ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREAS PRIMÁRIAS COMPACTAS PROTEGIDAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREAS PRIMÁRIAS COMPACTAS PROTEGIDAS"

Transcrição

1 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREAS PRIMÁRIAS COMPACTAS PROTEGIDAS ESCELSA ESPÍRITO SANTO CENTRAIS ELÉTRICAS S.A RODOVIA BR 101 NORTE KM 9,5 CARAPINA SERRA ES CEP ENERSUL EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A AV. GURY MARQUES, S/N - CAMPO GRANDE MATO GROSSO DO SUL CEP Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00

2 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD APRESENTAÇÃO Esta Instrução tem como objetivo padronizar as estruturas e critérios para montagem de redes de distribuição aéreas primárias compactas protegidas, trifásicas, da Espírito Santo Centrais Elétricas S.A. ESCELSA e Empresa Energética de Mato Grosso do Sul ENERSUL. As redes compactas protegidas permitem uma convivência menos agressiva entre a rede aérea de distribuição e a arborização, pois a cobertura dos condutores permite eventuais contatos entre os cabos e os galhos de árvores, além de possibilitar também uma disposição mais compacta dos condutores, de forma que o espaço destinado à sua passagem seja reduzido. Entretanto, contatos permanentes de árvores e outros objetos com os condutores devem ser evitados, por causar abrasão localizada e consequentemente perfuração da cobertura. Foram observadas falhas em redes compactas ( danos na cobertura dos cabos e surgimento de trilhamento elétrico) em redes instaladas próximas ao litoral e com elevado nível de poluição salina, razão pela qual estamos recomendando que este tipo de rede não seja utilizada em regiões com essas características. Estão sendo analisados, em conjunto com fabricantes de cabos e acessórios, possíveis soluções para os problemas detetados. É importante enfatizar que, apesar de possuir cobertura, os cabos protegidos não são isolados, não sendo permitido portanto tocar o cabo com a rede energizada. Esta segunda revisão faz parte do processo de unificação das normas utilizadas na Escelsa e na Enersul. Data Registro: 21/01/04 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 1/62

3 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD ITEM MATERIAL PARA REDES COMPACTAS PADRÃO FERRAGENS 1 Estribo para braço tipo L PT.RD Braço suporte tipo L PT.RD Braço tipo C PT.RD Suporte Z PT.RD Suporte auxiliar para braço tipo C PT.RD Perfil U para rede compacta PT.RD Pino curto de isolador PT.RD Parafuso de cabeça abaulada M12 x 40 mm PT.RD FIOS E CABOS 9 Cabo de alumínio CA, coberto, protegido 8.7/15Kv 35 mm² 10 Cabo de alumínio CA, coberto, protegido 8.7/15Kv 50 mm² PT.RD Cabo de alumínio CA, coberto, protegido 8.7/15Kv 185 mm² 12 Fio coberto para amarração PT.RD Cabo de aço zincado 3/8 (9,5 mm) Classe A 15 Cabo de aço zincado 3/8 (9,5 mm) Classe B PT.RD ISOLADORES 16 Isolador tipo pino polimérico 15 kv PT.RD Isolador de ancoragem polimérico 15 kv PT.RD Tubo contrátil para emenda Cabo 50 mm² 19 Tubo contrátil para emenda Cabo 185 mm² PT.RD Capa protetora 15 kv para conector cunha - Pequena 21 Capa protetora 15 kv para conector cunha - Grande 22 Capa protetora 15 kv para conector cunha com estribo - Pequena PT.RD Capa protetora 15 kv para conector cunha com estribo - Grande ACESSÓRIOS 24 Espaçador losangular condutor 50 mm² 25 Espaçador losangular condutor 185 mm² 26 Separador condutor 50 mm² PT.RD Separador condutor 185 mm² 28 Braço anti-balanço PT.RD Grampo de ancoragem condutor 50 mm² 30 Grampo de ancoragem condutor 185 mm² PT.RD Laço pré-formado plástico para amarração condutor 50 mm² 32 Laço pré-formado plástico para amarração condutor 185 mm² PT.RD Laço pré-formado para amarração mensageiro 3/8 (9,5 mm) 34 Anel de amarração PT.RD CONECTORES 35 Conectores cunha com estribo condutor 50 mm² 36 Conectores cunha com estribo condutor 185 mm² PT.RD Conector derivação para linha viva PT.RD Conector compressão Cabo-barra para aterramento PT.RD Data Registro: 21/01/04 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 2/62

4 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD FINALIDADE Definir instalações básicas para Redes de Distribuição Aéreas Primárias Compactas Protegidas, utilizando espaçadores poliméricos e cabos cobertos, com tensões nominais primárias de , e V. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Esta instrução aplica-se a melhoramentos, reformas e redes novas de distribuição aéreas primárias compactas protegidas. 3. CONSIDERAÇÕES GERAIS As instalações apresentadas nesta instrução são aquelas comumente projetadas neste tipo de rede. Entretanto, outros arranjos poderão ser obtidos, tomando-se estas instalações como base, desde que observadas as distâncias mínimas indicadas em Afastamentos Mínimos", desta instrução. Embora os desenhos indiquem apenas postes de concreto circular, as listas de materiais de cada desenho fornecem também as quantidades para instalações com poste duplo T e madeira. Para os postes duplo T as cotas indicadas referem-se ao lado de maior resistência mecânica do poste. Salvo indicações em contrário, as dimensões apresentadas nos desenhos são dadas em milímetros. A locação, engastamentos e concretagens da base dos postes utilizados nas instalações apresentadas nesta instrução, obedecem os mesmos critérios e procedimentos estabelecidos nos Anexos 1 e 3 da "INS-CON-11 - Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Urbanas". Do mesmo modo, devem ser considerados, também, da citada instrução, os aspectos gerais correspondentes à iluminação pública, uso mútuo de postes e estaiamento onde aplicável. As cotas de montagens previstas nesta instrução, referem-se a instalações de redes novas compactas protegidas e reformas de redes aéreas convencionais que serão transformadas em compactas protegidas. O sistema de distribuição deve ser com neutro contínuo multi e solidamente aterrado e interligado à malha de terra da subestação. As redes primárias compactas devem ser acompanhadas por condutor neutro. O neutro da rede compacta poderá ser: mensageiro do cabo multiplexado no caso de utilização de rede secundária isolada; cabo nu de alumínio no caso de não haver rede secundária ou utilização de rede secundária nua. 4. APLICAÇÃO As redes compactas são indicadas para aplicação em sistemas de distribuição urbanos e rurais nas seguintes situações : Locais com desligamentos provocados por interferência da arborização com a rede; Locais com desligamentos provocados por descargas atmosféricas; Locais de freqüentes ocorrências de objetos lançados à rede; Congestionamento de estruturas; Saída de alimentadores de subestações; Alimentador expresso atendendo a consumidor (es) especial (ais). Data Registro: 21/01/04 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 3/62

5 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD TERMINOLOGIA 5.1. Cabo Coberto Cabo dotado de cobertura protetora de material polimérico, utilizada para eliminação da corrente de fuga, em caso de contato acidental do condutor com objetos aterrados e diminuição do espaçamento entre condutores Espaçador Acessório de material polimérico de formato losangular cuja função é a de sustentação dos cabos cobertos ao longo do vão Separador Vertical Acessório de material polimérico cuja função é de sustentação e separação dos cabos cobertos na rede compacta, em situações de conexões entre fases ("flying-tap"), mantendo o isolamento elétrico da rede Braço Tipo "L" Ferragem cuja finalidade é de sustentação do cabo mensageiro da rede compacta, em condições de tangência ou com ângulos de deflexão de até Braço Tipo "C" Ferragem cuja a finalidade é de sustentação das fases em condições de ângulo e final de linha, derivações e conexão de equipamentos de rede Cabo Mensageiro Cabo utilizado para sustentação dos espaçadores e separadores, e para proteção elétrica e mecânica da rede compacta Braço anti-balanço Acessório de material polimérico cuja função é a redução da vibração mecânica das redes compactas Estribo para Braço Tipo "L" Ferragem complementar ao braço tipo "L" cuja função é a sustentação de espaçador junto ao braço Anel de Amarração Amarração de material elastomérico, com a função de fixação dos cabos cobertos e mensageiro, ao espaçador, da rede compacta Fio Coberto de Amarração Fio de alumínio recoberto com borracha termoplástica, que possui as mesmas funções do anel de amarração, podendo ser utilizado alternativamente Suporte "Z" Ferragem cuja finalidade é de fixação das chaves fusíveis e/ou de pára-raios ao braço tipo "C" Suporte Auxiliar Ferragem utilizada para instalação de pára-raios e chaves fusíveis e em derivações de redes compactas Grampo de Ancoragem Acessório cuja função é a fixação (encabeçamento) dos cabos cobertos nas estruturas de ancoragem. Data Registro: 21/01/04 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 4/62

