1 Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste UEZO, Rio de Janeiro RJ;

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste UEZO, Rio de Janeiro RJ; florenciogomes@uezo.rj.gov.br"

Transcrição

1 OBTENÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE COMPÓSITOS DE VERNIZ POLIÉSTER COM VERMICULITA ORGANOFÍLICA Bruno S. Andrade 1 (M), Elaine V. D. G. Líbano 1, Florêncio G. de Ramos Filho 1 *. 1 Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste UEZO, Rio de Janeiro RJ; Resumo: Neste trabalho um verniz eletroisolante a base de poliéster modificado com óleo de soja foi utilizado para obter compósitos a partir da incorporação de vermiculita orgnofilica (VMT-org). A dispersão da VMT-org na matriz polimérica foi realizada com a utilização de um processador ultrassônico. Foram produzidos compósitos com teores partícula inorgânica de 1, 3 e 5%(em massa de resina). Os resultados da TG mostraram que não houve alteração significativa na temperatura de degradação térmica. No entanto, reduziu a taxa máxima de degradação. Os resultados de DSC mostraram que a incorporação da VMT-org pode ter provocado dois estados diferentes de cura no verniz resultando em duas Tgs. O MEV mostrou boa dispersão das partículas inorgânicas. A análise de DRX sugeriu que houve intercalação das moléculas do verniz nas lamelas da VMT-org, para os compósitos 1 e 5% e esfoliação das lamelas, para o compósito 3%. Palavras-chave: Verniz Eletroisolante, compósitos e vermiculita organofílica. Obtainment and characterization of composite varnish polyester with organophilic vermiculite Abstract: In this work an electrical insulator varnish polyester based modified with soy oil was used to obtain composites from the incorporation of orgnophilic vermiculite (VMT-org). The dispersion of the VMT-org in the polymeric matrix was performed using an ultrasonic processor. Composites were made from inorganic particle content of 1, 3 and 5% (by weight of resin). The results of the TGA showed no significant change in the thermal degradation temperature. However, it reduced the maximum rate of degradation. The DSC results showed that the incorporation of VMT-org can have two different states caused curing the varnish resulting in two Tgs. The SEM showed good dispersion of inorganic particles. XRD analysis suggested that molecules of varnish intercalated in the lamella of VMTorg, for the composites 1 and 5%, and exfoliated the lamellas, for composite 3%. Keywords: insulator varnish, composite and orgnophilic vermiculite. Introdução Vernizes eletroisolantes têm papel importante em máquinas elétricas. O rotor e o estator dessas máquinas são impregnados com um verniz polimérico eletroisolante, que compõem a camada mais externa do isolamento elétrico de seus enrolamentos. Esses vernizes têm quatro funções principais dentro do sistema de isolação das máquinas elétricas, a saber: Promover o isolamento elétrico e químico; melhorar a resistência mecânica, condutividade e difusividade térmica [1]. O verniz utilizado nesse trabalho é formado pela mistura de uma resina poliéster com óleo de soja tratandose, portanto, de um verniz alquídico. A adição do óleo de soja confere ao poliéster a tendência de formar um revestimento flexível [2]. A tecnologia de produção do verniz em estudo é proveniente das décadas de 1940 e Esses materiais apresentavam propriedades mecânicas, elétricas e térmicas não adequadas e que a 105 C perdiam sua capacidade de isolação térmica e suas

2 propriedades mecânicas, ocorrendo inclusive o amolecimento do verniz [3]. Mesmo assim, esses vernizes foram mantidos no mercado devido ao seu baixo custo de produção e às suas propriedades secativas com o oxigênio do ar, aliado ao fato de possuírem boas propriedades de barreira à umidade e ao oxigênio [3]. Roy et al [4] em seus estudos com uso de nanopartículas de sílica na produção de nanocompósito com polietileno observaram um aumento significativo nas grandezas dielétricas do novo material em comparação com o material original. Assim, o objetivo desse trabalho foi a obtenção e caracterização de compósito de verniz eltroisolante com a incorporação de VMT-org visando a melhoria de suas propriedades. Experimental Produção dos compósitos Os compósitos foram produzidos com a mistura e dispersão de VMT-org nos percentuais de massa resina de 1, 3 e 5%, em um verniz eletroisolante classe de temperatura H. O verniz utilizado é produzido à base de resina poliéster modificado com óleo de soja, conforme informação de seu fabricante. A dispersão da VMT-org no verniz foram realizadas com a utilização de sonicador [5]. As amostras de compósitos foram denominadas de acordo com seu teor de VTM-org. Assim, usouse a seguinte nomenclatura: compósito 1%, compósito 3% e compósito 5%. Caracterização dos materiais A termogravimetria foi realizada em aparelho da TA Instruments modelo Q600 SDT com taxa de aquecimento de 10 C/mim e com atmosfera de nitrogênio. A análise de DSC em aparelho da NetzSch modelo DSC 200F3 com taxa de aquecimento de 10 C/min e atmosfera de nitrogênio. As microscopias foram obtidas em aparelho Jeol modelo JSM 1610LV. A difração de raios X empregando o aparelho o Miniflex Goniometer da Rigaku com anodo de cobre (λ= 1,54 Å). Resultados e Discussão O verniz poliéster usado na presente pesquisa tem óleo de soja em sua composição, agindo como plastificante. Sua cura total depende, além da temperatura indicada por seu fabricante, da presença do oxigênio [2]. Durante a produção de corpos de provas com mais de um milímetro de espessura, foi observado visualmente que os corpos de provas produzidos apresentavam duas regiões com cura diferenciadas a partir de sua superfície até sua camada mais interna. As curvas TG e DTG das amostras são mostradas nas Fig. 1a e 1b, respectivamente. As curvas mostram que a incorporação da VMT-org não alterou significativamente a temperatura de degradação térmica do verniz. No entanto, houve redução da taxa máxima de degradação.

3 (a) Figure 1 - Curvas TG(a) e DTG(b) do verniz e seus compósitos. (b) Foi realizada a análise de DSC das amostras e a avaliação da Tg na segunda corrida de aquecimento. As curvas são mostradas na Fig 2. Através das curvas observa-se que todos os compósitos apresentaram duas Tgs. O verniz, por sua vez, apresentou uma Tg. A Tabela 1 apresenta os valores das Tgs dos materiais. Figura 2 - DSC dos diversos materiais. As duas Tgs do compósito podem ser provavelmente atribuídas à alteração da cura do verniz devido à presença da VMT-org ocasionando dois diferentes estados de cura do verniz [2]. A Tg do verniz puro foi maior em relação à primeira Tg dos compósitos. De forma geral, os valores das duas Tgs do compósito são decrescentes com o aumento do teor de VMT-org. Tais fatos poderiam ser explicados pela interação do óleo de soja com a VMT-org. O óleo que é um agente plastificante do verniz pode ser adsorvido na superfície das partículas inorgânicas [2].

4 Tabela 1 - Valores da Tg das amostras. Amostras Primeira Tg Segunda ( C) Tg ( C) Verniz 42,28 Não possui Compósito 1% 37,10 175,8 Compósito 3% 40,00 167,6 Compósito 5% 38,60 165,9 A análise de MEV foi usada para avaliar a morfologia em escala microscópica das partículas de VMT-org e compósito 3% (Fig. 3a e 3b, respectivamente). Observa-se que houve boa dispersão das partículas inorgânicas na matriz polimérica. (a) (b) Figure 3 - Micrografias obtidas por MEV das partículas de VMT-org (a) e do compósito 3% (b) Os difratogramas da VMT-org, Verniz e dos compósitos são mostrados na Fig. 4. Nota-se que os compósitos apresentaram os picos característicos da VMT-org deslocados para menores valores de ângulo 2θ evidenciando aumento na distância basal das partículas. Para o compósito 3% esses picos desapareceram. Esse fato sugere que houve intercalação das moléculas do verniz nas lamelas da VMT-org, para os compósitos 1 e 5% e esfoliação das lamelas, para o compósito 3% [6].

