Indicadores: Nº de Servidores e alunos por Campus que tem a pretensão de participar do curso básico em Frances

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Indicadores: Nº de Servidores e alunos por Campus que tem a pretensão de participar do curso básico em Frances"

Transcrição

1 PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 1.Perspectiva Desenvolvimento de Pessoas Objetivo: Implantar Cursos de Idiomas para os servidores e alunos, de modo especifico em Frances. RESPONSÁVEL: Profª Ana Celia Said, Assessora de Relações Internacionais do Indicadores: Nº de Servidores e alunos por Campus que tem a pretensão de participar do curso básico em Frances Fonte de Verificação: Programa de Intercambio Cultural com a França Tipo de despesa: Ajuda de Custo para o Professor visitante da França Meta 1: Elaborar Edital para inscrição dos Campi que desejam o curso básico de Frances para seus servidores e alunos Elaboração, lançamento e Resultado do Edital com abertura de vagas; Contribuir com o acesso a capacitação em lingua francesa de servidores e alunos do Divulgar o Edital de Abertura de vagas para o Curso Básico em Frances. R$ 1.000,00 R$ 9.000,00

2 PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PLANO DE AÇÃO Perspectiva Eficiência Gerencial Objetivo: Racionalizar os processos das atividades meio RESPONSÁVEL: Equipe da PROEX Meta 1: Aquisição de Equipamentos para a PROEX Indicadores: Número de computadores por Setores da PROEX. Fonte de Verificação: Material Permanente Tipo de despesa: Despesas de Capital 1.1 Aquisição de material permanente - 1 máquina fotogrática, para atender aos Setores da PROEX Melhoria dos serviços e registro dos eventos promovidos pelos diversos setores da PROEX Solicitar a aquisição de 1 máquina fotográfica, semiprofissional 1.500,00 R$ 1.500, Aquisição de material permanente - 1 filmadora, profissional, para atender aos Setores da PROEX Melhoria dos serviços e registro dos eventos promovidos pelos diversos setores da PROEX Solicitar a aquisição de 1 filmadora semi profissional 8.000,00 R$ 8.000, Aquisição de material permenente - 1 impressora a laser, colorida, que imprima até tamanho A3 Atualização de equipamentos visando a melhoria dos serviços dos diversos setores da PROEX Solicitar a aquisição de 1 impressora, a laser, colorida, que imprima em papel até o tamanho A ,00 R$ ,00 Objetivo: Racionalizar os processos das atividades meio RESPONSÁVEL: Equipe da PROEX Meta 1: Aquisição de Material de Expediente Indicadores: Especificar o material de expediente. Fonte de Verificação: Material de Tipo Consumo de despesa: Despesa de Custeio 1.1 Aquisição de material e expediente para os Setores da PROEX. Objetivo: Reestruturar a Instituição para a Gestão Sistêmica RESPONSÁVEL: Equipe da PROEX Meta 1: Visitas Técnicas em 5(cinco) Campi do Suprir a necessidade de material de expediente utilizado na rotina de trabalho da PROEX Realizar a solicitação de material de expediente 5.000,00 R$ 5.000,00 Indicadores: nº de passagens, nº de Diárias Fonte de Verificação: Tipo de despesa: Passagens e Diárias Ações Justificativa Tarefas Valor Unitário R$ Valor Total 1.1 Visitas Técnicas aos gestores de extensão nos campi do Acompanhar, contribuir e incentivar as ações de extensão nos campi do Realizar visitas técnicas de monitoramento, incentivo aos gestores de extensão dos campi do Realizar visitas técnicas em 5(cinco) campi do Monitorar as atividades relacionadas ao Programa de Bolsas da Extensão desenvolvidas nos Campi. R$ 5.000,00 R$ ,00

3 RESPONSÁVEL: PRÓ-REITORA DE EXTENSÃO Meta 1: Participar do Forúm Nacional de Pró-Reitores de Extensão -FORPROEX Indicadores: nº de passagens e nº de Diárias Fonte de Verificação: Tipo de despesa: Passagens e Diárias Ações Justificativa Tarefas Valor Unitário R$ Valor Total 1.1 Participação da Pró-Reitora nas reuniões do Forúm Nacional de Pró-Reitores de Extensão-FORPROEX Representar a area de extensão do no FORPROEX Participar das reuniões do FORPROEX R$ ,00 RESPONSÁVEL: Coordenadora de Relações Internacional do Meta 1: Participar de Reuniões Nacionais com os Assessores Internacionais Meta 2: Participar do Forúm Nacional de Assessores Internacionais - FORINTER Meta 3: Pagamento de Anuidade do FAUBAI (Forúm das Assessorias das Universidades Brasileiras para Assuntos Internacionais) Meta 4: Criação do Regulamento Interno da Assessoria de Relações Internacionais do 1.1 Participação da coordenadora de relações Internacionais em Reuniões a nível nacional Indicadores: Nº de passagens, nº de Diárias Fonte de Verificação: Tipo de despesa: Passagens e Diárias Ações Justificativa Tarefas Valor Unitário R$ Valor Total Representar a area de Assessoria Internacional do Participar de Reuniões Nacionais com Assessores Internacionais do Institutos , Participação da Coordenadora dea Assessoria internacional nas reuniões do FORINTER Representar a área de assessoria internacional do Participar das reuniões do FORINTER 5.000, Efetivação do pagamento da anuidade FAUBAI Contribuir com a anuidade do FAUBAI para continuação da representação do nos Foruns de Relações Internacionais Realizar o pagamento da Anuidade do FAUBAI, ano , Elaboração do Regimento Interno da Assessoria de Relações Internacionais do Objetivo: Reestruturar a Instituição para a Gestão Sistêmica Elaboração do Regimento Interno da Assessoria de Relações Internacionais do Elaborar o regimento Interno da Assessoria de Relações Internacionais do RESPONSÁVEL: Equipe da PROEX Meta 1: Realizar dois Seminários para Gestores de Extensão dos Campi do Indicadores: Capacitar 10(dez) gestores Fonte de Verificação: nº de passagens, Tipo de nº despesa: Diarias Passagens e Diárias 1.1. Promoção e coordenação dos Seminários para Gestores de Extensão Contribuir com o processo de Gestão na area de extensão nos campi do Realizar dois seminários para gestores de extensão, sendo um no primeiro semestre e outro do segundo semestre do corrente ano , ,00

