INFLUÊNCIA DO MARKETING NUTRICIONAL E DA MÍDIA NO COMPORTAMNETO ALIMENTAR INFANTIL: UMA REVISÃO DA LITERATURA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFLUÊNCIA DO MARKETING NUTRICIONAL E DA MÍDIA NO COMPORTAMNETO ALIMENTAR INFANTIL: UMA REVISÃO DA LITERATURA"

Transcrição

1 INFLUÊNCIA DO MARKETING NUTRICIONAL E DA MÍDIA NO COMPORTAMNETO ALIMENTAR INFANTIL: UMA REVISÃO DA LITERATURA Kamilla da Silva Ferreira¹ Larissa Loures Mendes² 1 Discente do Curso de Nutrição, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, MG, Brasil. 2 Professora Adjunta do Departamento de Nutrição/ICB da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, MG, Brasil. Dados para correspondência: Kamilla da Silva Ferreira Endereço Institucional: Universidade Federal de Juiz de Fora. Instituto de Ciências Biológicas. Departamento de Nutrição. Rua José Lourenço Kelmer, s/n Campus Universitário - São Pedro. CEP: Juiz de Fora MG. Tel: (32) Endereço eletrônico: Conflito de interesse: Os autores declaram não haver conflito de interesse.

2 1 Influência do marketing nutricional e da mídia no comportamento alimentar infantil: Uma revisão da literatura Influence of nutritional marketing and media on children's eating behavior : A literature review RESUMO: Objetivo: Atualmente a influência da mídia e do marketing nutricional no consumo alimentar tem aumentado, e quando se trata do público infantil essa influência é ainda maior. Dessa forma, verifica-se a importância da Educação alimentar e nutricional (EAN), como uma ferramenta para minimizar a influência negativa do marketing sobre as crianças, promovendo hábitos alimentares saudáveis. Diante do exposto, o presente estudo tem como objetivo verificar a influência do marketing nutricional e da mídia no comportamento alimentar infantil.métodos: Trata-se de uma revisão sistemática da literatura, que resultou de pesquisas nas bases de dados PubMed, Lilacs, Bireme e Scielo. Revisão: foram encontrados um total de 6956 artigos, dos quais 24 foram selecionados inicialmente e posteriormente12 foram utilizados por se adequarem melhor à proposta do estudo. Os resultados deste estudo revelam que a maioria dos produtos alimentícios destinados ao público infantil anunciados pela mídia são altamente calóricos e possuem alto teor de gorduras, açúcares e sódio e que a maioria das empresas faz uso de práticas inadequadas, como a associação da alimentação a brinquedos, ou utilização de linguagem lúdica em suas peças publicitárias para influenciar as crianças a consumirem seu produto. Comentários: Pode-se observar que a influência da mídia e do marketing nutricional no comportamento alimentar infantil é considerável e que esta, é muita das vezes negativa devido à veiculação equivocada do conteúdo nutricional dos alimentos anunciados e que a EAN é uma importante ferramenta no combate a essa influencia e na promoção de hábitos saudáveis. PALAVRAS-CHAVE: Marketing, Nutricional, Comportamento, Alimentar, Mídia, Infantil.

3 2 ABSTRACT: Objective: Currently the influence of media and marketing nutrition in food consumption has increased, and when it comes to the child audience that influence is even greater. Thus, there is the importance of food and nutrition education (EAN) as a tool to minimize the negative influence of marketing on children, promoting healthy eating habits. Given the above, this study aims to determine the influence of nutritional marketing and media in infantil.métodos eating behavior: This is a systematic review of the literature, which resulted from research in PubMed, Lilacs, and Bireme scielo. Review: found a total of 6956 articles, of which 24 were selected initially and posteriormente12 were used by fit better to the study proposal. The results of this study show that the majority of food products intended to children announced by the media are highly caloric and have high content of fats, sugars and sodium and that most companies make use of inappropriate practices, such as the power of association with toys or use of playful language in their advertising campaigns to influence children to consume your product. Comments: It can be seen that the influence of the media and nutritional marketing on children's eating behavior is considerable and that this is much of the time negative due to wrong placement of the nutritional content of foods advertised and that the EAN is an important tool in the fight this influence and promoting healthy habits. KEYWORDS: Marketing, Nutrition, Behavior, Food, Media, Children.

4 3 INTRODUÇÃO Nos dias atuais a influência da mídia e do marketing nutricional no consumo alimentar das pessoas e cada vez mais frequente, e quando se trata do público infantil essa influência é ainda maior devido à quantidade de produtos que incorporam algum apelo infantil¹. As crianças são vistas pela mídia como potenciais consumidores e, além disso, exercem importante influência no consumo da família, neste sentido a maioria dos programas, propagandas e anúncios voltados para esse público visam mais o interesse comercial do que os aspectos sociais, éticos e da saúde². Os comerciais veiculados pela televisão, por exemplo, possuem altos investimentos publicitários, que tem como objetivo causar impacto nos horários de grande audiência para sua população alvo, e para isso fazem o uso de imagens, sons, movimentos e cores para chamar a atenção dos consumidores e desencadear uma escolha³. Nesse sentido, percebe-se que o público infantil é mais vulnerável aos apelos promocionais, pois não conseguem identificar essas estratégias do marketing e da mídia e, com isso tal público tem sido influenciando também no que diz respeito às práticas alimentares. Este fato pode ser evidenciado pelo crescimento no número de anúncios de alimentos ultraprocessados, altamente calóricos, ricos em gordura, açúcar e sódio que influenciam negativamente a alimentação e o estado nutricional das crianças, contribuindo na epidemia do sobrepeso e obesidade observada nas últimas décadas 4. Dessa forma, verifica-se a importância da Educação alimentar e nutricional, que pode ser usada como uma ferramenta para minimizar a influencia negativa do marketing sobre as crianças, promovendo hábitos alimentares adequados e saudáveis desde a infância. Diante do exposto, o presente estudo tem como objetivo verificar a influência do marketing nutricional e da mídia no comportamento alimentar infantil por meio de uma revisão da literatura.

5 4 MÉTODOS Trata-se de uma revisão sistemática da literatura sobre a influência do marketing nutricional e da mídia no comportamento alimentar infantil. A composição do presente trabalho resultou de pesquisas nas bases de dados PubMed, Lilacs, Bireme (Biblioteca Virtual da Saúde) e Scielo. A busca foi restrita aos artigos publicados em um período de 10 anos nas bases de dados, sendo assim entre os anos de 2004 e 2014, a partir dos seguintes descritores cadastrados nos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): Marketing, Nutricional, Mídia, Comportamento Alimentar e Infantil. Para a inclusão dos artigos foi analisado primeiramente os seus títulos e secundariamente seus resumos, e foram selecionados aqueles que tratavam do assunto em estudo. Foram desconsiderados os artigos que não tratavam do tema em estudo, artigos de revisão de literatura, capítulos de livro e artigos com acesso negado. REVISÃO Resultados: A seleção dos artigos que compuseram o presente estudo foi realizada entre os meses de setembro e outubro de 2014, encontrando-se um total de 6956 artigos, dos quais 24 foram selecionados inicialmente de acordo com os critérios de inclusão (QUADRO 1). O levantamento e seleção dos artigos foi realizado nas bases de dados PubMed, Lilacs, Bireme (Biblioteca Virtual da Saúde) e Scielo associando os descritores Marketing, Nutricional, Mídia, Comportamento Alimentar e Infantil, conforme já mencionado. A partir de um filtro inicial foram selecionados os artigos presentes no (QUADRO 2). Após o filtro inicial, foi realizado um segundo filtro a partir de uma leitura mais criteriosa, onde realmente foram selecionados e utilizados 12 artigos por se adequarem melhor à proposta do estudo. O (QUADRO 3) descreve o título, autor, o ano e um resumo do objetivo, método, resultados/discussão e conclusão de cada artigo. Discussão: Os resultados deste estudo revelam que a maioria dos produtos alimentícios destinados ao público infantil anunciados pela mídia são altamente calóricos e possuem alto teor de