5 Figura 4 - Difratograma da VMT-org, verniz e dos compósitos. Conclusões Os resultados de DSC mostraram que a incorporação da VMT-org pode ter provocado dois estados diferentes de cura no verniz resultando em duas Tgs. O MEV mostrou boa dispersão das partículas inorgânicas. A análise de DRX sugeriu que houve intercalação das moléculas do verniz nas lamelas da VMT-org, para os compósitos 1 e 5% e esfoliação das lamelas, para o compósito 3%. Inserir o texto em fonte Times New Roman 12, justificado, espaço simples, 1 coluna. Agradecimentos Os autores agradecem a UEZO pela disponibilização dos laboratórios e equipamentos. Referências Bibliográficas 1. K. C. Agrawal, Industrial Power Engineering Handbook, Newnes, New Delhi, J. D. E. Almeida Junior, Dissertação de mestrado, Universidade Regional de Blumenau, J. U. Jansen, Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, M. Roy, J. K Nelson, R. K Maccrone,; et al. Dielec. and Elec. Insu.- IEEE, 2005, 4, Y. Kim, S.-Y Park; S. Y Kwon; et al. Thermochimica Acta, 2012, v. 542, E. V. D Gomes, Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2009.

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE BLENDAS POLIMÉRICAS A BASE DE PET RECICLADO E POLIÉSTER DERIVADO DO ÁCIDO TEREFTÁLICO

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE BLENDAS POLIMÉRICAS A BASE DE PET RECICLADO E POLIÉSTER DERIVADO DO ÁCIDO TEREFTÁLICO PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE BLENDAS POLIMÉRICAS A BASE DE PET RECICLADO E POLIÉSTER DERIVADO DO ÁCIDO TEREFTÁLICO (1) Ohara, L.(1); Miranda, C.S.(1); Fiuza, R.P. (1); Luporini, S.(1); Carvalho, R.F.(1);

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO COMPÓSITO DE POLIURETANO DERIVADO DO ÓLEO DE MAMONA (PUR) COM SÍLICA OBTIDA DA PLANTA CAVALINHA.

CARACTERIZAÇÃO DO COMPÓSITO DE POLIURETANO DERIVADO DO ÓLEO DE MAMONA (PUR) COM SÍLICA OBTIDA DA PLANTA CAVALINHA. CARACTERIZAÇÃO DO COMPÓSITO DE POLIURETANO DERIVADO DO ÓLEO DE MAMONA (PUR) COM SÍLICA OBTIDA DA PLANTA CAVALINHA. William F. Alves 1,4, Edson N. Ito 1,4, José A. Malmonge 2, W.L.E. Magalhães 3, Luiz H.

Leia mais

ESTUDO DO COMPORTAMENTO TÉRMICO DA LIGA Cu-7%Al-10%Mn-3%Ag (m/m) *camilaandr@gmail.com

ESTUDO DO COMPORTAMENTO TÉRMICO DA LIGA Cu-7%Al-10%Mn-3%Ag (m/m) *camilaandr@gmail.com ESTUDO DO COMPORTAMENTO TÉRMICO DA LIGA Cu-7%Al-10%Mn-3%Ag (m/m) C. M. A. Santos (PG) 1*, R. A. G. Silva (PQ) 2, A.T. Adorno (PQ) 1 e T. M. Carvalho (PG) 1 1 IQ, Universidade Estadual Paulista, Campus

Leia mais

IX Congresso Brasileiro de Análise Térmica e Calorimetria 09 a 12 de novembro de 2014 Serra Negra SP - Brasil

IX Congresso Brasileiro de Análise Térmica e Calorimetria 09 a 12 de novembro de 2014 Serra Negra SP - Brasil ESTUDO TERMOANALÍTICO DE COMPÓSITOS DE POLI(ETILENO-CO-ACETATO DE VINILA) COM BAGAÇO DE CANA-DE-AÇÚCAR Carla R. de Araujo, Igor B. de O. Lima, Cheila G. Mothé Departamento de Processos Orgânicos - Escola

Leia mais

Doris Cecilia Farfán Del Carpio DEGRADAÇÃO FÍSICO-QUIMICA DO PVC CAUSADA POR DERIVADOS DE PETROLEO

Doris Cecilia Farfán Del Carpio DEGRADAÇÃO FÍSICO-QUIMICA DO PVC CAUSADA POR DERIVADOS DE PETROLEO Doris Cecilia Farfán Del Carpio DEGRADAÇÃO FÍSICO-QUIMICA DO PVC CAUSADA POR DERIVADOS DE PETROLEO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre

Leia mais

ESTUDO TERMOGRAVIMÉTRICO DA POLIACRILONITRILA COM O PLASTIFICANTE GLICEROL

ESTUDO TERMOGRAVIMÉTRICO DA POLIACRILONITRILA COM O PLASTIFICANTE GLICEROL ESTUDO TERMOGRAVIMÉTRICO DA POLIACRILONITRILA COM O PLASTIFICANTE GLICEROL Carlos A. R. Brito Júnior 1*, Luiz C. Pardini 2, Nilton P. Alves 3, Robson R. Fleming 1 1 Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE MATERIAIS HÍBRIDOS A PARTIR DA CRISOTILA NATURAL.

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE MATERIAIS HÍBRIDOS A PARTIR DA CRISOTILA NATURAL. PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE MATERIAIS HÍBRIDOS A PARTIR DA CRISOTILA NATURAL. Giraldelli, M.G.; Silva, M.L.C.P. Estrada do campinho s/n,lorena,são Paulo,Brasil.CP-116, CEP 12600-000 marciogiraldelli@hotmail.com

Leia mais

ESTUDO DO COMPORTAMENTO MECÂNICO DE UM ECO-COMPÓSITO PARA APLICAÇÃO COMO PAINÉIS DIVISÓRIOS DE AMBIENTES

ESTUDO DO COMPORTAMENTO MECÂNICO DE UM ECO-COMPÓSITO PARA APLICAÇÃO COMO PAINÉIS DIVISÓRIOS DE AMBIENTES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO TECNOLÓGICO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL ROSSANA MARTINS MIRANDA ESTUDO DO COMPORTAMENTO MECÂNICO DE UM ECO-COMPÓSITO PARA APLICAÇÃO COMO PAINÉIS DIVISÓRIOS

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS COMPÓSITOS EM GRADES DE PLATAFORMAS MARITIMAS (2012) 1 OLIVEIRA, Patrícia, GARAY, André RESUMO

UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS COMPÓSITOS EM GRADES DE PLATAFORMAS MARITIMAS (2012) 1 OLIVEIRA, Patrícia, GARAY, André RESUMO UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS COMPÓSITOS EM GRADES DE PLATAFORMAS MARITIMAS (2012) 1 OLIVEIRA, Patrícia, GARAY, André 1 Trabalho de Pesquisa - UNIFRA 1 Curso de Engenharia Química do Centro Universitário Franciscano

Leia mais

Efeito de Solventes e Lubrificantes Residuais sobre as Propriedades Térmicas de Compósitos de Aplicação Aeroespacial

Efeito de Solventes e Lubrificantes Residuais sobre as Propriedades Térmicas de Compósitos de Aplicação Aeroespacial Anais do 14 Encontro de Iniciação Científica e Pós-Graduação do ITA-XIV ENCITA / 2008 Instituto Tecnológico de Aeronáutica, São José dos Campos, SP, Brasil, Outubro, 20 a 23, 2008. Efeito de Solventes

Leia mais

Avaliação das propriedades térmicas e compatibilidade de compósitos de PP incorporados com fibras de Moringa oleifera

Avaliação das propriedades térmicas e compatibilidade de compósitos de PP incorporados com fibras de Moringa oleifera Avaliação das propriedades térmicas e compatibilidade de compósitos de PP incorporados com fibras de Moringa oleifera Daniel M. Sá 1*, Kátia M. Novack 1,2, Vagner R. Botaro 3 1* - REDEMAT - danielmirandaufop@yahoo.com.br;

Leia mais

Estudo Cinético da Cura de Resina Fenólica por DSC e DMTA

Estudo Cinético da Cura de Resina Fenólica por DSC e DMTA Anais do 14 O Encontro de Iniciação Científica e Pós-Graduação do ITA XIV ENCITA / 28 Instituto Tecnológico de Aeronáutica São José dos Campos SP Brasil Outubro 2 a 23 28. Estudo Cinético da Cura de Resina

Leia mais

Palavras-chave: Simulação, Climatização, Ar condicionado, Edificações, Energia.