4 PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 3. PERSPECTIVA EFICIÊNCIA ACADÊMICA OBJETIVO: Criar um Programa de apoio ao Egresso do RESPONSÁVEL: Diretoria de Relações Interinstitucionais e Comunitarias da PROEX Meta 1: Promover Encontro de Egressos nos Campi do Meta 2: Construção de um Banco de Dados de Egressos Indicadores: Número de egressos por curso, ano, capacitação e experiência profissional. Fonte de Verificação: Tipo de despesa: Custeio Ações Justificativa Tarefas Valor Unitário Valor Total Incentivar a realização de Encontros de Egressos nos campi do Estimular a relação escola x egressos visando a troca de experiências e saberes Realizar um Encontro de egressos nos campi do 1.000, ,00 Levantamento dos indicadores necessários para o Contribuir com o processo de empregabilidade dos nossos exalunos. Elaborar um Formulário de Coleta de Dados Banco de Dados dos egressos. OBJETIVO: Oferta de Estagios Curriculares RESPONSÁVEL: Diretoria de Relações Interinstitucionais e Comunitárias Meta: Promover um Encontro com Empresas Públicas e Privadas em cinco Campi do Indicadores: Nº de Empresas Públicas e Privadas nos municipios dos Campi do Fonte de Verificação: Art. 125 Tipo do Regimento de despesa: Geral Custeio do 1.1 Fomentar a realização de Encontros com empresas públicas e privadas nos campi do Incentivar a abertura dos campi para a comunidade empresarial visando o aumento de campus de estágio. OBJETIVO: Aumentar o número de Bolsas para as ações de extensão -PROGRAMA DE BOLSAS RESPONSÁVEL: Diretoria de Extensão e Produção da PROEX Meta: Concessão de 80(oitenta) Bolsas para alunos em Projetos de Extensão no Indicadores: Nº de Empresas Públicas e Privadas nos municipios dos Campi do Fonte de Verificação: Art. 123 Tipo e 125 de do despesa: Regimento Custeio Geral do OBJETIVO: Mostra de Extensão do RESPONSÁVEL: Diretoria de Extensão e Produção e Equipe da PROEX Meta: III Mostra Interinstitucional de Extensão do Realizar um Encontro com as Empresas publicas e privadas em cinco campi do 1.000, , Elaboração, publicação e homologação do Incentivar a relação ensino-aprendizagem frente a comunidade resultado do Edital de Bolsas voltadas a ações de Realizar o monitoramento dos Projetos nos Campi do ,00 externa e a formação da cidadania extensão. Indicadores: Nº de Empresas Públicas e Privadas nos Campi Fonte de Verificação: Tipo de despesa: Passagens e Diárias 1.1 Promover a III Mostra Interinstitucional de Extensão do Fortalecer a relação entre Ensino-Pesquisa-Extensão no Promover a exposição dos Resultados dos Projetos do Programa de Bolsas voltados a Extensão nos Campi ,00

5 OBJETIVO: CICLO DE PALESTRAS RESPONSÁVEL: Diretoria de Relações Interinstitucionais e Comunitárias Meta: Realização de Ciclos de Palestras para os alunos nos Campi do Indicadores: Nº de Palestras que serão ministradas para os alunos nos Campi do Fonte de Verificação: Art. 123 Tipo e 125 de do despesa: Regimento Sem Geral custodo 1.1 Promover ciclos de palestras motivacionais, de cidadania, no âmbito da responsabilidade social Fortalecer a relação entre Ensino-Pesquisa-Extensão no Realizar um Ciclo de Palestras por ano nos Campi do Sem custo voltados para os alunos nos campi. OBJETIVO: Promover o Programa de Intercambio no RESPONSÁVEL: Coordenação de Relações Internacional do Meta 1: Promoção de Intercambio de professores e alunos para universidades estrangeiras parceiras Meta2: Aumentar o número de parcerias do com Instituições Estrangeiras Indicadores: Nº de Professores, alunos e universidades estrangeiras parceiras Fonte de Verificação: Tipo de despesa: Passagens e Diárias 1.1 promover o intercambio de professores e alunos às universidades estrangeiras parceiras. Fortalecer as relações entre o e asuniversidades estrangeiras, visando a meçlhoria da qualidade do ensino no Enviar, no minimo 2 (dois) professores para universidades estrangeiras parceiras , Expandir a parceria do com Instituições Extrangeiras Realização de viagens para o exterior visando a construção de novas parcerias internacionais. Enviar, no minimo 3 (tres) alunos para universidades estrangeiras parceiras ,00 Realizar, no minimo, duas viagens por ano ,00

6 PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PLANO DE AÇÃO MELHORIA DA IMAGEM INSTITUCIONAL OBJETIVO: Fortalecer o Marketing Institucional RESPONSÁVEL: Diretoria de Extensão e Produção da PROEX Meta 1: Confecção e Impressão de Material Gráfico Indicadores: Nº de ações de Extensão nos campi do Fonte de Verificação: Serviços Prestados Tipo de despesa: Custeio 1.1 Produção e Editoração de Material Gráfico Fortalecimento da Imagem Institucional através da divulgação das ações de extensão OBJETIVO: Criar um Escritório Modelo de Publicidade com os alunos do Curso Superior de Produção Publicitária RESPONSÁVEL: PROEX E COORDENAÇÃO DO CURSO DE PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Meta 1: Criação de uma Escritório Modelo de Publicidade composta por alunos do Curso de Produção publicitária Confecção e produção de folderes, cartilhas, banner das ações de extensão Confecção de Anais com os Resumos dos Projetos de Extensão , ,00 Indicadores: Nº de alunos para o escritório modelo de publicidade da PROEX Fonte de Verificação: Material Permanente e de Consumo Tipo de despesa: Capital e Custeio 1.1 Trabalhar o marketing das ações de Extensão do Entrar em contato com a coordenação do Curso de Produção Fortalecer as ações de Extensão frente a comunidade Publicitária interna e externa do Formar a equipe de Trabalho Publicitário da Extensão 3.000,00

