Mix Legal Express. Este documento faz parte do Sistema de Gestão da Qualidade da FecomercioSP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mix Legal Express. Este documento faz parte do Sistema de Gestão da Qualidade da FecomercioSP"

Transcrição

1 Mix Legal Express Data 08/05/2014 Tipo Informativo Jurídico N 52/14 Este documento faz parte do Sistema de Gestão da Qualidade da FecomercioSP Caso não consiga visualizar este , acesse o link: 52/14 08/05/2014 Marco Civil da Internet No dia 24 de abril de 2014 foi publicada a Lei nº , que estabeleceu princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil, conhecido como "Marco Civil da Internet". A lei entrará em vigor após sessenta dias de sua publicação, ou seja, no dia 23 de junho de Além disso, várias questões dependem de regulamentação. Tendo em vista a importância do assunto para os empresários e para os usuários da Internet, o presidente do Conselho de Tecnologia da Informação, Renato Opice Blum, foi convidado para apresentar o assunto na última reunião plenária realizada no dia 28 de abril de Seguem abaixo os principais pontos apresentados e o posicionamento do especialista acerca das novas regras: 1) Neutralidade (art. 9º): foi assegurada a neutralidade de conexão que, em tese, assegura o usuário acessar o conteúdo que quiser; 2) Proteção a privacidade e intimidade (art. 7º): assegura a proteção de dados pessoais, cuja definição dependerá de regulamentação. Atualmente já autorizamos a utilização dos dados quando aceitamos o termo de uso que, na prática, não é lido por ser muito extenso. Contudo, a

2 nova lei prevê a simplificação do termo de uso, que deverá ser claro e objetivo; 3) Investigação de crimes (art. 13): prevê a guarda dos registros de conexão pelo prazo de um ano, o que é um retrocesso, pois a jurisprudência pacificada no STJ exigia três anos; 4) Remoção de conteúdo (art. 19): antes era possível a remoção através de notificação extrajudicial, com a nova regra a remoção dependerá de uma ordem judicial, exceto no caso de nudez; 5) Pontos positivos: art. 26, que determina que o Estado deverá implementar no sistema educacional cadeira específica de educação digital, com o objetivo de ensinar as crianças o que pode e o que não pode ser feito na internet para uma navegação segura. Outro dispositivo de destaque foi o art. 29, que garante o exercício do controle de conteúdo parental, ou seja, a livre escolha de um programa que assegure aos pais o controle de conteúdo impróprio dos filhos menores. Por fim, segue a transcrição literal da apresentação realizada, feitas algumas adaptações para facilitar a compreensão dos assuntos abordados. BREVE HISTÓRICO Em 1995, o primeiro projeto de lei sobre crimes de internet ou crimes praticados por meio da internet é encaminhado para o nosso Congresso. Em 99 ele muda de nome, vira projeto de lei de crimes informáticos. Em 2001 vai para o Senado, vira o Projeto de Lei do Senado, PL 76/2002. Na época o relator era o senador Eduardo Azeredo, um projeto muito técnico, bem estudado, que envolveu mais de 80 países analisados e cerca de três anos de debate. Houve uma percepção do Congresso e por parte dos políticos de que o assunto internet era bom e chamava a atenção, mas por questões políticas este projeto acabou quase que sendo desconsiderado, e apenas dois artigos foram aprovados, sem maior relevância, entre mais de 30 artigos. Logo na sequência veio a primeira justificativa do projeto conhecido na época como Azeredo ter sido desconsiderado. Alegaram que antes de um projeto de lei de crimes de internet, teríamos de ter um projeto civil que garanta direitos e deveres para os internautas, para a sociedade etc. O curioso é que não veio essa lei civil antes do projeto de crimes, veio na sequência uma lei criminal, que ficou conhecida como Carolina Dieckmann, a Lei /2012, que na prática tipifica a conduta da invasão de dispositivos informáticos. CONSIDERAÇÕES INICIAIS Em minha opinião, não precisávamos e não precisamos do Marco Civil. Nós precisávamos e vamos continuar precisando atualizar o nosso Código Penal para as condutas criminais, porque tudo aquilo que está no Marco Civil, com duas exceções do ponto de vista educacional, já temos em legislação ordinária (Código Civil, Código do Consumidor, Lei Geral de Telecomunicações) e acima de tudo na Constituição Federal. O Marco Civil tem como mote principal garantir a liberdade de expressão, a privacidade e a intimidade. Um detalhe: qual é o valor que o legislador quis proteger em primeiro lugar na nossa Constituição? Não foi a liberdade de expressão, foi a dignidade da pessoa humana, contida no artigo 1º da Constituição, que inclui a privacidade e a intimidade. Mas é assim que o

3 Marco Civil foi apresentado para nós: garantir a liberdade de expressão e "se der" (destaque do especialista) proteger a privacidade e a intimidade. E por que o "se der"? Novamente, quase tudo que está lá já consta na nossa legislação. O problema é que nós tivemos algumas novidades que retrocedem à situação atual. Por exemplo, tiraram a responsabilidade daquele que hospeda conteúdo, só que hoje a situação que nós todos vivemos com a internet é diferente. É isso que às vezes é difícil de compreender, o hábito hoje é distinto. Por exemplo, a gente não tem mais o hábito de digitar por exemplo. Nós fazemos o que? Acessamos o buscador, notadamente o Google, digitamos os termos que desejamos e recebemos uma série de informações. Cada um aqui, sem exceção, vai receber uma informação de um jeito diferente. Essa é uma questão que não foi discutida no Marco Civil, é uma primeira crítica que eu faço, deveria ter sido discutida, já que houve a opção por essa lei. Que questão é essa? É a questão da neutralidade de conteúdo. Se cada um aqui recebe uma coisa diferente e se todos nós temos esse hábito, que não é mais opcional, é obrigatório, mudou a realidade, nós temos que receber aquela informação neutra, porque somos induzidos a acreditar naquilo que o buscador nos passa. Isso sim, neutralidade de conteúdo, deveria ter sido discutido. PRINCIPAIS PONTOS DO MARCO CIVIL 1) Neutralidade O ponto mais polêmico é o da neutralidade, não do conteúdo, mas a neutralidade da conexão que está no artigo 9º do Marco Civil. O que é neutralidade de conexão? Deveria ser o seguinte: a sociedade tem que ter o direito de acessar o que quiser. Eu vou querer acessar o site xxx.com.br, vou ter que ter esse direito, ninguém vai poder obstar esse meu acesso, nem privilegiar o acesso a um conteúdo em detrimento a outro conteúdo, salvo em decorrência de questões técnicas. A princípio, essa seria a essência filosófica da neutralidade de conexão. Contudo, como é que nós compramos os pacotes de internet hoje? Eu quero navegar rápido, tenho à disposição pacotes de venda de acesso rápido que custam mais caro. Portanto, se for mais lento é mais barato e se for mais rápido, mais caro. Eu quero baixar mais dados, vou assistir filmes, vou consumir mais banda, consumir mais dado, vou pagar mais por isso. É legítimo? Perfeitamente. Ao que me consta, o país ainda é capitalista. Então tem que ser desse jeito, não pode ser de outro jeito. Até poderíamos padronizar tudo, mas quem pagaria essa diferença? Nós todos, a não ser que o governo subsidie essa questão, mas a essência do comércio é a liberdade de comercialização. Do jeito que está hoje, a versão final do Marco Civil, ao contrário da versão intermediária que proibia a continuidade dos planos de negócio atuais, isso é permitido, até porque existe a exceção da questão técnica. Outro dia me perguntaram se um operador de telecom pode mexer na velocidade de uma pessoa que esteja recebendo um , diminuindo essa velocidade, ou aumentar a velocidade de uma pessoa que está baixando um filme. Pode. Mas o Marco Civil diz que não pode ter segregação. Pode, pois a exceção é técnica. Por que técnica? Porque, se eu deixar tudo igual, o sujeito vai continuar recebendo com atraso e o sujeito que estiver baixando filme não vai conseguir, nem um nem outro vai ter um serviço bem feito, por uma questão meramente técnica. Essa questão da neutralidade está sendo profundamente discutida nos Estados Unidos, em que o tribunal americano do segundo circuito anulou as regras da Federal Trade Commission, que é o órgão responsável por isso. Vai fazer tudo de novo, do zero, de uma forma um pouco diferente, mais liberal. E na União Européia a mesma coisa. Como ficou

