PROJETO PEDAGOGICO DO CURSO DE CIENCIAS CONTABEIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGOGICO DO CURSO DE CIENCIAS CONTABEIS"

Transcrição

1 PROJETO PEDAGOGICO DO CURSO DE CIENCIAS CONTABEIS PARTE I: IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO Da Mantenedora Orgaização Santo Andreense de Educação e Cultura Rua Delfim Moreira, 40 - Centro Santo André/SP CEP: Fone: (0xx11) site: Da Instituição de Ensino Superior Instituto de Ensino Superior Santo André - Grupo UNIESP. Rua Delfim Moreira, 40 - Centro Santo André/SP CEP: Fone: (0xx11) site: Do Dirigente Principal da Mantenedora Professor Flavio Roberto Golvea Endereço: Rua Delfin Moreira, 40 Centro - Santo André/SP. CEP

2 Da Coordenadoria do Curso de Ciências Contábeis Professor João Yanase Endereço: Rua Delfin Moreira, 40 Centro - Santo André-SP. CEP Histórico da Instituição Preenchendo os anseios e as necessidades da cidade de Santo André, na região do ABC Paulista, foi fundado em 1939, o primeiro ginásio particular, integrando os municípios de São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires. Nesta época, poucas eram as oportunidades de se prosseguir nos estudos e a cidade, carente de escolas, ganha um novo espaço cultural que viria a brilhar mais adiante. Juntamente com o curso ginasial, instalou-se o curso Técnico em Contabilidade, o Comercial Básico e o Propedêutico; cursos da maior importância para a cidade e região, tendo em vista o aceleramento do crescimento econômico e a expansão das indústrias e comércio. Em 1950, foi autorizado o funcionamento do curso Normal, hoje habilitação específica de Ensino Médio para o Magistério. A formação de novos professores primários se fazia necessária, uma vez que a população crescia de forma vertigiosa e a busca de novos conhecimentos e aperfeiçoamento começava a ser exigido pelo mercado de trabalho. A escola começa a tomar dimensões e o espaço até então utilizado já não suportava a demanda. Passa-se então para um novo Prédio. A partir de 1962, o antigo Ginásio, e denomina-se Colégio Santo Andre, oferecendo à comunidade andreense, os cursos Ginasial, Científico, Normal, Técnico em Contabilidade e Comercial Básico, atendendo nos períodos diurno e norturno. Na década de 70, assume responsabilidades ainda maiores. Especificamente em 1972, o Ministério da Educação e Cultura - MEC - autoriza o funcionamento dos cursos Superiores de Ciências Contábeis e Estudos Sociais. Nessa época os cursos técnicos já não atendiam às expectativas do mercado e a profissionalização a nível superior era imprescíndivel àqueles que galgavam cargos mais importantes tanto na esfera pública quanto na privada. A partir de 1975, o curso de 2º grau sofre transformacões, sendo autorizadas outras habilitações, tais como: Técnico em Administração, Técnico em Secretariado, Técnico em Processamento de Dados. Mais tarde, em 2

3 1980, foi criado o curso Supletivo de 1º e 2º graus para suprir deficiências escolares daqueles que não puderam cursar em idade convencional. Com uma demanda cada vez maior, a Instituição se obriga a criar novos cursos. Em 1988, é autorizado pelo Ministério da Educação MEC - outro curso superior: o de Tecnologia em Informática, que funciona até hoje com uma procura bastante significativa. Mais tarde, em 1994, pôde-se contar com a autorização de outro novo curso superior: o de Administração. E ainda no mesmo ano, em nível de 2º grau, instalou-se a habilitação profissional de Técnico em Publicidade e o Acadêmico. Também em 1994, inaugura-se a Unidade II, em Santo André, que abriga a Pré-escola e o Maternal, numa área de 1000m². Em 1995, a Delegacia de Ensino de Santo André autoriza também o funcionamento do 1º grau, na Unidade I, integrando IESA, todos níveis de ensino, desde o maternal até a pós-graduação. Atualmente, o IESA obteve autorizações para o curso de Administração: habilitação em Comércio Exterior, autorizado no ano de 2000; Pedagogia e Sistemas de Informação, cujas autorizações se deram no ano de 2001 e, em setembro do mesmo ano, obtivemos autorização para o Curso Seqüencial de Formação Específica de Gestão de Serviços. Com toda essa expectativa e o reconhecimento da população da cidade de Santo André, a Mantenedora da Instituição almeja, muito em breve, construir a Unidade III, que irá abrigar o Ensino Médio e Fundamental, para que a Unidade I abrigue somente a população acadêmica de nível Superior. Não se poderia deixar de lado toda a infra-estrutura criada ao longo desses anos e que faz do IESA, o mais completo conjunto educacional da Região do ABC. O parque de Informática é constituído de quatro Laboratórios, com 96 micro-computadores AMD K6-III 400MHz, totalmente estruturados, inclusive com acesso pela internet, e em breve, obteremos o provedor da própria Instituição. Além disso, a Instituição conta com sala de video, quadras de esporte, laboratórios de química, biologia e fotografia, ampla biblioteca, sala de leitura, setor de reprografia e salas de aula confortáveis e modernas. A instituição também se destaca dentro e fora do seu município. Nas Atividades sociais, a participação é ativa, com atividades do tipo: Gincana, Competições Esportivas, Semana Cultural de Artes, Visitas, Excursões, Passeios Ecológicos, Palestras, Clube de Xadrez e Futsal em Convênio com a Prefeitura de Santo André, entre outras que nos engrandecem e fazem desta Organização Educacional sinônimo de cultura do grande ABC. 1.1 A Cidade de Santo André em A primeira cidade teve vida curta. Surgiu em 1550, foi oficializada em 8 de Abril de 1553 e chegou ao fim 3

