Refrigeração de data centers completos com sistemas por corredor

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Refrigeração de data centers completos com sistemas por corredor"

Transcrição

1 Refrigeração de data centers completos com sistemas por corredor White Paper 139 Revisão 0 Por Jim VanGilder e Wendy Torell > Sumário Executivo A refrigeração em linha está surgindo como uma solução de refrigeração total para novos data centers devido a sua alta eficiência e seu desempenho previsível inerentes. Alguns equipamentos de TI em data centers parecem ser incompatíveis com a refrigeração em linha porque não estão organizados em linhas perfeitas devido à natureza do equipamento ou a limitações do layout da sala, sugerindo a necessidade constante de refrigeração do perímetro tradicional para suportar estas cargas. Este documento explica como um sistema de refrigeração composto somente de resfriadores em linha, sem sistema de refrigeração da sala, pode refrigerar um data center inteiro, incluindo dispositivos de TI que não estejam em linhas perfeitas. Conteúdo clique em uma seção para ter acesso a ela Introdução 2 As vantagens de refrigerar a sala inteira somente com resfriadores em linha Como os resfriadores com base em linha podem suportar mais do que apenas as cargas com base em linha Um modelo para avaliar as necessidades de refrigeração de cargas autônomas Quando a refrigeração adicional é necessária Conclusão Recursos 13 by Schneider Electric White Papers são parte da livraria de White papers Schneider Electric, produzidos pelo centro científico de data centers Schneider Electric

2 Introdução Link para a fonte White Paper 130 Vantagens de Arquiteturas de Refrigeração Planejadas em Função da Fila e do Rack para Data Centers. A refrigeração em linha surgiu como uma prática recomendada para a refrigeração eficiente de equipamento de TI em salas de computadores e data centers. Com esta abordagem de refrigeração, as unidades de refrigeração são acopladas às (e possivelmente integradas a) linhas de racks, oferecem uma previsibilidade muito melhor, maior densidade, maior eficiência e alguns outros benefícios. Uma discussão detalhada dos benefícios e aplicações da refrigeração em linha pode ser encontrada no White Paper 130, Vantagens de Arquiteturas de Refrigeração Orientada a Rack e Linha para Data Centers. Para data centers típicos, a maioria dos equipamentos de TI consiste em servidores montados em rack padrão e em outros equipamentos montados em rack, como switches. Esses dispositivos podem ser instalados em racks configurados em layouts de corredor quente/corredor frio para refrigeração otimizada. Entretanto, normalmente também há uma pequena porcentagem de equipamentos que não podem ficar nestas linhas de rack padrão, porque: eles não são dispositivos montados em rack seu formato não permite que eles se alinhem nos racks seu fluxo de ar não é da frente para a traseira e causaria uma mistura de ar nos corredores quente e frio o dispositivo precisa estar estrategicamente localizado (isto é, um local central para armazenamento em vez de em vários arrays de disco) Por causa da falta de rigor de observação, os projetistas de data center tendem a ser bastante conservadores ao lidarem com a refrigeração dessas cargas, e a refrigeração dedicada ao excesso de provisão nestas áreas auxiliares. O termo "equipamento auxiliar" é usado neste documento para significar qualquer equipamento autônomo não organizado em linhas de corredores quente/frio alternados padrão. Em data centers típicos, esse equipamento inclui dispositivos como switches, equipamento de armazenamento, aparelhos de rede e equipamento de distribuição de energia. Esse equipamento geralmente tem menos densidade de potência e representa aproximadamente de 5 a 10% da potência de carga de TI para a maioria dos data centers; entretanto, dependendo da aplicação comercial (por exemplo, uma empresa cuja aplicação principal seja armazenamento de dados), isso poderá ser significativamente maior. Por causa da falta de rigor de observação, os projetistas de data center tendem a ser bastante conservadores ao lidarem com a refrigeração dessas cargas, e a refrigeração dedicada ao excesso de provisão nestas áreas auxiliares. Na maioria dos casos, não é necessário oferecer refrigeração adicional, uma vez que a refrigeração em linha pode resfriar efetivamente o data center inteiro, incluindo as cargas auxiliares, A TradeOff Tool 12, Calculadora de refrigeração InRow para equipamentos de TI auxiliares (Figura 1), pode ajudar a demonstrar para profissionais do data center como uma estratégia pura de refrigeração em linha pode suportar com eficiência o data center inteiro, se a necessidade de refrigeração adicional. Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 2

3 Figura 1 Captura de tela da Calculadora de refrigeração InRow para equipamentos de TI auxiliares (Clique na figura para obter um link para uma versão ao vivo da ferramenta) As vantagens de refrigerar a sala inteira somente com resfriadores em linha Uma arquitetura de refrigeração híbrida é uma estratégia útil quando um data center existente com refrigeração do perímetro tiver um requisito de refrigeração em linha complementar. Entretanto, quando um novo data center estiver sendo projetado, e se a refrigeração em linha estiver sendo considerada como o principal meio de refrigeração, há benefícios significativos de usar a refrigeração em linha pura versus uma abordagem híbrida. A próxima seção, Como os resfriadores em linha podem suportar mais do que apenas as cargas com base em linha, explica porque a refrigeração do perímetro não é necessária para a refrigeração base da sala e/ou para se destinar especificamente a cargas de TI não com base em linha. A refrigeração da sala inteira somente com resfriadores em linha em comparação com uma mistura de resfriadores em linha e do perímetro resulta nas seguintes vantagens: Permite a eliminação do piso elevado Geralmente, os resfriadores do perímetro distribuem ar para o equipamento de TI via uma câmara de distribuição de ar de piso elevado. O custo associado à instalação e à manutenção do piso elevado pode ser eliminado quando resfriadores em linha são usados para resfriar o espaço inteiro. Sem conflito entre os resfriadores em linha e do perímetro Os conflitos de temperatura e umidade podem ocorrer quando duas arquiteturas de refrigeração distintas são implantadas em uma sala. Isso leva à operação ineficiente e contas de energia mais caras. Quando somente resfriadores em linha são usados, sua operação é coordenada para impedir isso. Menor gasto de capital O projeto conservador em excesso de um data center com resfriadores do perímetro e em linha resulta em desperdício significativo de gasto de capital. Até a metade dessa despesa pode ser eliminada se você usar resfriadores em linha para resfriar a carga total do data center. Redundância mais simples Se um data center tiver um requisito de redundância (isto é, N+1, N+2 ou 2N), outros gastos de capital podem ser evitados pela eliminação da necessidade de resfriadores redundantes para as unidades do perímetro. Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 3

4 Custos de energia mais baixos O provisionamento em excesso de resfriadores resulta em gasto de energia adicionado, especialmente se os resfriadores desnecessários tiverem ventiladores de velocidade fixa, o que é comum em unidades de perímetro que atendam um piso elevado. Custos de manutenção mais baixos Usar somente resfriadores em linha significa nenhum contrato de manutenção adicional para resfriadores do perímetro, reduzindo as despesas operacionais no data center. Menos interações com o fornecedor Com frequência, quando projetos híbridos são considerados, os projetistas buscam vários fornecedores para diferentes sistemas. Usar fornecedores adicionais significa complexidade adicional na manutenção da operação do data center. Como os refrigeradores com base em linha podem suportar mais do que apenas as cargas com base em linha Embora não seja intuitiva, uma unidade de refrigeração com base em linha, localizada em uma linha de racks de TI, pode resfriar equipamentos de TI que estejam localizados fora das linhas. Até mesmo resfriadores com base em linha em sistemas de contenção de corredor quente podem suportar cargas auxiliares na maioria dos casos. A Figura 2 ilustra um layout de piso de exemplo de um data center utilizando resfriadores com base em linha com cargas auxiliares posicionadas em uma área da sala. As interações de resfriadores com base em linha com o ambiente a sua volta podem ser complexas, e quase sempre são analisadas por meio da modelagem de dinâmicas de fluido computacional (CFD), mas há algumas leis da física básicas que explicam como é possível para esses resfriadores separar as cargas de calor adicionais. PDU Biblioteca de fita Armazenamento Nenhum equipamento em rack refrigerado por resfriadores baseados em linha Figura 2 Disposição do data center de exemplo com refrigeração em linha e equipamento de TI auxiliar Corredor quente Corredor quente Corredor quente Corredor quente Resfriadores baseados em linha (em azul) Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 4