Palavras-chave: Simulação, Climatização, Ar condicionado, Edificações, Energia. ANÁLISE COMPARATIVA DE SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO TIPO VOLUME DE AR CONSTANTE (CAV) E VOLUME DE AR VARIÁVEL (VAV) MULTIZONAS OPERANDO EM CLIMA QUENTE E ÚMIDO César Augusto Gomes dos Santos Jorge Emanuel

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE CINZA DE BAGAÇO DE CANA PARA PRODUZIR MATERIAL VITRO-CERÂMICO DO SISTEMA SiO 2 -CaO-Na 2 O

UTILIZAÇÃO DE CINZA DE BAGAÇO DE CANA PARA PRODUZIR MATERIAL VITRO-CERÂMICO DO SISTEMA SiO 2 -CaO-Na 2 O UTILIZAÇÃO DE CINZA DE BAGAÇO DE CANA PARA PRODUZIR MATERIAL VITRO-CERÂMICO DO SISTEMA SiO 2 -CaO-Na 2 O S.R.Teixeira 1, J.Ma.Rincón 2, M.Romero 2, R.S.Magalhães 1,G.T.A.Santos 1, C.L.Carvalho 3 rainho@fct.unesp.br

Leia mais

Revista Iberoamericana de Polímeros Volumen 16(6), Noviembre de 2015 SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE COMPÓSITOS DE PS/SÍLICA

Revista Iberoamericana de Polímeros Volumen 16(6), Noviembre de 2015 SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE COMPÓSITOS DE PS/SÍLICA SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE COMPÓSITOS DE PS/SÍLICA Luanda Silva de Moraes*, Juliana da Silva, Luzterrosi T. Fonseca, Shirleny Fontes Santos Centro Universitário Estadual da Zona Oeste UEZO, Rio de Janeiro,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE MICROPARTÍCULAS DE POLICAPROLACTONA

DESENVOLVIMENTO DE MICROPARTÍCULAS DE POLICAPROLACTONA DESENVOLVIMENTO DE MICROPARTÍCULAS DE POLICAPROLACTONA Mariana S de S de B Monteiro 1 *, Jean P de Araújo 2, Maria Inês B 1-3* - Instituto de Macromoléculas Eloisa Mano (IMA)/Universidade Federal do Rio

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO MINERALÓGICA DE MATERIAL ARGILOSO PROVENIENTE DO MUNICÍPIO DE SANTA BÁRBARA PA RESUMO

CARACTERIZAÇÃO MINERALÓGICA DE MATERIAL ARGILOSO PROVENIENTE DO MUNICÍPIO DE SANTA BÁRBARA PA RESUMO CRCTERIZÇÃO MINERLÓGIC DE MTERIL RGILOSO PROVENIENTE DO MUNICÍPIO DE SNT BÁRBR P E.. Hildebrando(1); T. Sheller(2); R. S. ngélica, (2); R. F. Neves(3) Folha 17, uadra 04, Lote Especial, Nova Marabá, Marabá-P

Leia mais

PRODUÇÃO DE ZEÓLITAS A PARTIR DE CAULIM PARA ADSORÇÃO DE COBRE

PRODUÇÃO DE ZEÓLITAS A PARTIR DE CAULIM PARA ADSORÇÃO DE COBRE PRODUÇÃO DE ZEÓLITAS A PARTIR DE CAULIM PARA ADSORÇÃO DE COBRE E. C. RODRIGUES¹, H. S. ALMEIDA², J. C. F. REIS JR 1, A. C. P. A. SANTOS 1, P. R. O. BRITO 1 e J. A. S. SOUZA 1 1 Universidade Federal do

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DA DEGRADAÇÃO TÉRMICA DE COMPÓSITOS DE MATRIZ POLIMÉRICA DESENVOLVIDOS EM LABORATÓRIO COM O INDUSTRIALIZADO

ANÁLISE COMPARATIVA DA DEGRADAÇÃO TÉRMICA DE COMPÓSITOS DE MATRIZ POLIMÉRICA DESENVOLVIDOS EM LABORATÓRIO COM O INDUSTRIALIZADO 09 a 1 de novembro de 014 Serra Negra SP - Brasil ANÁLISE COMPARATIVA DA DEGRADAÇÃO TÉRMICA DE COMPÓSITOS DE MATRIZ POLIMÉRICA DESENVOLVIDOS EM LABORATÓRIO COM O INDUSTRIALIZADO J.L.Sales 1, C.R.S.Morais

Leia mais

EFEITO DO CORTE NAS PROPRIEDADES MAGNÉTICAS DE AÇOS ELÉTRICOS M. Emura 1, F.J.G. Landgraf 1, W. Rossi 2, J. Barreta 2

EFEITO DO CORTE NAS PROPRIEDADES MAGNÉTICAS DE AÇOS ELÉTRICOS M. Emura 1, F.J.G. Landgraf 1, W. Rossi 2, J. Barreta 2 EFEITO DO CORTE NAS PROPRIEDADES MAGNÉTICAS DE AÇOS ELÉTRICOS M. Emura 1, F.J.G. Landgraf 1, W. Rossi 2, J. Barreta 2 1 Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo IPT 2 Instituto de Pesquisas

Leia mais

INFLUÊNCIA DO TRATAMENTO SUPERFICIAL DA MONTMORILONITA NA CINÉTICA DE CRISTALIZAÇÃO INDUZIDA POR FLUXO DE NANOCOMPÓSITOS DE HDPE

INFLUÊNCIA DO TRATAMENTO SUPERFICIAL DA MONTMORILONITA NA CINÉTICA DE CRISTALIZAÇÃO INDUZIDA POR FLUXO DE NANOCOMPÓSITOS DE HDPE INFLUÊNCIA DO TRATAMENTO SUPERFICIAL DA MONTMORILONITA NA CINÉTICA DE CRISTALIZAÇÃO INDUZIDA POR FLUXO DE NANOCOMPÓSITOS DE HDPE A. B. Bonel (1), C. A. G. Beatrice (2), J. Marini (2) e R. E. S. Bretas

Leia mais

SÍNTESE DE Mg 2 FeH 6 CONTENDO COMO ADITIVOS METAIS DE TRANSIÇÃO E FLUORETOS DE METAIS DE TRANSIÇÃO OU CARBONO

SÍNTESE DE Mg 2 FeH 6 CONTENDO COMO ADITIVOS METAIS DE TRANSIÇÃO E FLUORETOS DE METAIS DE TRANSIÇÃO OU CARBONO SÍNTESE DE Mg 2 FeH 6 CONTENDO COMO ADITIVOS METAIS DE TRANSIÇÃO E FLUORETOS DE METAIS DE TRANSIÇÃO OU CARBONO G. Zepon, D. R. Leiva, W. J. Botta Departamento de Engenharia de Materiais, Universidade Federal

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO SISTEMA DE VÁCUO NAS PROPRIEDADES FÍSICAS DOS PRODUTOS DE CERÂMICA VERMELHA.

A INFLUÊNCIA DO SISTEMA DE VÁCUO NAS PROPRIEDADES FÍSICAS DOS PRODUTOS DE CERÂMICA VERMELHA. 28 de junho a 1º de julho de 2004 Curitiba-PR 1 A INFLUÊNCIA DO SISTEMA DE VÁCUO NAS PROPRIEDADES FÍSICAS DOS PRODUTOS DE CERÂMICA VERMELHA. Mello, Roberta Monteiro de (1) ; Oliveira, Amando Alves de (1)

Leia mais

AVALIAÇÃO TÉRMICA E MECÂNICA DA DEGRADAÇÃO DE MATERIAIS POLIMÉRICOS NA PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE

AVALIAÇÃO TÉRMICA E MECÂNICA DA DEGRADAÇÃO DE MATERIAIS POLIMÉRICOS NA PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE AVALIAÇÃO TÉRMICA E MECÂNICA DA DEGRADAÇÃO DE MATERIAIS POLIMÉRICOS NA PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE Cheila G. Mothé 1*, Fernanda T. G. Dias 2, Michelle G. Mothé 1 1* Universidade Federal do Rio de Janeiro

Leia mais

SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE NANOCOMPÓSITOS POLIPROPILENO/GRAFITE OBTIDOS PELA POLIMERIZAÇÃO IN SITU

SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE NANOCOMPÓSITOS POLIPROPILENO/GRAFITE OBTIDOS PELA POLIMERIZAÇÃO IN SITU SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE NANOCOMPÓSITOS POLIPROPILENO/GRAFITE OBTIDOS PELA POLIMERIZAÇÃO IN SITU L. S. Montagna 1, F. de C. Fim 1, G. B. Galland 1, N. R. S. Basso 2* * Av. Ipiranga, 6681, Porto Alegre/RS,

Leia mais

ESTUDO DO EFEITO DO TRATAMENTO TÉRMICO DE TiO 2 POR MEIO DA TÉCNICA DE ESPECTROSCOPIA DE LUMINESCÊNCIA

ESTUDO DO EFEITO DO TRATAMENTO TÉRMICO DE TiO 2 POR MEIO DA TÉCNICA DE ESPECTROSCOPIA DE LUMINESCÊNCIA ESTUD D EFEIT D TRATAMENT TÉRMIC DE Ti 2 PR MEI DA TÉCNICA DE ESPECTRSCPIA DE LUMINESCÊNCIA Rafael Inocêncio de Andrade Bitencourt * IC, Deborah Dibbern Brunelli PQ Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

