Congresso EcoGerma 2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Congresso EcoGerma 2011"

Transcrição

1 Congresso EcoGerma 2011 Veículos Comeciais de Baixo Carbono para Aplicações Urbanas Soluções para Mercados Emergentes Painel 6 Mobilidade Urbana de Baixo Carbono São Paulo, 01 de Julho de 2011 Gian Gomes Marques, M.Sc. Especialista do Produto MAN Latin America MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

2 Agenda 1 Mega Tendências Globais & Subtendências Relativas ao Transporte 2 Indústria de Veículos Comercias Demandas por Sustentabilidade 3 Novos Propulsores & Combustíveis Alternativos 4 Oportunidades para o Brasil Visão da MAN Latin America 5 Experiências Internacionais da MAN Truck & Bus MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

3 Mega Tendência Global Criação de Grandes Centros Urbanos Aumento da população mundial entre 2009 e 2050 em 2,3 bilhões de pessoas (de 6,8 para 9,1 bilhões de habitantes) A população mundial nas cidades crescerá 85% de 2009 para 2050 (de 3,4 para 6,3 bilhões) em particular em cidades com menos do que habitantes Processo mais intenso em países emergentes As cidades terão que gerenciar este desbalanço na medida que a população das zonas rurais vai diminuir Desde 2009 mais de metade da população mundial reside em cidades Fonte: UNO. World Urbanization Prospect, 2009 MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

4 Mega Tendência Global Principais Grande Centros Urbanos Mundiais Em 2009, em todo o mundo, uma em cada 20 pessoas vivem em cidades com mais de 20 milhões de habitandes Fonte: UNO. World Urbanization Prospect, 2009 MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

5 Mega Tendência Global A Inclusão da Mudança Climática na Agenda Mundial Mudança da percepção da mudança climática e aquecimento global como problemas globais Energia nuclear em cheque em decorrência a síndrome pós Fukushima? Alguns objetivos globais do clima: Criação de um fundo global para combate à Mudança Climática A temperatura média da superfície da Terra não pode ultrapassar de 2 C até 2050 (450 ppm) Continuidade do Protocolo de Kyoto após 2012? Fonte: Adaptado de MAN Corporate Responsability Report, 2010 Responsability With Our Future MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

6 Mega Tendência Global Principias Setores Emissores de CO 2 Fonte: IPCC. Fourth Assessment Report, WG III, World Business Council for Sustainable Development, 2004 MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

7 Subtendências Relativas ao Transporte Aumento Crescente dos Custos de Energia Diesel (Alemanha) Barril do Petróleo No Brasil, o preço dos derivados do petróleo são controlados pelo Governo Federal o que dificulta a introdução de alternativas MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

8 Redução de 97% das Emissões de MP MP [g/kwh] Subtendências Relativas ao Transporte Redução das Emissões Locais por Força Legal Redução de 85% das Emissões de NOx (?) 2012 NOx [g/kwh] Fonte: MAN Alternative Drive Systems for Transport, 2010 MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

9 Agenda 1 Mega Tendências Globais & Subtendências Relativas ao Transporte 2 Indústria de Veículos Comercias Demandas por Sustentabilidade 3 Novos Propulsores & Combustíveis Alternativos 4 Oportunidades para o Brasil Visão da MAN Latin America 5 Experiências Internacionais da MAN Truck & Bus MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

10 Indústria de Veículos Comerciais Demandas por sustentabilidade Redução no consumo de combustível Tecnologia focada nas necessidades do cliente Redução dos gases de efeito estufa (CO 2 ) Redução das emissões (escape e ruído) Melhoria da eficiência do sistema de Transporte (ex: BRT) Melhoria da compatibilidade ambiental dos produtos (ex: Análise Ciclo Vida) Substituição dos combustíveis fósseis Fonte: Maeirhofer, Bernd. Adaptado de MAN Alternative Drive Systems for Transport, 2010 MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

11 Poluentes Globais Considerações sobre Emissões de CO 2 Fonte: MAN Alternative Drive Systems for Transport, 2010 MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

12 Poluentes Globais (CO 2 ) O Próximo Movimento da Indústria Mundial Como vencer este desafio? Aumentando a eficiência do transporte/veículos Transporte: BRT, Aumento PBTC, Gerenciamento da Mobilidade Veículos: Start/Stop, Híbridos e Elétricos Motores: HCCI, Heat Recovery Energy Waste, etc. Combustíveis menos intensivos em carbono ou renováveis Gás Natural (ainda é fóssil!) Biocombustíveis (etanol, biodiesel, diesel de cana, biogás, etc.) MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

13 Agenda 1 Mega Tendências Globais & Subtendências Relativas ao Transporte 2 Indústria de Veículos Comercias Demandas por Sustentabilidade 3 Novos Propulsores & Combustíveis Alternativos 4 Oportunidades para o Brasil Visão da MAN Latin America 5 Experiências Internacionais da MAN Truck & Bus MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

14 Rotas Tecnológicas Existentes Possibilidades para Propulsores & Combustíveis Matéria-prima fontes de energia Propulsão fóssil petróleo carvão Urânio gás natural renovável vento água solar geotermia biomassa eletricidade combustíveis gasolina/diesel Biogás células combustíveis Bateria/ E-motor Trações convencionais (MCI) CTL (Coal to Liquids) Processo de conversão de carvão mineral em combustível sintético líquido GTL (Gas to Liquids) Processo de conversão fa gás natural em combustíveis sintético líquido BTL (Biomass to Liquids) Processo de conversão termoquímico de biomassa em combustível sintético líquido Obs: Os combustíveis sintéticos são denominados de 2ª geração e possuem excelente qualidade MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

15 Impactos ambientais Temperatura de funcionamento limitadas Um único fabricante Necessidade de um ótimo controle de tensão Chumbo-ácido Níquel-Metal Hidreto (Ni-MH) "Zebra" Cloreto de sódio níquel Íon de lítio (Li-ion) Armazenagem Eletroquímica Principais Características e Limitações Tipo Bateria Chumbo ácido Densidade energética (Wh/kg) Custo ($/kwh) <1000 Durabilidade (ciclos) Tempo de recarga h h 10-12h 3-6h Bateria Ni-MH Temperatura de funcionamento ( C) -20 a a a +50 Sem limite -20 a +60 Comentário Bateria Íon de lítio Fonte: Challenge Bibendum 2010 Rio de Janeiro Edition MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

16 Armazenagem Eletroquímica Reservas e Recursos Globais de Lítio Recursos fontes ainda não economicamente exploráveis Reservas fontes já economicamente exploráveis Fonte: Institute for Energy and Environmental Research Heidelberg, 2008 MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

