NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028"

Transcrição

1 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE MONTAGEM DE S PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, RURAL, COM CONDUTORES NUS - 13,8 E 34,5 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA

2 INDICE 1- OBJETIVO AMPLITUDE RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO INSTRUÇÕES GERAIS PROCEDIMENTOS Afastamentos padronizados Engastamento de postes Engastamento de estai de âncora em solo firme Engastamento de estai de âncora em rocha Engastamento de estai de âncora em pântano Dispositivo de segurança para estai de âncora Montagem de estai primário de contra-poste com engastamento reforçado Montagem de estai primário de contra-poste com egastamento simples Isolamento de estai de âncora Estruturas primárias padronizadas Postos de transformação Montagens básicas para transformadores Fixação dos pára-raios no tanque do transformador Malha de aterramento Detalhes sobre as conexões à terra Aterramento de cercas paralelas à rede de distribuição Aterramento de cercas transversais à rede de distribuição Aterramentos de cercas próximas a malhas de terra de postos de transformação Tabelas de flechas de montagem Tabela de trações horizontais de montagem Gráficos para definição de estruturas Gabaritos de Catenária VIGÊNCIA ELABORAÇÃO APROVAÇÃO NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/2010 2/164

3 APRESENTAÇÃO Nesta Norma Técnica são apresentadas as instalações básicas padronizadas para montagem de redes primárias aéreas, trifásicas e monofásicas com retorno pela terra MRT, para distribuição de energia elétrica em áreas rurais, empregando isoladores tipo pilar aplicados diretamente em postes de concreto. Estabelece também alguns critérios relativos à elaboração dos projetos da redes antes citadas. NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/2010 3/164

4 1. OBJETIVO Estabelecer um padrão básico para montagem de redes de distribuição aérea rural, em sistemas trifásicos e monofásicos com retorno pela terra - MRT, com isoladores tipo pilar aplicados diretamente nos postes de concreto, de modo a assegurar condições técnicas e econômicas favoráveis às instalações e a qualidade do serviço de energia elétrica. 2. AMPLITUDE Aplica-se à construção, extensão e reforma de redes de distribuição de energia elétrica aéreas trifásicas e monofásicas-mrt, localizadas em regiões com características rurais dentro da área de concessão da CEMAT, nas tensões nominais primárias de 13,8 e 34,5 kv. Esta Norma não se aplica ao Pantanal de Mato Grosso, em cuja área as redes aéreas de distribuição devem obedecer ao disposto no PTD-25 Construção de redes de distribuição na área do Pantanal Matogrossense. 3. RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO A todas as áreas responsáveis pela construção, projeto, manutenção, operação e inspeção de redes de distribuição, dentro da área de concessão da Cemat, cabe zelar pelo cumprimento das prescrições desta norma. 4. INSTRUÇÕES GERAIS 4.1. O presente padrão estabelece as instalações básicas. Eventualmente o projeto terá que alterar ou completar detalhes para atender casos particulares possíveis de acontecer numa construção Os desenhos apresentados mostram a montagem das estruturas em postes DT e com cadeias com dois isoladores de disco, correspondentes à tensão de 13,8 kv, contudo, as relações de materiais contemplam também os postes circulares e a tensão de 34,5 kv. NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/2010 4/164

5 4.3. Para aplicação das estruturas constantes nesta norma devem ser consultados os ábacos e tabelas anexas, observando-se que por ocasião da construção é imperativa a aplicação de trações adequadas nos cabos, bem como, a checagem das flechas, principalmente nos vãos que estão nos limites de aplicabilidade, conforme definidos nos ábacos para aplicação de estruturas Em estruturas com instalação de equipamentos não é permitido a instalação de estais Os condutores padronizados nesta Norma são os seguintes: Bitola (AWG) Tipo Seção (mm2) Cabos de alumínio com alma de aço - CAA Bitola (AWG) 2 24,66 2 1/0 Cabo 39,25 1/0 4/0 125,08 4/0 Formação Condutividade equivalente mínima da seção transversal (IACS) 6 fios Al x 1 fio aço 63 % Condutor Tipo Seção (mm2) Condutores alumosteel - AS Bitola (AWG) Formação Condutividade equivalente mínima da seção transversal (IACS) 1N8 8, x 8 AWG 20,3 % 1N5 Fio 16, x 5 AWG 40 % 1N4 21, x 4 AWG 53 % 3N5 50,30 1/0 3 x 5 AWG 53 % Cabo 7N5 117,36 4/0 7 x 5 AWG 53 % Observação Os condutores 1N8 e 1N5 só devem ser aplicados nas seguintes situações: Condutor 1N8 NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/2010 5/164

6 para construção de ramais MRT dos quais não derivem outros sub-mais e não haja previsão para isso; Condutor 1N5 para construção de ramais MRT; para construção de ramais trifásicos dos quais não derivem outros sub-ramais e não haja previsão para isso Quando se tratar de sistemas com duas fases, as estruturas serão semelhantes as trifásicas, inclusive quanto ao seu dimensionamento mecânico, instalando os condutores nas posições das fases laterais As distâncias dos condutores ao solo referem-se às alturas mínimas nas condições de flecha máxima (a 60 ºC), para a fase fixada na estrutura com a menor cota em relação ao solo As conexões deverão ser feitas somente empregando-se conectores do tipo cunha A proteção de sobrecorrentes deverá ser feita conforme previsto na Norma Técnica da CEMAT NTE-022 Ajustes, aplicação e coordenação de equipamentos de proteção de sobrecorrentes da distribuição A proteção contra sobretensões deverá ser feita através de pára raios de distribuição com desligador automático, invólucro e suporte poliméricos, de ZnO sem centelhadores e com as seguintes características elétricas básicas: Tensão nominal da rede (V) Tensão nominal do pára-raios (kv) Corrente nominal de descarga (ka) e e O arranjo e as dimensões da malha de aterramento de transformadores, religadores, reguladores de tensão e outros equipamentos, devem ser definidos através de projetos de aterramento específicos para cada caso. O arranjo e as NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/2010 6/164

7 dimensões do sistema de aterramento são mais importantes que o próprio valor da resistência de aterramento. Todavia devem ser adotados os valores máximos mostrados na tabela a seguir como forma de reduzir os gradientes de potencial no solo. Tensão nominal da rede (V) Transformador Transformador monofásico MRT (kva) trifásico e outros equipamentos Ohm Ohm 20 Ohm 20 Ohm 20 Ohm 20 Ohm Ohm Ohm 20 Ohm 20 Ohm 14 Ohm 9 Ohm As ligações e conexões à terra nos postos de transformação, deverão ser feitas conforme mostrado no item 5.14 relativo às entradas de serviço para transformadores MRT e transformadores trifásicos O seccionamento e aterramento de cercas de arame deverá ser feito conforme previsto nos itens 5.15, 5.16 e Limitação Geométrica Considerações gerais Ao contrário do que ocorre numa rede de distribuição urbana, a rede de distribuição rural geralmente apresenta vãos extensos o que nos força a considerar na sua montagem não só as limitações mecânicas mas também as de ordem geométrica. Assim, a topografia do terreno assume um papel de maior importância nas redes rurais que deverão satisfazer as duas condições geométricas seguintes: 1. Não permitir esforços verticais ascendentes (arrancamento); 2. Manter os condutores a uma distância mínima de segurança em relação ao solo (cabo baixo) Gabarito de Catenária O Gabarito de Catenária é composto basicamente de 3 (três) curvas que simulam o comportamento geométrico dos condutores em relação ao perfil do terreno. Essas curvas são definidas para determinados parâmetros de operação das redes. 1. Curva de flecha mínima calculada para a temperatura de 5 C, vento nulo e módulo de elasticidade e coeficiente de dilatação linear iniciais, para determinado NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/2010 7/164

8 vão básico utilizada para verificar a condição de arrancamento de uma estrutura em relação às estruturas adjacentes a ela; 2. Curva de flecha máxima calculada para a temperatura de 60 C, vento nulo e módulo de elasticidade e coeficiente de dilatação linear finais para determinado vão básico utilizada para verificar a condição de cabo baixo; 3. Linha do solo curva auxiliar para verificação de cabo baixo, traçada paralelamente à curva de flecha máxima utilizada para indicar a posição do solo de forma que o afastamento mínimo entre este e o condutor seja obedecido Critério da flecha constante As curvas dos gabaritos aqui referidos e adiante mostrados, foram obtidas aplicandose o critério da flecha constante, ou seja, para um mesmo comprimento de vão e a mesma temperatura, na condição sem vento, a flecha é a mesma para todas as bitolas do cabo básico. O critério da flecha constante permite: 1º - Reduzir ao mínimo a quantidade de gabaritos a serem empregados nos projetos de RDR; 2º - Favorecer a construção de circuitos duplos com condutores de bitolas diferentes; 3º - Favorecer a troca de bitola de condutores em redes existentes Gabaritos padronizados Os gabaritos padronizados foram plotados na escala horizontal 1:0 e na escala vertical 1:, portanto os projetos das redes devem ser feitos nessas mesmas escalas. Os gabaritos estão mostrados no item Estão disponíveis em: - Chapa plástica transparente - para uso em projetos feitos manualmente em papel e podem ser adquiridos em nossas Agências Comerciais; - Em meio magnético (Auto-Cad) para uso em projetos feitos via computador e podem ser solicitados no seguinte endereço eletrônico 1. Gabaritos para - CABO CAA Gabarito Vão básico (m) Aplicação Nº Curva Curva 60 C 5 C Cabo baixo Arrancamento Vãos reguladores até 110 m Somatória vãos adjacentes até 160 m Vãos regulad. entre 100 e 150 m Somatória vãos adjacentes até 220 m Vãos regulad. entre 120 e 180 m Somatória vãos adjacentes até 260 m Vãos reguladores entre 150 e Somatória vãos adjacentes entre 220 e 240 m m Vãos reguladores maiores que Somatória vãos adjacentes entre 240 e 150 m 320 m NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/2010 8/164