6 Constituição dos compósitos em estágio avançado da hidratação

6 Constituição dos compósitos em estágio avançado da hidratação 6 Constituição dos compósitos em estágio avançado da hidratação Este capítulo analisa a constituição dos compósitos com CCA com base nos resultados de análise termogravimétrica e microscopia. As amostras

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUO DE PÓ DE MÁRMORE PARA APLICAÇÃO EM MATERIAIS CERÂMICOS

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUO DE PÓ DE MÁRMORE PARA APLICAÇÃO EM MATERIAIS CERÂMICOS CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUO DE PÓ DE MÁRMORE PARA APLICAÇÃO EM MATERIAIS CERÂMICOS Thiago de F. Almeida 1* (D), Flaviane H. G. Leite 1 (D) José N. F. de Holanda 1 1-Universidade Estadual do Norte Fluminense

Leia mais

Análise Termogravimétrica da Bioespuma Poliuretana do Projeto de Produto Gasolimp como Agente Cogerador de Energia

Análise Termogravimétrica da Bioespuma Poliuretana do Projeto de Produto Gasolimp como Agente Cogerador de Energia Análise Termogravimétrica da Bioespuma Poliuretana do Projeto de Produto Gasolimp como Agente Cogerador de Energia J. C. V. Cortez Msc. em Meio ambiente Universidade Federal da Paraíba, cortez.juancarlos@gmail.com

Leia mais

ESTABILIDADE TÉRMICA DE NANOCOMPOSITOS DE POLI (FLUORETO DE VINILIDENO) E POSS

ESTABILIDADE TÉRMICA DE NANOCOMPOSITOS DE POLI (FLUORETO DE VINILIDENO) E POSS ESTABILIDADE TÉRMICA DE NANOCOMPOSITOS DE POLI (FLUORETO DE VINILIDENO) E POSS Johnny D. N. Martins*, Tais S. Bassani, Otavio Bianchi, Ricardo V. B. de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Leia mais

PREPARAÇÃO DE ARGILAS ORGANOFÍLICAS E DE NANOCOMPÓSITOS DE POLIPROPILENO

PREPARAÇÃO DE ARGILAS ORGANOFÍLICAS E DE NANOCOMPÓSITOS DE POLIPROPILENO PREPARAÇÃO DE ARGILAS ORGANOFÍLICAS E DE NANOCOMPÓSITOS DE POLIPROPILENO Martha Fogliato S. Lima 1*, Vinicius G. do Nascimento 1, Denise M. Lenz 1, Flavia Schenato 1 1 - Universidade Luterana do Brasil

Leia mais

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA ADIÇÃO DE NANOFOLHAS DE GRAFENO NAS PROPRIEDADES TÉRMICAS DE NANOCOMPÓSITOS POLIMÉRICOS

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA ADIÇÃO DE NANOFOLHAS DE GRAFENO NAS PROPRIEDADES TÉRMICAS DE NANOCOMPÓSITOS POLIMÉRICOS ESTUDO DA INFLUÊNCIA DA ADIÇÃO DE NANOFOLHAS DE GRAFENO NAS PROPRIEDADES TÉRMICAS DE NANOCOMPÓSITOS POLIMÉRICOS María Gabriela Carvalho 1, A. F. Ávila 2, A.M.V.N. van Petten 3 1) Programa de Pós-Graduação

Leia mais

CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE. Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil)

CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE. Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) Julian Johann (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) Maico

Leia mais

AVALIAÇÃO DA POTENCIALIDADE DE ARGILAS DO RN QUANDO SUBMETIDAS A ELEVADAS TAXAS DE AQUECIMENTO

AVALIAÇÃO DA POTENCIALIDADE DE ARGILAS DO RN QUANDO SUBMETIDAS A ELEVADAS TAXAS DE AQUECIMENTO AVALIAÇÃO DA POTENCIALIDADE DE ARGILAS DO RN QUANDO SUBMETIDAS A ELEVADAS TAXAS DE AQUECIMENTO Filgueira, R. L.; Pereira, L.M.; Dutra, R.P.S.; Nascimento, R.M. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

Leia mais

CONHECENDO ALGUNS PIGMENTOS MINERAIS DE MINAS GERAIS PARTE II

CONHECENDO ALGUNS PIGMENTOS MINERAIS DE MINAS GERAIS PARTE II 28 de junho a 1º de julho de 2004 Curitiba-PR 1 CONHECENDO ALGUNS PIGMENTOS MINERAIS DE MINAS GERAIS PARTE II A. R. P. Pereira, J. A. S. Oliveira, M. J. S. F. da Silva, O. M. de Sousa, J. O. Saturnino.

Leia mais

IX Congresso Brasileiro de Análise Térmica e Calorimetria 09 a 12 de novembro de 2014 Serra Negra SP - Brasil

IX Congresso Brasileiro de Análise Térmica e Calorimetria 09 a 12 de novembro de 2014 Serra Negra SP - Brasil ESTUDO DE RESÍDUO DA PODA URBANA POR ANÁLISE TERMOGRAVIMÉTRICA RESUMO Visando o aproveitamento de resíduos, em incentivo à Política Nacional de Resíduos Sólidos, e sua futura aplicação como fonte de energia

Leia mais

IX Congresso Brasileiro de Análise Térmica e Calorimetria 09 a 12 de novembro de 2014 Serra Negra SP - Brasil

IX Congresso Brasileiro de Análise Térmica e Calorimetria 09 a 12 de novembro de 2014 Serra Negra SP - Brasil CARACTERIZAÇÃO FÍSICA E COMPORTAMENTO TÉRMICO DE UMA ARGILA PARA USO EM CERÂMICA VERMELHA Auro Tanaka 1, José Marques Luiz, Rafael Fontebasso 1. Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, UNESP Univ. Estadual

Leia mais

MECANISMOS FÍSICOS EM MÊS EXTREMO CHUVOSO NA CIDADE DE PETROLINA. PARTE 3: CARACTERÍSTICAS TERMODINÂMICAS E DO VENTO

MECANISMOS FÍSICOS EM MÊS EXTREMO CHUVOSO NA CIDADE DE PETROLINA. PARTE 3: CARACTERÍSTICAS TERMODINÂMICAS E DO VENTO MECANISMOS FÍSICOS EM MÊS EXTREMO CHUVOSO NA CIDADE DE PETROLINA. PARTE 3: CARACTERÍSTICAS TERMODINÂMICAS E DO VENTO Roberta Everllyn Pereira Ribeiro 1, Maria Regina da Silva Aragão 2, Jaqueline Núbia

Leia mais

Reciclagem de resíduo proveniente da produção de papel em cerâmica vermelha. Recycling of waste from the paper production into red ceramic

Reciclagem de resíduo proveniente da produção de papel em cerâmica vermelha. Recycling of waste from the paper production into red ceramic ISSN 1517-7076 Revista Matéria, v. 13, n. 1, pp. 220 227, 2008 http://www.materia.coppe.ufrj.br/sarra/artigos/artigo10987 Reciclagem de resíduo proveniente da produção de papel em cerâmica vermelha PINHEIRO,

Leia mais

EVAPORAÇÃO EM TANQUE DE CIMENTO AMIANTO

EVAPORAÇÃO EM TANQUE DE CIMENTO AMIANTO EVAPORAÇÃO EM TANQUE DE CIMENTO AMIANTO GERTRUDES MACARIO DE OLIVEIRA 1, MÁRIO DE MIRANDA VILAS BOAS RAMOS LEITÃO, ANDREIA CERQUEIRA DE ALMEIDA 3, REGIANE DE CARVALHO BISPO 1 Doutora em Recursos Naturais,

Leia mais

MONITORAMENTO DA EXPANSÃO DE POLIURETANAS POR TÉCNICAS DE ANÁLISE DE IMAGEM

MONITORAMENTO DA EXPANSÃO DE POLIURETANAS POR TÉCNICAS DE ANÁLISE DE IMAGEM MONITORAMENTO DA EXPANSÃO DE POLIURETANAS POR TÉCNICAS DE ANÁLISE DE IMAGEM E. T. S. ALVES 1, G. B. RODRIGUEZ 2, M. K. LENZI 2, P. H. H. ARAÚJO 1, M. C. B. COSTA 3, R. A. IHABUINSKI 2, L. F. L. LUZ Jr.