17 Armazenagem de Energia Principais Dispositivos Existentes Fonte: Bosch Rexroth, 2009 MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

18 Agenda 1 Mega Tendências Globais & Subtendências Relativas ao Transporte 2 Indústria de Veículos Comercias Demandas por Sustentabilidade 3 Novos Propulsores & Combustíveis Alternativos 4 Oportunidades para o Brasil Visão da MAN Latin America 5 Experiências Internacionais da MAN Truck & Bus MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

19 Utilização de Biocombustíveis Principais Iniciativas com Biodiesel B0 B5 TESTES PARA VALIDAÇÃO B5 GOVERNO BRASILEIRO NÃO TEM PREVISÃO PARA INTRODUÇÃO PESQUISAS PARA USO B20 B20 GOVERNO BRASILEIRO NÃO TEM PREVISÃO PARA INTRODUÇÃO PESQUISAS PARA USO B100 B100 VEÍCULOS ORIGINAIS VEÍCULOS MODIFICADOS MAN LATIN AMERICA JÁ LIBERA A MISTURA B5 PARA TODA SUA LINHA DE PRODUTOS DESDE JUNHO 2008 DUPLO COMBUSTÍVEL (DIESEL / B100) SISTEMA DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO PARA INJEÇÃO DE BIODIESEL PURO (B100) AUTORIZADO PELO GOVERNO BRASILEIRO EM 2010 MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

20 Utilização de Biocombustíveis Case do Mc Donald s (Frota Martin Brower) Fonte: MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

21 Utilização de Biocombustíveis Tecnologia Duplo Combustível B100 MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

22 Utilização de Gás Natural Lançamento do Ônibus Protótipo Flex Rio de Janeiro, 10 de Maio de 2011 Parceria entre Governo do Estado do Rio de Janeiro, MAN Latin America, Bosch, CEG e Petrobras para uso de gás natural no transporte público MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

23 Utilização de Gás Natural Conceito do Sistema Motor Diesel adaptado com um sistema de injeção de gás natural e controle de entrada de ar na admissão Pequenas injeções de Diesel para ignição da mistura ar + gás natural (sem vela de ignição) Controle eletrônico integrado dos sistemas de injeção de óleo Diesel e gás natural 85% de substituição média de óleo Diesel por gás natural ou biometano O sistema dual fuel combina o alto desempenho dos motores Diesel com a flexibilidade de combustível MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

24 Utilização de Gás Natural Principais Benefícios da Tecnologia MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

25 Certificado ISO :2006 O Primeiro Veículo Certificado no Brasil (VW ) Fonte: Estudo completo sobre processo de certificação ISO :2006 disponível em MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

26 Agenda 1 Mega Tendências Globais & Subtendências Relativas ao Transporte 2 Indústria de Veículos Comercias Demandas por Sustentabilidade 3 Novos Propulsores & Combustíveis Alternativos 4 Oportunidades para o Brasil Visão da MAN Latin America 5 Experiências Internacionais da MAN Truck & Bus MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

27 História dos Desenvolvimentos Ônibus Híbridos da MAN Fuel cells hybrid (NiMH-Battery) 2004 DE-Hybrid (Project IDEAS) DE-Hybrid (NiMH-Battery) DG-Hybrid (Gyro storage system) Trolley-Hybrid (MD flywheel) DE-Hybrid (Ultracap storage system) 2001 DE-Hybrid optimized (Ultracap-storage system) 2005 DH-Hybrid (Hydro storage system) DE-Hybrid (MD flywheel) MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

28 MAN Lion s City Híbrido Conhecendo o Sistema de Propulsão Ultracap energy-storage system Power electronics MAN D08 EEVcompliant diesel engine Generator 145 kw Electric propulsion system 2x75 kw MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

29 História dos Desenvolvimentos Ônibus Hidrogênio da MAN 2006/2007 8/2005 HyFLEET:CUTE 14 CGH 2 -buses, Berlin 5/1996 LH 2 -bus / 140 kw Erlangen / Munich 5/ CGH 2 -buses airport Munich 4/2004 CGH 2 - bus, Berlin 5/2000 Hydrogen bus in public service 5/2004 Hybrid-fuel-cell bus airport Munich 8/2005 Fuel cell bus in public service PEM-fuel-cell bus Nuremberg, Erlangen and Fuerth MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

30 Hidrogênio Célula de Combustível MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

31 Hidrogênio Motor de Combustão Interna (Ciclo Otto) MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

32 MUITO OBRIGADO PELA ATENÇÃO! Gian G. Marques M.Sc. Especiliasta do Produto Engenharia de Desenvolvimento MAN Latin America Telefone: (24) MAN Latin America Gian G. Marques Congresso EcoGerma de Julho de

Novas Tecnologias na Indústria Automobilística

Novas Tecnologias na Indústria Automobilística Novas Tecnologias na Indústria Automobilística Mauro Ekman Simões São Paulo, 13 de Abril de 2009 1 Volkswagen Truck & Bus A Nova Marca do Grupo MAN 2 250 anos de MAN 250 anos de experiência, habilidade,

Leia mais

MAN LATIN AMERICA. Uso de Biogás em Frotas de Transporte de Cargas e Passageiros 31 de Outubro de 2012

MAN LATIN AMERICA. Uso de Biogás em Frotas de Transporte de Cargas e Passageiros 31 de Outubro de 2012 MAN LATIN AMERICA Uso de Biogás em Frotas de Transporte de Cargas e Passageiros 31 de Outubro de 2012 MAN Latin America [opcional: departamento] Autor Título 00.00.2012 < 1 > Tecnologi Agenda 1 Tradição

Leia mais

Tecnologia de powertrain elétrico e auxiliares para veículos pesados. Drive Systems para aplicação Mobil

Tecnologia de powertrain elétrico e auxiliares para veículos pesados. Drive Systems para aplicação Mobil Tecnologia de powertrain elétrico e auxiliares para veículos pesados Drive Systems para aplicação Mobil September 13, 2013 Plataforma para Veículos Elétricos Linha Pesada Aplicação Mobil Veículos e Implementos

Leia mais

ENERGIA. Em busca da sustentabilidade

ENERGIA. Em busca da sustentabilidade ENERGIA Em busca da sustentabilidade Quais formas de energia você consegue identificar nesta cena? Características de uma boa fonte de combustível i) Fornecer grande quantidade de energia por unidade de