5 Dessa forma, como resfriadores com base em linha, configurados para suportar equipamentos de TI com base em linha suportam essas cargas auxiliares? Primeiro, é importante compreender que os resfriadores em linha são dispositivos de capacidade variável que podem fornecer ar frio em excesso ao corredor frio. Normalmente, eles funcionam em equilíbrio com o equipamento de TI local na linha, ajustando sua capacidade à temperatura de entrada das cargas de TI. Quando o sistema estiver equilibrado, a temperatura de entrada do resfriador é igual à temperatura de entrada de TI. Quando uma carga de calor adicional for adicionada fora das linhas, a temperatura do ambiente geral da sala aumentará devido à mistura de ar. Quando esse aumento for sentido na linha pelos resfriadores em linha, eles aumentarão o volume de ar e a capacidade de refrigeração em resposta. Uma vez que o fluxo de ar ampliado é maior do que o necessitado pelo equipamento de TI na linha, o excesso começará a fluir para o espaço da sala, resfriando a sala e qualquer > Equação de remoção de calor Q = (CFM x T)/3200 onde, Q = calor sensível a ser removido em kw CFM = fluxo de ar do resfriador (pés cúbicos por minuto) T = diferença de temperatura (em Fahrenheit) entre o retorno e o fornecimento de resfriador 3200 = constante usada para explicar as propriedades do ar sob condições padrão e conversões de unidade dispositivo localizado nela. O padrão de fluxo de ar horizontal dos resfriadores em linha, junto com o fluxo de ar causado pelo equipamento de TI não em linha causa uma mistura suficiente para criar a refrigeração efetiva da sala. A Figura 3 ilustra o fluxo do que acontece quando cargas auxiliares são adicionadas neste caso. O equipamento auxiliar é adicionado ao espaço Aumentos de temperatura O resfriador e a entrada de TI veem a alta temperatura Figura 3 Fluxo de alto nível do que acontece quando carga auxiliar for adicionada O resfriador aumenta o fluxo de ar e a refrigeração além do necessário pela linha A refrigeração em excesso inunda a temperatura ambiente A temperatura ambiente é controlada Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 5

6 As etapas que descrevem como os resfriadores com base em linha "separam a carga auxiliar" são iguais, mesmo quando a contenção for usada. Nesse caso, os resfriadores em linha ainda veem o aumento na temperatura ambiente causado por equipamento que não está em linha e aumentam seu fluxo de ar e a capacidade como resultado. A linha contida se torna um gerador líquido de ar frio da perspectiva do ambiente, e esse ar frio causa a mistura na sala que mantém a temperatura do ponto quente baixa. Em cada caso, esperamos que o equipamento que não esteja em linha funcione em uma temperatura ligeiramente maior do que a do equipamento em linha, porque também não está acoplado aos resfriadores em linha. Devemos nos preocupar com o aumento da temperatura no data center? Com frequência, a temperatura de entrada dos resfriadores baseados em linha (68 F é comum) é definida abaixo do que o equipamento de TI pode tolerar (80,6 F é o máximo recomendado pela ASHRAE). Quando esse for o caso, um pequeno aumento de temperatura do equipamento que não está em linha é aceitável e pode não ser pior do que o aumento de temperatura caso um sistema de piso elevado tradicional tenha sido instalado. Um modelo para avaliar as necessidades de refrigeração de cargas autônomas A modelagem de dinâmica de fluido computacional (CFD) é uma ferramenta útil para a compreensão de como o ar se move pelo espaço do data center. Mais de 200 simulações de CFD foram concluídas para analisar os efeitos de cargas auxiliares em fluxo de ar e temperatura no espaço do data center. Quando uma carga auxiliar é posicionada em um data center, a área imediatamente em torno do equipamento ficará mais quente do que o resto do data center. Em essência, o equipamento se torna uma carga de calor adicional, o que causa um "ponto de calor" e, geralmente, a temperatura subirá rapidamente à medida que a carga auxiliar for aumentada, uma vez que não há refrigeração direta nessa área da sala. Esse aumento de temperatura pode ser estimado por meio de estudos de CFD e reduzido a uma correlação empírica com base na área do piso e energia associada aos espaços de data center auxiliares e baseados em linha mais a caracterização da forma e da localização do espaço auxiliar. O restante do data center (no qual o equipamento com base em linha está localizado) também é aquecido por esse equipamento auxiliar e isso acontece de uma form surpreendentemente uniforme. Esse aumento da temperatura pode ser estimado com base em uma equação de equilíbrio de calor simples. As imagens de CFD da Figura 4 ilustram como a temperatura na parte com base em linha do data center aumenta, mas permanece razoavelmente uniforme após a adição do equipamento auxiliar. Embora haja áreas quentes esperadas nos locais de exaustão do equipamento auxiliar, o ar de entrada permanece relativamente frio, como denotado pelas áreas azuis claras. O equipamento auxiliar está sendo resfriado efetivamente pelas unidades de refrigeração em linha. Figura 4 Imagens CFD de data center com e sem carga auxiliar. Com a carga auxiliar, as temperaturas são diferentes mas razoavelmente uniformes nas respectivas áreas auxiliares e baseadas em linha. Sem Carga Auxiliar Com Carga Auxiliar Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 6

7 Com base nos modelos CFD e nas equações de equilíbrio de calor, foi desenvolvido um modelo que identifica os parâmetros que afetam o aumento de temperatura nas áreas auxiliares e com base em linha, para determinar os limites práticos do uso de resfriadores em linha para resfriar dispositivos auxiliares. Os parâmetros que afetam a efetividade dessa abordagem recaem em três categorias: geometria da sala Equipamento de TI configuração de refrigeração Geometria da sala As análises CFD mostraram uma correlação mínima entre o local onde o equipamento auxiliar é posicionado na sala e como os resfriadores com base em linha poderiam separar a carga de calor adicional. Foram executadas simulações com as cargas auxiliares em vários locais diferentes - próximos às linhas de resfriadores, na lateral, longe dos resfriadores etc. Em todos os casos, o calor adicional aumentou a temperatura ambiente média de maneira razoavelmente uniforme, distribuindo a carga auxiliar por todos os resfriadores na área com base em linha. O posicionamento das cargas auxiliares, no entanto, causa um impacto na temperatura da área auxiliar. A Figura 5 ilustra quatro posicionamentos possíveis do equipamento auxiliar no data center. Quando a sala tiver uma orientação como a da opção "d", o equipamento auxiliar será mais isolado (em um nicho) da área com base em linha principal. Nesse caso, a proporção, ou a taxa da largura (L) para a comprimento (C) terá um impacto significativo na temperatura dessa área. Para os outros três layouts, a proporção terá um impacto insignificante. a b c d Figura 5 Posicionamentos de equipamento auxiliar no data center Área de Refrigeração e de TI Área de TI auxiliar Para densidades fixas, a temperatura na área auxiliar aumenta lentamente com o aumento na área auxiliar ou uma diminuição na área com base em linha, uma vez que esses cenários levam a uma fração maior de área auxiliar sem refrigeração no data center. A temperatura na área com base em linha é menos afetada pela geometria da sala uma vez que a carga de calor adicional é distribuída de maneira razoavelmente uniforme pelo data center, como discutido acima. Equipamento de TI A mistura e a densidade de potência do equipamento de TI no data center também causam um impacto na capacidade de remover calor auxiliar e o aumento da temperatura porque diferentes tipos de equipamento de TI têm características diferentes de T entre eles. Neste modelo, as ΔTs supostas são mostradas na Tabela 1. Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 7

