UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS COMPÓSITOS EM GRADES DE PLATAFORMAS MARITIMAS (2012) 1 OLIVEIRA, Patrícia, GARAY, André RESUMO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS COMPÓSITOS EM GRADES DE PLATAFORMAS MARITIMAS (2012) 1 OLIVEIRA, Patrícia, GARAY, André RESUMO"

Transcrição

1 UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS COMPÓSITOS EM GRADES DE PLATAFORMAS MARITIMAS (2012) 1 OLIVEIRA, Patrícia, GARAY, André 1 Trabalho de Pesquisa - UNIFRA 1 Curso de Engenharia Química do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil RESUMO Materiais compósitos são definidos como a combinação de dois ou mais materiais unidos em escala macroscópica para formar um material útil, exibindo propriedades que nenhum dos componentes exibe independentemente [1]. Diante disso, nota-se que as grades de plataformas marítimas são feitas de aço, ligas metálicas sendo esses mais pesados que os materiais convencionais, desse modo, esse trabalho sugere que a fabricação dessas grades seja feita de materiais compósitos, fibras de vidro/resina epóxi ou fibra de carbono. Esses apresentam boa resistência mecânica, resistência ao calor a umidade dentre outras características favoráveis a utilização desses. O processo sugerido para a fabricação dessas grades é a plutrusão, um processo continuo aonde as fibras vão sendo puxadas por rolos e cartéis e levadas a um tanque de resinas onde ocorre o direcionamento das fibras. Portanto, a utilização desses materiais na fabricação das grades das plataformas marítimas é viável economicamente e trará bons resultados. Palavras-chave: Materias compósitos, pultrusão, perfis metálicos. 1. INTRODUÇÃO Com a descoberta de reservas de petróleo nos campos de pré-sal que se encontram a seis mil metros de profundidade e na maioria com uma distancia aproximada de 250 km da costa, cada vez mais se busca soluções inovadoras na área de tecnologia, logística e transporte de gás e derivados. Diante disso, constatou-se um problema enfrentado pelas indústrias petrolíferas é que as grades de plataformas marítimas, hoje feitas de resina de poliéster reforçada com 20% de fibras de vidro, que segundo a Associação Brasileira de Materiais Compósitos (Abmaco), as estimativas de utilização de compósitos são bastante incipientes. A Petrobras utiliza essas grades, pois o custo de aquisição dessas no Brasil é menor e os requisitos de 1

2 desempenho são estabelecidos, e se comparados com os metais que são mais pesados torna-se uma boa alternativa. Tendo em vista isso e a necessidade de materiais que resistam a elevadas temperaturas, boa durabilidade e seja viável economicamente, que não sofram corrosão quando expostos a ambientes marítimos, busca-se materiais que atendam a essas necessidades, por isso, sugere-se que a fabricação dessas grades sejam feitas de compósitos poliméricos. A aplicação de materiais compósitos utilizados nas grades das plataformas marítimas torna-se de notória importância, já que eles apresentam as seguintes características: elevada razão (quociente) entre resistência e peso; boa estabilidade dimensional; amortecimento de vibrações; boa resistência ao calor, á umidade e á corrosão; boas propriedades de isolamento elétrico; facilidade de fabricação; custo relativamente baixo; grande inércia química. As características destes materiais trazem melhorias nas grades das plataformas marítimas da Petrobras, já que a empresa busca redução de custos, aprimoramento em segurança industrial para promover ganhos constantes em produtividade. Soma-se a isso que a utilização de grades de compósitos facilita a manutenção na linha e torna possível que um operário pise nessas grades sem causar dano a essas. Além de promover uma melhoria na infraestrutura das grades dos navios petroleiros da Petrobras, gerando uma maior rentabilidade e segurança a empresa, com a utilização desses compósitos e serem mais resistentes e mais leves que outros materiais utilizados. O processo utilizado para a produção dessas grades é chamado de pultrusão, é um modo de produção continua e o produto produzido por esse apresenta qualidades superiores aos outros materiais compósitos e apresenta altas taxas de produção. O processo inicia com as fibras sendo puxadas por rolos e cartéis que são puxadas para um tanque de resinas e são impregnadas a mistura e as fibras são direcionadas conforme o necessário. Depois o material passa por uma matriz aquecida, com o calor fornecido pela matriz ocorre uma reação exotérmica que resulta em uma cura de resina termofixa. Conforme mostrado na figura 1. O perfil sai do molde quente e é resfriado a temperatura ambiente (KERSTING, 2004). O plutrudado apresenta: - Uniformidade na secção de perfil; - Suportam carregamentos comparáveis e superiores a de perfis metálicos. 2

3 Figura 1. Processo da plutrusão. 2. METODOLOGIA Esse projeto foi construído através de uma pesquisa bibliográfica que segundo Gil (1994), realizado por meio de leitura de livros, artigos, revistas e materiais teóricos pesquisados. 3. RESULTADOS Para a fabricação das grades das plataformas marítimas, torna-se importante a busca de um material que tenha maior durabilidade, para não gerar prejuízos à empresa, que resista às condições em que são expostas a altas temperaturas e a alta umidade e salinidade do ambiente marítimo. Por isso a utilização de materiais compósitos para a fabricação dessas torna-se mais viável para empresa por apresentar características que preenchem a maioria dos requesitos 3

4 necessários para o desempenho da função das grandes no caso a segurança. Para a fabricação dessas grades o processo chamado pultrusão é o que apresenta qualidades superiores tanto porque o processo é continuo e traz uma maior uniformidade ao produto, o que torna esse apto a suportar o peso. A utilização de grades com qualidades superiores, no caso, as fabricadas com materiais compósitos traz maior segurança a empresa, fazendo com que reduzam os números de acidentes ou mortes no trabalho causado por quebras das grades, aumentando o conforto dos trabalhadores do local. A utilização de materiais de qualidade é imprescindível, já que casos em que as grades fabricadas em fibra de vidro e resina poliéster foram submetidas a uma determinada carga deformaram-se. Diante disso, constata-se analisando as características individuais dos materiais a fibra de vidro a resina epóxi e o reforço de fibra de carbono que eles apresentam uma boa resistência ao peso, resistência ao calor e a umidade, maior resistência ao impacto, entre outras características favoráveis a utilização desses e que se unidos esses materiais formarão um compósito que terá qualidades superiores às outros materiais e também terão um peso menor se comparado com ou aço, ou outros metais. 4. CONCLUSÕES Foram apresentadas características típicas dos materiais compósitos (fibra de vidro+resina poliéster) que se submetidas a altas temperaturas e ao ambiente salino, terão um bom desempenho se utilizadas nas grades das plataformas marítimas. Essa é uma alternativa viável economicamente, já que o material apresenta uma boa durabilidade, o que trará lucros a empresa e segurança aos trabalhadores do local. 5. BIBLIOGRAFIA [1] Woodhead LH. Handbook of Polymer Composites for Engineers. Cambridge: Publishing Limited; ALMEIDA, Diego Wolhers da Fonseca. Processamento, Gestão e Meio Ambiente na Indústria do Petróleo e Gás Natural Determinação da Difusividade Térmica de Materiais Compósitos Poliméricos. Projeto final de curso de Engenharia Química. Rio de Janeiro: FINDEP, APEZZATO, Fernanda; SONSIN, Glauco; LOBATO Giulio, BARTELGA, Gustavo. Ensaio de tração em compósitos: fibra de vidro/resina epóxi e fibra de carbono/resina epóxi. Relatório de Processamento de Compósitos. São Paulo: UNESP,

