CADERNO DE PROVA OBJETIVA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CADERNO DE PROVA OBJETIVA"

Transcrição

1 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RESIDÊNCIA INTEGRADA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DO ADULTO E DO IDOSO COM ÊNFASE EM ATENÇÃO CARDIOVASCULAR (EDITAL N.º 09/2010 CEV/UFMT) CADERNO DE PROVA OBJETIVA Nome do Candidato Número de Inscrição - Assinatura do Candidato Universidade Federal de Mato Grosso Coordenação de Concursos e Exames Vestibulares

2 I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM ATENÇÃO 1. Este Caderno de Prova, com páginas numeradas de 1 a 15 é constituído de 50 (cinquenta) questões objetivas, cada uma com quatro alternativas, assim distribuídas: 01 a 20 Políticas, Gestão e Legislação em Saúde 21 a 50 Conhecimentos Específicos 2. Caso o Caderno de Prova esteja incompleto ou tenha qualquer defeito de impressão, solicite ao fiscal que o substitua. 3. Sobre a Marcação da Folha de Respostas As respostas deverão ser, obrigatoriamente, transcritas com caneta esferográfica de tinta preta não porosa para a Folha de Respostas, que será o único documento válido para correção. Não haverá substituição da Folha de Respostas por erro do candidato. 3.1 Para cada questão existe apenas uma alternativa que a responde acertadamente. Para a marcação da alternativa escolhida na FOLHA DE RESPOSTAS, pinte completamente o campo correspondente. Exemplo: Suponha que para determinada questão a alternativa C seja a escolhida. N.º da Questão A B C D 3.2 Será invalidada a questão em que houver mais de uma marcação, marcação rasurada ou emendada, ou não houver marcação. 3.3 Não rasure nem amasse a FOLHA DE RESPOSTAS. 4. A duração da prova é de 4 (quatro) horas, já incluído o tempo destinado ao preenchimento da FOLHA DE RESPOSTAS. 5. Todos os espaços em branco, neste caderno, podem ser utilizados para rascunho. 6. Será permitida a saída de candidatos da sala de prova somente após decorridas 2:30h (duas horas e trinta minutos) do início da prova. Nesse caso, o candidato deverá entregar, obrigatoriamente, ao fiscal o Caderno de Prova e a Folha de Respostas. 7. O candidato que insistir em sair da sala de prova antes de transcorridas 2:30h (duas horas e trinta minutos) do início da prova deverá assinar Termo de Ocorrência declarando desistência do Concurso. 8. Será permitida a saída de candidatos levando o Caderno de Prova somente quando estiver faltando 30 (trinta) minutos para o término da prova. 9. É vedado ao candidato copiar as marcações feitas na Folha de Respostas. 10. Terminada a prova, o candidato deverá, obrigatoriamente, entregar ao fiscal a FOLHA DE RESPOSTAS.

3 POLÍTICAS, GESTÃO E LEGISLAÇÃO EM SAÚDE Questão 01 NÃO é competência do Conselho Municipal de Saúde: [A] Analisar e aprovar projetos, programas e ações de saúde em consonância com as diretrizes do Ministério da Saúde. [B] Desenvolver, a partir de denúncias, ações de controle social conforme os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS). [C] Apreciar e aprovar o Plano de Trabalho Anual (PTA) e o Relatório de Gestão da Secretaria Municipal de Saúde. [D] Definir, aprovar e aplicar os recursos destinados às ações de saúde no município. Questão 02 Qual lei estruturante do Sistema Único de Saúde (SUS) propõe inovação democratizada e dispõe sobre o controle social através da participação da comunidade na Gestão do SUS? [A] Lei n.º 8212/91 [B] Lei n.º 8069/90 [C] Lei n.º 8028/90 [D] Lei n.º 8142/90 Questão 03 A Seção II, Capítulo II da Seguridade Social e seus cinco Artigos (196, 197, 198, 199 e 200), inclusos na Constituição Federal da República, tratam de um conjunto de regulamentações visando à garantia de políticas e ações de saúde em nível nacional. Sobre essa legislação e sua aplicabilidade no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), analise as afirmativas. I - As ações e serviços públicos de saúde devem seguir um modelo assistencial, independentemente de integrarem uma rede regionalizada e hierarquizada de serviços. II - A descentralização deve pautar-se num processo de condução com direção única em cada esfera de governo. III - As instituições privadas poderão participar de forma complementar do Sistema Único de Saúde com base em diretrizes, contratos ou convênios. IV - O processo de formação de recursos humanos na área da saúde estabelece prioridade exclusiva para a atenção básica. Estão corretas as afirmativas [A] II e III, apenas. [B] I, II e III, apenas. [C] I e IV, apenas. [D] I, II, III e IV. Questão 04 No âmbito da previsão orçamentária, NÃO se caracteriza como despesa de responsabilidade do Sistema Único de Saúde (SUS): [A] Campanha de promoção e prevenção de doenças realizada fora da área urbana dos municípios. [B] Gasto com medicamentos de alto custo determinado por ações judiciais em face do aumento de doenças crônicas degenerativas. [C] Ação de limpeza urbana (inclusive lixo hospitalar) realizada por órgãos estaduais ou municipais específicos ou empresas terceirizadas. [D] Contratualização de serviços assistenciais que não estejam previstos na rede assistencial do SUS. 1/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

4 Questão 05 Em relação ao financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS), marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) Conforme consta na Constituição Federal, uma das fontes que subsidia o financiamento do SUS são os recursos do orçamento da Seguridade Social da União. ( ) Os recursos para o financiamento da saúde são repassados por meio de acordos formais e informais, convênios e remuneração por serviços produzidos. ( ) A remuneração por serviços produzidos é realizada pelo Ministério da Saúde diretamente aos prestadores de serviços de saúde cadastrados no SUS. ( ) A transferência de recursos financeiros via fundo a fundo de saúde é realizada, regular e automaticamente, da União para os Estados e Municípios, sem necessidade de acompanhamento, destinação e utilização por parte dos Conselhos de Saúde. Assinale a sequência correta. [A] F, F, V, F [B] V, F, V, F [C] F, V, F, V [D] V, F, F V Questão 06 A Política Nacional de Educação Permanente em Saúde (PNEPS), criada pela Portaria GM/MS n.º 198/2004 e expandida pela Portaria GM/MS n.º 1996/2007, agrega em seu bojo um conjunto de propósitos, princípios e finalidades. Com base nesses elementos, assinale a afirmativa correta. [A] Propõe transformações das práticas profissionais com ênfase exclusiva na dimensão técnica. [B] Constitui uma proposta que prioriza o trabalho articulado entre o sistema de saúde, em suas esferas de gestão, e as instituições formadoras, com vista à identificação de problemas cotidianos e à construção de soluções. [C] Destina-se a públicos multiprofissionais, focada restritamente nos trabalhadores que lidam de forma direta com os processos interventivos em saúde. [D] Seus propósitos, princípios e finalidades são idênticos aos da Educação Continuada, uma vez que se pautam em compromissos entre os trabalhadores, gestores, instituições de ensino e usuários para o desenvolvimento institucional e individual. Questão 07 Sobre o processo de trabalho em saúde, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) O processo de trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS) vem sendo objeto de múltiplas reflexões e reorganização em face de suas singularidades e complexidade. ( ) Uma característica marcante no processo de trabalho em saúde é a divisão técnica do trabalho e sua subsequente fragmentação. ( ) O trabalho em equipe multiprofissional tem sido uma estratégia insistentemente defendida pelos gestores do setor público e privado de saúde, porém impossível de se concretizar em função dos conflitos profissionais. ( ) A organização do processo de trabalho em saúde independente das condições de trabalho. Assinale a sequência correta. [A] V, F, V, F [B] F, V, F, V [C] F, F, F, V [D] V, V, F, F 2/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