6 5 gorduras, açúcares e sódio. Além disso, verificou-se que a maioria das empresas faz o uso de práticas inadequadas, como a associação da alimentação a brinquedos, ou utilização de linguagem lúdica própria do universo infantil em suas peças publicitárias para influenciar as crianças a consumirem seu produto, o que é um dado preocupante uma vez que as crianças são um público extremamente vulnerável e podem ser persuadidos com facilidade. De acordo com IGLESIAS et al., e HARRISON et al., , as estratégias de persuasão da mídia voltadas para o consumo tem se tornado cada vez mais complexas e alcançado maior número de consumidores devido ao advento da internet, televisão e outras fontes de informação e é possível observar que no caso do público infantil a mídia lança mão de estratégias que são voltadas não somente para as crianças como também para seus pais ou responsáveis o que torna ainda mais importante o papel desses, já que dever deles manter a integridade da despensa da família, não só através de compras seletivas, mas também através de esforços para instruir seus filhos sobre uma alimentação mais saudável. Pode-se observar também através do estudo feito por COSTA et al., ,que a publicidade de alimentos se destaca na programação televisiva no Brasil, e que a maioria dos alimentos é pertencentes aos grupos dos óleos, gorduras e sementes oleaginosas, açúcares e doces, além de mostrar que o conteúdo das propagandas é diferenciado de acordo com o período do dia, sendo observada maior publicidade de alimentos no período da tarde, quando é mais provável das crianças estarem em casa após terem ido à escola. Já o estudo de GERALDO e SILVA, ,atentou para o uso das embalagens como estratégia de marketing, pois elas também desempenham um importante papel na escolha dos produtos alimentares dirigidos ao público infantil, já que nelas por veicularem personagens, logotipos, cores e outros fatores que são capazes de despertar a atenção das crianças. Além disso, outra estratégia de marketing que acaba influenciando a compra são as informações adicionais das embalagens que dizem é assado e 0 % de gordura trans, quando na realidade o produto acaba fornecendo grandes quantidades de gordura, sódio e açúcares por exemplo. Alguns estudos como os de UEDA et al, , NETO e MELO, , e MIOTTO et al., 2006¹, não encontraram evidências de uma ligação entre a exposição ao marketing e maus hábitos alimentares, os atributos como sabor e qualidade do produto teriam maior influencia na decisão de compra, o que evidencia a importância de serem realizados mais estudos sobre esse assunto, já que, a maioria dos estudos mostra que o público infantil

7 6 apresentou um consumo aumentado de alimentos industrializados e uma maior facilidade no acesso aos meios de comunicação nos quais esses alimentos são constantemente anunciados. Neste sentido a possível influencia da mídia e do marketing no consumo alimentar infantil é um tema relevante, uma vez que o aumento do consumo de alimentos ultraprocessados pode levar a obesidade e trazer um prejuízo enorme à saúde das crianças, aumentando o risco de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) como doenças cardiovasculares, câncer, doenças respiratórias crônicas e diabetes 6. Ressalta-se ainda que o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA), em abril de 2014, aprovou uma resolução que, na prática, proíbe a veiculação de propagandas voltadas para crianças. Para o Conanda, a publicidade infantil fere o que está previsto na Constituição Federal, no Estatuto da Criança e do Adolescente e no Código de Defesa do Consumidor, agora resta que os governos adotem essas recomendações e implementem políticas para regrar a publicidade direcionada às crianças 29. Outra importante medida que poderia ser tomada pelos governos seria a promoção de práticas alimentares saudáveis na mídia, principalmente visando o público infantil, como no estudo feito por NICKLAS et al., , onde foram elaborados comerciais de promoção de vegetais e frutas que pode ser uma estratégia eficaz para influenciar as preferências das crianças a ter uma alimentação mais saudável. Por fim, cabe ressaltar que no que diz respeito aos abusos da mídia voltada para o público infantil a população precisa cobrar de seus governantes medidas de regulamentação para que a lei seja cumprida, além disso, destaca-se a importância da promoção de práticas de Educação Alimentar e Nutricional direcionadas ao público infantil como uma forma de contribuir para a formação de bons hábitos alimentares saudáveis desde a infância, de modo a minimizar a influência da mídia e do marketing nas escolhas alimentares. COMENTÁRIOS Pode-se observar que a influência da mídia e do marketing nutricional no comportamento alimentar infantil é considerável e que esta é muita das vezes negativa devido à veiculação equivocada do conteúdo nutricional dos alimentos anunciados. Diante disso, a Educação Alimentar e Nutricional torna-se uma importante ferramenta no combate a essa influência negativa sobre as crianças, pois através de intervenções visando

8 7 a promoção de hábitos alimentares mais saudáveis é possível que no futuro se diminua o consumo de alimentos industrializados e se previna doenças relacionadas a má alimentação.

9 8 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. MIOTTO A C, OLIVEIRA AF. A influência da mídia nos hábitos alimentares de crianças de baixa renda do Projeto Nutrir. Revista Paulista de Pediatria 2006;24(2): VILLAGELIM ASB, PRADO SD. Algumas reflexões sobre marketing televisivo: o olhar de nutricionistas sobre um filme de alimento industrializado. CERES; 2008; 3(1); SANTOS CC, STUCHI RAG, SENA CA, PINTO NAVD. A influência da Televisão nos Hábitos, Costumes e Comportamento Alimentar. Cogitare Enferm Jan/Mar; 17(1): MOURA NC. Influência da Mídia no Comportamento Alimentar de Crianças e Adolescentes. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, 17(1): , UEDA P, TONG L, VIEDMA C, CHANDY SJ, MARRONE G, SIMON A. Food Marketing towards Children: Brand Logo Recognition, Food-Related Behavior and BMI among 3 13-Year-Olds in a South Indian Town.. PLoS ONE. October 2012 ; 7(10): e doi: ADAMS J, TYRRELL R, ADAMSON AJ, WHITE M. Effect of Restrictions on Television Food Advertising to Children on Exposure to Advertisements for Less Healthy Foods: Repeat Cross-Sectional Study. PLoS ONE; 2012; 7(2): e doi: /journal.pone POWELL LM, SCHERMBECK RM, SZCZYPKA G, CHALOUPKA FJ, BRAUNSCHWEIG CL. Trends in the Nutritional Content of TV Food Advertisements Seen by Children in the US: Analyses by Age, Food Categories and Companies, Arch Pediatr Adolesc Med December ; 165(12): doi: /archpediatrics NICKLAS TA, GOH ET, GOODELL LS, ACUFF DS, REIHER R, BUDAY R, et al., Impact of Commercials on Food Preferences of Low-Income Minority Preschoolers, J Nutr Educ Behav ; 43(1): doi: /j.jneb PARVANTA AS, BROWN JD, DU S, ZIMMER CR, ZHAO X, ZHA F. TV Use and Snacking Behaviors Among Children and Adolescents in China, J Adolesc Health April ; 46(4): doi: /j.jadohealth HARRISON K, MARSKE A. Nutritional Content of Foods Advertised During the Television Programs Children Watch Most, American Journal of Public Health September 2005, Vol 95, No. 9.

10 9 11. TOLONI MHA, LONGO-SILVA G, GOULART MM, TADDEI JAAC. Introdução de alimentos industrializados e de alimentos de uso tradicional na dieta de crianças de creches públicas no município de São Paulo, Rev. Nutr., Campinas, 24(1):61-70, jan./fev., NETO ARV, MELO LGNS. Fatores de influência no comportamento de compra de alimentos por crianças. Saúde Soc. São Paulo, v.22, n.2, p , QUAIOTI TCB, ALMEIDA SS. Determinantes Psicobiológicos do Comportamento Alimentar: Uma Ênfase em Fatores Ambientais que Contribuem para a Obesidade. Psicologia USP, 2006, 17(4), COSTA SMM, HORTA PM, SANTOS LC. Análise dos alimentos anunciados durante a programação infantil em emissoras de canal aberto no Brasil, Rev Bras Epidemiol, 2013; 16(4): MOTTA-GALLO S, GALLO P, CUENCA A. Influencia da Televisão nos hábitos Alimentares de Crianças do Nordeste Brasileiro. Journal of Human Growth and Development; 2013; 23(1): GERALDO APG, SILVA MEMP, Alimentos processados na alimentação infantil: Análise da memoria visual de escolares da cidade de Taubaté, SJournal of Human Growth and Development 2012; 22(1): RODRIGUES VM, FIATES GM. Hábitos alimentares e comportamento de consumo infantil: influência da renda familiar e do hábito de assistir à televisão. Rev. Nutr., Campinas, 25(3): , maio/jun., MEHTA K, PHILLIPS C, WARD P, COVENEY J, HANDSLEY E, CARTER P. Marketing foods to children through product packaging: prolific, unhealthy and misleading, Public Health Nutrition, 2012,15(9), LINGAS EO, DORFMAN L, BUKOFZER E. Nutrition Content of Food and Beverage Products onweb Sites PopularWith Children, Supplement 3, 2009, Vol 99, No. S3 American Journal of Public Health. 20. Elena O. Lingas, DrPH, Lori Dorfman, Eliana Bukofzer, Nutrition Content of Food and Beverage Products onweb Sites PopularWith Children. American Journal of Public Health; 2009, Vol 99, No. S HRRIS JL, GRAFF SK. Protecting children from harmful food marketing: options for local government to make a difference. Prev Chronic Dis; 2011;8(5):A WESTHERSPOON LJ, QUILLIAM ET, PEEK H, KIM S, VENKATESH S, PLASENCIA J, et al. Consistency of Nutrition Recommendations for Foods Marketed to Childrem in the United States, Prev Chronic Dis, 2013;10; CUIXART MC, PRIM CC, SOLA TG, CABA CR. Estudio del comportamiento alimentario en escolares de 11 a 13 años de Barcelona, Nutr Hosp. 2006;21(4): CUEVAS-CASADO I,ROMERO- FERNADEZ MM, ROYO-BORDONADA MA. Uso del marketing nutricional en productos anunciados por televisión en España. Nutr. Hosp. 2012;27(5):