Leia mais

Ganhos Energéticos do Caminhão Híbrido

Ganhos Energéticos do Caminhão Híbrido 1 Seminário Internacional de Eficiência Energética Ganhos Energéticos do Caminhão Híbrido Confederação Nacional de Transportes Brasília, 05 de Junho de 2013 MAN Latin America [opcional: departamento] Autor

Leia mais

Inventário de Emissões e Estratégias de Neutralização. Desafios dos Projetos de Crédito de Carbono

Inventário de Emissões e Estratégias de Neutralização. Desafios dos Projetos de Crédito de Carbono Inventário de Emissões e Estratégias de Neutralização Desafios dos Projetos de Crédito de Carbono Julho 2009 Sobre a GSS Empresa com atuação focada no desenvolvimento de projetos e prestação de consultorias

Leia mais

Alternativas de mobilidade e perspectivas económicas para o veículo eléctrico (EV)

Alternativas de mobilidade e perspectivas económicas para o veículo eléctrico (EV) IMTT, 8 de Março o de 2010 Alternativas de mobilidade e perspectivas económicas para o veículo eléctrico (EV) Como viemos parar aqui? Entre 20-30GTon de CO 2 emitidos para a atmosfera anualmente desde

Leia mais

Como o Brasil pode contribuir para o esforço internacional de redução das emissões. Allan Kardec Duailibe Diretor

Como o Brasil pode contribuir para o esforço internacional de redução das emissões. Allan Kardec Duailibe Diretor Como o Brasil pode contribuir para o esforço internacional de redução das emissões Allan Kardec Duailibe Diretor Apostar nos BIOcombustíveis! Apostar no conceito BIcombustível Matriz múltipla O Brasil

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ Abril de 2016 Av. Historiador Rubens de Mendonça, 4193 Bosque da Saúde Cuiabá/MT www.acaoverde.org.br (65) 3611 1606 Sumário

Leia mais

Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE I Tecnologias de Micro-Geração -

Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE I Tecnologias de Micro-Geração - Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE I Tecnologias de Micro-Geração - 4 1 Micro-Turbinas a gás 5 1.1 Descrição da tecnologia O termo micro-turbina refere-se em geral a um sistema de

Leia mais

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 DESEMPENHO DE UM GRUPO GERADOR OPERANDO COM MOTOR DIESEL CONVERTIDO PARA FUNCIONAR APENAS COM GÁS NATURAL Jaguaribe,

Leia mais

ELECTROMOBILIDADE. A electromobilidade e as cidades do futuro ELECTROMOBILIDADE - LUÍS PEREIRA 1 LISBOA, 25 E 26 DE JUNHO 2015

ELECTROMOBILIDADE. A electromobilidade e as cidades do futuro ELECTROMOBILIDADE - LUÍS PEREIRA 1 LISBOA, 25 E 26 DE JUNHO 2015 ELECTROMOBILIDADE A electromobilidade e as cidades do futuro 1 LISBOA, 25 E 26 DE JUNHO 2015 2 LISBOA, 25 E 26 DE JUNHO 2015 Paragens de autocarro indoor Conexões mais rápidas Melhoria do ambiente Informação

Leia mais

A FASE P-7 DO PROCONVE E OS SEUS IMPACTOS NO SETOR DE TRANSPORTE

A FASE P-7 DO PROCONVE E OS SEUS IMPACTOS NO SETOR DE TRANSPORTE A FASE P-7 DO PROCONVE E OS SEUS IMPACTOS NO SETOR DE TRANSPORTE III Encontro anual da Equipe Técnica do Despoluir Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Rio de Janeiro, novembro de 2010. Proconve Programa

Leia mais

CHILE. 2. Classificação de veículos : 2.1. Veículos Leves. 2.2. Veículos Médios. 2.3. Veículos Pesados

CHILE. 2. Classificação de veículos : 2.1. Veículos Leves. 2.2. Veículos Médios. 2.3. Veículos Pesados CHILE CHILE 1. Introdução : No Chile são aplicados, alternativamente, os limites de emissões americanos ou europeus, com seus respectivos ciclos de ensaio. Para veículos leves, os ensaios de homologação

Leia mais

Energia e Mudança Climática. Elétrica

Energia e Mudança Climática. Elétrica Energia e Mudança Climática Fatos e Tendências Horizonte 2050 Papel da Geração Elétrica Nuclear Leonam dos Santos Guimarães São Paulo, 20 de maio de 2011 1 Três desafios ECONÔMICO SOCIAL 1 Garantir a disponibilidade

Leia mais

Energia em busca de alternativas renováveis 1

Energia em busca de alternativas renováveis 1 Energia em busca de alternativas renováveis 1 Nivalde José de Castro Roberto Brandão Guilherme de A. Dantas Pergunta: É possível haver equilíbrio em um quadro de alta do petróleo, custos pouco atrativos

Leia mais

A Indústria Automobilística e o Atendimento às s Regulamentações Brasileiras de Emissões

A Indústria Automobilística e o Atendimento às s Regulamentações Brasileiras de Emissões A Indústria Automobilística e o Atendimento às s Regulamentações Brasileiras de Emissões Henry Joseph Junior Comissão de Energia e Meio Ambiente ANFAVEA Seminário AEA Tendências e o Futuro das Emissões

Leia mais

Setor sucroalcooleiro paranaense: do proálcool ao biodiesel 1

Setor sucroalcooleiro paranaense: do proálcool ao biodiesel 1 Setor sucroalcooleiro paranaense: do proálcool ao biodiesel 1 Rosana Paczyk 1 Introdução Este artigo objetiva analisar o setor sucroalcooleiro do Paraná desde o programa nacional do álcool em meados de

Leia mais

Etanol e veículos elétricos: via de mão única ou dupla? *

Etanol e veículos elétricos: via de mão única ou dupla? * Diset 3 Etanol e veículos elétricos: via de mão única ou dupla? * 1 Introdução matriz energética brasileira é das mais limpas do A mundo, com mais de 45% da energia consumida no país sendo gerada a partir

Leia mais

III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELETRICIDADE E GÁS NATURAL

III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELETRICIDADE E GÁS NATURAL III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELETRICIDADE E GÁS NATURAL Tema central Investimento, risco e regulação Seção B. A Indústria Investimento em energias renováveis no Brasil. A oportunidade da energia eólica Amilcar

Leia mais

9o. Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias Motores de combustão interna para os veículos elétricos híbridos

9o. Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias Motores de combustão interna para os veículos elétricos híbridos Motores de combustão interna para os veículos elétricos híbridos Waldyr Luiz Ribeiro Gallo DE FEM - UNICAMP São Paulo, 12 de setembro de 2013 Sumário 1. Por que não veículos elétricos? 2. O papel do veículos

Leia mais

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa. Relatório de Atividades em Evento de Sustentabilidade FIESC 2012

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa. Relatório de Atividades em Evento de Sustentabilidade FIESC 2012 Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa Relatório de Atividades em Evento de Sustentabilidade FIESC 2012 Julho de 2012 A natureza criou o tapete sem fim que recobre a superfície da terra. Dentro

Leia mais

Dimensão Mudanças Climáticas

Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas 2 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 3 CRITÉRIO II GESTÃO... 5 INDICADOR 2. RESPONSABILIDADE...