4 então no Brasil o tal do artigo 9º? Continua do jeito que está. O avanço, pelo menos numa análise mais breve e mais simples, é a proibição futura de que exista eventualmente o impedimento de alguma operadora ou algum provedor de acesso em dificultar aquilo que nós queremos aquilo que nós queremos acessar. Basicamente é isso. Pode vir alguma coisa diferente? Pode. Onde? Na regulamentação. Tem 60 dias para entrar em vigor o Marco Civil e tudo isso que eu vou dizer rapidamente aqui para os senhores será regulamentado por decreto. E no decreto pode vir tudo, pode não vir nada. É claro que isso pode ser questionado, mas sempre vai ser uma caixinha de surpresas. Isso que eu estou dizendo agora pode ser alterado, pode ser aprofundado de forma correta ou incorreta. Então nós temos muito chão pela frente, mas o ponto principal é impedir que exista efetivamente essa dificuldade da pessoa acessar um site ou outro. Eu acho correto isso, é perfeito, mas já está previsto na Lei Geral de Telecomunicações, quando se atribui a competência à Agência Nacional de Telecomunicações para normatizar isso, como de fato já normatizou no serviço que a gente chama de comunicação multimídia, os serviços notadamente móveis. Muito bem, essa era a questão da neutralidade de rede, neutralidade de conexão não veio, ficou neutralidade de rede desse jeito. 2) Proteção a Privacidade e Intimidade Uma questão que vai mudar e alguns dos senhores terão que se adaptar. Isso eu vejo de forma bem positiva, essa adaptação poderia ter vindo via decreto dentro do Código do Consumidor, não precisaria estar no Marco Civil, artigo 7º, que são as questões mais relacionadas à proteção à privacidade e à intimidade. Destaco dois pontos. O primeiro ponto é com relação aos termos de uso, aqueles famigerados termos de uso que todos nós recebemos, concordamos quando damos ok, mas não lemos. Todo mundo está acessando, baixando aplicação, concordando, sem saber o que está fazendo, eu inclusive. Por que? Porque esses termos são complexos, são extensos, são chatos de ler, nós não temos tempo e hábito de ler. Nesse ponto houve um ajuste, esses termos terão que ser claros e objetivos. Então quem está hoje atuando na internet e tem um termo desses vai ter que fazer uma adequação, o que é muito bom para todo mundo. O segundo ponto foi um pontapé inicial para a futura lei de proteção de dados pessoais. Eu estive aqui já três vezes falando disso, a última notícia é de que talvez venha no segundo semestre, o que eu duvido, em ano de eleições acho muito improvável, mas é a informação que ouvi na rádio CBN, fazendo referência ao Danilo Doneda, tem um anteprojeto completo para que a gente saia do atraso, especificamente para proteção de dados pessoais. Só um inciso fala disso, imaginem um projeto de lei de 49 artigos, uma diretiva européia de mais de 50, com mais de 17 leis diferente, nós estamos tratando num só inciso do Marco Civil. Está escrito o seguinte: quando houver coleta, armazenamento e processamento de dados pessoais, o usuário coletado vai ter que ser informado disso e a coleta só vai poder ser feita a partir da anuência do coletado. Tudo isso num inciso só. Mais outra questão: eu vou ter que informar como esses dados vão ficar guardados, dentro naturalmente de um ambiente seguro, está explícito no Marco Civil. Na prática veio todo aquele alarde: isso é muito bom, é uma novidade, vai melhorar porque agora só com consentimento. Mas, nós já consentimos quando damos o "ok" naqueles termos de uso que não lemos. Isso é positivo porque ajuda a fomentar o debate, mas na prática nesse ponto o que muda para os senhores fornecedores que estão online é informar ao cliente qual é esse ambiente e qual é o propósito dessa coleta. Agora, fica a dúvida: o que são dados pessoais? O Marco Civil não está definindo isso, vamos ter que recorrer à doutrina, jurisprudência e talvez a regulamentação. Mas não posso vir aqui e deixar mais dúvida, assim, a princípio é o seguinte:

5 nome, telefone, RG, endereço, , Linkedin e outros identificadores são dados pessoais, dados que identificam a pessoa, não se confundem com dados que envolvam gosto, preferência, desejo, navegação etc. O dado de navegação não pode ser guardado pelas telecom que dão acesso à internet, Net, Telefônica, por exemplo. Já esses dados podem e devem ser guardados pelos sites que recebem as visitas das pessoas e não poderia ser de outra forma. Aliás, até poderia porque a versão anterior era assim, por mais absurda que seja. Então superamos o segundo ponto, proteção à privacidade e à intimidade, os efeitos práticos seriam esses. Um adendo. O Marco Civil mudou o nome dos provedores de conteúdos, aqueles que hospedam, para complicar um pouco mais, chama de provedor de aplicação. Havia uma sugestão ou um pedido da presidente para que as empresas que fossem incluídas dentro desse conceito de provedor de aplicação fossem obrigadas a implementar uma infraestrutura técnica aqui no Brasil. Seria uma coisa completamente inviável falar para o Google que não pode mais usar os seus servidores e seus computadores nos Estados Unidos, no Japão ou na Coréia, porque tem uma lei brasileira que manda comprar e fazer tudo aqui. Dois pontos. Primeiro, duvido que o Google faria isso, então vai encerrar as operações no Brasil, vai para os Estados Unidos, os brasileiros vão continuar usando do mesmo jeito e os dados vão continuar do mesmo jeito. Segundo ponto: vamos montar essa infraestrutura técnica. O que garante tecnicamente que esses dados vão ficar aqui no Brasil, se são dados oriundos da navegação na internet? A internet por natureza é feita por nós. Então, quando a gente vai acessar um site, automaticamente a própria internet dá o caminho mais rápido, que pode não ser daqui até os Estados Unidos pelo cabo americano, pode ser por um cabo europeu. Depende muito das circunstâncias, não é pelo fato de ter infraestrutura técnica aqui no Brasil que o dado vai ficar aqui. Mudou também o conceito, é o que a gente chama hoje de cloud, fora a questão do preço que eu já mencionei. Dada essa polêmica, isso foi descartado do relatório. 3) Investigação de crimes No terceiro ponto, vamos falar um pouco de investigação, de crimes e de problemas decorrentes do uso da internet. No congresso de crimes do Conselho de Tecnologia da Informação da Fecomercio do ano passado foram quase dois mil inscritos e neste ano, sétima edição do evento, a expectativa é que sejam mais que dois mil inscritos, o que mostra o interesse das pessoas pelo assunto. O artigo 13 do Marco Civil diz que o provedor de telecomunicações, o que dá acesso para nós à internet, para quem está usando a rede sem fio aqui da Fecomercio, a Fecomercio tem um contrato com alguma operadora, essa operadora tem que guardar por um ano, hoje são três anos no mínimo por construção da jurisprudência, diminuiu de três para um ano a guarda dos registros de conexão. O que é registro de conexão? Os meus dados de cadastro como usuário da operadora, no caso aqui a operadora da Fecomercio, e o IP ou os IPs atribuídos à Fecomercio naquele momento, quando alguém se conecta e navega pela internet. Então eu recebo um número chamado IP, Internet Protocol, para navegação. Vamos navegar, vamos lá no Facebook, vamos criar um perfil falso contra uma entidade sindical ou contra a Fecomercio, enfim, vamos praticar um crime. No Facebook coloco todo o cadastro falso, usando o IP do provedor da Fecomercio, por exemplo, a Net. Então, com o IP da Net, eu crio uma conta falsa no Facebook, difamo a Fecomercio ou qualquer pessoa. Se eu sou a vítima, quero saber quem foi. Notifico o Facebook a me dar os IPs que foram usados para criar ou para acessar, para que a partir daí eu descubra qual é o provedor de conexão, que eu já falei que é a Net, mas a vítima não sabe, e a partir daí obrigue a Net a