9 2. Gabaritos para fio alumosteel - FIO AS (Alumosteel) Gabarito Vão básico (m) Aplicação Nº Curva Curva 60 C 5 C Cabo baixo Arrancamento Vãos regulad. entre 100 e 150 m Somatória vãos adjacentes até 220 m Vãos regulad. entre 120 e 180 m Somatória vãos adjacentes até 260 m Vãos reguladores entre 150 e Somatória vãos adjacentes entre 220 e 240 m m Vãos reguladores maiores que Somatória vãos adjacentes entre 240 e 150 m 320 m 3. Gabarito para cabo alumosteel - CABO AS (Alumosteel) Gabarito Vão básico (m) Aplicação Nº Curva Curva 60 C 5 C Cabo baixo Arrancamento Vãos reguladores até 110 m Somatória vãos adjacentes até 160 m Vãos regulad. entre 100 e 150 m Somatória vãos adjacentes até 220 m Vãos regulad. entre 120 e 180 m Somatória vãos adjacentes até 260 m Vãos reguladores entre 150 e Somatória vãos adjacentes entre 220 e 240 m m Vãos reguladores maiores que Somatória vãos adjacentes entre 240 e 150 m 320 m 5. PROCEDIMENTOS 5.1. Afastamentos padronizados As distâncias mínimas contidas nas tabelas nas 3 tabelas seguintes são sempre em relação às partes energizadas e não ao ponto de fixação Não são permitidas construções civis sob a rede de distribuição A largura da faixa de segurança é no mínimo 15 m, distribuídos em 7,5 m para cada lado do eixo da rede de distribuição. Permite-se nessa faixa de segurança apenas o plantio de culturas rasteiras e veda-se a construção de edificações e assemelhados, atendendo-se assim aos requisitos de segurança de pessoas e bens. NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/2010 9/164

10 5.1.4 Afastamentos padronizados do primário Os afastamentos padronizados para montagem das estruturas primárias estão indicados nos próprios desenhos das estruturas. ENTRE CONDUTORES DE CIRCUITOS DIFERENTES TENSÃO NOMINAL- E ( kv) DISTÂNCIA MÍNIMA (mm) CIRCUITO SUPERIOR CIRCUITO INFERIOR E 1 1 < E < E 36,2 COMUNICAÇÃO E < E E 36, TENSÃO NOMINAL- E (kv) ENTRE CONDUTORES E O SOLO DISTÂNCIA MÍNIMA (mm) COMUNICAÇÃO E NATUREZA DO CABOS ATERRADOS E 1 1 < E 36,2 LOGRADOURO Vias exclusivas de pedestres em áreas rurais Estradas rurais e áreas de plantio com tráfego de máquinas agrícolas Entradas de prédios e demais locais de uso restrito a veículos Rodovias federais Ferrovias não eletrificadas e não eletrificáveis ENTRE CONDUTORES DE UM MESMO CIRCUITO TENSÃO NOMINAL- E (kv) DISTÂNCIA VERTICAL MÍNIMA NA ESTRUTURA (mm) E 1 1 < E < E 36,2 Nota 1 Em ferrovias eletrificadas ou eletrificáveis, a distância mínima do condutor ao boleto dos trilhos é de 12 metros para tensões de até 36,2 kv, conforme ABNT Nota 2 Para tensões superiores a 36,2 kv consultar a ABNT, NBR Nota 3 - Em rodovias estaduais, a distância mínima do condutor ao solo deve obedecer à legislação específica do órgão estadual. Na falta de regulamentação estadual, obedecer aos valores contidos na tabela de afastamentos entre condutores e o solo contida neste item. NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

11 5.2. Engastamento de postes ENGASTAMENTO DE POSTE Sentido do esforço Solo socado em camadas de 20 cm L A B E E E B CORTE AB A 50 Concreto Traço 1:3:5 (ver obs 3 e 4) 20 A Placa de concreto ou tora de madeira Dv 1-ENGASTAMENTO SIMPLES Dv CORTE AB 2-ENGASTAMENTO COM BASE CONCRETADA Dv CORTE AB 3 -ENGASTAMENTO REFORÇADO OBS: 1 - Medidas em centimetros 2- A profundidade do engastamento é calculada por E = L x 0, Refere-se a 1 volume de cimento Portland, 3 de areia e 5 de pedra britada n.o. 2. O tempo de cura não deve ser inferior a 12 dias. 4- Para evitar a aderência do concreto no poste, (base concretada), envolver o poste com plástico ou com a própria embalagem do cimento. NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

12 5.3. Engastamento de estai de âncora em solo firme M1 Y1 Terra Removida 150 N1 Solo não atingido pela Escavação 160 minimo H3 50 L1 Solo não atingido pela Escavação Terra Removida Só escavar o suficiente para A Haste de âncora Observação 1- Medidas em centímetros Item Código ESTAI DE ÂNCORA EM SOLO FIRME Descrição Quantidade Poste DT Poste Circular H Haste, âncora, 16 mm, 2400 mm, aço carbono L Placa, concreto, estai de subsolo, X 100 X mm, 1 furo, 19 mm 1 1 M Sapatilha, aço carbono, 75 mm, 18 mm, 20 mm, 3 mm 2 2 N1 45 Alça, preformada de estai, para cordoalha de aço de 7.9 mm 2 2 Y1 912 Cordoalha, aço, zincado, 7.9 mm, 7 fios, SM, V V H2 544 Chapa, fixação de estai, aço carbono , zincado a quente 1 1 V = quantidade variável NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

13 5.4. Engastamento de estai de âncora em rocha Terra compactada 10 mínimo H3 45 M1 N1 Y1 Ver observação 2 Solo não atingido pela Escavação 50 mínimo Rocha Concreto - traço 1:1,5 (Ver obs. 3) 5 Ver observação -4 Observação 1- Medidas em centímetros 2 -A parte dobrada da haste de âncora, deverá ser engastada no concreto a uma profundidade mínima de 10 cm 3- Refere-se a um volume de cimento e 1,5 de areia 4- A haste deve ser instalada com 2 porcas, para garantir que todos os filetes da rosca da porca absorvam os esforços aplicados à haste Item Código ESTAI DE ÂNCORA EM ROCHA Descrição Quantidade Poste DT Poste Circular H Haste, âncora, 16 mm, 2400 mm, aço carbono M Sapatilha, aço carbono, 75 mm, 18 mm, 20 mm, 3 mm 2 2 N1 45 Alça, preformada de estai, para cordoalha de aço de 7.9 mm 2 2 Y1 912 Cordoalha, aço, zincado, 7.9 mm, 7 fios, SM, Nota 1 Nota 1 H2 544 Chapa, fixação de estai, aço carbono , zincado a quente 1 1 Cimento V V Areia V V Nota1: Material depende da aplicação V = quantidade variável NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

14 5.5. Engastamento de estai de âncora em pântano M1 Y1 N1 Ver observação 2 45 H3 10 Solo não atingido pela Escavação 100 minimo Concreto - traço 1:3:5 (Ver observação 3) Ver observação Mínimo Observação 1- Medidas em centímetros 2 -A parte dobrada da haste de âncora, deverá ser engastada no concreto a uma profundidade mínima de 10 cm 3- Refere-se a um volume de cimento, 3 de areia e 5 de pedra britada 4- A haste deve ser instalada com 2 porcas, para garantir que todos os filetes da rosca da porca absorvam os esforços aplicados à haste Item Código ESTAI DE ÂNCORA EM PÂNTANO Descrição Quantidade Poste DT Poste Circular H Haste, âncora, 16 mm, 2400 mm, aço carbono M Sapatilha, aço carbono, 75 mm, 18 mm, 20 mm, 3 mm 2 2 N1 45 Alça, preformada de estai, para cordoalha de aço de 7.9 mm 2 2 Y1 912 Cordoalha, aço, zincado, 7.9 mm, 7 fios, SM, Nota 1 Nota 1 H2 544 Chapa, fixação de estai, aço carbono , zincado a quente 1 1 Cimento V V Areia V V Pedra britada V V Nota1: Material depende da aplicação V = quantidade variável NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

15 5.6. Dispositivo de segurança para estai de âncora G1, G2, G3 H1 M1 Y N1 H3 Observação 1- Medidas em centímetros 2- Para ser utilizado em estais do primário em áreas rurais agricultáveis, para dificultar, em caso de rompimento do cabo de aço, que o mesmo se aproxime da alta tensão. Item Código ESTAI DE ÂNCORA EM SOLO FIRME COM DISPOSITIVO DE SEGURANÇA Quantidade Descrição Poste DT Poste Circular H Haste, âncora, 16 mm, 2400 mm, aço carbono L Placa, concreto, estai de subsolo, X 100 X mm, 1 furo, 19 mm 1 1 M Sapatilha, aço carbono, 75 mm, 18 mm, 20 mm, 3 mm 2 2 N1 45 Alça, preformada de estai, para cordoalha de aço de 7.9 mm 2 2 Y1 912 Cordoalha, aço, zincado, 7.9 mm, 7 fios, SM, V V H2 544 Chapa, fixação de estai, aço carbono , zincado a quente 1 1 G1,G2,G3 Nota 1 Parafuso de cabeça quadrada 1 - Nota 1 Cinta circular Parafuso, cabeça abaulada, 50 mm, M16 X 2-1 Nota1: Material depende da aplicação V = quantidade variável NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

16 5.7. Montagem de estai primário de contra-poste com engastamento reforçado Solo não atingido pela escavação solo socado em camadas de 20 cm Observação Medidas em centímetros ESTAI DE CONTRA POSTE ENGASTAMENTO REFORÇADO Item Código Quantidade Descrição Poste DT Poste Circular L Placa, concreto, estai de subsolo, X 100 X mm, 1 furo, 19 mm 1 1 M Sapatilha, aço carbono, 75 mm, 18 mm, 20 mm, 3 mm 1 1 N1 45 Alça, preformada de estai, para cordoalha de aço de 7.9 mm 2 2 Y1 912 Cordoalha, aço, zincado, 7.9 mm, 7 fios, SM, V V H2 544 Chapa, fixação de estai, aço carbono , zincado a quente 1 1 G1,G2,G3 Nota 1 Parafuso de cabeça quadrada 1 - Nota 1 Cinta circular Parafuso, cabeça abaulada, 50 mm, M16 X 2-1 A Poste, concreto, duplo "T", 5 m, DAN (contra poste) 1 1 Nota1: Material depende da aplicação V = quantidade variável NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

