Antes de tudo fica aqui o aviso mais importante de todos os documentos relacionados com esta temática: este é um documento conceptual.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Antes de tudo fica aqui o aviso mais importante de todos os documentos relacionados com esta temática: este é um documento conceptual."

Transcrição

1 PROJECTOR CASEIRO

2 Antes de tudo fica aqui o aviso mais importante de todos os documentos relacionados com esta temática: este é um documento conceptual. Se não tem jeito para as pequenas ou grandes bricolages relacionadas com electricidade, electrónica e carpintaria, por favor não tente aplicar estas informações na construção de um projector caseiro Este documento NÃO é resultado da minha experiência directa a efectuar este tipo de procedimentos mas sim, um compilar de informações consultadas ao longo dos tempos. Está largamente inspirado numa versão espanhola por S.Urquizu efectuado em Dezembro de 2005 e actualizado tento em atenção os desenvolvimentos que existiram desde então. No fundo, a intenção continua a ser a mesma do documento orignal: Ter um guia útil para compra e montagem de componentes que no final permitam obter um projector caseiro, a uma fracção do custo de um projector de fábrica, recorrendo a uma lâmpada HQI cujo custo é mínimo quando comparada com as lâmpadas de mercúrio dos projectores de fábrica A ideia base na fabricação destes projectores é ter uma fonte de iluminação bastante potente que passe por um monitor LCD e projecte imagens de grande dimensão. Para tal é necessário por um conjunto de lentes e inserir correctamente dentro de uma caixa todos os componentes segundo um esquema determinado, bem afinado, para se ter no final um ecrã bem focado, com boa distribuição da luminosidade por toda a área de projecção. Uma configuração básica de elementos a colocar dentro de uma caixa pode ser a seguinte:

3 Componentes Básicos Necessários A) Lâmpada É o principal de um projector, quer seja caseiro, quer seja profissional de fábrica. A quantidade de luz que passa pela fonte de imagens determina a luminosidade no ecrã de projecção. Devemos escolher uma lâmpada com bastante luminosidade, com uma temperatura de cor que não prejudique as imagens a projectar, e que ao mesmo tempo seja barata e de longa duração. As lâmpadas de Halogéneo Metálico (HQI) têm todas estas características e, com lâmpadas de 250W ou 400W obtemos resultados muito interessantes tendo em conta as suas horas de vida útil em média e temperaturas de cor de ºk. Para funcionarem precisam de ser conjugadas com um casquilho, balaústre, arrancador e condensador. Estes elementos são conhecidos como Kit de iluminação. Exemplo de lâmpadas HQI: B) Reflector Este elemento deve ser colocado imediatamente atrás do centro da lâmpada. Como já foi dito, o mais importante nos projectores é concentrar o máximo de luz e fazê-la passar pelas imagens a projectar, que no nosso caso estão num monitor LCD. Assim sendo, se colocarmos este reflector imediatamente atrás da lâmpada, evitamos a difusão anterior de luz, concentramo-la e enviamos mais alguma luz juntamente com a resultante da difusão posterior da lâmpada. Exemplo de reflector:

4 C) Condensadora É mais um elemento que tenta ajudar a reunir o máximo de luz de forma homogénea para enviar para o local onde as imagens passam. Deve ser colocada imediatamente à frente da lâmpada para atingir esse objectivo Exemplo de uma condensadora de 76mm D) Lentes Fresnel Para que a qualidade da luz que vai passar pelo monitor LCD seja elevada, temos de garantir que a luz a passar fá-lo da forma mais homogénea possível pela área total do monitor LCD. Este feito consegue-se com a utilização das Lentes Fresnel. As Lentes Fresnel são compostas de um lado liso e de um lado rugoso com círculos concêntricos. A parte lisa recolhe a luz em perpendicular, a parte rugosa fá-lo em um ângulo que varia conforme a distância focal da Lente. Nos nossos projectores caseiros a função das Lente Fresnel é efectuada em duas fases. Assim sendo, temos de as separar e colocar uma lente antes do monitor LCD e outra à frente do monitor LCD em que a primeira recebe a luz em ângulo recto e faz passar a mesma pelo monitor LCD, a segunda recebe a luz depois de ter passado pelo monitor LCD e envia-a em ângulo fechado para a Lente Triplet. As Lentes Fresnel normalmente vêm coladas e devemos separá-las com a ajuda de um x-acto e algum cuidado no processo.

5 As indicações das Lentes Fresnel devem ser guardadas para o projecto, se forem lentes que tenham uma focal de , significa que a primeira lente deve ser colocada a 21cm de distância da fonte de iluminação, o monitor LCD até 5 cm após esta lente, a segunda lente a outros máximos 5 cm à frente do monitor LCD, e a distância da Lente Triplet será de 31 cm após a segunda Lente Fresnel. Exemplo de Lentes Fresnel: E) Monitor LCD Este é também um dos elementos principais do projector. A sua qualidade e resolução irão ter grande efeito no desempenho final. Usualmente, os ecrãs de 5 ou 7 (polegadas) têm resoluções de 800x600 nativas, suficiente para ver DVD s, os ecrãs de 15 ou 17 têm 1024x768 nativas e os ecrãs de 19 têm 1920x1080 nativas já preparados para Alta Definição. Tudo depende do fabricante do LCD e temos casos de monitores mais pequenos em tamanho com resoluções nativas superiores, e monitores maiores que não alcançam os valores da generalização que fiz acima. Se quiser investir e fazer um projector com resolução máxima em Alta-Definição, então é começar a escolher um monitor de 19 ou mais, que torna a concepção da caixa um pouco mais trabalhosa e volumosa. Há também, nas lojas especializadas neste assunto, alguns painéis da Toshiba e Hitachi que trazem num monitor de 7 resolução nativa de 1024x768 que pode alcançar por interpolação os 1920x1080. Estes painéis são ligeiramente mais caros que os monitores LCD normais no mercado mas têm a vantagem de estarem já desmontados por módulos e terem a protecção anti-glare retirada. A protecção anti-glare nos monitores LCD normais existe para evitar brilho excessivo que prejudique os olhos do utilizador. Para o nosso projector convém ter o máximo de brilho possível pelo que muitos, para além do estripar do LCD da sua caixa e separação por módulos, arriscam também retirar a protecção anti-glare com técnicas