5 CUNHA, José, Antonio; COSTA, Michelle; REZENDE, Mirabel. Influencia de Diferentes Condições Higrotérmicas na Resistência á Tração de Compósitos de Fibra de Carbono/Epóxi Modificada. São Paulo. Revista Polímeros, n. 3., Imagem do processo de plutrusão (Figura 1). Disponível em Acesso em: 13 set FARIA, Maria; CIOFFI, Maria; BOTELHO, Edson. Análise do Efeito Higrotérmico no Comportamento em Fadiga de Compósitos de PPS/Fibras de Carbono. São Paulo: UNESP, HERTER, Felipe, Fogaça. Desempenho de Compósitos Tri-Componente Epóxi/Fibra de Vidro/Hidróxidos Duplos Lamelares. Porto Alegre: UFRGS, 2010, (Trabalho de diplomação em Engenharia dos Materiais). Faculdade Federal do Rio Grande do Sul, KERSTING, Daniel, Freitas. Avaliação de Resinas Epóxi para Fabricação de Materiais Compósitos pelo Processo de Plutrusão. Dissertação (mestrado em Engenharia das Minas, Metalúrgica e de Materiais), Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, LEBRÃO, Guilherme, WOLF. Fibra de Carbono: Caracterização de Tubo e Adesivo Utilizados em Tubulações de Plástico Reforçado com Fibras de Vidro Aplicados em Plataformas Marítimas. Revista Plásticos do Sul. vol. 18, MARINIER, Fernando; LETA, Fabiana. O Ensino de Corrosão e de Técnicas Anticorrosivas Compatíveis com o Meio Ambiente. Rio de Janeiro: Grupo de estudos sobre ensino tecnológico (GESET), NETO, Flamínio, Levy; PARDINI, Luiz, Claudio. Compósitos Estruturais Ciência e Tecnologia. Brasília: LTDA, PAGANO, Rogério, Luz. Modelagem, Simulação e Otimização de Processos Contínuos de Produção de Materiais Compósitos. Tese (Doutorado em Engenharia Química), Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, RIBEIRO, Vera; SARMENTO,Robson. Segundo congresso brasileiro de P&D em gás e petróleo: Aplicação de Royalties e qualidade de vida nos municípios da Zona de Produção Principal, Espírito Santo. Ed.2.,

AQUECEDOR SOLAR A VÁCUO

AQUECEDOR SOLAR A VÁCUO AQUECEDOR SOLAR A VÁCUO Aquecedor Solar a vácuo utiliza o que existe de mais avançado em tecnologia de aquecimento solar de água. Esse sistema de aquecimento utiliza a circulação natural da água, também

Leia mais

As diversas aplicações dos materiais termorrígidos: do barco e avião a componentes eletroeletrônicos

As diversas aplicações dos materiais termorrígidos: do barco e avião a componentes eletroeletrônicos Instituto de Macromoléculas: Excelência em Polímeros : do barco e avião a componentes eletroeletrônicos Laboratório de Misturas Poliméricas e Polímeros Condutores J112 Profª Bluma G Soares Shalimar Caplan,

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 PRODUÇÃO DE TELHA SEM AMIANTO USANDO FIBRAS DE COCO VERDE E CINZAS DE CANA-DE-AÇÚCAR. Ana Paula dos Santos Rodrigues¹; Daiene Lemes Pinto 2, Fernanda Luiza Mendonça Oliveira³, Guilherme Vitor Batista Correia

Leia mais

Perfil pultrudado. O avanço do compósito na construção civil. Antônio Euzébio Diretor de Engenharia antonioeuzebio@pultrusao.com.

Perfil pultrudado. O avanço do compósito na construção civil. Antônio Euzébio Diretor de Engenharia antonioeuzebio@pultrusao.com. Perfil pultrudado O avanço do compósito na construção civil Antônio Euzébio Diretor de Engenharia antonioeuzebio@pultrusao.com.br Empresa brasileira instalada no Sul de Santa Catarina; Atua no mercado

Leia mais

Figura 1- Fabricação de carrocerias de automóveis. Os aços microligados ao nióbio apresentam ótimas propriedades mecânicas e soldabilidade.

Figura 1- Fabricação de carrocerias de automóveis. Os aços microligados ao nióbio apresentam ótimas propriedades mecânicas e soldabilidade. HISTÓRIA DO NIÓBIO O nióbio foi descoberto na Inglaterra em 1801 por Charles Hatchett, que na época o denominou de colúmbio. Posteriormente, o químico alemão Heinrich Rose, pensando haver encontrado um

Leia mais

GRUPO DE ESTUDO DE TRANSFORMADORES, REATORES, MATERIAIS ETECNOLOGIAS EMERGENTES- GTM

GRUPO DE ESTUDO DE TRANSFORMADORES, REATORES, MATERIAIS ETECNOLOGIAS EMERGENTES- GTM XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 XXX.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE Grupo XIII GRUPO DE ESTUDO DE TRANSFORMADORES, REATORES, MATERIAIS ETECNOLOGIAS

Leia mais

POLÍMEROS TERMOPLÁSTICOS E TERMOFIXOS. Os polímeros podem ser classificados em termoplásticos e termofixos. TERMOPLÁSTICOS

POLÍMEROS TERMOPLÁSTICOS E TERMOFIXOS. Os polímeros podem ser classificados em termoplásticos e termofixos. TERMOPLÁSTICOS Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Teófilo Otoni - MG Prof a. Dr a. Flaviana Tavares Vieira Prof a. Dr a. Flaviana Tavares Vieira POLÍMEROS TERMOPLÁSTICOS

Leia mais

Apresentação. Conceito

Apresentação. Conceito Apresentação Apresentamos um novo conceito de Mercado para a Distribuição e Venda Direta de Produtos e Serviços para o Setor da Construção Civil; Com Ênfase em atender principalmente, construtoras, lojas