Leia mais

INFLUÊNCIA DA PRESENÇA DE GASOLINA NA ESTABILIDADE TERMO-OXIDATIVA DE ÓLEO LUBRIFICANTE AUTOMOTIVO

INFLUÊNCIA DA PRESENÇA DE GASOLINA NA ESTABILIDADE TERMO-OXIDATIVA DE ÓLEO LUBRIFICANTE AUTOMOTIVO INFLUÊNCIA DA PRESENÇA DE GASOLINA NA ESTABILIDADE TERMO-OXIDATIVA DE ÓLEO LUBRIFICANTE AUTOMOTIVO Maria Carolina da Silva Coelho 1, Roberta Teixeira Miranda 1, Sérgio Luiz C. Viscardi 1, Jo Dweck 2 1

Leia mais

REPROCESSAMENTO DE CATODOS DE BATERIAS DE ÍONS LÍTIO DESCARTADAS UTILIZANDO SÍNTESE PECHINI.

REPROCESSAMENTO DE CATODOS DE BATERIAS DE ÍONS LÍTIO DESCARTADAS UTILIZANDO SÍNTESE PECHINI. REPROCESSAMENTO DE CATODOS DE BATERIAS DE ÍONS LÍTIO DESCARTADAS UTILIZANDO SÍNTESE PECHINI. Polo Fonseca,C 1.; Amaral, F. 2 ; Prado, R.M. 1 ; Santos Junior, G.A. 1 ; Marques, E.C. 1 ; Neves, S 1. R. Alexandre

Leia mais

EFEITO DA CONCENTRAÇÃO DO ÁCIDO CLORÍDRICO NA ATIVAÇÃO ÁCIDA DA ARGILA BENTONÍTICA BRASGEL

EFEITO DA CONCENTRAÇÃO DO ÁCIDO CLORÍDRICO NA ATIVAÇÃO ÁCIDA DA ARGILA BENTONÍTICA BRASGEL EFEITO DA CONCENTRAÇÃO DO ÁCIDO CLORÍDRICO NA ATIVAÇÃO ÁCIDA DA ARGILA BENTONÍTICA BRASGEL Guilherme C. de Oliveira¹*, Caio H. F. de Andrade¹, Marcílio Máximo Silva¹, Herve M. Laborde¹, Meiry G. F. Rodrigues¹

Leia mais

REDUÇÃO NO CONSUMO DE HIDROGÊNIO EM FORNOS DE RECOZIMENTO TIPO SINO UTILIZANDO A CURVA DE DESTILAÇÃO DO ÓLEO DE LAMINAÇÃO.

REDUÇÃO NO CONSUMO DE HIDROGÊNIO EM FORNOS DE RECOZIMENTO TIPO SINO UTILIZANDO A CURVA DE DESTILAÇÃO DO ÓLEO DE LAMINAÇÃO. REDUÇÃO NO CONSUMO DE HIDROGÊNIO EM FORNOS DE RECOZIMENTO TIPO SINO UTILIZANDO A CURVA DE DESTILAÇÃO DO ÓLEO DE LAMINAÇÃO. Fernando Kawata Julia Ferrari Pompeo Ricardo Alves Almeida Carlos Roberto Gianini

Leia mais

Departamento de Química Analítica e Físico-Química Universidade Federal do Ceará Campus do Pici, Bloco 940, Fortaleza, CE, 60451-970 lena@ufc.

Departamento de Química Analítica e Físico-Química Universidade Federal do Ceará Campus do Pici, Bloco 940, Fortaleza, CE, 60451-970 lena@ufc. Efeito da adição do lodo de águas residuais da indústria têxtil nas propriedades de materiais de construção (Effect of the addition of sludge from textile factory in the properties of construction materials)

Leia mais

Obtenção (Polimerização) de compósito polimérico por feixe de elétrons

Obtenção (Polimerização) de compósito polimérico por feixe de elétrons Obtenção (Polimerização) de compósito polimérico por feixe de elétrons Maria Cecília Evora, Delmo Nishitsuji, Dr.Gerson Marinucci Dr. Leonardo Gondim de Andrade e Silva Objetivo Pesquisar e desenvolver

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 PRODUÇÃO DE TELHA SEM AMIANTO USANDO FIBRAS DE COCO VERDE E CINZAS DE CANA-DE-AÇÚCAR. Ana Paula dos Santos Rodrigues¹; Daiene Lemes Pinto 2, Fernanda Luiza Mendonça Oliveira³, Guilherme Vitor Batista Correia

Leia mais

REPENSANDO A ROTINA DA BIBLIOTECA CENTRAL DO CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

REPENSANDO A ROTINA DA BIBLIOTECA CENTRAL DO CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Uso estratégico das tecnologias em informação documentária REPENSANDO A ROTINA DA BIBLIOTECA CENTRAL DO CAMPUS

Leia mais

VARIABILIDADE ESPAÇO-TEMPORAL DA TEMPERATURA MÉDIA DO AR NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE/BRASIL

VARIABILIDADE ESPAÇO-TEMPORAL DA TEMPERATURA MÉDIA DO AR NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE/BRASIL VARIABILIDADE ESPAÇO-TEMPORAL DA TEMPERATURA MÉDIA DO AR NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE/BRASIL Bruno Claytton Oliveira da Silva¹. Fernando Moreira da Silva². Pedro Vieira de Azevedo³ ¹UnP GPEG/UFRN Brasil

Leia mais

8º CONGRESO IBEROAMERICANO DE INGENIERIA MECANICA Cusco, 23 al 25 de Octubre de 2007

8º CONGRESO IBEROAMERICANO DE INGENIERIA MECANICA Cusco, 23 al 25 de Octubre de 2007 8º CONGRESO IBEROAMERICANO DE INGENIERIA MECANICA Cusco, 23 al 25 de Octubre de 2007 O USO DE CARGA HÍBRIDA NA CONFIGURAÇÃO DE TUBOS DE PRFV Luiz C. F. S. *, Eve M. F. A. ** * UFRN - Programa de Doutorado

Leia mais

EFEITO DA EXPOSIÇÃO DA MADEIRA DE PUPUNHA A ÁGUA E A PRODUTOS QUÍMICOS: ANÁLISE TERMO- MECÂNICA

EFEITO DA EXPOSIÇÃO DA MADEIRA DE PUPUNHA A ÁGUA E A PRODUTOS QUÍMICOS: ANÁLISE TERMO- MECÂNICA EFEITO DA EXPOSIÇÃO DA MADEIRA DE PUPUNHA A ÁGUA E A PRODUTOS QUÍMICOS: ANÁLISE TERMO- MECÂNICA Ana L. F. S. d Almeida 1, José R. M. d Almeida 2 * 1 Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal

Leia mais

Massas cerâmicas para telhas: características e comportamento de queima (Ceramic bodies for roofing tiles: characteristics and firing behavior)

Massas cerâmicas para telhas: características e comportamento de queima (Ceramic bodies for roofing tiles: characteristics and firing behavior) Cerâmica 49 (2003) 245-250 245 Massas cerâmicas para telhas: características e comportamento de queima (Ceramic bodies for roofing tiles: characteristics and firing behavior) C. M. F. Vieira, T. M. Soares,

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DO TEMPO DE SÍNTESE DA SBA-15 NA PRESENÇA DE CO-SOLVENTE

OTIMIZAÇÃO DO TEMPO DE SÍNTESE DA SBA-15 NA PRESENÇA DE CO-SOLVENTE OTIMIZAÇÃO DO TEMPO DE SÍNTESE DA SBA-15 NA PRESENÇA DE CO-SOLVENTE C. G. A. MISAEL 1, J. S. B. SANTOS 1, COSTA, F. O. 1 e B. V. SOUSA 1 1 Universidade Federal de Campina Grande, Departamento de Engenharia

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO TEOR DE NEGRO-DE-FUMO EM TUBOS DE PEAD PARA ABASTECIMENTO DE ÁGUA COMPARAÇÃO ENTRE DOIS MÉTODOS

DETERMINAÇÃO DO TEOR DE NEGRO-DE-FUMO EM TUBOS DE PEAD PARA ABASTECIMENTO DE ÁGUA COMPARAÇÃO ENTRE DOIS MÉTODOS PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO REDE METROLÓGICA DO ESTADO DE SÃO PAULO - REMESP REDE DE SANEAMENTO E ABASTECIMENTO DE ÁGUA - RESAG 29 a 31 de outubro de 2014 Local: Associação Brasileira da Indústria de Máquinas

Leia mais

ESTUDO DO COMPORTAMENTO REOLÓGICO DE POLIETILENO DE ALTA MASSA MOLAR PROCESSADO COM PERÓXIDO DE DICUMILA

ESTUDO DO COMPORTAMENTO REOLÓGICO DE POLIETILENO DE ALTA MASSA MOLAR PROCESSADO COM PERÓXIDO DE DICUMILA ESTUDO DO COMPORTAMENTO REOLÓGICO DE POLIETILENO DE ALTA MASSA MOLAR PROCESSADO COM PERÓXIDO DE DICUMILA Marisa C G Rocha 1*, Lorena R C Moraes 1 (M), Jorge M Futigami 1, Nancy I A Acevedo 1 1 - Instituto

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO HIDRÁULICA DE MICRO ASPERSOR

CARACTERIZAÇÃO HIDRÁULICA DE MICRO ASPERSOR CARACTERIZAÇÃO HIDRÁULICA DE MICRO ASPERSOR M. A. D. Marques 1 ; L. F. S. M. Campeche 2 RESUMO: O propósito deste trabalho foi avaliar hidraulicamente o emissor da marca Agropolo de um sistema de irrigação

Leia mais

III CNEG Niterói, RJ, Brasil, 17, 18 e 19 de agosto de 2006.

