PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO. Título ESTRUTURAS PARA EQUIPAMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO. Título ESTRUTURAS PARA EQUIPAMENTOS"

Transcrição

1 APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Transformadores SEÇÃO 3 Chaves Tripolares SEÇÃO 4 Banco de Capacitores SEÇÃO 5 Religadores e Seccionalizadores SEÇÃO 6 Reguladores de Tensão 1 OBJETIVO Esta norma estabelece o padrão das estruturas básicas de instalação de equipamentos em redes aéreas de distribuição da Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica - CEEE-D. 2 NORMAS COMPLEMENTARES Constituem complemento desta Padronização as seguintes normas: - CEEE-D - ETD Pintura em ferragens e equipamentos destinados à orla marítima; - CEEE-D - PTD Materiais para redes aéreas de distribuição; - CEEE-D - PTD Materiais para redes aéreas de distribuição especiais para orla marítima; - CEEE-D - TTD Termos relacionados com projeto e construção de linhas e redes aéreas de distribuição; - ABNT - NBR-5433 Redes de distribuição aérea rural de energia elétrica - Padronização; - ABNT - NBR-5434 Redes de distribuição aérea urbana de energia elétrica - Padronização. 3 DEFINIÇÕES Os termos utilizados nesta Norma estão definidos na norma TTD CONDIÇÕES GERAIS 4.1 Nesta Padronização, os materiais devem apresentar forma adequada à montagem em postes de seção circular. 4.2 A grande maioria dos equipamentos foram apresentados com postes de concreto (C), entretanto as listas de materiais fornecem também as quantidades de materiais para estruturas com postes de madeira. 4.3 As estruturas forma padronizadas para instalação em redes primárias de alumínio (CA ou CAA) e estruturas tipo N (normal). 4.4 Caso seja necessário, instalar equipamentos em redes primárias de cobre (CC) e/ou postes com estrutura tipo B (beco), devem ser feitas as respectivas adequações nas listas de materiais. 4.5 Os postes de concreto devem ter carga nominal de 400 dan e os postes de madeira devem ser do tipo pesado (diâmetros máximos padronizados para o topo e base). 4.6 Nas listas de materiais, os postes e as estruturas de sustentação das redes primárias foram considerados como inexistentes no ponto de instalação. 4.7 Os materiais necessários para instalação da rede secundária somente estão considerados nas listas de materiais das estruturas para transformadores em plataforma. 4.8 Quando necessário, a base dos postes devem ser reforçadas com brita, escora de subsolo, etc.

2 APRESENTAÇÃO Na interligação dos terminais de terra dos pára-raios, o condutor de aterramento deve ter uma curvatura que facilite o afastamentos do desligador automático quando ocorrer defeito nos pára-raios. Este condutor de aterramento deve ser retilíneo, sem emendas até a haste de terra Na montagem das estruturas inverter a posição do suporte L dos pára-raios (PTD SEÇÃO 6-29 e/ou PTD SEÇÃO 6-10), quando necessário elevar os pára-raios para manter os afastamentos mínimos padronizados Sempre que houver rede secundária na estrutura do equipamento, o condutor neutro deve ser interligado ao condutor de aterramento, sem interrompe-lo As cruzetas de madeira utilizadas nas plataformas devem atender as seguintes condições: a) terem as dimensões padronizadas; b) serem de puro cerne; c) serem novas; d) serem isentas de: - sinais de apodrecimento, - avarias provenientes do corte ou transporte, - fraturas transversais, - depressões acentuadas, - furação já utilizada, - orifícios, pregos, cavilha ou quaisquer peças metálicas, - curvaturas, - sinuosidades em qualquer trecho, - fendas, - rachas, - nós ou orifícios de nós, - veios inclinados ou espiralados As cruzetas de 1200 x 115 x 90 mm utilizadas em plataformas e bases, devem ser obtidas a partir do corte de cruzetas com 2400 x 115 x 90 mm em duas partes iguais As tábuas de madeira das plataformas devem ser pregadas nas cruzetas de madeira externas Qualquer peça metálica zincada que venha a ser furada, cortada ou soldada, deve ter suas partes sem zincagem protegidas com tinta antiferruginosa conforme norma ETD Nas conexões do condutor de alumínio com o condutor de cobre deve ser observado o cuidado para que o condutor de cobre fique por baixo do condutor de alumínio junto ao conector 4.17 Nas conexões do condutor de cobre com cobre, sempre que possível, utilizar o empalme dos condutores Todos os conectores devem ser fornecidos com composto antióxido, caso as quantidades de antióxido não sejam suficiente, aplicar o composto nos conectores para impedir a penetração da umidade na conexão Em hipótese alguma podem ser feitas conexões sobre alças pré-formadas de distribuição Na montagem das estruturas, o condutor neutro da rede secundária e o ramal de ligação, devem estar afastados de, no mínimo 1000 mm dos condutores de média tensão As chaves de faca unipolares devem estar instaladas de modo que, quando as mesmas estiverem abertas, as facas fiquem desenergizadas Salvo indicações em contrário, todas as medidas indicadas nas figuras são em milímetros.

3 5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS APRESENTAÇÃO 1-3 As estruturas padronizadas nesta norma devem satisfazer os detalhes constantes nas figuras e às exigências que constam nas tabelas e notas, relativos a cada seção. 6 VIGÊNCIA Esta Norma passa a vigorar a partir da data de sua aprovação, e anula as disposições que com ela colidirem. Elaborado pelo Departamento de Normalização/DPE. Responsável Técnico pela Elaboração da Norma: Raul Fernando Ribeiro da Silva Engenheiro Eletricista CREA RS N Aprovado em 04 de Janeiro de Rogério Sele da Silva Diretor.

4 TRANSFORMADORES 2-1 PLATAFORMA A a-f i-c f-t i-b f-f f-e a-g f-g c-c1 p-c f-r p-a / p-b e-f g-c g-g c-c1 f-n e-d a-c t-n f-s f-a t-a f-b e-g c-c6 f-v p-c t-d 4000mm f-x f-o c-c1 f-i NOTAS: 1) A instalação de transformadores em plataforma deve ser evitada tanto quanto possível, devido a suas desvantagens técnicas e econômicas. 2) A plataforma A deve ser utilizada quando o transformador não possuir suporte para fixação em poste ou por ter peso mínimo de 800 kg (para poste de madeira) ou 1000 kg (para poste de concreto) e no máximo 1500 kg. 3) Para transformadores com peso superior a 1500 kg, substituir as cruzetas de madeira internas por cruzetas metálicas (PTD ) do mesmo comprimento, adequando a lista de materiais.

5 TRANSFORMADORES 2-1a PLATAFORMA A - LISTA DE MATERIAIS PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - f 3 3 CONECTOR ESTRIBO DE PARAFUSO* 4-3 a - c 8 8 CONECTOR TIPO CUNHA DERIVAÇÃO 4-8 a - g 3 3 CONETOR PARA LINHA VIVA 4-4 c - c1 7kg 7kg FIO DE COBRE NU 6 AWG 2-3 c - c6 12m 12m CONDUTOR DE COBRE ISOLADO PVC - BWF 0,6/1kV 2-4 e - d 3 3 CH.FUS. BASE C 300A. PORTA FUS. 100 A - 7,1kA 15kV OU 4,5kA 25kV 10-3 e - f 3 3 PARA-RAIO ÓXIDO DE ZINCO CORPO POLIMÉRICO 12 OU 21 kv e - g 3 3 PARA RAIO DE BT e - h 3 3 ELO FUSÍVEL f - a 2 2 AFASTADOR DE ARMAÇÃO SECUNDARIA 500 mm 4 FUROS 6-1 f - b 4 4 ARMAÇÃO SECUNDARIA DE 2 ESTRIBOS 6-2 f - e ARRUELA QUADRADA FURO Ø18 mm 6-4 f - f 2 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø180 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø190 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø210 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø220 mm 6-8 f - f 4 - CINTA Ø230 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø250 mm 6-8 f - h ARRUELA DE PRESSÃO Ø18 mm 6-3 f - i 1 1 MALHA DE TERRA + 3 HASTES ZINCADAS 6-13 f - n 4 4 MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f - o 2 2 MAO FRANCESA V 6-15 f - r 14 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 22 8 PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t 6 6 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - u 4 12 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x250 mm 6-20 f - v - 2 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x350 mm 6-20 f - x 1 7 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x450 mm 6-20 g - c 14 - SELA PARA CRUZETA 6-27 g - g 6 6 SUPORTE "L" P/CH.FUS. E PÁRA-RAIOS 6-29 i - b 6 6 PINO CRUZETA PARA ISOLADOR DE 15 OU 25 kv 6-23 i - c 6 6 ISOLADOR PINO MT 15 OU 25kV 3-2 p - a 2 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 11 m 4kN 7-1 p - b - 2 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 11 m 7-2 p - c CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 p - d - 1 CANALETA PARA CONDUTOR DE ATERRAMENTO 11-3 r - i 0,2 0,2kg GRAMPO PARA CERCA 25x9 mm r - j 0,5kg 05kg PREGO 19x39 mm t - a 1 1 TRANSFORMADOR DE DISTRIBUIÇÃO TRIFÁSICO 10-16e t - d TABUA 11-17