Leia mais

Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Departamento de Engenharia Elétrica mehl@ufpr.br

Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Departamento de Engenharia Elétrica mehl@ufpr.br Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Departamento de Engenharia Elétrica mehl@ufpr.br 1 Ciência e Tecnologia dos Materiais faz parte do núcleo de conteúdos básicos obrigatórios para todos os cursos de Engenharia

Leia mais

Emprego da Termografia na inspeção preditiva

Emprego da Termografia na inspeção preditiva Emprego da Termografia na inspeção preditiva Rafaela de Carvalho Menezes Medeiros* Resumo A prática de manutenção preditiva corresponde hoje a um meio eficaz de antever uma parada do equipamento por motivo

Leia mais

Escola Politécnica de Pernambuco Departamento de Ensino Básico PROGRAMA

Escola Politécnica de Pernambuco Departamento de Ensino Básico PROGRAMA PROGRAMA Disciplina: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA Código: MECN0039 Carga Horária Semestral: 45 HORAS Número de Créditos: TEÓRICOS: 00; PRÁTICOS: 03; TOTAL: 03 Pré-Requisito: MECN0004 CIÊNCIA DOS MATERIAIS

Leia mais

Sistema de aquecimento solar Bosch. Tecnologia de alta eficiência para aquecimento de água.

Sistema de aquecimento solar Bosch. Tecnologia de alta eficiência para aquecimento de água. Sistema de aquecimento solar Bosch. Tecnologia de alta eficiência para aquecimento de água. 2 Sistema Solar Bosch Aquecimento solar com a confiabilidade da marca Bosch O Grupo Bosch há mais de 100 anos

Leia mais

Potencial de Geração de Energia Utilizando Biomassa de Resíduos no Estado do Pará

Potencial de Geração de Energia Utilizando Biomassa de Resíduos no Estado do Pará 1 Potencial de Geração de Energia Utilizando Biomassa de Resíduos no Estado do Pará G. Pinheiro, CELPA e G. Rendeiro, UFPA Resumo - Este trabalho apresenta dados referentes ao potencial de geração de energia

Leia mais

1.1 Objetivo. 1.2 Considerações Iniciais

1.1 Objetivo. 1.2 Considerações Iniciais 1 Introdução 1.1 Objetivo O objetivo deste trabalho é avaliar o desempenho de um reparo em dutos, que utiliza multicamadas metálicas coladas; estudando seu comportamento e propondo modelos numéricos e

Leia mais

AÇOS ESTRUTURAIS. Fabio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 1

AÇOS ESTRUTURAIS. Fabio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 1 ESTRUTURAIS Fabio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 1 INTRODUÇÃO Dentre os materiais encontrados no nosso dia-a-dia, muitos são reconhecidos como sendo metais, embora, em quase sua totalidade, eles sejam,

Leia mais

Estudo das Propriedades Físico Mecânicas do Papel a ser submetido ao 4º EETCG- Encontro de Engenharia e Tecnologia dos Campos Gerais

Estudo das Propriedades Físico Mecânicas do Papel a ser submetido ao 4º EETCG- Encontro de Engenharia e Tecnologia dos Campos Gerais Estudo das Propriedades Físico Mecânicas do Papel a ser submetido ao 4º EETCG- Encontro de Engenharia e Tecnologia dos Campos Gerais Pâmila Thais Heitkoeter de Melo (FATEB Faculdade de Telêmaco Borba)

Leia mais

ESTUDO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE MATERIAIS UTILIZADOS COMO ESCUDO DE PROTEÇÃO DE DISPOSITIVOS AEROESPACIAIS

ESTUDO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE MATERIAIS UTILIZADOS COMO ESCUDO DE PROTEÇÃO DE DISPOSITIVOS AEROESPACIAIS ESTUDO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE MATERIAIS UTILIZADOS COMO ESCUDO DE PROTEÇÃO DE DISPOSITIVOS AEROESPACIAIS Luciana Ferreira Carvalho,*, Instituto Tecnológico de Aeronáutica, São José dos Campos, SP,

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE UTILIZANDO LIGANTE ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA

DOSAGEM DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE UTILIZANDO LIGANTE ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA DOSAGEM DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE UTILIZANDO LIGANTE ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA Jean Pier Vacheleski 1, Mauro Leandro Menegotto 2, RESUMO: Com o grande número de pneus descartados surge

Leia mais

O FORNO A VÁCUO TIPOS E TENDÊNCIA 1

O FORNO A VÁCUO TIPOS E TENDÊNCIA 1 O FORNO A VÁCUO TIPOS E TENDÊNCIA 1 João Carmo Vendramim 2 Marco Antonio Manz 3 Thomas Heiliger 4 RESUMO O tratamento térmico de ligas ferrosas de média e alta liga já utiliza há muitos anos a tecnologia

Leia mais

REINVENTAR MATERIAIS DE NÚCLEO SUSTENTÁVEIS

REINVENTAR MATERIAIS DE NÚCLEO SUSTENTÁVEIS REINVENTAR MATERIAIS DE NÚCLEO SUSTENTÁVEIS Reinventing how cork engages the world. ESTRUTURAS FORTES, SÓLIDAS, LEVES E DURADOURAS Descubra soluções inovadores de Materiais de Núcleo O conceito de utilizar

Leia mais

3.1. Esta especificação faz referência aos seguintes documentos:

3.1. Esta especificação faz referência aos seguintes documentos: 1/7 1. OBJETIVO: 1.1. Esta Especificação Técnica tem por objetivo definir as características e estabelecer os critérios para a fabricação e aceitação do Sistema para Cabeamento Interno Aparente em Ambiente

Leia mais

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível,

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível, TIJOLOS ECOLÓGICOS Casa construída com tijolos ecológicos Fonte: paoeecologia.wordpress.com TIJOLOS ECOLÓGICOS CARACTERÍSTICAS São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que

Leia mais

Dados Técnicos Set / 2010. 525 540 550FC 551 560 Mono componente/ -Sem mistura cura com umidade. x x x x x -Aplicação simples Fixa diferentes

Dados Técnicos Set / 2010. 525 540 550FC 551 560 Mono componente/ -Sem mistura cura com umidade. x x x x x -Aplicação simples Fixa diferentes Série 500 Selantes de Poliuretano: 3M TM Selante de PU 525 3M TM Selante de PU 540 3M TM Adesivo Selante de PU Cura Rápida 550 3M TM Adesivo Selante de PU 551 3M TM Adesivo Selante de PU 560 Dados Técnicos

Leia mais

3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D

3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D 3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D Com finalidade de avaliar alguns aspectos da metodologia BIM e algumas das ferramentas computacionais envolvidas, buscou-se um projeto de engenharia