6 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD AFASTAMENTOS MÍNIMOS Notas complementares 1. Apesar dos cabos utilizados nas redes primárias compactas protegidas serem cobertos, os afastamentos mínimos a serem mantidos nas diversas situações apresentadas nas folhas 6 e 7/62, são os mesmos que os exigidos para os condutores nus. 2. Em situações temporárias podem ser mantidos espaçamentos menores de tapumes e andaimes de construção, desde que se tomem medidas de proteção contra a queda acidental de ferramentas e/ou materiais diversos sobre a rede. 3. O espaçamento entre condutores do mesmo circuito ou de circuitos diferentes, mostrado na folha 7/62, pode ser reduzida, desde que os condutores sejam providos de rigidez dielétrica para evitar curto circuito em caso de contato momentâneo, entre condutores fase ou entre os mesmos e condutores aterrados. Quando for efetuada esta redução as distâncias mínimas a serem obedecidas em pontos fixos são as apresentadas na tabela As tabela 1 apresenta valores de afastamentos mínimos dos condutores ao solo. TABELA 1 AFASTAMENTO MÍNIMO (A) ENTRE CONDUTORES PRIMÁRIOS PROTEGIDOS E O SOLO (VER FIGURA DA FOLHA 7/62) NATUREZA DO LOGRADOURO DISTÂNCIA MÍNIMA A (m) Rodovias e Ferrovias 6,00 Ruas e Avenidas 5,50 Entrada de prédios e outros locais de uso restrito a veículos 4,50 Ruas e Vias exclusivas a pedestres 3,50 Áreas rurais 6,00 TABELA 2 DISTÂNCIA MÍNIMA DAS PARTES ENERGIZADAS À FASE OU À TERRA EM PONTOS FIXOS TENSÃO SUPORTÁVEL NOMINAL SOB DISTÂNCIAS MÍNIMAS (mm) IMPULSO ATMOSFÉRICO (kv) FASE - FASE FASE - TERRA Data Registro: 21/01/04 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 5/62

7

8

9 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD ESTRUTURAS BÁSICAS Notas Complementares 1. As denominações e aplicações das estruturas básicas são apresentadas nas folhas 9 e 10/ Outros arranjos poderão ser obtidos a partir da combinação de estruturas básicas entre si ou conjugadas com estruturas de rede convencional. 3. A nomenclatura das estruturas básicas (CE) deriva da designação "Compacta com Espaçadores", seguindo de forma análoga os índices das estruturas das redes convencionais. 4. Os desenhos das estruturas apresentam a rede secundária com cabos multiplexados. No caso de se utilizar rede secundária convencional, as distâncias mínimas indicadas nos desenhos referem-se à posição do neutro. 5. O mensageiro da rede secundária ( ou neutro da rede convencional ), é apresentado nos desenhos das estruturas instalado a 7,2 m. Caso seja utilizada rede secundária isolada, o mensageiro poderá ser instalado a 6,8 m. 6. Estruturas de ancoragem (CE4) devem ser instaladas a cada 500 m, no máximo, de rede compacta protegida. 7. A estrutura CE1A deve ser utilizada a cada 200 m de rede com vãos em tangência. 8. Nos cruzamentos aéreos com rede convencional, a rede compacta deve ser posicionada em nível superior, efetuando-se as ligações ("jumpers") com cabo coberto, observando-se a distância mínima entre circuitos definida em Afastamentos Mínimos, desta instrução. 9. Para que a seqüência de fases seja mantida, a instalação dos cabos nos espaçadores e separadores verticais ao longo da rede, deve obedecer a convenção mostrada em Instalação de Espaçadores Losangulares, desta instrução. 10. Os circuitos duplos deverão ter preferencialmente a configuração mostrada na figura 1. Opcionalmente poderá ser utilizada a configuração mostrada na figura 2. Circuitos triplos ou quádruplos deverão ser construídos conforme figura 3. Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 8/62

10

11

12

13

14

15

16

17 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD RELAÇÃO DE MATERIAL ESTRUTURAS CE1, CE1A, CE2, CE3, CE4 ITEM QUANTIDADE C.C. DT - M CE1 CE1-A CE2 CE3 CE4 CE1 CE1-A CE2 CE3 CE4 U N I D DESCRIÇÃO A pç Espaçador de fases losangular A pç Braço anti-balanço A pç Isolador de pino polimérico A pç Isolador de ancoragem polimérico A pç Grampo de ancoragem A pç Alça pré-formada para cabo mensageiro A pç Capa protetora 15 kv para conector C m Cabo de aço SM 6,4 mm C , ,8 - kg Fio de cobre nu 16 mm 2 C m Fio coberto ou anel de amarração E pç Pára-raios F pç Cinta F pç Braço suporte tipo L F pç Braço suporte tipo C F pç Suporte auxiliar F pç Parafuso cabeça abaulada 16 x 45 mm F pç Parafuso cabeça abaulada 12 x 40 mm F pç Pino curto de isolador F pç Olhal para parafuso F pç Sapatilha F pç Manilha-sapatilha F pç Estribo para braço tipo L F pç Haste de terra aço-cobre F pç Parafuso cabeça quadrada 16 x TA F-30a pç Parafuso cabeça quadrada 16 x 125 mm F pç Suporte Z O pç Conector tipo cunha O pç Conector terminal barra-cabo O pç Conector de aterramento P pç Poste Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 16/62

18

19

20 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD RELAÇÃO DE MATERIAL ESTRUTURAS CE1 - CE3 E CE1C ITEM QUANTIDADE C.C. DT - M U N I D DESCRIÇÃO CE1 C CE2-CE3 CE1C A pç Espaçador de fases losangular A pç Arruela quadrada 38 mm A pç Isolador de pino polimérico A pç Isolador de ancoragem polimérico A pç Grampo de ancoragem A pç Alça pré-formada para cabo mensageiro A pç Capa protetora 15 kv para conector C m Fio coberto ou anel de amarração F pç Cinta F pç Braço suporte tipo C F pç Suporte auxiliar F pç Parafuso de cabeça abaulada - 16 x 45 mm F-5b pç Parafuso de cabeça abaulada - 16 x 150 mm F pç Pino curto de isolador F pç Olhal para parafuso F pç Sapatilha F pç Manilha - sapatilha F pç Mão francesa perfilada F pç Parafuso cabeça quadrada 16 x TA F-30b pç Parafuso cabeça quadrada 16 x 125 mm O pç Conector tipo cunha P pç Poste R pç Cruzeta de m Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 19/62

21 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD ESTRUTURA DE TRANSIÇÃO Notas Complementares 1. A transição de redes primárias convencionais para redes primárias compactas protegidas será feita através da estrutura N3 - CE. 2. Esta estrutura poderá ser utilizada também em fins de rede convencional com estrutura N2. Neste caso a distância do primeiro pára - raios à ponta da cruzeta deverá ser diminuída de 300mm para 250mm. 3. Toda estrutura de transição deve possuir pára-raios instalados do lado da rede nua. 4. Toda derivação de rede compacta para rede nua deve ser entendida como transição, devendo portanto ser instalados pára-raios, do lado da rede nua. Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 20/62

22

23 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD RELAÇÃO DE MATERIAL ESTRUTURAS DE TRANSIÇÃO ITEM U QUANTIDADE N I DESCRIÇÃO C.C. DT - M D A pç Arruela quadrada 38 mm A pç Isolador de pino polimérico A pç Isolador de ancoragem polimérico A pç Alça pré-formada A pç Alça pré-formada para cabo mensageiro A pç Grampo de ancoragem A pç Isolador de disco A pç porca quadrada C-4-22 m Cabo de aço SM 6,4 mm C kg Fio de cobre nu 16 mm 2 C-11 0,35 0,35 kg Fio de alumínio nu de amarração C m Fio coberto ou anel de amarração E pç Pára-raios F pç Cinta F pç Parafuso de cabeça abaulada - 16 x 45 mm F pç Mão francesa plana F pç Olhal para parafuso F pç Sapatilha F pç Manilha - sapatilha F pç Gancho olhal F pç Parafuso cabeça quadrada 16 x TA F pç Parafuso cabeça abaulada 16 x 150 mm F pç Pino de isolador F pç Sela de cruzeta F pç Suporte L I pç Isolador de pino M-8 0,2 0,2 kg Fita de alumínio O pç Conector tipo cunha P pç Poste R pç Cruzeta de madeira mm Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 22/62

24 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS Notas Complementares 1. Desenhos para montagem de estruturas com equipamentos: Instalação de pára-raios - CE-PR; Instalação de chaves fusíveis - CE-CF; Instalação de chaves faca - CE-CS; Instalação de transformador monofásico - CE-TR1; Instalação de transformador trifásico - CE-TR3; Instalação de transformador auto-protegido - CE-AP; Instalação de chave interruptora operação em carga (chave a óleo) - CE-CI1; Instalação de chave interruptora operação em carga (chave tipo Omni - Rupter) - CE-CI2; Instalação de ramal de entrada subterrâneo em alta tensão - CE-RS. 2. Devem ser instalados pára-raios nas seguintes situações : a) Em todos os transformadores; b) Estruturas com seccionalizadores, banco de capacitores, chaves interruptoras operação em carga, religadores e bancos de reguladores de tensão; c) Transições de rede (nua-protegida, subterrânea-protegida) d) Em toda estrutura fim de rede; e) Chaves seccionadoras que operem normalmente abertas (instalar dois jogos de pára-raios, um em cada lado) f) A distância máxima entre dois pára-raios consecutivos ao longo da rede não deve exceder a 3 km. Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 23/62