4 Esta cidade era a Vila de Santo André da Borda do Campo, dos personagens João Ramalho, Cacique Tibiriçá e sua filha Bartira. Uma cidade que teve pelourinho, poder constituído, atas e que ficava num ponto do atual ABC paulista, cuja população foi transferida para São Paulo de Piratininga, dos jesuítas do Pátio do Colégio, juntamente com toda sua documentação, representada por vários livros de atas, hoje arquivados em São Paulo. 1.2 João Ramalho Santo André de hoje nasceu no século XIX, com a passagem da Estrada de Ferro São Paulo Railway, a SPR ou Inglesa, que começou a ser construída em No ano seguinte, começou a ser formado o primeiro povoado do atual território de Santo André, denominado Alto da Serra ou Vila de Paranapiacaba. 1.3 Bandeira de Santo André Paranapiacaba pode ter sua face inicial dividida em tres partes: 1861, data do início da formação da Vila Velha; 1862, ano em que se inicia a formação da parte alta (morro); 1898, início da formação da Vila Nova. O atual centro histórico de Santo André nasce em 1967, a partir de um povoado formado muito lentamente ao redor da estação férrea São Bernardo, inaugurada naquele ano e que somente nos anos 30 deste século viria a se chamar Santo André. 1.4 Antiga Estação, inaugurada em 1867 A estação São bernardo serviu, a princípio, à sede da Frequesia de São Bernardo, hoje centro de São Bernardo do campo, a oito quilômetros de distância. A frequesia de São Bernardo abrangia, praticamente, toda a área do atual ABC e sempre teve sua sede junto ao velho Caminho do Mar, depois Estrada do Vergueiro e hoje rua Marechal Deodoro, em São Bernardo do Campo. A freguesia foi criada em 1812, sendo elevada a município autônomo em 12 de março de 1889, sempre agrangendo toda a região do ABC. A denominação Santo André, em alusão à antiga e desaparecida Vila de Santo André da Borda do campo, foi retomada apenas em 1910, com a criação do Distrito de Santo André, instalado em 18 de Abril de 1911 no então denominado Bairro da Estação, hoje centro de Santo André. O Bairro da Estação, à época da criação do distrito de Santo André, já se destacava como o principal polo de industrialização do Município de São Bernardo. Atraía, ao mesmo tempo, fábricas de várias modalidades e um operariado vindo basicamente do interior do estado. Também atraía muitos moradores da Vila de São 4

5 Bernado, em sua maioria italianos, interessados em melhores condições de trabalho no parque fabril que se formava. A proximidade com a estação ferroviária, as terras plans ao longo do Vale do tamanduateí, os estímulos fiscais, a facilidades de comunicação com a Baixada Santista e capital, foram alguns dos fatores que podem explicar o rápido crescimento do parque industrial de Santo André. Em poucos anos, Santo andré passou a ser a maior força econômica da região, seguido por Sém servido por estação ferroviãria) e só depois pela Vila de São Bernardo, sede do Município. 1.5 Tecelagem Kowarick, 1937 A força econômica, maior arrecadação, maior número de trabalhadores localizavam-se em Santo André. Mas a sede o Município continuaria na Vila de São Bernardo até 1938, quando um decreto estadual provocou duas mudanças drásticas: a troca do nome de Município de São Bernardo para Município de Santo André e a transferência da sede do Município também da Vila de São Bernardo para o Distrito de Santo André. A solenidade de troca de nome e transferência de sede ocorreu no feriado de 1 de Janeiro de Durante seis anos, todo o ABC se chamou Santo André. Em 1944 o então Distrito de São Bernardo (incluindo Diadema) obteve a emancipação político-administrativa, separando-se do Município de Santo André e sendo instalado em 1 de Janeiro de 1945 com o nome de São Bernardo do Campo. Em 1948 foi a vez de São Caetano, que separava-se surgindo o C de ABC, São Caetano do Sul. Em 1953 foi a vez de Mauá e Ribeirão Pires (incluindo Rio Grande, atual Rio Grande da Serra) obterem suas independências. Hoje o município de Santo André corresponde ao espaço central do antigo Bairro da Estação, às áreas de Utinga e Capuava e à vasta área do setor de mananciais da região Sudeste da Grande São Paulo, incluindo Paranapiacaba, Campo Grande e 18 loteamentos, além da represa Billings. Historicamente, somente em 1989 a Prefeitura assumiu, na prática, a área de mananciais, criando posteriormente, o Escritório Regional da área de Mananciais, com sede no parque Represa Billings-gleba 2, inaugurado em 24 de fevereiro de 1991, e sub-sede em Paranapiacaba, inaugurada em 8 de Março do mesmo ano. Santo André conseguiu, no caso de Utinga, provar que a estrada de ferro nunca rompeu o território andreense, nem o dividiu. Cruzando e acompanhando o vale do Rio Tamanduateí, os trilhos ferroviários provocaram a implantação do processo de industrialização em Santo André. As primeiras fábricas foram implantadas nos entornos da estação e as áreas próximas, de ambos os lados dos trilhos receberam os grandes loteamentos urbanos, em especial a partir dos anos 20 deste século, quando se estabelece, nitidamente, a vocação e o perfil de uma cidade moderna, industrializada e de trabalhadores. 5

6 As grandes levas de imigrantes, a partir de antigos agricultores do interior de São Paulo, descobriram este espaço urbano e construíram a cidade. Inicia-se uma interação cultural que hoje pode explicar e descobrir a própria identidade da cidade. Uma interação onde a própria barreira física da estrada de ferro deixa de ser problema. Na verdade, o desenrolar histórico da cidade já mostrava esta integração até antes da construção da ferrovia. A Estrada do Oratório, via penetração em direção à Zona Leste paulistana, é uma seqüência da própria malha central e Santo André, a partir do Ipiranguinha (por onde passava o histórico Caminho do Pilar), rua Senador Fláquer (do I Grupo, hoje Museu, e o reativado Cine Theatro Carlos Gomes), rua Coronel Oliveira Lima (do ramal ferroviário que demandava a São Bernardo), rua General Glicério (que abrigou uma hospedaria dos imigrantes no fim do século XIX), rua Bernardino de Campos (dos grandes comícios dos Candidatos de Prestes, Armando Mazzo à frente), estação, avenida Antonio Cardoso e estrada do Oratório. 1.6 Praça Embaixador Pedro de Toledo Largo da Estátua É em torno deste eixo que a cidade se implantou, sem barreiras geográficas, ofuscada timidamente, vez ou outra, por estranhos e fisiológicos movimentos que tentam, ou tentavam, quebrar o que o antropólogo José Guilherme Magnani chama de "a lógica do pedaço". Santo André comemora, anualmente, em 8 de Abril, o aniversário da instalação oficial da Vila de Santo André da Borda do Campo e não do atual Município. Isto porque a vila quinhentista de Ramalho, formada em 1550, oficializada em 8 de Abril de 1553, chegou ao fim em 1560, quando seus moradores e autoridades transferiram-se daqui para o Pátio do Colégio, na São Paulo de Piratininga. O Município hoje tem consciência de que sua formação, enquanto espaço urbano, que origina sua nova História, começa em 1861, quando da formação do primeiro povoado local, no Alto da Serra, primitivo nome de Paranapiacaba, parte integrante de Santo André. Até 1861, quando começa a ser formada Paranapiacaba, a região do atual Município de Santo André possuía, meramente, uma população dispersa que ocupava sítios e outras propriedades rurais, sem um sentido coletivista na concepção mais moderna do termo. Esta população, então recorria à sede da Freguesia de São Bernardo ou então à Capital da Província. Hoje, Santo André tem também consciência de que seu território não se limita à sede e ao Distrito Capuava. Há um avanço para fora do eixo do vale do Tamanduateí, atingindo as áreas de mananciais, onde a cidade incorpora e administra bairros ao longo da represa Billings, entre os quais o Parque Represa Billings, Jardim e Parque das Graças, Jardim Joaquim Eugênio de Lima, Rio Pequeno,etc., atingindo os antigos Campo Grande e Paranapiacaba. Os escritórios da área de mananciais mostram, claramente, que Paranapiacaba, por exemplo, é Santo André, como o são os bairros do porte de uma Vila Bastos, ou Parque das Nações, estes mais centrais. Cidade do sudeste do Brasil, no Estado de São Paulo, às margens do rio Tamanduateí. É um subúrbio da 6