7 PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 5. SATISFAÇÃO COM A SOCIEDADE OBJETIVO: Aumentar a Eficácia Institucional RESPONSÁVEL: Equipe da PROEX e a Comissão Gestora Central do PRONATEC Meta 1: Expansão dos cursos do PRONATEC nos Campi do Indicadores: nº de cursos, de alunos de profissionais envolvidos no PRONATEC. Fonte de Verificação: FNDS Tipo de despesa: Custeio e Capital 1.1 Aumentar o número de Cursos do PRONATEC nos campi do. Contribuir com a capacitação de jovens e adultos voltados para o mundo do trabalho Aumentar em 30% de Cursos do PRONATEC nos campi do Composição das equipes de Professores e colaboradores ,00 OBJETIVO: Desenvolvimento do Setor Aquicola RESPONSÁVEL: NUPA Meta 1: Capacitar Pescadores e Ribeirinhos do Setor de Pesca e Aquicultura - Campus Tabatinga Indicadores: Nº de capacitação e de pescadores e ribeirinhos nos cursos. Fonte de Verificação: Ministério Tipo da de Integração despesa: Capital Nacional e Custeio 1.1 Estruturação do Laboratório de Reprodução de Peixe Inativo do campus Tabatinga 1.2 Estruturação do Laboratório de Rações de Peixe no Campus Tabatinga 1.3 Promover a capacitação em beneficiamento de pescado 1.4 Promover a capacitação em Manejo de Lagos Contribuir com o processo de armazenamento do peixe inativo Estruturar o Laboratório de reprodução de Peixe Inativo a ser liberado pelo MIN a ser liberado pelo MIN Contribuir com o processo ensino-aprendizagem no campus tabatinga Estruturar o Laboratório de Ração de Peixe no campus Tabatinga a ser liberado pelo MIN a ser liberado pelo MIN 1.5 Promover a capacitação em Manutenção de Motor de Rebeta 1.6 Promover a capacitação em Manutenção de Pescado em Fabrica de Gelo 1.7 Promover a capacitação em Higiene e Manipulação de Pescado 1.8 Promover a capacitação em Piscicultura Familiar Contribuir com a qualificação profissional de pescadores e ribeirinhos do municipio de Tabatinga e adjacentes. Fazer o processo de sensibilização, divulgação e inscrição dos pescadores e ribeirinhos para os cursos de qualificação profissional na modalidade FIC (Formação Inicial e Continuada) a ser liberado pelo MIN a ser liberado pelo MIN

8 OBJETIVO: Capacitar mulheres para a area da Construção Civil RESPONSÁVEL: Coordenação de Assistencia Comunitária e Ações Inclusivas da PROEX Meta 1: Capacitação de 100(cem) mulheres na area de Revestimento Cerâmico e Pintor de Obras. Indicadores: nº de cursos, de alunos de profissionais envolvidos no PRONATEC. Fonte de Verificação: Convênio Tipo SUDAM de despesa: X Custeio e capital 1.1 Capacitar Mulheres em situação de vulnerabilidade social na area da Construção Civil Contribuir com a capacitação de Mulheres em situação de vulnerabilidade social para o mundo do trabalho Capacitar 100 (cem) mulheres em revestimento Cerâmico , Capacitar 100 (cem) mulheres em Pintor de Obras OBJETIVO: Aumentar a quantidade de Projetos de Ação Social RESPONSÁVEL: AYTY - Administradora Goretti Falcao Meta 1: Criação dos Centros Vocacionais Tecnológicos nos Campi do Indicadores: Fonte de Verificação: Ministério Tipo da de Ciência, despesa: Tecnologia capital e Inovação (*) 1.1 Articular a criação dos CVT nos Campi do. Incentivar a criação de Centros Vocacionais Tecnológicos nos campi do Implantação de um Centro Vocacionais Tecnológico no (*) O Projeto está sob apreciação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

9 PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 6. RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL OBJETIVO: Aumentar a quantidade de voluntarios junto aos Campi RESPONSÁVEL: Equipe da PROEX e Gestores de Extensão dos Campi Meta: Promover ações de solidariedade nos Campi do Indicadores: Fonte de Verificação: Tipo de despesa: Ações Justificativa Tarefas Valor Unitário Valor Total Fomentar, no minimo, duas ações de voluntariado por ano nos Campi do Promover a cultura de solidariedade nos Campi do Realizar um ação social voltada a Comunidade - VAI AO BAIRRO Realizar o NATAL SOLIDARIO em cada Campi do OBJETIVO: Aumentar a quantidade de Incubadoras de Empresa RESPONSÁVEL: AYTY - Administradora Goretti Falcao Meta: Promover a entrada de 03(tres) empresas residentes no -CMC Indicadores: Fonte de Verificação: Tipo de despesa: Ações Justificativa Tarefas Valor Unitário Valor Total Promoção da entrada de empresas residentes no -CMC Incentivar as ações de empreendorismo nos Campi do Selecionar tres empresas residentes para o -CMC OBJETIVO: Ampliar e diversificar ações de responsabilidade social RESPONSÁVEL: Diretoria de Relações Interinstitucionais e Comunitárias Meta: Promover a expansão do Programa Mulheres Mil no Indicadores: Nº de campi novos, nº de cursos FIC, nº de Pessoas Fonte de Verificação: Tipo de despesa: Ações Justificativa Tarefas Valor Unitário Valor Total Ampliação do Programa Mulheres Mil no Incentivar as ações de Formação inicial e Continuada nos campi para mulheres em situação de vulnerabilidade social Expandir o Programa Mulheres mil para o -Campus Labrea ,00 Expandir o Programa Mulheres mil para o -Campus Maués ,00