25

26

27

28 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD RELAÇÃO DE MATERIAL CHAVE FUSÍVEL, PÁRA-RAIOS E CHAVE FACA QUANTIDADE U ITEM CHAVE N PÁRA-RAIOS CHAVE FACA FUSÍVEL I DESCRIÇÃO C.C. DT - M C.C. DT - M C.C. DT - M D A pç Arruela quadrada 38 mm A pç Isolador de pino polimérico A pç Isolador de ancoragem polimérico A pç Grampo de ancoragem A pç Alça pré-formada para cabo mensageiro A pç Porca quadrada A pç Capa protetora para conector - 15 kv C m Cabo coberto 15 kv - 35 mm 2 C pç Conector C m Cabo de aço SM 6,4 mm C , kg Fio de cobre nu 16 mm 2 E pç Pára-raios E pç Chave de faca unipolar E pç Chave fusível F pç Cinta F pç Braço suporte tipo L F pç Braço suporte tipo C F pç Suporte auxiliar F pç Parafuso cabeça abaulada - 16 x 45 mm F-5c pç Parafuso cabeça abaulada - 16 x 150 mm F pç Parafuso cabeça abaulada - 12 x 40 mm F pç Mão francesa plana F pç Olhal para parafuso F pç Sapatilha F pç Manilha sapatilha F pç Haste de terra aço-cobre F pç Parafuso cabeça quadrada - 16 x TA F-30a pç Parafuso cabeça quadrada - 16 x 125 mm F pç Sela de cruzeta F pç Suporte Z P pç Poste O pç Conector tipo cunha O pç Conector terminal cabo-barra para aterramento O pç Conector de aterramento O pç Conector terminal compressão barra-cabo R pç Cruzeta de madeira mm Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 27/62

29

30

31

32 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARAS REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD RELAÇÃO DE MATERIAL TRANSFORMADORES CONVENCIONAIS E AUTOPROTEGIDOS QUANTIDADE U CONVENCIONAIS AUTO - N ITEM MONOFÁSICOS TRIFÁSICOS PROTEGIDO I DESCRIÇÃO D C.C. DT - M C.C. DT - M C.C. DT - M A pç Isolador de pino polimérico A pç Alça pré-formada para cabo mensageiro A pç Elo fusível A pç Suporte para transformador em poste C.C. A pç Capa protetora para conector - 15 kv A-35a pç Capa protetora para conector com estribo C m Cabo coberto 15 kv C m Cabo de aço SM 6,4 mm C-6 2-2,8-2,8 - kg Fio de cobre nu 16 mm 2 E pç Pára-raios E m Chave fusível E-45a pç Transformador trifásico E-45b pç Transformador monofásico E-45c pç Transformador autoprotegido F pç Cinta F pç Braço suporte tipo L F pç Braço suporte tipo C F pç Suporte auxiliar F pç Parafuso de cabeça abaulada - 16 x 45 mm F-5b pç Parafuso de cabeça abaulada - 16 x 70 mm F-5c pç Parafuso de cabeça abaulada - 16 x 150 mm F pç Parafuso cabeça abaulada - 12 x 40 mm F pç Mão francesa plana F pç Pino curto de isolador F pç Olhal para parafuso F pç Sapatilha F pç Estribo para braço tipo L F pç Haste de terra aço-cobre F pç Perfil U para rede compacta F pç Parafuso cabeça quadrada 16 x TA F-30a pç Parafuso cabeça quadrada 16 x 125 mm F pç Suporte Z O pç Conector tipo cunha O pç Conector tipo cunha com estribo O pç Conector terminal cabo-barra para aterramento O pç Conector derivação para linha viva O pç Conector de aterramento P pç Poste conc. 300 dan ou madeira M até 112,5kVA pç Poste conc. 600 dan ou madeira P kva Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: Vigência:...Revisão: 3 Pag.: 31/62

33

34 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD RELAÇÃO DE MATERIAL CHAVE INTERRUPTORA OPERAÇÃO EM CARGA (CHAVE À ÓLEO) ITEM QUANTIDADE UNID. DESCRIÇÃO A-2 36 Pç Arruela quadrada 38mm A-4 6 Pç Isolador de ancoragem polimérico A-9 2 Pç Alça pré-formada para cabo mensageiro A-10 6 Pç Grampo de ancoragem A Pç Porca quadrada C-1 10 m Cabo coberto 15kV mesma seção do alimentador C-6 3 Kg Fio de cobre nu 16 mm 2 E-2 6 Pç Pára-raios E-5 1 Pç Chave interruptora operação em carga (chave à óleo) F-1e 1 Pç Cinta de 190mm F-1f 1 Pç Cinta de 200mm F-1g 1 Pç Cinta de 210mm F-1i 1 Pç Cinta de 230mm F-1j 1 Pç Cinta de 240mm F-1i 1 Pç Cinta de 250mm F-1n 2 Pç Cinta de 280mm F-1s 2 Pç Cinta de 340mm F-5a 9 Pç Parafuso de cabeça abaulada - M16x45mm F-5c 4 Pç Parafuso de cabeça abaulada - M16x150mm F-9 8 Pç Mão francesa plana F-11 7 Pç Olhal para parafuso F-12 2 Pç Sapatilha F-13 6 Pç Manilha-sapatilha F-15 6 Pç Gancho olhal F-17 3 Pç Haste de aterramento aço-cobre F-30b 8 Pç Parafuso de cabeça quadrada - M16x125mm F-30d 4 Pç Parafuso de cabeça - M16x250mm F-30i 6 Pç Parafuso de cabeça quadrada - M16x500mm F-45 4 Pç Sela de cruzeta F-47 6 Pç Suporte L O-1a 12 Pç Conector cunha A-35 6 Pç Capa protetora para conector - 15kV O-17 3 Pç Conector de aterramento P-1 1 Pç Poste de concreto seção circular 12m/600 dan R-3 4 Pç Cruzeta de madeira 2.400mm O-5 6 Pç Conector terminal barra-cabo para aterramento C-1a 10 m Cabo coberto 15kV - 35mm 2 Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: Vigência:...Revisão: 3 Pag.: 33/62

35

36 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD RELAÇÃO DE MATERIAL CHAVE INTERRUPTORA OPERAÇÃO EM CARGA (CHAVE TIPO OMNI-RUPTER) ITEM QUANTIDADE UNID. DESCRIÇÃO R-3 2 Pç Cruzeta de madeira 90x112,5x2400 mm C-6 2,5 Kg Fio de cobre nu 16 mm 2 E-1 1 Pç Chave tripolar para operação em carga - tipo Omni-rupter E-2 6 Pç Pára-raios de distribuição F-1 8 Pç Cinta F-13 6 Pç Manilha-sapatilha F-3 6 Pç Suporte L A-9 6 Pç Alça pré-formada para cabo mensageiro F-11 7 Pç Olhal para parafuso F-9 4 Pç Mão francesa plana F-5 2 Pç Parafuso de cabeça abaulada 16x45mm F-5b 6 Pç Parafuso de cabeça abaulada 16x70mm F-5c 2 Pç Parafuso de cabeça abaulada 16x150mm F Pç Parafuso para conector 12x50mm (P ) A Pç Arruela quadrada 38mm F-30a 4 Pç Parafuso cabeça quadrada 16x125mm F-30b 4 Pç Parafuso cabeça quadrada 16xTA F-13 8 Pç Porca quadrada F-17 3 Pç Haste de aterramento aço-cobre F-45 2 Pç Sela de cruzeta F-16 1 Pç Cadeado de 35 mm com chave mestra ( P item 2 ) F-60 1 Pç Haste de transmissão superior F-61 1 Pç Suporte superior da haste de transmissão F-62 1 Pç Haste de transmissão inferior F-63 1 Pç Suporte inferior da haste de transmissão F-64 1 Pç Alavanca de acionamento A-4 6 Pç Isolador de ancoragem polimérico Pç Conector terminal compressão barra-cabo Pç Conector Cunha A-35 6 Pç Capa protetora para conector - 15kV Pç Conector de aterramento P-1 1 Pç Poste O-5 6 Pç Conector terminal para aterramento A-8 6 Pç Grampo de ancoragem Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: Vigência:...Revisão: 3 Pag.: 35/62