Leia mais

Tecnologia Alternativa Combustíveis renováveis

Tecnologia Alternativa Combustíveis renováveis 1 2 Tecnologia Alternativa Combustíveis renováveis Portaria nº 3-A/2007 de 2 de Janeiro Promoção da utilização de biocombustíveis nos transportes foi objecto do Decreto - Lei nº 62/2006 Decreto - Lei nº

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 30 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO E POLUIÇÃO DO AR

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 30 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO E POLUIÇÃO DO AR BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 30 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO E POLUIÇÃO DO AR C ( p f d o m r s a b c d e omo pode cair no enem ENEM) As cidades industrializadas produzem grandes proporções de gases como o

Leia mais

Estudo do Desempenho de um Motor Multicombustível Operando Simultaneamente com GNV e Álcool Etílico em Diferentes Proporções

Estudo do Desempenho de um Motor Multicombustível Operando Simultaneamente com GNV e Álcool Etílico em Diferentes Proporções Estudo do Desempenho de um Motor Multicombustível Operando Simultaneamente com GNV e Álcool Etílico em Diferentes Proporções Paulo Roberto Bomfim Burger 1, José Guilherme Coelho Baeta 2, Ramón Molina Valle

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE DE CIÊNCIAS - 9 ANO

EXERCÍCIOS ON LINE DE CIÊNCIAS - 9 ANO EXERCÍCIOS ON LINE DE CIÊNCIAS - 9 ANO 1- Com a finalidade de diminuir a dependência de energia elétrica fornecida pelas usinas hidroelétricas no Brasil, têm surgido experiências bem sucedidas no uso de

Leia mais

Não é tarde demais para combater as mudanças climáticas O sumário do IPCC diz:

Não é tarde demais para combater as mudanças climáticas O sumário do IPCC diz: Sumário dos resultados-chave do Quarto Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, Grupo de Trabalho III de Mitigação de Mudanças Climáticas Bangkok, Maio de 2007 Não é

Leia mais

Câmara dos Deputados. Audiência Pública da Comissão Especial sobre o PL 1013-A/11 (motores a diesel para veiculos leves) Alfred Szwarc

Câmara dos Deputados. Audiência Pública da Comissão Especial sobre o PL 1013-A/11 (motores a diesel para veiculos leves) Alfred Szwarc Câmara dos Deputados Audiência Pública da Comissão Especial sobre o PL 1013-A/11 (motores a diesel para veiculos leves) Alfred Szwarc Brasilia, 03/12/2015 1. Mercado: Licenciamento de Veículos Leves Diesel

Leia mais

Desenvolvimento de Células a Combustível de Polímero Sólido (PEMFC) para Aplicação em Geração de Energia Elétrica Distribuída.

Desenvolvimento de Células a Combustível de Polímero Sólido (PEMFC) para Aplicação em Geração de Energia Elétrica Distribuída. Desenvolvimento de Células a Combustível de Polímero Sólido (PEMFC) para Aplicação em Geração de Energia Elétrica Distribuída. M. Ellern, AES-Eletropaulo; G. Janólio, G. Ett, V. Ett, A. Ebesui, Electrocell;

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS RESUMO

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS RESUMO UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS Luis Eduardo Machado¹ Renata Sampaio Gomes ² Vanessa F. Balieiro ³ RESUMO Todos sabemos que não é possível haver regressão nas tecnologias

Leia mais

Os desafios ambientais e de sustentabilidade em Engenharia

Os desafios ambientais e de sustentabilidade em Engenharia MEC, 4º ano, 2º sem, 2008-09 Desafios Ambientais e de Sustentabilidade em Engenharia Os desafios ambientais e de sustentabilidade em Engenharia 1ª aula Maria do Rosário Partidário Desafios Ambientais e

Leia mais

Allan Kardec Duailibe Diretor

Allan Kardec Duailibe Diretor Allan Kardec Duailibe Diretor Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Minas e Energia 25 de Maio, 2011 A POLÍTICA DOS BIOCOMBUSTÍVEIS NO BRASIL Objetivos definidos na Lei n º 9.478/97: Alargar

Leia mais

COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO. Projetos da Comgas no Setor de Climatização e Cadeia do Gás Natural

COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO. Projetos da Comgas no Setor de Climatização e Cadeia do Gás Natural COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO Projetos da Comgas no Setor de Climatização e Cadeia do Gás Natural Alexandre Breda Gerente de Cogeração & Climatização 26 de Maio de 2010. Matriz Energética Brasileira 2

Leia mais

Prof. Mario Eduardo Santos Martins, Phd.

Prof. Mario Eduardo Santos Martins, Phd. Seminário Internacional de Energia da AUGM Prof. Mario Eduardo Santos Martins, Phd. Universidade Federal de Santa Maria Grupo de Pesquisa em Motores, Combustíveis e Emissões Necessidade de energia Iluminação

Leia mais

Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010

Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010 Combustíveis Alternativos e a Redução das Emissões de Poluentes 12ª Transpo-Sul Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010 Tecnologias, Combustíveis mais limpos e Redução das

Leia mais

Lucia Mariana de Souza. Luiz Artur Pecorelli Peres, D.Sc. 1. Resumo

Lucia Mariana de Souza. Luiz Artur Pecorelli Peres, D.Sc. 1. Resumo Aplicações da Tecnologia Veicular Híbrida Visando o Maior Acesso ao Transporte e a Energia Elétrica no Meio Rural e Urbano em Prol do Desenvolvimento Sustentável Luiz Artur Pecorelli Peres, D.Sc. 1 Lucia

Leia mais

Professor: Márcio Luiz

Professor: Márcio Luiz Capítulo 14 Meio Ambiente Global Geografia 1ª Série Conteúdo complementar O Tratado de Kyoto Acordo na Cidade de Kyoto Japão (Dezembro 1997): Redução global de emissões de seis gases do efeito estufa em

Leia mais

Plano Nacional de Energia 2030

Plano Nacional de Energia 2030 Plano Nacional de Energia 2030 Gás Natural Brasília, 13 de julho de 2006 Plano Nacional de Energia 2030 Gás Natural Roteiro Observações Iniciais Gás Natural no Mundo Gás Natural no Brasil Expansão da Geração