7 cidade de São Paulo que sedia um grande número de companhias e empresas industriais. Em seu setor secundário predominam os têxteis, os artigos metalúrgicos, a borracha, os produtos da indústria alimentícia, a cerâmica e os materiais tipográficos, mas a atividade mais significativa é a indústria automobilística, da qual é um dos centros nacionais. 2. Contextualização 1812 Foi criada a Freguesia de São Bernardo, por aprovação régia do bispo diocesano e por alvará de 12 de Outubro. A Freguesia, espécie de distrito de São Paulo, abrangia área que não tinha limites exatos. Não equivale ao território atual da Região do Grande ABC, pois dela não fazia parte o bairro rural de São Caetano Foi instalado o Município de São Bernardo, abrangendo toda a área da atual Região do Grande ABC, com sede em São Bernardo Criação do Distrito de Paz de Ribeirão Pires (incluindo os atuais Municípios de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, parte de Mauá e o atual Distrito de Paranapiacaba) Criado o Distrito de Paranapiacaba Criado o Distrito de Santo André (incluindo o atual Município de Santo André, São Caetano e parte de Mauá) Criado o Distrito de São Caetano Criado o Distrito de Mauá O Município de São Bernardo passou a denominar-se Santo André. O Distrito Sede do Município passa a ser o Distrito de Santo André, englobando o Distrito de São Caetano, mantendo as demais divisas distritais. 7

8 1944 O Distrito de São Bernardo é elevado à Município com a denominação de São Bernardo do Campo. A instalação do novo Município ocorreu em 1 de Janeiro de O subdistrito de São Caetano é elevado à condição de Município com a denominação de São Caetano do Sul O Município de Santo André, inicialmente termo da Comarca de São Paulo, obteve pela Lei nº de 18/12/1953 sua autonomia jurídica, criando assim a Comarca de Santo André Os distritos de Mauá e Ribeirão Pires (incluindo o atual Município de Rio Grande da Serra), são elevados à condição de Município É criado o Município de Diadema É criado o Município de Rio Grande da Serra Em parte da área do 2º Subdistrito é criado o Distrito de Capuava. 2.1 Localização da Instituição 8

9 9

10 3. RELAÇÃO DE CURSOS. Alunos CURSOS De Até Reconhecimento Portaria MEC. 783 D.O.U. 07/07/1997 Administração 2005 Jul/11 Portaria MEC. 501 D.O.U. 21/02/2005 Ago/11 Atual Portaria SESu 316 D.O.U 04/08/2011 Ciências Contábeis 1ª turma atual Decreto D.O.U. 03/01/1977 Portaria SESu 589 D.O.U. 12/09/2006 Tecnologia em Analise de Desenvolvimento de Sistemas (Tecnologia em Informática e Tecnologia em Processamento de Dados) 1993 (1ª turma) atual Portaria MEC1008 D.O.U 13/07/1993 Sistemas de Informação 2006 (1ª turma) atual Portaria MEC 965 D.O.U. 02/05/2006 Pedagogia 2006 Nov/12 Dez/12 atual Portaria SESu 40. D.O.U. 24/05/2006 Portaria Seres 286. D.O.U. 27/12/2012 Letras Habilitação em Português e Inglês e respectivas 2006 (1ª atual Portaria SESu 405. D.O.U. 10

11 literaturas turma) 26/07/2006 Curso Superior de Formação Especifica em Gestão de Recursos Humanos Curso Sequencial Área de Ciências Sociais Aplicadas 2006 atual Portaria SESu 172. D.O.U. 07/06/2006 Curso Superior de Formação Especifica em Gestão Financeira e Controladoria Empresarial Curso Sequencial Área de Ciências Sociais Aplicadas 2006 atual Portaria SESu 172. D.O.U 07/06/2006 Curso Superior de Formação Especifica em Gestão da Qualidade em Metrologia Curso Sequencial Área de Ciências Sociais Aplicadas 2006 atual Portaria SESu 172. D.O.U 07/06/2006 Curso Superior de Formação Especifica em Gestão de Logística Curso Sequencial Área de Ciências Sociais Aplicadas 2006 Atual Portaria SESu 172. D.O.U 07/06/2006 Engenharia Civil atual Portaria Seres /01/2013 D.O.U. Licenciatura em Matemática atual Portaria Seres 112. D.O.U. 08/03/2013 Tecnologia em Logística atual Portaria Seres 280. D.O.U. 28/12/2012 Tecnologia em Recursos Humanos atual Portaria Seres 16. D.O.U. 24/01/2013 Tecnologia em Gestão Financeira atual Portaria Seres 278. D.O.U. 28/12/ Políticas Institucionais de Ensino (Responsabilidade Social) Trote Solidário O Trote Solidário é coordenado pelo Diretorio Acadêmico do IESA, envolvendo não só o corpo discente, como também os membros da Comunidade.São realizados: Doação de sangue, alimentos, leite, roupas, brinquesdos para entidades filantrópicas. 11