11 IGLESIAS F, CALDAS LS, LEMOS SMS. Publicidade Infantil: Uma Analise de Táticas persuasivas na tv aberta. ABERTA, Psicologia & Sociedade; 25(1): , LEMA S, VAZQUEZ N, ANTUN C, GIAI M, GRACIANO A, FRAGA C, et al. Factores que inciden en la compra de alimentos en distintos ámbitos de comercialización y su relación con la implementación de Educación Alimentaria Nutricional (ean ). DIAETA (B.Aires) 2010; 28(133): VIANA V,SINDE S. O comportamento alimentar em crianças: Estudo de validação de um questionário numa amostra portuguesa (CEBQ), Análise Psicológica (2008), 1 (XXVI): FIATES GMR, AMBONI RDMC, TEIXEIRA E. Comportamento consumidor, hábitos alimentares e consumo de televisão por escolares de Florianópolis, Rev. Nutr., Campinas, 21(1): , jan./fev., IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), Idec cobra do governo regulação da publicidade infantil, [acesso em 13 de novembro de 2014],Disponível em :

12 11 Quadro 1- Resultado do levantamento dos artigos Artigos/ Bases de Dados Encontrados Selecionados Total PubMed LILACS Bireme SciELO Quadro2- Artigos selecionados na primeira triagem Título do artigo Primeiro Autor Periódico Ano Food Marketing towards Children: Brand Logo Recognition, Food-Related PLOS ONE Peter Ueda Behavior and BMI among Year-Olds in a South Indian Town Effect of Restrictions on Television Food Advertising to Children on Exposure to Jean Adams PLOS ONE 2012 Advertisements for Less Healthy Foods: Repeat Cross-Sectional Study Trends in the Nutritional Content of TV Food Advertisements Seen by Children in the US: Lisa M. Powell Arch Pediatr Adolesc Med 2011 Analyses by Age, Food Categories and Companies Impact of Commercials on Food Preferences of Low- Theresa A. Nicklas Income J Nutr Educ Behav 2012 Minority Preschoolers TV Use and Snacking Behaviors Among Children Sarah A. Parvanta and Adolescents J Adolesc Health 2011 in China Nutritional Content of Foods Advertised During the Television Programs Children Watch Most Introdução de alimentos industrializados e de alimentos de uso tradicional na dieta de crianças de creches públicas no município de São Paulo Fatores de influencia no comportamento de compra de alimentos por crianças Determinantes psicobiológicos do comportamento alimentar: Kristen Harrison Maysa Helena de Aguiar TOLONI Alipio Ramos Veiga Neto Teresa Cristina Bolzan Quaioti American Journal of Public Health 2005 Revista de Nutrição 2011 Saúde Soc Psicologia USP 2006

13 12 Uma ênfase em fatores ambientais que contribuem para a obesidade Análise dos alimentos anunciados durante a programação infantil em emissoras de canal aberto no Brasil Influencia da televisão nos hábitos alimentares de crianças do nordeste brasileiro Alimentos processados na alimentação infantil: Análise da memória visual de escolares da cidade de Taubaté, São Paulo. A influência da mídia nos hábitos alimentares de crianças de baixa renda do Projeto Nutrir. Hábitos alimentares e comportamento de consumo infantil: influência da renda famili1ar e do hábito de assistir à televisão Marketing foods to children through product packaging: prolific, unhealthy and misleading Nutrition Content of Food and Beverage Products onweb Sites PopularWith Children Protecting Children From Harmful Food Marketing: Options for Local Government to Make a Difference Consistency of Nutrition Recommendations for foods marketed to children in the United States, Estudio del comportamiento alimentario en escolares de 11 a 13 años de Barcelona Suzane Mota Marques Costa Sophia Motta Gallo Ana Paula Gines Geraldo Rev. Brasileira de Epidemiologia Journal of Human Growth and Development Journal of Human Growth and Development Ana Cristina Miotto Rev. Paulista de Pediatria 2006 Vanessa Mello Rodrigues Revista de Nutrição 2012 Kaye Mehta1,2 Public Health Nutrition 2012 Elena O. Lingas Jennifer L. Harris govern Lorraine J. Weatherspoon American Journal of Public Health 2009 Prevening Chronic Disease 2011 Prevening Chronic Disease M. Castells Cuixart Nutricion Hospitalaria Uso del marketing nutricional en productos anunciados por televisión Cuevas-Casado Nutricion Hospitalaria 2012 en España PUBLICIDADE INFANTIL: UMA ANÁLISE DE TÁTICAS Fabio Iglesias Psicologia & Sociedade 2013 PERSUASIVAS NA TV ABERTA Factores que inciden en la Lema S. diaeta 2010

14 13 compra de alimentos en distintos ámbitos de comercialización y su relación con la implementación de Educación Alimentaria Nutricional (ean ) O comportamento alimentar em crianças: Estudo de validação de um questionário numa amostra portuguesa (CEBQ) Comportamento consumidor, hábitos alimentares e consumo de televisão por escolares de Florianópolis. VICTOR VIANA Análise Psicológica 2008 Giovanna Medeiros Rataichesck FIATES Revista de Nutrição 2008

15 14 QUADRO 3- Artigos Utilizados no Estudo Título do artigo Primeiro Autor Ano Objetivo Método Resultados/ Discussão Conclusões Food Marketing towards Children: Brand Logo Recognition, Food-Related Behavior and BMI among 3 13-Year-Olds in a South Indian Town (Marketing de Alimentos para crianças: Reconhecimento do logotipo, comportamento alimentar relacionado com IMC de crianças com 3-13 anos em uma cidade do sul da Índia) Peter Ueda 2012 Avaliar a exposição e comercialização de alimentos pouco saudáveis e sua relação com o comportamento alimentar e o IMC de crianças de 3 a 13 anos de idade, a partir de diferentes classes contextos socioeconômicos em uma cidade do sul da Índia. Foram recrutados pares de crianças e pais (n=306) em clínicas pediátricas. A partir dai foi avaliado a exposição ao marketing por um teste de reconhecimento do logotipo digital de alimentos considerados não saudáveis. Foi avaliado o conhecimento nutricional, preferências alimentares, pedidos de compra, comportamento alimentar e característica socioeconômica das crianças por um jogo digital e questionários para os pais e foram registradas medidas antropométricas. As taxas de reconhecimento para os logotipos das marcas variaram de 30% a 80%, já a capacidade de reconhecimento do Logo aumentou com a idade e nível socioeconômico. Ajustado por sexo, idade e grupo socioeconômico, o reconhecimento do logotipo foi associado com maior IMC, mas não teve relação com as escolhas alimentares ou pedidos de compras. Concluiu-se que crianças a partir dos grupos socioeconômicos mais elevados da região tiveram maior capacidade de reconhecimento do logotipo da marca e estão possivelmente mais expostos a comercialização de alimentos. No entanto o estudo não fornece evidências de uma ligação entre a exposição ao marketing e maus hábitos alimentares, conhecimento nutricional distorcido ou aumento do comportamento de solicitação de compra.a correlação entre o reconhecimento do logotipo e IMC garante uma investigação mais aprofundada sobre a comercialização de alimentos para as crianças e seu papel potencial no aumento da carga de doenças não transmissíveis nesta parte da Índia. M, Effect of Restrictions on Television Food Advertising to Children on Exposure to Advertisements for Less Healthy Foods: Repeat Cross- Sectional Study Jean Adams 2012 O objetivo das restrições era "reduzir significativamente a exposição das crianças menores de 16 anos de alto teor de gordura, sal ou açúcar (ESIC) publicidade". Nós exploramos o Foram realizados dois estudos transversais de todas as mensagens publicitárias distribuídas em uma região do Reino Unido durante períodos de uma semana - a primeira (1ª semana) foram introduzidos seis meses antes das restrições, e a segunda (semana 2) seis publicidade PMV foram incluídos. 14,6% da publicidade PMV foram para alimentos e 51,1% deles eram para ESIC alimentos. Exposição relativa de todos os espectadores a ESIC publicidade de alimentos aumentou entre as semanas de estudo 1 e 2 (razão de chances (intervalo de confiança de 99%) Apesar da boa adesão às restrições, eles não alterar a exposição relativa de crianças a ESIC publicidade e foram associados com um aumento da exposição relativa de todos os espectadores a ESIC publicidade. Restrições mais fortes visando uma ampla gama de anúncios são necessárias para reduzir a exposição das crianças ao marketing de alimentos menos saudáveis.