17 5.8. Montagem de estai primário de contra-poste com engastamento simples Solo não atingido pela escavação Observação Medidas em centímetros solo socado em camadas de 20 cm ESTAI DE CONTRA POSTE ENGASTAMENTO SIMPLES Item Código Quantidade Descrição Poste DT Poste Circular M Sapatilha, aço carbono, 75 mm, 18 mm, 20 mm, 3 mm 1 1 N1 45 Alça, preformada de estai, para cordoalha de aço de 7.9 mm 2 2 Y1 912 Cordoalha, aço, zincado, 7.9 mm, 7 fios, SM, V V H2 544 Chapa, fixação de estai, aço carbono , zincado a quente 1 1 G1,G2,G3 Nota 1 Parafuso de cabeça quadrada 1 - Nota 1 Cinta circular Parafuso, cabeça abaulada, 50 mm, M16 X 2-1 A Poste, concreto, duplo "T", 5 m, DAN (contra poste) 1 1 Nota1: Material depende da aplicação V = quantidade variável NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

18 5.9. Isolamento de estai de âncora G1, G2, G3 H2 M1 N1 Y M N1 M1 OPÇÕES DE ISOLAMENTO DO ESTAI Isolador tipo bastão de porcelana Isolador tipo bastão polimérico Observação 1- Medidas em centímetros 2- Para utilização em estruturas onde o rompimento de jampers do primário possibilite a energização do estai Item Código ESTAI DE ÂNCORA ISOLADO EM SOLO FIRME Descrição Quantidade 13,8 KV 34,5 KV DT Circ. DT Circ. H Haste, âncora, 16 mm, 2400 mm, aço carbono L Placa, concreto, estai de subsolo, X 100 X mm, 1 furo, 19 mm M Sapatilha, aço carbono, 75 mm, 18 mm, 20 mm, 3 mm N1 45 Alça, preformada de estai, para cordoalha de aço de 7.9 mm Y1 912 Cordoalha, aço, zincado, 7.9 mm, 7 fios, SM, V V V V H2 544 Chapa, fixação de estai, aço carbono , zincado a quente G1,G2,G3 Nota 1 Parafuso de cabeça quadrada Nota 1 Cinta circular Parafuso, cabeça abaulada, 50 mm, M16 X P 1412 Isolador, disco, porcelana vitrificada, garfo olhal, 60 (MIN) KV 0 ou 2 0 ou 2 0 ou 2 0 ou 2 P Isolador, ancoragem, polimérico, garfo olhal, 15 KV, 110 KV, cinza claro, bastão 1 ou 0 1 ou 0 P Isolador, ancoragem, polimérico, garfo olhal, 36,2 KV, 170 KV, cinza, bastão 1 ou 0 1 ou 0 M 1662 Manilha, sapatilha, aço carbono forjado, 5000 DAN Nota1: Material depende da aplicação V = quantidade variável NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

19 K 1,K 2 H,G B NTE Estruturas primárias padronizadas NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

20 ESTRUTURA P1 F2,F3, F4 FASE B 10 D,E FASE A F2, F3, F4 50 ~80 (13,8 kv) ~110 (34,5 kv) 50 A 10 FASE C VISTA FRONTAL VISTA LATERAL OBS: 1- Medidas em centimetros; NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

21 MONTAGEM - Estrutura P1 ITEM PARA TENSÃO DE CÓDIGO OPERAÇÃO (kv) 13,8-DT 13,8-C 34,5-DT 34,5-C A Nota 1 Poste de concreto armado Seção DT ou Circular D Isolador pilar 110 kv 3 3 E Isolador pilar 170 kv 3 3 F Pino auto-travante 38 mm para isolador pilar Nota1: Material depende da aplicação FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO DT Estrutura P1 COMPRIMENTO (m) ITEM CÓDIGO POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) 150 F Pino auto-travante mm para isolador pilar F Pino auto-travante 250 mm para isolador pilar ITEM CÓDIGO FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO CIRCULAR Estrutura P1 COMPRIMENTO (m) POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) A Suporte para isolador pilar em poste circular Parafuso de cabeça abaulada de 50 mm Cinta circular de Ø 150 mm Cinta circular de Ø 160 mm Cinta circular de Ø 170 mm Cinta circular de Ø 180 mm Cinta circular de Ø 190 mm Cinta circular de Ø mm Cinta circular de Ø 210 mm Cinta circular de Ø 230 mm Cinta circular de Ø 240 mm Cinta circular de Ø 250 mm AMARRAÇÃO DO CONDUTOR E CONEXÃO Estrutura P1 CÓDIGO CONDUTOR BITOLA 2 CAA 1/0 CAA 4/0 CAA 1N5 AS 1N4 AS 3N5 AS 7N5 AS ITEM J Tabela 1 Laço pré-formado simples lateral 6 Tabela 1: Tabela de aplicação de laços pré-formados lateral AT CÓDIGO 2 CAA 1495 Laço pré-formado lateral para cabo 2 AWG CAA 1/0 CAA 1488 Laço pré-formado lateral para cabo 1/0 AWG CAA 4/0 CAA 1502 Laço pré-formado lateral para cabo 4/0 AWG CAA 1N5 AS Laço pré-formado lateral para cabo 1N5 AS 1N4 AS 1504 Laço pré-formado lateral para cabo 1N4 AS 3N5 AS 1488 Laço pré-formado lateral para cabo 3N5 AS 7N5 AS 1502 Laço pré-formado lateral para cabo 7N5 AS 150 NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

22 ESTRUTURA - PT 1 FASE B ~72 (13,8 kv) ~95 (34,5 kv) D,E 15 FASE A F2,F3, F4 20 G2,G3,G4,G5 F2, F3, F4 FASE C 40 H ~75 (13,8 kv) ~110 (34,5 kv) 10 A VISTA FRONTAL VISTA LATERAL OBS: 1- Medidas em centimetros; NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

23 MONTAGEM - Estrutura PT1 ITEM CÓDIGO PARA TENSÃO DE OPERAÇÃO (kv) 13,8-DT 13,8-C 34,5-DT 34,5-C A Nota 1 Poste de concreto armado Seção DT ou Circular D Isolador pilar 110 kv 3 3 E Isolador pilar 170 kv 3 3 A Suporte para isolador tipo pilar F Pino auto-travante 38 mm para isolador pilar H 3245 Arruela quadrada Nota1: Material depende da aplicação ITEM CÓDIGO POSTE FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO DT- Estrutura PT1 COMPRIMENTO (m) RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ / F Pino auto-travante mm para isolador pilar F Pino auto-travante 250 mm para isolador pilar G Parafuso de cabeça quadrada de mm 2 2 G Parafuso de cabeça quadrada de 250 mm ITEM CÓDIGO FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO CIRCULAR- Estrutura PT1 COMPRIMENTO (m) POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) A Suporte para isolador pilar em poste circular Parafuso de cabeça abaulada de 50 mm Cinta circular de Ø 150 mm Cinta circular de Ø 160 mm Cinta circular de Ø 170 mm Cinta circular de Ø 180 mm Cinta circular de Ø 190 mm Cinta circular de Ø mm Cinta circular de Ø 210 mm Cinta circular de Ø 230 mm Cinta circular de Ø 240 mm Cinta circular de Ø 250 mm AMARRAÇÃO DO CONDUTOR E CONEXÃO Estrutura PT1 ITEM CÓDIGO CONDUTOR BITOLA 2 CAA 1/0 CAA 4/0 CAA 1N5 AS 1N4 AS 3N5 AS 7N5AS J Tabela 1 Laço pré-formado simples lateral 2 I Tabela 2 Laço pré-formado de topo 1 Tabela 1: Tabela de aplicação de laços pré-formados lateral AT CÓDIGO 2 CAA 1495 Laço pré-formado lateral para cabo 2 AWG CAA 1/0 CAA 1488 Laço pré-formado lateral para cabo 1/0 AWG CAA 4/0 CAA 1502 Laço pré-formado lateral para cabo 4/0 AWG CAA 1N5 AS Laço pré-formado lateral para cabo 1N5 AS 1N4 AS 1504 Laço pré-formado lateral para cabo 1N4 AS 3N5 AS 1488 Laço pré-formado lateral para cabo 3N5 AS 7N5 AS 1502 Laço pré-formado lateral para cabo 7N5 AS 150

24 Tabela 2: Tabela de aplicação de laços pré-formados de topo AT CÓDIGO 2 CAA 1427 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 2 AWG para isolador de pescoço 57 mm 1/0 CAA 1425 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 1/0 AWG para isolador de pescoço 57 mm 4/0 CAA 1429 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 4/0 AWG para isolador de pescoço 57 mm 1N5 AS Laço pré-formado distribuição para cabo 1N5 AS para isolador de pescoço 57 mm 1N4 AS 1430 Laço pré-formado distribuição para cabo 1N4 AS para isolador de pescoço 57 mm 3N5 AS 1425 Laço pré-formado distribuição para cabo 3N5 AS para isolador de pescoço 57 mm 7N5 AS 1429 Laço pré-formado distribuição para cabo 7N5 AS para isolador de pescoço 57 mm NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

25 FASE B ESTRUTURA - PTA 1 ~100 (13,8 kv) ~120 (34,5 kv) D,E G3, G4, G5 50 FASE A FASE C 10 ~85 (13,8 kv) ~120 (34,5 kv) VISTA FRONTAL VISTA LATERAL OBS Medidas em cm NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