6 TRANSFORMADORES 2-2 PLATAFORMA B f-f a-g a-f f-g f-s f-r i-c f-n g-g i-b f-e c-c1 p-c p-a p-b e-f g-c e-d c-c1 e-g c-c6 t-n a-c f-b t-a f-x t-b p-c t-b f-o 4000mm c-c1 f-i NOTAS: 1) A instalação de transformadores em plataforma deve ser evitada tanto quanto possível, devido a suas desvantagens técnicas e econômicas. 2) A plataforma A deve ser utilizada quando o transformador não possuir suporte para fixação em poste ou por ter peso mínimo de 800 kg (para poste de madeira) ou 1000 kg (para poste de concreto) e no máximo 1500 kg. 3) Para transformadores com peso superior a 1500 kg, substituir as cruzetas de madeira internas por cruzetas metálicas (PTD ) do mesmo comprimento, adequando a lista de materiais.

7 TRANSFORMADORES 2-2a PLATAFORMA B - LISTA DE MATERIAIS PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - f 3 3 CONETOR ESTRIBO DE PARAFUSO* 4-3 a - c 8 8 CONECTOR TIPO CUNHA DERIVAÇÃO 4-8 a - g 3 3 CONETOR PARA LINHA VIVA 4-4 c - c1 7kg 7kg FIO DE COBRE NU 6 AWG 2-3 c - c6 12m 12m CONDUTOR DE COBRE ISOLADO PVC - BWF 0,6/1kV 2-4 e - d 3 3 CH. FUS. BASE C 300A. PORTA FUS. 100A - 7,1kA 15kV OU 4,5kA 25kV 10-3 e - f 3 3 PÁRA-RAIO ÓXIDO DE ZINCO CORPO POLIMÉRICO 12 OU 21 kv e - g 3 3 PARA RAIO DE BT e - h 3 3 ELO FUSÍVEL f - b 4 4 ARMAÇÃO SECUNDARIA DE 2 ESTRIBOS 6-2 f - e ARRUELA QUADRADA FURO Ø18 mm 6-4 f - f 2 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø180 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø190 mm 6-8 f - f 4 - CINTA Ø210 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø220 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø230 mm 6-8 f - f 4 - CINTA Ø250 mm 6-8 f - h 8 - ARRUELA DE PRESSÃO Ø18 mm 6-3 f - i 1 1 MALHA DE TERRA + 3 HASTES ZINCADAS 6-13 f - n 4 4 MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f - o 2 2 MAO FRANCESA V 6-15 f - r 14 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 4 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t 8 8 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - u 4 14 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x250 mm 6-20 f - v - 2 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x350 mm 6-20 f - x 1 11 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x450 mm 6-21 g - c 14 - SELA PARA CRUZETA 6-27 g - g 6 6 SUPORTE "L" P/CHAVE FUSÍVEL E PÁRA-RAIOS 6-29 i - b 6 6 PINO CRUZETA PARA ISOLADOR DE 15 OU 25kV 6-23 i - c 6 6 ISOLADOR PINO MT 15 OU 25Kv 3-2 p - a 2 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 11 m 4kN 7-1 p - b - 2 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 11 m 7-2 p - c CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 p - d - 1 CANALETA PARA CONDUTOR DE ATERRAMENTO 11-3 r - i 0,2kg 0,2kg GRAMPO PARA CERCA 25x9 mm r - j 0,5kg 0,5kg PREGO 19X39 mm t - a 1 1 TRANSFORMADOR DE DISTRIBUIÇÃO TRIFÁSICO 10-16e t - d TABUA 11-17

8 TRANSFORMADORES 2-3 DETALHES DA PLATAFORMA Vista superior da plataforma Vista lateral da plataforma Vista frontal da plataforma

9 TRANSFORMADORES 2-4 ELEVADOR-ABAIXADOR 15/25kV e-f1 a-a a-e a-i f-q f-g c-a c-c1 i-b a-m e-f2 g-c i-c c-e2 g-h c-e1 f-f c-c2 c-c2 r-e p-a1 t-r f-h p-a2 r-s s-b f-i

10 TRANSFORMADORES ELEVADOR-ABAIXADOR 15/25 kv - LISTA DE MATERIAIS 2-4a PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - b CONECTOR TIPO CUNHA DERIVACAO CONF. COMBINAÇAO DA RD 4-8 a - e ALCA PREFORMADA P/CA CAA CONFORME CONDUTORES DA REDE 5-2 a - i 9 9 ISOLADOR DE ANCORAGEM POLIMÉRICA 15 kv a i 3 3 ISOLADOR DE ANCORAGEM POLIMÉRICA 25 kv a -m 6 6 ALÇA PRÉ-FORMADA PARA ESTAI 5-5 c - a 24m 24m CORDOALHA DE AÇO 5-8 c - c1 5kg 5kg FIO DE COBRE NU 6 AWG 2-3 c - c2 * * CABO DE COBRE OU ALUIMINIO CONFORME CORRENTE 2-1 / 2-3 c - e1 9 9 CH. DE FACA UNIPOLAR 15 kv 400 A 10-2 c - e2 3 3 CH. DE FACA UNIPOLAR 25 kv 400 A 10-2 e - f1 3 3 PÁRA-RAIO ÓXIDO DE ZINCO CORPO POLIMÉRICO 12 kv e - f2 3 3 PÁRA-RAIO ÓXIDO DE ZINCO CORPO POLIMÉRICO 21 kv f - e ARRUELA QUADRADA COM FURO DE Ø18 mm 6-4 f - f 2 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 3 - CINTA Ø180 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø190 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø200 mm 6-8 f - f 3 - CINTA Ø210 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø220 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø230 mm 6-8 f - g GANCHO OLHAL 6-10 f - h 2 2 ARRUELA DE PRESSÃO Ø18 mm 6-3 f - l HASTE ATERRAMENTO ZINCADA 6-13 f - n MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f - q OLHAL PARA PARAFUSO 6-18 f - r 14 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 16 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - v - 2 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x350 mm 6-20 f - z 4 12 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x450 mm 6-21 f - z 4 3 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x500 mm 6-21 f - z 4 3 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x550 mm 6-21 g - c 14 - SELA PARA CRUZETA 6-27 g - g 6 6 SUPORTE "L" P/CHAVE FUSÍVEL E PÁRA-RAIOS 6-29 i - b 3 3 PINO CRUZETA MADEIRA PARA ISOLADOR DE 25 kv 6-23 i - b 6 6 PINO CRUZETA MADEIRA PARA ISOLADOR DE 15 kv 6-23 i - e 3 3 ISOLADOR PINO 25kV 3-2 i - e 6 6 ISOLADOR PINO 15kV 3-2 p - a1 2 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 12 m 4kN 7-1 p - a2 1 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 12 m 6kN 7-1 p - b - 3 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 12 m PESADO 7-2 p - c CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 r - i 0,5kg 1kg GRAMPO PARA CERCA 25x9 mm r - s 4 4 MOURÁO QUADRADO 200x200x2200 mm t - n 2 2 PLAQUETA PARA NUMERAÇÃO t - r 1 1 TRANSFORMADOR ELEVADOR-REBAIXADOR TRIFÁSICO 15/25 KV * A quantidade de condutor em kg dependerá do comprimento e do tipo de condutor empregado.