III CNEG Niterói, RJ, Brasil, 17, 18 e 19 de agosto de 2006. COMPARAÇÃO ENTRE OS RESULTADOS DECLARADOS POR FORNECEDORES DE MISTURAS PADRÕES DE GÁS NATURAL COM MEDIÇÕES REALIZADAS SEGUINDO PADRÕES METROLÓGICOS DO INMETRO Leandro Joaquim Rodrigues Pereira (UFF) -

Leia mais

Inovação tecnológica em DSC e hifenações

Inovação tecnológica em DSC e hifenações Inovação tecnológica em DSC e hifenações Thiago Fatobene 2009 Perkin Elmer DSC Fluxo de calor Princípio Monitoramento de eventos que envolvem troca de calor: eventos endotérmicos e exotérmicos, variação

Leia mais

VARIAÇÃO DA AMPLITUDE TÉRMICA EM ÁREAS DE CLIMA TROPICAL DE ALTITUDE, ESTUDO DO CASO DE ESPIRITO SANTO DO PINHAL, SP E SÃO PAULO, SP

VARIAÇÃO DA AMPLITUDE TÉRMICA EM ÁREAS DE CLIMA TROPICAL DE ALTITUDE, ESTUDO DO CASO DE ESPIRITO SANTO DO PINHAL, SP E SÃO PAULO, SP VARIAÇÃO DA AMPLITUDE TÉRMICA EM ÁREAS DE CLIMA TROPICAL DE ALTITUDE, ESTUDO DO CASO DE ESPIRITO SANTO DO PINHAL, SP E SÃO PAULO, SP Maria Cecilia Manoel Universidade de São Paulo maria.manoel@usp.br Emerson

Leia mais

INSERÇÃO DO RESÍDUO DE MÁRMORE NA CADEIA PRODUTIVA DA LÃ DE VIDRO

INSERÇÃO DO RESÍDUO DE MÁRMORE NA CADEIA PRODUTIVA DA LÃ DE VIDRO INSERÇÃO DO RESÍDUO DE MÁRMORE NA CADEIA PRODUTIVA DA LÃ DE VIDRO G. F. Rodrigues * ; J. O. Alves; D. C. R. Espinosa; J. A. S. Tenório. Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais - Escola Politécnica

Leia mais

EFEITOS DA HOMOGENEIZAÇÃO E DO RESFRIAMENTO APÓS EXTRUSÃO SOBRE A MICROESTRUTURA DE GRÃOS E A RESPOSTA AO ENVELHECIMENTO DE BARRAS DA LIGA DE ALUMÍNIO

EFEITOS DA HOMOGENEIZAÇÃO E DO RESFRIAMENTO APÓS EXTRUSÃO SOBRE A MICROESTRUTURA DE GRÃOS E A RESPOSTA AO ENVELHECIMENTO DE BARRAS DA LIGA DE ALUMÍNIO EFEITOS DA HOMOGENEIZAÇÃO E DO RESFRIAMENTO APÓS EXTRUSÃO SOBRE A MICROESTRUTURA DE GRÃOS E A RESPOSTA AO ENVELHECIMENTO DE BARRAS DA LIGA DE ALUMÍNIO 2014 Gisele Szilágyi (1, 2) *, Marcelo Gonçalves (1),

Leia mais

MODIFICAÇÃO DE SÍLICA MESOPOROSA APLICADA COMO SISTEMA DE LIBERAÇÃO DE DROGA

MODIFICAÇÃO DE SÍLICA MESOPOROSA APLICADA COMO SISTEMA DE LIBERAÇÃO DE DROGA MODIFICAÇÃO DE SÍLICA MESOPOROSA APLICADA COMO SISTEMA DE LIBERAÇÃO DE DROGA G.F.Andrade, A. Sousa, E.M.B.Sousa R. Prof. Mário Werneck, s/ nº, Campus Universitário- Belo Horizonte- MG, CEP 30.123-970-

Leia mais

OBTENÇÃO DE ÓXIDO DE ESTANHO ATRAVÉS DE HIDRÓLISE CONTROLADA SnCl 2 A.G. RAMALHÃO (1), E.R. LEITE (1), E. LONGO (1), J.A.

OBTENÇÃO DE ÓXIDO DE ESTANHO ATRAVÉS DE HIDRÓLISE CONTROLADA SnCl 2 A.G. RAMALHÃO (1), E.R. LEITE (1), E. LONGO (1), J.A. OBTENÇÃO DE ÓXIDO DE ESTANHO ATRAVÉS DE HIDRÓLISE CONTROLADA SnCl 2 A.G. RAMALHÃO (1), E.R. LEITE (1), E. LONGO (1), J.A. VARELA (2) (1) UFSCar CMDMC-LIEC-DQ, (2) UNESP CMDMC-LIEC-IQ RESUMO Os estudos

Leia mais

4. RESULTADOS & DISCUSSÃO

4. RESULTADOS & DISCUSSÃO 6 4. RESULTADOS & DISCUSSÃO 4. Estudo do comportamento da decomposição total para o precursor na fase (Bi, Pb)- Obs. As amostras desta seção foram as resultantes de tratamento feito por DTA/TGA, e foram

Leia mais

DECOMPOSIÇÃO TÉRMICA DO SILICATO DE MANGANÊS ESPESSARTITA

DECOMPOSIÇÃO TÉRMICA DO SILICATO DE MANGANÊS ESPESSARTITA XXV Encontro Nacional de Tratamento de Minérios e Metalurgia Extrativa & VIII Meeting of the Southern Hemisphere on Mineral Technology, Goiânia - GO, 20 a 24 de Outubro 2013 DECOMPOSIÇÃO TÉRMICA DO SILICATO

Leia mais

Improvements on attendance system of an worker s agency in Ponta Grossa PR through the study of sizing the number of attending cashiers

Improvements on attendance system of an worker s agency in Ponta Grossa PR through the study of sizing the number of attending cashiers Melhorias no sistema de atendimento de uma agencia do trabalhador da cidade de Ponta Grossa-PR através do estudo de dimensionamento do número de caixas de atendimento Gabriela Maurien Rodrigues UTFPR PG)

Leia mais

essa resistência através de ensaios realizados com modelos de cisternas comparáveis, não é necessário proceder aos ensaios.

essa resistência através de ensaios realizados com modelos de cisternas comparáveis, não é necessário proceder aos ensaios. CAPÍTULO 6.9 PRESCRIÇÕES RELATIVAS À CONCEPÇÃO, AO FABRICO, AOS EQUIPAMENTOS, À APROVAÇÃO DE TIPO, AOS ENSAIOS E À MARCAÇÃO DAS CISTERNAS FIXAS (VEÍCULOS-CISTERNAS), CISTERNAS DESMONTÁVEIS, CONTENTORES-CISTERNAS

Leia mais

3. CARACTERÍSTICAS DO FILME

3. CARACTERÍSTICAS DO FILME 3. CARACTERÍSTICAS DO FILME 3.1 INTRODUÇÃO Para que possamos analisar a forma como o filme radiográfico responde aos diferentes fatores determinados pela exposição à radiação, precisamos definir alguns

Leia mais

INTRODUÇÃO ESTUDO DAS PROPRIEDADES REOLÓGICAS DO XAROPE DE CANA BRUTO E FLOTADO DE ACORDO COM O TEOR DE SÓLIDOS SOLÚVEIS (⁰BRIX)