26 MONTAGEM DA Estrutura PTA1 ITEM CÓDIGO PARA TENSÃO DE OPERAÇÃO (kv) 13,8-DT 13,8-C 34,5-DT 34,5-C A Nota 1 Poste de concreto armado Seção DT ou Circular D Isolador pilar 110 kv 3 3 E Isolador pilar 170 kv 3 3 A Suporte para isolador tipo pilar F Pino auto-travante 38 mm para isolador pilar A Afastador para isolador pilar H 3245 Arruela quadrada Nota1: Material depende da aplicação ITEM CÓDIGO FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO DT Estrutura PTA1 COMPRIMENTO (m) POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) G Parafuso de cabeça quadrada de mm 2 2 G Parafuso de cabeça quadrada de 250 mm G Parafuso de cabeça quadrada de mm G Parafuso de cabeça quadrada de 350 mm ITEM CÓDIGO FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO CIRCULAR Estrutura PTA1 COMPRIMENTO (m) POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) A Suporte para isolador pilar em poste circular Parafuso de cabeça abaulada de 50 mm Cinta circular de Ø 150 mm Cinta circular de Ø 170 mm Cinta circular de Ø 180 mm Cinta circular de Ø 190 mm Cinta circular de Ø mm Cinta circular de Ø 230 mm Cinta circular de Ø 240 mm AMARRAÇÃO DO CONDUTOR E CONEXÃO Estrutura PTA1 ITEM CÓDIGO CONDUTOR BITOLA 2 CAA 1/0 CAA 4/0 CAA 1N5 AS 1N4 AS 3N5 AS 7N5 AS J Tabela 1 Laço pré-formado simples lateral 2 I Tabela 2 Laço pré-formado de topo 1 Tabela 1: Tabela de aplicação de laços pré-formados lateral AT CÓDIGO 2 CAA 1495 Laço pré-formado lateral para cabo 2 AWG CAA 1/0 CAA 1488 Laço pré-formado lateral para cabo 1/0 AWG CAA 4/0 CAA 1502 Laço pré-formado lateral para cabo 4/0 AWG CAA 1N5 AS Laço pré-formado lateral para cabo 1N5 AS 1N4 AS 1504 Laço pré-formado lateral para cabo 1N4 AS 3N5 AS 1488 Laço pré-formado lateral para cabo 3N5 AS 7N5 AS 1502 Laço pré-formado lateral para cabo 7N5 AS NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

27 Tabela 2: Tabela de aplicação de laços pré-formados de topo AT CÓDIGO 2 CAA 1427 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 2 AWG para isolador de pescoço 57 mm 1/0 CAA 1425 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 1/0 AWG para isolador de pescoço 57 mm 4/0 CAA 1429 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 4/0 AWG para isolador de pescoço 57 mm 1N5 AS Laço pré-formado distribuição para cabo 1N5 AS para isolador de pescoço 57 mm 1N4 AS 1430 Laço pré-formado distribuição para cabo 1N4 AS para isolador de pescoço 57 mm 3N5 AS 1425 Laço pré-formado distribuição para cabo 3N5 AS para isolador de pescoço 57 mm 7N5 AS 1429 Laço pré-formado distribuição para cabo 7N5 AS para isolador de pescoço 57 mm NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

28 ESTRUTURA P3 G2, G3,G 4,G5 FASE B 15 Q P, P1, P2 M N 70 O FASE A H 70 FASE C OBS: 1- Medidas em centimetros; VISTA FRONTAL VISTA LATERAL OPÇÕES DE ANCORAGEM P1 Isolador tipo bastão polimérico P2 Isolador tipo bastão de porcelana NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

29 MONTAGEM Estrutura P3 ITEM CÓDIGO PARA TENSÃO DE OPERAÇÃO (kv) 13,8-DT 13,8-C 34,5-DT 13,8-C A Nota 1 Poste de concreto armado Seção DT ou Circular O 3232 Olhal para parafuso P Isolador tipo bastão polimérico-15 kv 0 ou 3 0 ou 3 P Isolador tipo bastão polimérico 36 kv 0 ou 3 0 ou 3 P 1412 Isolador de disco porcelana 150 mm 6 ou 0 6 ou 0 9 ou 0 9 ou 0 Q 1325 Gancho Olhal H 3245 Arruela quadrada 3 3 Nota1: Material depende da aplicação ITEM CÓDIGO POSTE FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO DT Estrutura P3 COMPRIMENTO (m) RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) G Parafuso de cabeça quadrada de mm G Parafuso de cabeça quadrada de 250 mm G Parafuso de cabeça quadrada de mm ITEM CÓDIGO FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO CIRCULAR Estrutura P3 COMPRIMENTO (m) POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) 2091 Parafuso de Cabeça abaulada de 50 mm Cinta circular de Ø 150 mm Cinta circular de Ø 160 mm Cinta circular de Ø 170 mm Cinta circular de Ø 190 mm Cinta circular de Ø mm Cinta circular de Ø 220 mm Cinta circular de Ø 230 mm Cinta circular de Ø 240 mm Cinta circular de Ø 260 mm AMARRAÇÃO DO CONDUTOR Estrutura P3 CÓDIGO CONDUTOR BITOLA 2 CAA 1/0 CAA 4/0 CAA 1N5 AS 1N4 AS 3N5 AS 7N5 AS ITEM M 1662 Manilha sapatilha M Sapatilha N Tabela 3 Alça preformada 3 Tabela 3: Tabela de aplicação de alças pré-formadas AT CÓDIGO 2 CAA 33 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 2 AWG 1/0 CAA 30 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 1/0 AWG 4/0 CAA 36 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 4/0 AWG 1N5 AS Alça pré-formada distribuição para cabo 1N5 AS 1N4 AS 38 Alça pré-formada distribuição para cabo 1N4 AS 3N5 AS 30 Alça pré-formada distribuição para cabo 3N5 AS 7N5 AS 36 Alça pré-formada distribuição para cabo 7N5 AS NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

30 ESTRUTURA P4 I FASE B 70 X, X1, X3,X4 O D, E Q P, P1, P2 D,E 70 FASE A M N 70 F2, F3, F FASE C F2,F3, F4 VISTA FRONTAL VISTA LATERAL G2,G3,G4,G5 VISTA SUPERIOR OPÇÕES DE ANCORAGEM P1 Isolador tipo bastão polimérico P2 Isolador tipo bastão de porcelana OBS: 1- Medidas em centimetros; NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

31 MONTAGEM - Estrutura P4 ITEM CÓDIGO P/ TENSÃO DE OPERAÇÃO (kv) 13,8-DT 13,8-C 34,5-DT 34,5-C A Nota 1 Poste de concreto armado Seção DT ou Circular D Isolador pilar 110 kv 3 3 E Isolador pilar 170 kv 3 3 O 3232 Olhal para parafuso P 1412 Isolador de disco porcelana 150 mm 12 ou 0 12 ou 0 18 ou 0 18 ou 0 P Isolador tipo bastão polimérico-15 kv 0 ou 6 0 ou 6 P Isolador tipo bastão polimérico 36 kv 0 ou 6 0 ou 6 Q 1325 Gancho Olhal Nota1: Material depende da aplicação ITEM CÓDIGO POSTE FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO DT - Estrutura P4 COMPRIMENTO (m) RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) G Parafuso de cabeça quadrada de mm G Parafuso de cabeça quadrada de 250 mm G Parafuso de cabeça quadrada de mm F Pino auto-travante mm para isolador pilar F Pino auto-travante 250 mm para isolador pilar ITEM CÓDIGO FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO CIRCULAR- Estrutura P4 COMPRIMENTO (m) POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) Suporte para isolador pilar em poste circular Pino auto-travante 38 mm para isolador pilar Parafuso de Cabeça abaulada de 50 mm Cinta circular de Ø 150 mm Cinta circular de Ø 160 mm Cinta circular de Ø 170 mm Cinta circular de Ø 190 mm Cinta circular de Ø mm Cinta circular de Ø 220 mm Cinta circular de Ø 230 mm Cinta circular de Ø 240 mm Cinta circular de Ø 260 mm AMARRAÇÃO DO CONDUTOR E CONEXÃO Estrutura P4 ITEM 1/0 4/0 CÓDIGO CONDUTOR BITOLA 2 CAA 1N5 AS 1N4 AS 3N5 AS 7N5 AS CAA CAA M 1662 Manilha sapatilha M Sapatilha N Tabela 3 Alça pré-formada 6 I Tabela 2 Laço pré-formado de topo 3 X,X1,X3,X4 Tabela 4 Conector derivação tipo cunha Ver tabela 4 V Cartucho para conector cunha (azul) V Cartucho para conector cunha (vermelho) 3 (adequado ao conector) NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

32 Tabela 2: Tabela de aplicação de laços pré-formados de topo AT CÓDIGO 2 CAA 1427 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 2 AWG para isolador de pescoço 57 mm 1/0 CAA 1425 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 1/0 AWG para isolador de pescoço 57 mm 4/0 CAA 1429 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 4/0 AWG para isolador de pescoço 57 mm 1N5 AS Laço pré-formado distribuição para cabo 1N5 AS para isolador de pescoço 57 mm 1N4 AS 1430 Laço pré-formado distribuição para cabo 1N4 AS para isolador de pescoço 57 mm 3N5 AS 1425 Laço pré-formado distribuição para cabo 3N5 AS para isolador de pescoço 57 mm 7N5 AS 1429 Laço pré-formado distribuição para cabo 7N5 AS para isolador de pescoço 57 mm Tabela 3: Tabela de aplicação de alças pré-formadas AT CÓDIGO 2 CAA 33 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 2 AWG 1/0 CAA 30 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 1/0 AWG 4/0 CAA 36 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 4/0 AWG 1N5 AS Alça pré-formada distribuição para cabo 1N5 AS 1N4 AS 38 Alça pré-formada distribuição para cabo 1N4 AS 3N5 AS 30 Alça pré-formada distribuição para cabo 3N5 AS 7N5 AS 36 Alça pré-formada distribuição para cabo 7N5 AS Tabela 4: Tabela de aplicação de conectores derivação tipo cunha CONEXÕES Condutor 2 - Bitola CÓDIGO Condutor 1-4/0 1/0 2 7N5 3N5 1N4 1N5 Bitola CAA CAA CAA AS AS AS AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 15, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 4/0 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 1/0 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 11, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 13, série vermelho Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 3 2 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 14, série vermelho Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 15, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 7N5 AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul 3 3N5 AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 11, série azul Conector, cunha ramal, liga de cobre estanhado, II, série verde 1N4 AS Conector, cunha ramal, liga de cobre estanhado, múltiplo (III, IV, V), série amarelo / vermelho / azul 1N5 AS 3 NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

33 ESTRUTURA P1-P3 F2,F3, F4 D,E FASE B J X, X1, X3,X4 O Q M N 50 FASE A F2, F3, F4 A 20 G2,G3,G4,G5, H P, P1, P2 50 FASE C 20 VISTA FRONTAL VISTA LATERAL OPÇÕES DE ANCORAGEM P1 Isolador tipo bastão polimérico P2 Isolador tipo bastão de porcelana OBS: 1- Medidas em centimetros; NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