Leia mais

TESTES DE VIDA EM FRESAMENTO COM REDUÇÃO DO NÚMERO DE FERRAMENTAS

TESTES DE VIDA EM FRESAMENTO COM REDUÇÃO DO NÚMERO DE FERRAMENTAS TESTES DE VIDA EM FRESAMENTO COM REDUÇÃO DO NÚMERO DE FERRAMENTAS André Richetti Jovani Panato Márcio Bacci da Silva Álisson Rocha Machado Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Engenharia Mecânica,

Leia mais

ANÁLISE DIMENSIONAL DE ESTRUTURA PARA SILOS EM PERFIS DIVERSOS

ANÁLISE DIMENSIONAL DE ESTRUTURA PARA SILOS EM PERFIS DIVERSOS ANÁLISE DIMENSIONAL DE ESTRUTURA PARA SILOS EM PERFIS DIVERSOS RESUMO Jorge Luíz Laureano; Marcio Vito UNESC- Universidade do Extremo Sul Catarinense Jorge.laureano@eliane.com ; marciovito@uol.com.br O

Leia mais

Tratamento de Superfície de Pisos de Concreto. Públio Penna Firme Rodrigues

Tratamento de Superfície de Pisos de Concreto. Públio Penna Firme Rodrigues Tratamento de Superfície de Pisos de Concreto Públio Penna Firme Rodrigues Públio Penna Firme Rodrigues Graduado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia Mauá, Mestre em Engenharia pela EPUSP (Escola

Leia mais

1 INTRODUÇÃO 1.1 HISTÓRIA DA REFRIGERAÇÃO UNIVERSAL

1 INTRODUÇÃO 1.1 HISTÓRIA DA REFRIGERAÇÃO UNIVERSAL 1 1 INTRODUÇÃO 1.1 HISTÓRIA DA REFRIGERAÇÃO UNIVERSAL O uso da refrigeração e do ar condicionado representou um dos mais importantes avanços da civilização moderna. A possibilidade de guardar e distribuir

Leia mais

Resinas Estervinílicas em Ambientes Agressivos. Fábio Gallani Pinto Assist. Técnico de Aplicação

Resinas Estervinílicas em Ambientes Agressivos. Fábio Gallani Pinto Assist. Técnico de Aplicação Resinas Estervinílicas em Ambientes Agressivos Fábio Gallani Pinto Assist. Técnico de Aplicação 10/11/2010 Sobre a Elekeiroz 116 anos; 2 Sites - Várzea Paulista/SP e Camaçari/BA; Produz: Álcoois, Plastificantes,

Leia mais

4 Materiais e Métodos

4 Materiais e Métodos 44 4 Materiais e Métodos Nesse capítulo estão apresentados os materiais e a metodologia de caracterização usada. Definido que o melhor material para fabricação da escova era o poliuretano derivado do óleo

Leia mais

Cortec VpCI 395. Para a limpeza das ferramentas utilizadas, basta lavar as ferramentas com água e sabão neutro.

Cortec VpCI 395. Para a limpeza das ferramentas utilizadas, basta lavar as ferramentas com água e sabão neutro. Cortec VpCI 395 Descrição do Produto VpCI 395 é um revestimento epóxi de alta performance, ele fornece proteção superior contra corrosão em ambientes com níveis agressivos de contaminantes como o marítimo

Leia mais

2 Depósito de acumulação estratificado SolvisStrato

2 Depósito de acumulação estratificado SolvisStrato 2 Depósito de acumulação estratificado SolvisStrato 2.1 Utilização e estrutura O depósito de acumulação estratificado SolvisStrato (figura à direita) foi concebido especificamente para instalações solares.

Leia mais

Pára-raios para aplicação em Subestações

Pára-raios para aplicação em Subestações V Pára-raios para aplicação em Subestações Atualmente quase todos os pára-raios adquiridos pelas empresas concessionárias de energia elétrica e grandes consumidores industriais para novos projetos de subestações,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA EM CONCRETOS PRODUZIDOS COM AGREGADOS LEVES DE ARGILA CALCINADA. Bruno Carlos de Santis 1. João Adriano Rossignolo 2

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA EM CONCRETOS PRODUZIDOS COM AGREGADOS LEVES DE ARGILA CALCINADA. Bruno Carlos de Santis 1. João Adriano Rossignolo 2 ENTECA 2013 IX Encontro Tecnológico da Engenharia Civil e Arquitetura 1 a 3 de outubro de 2013 AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA EM CONCRETOS PRODUZIDOS COM AGREGADOS LEVES DE ARGILA CALCINADA Bruno Carlos de Santis

Leia mais

UM SISTEMA WEB PARA GERÊNCIA DE CAMPEONATOS DE VOLEIBOL

UM SISTEMA WEB PARA GERÊNCIA DE CAMPEONATOS DE VOLEIBOL UM SISTEMA WEB PARA GERÊNCIA DE CAMPEONATOS DE VOLEIBOL Caroline Paião dos Santos 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Nova Andradina carol.ifms@gmail.com Claudio Zarate

Leia mais

TESTES REFERENTES A PARTE 1 DA APOSTILA FUNDAMENTOS DA CORROSÃO INDIQUE SE AS AFIRMAÇÕES A SEGUIR ESTÃO CERTAS OU ERRADAS

TESTES REFERENTES A PARTE 1 DA APOSTILA FUNDAMENTOS DA CORROSÃO INDIQUE SE AS AFIRMAÇÕES A SEGUIR ESTÃO CERTAS OU ERRADAS TESTES REFERENTES A PARTE 1 DA APOSTILA FUNDAMENTOS DA CORROSÃO INDIQUE SE AS AFIRMAÇÕES A SEGUIR ESTÃO CERTAS OU ERRADAS 1) Numa célula eletroquímica a solução tem que ser um eletrólito, mas os eletrodos

Leia mais

SOLUÇÕES EM COMPOSITES NA CONSTRUÇÃO CIVIL

SOLUÇÕES EM COMPOSITES NA CONSTRUÇÃO CIVIL SOLUÇÕES EM COMPOSITES NA CONSTRUÇÃO CIVIL BRAMPAC - SA Fundada em 1956, a Brampac é formada por um grupo de empresas com atuação comercial no Brasil e no exterior, nos segmentos químico, petroquímico

Leia mais

MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBOS

MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBOS MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBOS Ligações rosqueadas; Ligações soldadas; Ligações flangeadas; Ligações de ponta e bolsa; Outras Ligações: - Ligações de compressão; - Ligações patenteadas. 1 Fatores que influenciam

Leia mais

INDICADORES EM ENGENHARIA DE CONFIABILIDADE PARA A CADEIA PRODUTIVA DE GÁS NATURAL

INDICADORES EM ENGENHARIA DE CONFIABILIDADE PARA A CADEIA PRODUTIVA DE GÁS NATURAL INDICADORES EM ENGENHARIA DE CONFIABILIDADE PARA A CADEIA PRODUTIVA DE GÁS NATURAL Pedro Duarte Filho 1 José Marta Filho 2 Resumo O setor energético de gás natural vem crescendo rapidamente e tornando-se

Leia mais

Óleo Combustível. Informações Técnicas

Óleo Combustível. Informações Técnicas Informações Técnicas 1. Definição e composição... 3 2. Principais aplicações... 3 2.1. Sistemas de combustão de óleo combustível... 3 3. Tipos de óleos combustíveis... 4 4. Requisitos de qualidade e especificação...