12 3.1.2 Curso de Inclusão Digital Para pessoas carentes e deficientes visuais da Comunidade ABC Empresa IESA Júnior A empresa IESA Júnior é formada por alunos e professores da Instituição, e tem como função prestar serviços de Consultoria e Assessoria a empresas em geral. O objetivo principal é o de inserir o nosso aluno no mercado de trabalho, propiciando a vivência de situações reais do profissional, Para tanto, existe a participação do professor, que é o orientador e coordenador destas atividades. Temos um convênio firmado com a CIESP Centro das Indústrias do Estado de São Paulo Regional ABC, que indica os serviços da IESA Jr. a todos os seus associados Curso Prevenção do uso de Drogas Curso de multiplicadores de prevenção de drogas nas Universidades (CIEE) Convênios com Empresas (conveniadas ao CIESP), Sindicatos, Bancos e Metalúrgicas. O objetivo é fornecer, aos alunos, funcionários de referidas empresas ou associados aos sindicatos, bolsas de estudos Imposto de Renda para a Comunidade O objetivo é realizar o imposto de renda para pessoa física em troca de doação 1 litro de óleo, para ser distribuido posteriormente a uma entidade filantrópica Projeto Ler e Aprender Para pessoas carentes da Comunidade do ABC Programa Escola da Família O programa é uma parceria entre a Faculdade (Instituição de Ensino) e o Governo do Estado. O aluno obtém 100% de desconto na mensalidade, e em troca, trabalhará, nas escolas estaduais nos finais de semana FIES (Financiamento Estudantil) 12

13 O aluno obtém um financiamento (empréstimo) de uma porcentagem, sobre o valor da mensalidade. Ao final do curso, deverá pagar o valor corrigido, para a Caixa Econômica Federal PROUNI (Programa Universidade para Todos) É uma parceria entre o Geverno Federal e a faculdade (Instituição de Ensino). Os alunos obtem bolsa parcial ou integral no curso sobre os valores cobrados pelas instituições privadas e refere-se à totalidade das semestralidades escolares Fórum das Profissões (Projeto RUMO) É uma parceria entre a Instituição de Ensino e o Rotary Club de Santo André. O programa é oferecer orientação profissional aos jovens da comunidade. 4. Concepção do Curso Este projeto pautou-se da necessidade em adequar às Novas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso em questão emanadas pela Resolução CNE/CES nº 10/04, de 16 de dezembro de Diversas discussões a respeito destas Novas Diretrizes foram realizadas tanto no âmbito externo à Instituição, quanto em seu âmbito interno. Em seu âmbito externo, ressalta-se a participação da Coordenação do Curso, em debate no Encontro Nacional de Coordenadores do Curso de Ciências Contábeis realizado no Conselho Federal de Contabilidade em Brasília, e em encontros e reuniões com outras IES localizadas na região do Grande ABC (onde se encontra localizada a Faculdade IESA) e também com os conselheiros do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC-SP) possibilitando definições mais acuradas com relação ao perfil profissional do contabilista requisitado pelo mercado de trabalho atual. 13

14 Internamente, reuniões do Colegiado do Curso de Ciências Contábeis possibilitaram o melhor entendimento das citadas Diretrizes, o que culminou na modificação do Projeto Pedagógico inicial e cuja atualização apresenta-se a seguir. O Plano de Desenvolvimento Institucional da IES está direcionado ao crescimento qualitativo da Instituição e em buscar tornar-se um Centro Universitário, e nele é destacada a importância da contribuição de cada curso da Instituição, incluindo Ciências Contábeis, para que esse processo ocorra de maneira bastante adequada. 5. A visão de futuro da Faculdade IESA A Faculdade IESA foca todos os seus esforços no ensino e, nesse sentido, entende todas as demais atividades por ela desenvolvida como atividades meio para atingir o objetivo maior da mesma que se encontra centrado na qualidade do ensino. A missão da instituição consubstancia-se em investir em um processo de ensino aprendizagem que capacite os seus egressos a tenderem às necessidades e expectativas do mercado de trabalho e da sociedade, com competência para formular, sistematizar e socializar conhecimentos em suas áreas de atuação, algo que vem se concretizando no dia-adia. Portanto, o Curso de Ciências Contábeis da Faculdade IESA foi concebido com o compromisso de oferecer uma sólida formação técnica ao lado de uma formação ética e humanística, preparando o egresso para enfrentar os desafios do mercado de trabalho, das rápidas transformações da sociedade e das condições do exercício profissional. Pelo conjunto de seus objetivos, o curso busca transcender a contabilidade vista de forma isolada, uma vez que a sua finalidade é a formação de profissionais que tenham as condições necessárias para, além de exercer a função contábil com o zelo necessário, estar apto a participar das tomadas de decisões organizacionais. 6. Objetivos O curso de Ciências Contábeis da Faculdade IESA possui como objetivos principais: - proporcionar uma formação em bases sólidas, oferecendo condições de se pensar em Contabilidade através de um raciocínio lógico e prático; 14

15 - possibilitar o contato com as terminologias e a linguagem das Ciências Contábeis e noções de Atuariais, - oferecer uma visão sistêmica e interdisciplinar da atividade contábil; - formar profissionais que apresentem seriedade e competência no desempenho de suas funções, e que estejam aptos a atuarem em empresas de diferentes portes e segmentos, sempre orientados para a prática da ética, da cidadania e da responsabilidade social. 7. Perfil Profissional do Egresso (Competências e Habilidades) O aluno graduado em Ciências Contábeis pela Faculdade IESA deverá apresentar capacidade para: - utilizar adequadamente a terminologia e a linguagem próprias das Ciências Contábeis e noções de Atuariais; - possuir visão crítica de seu potencial de desempenho, para ajustar-se com competência às novas demandas geradas pelo progresso científico e tecnológico, e às exigências conjunturais em permanente mutação e evolução; - apresentar flexibilidade e adaptabilidade no trato das relações interpessoais para a captação dos insumos necessários aos controles técnicos, visando a geração e disseminação das informações contábeis, com o nível de precisão adequado; - garantir aos usuários da informação contábil a aplicação da legislação pertinente, subsidiando o processo do registro patrimonial de maneira dinâmica, precisa, transparente e atualizada; - elaborar pareceres e relatórios que contribuam de forma assertiva à tomada de decisão organizacional e estar apto a participar ativamente da mesma, se necessário; - exercer com ética e proficiência as atribuições e prerrogativas que lhe são prescritas por meio da legislação específica, revelando domínio de conteúdos adequados aos diferentes modelos organizacionais; - atuar com apurado senso de cidadania e de responsabilidade social. 15