34 MONTAGEM Estrutura P1- P3 ITEM CÓDIGO P/ TENSÃO DE OPERAÇÃO (kv) 13,8-DT 13,8-C 34,5-DT 13,8-C A Nota 1 Poste de concreto armado Seção DT ou Circular D Isolador pilar 110 kv 3 3 E Isolador pilar 170 kv 3 3 F Pino auto-travante 38 mm para isolador pilar O 3232 Olhal para parafuso P 1412 Isolador de disco porcelana 150 mm 6 ou 0 6 ou 0 9 ou 0 9 ou 0 Q 1325 Gancho Olhal P Isolador tipo bastão polimérico-15 kv 0 ou 3 0 ou 3 P Isolador tipo bastão polimérico 36 kv 0 ou 3 0 ou 3 H 3245 Arruela quadrada 3 3 Nota1: Material depende da aplicação ITEM CÓDIGO FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO DT Estrutura P1- P3 COMPRIMENTO (m) POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) G Parafuso de cabeça quadrada de mm G Parafuso de cabeça quadrada de 250 mm G Parafuso de cabeça quadrada de mm F Pino auto-travante mm para isolador pilar F Pino auto-travante 250 mm para isolador pilar ITEM CÓDIGO FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO CIRCULAR Estrutura P1- P3 COMPRIMENTO (m) POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) Suporte para isolador pilar em poste circular Parafuso de Cabeça abaulada de 50 mm Cinta circular de Ø 150 mm Cinta circular de Ø 160 mm Cinta circular de Ø 170 mm Cinta circular de Ø 180 mm Cinta circular de Ø 190 mm Cinta circular de Ø mm Cinta circular de Ø 210 mm Cinta circular de Ø 230 mm Cinta circular de Ø 240 mm Cinta circular de Ø 250 mm Cinta circular de Ø 260 mm ITEM CÓDIGO AMARRAÇÃO DO CONDUTOR E CONEXÃO Estrutura P1- P3 CONDUTOR BITOLA 2 CAA 1/0 CAA 4/0 CAA 1N5 AS 1N4 AS 3N5 AS 7N5 AS M 1662 Manilha sapatilha M Sapatilha N Tabela 3 Alça pré-formada 3 J Tabela 1 Laço pré-formado simples lateral 3 X,X1,X3,X4 Tabela 4 Conector derivação tipo cunha Ver tabela 4 V Cartucho para conector cunha (azul) V Cartucho para conector cunha (vermelho) 3 (adequado ao conector) NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

35 Tabela 1: Tabela de aplicação de laços pré-formados lateral AT CÓDIGO 2 CAA 1495 Laço pré-formado lateral para cabo 2 AWG CAA 1/0 CAA 1488 Laço pré-formado lateral para cabo 1/0 AWG CAA 4/0 CAA 1502 Laço pré-formado lateral para cabo 4/0 AWG CAA 1N5 AS Laço pré-formado lateral para cabo 1N5 AS 1N4 AS 1504 Laço pré-formado lateral para cabo 1N4 AS 3N5 AS 1488 Laço pré-formado lateral para cabo 3N5 AS 7N5 AS 1502 Laço pré-formado lateral para cabo 7N5 AS Tabela 3: Tabela de aplicação de alças pré-formadas AT CÓDIGO 2 CAA 33 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 2 AWG 1/0 CAA 30 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 1/0 AWG 4/0 CAA 36 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 4/0 AWG 1N5 AS Alça pré-formada distribuição para cabo 1N5 AS 1N4 AS 38 Alça pré-formada distribuição para cabo 1N4 AS 3N5 AS 30 Alça pré-formada distribuição para cabo 3N5 AS 7N5 AS 36 Alça pré-formada distribuição para cabo 7N5 AS Tabela 4: Tabela de aplicação de conectores derivação tipo cunha CONEXÕES Condutor 2 - Bitola CÓDIGO Condutor 1-4/0 1/0 2 7N5 3N5 1N4 1N5 Bitola CAA CAA CAA AS AS AS AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 15, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 4/0 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 1/0 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 11, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 13, série vermelho Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 3 2 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 14, série vermelho Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 15, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 7N5 AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul 3 3N5 AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 11, série azul Conector, cunha ramal, liga de cobre estanhado, II, série verde 1N4 AS Conector, cunha ramal, liga de cobre estanhado, múltiplo (III, IV, V), série amarelo / vermelho / azul 1N5 AS 3 NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

36 ESTRUTURA - HTE D, E F1 A1 G1,G2, G3,G4 O M1 N1 Y A VISTA FRONTAL N M P, P1, P2 Q O X, X1, X3,X4 I VISTA SUPERIOR OPÇÕES DE ANCORAGEM P1 Isolador tipo bastão polimérico P2 Isolador tipo bastão de porcelana OBS: 1- Medidas em centimetros; NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

37 MONTAGEM Estrutura HTE ITEM CÓDIGO PARA TENSÃO DE OPERAÇÃO (kv) 13,8-DT 13,8-C 34,5-DT 34,5-C A Nota 1 Poste de concreto armado Seção DT ou Circular D Isolador pilar 110 kv 3 3 E Isolador pilar 170 kv 3 3 A Suporte para isolador tipo pilar F Pino auto-travante 38 mm para isolador pilar O 3232 Olhal para parafuso P 1412 Isolador de disco porcelana 150 mm 12 ou 0 12 ou 0 18 ou 0 18 ou 0 P Isolador tipo bastão polimérico-15 kv 0 ou 6 0 ou 6 P Isolador tipo bastão polimérico 36 kv 0 ou 6 0 ou 6 Q 1325 Gancho Olhal H 3245 Arruela quadrada 6 6 Nota1: Material depende da aplicação FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO DT Estrutura HTE COMPRIMENTO (m) ITEM CÓDIGO POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) 150 G Parafuso de cabeça quadrada de mm G Parafuso de cabeça quadrada de 250 mm ITEM CÓDIGO FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO CIRCULAR Estrutura HTE COMPRIMENTO (m) POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) 2093 Parafuso de Cabeça abaulada de 100 mm Parafuso de Cabeça abaulada de 50 mm Cinta circular de Ø 150 mm Cinta circular de Ø 170 mm Cinta circular de Ø 190 mm Cinta circular de Ø 230 mm AMARRAÇÃO DO CONDUTOR E CONEXÃO Estrutura HTE ITEM 1/0 4/0 CÓDIGO CONDUTOR BITOLA 2 CAA 1N5 AS 1N4 AS 3N5 AS 7N5 AS CAA CAA M 1662 Manilha sapatilha M Sapatilha N Tabela 3 Alça pré-formada 6 I Tabela 2 Laço pré-formado de topo 3 M Sapatilha para cabo de aço 7,94 mm 4 N1 45 Alça pré-formada p/ cabo de aço de 7,94 mm 4 Y1 912 Cabo de aço galvanizado 7,94 mm (kg) 1,5 X,X1,X3,X4 Tabela 4 Conector derivação tipo cunha Ver tabela 4 V Cartucho para conector cunha (azul) V Cartucho para conector cunha (vermelho) 3 (adequado ao conector) NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

38 Tabela 2: Tabela de aplicação de laços pré-formados de topo AT CÓDIGO 2 CAA 1427 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 2 AWG para isolador de pescoço 57 mm 1/0 CAA 1425 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 1/0 AWG para isolador de pescoço 57 mm 4/0 CAA 1429 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 4/0 AWG para isolador de pescoço 57 mm 1N5 AS Laço pré-formado distribuição para cabo 1N5 AS para isolador de pescoço 57 mm 1N4 AS 1430 Laço pré-formado distribuição para cabo 1N4 AS para isolador de pescoço 57 mm 3N5 AS 1425 Laço pré-formado distribuição para cabo 3N5 AS para isolador de pescoço 57 mm 7N5 AS 1429 Laço pré-formado distribuição para cabo 7N5 AS para isolador de pescoço 57 mm Tabela 3: Tabela de aplicação de alças pré-formadas AT CÓDIGO 2 CAA 33 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 2 AWG 1/0 CAA 30 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 1/0 AWG 4/0 CAA 36 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 4/0 AWG 1N5 AS Alça pré-formada distribuição para cabo 1N5 AS 1N4 AS 38 Alça pré-formada distribuição para cabo 1N4 AS 3N5 AS 30 Alça pré-formada distribuição para cabo 3N5 AS 7N5 AS 36 Alça pré-formada distribuição para cabo 7N5 AS Tabela 4: Tabela de aplicação de conectores derivação tipo cunha CONEXÕES Condutor 2 - Bitola CÓDIGO Condutor 1-4/0 1/0 2 7N5 3N5 1N4 1N5 Bitola CAA CAA CAA AS AS AS AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 15, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 4/0 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 1/0 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 11, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 13, série vermelho Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 3 2 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 14, série vermelho Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 15, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 7N5 AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul 3 3N5 AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 11, série azul Conector, cunha ramal, liga de cobre estanhado, II, série verde 1N4 AS Conector, cunha ramal, liga de cobre estanhado, múltiplo (III, IV, V), série amarelo / vermelho / azul 1N5 AS 3 NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

39 FASE B ESTRUTURA - PT1- P3 I F1 D,E A1 H J 20 FASE A F2,F3, F4 G2,G3,G4,G5 70 X, X1, X3,X4 10 FASE C F2, F3, F4 P, P1, P2 70 A VISTA FRONTAL VISTA LATERAL OPÇÕES DE ANCORAGEM P1 Isolador tipo bastão polimérico P2 Isolador tipo bastão de porcelana OBS: 1- Medidas em centimetros; NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