5 Questão 08 Em relação ao novo Modelo de Atenção proposto na Política Nacional de Humanização que vem se consolidando no setor saúde, seus valores humanitários e adoção de novas estratégias, numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda. 1 Acolhimento 2 Vínculo/responsabilização 3 Autonomização 4 Reorganização dos processos de trabalho Marque a sequência correta. [A] 2, 1, 4, 3 [B] 3, 2, 1, 4 [C] 1, 3, 2, 4 [D] 4, 1, 3, 2 Questão 09 ( ) Baseia-se no estabelecimento de referências dos usuários a uma dada equipe de trabalhadores e na responsabilização destes para com aqueles, no que diz respeito à produção de cuidados. ( ) Possibilidade de universalizar o acesso, abrindo as portas da Unidade a todos os usuários que dela necessitarem, utilizando a escuta qualificada no atendimento, visando à resolução dos seus problemas com respostas positivas e encaminhamentos adequados. ( ) Revisão e inauguração de novas práticas profissionais ancoradas no diálogo e na equipe multiprofissional a partir de seus microespaços de trabalho e poder. ( ) Caracteriza-se como a estratégia de alcance de resultados esperados da produção do cuidado, através de ganhos de autonomia do usuário para viver a vida. A estratégia que preconiza a produção de cuidado integral em saúde de forma sistêmica, pactuada e integrada, envolvendo os atores que controlam os serviços, bem como os recursos disponíveis capazes de garantir o acesso seguro às tecnologias necessárias por área assistencial, denomina-se: [A] Cuidado Humanizado em Saúde [B] Integralidade Sanitária [C] Linhas de Produção do Cuidado [D] Cuidado Dicotomizado em Saúde Questão 10 Sobre a Reforma Sanitária brasileira, analise as afirmativas. I - Constitui uma proposta abrangente de mudança social e um processo de transformação sanitária gestada desde a década de 70 do século XX. II - Deve ser entendida simplesmente como uma reforma setorial. III - Na busca de viabilidade para as intervenções propostas pela Reforma Sanitária, utilizou-se unicamente de dois caminhos: legislativo-parlamentar e técnico-institucional. IV - Os princípios e as diretrizes da Reforma foram sistematizados na 8ª Conferência Nacional de Saúde, destacando-se: conceito ampliado de saúde; Sistema Único de Saúde (SUS) e participação popular. Estão corretas as afirmativas [A] II e III, apenas. [B] I, II e III, apenas. [C] I e IV, apenas. [D] I, II, III e IV. 3/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

6 Questão 11 Em relação ao Planejamento Estratégico e seus múltiplos componentes, usualmente aplicado no campo da Saúde, numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda Missão Planejamento estratégico Meta Planejamento tático Planejamento Operacional Marque a sequência correta. [A] 2, 1, 4, 5, 3 [B] 1, 2, 3, 5, 4 [C] 2, 1, 3, 4, 5 [D] 5, 3, 4, 1, 2 ( ) É uma ferramenta administrativa que, através da análise do ambiente de uma organização, cria a consciência das suas oportunidades e ameaças dos seus pontos fortes e fracos com vista ao cumprimento da sua missão, objetivos, visão e metas institucionais. ( ) É uma forma de traduzir determinado sistema de valores em termos de crenças ou áreas básicas de atuação, considerando as tradições e filosofias da empresa. ( ) É um planejamento de curto prazo, predominantemente quantitativo, abrangendo decisões administrativas e operações táticas, visando à eficiência da organização. ( ) É o planejamento que se caracteriza pela formalização de documentos escritos, das metodologias de desenvolvimento e de implantação no nível de intervenção. ( ) Valor numérico definido a partir dos objetivos a serem alcançados ao longo do tempo. Questão 12 Em relação à limpeza em serviços de saúde, a NR 32 regulamenta: [A] Permite-se a varrição seca nas áreas internas. [B] A comprovação da capacitação dos trabalhadores que realizam a limpeza dos serviços de saúde deve ser mantida no local de trabalho e à disposição da inspeção do trabalho. [C] O empregador não deve proibir o uso de adornos pelos trabalhadores em serviço. [D] A capacitação dos trabalhadores deve ser voltada especificamente para uso de EPI. Questão 13 A Norma Regulamentadora NR 32 tem por finalidade garantir segurança e saúde no trabalho em serviços de saúde. Essa norma regulamenta: [A] É viável o procedimento de reutilização das embalagens de produtos químicos. [B] Os trabalhadores não devem sair do local de trabalho com os EPI e as vestimentas utilizadas em suas atividades laborais. [C] É dispensável local destinado para atividades administrativas na área exclusiva de preparo de quimioterápicos e antineoplásicos. [D] O empregador está desobrigado de manter no local de trabalho o plano de proteção radiológica (PPR). 4/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

7 Questão 14 Com base na Norma Regulamentadora NR 32, assinale a afirmativa correta. [A] Na área de serviço de medicina nuclear, os pisos e paredes podem ser permeáveis. [B] As atividades com quimioterápicos e antineoplásicos podem ser efetivadas, mesmo na falta de EPI. [C] Para recipientes destinados à coleta de material pérfuro-cortante, o limite máximo de enchimento deve estar localizado 5 cm abaixo do bocal. [D] Os quartos ou enfermarias destinados ao isolamento de pacientes portadores de doença infecto-contagiosa devem ter lavatório no seu exterior próximo à porta. Questão 15 Os Sistemas de Informações em Saúde (SIS) são instrumentos importantes de suporte à Gestão em Saúde. Em relação aos SIS, assinale a afirmativa correta. [A] Todos os dados de saúde mesmo incompletos se convertem em informação. [B] Contribuem para orientar a implantação dos modelos de atenção e de promoção da saúde. [C] Contribuem apenas para o cumprimento das finalidades técnico-operacionais. [D] Sua eficácia independe do estabelecimento dos elementos da infraestrutura de informação e avaliação da qualidade dos dados. Questão 16 A epidemiologia utiliza vários indicadores e índices em saúde. Sobre o assunto, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) Os índices mais utilizados em saúde são os de Swaroop e Uemura, a mortalidade infantil proporcional e o percentual de casos de óbitos no total dessas ocorrências por variáveis específicas (idade, lugar etc). ( ) Os coeficientes de mortalidade são definidos como quocientes entre as frequências relativas de óbitos e o número de expostos ao risco de morrer. ( ) A Organização Mundial da Saúde (OMS) desaconselhou o uso de dados de óbitos para avaliação dos níveis de saúde das coletividades, em consequência da deficiência de outros dados que ensejassem comparações internacionais. ( ) Recentes indicadores propostos pela OMS para avaliar os progressos alcançados na atenção primária são: disponibilidade de calorias e de proteínas, desemprego, pobreza e fecundidade geral. Assinale a sequência correta. [A] F, V, F, F [B] V, F, V, F [C] V, F, F, V [D] F, F, V, V Questão 17 Em relação à epidemiologia hospitalar, assinale a afirmativa correta. [A] A vigilância epidemiológica das infecções nosocomiais, pela comparação das taxas de infecção hospitalar interinstitucional e intrainstitucional, representa importante instrumento de avaliação da assistência hospitalar. [B] Uma das grandes dificuldades para usar itens de controle que envolvam resultados é a influência padronizável da matéria prima paciente nos resultados. [C] O modelo de coleta de dados para análise epidemiológica hospitalar mais eficaz é a concorrente por contar com dados completos. [D] Os vieses epidemiológicos representam apenas um erro na condução do estudo, tendo pouca influência na estimativa do efeito da exposição no risco do evento investigado. 5/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