6 divulgar quem é o cliente para poder processar. Pasmem, na versão intermediária do Marco Civil essa possibilidade não existia, nós pararíamos no provedor de conexão, na Net, na Telefônica etc. O provedor de aplicação, esse que está hospedando, tipo o Facebook, não teria a obrigação de guardar esses IPs, ou seja, estaríamos oficializando um paraíso de criminosos. É claro que seria totalmente inconstitucional, mas essa era a segunda versão. Depois de várias situações que eu vou mencionar ao final, isso foi alterado. O problema é que agora o provedor de aplicações, o Facebook ou Microsoft, qualquer serviço que recebe um visitante na internet, tem que guardar por seis meses. A gente não sabe se é mínimo ou máximo, a regulamentação vai dizer. Antigamente eram três anos por construção jurisprudencial, agora vão ser seis meses lá e um ano ali. Já me perguntaram milhares de vezes: isso é suficiente? Eu digo pode ser e pode não ser. Na minha experiência, como trabalho mais com empresas com casos mais sensíveis, eu tive só dois casos em que foi necessário um prazo maior. Agora, para a sociedade como um todo, com certeza esse prazo é insuficiente, para o sujeito que vai lá na polícia, que demora, é insuficiente. O STJ já julgou e decidiu três anos, nós estamos voltando para trás. Enfim, é assim que está. Há uma exceção: pessoa física que explore hospedagem de conteúdo e pessoa jurídica que não tenha atividade econômica, por exemplo, uma federação, não vai ter essa obrigação. Ou seja, o criminoso vai escolher qual provedor de aplicações para praticar o crime, aquele que não guarda. Se há essa exceção, ele vai naquele que tem exceção. É que na prática ainda todos eles usam os que guardam. Novamente, eu discuto a constitucionalidade disso, temos vários mandamentos constitucionais sendo desrespeitados. 4) Remoção de conteúdo Quando alguém cria algo ilegal, coloca uma pessoa numa situação vexatória, faz uma ameaça, obtém uma informação sigilosa, o que acontece com frequência na indústria e no comércio, nós temos que tentar, dentre as medidas de identificação, reparação, processos crimes etc, remover do ar aquilo o mais rápido possível. Um segundo na internet é um ano no mundo físico, aquilo vai propagando, então qualquer segundo é muito valioso. Como é que funciona hoje? É igual na União Européia, sem marco civil. Conteúdo ilegal, eu notifico o provedor, Facebook, Google, Microsoft, em que está hospedando o conteúdo ilegal para que remova. Se não remover, vai ser corresponsabilizado por isso. É assim que funciona e vários processos já foram dessa forma com resultados positivos. O que o Marco Civil disse? Novamente retrocedeu, não vai mais funcionar assim, agora só tira conteúdo sem ordem de um juiz se for nudez ou violação a direitos autorais, todo o resto, todos os outros conteúdos criminosos ilegais, vai ter que ter uma ordem judicial. Eu combati muito isso, até chegar ao ponto de dizer que estou indo contra o meu próprio interesse, mas estou defendendo a sociedade. Nós não podemos ter que contratar um advogado, esperar uma ordem judicial, que demora algumas horas, pois muitas vezes, algumas horas são suficientes para inviabilizar qualquer ação que evite a propagação disso e por via indireta estimular a resolução desses problemas. Isso é muito nocivo. Eu também acho que é inconstitucional, mas está desse jeito. 5) Pontos positivos Por fim, dois pontos positivos, apesar de eu achar que não eram necessários. São dois artigos, o artigo 26 e o artigo 29 do Marco Civil. O artigo 26 diz que o Estado vai ter que adotar políticas específicas obrigando o sistema educacional brasileiro a implementar cadeiras específicas nas escolas de educação digital para navegação segura, o que pode ser feito, o que não pode ser feito,