40 MONTAGEM Estrutura PT1- P3 ITEM CÓDIGO P/ TENSÃO DE OPERAÇÃO (kv) 13,8-DT 13,8-C 34,5-DT 13,8-C A Nota 1 Poste de concreto armado Seção DT ou Circular O 3232 Olhal para parafuso P 1412 Isolador de disco porcelana 150 mm 6 ou 0 6 ou 0 9 ou 0 9 ou 0 P Isolador tipo bastão polimérico-15 kv 0 ou 3 0 ou 3 P Isolador tipo bastão polimérico 36 kv 0 ou 3 0 ou 3 D Isolador pilar 110 kv 3 3 E Isolador pilar 170 kv 3 3 A Suporte para isolador tipo pilar F Pino auto-travante 38 mm para isolador pilar Q 1325 Gancho Olhal H 3245 Arruela quadrada 5 5 Nota1: Material depende da aplicação ITEM CÓDIGO POSTE FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO DT Estrutura PT1- P3 COMPRIMENTO (m) RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) G Parafuso de cabeça quadrada de mm G Parafuso de cabeça quadrada de 250 mm G Parafuso de cabeça quadrada de mm F Pino auto-travante mm para isolador pilar F Pino auto-travante 250 mm para isolador pilar ITEM CÓDIGO FIXAÇÃO DA ESTRUTURA NO POSTE DE CONCRETO CIRCULAR Estrutura PT1- P3 COMPRIMENTO (m) POSTE RESISTÊNCIA NOMINAL (dan) A Suporte para isolador pilar em poste circular Parafuso de Cabeça abaulada de 50 mm Cinta circular de Ø 150 mm Cinta circular de Ø 160 mm Cinta circular de Ø 170 mm Cinta circular de Ø 180 mm Cinta circular de Ø 190 mm Cinta circular de Ø mm Cinta circular de Ø 210 mm Cinta circular de Ø 220 mm Cinta circular de Ø 230 mm Cinta circular de Ø 240 mm Cinta circular de Ø 250 mm Cinta circular de Ø 260 mm AMARRAÇÃO DO CONDUTOR E CONEXÃO Estrutura PT1- P3 ITEM CÓDIGO CONDUTOR BITOLA 2 CAA 1/0 CAA 4/0 CAA 1N5 AS 1N4 AS 3N5 AS 7N5 AS M 1662 Manilha sapatilha M Sapatilha N Tabela 3 Alça pré-formada 3 J Tabela 1 Laço pré-formado simples lateral 2 I Tabela 2 Laço pré-formado de topo 1 X,X1,X3,X4 Tabela 4 Conector derivação tipo cunha Ver tabela 4 V Cartucho para conector cunha (azul) V Cartucho para conector cunha (vermelho) 3 (adequado ao conector) NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

41 Tabela 1: Tabela de aplicação de laços pré-formados lateral AT CÓDIGO 2 CAA 1495 Laço pré-formado lateral para cabo 2 AWG CAA 1/0 CAA 1488 Laço pré-formado lateral para cabo 1/0 AWG CAA 4/0 CAA 1502 Laço pré-formado lateral para cabo 4/0 AWG CAA 1N5 AS Laço pré-formado lateral para cabo 1N5 AS 1N4 AS 1504 Laço pré-formado lateral para cabo 1N4 AS 3N5 AS 1488 Laço pré-formado lateral para cabo 3N5 AS 7N5 AS 1502 Laço pré-formado lateral para cabo 7N5 AS Tabela 2: Tabela de aplicação de laços pré-formados de topo AT CÓDIGO 2 CAA 1427 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 2 AWG para isolador de pescoço 57 mm 1/0 CAA 1425 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 1/0 AWG para isolador de pescoço 57 mm 4/0 CAA 1429 Laço pré-formado distribuição para cabo CAA 4/0 AWG para isolador de pescoço 57 mm 1N5 AS Laço pré-formado distribuição para cabo 1N5 AS para isolador de pescoço 57 mm 1N4 AS 1430 Laço pré-formado distribuição para cabo 1N4 AS para isolador de pescoço 57 mm 3N5 AS 1425 Laço pré-formado distribuição para cabo 3N5 AS para isolador de pescoço 57 mm 7N5 AS 1429 Laço pré-formado distribuição para cabo 7N5 AS para isolador de pescoço 57 mm Tabela 3: Tabela de aplicação de alças pré-formadas AT CÓDIGO 2 CAA 33 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 2 AWG 1/0 CAA 30 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 1/0 AWG 4/0 CAA 36 Alça pré-formada distribuição para cabo CA ou CAA 4/0 AWG 1N5 AS Alça pré-formada distribuição para cabo 1N5 AS 1N4 AS 38 Alça pré-formada distribuição para cabo 1N4 AS 3N5 AS 30 Alça pré-formada distribuição para cabo 3N5 AS 7N5 AS 36 Alça pré-formada distribuição para cabo 7N5 AS Tabela 4: Tabela de aplicação de conectores derivação tipo cunha CONEXÕES Condutor 2 - Bitola CÓDIGO Condutor 1 - Bitola 4/0 1/0 2 7N5 3N5 1N4 1N5 CAA CAA CAA AS AS AS AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 15, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 4/0 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 1/0 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 11, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 13, série vermelho Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 3 2 CAA Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 14, série vermelho Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 15, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 6, série azul 7N5 AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 10, série azul 3 3N5 AS Conector, cunha, liga de Alumínio, CN 11, série azul Conector, cunha ramal, liga de cobre estanhado, II, série verde 1N4 AS Conector, cunha ramal, liga de cobre estanhado, múltiplo (III, IV, V), série amarelo / vermelho / azul 1N5 AS 3 NTE ª Edição SPO/CNT 01/12/ /164

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV ÍNDICE APRESENTAÇÃO....2 1-OBJETIVO...3 2-AMPLITUDE... 3 3-RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4-INSTRUÇÕES GERAIS...3 5-CONDUTORES...4 6-PROCEDIMENTOS...5 6.1- Afastamentos padronizados...5 6.2-Engastamento

Leia mais

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL-13,8kV e 34,5kV

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL-13,8kV e 34,5kV MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA NTD-14 NTD 14 MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA CONTROLE DE VERSÕES NTD-14 - MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA Nº.: DATA VERSÃO 1 13/07/4 0 2 03/9 1 NTD 14 MONTAGEM

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA DSEE 11/12/2014 DATA SUMÁRIO

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estrutura CE2H TR (2º Nível) Poste de Concreto de Seção Circular 7. Estrutura CE2H

Leia mais

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS NORMA TÉCNICA NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS Cuiabá Mato Grosso - Brasil INDICE 1 OBJETIVO...03

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. ASPECTOS GERAIS... 2 3. EXCEÇÕES... 2 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica CEMAR NORMA DE PROCEDIMENTOS Função: Área: Processo: Código: Técnica Técnica Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica NP-12.306.02 Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Leia mais

NORMA TÉCNICA. NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv. Cuiabá Mato Grosso - Brasil

NORMA TÉCNICA. NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv. Cuiabá Mato Grosso - Brasil NORMA TÉCNICA NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv Cuiabá Mato Grosso - Brasil APRESENTAÇÃO 1- OBJETIVO...04 2- CAMPO DE APLICAÇÃO...04

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas Trifásicas com Transformadores 6.1. Estrutura M1 com Transformador 6.2.

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1 NORMA TÉCNICA CELG D Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv NTC-06 Revisão 1 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS 11 metros = 150 12 metros = 150 450 1000 máximo 11 metros = 850 12 metros = 1450 800 450 450 11 metros = 1700 12 metros = 1800 11 ou 12 metros 100 11 metros = 1300 12

Leia mais

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS APRESENTAÇÃO...4 1 OBJETIVO...3 2 AMPLITUDE...3 3 RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4 CONCEITUAÇÃO...3 4.1 REDE DE DISTRIBUIÇÃO...3 4.2 REDE DE DISTRIBUIÇÃO URBANA RDU...3 4.3 REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

PD-4.003. Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia

PD-4.003. Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia PD-4.003 Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV Padrão Técnico da Distribuição Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia Da Distribuição PD-4.003 Redes de Distribuição Aérea Urbana

Leia mais

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com Projeto Elétrico Padrão de Medição, fornecimento de energia em tensão primária 13.8kV, a partir da rede aérea de distribuição para atender Defensoria Pública do Estado da Paraíba. Responsavel Técnico:

Leia mais

ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREAS PRIMÁRIAS COMPACTAS PROTEGIDAS

ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREAS PRIMÁRIAS COMPACTAS PROTEGIDAS DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD.06.002

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD 2.0

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD 2.0 NTD 2.0.07 REDES SECUNDÁRIAS ISOLADAS RSI PADRÕES BÁSICOS DE 5ª EDIÇÃO AGOSTO-2011 DIRETORIA DE ENGENHARIA SUPERINTENDENCIA DE PLANEJAMENTO E PROJETOS GERÊNCIA DE NORMATIZAÇÃO E TECNOLOGIA 1/34 NORMA TÉCNICA

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ASPECTOS GERAIS... 1 3. EXCEÇÕES... 1 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Cruzamentos SEÇÃO 6 Rabichos SEÇÃO 7 Aterramento 1 OBJETIVO

Leia mais

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES 3$'5 2'((6758785$6 '(/,1+$6(5('(6 PARTE 1 ASPECTOS GERAIS INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras ASPECTOS GERAIS PARTE

Leia mais

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea ITEM DESCRIÇÃO QUANT. 1.00 REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.1 Cabo de alumínio com alma de aço (CAA), seção 4/0, diâmetro externo

Leia mais

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV SUL / SUDESTE AFASTADOR, ARMACAO SECUNDARIA, ACO CARBONO 1010-1020, ZINCADO A QUENTE, DIMENSOES: 1000 X700 10002599 MM, 4 FUROS, NORMAS

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NDU-010 VERSÃO 3.1 JUNHO/2013 SUMÁRIO Item Descrição Classe Desenho 1. Haste de Aço-Cobre para Aterramento...

Leia mais

Redes Protegidas Compactas - Critérios para Projetos e Padronização de Estruturas. Norma. Revisão 03 07/2014 NORMA ND.12

Redes Protegidas Compactas - Critérios para Projetos e Padronização de Estruturas. Norma. Revisão 03 07/2014 NORMA ND.12 Redes Protegidas Compactas - Critérios para Projetos e Padronização de Estruturas Norma 07/2014 NORMA ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Rua Ary Antenor de Souza, 321 Jd. Nova

Leia mais

ID-2.024. Instrução Técnica. Procedimento Técnico para Projetos e Implantação de Postes na AES Eletropaulo. Diretoria de Engenharia e Serviços

ID-2.024. Instrução Técnica. Procedimento Técnico para Projetos e Implantação de Postes na AES Eletropaulo. Diretoria de Engenharia e Serviços ID-2.024 Procedimento Técnico para Projetos e Implantação de Postes na AES Eletropaulo Instrução Técnica Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição 2 Folha de Controle Elaborado

Leia mais

NORMA TÉCNICA MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA COM CONDUTORES NUS DE SISTEMAS TRIFÁSICOS DE MÉDIA TENSÃO.