8 Tipo de TI T( F) T( C) Mesa 1 T por tipo de equipamento de TI Servidores blade Servidores de 1U a 2U Outros A capacidade de um resfriador de remover aumentos de calor com temperatura de retorno. À medida que a ΔT meia dos dispositivos de TI aumenta ou a densidade de potência do rack de TI com base em linha aumenta, o ar de exaustão se torna mais quente e a temperatura de retorno do resfriador aumenta. A capacidade ampliada dos resfriadores significa mais capacidade de separar cargas de calor auxiliares, o que diminui a temperatura da área auxiliar. Entretanto, à medida que a densidade de TI (por exemplo, W/pés2) da área auxiliar aumenta, a temperatura da área auxiliar também aumenta. Configuração de refrigeração Esses são os vários atributos da configuração de refrigeração que causam um impacto na capacidade de remover a carga de calor auxiliar adicional. Eles incluem tipo e quantidade de resfriador com base em linha, temperatura de entrada de água fria (temperatura de entrada de água fria) e a ΔT da água fria. Com base nesses atributos, a capacidade do sistema pode ser determinada. O sistema de controle dos resfriadores também causa um impacto em sua capacidade. Neste modelo, é suposto (conservadoramente) que as unidades de refrigeração estão funcionando a um fluxo de ar máximo. TradeOff Tool, Calculadora de refrigeração InRow para equipamentos de TI auxiliares Link para a fonte TradeOff Tool 12 Calculadora de refrigeração InRow para equipamentos de TI auxiliares O Centro de Ciência de Data Center da Schneider Electric criou uma TradeOff Tool baseada na Web, a Calculadora de refrigeração InRow para equipamentos de TI auxiliares para fornecer aos projetistas e operadores de data center um meio de determinar se as cargas auxiliares podem ser suportadas por seus resfriadores com base em linha, dados os atributos de geometria da sala, do equipamento de TI e da configuração de refrigeração discutidos acima. A calculadora permite que o usuário estime o impacto de diversos "parâmetros ajustáveis", incluindo o ponto de definição do resfriador, as temperaturas máximas permitidas para o equipamento de TI e as cargas auxiliares, a carga auxiliar e a porcentagem do espaço do data center ocupado pelas cargas auxiliares. A calculadora fornece um resumo declarando uma destas três condições: Nenhuma capacidade de refrigeração adicional é necessária. A capacidade de refrigeração é maior do que a carga total e as temperaturas de TI com base em linha e de TI auxiliar estão dentro dos limites definidos. Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 8

9 A capacidade de refrigeração é maior do que a carga total, mas as temperaturas de TI com base em linha e/ou de TI auxiliar excederam os limites definidos. Nesse caso, as altas temperaturas devem ser toleradas ou capacidade de refrigeração adicional deverá ser adicionada. Para suportar a carga auxiliar, capacidade de refrigeração adicional deverá ser adicionada à área auxiliar. Isso acontece porque a carga auxiliar excedeu a capacidade de refrigeração disponível e o sistema de refrigeração não pode mais regular efetivamente a temperatura de TI. Data centers típicos, com cargas auxiliares na ordem de 5 a 10% geralmente não funcionarão na terceira condição acima, mas para alguns data center com uma porcentagem mais alta de cargas auxiliares ou com uma geometria de sala na qual cargas auxiliares são isoladas em um nicho, a única alternativa será adicionar mais refrigeração ao projeto na área auxiliar. Quando a refrigeração adicional é necessária Quando a refrigeração adicional for necessária para resfriar adequadamente as cargas auxiliares, quase sempre é suposta a necessidade de resfriadores com base no perímetro. Na realidade, resfriadores com base em linha também podem atender a essa necessidade, colocando-os ao lado das cargas auxiliares do perímetro. Da perspectiva de TCO (custo antecipado, custo de energia, custo de manutenção), faz muito mais sentido fazer isso em vez de instalar resfriadores de perímetro com sistemas de suporte como um piso elevado. O White Paper 130, Vantagens de Arquiteturas de Refrigeração Orientada a Rack e Linha para Data Centers, discute em mais detalhes os benefícios da refrigeração com base em linha. Considere o exemplo da Figura 6. São mostradas três alternativas de projeto: um nicho sem refrigeração adicional (6a), um nicho com refrigeração adicional (6b) e sem nicho (6c). Cada alternativa consiste na mesma população de equipamentos de TI auxiliar e de TI com base em linha kw e 12 kw respectivamente - representando uma taxa típica para este equipamento (8% do total da carga de TI). Cada alternativa exige a mesma área do piso e supõe-se que a temperatura máxima permitida (nas áreas em linha e auxiliar) seja de 80,6 F, o limite superior do intervalo de temperatura recomendado pela ASHRAE para sistemas de TI. A Figura 6a ilustra as cargas auxiliares no resultado do nicho em temperaturas bem acima do limite de projeto de 80,6 F. Quanto mais internas no nicho estiverem localizadas as cargas, mais isoladas elas se tornarão dos resfriadores com base em linha e mais quentes se tornarão. Na verdade, além das cargas auxiliares excedendo a temperatura permitida, os racks de TI mais próximos ao nicho também experimentarão temperaturas relativamente altas. Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 9

10 Figura 6a Exemplo de data center com nicho e sem refrigeração adicional para a área auxiliar Temperatura ( F) A Figura 6b ilustra que a adição de dois resfriadores com base em linha na área do nicho ajuda a resfriar o nicho para as temperaturas definidas permitidas, embora, devido à geometria da sala, a temperatura ainda seja ligeiramente mais quente do que a área resfriada com base em linha. Obviamente, se possível, um data center com uma geometria retangular padrão deverá ser projetado, mas quando isso não for possível - como quando um espaço existente tiver uma nova finalidade como um data center - a refrigeração com base em linha ainda será uma abordagem de refrigeração efetiva. Quando um layout de tipo de nicho for empregado, a refrigeração adicional poderá ser adicionada como mostrada. Nesse caso, os dois resfriadores com base em linha adicionais reduzem, realmente, as temperaturas operacionais ao limite aceitável e oferecem alguma medição de redundância (embora as temperaturas auxiliares aumentem no caso de uma falha de refrigeração). Nesse cenário em particular, que é limitado por espaços livres de equipamento e espaço de acesso, existem opções limitadas relacionadas ao local onde posicionar os resfriadores. Em geral, os resfriadores com base em linha podem ser posicionados essencialmente em qualquer local fornecido, espaços livres frontais e traseiros são respeitados, suportes fixados no piso são usados para estabilidade quando necessário e conexões de energia e de refrigeração estão disponíveis. Como as cargas auxiliares são quase sempre muito difusas para permitir que os resfriadores capturem e neutralizem efetivamente o ar quente, é quase sempre uma opção prática simplesmente ter os resfriadores soprando diretamente no equipamento de calor ou em torno dele para "misturar" o ar quente e obter uma temperatura aceitável. Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 10