8 Questão 18 A vigilância à saúde busca contemplar em sua prática os princípios da integralidade e da atenção à saúde combinando diversas tecnologias para intervir sobre a realidade, porém, caracteriza-se como uma prática diferenciada de outras na área da saúde pública. NÃO caracteriza a prática de vigilância à saúde: [A] Caráter de atividade contínua, permanente e sistemática. [B] Foco dirigido para determinados resultados específicos. [C] Utilização de dados diretamente relacionados com práticas de saúde pública, referentes à morbidade e mortalidade. [D] Sentido utilitário, pragmático da atividade que visa somente estabelecer o controle de doenças. Questão 19 A Política Nacional de Atenção Básica (PNAB), regulamentada pela Portaria n.º 648/2006, estabeleceu os fundamentos da Atenção Básica. NÃO é fundamento da Atenção Básica da PNAB: [A] Estimular a participação popular e o controle social. [B] Valorizar os profissionais da saúde por meio de estímulo e acompanhamento constante de sua formação e capacitação. [C] Desenvolver ações de vínculo e responsabilidade entre as equipes e a população adstrita. [D] Desencorajar a integração de ações programáticas e demanda espontânea. Questão 20 Quanto aos níveis de atenção em saúde, é INCORRETO afirmar: [A] A Portaria SAS/MS n.º 968/2002 definiu o elenco de procedimentos considerados de média complexidade ambulatorial e hospitalar. [B] A atenção terciária é definida por um conjunto de procedimentos que envolvem alta tecnologia e alto custo. [C] A atenção secundária é caracterizada por procedimentos de média complexidade ambulatorial. [D] A atenção primária responde a 85% das necessidades de saúde da população. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Questão 21 Em relação à Saúde Pública no Brasil, à legislação pertinente ao Sistema Único de Saúde (SUS) e ao trabalho da Psicologia nesse contexto, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) O Psicólogo deve respeitar a integralidade, a universalidade e a autonomia dos usuários do SUS, conforme determina a Lei n.º 8080/1990. ( ) O Psicólogo não pode atender indígenas, porque essa população não é assistida pelo SUS. ( ) Na saúde pública, o Psicólogo pode trabalhar na promoção da saúde, na prevenção da doença e na recuperação da saúde. ( ) O SUS reconhece que, na modalidade de assistência de atendimento e internação domiciliares, incluemse os procedimentos psicológicos. Assinale a sequência correta. [A] V, V, F, F [B] V, F, V, V [C] F, V, V, F [D] F, F, F, V 6/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

9 Questão 22 Sobre os níveis de atenção do Sistema Único de Saúde (SUS) e o trabalho do Psicólogo na atenção cardiovascular da saúde do adulto e do idoso, numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda. 1 Atenção primária 2 Atenção secundária 3 Atenção terciária ( ) Acompanhamento psicológico com paciente transplantado. ( ) Ministrar palestras sobre a temática controle do estresse para pacientes transplantados. ( ) Observar, junto aos agentes comunitários, a forma com que a população atendida lida subjetivamente com as emoções, visando elaborar ações de promoção da saúde. Marque a sequência correta. [A] 2, 3, 1 [B] 3, 1, 2 [C] 3, 2, 1 [D] 1, 3, 2 INSTRUÇÃO: Leia a situação abaixo e responda às questões 23 e 24. Paciente de 50 anos, cardiopata, homem, casado, 3 filhos, teve infarto do miocárdio há duas semanas e está internado em Cuiabá em uma instituição hospitalar que trata de pacientes com doenças cardiovasculares pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Nessa instituição, trabalha um Psicólogo que embasa sua prática na abordagem psicanalítica. Questão 23 Nesse contexto, o psicanalista deve trabalhar utilizando os preceitos de sua teoria adequados ao contexto hospitalar. A coluna da esquerda apresenta aspectos do trabalho da psicanálise e a da direita, conceitos. Numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda Vínculo terapêutico entre paciente e psicanalista Objeto do trabalho desse profissional Técnica de trabalho Contrapartida da associação livre Assinale a sequência correta. [A] 2, 3, 1, 4 [B] 1, 3, 4, 2 [C] 4, 1, 2, 3 [D] 2, 4, 1, 3 ( ) Inconsciente do paciente ( ) Atenção flutuante ( ) Transferência ( ) Associação livre Questão 24 No que se refere ao trabalho do psicanalista com esse paciente, assinale a afirmativa correta. [A] Diante desse paciente, deve saber que a especificidade da psicanálise não está na área de sua atuação e sim na sua abordagem teórica. [B] Deve negar-se a trabalhar com esse paciente, pois nessas condições a escuta do sujeito do inconsciente é prejudicada. [C] A ética da psicanálise não permite esse tipo de atendimento, pois esse paciente deve receber alta hospitalar logo, o que impede a continuidade do trabalho analítico. [D] Somente pode trabalhar com a família desse paciente, pois a medicação prescrita impede que ele estabeleça transferência com o profissional e realize elaboração de seus impasses subjetivos. 7/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

10 Questão 25 Em relação ao histórico dos trabalhos na área de Saúde Mental, à Lei n.º /2001 e ao papel do Psicólogo nesse contexto, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) O Psicólogo sempre fez parte da equipe profissional que trabalha na área da Saúde Mental. ( ) A presença de um Psicólogo na equipe multiprofissional de saúde mental já garante ao paciente que este seja ressocializado e tratado como cidadão. ( ) O Psicólogo pode trabalhar no desenvolvimento da política de saúde mental, na assistência e na promoção de ações de saúde aos portadores de transtornos mentais. ( ) Pesquisas científicas para fins diagnósticos ou terapêuticos poderão ser realizadas sem o consentimento expresso do paciente ou de seu representante legal. ( ) O tratamento em regime de internação será estruturado de forma a oferecer assistência integral à pessoa portadora de transtornos mentais, excluindo serviços psicológicos. Marque a sequência correta. [A] V, F, V, F, F [B] F, F, V, F, F [C] F, V, F, V, F [D] F, F, V, F, V Questão 26 Em relação ao trabalho do psicanalista no serviço público, analise as afirmativas. I - A ética da psicanálise permite que o ato analítico aconteça fora do ambiente do consultório/clínica individual. II - A psicanálise não pode embasar esse trabalho, devido à falta de condições para propiciar ao psicanalista um setting adequado. III - O que embasa esse trabalho é a escuta do sujeito do inconsciente. IV - O maior desafio a ser superado pelo psicanalista no serviço público é o perfil psicossocial pouco favorecido da população atendida. Está correto o que se afirma em [A] I e III, apenas. [B] I, II e IV, apenas. [C] II e III, apenas. [D] I, III e IV, apenas. Questão 27 No que se refere à teoria psicanalítica, assinale a afirmativa INCORRETA. [A] Nos textos edipianos de Freud, há diferenças entre o Édipo nos meninos e nas meninas, sendo uma delas os efeitos do complexo de castração nesse processo; nos meninos, possibilita a saída do Édipo e nas meninas possibilita a entrada nele. [B] No texto Mal-estar da civilização, Freud preconiza a tese de que a repressão inerente ao processo civilizatório é a base do mal-estar. [C] Com os estudos sobre sexualidade, Freud descobriu que esta tem início na infância. [D] No texto Três ensaios sobre a teoria da sexualidade infantil, Freud preconiza que o infante é caracterizado como perverso amorfo. 8/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