7 quais são os riscos, ensinar a criança desde o início. Hoje a gente vive outro tipo de realidade, as crianças já começam com tablets, a essência positiva tem que começar lá. É uma bandeira que sempre foi defendida e por isso o elogio. Por último, o artigo 29 garante aos pais expressamente a escolha de um programa de proteção dos filhos, a gente chama proteção de conteúdo parental. O que diz na prática? Eu compro um computador, ele não pode vir especificamente para funcionar com aquele software, com aquele programa, eu posso escolher o programa que eu quiser e vai ter que funcionar. No parágrafo único diz o seguinte: os provedores de aplicações, a sociedade civil e o governo terão que estimular essa prática. Então a educação digital veio como ponto muito importante para que nós tenhamos uma navegação acima de tudo mais sadia. CONSIDERAÇÕES FINAIS A primeira versão do Marco Civil era boa, a versão intermediária era péssima, a terceira, essa que eu estou falando aqui, é razoável dentro do contexto político que se instaurou. A Fecomercio foi a única instituição que teve a iniciativa de enviar considerações técnicas para o relator Alessandro Molon e formalizou isso, manifestando-se oficialmente contra aquilo que estava previsto na segunda versão, ou seja, a inexistência dos registros, a criação do paraíso criminoso digital, a questão da remoção de conteúdo, que era para todos e agora ficou só da nudez, a questão da infraestrutura técnica aqui no Brasil e a questão irregular da neutralidade de rede na segunda versão, que era equivocada. Nós mudaríamos em tese, indiretamente, o regime capitalista para um regime socialista ou comunista em que todos nós iríamos pagar a conta. Então eu fico muito feliz de poder estar aqui hoje falando de boca cheia que muito do que aconteceu veio do trabalho dessa Casa. Eu tive o privilégio de estar no Congresso pessoalmente, na comissão geral e na plenária, defendendo esses pontos. O relator Molon foi oficiado e a Fecomercio saiu em vários fóruns com a sua posição. Depois vieram algumas outras instituições a reboque da Fecomercio, mas foi decisiva a confiança e a atuação dessa Casa para não deixar ficar uma coisa pior. Em síntese, esses são os principais assuntos tratados no Marco Civil. Nós vamos ter uma regulamentação a qualquer momento e talvez eu tenha que voltar aqui a partir da regulamentação. Aliás, eu acho que isso vai acontecer, porque vamos ter aí uma série de novas polêmicas. O balanço que eu faço não é o balanço oficial que a gente vê por aí, de que serve de exemplo para o mundo etc. Não é, até porque nós retrocedemos, a não ser nessa parte de educação. Mas aquilo que era ruim ficou um pouco melhor, ficou razoável, ficou aceitável. Mas há uma dificuldade, sempre que o assunto envolve técnica, internet, esses nomes complexos, de trazer conhecimento e tentar explicitar isso. É uma tarefa do nosso Conselho tentar desmistificar, trazer essa polêmica e fomentar. De tudo isso, pelo menos outro ponto é positivo, é trazer à discussão essas questões. Cada vez mais essas discussões vão ser implementadas e espero que o mundo acorde para a situação atual. Por que o mundo acorde? Porque é um problema que nós estamos vivenciando desde 2001, eu nem toquei nesse ponto. O que acontece se um sujeito lá na Rússia ataca um sistema aqui no Brasil e causa um prejuízo? Não acontece nada, porque não existe uma harmonização de legislação internacional para isso. O único diploma que existe é uma convenção chamada Convenção de Budapeste, de 2001, de princípios. Já são mais de 50 países signatários, o Brasil não assinou por questões políticas, infelizmente. Espero que o mundo acorde, já que todos nós usamos e dependemos, traga esse assunto como assunto principal na atualidade. Aliás, o próprio FBI já eleva esse assunto como categoria mais importante, o terrorismo é a maior preocupação, mas dão maior importância hoje aos crimes praticados pela

8 internet. Por derradeiro, foi divulgada uma pesquisa na semana passada, da Price, concluindo que o brasileiro é o cidadão que utiliza por mais tempo, que mais interage, que mais usa redes sociais e que mais compra. Proporcionalmente, o brasileiro compra duas vezes mais pela internet, quase três vezes mais do que o americano. Quando eu li essa pesquisa da Price, fiquei muito surpreso. Então nós não temos opção, ou temos segurança ou vamos ter problemas. Atenciosamente, Assessoria Técnica Link da arte na internet:

MARCO CIVIL DA INTERNET LEI Nº 12.965, DE 23/04/2014

MARCO CIVIL DA INTERNET LEI Nº 12.965, DE 23/04/2014 MARCO CIVIL DA INTERNET LEI Nº 12.965, DE 23/04/2014 1. EMENTA A Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014, estabeleceu princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil, conhecido

Leia mais

um país digital & continental A realidade do setor nos Estados Brasileiros Como entender e interagir com o novo consumidor na hora da compra

um país digital & continental A realidade do setor nos Estados Brasileiros Como entender e interagir com o novo consumidor na hora da compra REVISTA DIGITALKS. ano 01. número 02 um país digital & continental A realidade do setor nos Estados Brasileiros Como entender e interagir com o novo consumidor na hora da compra #Content marketing 11 passos

Leia mais

E-COMMERCE: implicações jurídicas das relações virtuais * : entrevista

E-COMMERCE: implicações jurídicas das relações virtuais * : entrevista E-COMMERCE: implicações jurídicas das relações virtuais * : entrevista RUY ROSADO DE AGUIAR JÚNIOR** Ministro do Superior Tribunal de Justiça O Ministro Ruy Rosado de Aguiar, do Superior Tribunal de Justiça,

Leia mais

JORNADA DIVERSIDADE CULTURAL E NOVAS TECNOLOGIAS VERA KAISER SANCHES KERR

JORNADA DIVERSIDADE CULTURAL E NOVAS TECNOLOGIAS VERA KAISER SANCHES KERR SOMOS PRIVACIDADE ANÔNIMOS DE NA DADOS INTERNET? VERA KAISER SANCHES KERR SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Características Redução considerável do custo da transmissão de dados Uso das tecnologias de armazenamento

Leia mais

O QUE MUDA NA SUA NAVEGAÇÃO COM O MARCO CIVIL DA INTERNET?

O QUE MUDA NA SUA NAVEGAÇÃO COM O MARCO CIVIL DA INTERNET? O QUE MUDA NA SUA NAVEGAÇÃO COM O MARCO CIVIL DA INTERNET? O QUE MUDA NA SUA NAVEGAÇÃO COM O MARCO CIVIL DA INTERNET? Redação e revisão Camila Marques, Laura Tresca, Luiz Alberto Perin Filho, Mariana Rielli

Leia mais

Marco Civil da Internet muda o uso da rede, mas ainda é incógnita para muitos

Marco Civil da Internet muda o uso da rede, mas ainda é incógnita para muitos Marco Civil da Internet muda o uso da rede, mas ainda é incógnita para muitos Shirley Pacelli Eu tô te explicando pra te confundir. Eu tô te confundindo pra te esclarecer. Como define o cantor e compositor

Leia mais

Marco civil da internet o papel da Auditoria Interna e Compliance. São Paulo, 28 de outubro de 2015 Nivaldo Cleto ncleto@nivaldocleto.cnt.

Marco civil da internet o papel da Auditoria Interna e Compliance. São Paulo, 28 de outubro de 2015 Nivaldo Cleto ncleto@nivaldocleto.cnt. Marco civil da internet o papel da Auditoria Interna e Compliance São Paulo, 28 de outubro de 2015 Nivaldo Cleto ncleto@nivaldocleto.cnt.br A lei 12.965/2014 Fundamentos do Marco Civil: A liberdade de

Leia mais

O termo log é um jargão técnico utilizado para expressar o registro de um evento em um

O termo log é um jargão técnico utilizado para expressar o registro de um evento em um ComCiência n.158 Campinas May 2014 Marco Civil e a proteção da privacidade Sergio Amadeu da Silveira Artigo A aprovação do Marco Civil da internet no Brasil rompe com uma lógica de criminalização da rede

Leia mais

Política de Privacidade.

Política de Privacidade. Política de Privacidade Johnson & Johnson do Brasil Indústria e Comércio de Produtos para Saúde Ltda., preocupa se com questões sobre privacidade e quer que você saiba como coletamos, usamos e divulgamos

Leia mais

RONY VAINZOF rony@opiceblum.com.br

RONY VAINZOF rony@opiceblum.com.br RONY VAINZOF rony@opiceblum.com.br 1 A INTERNET NÃO É UM MUNDO SEM LEIS!!! 11/7/2014 2 INVASÃO FÍSICA OU ELETRÔNICA? X X 11/7/2014 3 Lei 12.737/12 CRIME DE INVASÃO Violação de domicílio Pena - detenção,

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E COOKIE Modificado por último em 3 de setembro de 2015

POLÍTICA DE PRIVACIDADE E COOKIE Modificado por último em 3 de setembro de 2015 POLÍTICA DE PRIVACIDADE E COOKIE Modificado por último em 3 de setembro de 2015 A privacidade de todos os nossos usuários e visitantes do nosso website (os "Usuários") é muito importante para a Impress.ly.