11 CHAVES 3-1 CHAVE A ÓLEO TRIPOLAR - MONTAGEM A 200 f-e a-a a-e a-i f-q f-g g-a f-z f-r f-f f-h f-n r-o c-c4 p-c p-f f-s i-e g-h i-b a-b e-c t-n 6700 p-a r-h c-c1 f-i NOTAS: 1) A carcaça da chave a óleo e o conjunto de manobra devem ser interligados ao condutor de aterramento. 2) A estrutura com montagem A, deve ser utilizada somente quando prevista alimentação dupla no alimentador. 3) Sempre que possível, evitar a instalação de chaves a óleo em postes de madeira, pois os mesmos, sob determinadas condições, podem sofrer pequenas torções ou flexões, dificultando-se assim a operação do conjunto de manobra. 4) Não instalar chaves a óleo em postes de esquina que tenham rede secundária, tendo em vista os afastamentos mínimos padronizados entre condutores e solo. 5) A chave a óleo pode ser operada com vara de manobra, desde que o equipamento seja adaptado para tal fim. 6) Distâncias mínimas recomendadas.

12 CHAVES CHAVE A ÓLEO TRIPOLAR - MONTAGEM A - LISTA DE MATERIAIS 3-1a PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - a 6 6 CONETOR TIPO CUNHA DERIVACAO CONF. CONFIGURAÇAO DA RD 4-8 a - b CONETOR TIPO CUNHA DERIVACAO CONF. CONFIGURAÇAO DA RD 4-8 a - e 6 6 ALCA PREFORMADA PARA CA CAA CONF. CONDUTORES DA REDE 5-2 a - i 6 6 ISOLADOR DE ANCORAGEM POLIMÉRICA 15 OU 25 kv 3-7 c - c1 4kg 4kg FIO DE COBRE NU 6 AWG 2-3 c - c4 24kg 24kg CONDUTOR COBRE NU 4/0 AWG 2-3 e - c 6 6 CH. DE FACA UNIPOLAR 15 OU 25 kv 400 A 10-2 f - e ARRUELA QUADRADA FURO Ø18 mm 6-4 f - f 1 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø180 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø200 mm 6-8 f- f 1 - CINTA Ø210 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø220 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø230 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø250 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø310 mm 6-8 f - g 6 6 GANCHO OLHAL 6-10 f - h ARRUELA DE PRESSÃO Ø18 mm 6-3 f - i 1 1 HASTE ATERRAMENTO ZINCADA 6-13 f - n MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f - q 6 6 OLHAL PARA PARAFUSO 6-18 f - r 4 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 16 6 PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t 8 8 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - t - 7 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x250 mm 6-20 f - z 4 6 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x450 mm 6-21 g - a 6 6 MANILHA-SAPATILHA (ACIMA DE 2 AWG) 5-15 g - c 6 - SELA PARA CRUZETA 6-27 g - h 6 6 SUPORTE P/FIXACAO INCLINADA DE CHAVE FACA UNIPOLAR 6-32 i - b 2 2 PINO CRUZETA METÁLICA PARA ISOLADOR DE 15 OU 25 kv 6-24 i - e 2 2 ISOLADOR PINO AT 15 OU 25Kv 3-2 p - a 1 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 12 m 4kN 7-1 p - b - 1 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 12 m 7-2 p - c 4 4 CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 p - d - 1 CANALETA PARA CONDUTOR DE ATERRAMENTO 11-3 p - f 2 2 CRUZETA METÁLICA 2400 ESTRUTURA N E T 8-4 r - h 1 1 CADEADO PADRÃO 11-4 r - i - 0,2kg GRAMPO PARA CERCA 25x9 mm r - j - 0,2kg PREGO 19x39 mm r - o 1 1 CHAVE A ÓLEO TRIPOLAR + ACESSÓRIOS t - g 1 1 PLACA DE ADVERTÊNCIA t - n 1 1 PLAQUETA PARA NUMERAÇÃO 11-13

13 CHAVES CONJUNTO DE CHAVES A ÓLEO UNIPOLAR - MONTAGEM A p-c a-a a-e a-i f-q f-g g-a 600 f-f f-r f-e f-n c-c3 f-s g-h g-h f-s f-z e-c f-n t-n c-o c-c1 f-h 6000 p-a r-h f-l NOTAS: 1) A carcaça da chave a óleo e o conjunto de manobra devem ser interligados ao condutor de aterramento. 2) A estrutura com montagem A, deve ser utilizada somente quando prevista alimentação dupla no alimentador. 3) Sempre que possível, evitar a instalação de chaves a óleo em postes de madeira, pois os mesmos, sob determinadas condições, podem sofrer pequenas torções ou flexões, dificultando-se assim a operação do conjunto de manobra. 4) Distâncias mínimas recomendadas.

14 CHAVES CONJUNTO DE CHAVES A ÓLEO UNIPOLAR - MONTAGEM A - LISTA DE MATERIAIS 3-2a PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - a CONETOR TIPO CUNHA DERIVACAO. CONF. CONFIGURAÇAO DA RD 4-8 a - e 6 6 ALCA PREFORMADA PARA CA CAA CONF. CONDUTORES DA RD 5-2 a - i 6 6 ISOLADOR DE ANCORAGEM POLIMÉRICA 15 OU 25 kv 3-7 c - c1 2kg 2kg FIO DE COBRE NU 6 AWG 2-3 c - c3 9kg 9kg CONDUTOR COBRE NU 1/0 AWG 2-3 c - o 3 3 CHAVE A ÓLEO UNIPOLAR e - c 6 6 CH. DE FACA UNIPOLAR 15 OU 25 kv 400A 10-2 f - e ARRUELA QUADRADA Ø18 mm 6-4 f - f 1 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø180 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø190 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø200 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø210 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø220 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø230 mm f - f 2 - CINTA Ø310 mm 6-8 f - g 6 - GANCHO OLHAL 6-10 f - h 8 2 ARRUELA DE PRESSÃO Ø18 mm 6-3 f - l 1 1 HASTE ATERRAMENTO ZINCADA 6-13 f - n MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f - r 4 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 12 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t 8 8 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - u - 8 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x250 mm 6-20 f - z 4 6 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x450 mm 6-21 g - a 6 6 MANILHA-SAPATILHA (ACIMA DE 2 AWG) 5-15 g - b 6 6 SAPATILHA (ATÉ CABO 2 AWG) 5-17 g - c 4 - SELA PARA CRUZETA 6-27 g - h 6 6 SUPORTE P/FIXACAO INCLINADA DE CHAVE FACA UNIPOLAR 6-32 p - a 1 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 12 m 4kN 7-1 p - b - 1 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 12 m 7-2 p - c 4 4 CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 p - d - 1 CANALETA PARA CONDUTOR DE ATERRAMENTO 11-3 r - h 1 1 CADEADO PADRÃO 11-4 r - i - 0,2kg GRAMPO PARA CERCA 25x9 mm t - n 1 1 PLAQUETA PARA NUMERAÇÃO 11-13

15 CHAVES f-e CHAVE A ÓLEO TRIPOLAR - MONTAGEM B a-a a-e a-i f-q f-g g-a 600 f-f f-e f-n c-c4 p-c a-b 600 e-c 2100 r-o p-f f-s t-n 6700 p-a c-c1 r-h f-l NOTAS: 1) A carcaça da chave a óleo e o conjunto de manobra devem ser interligados ao condutor de aterramento. 2) A estrutura com montagem B, deve ser utilizada somente quando prevista alimentação unilateral no alimentador. 3) Sempre que possível, evitar a instalação de chaves a óleo em postes de madeira, pois os mesmos, sob determinadas condições, podem sofrer pequenas torções ou flexões, dificultando-se assim a operação do conjunto de manobra. 4) Não instalar chaves a óleo em postes de esquina que tenham rede secundária, tendo em vista os afastamentos mínimos padronizados entre condutores e solo. 5) A chave a óleo pode ser operada com vara de manobra, desde que o equipamento seja adaptado para tal fim. 6) Em alimentadores com características rurais, incluir na lista de materiais 3 pára-raios (PTD ), 3 suportes L (PTD ) para instalação no lado da carga, quando a chave a óleo operar normalmente aberta (NA) e 3 kg de fio de cobre 6 AWG (PTD ) para o aterramento dos pára-raios. 7) Distâncias mínimas recomendadas.