Leia mais

2. Sistema de fôrmas plásticas para lajes

2. Sistema de fôrmas plásticas para lajes Sistema de fôrmas plásticas para lajes de concreto JOAQUIM ANTÔNIO CARACAS NOGUEIRA Diretor de Engenharia VALTER DE OLIVEIRA BASTOS FILHO Engenheiro Civil CARLOS ALBERTO IBIAPINA E SILVA FILHO Engenheiro

Leia mais

Revista Brasileira de Energias Renováveis INFLUÊNCIA DA TAXA DE REFLUXO NO PROCESSO DE DESTILAÇÃO PARA OBTENÇÃO DE ETANOL HIDRATADO¹

Revista Brasileira de Energias Renováveis INFLUÊNCIA DA TAXA DE REFLUXO NO PROCESSO DE DESTILAÇÃO PARA OBTENÇÃO DE ETANOL HIDRATADO¹ Revista Brasileira de Energias Renováveis INFLUÊNCIA DA TAXA DE REFLUXO NO PROCESSO DE DESTILAÇÃO PARA OBTENÇÃO DE ETANOL HIDRATADO¹ Lara Talita Schneider², Gabriela Bonassa³, Valdir Guerini 4, César Augusto

Leia mais

Discussão sobre os processos de goivagem e a utilização de suporte de solda

Discussão sobre os processos de goivagem e a utilização de suporte de solda Discussão sobre os processos de goivagem e a utilização de suporte de solda Liz F Castro Neto lfcastroneto@gmail.com Dênis de Almeida Costa denis.costa@fatec.sp.gov.br 1. Resumo Na soldagem de união, a

Leia mais

LINHA DE PRODUTOS. A solução em reparos e revestimentos na Manutenção Industrial

LINHA DE PRODUTOS. A solução em reparos e revestimentos na Manutenção Industrial LINHA DE PRODUTOS A solução em reparos e revestimentos na Manutenção Industrial Os produtos da Devcon são destinados à manutenção corretiva, preventiva e preditiva, executando reparos definitivos (solda

Leia mais

Água na sua melhor forma.

Água na sua melhor forma. Acumuladores térmicos ROTEX Água na sua melhor forma. O acumulador térmico de alto desempenho ROTEX proporciona a máxima higiene da água doméstica e a mais elevada conveniência da água de serviço. "Quando

Leia mais

DIVISÓRIAS SANITÁRIAS

DIVISÓRIAS SANITÁRIAS DIVISÓRIAS SANITÁRIAS As divisórias sanitárias Pertech não são apenas um conjunto estético e resistente de portas e painéis, mas principalmente, um sistema que fixa, suporta e articula estas peças verticais

Leia mais

Tecnologia Audi Space Frame

Tecnologia Audi Space Frame + Entrevista: Alumínio é tendência global + Tendência: Consumo contingenciado + Transporte: Ônibus do futuro + Na linha de montagem: GM sai na frente + Tecnologia: Audi space frame Tecnologia Audi Space

Leia mais

1 Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste UEZO, Rio de Janeiro RJ; florenciogomes@uezo.rj.gov.br

1 Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste UEZO, Rio de Janeiro RJ; florenciogomes@uezo.rj.gov.br OBTENÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE COMPÓSITOS DE VERNIZ POLIÉSTER COM VERMICULITA ORGANOFÍLICA Bruno S. Andrade 1 (M), Elaine V. D. G. Líbano 1, Florêncio G. de Ramos Filho 1 *. 1 Fundação Centro Universitário

Leia mais

Quando tratamos das propriedades de um material transformado, segundo muitos pesquisadores, estas dependem de uma reciclagem bem sucedida. Para que isto ocorra, os flocos de PET deverão satisfazer determinados

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo Curso Técnico em Eletrotécnico. Cayo César Lopes Pisa Pinto. Usinas Termelétricas

Centro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo Curso Técnico em Eletrotécnico. Cayo César Lopes Pisa Pinto. Usinas Termelétricas Centro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo Curso Técnico em Eletrotécnico Cayo César Lopes Pisa Pinto Usinas Termelétricas Vitória 2008 Usinas Termelétricas Trabalho Apresentado à disciplina

Leia mais

ANÁLISE DE DEMPENHO DE UM AQUECEDOR SOLAR DE BAIXO CUSTO: RESERVATÓRIO TÉRMICO ALTERNATIVO

ANÁLISE DE DEMPENHO DE UM AQUECEDOR SOLAR DE BAIXO CUSTO: RESERVATÓRIO TÉRMICO ALTERNATIVO ANÁLISE DE DEMPENHO DE UM AQUECEDOR SOLAR DE BAIXO CUSTO: RESERVATÓRIO TÉRMICO ALTERNATIVO Danilo Rezende Bortoletto Faculdade de Engenharia Civil CEATEC danilo.rb@puccampinas.edu.br Claudia Cotrim Pezzuto

Leia mais

ANALISE DA CONCENTRAÇÃO DE CLORO ATIVO EM ÁGUAS SANITÁRIAS COMERCIALIZADAS EM PARÁ DE MINAS SUBMETIDAS A DIFERENTES FORMAS DE ARMAZENAMENTO.