16 8. Grade Curricular Componentes Curriculares e Respectivo Dimensionamento de sua Carga Horária Período Código Disciplina Carga Horária Semestral 1º Sem. HCC001 Linguagem e Interpretação de Texto 80 1º Sem. HCC002 Contabilidade I 80 1º Sem. HCC003 Economia 80 1º Sem. HCC004 Matemática 80 1º Sem. HCC005 Teoria Geral da Administração I 80 2º Sem. HCC006 Contabilidade II 80 2º Sem. HCC007 Direito Empresarial 80 2º Sem. HCC008 Filosofia 40 2º Sem. HCC009 Sociologia 40 2º Sem. HCC010 Tecnologia da Informação 80 2º Sem. HCC011 Teoria Geral da Administração II 80 3º Sem. HCC012 Contabilidade e Gestão Estratégica de Custos 80 3º Sem. HCC013 Organização, Sistemas e Métodos 80 3º Sem. HCC014 Estatística e Probabilidade 80 3º Sem. HCC015 Ética e Responsabilidade Social 40 3º Sem. HCC016 Psicologia Organizacional 40 3º Sem HCC017 Matemática Financeira 80 4º Sem HCC018 Sistemas de Informação Gerencial 80 4º Sem HCC019 Administração Financeira e Orçamentaria I 80 4º Sem HCC020 Gestão Estrategica de Marketing 40 4º Sem HCC021 Legislação Tributaria e Fiscal 40 4º Sem HCC022 Legislação Trabalhista e Previdenciaria 40 4º Sem HCC023 Gestão Estrategica de Pessoas 40 4º Sem HCC024 Teoria Geral da Contabilidade 80 16

17 5º Sem HCC025 Contabilidade Intermediaria 80 5º Sem HCC026 Contabilidade Bancaria 80 5º Sem HCC027 Planejamento e Orçamento Empresarial 80 5º Sem HCC028 Administração Financeira e Orçamentaria II 80 5º Sem HCC029 Projeto Interdisciplinar: Planod de Negocios 40 6º Sem HCC030 Contabilidade e Orçamento Publico 80 6º Sem HCC031 Contabilidade Avançada 80 6º Sem HCC032 Contabilidade Internacional 40 6º Sem HCC033 Analise das Demonstrações Contabeis 40 6º Sem HCC034 Introdução à Atuaria 40 6º Sem HCC035 Projeto Interdisciplinar: Praticas Empresariais 40 6º Sem HCC036 Optativa I 40 7º Sem HCC037 Auditoria 80 7º Sem HCC038 Gestão e Analise de Projetos 80 7º Sem HCC039 Laboratorio Contabil I 40 7º Sem HCC040 Optativa II 40 7º Sem HCC041 Pesquisa em Ciencias Contabeis 40 7º Sem HCC042 Topicos Especiais em Contabilidade I 80 8º Sem HCC043 Controladoria 80 8º Sem HCC044 Topicos Especiais em Contabilidade II 80 8º Sem HCC045 Pericia, Avaliação e Arbitragem 80 8º Sem HCC046 Laboratorio Contabil II 40 8º Sem HCC047 Trabalho de Conclusão de Curso 40 8º Sem HCC048 Estagio Supervisionado 000 8º Sem HCC049 Atividade Complementar Formas de Realização da Interdisciplinariedade e Integração entre Teoria e Pratica 17

18 Dentre as atividades oferecidas pelo Curso de Ciencias Contabeis e que visam a integração entre a teoria e a pratica professional, destacam-se o Estagio Supervisionado, Foruns de Contabilidade, Laboratorio Contabil, Projeto Empresa e o Trabalho de Conclusão de Curso Projeto Empresa As atividades academica curriculares possibilitam o reconhecimento, por avaliação, de habilidade e competencia do aluno, inclusive adquiridas for a do ambiente escolar. Elas devem estimular a pratica de estudfos independents, transversais, de interdisciplinariedade, de permanente e contextualizada atualização professional especifica, sobretudo nas relações com o mundo do trabalho, estabelecidas ao longo do curso e integradas às particulariedades regionais e culturais. Desta forma a interdisciplinariedade no ambito do Curso de Ciencias Contabeis é realizado atraves de Projeto Empresa, que tem por objetivo minimizar a fragmentação do trabalho que coletivamente é implementado pelo corpo docente permitindo uma maior integração curricular, visando garantir a construção de um conhecimentos de maneiro global. P`reservando os interesses proprios de cada disciplina, busca-se, com tais atividades, desenvolver no corpo discengte a capacidade de percepção e entendimento, de forma holistica, frente à analise de um acontecimento, um aspect da natureza ou fenomenos de dimensão social, natural e cultural. Assim, as ações pedagogicas atraves da interdisciplinariedade visa instigar os alunos à experimentação da vivencia de uma realida global, inserida em suas experiencias cotidianas, possibilitando-lhes exercitar sua criatividade e sua liberdade do pensar, contribuindo assim, para a formação do individuo social Estagio Curricular Supervisionado O Estagio Curricular Supervisionado define-se por ser o periodo de desenvolvimento de habilidades profissionais supervisionadas nas quais o aluno agrega capacidade para o exercicio da profissão. Nele, as atividades de aprendizagem professional são desenvolvidas com a participação do estudante em situações reais, realizadas junto a pessoa juridicas de direito publico ou privado sob a coordenação da Faculdade. Dessa forma, possui a finalidade de oferecer ao aluno uma oportunidade de desenvolver experiencias praticas e cientificas no campo da contabilidade, a fim de melhor prepará-lo para o exercicio da profissão, aprimorando a sua capacidade criativa e sua analise critica sendo uma excelente oportunidade de desenvolver no aluno a capacidade para a pratica profissional. 18