10 OBJETIVO: Manter as ações de responsabilidade social RESPONSÁVEL: Diretoria de Relações Interinstitucionais e Comunitárias Meta 1: Promover o Encontro anual das egressas do Programa Mulheres Mil do Meta 2: Monitoramento do programa Mulheres Mil nos campi do Meta 3: Manter o Programa Mulheres Mil nos campi do Indicadores: Nº de cursos FIC, nº de Pessoas Fonte de Verificação: Tipo de despesa: Capital e Custeio 1.1 Promover o Encontro anual de Egressas do programa Mulheres Mil nos 5(cinco) campi do Incentivar a relação escola X egressos visando a troca de experiências e saberes. Promover a realização do Encontro anual das Egressas do Programa Mulheres Mil nos 5(cinco) campi do 1.000, , Realizar o monitoramento do Programa "Mulheres Mil" nos campi do 3.1 Manter o Programa Mulheres Mil nos campi do RESPONSÁVEL: Diretoria de Extensão e Produção da PROEX Acompanhar, incentivar e orientar o andamento do Programa Mulheres Mil nos campi do Meta: Manter o Núcleo de Pesquisa Aplicada em Pesca e Aquicultura - NUPA nos campi do Realizar viagens aos campi do que possuem o Programa Mulheres Mil Abrir novas turmas para o Programa Mulheres mil no -Campus Manaus Centro Abrir novas turmas para o Programa Mulheres Mil no -Campus Presidente Figueiredo Abrir novas turmas para o Programa Mulheres Mil no -Campus Coari Abrir novas turmas para o Programa Mulheres Mil no -Campus Tabatinga Abrir novas turmas para o Programa Mulheres Mil no -Campus Parintins Indicadores: Nº de cursos FIC, nº de Pessoas 2.500, ,00 Fonte de Verificação: , , , ,00 R$ ,00 Tipo de despesa: passagens e Diárias Ações Justificativa Tarefas Valor Unitário Valor Total Manter os Nucleos de Pesquisa Aplicada em Pesca e Aquicultura - NUPA nos campi do RESPONSÁVEL: Diretoria de Relações Interinstitucional e Comunitária Meta 1: Manter o Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Especificas - NAPNE 1.1 Manter os Núcelos de Apoio às Pessoas com Necessidades Especificas Manter as ações de Formação inicial e Continuada nos campi para mulheres em situação de vulnerabilidade social Otimizar o uso das capacidades do através da articulação entre os pescadores e agricultores familiares e os setores pesqueiros e aquicola, a fim de possibilitar a geração de emprego, aumento de renda e inclusão social. Meta 2: Promover ações de Formação Inicial e Continuada - FIC voltada a inclusão social. Promover dois Encontros anuais do NUPA do ,00 Fortalecer as ações do NUPA nos campi do Indicadores: Nº de cursos FIC, nº de Pessoas Fonte de Verificação: Tipo de despesa: passagens e Diárias Otimizar as ações de inclusão dos NAPNEs Promover Reuniões Semestrais dos NAPNEs do , Possibilitar aos NAPNE a oferta de cursos de FIC para as pessoas com deficiências especificas Otimizar as ações de capacitação dos NAPNEs Disponibilizar recursos financeiros para ações de capacitação ,00

11 OBJETIVO: Ampliar e Diversificar Ações de Responsabilidade Social RESPONSÁVEL: AYTY - Administradora Goretti Falcao Meta: Promover a expansão do Programa de Empreendedorismo no Indicadores: Fonte de Verificação: Tipo de despesa: 1.1 Expandir o Programa de Empreendedorismo em dois campi do Incentivar a criação de uma cultura empreendedora nos discentes e docentes dos campi do Realizar duas Oficinas sobre Empreendedorismo Implantação do Centro de Referência para Apoio a novos Empreendimentos no - PROGRAMA CERNE 2

Indicadores: Nº de Servidores e alunos por Campus que tem a pretensão de participar do curso básico em Frances

Indicadores: Nº de Servidores e alunos por Campus que tem a pretensão de participar do curso básico em Frances MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 1.Perspectiva Desenvolvimento de Pessoas Objetivo: Implantar Cursos de Idiomas para os servidores e alunos, de modo especifico em Frances. RESPONSÁVEL: Profª

Leia mais

Indicadores: Nº de Servidores e alunos por Campus que tem a pretensão de participar do curso básico em Frances

Indicadores: Nº de Servidores e alunos por Campus que tem a pretensão de participar do curso básico em Frances PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 1.Perspectiva Desenvolvimento de Pessoas Objetivo: Implantar Cursos de Idiomas para os servidores e alunos, de modo especifico em Frances. RESPONSÁVEL: Profª Ana Celia Said, Assessora

Leia mais

MATRIZ ESTRATÉGICA DO IFAM

MATRIZ ESTRATÉGICA DO IFAM PERSPECTIVA EFICIÊNCIA GERENCIAL (PROCESSOS INTERNOS) RACIONALIZAÇÃO DE PROCESSOS ADMINISTRATIVOS APERFEIÇOAMENTO E GESTÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DO IFAM MODELO DE GESTÃO DE TI AVALIAÇÃO

Leia mais

Estrutura do PDI 2014-2018

Estrutura do PDI 2014-2018 APRESENTAÇÃO O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) além de constituir um requisito legal, tal como previsto no Artigo

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense Campus Santa Rosa do Sul COORDENAÇÃO GERAL DE EXTENSÃO - CGEX PLANEJAMENTO - 2013

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense Campus Santa Rosa do Sul COORDENAÇÃO GERAL DE EXTENSÃO - CGEX PLANEJAMENTO - 2013 PLANEJAMENTO - 2013 GESTÃO 2012-2015 1. ORGANOGRAMA DA EXTENSÃO DIMENÇÕES 1. Programas e projetos 2. Projetos tecnológicos 3. Projetos sociais 4. Projetos culturais, artístico, e esportivo 5. Projetos

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 30, DE 26 DE JANEIRO DE 2016

Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 30, DE 26 DE JANEIRO DE 2016 Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 30, DE 26 DE JANEIRO DE 2016 Amplia o Programa Idiomas sem Fronteiras. O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o art.

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO 1. Identificação e caracterização Título do Projeto Nome do Prof(s) Coordenador(es) do Projeto Centro Laboratório Período Início Término Término previsto

Leia mais

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de

Leia mais

DIRETRIZES DE EXTENSÃO 2011 DIRETRIZES DE APOIO ÀS ATIVIDADES DE EXTENSÃO DO IF SUDESTE-MG. Execução: SETEMBRO DE 2011 A DEZEMBRO DE 2011

DIRETRIZES DE EXTENSÃO 2011 DIRETRIZES DE APOIO ÀS ATIVIDADES DE EXTENSÃO DO IF SUDESTE-MG. Execução: SETEMBRO DE 2011 A DEZEMBRO DE 2011 DIRETRIZES DE EXTENSÃO 2011 DIRETRIZES DE APOIO ÀS ATIVIDADES DE EXTENSÃO DO IF SUDESTE-MG Execução: SETEMBRO DE 2011 A DEZEMBRO DE 2011 Diretrizes de Apoio a Projetos de Extensão no IF SUDESTE-MG 1 Av.