16 CHAVES CHAVE A ÓLEO TRIPOLAR - MONTAGEM B - LISTA DE MATERIAIS 3-3a PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - a 6 6 CONETOR TIPO CUNHA DERIVACAO CONF. CONFIGURAÇAO DA RD 4-8 a - b CONETOR TIPO CUNHA DERIVACAO CONF. CONFIGURAÇAO DA RD 4-8 a - e 6 6 ALCA PREFORMADA PARA CA CAA CONF. CONDUTORES DA REDE 5-2 a - i 6 6 ISOLADOR DE ANCORAGEM POLIMÉRICA 15 OU 25 kv 3-7 c - c1 2kg 2kg FIO DE COBRE NU 6 AWG 2-3 c - c4 24kg 24kg CONDUTOR COBRE NU 4/0 AWG 2-3 e - c 3 3 CH. DE FACA UNIPOLAR 15 OU 25 kv 400 A 10-2 f - e ARRUELA QUADRADA FURO Ø18 mm 6-4 f - f 1 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø180 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø200 mm 6-8 f- f 1 - CINTA Ø210 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø220 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø230 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø250 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø3170 mm 6-8 f - g 6 6 GANCHO OLHAL 6-10 f - h ARRUELA DE PRESSÃO Ø18 mm 6-3 f - i 1 1 HASTE ATERRAMENTO ZINCADA 6-13 f - n MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f - q 6 6 OLHAL PARA PARAFUSO 6-18 f - r 4 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 18 6 PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t 8 8 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - u - 9 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x250 mm 6-20 f - z 4 6 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x450 mm 6-21 g - a 6 6 MANILHA-SAPATILHA (ACIMA DE 2 AWG) 5-15 g - c 6 - SELA PARA CRUZETA 6-27 g - h 3 3 SUPORTE P/FIXACAO INCLINADA DE CHAVE FACA UNIPOLAR 6-32 i - b 2 2 PINO CRUZETA METÁLICA PARA ISOLADOR DE 15 OU 25 kv 6-24 i - b 3 3 PINO CRUZETA PARA ISOLADOR DE 15 OU 25 kv 6-23 i - e 5 5 ISOLADOR PINO MT 15 OU 25 kv 3-2 p - a 1 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 12 m 4kN 7-1 p - b - 1 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 12 m 7-2 p - c 4 4 CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 p - d - 1 CANALETA PARA CONDUTOR DE ATERRAMENTO 11-3 p - f 2 2 CRUZETA METÁLICA 2400 ESTRUTURA N E T 8-4 r - h 1 1 CADEADO PADRÃO 11-4 r - i - 0,2kg GRAMPO PARA CERCA 25x9 mm r - j - 0,2kg PREGO 19x39 mm r - o 1 1 CHAVE A ÓLEO TRIPOLAR + ACESSÓRIOS t - g 1 1 PLACA DE ADVERTÊNCIA t - n 1 1 PLAQUETA PARA NUMERAÇÃO 11-13

17 200 f-e CHAVES CONJUNTO DE CHAVES A ÓLEO UNIPOLAR - MONTAGEM B p-c a-a a-e a-i f-q f-g g-a f-f f-n c-c3 f-s g-h f-s f-z e-c 800 c-o c-c1 f-h 600 f-n t-n 6700 p-a r-h f-l NOTAS: 1) A carcaça da chave a óleo e o conjunto de manobra devem ser interligados ao condutor de aterramento. 2) A estrutura com montagem B, deve ser utilizada somente quando prevista alimentação unilateral no alimentador. 3) Sempre que possível, evitar a instalação de chaves a óleo em postes de madeira, pois os mesmos, sob determinadas condições, podem sofrer pequenas torções ou flexões, dificultando-se assim a operação do conjunto de manobra. 4) Em alimentadores com características rurais, incluir na lista de materiais 3 pára-raios (PTD ), 3 suportes L (PTD ) para instalação no lado da carga, quando a chave a óleo operar normalmente aberta (NA) e 3 kg de fio de cobre 6 AWG (PTD ) para o aterramento dos pára-raios. 5) Distâncias mínimas recomendadas.

18 CHAVES CONJUNTO DE CHAVES A ÓLEO UNIPOLAR - MONTAGEM B - LISTA DE MATERIAIS 3-4a PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - a CONETOR TIPO CUNHA DERIVACAO. CONF. CONFIGURAÇAO DA RD 4-8 a - e 6 6 ALCA PREFORMADA PARA CA CAA CONF. CONDUTORES DA RD 5-2 a - i 6 6 ISOLADOR DE ANCORAGEM POLIMÉRICA 15 OU 25 kv 3-7 c - c1 2kg 2kg FIO DE COBRE NU 6 AWG 2-3 c - c3 9kg 9kg CONDUTOR COBRE NU 1/0 AWG 2-3 c - o 3 3 CHAVE A ÓLEO UNIPOLAR e - c 3 3 CH. DE FACA UNIPOLAR 15 OU 25 kv 400A 10-2 f - e ARRUELA QUADRADA Ø18 mm 6-4 f - f 1 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø180 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø190 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø200 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø210 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø220 mm 6-8 f - f 2 - CINTA Ø310 mm 6-8 f - g 6 - GANCHO OLHAL 6-10 f - h 2 - ARRUELA DE PRESSÃO Ø18 mm 6-3 f - l 1 1 HASTE ATERRAMENTO ZINCADA 6-13 f - n MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f - r 4 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 13 2 PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t 8 8 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - u - 9 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x250 mm 6-20 f - z 4 6 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x450 mm 6-21 g - a 6 6 MANILHA-SAPATILHA (ACIMA DE 2 AWG) 5-15 g - b 6 6 SAPATILHA (ATÉ CABO 2 AWG) 5-17 g - c 4 - SELA PARA CRUZETA 6-27 g - h 3 3 SUPORTE P/FIXACAO INCLINADA DE CHAVE FACA UNIPOLAR 6-32 i - b 3 3 PINO DE CRUZETA DE MADEIRA PARA ISOLADOR DE 15 OU 25 kv 6-23 i - e 3 3 ISOLADOR DE PINO MT 15 OU 25 kv 3-2 p - a 1 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 12 m 4kN 7-1 p - b - 1 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 12 m 7-2 p - c 4 4 CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 p - d - 1 CANALETA PARA CONDUTOR DE ATERRAMENTO 11-3 r - h 1 1 CADEADO PADRÃO 11-4 r - i - 0,2kg GRAMPO PARA CERCA 25x9 mm t - n 1 1 PLAQUETA PARA NUMERAÇÃO 11-13

19 CHAVES 3-5 CHAVE OMNI-RUPTER 15/25 kv p-c a-a f-q a-i a-e a-i g-a f-n c-c3 c-r f-f p-a c-c1

20 CHAVES CHAVE OMNI-RUPTER 15/25 kv - LISTA DE MATERIAIS 3-5a PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - a 6 6 CONETOR TIPO CUNHA DERIVACAO. CONF. CONFIGURAÇAO DA RD 4-8 a - e 6 6 ALCA PREFORMADA PARA CA CAA CONF. CONDUTORES DA RD 5-2 a - i 6 6 ISOLADOR DE ANCORAGEM POLIMÉRICA 15 OU 25 kv 3-7 c - c1 2kg 2kg FIO DE COBRE NU 6 AWG 2-3 c - c3 5kg 5kg CONDUTOR COBRE NU 1/0 AWG 2-3 c - r 3 3 CHAVE OMNI RUPTER 15/25 kv f - e 4 4 ARRUELA QUADRADA Ø18 mm 6-4 f - f 1 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø180 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø190 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø200 mm 6-8 f - g 6 - GANCHO OLHAL 6-10 f - h 2 - ARRUELA DE PRESSÃO Ø18 mm 6-3 f - l 1 1 HASTE ATERRAMENTO ZINCADA 6-13 f - n 4 4 MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f - r 2 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 4 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t 4 4 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - u - 3 PARAFUSO CABEÇA QUADRADA 16x250 mm 6-20 f - z 2 3 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x450 mm 6-21 g - a 6 6 MANILHA-SAPATILHA (ACIMA DE 2 AWG) 5-15 g - b 6 6 SAPATILHA (ATÉ CABO 2 AWG) 5-17 g - c 2 - SELA PARA CRUZETA 6-27 p - a 1 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 12 m 4kN 7-1 p - b - 1 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 12 m 7-2 p - c 2 2 CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 p - d - 1 CANALETA PARA CONDUTOR DE ATERRAMENTO 11-3 r - i - 0,2kg GRAMPO PARA CERCA 25x9 mm r - j - 0,2kg PREGO 19x39 mm t - n 1 1 PLAQUETA PARA NUMERAÇÃO 11-13