11 Figura 6b Exemplo de data center com nicho e refrigeração com base em linha adicionada à área auxiliar Temperatura ( F) A Figura 6c mostra o cenário onde não existem nichos. quando um data center tiver uma geometria de sala padrão como este exemplo, quase sempre a refrigeração adicional será desnecessária. Os resfriadores com base em linha nas 4 linhas de racks são suficientes para resfriar não só as cargas para as quais foram projetados para lidar, como também separar carga de calor adicional das cargas auxiliares. As temperaturas na área auxiliar, embora mais quentes do que as temperaturas das linhas, ainda estão abaixo do limite de projeto. Figura 6c Data center de exemplo sem nicho Temperatura ( F) Consistente com a análise CFD mostrada para os três cenários, a TradeOff Tool Calculadora de refrigeração InRow para equipamentos de TI auxiliares prevê que o layout com o nicho exige refrigeração adicional enquanto que o layout sem o nicho não exige. Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 11

12 Conclusão É prático e efetivo usar uma linha puramente baseada em arquitetura de refrigeração para resfriar um data center completo mesmo quando algumas das cargas não estiverem localizadas em linhas perfeitas. Os resfriadores em linha oferecem uma fonte de refrigeração de sala generalizada, além da refrigeração das linhas em que estão posicionados. Essa abordagem funcionará quando o equipamento que não está em linha for uma pequena fração do total, o que é uma situação comum. A abordagem de usar uma arquitetura de refrigeração em linha pura possui alguns benefícios quando comparada a uma abordagem híbrida de resfriadores de ambiente e resfriadores em linha. Maior eficiência, baixo custo e a capacidade de eliminar o piso elevado são alguns dos benefícios. A extensa análise CFD valida a efetividade desta abordagem. A Tradeoff Tool 12, Calculadora de refrigeração InRow para equipamentos de TI auxiliares, avalia a capacidade do data center de resfriar essas cargas, dado um layout de piso, uma configuração de refrigeração com base em linha e atributos e limites de carga de TI. Quando a refrigeração adicional for necessária para suportar as cargas auxiliares (isto é, quando as cargas auxiliares representarem um maior percentual da carga total do que data centers típicos ou quando as cargas estiverem muito isoladas em um nicho), a implementação de resfriadores com base em linha adicionais será uma abordagem de refrigeração efetiva, uma vez que a infraestrutura já está pronta. Sobre o autor Jim VanGilder está no mercado de simulação e de refrigeração de data center por mais de dez anos. Antes disso, se especializou no uso de CFD para aplicações de refrigeração de eletrônicos. Atualmente, dirige os esforços de pesquisa e desenvolvimento em previsão de refrigeração de produtos de projeto de data center e de software de gerenciamento da Schneider Electric. John possui mestrado em engenharia mecânica na Duke University e é engenheiro profissional registrado no estado de Massachusetts. É autor ou coautor de mais de 20 documentos técnicos sobre refrigeração de data center e possui diversas patentes concedidas e várias outras pendentes nesta área. Jim é vice-presidente do Comitê Técnico 4.10, Modelagem Ambiental Interna da Sociedade Americana de Engenheiros de Aquecimento, Refrigeração e Condicionamento de Ar (ASHRAE). Wendy Torell é Analista Sênior de Pesquisa do Centro de Ciência de Data Centers da Schneider Electric. Ela dialoga com os clientes sobre a disponibilidade de abordagens científicas e práticas de projeto para aumentar a disponibilidade de seus ambientes de data center. Ela obteve seu Bacharelado em Engenharia Mecânica pelo Union College em Schenectady, NY, e seu MBA pela Universidade de Rhode Island. Wendy é Engenheira de Confiabilidade Certificada da ASQ. Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 12

13 Recursos Clique no ícone para linkar a pesquisa Vantagens de Arquiteturas de Refrigeração Planejadas em Função da Fila e do Rack para Data Centers White Paper 130 Explore todos os White Papers whitepapers.apc.com Calculadora de refrigeração InRow para equipamentos de TI auxiliares TradeOff Tool 12 Explore todas as ferramentas TradeOff tools.apc.com Entre em contato Para incluir comentários sobre o conteúdo deste White Paper: Data Center Science Center Se você é cliente e tem perguntas relacionadas especificamente com o data center que está projetando: Entre em contato com seu representante de Schneider Electric Schneider Electric Centro Científico de Data Centers White Paper 139 Rev 0 13

Determinando Capacidades de Energia, Refrigeração e Espaço ao Consolidar Data Centers

Determinando Capacidades de Energia, Refrigeração e Espaço ao Consolidar Data Centers Determinando Capacidades de Energia, Refrigeração e Espaço ao Consolidar Data Centers White Paper 177 Revisão 1 Por Wendy Torell e Patrick Donovan > Sumário Executivo Ao planejar a consolidação de vários

Leia mais

Como o Cabeamento Elevado Economiza Energia em Data Centers

Como o Cabeamento Elevado Economiza Energia em Data Centers Como o Cabeamento Elevado Economiza Energia em Data Centers White Paper 159 Revisão 0 Por Victor Avelar > Sumário Executivo O posicionamento de cabos de energia e de dados do data center em suportes para

Leia mais

Preparando a Infraestrutura Física de Data Centers de Recebimento para Consolidação

Preparando a Infraestrutura Física de Data Centers de Recebimento para Consolidação Preparando a Infraestrutura Física de Data Centers de Recebimento para Consolidação White Paper 175 Revisão 1 Por Neil Rasmussen > Sumário Executivo A consolidação de um ou mais data centers em um data

Leia mais

Opções Práticas para Implementação de Equipamentos de TI em Pequenos Data Centers

Opções Práticas para Implementação de Equipamentos de TI em Pequenos Data Centers Opções Práticas para Implementação de Equipamentos de TI em Pequenos Data Centers White Paper 174 Revisão 0 por Victor Avelar > Sumário executivo Pequenos data centers são geralmente desorganizados, inseguros,

Leia mais

Opções de Alimentação do Rack para Configurações de Alta Densidade em Países de 230 VCA

Opções de Alimentação do Rack para Configurações de Alta Densidade em Países de 230 VCA Opções de Alimentação do Rack para Configurações de Alta Densidade em Países de 230 VCA White Paper 28 Revisão 1 por Neil Rasmussen > Sumário Executivo As alternativas para fornecer energia elétrica para

Leia mais

Estratégias de Instalação de Servidores Blade em Data Centers

Estratégias de Instalação de Servidores Blade em Data Centers Estratégias de Instalação de Servidores Blade em Data Centers Por Neil Rasmussen Relatório interno N 125 Resumo Executivo Os servidores blade funcionam às densidades de potência mais altas que as capacidades

Leia mais

Como escolher entre refrigeração perimetral, por corredor e por rack para data center

Como escolher entre refrigeração perimetral, por corredor e por rack para data center Como escolher entre refrigeração perimetral, por corredor e por rack para data center White Paper 130 Revisão 2 Por Kevin Dunlap e Neil Rasmussen > Sumário Executivo Os equipamentos de TI mais modernos

Leia mais

Diferentes tipos de sistemas No-Break

Diferentes tipos de sistemas No-Break Diferentes tipos de sistemas No-Break Relatório interno N 1 Revisão 6 por Neil Rasmussen > Resumo executivo Há muita confusão no mercado acerca dos diferentes tipos de sistemas NO-BREAK e suas características.