Leia mais

CANDIDATURA A DIRETORA-GERAL. Isabel Cristina Adão. Plano de Trabalho para a Gestão 2013-2015

CANDIDATURA A DIRETORA-GERAL. Isabel Cristina Adão. Plano de Trabalho para a Gestão 2013-2015 CANDIDATURA A DIRETORA-GERAL Isabel Cristina Adão Plano de Trabalho para a Gestão 2013-2015 APRESENTAÇÃO A comunicação triunfa, o planeta é atravessado por redes, fax, telefones celulares, modems, Internet.

Leia mais

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA Secretaria Municipal de Planejamento EXERCÍCIO: 20 ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ÓRGÃO: Projeto/Atividade Objetivo Denominação da Meta Unid.

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX INTRODUÇÃO A extensão universitária é, na realidade, uma forma de interação que deve existir permanentemente entre a universidade e os diversos setores da sociedade. Assim, a

Leia mais

PLANO DE AÇÃO GESTÃO 2016 2020 APRESENTAÇÃO

PLANO DE AÇÃO GESTÃO 2016 2020 APRESENTAÇÃO Eu queria uma escola que lhes ensinasse a pensar, a raciocinar, a procurar soluções (...) Eu também queria uma escola que ensinasse a conviver, cooperar, a respeitar, a esperar, saber viver em comunidade,

Leia mais

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação:

ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO. RSC I RSC II RSC III Data de ingresso no Ifes: Nº de documentos de comprovação: ANEXO I RESOLUÇÃO Nº 13, DE 23 DE MAIO DE 2014. REQUERIMENTO Nome do Servidor: SIAPE: Lotação: Email: Telefone: Graduação: Titulação: Nível de RSC pretendido (marque com x o perfil pretendido) RSC I RSC

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas CEFET-AM Lei Nº 11. 892, de 29 de dezembro de 2008, Art. 5º, inciso IV, criou o Instituto

Leia mais

DADOS DOS CURSOS TÉCNICOS NA FORMA CONCOMITANTE. 1500 (1200 horas das disciplinas + 300 horas de estágio)

DADOS DOS CURSOS TÉCNICOS NA FORMA CONCOMITANTE. 1500 (1200 horas das disciplinas + 300 horas de estágio) INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO COMITE GESTOR CENTRAL DO PRONATEC DADOS DOS CURSOS TÉCNICOS

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 43/2014, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 43/2014, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO SUPERIOR Avenida Rio Branco, 50 Santa Lúcia 29056-255 Vitória ES 27 3227-5564 3235-1741 ramal 2003 RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA A REDE DOCTUM torna público à comunidade acadêmica de todas as suas unidades a abertura do processo

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO ÀS AÇÕES DE CULTURA E ARTE, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS PIAEX CULTURA EDITAL/UFU/PROEX/PIAEX-CULTURA 2015

EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO ÀS AÇÕES DE CULTURA E ARTE, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS PIAEX CULTURA EDITAL/UFU/PROEX/PIAEX-CULTURA 2015 EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO ÀS AÇÕES DE CULTURA E ARTE, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS PIAEX CULTURA EDITAL/UFU/PROEX/PIAEX-CULTURA 2015 A Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

III CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL: TRABALHO, CULTURA E INCLUSÃO SOCIAL NA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL.

III CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL: TRABALHO, CULTURA E INCLUSÃO SOCIAL NA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Área Técnica de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas III CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE REABILITAÇÃO

Leia mais

Apoio à Valorização da Diversidade no Acesso e na Permanência na Universidade

Apoio à Valorização da Diversidade no Acesso e na Permanência na Universidade Programa 1377 Educação para a Diversidade e Cidadania Objetivo Combater as desigualdades étnico-racial, de gênero, orientação sexual, geracional, regional e cultural no espaço escolar. Justificativa Público

Leia mais

Demonstrativo de Programas Temáticos Conferência Por Orgão - PPA 2016-2019. 2017 2018 2019 Total. Rio Grande do Norte 5 5 5 5 20

Demonstrativo de Programas Temáticos Conferência Por Orgão - PPA 2016-2019. 2017 2018 2019 Total. Rio Grande do Norte 5 5 5 5 20 Orgão Programa 0008 - EDUCAÇÃO SUPERIOR E TECNOLÓGICA Objetivo 0307 - Fortalecer a política de ensino superior de graduação e pós-graduação, por meio da sua interiorização, do desenvolvimento da pesquisa,

Leia mais

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO As Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e Educação

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Outubro de 2008 1 INTRODUÇÃO A Política de Desenvolvimento Social formaliza e orienta o compromisso da PUCRS com o desenvolvimento social. Coerente com os valores e princípios

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

PLANO DE GESTÃO PARTICIPATIVA DA UFRPE NO QUADRIÊNIO 2012/2016 COMPROMISSO E AÇÃO!

PLANO DE GESTÃO PARTICIPATIVA DA UFRPE NO QUADRIÊNIO 2012/2016 COMPROMISSO E AÇÃO! PLANO DE GESTÃO PARTICIPATIVA DA UFRPE NO QUADRIÊNIO 2012/2016 COMPROMISSO E AÇÃO! 1 2 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO................................................ PRINCÍPIOS E COMPROMISSOS QUE NORTEIAM O PLANO

Leia mais

2. PROPOSTAS - conforme modelo de projeto a ser seguido no ANEXO 2

2. PROPOSTAS - conforme modelo de projeto a ser seguido no ANEXO 2 Comitê Gestor Institucional de Formação Inicial e Continuada de Profissionais da Educação Básica da Universidade Federal de Santa Catarina COMFOR/UFSC Campus Prof. João David Ferreira Lima CEP 88040-900

Leia mais

Fomento a Projetos Culturais na Área do Livro e da Leitura

Fomento a Projetos Culturais na Área do Livro e da Leitura Programa 0168 LIVRO ABERTO Objetivo Estimular o hábito da leitura, facilitando o acesso às bibliotecas públicas e propiciar a difusão do conhecimento científico, acadêmico e literário. Indicador(es) Taxa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO CEPAE Centro de Ensino, Pesquisa, Extensão e Atendimento em Educação Especial

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO CEPAE Centro de Ensino, Pesquisa, Extensão e Atendimento em Educação Especial UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO CEPAE Centro de Ensino, Pesquisa, Extensão e Atendimento em Educação Especial RELATÓRIO DE ATIVIDADES O CEPAE Centro de Ensino, Pesquisa, Extensão

Leia mais

Resolução nº 30/CONSUP/IFRO, de 03 de outubro de 2011.