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 9 º ANO

CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 9 º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 9 º ANO 2010 QUESTÃO 1 Com a finalidade de diminuir

Leia mais

Mercedes-Benz destaca na Rio+20 as vantagens ambientais do uso de diesel de cana e biodiesel em caminhões e ônibus

Mercedes-Benz destaca na Rio+20 as vantagens ambientais do uso de diesel de cana e biodiesel em caminhões e ônibus Rio+20 Mercedes-Benz destaca na Rio+20 as vantagens ambientais do uso de diesel de cana e biodiesel em caminhões e ônibus Informação à imprensa 13 de junho de 2012 10 ônibus rodoviários O 500 RS da Mercedes-Benz,

Leia mais

Fontes energéticas e impacto ambiental

Fontes energéticas e impacto ambiental Fontes energéticas e impacto ambiental 1- INTRODUÇÃO: Aquecimento global - Projeção + 1 1990-2035 + 2 2035-2100 + 2,5-3 C em 110 anos Era do gelo até hoje: + 6 C Ano CONSEQÜÊNCIAS do AUMENTO do EFEITO

Leia mais

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro. Ano de Referência 2013

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro. Ano de Referência 2013 Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro Ano de Referência 2013 Junho de 2014 RELATÓRIO TÉCNICO Inventário de Gases de Efeito Estufa da Fundação

Leia mais

Contribuição do Projeto BK Energia Itacoatiara para o Desenvolvimento Sustentável. a) Contribuição para a sustentabilidade ambiental local

Contribuição do Projeto BK Energia Itacoatiara para o Desenvolvimento Sustentável. a) Contribuição para a sustentabilidade ambiental local Contribuição do Projeto BK Energia Itacoatiara para o Desenvolvimento Sustentável a) Contribuição para a sustentabilidade ambiental local O projeto BK Energia Itacoatiara contribui para a sustentabilidade

Leia mais

Matriz Energética Brasileira e o. Hidrogênio. Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos Econômicos e Energéticos Empresa de Pesquisa Energética - EPE

Matriz Energética Brasileira e o. Hidrogênio. Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos Econômicos e Energéticos Empresa de Pesquisa Energética - EPE 1 Encontro Brasileiro de Energia do Hidrogênio Matriz Energética Brasileira e o Hidrogênio Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos Econômicos e Energéticos Empresa de Pesquisa Energética - EPE São Paulo,

Leia mais

PRODUÇÃO DE ECO-COMBUSTÍVEIS POR CONVERSÃO TERMOQUÍMICA DE RESÍDUOS LIGNOCELULÓSICOS E POLIMÉRICOS

PRODUÇÃO DE ECO-COMBUSTÍVEIS POR CONVERSÃO TERMOQUÍMICA DE RESÍDUOS LIGNOCELULÓSICOS E POLIMÉRICOS PRODUÇÃO DE ECO-COMBUSTÍVEIS POR CONVERSÃO TERMOQUÍMICA DE RESÍDUOS LIGNOCELULÓSICOS E POLIMÉRICOS Andrei Longo 1*, Margarida Gonçalves 1, Paulo Brito 2. 1 Faculdade de Ciências e Tecnologia - Universidade

Leia mais

COP 21 E O IMPACTO NO SETOR DE ENERGIA Abril 2016

COP 21 E O IMPACTO NO SETOR DE ENERGIA Abril 2016 COP 21 E O IMPACTO NO SETOR DE ENERGIA Abril 2016 Suzana Kahn Professora COPPE/UFRJ Presidente do Comitê Científico de Mudança Climática Coordenadora do Fundo Verde da UFRJ Histórico do Acordo de Paris

Leia mais

Dimensão Mudanças Climáticas

Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas 2 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 3 CRITÉRIO II GESTÃO... 5 INDICADOR 2. RESPONSABILIDADE...

Leia mais

Autocarros híbridos podem reduzir consumo até 30% Tecnologia que poupa combustível já é realidade

Autocarros híbridos podem reduzir consumo até 30% Tecnologia que poupa combustível já é realidade 10/6/2010 Autocarros híbridos podem reduzir consumo até 30% Tecnologia que poupa combustível já é realidade Após a fase de pesquisa e desenvolvimento, os construtores já começam a disponibilizar comercialmente

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE PROPULSÃO. Antonio C. Prataviera CALCAGNOTTO Vice-Presidente da ANFAVEA

NOVAS TECNOLOGIAS DE PROPULSÃO. Antonio C. Prataviera CALCAGNOTTO Vice-Presidente da ANFAVEA NOVAS TECNOLOGIAS DE PROPULSÃO (VEÍCULOS LEVES DE PASSAGEIROS E COMERCIAIS LEVES) Antonio C. Prataviera CALCAGNOTTO Vice-Presidente da ANFAVEA Diretor de Relações Institucionais RENAULT NISSAN PUBLIC AFFAIRS

Leia mais

Energias Renováveis (ER) Sustentabilidade Económica e Ambiental

Energias Renováveis (ER) Sustentabilidade Económica e Ambiental Seminário de Boa Governação das Energias Renováveis Energias Renováveis (ER) Sustentabilidade Económica e Ambiental Madival Alva das Neves Meteorologista (Direção Geral do Ambiente) São Tomé, 30 de junho,

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

Bioenergia Portugal 2015 Portalegre, 29/05/2015. Biocombustíveis Sólidos Nacionais: Características e Aspectos Críticos

Bioenergia Portugal 2015 Portalegre, 29/05/2015. Biocombustíveis Sólidos Nacionais: Características e Aspectos Críticos Biocombustíveis Sólidos Nacionais: Características e Aspectos Críticos Paula Teixeira, Helena Lopes, Luís Tarelho 29 Maio 2015 1 Com o intuito de Reduzir a emissão de gases com efeito de estufa Diversificar

Leia mais

A Importância de Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Governos Locais

A Importância de Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Governos Locais VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí I Seminário dos Estudantes de Pós Graduação A Importância de Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Governos Locais (1) Leonardo

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA ELÉTRICA ANDERSON WESLLEY DA SILVA ZAMPOLI BRUNO MIGUEL ABIB FELIPE MOREIRA DAQUILA ANÁLISE DE DEMANDA DE ENERGIA

Leia mais

Aplicabilidade da Matriz de Combustíveis no Desenvolvimento de Novas Tecnologias

Aplicabilidade da Matriz de Combustíveis no Desenvolvimento de Novas Tecnologias MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA MME SECRETÁRIA DE PETRÓLEO, GÁS NATURAL E COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS SPG DEPARTAMENTO DE COMBUSTÍVEIS DERIVADOS DE PETRÓLEO - DCDP Aplicabilidade da Matriz de Combustíveis no

