clque em prática um plan de segurança adequad e manter plan de segurança, tend em cnta a situaçã de segurança n país nde estã send prestads s serviçs; (b) Supnha que tds s riscs e respnsabilidades relacinadas cm a segurança d cntratante e plena implementaçã d plan de segurança. UNESCO reserva-se direit de verificar se tal plan está em vigr, e sugerir mdificações a plan quand necessári. A falha em manter e implementar um plan de segurança adequad, cm exigid ns terms deste instrument será cnsiderada uma vilaçã d cntrat. Nã bstante acima, Cntratante será únic respnsável pela segurança d seu pessal e s bens da UNESCO sb sua custódia cm estabelecid na cndiçã. 29. ANTITERRORISMO O cntratante cmprmete-se a envidar tds s esfrçs razáveis para assegurar que nenhum ds funds recebids da UNESCO ns terms deste Cntrat sã usads para dar api a indivídus u entidades assciadas cm terrrism e que s beneficiáris ds mntantes prevists pela UNESCO seguinte nã em aparecer na lista mantida pel Cmitê d Cnselh de Segurança estabelecid ns terms da Resluçã 1267 (1999). A lista pde ser acessada através Esta dispsiçã deve ser incluída em tds s sub- cntrats u sub- cntrats celebrads ns terms deste Cntrat.

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS1 Avaliaçã e Gerenciament de Riscs e Impacts Sciais e Ambientais 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS1 Identificar, avaliar e gerir s

Leia mais

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Prcess/Instruções de Pagament para Aplicaçã n Prgrama de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Requisits de Elegibilidade 1. A empresa deve estar lcalizada em znas de cnstruçã activa na Alum Rck Avenue

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PdC CZ.01 PM 3.5 Versã 1 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid índice. Alterada

Leia mais

2.1.4. Os preços constantes da Ordem de Compra não poderão ser reajustados, salvo mediante expresso consentimento por escrito do PNUD.

2.1.4. Os preços constantes da Ordem de Compra não poderão ser reajustados, salvo mediante expresso consentimento por escrito do PNUD. TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE ORDEM DE COMPRA 1. ACEITAÇÃO DA ORDEM DE COMPRA Esta Ordem de Compra somente será aceita pelo PNUD mediante a assinatura por ambas as partes e fornecimento de acordo com as

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: EQUIPAMENTOS PARA A COESÃO LOCAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 Ns terms d regulament específic Equipaments para a Cesã Lcal,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

PARCERIA PÚBLICO PRIVADA SETOR HABITACIONAL JARDINS MANGUEIRAL

PARCERIA PÚBLICO PRIVADA SETOR HABITACIONAL JARDINS MANGUEIRAL PARCERIA PÚBLICO PRIVADA SETOR HABITACIONAL JARDINS MANGUEIRAL Jardins Mangueiral Primeira Parceria Públic-Privada d Brasil Jardins Mangueiral Famílias beneficiadas: 8.000. Casas de dis e três quarts

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO Term de Referência Anex I - Especificaçã técnica Cntrataçã de Empresa para prestaçã de Serviçs de Treinament na suíte Libreffice TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital Banc Industrial d Brasil S.A. Gerenciament de Capital 2014 1 Sumári 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 4 4. PLANO DE CAPITAL... 5 5. RESPONSABILIDADES... 6

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais Inf - Estruturas Infrmaçã Mensal d Sectr Linha de Crédit PME 2009 Alteraçã à Linha de Crédit para api às Empresas de Prduçã, Transfrmaçã e Cmercializaçã de Prduts Agríclas, Pecuáris e Flrestais A Linha

Leia mais

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU Cnsulta Serviçs de cnceçã e desenvlviment criativ, prduçã e mntagem d Fórum PORTUGAL SOU EU Julh 2014 Cnteúd 1. Intrduçã... 2 2. Enquadrament... 2 3. Públic-Alv... 2 4. Objetivs da Cnsulta... 3 5. Cndições

Leia mais

Gestão de SHST e Ambiente. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança aplicáveis às entidades externas

Gestão de SHST e Ambiente. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança aplicáveis às entidades externas 1 / 7 I. OBJETIVO E ÂMBITO Este dcument estabelece as regras de Segurança n Trabalh e Ambiente aplicáveis a entidades que venham a desenvlver actividades dentr da RESIESTRELA, em regime de cntrat, prestaçã

Leia mais

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows SDK (Sftware Develpment Kit) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licença cnstituem um acrd entre a Micrsft Crpratin (u, dependend d lcal n qual vcê esteja dmiciliad, uma de suas afiliadas)