Leia mais

Monitoramento de e-mail corporativo

Monitoramento de e-mail corporativo Monitoramento de e-mail corporativo Mario Luiz Bernardinelli 1 (mariolb@gmail.com) 12 de Junho de 2009 Resumo A evolução tecnológica tem afetado as relações pessoais desde o advento da Internet. Existem

Leia mais

Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos

Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos $ 5(63216$%,/,'$'( &,9,/ '2 3529('25 '( $&(662,17(51(7 Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos A Internet se caracteriza

Leia mais

Que informações nós coletamos, e de que maneira?

Que informações nós coletamos, e de que maneira? Política de Privacidade Vivertz Esta é a política de privacidade da Affinion International Serviços de Fidelidade e Corretora de Seguros Ltda que dispõe as práticas de proteção à privacidade do serviço

Leia mais

Trilha 6: Ambiente legal, regulatório, segurança e inimputabilidade da rede

Trilha 6: Ambiente legal, regulatório, segurança e inimputabilidade da rede Trilha 6: Ambiente legal, regulatório, segurança e inimputabilidade da rede A) Questões chave levantadas: (Relato concatenado das discussões dos dias 13 e 14.) Busca de um ambiente legal e regulatório

Leia mais

Política de uso de dados

Política de uso de dados Política de uso de dados A política de dados ajudará você a entender como funciona as informações completadas na sua área Minhas Festas. I. Informações que recebemos e como são usadas Suas informações

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA DIXCURSOS (ANEXO AOS TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO SITE E CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS)

POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA DIXCURSOS (ANEXO AOS TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO SITE E CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS) POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA DIXCURSOS (ANEXO AOS TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO SITE E CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS) 1. A aceitação a esta Política de Privacidade se dará com o clique no botão Eu aceito

Leia mais

quarta-feira, 20 de março de 13 As leis da Internet

quarta-feira, 20 de março de 13 As leis da Internet As leis da Internet Leis Criminais Invasão de Dispositivo Informático Versão do PL 84/99 Art. 285-A. Acessar, mediante violação de segurança, rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES PROJETO DE LEI Estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o Esta Lei estabelece princípios,

Leia mais

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PARA DEBATE COLABORATIVO. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PARA DEBATE COLABORATIVO. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PARA DEBATE COLABORATIVO Estabelece o Marco Civil da Internet no Brasil. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Esta Lei estabelece direitos

Leia mais

CLAUDIO NAZARENO. Consultor Legislativo da Área XIV Comunicação Social, Informática, Telecomunicações, Sistema Postal, Ciência e Tecnologia

CLAUDIO NAZARENO. Consultor Legislativo da Área XIV Comunicação Social, Informática, Telecomunicações, Sistema Postal, Ciência e Tecnologia Comentários acerca do Projeto de Lei nº 2.126/11, que [e]stabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil, o chamado Marco Civil da Internet CLAUDIO NAZARENO Consultor

Leia mais

Resumo executivo. Metodologia. versus RESUMO EXECUTIVO DO EMC PRIVACY INDEX

Resumo executivo. Metodologia. versus RESUMO EXECUTIVO DO EMC PRIVACY INDEX Privacidade versus Conveniência Resumo executivo As manchetes sobre privacidade na Internet estão fomentando um debate sobre quanto de acesso governos e empresas devem ter a atividades, comunicações e

Leia mais

Legislação para TI uma abordagem das Leis Carolina Dieckmann, Azeredo, Marco Civil da Internet Decreto de Segurança da Informação.

Legislação para TI uma abordagem das Leis Carolina Dieckmann, Azeredo, Marco Civil da Internet Decreto de Segurança da Informação. Legislação para TI uma abordagem das Leis Carolina Dieckmann, Azeredo, Marco Civil da Internet Decreto de Segurança da Informação. Prof. Marcos Monteiro te ...pode ser tipificado como : Falsidade ideológica

Leia mais

SOCIEDADE VIRTUAL: UMA NOVA REALIDADE PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL

SOCIEDADE VIRTUAL: UMA NOVA REALIDADE PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL SOCIEDADE VIRTUAL: UMA NOVA REALIDADE PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL FABRICIO DOS SANTOS RESUMO A sociedade virtual, com suas relações próprias vem se tornando uma nova realidade para a responsabilidade

Leia mais

Noções de Direito e Legislação da Informática FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Noções de Direito e Legislação da Informática FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO LUIZ GUILHERME JULIANO PIROZZELLI TULIO TSURUDA WISLIY LOPES Noções de Direito e Legislação da Informática GOIÂNIA JUNHO DE 2014 RELACIONAR

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Obrigado por acessar a BaxTalent, uma ferramenta do processo de inscrição online para vaga de trabalho da Baxter. Antes de usar a BaxTalent você deve ler esta política de privacidade.

Leia mais

Resultados Chamada de Contribuições à Regulamentação do Marco Civil da Internet. Comitê Gestor da Internet no Brasil 27 de fevereiro de 2015

Resultados Chamada de Contribuições à Regulamentação do Marco Civil da Internet. Comitê Gestor da Internet no Brasil 27 de fevereiro de 2015 Resultados Chamada de Contribuições à Regulamentação do Marco Civil da Internet Comitê Gestor da Internet no Brasil 27 de fevereiro de 2015 CGI.br Introdução Período de recebimento das contribuições: 19

Leia mais

Política de privacidade do Movimento Certo Ginástica Laboral Online Última atualização: 17 de março de 2015

Política de privacidade do Movimento Certo Ginástica Laboral Online Última atualização: 17 de março de 2015 Política de privacidade do Movimento Certo Ginástica Laboral Online Última atualização: 17 de março de 2015 Esta Política de privacidade estabelece nossas políticas e procedimentos para coletar, usar e

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO A COMUNICAÇÃO NA INTERNET PROTOCOLO TCP/IP Para tentar facilitar o entendimento de como se dá a comunicação na Internet, vamos começar contando uma história para fazer uma analogia. Era uma vez, um estrangeiro

Leia mais

Proteção do Sigilo de Informações e Marco Civil da Internet

Proteção do Sigilo de Informações e Marco Civil da Internet Proteção do Sigilo de Informações e Marco Civil da Internet 2 Não há lei brasileira que regule a atividade de navegação na internet ou traga disposições específicas e exclusivas sobre os dados que circulam

Leia mais

Questões Jurídicas. Camilla do Vale Jimene. Título da apresentação 01/02/2013. Nome do Autor nomel@opiceblum.com.br

Questões Jurídicas. Camilla do Vale Jimene. Título da apresentação 01/02/2013. Nome do Autor nomel@opiceblum.com.br Questões Jurídicas Camilla do Vale Jimene INTRODUÇÃO Existe legislação específica para o ambiente eletrônico? Ambiente eletrônico é um novo território ou apenas um meio de praticar atos jurídicos? Precisamos

Leia mais

Política de privacidade V2

Política de privacidade V2 Política de privacidade V2 Para os fins desta Política de Privacidade, as palavras grifadas em maiúsculo terão os seguintes significados: V2 é uma loja virtual disponibilizada na Internet para comercialização

Leia mais

O QUE? Dados pessoais e outras informações que coletamos sobre você.