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo Curso Técnico em Eletrotécnico. Cayo César Lopes Pisa Pinto. Usinas Termelétricas

Centro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo Curso Técnico em Eletrotécnico. Cayo César Lopes Pisa Pinto. Usinas Termelétricas Centro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo Curso Técnico em Eletrotécnico Cayo César Lopes Pisa Pinto Usinas Termelétricas Vitória 2008 Usinas Termelétricas Trabalho Apresentado à disciplina

Leia mais

100 anos da MAN Truck and Bus: Prontos para o futuro

100 anos da MAN Truck and Bus: Prontos para o futuro 100 anos da MAN Truck and Bus: Prontos para o futuro Munique, 11 de Março de 2015 Com sucesso e experiência: há 100 anos que a MAN fabrica veículos comerciais eficientes e fiáveis A história do Grupo MAN

Leia mais

Solução Verde para o trasporte dacidade de São Paulo. Maio 2011, Rio de Janeiro

Solução Verde para o trasporte dacidade de São Paulo. Maio 2011, Rio de Janeiro Solução Verde para o trasporte dacidade de São Paulo Maio 2011, Rio de Janeiro Três principais questões ambientais Crise global de petróleo Emissões de CO2 Poluição do Ar 40%dos combustíveis fósseis líquidos

Leia mais

SEMANA FIESP CIESP DE MEIO AMBIENTE. A Política de Desenvolvimento Produtivo e a Produção Sustentável. São Paulo, 04 de junho de 2008

SEMANA FIESP CIESP DE MEIO AMBIENTE. A Política de Desenvolvimento Produtivo e a Produção Sustentável. São Paulo, 04 de junho de 2008 SEMANA FIESP CIESP DE MEIO AMBIENTE A Política de Desenvolvimento Produtivo e a Produção Sustentável São Paulo, 04 de junho de 2008 SUSTENTABILIDADE X DEMANDAS DO CRESCIMENTO ECONÔMICO 2 Matriz Energética

Leia mais

A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL. Maurílio Biagi Filho

A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL. Maurílio Biagi Filho A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL Maurílio Biagi Filho Roteiro Evolução e perspectivas da indústria sucroalcooleira no Brasil. Brasil: potencial para aumento da produção e produtividade. Expansão

Leia mais

Conversão de Veículos Convencionais em Veículos Eléctricos

Conversão de Veículos Convencionais em Veículos Eléctricos Seminário: Mobilidade Eléctrica: O Veículo Viabilidade da transformação de Veículos Conversão de Veículos Convencionais em Veículos Eléctricos (Experiência adquirida na ESTGV) Vasco Santos (vasco@estv.ipv.pt)

Leia mais

CleanDrive - An Educational Simulator for Safe and Environmental Driving

CleanDrive - An Educational Simulator for Safe and Environmental Driving CleanDrive - An Educational Simulator for Safe and Environmental Driving João A. Madeiras Pereira INESC-ID/IST Pavilhão Atlântico, Lisboa, 20 Maio 2009 Apresentação Criar um simulador de condução económica

Leia mais

Carolina Luiza Rizental Machado

Carolina Luiza Rizental Machado Carolina Luiza Rizental Machado INTRODUÇÃO A energia termoelétrica é aquela gerada a partir da queima de algum combustível, tanto de fontes renováveis, quando de fontes não renováveis; As usinas termoelétricas

Leia mais

Retomada do mercado do GNV: Principais Benefícios

Retomada do mercado do GNV: Principais Benefícios Retomada do mercado do GNV: Principais Benefícios Professor Edmar de Almeida Grupo de Economia da Energia Instituto de Economia UFRJ PLANO DA APRESENTAÇÃO Contexto atual do mercado de GNV no Brasil Oportunidades

Leia mais

MAN Latin America. 27 de outubro de

MAN Latin America. 27 de outubro de 27 de outubro de 2011 1 A. Cammarosano Diretor de Vendas Mercado Doméstico 27 de outubro de 2011 2 27 de outubro de 2011 3 27 de outubro de 2011 4 Proconve P-7 (Euro 5) O que é isso... IBAMA + CONAMA Proconve

Leia mais

MOTORES FLEX. Tadeu Cavalcante Cordeiro de Melo, M.Sc. Aluno de doutorado do PEM - COPPE. novembro de 2011 palestra para a UFRJ

MOTORES FLEX. Tadeu Cavalcante Cordeiro de Melo, M.Sc. Aluno de doutorado do PEM - COPPE. novembro de 2011 palestra para a UFRJ MOTORES FLEX Tadeu Cavalcante Cordeiro de Melo, M.Sc. Aluno de doutorado do PEM - COPPE novembro de 2011 palestra para a UFRJ FLEX FUEL BRASILEIRO Etanol hidratado (H100), gasolina (E18-E25) ou qualquer

Leia mais

Feira de BioCombustíveis. São Paulo, 27 de novembro de 2007.

Feira de BioCombustíveis. São Paulo, 27 de novembro de 2007. !"##!$!%&!"# $!$#'!#' ()# *+,- Feira de BioCombustíveis São Paulo, 27 de novembro de 2007. .!% &#!(!$ %!/(% %( )#,- (0!$1.& & %#%(!$ %!/(%1 20&& & 3(!&&1 OFERTA TOTAL DE ENERGIA PRIMÁRIA NO BRASIL - 2006

Leia mais

Novas Tecnologias para Ônibus 12/12/2012

Novas Tecnologias para Ônibus 12/12/2012 Novas Tecnologias para Ônibus 12/12/2012 FETRANSPOR Sindicatos filiados: 10 Empresas de ônibus: 208 Frota: 20.300 Passageiros/mês: 240 milhões Viagens/mês: 4,5 milhões Empregos diretos: 100.000 Idade média:

Leia mais

Tecnologia aplicada aos veículos comerciais Nelson Kayano

Tecnologia aplicada aos veículos comerciais Nelson Kayano Tecnologia aplicada aos veículos comerciais Nelson Kayano Netz Engenharia Automotiva 06/10/2015 Drivers da mobilidade TCO Custos fixos Pessoal Custos variáveis Combustível Lubrificantes Pneus Manutenção

Leia mais

Acumuladores de Energia Avançados para Sistemas de Geração Solar Maio/2016. www.itemm.org.br