INTRODUÇÃO ESTUDO DAS PROPRIEDADES REOLÓGICAS DO XAROPE DE CANA BRUTO E FLOTADO DE ACORDO COM O TEOR DE SÓLIDOS SOLÚVEIS (⁰BRIX) 1 ESTUDO DAS PROPRIEDADES REOLÓGICAS DO XAROPE DE CANA BRUTO E FLOTADO DE ACORDO COM O TEOR DE SÓLIDOS SOLÚVEIS (⁰BRIX) INTRODUÇÃO Mário Augusto VERGANI Discente do curso de Engenharia de Alimentos da

Leia mais

Caracterização Termofísica de Materiais por Calorimetria Diferencial de Varredura (DSC)

Caracterização Termofísica de Materiais por Calorimetria Diferencial de Varredura (DSC) PROJETO DE COOPERAÇÃO SUL-AMERICANA EM IDENTIFICAÇÃO DE PROPRIEDADES FÍSICAS EM TRANSFERÊNCIA DE CALOR E MASSA Caracterização Termofísica de Materiais por Calorimetria Diferencial de Varredura (DSC) Eduardo

Leia mais

2. Resultados. 2.1 A Deposição dos Filmes de Diamante

2. Resultados. 2.1 A Deposição dos Filmes de Diamante 1. Introdução O presente relatório apresenta os resultados referentes ao trabalho experiemental desenvolvido no periodo de março a Junho de 29. O trabalho foi desenvolvido nos laboratórios do grupo DIMARE

Leia mais

A MÁQUINA ASSÍNCRONA TRIFÁSICA BRUSHLESS EM CASCATA DUPLAMENTE ALIMENTADA. Fredemar Rüncos

A MÁQUINA ASSÍNCRONA TRIFÁSICA BRUSHLESS EM CASCATA DUPLAMENTE ALIMENTADA. Fredemar Rüncos Resumo da Dissertação apresentada à UFSC como parte dos requisitos necessários para obtenção do grau de Mestre em Engenharia Elétrica. A MÁQUINA ASSÍNCRONA TRIFÁSICA BRUSHLESS EM CASCATA DUPLAMENTE ALIMENTADA

Leia mais

SITUAÇÕES SINÓTICAS ASSOCIADAS ÀS DIFERENÇAS NAS PROPRIEDADES ÓPTICAS DA ATMOSFERA EM AMBIENTE URBANO

SITUAÇÕES SINÓTICAS ASSOCIADAS ÀS DIFERENÇAS NAS PROPRIEDADES ÓPTICAS DA ATMOSFERA EM AMBIENTE URBANO SITUAÇÕES SINÓTICAS ASSOCIADAS ÀS DIFERENÇAS NAS PROPRIEDADES ÓPTICAS DA ATMOSFERA EM AMBIENTE URBANO Luciene Natali 1 Willians Bini 2 Edmilson Dias de Freitas 3 RESUMO: Neste trabalho é feita uma investigação

Leia mais

Palavras-chave: Queima de carbono, Coeficiente de difusão, Mecanismos de controle da combustão

Palavras-chave: Queima de carbono, Coeficiente de difusão, Mecanismos de controle da combustão MÉTODO ALTERNATIVO PARA DETERMINAR O COEFICIENTE DE DIFUSÃO DE E O SEU USO PARA DETERMINAR O MECANISMO DE CONTROLE DA QUEIMA DE CARBONO Francisco José dos Santos UNESP-IGCE-Departamento de Física Cx.P.178-135-

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA CERÂMICA COM TECNOLOGIA NACIONAL PARA MANUFATURA DE MATERIAIS ESPACIAIS

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA CERÂMICA COM TECNOLOGIA NACIONAL PARA MANUFATURA DE MATERIAIS ESPACIAIS DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA CERÂMICA COM TECNOLOGIA NACIONAL PARA MANUFATURA DE MATERIAIS ESPACIAIS Miguel Adriano Inácio 1, a, José Vitor Cândido de Souza 1, b, Maria do Carmo de Andrade Nono 1, c e

Leia mais

CIMENTO PARA POÇO DE PETRÓLEO DESENVOLVIDO A PARTIR DE CIMENTO COMUM: CARACTERIZAÇÃO FÍSICA, QUÍMICA E MINERALÓGICA

CIMENTO PARA POÇO DE PETRÓLEO DESENVOLVIDO A PARTIR DE CIMENTO COMUM: CARACTERIZAÇÃO FÍSICA, QUÍMICA E MINERALÓGICA CIMENTO PARA POÇO DE PETRÓLEO DESENVOLVIDO A PARTIR DE CIMENTO COMUM: CARACTERIZAÇÃO FÍSICA, QUÍMICA E MINERALÓGICA D. N. S. Oliveira 1 ; G. de A. Neves 1 ; U. T. Bezerra 2 ; A. C. Chaves 1 ; A. M. G.

Leia mais

ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE IOGURTE NATURAL COM POLPA DE ABACAXI BASE MEL

ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE IOGURTE NATURAL COM POLPA DE ABACAXI BASE MEL ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE IOGURTE NATURAL COM POLPA DE ABACAXI BASE MEL Francisca Clara Pereira FERREIRA 1, Yaroslávia Ferreira PAIVA 1, Roana Beatriz Carvalho Braga de ALMEIDA 1, Ângela Regina

Leia mais

Morfologia Matemática: Delimitar área de desastre ambiental causado por vazamento de petróleo utilizando imagem de satélite.

Morfologia Matemática: Delimitar área de desastre ambiental causado por vazamento de petróleo utilizando imagem de satélite. Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 2011, INPE p.7636 Morfologia Matemática: Delimitar área de desastre ambiental causado por

Leia mais

1. Propriedades do Polietileno

1. Propriedades do Polietileno Utilizamos o material em pó devido ao fato de os plásticos, desta forma, apresentarem características semelhantes às dos líquidos, sendo de fácil conformação em quaisquer superfícies. 1.1) Propriedades

Leia mais

ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS E TÉRMICAS DE TIJOLOS SOLO-CIMENTO COM E SEM ADIÇÃO DO PÓ DA FIBRA DE COCO.

ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS E TÉRMICAS DE TIJOLOS SOLO-CIMENTO COM E SEM ADIÇÃO DO PÓ DA FIBRA DE COCO. ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS E TÉRMICAS DE TIJOLOS SOLO-CIMENTO COM E SEM ADIÇÃO DO PÓ DA FIBRA DE COCO. Luiz Cláudio Ferreira da Silva José Ubiragí de Lima Mendes Rasiah Ladchumananandasivam Universidade

Leia mais

ESTUDO DO EFEITO DA QUANTIDADE DE FRITA MATE NA RESISTÊNCIA AO ATAQUE QUÍMICO DE ESMALTES MATES

ESTUDO DO EFEITO DA QUANTIDADE DE FRITA MATE NA RESISTÊNCIA AO ATAQUE QUÍMICO DE ESMALTES MATES ESTUDO DO EFEITO DA QUANTIDADE DE FRITA MATE NA RESISTÊNCIA AO ATAQUE QUÍMICO DE ESMALTES MATES Bruno Ricardo Matiola 1, Beatriz Feltrin Canever 1, Dilson Pasini Lima 1, Pedro Luiz Galatto De Fáveri 1,

Leia mais

ANÁLISE DE FALHA EM VIRABREQUIM DE MOTOR V8

ANÁLISE DE FALHA EM VIRABREQUIM DE MOTOR V8 ANÁLISE DE FALHA EM VIRABREQUIM DE MOTOR V8 Telmo Roberto Strohaecker UFRGS, PROFESSOR DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM Sandro Griza UFRGS, DOUTORANDO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM Rodrigo André Hoppe

Leia mais

Palavras-chave: Planejamento de experimentos, fibra vegetal, celulose, nanocelulose.