16 15 Impact of Commercials on Food Preferences of Low- Income Minority Preschoolers (Impacto da Publicidade em preferências alimentares de pré- escolares de baixa renda) Theresa A. Nicklas impacto das restrições à exposição relativa a ESIC publicidade de alimentos entre todos os telespectadores e entre os telespectadores criança, bem como o cumprimento das restrições Determinar se comerciais de frutas e vegetais (FV) têm impacto sobre as preferencias alimentares das crianças. meses após. Dados sobre quais os produtos foram anunciados estavam ligados a dados sobre quantas pessoas assistiram cada anúncio. Conteúdo nutricional dos alimentos anunciados foi adicionado ao conjunto de dados e usadas para calcular o status ESIC. Exposição relativa foi calculada como a proporção de todas as pessoas-hora-views publicidade (PMVs) que foram para alimentos HFSS. Foram desenvolvidos dois comerciais de 30 segundos; "Judy frutado" promovendo maças e bananas e "Reggie Veggie", promovendo o brócolis e a cenoura. Os comerciais foram incluídos em um programa de TV de 15 minutos. Preferências por FV foram avaliadas antes e após quatro exposições a cada um dos anúncios publicitários. O estudo teve a participação de 183 crianças pré-escolares. = 1 54 ( )). Exposição das crianças a ESIC publicidade de alimentos não se alterou entre as semanas de estudo 1 e 2 (razão de chances (intervalo de confiança de 99%) = 1 05 ( )). Houve adesão quase universal às restrições. Houve uma preferência significativamente maior para brócolis e no grupo de intervenção em comparação com o grupo controle após várias exposições ao comercial vegetal. Os dados sugerem que comerciais de promoção de vegetais pode ser uma estratégia eficaz para influenciar as preferências das crianças pequenas para os vegetais. Isto pode não ser o caso com as preferências de fruta que já estão em alta neste grupo.

17 16 Nutritional Content of Foods Advertised During the Television Programs Children Watch Most (Conteúdo nutricional dos alimentos anunciados durante o intervalo de programas de televisão) Fatores de influencia no comportamento de compra de alimentos por crianças Kristen Harrison Alipio Ramos Veiga Neto 2005 Avaliar o teor nutricional, o tipo de alimento e caracteres como desenho animado veiculado durante as propagandas de televisão que são vistas pelas crianças Objetivou-se analisar os fatores que influenciam crianças em seu comportamento de compra de alimentos. As propagandas de alimentos que visam o público em geral e as crianças foram classificadas por tipo de comida e atributos de caracteres, depois foram analisadas "informações nutricionais" das embalagens dos alimentos anunciados. Tendo como sujeitos 175 alunos com idades compreendidas entre 10 e 12 anos, identificaram-se 35 variáveis que foram classificadas entre estímulos antecedentes (cenário ou histórico de aprendizado) e consequentes (reforço utilitário ou informativo) no comportamento de compra. Conveniência / fast food e doces composta de 83% dos alimentos anunciados. Lanches rápidos eram representados com mais frequência do que o almoço e jantar. Tamanho do corpo e características aparentes não estava relacionado com o comportamento alimentar. A dieta de 2000 calorias de alimentos nas propagandas em geral para audiência seria superior ao recomendado para valores diários de gordura total, gordura saturada, açúcar e sódio. Verificou-se que os estímulos reforçadores (consequentes) têm maior grau de importância para a decisão de compra de alimentos desses sujeitos do que os estímulos antecedentes, sendo que as consequências utilitárias são mais influentes do que as informativas. Lanches rápidos, conveniência, fast foods e doces continuam a dominar a publicidade de alimentos vistos por crianças. Alimentos anunciados excedem o teor de gordura, gordura saturada e sódio recomendado, mas não fornecem quantidade adequada de fibras e algumas vitaminas e minerais. Conclui-se que os atributos dos produtos, como sabor e qualidade, têm maior influência na decisão de compra do que os estímulos ambientais, como as promoções e publicidade dos alimentos. Análise dos alimentos anunciados durante a programação infantil em emissoras de canal aberto no Suzane Mota Marques Costa 2013 Analisar os tipos de alimentos veiculados em propagandas da Estudo descritivo com avaliação do conteúdo das propagandas veiculadas entre 08h00 min e 18h00 Foram gravadas 126 horas de programação, totalizando propagandas, sendo 13,8% de alimentos. Verificou-se A publicidade de alimentos se concentra em produtos pobres nutricionalmente, denotando a necessidade de estratégias de intervenção específicas.

18 17 Brasil televisão aberta brasileira durante a programação infantil. min em três emissoras brasileiras de televisão de canal aberto (A, B e C). A coleta de dados foi realizada durante 10 dias de semana e finais de semana. As propagandas de alimentos foram classificadas segundo os grupos alimentares do Guia Alimentar para a População Brasileira e obteve-se a exposição anual às propagandas de alimentos, considerando a média nacional de exposição de crianças a cinco horas diárias à televisão. Os testes χ 2 ou Exato de Fisher foram conduzidos no intuito de identificar as diferenças do conteúdo das propagandas televisivas nos turnos manhã e tarde e entre as emissoras. predominância de anúncio de produtos pertencentes aos grupos dos "açúcares e doces" (48,1%) e "óleos, gorduras e sementes oleaginosas" (29,1%). Observou-se maior publicidade dos alimentos no período da tarde (15,7%; manhã: 12,2%; p = 0,037). Ademais, a emissora de maior audiência foi a que mais veiculou propagandas de alimentos (A: 63,5%; B: 12,2%; C: 24,3%), sobretudo alimentos ricos em açúcares e doces (A: 59,2%; B: 43,5%; C: 21,7%). Por fim, obteve-se média de exposição anual de crianças brasileiras a 2.737,5 propagandas de alimentos, sendo 2.106,3 ricos em açúcares e gorduras. Influencia da televisão nos hábitos alimentares de crianças do nordeste brasileiro Sophia Motta Gallo 2013 O objetivo deste estudo é aprofundar a compreensão sobre a influência da televisão nos hábitos alimentares de crianças a partir da análise da 14 entrevistas semiestruturadas foram aplicadas em cuidadores mãe, pai e avó, de 29 crianças escolares com idade entre 7 e 9 anos, matriculadas na 2ª Série do Ensino Fundamental de uma Escola Pública da periferia urbana de um Estão nas demandas e nos critérios de escolha dos alimentos e dos brinquedos das crianças. Também perceberam que as decisões de compra da família passam a ser reguladas pelas solicitações das crianças motivadas pelas propagandas televisivas. E que as preferências alimentares a Os cuidadores identificam a influência da televisão nos hábitos de consumo alimentar das crianças, mas não conseguem entender a magnitude dessa influência na vida das crianças por eles cuidadas. Entender essa magnitude é um desafio que nos é colocado a partir deste estudo.

19 18 Alimentos processados na alimentação infantil: Análise da memória visual de escolares da cidade de Taubaté, São Paulo. Ana Paula Gines Geraldo percepção dos cuidadores mãe, pai e avó Descrever a memória visual de crianças em relação à embalagem de salgadinho e biscoito doce recheado e relacioná-las ao estado nutricional, série escolar e sexo. município do Nordeste Brasileiro. As entrevistas foram gravadas e transcritos os discursos. Os resultados foram apresentados em quadros temáticos de análises e analisados à luz da teoria sócio-histórica, com base nas contribuições de Vygotsky (1984) e Bakhtin (2001). Foi realizada a técnica de desenho com 152 alunos de 6 a 10 anos, matriculados no ensino fundamental de uma escola da cidade de Taubaté, São Paulo. Foram coletados dados antropométricos, calculado o IMC, a frequência de cada componente do desenho e realizado o teste qui-quadrado para analisar a sua relação com as variáveis em estudo. estrutura e o ritmo das refeições das crianças sofreram modificações devido à influência deste veículo midiático. Para as embalagens de salgadinho, os componentes que apareceram com maior frequência nos desenhos foram marca (54,6%), imagem do produto (45,4%) e personagem (27,0%) e as cores mais utilizadas a vermelha (36,8%), a azul (30,3%) e a amarela (22,4%). Para os biscoitos apareceram com maior frequência marca (62,5%) e personagem (30,9%) e as cores mais utilizadas a azul (36,8%) e marrom (26,3%). As cores identificadas pelas crianças, tanto para salgadinho, como para biscoito condizem com os produtos comercializados. As meninas se lembraram mais da imagem do salgadinho (p = 0,016) e dos personagens na embalagem do biscoito (p = 0,04). Não foram observadas diferenças estatísticas significativas entre a lembrança Observa-se que as estratégias de marketing são instrumentos amplamente utilizados na indústria alimentícia com foco na criança e que seus produtos comerciais, salgadinhos e biscoitos recheados, são amplamente fixados nesta população.