ANALISE DA CONCENTRAÇÃO DE CLORO ATIVO EM ÁGUAS SANITÁRIAS COMERCIALIZADAS EM PARÁ DE MINAS SUBMETIDAS A DIFERENTES FORMAS DE ARMAZENAMENTO. SynThesis Revista Digital FAPAM, Pará de Minas, v.2, n.2, 120-126, nov. 2010 ISSN 2177-823X 120 ANALISE DA CONCENTRAÇÃO DE CLORO ATIVO EM ÁGUAS SANITÁRIAS COMERCIALIZADAS EM PARÁ DE MINAS SUBMETIDAS A

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE I CÁLCULO DE VOLUMES DE RESERVA

PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE I CÁLCULO DE VOLUMES DE RESERVA PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE I CÁLCULO DE VOLUMES DE RESERVA ESTIMATIVAS DE RESERVAS O conhecimento da quantidade de fluido existente em uma jazida de petróleo, ou mais especificamente, da quantidade

Leia mais

Bombas de Calor Geotérmicas

Bombas de Calor Geotérmicas Bombas de Calor Geotérmicas Futuro A crescente subida dos preços dos combustíveis fósseis (gás e gasóleo) levou a CHAMA a procurar alternativas aos sistemas tradicionais de aquecimento. Alternativas que

Leia mais

A líder mundial em materiais avançados

A líder mundial em materiais avançados Esta é a Outokumpu 02 A líder mundial em materiais avançados Hoje, nossas cidades estão ficando maiores, as pessoas estão viajando mais e o crescimento populacional está impondo pesadas demandas às nossas

Leia mais

EFICIÊNCIA HÍDRICA. Relatório de experiência realizada no Colégio xxxxxxxxx de Campo de Ourique. Experiência de 13/09 a 09/11 de 2010

EFICIÊNCIA HÍDRICA. Relatório de experiência realizada no Colégio xxxxxxxxx de Campo de Ourique. Experiência de 13/09 a 09/11 de 2010 EFICIÊNCIA HÍDRICA Relatório de experiência realizada no Colégio xxxxxxxxx de Campo de Ourique Experiência de 13/09 a 09/11 de 2010 Novembro de 2010 1. Introdução A água é um bem essencial à vida e indispensável

Leia mais

NOTA CEMEC 07/2015 FATORES DA DECISÃO DE INVESTIR DAS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS UM MODELO SIMPLES

NOTA CEMEC 07/2015 FATORES DA DECISÃO DE INVESTIR DAS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS UM MODELO SIMPLES NOTA CEMEC 07/2015 FATORES DA DECISÃO DE INVESTIR DAS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS UM MODELO SIMPLES Setembro de 2015 O CEMEC não se responsabiliza pelo uso dessas informações para tomada de decisões de compra

Leia mais

Diretrizes de desempenho para produtos de impermeabilização

Diretrizes de desempenho para produtos de impermeabilização Diretrizes de desempenho para produtos de impermeabilização Primeiro autor (Maria Amélia Silveira); Segundo autor (José Eduardo Granato). (1) Viapol, amelia@vqs.com.br (2) Viapol, granato@viapol.com.br

Leia mais

3 Transdutores de temperatura

3 Transdutores de temperatura 3 Transdutores de temperatura Segundo o Vocabulário Internacional de Metrologia (VIM 2008), sensores são elementos de sistemas de medição que são diretamente afetados por um fenômeno, corpo ou substância

Leia mais

Características do papel. Escolhendo formulários préimpressos

Características do papel. Escolhendo formulários préimpressos A qualidade de impressão e a confiabilidade da alimentação da impressora e dos opcionais podem variar de acordo com o tipo e tamanho da mídia de impressão utilizada. Esta seção fornece diretrizes para

Leia mais

COMPARATIVO LABORATORIAL DE MISTURAS ASFÁLTICAS MOLDADAS NO CENTRO E LIMITES DAS FAIXAS B E C DO DNIT 1

COMPARATIVO LABORATORIAL DE MISTURAS ASFÁLTICAS MOLDADAS NO CENTRO E LIMITES DAS FAIXAS B E C DO DNIT 1 COMPARATIVO LABORATORIAL DE MISTURAS ASFÁLTICAS MOLDADAS NO CENTRO E LIMITES DAS FAIXAS B E C DO DNIT 1 Janaína Terhorst Pizutti 2, José Antônio Santana Echeverria 3, João Paulo Avrella 4, Ricardo Zardin

Leia mais

EU EXIJO MAIS DOS MEUS AÇOS PARA O TRANSPORTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA RUUKKI. A NOVA DEFINIÇÃO PARA PREMIUM. SOLUÇÕES PARA O TRANSPORTE

EU EXIJO MAIS DOS MEUS AÇOS PARA O TRANSPORTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA RUUKKI. A NOVA DEFINIÇÃO PARA PREMIUM. SOLUÇÕES PARA O TRANSPORTE www.ruukki.com.br SOLUÇÕES PARA O TRANSPORTE EU EXIJO MAIS DOS MEUS AÇOS PARA O TRANSPORTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA AO DESGASTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA MECÂNICA AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA RUUKKI. A NOVA

Leia mais

INSPEÇÃO DE ESTRUTURAS SOLDADAS POR MEIO DE ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS: LIQUIDOS PENETRANTES E PARTICULAS MAGNETICAS

INSPEÇÃO DE ESTRUTURAS SOLDADAS POR MEIO DE ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS: LIQUIDOS PENETRANTES E PARTICULAS MAGNETICAS INSPEÇÃO DE ESTRUTURAS SOLDADAS POR MEIO DE ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS: LIQUIDOS PENETRANTES E PARTICULAS MAGNETICAS Daniel Machado da Costa¹; Eduardo José dos Santos Filho²; Lucas Aguiar da Silva³; Pablo

Leia mais

ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS E TÉRMICAS DE TIJOLOS SOLO-CIMENTO COM E SEM ADIÇÃO DO PÓ DA FIBRA DE COCO.

ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS E TÉRMICAS DE TIJOLOS SOLO-CIMENTO COM E SEM ADIÇÃO DO PÓ DA FIBRA DE COCO. ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS E TÉRMICAS DE TIJOLOS SOLO-CIMENTO COM E SEM ADIÇÃO DO PÓ DA FIBRA DE COCO. Luiz Cláudio Ferreira da Silva José Ubiragí de Lima Mendes Rasiah Ladchumananandasivam Universidade

Leia mais

Utilização de um rejeito de mineração como alternativa para estabilização de um solo tropical da região Centro-oeste

Utilização de um rejeito de mineração como alternativa para estabilização de um solo tropical da região Centro-oeste Utilização de um rejeito de mineração como alternativa para estabilização de um solo tropical da região Centro-oeste Leonardo Santos Gratão Bolsista PIBIC, Departamento de Engenharia Civil e Ambiental

Leia mais

Histórico. Controle Estatístico de Processo

Histórico. Controle Estatístico de Processo Histórico O CEP se destacou como ferramenta poderosa após ter sido intensamente utilizada pelo Japão após a Segunda Guerra Mundial. Após a recuperação deste país, através da obtenção de processos produtivos

Leia mais

Descrição, análise e sugestão de melhorias do processo produtivo de uma empresa do seguimento de bebidas

Descrição, análise e sugestão de melhorias do processo produtivo de uma empresa do seguimento de bebidas Descrição, análise e sugestão de melhorias do processo produtivo de uma empresa do seguimento de bebidas Nathan José Mota Garcia (1) ; Rosiane Gonçalves dos Santos (1) ; Carlos Roberto de Sousa Costa (2)