37

38 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD RELAÇÃO DE MATERIAL RAMAL DE ENTRADA SUBTERRÂNEO EM ALTA TENSÃO ITEM U QUANTIDADE N I DESCRIÇÃO C.C. DT - M D A Pç Arruela quadrada 38 mm A Pç Isolador de pino polimérico A Pç Alça pré-formada para cabo mensageiro A Pç Porca quadrada A Pç Terminal isolamento 15 kv com dispositivo para fixação em cruzeta de madeira C m Cabo coberto 15 kv - 35 mm 2 C Pç Conector C-4-22 m Cabo de aço SM 6,4 mm C Kg Fio de cobre nu 16 mm 2 C m Fio coberto de amarração E Pç Pára-raios E Pç Chave fusível F Pç Cinta F Pç Braço suporte tipo C F Pç Suporte auxiliar F Pç Parafuso cabeça abaulada 16x45 mm F-5C 6 4 Pç Parafuso cabeça abaulada 16X50 mm F Pç Mão francesa plana F Pç Pino curto de isolador F Pç Olhal para parafuso F Pç Sapatilha F Pç Haste de aterramento aço-cobre F Pç Parafuso cabeça quadrada 16xTA F Pç Suporte L F Pç Suporte Z Pç Conector de aterramento P Pç Poste R Pç Cruzeta de madeira 2.400mm A Pç Capa protetora para conector - 15kV F Pç Parafuso cabeça abaulada 12x40mm Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: Vigência:...Revisão: 3 Pag.: 37/62

39 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD INSTALAÇÃO DE ESPAÇADORES LOSANGULARES Notas Complementares 1. A folha 39/62 desta Instrução mostra a convenção a ser obedecida na instalação dos condutores nos espaçadores e separadores verticais ao longo da rede, a fim de manter a seqüência de fases. 2. Os espaçadores devem ser instalados ao longo do vão e junto às estruturas, obedecendo os critérios definidos a seguir e apresentados na folha 39/62: a) Estruturas CE1 e CE1C : - Instalar espaçadores a 1 m à direita e à esquerda da estrutura CE1 e CE1C; - Os primeiros espaçadores do vão devem ser instalados de 7 a 9 m, à direita e à esquerda dos espaçadores instalados junto à estrutura. b) Estruturas CE1A : - Instalar apenas um espaçador junto ao poste na estrutura CE1A, conforme folha 12/62 desta instrução; - Os primeiros espaçadores do vão devem ser instalados de 7 a 9 m, à direita e à esquerda da estrutura. b) Estruturas de ancoragem com equipamentos e estrutura tipo CE2: - Instalar espaçadores a 13 m aproximadamente, à direita e à esquerda da estrutura. c) Ao longo do vão : - Instalar espaçadores em intervalos de 7 a 9 m, obedecidas as condições anteriores. 3. A quantidade de espaçadores necessários devem ser previstos e especificados no projeto. Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC DT-003/97... Vigência:07/03/97... Revisão: 2 Pag.: 38/62

40

41 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD Método Prático para Determinação de Espaçadores ao Longo do Vão Um método prático de dispor os espaçadores ao longo do vão, é apresentado no exemplo a seguir : Supondo um projeto com os vãos e estruturas abaixo definidos, os seguintes passos devem ser seguidos para determinação da quantidade e posição dos espaçadores ao longo dos vãos : 1- Em função do tipo de estrutura, determinar a distância de instalação dos primeiros espaçadores, à esquerda e à direita da estrutura; 2 - Calcular o número de espaçadores como múltiplos de 7, 8 ou 9 m, através da equação : Ne = V - De - Dd + 1 I onde : Ne - Número de espaçadores; V - Comprimento do vão (m); De e Dd - Distância dos primeiros espaçadores à estrutura, à esquerda e à direita do vão; I - Intervalo entre espaçadores. Considerando o exemplo abaixo, teremos: Vão entre CE1 e CE1A : De = ( ) / ~ 4 Vão entre CE1A e CE2-CE3 : De = ( ) / ~ 2 Vão entre CE2-CE3 e CE2 : De = ( ) / = 3 Vão entre CE2-CE3 e CE3 : De = ( ) / = 2 Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97... Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 40/62

42 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD ATERRAMENTO Notas Complementares 1. O aterramento consiste na interligação do mensageiro da rede primária compacta protegida com o cabo de ligação das hastes de aterramento ( cabo de aço 6,4 mm ou fio de cobre nu 16 mm 2 ) e consequentemente ao neutro. 2. O mensageiro da rede compacta protegida deve ser conectado ao neutro (mensageiro do cabo multiplexado da rede secundária isolada ou cabo de alumínio nu) em todas as estruturas onde houver aterramento. 3. As carcaças dos equipamentos devem ser aterradas e conectadas ao neutro. 4. Devem ser instaladas hastes de aterramento nas seguintes situações : a) Aterramento normal ( folha 42/62 ) : A cada 150 m de rede, quando não houver nenhum aterramento neste trecho. b) Aterramento de equipamentos ( folha 43/62 ): - O aterramento de equipamentos deve ser efetuado com, no mínimo, 3 hastes de aterramento; - O valor máximo da resistência de aterramento em pára-raios é de 80Ω - O valor máximo da resistência de aterramento de equipamentos não protegidos por pára-raios é de 240Ω 5. O aterramento normal e dos equipamentos deverá ser feito com haste aço-cobre. 6. Para aterramento provisório devem ser utilizados estribos previamente instalados para este fim, quando da construção da rede. Os estribos permitirão a instalação de dispositivos para aterramento provisório, sem necessidade de decapagem dos condutores. A instalação dos estribos para aterramento provisório deve obedecer os seguintes critérios : a) Instalar estribos em ambos os lados de chaves seccionadoras (+ 1,5 m do poste); b) Instalar estribos a cada 350 m (Instalados a + 1 m do poste) A instalação dos conectores e capas protetoras deve ser conforme folha 56/62 desta instrução. Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 41/62

43

44

45 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD AMARRAÇÕES E ENCABEÇAMENTOS Notas Complementares 1. Os espaçadores losangulares e separadores verticais devem ser amarrados no cabo mensageiro e nos cabos fases, devendo ser distanciados entre si conforme folhas 38 a 40/ Os espaçadores losangulares podem ser fixados também em estribos de aço, quando for necessário o uso do braço antibalanço junto ao poste (estrutura CE1A). 3. As amarrações/fixações dos espaçadores/separadores, estribos, isoladores de ancoragem, isoladores tipo pino e sapatilhas, devem ser feitas conforme mostrado nas folhas 38 a 40/62. Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 44/62

46

47

48

49

50

51

52

53

54 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD CONEXÕES ELÉTRICAS Notas Complementares 1. O sistema de conexões elétricas a ser utilizado em redes de distribuição aéreas compactas tipo protegida, será constituída de conectores tipo cunha. Verificar na INS-CON-15 Conexões Elétricas para Redes de Distribuição, o conector adequado para cada conexão. 2. Os pontos de conexão devem ser cobertos utilizando capa protetora para 15 kv, conforme mostrado nas folhas 55 e 56/ Não é permitida a emenda do cabo mensageiro no meio do vão. O cabo fase pode sofrer emendas no meio do vão. 4. Para emenda dos condutores fase deve ser utilizada luva de emenda. A recomposição da cobertura do condutor nos pontos de emenda deve ser feita com tubo contrátil a quente ou a frio, conforme mostrado na folha 54/ Nas conexões do cabo coberto aos terminais de equipamentos, o mesmo deve ser descascado apenas o mínimo necessário para que seja efetuada a conexão. Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 53/62

55

56

57

58 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD TABELAS PARA CONDUTORES PRIMÁRIOS COBERTOS E CABO MENSAGEIRO Notas Complementares 1. A rede primária compacta protegida utiliza cabos de alumínio CA cobertos com material polimérico, visando a redução da corrente de fuga em caso de contato acidental do cabo com objetos aterrados e diminuição do espaçamento entre condutores. As seções dos condutores utilizados serão 50 mm 2 e 185 mm O cabo mensageiro utilizado será o cabo de aço zincado de diâmetro SM 3/8" (9,5 mm). Este cabo tem a função de sustentação mecânica dos condutores fase, através dos espaçadores e separadores. 3. No cálculo de tração e flechas do cabo mensageiro foram adotados os seguintes critérios : a) Estado 1: Tração máxima admissível no mensageiro = 12% da tração de ruptura do cabo de aço Temperatura = 0 C sem vento b) Estado 2: Tração máxima admissível no mensageiro = 20% da tração de ruptura do cabo de aço Temperatura = 15 º C com vento de 60 km/h 4. No lançamento / tensionamento dos condutores e cabo mensageiro da rede compacta deve ser adotado o seguinte procedimento : a) Lançar / tensionar o cabo mensageiro. As trações de montagem devem ser conforme tabela 8. b) b) Lançar / tensionar os condutores fase. A regulagem das flechas de montagem deve ser feita visualmente, sendo o limite máximo de carregamento dos condutores fase igual a 250 dan, quando utilizado grampo de ancoragem; c) Efetuar amarrações dos condutores fase em isoladores de pino e estruturas de ancoragem. d) Instalar espaçadores e separadores. 5. Fazem parte deste item as seguintes tabelas: - Tabela 3 - Características Físicas e Dimensionais dos Condutores CA Cobertos 8,7/15 kv - Tabela 4 - Características Físicas e Dimensionais do Mensageiro SM 3/8" (9,5 mm ). - Tabela 5 - Características Elétricas dos Condutores CA Cobertos 8,7/15 kv. - Tabela 6 - Coeficiente. de Queda de Tensão dos Condutores CA Cobertos 8,7/15 kv[ % / ( MVA x km)] - Tabela 7 - Flechas de Montagem do Cabo Mensageiro SM 3/8" (9,5 mm) - 50 mm 2 - Tabela 8 - Trações de Montagem do Cabo Mensageiro SM 3/8" (9,5 mm) - 50 mm 2 - Tabela 9 - Flechas de Montagem do Cabo Mensageiro SM 3/8" (9,5 mm) mm 2 - Tabela 10 - Trações de Montagem do Cabo Mensageiro SM 3/8" (9,5 mm) mm 2 - Tabela 11 - Trações de Projeto - Rede Completa - Tabela 12 - Esforços Equivalentes em Ângulo e Fim de Rede - Rede Completa - Condutor 50 mm 2 - Tabela 13 - Esforços Equivalentes em Ângulo e Fim de Rede - Rede Completa - Condutor 185 mm 2 6. Os coeficientes de queda de tensão [ %/ ( MVA x km ) ] foram calculados tanto para instalação em espaçadores losangulares quanto em cruzeta. Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 57/62