11 Questão 28 Em relação à formação do analista, analise as afirmativas a seguir. I - Em sua construção, a psicanálise critica a ciência por acreditar que a mesma relega o sujeito a segundo plano em nome da sua objetividade. II - Na construção da psicanálise, considera-se que a mesma ressalta o lugar do sujeito, pois nela este ocupa o lugar para onde se dirige o fazer e o pensar psicanalíticos. III - O trabalho do analista é o desvelamento do saber sabido. IV - O analista é aquele que recebe cada novo caso como se fosse o primeiro. V - Para a psicanálise, a formação do analista se dá pelo tripé análise pessoal, supervisão clínica e estudo teórico. Estão corretas as afirmativas [A] II, IV e V, apenas. [B] I e III, apenas. [C] I, II, IV e V, apenas. [D] III, IV e V, apenas. Questão 29 Sobre a psicopatologia na perspectiva psicanalítica, é correto afirmar: [A] Utiliza a mesma nomenclatura da psicopatologia nosográfica. [B] A foraclusão, para Lacan, é a forma como o neurótico lida com o nome do pai. [C] A nomenclatura utilizada por ela difere da estabelecida pelo Código Internacional de Doenças (CID-10). [D] A etiologia das estruturas clínicas é embasada na hereditariedade. Questão 30 Em relação a aspectos psicológicos na Medicina Cardiovascular, analise as afirmativas. I - No caso de um paciente adulto submetido a transplante do coração, o Psicólogo pode trabalhar com a família, pois há uma tendência à instabilidade familiar, devido à redistribuição de papéis, questões de ordem financeira, desgaste de relações, sobretudo devido a hospitalizações frequentes e prolongadas. II - A partir do diagnóstico, qualquer que seja a ação terapêutica, clínica ou cirúrgica, a mudança nos quadros psicológicos tende a ser concomitante à cardiopatia, com repercussões na evolução da doença, na reabilitação biopsicossocial do paciente, com reflexos nas relações familiares e até no ambiente social. III - Pode-se afirmar que, para algumas cardiopatias, o aspecto psicológico não é o responsável pela sua etiologia e, para outras, o psicológico é fator de risco para o surgimento da doença, como arritmia, coronariopatia e hipertensão. Estão corretas as afirmativas [A] I, II e III. [B] II e III, apenas. [C] I e II, apenas. [D] I e III, apenas. Questão 31 Após um Psicólogo ser aprovado na seleção da Residência Multiprofissional de Saúde do Adulto e Idoso com Ênfase em Atenção Cardiovascular, a coordenação solicita que ele estabeleça o objetivo de seu trabalho. Qual é o objetivo adequado? [A] Em hospitais, conquistar uma sala reservada para realização dos atendimentos psicológicos. [B] Em hospitais, oferecer acompanhamentos psicológicos aos pacientes com doenças coronárias. [C] No Programa de Saúde da Família, apresentar-se aos moradores do bairro onde o programa está sendo oferecido para realizar acompanhamentos psicoterápicos em suas residências. [D] Nas policlínicas, trabalhar na equipe multiprofissional resguardando total sigilo dos atendimentos dos pacientes com doenças coronárias. 9/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

12 Questão 32 Sobre a relação entre psicologia, emoções e medicina cardiovascular, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) Alguns estudos a respeito da prevalência de doença coronária indicam que as taxas mais elevadas de mortalidade feminina estão associadas à presença de fatores hormonais e/ou transmissão genética, assim como fatores psicossociais, tais como funcionamento psicológico, papel familiar e social. ( ) Há grande variabilidade na expressão de emoções entre pessoas, tanto nos aspectos qualitativos quanto nos quantitativos, acredita-se que tanto a expressão exagerada quanto a inibição das emoções têm consequências para a saúde em geral, inclusive para a saúde cardiovascular. ( ) Estudos recentes sugerem que a presença de sintomas de ansiedade pode ser fator de risco. ( ) As emoções negativas podem influenciar indiretamente tanto o risco quanto o prognóstico de pacientes com doença coronariana. Assinale a sequência correta. [A] F, V, V, F [B] F, V, F, V [C] V, F, F, F [D] V, V, V, V Questão 33 Em relação ao trabalho do Psicólogo em equipe multiprofissional com a prevenção da doença cardiovascular, assinale a afirmativa correta. [A] Pode ministrar palestras abordando temáticas como: inter-relação entre os aspectos emocionais e as funções corporais, conceito de fatores de risco psicológicos e sociais da doença coronária, controle do estresse e qualidade de vida. [B] Este profissional pode atuar diante dessa demanda de trabalho apenas com o saber técnico da sua ciência. [C] A eficácia e eficiência da prevenção são garantidas pelo trabalho do Psicólogo. [D] A equipe multiprofissional de atenção à saúde desse paciente deve ser composta unicamente pelo Assistente Social, Nutricionista, Psicólogo, Enfermeiro e Terapeuta Ocupacional. Questão 34 Quanto à atenção ao transtorno mental na Saúde Pública, há pelo menos dois modelos de atuação dos profissionais da saúde diante do paciente com transtorno mental: o modelo hospitalocêntrico e o psicossocial. A coluna da direita apresenta possibilidades de atuações e a da esquerda, os modelos. Numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda. 1 2 Modelo hospitalocêntrico Modelo psicossocial Marque a sequência correta. [A] 2, 1, 2, 1, 1 [B] 1, 1, 2, 1, 2 [C] 2, 2, 1, 1, 1 [D] 2, 1, 2, 1, 2 ( ) Visa à ressocialização. ( ) Focaliza o tratamento medicamentoso. ( ) Valoriza o trabalho em equipe multiprofissional. ( ) Prima pela internação. ( ) Prioriza os atendimentos a partir da rede substitutiva de atenção. 10/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

13 Questão 35 O trabalho do Psicólogo na Saúde Pública apresenta dificuldades a serem superadas tanto na sua formação como na sua atuação. Em relação à superação dessas dificuldades, marque a afirmativa INCORRETA. [A] Na sua formação, há excesso de conhecimentos sobre processos históricos, econômicos, políticos, sociais e culturais. [B] Na atuação, trabalhar para construir um modelo próprio, minimizando o processo de identificação ao modelo médico de atuação e ao modelo clínico que prima pelo trabalho autônomo. [C] Na formação e atuação, enfatizar o objeto de estudo e a metodologia adequados ao trabalho do psicólogo na Saúde Pública. [D] Na formação e atuação, sobrepujar o trabalho isolado, fazendo interfaces com as demais profissões da saúde e outras áreas relevantes para delinear uma identidade sólida e consistente pautada na reflexão crítica da realidade social. Questão 36 Sobre o atendimento dos pacientes psiquiátricos nos hospitais gerais, marque a afirmativa correta. [A] Quaisquer profissionais da saúde dos hospitais gerais já estão aptos a assistir pacientes psiquiátricos a serem internados nessas instituições. [B] O estabelecimento de leitos/unidades psiquiátricas em hospital geral objetiva oferecer a primeira possibilidade de atendimento aos pacientes psiquiátricos. [C] A portaria ministerial da Secretaria Nacional de Assistência à Saúde (SNAS) n. o 224, de 1992, estabelece diretrizes e normas acerca da assistência em saúde mental, inclusive garantia de continuidade assistencial nos vários níveis de atenção do Sistema Único de Saúde (SUS), como o hospital geral. [D] A possibilidade de internação de pacientes psiquiátricos nos hospitais gerais resulta do modelo hospitalocêntrico para tratar de transtorno mental. Questão 37 Em relação ao trabalho em equipe na área da saúde, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) Para o trabalho da equipe, devem ser abordados fatores como: capacitação profissional, interface do trabalho dos profissionais e autonomia dos profissionais. ( ) O fortalecimento do trabalho em equipe se origina da própria demanda do Sistema Único de Saúde (SUS) que institui uma política pública de saúde que visa à integralidade, à universalidade, ao aumento da equidade e à incorporação de novas tecnologias e especialização dos saberes. ( ) Apesar dos avanços acumulados relativos aos princípios norteadores e à descentralização da atenção e da gestão, o Sistema Único de Saúde (SUS) hoje ainda enfrenta fragmentação do processo de trabalho e das relações entre os diferentes profissionais. ( ) Consiste numa modalidade de trabalho individual que se configura na relação recíproca entre as intervenções técnicas e a interação dos agentes. Assinale a sequência correta. [A] V, F, V, V [B] F, F, V, F [C] V, V, V, F [D] V, F, F, V 11/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