20 19 A influência da mídia nos hábitos alimentares de crianças de baixa renda do Projeto Nutrir. Ana Cristina Miotto 2006 Avaliar a influência da mídia nos hábitos alimentares de crianças de baixa renda. Foram estudadas crianças de 7 a 10 anos de idade, matriculadas em 2005 na 1ª a 4ª série do ensino fundamental de uma escola filantrópica do Município de Cascavel (PR), participantes de um programa de educação nutricional, o Projeto Nutrir. Aplicou-se um questionário com perguntas sobre preferências alimentares e programas de televisão assistidos. Gravou-se a programação infantil das redes de televisão, em junho e julho de Os alimentos veiculados foram classificados como saudáveis (cereais, hortaliças, frutas, produtos lácteos, carnes e leguminosas) e não saudáveis (açúcares e gorduras). Com base no índice de massa corpórea, as crianças foram consideradas desnutridas se IMC<percentil 5; sem excesso de peso se p5<imc<p85 e com excesso de peso se IMC p85. dos componentes da embalagem e o estado nutricional e entre a cor escolhida e sexo da criança. Das 114 crianças estudadas, 18 (15,8%) eram desnutridas e 9 (7,9%) apresentavam excesso de peso, sendo quatro com sobrepeso e cinco obesas. Assistiam ao SBT 96 (84,2%) crianças e à rede Globo 83 (72,8%). Não houve relação entre preferências alimentares e o canal assistido, entretanto 73 (64,0%) crianças desejavam algum alimento não saudável e 108 (94,7%) mães, sempre que podiam, procuravam atender aos pedidos dos filhos. Quanto à preferência alimentar, 24 (21,1%) crianças disseram gostar mais de alimentos do grupo dos cereais e 18 (15,8%) de alimentos do grupo das gorduras. Não houve associação entre preferências alimentares e a mídia. Mais estudos são necessários para avaliar a influência da mídia contraposta a programas de educação nutricional como o Projeto Nutrir.

Regulamentação do marketing de alimentos: uma questão de saúde pública

Regulamentação do marketing de alimentos: uma questão de saúde pública Audiência Pública P 18 de novembro de 2009 Regulamentação do marketing de alimentos: uma questão de saúde pública Maria José Delgado Fagundes Gerente Geral - /ANVISA Perfil Epidemiológico Brasileiro Atual:

Leia mais

Quantidade e qualidade de produtos alimentícios anunciados na televisão brasileira Amount and quality of food advertisement on Brazilian television

Quantidade e qualidade de produtos alimentícios anunciados na televisão brasileira Amount and quality of food advertisement on Brazilian television Rev Saúde Pública 2002;36(3):353-5 www.fsp.usp.br/rsp 353 Quantidade e qualidade de produtos alimentícios anunciados na televisão brasileira Amount and quality of food advertisement on Brazilian television

Leia mais

HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES

HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES Larissa Paula da Silva de Souza 1, Sara Leal de Lima 2, Angela Andréia França Gravena 3 RESUMO:

Leia mais

ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ

ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ ALVES,K.L.; MARIN,T. Resumo: Alimentação saudável é

Leia mais

PERFIL ALIMENTAR DE MENINAS DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO INTERIOR DE SÃO PAULO

PERFIL ALIMENTAR DE MENINAS DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO INTERIOR DE SÃO PAULO PERFIL ALIMENTAR DE MENINAS DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO INTERIOR DE SÃO PAULO Mari Uyeda Beatriz Conti RESUMO Muito tem se falado sobre a importância da educação nutricional em instituições de ensino para

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

Pesquisa. Consumo de Frutas e Hortaliças

Pesquisa. Consumo de Frutas e Hortaliças Pesquisa Consumo de Frutas e Hortaliças Pesquisa Quantitativa Consumo de Frutas e Hortaliças Elaborado por CONNECTION RESEARCH Maio 2011 2 Objetivos da pesquisa. Estudar os hábitos alimentares da população

Leia mais

Avanços na Regulação da Publicidade Infantil

Avanços na Regulação da Publicidade Infantil Avanços na Regulação da Publicidade Infantil IV Fórum de Monitoramento do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis no Brasil AGO/2014 O arsenal de publicidade

Leia mais

Lisa Gunn e Vera Barral

Lisa Gunn e Vera Barral Fast food: pesquisa sobre composição nutricional e publicidade Lisa Gunn e Vera Barral O Idec O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor é uma associação de consumidores, sem fins lucrativos, fundada

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL. CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de. Segurança Alimentar e Nutricional

Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL. CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de. Segurança Alimentar e Nutricional Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL ComIda de VerDadE no CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Texto elaborado pelo Grupo de Trabalho

Leia mais

São Paulo, 14 de abril de 2011

São Paulo, 14 de abril de 2011 São Paulo, 14 de abril de 2011 Ao CONAR Conselho de Auto-Regulamentação Publicitária Avenida Paulista, nº 2073, Edifício Horsa II, 18º andar Conjunto Nacional São Paulo SP 01311-940 Ref.: Denúncia - Pedido

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari*

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* Resumo: Vasconcellos, Jorge** As mudanças ocorridas em nosso pais, principalmente a crescente modernização e urbanização,

Leia mais

Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT. Nutricionista Débora Razera Peluffo

Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT. Nutricionista Débora Razera Peluffo Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT Nutricionista Débora Razera Peluffo Perfil nutricional brasileiro Nas últimas décadas observou-se uma mudança no perfil epidemiológico da população brasileira:

Leia mais

Compromisso da Mondelēz Brasil

Compromisso da Mondelēz Brasil Compromisso da Mondelēz Brasil Compromisso da empresa A Mondelēz adota, mundialmente, regras para dirigir a publicidade de seus produtos a crianças de forma responsável. De acordo com tais regras, a Mondelēz

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA: INTRODUÇÃO DOS VEGETAIS NA REFEIÇÃO DAS CRIANÇAS

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA: INTRODUÇÃO DOS VEGETAIS NA REFEIÇÃO DAS CRIANÇAS EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA: INTRODUÇÃO DOS VEGETAIS NA REFEIÇÃO DAS CRIANÇAS Vanessa dos Santos Ortega Jéssica de Paula Francisco Laudicéia Soares Urbano INTRODUÇÃO As crianças estão entre as populações

Leia mais

Seminário Obesidade Infantil Câmara dos Deputados 22 de outubro de 2013 Ekaterine Karageorgiadis Advogada

Seminário Obesidade Infantil Câmara dos Deputados 22 de outubro de 2013 Ekaterine Karageorgiadis Advogada A influência da comunicação mercadológica dirigida às crianças Seminário Obesidade Infantil Câmara dos Deputados 22 de outubro de 2013 Ekaterine Karageorgiadis Advogada Instituto Alana: quem somos Projeto

Leia mais

PREVALÊNCIA DE OBESIDADE INFANTIL NOS CENTROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CMEI) DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PARANÁ

PREVALÊNCIA DE OBESIDADE INFANTIL NOS CENTROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CMEI) DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PARANÁ 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 PREVALÊNCIA DE OBESIDADE INFANTIL NOS CENTROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CMEI) DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PARANÁ Vanusa Pereira da Silva 1, Robsmeire

Leia mais

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Projeto Novos Talentos Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Oficina: Comer bem, para viver melhor! Cristiane da Cunha Alves Tatiane Garcez Bianca Maria de Lima Danielle Costa INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA

Leia mais

Alimentação e Crescimento Saudável em Escolares

Alimentação e Crescimento Saudável em Escolares 2 Alimentação e Crescimento Saudável em Escolares Cleliani de Cassia da Silva Especialista em Nutrição, Saúde e Qualidade de Vida FEF UNICAMP A idade escolar compreende o período da vida que se estende

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

VIGITEL 2014 Periodicidade Parceria: População monitorada 40.853 entrevistas

VIGITEL 2014 Periodicidade Parceria: População monitorada 40.853 entrevistas Ministério da Saúde Abril de 2014 VIGITEL 2014 Medir a prevalência de fatores de risco e proteção para doenças não transmissíveis na população brasileira Subsidiar ações de promoção da saúde e prevenção

Leia mais

Publicidade de Alimentos Veiculada em Canais de TV por Assinatura Dirigidos à População Infantil

Publicidade de Alimentos Veiculada em Canais de TV por Assinatura Dirigidos à População Infantil Publicidade de Alimentos Veiculada em Canais de TV por Assinatura Dirigidos à População Infantil ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES Publicidade de Alimentos Veiculada em Canais de TV por Assinatura

Leia mais

Influência das Propagandas de Televisão na Alimentação de Crianças e Adolescentes

Influência das Propagandas de Televisão na Alimentação de Crianças e Adolescentes 3 Influência das Propagandas de Televisão na Alimentação de Crianças e Adolescentes Érica Blascovi de Carvalho Bacharel em Nutrição pela Puc-Campinas A fase da vida que compreende a infância (5 a 9 anos)

Leia mais

Educação Alimentar e Nutricional no Espaço Escolar como Promotora de Vida Saudável

Educação Alimentar e Nutricional no Espaço Escolar como Promotora de Vida Saudável Educação Alimentar e Nutricional no Espaço Escolar como Promotora de Vida Saudável Comissão de Educação e Cultura da Câmara de Deputados 16 de outubro de 2007, Brasília-DF UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Leia mais

ANÁLISE DAS PROPAGANDAS DE ALIMENTOS E A INFLUÊNCIA NA OBESIDADE INFANTIL

ANÁLISE DAS PROPAGANDAS DE ALIMENTOS E A INFLUÊNCIA NA OBESIDADE INFANTIL ANÁLISE DAS PROPAGANDAS DE ALIMENTOS E A INFLUÊNCIA NA OBESIDADE INFANTIL FOGAÇA, Lidiana Malaquias Prado RESUMO: PALAVRAS-CHAVES: ABSTRACT: Childhood obesity is related to several metabolic and psychosocial

Leia mais

Anais do Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão. Volume 8, Número 8. Recife: Faculdade Senac PE, 2014.