Leia mais

PLAYBOOK. Criando uma Infraestrutura de TI que se Adapta ao Seu Negócio

PLAYBOOK. Criando uma Infraestrutura de TI que se Adapta ao Seu Negócio PLAYBOOK P A R A M U D A N Ç A Criando uma Infraestrutura de TI que se Adapta ao Seu Negócio Durante décadas, os data centers foram sobre provisionados de duas à três vezes em uma tentativa de planejar

Leia mais

Implantação de Data Centers com Eficiência Energética

Implantação de Data Centers com Eficiência Energética Implantação de Data Centers com Eficiência Energética White Paper 114 Revisão 1 Por Neil Rasmussen > Sumário Executivo Os custos de utilização da energia elétrica passaram a ser uma fração crescente do

Leia mais

Modo econômico: Benefícios e riscos dos modos de economia de energia da Operação com No-Breaks

Modo econômico: Benefícios e riscos dos modos de economia de energia da Operação com No-Breaks Modo econômico: Benefícios e riscos dos modos de economia de energia da Operação com No-Breaks White Paper 157 Revisão 0 Por Neil Rasmussen > Sumário Executivo Muitos novos sistemas de UPS (no-break) têm

Leia mais

Diretrizes para a Especificação da Densidade de Potência do Data Center

Diretrizes para a Especificação da Densidade de Potência do Data Center Diretrizes para a Especificação da Densidade de Potência do Data Center White Paper 120 Revisão 1 Por Neil Rasmussen > Sumário Executivo Os métodos convencionais para especificar a densidade do data center

Leia mais

Planejamento de Data Centers Instalações de Climatização

Planejamento de Data Centers Instalações de Climatização Logo da Empresa Planejamento de Data Centers Instalações de Climatização Eng. Eduardo Grecco Evolução das Salas de Processamento CPD s Mainframes 500 W/m2 ambiente a 22 o C Data Center Corredores quentes

Leia mais

Impacto da Contenção em Corredores Quentes e Frios sobre a Temperatura e a Eficiência do Data Center

Impacto da Contenção em Corredores Quentes e Frios sobre a Temperatura e a Eficiência do Data Center Impacto da Contenção em Corredores Quentes e Frios sobre a Temperatura e a Eficiência do Data Center White Paper 135 Revisão 2 Por John Niemann, Kevin Brown e Victor Avelar > Sumário Executivo Tanto a

Leia mais

Uma arquitetura de distribuição de energia elétrica escalável, reconfigurável e eficiente para Data Centers

Uma arquitetura de distribuição de energia elétrica escalável, reconfigurável e eficiente para Data Centers Uma arquitetura de distribuição de energia elétrica escalável, reconfigurável e eficiente para Data Centers White Paper 129 Revisão 1 Por Neil Rasmussen > Sumário Executivo Melhorias significativas na

Leia mais

Gerenciamento inteligente de dados

Gerenciamento inteligente de dados Gerenciamento inteligente de dados Sanjeet Singh Grupo de produtos de armazenamento de dados da Dell ÍNDICE Índice RESUMO EXECUTIVO... 3 O GERENCIAMENTO DE DADOS DE HOJE... 3 VISÃO DA DELL: IDM... 4 OBJETIVOS

Leia mais

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Outubro de 2007 Resumo Este white paper explica a função do Forefront Server

Leia mais

Custo Total de Exploração para Centro de Dados e Infraestrutura

Custo Total de Exploração para Centro de Dados e Infraestrutura Custo Total de Exploração para Centro de Dados e Infraestrutura White Paper #6 Revisão 2 Resumo Nesta comunicação é descrito um método melhorado para medir o Custo Total de Exploração (TCO) da infraestrutura

Leia mais

Cálculo da necessidade total de potência para centros de dados

Cálculo da necessidade total de potência para centros de dados Cálculo da necessidade total de potência para centros de dados Por Victor Avelar Relatório APC N 3 Revisão 1 Resumo executivo Parte do projeto e planejamento de um Data Center consiste em alinhar as necessidades

Leia mais

Documento técnico de negócios

Documento técnico de negócios Documento técnico de negócios Manual de proteção de dados para armazenamento totalmente em flash Principais considerações para o comprador de armazenamento com experiência em tecnologia Documento técnico

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

Quatro tendências críticas em TI para a continuidade dos negócios

Quatro tendências críticas em TI para a continuidade dos negócios Quatro tendências críticas em TI para a continuidade dos negócios Em TI, o fracasso não é uma opção. Não surpreendentemente, as organizações tornaram uma prioridade alta desenvolver e implementar planos

Leia mais

Soluções em Climatização para Data Center

Soluções em Climatização para Data Center Soluções em Climatização para Data Center Como a climatização pode contribuir na eficiência energética do Data Center Outubro 9, 2014 Universidade de Brasília (UnB) 1 Agenda Data Center: a importância

Leia mais

Implementação de data centers eficientes em termos de energia

Implementação de data centers eficientes em termos de energia Implementação de data centers eficientes em termos de energia Traduzido por Schneider Electric, Critical Power and Cooling Services Division - Brazil Relatório APC No. 114 Resumo executivo Os custos da

Leia mais

Monitorando Ameaças Físicas no Data Center

Monitorando Ameaças Físicas no Data Center Monitorando Ameaças Físicas no Data Center White Paper 102 Revisão 3 Por Christian Cowan e Chris Gaskins > Sumário Executivo Metodologias tradicionais para monitoramento do ambiente do data center não

Leia mais

Alocação de custos de energia e de emissões de carbono de data centers a usuários de TI

Alocação de custos de energia e de emissões de carbono de data centers a usuários de TI Alocação de custos de energia e de emissões de carbono de data centers a usuários de TI Relatório APC Nº 161, revisão 1 Neil Rasmussen > Índice Introdução 2 Qual é a meta? 2 > Resumo executivo Medição

Leia mais

Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos

Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos Resumo da solução Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos Você deseja uma solução de computação unificada para a sua empresa de médio ou pequeno porte ou para o padrão avançado do seu

Leia mais

Máquina de Massas Curtas.

Máquina de Massas Curtas. Máquina de Massas Curtas. A maior diversidade em matérias-primas, receitas e formatos. 2 BÜhler MÁQUINA DE MASSAS CURTAS Do grão para massa. Plantas confiáveis com soluções inovadoras. Mais de 100 anos

Leia mais

classe F400 TORRE DE RESFRIAMENTO DE CONTRACORRENTE

classe F400 TORRE DE RESFRIAMENTO DE CONTRACORRENTE classe F400 TORRE DE RESFRIAMENTO DE CONTRACORRENTE D e s i g n c o m p r o v a d o M a t e r i a i s e s t r u t u r a i s a p r i m o r a d o s I n t e g r i d a d e d e p r o j e t o A torre de resfriamento

Leia mais

HP Installation Service

HP Installation Service HP Installation Service Serviços HP Dados técnicos O HP Installation Service prevê a instalação básica de servidores, estações de trabalho, sistemas desktop, PCs notebooks, thin clients, dispositivos de

Leia mais

Soluções de Confinamento Knürr para Data Centers Eficientes

Soluções de Confinamento Knürr para Data Centers Eficientes Soluções de Confinamento Knürr para Data Centers Eficientes Pense Verde! Sofrendo com problemas como esse? Melhores Práticas Organizar fileiras de racks em corredores frios / quentes Colocar as unidades

Leia mais

UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br

UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br SINOP MT 2015-1 COMO SÃO DESENVOLVIDOS OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO? São desenvolvimento como uma estrutura

Leia mais

Sistemas de Racks e Gabinetes Integrados. Miracel. Linha de racks 19 para data centers, telecomunicações e redes

Sistemas de Racks e Gabinetes Integrados. Miracel. Linha de racks 19 para data centers, telecomunicações e redes Sistemas de Racks e Gabinetes Integrados Miracel Linha de racks 19 para data centers, telecomunicações e redes A inovadora linha de racks Miracel Multi-funcional, diferenciada, integradora As linhas Miracel

Leia mais

Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo.

Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo. Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo. Desafios da vigilância por vídeo hoje O mercado de vigilância por vídeo está crescendo, impulsionado por preocupações de segurança

Leia mais

IBM System Storage. Projeta suas informações de negócios importantes com soluções de segurança de informações da IBM

IBM System Storage. Projeta suas informações de negócios importantes com soluções de segurança de informações da IBM IBM System Storage Projeta suas informações de negócios importantes com soluções de segurança de informações da IBM As organizações sempre se esforçaram para gerenciar o crescimento exponencial de informações

Leia mais

Esta aula apresentará os elementos chave para a criação de um sistema elétrico, confiável, para um Data Center. Em seguira serão apresentadas

Esta aula apresentará os elementos chave para a criação de um sistema elétrico, confiável, para um Data Center. Em seguira serão apresentadas Esta aula apresentará os elementos chave para a criação de um sistema elétrico, confiável, para um Data Center. Em seguira serão apresentadas características de controle de um ambiente de DC, envolvendo

Leia mais

Os modelos convencionais para estimar a eficiência elétrica em data centers são

Os modelos convencionais para estimar a eficiência elétrica em data centers são Resumo executivo Os modelos convencionais para estimar a eficiência elétrica em data centers são bem imprecisos em instalações no mundo real. As estimativas de perdas elétricas são feitas normalmente somando

Leia mais

6 Passos para selecionar o nobreak adequado para sua aplicação. Um guia prático para adquirir a melhor fonte de alimentação ininterrupta de máxima

6 Passos para selecionar o nobreak adequado para sua aplicação. Um guia prático para adquirir a melhor fonte de alimentação ininterrupta de máxima 6 Passos para selecionar o nobreak adequado para sua aplicação. Um guia prático para adquirir a melhor fonte de alimentação ininterrupta de máxima qualidade. Introdução Se você tem planos para comprar

Leia mais

Razões para Investir em Fundos de Fundos de Private Equity

Razões para Investir em Fundos de Fundos de Private Equity Razões para Investir em Fundos de Fundos de Private Equity por Capital Dynamics* ambiente de private equity no Brasil tem mostrado uma melhoria significativa desde 2003, mesmo se comparado aos outros paises

Leia mais

A Tecnologia e Inovação para alavancar seu negócio. Marcos Leite Diretor Comercial da Artsoft Sistemas

A Tecnologia e Inovação para alavancar seu negócio. Marcos Leite Diretor Comercial da Artsoft Sistemas A Tecnologia e Inovação para alavancar seu negócio. Marcos Leite Diretor Comercial da Artsoft Sistemas - O que há de mais moderno ao seu alcance. Tecnologia On Demand NECESSIDADES DE TI Onde e como hospedar

Leia mais

Módulos de Energia e Refrigeração em Contêineres para Data Centers

Módulos de Energia e Refrigeração em Contêineres para Data Centers Módulos de Energia e Refrigeração em Contêineres para Data Centers White Paper 163 Revisão 1 por Dennis Bouley e Wendy Torell > Sumário Executivo Módulos padronizados, pré-montados e integrados de alimentação

Leia mais

IBM FlashSystem Atendendo ao pedido de desempenho no setor de telecomunicações

IBM FlashSystem Atendendo ao pedido de desempenho no setor de telecomunicações IBM Systems and Technology Group Abril de 2013 White Paper de Liderança em Ideias Inovadoras IBM FlashSystem Atendendo ao pedido de desempenho no setor de telecomunicações 2 IBM FlashSystem Atendendo ao

Leia mais

RIELLO ELETTRONICA. Multi Guard

RIELLO ELETTRONICA. Multi Guard RIELLO ELETTRONICA Multi Guard REDES LOCAIS (LAN) ServIDORES DATA CENTERS DISPOSITIVOS DE TELECOMU- NICAÇÃO E-BUSINESS (Parque de Servidores, ISP/ ASP/POP) DISPOSITIVOS DE EMERGÊNCIA (Luzes/Alarmes) Multi

Leia mais

Compressores de parafuso

Compressores de parafuso Construídos para toda a vida Compressores de parafuso SÉRIE SM Capacidade: 0.45 a 1.20 m³/min Pressão: 7.5 a 13 bar Compressor de parafusos rotativos Máxima Eficiência e Confiabilidade Há anos os consumidores

Leia mais

Atenção! Atendendo à dimensão da apresentação foram retiradas quase todas as imagens. Por favor contacte o autor para mais informação.

Atenção! Atendendo à dimensão da apresentação foram retiradas quase todas as imagens. Por favor contacte o autor para mais informação. Inovação e Produtividade em Centros de Dados Pedro Magalhães Atenção! Atendendo à dimensão da apresentação foram retiradas quase todas as imagens. Por favor contacte o autor para mais informação. APC by

Leia mais

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EDITAL DO PREGÃO AMPLO Nº 008/2010-ER05-Anatel PROCESSO Nº 53528.001004/2010 Projeto Executivo e Estudos de Adequação da nova Sala de Servidores da rede de

Leia mais

Manual de Vendas. Chegou a oportunidade de aumentar os lucros com o Windows Server 2012 R2

Manual de Vendas. Chegou a oportunidade de aumentar os lucros com o Windows Server 2012 R2 Manual de Vendas Chegou a oportunidade de aumentar os lucros com o Windows Server 2012 R2 O Windows Server 2012 R2 fornece soluções de datacenter e de nuvem híbrida de classe empresarial que são simples

Leia mais

Classificação de Ferramentas de Software de Gerenciamento de Data Center

Classificação de Ferramentas de Software de Gerenciamento de Data Center Classificação de Ferramentas de Software de Gerenciamento de Data Center White Paper 104 Revisão 2 por Kevin Brown e Dennis Bouley > Sumário Executivo Hoje, os data centers não possuem um sistema formal

Leia mais

Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Cronograma das Aulas. Hoje você está na aula Semana

Leia mais

Administração de CPD Internet Data Center

Administração de CPD Internet Data Center Administração de CPD Internet Data Center Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os principais conceitos e elementos relacionados a um dos principais tipos

Leia mais

Aula 2 Revisão 1. Ciclo de Vida. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW

Aula 2 Revisão 1. Ciclo de Vida. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW Ciclo de Vida Aula 2 Revisão 1 Processo de Desenvolvimento de Software 1 O Processo de desenvolvimento de software é um conjunto de atividades, parcialmente ordenadas, com a finalidade de obter um produto

Leia mais

Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte

Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte Sebastião Florêncio Pereira Neto CRMV-SP 20766 Itabom - SP Pontos Primordiais para a Produção de Frangos

Leia mais

Serviços IBM de Resiliência e Continuidade de Negócios

Serviços IBM de Resiliência e Continuidade de Negócios IBM Global Technology Services White Paper Novembro de 2010 Serviços IBM de Resiliência e Continuidade de Negócios Ajudando os negócios a permanecerem competitivos 2 Serviços IBM de Resiliência e Continuidade

Leia mais

Camada Física Camada Física Camada Física Função: A camada Física OSI fornece os requisitos para transportar pelo meio físico de rede os bits que formam o quadro da camada de Enlace de Dados. O objetivo

Leia mais

Capítulo 2. Processos de Software. 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. slide 1

Capítulo 2. Processos de Software. 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. slide 1 Capítulo 2 Processos de Software slide 1 Tópicos apresentados Modelos de processo de software. Atividades de processo. Lidando com mudanças. Rational Unified Process (RUP). Um exemplo de um processo de

Leia mais

Gerenciamento da alimentação elétrica e de refrigeração para data centers

Gerenciamento da alimentação elétrica e de refrigeração para data centers Gerenciamento da alimentação elétrica e de refrigeração para data centers Relatório 150 Revisão 1 Neil Rasmussen > Resumo executivo Equipamentos de TI de alta densidade exigem maior capacidade de densidade