14 Questão 38 Assinale a alternativa que melhor expresse o papel do Psicólogo no contexto hospitalar. [A] Mediar as relações entre o corpo médico e a equipe de enfermagem com o paciente, a fim de diminuir as sequelas emocionais deste, que decorrem do processo de hospitalização. [B] Minimizar o sofrimento provocado pela hospitalização, por meio de inúmeras possibilidades de atuação, em que todas as variáveis devem ser consideradas, principalmente as sequelas e as decorrências emocionais da hospitalização. [C] Levantar hipótese diagnóstica e definir o diagnóstico diferencial, para determinar as causas e a dinâmica das alterações e/ou distúrbios da estrutura psicológica do paciente avaliado, o que determina, também, a eleição do foco a ser trabalhado junto ao paciente pela equipe multidisciplinar. [D] Atuar diretamente com o paciente, ajudando-o a lidar com a dor, com o sofrimento, com o pré e póscirúrgico, com a ansiedade e a morte, sendo sua linha teórica a orientação da psicoterapia. Questão 39 O processo de hospitalização em si acarreta uma série de comprometimentos, agravado nos casos de internação hospitalar por doença grave. Entre as categorias de estresse psicológico a que o paciente estará vulnerável, destaca-se: [A] A negação: o paciente nega seu quadro, a intervenção psicoterápica e a ajuda medicamentosa. [B] A alucinação e o delírio: o paciente se sente perseguido e amedrontado com vozes e imagens que ele mesmo não reconhece. [C] O recalque: o paciente responsabiliza o hospital e a equipe de saúde pela sua morbidade. [D] O medo: o paciente ao entrar no hospital coloca sua vida nas mãos de pessoas, geralmente, desconhecidas. Questão 40 Em relação à atuação do Psicólogo no contexto hospitalar, analise as afirmativas. I - Pacientes impossibilitados de expressão oral, como os traqueostomizados e/ou em UTI, não constituem clientela para atendimento pelo Psicólogo, visto ser a fala o seu principal instrumento de trabalho. II - As atividades do Psicólogo hospitalar abrangem assistência psicológica, ensino e pesquisa. III - O atendimento psicológico é caracterizado por ser focal, em que se considera o momento de crise vivenciada pela pessoa na situação crítica de doença e hospitalização. IV - Os três principais níveis de atuação do Psicólogo em hospitais são: psicopedagógico, psicoprofilático e psicofarmacológico. Estão corretas as afirmativas [A] II e III, apenas. [B] I, II e III, apenas. [C] III e IV, apenas. [D] II, III e IV, apenas. Questão 41 Nos trabalhos desenvolvidos nos contextos hospitalares, há necessidade de realização de interconsultas. Cabe ao Psicólogo nesta prática: [A] Acompanhar um paciente após suas consultas médicas com clínicos e especialistas. [B] Trabalhar com os obstáculos que impedem o bom relacionamento entre os profissionais que integram uma equipe de saúde. [C] Disponibilizar seu conhecimento aos demais profissionais da equipe para que haja maior compreensão sobre a dinâmica de seus pacientes. [D] Atender aos familiares de um paciente antes, durante e após a realização de um procedimento cirúrgico de maior gravidade. 12/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

15 Questão 42 Maria, de 48 anos de idade, acompanhava sua mãe de 82 anos de idade a uma consulta em um hospital público. Nesta ocasião, procurou o Psicólogo que atendia no hospital com a seguinte questão: sua genitora apesar de estar lúcida, caminhar e se expressar muito bem, se recusa a realizar qualquer atividade sem o seu auxílio. Em razão de sua jornada de trabalho de seis horas diárias e para conciliar esta e o cuidado com a mãe, tem procurado impor uma rígida rotina de higiene e de alimentação, que sua mãe insiste em não cumprir, o que a irrita, chegando a perder em muitas ocasiões a paciência com sua genitora. Relata, ainda, que nos últimos anos a situação tem agravado e comprometido toda a sua vida pessoal e diz não saber mais o que fazer, visto que já não está se alimentando e nem dormindo adequadamente. A respeito das orientações que o Psicólogo pode oferecer a Maria sobre os cuidados ao cuidador, assinale a afirmativa correta. [A] O Psicólogo deverá discutir com Maria sobre os manejos comportamentais, sugerindo estratégias e ações para que ela consiga sucesso no cuidado com sua genitora. [B] O Psicólogo, após ouvir e acolher a queixa de Maria, deve sugerir que ela participe de cursos destinados aos cuidadores, para que possa obter novos recursos para o cuidado com a mãe idosa e consigo mesma. [C] O Psicólogo deverá verificar a necessidade de medicação para Maria e, se for o caso, encaminhá-la a um médico especialista, como também discutir com a mesma sobre os riscos da medicação excessiva no caso de sua mãe. [D] Maria deverá ser alertada quanto a sua irritação e impaciência, consequência da sobrecarga que sofre nesse papel de cuidadora e que precisará contratar uma enfermeira. Questão 43 A velhice ou terceira idade é caracterizada, entre outros fatores, por mudanças físicas que acarretam consequências psicológicas importantes. Tomando por referência a velhice, assinale a afirmativa INCORRETA. [A] Dificuldades sensoriais relacionadas a tato, olfato, visão, gustação e audição apresentadas pelos idosos recomendam que sejam poupados de quaisquer responsabilidades e tarefas, para protegê-los de acidentes. [B] A lentidão motora e a diminuição da acuidade visual podem contribuir para atitudes de retraimento social do idoso. [C] Pode haver uma correlação entre a diminuição das sensibilidades olfativa e gustativa e a desnutrição em idosos. [D] As percepções culturais de que idosos não conseguem se lembrar, aprender, não têm interesse em relacionamentos sexuais, são mal-humorados, devem ser desfeitas ou modificadas. Questão 44 Em relação aos temas envelhecimento, velhice e morte, bem como aos desdobramentos dessas questões, analise as afirmativas. I - Tanto a demência quanto a senilidade fazem parte do processo normal de envelhecimento. II - O assunto da morte, especialmente no contexto hospitalar, deve ser evitado pelo Psicólogo, a fim de não aumentar, ainda mais, o sofrimento do enfermo. III - A qualidade de vida na velhice, entre outros fatores, se relaciona ao bem-estar psicológico. É correto o que se afirma em [A] I e III, apenas. [B] I e II, apenas. [C] II e III, apenas. [D] III, apenas. 13/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

16 Questão 45 A forma como são tratados os pacientes doentes em processo de morte é colocada em discussão por Elizabeth Kubler-Ross. A grande contribuição da autora sobre esse aspecto se refere a: [A] Desmistificação do processo de morrer. [B] Fases do processo de morrer. [C] Humanização do processo de morrer. [D] Morte como algo presente na vida do ser humano. Questão 46 Em um contexto hospitalar, um médico observou que um de seus pacientes vinha apresentando sintomas depressivos, bem como suspeita de lapsos de memória. Frente a essa questão, solicitou a um Psicólogo que avaliasse esse paciente quanto ao problema de memória, perguntando, ainda, se tal questão poderia ser compreendida pelos sintomas de depressão que o paciente vinha apresentando. Com referência à atuação do Psicólogo, analise as afirmativas. I - O caso requer a elaboração de um laudo complexo, incluindo o código de classificação internacional de doenças, tendo em vista tratar-se de uma solicitação da área médica. II - O objetivo é simples e único, embora o exame possa ser complexo, não havendo razões para elaboração de um laudo extensivo, podendo o Psicólogo responder via parecer por escrito. III - O Psicólogo hospitalar, frente a essa demanda, deve informar ao médico que não cabe a ele realizar tal avaliação, sendo necessário solicitar o serviço de outro profissional. É correto o que se afirma em [A] II, apenas. [B] III, apenas. [C] I, apenas. [D] I e II, apenas. Questão 47 O Psicólogo, ao integrar uma equipe multiprofissional de atendimento à população, especialmente no contexto hospitalar, deve registrar nos prontuários de seus pacientes [A] os detalhes que dispõe sobre as avaliações realizadas e as sessões de atendimento. [B] somente as informações necessárias para atender aos objetivos do trabalho de sua equipe. [C] somente as informações genéricas sobre dias e horários dos atendimentos. [D] visto a necessidade de resguardar sigilo e confidencialidade dos dados psicológicos, apenas informações relativas a documentos pessoais. INSTRUÇÃO: Com base no Código de Ética Profissional do Psicólogo, responda às questões de 48 a 50. Questão 48 Sobre os Princípios Fundamentais deste Código, é INCORRETO afirmar que o Psicólogo [A] atuará com responsabilidade por meio do aprimoramento profissional. [B] considerará as relações de poder nos contextos em que atua e os impactos dessas relações sobre as suas atividades profissionais, acatando ordens e normas destes. [C] deverá visar à eliminação de negligência, à discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão. [D] contribuirá para promover a universalização do acesso da população às informações, ao conhecimento da ciência psicológica, aos serviços e aos padrões éticos da profissão. 14/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