21 CHAVES 3-6 CHAVE A GÁS 15/25 kv p-c a-a f-q f-g a-e a-i g-a f-f c-c3 e-c g-h f-g p-f c-g p-a c-c1 f-l

22 CHAVES CHAVE A GÁS 15/25 kv - LISTA DE MATERIAIS 3-6a PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - a CONETOR TIPO CUNHA DERIVACAO CONF. CONFIGURAÇAO DA RD 4-8 a - e 6 6 ALCA PREFORMADA PARA CA CAA CONF. CONDUTORES DA REDE 5-2 a - i 6 6 ISOLADOR DE ANCORAGEM POLIMÉRICA 15 OU 25 kv 3-7 c - c1 4kg 4kg FIO DE COBRE NU 6 AWG 2-3 c - c2 5kg 5kg CONDUTOR COBRE NU 4/0 AWG 2-3 e - c 9 9 CH. DE FACA UNIPOLAR 15 OU 25 kv 400 A 10-2 f - e ARRUELA QUADRADA FURO Ø18 mm 6-4 f - f 1 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø180 mm 6-8 f- f 1 - CINTA Ø190 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø200 mm 6-8 f- f 1 - CINTA Ø210 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø220 mm 6-8 f - g 6 6 GANCHO OLHAL 6-10 f - h 8 8 ARRUELA DE PRESSÃO Ø18 mm 6-3 f - i 1 1 HASTE ATERRAMENTO ZINCADA 6-13 f - n MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f - q 6 6 OLHAL PARA PARAFUSO 6-18 f - r 4 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 14 8 PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t 8 8 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - t 2 5 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x250 mm 6-20 f - z 4 9 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x450 mm 6-21 g - a 6 6 MANILHA-SAPATILHA (ACIMA DE 2 AWG) 5-15 g - b 6 6 SAPATILHA (ATÉ CABO 2 AWG) 5-17 g - c 6 - SELA PARA CRUZETA 6-27 g - h 6 6 SUPORTE P/FIXACAO INCLINADA DE CHAVE FACA UNIPOLAR 6-32 p - a 1 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 12 m 4kN 7-1 p - b - 1 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 12 m 7-2 p - c 4 4 CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 p - d - 1 CANALETA PARA CONDUTOR DE ATERRAMENTO 11-3 p - f 2 2 CRUZETA METÁLICA 2400 mm 8-4 r - i - 0,2kg GRAMPO PARA CERCA 25x9 mm r - j - 0,2kg PREGO 19x39 mm r - o 1 1 CHAVE A GÁS 15/25 kv t - n 1 1 PLAQUETA PARA NUMERAÇÃO 11-13

23 CHAVES CHAVE FUSÍVEL REPETIDORA 15/25 kv - MONTAGEM TRIFÁSICA p-c f-e f-q f-g a-a 600 ver detalhe f-n a-e a-i i-b c-c2 i-e e-d p-a ou p-b 100 DETALHE

24 CHAVES CHAVE FUSÍVEL REPETIDORA 15/25 kv - MONTAGEM TRIFÁSICA - LISTA DE MATERIAIS 3-7a PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - a 6 6 CONETOR TIPO CUNHA DERIVACAO CONF. CONFIGURAÇAO DA RD 4-8 a - e 6 6 ALCA PREFORMADA PARA CA CAA CONF. CONDUTORES DA REDE 5-2 a - i 6 6 ISOLADOR DE ANCORAGEM POLIMÉRICA 15 OU 25 kv 3-7 c c2 _kg _kg FIO OU CABO DE COBRE CONFORME CONFIGURAÇÃO DA RD 2-3 e - d 3 3 CHAVE FUSÍVEL REPETIDORA 15 OU 25 kv 100 A 10-4 e - h 9 9 ELO FUSÍVEL A DE ACORDO COM O LOCAL DE INSTALAÇÃO f - e ARRUELA QUADRADA FURO Ø18 mm 6-4 f - f 1 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø180 mm 6-8 f f 1 - CINTA Ø190 mm 6-8 f g 6 6 GANCHO OLHAL 6-10 f n 8 8 MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f q 6 6 OLHAL PARA PARAFUSO 6-18 f - r 3 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 2 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t 6 6 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - t - 2 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x250 mm 6-20 f - z 2 3 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x450 mm 6-21 g - a 6 6 MANILHA-SAPATILHA (ACIMA DE 2 AWG) 5-15 g - b 6 6 SAPATILHA (ATÉ CABO 2 AWG) 5-17 g - c 3 - SELA PARA CRUZETA 6-27 i - b 3 3 PINO DE CRUZETA DE MADEIRA PARA ISOLADOR DE 15 OU 25 kv 6-23 i - e 3 3 ISOLADOR DE PINO MT 15 OU 25 kv 3-2 p - a 1 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 11 m 4kN 7-1 p - b - 1 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 11 m 7-2 p - c 3 3 CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 t - n 1 1 PLAQUETA PARA NUMERAÇÃO 11-13

25 CHAVES CHAVE FUSÍVEL REPETIDORA 15/25 kv - MONTAGEM FASE-FASE p-c f-e a-a f-q f-g 600 f-n a-e a-i i-b c-c2 i-e e-d p-a ou p-b 100 DETALHE

26 CHAVES CHAVE FUSÍVEL REPETIDORA 15/25 kv - MONTAGEM FASE-FASE - LISTA DE MATERIAIS 3-8a PARA POSTE DE CONCRETO (C) OU MADEIRA (M) Item Quantidade PTD DESCRIÇÃO C M SEÇÃO a - a 4 4 CONETOR TIPO CUNHA DERIVACAO CONF. CONFIGURAÇAO DA RD 4-8 a - e 4 4 ALCA PREFORMADA PARA CA CAA CONF. CONDUTORES DA REDE 5-2 a - i 4 4 ISOLADOR DE ANCORAGEM POLIMÉRICA 15 OU 25 kv 3-7 c c2 _kg _kg FIO OU CABO DE COBRE CONFORME CONFIGURAÇÃO DA RD 2-3 e - d 2 2 CHAVE FUSÍVEL REPETIDORA 15 OU 25 kv 100 A 10-4 e - h 6 6 ELO FUSÍVEL A DE ACORDO COM O LOCAL DE INSTALAÇÃO f - e ARRUELA QUADRADA FURO Ø18 mm 6-4 f - f 1 - CINTA Ø170 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø180 mm 6-8 f - f 1 - CINTA Ø190 mm 6-8 f - g 4 4 GANCHO OLHAL 6-10 f - n 6 6 MAO FRANCESA PLANA 660 mm 6-17 f - q 4 4 OLHAL PARA PARAFUSO 6-18 f - r 3 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x150 mm 6-19 f - s 2 - PARAFUSO CABECA ABAULADA 16x45 mm 6-19 f - t 6 6 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x125 mm 6-20 f - u - 1 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x250 mm 6-20 f - v - 1 PARAFUSO CABECA QUADRADA 16x350 mm 6-20 f - z 2 3 PARAFUSO ROSCA DUPLA 16x450 mm 6-21 g - a 4 4 MANILHA-SAPATILHA (ACIMA DE 2 AWG) 5-15 g - b 4 4 SAPATILHA (ATÉ CABO 2 AWG) 5-17 g - c 3 - SELA PARA CRUZETA 6-27 p - a 1 - POSTE DE CONCRETO TRONCO-CONICO DE 11 m 4kN 7-1 p - b - 1 POSTE DE EUCALIPTO TRATADO DE 11 m 7-2 p - c 3 3 CRUZETA DE MADEIRA COM 2400 mm 8-1 t - n 1 1 PLAQUETA PARA NUMERAÇÃO 11-13

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas Trifásicas com Transformadores 6.1. Estrutura M1 com Transformador 6.2.