59 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD TABELA 3 CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E DIMENSIONAIS DOS CONDUTORES CA COBERTOS 8,7/15 kv DIÂMETRO CONDUTOR FASE CARGA DE RUPTURA ESPESSURA DA COBERTURA DIÂMETRO EXTERNO PESO UNITÁRIO SEÇÃO N.º DE FIOS mm ² mm dan mm mm kg/km a 7, a 15, a 8, a 16, a 16, a 24,5 750 TABELA 4 CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E DIMENSIONAIS DO MENSAGEIRO DIÂMETRO NOMINAL N º DE FIOS CARGA DE RUPTURA PESO UNITÁRIO pol. mm dan kg/km 3/8 9, TABELA 5 CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS DOS CONDUTORES CA COBERTO 8,7/15 kv REATÂNCIA CORRENTE ADMÍSSIVEL SEÇÃO Rcc 20 C Rca 90 C INDUTIVA (Ω / km ) 90 C - Vento = 2,2 km/h mm² Ω / km Ω / km Espaçador Cruzeta Temperatura Ambiente ( C) A 50 0,6410 0,7394 0,3048 0, ,1640 0,197 0,2523 0, SEÇÃO TABELA 6 COEFICIENTES DE QUEDA DE TENSÃO CONDUTORES CA COBERTOS 8,7/15 kv [ % / (MVA x km ] Instalação em Espaçadores - Deq = 193 mm Instalação em Cruzeta - Deq = mm 13,8 kv 11,4 kv 13,8 kv 11,4 kv mm 2 FP = 1,0 FP = 0,8 FP = 1,0 FP = 0,8 FP = 1,0 FP = 0,8 FP = 1,0 FP = 0,8 50 0,3900 0,4100 0,5700 0,6000 0,3900 0,4500 0,5700 0, ,1000 0,1600 0,1500 0,2400 0,1000 0,2100 0,1500 0,3000 Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 58/62

60 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD TEMPE- RATURA (º C) TABELA 7 FLECHAS DE MONTAGEM DO CABO MENSAGEIRO EM METROS MENSAGEIRO 3/8 (9,5mm) CONDUTOR FASE 50mm² VÃOS (m) ,01 0,05 0,08 0,14 0,19 0,30 0,43 0,60 0,68 0,87 1,22 1,47 2,02 5 0,01 0,05 0,08 0,16 0,20 0,31 0,45 0,60 0,69 0,88 1,23 1,48 2, ,01 0,06 0,09 0,16 0,21 0,32 0,45 0,61 0,70 0,90 1,24 1,49 2, ,01 0,06 0,09 0,17 0,21 0,33 0,46 0,62 0,71 0,91 1,25 1,50 2, ,02 0,06 0,10 0,17 0,23 0,34 0,47 0,63 0,72 0,91 1,27 1,51 2, ,02 0,07 0,10 0,18 0,23 0,34 0,48 0,64 0,73 0,92 1,28 1,52 2, ,02 0,08 0,11 0,19 0,24 0,35 0,49 0,65 0,74 0,93 1,29 1,53 2, ,02 0,08 0,12 0,20 0,24 0,36 0,50 0,66 0,75 0,94 1,29 1,54 2, ,03 0,09 0,12 0,20 0,25 0,37 0,50 0,66 0,76 0,95 1,31 1,55 2, ,03 0,09 0,13 0,21 0,26 0,38 0,51 0,68 0,76 0,96 1,32 1,57 2, ,03 0,09 0,13 0,21 0,27 0,38 0,52 0,68 0,83 0,97 1,33 1,57 2,13 TEMPE- RATURA (º C) TABELA 8 TRAÇÕES DE MONTAGEM DO CABO MENSAGEIRO EM dan MENSAGEIRO 3/8 (9,5mm) CONDUTOR FASE 50mm² VÃOS (m) Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 59 /62

61 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD TEMPE- RATURA (º C) TABELA 9 FLECHAS DE MONTAGEM DO CABO MENSAGEIRO EM METROS MENSAGEIRO 3/8 (9,5mm) CONDUTOR FASE 185mm² VÃOS (m) ,00 0,02 0,04 0,07 0,09 0,15 0,21 0,29 0,34 0,43 0,60 0,73 1,00 5 0,01 0,03 0,04 0,08 0,10 0,15 0,22 0,30 0,34 0,44 0,61 0,73 1, ,01 0,03 0,04 0,08 0,10 0,16 0,23 0,30 0,35 0,44 0,61 0,73 1, ,01 0,03 0,05 0,08 0,11 0,16 0,23 0,31 0,35 0,45 0,62 0,74 1, ,01 0,03 0,05 0,09 0,11 0,17 0,23 0,31 0,35 0,45 0,63 0,75 1, ,01 0,03 0,05 0,09 0,11 0,17 0,24 0,32 0,36 0,46 0,63 0,75 1, ,01 0,04 0,05 0,09 0,12 0,17 0,24 0,32 0,37 0,46 0,64 0,76 1, ,01 0,04 0,06 0,10 0,12 0,18 0,25 0,33 0,37 0,47 0,64 0,76 1, ,01 0,04 0,06 0,10 0,13 0,18 0,25 0,33 0,37 0,47 0,65 0,77 1, ,01 0,05 0,06 0,10 0,13 0,19 0,25 0,33 0,38 0,47 0,65 0,77 1, ,02 0,05 0,07 0,11 0,13 0,19 0,26 0,34 0,41 0,48 0,66 0,78 1,05 TEMPE- RATURA (º C) TABELA 10 TRAÇÕES DE MONTAGEM DO CABO MENSAGEIRO EM dan MENSAGEIRO 3/8 (9,5mm) CONDUTOR FASE 185mm² VÃOS (m) Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 60 /62

62 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD TABELA 11 TRAÇÕES DE PROJETO (dan) REDE COMPACTA CABOS FASE MENSAGEIRO VÃOS A (m) (mm²) (pol.) A < A < A / TABELA 12 ESFORÇOS EQUIVALENTES EM ÂNGULO E FIM DE REDE (dan) APLICADOS A 20 cm DO TOPO REDE COMPLETA MENSAGEIRO 3/8 CONDUTOR FASE 50 mm² VÃOS ÂNGULOS (α) FIM DE A (m) REDE A < A < A TABELA 13 ESFORÇOS EQUIVALENTES EM ÂNGULO E FIM DE REDE (dan) APLICADOS A 20 cm DO TOPO REDE COMPLETA MENSAGEIRO 3/8 CONDUTOR FASE 185 mm² VÃOS ÂNGULOS (α) FIM DE A (m) REDE A < A < A Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 61 /62

63 DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD SIMBOLOGIA Notas Complementares 1. Deverá ser adotada a simbologia mostrada a seguir para redes compactas protegidas : DESCRIÇÃO SÍMBOLO Condutores primários Três condutores primários de seção 50 mm² e mensageiro de diâmetro 9,5 3 # 50(9,5) 2. Os espaçadores não deverão ser representados. No entanto as quantidades necessárias deste material devem ser indicadas no projeto. Data Registro: 11/08/03 Área de Abrangência: 00 Instr. Aprov.: DEC.DT-003/97...Vigência: 07/03/97...Revisão: 2 Pag.: 62/62

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-31/10/2013 05/11/2013 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI DTES-ES SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

Redes Protegidas Compactas - Critérios para Projetos e Padronização de Estruturas. Norma. Revisão 03 07/2014 NORMA ND.12

Redes Protegidas Compactas - Critérios para Projetos e Padronização de Estruturas. Norma. Revisão 03 07/2014 NORMA ND.12 Redes Protegidas Compactas - Critérios para Projetos e Padronização de Estruturas Norma 07/2014 NORMA ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Rua Ary Antenor de Souza, 321 Jd. Nova

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estrutura CE2H TR (2º Nível) Poste de Concreto de Seção Circular 7. Estrutura CE2H

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 5

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas Trifásicas com Transformadores 6.1. Estrutura M1 com Transformador 6.2.