19 Esta atividade desenvolve-se de acordo com um regulamento proprio (Manual de Estagio Curricular) que se encontra em consonancia com as diretrizes e normas legais que regem tal material. O desempenho dos alunos deverá ser acompanhado de maneira individual por um Coordenador de Estagio que, atraves de planilhas eletronicas de acompanhamento e arquivo de documentos em pastas individualizadas, irá, ao longol do period do estagio, identificando e controlando o cumprimento ou não dos itens requeridos para a conclusão do mesmo. Em aopio ao desencvolvimento adequado destas atividades, o Coordenador do Curso deverá, em conjunto com o Coordenador de Estagio, ptromover reunions periódicas com o alunado, visando dirimir duvidas e propiciar-lhe a melhor orientação possivel. O Estagio Curricular Supervisionado deverá ocorrer a partir do 5º Semestre do desenvolvimento do curso Atividades Complementares As Atividades Complementares são componentes curriculares que possibilitam o reconhecimento, por avaliação, de habilidades, conhecimento e competencia do aluno, inclusive adquiridas for a do ambiente escolar, abrangendo a pratica de estudos e atividades independentes, transversais, opcionais, de interdisciplinariedade, epecailmnente nas relações com mundo do trabalho e com as ações de exrtensão junto à comunidade. Contempla-se assim, uma carga horária minima de 200 horas para o cumprimento daas Atividades Complementares (academico-cientifico-culturais) possuindo, para tanto, uma regulamentação propria denominada Regulamento das Atividades Complementares. As atividades complementares podem ser desenvolvidas atraves de: Seminarios, Foruns, Monitoria, Palestras, Projetos de Iniciação Cientifica, Visita a Empresas, Participação em Empresas Juniores Laboratorio Contabil As disciplinas de Laboratorio Contabil I e II, constantes na matriz curricular do Curso de Ciencias Contabeis, constituem-se em aulas praticas ministradas no laboratorio de informatica com a utilização de software contabil especifico para a pratica professional. O software utilizado mpela Faculdade IESA atende de forma adequada a formação do professional contabilista e possibilita sua pratica nas areas de Escrita Fiscal, IRPJ, Contabilidade e Folha de Pagamento. 19

20 9.5. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) no curso de Ciencias Contabeis objetiva: - Oportunizar o desenvolvimento de capacidade intelectuais, habilidades e atitudes imprescindíveis ao desenvolvimento professional do aluno; - Fornecer condições favoraveis à aplicação e integração de conhecimento adquridos nas diversas discioplinas do curso; - Favorecer o desenvolvimento de attitude critica mediante processo de iniciação cientifica. Mediante o exposto, a Instituição entende tal atividade como de carater obrigatorio à conclusão do Curso. Dessa forma, os alunos deverão definer temas e empreender pesquisas sobre aspectos relevantes da Contabilidade, utilizando-se dos conhecimentos adquiridos durante sua formação academica. O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) poderá ser desenvolvido nas seguintes modalidades: - Elaboração de uma monografia; - Elaboração de uma Artigo Academico; - Apresentação de um Estudo de Caso; - OPutras artividades a criterio do Colegiado do Curso. Em quaisquer das modalidades citadas, o trabalho deverá ser desenvolvido mediante regulamentação proprias, sob a orientação de um professor e, ao seu fional, deverá ser apresentado a uma banca examinadora composta por, no minimo dois professors que julgarão o merito do trabalho. 10.Ementas 1º SEMESTRE LINGUAGEM E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS Carga Horária 80h/a Apresentar tópicos de gramática normativa da língua portuguesa; conscientizar o aluno sobre a presença da disciplina no currículo na condição de disciplina piloto e de sua importância junto às demais disciplinas; discutir os mecanismos de elaboração dos diferentes tipos de texto, em específico o argumentativo; incentivar a leitura de textos de áreas específicas e a leitura geral com o objetivo de formar o hábito de ler, contínua e seletivamente; enfatizar a necessidade de se fazer uso dos padrões da norma culta, a fim de avançar no mercado de trabalho. Noções de linguagem, texto e discurso. Prática de leitura e de produção de textos. Processos de leitura. Estratégias de produção textual. Estudo dos recursos linguísticos específicos da escrita. Cartas comerciais, ofícios e memorandos. 20

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Sem. CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS I II III IV V VI VI I Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS CONTÁBEIS COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO A leitura como vínculo leitor/texto, através da subjetividade contextual, de atividades

Leia mais

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade Geral - 4 72 ADM004 Metodologia Científica - 2 36 ADM005 Métodos Quantitativos - 4 72

ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade Geral - 4 72 ADM004 Metodologia Científica - 2 36 ADM005 Métodos Quantitativos - 4 72 Matriz Curricular do Curso de Administração 2015.1 1ª Fase CÓDIGO DISCIPLINAS PRÉ- REQUISITOS CRED ADM001 Interpretação e Produção de Textos - ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1. TURNOS: Matutino ou Noturno Campus de Maringá Noturno Campus de Cianorte HABILITAÇÃO: Bacharelado em Ciências Contábeis GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Ciências Contábeis PRAZO PARA CONCLUSÃO:

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ADMINISTRAÇÃO 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Administração PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2009.1A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ADMINISTRAÇÃO... 4 02 CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA I... 4 03 MATEMÁTICA... 4 04 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 05 NOÇÕES

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Fase Cód. Disciplina I Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Prérequisito s Carga Horária

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Matriz Curricular vigente a partir de 2010/1 Fase Cód. Disciplina Carga Horária Prérequisitos

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

PROJETO PEDAGOGICO DO CURSO DE CIENCIAS CONTABEIS

PROJETO PEDAGOGICO DO CURSO DE CIENCIAS CONTABEIS PROJETO PEDAGOGICO DO CURSO DE CIENCIAS CONTABEIS PARTE I: IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO Da Mantenedora Orgaização Santo Andreense de Educação e Cultura Rua Delfim Moreira, 40 - Centro Santo André/SP

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 16/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Fase Cód. I

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CIÊNCIAS CONTÁBEIS

MATRIZ CURRICULAR CIÊNCIAS CONTÁBEIS Curso: Graduação: Regime: Duração: CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS -

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 35 ANEXO II METODOLOGIAS (B) CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 36 B) Metodologias utilizadas no Curso de Ciências Contábeis, bacharelado: a) Aulas Expositivas, Fórum de Debates, Dinâmica de Grupo, Seminários,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Fase Cód. I II Matriz Curricular vigente a partir de 2010-1 Disciplina Prérequisitos Carga

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

ANEXO 01. CURSO: Ciências Contábeis - UFRJ SELEÇÃO DE DOCENTES

ANEXO 01. CURSO: Ciências Contábeis - UFRJ SELEÇÃO DE DOCENTES ANEXO 01 CURSO: Ciências Contábeis - UFRJ SELEÇÃO DE DOCENTES DISCIPLINA/FUNÇÃO PROGRAMA/ATIVIDADES PERFIL DOS CANDIDATOS 1 2 3 4 de Custos Intermediária Introdução à Adm e Comp Organizacional Economia

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA Linguagem e Interpretação de Texto 80 Contabilidade I 80 Economia 80 Matemática 80 Teoria Geral da Administração

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Missão A missão do curso é formar profissionais em Ciências Contábeis com elevada competência técnica, crítica, ética e social, capazes de conceber