Leia mais

Princípios e métodos de esterilização

Princípios e métodos de esterilização Princípios e métodos de esterilização FUNDAMENTOS DE ESTERILIZAÇÃO Bactérias (forma vegetativa ou esporulada) São os menores organismos vivos; Existem em maior número; São as maiores responsáveis pelos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL! Construção Civil II 1 0 Semestre de 2015 Professoras Heloisa Campos e Elaine Souza

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL! Construção Civil II 1 0 Semestre de 2015 Professoras Heloisa Campos e Elaine Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL Construção Civil II 1 0 Semestre de 2015 Professoras Heloisa Campos e Elaine Souza EXERCÍCIO IMPERMEABILIZAÇÃO A seguir está modificado um

Leia mais

USO DA INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA NO TRATAMENTO TÉRMICO DE FERRAMENTAS DE PENETRAÇÃO DE SOLOS: AUMENTO DO DESEMPENHO OPERACIONAL E DA DE DURABILIDADE

USO DA INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA NO TRATAMENTO TÉRMICO DE FERRAMENTAS DE PENETRAÇÃO DE SOLOS: AUMENTO DO DESEMPENHO OPERACIONAL E DA DE DURABILIDADE USO DA INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA NO TRATAMENTO TÉRMICO DE FERRAMENTAS DE PENETRAÇÃO DE SOLOS: AUMENTO DO DESEMPENHO OPERACIONAL E DA DE DURABILIDADE Ramos, Daniela Magalhães 1 Ferreira, Carlos Roberto 2

Leia mais

Soluções em energia. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: Iluminação LED

Soluções em energia. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: Iluminação LED Soluções em energia EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: Iluminação LED ENERGIA Insumo fundamental para garantir o desenvolvimento econômico e social do país ENERGIA ÓLEO COMBUSTÍVEL GÁS NATURAL GLP BIOMASSA ELÉTRICA

Leia mais

Bancada de visualização de escoamentos: maquetes

Bancada de visualização de escoamentos: maquetes MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA Bancada de visualização de escoamentos: maquetes RELATÓRIO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

MEDIÇÃO DE TEMPERATURA

MEDIÇÃO DE TEMPERATURA MEDIÇÃO DE TEMPERATURA 1 INTRODUÇÃO Temperatura é sem dúvida a variável mais importante nos processos industriais, e sua medição e controle, embora difíceis, são vitais para a qualidade do produto e a

Leia mais

REINVENTAMOS SOLUÇÕES PARA O SETOR DA ENERGIA

REINVENTAMOS SOLUÇÕES PARA O SETOR DA ENERGIA REINVENTAMOS SOLUÇÕES PARA O SETOR DA ENERGIA Reinventing how cork engages the world. MÚLTIPLAS SOLUÇÕES PARA O SETOR DA ENERGIA. SELAGEM, CONTROLO DE RUÍDO E VIBRAÇÃO Setor da Transmissão e Distribuição

Leia mais

Plano de Negócios 2011-2015

Plano de Negócios 2011-2015 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Plano de Negócios 2011-2015 Rio de Janeiro, 22 de julho de 2011 Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras comunica que seu Conselho de Administração

Leia mais

Estudo da Viabilidade Técnica e Econômica do Calcário Britado na Substituição Parcial do Agregado Miúdo para Produção de Argamassas de Cimento

Estudo da Viabilidade Técnica e Econômica do Calcário Britado na Substituição Parcial do Agregado Miúdo para Produção de Argamassas de Cimento Estudo da Viabilidade Técnica e Econômica do Calcário Britado na Substituição Parcial do Agregado Miúdo para Produção de Argamassas de Cimento Rodrigo Cézar Kanning rckanning@yahoo.com.br Universidade

Leia mais

COLEÇÃO 100% 18% 51% Reciclável Conteúdo Reciclado. Natural

COLEÇÃO 100% 18% 51% Reciclável Conteúdo Reciclado. Natural COLEÇÃO 51% Natural 100% 18% Reciclável Conteúdo Reciclado 3683032 3683033 3675040 3675044 COLEÇÃO SET 24025672 24025673 24025674 24024001 24024002 Base antiderrapante presente em todas as cores da coleção

Leia mais

Propriedades Térmicas

Propriedades Térmicas Propriedades Térmicas Quais os pontos principais no estudo de propriedades térmicas? Como o material responde ao calor? Como definir... - Capacidade Calorífica - Expansão Térmica - Condutividade Térmica

Leia mais

Steel frame - fechamento (parte 3)

Steel frame - fechamento (parte 3) Página 1 de 6 Steel frame - fechamento (parte 3) Hotel Villa Rossa, fechamento em steel frame No segundo artigo desta série sobre steel frame, abordamos a estrutura da edificação. Nela são aplicadas as

Leia mais

SISTEMAS DE ANCORAGENS QUÍMICAS

SISTEMAS DE ANCORAGENS QUÍMICAS SISTEMAS DE ANCORAGENS QUÍMICAS HARDINC VI 1101 PREMIUM Ø 3/8 - Ø 1.1/4 CONFIANÇA ALTA PERFORMANCE HARDINC VI 1101 é um adesivo estrutural bicomponente injetável e base viniléster de alta performance com

Leia mais

Os tratamentos termoquímicos. micos

Os tratamentos termoquímicos. micos Os tratamentos termoquímicos micos Os tratamentos termoquímicos micos Turma 6821 Arthur Galvão, Fábio F Borges, Israel Lima e Vitor Alex Tratamentos Termoquímicos? micos? são os tratamentos que visam o

Leia mais

Departamento de Tecnologia de Polímeros Faculdade de Engenharia Química, UNICAMP

Departamento de Tecnologia de Polímeros Faculdade de Engenharia Química, UNICAMP &203257$0(1720(&Æ1,&2'(&203Ï6,7265()25d$'26&20),%5$ 3$12;(32/3$'($5$0,'$(00$7(5,$,6'($75,72 (QJ=DLGD-RYD$JXLOD0VF 3URI'U(GLVRQ%LWWHQFRXUW Departamento de Tecnologia de Polímeros Faculdade de Engenharia

Leia mais

AULA 11 FORMAÇÃO, TIPOS E GEOMETRIAS DE CAVACO

AULA 11 FORMAÇÃO, TIPOS E GEOMETRIAS DE CAVACO AULA 11 FORMAÇÃO, TIPOS E GEOMETRIAS DE CAVACO 83 11. VARIÁVEIS DEPENDENTES DE SAÍDA: FORMAÇÃO, TIPOS E GEOMETRIAS DE CAVACO. 11.1. Generalidades Nas operações de usinagem que utilizam corte contínuo