Leia mais

13 TUBULAÇÕES DE REFRIGERANTE

13 TUBULAÇÕES DE REFRIGERANTE 167 13 TUBULAÇÕES DE REFRIGERANTE As tubulações de refrigerante representam uma parte essencial no sistema de refrigeração, pois requer as mesmas considerações gerais de projeto que qualquer sistema de

Leia mais

Alocação dos Custos de Energia e de Carbono de Data Centers a Usuários de TI

Alocação dos Custos de Energia e de Carbono de Data Centers a Usuários de TI Alocação dos Custos de Energia e de Carbono de Data Centers a Usuários de TI White Paper 161 Revisão 1 Por Neil Rasmussen > Sumário Executivo São necessários softwares e instrumentos complicados para medir

Leia mais

ITIL. Conteúdo. 1. Introdução. 2. Suporte de Serviços. 3. Entrega de Serviços. 4. CobIT X ITIL. 5. Considerações Finais

ITIL. Conteúdo. 1. Introdução. 2. Suporte de Serviços. 3. Entrega de Serviços. 4. CobIT X ITIL. 5. Considerações Finais ITIL Conteúdo 1. Introdução 2. Suporte de Serviços 3. Entrega de Serviços 4. CobIT X ITIL 5. Considerações Finais Introdução Introdução Information Technology Infrastructure Library O ITIL foi desenvolvido,

Leia mais

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Por Allan J. Albrecht Proc. Joint SHARE/GUIDE/IBM Application Development Symposium (October, 1979), 83-92 IBM Corporation, White Plains, New York

Leia mais

Figura 2.1 Localização de uma APU em aeronave e seu sistema pneumático

Figura 2.1 Localização de uma APU em aeronave e seu sistema pneumático 1 Capítulo 2 - Seleção do local para a APU Os passos que devem ser dados desde a concepção de uma aeronave são: 1) No Planejamento: Admitir que a seleção e a instalação da APU são tão importantes quanto

Leia mais

FLSmidth Cross-Bar Cooler (resfriador de clinker)

FLSmidth Cross-Bar Cooler (resfriador de clinker) FLSmidth Cross-Bar Cooler (resfriador de clinker) 2 O padrão em tecnologia de resfriamento de clinquer Principais vantagens - Confiabilidade/disponibilidade superiores - Manutenção baixa, simples e previsível

Leia mais

A capacidade de carga total com uso moderado é de aproximadamente 80% após 300 ciclos.

A capacidade de carga total com uso moderado é de aproximadamente 80% após 300 ciclos. Segurança da bateria A HP encara a segurança com muita seriedade e disponibiliza Material Safety Data Sheets (MSDS) (Fichas de dados de segurança de material; em inglês) que fornecem informações gerais

Leia mais

Data Center : Conceitos Básicos. Alex Martins de Oliveira

Data Center : Conceitos Básicos. Alex Martins de Oliveira Data Center : Conceitos Básicos Alex Martins de Oliveira Conceitos e Projetos Disponibilidade, Confiabilidade e Redundância Planejamento de Espaços Distribuição Elétrica e UPS (Uniterruptable Power Supply)

Leia mais

Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS

Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS Escolha o melhor fornecedor de sistemas e tecnologia e ganhe flexibilidade, rendimento e eficiência operacional automação que traz resultados

Leia mais

Serviço HP Proactive Care

Serviço HP Proactive Care Serviço HP Proactive Care HP Technology Services O Serviço HP Proactive Care (Proactive Care) oferece um conjunto integrado de serviços proativos e reativos, desenvolvido para ajudar você a melhorar a

Leia mais

Requisitos de Software

Requisitos de Software Requisitos de Software (Cap 6 - Sommerville) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Curso de Ciência da Computação Engenharia de Software I Prof. Rômulo Nunes de Oliveira Requisitos funcionais e não funcionais

Leia mais

Selantes de Silicone RTV Bicomponente Dow Corning para a Produção de Aparelhos Domésticos

Selantes de Silicone RTV Bicomponente Dow Corning para a Produção de Aparelhos Domésticos Selantes de Silicone RTV Bicomponente Dow Corning para a Produção de Aparelhos Domésticos Ideais para produção automatizada de alta velocidade, os Selantes RTV Bicomponente Dow Corning oferecem uma grande

Leia mais

Sede global: 5 Speen Street Framingham, MA 01701 EUA Tel.508.872.8200 Fax.508.935.4015 www.idc.com

Sede global: 5 Speen Street Framingham, MA 01701 EUA Tel.508.872.8200 Fax.508.935.4015 www.idc.com Sede global: 5 Speen Street Framingham, MA 01701 EUA Tel.508.872.8200 Fax.508.935.4015 www.idc.com B O L E T I M I N F O R M A T I V O R e d H a t E n t e r p r i s e L i n u x e m u s o : E m p r e s

Leia mais

Chemguard - Sistemas de Espuma. Sistemas de espuma de alta expansão DESCRIÇÃO: SC-119 MÉTODO DE OPERAÇÃO

Chemguard - Sistemas de Espuma. Sistemas de espuma de alta expansão DESCRIÇÃO: SC-119 MÉTODO DE OPERAÇÃO Sistemas de espuma de alta expansão DESCRIÇÃO: O Gerador de Espuma de Alta Expansão (Hi-Ex) Chemguard é um componente em um Sistema de Supressão de Incêndios de Espuma de Alta Expansão. Não requer nenhuma

Leia mais

Institui o Programa Estadual de Redução e Racionalização do Uso de Energia e dá providências correlatas

Institui o Programa Estadual de Redução e Racionalização do Uso de Energia e dá providências correlatas Decreto Estadual nº 45.765, de 4 de maio de 2001 Institui o Programa Estadual de Redução e Racionalização do Uso de Energia e dá providências correlatas GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO,

Leia mais

ANEMÔMETRO A FIO QUENTE

ANEMÔMETRO A FIO QUENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA INSTRUMENTAÇÀO ELTRÔNICA ANEMÔMETRO A FIO QUENTE Cayo Cid de França Moraes 200321285 Natal/RN ANEMÔMETRO

Leia mais

CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com

CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com SUMÁRIO Introdução... 4 Nuvem pública: quando ela é ideal... 9 Nuvem privada: quando utilizá-la... 12 Alternativas de sistemas

Leia mais

Benefícios e processos relacionados à migração e servidores dedicados para cloud servers. Juliano Simões. Diretor de Tecnologia

Benefícios e processos relacionados à migração e servidores dedicados para cloud servers. Juliano Simões. Diretor de Tecnologia Benefícios e processos relacionados à migração e servidores dedicados para cloud servers Juliano Simões Diretor de Tecnologia Agenda Comparar o modelo de servidor dedicado, orientado ao hardware, com os

Leia mais

Modos Econômicos dos Sistemas de Refrigeração de Data Centers

Modos Econômicos dos Sistemas de Refrigeração de Data Centers Modos Econômicos dos Sistemas de Refrigeração de Data Centers White Paper 132 Revisão 0 Por John Niemann John Bean Victor Avelar > Sumário Executivo Em determinados climas, alguns sistemas de refrigeração

Leia mais

The art of handling. Energia

The art of handling. Energia The art of handling Energia A arte em eficiência energética através do manuseio do ar Devido ao aumento constante dos preços da energia e da necessidade de proteger o meio ambiente, está se tornando cada

Leia mais

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC RESUMO EXECUTIVO O PowerVault DL2000, baseado na tecnologia Symantec Backup Exec, oferece a única solução de backup em

Leia mais

IBM Data Center and Facilities Strategy Services data center energy efficiency assessment

IBM Data Center and Facilities Strategy Services data center energy efficiency assessment IBM Data Center and Facilities Strategy Services data center energy efficiency assessment Num Centro de Dados típico, apenas 30% da energia consumida se deve aos equipamentos de TI. 35 Sistema de Refrigeração

Leia mais

Symmetra PX. Symmetra PX 48kW Escalável de 16kW a 48kW. Proteção elétrica modular, escalável e de alta eficiência para Data Centers

Symmetra PX. Symmetra PX 48kW Escalável de 16kW a 48kW. Proteção elétrica modular, escalável e de alta eficiência para Data Centers Symmetra PX Proteção elétrica modular, escalável e de alta eficiência para Data Centers Symmetra PX 48kW Escalável de 16kW a 48kW > Proteção elétrica trifásica compacta, de alto desempenho e eficiência.