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Turno: MATUTINO/NOTURNO Matutino Currículo nº 8 Noturno Currículo nº 8 Reconhecido pelo Decreto n 83.799, de 30.07.79, D.O.U. de 31.07.79 Renovação de Reconhecimento Decreto

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 18/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE

BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE BOLETIM DE SERVIÇO - FIPAR ON LINE ANO II Nº 003 Editado pela Secretaria Geral das FIPAR Faculdades Integradas de Paranaíba FIPAR Paranaíba, 08 de agosto de 2008. AVISO DE PUBLICAÇÃO E ADEQUAÇÃO DE MATRIZ

Leia mais

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2 DENOMINAÇÃO: PORTARIA DE AUTORIZAÇÃO: PORTARIA DE RECONHECIMENTO: REGIME ESCOLAR: NÚMERO DE VAGAS ANUAIS: TURNOS DE FUNCIONAMENTO: NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA:

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Matemática I 1º PERÍODO Matrizes e sistemas lineares. Funções: lineares, afins quadráticas,

Leia mais

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING MÓDULO I 304101 FUNDAMENTOS DE MARKETING Fundamentos do Marketing. Processo de Marketing.

Leia mais

Resolução 038/2001 CONSEPE

Resolução 038/2001 CONSEPE Resolução 038/2001 CONSEPE Aprova as normas de funcionamento do Curso de Administração do Centro de Ciências da Administração CCA/ESAG. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Estratégica de Negócios tem por objetivo desenvolver a

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

Curso de Pedagogia Portaria de Autorização ME nº 2415, de 14 de Setembro de 2001- Reconhecimento -Portaria ME. 58/2007. INÍCIO-01/08/2006 1º Semestre

Curso de Pedagogia Portaria de Autorização ME nº 2415, de 14 de Setembro de 2001- Reconhecimento -Portaria ME. 58/2007. INÍCIO-01/08/2006 1º Semestre Inciso II Programa de cada curso oferecido e demais componentes curriculares, sua duração, requisitos e critérios de Avaliação: Instituto Educacional do Estado de São Paulo Autorização de Credenciamento:

Leia mais

Ementário do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial

Ementário do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial 01 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS I EMENTA: Introdução à administração de recursos humanos; orçamento de pessoal; processo de recrutamento e seleção de pessoal; processo de treinamento e desenvolvimento

Leia mais

Disciplina: Introdução à Economia

Disciplina: Introdução à Economia Ementário do Curso de Ciências Contábeis PTA Faculdade Alvorada Disciplina: Teoria da Administração Ementa: Introdução à Teoria da Administração. Escolas da Administração. Universalidade e papel do administrador.

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM SECRETARIADO EXECUTIVO

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM SECRETARIADO EXECUTIVO Anexo II da Resolução nº, de de de 2008. EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM SECRETARIADO EXECUTIVO 1. DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS PORTUGUÊS INSTRUMENTAL Comunicação e linguagem; estrutura do

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Financeira e Controladoria tem por objetivo o fornecimento

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO SUPERIOR DE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2014 Atualizado em 6 de junho de 2014 pela Assessoria

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO SUPERIOR DE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2014 Atualizado em 6 de junho de 2014 pela Assessoria de

Leia mais

DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16

DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16 DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16 (dezesseis) semestres. PERFIL DO EGRESSO O perfil desejado

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIÃO DE INSTITUIÇÕES BONIFACIANAS DE ENSINO FACULDADE DE JOSÉ BONIFÁCIO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS JOSÉ BONIFÁCIO 1. CONTEXTUALIZAÇÃO DA IES E DO CURSO 1.1. CONTEXTUALIZAÇÃO DA IES

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Matemática I CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Matrizes e sistemas lineares. Funções: lineares, afins quadráticas, exponenciais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISAS EM ADMINISTRAÇÃO - CEPEAD CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISAS EM ADMINISTRAÇÃO - CEPEAD CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISAS EM ADMINISTRAÇÃO - CEPEAD CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA ADMINISTRAÇÃO: ENSINO E PESQUISA - grade curricular 2015-2016

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARGA HORÁRIA SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª

FACULDADE MORAES JÚNIOR CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS POR CURSO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARGA HORÁRIA SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª FACULDADE MORAES JÚNIOR DAS DISCIPLINAS POR CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Duração do Curso: 4 anos. Total de 3.200 horas-aula CIÊNCIAS CONTÁBEIS SÉRIE DISCIPLINA SEMANAL ANUAL 2ª Contabilidade e Análise

Leia mais

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 O Curso de Administração da ESAG Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 Missão da ESAG A ESAG tem por missão realizar o ensino, a pesquisa, a extensão, de modo articulado, a fim de contribuir na formação

Leia mais

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr. 1 OBJETIVO: Objetivos Gerais: Atualizar e aprofundar

Leia mais

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. Campinas, 16 de novembro de 2004.

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. Campinas, 16 de novembro de 2004. RESOLUÇÃO CONSEAcc CPS 3 /2004 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE CAMPINAS, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho Acadêmico por Câmpus CONSEAcc, do câmpus de Campinas,

Leia mais

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos.

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos. BACHARELADO Administração O curso de Administração tem como objetivo formar profissionais que poderão atuar como executivos, técnicos em funções administrativas e/ou empreendedores, com capacidade de alinhar

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL EMENTA DAS DISCIPLINAS 1º Período GADM 7712-TGA - TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO (4.0.0) 4 Introdução; Antecedentes Históricos;

Leia mais

EMENTAS DO CURSO ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL

EMENTAS DO CURSO ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS DO CURSO ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL EDA 1601 - INGLÊS INSTRUMENTAL I (2.0.0)2 English for Specific Purposes": introdução. Leitura e compreensão de texto: estratégias de leitura. Organização e partes

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecido pela Portaria nº 706 de 18/12/2013 D.O.U. 19/12/13 Base Curricular do Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

RESOLUÇÃO. São Paulo, 18 de novembro de 2004. Prof. Milton Mayer Presidente

RESOLUÇÃO. São Paulo, 18 de novembro de 2004. Prof. Milton Mayer Presidente RESOLUÇÃO CONSEAcc - SP 006/2004 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE SÃO PAULO, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho Acadêmico por Câmpus CONSEAcc, do câmpus de

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS (Currículo iniciado em 2012)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS (Currículo iniciado em 2012) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS (Currículo iniciado em 2012) ADMINISTRAÇÃO 1915 C/H 102 Breve histórico e fundamentos da administração. Perspectivas da administração: clássica,

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 6 ANEXO II METODOLOGIAS (A) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 7 A) Metodologias utilizadas no Curso de Administração, bacharelado: a) Aulas Expositivas, Fórum de Debates, Dinâmica de Grupo, Seminários, Estudos de

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO Missão do Curso Formar profissionais de nível superior, com atuação na área de Tecnologia em Gestão Financeira, a partir da articulação das teorias que fundamentam

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

RESOLUÇÃO. Itatiba, 17 novembro de 2004. Prof. Milton Mayer Presidente

RESOLUÇÃO. Itatiba, 17 novembro de 2004. Prof. Milton Mayer Presidente RESOLUÇÃO CONSEAcc - IT 12/2004 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÂO DO CÂMPUS DE ITATIBA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho Acadêmico por Câmpus, do câmpus de Itatiba, no

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O estágio

Leia mais

HORARIOS DE TUTORIAS: É necessário agendamento para tutoria.