Leia mais

Placas vinílicas autoportantes de alta qualidade

Placas vinílicas autoportantes de alta qualidade Especificações técnicas Flex design preenche os requisitos da normas ISO 10582 e EN 649. criando ambientes melhores design Placas vinílicas autoportantes de alta qualidade Flex Design é uma coleção de

Leia mais

1. Propriedades do Polietileno

1. Propriedades do Polietileno Utilizamos o material em pó devido ao fato de os plásticos, desta forma, apresentarem características semelhantes às dos líquidos, sendo de fácil conformação em quaisquer superfícies. 1.1) Propriedades

Leia mais

Projeto e Construção de Usina Didática para Produção de Biodiesel

Projeto e Construção de Usina Didática para Produção de Biodiesel Projeto e Construção de Usina Didática para Produção de Biodiesel Brasil, Alex Nogueira a, Loregian, Henrique Bernardes a, Nunes, Diego Luiz b a ENERBIO, Grupo de Pesquisa em Energias Renováveis, Universidade

Leia mais

CONCRETOS ESPECIAIS MCC2001 AULA 7 (parte 1)

CONCRETOS ESPECIAIS MCC2001 AULA 7 (parte 1) CONCRETOS ESPECIAIS MCC2001 AULA 7 (parte 1) Disciplina: Materiais de Construção II Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2015 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil

Leia mais

PROGRAMA DE QUÍMICA 11ª Classe. Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário

PROGRAMA DE QUÍMICA 11ª Classe. Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário PROGRAMA DE QUÍMICA 11ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Química - 11ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário EDITORA:

Leia mais

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO Profº Joel Filho Introdução: Impermeabilização NBR 9575/2003 - Elaboração de Projetos de Impermeabilização Item 6 Projeto 6.1. Elaboração e responsabilidade técnica

Leia mais

PAINEIS SOLARES MEGASUN

PAINEIS SOLARES MEGASUN PAINEIS SOLARES MEGASUN Há mais de uma década a actuar no sector do aquecimento doméstico, a Jaqueciprolar é importador e representante dos Painéis Solares MEGASUN. A MEGASUN é um conceituado fabricante

Leia mais

Resultados do teste com o ônibus elétrico na cidade do Rio de Janeiro.

Resultados do teste com o ônibus elétrico na cidade do Rio de Janeiro. Resultados do teste com o ônibus elétrico na cidade do Rio de Janeiro. Guilherme Wilson 1 ; Sérgio Peixoto dos Santos 2 ; Taisa Calvette 3 ; Richele Cabral 4 ; Christiane Chafim 5 ; Giselle Ribeiro 6 ;

Leia mais

Processo de Forjamento

Processo de Forjamento Processo de Forjamento Histórico A conformação foi o primeiro método para a obtenção de formas úteis. Fabricação artesanal de espadas por martelamento (forjamento). Histórico Observava-se que as lâminas

Leia mais

Indústrias dé Processos Químicos

Indústrias dé Processos Químicos Indústrias dé Processos Químicos A Thermal Ceramics, uma força mundial no gerenciamento de calor, fornece soluções inovadoras e projetadas para a redução do consumo de energia e dos custos de manutenção

Leia mais

GERAÇÃO DE LIXIVIADOS NA CÉLULA EXPERIMENTAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA MURIBECA-PE

GERAÇÃO DE LIXIVIADOS NA CÉLULA EXPERIMENTAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA MURIBECA-PE GERAÇÃO DE LIXIVIADOS NA CÉLULA EXPERIMENTAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA MURIBECA-PE Laís Roberta Galdino de Oliveira (1) Graduada em Engenharia Agrícola e Ambiental pela Universidade Federal Rural

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ESTUDO DA POTENCIALIDADE DA UTILIZAÇÃO DA MISTURA DE CINZA DE BAGAÇO DE CANA DE AÇÚCAR E RESÍDUOS DE PNEUS NA CONFECÇÃO DE CONCRETOS E PAVERS PARA PAVIMENTAÇÃO

Leia mais

Tabela 1 Matriz Curricular disciplinas do 1º ao 4º período.

Tabela 1 Matriz Curricular disciplinas do 1º ao 4º período. Tabela 1 Matriz Curricular disciplinas do 1º ao 4º período. Período MEC001 Introdução à Engenharia Mecânica 2 30 30 MEC002 Cálculo I 6 90 90 MEC003 Geometria Analítica 1º MEC004 Química Geral e Experimental

Leia mais

LANÇAMENTO VALORIZE SEU MOMENTO DE LAZER. AQUECIMENTO DE ÁGUA. O novo grau de conforto. LINHA BOMBA DE CALOR PARA PISCINA

LANÇAMENTO VALORIZE SEU MOMENTO DE LAZER. AQUECIMENTO DE ÁGUA. O novo grau de conforto. LINHA BOMBA DE CALOR PARA PISCINA LANÇAMENTO VALORIZE SEU MOMENTO DE LAZER. AQUECIMENTO DE ÁGUA LINHA BOMBA DE CALOR PARA PISCINA O novo grau de conforto. EFICIÊNCIA COMPROVADA, SATISFAÇÃO GARANTIDA. EFICIÊNCIA Ventilador com alta efi

Leia mais

Empresa. Jera Sistemas Poliméricos é marca fantasia registrada pela CERTAS COM. IND. DE TINTAS LTDA.

Empresa. Jera Sistemas Poliméricos é marca fantasia registrada pela CERTAS COM. IND. DE TINTAS LTDA. Empresa A Jera Sistemas Poliméricos é uma empresa brasileira, voltada a atender as solicitações do mercado de tintas e revestimentos anticorrosivos, de alto desempenho, para as indústrias de petróleo e

Leia mais

classe F400 TORRE DE RESFRIAMENTO DE CONTRACORRENTE

classe F400 TORRE DE RESFRIAMENTO DE CONTRACORRENTE classe F400 TORRE DE RESFRIAMENTO DE CONTRACORRENTE D e s i g n c o m p r o v a d o M a t e r i a i s e s t r u t u r a i s a p r i m o r a d o s I n t e g r i d a d e d e p r o j e t o A torre de resfriamento

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE BAIXO CUSTO PARA O AQUECIMENTO RESIDENCIAL DE ÁGUA

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE BAIXO CUSTO PARA O AQUECIMENTO RESIDENCIAL DE ÁGUA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE BAIXO CUSTO PARA O AQUECIMENTO RESIDENCIAL DE ÁGUA Julia Santos da Silva 1 Bruno Augusto da Silva 2 Rodrigo Itaboray Frade 3 Resumo A utilização da energia solar para aquecer

Leia mais