NORMA TÉCNICA MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA COM CONDUTORES NUS DE SISTEMAS TRIFÁSICOS DE MÉDIA TENSÃO. NORMA TÉCNICA NTE 026 MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA COM CONDUTORES NUS DE SISTEMAS TRIFÁSICOS DE MÉDIA TENSÃO - 1,8 E 4,5 kv- Cuiabá Mato Grosso - Brasil NTE 026 11ª Edição GPS/NT 1/12/2012

Leia mais

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT.

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. DIRETORIA TÉCNICA DEPARTAMENTO COMERCIAL DIVISÃO DE MEDIÇÃO ADENDO 02 Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. Florianópolis, agosto de 2005.

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CABOS COBERTOS FIXADOS EM ESPAÇADORES APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CABOS COBERTOS FIXADOS EM ESPAÇADORES APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Amarrações SEÇÃO 6 Cruzamentos SEÇÃO 7 Conexões e Emendas SEÇÃO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. PROPRIETÁRIO: IFSULDEMINAS - Câmpus Muzambinho.. Estrada de Muzambinho, km 35 - Bairro Morro Preto.

MEMORIAL DESCRITIVO. PROPRIETÁRIO: IFSULDEMINAS - Câmpus Muzambinho.. Estrada de Muzambinho, km 35 - Bairro Morro Preto. MEMORIAL DESCRITIVO ASSUNTO: Projeto de adaptação de rede de distribuição de energia elétrica urbana em tensão nominal primária de 13.8KV e secundária de 220/127V, com 02 postos de transformação de 75KVA

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV ÍNDICE APRESENTAÇÃO....2 1-OBJETIVO...3 2-AMPLITUDE... 3 3-RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4-INSTRUÇÕES GERAIS...3 5-CONDUTORES...4 6-PROCEDIMENTOS...5 6.1- Afastamentos padronizados...5 6.2-Engastamento

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.009 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA

Leia mais

Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações

Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações ID-4.044 Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações Diretoria de Engenharia Gerência de Serviços Técnicos ELABORADO: Luiz Eduardo R. Magalhães Gerência

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Edição Data Alterações em relação à edição anterior Projeto de Rede de Distribuição Aérea Compacta - 13,8kV Processo Planejar, Ampliar e Melhorar a Rede Elétrica Atividade Elaborar Projetos e Orçamentos / Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.03-00.05

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO IX Referente ao Edital de Pregão Presencial nº. 002/2015 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 10 1. DO OBJETO 1.1. O presente pregão tem como objeto a AQUISIÇÃO DE ELETROFERRAGENS, de acordo com as

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 5

Leia mais

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS 1- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Convencional Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 13 2- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Compacta Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 2 de

Leia mais

MOD. 225-10.000-03/2009 - Gráfica Garilli - Agência PUC Propaganda

MOD. 225-10.000-03/2009 - Gráfica Garilli - Agência PUC Propaganda MOD. 225 -.000-03/2009 - Gráfica Garilli - Agência PUC Propaganda Rua Xavier de Toledo, 640 Vila Paulicéia São Bernardo do Campo, SP CEP: 09692-030 Geral: Tel.: (11) 4176-7877 Fax: (11) 4176-7879 E-Mail:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO 1. GENERALIDADES 1.1 O projeto refere-se às instalações elétricas do empreendimento comercial localizado

Leia mais

Caixa para medidores com ou sem leitura por vídeo câmeras

Caixa para medidores com ou sem leitura por vídeo câmeras Dobradiça Furação para passagem de cabo de Ø21 mm ( 12x ) Vista Inferior Item 1 e 2 Adaptador para parafuso A.A. Fixação dos trilhos através de parafuso e porca ( possibilitando regulagem ) Trilho de fixação

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO Instalação Nobreak 60 KVA - 380 V PROPRIETÁRIO: Procuradoria Geral de Justiça. 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO DADOS DO PROPRIETÁRIO

Leia mais

00 15/03/13 EMISSÃO INICIAL JCS/OSM JCS

00 15/03/13 EMISSÃO INICIAL JCS/OSM JCS 00 15/03/13 EMISSÃO INICIAL JCS/OSM JCS N.º DATA REVISÃO ELAB./ VERIF. ENGEPRO APROV. ENGEPRO APROV. CLIENTE ENG10A-LT-013 ATE XVI PROJETO BÁSICO - LOTE A LEILÃO Nº 007/2012 - ANEEL ELAB. VERIF. LT S 500

Leia mais

Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT

Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT 1 Escopo Esta ITA Ampla, tem por objetivo estabelecer os procedimentos a serem adotados para aplicação de condutores de alumínio em substituição

Leia mais

2.0 - MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

2.0 - MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Pg 2/59 2.0 - MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO 2.1 - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 2.1.1 INSTALAÇÃO DE REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBILCA DO ACESSO A CIDADE DE CAICÓ, PELA BR 427 E MELHORIA DA QUALIDADE DA REDE DE ILUMINAÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO DE 12, 15 E 27 kv 10 ka

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO DE 12, 15 E 27 kv 10 ka EMD -.008 1/5 Obs: Medidas em milímetros. EMD -.008 2/5 CÓDIGO CEB TENSÃO NOMINAL CEB TABELA 1 TENSÃO DO PÁRA-RAIOS DIMENSÕES (mm) A (máx.) H (mín.) 2 3 4 5 6 12050008 13,8 12 400 80 12050009 13.8 15 450

Leia mais

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE DOCUMENTO NORMATIVO CRITÉRIO DE PROJETO DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE Código Página Revisão Emissão CP 015 I 1 JAN/2004 APRESENTAÇÃO A

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011 Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-18/10/2011 18/10/2011 ELABORAÇÃO Marcelo Poltronieri SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3 3. OBJETIVO...

Leia mais

ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores

ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores em Pedestal Norma Técnica Distribuição de Energia Elétrica ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores em Pedestal Autores: Plácido Antonio Brunheroto

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI. Índice:

MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI. Índice: MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI Índice: 1 - Generalidades 2 - Rede aérea de Alta Tensão 3 - Rede Secundária 4 - Aterramentos 5 - Posto de Transformação

Leia mais

CONTRATAÇÃO DO MÊS DE MARÇO 2013

CONTRATAÇÃO DO MÊS DE MARÇO 2013 GÃO ELETRONICO 000/0 999/0 0/0/0 MESES ATÉ 0/0/ JOÃO DE BARRO COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA - ME FORNECIMENTO DE RECARGAS DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO GLP, EM RECIPIENTES (BOTIJAS) DE CAPACIDADE KG E 0KG.9,00.9,00

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO COM CUSTO REGRESSIVO E EFICIENTIZAÇÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO COM CUSTO REGRESSIVO E EFICIENTIZAÇÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO COM CUSTO REGRESSIVO E EFICIENTIZAÇÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE - MG OUTUBRO DE 2.014 1 OBJETIVO: Especificar os materiais a serem empregados na

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE SINALIZAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL LINHA VERDE CIC

IMPLANTAÇÃO DE SINALIZAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL LINHA VERDE CIC MEMORIAL DESCRITIVO IMPLANTAÇÃO DE SINALIZAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL LINHA VERDE CIC Lote 01 MARÇO/2011 1. PROJETO DE SINALIZAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL LINHA VERDE CIC SUL INTRODUÇÃO O Projeto de Sinalização

Leia mais

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS NORMA TÉCNICA NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS Cuiabá Mato Grosso - Brasil INDICE 1 OBJETIVO...03

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto básico de manutenção em rede de 13,8kV interna do Campus A. C. Simões.

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto básico de manutenção em rede de 13,8kV interna do Campus A. C. Simões. MEMORIAL DESCRITIVO Projeto básico de manutenção em rede de 13,8kV interna do Campus A. C. Simões. Projeto Básico 1- Objetivo O objetivo deste projeto é prover os requisitos mínimos para a execução dos

Leia mais

DOC. NT NT MONTAGEM DE REDES E LINHAS ÁREAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. INDICE 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO...

DOC. NT NT MONTAGEM DE REDES E LINHAS ÁREAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. INDICE 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... REV. Página 1 de 149 INDICE Página 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 02 3. NORMAS E/OU DOCUMEOS COMPLEMEARES... 03 4. CONDICÕES GERAIS... 05 5. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... 06 SEÇÃO 5.1 POSTES E

Leia mais

Composições de Serviços da Obra

Composições de Serviços da Obra Composições de Serviços da Obra Obra 1354 - Galpão de Concreto Pre-moldado 20x100m PD=5m - Parque de Exposição BDI não aplicado Encargos sociais 1,659 Etapa 002 - SERVIÇOS TÉCNICOS Subetapa 002.005 - PROJETOS

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA Código: ET: 07-02-202 SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJETIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 04 5.1. Características Gerais

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA I-313.0021 CRITÉRIOS PARA UTILIZAÇÃO

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 007

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 007 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 007 INSTALAÇÃO DE RELIGADOR AUTOMÁTICO NOJA - POWER DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - DPE 1- OBJETIVO Padronizar a estrutura

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DECARGAS ATMOSFÉRICAS SPDA PROMOTORIAS DE JUSTIÇA DO MUNICÍPIO DE PRIMAVERA DO LESTE MT

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DECARGAS ATMOSFÉRICAS SPDA PROMOTORIAS DE JUSTIÇA DO MUNICÍPIO DE PRIMAVERA DO LESTE MT MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DECARGAS ATMOSFÉRICAS SPDA PROMOTORIAS DE JUSTIÇA DO MUNICÍPIO DE PRIMAVERA DO LESTE MT CUIABÁ, ABRIL DE 2014 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 3 2. METODOLOGIA E TIPO

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Projeto de Rede de Distribuição de IP com Circuito Exclusivo Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.03-00.020 1ª Folha 1 DE

Leia mais

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA TRIFÁSICA 13,8 E 34,5 KV NTD-016

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA TRIFÁSICA 13,8 E 34,5 KV NTD-016 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 2 1-OBJETIVO...3 2-AMPLITUDE...3 3-RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4-INSTRUÇÕES GERAIS...3 5-PROCEDIMENTOS...5 5.1-Afastamentos padronizados na estrutura...5 5.2-Afastamentos

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...3 3.