Acumuladores de Energia Avançados para Sistemas de Geração Solar Maio/2016. www.itemm.org.br Acumuladores de Energia Avançados para Sistemas de Geração Solar Maio/2016 Instituto de Tecnologia Edson Mororó Moura Ampliação do Laboratório Laboratório: Área = 1.200 m² Lab. 01: Ensaios Elétricos em

Leia mais

16 Eficiência Energética

16 Eficiência Energética 16 Eficiência 412 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Contextualização A eficiência energética pode ser definida como o desempenho de conversão de um sistema energético. Em outras palavras, representa o quanto de energia

Leia mais

PROJETO DE LEI No, DE 2011 (Do Sr. SANDES JUNIOR)

PROJETO DE LEI No, DE 2011 (Do Sr. SANDES JUNIOR) PROJETO DE LEI No, DE 2011 (Do Sr. SANDES JUNIOR) Dispõe sobre a criação do Programa Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento de Compostos Orgânicos de Origem Vegetal, que tem como objetivo reduzir as emissões

Leia mais

PRINCIPAIS TÓPICOS INTRODUÇÃO DEFINIÇÕES PRODUÇÃO TRANSPORTE PLANTAS DE PROCESSAMENTO APLICAÇÕES NOVAS TECNOLOGIAS

PRINCIPAIS TÓPICOS INTRODUÇÃO DEFINIÇÕES PRODUÇÃO TRANSPORTE PLANTAS DE PROCESSAMENTO APLICAÇÕES NOVAS TECNOLOGIAS SEMINÁRIO SOBRE GÁS PRINCIPAIS TÓPICOS INTRODUÇÃO DEFINIÇÕES PRODUÇÃO TRANSPORTE PLANTAS DE PROCESSAMENTO APLICAÇÕES NOVAS TECNOLOGIAS Introdução Consumo Percentual de Energia Primária no Mundo 1974 1998

Leia mais

PROCONVE. As Fases Passadas e Futuras

PROCONVE. As Fases Passadas e Futuras PROCONVE (PROGRAMA DE CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS AUTOMOTORES) As Fases Passadas e Futuras Henry Joseph Jr Comissão de Energia e Meio Ambiente ANFAVEA Seminário sobre Emissões de Veículos Diesel

Leia mais

A EMPRESA. Criando um futuro com a iluminação OSRAM

A EMPRESA. Criando um futuro com a iluminação OSRAM A EMPRESA Criando um futuro com a iluminação OSRAM A EMPRESA O mercado de iluminação está passando por um período de transformações tecnológicas, com os LEDs e os OLEDs, apresentando novas possibilidades

Leia mais

Inovações das Tecnologias Diesel

Inovações das Tecnologias Diesel Inovações das Tecnologias Diesel Seminário Frotas e Fretes Verdes Dezembro 2013 Marco Rangel Cummins América do Sul 2 Inovações Tecnológicas Diesel e as Mudanças Climáticas Globais Qual o ambiente regulamentador

Leia mais

INVENTÁRIO: Completo Preliminar. INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada

INVENTÁRIO: Completo Preliminar. INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa RL Sistemas de Higiene Ltda. 2009 INVENTÁRIO: Completo Preliminar INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada

Leia mais

ANÁLISE DE EMISSÕES DE POLUENTES EM MOTOCICLETA BICOMBUSTÍVEL UTILIZANDO ÁLCOOL E GASOLINA

ANÁLISE DE EMISSÕES DE POLUENTES EM MOTOCICLETA BICOMBUSTÍVEL UTILIZANDO ÁLCOOL E GASOLINA VI CONGRESSO NACIONAL DE ENGENHARIA MECÂNICA VI NATIONAL CONGRESS OF MECHANICAL ENGINEERING 18 a 21 de agosto de 2010 Campina Grande Paraíba - Brasil August 18 21, 2010 Campina Grande Paraíba Brazil ANÁLISE

Leia mais

Perspectivas da BIOENERGIA: Mundo e Brasil. Alberto Villela DSc. Planejamento Energético Pesquisador IVIG/COPPE/UFRJ

Perspectivas da BIOENERGIA: Mundo e Brasil. Alberto Villela DSc. Planejamento Energético Pesquisador IVIG/COPPE/UFRJ Perspectivas da BIOENERGIA: Mundo e Brasil Alberto Villela DSc. Planejamento Energético Pesquisador IVIG/COPPE/UFRJ Emissões Globais de CO2 (Energia) no Cenário INDC COPPE/UFRJ Orçamento de C para >50%

Leia mais

Título Economia de baixo carbono, desafios e oportunidades para o setor elétrico Veículo Canal Energia Data 16 dezembro 2015 Autor Claudio J. D.

Título Economia de baixo carbono, desafios e oportunidades para o setor elétrico Veículo Canal Energia Data 16 dezembro 2015 Autor Claudio J. D. Título Economia de baixo carbono, desafios e oportunidades para o setor elétrico Veículo Canal Energia Data 16 dezembro 2015 Autor Claudio J. D. Sales Estiveram reunidos nas duas últimas semanas em Paris,

Leia mais

Caminhos da Engenharia Brasileira Instituto de Engenharia As vantagens do Brasil Da geografia ao modelo de concessões

Caminhos da Engenharia Brasileira Instituto de Engenharia As vantagens do Brasil Da geografia ao modelo de concessões Caminhos da Engenharia Brasileira Instituto de Engenharia As vantagens do Brasil Da geografia ao modelo de concessões 14 de agosto de 2012 (Paulo Pedrosa- Presidente Executivo) Quem somos Fundada em agosto

Leia mais

Seminário Eficiência Energética : Políticas, Incentivos e Soluções. Sertã, 06 de Junho 2011

Seminário Eficiência Energética : Políticas, Incentivos e Soluções. Sertã, 06 de Junho 2011 Seminário Eficiência Energética : Políticas, Incentivos e Soluções Promover a eficiência energética É tornar o mundo melhor e mais assustentável tá e ADENE Agência para a Energia Paulo Nogueira Auditório

Leia mais

Fontes de Energia e Meio Ambiente

Fontes de Energia e Meio Ambiente UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA - UFJF INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS ICE DEPARTAMENTO DE QUÍMICA QUÍMICA ANALÍTICA AMBIENTAL Fontes de Energia e Meio Ambiente Alunos: Arina Estefânia Gomes Flávia Campos

Leia mais

Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis

Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis 4 e 5 de junho de 2007 World Trade Center São Paulo, Brasil SÃO PAULO ETHANOL SUMMIT Novas Fronteiras do Etanol: Desafios da Energia no Século 21 Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis Arnaldo Walter