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ASPECTOS GERAIS... 1 3. EXCEÇÕES... 1 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

NORMA TÉCNICA. NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv. Cuiabá Mato Grosso - Brasil

NORMA TÉCNICA. NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv. Cuiabá Mato Grosso - Brasil NORMA TÉCNICA NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv Cuiabá Mato Grosso - Brasil APRESENTAÇÃO 1- OBJETIVO...04 2- CAMPO DE APLICAÇÃO...04

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD 2.0

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD 2.0 NTD 2.0.07 REDES SECUNDÁRIAS ISOLADAS RSI PADRÕES BÁSICOS DE 5ª EDIÇÃO AGOSTO-2011 DIRETORIA DE ENGENHARIA SUPERINTENDENCIA DE PLANEJAMENTO E PROJETOS GERÊNCIA DE NORMATIZAÇÃO E TECNOLOGIA 1/34 NORMA TÉCNICA

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA DSEE 11/12/2014 DATA SUMÁRIO

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. ASPECTOS GERAIS... 2 3. EXCEÇÕES... 2 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 MONTAGEM DE S PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, RURAL, COM CONDUTORES NUS - 13,8 E 34,5 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA INDICE 1- OBJETIVO...

Leia mais

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS APRESENTAÇÃO...4 1 OBJETIVO...3 2 AMPLITUDE...3 3 RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4 CONCEITUAÇÃO...3 4.1 REDE DE DISTRIBUIÇÃO...3 4.2 REDE DE DISTRIBUIÇÃO URBANA RDU...3 4.3 REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS NORMA TÉCNICA NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS Cuiabá Mato Grosso - Brasil INDICE 1 OBJETIVO...03

Leia mais

PD-4.003. Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia

PD-4.003. Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia PD-4.003 Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV Padrão Técnico da Distribuição Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia Da Distribuição PD-4.003 Redes de Distribuição Aérea Urbana

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Edição Data Alterações em relação à edição anterior Projeto de Rede de Distribuição Aérea Compacta - 13,8kV Processo Planejar, Ampliar e Melhorar a Rede Elétrica Atividade Elaborar Projetos e Orçamentos / Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.03-00.05

Leia mais

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES 3$'5 2'((6758785$6 '(/,1+$6(5('(6 PARTE 1 ASPECTOS GERAIS INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras ASPECTOS GERAIS PARTE

Leia mais

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS 1- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Convencional Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 13 2- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Compacta Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 2 de

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1 NORMA TÉCNICA CELG D Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv NTC-06 Revisão 1 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO Código: 0 RES nº 085/2012, Página 1 RES nº 085/2012, ÍNDICE CAPÍTULOS Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. CONCEITOS 5 4. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 6 4.1 Notas Gerais 6 4.2 Condutores e Edificações 7 4.3

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. PROPRIETÁRIO: IFSULDEMINAS - Câmpus Muzambinho.. Estrada de Muzambinho, km 35 - Bairro Morro Preto.

MEMORIAL DESCRITIVO. PROPRIETÁRIO: IFSULDEMINAS - Câmpus Muzambinho.. Estrada de Muzambinho, km 35 - Bairro Morro Preto. MEMORIAL DESCRITIVO ASSUNTO: Projeto de adaptação de rede de distribuição de energia elétrica urbana em tensão nominal primária de 13.8KV e secundária de 220/127V, com 02 postos de transformação de 75KVA

Leia mais

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea ITEM DESCRIÇÃO QUANT. 1.00 REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.1 Cabo de alumínio com alma de aço (CAA), seção 4/0, diâmetro externo

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...3 3.

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NDU-010 VERSÃO 3.1 JUNHO/2013 SUMÁRIO Item Descrição Classe Desenho 1. Haste de Aço-Cobre para Aterramento...

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Cruzamentos SEÇÃO 6 Rabichos SEÇÃO 7 Aterramento 1 OBJETIVO

Leia mais

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica CEMAR NORMA DE PROCEDIMENTOS Função: Área: Processo: Código: Técnica Técnica Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica NP-12.306.02 Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-17/09/2012 22/10/2012 ENGENHARIA E SISTEMAS TÉCNICOS (DTES-ES) APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI (DTES-ES) SUMÁRIO

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CABOS COBERTOS FIXADOS EM ESPAÇADORES APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CABOS COBERTOS FIXADOS EM ESPAÇADORES APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Amarrações SEÇÃO 6 Cruzamentos SEÇÃO 7 Conexões e Emendas SEÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS FORNECIMENTO EM TENSÃO PRIMÁRIA REDES COMPACTAS

REGULAMENTO DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS FORNECIMENTO EM TENSÃO PRIMÁRIA REDES COMPACTAS REGULAMENTO DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS FORNECIMENTO EM TENSÃO PRIMÁRIA REDES COMPACTAS 3ª Edição Versão 1.0 Fevereiro/2012 1 Responsáveis Técnicos pela revisão: Fabiano Casanova Schurhaus Engenheiro Eletricista

Leia mais

Conferência do Projeto

Conferência do Projeto 214-DPDORC4 22/4/214 1 de 5 12/2/214 1:3.7 CARACTERIZAÇÃO Data Projeto Nº Pedido Finalidade 16/7/213 Título Implantação de SE Descrição da Obra: Tipo da Obra: IMPLANTAÇÃO EXPANSÃO DA REDE ELÉTRICA (ALTA

Leia mais

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL-13,8kV e 34,5kV

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL-13,8kV e 34,5kV MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA NTD-14 NTD 14 MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA CONTROLE DE VERSÕES NTD-14 - MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA Nº.: DATA VERSÃO 1 13/07/4 0 2 03/9 1 NTD 14 MONTAGEM

Leia mais

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT.

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. DIRETORIA TÉCNICA DEPARTAMENTO COMERCIAL DIVISÃO DE MEDIÇÃO ADENDO 02 Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. Florianópolis, agosto de 2005.

Leia mais

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com Projeto Elétrico Padrão de Medição, fornecimento de energia em tensão primária 13.8kV, a partir da rede aérea de distribuição para atender Defensoria Pública do Estado da Paraíba. Responsavel Técnico:

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2 NORMA TÉCNICA CELG Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição NTC-18 Revisão 2 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA I-313.0021 CRITÉRIOS PARA UTILIZAÇÃO

Leia mais

Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações

Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações ID-4.044 Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações Diretoria de Engenharia Gerência de Serviços Técnicos ELABORADO: Luiz Eduardo R. Magalhães Gerência

Leia mais

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV ÍNDICE APRESENTAÇÃO....2 1-OBJETIVO...3 2-AMPLITUDE... 3 3-RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4-INSTRUÇÕES GERAIS...3 5-CONDUTORES...4 6-PROCEDIMENTOS...5 6.1- Afastamentos padronizados...5 6.2-Engastamento

Leia mais

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV Padrão Técnico da Distribuição Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV ELABORADO

Leia mais

1. FINALIDADE... 3 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3. RESPONSABILIDADES... 4 4. DEFINIÇÕES... 5 5. REFERÊNCIAS... 9 6. CRITÉRIOS GERAIS...

1. FINALIDADE... 3 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3. RESPONSABILIDADES... 4 4. DEFINIÇÕES... 5 5. REFERÊNCIAS... 9 6. CRITÉRIOS GERAIS... 29/04/2014 1 de 1 SUMÁRIO 1. FINALIDADE... 3 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3. RESPONSABILIDADES... 4 4. DEFINIÇÕES... 5 5. REFERÊNCIAS... 9 6. CRITÉRIOS GERAIS... 11 6.1 Generalidades... 11 6.2 Topologia

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO COMPACTA PROTEGIDA CLASSE 15 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA página APRESENTAÇÃO 1. OBJETIVO...03 2. CAMPO DE APLICAÇÃO...03

Leia mais

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS 11 metros = 150 12 metros = 150 450 1000 máximo 11 metros = 850 12 metros = 1450 800 450 450 11 metros = 1700 12 metros = 1800 11 ou 12 metros 100 11 metros = 1300 12

Leia mais

CONTRATAÇÃO DO MÊS DE MARÇO 2013

CONTRATAÇÃO DO MÊS DE MARÇO 2013 GÃO ELETRONICO 000/0 999/0 0/0/0 MESES ATÉ 0/0/ JOÃO DE BARRO COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA - ME FORNECIMENTO DE RECARGAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO GLP, EM RECIPIENTES (BOTIJAS) DE CAPACIDADE KG E 0KG.9,00.9,00

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, URBANA COM CABOS COBERTOS EM ESPAÇADORES CLASSE 15 kv página APRESENTAÇÃO 1. OBJETIVO...03 2.