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Cruzamentos SEÇÃO 6 Rabichos SEÇÃO 7 Aterramento 1 OBJETIVO

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. ASPECTOS GERAIS... 2 3. EXCEÇÕES... 2 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ASPECTOS GERAIS... 1 3. EXCEÇÕES... 1 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NDU-010 VERSÃO 3.1 JUNHO/2013 SUMÁRIO Item Descrição Classe Desenho 1. Haste de Aço-Cobre para Aterramento...

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estrutura CE2H TR (2º Nível) Poste de Concreto de Seção Circular 7. Estrutura CE2H

Leia mais

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS 11 metros = 150 12 metros = 150 450 1000 máximo 11 metros = 850 12 metros = 1450 800 450 450 11 metros = 1700 12 metros = 1800 11 ou 12 metros 100 11 metros = 1300 12

Leia mais

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV ÍNDICE APRESENTAÇÃO....2 1-OBJETIVO...3 2-AMPLITUDE... 3 3-RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4-INSTRUÇÕES GERAIS...3 5-CONDUTORES...4 6-PROCEDIMENTOS...5 6.1- Afastamentos padronizados...5 6.2-Engastamento

Leia mais

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL-13,8kV e 34,5kV

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL-13,8kV e 34,5kV MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA NTD-14 NTD 14 MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA CONTROLE DE VERSÕES NTD-14 - MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA Nº.: DATA VERSÃO 1 13/07/4 0 2 03/9 1 NTD 14 MONTAGEM

Leia mais

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS 1- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Convencional Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 13 2- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Compacta Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 2 de

Leia mais

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES 3$'5 2'((6758785$6 '(/,1+$6(5('(6 PARTE 1 ASPECTOS GERAIS INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras ASPECTOS GERAIS PARTE

Leia mais

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea ITEM DESCRIÇÃO QUANT. 1.00 REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.1 Cabo de alumínio com alma de aço (CAA), seção 4/0, diâmetro externo

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CABOS COBERTOS FIXADOS EM ESPAÇADORES APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CABOS COBERTOS FIXADOS EM ESPAÇADORES APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Amarrações SEÇÃO 6 Cruzamentos SEÇÃO 7 Conexões e Emendas SEÇÃO

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1 NORMA TÉCNICA CELG D Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv NTC-06 Revisão 1 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

Conferência do Projeto

Conferência do Projeto 214-DPDORC4 22/4/214 1 de 5 12/2/214 1:3.7 CARACTERIZAÇÃO Data Projeto Nº Pedido Finalidade 16/7/213 Título Implantação de SE Descrição da Obra: Tipo da Obra: IMPLANTAÇÃO EXPANSÃO DA REDE ELÉTRICA (ALTA

Leia mais

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV Padrão Técnico da Distribuição Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV ELABORADO

Leia mais

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV SUL / SUDESTE AFASTADOR, ARMACAO SECUNDARIA, ACO CARBONO 1010-1020, ZINCADO A QUENTE, DIMENSOES: 1000 X700 10002599 MM, 4 FUROS, NORMAS

Leia mais

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES A descrição das atividades tem como propósito facilitar o relacionamento entre a CONTRATANTE e a CONTRATADA, na medida em que visa

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA DSEE 11/12/2014 DATA SUMÁRIO

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 5

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREAS PRIMÁRIAS COMPACTAS PROTEGIDAS

ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREAS PRIMÁRIAS COMPACTAS PROTEGIDAS DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD.06.002

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-31/10/2013 05/11/2013 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI DTES-ES SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

DOC. NT NT MONTAGEM DE REDES E LINHAS ÁREAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. INDICE 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO...

DOC. NT NT MONTAGEM DE REDES E LINHAS ÁREAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. INDICE 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... REV. Página 1 de 149 INDICE Página 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 02 3. NORMAS E/OU DOCUMEOS COMPLEMEARES... 03 4. CONDICÕES GERAIS... 05 5. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... 06 SEÇÃO 5.1 POSTES E

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO IX Referente ao Edital de Pregão Presencial nº. 002/2015 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 10 1. DO OBJETO 1.1. O presente pregão tem como objeto a AQUISIÇÃO DE ELETROFERRAGENS, de acordo com as

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 MONTAGEM DE S PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, RURAL, COM CONDUTORES NUS - 13,8 E 34,5 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA INDICE 1- OBJETIVO...

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT 034/2008 PADRÃO DE ESTRUTURA PE-034/2008 R-02 ESTRUTURAS ESPECIAIS

DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT 034/2008 PADRÃO DE ESTRUTURA PE-034/2008 R-02 ESTRUTURAS ESPECIAIS DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT 034/2008 PADRÃO DE ESTRUTURA PE-034/2008 R-02 ESTRUTURAS ESPECIAIS FOLHA DE CONTROLE PADRÃO DE ESTRUTURA ESTRUTURAS ESPECIAIS Código Página

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...3 3.

Leia mais

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE DOCUMENTO NORMATIVO CRITÉRIO DE PROJETO DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE Código Página Revisão Emissão CP 015 I 1 JAN/2004 APRESENTAÇÃO A

Leia mais

PD-4.003. Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia

PD-4.003. Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia PD-4.003 Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV Padrão Técnico da Distribuição Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia Da Distribuição PD-4.003 Redes de Distribuição Aérea Urbana

Leia mais

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com Projeto Elétrico Padrão de Medição, fornecimento de energia em tensão primária 13.8kV, a partir da rede aérea de distribuição para atender Defensoria Pública do Estado da Paraíba. Responsavel Técnico:

Leia mais

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT.

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. DIRETORIA TÉCNICA DEPARTAMENTO COMERCIAL DIVISÃO DE MEDIÇÃO ADENDO 02 Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. Florianópolis, agosto de 2005.

Leia mais

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE ITA - 006 Rev. 0 Setembro / 2003 Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. CAIXA DE MEDIÇÃO EM 34, kv 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011 Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-18/10/2011 18/10/2011 ELABORAÇÃO Marcelo Poltronieri SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3 3. OBJETIVO...

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO Código: 0 RES nº 085/2012, Página 1 RES nº 085/2012, ÍNDICE CAPÍTULOS Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. CONCEITOS 5 4. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 6 4.1 Notas Gerais 6 4.2 Condutores e Edificações 7 4.3

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO COMPACTA (REDE COMPACTA SPACER CABLE) VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3

Leia mais

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica CEMAR NORMA DE PROCEDIMENTOS Função: Área: Processo: Código: Técnica Técnica Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica NP-12.306.02 Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-17/09/2012 22/10/2012 ENGENHARIA E SISTEMAS TÉCNICOS (DTES-ES) APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI (DTES-ES) SUMÁRIO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO MATERIAL CÂMARA TRANSFORMADORA Unid. Quant. V. unit.r$ V. TotalR$ Placa de

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2 NORMA TÉCNICA CELG Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição NTC-18 Revisão 2 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

Lista de Materiais para a Arena Desenho da estrutura

Lista de Materiais para a Arena Desenho da estrutura Lista de Materiais para a Arena Desenho da estrutura Desenho da estrutura (detalhes) Lista de materiais para Arena V RODEIO NACIONALDE ELETRICISTAS Lista de Materias para Arena Item Descrição Quantidade

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

Iguaçu Distribuidora de Energia Elétrica Ltda.