O QUE? Dados pessoais e outras informações que coletamos sobre você. WECOMPANY Coworking POLÍTICA DE PRIVACIDADE Proteger a sua privacidade é importante para nós. Esta política de privacidade ("Política") descreve as nossas práticas relativas à coleta, uso e divulgação

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DA COMISSÃO DE ÉTICA PÚBLICA DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DA COMISSÃO DE ÉTICA PÚBLICA DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DA COMISSÃO DE ÉTICA PÚBLICA DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARLOS HENRIQUE FOCESI SAMPAIO, brasileiro, Deputado Federal, Líder do PSDB na Câmara dos Deputados, com endereço

Leia mais

IBRAC INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDOS DE CONCORRÊNCIA, CONSUMO E COMÉRCIO INTERNACIONAL A PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR NA INTERNET

IBRAC INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDOS DE CONCORRÊNCIA, CONSUMO E COMÉRCIO INTERNACIONAL A PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR NA INTERNET IBRAC INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDOS DE CONCORRÊNCIA, CONSUMO E COMÉRCIO INTERNACIONAL A PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR NA INTERNET 14 de agosto de 2015 Flávia Lefèvre Guimarães Representante do 3º Setor no CGI.br

Leia mais

Questões Jurídicas no Marketing Digital

Questões Jurídicas no Marketing Digital Questões Jurídicas no Marketing Digital Camilla do Vale Jimene INTRODUÇÃO Existe legislação específica para o ambiente eletrônico? Ambiente eletrônico é um novo território ou apenas um meio de praticar

Leia mais

O futuro do YouTube - VEJA.com

O futuro do YouTube - VEJA.com Entrevista O futuro do YouTube 29/08/2009 10:49 Por Leo Branco Nesta semana, Chad Hurley, de 32 anos, um dos criadores do YouTube, esteve no Brasil e falou a VEJA sobre o futuro do maior site de vídeos

Leia mais

Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso

Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso visitante on-line, você tem o direito de saber as práticas que

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Caro Assinante, O presente escrito estabelece e explica a Política de Privacidade da SOCIAL COMICS ENTRETENIMENTO LTDA, adiante também mencionada por SOCIAL COMICS e/ou PLATAFORMA.

Leia mais

Marco Civil da Internet

Marco Civil da Internet Marco Civil da Internet Depois de 15 anos o marco civil da internet está prestes a sair mas ainda causa polêmica. Um dos aspectos mais relevantes é o do livre acesso (ou não). O Congresso Nacional deve

Leia mais

Impressões iniciais sobre a Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014. Marco Civil da Internet

Impressões iniciais sobre a Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014. Marco Civil da Internet Oficina sobre Governança da Internet e o Marco Civil da Internet GETEL/UnB Impressões iniciais sobre a Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014 Marco Civil da Internet Marcus A. Martins Consultor Legislativo

Leia mais

Balanceamento de carga: Conceitos básicos

Balanceamento de carga: Conceitos básicos Balanceamento de carga: Conceitos básicos Introdução A tecnologia de balanceamento de carga está viva e está bem; de fato, ela é a base sobre a qual operam os application delivery controller (ADCs). A

Leia mais

PRIVACIDADE LEGISLAÇÃO BRASILEIRA. Patrícia Schmitt Freitas e Schmitt Advogados

PRIVACIDADE LEGISLAÇÃO BRASILEIRA. Patrícia Schmitt Freitas e Schmitt Advogados PRIVACIDADE LEGISLAÇÃO BRASILEIRA Patrícia Schmitt Freitas e Schmitt Advogados o direito que cada um tem sobre seu nome, sua imagem, sua intimidade, sua honra e sua reputação, sua própria biografia, e

Leia mais

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online.

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online. Os segredos dos negócios online A Internet comercial está no Brasil há menos de 14 anos. É muito pouco tempo. Nesses poucos anos ela já mudou nossas vidas de muitas maneiras. Do programa de televisão que

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO OS 002/DINFO/2014 29/10/2014. Art. 1º: Para fins de normatização da Política de Uso da Rede WIFI UERJ, com vistas a assegurar:

ORDEM DE SERVIÇO OS 002/DINFO/2014 29/10/2014. Art. 1º: Para fins de normatização da Política de Uso da Rede WIFI UERJ, com vistas a assegurar: A DIRETORIA DE INFORMÁTICA DINFO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO -UERJ, no uso de suas atribuições legais, estabelece: Art. 1º: Para fins de normatização da Política de Uso da Rede WIFI UERJ,

Leia mais

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE Por: Alexandre Maldonado Autor do site Marketing para E- commerce www.marketingparaecommerce.com.br TERMOS DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins - GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins Planeta Contábil 2008 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/5 Lucros Bons e Lucros Ruins Podemos pensar que lucrar é sempre bom,

Leia mais

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1 Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] Categorias Apresentação do instrumento [-] Mobilidade/ portabilidade [,] 0 0 Transcrição Alguns

Leia mais

Thursday, October 18, 12

Thursday, October 18, 12 O Site Legado do IFP é uma comunidade online e global dos ex-bolsistas do programa. É um recurso e um lugar para você publicar notícias profissionais, recursos e teses para a comunidade global do IFP,

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND

POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND 1. Princípios Gerais Esta Política de privacidade descreve como o CONSULTOR HND coleta e usa informações pessoais fornecidas no nosso site: www.consultorhnd.com.br.

Leia mais

www.dinheiroganharja.com

www.dinheiroganharja.com Sumário Introdução...3 Empreendedorismo Digital...4 Trabalhar em casa ou da Onde quiser...5 Liberdade financeira...5 Como criar um blog...7 Domínio...7 Hospedagem...8 WordPress...9 Instalando a Plataforma

Leia mais

A Internet depois do Marco Civil

A Internet depois do Marco Civil Direito Digital Marco Civil da Internet A Internet depois do Marco Civil Gustavo Gobi Martinelli Quem sou eu? Nome: Gustavo Gobi Martinelli Graduado em Ciência da Computação; Graduado em Direito; Mestrando

Leia mais

IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc.

IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc. Endereços IP Endereços IP IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc.) precisam ter endereços. Graças

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 215, DE 2015 (EM APENSO OS PLS NºS 1.547 E 1.589, DE 2015)

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 215, DE 2015 (EM APENSO OS PLS NºS 1.547 E 1.589, DE 2015) COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 215, DE 2015 (EM APENSO OS PLS NºS 1.547 E 1.589, DE 2015) Acrescenta inciso V ao art. 141 do Decreto- Lei nº 2.848, de 7 de dezembro

Leia mais

Escritório Digital. Perguntas frequentes. Perguntas gerais

Escritório Digital. Perguntas frequentes. Perguntas gerais Escritório Digital Perguntas frequentes Perguntas gerais O que é o Escritório Digital? O Escritório Digital é um software desenvolvido pelo CNJ em parceria com a OAB para integrar os diferentes sistemas

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA CLICKSIGN

POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA CLICKSIGN Data efetiva: 14 de abril de 2014. POLÍTICA DE PRIVACIDADE DA CLICKSIGN Esta Política de Privacidade abrange a coleta, uso e divulgação de informação coletada em todas as plataformas, sistemas, aplicativos,

Leia mais

Termo de Uso e Política de Confidencialidade Acesso ao Website

Termo de Uso e Política de Confidencialidade Acesso ao Website Termo de Uso e Política de Confidencialidade Acesso ao Website Ao acessar este website e quaisquer de suas páginas, você estará aceitando seus termos e condições de uso. Este website e os produtos através

Leia mais

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 1 de outubro de 2015. Política de Privacidade do Site

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 1 de outubro de 2015. Política de Privacidade do Site ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 1 de outubro de 2015 Política de Privacidade do Site Esta Política de Privacidade do Site destina-se a informá-lo sobre o modo como utilizamos e divulgamos informações coletadas em

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO FABIANO CONTARATO, brasileiro, solteiro, com 48 anos de idade, Delegado de Polícia Civil e Professor Universitário,

Leia mais

caso, é suficiente realizar o seguinte procedimento: selecionar o trecho mencionado; teclar.

caso, é suficiente realizar o seguinte procedimento: selecionar o trecho mencionado; teclar. OLÁ!! TUDO BEM COM VOCÊS? AINDA ESTOU SURPRESA COM A PROVA DO BB III, POIS CONFORME ANÁLISE DE OUTRAS PROVAS DO BB, CREIO QUE ESTA FOI A MAIS PUXADA, PRINCIPALMENTE PELO FATO DA COBRAÇA O IE7, QUEM DIRIA

Leia mais

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado)

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle com o auxílio do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público

Leia mais

Utilização das redes sociais e suas repercussões

Utilização das redes sociais e suas repercussões Utilização das redes sociais e suas repercussões O papel da escola : @ Orientação aos professores, alunos e pais @ Acompanhamento de situações que repercutem na escola @ Atendimento e orientação a pais

Leia mais

Síntese dos debates ocorridos nos fóruns anteriores relacionados ao tema. Inovação e Empreendedorismo. Data: 02/04/2014 Versão 1.0

Síntese dos debates ocorridos nos fóruns anteriores relacionados ao tema. Inovação e Empreendedorismo. Data: 02/04/2014 Versão 1.0 Síntese dos debates ocorridos nos fóruns anteriores relacionados ao tema Inovação e Empreendedorismo Data: 02/04/2014 Versão 1.0 1. INTRODUÇÃO Os relatórios considerados para esta síntese foram: I Fórum

Leia mais

COMO FICAR NAS PRIMEIRAS POSIÇÕES DO GOOGLE E PAGAR MENOS QUE O CONCORRENTE.

COMO FICAR NAS PRIMEIRAS POSIÇÕES DO GOOGLE E PAGAR MENOS QUE O CONCORRENTE. COMO FICAR NAS PRIMEIRAS POSIÇÕES DO GOOGLE E PAGAR MENOS QUE O CONCORRENTE. e ainda aumentar o numero de cliques em seu anúncio Por Maurício Oliveira www.empreendernaweb.com.br M a u r í c i o O l i v

Leia mais

MARCO CIVIL DA INTERNET PRELÚDIO DA NORMATIZAÇÃO NACIONAL SOBRE DIREITOS E DEVERES NO AMBIENTE VIRTUAL.

MARCO CIVIL DA INTERNET PRELÚDIO DA NORMATIZAÇÃO NACIONAL SOBRE DIREITOS E DEVERES NO AMBIENTE VIRTUAL. São Paulo, 28 de abril de 2014. MARCO CIVIL DA INTERNET PRELÚDIO DA NORMATIZAÇÃO NACIONAL SOBRE DIREITOS E DEVERES NO AMBIENTE VIRTUAL. Autor: LUIZ RICARDO DE ALMEIDA e-mail.: luiz.almeida@riccipi.com.br

Leia mais

Termos de Serviço Política de Privacidade. Última atualização dezembro 2014

Termos de Serviço Política de Privacidade. Última atualização dezembro 2014 Termos de Serviço Política de Privacidade Última atualização dezembro 2014 Este é um acordo de licença com o usuário final, definida a partir de agora, "Contrato". Escogitiamo SRLs é uma empresa italiana,

Leia mais

TERMO DE CONDIÇÕES DE USO. Jornal Cruzeiro do Sul Digital

TERMO DE CONDIÇÕES DE USO. Jornal Cruzeiro do Sul Digital TERMO DE CONDIÇÕES DE USO Jornal Cruzeiro do Sul Digital O presente instrumento representa um Termo de Condições de Uso para acesso ao Sistema e assinatura do Jornal Cruzeiro do Sul Digital, mantido pela

Leia mais

Monitoramento Eletrônico. Sugestões para controle de e-mails e recursos tecnológicos

Monitoramento Eletrônico. Sugestões para controle de e-mails e recursos tecnológicos Monitoramento Eletrônico Sugestões para controle de e-mails e recursos tecnológicos Monitoramento Eletrônico Sugestões para controle do uso de e-mails e recursos tecnológicos em benefício da empresa e

Leia mais

PASSOS INICIAIS PARA CRIAR O SEU NEGÓCIO DIGITAL. Aprenda os primeiros passos para criar seu negócio digital

PASSOS INICIAIS PARA CRIAR O SEU NEGÓCIO DIGITAL. Aprenda os primeiros passos para criar seu negócio digital PASSOS INICIAIS PARA CRIAR O SEU NEGÓCIO DIGITAL Aprenda os primeiros passos para criar seu negócio digital Conteúdo PRIMEIROS PASSOS COM BLOG:... 3 Primeiro:... 3 Segundo:... 4 Terceiro:... 5 Quarto:...

Leia mais

VOTO EM SEPARADO I RELATÓRIO

VOTO EM SEPARADO I RELATÓRIO VOTO EM SEPARADO Perante a COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 121, de 2008, do Senador Magno Malta, que proíbe as empresas de cartões

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL

POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL Leia com atenção a nossa Política de Privacidade. Esta Política de Privacidade aplica-se à todos os usuários cadastrados no site, e integram os Termos e Condições

Leia mais

Atividade - Sequência Conrado Adolpho

Atividade - Sequência Conrado Adolpho Atividade - Sequência Conrado Adolpho Agora, eu quero lhe apresentar os 6 e-mails do conrado adolpho para vender o 8ps. Quero que você leia está sequência com muita atenção e, depois, responda às provocações

Leia mais

DIMITRI YPSILANTI (Chefe da Divisão de Informação, Comunicação e Política do Consumidor da OCDE): [pronunciamento em outro idioma]

DIMITRI YPSILANTI (Chefe da Divisão de Informação, Comunicação e Política do Consumidor da OCDE): [pronunciamento em outro idioma] MESTRE DE CERIMÔNIA: A seguir, o senhor Roberto Franco, da ABERT, fará as perguntas, formuladas pelos participantes, ao palestrante, o senhor Dimitri Ypsilanti, chefe da divisão de formação, comunicação

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA. PROJETO DE LEI N o 757, DE 2003 (Apensados PL nº 2.766/03 e PL nº 6.