Resolução nº 30/CONSUP/IFRO, de 03 de outubro de 2011. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA CONSELHO SUPERIOR Resolução nº 30/CONSUP/IFRO, de 03 de outubro

Leia mais

PRONATEC. Fomenta as redes estaduais de EPT por intermédio do Brasil Profissionalizado;

PRONATEC. Fomenta as redes estaduais de EPT por intermédio do Brasil Profissionalizado; PRONATEC Criado em 26 de Outubro de 2011 com a sanção da Lei nº 12.513/2011, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) será executado pela União com a finalidade de ampliar a

Leia mais

servidores não tem hábitos de práticar execícios regularmente. Ações Justificativa Tarefas Valor Unitário Valor Total

servidores não tem hábitos de práticar execícios regularmente. Ações Justificativa Tarefas Valor Unitário Valor Total MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS CAMPUS SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA 1.Perspectiva Desenvolvimento de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 GABINETE DO PREFEITO LEI Nº. 277/2007. CEP: 5.50-000 Institui o Programa Casa da Família e dá outras providências. A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Pilões, sanciono e promulgo a seguinte lei: Art.

Leia mais

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Elaborada pela Diretoria de Extensão e pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa

Leia mais

Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP

Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP Abril/2012 Apresentação O Planejamento Estratégico (PLANES) da UNICAMP é um processo acadêmico/administrativo dinâmico cujo objetivo central é de ampliar

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO CORAÇÃO EUCARÍSTICO

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO CORAÇÃO EUCARÍSTICO 1) PERFIL DO CURSO: SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO CORAÇÃO EUCARÍSTICO A missão do Curso de Administração da PUC Minas consiste em atender às necessidades de adaptação às transformações ambientais,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 16 - CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009.

RESOLUÇÃO Nº. 16 - CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI CONSU RESOLUÇÃO Nº. 16 - CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regimento interno da Diretoria de Relações Internacionais

Leia mais

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC METODOLOGIA PARA O ENSINO DE LINGUA PORTUGUESA. Parte 1 (solicitante)

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC METODOLOGIA PARA O ENSINO DE LINGUA PORTUGUESA. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFENCIA EM FORMAÇÃO E APOIO

Leia mais

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Londrina Diretoria de Relações Empresariais e Comunitárias PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO

Leia mais

ASSESSORIA DE AÇÕES INCLUSIVAS

ASSESSORIA DE AÇÕES INCLUSIVAS ASSESSORIA DE AÇÕES INCLUSIVAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO TÂNIA DUBOU HANSEL INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA Política de Inclusão na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica O Instituto Federal Farroupilha

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX EDITAL Nº. 09/2016-PROEX/IFRN

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX EDITAL Nº. 09/2016-PROEX/IFRN 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX EDITAL Nº. 09/2016-PROEX/IFRN SELEÇÃO PÚBLICA PARA APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO EXERCÍCIO 2016

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2012 SPM/PR

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2012 SPM/PR PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2012 SPM/PR A Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República SPM/PR torna público

Leia mais

3.3 Linhas de ação 3.3.1 3.3.2 Informações sobre programas 3.4 Proponente 3.4.1 3.4.2 3.5 Submissão

3.3 Linhas de ação 3.3.1 3.3.2 Informações sobre programas 3.4 Proponente 3.4.1 3.4.2 3.5 Submissão EDITAL Nº. 01/2014 - SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO DA EDUCAÇÃO BÁSICA REFERENTE À AÇÃO 20RJ DO MEC O COMITÊ GESTOR INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

Regulamento de Atividades Complementares Sistemas de Informações Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Regulamento de Atividades Complementares Sistemas de Informações Análise e Desenvolvimento de Sistemas Regulamento de Atividades Complementares Sistemas de Informações Análise e Desenvolvimento de Sistemas Coordenador: Profª Ms: Magda Aparecida Silvério Miyashiro 2013 Conteúdo 1. Definição... 3 2. Características

Leia mais

APOIO AO PROGRAMA MULHERES SIM

APOIO AO PROGRAMA MULHERES SIM PROEX N º 05/2015/PROEX APOIO AO PROGRAMA MULHERES SIM EXECUÇÃO: 10 JULHO DE 2015 A 10 DE DEZEMBRO DE 2015. 1 PROEX Nº 05/2015 EDITAL PROGRAMA MULHERES SIM A Reitora do Instituto Federal de Santa Catarina,

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS - projetos e ações da Seger em 2011 -

PRESTAÇÃO DE CONTAS - projetos e ações da Seger em 2011 - PRESTAÇÃO DE CONTAS - projetos e ações da Seger em 2011 - MELHORIA DA GESTÃO PÚBLICA E VALORIZAÇÃO DO SERVIDOR Este eixo estratégico tem por objetivo ampliar e modernizar o atendimento ao cidadão, a formação,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1. O Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia - NITTEC é um Órgão Executivo

Leia mais

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*):

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*): PAC UFSCar 2016 1.INTRODUÇÃO A Política de Capacitação da UFSCar estabelece as diretrizes para capacitação de servidores com vistas ao desenvolvimento de um processo de educação continuada e permanente

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL)

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL) REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL) TÍTULO 1 Da Instituição e seus Fins Art. 1 0 O Centro de Estudos em Educação e Linguagem (CEEL), criado em 2004, para integrar uma

Leia mais

META NACIONAL 12: elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por

META NACIONAL 12: elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por META NACIONAL 12: elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população de 18 (dezoito) a 24 (vinte e quatro)

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENGENHARIA CIVIL POÇOS DE CALDAS

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENGENHARIA CIVIL POÇOS DE CALDAS 1) Perfil do curso: SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENGENHARIA CIVIL POÇOS DE CALDAS O curso de Engenharia Civil da PUC Minas, campus de Poços de Caldas, tem como objetivo principal formar um profissional

Leia mais

PROJETO DO CURSO INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO

PROJETO DO CURSO INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense PROJETO DO CURSO INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO Pró-reitoria de Desenvolvimento Humano e Social - PRODHS