Leia mais

Tecnologia nacional potencia sustentabilidade

Tecnologia nacional potencia sustentabilidade Tecnologia nacional potencia sustentabilidade 1 Tecnologia nacional potencia sustentabilidade O desenvolvimento de soluções inovadoras que melhoram a eficiência das organizações e a qualidade de vida das

Leia mais

Sumário. Resumo Executivo 1 INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS 06. 4.1 Limites Organizacionais 06

Sumário. Resumo Executivo 1 INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS 06. 4.1 Limites Organizacionais 06 INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED dezembro de 2011. Sumário Resumo Executivo 03 1 INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS

Leia mais

CUSTOS DO ABATIMENTO DE EMISSÕES AÉREAS NA GERAÇÃO TERMELÉTRICA A CARVÃO MINERAL

CUSTOS DO ABATIMENTO DE EMISSÕES AÉREAS NA GERAÇÃO TERMELÉTRICA A CARVÃO MINERAL CUSTOS DO ABATIMENTO DE EMISSÕES AÉREAS NA GERAÇÃO TERMELÉTRICA A CARVÃO MINERAL ANA PAULA ANDERSON 1 e GILNEI CARVALHO OCÁCIA 2 1- SUMESA Sulina de Metais S/A 2- ULBRA/CANOAS Departamento de Engenharia

Leia mais

SUA OPERAÇÃO, SOLUÇÕES CATERPILLAR

SUA OPERAÇÃO, SOLUÇÕES CATERPILLAR ENERGIA OFFSHORE SUA OPERAÇÃO, SOLUÇÕES CATERPILLAR Ouvimos os nossos clientes, investimos em pesquisa e desenvolvimento, e colocamos 80 anos de experiência na fabricação de motor para trabalhar. Nosso

Leia mais

Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental. 6 - Poluição do Ar. Professor Sandro Donnini Mancini. Setembro, 2015.

Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental. 6 - Poluição do Ar. Professor Sandro Donnini Mancini. Setembro, 2015. Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental Graduação em Engenharia Ambiental 6 - Poluição do Ar Professor Sandro Donnini Mancini Setembro, 2015. POLUIÇÃO

Leia mais

Eixo Temático ET-05-005 - Meio Ambiente e Recursos Naturais

Eixo Temático ET-05-005 - Meio Ambiente e Recursos Naturais 287 Eixo Temático ET-05-005 - Meio Ambiente e Recursos Naturais EVOLUÇÃO DOS PROJETOS BRASILEIROS NO MECANISMO DE DESENVOLVIMENTO LIMPO: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE 2013 E 2014 Ana Cândida Ferreira Vieira

Leia mais

Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial

Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial Dissertação de Mestrado Engenharia Eletrotécnica - Energia e Automação Industrial Sistema de mobilidade elétrica de duas rodas de elevada eficiência e performance José Carlos Marques da Silva Dezembro

Leia mais

BIODIESEL PARA O CIB

BIODIESEL PARA O CIB BIODIESEL PARA O CIB Roteiro Explicativo de Slides em Power Point Gil Miguel de Sousa Câmara 1 Slide 1 Abertura Slide 2 Famosa frase proferida por Rudolph Diesel em 1912. Slide 3 Razões que justificam

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro

Inventário de Gases de Efeito Estufa da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro RELATÓRIO TÉCNICO Inventário de Gases de Efeito Estufa da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro Ano de referência: 2012 Outubro de 2013 RIO DE JANEIRO - RJ Rio de Janeiro RJ. Telefone: +55-21-3256-7968

Leia mais

Emissões no Transporte. Fórum de avaliação da atividades do downstream e aspectos ambientais da indústria

Emissões no Transporte. Fórum de avaliação da atividades do downstream e aspectos ambientais da indústria Emissões no Transporte Fórum de avaliação da atividades do downstream e aspectos ambientais da indústria Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Julho de 2009 Redução das Emissões no Transporte

Leia mais

CLIMA E MEIO AMBINETE, OS DESAFIOS PARA AS CIDADES Rafael Sindelar Barczak 12 de abril, 2016, Curitiba-PR

CLIMA E MEIO AMBINETE, OS DESAFIOS PARA AS CIDADES Rafael Sindelar Barczak 12 de abril, 2016, Curitiba-PR CLIMA E MEIO AMBINETE, OS DESAFIOS PARA AS CIDADES Rafael Sindelar Barczak 12 de abril, 2016, Curitiba-PR % de participação CLIMA E MEIO AMBIENTE, OS DESAFIOS PARA AS CIDADES Consumo Energético e Emissões

Leia mais

Acordos assinados por ocasião da Visita ao Brasil da Chanceler Federal da Alemanha, Angela Merkel. Brasília, 14 de maio de 2008

Acordos assinados por ocasião da Visita ao Brasil da Chanceler Federal da Alemanha, Angela Merkel. Brasília, 14 de maio de 2008 Nota nº 229-14/05/2008 Distribuição 22 Acordos assinados por ocasião da Visita ao Brasil da Chanceler Federal da Alemanha, Angela Merkel Brasília, 14 de maio de 2008 Acordo entre o Governo da República

Leia mais

Direcão Desenvolvimento Sustentável Vice-Presidente do «Grand Lyon»

Direcão Desenvolvimento Sustentável Vice-Presidente do «Grand Lyon» Paris, 12 de março de 2012 O Grupo Bancário BPCE e a Comunidade Urbana Grand Lyon da região metropolitana da cidade de Lyon, propõem através desta nota a criação de uma plataforma mundial de bancos locais,

Leia mais

VIABILIDADE AMBIENTAL E ECONÔMICA DA RECUPERAÇÃO ENERGÉTICA DE RESÍDUOS POR MEIO DE COMBUSTÍVEL DERIVADO DE RESÍDUO - CDR

VIABILIDADE AMBIENTAL E ECONÔMICA DA RECUPERAÇÃO ENERGÉTICA DE RESÍDUOS POR MEIO DE COMBUSTÍVEL DERIVADO DE RESÍDUO - CDR VIABILIDADE AMBIENTAL E ECONÔMICA DA RECUPERAÇÃO ENERGÉTICA DE RESÍDUOS POR MEIO DE COMBUSTÍVEL DERIVADO DE RESÍDUO - CDR CONFERÊNCIA WASTE TO ENERGY 2014 MARILIA TISSOT DIRETORA EXECUTIVA VIABILIDADE

Leia mais

A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL

A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL BIODIESEL O que é? O biodiesel pode ser produzido a partir de qualquer óleo vegetal - tal como soja, girassol, canola, palma ou mamona -, assim como a partir de gordura

Leia mais