Iguaçu Distribuidora de Energia Elétrica Ltda. Iguaçu Distribuidora de Energia Elétrica Ltda. NORMA PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA REDE DE DISTRIBUIÇÃO SECUNDÁRIA BT MULTIPLEXADA 1ª edição Versão 1.0 out/09 [Digite texto] MEDIDAS DE CONTROLE Revisão:

Leia mais

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico Padrão de Entrada COELBA Informações do site www.coelba.com.br Padrão de Entrada é o conjunto de instalações composto de caixa de medição, sistema de aterramento, condutores e outros acessórios indispensáveis

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Norma Processo Planejar, Ampliar e Melhorar a Rede Elétrica Atividade Elabora Projetos e Orçamentos / Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.03-00.06 1ª Folha 1 DE 48 30/07/2013

Leia mais

www.siemens.com.br/3nj4 Sentron 3NJ4 e 3NJ5 Seccionadores Fusíveis Verticais Maior segurança em soluções compactas

www.siemens.com.br/3nj4 Sentron 3NJ4 e 3NJ5 Seccionadores Fusíveis Verticais Maior segurança em soluções compactas www.siemens.com.br/3nj4 Sentron 3NJ4 e 3NJ5 Seccionadores Fusíveis Verticais Maior segurança em soluções compactas Verticais SENTRON Maior segurança em soluções compactas SENTRON: Dispositivos para distribuição

Leia mais

ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO

ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO ANEXO III 1. ATIVIDADES DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO URBANA (FATORES BÁSICOS GLOBAIS) Poste a Instalar Completo: Corresponde à instalação de um poste equipado, podendo incluir

Leia mais

ANEXO II. MATERIAIS RDS ( Inclusive mão de obra, tributos e encargos necessários para execução)

ANEXO II. MATERIAIS RDS ( Inclusive mão de obra, tributos e encargos necessários para execução) ANEXO II PLANILHA ORÇAMENTÁRIA DE CUSTOS PROPONENTE: OBRA: PARQUE DE EVENTOS - ILUMINAÇÃO ( OBRAS DE EXTENSÃO DE REDE, ILUMINAÇÃO PÚBLICA E/OU ADEQUAÇÃO DE REDE ELÉTRICA) LOCAL: RUA ANTÔNIO AUGUSTO MENDES

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CADASTRO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.DT.PDN.03.14.001 03 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA E CADASTRO (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO www.celesc.com.br PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL

Leia mais

São identificadas pelas características inerentes aos sistemas de distribuição:

São identificadas pelas características inerentes aos sistemas de distribuição: Capítulo2 CHAVE-FUÍVEI PARA PROTEÇÃO DE ALIMENTADORE E TRANFORMADORE 2.1 Introdução Classicamente, os sistemas de distribuição primários, aéreos, trifásicos e aterrados, constituídos por condutores nus,

Leia mais

NORMA TÉCNICA. NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv. Cuiabá Mato Grosso - Brasil

NORMA TÉCNICA. NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv. Cuiabá Mato Grosso - Brasil NORMA TÉCNICA NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv Cuiabá Mato Grosso - Brasil APRESENTAÇÃO 1- OBJETIVO...04 2- CAMPO DE APLICAÇÃO...04

Leia mais

PADRÃO DE ESTRUTURA PE 031 R 03 REDE PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA DE ENERGIA ELÉTRICA URBANA E RURAL

PADRÃO DE ESTRUTURA PE 031 R 03 REDE PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA DE ENERGIA ELÉTRICA URBANA E RURAL PADRÃO DE ESTRUTURA PE 031 R 03 REDE PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA DE ENERGIA ELÉTRICA URBANA E RURAL DOCUMENTO NORMATIVO Código PADRÃO DE ESTRUTURA PE - 031 Página I REDE PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA

Leia mais

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço 1 Entrada de energia DEFINIÇÕES Instalação de responsabilidade do consumidor, compreendendo ramal de entrada, poste particular ou pontalete, caixas, dispositivos de proteção, eletrodo de aterramento e

Leia mais

CONTRATAÇÃO DO MÊS DE MARÇO 2013

CONTRATAÇÃO DO MÊS DE MARÇO 2013 GÃO ELETRONICO 000/0 999/0 0/0/0 MESES ATÉ 0/0/ JOÃO DE BARRO COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA - ME FORNECIMENTO DE RECARGAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO GLP, EM RECIPIENTES (BOTIJAS) DE CAPACIDADE KG E 0KG.9,00.9,00

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA

MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA CLIENTE: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS- DR/PE CNPJ 34.028.316/0021-57 LOCAL: AVENIDA GUARARAPES Nº250-SANTO ANTÕNIO RECIFE-PE.

Leia mais

NORMA TÉCNICA PADRÃO DE ESTRUTURAS DE REDE AÉREA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEX NTD-07

NORMA TÉCNICA PADRÃO DE ESTRUTURAS DE REDE AÉREA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEX NTD-07 NORMA TÉCNICA PADRÃO DE ESTRUTURAS DE REDE AÉREA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEX NTD-07 PÁG. APRESENTAÇÃO... 0/55. OBJETIVO... 0/55. AMPLITUDE... 0/55. RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO... 0/55 4.

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO COMPACTA PROTEGIDA CLASSE 15 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA página APRESENTAÇÃO 1. OBJETIVO...03 2. CAMPO DE APLICAÇÃO...03

Leia mais

DECISÃO TÉCNICA DT-025/2013 R-00

DECISÃO TÉCNICA DT-025/2013 R-00 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DA REDE /2013 DECISÃO TÉCNICA /2013 R- PARA FORMAR UM BANCO TRIFÁSICO FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO A presente Decisão Técnica apresenta critérios para instalação

Leia mais

COELCE DECISÃO TÉCNICA CRITÉRIO PARA INSTALAÇÃO DT - 106 RELIGADOR AUTOMÁTICO TRIFÁSICO DE 15 KV USO EM POSTE

COELCE DECISÃO TÉCNICA CRITÉRIO PARA INSTALAÇÃO DT - 106 RELIGADOR AUTOMÁTICO TRIFÁSICO DE 15 KV USO EM POSTE DECISÃO TÉCNICA CRITÉRIO PARA INSTALAÇÃO DT - 16 RELIGADOR AUTOMÁTICO TRIFÁSICO DE 15 KV USO EM POSTE DOCUMENTO NORMATIVO DA TRANSMISSÃO DESIM -896-1 I JUN/1 Í N D I C E 1 OBJETIVO...1 2 NORMAS E TRABALHOS...1

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW Relés de Sobrecarga Térmico RW Informações Gerais - Local para identificação - Tecla Reset + Multifunção

Leia mais

REV. Página 1 de 14 DOC. IT CERON NORMA TÉCNICA DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE SISTEMAS N.º 002.11

REV. Página 1 de 14 DOC. IT CERON NORMA TÉCNICA DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE SISTEMAS N.º 002.11 . REV. Página de 4. OBJETIVO. NORMAS E/OU DOCUMENTOS COMPLEMENTARES. DEFINIÇÕES 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 6. INSPEÇÃO 7. VIGÊNCIA. APROVAÇÃO . REV. Página de 4. OBJETIVO.. Esta norma

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS FORNECIMENTO EM TENSÃO PRIMÁRIA REDES COMPACTAS

REGULAMENTO DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS FORNECIMENTO EM TENSÃO PRIMÁRIA REDES COMPACTAS REGULAMENTO DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS FORNECIMENTO EM TENSÃO PRIMÁRIA REDES COMPACTAS 3ª Edição Versão 1.0 Fevereiro/2012 1 Responsáveis Técnicos pela revisão: Fabiano Casanova Schurhaus Engenheiro Eletricista

Leia mais

LEIA TODO O CONTEÚDO DESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO

LEIA TODO O CONTEÚDO DESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO ELETRIFICADOR DE CERCA EC- rural MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO LEIA TODO O CONTEÚDO DESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO Esta página foi intencionalmente deixada em branco. CUIDADOS NA INSTALAÇÃO

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título ENCARGOS DE SERVIÇOS CONTRATADOS EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO E TABELA DE MÃO DE OBRA

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título ENCARGOS DE SERVIÇOS CONTRATADOS EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO E TABELA DE MÃO DE OBRA PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título ENCARGOS DE SERVIÇOS CONTRATADOS EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO E TABELA DE MÃO DE OBRA Código NTD-00.073 Data da emissão 31.12.2003 Data da última revisão 30.11.2010 Folha

Leia mais

holec System T-60 Sistema de barramento a l t a s e g u r a n ç a n a b a i x a t e n s ã o

holec System T-60 Sistema de barramento a l t a s e g u r a n ç a n a b a i x a t e n s ã o a l t a s e g u r a n ç a n a b a i x a t e n s ã o 1 Suporte de barramento tripolar T 610 630 A Suporte de barramento para barra de Neutro T 611 Características técnicas O foi projetado para permitir

Leia mais

ANEXO VIII PREÇO DE REFERÊNCIA EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2015

ANEXO VIII PREÇO DE REFERÊNCIA EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2015 PREÇO DE REFERÊNCIA EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2015 1. VALOR DE REFERÊNCIA PARA A LICITAÇÃO O valor de referência para a contratação objeto deste edital é de 157.737,40 (cento e cinquenta e sete

Leia mais

PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI

PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI 1 - NOME DO CURSO: Projetos de RDI / RDP: RDI: Redes de Distribuição Aéreas Isoladas; RDP: Redes de Distribuição Aéreas Protegidas (Compactas). 2 - ÁREA: Eletrotécnica Sub

Leia mais

isto é Magnet! 50 anos priorizando a qualidade,

isto é Magnet! 50 anos priorizando a qualidade, Catálogo 2012 50 anos priorizando a qualidade, isto é Magnet! Em 2012, a Magnet completa 50 anos de atividades, história que começou com a sua fundação, em 1962, na cidade de São Paulo, com uma produção,

Leia mais

Romagnole. Energia que transforma.