HORARIOS DE TUTORIAS: É necessário agendamento para tutoria. HORARIOS DE TUTORIAS: É necessário agendamento para tutoria. Matemática: Luiz Paulo Tavares Disciplinas em que atua: Administração Financeira Contabilidade Estatística Estatística Aplicada Formação de

Leia mais

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DIPLOMA CONFERIDO: BACHAREL NÚMERO DE VAGAS: 100 VAGAS ANUAIS NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA: 50 alunos

Leia mais

Design Manual do curso

Design Manual do curso Design Manual do curso Informações gerais INFORMAÇÕES GERAIS Nome: curso de Design, bacharelado Código do currículo: 2130 Nível: curso superior de graduação Início: o curso de Design com habilitação em

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 083/2003 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO.

RESOLUÇÃO CONSEPE 083/2003 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. RESOLUÇÃO CONSEPE 083/2003 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE,

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 16/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Fase Cód. I

Leia mais

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em Curso de Graduação Bacharelado em Administração O curso de Administração está enquadrado como uma ciência social aplicada. Estuda-se em profundidade técnicas e instrumentos analíticos, além de simulações

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO 1º SEMESTRE Administração Aplicada ao Meio Ambiente Ementa: Gestão ambiental e desenvolvimento sustentável. Compromisso dos indivíduos e das

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Administração LFE em Análise de Sistemas

Leia mais

LOGÍSTICA EMENTAS DO CURSO

LOGÍSTICA EMENTAS DO CURSO LOGÍSTICA EMENTAS DO CURSO 1º P TÉCNICAS DE COMUNICAÇÃO ORAL E ESCRITA Técnicas de leitura, interpretação e produção de textos, expressão oral e apresentação de trabalhos acadêmicos, argumentação científica.

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO Ementa: Identificar os elementos básicos das organizações: recursos, objetivos e decisões. Desenvolver

Leia mais

31956 Monografia II 31926

31956 Monografia II 31926 Currículo Novo 2006/01 Duração: 182 créditos 2.730h, acrescidas de 270h de atividades complementares, totalizando 3.000h 31544 Teoria das Organizações I - 31554 Matemática I - 31564 Teoria das Organizações

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CIÊNCIAS CONTÁBEIS Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

CURRÍCULO MATRIZ CURRICULAR

CURRÍCULO MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO MATRIZ CURRICULAR Matriz em implantação a partir de 2009, publicada em 24.12.2008 em vigor para a 1ª, 2ª e 3ª Séries 1ª Série Carga/Horária Economia 72 Fundamentos de Direito Aplicado à Administração

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

MBA em Controladoria e Auditoria Carga Horária: 360 Aulas: sábados 8h30 18h Valor: R$ 380,00* JUSTIFICATIVA: Faculdade INESP

MBA em Controladoria e Auditoria Carga Horária: 360 Aulas: sábados 8h30 18h Valor: R$ 380,00* JUSTIFICATIVA: Faculdade INESP Pág. 1/6 MBA em Controladoria e Auditoria Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados das 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas de R$ 380,00*

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

MBA CONTABILIDADE ESTRATÉGICA E GESTÃO DE NEGÓCIOS

MBA CONTABILIDADE ESTRATÉGICA E GESTÃO DE NEGÓCIOS MBA CONTABILIDADE ESTRATÉGICA E GESTÃO DE NEGÓCIOS Apresentação MBA desenvolvido por uma das mais reconhecidas e respeitadas Universidades do país UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro, com tradição

Leia mais

Currículo: 2003/1. Créd. Teóricos Créd. Práticos 1 ADM.0086.00-9 Evolução dos Modelos de Gestão

Currículo: 2003/1. Créd. Teóricos Créd. Práticos 1 ADM.0086.00-9 Evolução dos Modelos de Gestão 19//15 11:5 Centro de Ciências Sociais Aplicadas Curso: 5 Administração (Matutino) Currículo: 3/1 1 ADM.86.-9 Evolução dos Modelos de Gestão Ementa: Conceitos básicos e histórico da Administração. Escolas

Leia mais

Curso de Especialização e Atualização em Finanças Corporativas, Controladoria e Economia. Master in Corporate Finance, Controllership and Economics

Curso de Especialização e Atualização em Finanças Corporativas, Controladoria e Economia. Master in Corporate Finance, Controllership and Economics Curso de Especialização e Atualização em Finanças Corporativas, Controladoria e Economia Master in Corporate Finance, Controllership and Economics A ESCOLA DE ECONOMIA DE SÃO PAULO FGV/EESP Sempre em acordo

Leia mais

MBA EXECUTIVO EM GESTÃO CONTÁBIL COM ÊNFASE EM AUDITORIA E PERÍCIA

MBA EXECUTIVO EM GESTÃO CONTÁBIL COM ÊNFASE EM AUDITORIA E PERÍCIA MBA EXECUTIVO EM GESTÃO CONTÁBIL COM ÊNFASE EM AUDITORIA E PERÍCIA O programa através de conhecimentos teóricos e práticos irá prepara-lo para a compreensão dos processos de contabilidade nas organizações,

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

MBA Executivo Contabilidade e Finanças

MBA Executivo Contabilidade e Finanças MBA Executivo Contabilidade e Finanças Proposta do curso: O curso de MBA Executivo em Contabilidade e Finanças proporciona ao aluno o conhecimento a respeito dos fundamentos de contabilidade e finanças

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014

FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014 1 FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014 2 Sumário 1. Introdução... 3 2. Finalidade do Projeto Interdisciplinar... 3 3. Disciplinas Contempladas... 4 4. Material

Leia mais