Anais do Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão. Volume 8, Número 8. Recife: Faculdade Senac PE, 2014. CHÃO DE ESTRELAS: DA VIVÊNCIA CIDADÃ À DISCUSSÃO SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DOS HÁBITOS ALIMENTARES DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE UMA COMUNIDADE DE PERIFERIA João Paulo de Menezes Ana Rosa Nascimento, Lana

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 Institui diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas de educação infantil, fundamental e de nível médio das redes pública e privada, em âmbito nacional.

Leia mais

OBESIDADE INFANTIL ESCOLAR

OBESIDADE INFANTIL ESCOLAR Pró-Reitoria de Graduação Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso II OBESIDADE INFANTIL ESCOLAR Autora: Damielle J. Costa Orientador: Prof. Dr. Ricardo Bernardo Mayolino Brasília - DF 2011 OBESIDADE

Leia mais

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 REDUÇÃO DE PESO E CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL EM TRABALHADORES DA INDÚSTRIA

Leia mais

Informativo Digital da Escola de Nutrição da UFBA N.117/2012

Informativo Digital da Escola de Nutrição da UFBA N.117/2012 Informativo Digital da Escola de Nutrição da UFBA N.117/2012 Salvador, 14 de setembro de 2012 A editora da UFBA, EDUFBA lançou vários livros ontem na Biblioteca Central da UFBA. O evento teve uma boa aceitação

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ESCOLARES E A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NO CONSUMO DE ALIMENTOS

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ESCOLARES E A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NO CONSUMO DE ALIMENTOS AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ESCOLARES E A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NO CONSUMO DE ALIMENTOS CARNEIRO, Alessandra Rosa de Araújo ARAÚJO, Ana Cristina Tomaz (UNITRI) anacrisnutricao@yahoo.com.br RESUMO: Introdução:

Leia mais

que a perda de gordura corporal, nos indivíduos obesos, eleva o colesterol HDL, tipo associado com a prevenção de doença cardiovascular (TORTORA,

que a perda de gordura corporal, nos indivíduos obesos, eleva o colesterol HDL, tipo associado com a prevenção de doença cardiovascular (TORTORA, TEMA: A IMPLANTAÇÃO DO PNAE E A FORMAÇÃO DE NOVOS HÁBITOS ALIMENTARES EM CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL DO CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE (CAIC) NO MUNICÍPIO DE MOGI GUAÇU INTRODUÇÃO

Leia mais

Dicas para uma alimentação saudável

Dicas para uma alimentação saudável Dicas para uma alimentação saudável NECESSIDADE FISIOLÓGICA ATO DE COMER SOCIABILIZAÇÃO Comida Japonesa PRAZER CULTURAL Alimentação aliada à saúde Hábitos alimentares pouco saudáveis desde a infância,

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA CRIANÇAS DE 7 A 10 ANOS DE UM COLÉGIO DE APUCARANA-PR.

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA CRIANÇAS DE 7 A 10 ANOS DE UM COLÉGIO DE APUCARANA-PR. EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA CRIANÇAS DE 7 A 10 ANOS DE UM COLÉGIO DE APUCARANA-PR. NUTRITION EDUCATION FOR CHILDREN 7 TO 10 YEARS OF A COLLEGE-APUCARANA PR. MARIN, T.; MORAES, A.C de Souza; FARIAS, D. A.

Leia mais

COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE INDIVÍDUOS DIABÉTICOS DE FLORIANÓPOLIS - SC

COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE INDIVÍDUOS DIABÉTICOS DE FLORIANÓPOLIS - SC 20 a 22 de agosto de 2008 - Bento Gonçalves-RS COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE INDIVÍDUOS DIABÉTICOS DE FLORIANÓPOLIS - SC Silvia Cristina Ferreira Iop 1,2, Evanilda Teixeira 2 e Rosires Deliza 3 1 Universidade

Leia mais

PUBLICIDADE DE ALIMENTOS DIRIGIDA AO PÚBLICO INFANTIL

PUBLICIDADE DE ALIMENTOS DIRIGIDA AO PÚBLICO INFANTIL PUBLICIDADE DE ALIMENTOS DIRIGIDA AO PÚBLICO INFANTIL Daniela Trettel Isabella Henriques Levantamento sobre publicidade e práticas de marketing de alimentos e bebidas para crianças Burger King, Cadbury

Leia mais

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade I: BRASILEIRA 0 Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA O Guia Alimentar é um instrumento que define as diretrizes alimentares a serem utilizadas

Leia mais

ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA,

ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA, ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA, Giana²; GÖRSKI, Bruna²; PAZ, Fabiane²; ORSOLIN, Giulianna²; ROSA, Izabel²; TONETTO, Priscila²; SACCOL, Ana Lúcia de Freitas² ¹ Trabalho desenvolvido durante

Leia mais

Publicidade de alimentos e os impactos no desenvolvimento infantil. Tamara Amoroso Gonçalves

Publicidade de alimentos e os impactos no desenvolvimento infantil. Tamara Amoroso Gonçalves Publicidade de alimentos e os impactos no desenvolvimento infantil Tamara Amoroso Gonçalves Mercantilização da Infância Etapas do Desenvolvimento Infantil Os estágios evolutivos da criança: - 2 a 3 anos

Leia mais

Polí%ca Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional e Estratégia Intersetorial de Prevenção e Controle da Obesidade

Polí%ca Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional e Estratégia Intersetorial de Prevenção e Controle da Obesidade Polí%ca Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional e Estratégia Intersetorial de Prevenção e Controle da Obesidade Seminário Frutas e Hortaliças Florianópolis/SC 07 de agosto de 2014 Câmara Intersetorial

Leia mais

Promoção do Consumo de Frutas, Legumes e Verduras: O Programa 5 ao Dia

Promoção do Consumo de Frutas, Legumes e Verduras: O Programa 5 ao Dia Promoção do Consumo de Frutas, Legumes e Verduras: O Programa 5 ao Dia Promoção do Consumo de Frutas, Legumes e Verduras: O Programa 5 ao Dia Melhorar a qualidade de vida é o principal objetivo das estratégias

Leia mais

A PERCEPÇÃO DE MÃES QUANTO A ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR EM CRIANÇAS DE SEIS MESES A DOIS ANOS DE IDADE

A PERCEPÇÃO DE MÃES QUANTO A ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR EM CRIANÇAS DE SEIS MESES A DOIS ANOS DE IDADE A PERCEPÇÃO DE MÃES QUANTO A ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR EM CRIANÇAS DE SEIS MESES A DOIS ANOS DE IDADE Tiago de Sousa Barros 20, Tatiane Gomes Guedes 21, Jéssika Nayara Sousa Barros 2, Francisca Elba Pereira

Leia mais

Mostra de Projetos 2011

Mostra de Projetos 2011 Mostra de Projetos 2011 Educação nutricional para melhoria do estado nutricional e consumo alimentar de escolares freqüentadores da rede municipal de Cambé PR Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto:

Leia mais

Consumo alimentar de adolescentes em cantina escolar de município do Oeste do Paraná.