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO 52ª PREMIAÇÃO ANUAL IAB RJ EDITAL 2014 INTRODUÇÃO O Institut de Arquitets d Brasil - IAB-RJ cnvca arquitets e urbanistas a participarem da 52ª Premiaçã Anual ds Arquitets que, em 2014, agrega às categrias

Leia mais

Software Development Kit (SDK) do Microsoft Kinect para Windows

Software Development Kit (SDK) do Microsoft Kinect para Windows Sftware Develpment Kit (SDK) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licenciament cnstituem um cntrat entre a Micrsft Crpratin (u dependend d país em que reside uma das respetivas empresas afiliadas)

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA AGRICULTURA E ALIMENTAÇÃO FAO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MDS PROCESSO 011/2009 ANEXO I

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA AGRICULTURA E ALIMENTAÇÃO FAO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MDS PROCESSO 011/2009 ANEXO I ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA AGRICULTURA E ALIMENTAÇÃO FAO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MDS PROCESSO 011/2009 ANEXO I Term de Referência PESQUISA PARA AVALIAÇÃO DO PROGRAMA

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO OPERAÇÕES DE DESMATAÇÃO, DESARBORIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE FITOFARMACÊUTICOS

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO OPERAÇÕES DE DESMATAÇÃO, DESARBORIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE FITOFARMACÊUTICOS Página 1 de 9 0 CONTROLO DE REVISÕES... 2 1 OBJECTIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 2 REFERÊNCIAS... 2 3 DEFINIÇÕES... 2 4 ABREVIATURAS... 3 5 PROCEDIMENTO... 3 5.1 NECESSIDADE DE DESARBORIZAÇÃO OU DESMATAÇÃO...

Leia mais

Copyright 1999-2006 GrupoPIE Portugal, S.A. Manual Utilizador

Copyright 1999-2006 GrupoPIE Portugal, S.A. Manual Utilizador Reprts Relatóris à sua Medida Reprts Cpyright 1999-2006 GrupPIE Prtugal, S.A. Reprts 1. WinREST Reprts...5 1.1. Licença...6 1.2. Linguagem...7 1.3. Lgin...7 1.4. Página Web...8 2. Empresas...9 2.1. Cm

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia).

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia). DOCUMENTAÇÃO PARA O PROUNI Cmprvaçã de dcuments Ensin Médi; Ficha de Inscriçã, Identificaçã d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de Endereç d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de renda d Candidat

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD Parecer Cnsultria Tributária Segments Escrituraçã Cntábil Digital ECD 23/12/2013 Parecer Cnsultria Tributária Segments Títul d dcument Sumári Sumári... 2 1. Questã... 3 2. Nrmas Apresentadas Pel Cliente...

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL Cntratante: O CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL - 12º REGIÃO, pessa jurídica de direit públic cnstituída sb a frma de autarquia fiscalizadra,

Leia mais

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 A Diretria d SEBRAE/RS trna públic presente edital e cnvida Artesãs representads pr Assciações e/u Cperativas de Artesanat d Ri Grande d Sul a inscreverem-se

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

2. A programação completa e mais informações estarão disponíveis no site www.gar.esp.br.

2. A programação completa e mais informações estarão disponíveis no site www.gar.esp.br. REGULAMENTO 1. Sbre Event 1. A Gramad Adventure Running é uma prva de revezament junt à natureza que será realizada n dia 09/05/2015 (Sábad) em Gramad, n Estad d Ri Grande d Sul, cm participaçã de ambs

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO

BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO O QUE É O BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO? É um auxíli financeir que tem cm bjetiv cntribuir para, u pssibilitar, a cntrataçã de um cuidadr para auxiliar beneficiáris

Leia mais

NORMA GERAL AMBIENTAL. Tipo de Atividade: Meio Ambiente. Sumário

NORMA GERAL AMBIENTAL. Tipo de Atividade: Meio Ambiente. Sumário Títul: GESTÃO DOS COMPROMISSOS AMBIENTAIS Identificadr: NGL-5.3.1-16.12 Prpnente: Tip de Atividade: Mei Ambiente Revisã: Flha: 1 / 37 Sumári 1. MOTIVAÇÃO...2 2. OBJETIVO...2 2.1. Objetiv Geral...2 2.2.