17 Questão 49 NÃO é vedado ao Psicólogo: [A] Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais. [B] Prolongar, desnecessariamente, a prestação de serviços profissionais. [C] Emitir documentos com fundamentação e qualidade técnico-científica. [D] Prestar serviços profissionais a organizações concorrentes de modo que possam resultar em prejuízo para as partes envolvidas. Questão 50 Qual ação do Psicólogo é considerada infração disciplinar? [A] Participar de greve ou paralisação, quando haja prévia comunicação aos usuários ou beneficiários dos serviços atingidos pela mesma. [B] Negar-se a ser perito, avaliador ou parecerista em situações nas quais seus vínculos pessoais ou profissionais, atuais ou anteriores, possam afetar a qualidade do trabalho a ser realizado ou a fidelidade aos resultados da avaliação. [C] Assegurar a qualidade dos serviços oferecidos independentemente do valor acordado. [D] Estabelecer com a pessoa atendida, familiar ou terceiro, que tenha vínculo com o atendido, relação que possa interferir negativamente nos objetivos do serviço prestado. 15/15 Categoria Profissional: PSICOLOGIA

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1 Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I Atenção Básica e a Saúde da Família 1 O acúmulo técnico e político dos níveis federal, estadual e municipal dos dirigentes do SUS (gestores do SUS) na implantação

Leia mais

LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001

LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001 LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001 Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço

Leia mais

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR SANTOS, Elaine Ferreira dos (estagio II), WERNER, Rosiléa Clara (supervisor), rosileawerner@yahoo.com.br

Leia mais

ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO

ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO I. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para atuação privativa do Enfermeiro em Aconselhamento Genético, no âmbito da equipe

Leia mais

QUESTOES DE CONCURSO

QUESTOES DE CONCURSO QUESTOES DE CONCURSO 1. Com o envelhecimento populacional, um dos maiores desafios das políticas de saúde é alcançar um equilíbrio entre o apoio ao autocuidado, o apoio informal (familiares e amigos) e

Leia mais

SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA

SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA Romaldo Bomfim Medina Jr 1 Luciane Silva Ramos 2 Fernanda Franceschi de Freitas 3 Carmem Lúcia Colomé Beck 4 O movimento

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 1 Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Nome fantasia: Projeto de volta prá casa Instituições: Núcleo de Epidemiologia do Serviço de Saúde Comunitária da Gerência de saúde Comunitária

Leia mais

Serviço Social. DISCURSIVA Residência Saúde 2012 C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A. wwww.cepuerj.uerj.br ATIVIDADE DATA LOCAL

Serviço Social. DISCURSIVA Residência Saúde 2012 C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A. wwww.cepuerj.uerj.br ATIVIDADE DATA LOCAL HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A Serviço Social DISCURSIVA Residência Saúde 2012 ATIVIDADE DATA LOCAL Divulgação do gabarito - Prova Objetiva (PO) 31/10/2011

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS PAPÉIS E COMPETÊNCIAS O SERVIÇO PSICOSSOCIAL NO CREAS... O atendimento psicossocial no serviço é efetuar e garantir o atendimento especializado (brasil,2006). Os profissionais envolvidos no atendimento

Leia mais

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA,

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA, Carta de Campinas Nos dias 17 e 18 de junho de 2008, na cidade de Campinas (SP), gestores de saúde mental dos 22 maiores municípios do Brasil, e dos Estados-sede desses municípios, além de profissionais

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior 5.1 Nome da iniciativa ou Projeto Academia Popular da Pessoa idosa 5.2 Caracterização da Situação Anterior O envelhecimento é uma realidade da maioria das sociedades. No Brasil, estima-se que exista, atualmente,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS 1. Categorias profissionais que já compõem o SUAS RS: - Psicólogo - Assistente Social - Advogado - Educador Social - Nutricionista - Pedagogo - Enfermeiro - Estagiários - Supervisores e Coordenação - Técnico

Leia mais

Segundo seu Regulamento, aprovado em 17/08/83, a Clínica Psicológica do Departamento da UFPE tem como objetivos:

Segundo seu Regulamento, aprovado em 17/08/83, a Clínica Psicológica do Departamento da UFPE tem como objetivos: Clínica Psicológica da UFPE Plano Institucional de Estágio Supervisionado Apresentação A Clínica Psicológica é uma entidade pública, ligada ao Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Pernambuco,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Marco Tebaldi) Dispõe sobre o Programa de agendamento de consultas e entrega domiciliar de medicamentos de uso contínuo às pessoas portadoras de necessidades especiais

Leia mais

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR DENOMINAÇÃO DO CARGO: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Desenvolver e implantar sistemas informatizados, dimensionando requisitos e funcionalidades do

Leia mais

O PACTO PELA VIDA É UM DOS SUBCOMPONENTES DO PACTO PELA SAÚDE PORTARIA 399/06. É O MARCO JURÍDICO DA PRIORIZAÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO NO BRASIL

O PACTO PELA VIDA É UM DOS SUBCOMPONENTES DO PACTO PELA SAÚDE PORTARIA 399/06. É O MARCO JURÍDICO DA PRIORIZAÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO NO BRASIL SAÚDE DO IDOSO CURSO ESPECÍFICOS ENFERMAGEM - A Saúde do Idoso aparece como uma das prioridades no Pacto pela Vida, o que significa que, pela primeira vez na história das políticas públicas no Brasil,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ASSISTENTE SOCIAL CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ASSISTENTE SOCIAL CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais

Prof. MS. Ellen H. Magedanz

Prof. MS. Ellen H. Magedanz Prof. MS. Ellen H. Magedanz As transformações nos padrões de saúde/doença constituíram-se em uma das características do último século, estão associadas às mudanças na estrutura etária populacional. América

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 Institui as diretrizes gerais de promoção da saúde do servidor público federal, que visam orientar os órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

a) Situação-problema e/ou demanda inicial que motivou e/ou requereu o desenvolvimento desta iniciativa;

a) Situação-problema e/ou demanda inicial que motivou e/ou requereu o desenvolvimento desta iniciativa; TÍTULO DA PRÁTICA: PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE TUBERCULOSE DO DISTRITO SANITÁRIO CENTRO 2011: apresentação regular dos dados de tuberculose as unidades do Distrito Sanitário Centro CÓDIGO DA PRÁTICA:

Leia mais

O Trabalho do Assistente Social no Contexto Hospitalar em Porto Alegre: Uma Análise na Perspectiva do Trabalho em Equipe

O Trabalho do Assistente Social no Contexto Hospitalar em Porto Alegre: Uma Análise na Perspectiva do Trabalho em Equipe 1378 O Trabalho do Assistente Social no Contexto Hospitalar em Porto Alegre: Uma Análise na Perspectiva do Trabalho em Equipe V Mostra de Pesquisa da Pós- Graduação Cristiane Ferraz Quevedo de Mello 1,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS A sistematização que segue refere-se aos pontos trabalhados pelo grupo, no sentido de ativar a reflexão de questões que seriam tratadas no Encontro Estadual dos Trabalhadores do SUAS, realizado dia 16

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às CURSO: ENFERMAGEM Missão Formar para atuar em Enfermeiros qualificados todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema Único de Saúde e do sistema