Leia mais

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE DOCUMENTO NORMATIVO CRITÉRIO DE PROJETO DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE Código Página Revisão Emissão CP 015 I 1 JAN/2004 APRESENTAÇÃO A

Leia mais

Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT

Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT 1 Escopo Esta ITA Ampla, tem por objetivo estabelecer os procedimentos a serem adotados para aplicação de condutores de alumínio em substituição

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI. Índice:

MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI. Índice: MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI Índice: 1 - Generalidades 2 - Rede aérea de Alta Tensão 3 - Rede Secundária 4 - Aterramentos 5 - Posto de Transformação

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO. Título ESTRUTURAS PARA EQUIPAMENTOS

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO. Título ESTRUTURAS PARA EQUIPAMENTOS APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Transformadores SEÇÃO 3 Chaves Tripolares SEÇÃO 4 Banco de Capacitores SEÇÃO 5 Religadores e Seccionalizadores SEÇÃO 6 Reguladores de Tensão 1 OBJETIVO

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO IX Referente ao Edital de Pregão Presencial nº. 002/2015 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 10 1. DO OBJETO 1.1. O presente pregão tem como objeto a AQUISIÇÃO DE ELETROFERRAGENS, de acordo com as

Leia mais

Condutores elétricos

Condutores elétricos Sair da Norma Voltar para o Índice Alfabético Geral Condutores elétricos NOV 1986 NBR 5471 ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13-28º andar CEP 20003-900

Leia mais

Otimização da interrupção de RDs para atividades de lançamento de cabos de LT. Dircélio Marcos Silva. CEMIG Distribuição S.A.

Otimização da interrupção de RDs para atividades de lançamento de cabos de LT. Dircélio Marcos Silva. CEMIG Distribuição S.A. XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia 06 a 10 de Outubro de 2008 Olinda Pernambuco - Brasil Otimização da interrupção de RDs para atividades de lançamento de cabos de LT. Luis Fernando Santamaria

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO Instalação Nobreak 60 KVA - 380 V PROPRIETÁRIO: Procuradoria Geral de Justiça. 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO DADOS DO PROPRIETÁRIO

Leia mais

Redes subterrâneas em loteamentos e condomínios particulares Por Caius V. S. Malagoli*

Redes subterrâneas em loteamentos e condomínios particulares Por Caius V. S. Malagoli* 46 Capítulo VI em loteamentos e condomínios particulares Por Caius V. S. Malagoli* Tendência irreversível no mercado da construção civil, as redes subterrâneas a cada dia ganham mais terreno em obras em

Leia mais

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08 MEMORIAL DESCRITIVO 1. INTRODUÇÃO: O presente memorial tem por objetivo possibilitar uma visão global do projeto elétrico e da implantação da rede de distribuição em Baixa Tensão e iluminação pública do

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Projeto de Rede de Distribuição de IP com Circuito Exclusivo Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.03-00.020 1ª Folha 1 DE

Leia mais

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE ITA - 006 Rev. 0 Setembro / 2003 Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO COMPACTA (REDE COMPACTA SPACER CABLE) VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3

Leia mais

FASCÍCULO CONDIÇÕES GERAIS EMPREENDIMENTOS PARTICULARES LIVRO DE INSTRUÇÕES GERAIS

FASCÍCULO CONDIÇÕES GERAIS EMPREENDIMENTOS PARTICULARES LIVRO DE INSTRUÇÕES GERAIS FASCÍCULO CONDIÇÕES GERAIS EMPREENDIMENTOS PARTICULARES LIVRO DE INSTRUÇÕES GERAIS 2-22 INDICE INTRODUÇÃO... 3 1. OBJETIVO... 4 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 4 3. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 4 4. TERMINOLOGIA

Leia mais

APRESENTAÇÃO RELAÇÃO DE COMPONENTES

APRESENTAÇÃO RELAÇÃO DE COMPONENTES Manual de Instalação Linha Máximo Fotos ilustrativas. Ventiladores de Teto Nesta marca você pode confiar APRESENTAÇÃO Os ventiladores de teto da LINHA MÁXIMO são desenvolvidos para oferecer ao usuário

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV SUL / SUDESTE AFASTADOR, ARMACAO SECUNDARIA, ACO CARBONO 1010-1020, ZINCADO A QUENTE, DIMENSOES: 1000 X700 10002599 MM, 4 FUROS, NORMAS

Leia mais

ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores

ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores em Pedestal Norma Técnica Distribuição de Energia Elétrica ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores em Pedestal Autores: Plácido Antonio Brunheroto

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Edição Data Alterações em relação à edição anterior Projeto de Rede de Distribuição Aérea Compacta - 13,8kV Processo Planejar, Ampliar e Melhorar a Rede Elétrica Atividade Elaborar Projetos e Orçamentos / Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.03-00.05

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.009 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA

Leia mais

ND-2.008 Redes de Distribuição Subterrânea - 13,2 kv Loteamentos Residenciais

ND-2.008 Redes de Distribuição Subterrânea - 13,2 kv Loteamentos Residenciais ND-2.008 Redes de Distribuição Subterrânea - 13,2 kv Loteamentos Residenciais Norma Técnica Distribuição de Energia Elétrica ND-2.008 Redes de Distribuição Subterrânea - 13,2 kv Loteamentos Residenciais

Leia mais

ANEXO II. MATERIAIS RDS ( Inclusive mão de obra, tributos e encargos necessários para execução)

ANEXO II. MATERIAIS RDS ( Inclusive mão de obra, tributos e encargos necessários para execução) ANEXO II PLANILHA ORÇAMENTÁRIA DE CUSTOS PROPONENTE: OBRA: PARQUE DE EVENTOS - ILUMINAÇÃO ( OBRAS DE EXTENSÃO DE REDE, ILUMINAÇÃO PÚBLICA E/OU ADEQUAÇÃO DE REDE ELÉTRICA) LOCAL: RUA ANTÔNIO AUGUSTO MENDES

Leia mais

NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Companhia Paranaense de Energia COPEL NORMAS TÉCNICAS COPEL NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Órgão Emissor: Coordenação de Comercialização de Energia - CCD Coordenadoria de

Leia mais

NTD-12 MONTAGEM DE REDES AÉREAS SECUNDÁRIAS ISOLADAS COM CABOS MULTIPLEXADOS

NTD-12 MONTAGEM DE REDES AÉREAS SECUNDÁRIAS ISOLADAS COM CABOS MULTIPLEXADOS NTD-1 APRESENTAÇÃO 4 1. OBJETIVO 5. AMPLITUDE 5 3. RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO 5 4. CONCEITUAÇÃO 5 4.1. REDE DE DISTRIBUIÇÃO 5 4.. REDE DE DISTRIBUIÇÃO URBANA RDU 5 4.3. REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS

Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS 02.111-TD/AT-3013a Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS Gerência de Desenvolvimento e Engenharia de Ativos da Distribuição TD/AT Belo Horizonte Setembro/2013

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO 1. GENERALIDADES 1.1 O projeto refere-se às instalações elétricas do empreendimento comercial localizado

Leia mais

REDE COMPACTA PARA-RAIOS. Sumário

REDE COMPACTA PARA-RAIOS. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas de Transição Rede Compacta Rede Nua com Para-Raios 6.1. Estrutura CE3.N3

Leia mais

00 15/03/13 EMISSÃO INICIAL JCS/OSM JCS

00 15/03/13 EMISSÃO INICIAL JCS/OSM JCS 00 15/03/13 EMISSÃO INICIAL JCS/OSM JCS N.º DATA REVISÃO ELAB./ VERIF. ENGEPRO APROV. ENGEPRO APROV. CLIENTE ENG10A-LT-013 ATE XVI PROJETO BÁSICO - LOTE A LEILÃO Nº 007/2012 - ANEEL ELAB. VERIF. LT S 500

Leia mais

07/12/2012 Agosto/2012 1

07/12/2012 Agosto/2012 1 07/12/2012 Agosto/2012 1 Arranjo e Detalhamento de Tubulações Industriais 07/12/2012 2 Tipos de Desenhos de Tubulação Os principais tipos de desenhos que compõem um projeto de tubulação, são: 1. Fluxogramas

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Transformador Trifásico de Força Classe até 145kV CST (Estrutural) Transformador Trifásico de Força Classe até 145kV CST (Características)

Transformador Trifásico de Força Classe até 145kV CST (Estrutural) Transformador Trifásico de Força Classe até 145kV CST (Características) CATÁLOGO TÉCNICO TRANSFORMADORES A ÓLEO DE MÉDIA E ALTA TENSÃO Índice Transformador de Força Transformador Trifásico de Força Classe até 145kV CST (Estrutural) Transformador Trifásico de Força Classe até

Leia mais

006/2015 NORMA TÉCNICA NT-006/2015 R-04 COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA DE LINHA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA

006/2015 NORMA TÉCNICA NT-006/2015 R-04 COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA DE LINHA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DA REDE 006/2015 NORMA TÉCNICA /2015 R- FOLHA DE CONTROLE FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO Esta Norma tem por objetivo estabelecer os procedimentos aplicáveis

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011 Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-18/10/2011 18/10/2011 ELABORAÇÃO Marcelo Poltronieri SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3 3. OBJETIVO...