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 2902/2016

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 2902/2016 SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - N.º 2902/2016 Brasília, 22 de janeiro de 2016. Prezados Senhores, O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD, no âmbito do Projeto 00092836 WWP IPC, com financiamento

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

As cópias dos contratos, assim como outros documentos do projeto, a seguir relacionados serão fornecidos após celebração do contrato dos serviços:

As cópias dos contratos, assim como outros documentos do projeto, a seguir relacionados serão fornecidos após celebração do contrato dos serviços: Term de Referência para cntrataçã de Auditres Externs A Rede Nrte-Sul http://www.nrd-sued-netz.de é um departament da DGB Bildungswerk BUND, instituiçã educacinal pertencente à Cnfederaçã ds Sindicats

Leia mais

Diretoria de Regulação de Emissores (DRE)

Diretoria de Regulação de Emissores (DRE) Diretria de Regulaçã de Emissres (DRE) Principais alterações a Regulament e Manual d Emissr 14/03/2016 x Cnfidencial Us Us Intern Públic 1 Regulament e Manual: principais alterações Divulgaçã: até 31/març.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR DIRETORIA INSTITUCIONAL

TERMO DE REFERÊNCIA TR DIRETORIA INSTITUCIONAL TERMO DE REFERÊNCIA TR RETORIA INSTITUCIONAL CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE GESTÃO DE PROJETOS DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL DO XINGU PDRSX UHE BELO MONTE S/A ALTAMIRA PARÁ Janeir, 2016

Leia mais

Manual do Rondonista 2006

Manual do Rondonista 2006 Manual d Rndnista 2006 www.defesa.gv.br/prjetrndn 1 1 ÍNDICE MANUAL DO RONDONISTA... 3 I. FINALIDADE... 3 II. O PROJETO RONDON...3 a. Missã...3 b. Objetivs...3 III. DEVERES E DIREITOS DO RONDONISTA...

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

Regulamento Biblioteca FACULDADE IPEL

Regulamento Biblioteca FACULDADE IPEL REGULAMENTO BIBLIOTECA FACULDADE IPEL Regulament Bibliteca FACULDADE IPEL Pus Alegre/MG 2014 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESTE REGULAMENTO TEM POR OBJETIVO ESTABELECER NORMAS REFERENTES AO FUNCIONAMENTO DA

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5 Agenda: Event Sage AEBB Legislaçã inventári permanente (reduçã ds limites) Cnfigurações inventári permanente (ligaçã à CTB) O inventári a 31 de dezembr (imprtância d cntrl stcks, sage inventáris cntagem

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 027/ DE 19 DE NOVEMBRO DE VESTIBULAR 16/01 O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP 64.073-505,

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

Anexo VI Termos e Condições Gerais (Ordem de Compra)

Anexo VI Termos e Condições Gerais (Ordem de Compra) Anexo VI Termos e Condições Gerais (Ordem de Compra) 1. ACEITAÇÃO DA ORDEM DE COMPRA Esta Ordem de Compra somente será aceita pelo PNUD mediante a assinatura por ambas as partes e fornecimento de acordo

Leia mais

Manual de Convênios e Termos de Cooperação para Projetos de P&D&I

Manual de Convênios e Termos de Cooperação para Projetos de P&D&I Manual de Cnvênis e Terms de Cperaçã para Prjets de P&D&I Gestã de Cnvênis PETROBRAS GTEC/GPPT Apresentaçã O Manual de Cnvênis e Terms de Cperaçã para desenvlviment de prjets de pesquisa e desenvlviment

Leia mais

S3 - Explicação sobre endereço e/ou número de telefone dos EUA

S3 - Explicação sobre endereço e/ou número de telefone dos EUA S3 - Explicaçã sbre endereç e/u númer de telefne ds EUA Nme Númer da Cnta (se huver) A preencher seu Frmulári W-8 d IRS, vcê afirma nã ser cidadã u residente ds EUA u utra cntraparte ds EUA para efeit

Leia mais

Descrição do serviço. Visão geral do serviço. Escopo dos serviços Copilot Optimize. Copilot Optimize CAA-1000. Escopo

Descrição do serviço. Visão geral do serviço. Escopo dos serviços Copilot Optimize. Copilot Optimize CAA-1000. Escopo Descriçã d serviç Cpilt Optimize CAA-1000 Visã geral d serviç Esta Descriçã d serviç ( Descriçã d serviç ) é firmada pr vcê, cliente, ( vcê u Cliente ) e a entidade da Dell identificada na fatura de cmpra

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

o o o o o o o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 Rio 2016 Organising Committee for the Olympic and Paralympic Games

o o o o o o o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 Rio 2016 Organising Committee for the Olympic and Paralympic Games Requeriments de Pódi: Requeriments Mandatóris: O frnecedr deverá adtar s requeriments mínims definids n Códig Básic da Iniciativa Ética Cmercial (IEC) / Ethical Trading Initative (ETI): O empreg deverá

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013. Item 01. Requisitos básicos com justificação

PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013. Item 01. Requisitos básicos com justificação PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013 Item 01. Requisits básics cm justificaçã a. Serviç a ser licitad:. Escrituraçã mensal d livr diári; Escrituraçã mensal d livr

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão FMUSP - HC. Faculdade de Medicina da USP Diretoria Executiva da FMUSP e Diretoria Executiva dos LIMs

Procedimento Operacional Padrão FMUSP - HC. Faculdade de Medicina da USP Diretoria Executiva da FMUSP e Diretoria Executiva dos LIMs 1. OBJETIVOS: fixar nrma para realizaçã ds prcediments de cleta interna de carcaças de animais de experimentaçã n Sistema FMUSP-HC, bservand-se as devidas cndições de higiene e segurança. 2. ABRANGÊNCIA:

Leia mais

Manual de Termos de Cooperação para Projetos de P&D&I

Manual de Termos de Cooperação para Projetos de P&D&I Manual de Terms de Cperaçã para Prjets de P&D&I Gestã de Terms de Cperaçã PETROBRAS GTEC/GPPT Apresentaçã O Manual de Terms de Cperaçã para desenvlviment de prjets de pesquisa e desenvlviment e invaçã

Leia mais

Modelo de Negócios. TRABALHO REALIZADO POR: Antonio Gome- 2007009 // Jorge Teixeira - 2008463

Modelo de Negócios. TRABALHO REALIZADO POR: Antonio Gome- 2007009 // Jorge Teixeira - 2008463 Mdel de Negócis Trabalh n âmbit da disciplina de Mdelaçã de dads. Criaçã de uma platafrma utilizand as tecnlgias SQL PHP e Javascript.. TRABALHO REALIZADO POR: Antni Gme- 2007009 // Jrge Teixeira - 2008463

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA EDITAL Nº 01/2014

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA EDITAL Nº 01/2014 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA PARA O CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL PARA O SEGUNDO PERÍODO LETIVO DE 2014. 1. PREÂMBULO 1.1. O Crdenadr d Prgrama de

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2008/2009, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais

Contabilidade Martins

Contabilidade Martins DOCUMENTOS PARA CONTABILIDADE Visand melhrar nss intercâmbi administrativ e s serviçs prestads pr este escritóri, remetems instruções cm relaçã a sua mvimentaçã mensal, dand ênfase a cntrle de arquivs,

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO E ANEXOS

EDITAL DE LICITAÇÃO E ANEXOS CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL N PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA (PPP) NA MODALIDADE DE CONCESSÃO ADMINISTRATIVA PARA MODERNIZAÇÃO, OTIMIZAÇÃO, EXPANSÃO, MANUTENÇÃO DA INFRAESTRUTURA E CONTROLE EM TEMPO REAL DA REDE

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA Fund Lcal n Cncelh de Paredes de Cura PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO Entre: O Municípi de Paredes de Cura, pessa clectiva nº 506

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO POLÍTICA SOBRE PRESENTESE ENTRETENIMENTO Oferecer u receber presentes cmerciais e entreteniment é frequentemente uma frma aprpriada

Leia mais

UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC UNIDADE DE CHAPECÓ Aviso Público Nº 08/Unoesc/2012

UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC UNIDADE DE CHAPECÓ Aviso Público Nº 08/Unoesc/2012 UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC UNIDADE DE CHAPECÓ Avis Públic Nº 08/Unesc/2012 O Magnífic Reitr da Universidade d Oeste de Santa Catarina - Unesc, pessa jurídica de direit privad, mantida

Leia mais

AVISO. operações urbanísticas, que evoluirá até à desmaterialização total, num curto espaço de tempo,

AVISO. operações urbanísticas, que evoluirá até à desmaterialização total, num curto espaço de tempo, AVISO NORMAS DE INSTRUÇÃO DE PROCESSOS EM FORMATO DIGITAL A Câmara Municipal de Viseu vai iniciar, n próxim dia 5 de Janeir de 2015, a implementaçã da tramitaçã eletrónica ds prcesss de licenciament/admissã

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estud de Cas Camila Gmes da Silva 1, Vilma da Silva Sant 2, Paul César Ribeir Quintairs 3, Edsn Aparecida de Araúj Querid Oliveira 4 1 Pós-graduada em

Leia mais

GRADE CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE PINTURA DE CAVALETE 2016

GRADE CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE PINTURA DE CAVALETE 2016 GRADE CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE PINTURA DE CAVALETE 2016 Módul l CIENCIAS EMPRESARIAIS ORGANIZAÇÃO APRESENTAÇÃO PESSOAL - DOCUMENTAÇÃO 05 de Març Sábad Das 9 às 17h Apresentaçã d curs Sbre lcal de

Leia mais