Leia mais

Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres

Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres Desastre: interrupção grave do funcionamento normal de uma comunidade que supera sua capacidade de resposta e recuperação. Principais causas de

Leia mais

Política de humanização no estado de São Paulo

Política de humanização no estado de São Paulo Artigo Política de humanização no estado de São Paulo Por Eliana Ribas A autora é psicanalista e doutora em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atua como coordenadora

Leia mais

CONCEITO OBJETIVO 24/9/2014. Indicadores de Saúde. Tipos de indicadores. Definição

CONCEITO OBJETIVO 24/9/2014. Indicadores de Saúde. Tipos de indicadores. Definição Indicadores de Saúde Definição PROFª FLÁVIA NUNES É a quantificação da realidade, que permite avaliar/comparar níveis de saúde entre diferentes populações ao longo do tempo. Tipos de indicadores IMPORTÂNCIA

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1 Art. 196: A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário

Leia mais

Modelos Assistenciais em Saúde

Modelos Assistenciais em Saúde 6 Modelos Assistenciais em Saúde Telma Terezinha Ribeiro da Silva Especialista em Gestão de Saúde A análise do desenvolvimento das políticas de saúde e das suas repercussões sobre modos de intervenção

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM Dispõe sobre a normatização do funcionamento dos prontos-socorros hospitalares, assim como do dimensionamento da equipe médica e do sistema de trabalho. O Conselho Federal de Medicina,

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

Atuação do psicólogo na Assistência Social. Iolete Ribeiro da Silva Conselho Federal de Psicologia

Atuação do psicólogo na Assistência Social. Iolete Ribeiro da Silva Conselho Federal de Psicologia Atuação do psicólogo na Assistência Social Iolete Ribeiro da Silva Conselho Federal de Psicologia Concepção de Assistência Social Assistência social direito social e dever estatal Marco legal: Constituição

Leia mais

Suplementar após s 10 anos de regulamentação

Suplementar após s 10 anos de regulamentação Atenção à Saúde Mental na Saúde Suplementar após s 10 anos de regulamentação Kátia Audi Congresso Brasileiro de Epidemiologia Porto Alegre, 2008 Mercado de planos e seguros de saúde: cenários pré e pós-regulamentap

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA E POLITICAS PÚBLICAS: UMA APROXIMAÇÃO DO CRPRS COM O MEIO ACADÊMICO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 Ementa: Regulamenta o registro, a guarda e o manuseio de informações resultantes da prática da assistência farmacêutica nos serviços de saúde. O Conselho Federal

Leia mais

REVISÃO VACINAS 15/02/2013

REVISÃO VACINAS 15/02/2013 REVISÃO VACINAS 1. Conforme a Lei Federal n o 7.498/86, que dispõe sobre o exercício da enfermagem, são atividades privativas do enfermeiro: a) administrar medicamentos e prestar consultoria de b) observar

Leia mais

Grupo de Trabalho da PPI. Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP

Grupo de Trabalho da PPI. Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP Grupo de Trabalho da PPI Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP 29 de março de 2011 Considerando: O processo de regionalização dos Municípios, que objetiva a organização

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU. Ano: 2014/2015

PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU. Ano: 2014/2015 PROJETO PEDAGÓGICO DE POS GRADUAÇÃO LATO SENSU Ano: 2014/2015 1 - JUSTIFICATIVA A hospitalização pode ser experienciada como um dos momentos mais delicados e difíceis do processo do adoecer. Isso porque

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ADMINISTRAÇÃO DE ENFERMAGEM AVALIANDO O QUE ESTUDAMOS 1. A Supervisão de Enfermagem é fundamental para o desenvolvimento dos recursos humanos, através da educação

Leia mais

COMPREENDENDO A POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER: UMA REFLEXÃO ACADÊMICA 1

COMPREENDENDO A POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER: UMA REFLEXÃO ACADÊMICA 1 COMPREENDENDO A POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER: UMA REFLEXÃO ACADÊMICA 1 BISOGNIN, Patrícia 2 ; SIQUEIRA, Alessandro 2 ; BÖELTER, Débora Cardoso 2 ; FONSECA, Mariana 2 ; PRUNZEL

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 Dispõe sobre o atendimento obrigatório aos portadores da Doença de Alzheimer no Sistema Único de Saúde - SUS, e dá outras providências.

Leia mais

ANÁLISE DO SISTEMA DE REGULAÇÃO DO MUNICÍPIO DE HIDROLÂNDIA/GO. Palavras-chave: Sistema de Regulação. Descentralização, Regionalização e Referência.

ANÁLISE DO SISTEMA DE REGULAÇÃO DO MUNICÍPIO DE HIDROLÂNDIA/GO. Palavras-chave: Sistema de Regulação. Descentralização, Regionalização e Referência. ANÁLISE DO SISTEMA DE REGULAÇÃO DO MUNICÍPIO DE HIDROLÂNDIA/GO Nara FUKUYA 1 ; Ana Elisa Bauer Camargo SILVA 2 1,2 Universidade Federal de Goiás, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Núcleo de Estudo

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal Grupo temático: Direito à vida, à saúde e a condições

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology

Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology RESIDÊNCIA MÉDICA Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology José Luiz Miranda Guimarães* Neste número estamos divulgando o resultado parcial do Seminário

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. 15:04 1

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. 15:04 1 ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. 15:04 1 Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão no SUS-PNH Processos de trabalho e a interdisciplinaridade nas organizações

Leia mais

Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional

Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORTEADORES Art. 1º Os procedimentos em saúde mental a serem adotados

Leia mais

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP Macro estratégias Discussão, pactuação tripartite, e publicação de portaria da Politica Nacional de Atenção Hospitalar/PNHOSP no SUS, estabelecendo as diretrizes

Leia mais

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Universidade de Cuiabá - UNIC Núcleo de Disciplinas Integradas Disciplina: Formação Integral em Saúde SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Profª Andressa Menegaz SUS - Conceito Ações e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PREFEITURA DE JUIZ FORA SECRETARIA DE SAÚDE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PELO TRABALHO PARA A SAÚDE PET SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PREFEITURA DE JUIZ FORA SECRETARIA DE SAÚDE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PELO TRABALHO PARA A SAÚDE PET SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PREFEITURA DE JUIZ FORA SECRETARIA DE SAÚDE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PELO TRABALHO PARA A SAÚDE PET SAÚDE UAPS INDUSTRIAL Construindo planejamento em saúde JUIZ DE FORA

Leia mais

A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO

A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO ÍNDICE Diagnóstico Princípios Básicos: 1- Redefinição da atuação pública na saúde 2-Saúde como direito de todos 3-Estabilidade e continuidade das políticas de

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL

GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES. N 21/00 GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Resolução N 91/93 do Grupo Mercado Comum e a Recomendação

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE X ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE INTRODUÇÃO

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE X ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE INTRODUÇÃO LÍVIA CRISTINA FRIAS DA SILVA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE X ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE Ms. Maria de Fátima Lires Paiva Orientadora São Luís 2004 INTRODUÇÃO Sistema Único de Saúde - Universalidade

Leia mais

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES.

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. ANA LUCIA MESQUITA DUMONT; Elisa Nunes Figueiredo. Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SMSA-BH (Atenção Básica)

Leia mais

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA DE REGIÕES DE SAÚDE CRS Política de Saúde para o Idoso no Estado de São Paulo Selo Hospital Amigo do Idoso Centro de Referência do Idoso Resolução

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE-SPAIS Goiânia Agosto/2011 SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE - SPAIS 6. GERÊNCIA DE

Leia mais

REFERENCIA INSTITUCIONAL:

REFERENCIA INSTITUCIONAL: TITULO: Programa de Integração Docente Assistencial entre a Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP e a Secretaria Municipal de Saúde de Diadema - PIDA-DIADEMA EIXO: Extensão, Docência e Investigação

Leia mais

ANS Longevidade - Custo ou Oportunidade. Modelos de Cuidados à Saúde do Idoso Rio de Janeiro/RJ 25/09/2014

ANS Longevidade - Custo ou Oportunidade. Modelos de Cuidados à Saúde do Idoso Rio de Janeiro/RJ 25/09/2014 ANS Longevidade - Custo ou Oportunidade. Modelos de Cuidados à Saúde do Idoso Rio de Janeiro/RJ 25/09/2014 Cenário 1) Nas últimas décadas, os países da América Latina e Caribe vêm enfrentando uma mudança

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002.

LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002. LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002. Cria e extingue cargos na estrutura do Quadro Permanente de Cargos, lei Municipal 1338/98, e dá outras providências. WOLMIR ÂNGELO DALL`AGNOL, Prefeito

Leia mais

Evanir Soares da Fonseca

Evanir Soares da Fonseca CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde AÇÕES DE COMBATE AO ESTRESSE: PROMOÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DOS TRABALHADORES DA SAÚDE DE PARACATU - MG Evanir Soares

Leia mais

ENFERMAGEM HUMANITÁRIA. - Que competências? - - Que futuro? -

ENFERMAGEM HUMANITÁRIA. - Que competências? - - Que futuro? - ENFERMAGEM HUMANITÁRIA - Que competências? - - Que futuro? - Filomena Maia Presidente do Conselho de Enfermagem Regional Norte Vice-Presidente do Conselho de Enfermagem Universidade Fernando Pessoa Porto

Leia mais

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO - Abordagem multiprofissional e interdisciplinar - assistência prestada por

Leia mais

PARECER TÉCNICO I ANÁLISE E FUNDAMENTAÇÃO:

PARECER TÉCNICO I ANÁLISE E FUNDAMENTAÇÃO: PARECER TÉCNICO ASSUNTO: Solicitação de parecer acerca de Técnico de Enfermagem lotado no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de transtorno mental acompanhar paciente internado em outra instituição,

Leia mais

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde Política Nacional de Educação Permanente em Saúde Portaria GM/MS nº 1.996, de 20 de agosto de 2007 substitui a Portaria GM/MS nº 198, de 13 de fevereiro de 2004 e Proposta de Alteração Pesquisa de Avaliação

Leia mais

Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS

Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS APRESENTAÇÃO O presente documento é resultado de um processo de discussão e negociação que teve a participação de técnicos

Leia mais

CADERNO DE PROVA FUNÇÃO: COORDENADOR PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL 01/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE BARÃO DE COCAIS/MG INSTRUÇÕES:

CADERNO DE PROVA FUNÇÃO: COORDENADOR PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL 01/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE BARÃO DE COCAIS/MG INSTRUÇÕES: PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL 01/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE BARÃO DE COCAIS/MG CADERNO DE PROVA FUNÇÃO: COORDENADOR NOME: DATA: / / INSCRIÇÃO Nº: CPF ou RG: INSTRUÇÕES: 1. Você recebeu sua folha

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PSICOLOGIA Ementário/abordagem temática/bibliografia básica (3) e complementar (5) Morfofisiologia e Comportamento Humano Ementa: Estudo anátomo funcional

Leia mais

Aplicabilidade do Tele Eletrocardiograma nos serviços públicos de saúde

Aplicabilidade do Tele Eletrocardiograma nos serviços públicos de saúde Aplicabilidade do Tele Eletrocardiograma nos serviços públicos de saúde Franco, SOB - Sidnei Otávio Vicente Franco SMSDC RJ Rendeiro, MMP Márcia Maria Pereira Rendeiro SMSDC RJ / UERJ Maia ER - Eduardo

Leia mais

Modelo da Avaliação da Capacidade Laboral e do Nexo Técnico Previdenciário

Modelo da Avaliação da Capacidade Laboral e do Nexo Técnico Previdenciário Modelo da Avaliação da Capacidade Laboral e do Nexo Técnico Previdenciário Instituto Nacional do Seguro Social - INSS Proposta Inicial Versão Preliminar Junho/2013 MODELO DE AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE LABORAL

Leia mais

Artigo 1º - A duração do trabalho do Psicólogo, nas instituições públicas estaduais paulistas, passa a ser de 30 (trinta) horas semanais.

Artigo 1º - A duração do trabalho do Psicólogo, nas instituições públicas estaduais paulistas, passa a ser de 30 (trinta) horas semanais. PROJETO DE LEI Nº 181, DE 2015 Propõe nova jornada de trabalho para o cargo de Psicólogo nas instituições públicas estaduais paulistas. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA: Artigo 1º

Leia mais

Agosto, 2012 VI Seminário Internacional de Atenção Básica Universalização com Qualidade

Agosto, 2012 VI Seminário Internacional de Atenção Básica Universalização com Qualidade PREFEITURA DO RECIFE SECRETARIA DE SAÚDE DIRETORIA GERAL DE REGULAÇÃO DO SISTEMA GERÊNCIA DE ATENÇÃO BÁSICA Recife em Defesa da Vida Agosto, 2012 VI Seminário Internacional de Atenção Básica Universalização

Leia mais

Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas

Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas 1. APRESENTAÇÃO e JUSTIFICATIVA: O consumo de crack vem aumentando nas grandes metrópoles, constituindo hoje um problema

Leia mais

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS O Plano Diretor é uma lei municipal que estabelece diretrizes para a ocupação da cidade. Ele deve identificar e analisar as características físicas, as atividades predominantes

Leia mais

20 Diretrizes Priorizadas pela Etapa Estadual

20 Diretrizes Priorizadas pela Etapa Estadual 20 Diretrizes Priorizadas pela Etapa Estadual Paulista da CONSOCIAL Prioridades Texto Diretriz Eixo Pontos 1 2 Regulamentação e padronização de normas técnicas para a elaboração dos Planos de Governo apresentados

Leia mais

13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014

13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014 13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014 AUDITORIA NA SAÚDE Na saúde, historicamente, as práticas, as estruturas e os instrumentos de controle, avaliação e auditoria das ações estiveram,

Leia mais

MANUAL ATRIBUIÇÕES E ROTINAS PSICOLOGIA HOSPITALAR

MANUAL ATRIBUIÇÕES E ROTINAS PSICOLOGIA HOSPITALAR MANUAL 1 E L A B O R A Ç Ã O HGWA: Fernanda Azevedo de Souza: Coordenação, UCE Adulto (UCE I e AVC Subagudo) e Cuidados Paliativos Isabelle de Freitas Luz - Clínica Pediátrica, UCE Pediátrica e PAD Pediátrico

Leia mais

MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO

MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão editou a portaria n 292 no dia 4 de julho de 2012 que autoriza

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM. Adelita Eneide Fiuza. Gustavo Costa de Oliveira

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM. Adelita Eneide Fiuza. Gustavo Costa de Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM Adelita Eneide Fiuza Gustavo Costa de Oliveira RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO CURRICULAR II NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE VILA GAÚCHA Porto Alegre

Leia mais

PROJETO BRA/04/029. Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE

PROJETO BRA/04/029. Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br até o dia 20 de dezembro de 2015.

Leia mais

Redes Intersetoriais no Campo da Saúde Mental Infanto-Juvenil

Redes Intersetoriais no Campo da Saúde Mental Infanto-Juvenil Redes Intersetoriais no Campo da Saúde Mental Infanto-Juvenil Cintia Santos Nery dos Anjos 1 O tema deste estudo refere-se a operacionalização da intersetorialidade no campo da Saúde Mental Infanto-Juvenil

Leia mais

Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores

Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA MULHERES SECRETRIA DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

TERAPEUTA OCUPACIONAL E O SUS

TERAPEUTA OCUPACIONAL E O SUS TERAPEUTA OCUPACIONAL E O SUS TERAPIA OCUPACIONAL UMA PROFISSÃO NATURALMENTE PARA A SAÚDE PUBLICA Senhor Gestor, gostaríamos de apresentar as possibilidades de cuidado que o terapeuta ocupacional oferece

Leia mais