Consumo alimentar de adolescentes em cantina escolar de município do Oeste do Paraná. 1 Consumo alimentar de adolescentes em cantina escolar de município do Oeste do Paraná. BUGAY, Larissa 1 BLEIL, Rozane Toso 2 RESUMO O presente artigo teve por objetivo conhecer o consumo alimentar dos

Leia mais

American Dietetic Association

American Dietetic Association É um método sistemático para resolução de problemas que os profissionais de nutrição empregam para pensar de modo crítico e tomar decisões para resolver problemas nutricionais e prestar assistência nutricional

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DA SELEÇÃO GOIANA DE JUDÔ: ATIVIDADE DO ATENDIMENTO NUTRICIONAL 1

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DA SELEÇÃO GOIANA DE JUDÔ: ATIVIDADE DO ATENDIMENTO NUTRICIONAL 1 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ATLETAS DA SELEÇÃO GOIANA DE JUDÔ: ATIVIDADE DO ATENDIMENTO NUTRICIONAL 1 LEITE, Raíssa Moraes 1 ; FRANCO, Lana Pacheco 2 ; SOUZA, Isabela Mesquita 3 ; ALVES, Ana Gabriella Pereira

Leia mais

São Paulo, 6 de Abril de 2011

São Paulo, 6 de Abril de 2011 São Paulo, 6 de Abril de 2011 Ao Grupo Pão de Açúcar A/c: Departamento Jurídico Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 3172 - Bela Vista São Paulo SP 01402-000 Ref.: Contato institucional, apresentação do Projeto

Leia mais

AÇÕES DE PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Reunião Nacional 18/05/2007

AÇÕES DE PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Reunião Nacional 18/05/2007 AÇÕES DE PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Reunião Nacional 18/05/2007 Proposta do trabalho em grupo Construindo um Manual de Promoção da Alimentação Saudável em nível local Objetivos: Atualizar as ações

Leia mais

PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO

PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO 1 PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO Iara de Souza Assunção 1 Josiane Kênia de Freitas 2 Viviane Modesto Arruda 3 Silvana Rodrigues Pires Moreira 4

Leia mais

Anais do Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão. Volume 8, Número 8. Recife: Faculdade Senac PE, 2014.

Anais do Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão. Volume 8, Número 8. Recife: Faculdade Senac PE, 2014. OBESIDADE INFANTIL: UMA BUSCA POR HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS Bruno Felipe Rothbarth Decker brunofrd@gmail.com Introdução O presente artigo refere-se a um trabalho de campo realizado por alunos do primeiro

Leia mais

O Programa Municipal de Nutrição, implantado em 07/04/2006, tem como. objetivo principal investir em ações de educação nutricional, promovendo

O Programa Municipal de Nutrição, implantado em 07/04/2006, tem como. objetivo principal investir em ações de educação nutricional, promovendo Secretaria Municipal de Saúde de São José dos Campos - SP Departamento de Políticas de Saúde Programa Municipal de Nutrição Atividades desenvolvidas em 2006 e 2007 O Programa Municipal de Nutrição, implantado

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS 1. Introdução As Boas Práticas Nutricionais constituem-se um importante instrumento para a modificação progressiva da composição nutricional

Leia mais

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADO FEDERAL CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuidados com a alimentação apresentação Uma boa saúde é, em grande parte, resultado de uma boa alimentação. Há muita verdade no dito

Leia mais

CONSUMO E GRAU DE CONHECIMENTO SOBRE PRODUTOS ORGÂNICOS EM FEIRAS NA CIDADE DE MARINGÁ.

CONSUMO E GRAU DE CONHECIMENTO SOBRE PRODUTOS ORGÂNICOS EM FEIRAS NA CIDADE DE MARINGÁ. ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 CONSUMO E GRAU DE CONHECIMENTO SOBRE PRODUTOS ORGÂNICOS EM FEIRAS NA CIDADE DE MARINGÁ. Amanda

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

Monitoramento de Propaganda de Alimentos Visando à Prática da Alimentação Saudável:

Monitoramento de Propaganda de Alimentos Visando à Prática da Alimentação Saudável: Monitoramento de Propaganda de Alimentos Visando à Prática da Alimentação Saudável: - Universidade de Brasília Projeto financiado pelo Ministério da Saúde (Edital CNPq 51/2005) Alimentação, Nutrição e

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DOS LANCHES PREFERIDOS DOS ESCOLARES DE 6-8 ANOS ASSOCIADO AO RISCO DE OBESIDADE EM UMA ESCOLA PRIVADA

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DOS LANCHES PREFERIDOS DOS ESCOLARES DE 6-8 ANOS ASSOCIADO AO RISCO DE OBESIDADE EM UMA ESCOLA PRIVADA AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DOS LANCHES PREFERIDOS DOS ESCOLARES DE 6-8 ANOS ASSOCIADO AO RISCO DE OBESIDADE EM UMA ESCOLA PRIVADA Bruna Mayara Pradi 1, Profª. Msc. Erika Lima Rodrigues 2 1,2 Universidade do

Leia mais

O PAPEL DO EDUCADOR NA PROMOÇÃO DE AÇÕES EDUCATIVAS QUE ESTIMULEM A ACEITAÇÃO DOS CARDÁPIOS OFERECIDOS AOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PAPEL DO EDUCADOR NA PROMOÇÃO DE AÇÕES EDUCATIVAS QUE ESTIMULEM A ACEITAÇÃO DOS CARDÁPIOS OFERECIDOS AOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL O PAPEL DO EDUCADOR NA PROMOÇÃO DE AÇÕES EDUCATIVAS QUE ESTIMULEM A ACEITAÇÃO DOS CARDÁPIOS OFERECIDOS AOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Autoras: ROSANA MONTEIRO, REGINA DE LIMA SILVA E REJANE DE LIMA SILVA

Leia mais

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

alimentação saudável: fique esperto! Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa

alimentação saudável: fique esperto! Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa alimentação saudável: fique esperto! Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa alimentação saudável: fique esperto! Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL A alimentação

Leia mais

Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A.

Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A. São Paulo, 14 de maio 2013 À Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A. A/C Sr. Luiz Cláudio Taya de Araújo Diretor de Marketing Av. Primo Schincariol, 2300 Itu São Paulo 13312-900 Ref.:

Leia mais

PROGRAMA DE VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NAS ESCOLAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO MUNICÍPIO DE ARARUNA PB

PROGRAMA DE VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NAS ESCOLAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO MUNICÍPIO DE ARARUNA PB PROGRAMA DE VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NAS ESCOLAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO MUNICÍPIO DE ARARUNA PB MELO, Calionara Waleska Barbosa de 1 ; AUGOSTINHO, Ana Kelis de Sousa 2 ; BARBOSA, Francilayne

Leia mais

EDUCAÇÃO ALIMENTAR PARA CRIANÇAS FREQÜENTADORAS DA CLÍNICA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE (CEPS)

EDUCAÇÃO ALIMENTAR PARA CRIANÇAS FREQÜENTADORAS DA CLÍNICA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE (CEPS) EDUCAÇÃO ALIMENTAR PARA CRIANÇAS FREQÜENTADORAS DA CLÍNICA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE (CEPS) GRAZIELA MARIA GORLA CAMPIOLO DOS SANTOS 1 LUCIEVELYN MARRONE¹ LUISA DE ALBUQUERQUE PHILIPPSEN 2 LARA RIBEIRO

Leia mais

Aspectos psicossociais determinantes da escolha alimentar infantil

Aspectos psicossociais determinantes da escolha alimentar infantil Aspectos psicossociais determinantes da escolha alimentar infantil Dra. Renata A. Monteiro Profa. Adjunta Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutrição Grupo de Estudos e Pesquisas em Comportamento

Leia mais

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar.

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. Nota Técnica nº 01/2014 COSAN/CGPAE/DIRAE/FNDE Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. A Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional COSAN do Programa Nacional

Leia mais

OBESIDADE INFANTIL: a culpa e dos pais?

OBESIDADE INFANTIL: a culpa e dos pais? OBESIDADE INFANTIL: a culpa e dos pais? Bianca de Oliveira 1 Vanessa Aparecida André Oliveira 2 Mariana Veloso Moreira 3 RESUMO O presente artigo sobre obesidade Infantil, focaliza um problema hereditário

Leia mais

Recursos utilizados em propagandas de alimentação infantil: um estudo de caso

Recursos utilizados em propagandas de alimentação infantil: um estudo de caso Recursos utilizados em propagandas de alimentação infantil: um estudo de caso Noerbeck Motta Jùnior Noerbeck@gmail.com Marcela Cerqueira lima Natalia Neves Torres Levindo Thais do Nascimento Archanjo Emille

Leia mais

São Paulo, 20 de Abril de 2011

São Paulo, 20 de Abril de 2011 São Paulo, 20 de Abril de 2011 À Diretoria da Creche Escola Pimpolho A/C: Sra. Adriana Dantas Rua Colina, 36, Jardim Guanabara Ilha do Governador RJ 21931 380 Ref.: Apresentação do Projeto Criança e Consumo

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

Criança nutrida & criança Vitaminada

Criança nutrida & criança Vitaminada Criança nutrida & criança Vitaminada IMC INFANTIL Muitos pais se preocupam com o peso e a estatura de seu filho. Questionam-se se a massa corporal da criança está de acordo com a idade, se a alimentação

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS:

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS: JUSTIFICATIVA Para termos um corpo e uma mente saudável, devemos ter uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, carnes, cereais, vitaminas e proteínas. Sendo a escola um espaço para a promoção