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

Regimento dos Campi da. Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR

Regimento dos Campi da. Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Regimento dos Campi da Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Deliberação nº 10/2009

Leia mais

I - Estudantes do ensino médio da rede pública, inclusive da educação de jovens e adultos;

I - Estudantes do ensino médio da rede pública, inclusive da educação de jovens e adultos; Plano de Curso Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal

Leia mais

a) Ser professor e/ou técnico administrativo ativo ou inativo do IFAL, para os cursos FIC.

a) Ser professor e/ou técnico administrativo ativo ou inativo do IFAL, para os cursos FIC. EDITAL Nº 02 /22 DE 10 DE ABRIL DE 22 PROCESSO DE SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA /INTERNO BOLSISTA PRONATEC CURSOS FIC FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA O Reitor do IFAL, no uso de suas atribuições, e considerando

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 RESUMO 1. APRESENTAÇÃO Com a missão de promover ações para o fortalecimento do segmento da construção civil no Espírito Santo,

Leia mais

E D I T A L FACULDADE PILARES

E D I T A L FACULDADE PILARES EDITAL NEXTUN N.º 01/2010 CONVOCA A COMUNIDADE ACADÊMICA DA PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSO DE EXTENSÃO. A Coordenadora do Núcleo de Extensão Universitária, no uso de suas atribuições legais previstas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO ANEXO IV PLANILHA DE PONTUAÇÃO RECONHECIMENTO DE SABERES

Leia mais

Planilha1 1. CONSOLIDAR OS CURSOS OFERTADOS

Planilha1 1. CONSOLIDAR OS CURSOS OFERTADOS Planilha1 Indicadores: 1. CONSOLIDAR OS CURSOS OFERTADOS Índice de Eficiência Acadêmica Meta: 55% Índice de Retenção do Fluxo Escolar Meta: 18% Relação Concluintes x vaga ofertada Meta: 5% Realização de

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS OSÓRIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

GESTÃO INTEGRADA DA INFORMAÇÃO NOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNEB: MODELAGEM E OPERACIONALIZAÇÃO DA PLATAFORMA PANDORA

GESTÃO INTEGRADA DA INFORMAÇÃO NOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNEB: MODELAGEM E OPERACIONALIZAÇÃO DA PLATAFORMA PANDORA GESTÃO INTEGRADA DA INFORMAÇÃO NOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNEB: MODELAGEM E OPERACIONALIZAÇÃO DA PLATAFORMA PANDORA Kellen Lima Gomes¹ ¹Universidade do Estado da Bahia. klsilva@uneb.br

Leia mais

O PRONATEC como política estruturante da Educação Profissional Brasileira

O PRONATEC como política estruturante da Educação Profissional Brasileira PRONATEC Programa MINISTÉRIO Nacional de Acesso DA EDUCAÇÃO ao Ensino Técnico e Emprego O PRONATEC como política estruturante da Educação Profissional Brasileira Maio de 2012 FINALIDADE ampliar a oferta

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Carga Horária Total exigida no curso: 200 horas

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Carga Horária Total exigida no curso: 200 horas REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Carga Horária Total exigida no curso: 200 LONDRINA/PR 2014 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO

Leia mais

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE EDUCACIONAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE EDUCACIONAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE EDUCACIONAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CHAMADA PÚBLICA SNEED / SETEC n.º 01 /2010 CHAMADA PÚBLICA DE PROPOSTAS

Leia mais

3.1 Ampliar o número de escolas de Ensino Médio de forma a atender a demanda dos bairros.

3.1 Ampliar o número de escolas de Ensino Médio de forma a atender a demanda dos bairros. Meta 1 - Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de quatro e cinco anos, e ampliar, até 2025, a oferta de Educação Infantil de forma a atender a 50% da população de até 3 anos. Estratégias:

Leia mais

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013 META NACIONAL 11 - Educação Profissional- Triplicar as matrículas da Educação Profissional Técnica de nível médio, assegurando a qualidade da oferta e pelo menos 50% da expansão no segmento público. Contexto

Leia mais

Capacitação de Recursos Humanos em Pesquisa e Desenvolvimento para o Setor de Tecnologia da Informação (CT-Info)

Capacitação de Recursos Humanos em Pesquisa e Desenvolvimento para o Setor de Tecnologia da Informação (CT-Info) Programa 0465 Sociedade da Informação Objetivo Universalizar o acesso e a inclusão de todos os brasileiros na sociedade da informação Justificativa Público Alvo Produtores e usuários do conhecimento, empresas

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares constituem ações a serem desenvolvidas ao longo do curso, criando

Leia mais

Programas Orçamentários para Execução de Parcerias

Programas Orçamentários para Execução de Parcerias Programas Orçamentários para Execução de Parcerias Os Programas Orçamentários para Execução de Parcerias com pessoas jurídicas do setor privado ou pessoas físicas serão executados nas 08 Macrorregiões

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA Nº02/2012 SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA O PROJETO PRONERA/INCRA/UECE

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA Nº02/2012 SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA O PROJETO PRONERA/INCRA/UECE CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA Nº02/2012 SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA O PROJETO PRONERA/INCRA/UECE 1. PROJETO PRONERA/INCRA/UECE SELECIONA CANDIDATOS PARA DIVERSOS PERFIS O projeto PRONERA/INCRA/UECE convênio

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO IFPE NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO IFPE NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

Plano de Curso. Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal

Plano de Curso. Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal Plano de Curso Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS Câmpus Universitário de Palmas EDITAL Nº 001/2013.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS Câmpus Universitário de Palmas EDITAL Nº 001/2013. EDITAL Nº 001/2013. CHAMADA PÚBLICA PARA PROJETOS NAS CATEGORIAS DE MONITORIA, EXTENSÃO E PESQUISA. O Diretor do da Fundação Universidade Federal do Tocantins, torna pública a presente Chamada referente

Leia mais

Prazo Limite de envio da Proposta ( informações atualizadas em 31/05/2012)

Prazo Limite de envio da Proposta ( informações atualizadas em 31/05/2012) ACESSE A PÁGINA DO SICOV PARA MAIORES DETALHES: https://www.convenios.gov.br/siconv/programa/listarchamamentopublico/listarchamamentopublico.do?op=disp Código do Programa Projetos referentes aos saberes,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO CURITIBA 2012 2 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO DA UFPR 1. HISTÓRICO Em 13 de novembro de 2009, o