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA. PROJETO DE LEI N o 757, DE 2003 (Apensados PL nº 2.766/03 e PL nº 6. COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N o 757, DE 2003 (Apensados PL nº 2.766/03 e PL nº 6.593/06) Proíbe as prestadoras dos serviços móvel celular e móvel pessoal

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA 1 REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX Empresa XX LTDA A EMPRESA XX LTDA, através de seu Comitê de Tecnologia da Informação, órgão responsável pela normatização e padronização

Leia mais

O QUE MUDA COM A CIVIL DA INTERNET

O QUE MUDA COM A CIVIL DA INTERNET Anexo Biblioteca Informa nº 2.301 O QUE MUDA COM A APROVAÇÃO DO MARCO CIVIL DA INTERNET Autores André Zonaro Giacchetta Ciro Torres Freitas Pamela Gabrielle Meneguetti Sócio e Associados da Área Contenciosa

Leia mais

MANUAL DE INTERPOSIÇÃO DE AÇÃO NOS JEFs E TURMAS RECURSAIS DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO PAULO

MANUAL DE INTERPOSIÇÃO DE AÇÃO NOS JEFs E TURMAS RECURSAIS DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO PAULO 1 MANUAL DE INTERPOSIÇÃO DE AÇÃO NOS JEFs E TURMAS RECURSAIS DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO PAULO Srs. Advogados, O sistema de peticionamento online foi instituído com o fito de agilizar a análise das iniciais

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA 1ª Avaliação do Curso de Especialização em Projetos e Obras Públicas de Edificações do Programa

Leia mais

UM NOVO CONCEITO EM HOSPEDAGEM DE DOMÍNIO

UM NOVO CONCEITO EM HOSPEDAGEM DE DOMÍNIO www.origy.com.br UM NOVO CONCEITO EM HOSPEDAGEM DE DOMÍNIO CARACTERÍSTICAS: E-MAIL IMAP * Acesso simultâneo e centralizado, via aplicativo, webmail e celular/smartphone * Alta capacidade de armazenamento

Leia mais

Escrita Eficiente sem Plágio

Escrita Eficiente sem Plágio Escrita Eficiente sem Plágio Produza textos originais com qualidade e em tempo recorde Ana Lopes Revisão Rosana Rogeri Segunda Edição 2013 Direitos de cópia O conteúdo deste livro eletrônico tem direitos

Leia mais

http://blog.andersonferro.com.br/como-eu-comecei SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS http://blog.andersonferro.com.br

http://blog.andersonferro.com.br/como-eu-comecei SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS http://blog.andersonferro.com.br /como-eu-comecei SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS Todos os direitos Reservados. Porém este livro pode ser reproduzido, copiado ou transmitida livremente de qualquer forma onde direitos autorais e links se mantenham.

Leia mais

Tribunal deve dar meios para petição virtual

Tribunal deve dar meios para petição virtual Page 1 of 5 Texto publicado terça, dia 23 de fevereiro de 2010 NOTÍCIAS Tribunal deve dar meios para petição virtual POR MARINA ITO O processo eletrônico no Judiciário é uma realidade sem volta. Em decisão

Leia mais

Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos

Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos Tomáz de Aquino Resende Promotor de Justiça. Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Tutela de Fundações de Minas Gerais.

Leia mais

Responsabilidade Civil de Provedores

Responsabilidade Civil de Provedores Responsabilidade Civil de Provedores Impactos do Marco Civil da Internet (Lei Nº 12.965, de 23 abril de 2014) Fabio Ferreira Kujawski Modalidades de Provedores Provedores de backbone Entidades que transportam

Leia mais

Termos de uso de internet sem fio

Termos de uso de internet sem fio Termos de uso de internet sem fio O serviço "Wi-Fi" você estará na Internet oferecido pela empresa Wificentraal. Para o uso de Wi-Fi são as seguintes condições. Usando a internet sem fio, consente expressamente

Leia mais

REGRAS PARA USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS

REGRAS PARA USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS REGRAS PARA USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS REGRAS PARA USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS DA ESCOLA SOKA INTRODUÇÃO Dispositivos móveis de comunicação definidos legalmente são a Internet do computador, notebook, o

Leia mais

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Introdução 5 INTRODUÇÃO A seguir, são descritos os comportamentos e princípios gerais de atuação esperados dos Colaboradores da Endesa

Leia mais

Marco Civil da Internet

Marco Civil da Internet Marco Civil da Internet Tendências em Privacidade e Responsabilidade Carlos Affonso Pereira de Souza Professor da Faculdade de Direito da UERJ Diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS) @caffsouza

Leia mais

GUSCLA POLÍTICA DE PRIVACIDADE. 1.definições 2. PRIVACIDADE PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES 3. COLETA E USO DAS INFORMAÇÕES 4.

GUSCLA POLÍTICA DE PRIVACIDADE. 1.definições 2. PRIVACIDADE PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES 3. COLETA E USO DAS INFORMAÇÕES 4. GUSCLA POLÍTICA DE PRIVACIDADE 1.definições 1.1. O sistema GUSCLA respeita a sua privacidade, e queremos que você entenda como utilizamos as informações que você fornece ao se tornar um Usuário do nosso

Leia mais

E-book Internet Marketing que Funciona Página 1

E-book Internet Marketing que Funciona Página 1 E-book Internet Marketing que Funciona Página 1 Produção Este E-book é Produzido por: Sérgio Ferreira, administrador do blog: www.trabalhandoonline.net Visite o site e conheça várias outras Dicas GRÁTIS

Leia mais

FICHA NEGÓCIOS Vendas OnLine

FICHA NEGÓCIOS Vendas OnLine Vendas OnLine Nesta Ficha Negócios pretende-se reunir um conjunto de informação útil e pertinente para apoio do desenvolvimento desta atividade. GDEE Setembro 2015 Área de Negócio: Vendas On-line Índice

Leia mais

TERMOS DE SERVIÇO. Bem vindo ao Color+City. 1. Visão Geral

TERMOS DE SERVIÇO. Bem vindo ao Color+City. 1. Visão Geral TERMOS DE SERVIÇO Bem vindo ao Color+City 1. Visão Geral 1.1. Este documento regula a utilização do Color+City disponibilizado ao usuário através do endereço http://www.colorpluscity.com 1.2. Trata-se

Leia mais

Marco Civil da Internet

Marco Civil da Internet Deputado Federal Alessandro Lucciola Molon (Partido dos Trabalhadores Rio de Janeiro) Relator do Projeto de Lei 2.126/2011 (Lei 12.965/2014) 16 Giugno 2014 Montecitorio publicado no D.O.U. de 24.4.2014

Leia mais

Trilha IV Internet e Direitos Humanos

Trilha IV Internet e Direitos Humanos Trilha IV Internet e Direitos Humanos Temas e Posicionamentos Exposições das(os) Painelistas Posicionamentos Cláudio Machado (APAI-CRVS Programa Africano p/ Fortalecimento Registro Civil, terceiro setor)

Leia mais

TÍTULO I CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO

TÍTULO I CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 01, Amparo, 09 abril de 2013. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE INFORMÁTICA E REDES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE AMPARO, VISANDO ESTABELECER UMA POLÍTICA DE

Leia mais