Leia mais

Consumir frutas, verduras e legumes, evitar

Consumir frutas, verduras e legumes, evitar Como desenvolver políticas públicas que permitam levar hábitos alimentares saudáveis para a mesa dos 190 milhões de brasileiros? Receita para viver melhor Consumir frutas, verduras e legumes, evitar alimentos

Leia mais

Trabalho elaborado por: 5/29/2007 USF Valongo. Enf. Anabela Queirós

Trabalho elaborado por: 5/29/2007 USF Valongo. Enf. Anabela Queirós Trabalho elaborado por: Enf. Anabela Queirós O que é a diabetes? Uma doença que dura toda vida Provocada pela ausência ou perda de eficácia da insulina; Provoca a subida de açúcar no sangue A diabetes

Leia mais

Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. Orientações Programáticas

Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. Orientações Programáticas Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável Orientações Programáticas 1 - Enquadramento Portugal era um dos poucos países Europeus que não dispunha de um programa nacional de alimentação,

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade: Curso: NUTRIÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE Disciplina: INTRODUÇÃO A NUTRIÇÃO Carga horária: Teórica 40 Prática 40 Semestre: 1 Turno:

Leia mais

Danieli R. Pivatto 1 Helaine L. S. Carvalho 2 Daiane C. França 3 Fabiane R. Silva 4

Danieli R. Pivatto 1 Helaine L. S. Carvalho 2 Daiane C. França 3 Fabiane R. Silva 4 FREQUÊNCIA DE CONSUMO DE ALIMENTOS REGULADORES EM CRIANÇAS DE 0 A 6 ANOS DE IDADE ACOMPANHADAS PELO SISVAN EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE CASCAVEL-PR Danieli R. Pivatto 1 Helaine L. S. Carvalho

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual para Implantação do Programa Peso Saudável. (Versão preliminar - em fase de diagramação)

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual para Implantação do Programa Peso Saudável. (Versão preliminar - em fase de diagramação) MINISTÉRIO DA SAÚDE Manual para Implantação do Programa Peso Saudável (Versão preliminar - em fase de diagramação) Brasília DF 2013 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA AVALIAÇÃO PSICOLOGICA DO COMPORTAMENTO ALIMENTAR

PROJETO DE PESQUISA AVALIAÇÃO PSICOLOGICA DO COMPORTAMENTO ALIMENTAR Projeto de Pesquisa Ano / PROJETO DE PESQUISA AVALIAÇÃO PSICOLOGICA DO COMPORTAMENTO ALIMENTAR 1. Tema Identificação de hábitos culturais alimentares dos alunos de escolas e creches municipais da cidade

Leia mais

GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA

GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO GERAL DA POLÍTICA DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO SEPN 511- Bloco C Edifício Bittar IV 4º andar - Brasília/DF CEP:70750.543

Leia mais

Análise dos alimentos anunciados durante a programação infantil em emissoras de canal aberto no Brasil

Análise dos alimentos anunciados durante a programação infantil em emissoras de canal aberto no Brasil Análise dos alimentos anunciados durante a programação infantil em emissoras de canal aberto no Brasil Analysis of television food advertising on children s programming on free-to-air broadcast stations

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING Monique Michelon 1 Lorete Kossowski 2 RESUMO O empreendedorismo no Brasil vive hoje um cenário promissor,

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL DE INDIVÍDUOS DIABÉTICOS ATENDIDOS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DE UM MUNICÍPIO DO NORTE DO PARANÁ

PERFIL NUTRICIONAL DE INDIVÍDUOS DIABÉTICOS ATENDIDOS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DE UM MUNICÍPIO DO NORTE DO PARANÁ PERFIL NUTRICIONAL DE INDIVÍDUOS DIABÉTICOS ATENDIDOS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DE UM MUNICÍPIO DO NORTE DO PARANÁ VIEIRA, G.A. Resumo: O diabetes Mellitus é considerado atualmente uma das principais

Leia mais

Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento

Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento 9 Estilo de Vida Ativo: A Importância do Estímulo por parte dos Adultos Erika da Silva Maciel Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos - USP Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento

Leia mais

PROJETO ESCOLA DO SABOR

PROJETO ESCOLA DO SABOR PROJETO ESCOLA DO SABOR COMPANHIA DE ENTREPOSTOS E ARMAZÉNS GERAIS DE SÃO PAULO CEAGESP 2012 1. INTRODUÇÃO A alimentação infantil escolar deve ser nutricionalmente equilibrada, confeccionada com alimentos

Leia mais

Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil. Maria Rita Marques de Oliveira

Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil. Maria Rita Marques de Oliveira Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil Maria Rita Marques de Oliveira 1- MEIO AMBIENTE E PRODUÇÃO DE ALIMENTOS 2- ACESSO AOS ALIMENTOS 3- ALIMENTO SEGURO 4- PREVENÇÃO E CONTROLE

Leia mais

Renata de Araujo Ferreira Especialista - GGPRO/ANVISA GGPRO

Renata de Araujo Ferreira Especialista - GGPRO/ANVISA GGPRO Mesa Redonda 15 de outubro de 2009 Regulamentação da publicidade de alimentos Renata de Araujo Ferreira Especialista - /ANVISA Perfil da Publicidade de Alimentos no Brasil: Monteiro,R. A. 2009: - Analisou

Leia mais

OFICINA: Guia Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos

OFICINA: Guia Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos I Mostra Estadual de Atenção Primária em Saúde Curitiba - PR OFICINA: Guia Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos Gisele Ane Bortolini Helen Duar Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição

Leia mais

RESUMOS SIMPLES...156

RESUMOS SIMPLES...156 155 RESUMOS SIMPLES...156 156 RESUMOS SIMPLES CARNEIRO, NELSON HILÁRIO... 159 CARNEIRO, NELSON HILÁRIO... 157 CORTE, MARIANA ZANGIROLAME... 159 CORTE, MARIANA ZANGIROLAME... 157 GARCIA JUNIOR, JAIR RODRIGUES...

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

BEM NUTRIDO: UM NOVO CONCEITO DE ALIMENTAÇÃO PARA O CENÁRIO BRASILEIRO ATUAL

BEM NUTRIDO: UM NOVO CONCEITO DE ALIMENTAÇÃO PARA O CENÁRIO BRASILEIRO ATUAL BEM NUTRIDO: UM NOVO CONCEITO DE ALIMENTAÇÃO PARA O CENÁRIO BRASILEIRO ATUAL Autora: Luísa Arantes Vilela Coautora: Juliana de Oliveira Abrahão O excesso de peso e a obesidade aumentam continuamente ao

Leia mais

EXCESSO DE PESO E SUA ASSOCIAÇÃO COM A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ENTRE CRIANÇAS DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE MINAS GERAIS 1

EXCESSO DE PESO E SUA ASSOCIAÇÃO COM A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ENTRE CRIANÇAS DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE MINAS GERAIS 1 393 EXCESSO DE PESO E SUA ASSOCIAÇÃO COM A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ENTRE CRIANÇAS DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE MINAS GERAIS 1 Marceli Almeida Mendonça 1, Mônica de Paula Jorge 1, Simone Angélica Meneses Torres

Leia mais

Informação e publicidade de alimentos destinados às crianças. Mariana Ferraz advogada Idec

Informação e publicidade de alimentos destinados às crianças. Mariana Ferraz advogada Idec Informação e publicidade de alimentos destinados às crianças. Mariana Ferraz advogada Idec O Idec O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor é uma associação de consumidores, sem fins lucrativos, fundada

Leia mais

NUTRIÇÃO INFANTIL E AS CONSEQUENCIAS NOS CICLOS DA VIDA. Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo

NUTRIÇÃO INFANTIL E AS CONSEQUENCIAS NOS CICLOS DA VIDA. Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo NUTRIÇÃO INFANTIL E AS CONSEQUENCIAS NOS CICLOS DA VIDA Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo Infância -Promoção e consolidação dos hábitos alimentares - Incremento das necessidades nutricionais para

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES DOS FREQUENTADORES DE PARQUES DA CIDADE DE SÃO PAULO

AVALIAÇÃO DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES DOS FREQUENTADORES DE PARQUES DA CIDADE DE SÃO PAULO Ciências da Vida - Nutrição AVALIAÇÃO DOS FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES DOS FREQUENTADORES DE PARQUES DA CIDADE DE SÃO PAULO Fernanda Cristina Guevara 1 Camila Maria Melo 2 Tatiane Vanessa

Leia mais

ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MATRICULADAS EM DUAS ESCOLAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE MARIALVA PR

ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MATRICULADAS EM DUAS ESCOLAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE MARIALVA PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MATRICULADAS EM DUAS ESCOLAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE MARIALVA PR Sabrina Dalmazo Vieira 1 ; Rose Mari Bennemann 2 RESUMO:

Leia mais