Leia mais

Informação Técnica Derating de temperatura para Sunny Boy e Sunny Tripower

Informação Técnica Derating de temperatura para Sunny Boy e Sunny Tripower Informação Técnica Derating de temperatura para Sunny Boy e Sunny Tripower No caso de derating de temperatura, o inversor reduz a sua potência para proteger os componentes contra sobreaquecimento. Este

Leia mais

Para superar esses problemas, a metodologia de três partes a seguir está detalhada neste artigo: igualmente à DCiE

Para superar esses problemas, a metodologia de três partes a seguir está detalhada neste artigo: igualmente à DCiE Os benefícios de se determinar a eficiência da infraestrutura do data center como parte de um plano efetivo de gerenciamento de energia são amplamente reconhecidos. A métrica padrão PUE (Eficácia do Uso

Leia mais

EMC Consulting. Estratégia visionária, resultados práticos. Quando a informação se reúne, seu mundo avança.

EMC Consulting. Estratégia visionária, resultados práticos. Quando a informação se reúne, seu mundo avança. EMC Consulting Estratégia visionária, resultados práticos Quando a informação se reúne, seu mundo avança. Alinhando TI aos objetivos de negócios. As decisões de TI de hoje devem basear-se em critérios

Leia mais

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Parceiros de serviços em nuvem gerenciada Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Implemente a versão mais recente do software da SAP de classe mundial,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PROJETO

A IMPORTÂNCIA DO PROJETO Iluminação de Lojas Destacar uma vitrine, a arquitetura da fachada, os produtos e a decoração dos espaços internos tornando as lojas atraentes aos olhos do público, já não é possível sem a elaboração de

Leia mais

UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas 4.1 Motivação Sistemas de Informação são usados em diversos níveis dentro de uma organização, apoiando a tomada de decisão; Precisam estar

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Relação de Títulos Informação e Comunicação. Aprendizagem

EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Relação de Títulos Informação e Comunicação. Aprendizagem EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Relação de s Informação e Comunicação Aprendizagem Código Capacitação 252 Administrador de Banco de Dados 253 Administrador de Redes 1195 Cadista 1291 Desenhista

Leia mais

UPS CENTRALIZADA E UPS DISTRIBUÍDA: UMA COMPARAÇ Ã O DELTA POWER SOLUTIONS

UPS CENTRALIZADA E UPS DISTRIBUÍDA: UMA COMPARAÇ Ã O DELTA POWER SOLUTIONS UPS CENTRALIZADA E UPS DISTRIBUÍDA: UMA COMPARAÇ Ã O DELTA POWER SOLUTIONS Introdução Onde quer que seja necessária alimentação contínua de energia elétrica, há uma necessidade de Fontes de Alimentação

Leia mais

TRIZ NUM PROBLEMA DE QUALIDADE AUTOMOTIVO: ALINHAMENTO DO BOCAL DO TANQUE DE COMBUSTÍVEL

TRIZ NUM PROBLEMA DE QUALIDADE AUTOMOTIVO: ALINHAMENTO DO BOCAL DO TANQUE DE COMBUSTÍVEL TRIZ NUM PROBLEMA DE QUALIDADE AUTOMOTIVO: ALINHAMENTO DO BOCAL DO TANQUE DE COMBUSTÍVEL Edson Oliveira Martins, Eng.Mec. - edson26@pop.com.br Marco Aurélio de Carvalho, Eng.Mec., Me., Dr. marcoaurelio@utfpr.edu.br

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP

PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP O Pregoeiro da Empresa Maranhense de Administração Portuária - EMAP, designado pela Portaria nº 149/2013-PRE, de 29 de agosto de 2013, em razão de solicitação da empresa

Leia mais

Compressores de Ar de Parafusos Rotativos Lubrificados

Compressores de Ar de Parafusos Rotativos Lubrificados Compressores de Ar de Parafusos Rotativos Lubrificados Séries-R 55-75 kw/75-100 hp Compressores Rotativos 3 Um Novo Nível de Confiabilidade, Eficiência e Produtividade Os compressores de ar de parafuso

Leia mais

PA-2000 Series Hardware Reference Guide. 8/31/11 Esboço de Revisão Final - CONFIDENCIAL DA EMPRESA Palo Alto Networks

PA-2000 Series Hardware Reference Guide. 8/31/11 Esboço de Revisão Final - CONFIDENCIAL DA EMPRESA Palo Alto Networks PA-2000 Series Hardware Reference Guide 8/31/11 Esboço de Revisão Final - CONFIDENCIAL DA EMPRESA Palo Alto Networks Palo Alto Networks, Inc. www.paloaltonetworks.com Copyright 2011 Palo Alto Networks.

Leia mais

A ENGENHARIA ENVOLVIDA NA IMPLANTAÇÃO DE UM DATA CENTER

A ENGENHARIA ENVOLVIDA NA IMPLANTAÇÃO DE UM DATA CENTER A ENGENHARIA ENVOLVIDA NA IMPLANTAÇÃO DE UM Oripide Cilento Filho oripide@nic.br DATA CENTER CONGRESSO ST 2012 Congresso SET -2012T 2012 Sobre o CGI.br Comitê Gestor da Internet no Brasil. Criado em maio

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE Introdução O administrador de redes geovanegriesang@ifsul.edu.br www.geovanegriesang.com Gerenciamento de redes Gerenciamento de rede é o ato de iniciar, monitorar e modificar

Leia mais

Compressores a parafuso

Compressores a parafuso Construídos para toda a vida Compressores a parafuso Série CSD Capacidade: 5.50 a 16.10 m³/min Pressão: 7.5 a 13 bar Compressor de parafusos rotativos Máxima Eficiência e Confiabilidade Há anos os clientes

Leia mais

Ingersoll Rand. Sistema de Automação Série-X

Ingersoll Rand. Sistema de Automação Série-X Ingersoll Rand Sistema de Automação Série- Economia de Energia Por Encomenda! Ingersoll Rand 20% a 60% da energia utilizada para operar os sistemas de ar comprimido são desperdiçados. Isso ocorre principalmente

Leia mais

Gestão energética de edifícios

Gestão energética de edifícios Gestão energética de edifícios Cesar Serna Departamento Regulação, Controlo e Medição de Energia. Sedical, S.A. Os custos energéticos dos sistemas de aquecimento, ventilação, ar condicionado e iluminação

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

Soluções Energéticas

Soluções Energéticas Soluções Energéticas A EMPRESA DE ENERGIA QUE O BRASIL CONFIA Utilizar a energia de forma eficiente é um desafio mundial. E onde tem desafio, tem Petrobras, realizando grandes investimentos em tecnologia

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Estruturas de Sistemas Operacionais Um sistema operacional fornece o ambiente no qual os programas são executados. Internamente,

Leia mais

Watts e Volt-Amperes: Confusão em potência

Watts e Volt-Amperes: Confusão em potência Watts e Volt-Amperes: Confusão em potência Aplicação Técnica 15 Revisão 1 por Neil Rasmussen > Resumo Executivo Esta nota ajuda a explicar as diferenças entre Watts e VA e explica de que forma os termos

Leia mais