Palavras-chave: Planejamento de experimentos, fibra vegetal, celulose, nanocelulose. OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE NANOCELULOSE A PARTIR DA FIBRA DE CURAUÁ Juliana do N. Lunz 1, Suellem B. Cordeiro 1, José Carlos F. Mota 1, Maria de Fátima V. Marques 1*. Instituto de Macromoléculas

Leia mais

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL. Resistência à corrosão dos aços inoxidáveis

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL. Resistência à corrosão dos aços inoxidáveis COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL Resistência à corrosão dos aços inoxidáveis Formas localizadas de corrosão Os aços carbono sofrem de corrosão generalizada, onde grandes áreas da superfície

Leia mais

AVALIAÇÃO ESTRUTURAL DO SUPORTE SILICOALUMINOFOSFÁTICO ATRAVÉS DA DIFRAÇÃO DE RAIOS-X OBTIDO COM DIFERENTES TEMPOS DE SÍNTESE

AVALIAÇÃO ESTRUTURAL DO SUPORTE SILICOALUMINOFOSFÁTICO ATRAVÉS DA DIFRAÇÃO DE RAIOS-X OBTIDO COM DIFERENTES TEMPOS DE SÍNTESE AVALIAÇÃO ESTRUTURAL DO SUPORTE SILICOALUMINOFOSFÁTICO ATRAVÉS DA DIFRAÇÃO DE RAIOS-X OBTIDO COM DIFERENTES TEMPOS DE SÍNTESE Henryli Alecrim Sobreira¹, Thaise Gomes Pereira¹, Pedro Augusto de Silva Freitas¹,

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA XII COBREAP - Congresso Brasileiro de Engenharia de Avaliações e Perícias.

INSTITUTO BRASILEIRO DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA XII COBREAP - Congresso Brasileiro de Engenharia de Avaliações e Perícias. INSTITUTO BRASILEIRO DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA XII COBREAP - Congresso Brasileiro de Engenharia de Avaliações e Perícias. USO DE TÉCNICAS DE CARACTERIZAÇÃO MICROESTRUTURAL NA AVALIAÇÃO DE

Leia mais

ESTUDO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE MATERIAIS UTILIZADOS COMO ESCUDO DE PROTEÇÃO DE DISPOSITIVOS AEROESPACIAIS

ESTUDO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE MATERIAIS UTILIZADOS COMO ESCUDO DE PROTEÇÃO DE DISPOSITIVOS AEROESPACIAIS ESTUDO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE MATERIAIS UTILIZADOS COMO ESCUDO DE PROTEÇÃO DE DISPOSITIVOS AEROESPACIAIS Luciana Ferreira Carvalho,*, Instituto Tecnológico de Aeronáutica, São José dos Campos, SP,

Leia mais

Morphologycal characterization of nanocomposites of SIS copolymer and organophylic montmorillonites.

Morphologycal characterization of nanocomposites of SIS copolymer and organophylic montmorillonites. PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA DE NANOCOMPÓSITOS A BASE DE COPOLÍMERO ESTIRENO- ISOPRENO-ESTIRENO (SIS) E ARGILAS MONTMORILONITAS ORGANOFÍLICAS Tatiane D. M. Faria 1, Julio R. Bartoli 1*, Edson

Leia mais

Maria Clara Gonçalves

Maria Clara Gonçalves INFORMAÇÃO NA WEB INFORMAÇÃO NA WEB http://www.nlci.com/users/gundlach/ta.htm http://www.mntech.com/mtaf/ http://www.ictac.org/ PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS EM ANÁLISE TÉRMICA ANÁLISE TÉRMICA DIFERENCIAL A análise

Leia mais

SORÇÃO DE ÓLEO DIESEL EM BIOCOMPÓSITOS DE PU REFORÇADOS COM FIBRAS DA PALMEIRA

SORÇÃO DE ÓLEO DIESEL EM BIOCOMPÓSITOS DE PU REFORÇADOS COM FIBRAS DA PALMEIRA SORÇÃO DE ÓLEO DIESEL EM BIOCOMPÓSITOS DE PU REFORÇADOS COM FIBRAS DA PALMEIRA W. M. Florentino 1 ; D. R. Mulinari 2, 3 1- BIOSOLVIT - Biosolvit Industria, Comercio e Distribuição de Fibras Vegetais e

Leia mais

SIMULAÇÃO DE SECAGEM DE MILHO E ARROZ EM BAIXAS TEMPERATURAS

SIMULAÇÃO DE SECAGEM DE MILHO E ARROZ EM BAIXAS TEMPERATURAS SIMULAÇÃO DE SECAGEM DE MILHO E ARROZ EM BAIXAS TEMPERATURAS DOMINGOS SÁRVIO MAGALHÃES VALENTE 1 CRISTIANO MÁRCIO ALVES DE SOUZA 2 DANIEL MARÇAL DE QUEIROZ 3 RESUMO - Um programa computacional para simular

Leia mais

Renata M. Rodrigues 1 e Derval S. Rosa 1*

Renata M. Rodrigues 1 e Derval S. Rosa 1* EFEITOS DA PERMEABILIDADE À GASOLINA DE POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE (PEAD) SEM E COM FLUORETAÇÃO E BLENDA DE POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE/POLIAMIDA (PA), UTILIZADOS EM TANQUES DE COMBUSTÍVEL DE VEÍCULOS

Leia mais

INVESTIGAÇÃO DAS ARGAMASSAS ANTIGAS DE REVESTIMENTO DA REDUÇÃO JESUÍTICA GUARANI, SÃO MIGUEL ARCANJO, BRASIL

INVESTIGAÇÃO DAS ARGAMASSAS ANTIGAS DE REVESTIMENTO DA REDUÇÃO JESUÍTICA GUARANI, SÃO MIGUEL ARCANJO, BRASIL Tópico 3 - Nº 22 INVESTIGAÇÃO DAS ARGAMASSAS ANTIGAS DE REVESTIMENTO DA REDUÇÃO JESUÍTICA GUARANI, SÃO MIGUEL ARCANJO, BRASIL Paula N. Rodrigues (1,2); Geraldo Cechella Isaia (1); Márcio R. F. Soares (3)

Leia mais

FLUORESCÊNCIA DE RAIOS X: METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DE METAIS PRESENTES EM MEDICAMENTO

FLUORESCÊNCIA DE RAIOS X: METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DE METAIS PRESENTES EM MEDICAMENTO FLUORESCÊNCIA DE RAIOS X: METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DE METAIS PRESENTES EM MEDICAMENTO Assis, J.T., joaquim@iprj.uerj.br Friburgo, RJ, Brasil Carvalho, G.de, gilde@iprj.uerj.br; gil.carvalho@estacio.br

Leia mais

ANÁLISE DO TAMANHO DO CRISTALITO E MICRODEFORMAÇÃO DA REDE CRISTALINA DO CARBETO DE TUNGSTÊNIO MOÍDOS EM MOINHO DE ALTA ENERGIA.

ANÁLISE DO TAMANHO DO CRISTALITO E MICRODEFORMAÇÃO DA REDE CRISTALINA DO CARBETO DE TUNGSTÊNIO MOÍDOS EM MOINHO DE ALTA ENERGIA. ANÁLISE DO TAMANHO DO CRISTALITO E MICRODEFORMAÇÃO DA REDE CRISTALINA DO CARBETO DE TUNGSTÊNIO MOÍDOS EM MOINHO DE ALTA ENERGIA. F. T. da Silva 1,a. ; M. A. M. Nunes 1 ; R. M. V. de Oliveira 2 ; G. G.

Leia mais

Análise da dispersão do fluxo magnético em ensaios não destrutivos

Análise da dispersão do fluxo magnético em ensaios não destrutivos Análise da dispersão do fluxo magnético em ensaios não destrutivos Pedro Henrique Viveiros Maravilha* Resumo Este artigo tem como objetivo demonstrar a utilização de técnicas magnéticas em ensaios não

Leia mais

Escolas João de Araújo Correia

Escolas João de Araújo Correia Escolas João de Araújo Correia DEPARTAMENTO MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Disciplina Física e Química A QUÍMICA MÓDULO INICIAL MATERIAIS: DIVERSIDADE E CONSTITUIÇÃO 10º Ano de escolaridade 2014-2015

Leia mais

4.Materiais e métodos

4.Materiais e métodos 4.Materiais e métodos 4.1. Material em estudo O material em estudo, de procedência sueca (Sandvik), foi adquirido como chapa laminada a quente de 3mm de espessura, recebendo posteriormente tratamento térmico

Leia mais

ESTUDO DA CURA DE PREPREG DE RESINA EPOXÍDICA/FIBRA DE CARBONO POR MEIO DAS TÉCNICAS DSC E DMTA.

ESTUDO DA CURA DE PREPREG DE RESINA EPOXÍDICA/FIBRA DE CARBONO POR MEIO DAS TÉCNICAS DSC E DMTA. ESTUDO DA CURA DE PREPREG DE RESINA EPOXÍDICA/FIBRA DE CARBONO POR MEIO DAS TÉCNICAS DSC E DMTA. Vanesa C. G. M. Ferrari 1, Vera L. Lourenço 2, M. F. P. Azevedo 2, L. H. David 2 1 - Departamento de Engenharia

Leia mais