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO COM CUSTO REGRESSIVO E EFICIENTIZAÇÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO COM CUSTO REGRESSIVO E EFICIENTIZAÇÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO COM CUSTO REGRESSIVO E EFICIENTIZAÇÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE - MG OUTUBRO DE 2.014 1 OBJETIVO: Especificar os materiais a serem empregados na

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA ENTRADA CLIENTE. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA ENTRADA CLIENTE. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Ramal de Entrada Subterrâneo 6.1. CE2H ES Poste de Concreto de Seção Circular 6.2.

Leia mais

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição Professor Jorge Alexandre A. Fotius Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Em áreas urbanas com baixa densidade

Leia mais

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES A descrição das atividades tem como propósito facilitar o relacionamento entre a CONTRATANTE e a CONTRATADA, na medida em que visa

Leia mais

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS NORMA TÉCNICA NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS Cuiabá Mato Grosso - Brasil INDICE 1 OBJETIVO...03

Leia mais

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico Padrão de Entrada COELBA Informações do site www.coelba.com.br Padrão de Entrada é o conjunto de instalações composto de caixa de medição, sistema de aterramento, condutores e outros acessórios indispensáveis

Leia mais

Á RIO GRANDE ENERGIA S/A DIVISÃO DE SERVIÇOS DA DISTRIBUIÇÃO REGIONAL CENTRO PASSO FUNDO - RS DADOS BÁSICOS:

Á RIO GRANDE ENERGIA S/A DIVISÃO DE SERVIÇOS DA DISTRIBUIÇÃO REGIONAL CENTRO PASSO FUNDO - RS DADOS BÁSICOS: Á RIO GRANDE ENERGIA S/A DIVISÃO DE SERVIÇOS DA DISTRIBUIÇÃO REGIONAL CENTRO PASSO FUNDO - RS DADOS BÁSICOS: Projeto nº. 59 / 2013 Nome: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande

Leia mais

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. INTERLIGAÇÃO BRASIL - URUGUAI

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. INTERLIGAÇÃO BRASIL - URUGUAI 0a Revisão do item 5 10/12/2010 KCAR/SMMF 10/12/2010 AQ 0 Emissão inicial 19/11/2010 KCAR/SMMF 19/11/2010 AQ N DISCRIMINAÇÃO DAS REVISÕES DATA CONFERIDO DATA APROVAÇÃO APROVAÇÃO ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS

Leia mais

INCENTIVO AO ATERRAMENTO ELÉTRICO RESIDENCIAL RESUMO

INCENTIVO AO ATERRAMENTO ELÉTRICO RESIDENCIAL RESUMO INCENTIVO AO ATERRAMENTO ELÉTRICO RESIDENCIAL Fernando Nascimento 1-21370122 Gabriela Sampaio Rêma 2-21370051 Marcos Vinícius Lemos da Silva 3-21270116 Paula da Silva Nogueira 4-21370049 RESUMO Poucas

Leia mais

NORMA TÉCNICA PADRÃO DE ESTRUTURAS DE REDE AÉREA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEX NTD-07

NORMA TÉCNICA PADRÃO DE ESTRUTURAS DE REDE AÉREA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEX NTD-07 NORMA TÉCNICA PADRÃO DE ESTRUTURAS DE REDE AÉREA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEX NTD-07 PÁG. APRESENTAÇÃO... 0/55. OBJETIVO... 0/55. AMPLITUDE... 0/55. RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO... 0/55 4.

Leia mais

SUMÁRIO. CÓDIGO: NTD DATA DE VIGÊNCIA: 02/05/2016 TÍTULO: Estruturas de Banco de Reguladores de Tensão VERSÃO NORMA: 1.

SUMÁRIO. CÓDIGO: NTD DATA DE VIGÊNCIA: 02/05/2016 TÍTULO: Estruturas de Banco de Reguladores de Tensão VERSÃO NORMA: 1. SUMÁRIO REGULADOR DE TENSÃO ESTRELA ATERRADO 23 kv...2 REGULADOR DE TENSÃO DELTA ABERTO 13,8 kv...7 REGULADOR DE TENSÃO DELTA FECHADO 13,8 kv... 11 ALTERAÇÕES... 15 Estruturas Instalações de Equipamentos

Leia mais

Kit para operação de Banco Fixo de Capacitores em Redes de Distribuição sem Pick

Kit para operação de Banco Fixo de Capacitores em Redes de Distribuição sem Pick 06 a 10 de Outubro de 2006 Olinda PE Kit para operação de Banco Fixo de Capacitores em Redes de Distribuição sem Pick Eng. Luciano F. de Mattos Eng. Fernando V. Baldotto Eng. Edson B. da Silva Jr. ESCELSA

Leia mais

2.0 - MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

2.0 - MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Pg 2/59 2.0 - MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO 2.1 - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 2.1.1 INSTALAÇÃO DE REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBILCA DO ACESSO A CIDADE DE CAICÓ, PELA BR 427 E MELHORIA DA QUALIDADE DA REDE DE ILUMINAÇÃO

Leia mais

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Compartilhamento de Postes da Rede de Energia Elétrical Processo Planejar, Ampliar e Melhorar o Sistema Elétrico Atividade Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.02-01.015 2ª Folha 1 DE 15 16/10/2008

Leia mais

1. EVENTOS VINCULADOS AO EMPREENDIMENTO. EVENTO Aceite da Ordem de Serviço/Consolidação do Cronograma.

1. EVENTOS VINCULADOS AO EMPREENDIMENTO. EVENTO Aceite da Ordem de Serviço/Consolidação do Cronograma. GERAL O objetivo deste documento é definir critérios para ressarcimento de eventos de pagamentos e Eventos Críticos e permitir a emissão, por parte do Contratado, do Relatório de Cumprimento de Eventos.

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Norma Processo Planejar, Ampliar e Melhorar a Rede Elétrica Atividade Elabora Projetos e Orçamentos / Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.03-00.06 1ª Folha 1 DE 48 30/07/2013

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto básico de manutenção em rede de 13,8kV interna do Campus A. C. Simões.

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto básico de manutenção em rede de 13,8kV interna do Campus A. C. Simões. MEMORIAL DESCRITIVO Projeto básico de manutenção em rede de 13,8kV interna do Campus A. C. Simões. Projeto Básico 1- Objetivo O objetivo deste projeto é prover os requisitos mínimos para a execução dos

Leia mais

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº DELIBERAÇÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DE PUBLICAÇÃO 01-29/05/2014 09/06/2014 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI DTES-ES SUMÁRIO 1. OBJETIVO...

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-02 CAPÍTULO TÍTULO PÁGINA 1. GERAL ÍNDICE INTRODUÇÃO... 1 1 1 Objetivo... 1 2 2 Terminologia... 1 2 2. CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO

Leia mais

11/06 119-32/00 012807 REV.0. www.britania.com.br sac@britania.com.br Manual de Instruções

11/06 119-32/00 012807 REV.0. www.britania.com.br sac@britania.com.br Manual de Instruções 11/06 119-32/00 012807 REV.0 www.britania.com.br sac@britania.com.br Manual de Instruções CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS INTRODUÇÃO Tensão Corrente Potência/Consumo Freqüência Rotações Diâmetro Área de ventilação

Leia mais

ID-2.024. Instrução Técnica. Procedimento Técnico para Projetos e Implantação de Postes na AES Eletropaulo. Diretoria de Engenharia e Serviços

ID-2.024. Instrução Técnica. Procedimento Técnico para Projetos e Implantação de Postes na AES Eletropaulo. Diretoria de Engenharia e Serviços ID-2.024 Procedimento Técnico para Projetos e Implantação de Postes na AES Eletropaulo Instrução Técnica Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição 2 Folha de Controle Elaborado

Leia mais

PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR TREINAMENTO REFERENTE A CURSO BÁSICO E COMPLEMENTAR DA NR-10.

PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR TREINAMENTO REFERENTE A CURSO BÁSICO E COMPLEMENTAR DA NR-10. PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR TREINAMENTO REFERENTE A CURSO BÁSICO E COMPLEMENTAR DA NR-10. Abril/2007 PROJETO BÁSICO Página 1 PROJETO BÁSICO PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA 13,8 kv

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA 13,8 kv T Í T U L O NORMA DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO VERSÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DA VIGÊNCIA R1 I - GPC 11/04/2014 16/04/2014 CONTROLE DE REVISÃO Data Responsáveis Descrição 11/04/2014 Elaboração: Eng. Alberto J.

Leia mais