Romagnole. Energia que transforma. C at á lo g o d e f e r r ag e n s energia é o núcleo dos acontecimentos, a mãe das transformações, o berço do desenvolvimento. É o princípio e o meio para fins cada vez mais audaciosos, complexos e importantes

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Bornes Linha BTW

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Bornes Linha BTW Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Bornes Linha BTW Índice - Linha BTWP Bornes Terminais com Conexão Tipo Parafuso BTWP 2,5 pág. 11 BTWP 4 pág. 11 BTWP 6 pág. 11 BTWP 10 pág. 12

Leia mais

TABELA DE REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS

TABELA DE REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS TABELA DE REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS ANEXO II 1. REDE DE DISTRIBUIÇÃO URBANA (RDU) Os serviços de Melhoria e Ampliação de Rede de Distribuição Urbana executados conforme projeto executivo elaborado serão

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 Página 1 de 1 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL 1.OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema

Leia mais

POSTE DE CONCRETO PARA APLICAÇÃO EM ENTRADAS DE SERVIÇO

POSTE DE CONCRETO PARA APLICAÇÃO EM ENTRADAS DE SERVIÇO Exigências Mínimas 1 Objetivo Estabelecer as condições mínimas para construção de postes de concreto armado ou concreto protendido, destinados à utilização em entradas de serviço de unidades consumidoras,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto básico de manutenção em rede de 13,8kV interna do Campus A. C. Simões.

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto básico de manutenção em rede de 13,8kV interna do Campus A. C. Simões. MEMORIAL DESCRITIVO Projeto básico de manutenção em rede de 13,8kV interna do Campus A. C. Simões. Projeto Básico 1- Objetivo O objetivo deste projeto é prover os requisitos mínimos para a execução dos

Leia mais

NORMA TÉCNICA NTC 010

NORMA TÉCNICA NTC 010 COMPANHIA CAMPOLARGUENSE DE ENERGIA COCEL NORMA TÉCNICA 010 CAIXA PARA EQUIPAMENTOS DE MEDIÇÃO E DE DISTRIBUIÇÃO CENTRO DE MEDIÇÃO MODULADO Divisão de Medição e Fiscalização Emissão: 2015 Versão: 01/2015

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, URBANA COM CABOS COBERTOS EM ESPAÇADORES CLASSE 15 kv página APRESENTAÇÃO 1. OBJETIVO...03 2.

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA Código NTD-00.024 Data da emissão 05.11.2009 Data da última

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO - REDE ELÉTRICA

MEMORIAL DESCRITIVO - REDE ELÉTRICA MEMORIAL DESCRITIVO - REDE ELÉTRICA ÍNDICE 1 Descrição do Empreendimento 2 Normas Técnicas 3 Características Básicas da Rede Elétrica 4 Previsões de Cargas 5 Entrada de Energia em Baixa Tensão 6 Considerações

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$ ANEXO 2 Planilha Orçamentária Estimativa de Quantitativos e Preços Máximos Global e Unitários LOTE ÚNICO ESPECIFICAÇÃO DO ITEM Qtde. Unitário R$ Total R$ 01 02 03 04 05 CHAVE NIVEL TIPO BOIA,ATUACAO: ALARME

Leia mais

Canoas, 20 de julho de 2010.

Canoas, 20 de julho de 2010. PROJETO DE SUBESTAÇÃO TRANSFORMADORA ABRIGADA DE 112,5 KVA COM RAMAL DE ENTRADA SUBTERRÂNEO E MEDIÇÃO INDIRETA EM FORNECIMENTO DE TENSÃO PRIMÁRIA DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA. LOTEAMENTO CAPRI RUA DR.

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Edição Data Alterações em relação à edição anterior Projeto de Rede de Distribuição Aérea Compacta - 13,8kV Processo Planejar, Ampliar e Melhorar a Rede Elétrica Atividade Elaborar Projetos e Orçamentos / Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.03-00.05

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Capítulo 4 Parte 2 Condutores elétricos: 1. semestre de 2011 Abraham Ortega Número de condutores isolados no interior de um eletroduto Eletroduto é um elemento de linha elétrica fechada,

Leia mais

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS NORMA TÉCNICA NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS Cuiabá Mato Grosso - Brasil INDICE 1 OBJETIVO...03

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade)

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade) PROJETO ELÉTRICO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA BAHIA CEFET - BA MEMORIAL DESCRITIVO Este projeto visa a unificação de medição de média tensão, reforma da subestação II e instalação de alimentadores

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD 2.0

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD 2.0 NTD 2.0.07 REDES SECUNDÁRIAS ISOLADAS RSI PADRÕES BÁSICOS DE 5ª EDIÇÃO AGOSTO-2011 DIRETORIA DE ENGENHARIA SUPERINTENDENCIA DE PLANEJAMENTO E PROJETOS GERÊNCIA DE NORMATIZAÇÃO E TECNOLOGIA 1/34 NORMA TÉCNICA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO.

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO. OBRA: COL. EST. RESIDENCIAL SÃO PEDRO - PROJETO PADRÃO SECULO XXI. LOCAL: - Rua Tucunaré com Rua Pacu e Avenida Astolpho Leão Borges APM-05, Residencial São Pedro Goianira - GO ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO DOP

DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO DOP ANEXO IX GLOSSÁRIO 1. GLOSSÁRIO RELACIONADO À SEGURANÇA NO TRABALHO Acidente sem vítima: é aquele que provoca efeitos negativos ao patrimônio, tais como: Danos a equipamentos importantes do sistema elétrico

Leia mais

PV-2200 MANUAL DE INSTRUÇÃO

PV-2200 MANUAL DE INSTRUÇÃO Pág.:1 MÁQUINA: MODELO: NÚMERO DE SÉRIE: ANO DE FABRICAÇÃO: O presente manual contém instruções para instalação e operação. Todas as instruções nele contidas devem ser rigorosamente seguidas do que dependem

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO. Título. Medidor Eletrônico de Energia Elétrica Quatro Quadrantes de Múltiplas Funções Medição Indireta

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO. Título. Medidor Eletrônico de Energia Elétrica Quatro Quadrantes de Múltiplas Funções Medição Indireta 1 Usuários: Divisão de Medição e Proteção da Receita, Gerências e Centros Regionais. SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 3. DEFINIÇÕES 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS

Leia mais

NTD-12 MONTAGEM DE REDES AÉREAS SECUNDÁRIAS ISOLADAS COM CABOS MULTIPLEXADOS

NTD-12 MONTAGEM DE REDES AÉREAS SECUNDÁRIAS ISOLADAS COM CABOS MULTIPLEXADOS NTD-1 APRESENTAÇÃO 4 1. OBJETIVO 5. AMPLITUDE 5 3. RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO 5 4. CONCEITUAÇÃO 5 4.1. REDE DE DISTRIBUIÇÃO 5 4.. REDE DE DISTRIBUIÇÃO URBANA RDU 5 4.3. REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

No DATA DISCRIMINAÇÃO DA REVISÃO REVISOR APROVAÇÃO

No DATA DISCRIMINAÇÃO DA REVISÃO REVISOR APROVAÇÃO PADRÃO DE MEDIÇÃO INDIVIDUAL DE CLIENTES EM BAIXA TENSÃO Diretoria Técnica Gerência de Planejamento e Egenharia Processo de Engenharia e Obras 3$'5 2'(0(',d 2,1',9,'8$/'(&/,(17(6 (0%$,;$7(16 2 No DATA

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO Instalação Nobreak 60 KVA - 380 V PROPRIETÁRIO: Procuradoria Geral de Justiça. 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO DADOS DO PROPRIETÁRIO

Leia mais