Leia mais

NTE - 013 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA

NTE - 013 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA NORMA TÉCNICA NTE - 013 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA Rede de Distribuição Aérea Edificações Individuais Cuiabá Mato Grosso - Brasil ÍNDICE Pág. APRESENTAÇÃO...3 1. OBJETIVO...4

Leia mais

NORMA TÉCNICA DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - DPE

NORMA TÉCNICA DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - DPE NORMA TÉCNICA DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - DPE 1- OBJETIVO Padronizar a estrutura de montagem da chave tripolar sob carga SF6 15 kv do fabricante Arteche. 2- APLICAÇÃO DO TIPOS DE MONTAGEM

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-136/2010 R-01

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-136/2010 R-01 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA /20 R- FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO A presente Decisão Técnica /20 R- define o padrão de uso de condutores concêntricos de alumínio

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO COMPACTA PROTEGIDA CLASSE 15 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA página APRESENTAÇÃO 1. OBJETIVO...03 2. CAMPO DE APLICAÇÃO...03

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 003

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 003 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 00 MONTAGEM DE BANCO DE CAPACITORES SEM CONTROLE AUTOMÁTICO DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA 1. OBJETIVO Estabelecer a padronização da montagem de bancos de capacitores

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2 NORMA TÉCNICA CELG Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição NTC-18 Revisão 2 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ Associação Alphaville Mossoró Janeiro- 2014 ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO

Leia mais

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO.

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO. Fornecimento de Energia Elétrica Nos banheiros deverão ser instalados um disjuntor bifásico no quadro de energia existente de cada quadrante conforme projeto. Deste quadro sairá a alimentação para os banheiros.

Leia mais

Capítulo 3 Circuitos Elétricos

Capítulo 3 Circuitos Elétricos Capítulo 3 Circuitos Elétricos 3.1 Circuito em Série O Circuito Série é aquele constituído por mais de uma carga, ligadas umas as outras, isto é, cada carga é ligada na extremidade de outra carga, diretamente

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PRELIMINARES BICICLETA ESCOLAR. Aro 20. Item Descrição Medidas Tolerância. Diâmetro interno - Usinado e Calibrado - mm

ESPECIFICAÇÕES PRELIMINARES BICICLETA ESCOLAR. Aro 20. Item Descrição Medidas Tolerância. Diâmetro interno - Usinado e Calibrado - mm MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE ARTICULAÇÃO E CONTRATOS COORDENAÇÃO DE REGISTRO DE PREÇOS ESPECIFICAÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. INTERLIGAÇÃO BRASIL - URUGUAI

ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. INTERLIGAÇÃO BRASIL - URUGUAI 0a Revisão do item 5 10/12/2010 KCAR/SMMF 10/12/2010 AQ 0 Emissão inicial 19/11/2010 KCAR/SMMF 19/11/2010 AQ N DISCRIMINAÇÃO DAS REVISÕES DATA CONFERIDO DATA APROVAÇÃO APROVAÇÃO ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS

Leia mais

NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Companhia Paranaense de Energia COPEL NORMAS TÉCNICAS COPEL NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Órgão Emissor: Coordenação de Comercialização de Energia - CCD Coordenadoria de

Leia mais

Defensas metálicas de perfis zincados

Defensas metálicas de perfis zincados MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

2.1. CONDIÇÕES DO LOCAL DE INSTALAÇÃO 2.2. NORMAS TÉCNICAS 2.3. DOCUMENTOS TÉCNICOS A SEREM APRESENTADOS PARA APROVAÇÃO APÓS ASSINATURA DO CONTRATO

2.1. CONDIÇÕES DO LOCAL DE INSTALAÇÃO 2.2. NORMAS TÉCNICAS 2.3. DOCUMENTOS TÉCNICOS A SEREM APRESENTADOS PARA APROVAÇÃO APÓS ASSINATURA DO CONTRATO ÍNDICE 1.0 OBJETIVO 2.0 REQUISITOS GERAIS 2.1. CONDIÇÕES DO LOCAL DE INSTALAÇÃO 2.2. NORMAS TÉCNICAS 2.3. DOCUMENTOS TÉCNICOS A SEREM APRESENTADOS PARA APROVAÇÃO APÓS ASSINATURA DO CONTRATO 2.4. EXTENSÃO

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. CAIXA DE MEDIÇÃO EM 34, kv 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de

Leia mais

Título do Documento: Entrada Consumidora de Baixa Tensão Tipo: FECO-D-04 Norma Técnica e Padronização

Título do Documento: Entrada Consumidora de Baixa Tensão Tipo: FECO-D-04 Norma Técnica e Padronização Tipo: Norma Técnica e Padronização ENTRADA CONSUMIDORA DE BAIXA TENSÃO LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 - Esquema TN-S...55 Figura 2 - Esquema TN-C-S...55 Figura 3 - Esquema TN-C...55 Figura 4 - Esquema TT...55

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA I-313.0002 PROCEDIMENTOS PARA

Leia mais

SUMÁRIO. Elaboração Revisão Aprovado (ou Aprovação) Data aprovação Maturino Rabello Jr Marco Antônio W. Rocha Carmen T. Fantinel

SUMÁRIO. Elaboração Revisão Aprovado (ou Aprovação) Data aprovação Maturino Rabello Jr Marco Antônio W. Rocha Carmen T. Fantinel SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2 3.1 Hidrômetro...2 3.2 A.R.T...2 3.3 Ramal predial de água...2 4. Procedimentos e Responsabilidades...3 4.1 Generalidades...3

Leia mais

Conferência do Projeto

Conferência do Projeto 214-DPDORC4 22/4/214 1 de 5 12/2/214 1:3.7 CARACTERIZAÇÃO Data Projeto Nº Pedido Finalidade 16/7/213 Título Implantação de SE Descrição da Obra: Tipo da Obra: IMPLANTAÇÃO EXPANSÃO DA REDE ELÉTRICA (ALTA

Leia mais

Otimização da interrupção de RDs para atividades de lançamento de cabos de LT. Dircélio Marcos Silva. CEMIG Distribuição S.A.

Otimização da interrupção de RDs para atividades de lançamento de cabos de LT. Dircélio Marcos Silva. CEMIG Distribuição S.A. XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia 06 a 10 de Outubro de 2008 Olinda Pernambuco - Brasil Otimização da interrupção de RDs para atividades de lançamento de cabos de LT. Luis Fernando Santamaria

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-17/09/2012 22/10/2012 ENGENHARIA E SISTEMAS TÉCNICOS (DTES-ES) APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI (DTES-ES) SUMÁRIO

Leia mais

Informações e Tabelas Técnicas

Informações e Tabelas Técnicas Características dos condutores de cobre mole para fios e cabos isolados 1 Temperatura característica dos condutores 1 Corrente de curto-circuito no condutor 1 Gráfico das correntes máximas de curto-circuito

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PONTE MISTA DE 18,00M DE COMPRIMENTO E 4,20M DE LARGURA

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PONTE MISTA DE 18,00M DE COMPRIMENTO E 4,20M DE LARGURA MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PONTE MISTA DE 18,00M DE COMPRIMENTO E 4,20M DE LARGURA LOCAL: PONTE DOS CÓRREGOS. OBJETIVO: O Objetivo principal deste Memorial é demonstrar e descrever todas e quaisquer informações

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA abr/2006 1 de 6 COBERTURAS DIRETORIA DE ENGENHARIA. Edificações. Coberturas. PR 010979/18/DE/2006 ET-DE-K00/005

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA abr/2006 1 de 6 COBERTURAS DIRETORIA DE ENGENHARIA. Edificações. Coberturas. PR 010979/18/DE/2006 ET-DE-K00/005 ESPECIFICÇÃO TÉCNIC abr/2006 1 de 6 TÍTULO COBERTURS ÓRGÃO DIRETORI DE ENGENHRI PLVRS-CHVE Edificações. Coberturas. PROVÇÃO PROCESSO PR 010979/18/DE/2006 DOCUMENTOS DE REFERÊNCI SEP Secretaria de Estado

Leia mais

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE ITA - 006 Rev. 0 Setembro / 2003 Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com

Leia mais

006/2015 NORMA TÉCNICA NT-006/2015 R-04 COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA DE LINHA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA

006/2015 NORMA TÉCNICA NT-006/2015 R-04 COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA DE LINHA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DA REDE 006/2015 NORMA TÉCNICA /2015 R- FOLHA DE CONTROLE FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO Esta Norma tem por objetivo estabelecer os procedimentos aplicáveis

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA E INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA E INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO INSTRUÇÃO DE CÓDIGO TÍTULO VERSÃO IT.DT.PDN.03.14.011 INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 48

COMUNICADO TÉCNICO Nº 48 Página 1 de 19 COMUNICADO TÉCNICO Nº 48 ATENDIMENTO DE NOVOS CONSUMIDORES LOCALIZADOS EM ÁREAS DE SISTEMAS SUBTERRÂNEOS DE DISTRIBUIÇÃO Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, URBANA COM CABOS COBERTOS EM ESPAÇADORES CLASSE 15 kv página APRESENTAÇÃO 1. OBJETIVO...03 2.

Leia mais

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3 30 / 08 / 2012 1 de 19 SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3 4.1 Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT... 3 4.2 Agência Nacional de Energia

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-02 CAPÍTULO TÍTULO PÁGINA 1. GERAL ÍNDICE INTRODUÇÃO... 1 1 1 Objetivo... 1 2 2 Terminologia... 1 2 2. CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE BT EM EDIFÍCIOS

REGRAS BÁSICAS PARA EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE BT EM EDIFÍCIOS Critérios de aceitação/rejeição: o trabalho é considerado bem executado se cumprir o estabelecido no presente documento, caso contrário não é aceite, devendo proceder-se às correcções necessárias. Nota:

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST Módulo 7 Cálculo de Perdas na Distribuição Revisão 0 1 2 3 Motivo da Revisão

Leia mais

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV Padrão Técnico da Distribuição Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV ELABORADO

Leia mais

PADRÕES DE ESTRUTURA DE LAAT

PADRÕES DE ESTRUTURA DE LAAT PADRÕES DE ESTRUTURA DE LAAT PE-044 Padrão de LAAT Convencional sem Cabo Pára-raios PE-045 Padrão de LAAT Convencional com Cabo Pára-raios PE-046 Padrão de LAAT Compacta sem Cabo Pára-raios PE-047 Padrão

Leia mais