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE CURSINHOS POPULARES DO IFSP EDITAL Nº 593, DE 28 DE OUTUBRO DE 2015

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE CURSINHOS POPULARES DO IFSP EDITAL Nº 593, DE 28 DE OUTUBRO DE 2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE CURSINHOS POPULARES DO IFSP EDITAL Nº 593, DE 28 DE OUTUBRO DE 2015 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), por meio de sua Pró-reitoria de

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro. Plano de Trabalho. Gestão 2012 2015. Rodrigo Leitão Diretor

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro. Plano de Trabalho. Gestão 2012 2015. Rodrigo Leitão Diretor Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro Plano de Trabalho Gestão 2012 2015 Diretor Candidato ao cargo de Diretor-Geral do Campus Uberaba do IFTM Professor Rodrigo Afonso

Leia mais

Fóruns Regionais de VISA: Política e práticas em vigilância sanitária

Fóruns Regionais de VISA: Política e práticas em vigilância sanitária Fóruns Regionais de VISA: Política e práticas em vigilância sanitária Brasília, 2010. Presidente da República Luís Inácio Lula da Silva Ministro da Saúde José Gomes Temporão Diretor Presidente da Anvisa

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE TÉCNICOS BOLSISTAS PROJETO CVDS

EDITAL PARA SELEÇÃO DE TÉCNICOS BOLSISTAS PROJETO CVDS EDITAL PARA SELEÇÃO DE TÉCNICOS BOLSISTAS PROJETO CVDS Manaus, 04 de Dezembro de 2014. 1. CONTEXTUALIZAÇÃO O Centro Vocacional para o Desenvolvimento Sustentável (CVDS), trata-se de um projeto piloto que

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO ANUAL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. E-mail: prodin@ifam.edu.br/ e diplan@ifam.edu.

PLANO DE DESENVOLVIMENTO ANUAL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. E-mail: prodin@ifam.edu.br/ e diplan@ifam.edu. 2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ANUAL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E-mail: prodin@ifam.edu.br/ e diplan@ifam.edu.br Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do

Leia mais

Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Formação Continuada em Comunicação interna e feedback

Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Formação Continuada em Comunicação interna e feedback MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Campo Grande 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Espanhol Obs.:

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA. Desde a criação do primeiro Programa de NA PÓS-GRADUAÇÃO

FORMAÇÃO PLENA. Desde a criação do primeiro Programa de NA PÓS-GRADUAÇÃO FORMAÇÃO PLENA NA PÓS-GRADUAÇÃO Desde a criação do primeiro Programa de Pós- Sricto Sensu, em Fitotecnia, em 1975, a UFLA ocupou-se de pautar as suas ações em fundamentos morais sólidos e em valores que

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014 Redação do vencido, para o turno suplementar, do Substitutivo do Senado ao Projeto de Lei da Câmara nº 90, de 2013 (nº 757, de 2011, na Casa de origem). A Comissão

Leia mais

2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES

2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, desenvolvimento da comunidade e formação de jovens fazem parte da história do Instituto.

Leia mais

COMITÊ EXECUTIVO PARA A FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM CIÊNCIAS DO MAR - PPG-Mar PLANO NACIONAL DE TRABALHO 2012-2015

COMITÊ EXECUTIVO PARA A FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM CIÊNCIAS DO MAR - PPG-Mar PLANO NACIONAL DE TRABALHO 2012-2015 CIRM PSRM 180/ 120/8 9 COMITÊ EXECUTIVO PARA A FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM CIÊNCIAS DO MAR - 1.1. Apoiar, incentivar e promover a 1. Melhorar a qualificação do corpo qualificação do corpo docente da

Leia mais

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO.

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. Grupo PET Administração Universidade Federal de Lavras UFLA Resumo Os jovens formam o conjunto

Leia mais

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS ENCONTRO DA COMISSÃO SECTORIAL PARA A EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO CS/11 ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO GT2 - Ensino Superior

Leia mais

Projeto de Gestão Pedagógica - 2014

Projeto de Gestão Pedagógica - 2014 Projeto de Gestão Pedagógica - 2014 Etec (Código e nome da unidade): 164 Etec Professor Mário Antônio Verza Professor: Claudia Patricia Candia Maciel Nº Matrícula: 019.290 Categoria: I E-mail: claudia.candia@etec.sp.gov.br

Leia mais

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público 1. SOBRE O STARTUPGOV: O StartupGov: O Desafio do Serviço Público é um espaço para debate com o objetivo de aproximar o governo de especialistas

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2012 PROJETO ALFABETIZAÇÃO CIDADÃ

PLANO DE AÇÃO 2012 PROJETO ALFABETIZAÇÃO CIDADÃ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX DIRETORIA DE PROGRAMAS SOCI PLANO DE AÇÃO 2012 PROJETO ALFABETIZAÇÃO CIDADÃ Gestora do Projeto: Gleice Amélia Gomes Lemos 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 JUSTIFICATIVA... 4 RECURSOS

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL Fortaleza, 2012 INDICE CAPÍTULO I... 3 DO OBJETIVO GERAL... 3 CAPÍTULO II... 3 DOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CAPÍTULO III... 4 DA ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA

Leia mais

Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação

Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação A Universidade de Mogi das Cruzes UMC possui uma política de acompanhamento de egressos que se iniciou em 1998 ao constituir um banco de

Leia mais

Chamada de Propostas de Pesquisa na área de Mudanças Climáticas Globais Convênio FAPESP-FAPERJ

Chamada de Propostas de Pesquisa na área de Mudanças Climáticas Globais Convênio FAPESP-FAPERJ Chamada de Propostas de Pesquisa na área de Mudanças Climáticas Globais Convênio FAPESP-FAPERJ 1) Introdução A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo FAPESP e a Fundação de Amparo à Pesquisa

Leia mais

Indicador(es) Órgão(s) 54 - Ministério do Turismo

Indicador(es) Órgão(s) 54 - Ministério do Turismo Programa 1163 Brasil: Destino Turístico Internacional Objetivo Aumentar o fluxo de turistas estrangeiros no País Justificativa Devemos criar uma estratégia bem estruturada de inserção internacional do

Leia mais