6 que eu considero no mínimo muito arriscadas. Há quem tenha sucesso, há quem mande monitores para a sucata Fica de seguida um exemplo de monitores LCD de 7 muito populares nos projectos DIY (Do It Yourself) de projectores caseiros: os Hami e Lilliput. Há quem use também os monitores de 15 das Playstation1 que foram vendidos como complemento das mesmas, tornando-as autónomas de uma TV. Na minha modesta opinião, quem estiver confiante nas suas capacidades para um projecto destes, deveria comprar nas lojas indicadas na página um dos monitores de 7 que vêm já todos descascados e com uma boa resolução nativa de 1024x768, como aquele que se apresenta no exemplo seguinte.

7 No entanto, se já tem um monitor LCD de 15 pronto para esse assunto e é um dos candidatos a ser aberto com sucesso (ver lista actualizada em então sempre poupa esse dinheiro, mas ficará com uma caixa que no final ficará com dimensões superiores. F) Lente de Objectiva Triplet A função desta objectiva é levar as imagens que passaram pela segunda fresnel em condições para o ecrã de projecção. Tem três lentes (Concâva-Convexa ; Biconcâva e Convexa Concâva) que permitem fazer ajustes de focagem e corrigir aberrações cromáticas que se geram pela passagem pelas Lentes Fresnel. Estas objectivas podem ter uma distância focal fixa ou variável e dependerá da distância focal da objectiva a maior ou menor dimensão do ecrã. No entanto há outras questões associadas à questão fixa ou variável : As objectivas de com distância focal fixa tendem a deixar passar maior luminosidade mas implicam que a obtenção da focagem e tamanho do ecrã se faça com o aproximar ou afastar físico do projector do ecrã de projecção. As objectivas de distância focal variável (ou varifocal) permite efectuar o focar movendo internamente as lentes mas à custa de perder alguma luminosidade sem mexer muito a caixa do projector. As objectivas que estão mais bem comprovadas como boas para este tipo de projectos são as fixas com 265mm de focal. Para as varifocal as melhores são as de 260 a 300 mm. Com estas objectivas conseguem-se tamanhos de ecrã 2m de diagonal com o projector a 4m do ecrã de projecção e com boa iluminação. Estas objectivas são específicas para este tipo de serviço, as lentes de máquinas fotográficas ou projectores de slides não têm qualquer tipo de interesse. Exemplo de objectiva fixa e variável (por ordem na imagem): Outros Elementos A) Vidro Temperado Este vidro é utilizado para separar a zona de iluminação das Lentes Fresnel e do Monitor LCD. Devido às altas temperaturas que atingem estas lâmpadas, é imperativo proteger as Lentes Fresnel e o LCD de temperaturas nocivas ao seu funcionamento.

8 Exemplo de um vidro temperado: B) Vidro Laminado São dois vidros com espessura de 2mm unidos e com uma protecção anti-uv de modo a evitar que estes raios nocivos atinjam o monitor LCD. Devem ser colocados de seguida ao Vidro Temperado. C) Dissipadores Podem ser ventoinhas das vendidas nas casas de informática. A sua função é refrigerar tanto a área de iluminação extraindo o ar quente, como refrescar a zona do LCD para evitar que atinja temperaturas nocivas ao bom funcionamento do mesmo. Exemplo de dissipadores: D) Cabos FFC Cabos utilizados para ligar os vários componentes electrónicos do monitor LCD. É necessário arranjar na maioria das vezes cabos deste tipo de tamanhos elevados de modo a poder colocar da melhor forma o monitor LCD e o módulo de alimentação e controle do mesmo. Exemplo de Cabos FFC

9 E) Espelho FS É um componente utilizado pelos artistas destes projectos quando não querem efectuar o sistema de projecção directa para a objectiva. Se colocado em 90º projecta as imagens para a lente colocada na zona inferior direita da caixa. Assim sendo, consegue-se uma poupança de espaço em termos de comprimento quando comparado com um projecto a direito. Exemplo de Espelho FS: F) Material electrónico Outro material electrónico é o necessário para colocar no exterior os controlos de input para o monitor, alimentação do sistema, etc. Na maioria das vezes, e conforme a ideia de quem faz o projector, o necessário é: - ficha VGA; - ficha de antena; - ficha de alimentação; - duas fichas RCA no caso do monitor ter som; - ficha de alimentação; - cabos para ligações diversas (normalmente para fazer extensões). E) Material de bricolage Irá sempre ser necessário madeira para construir a caixa, várias ferragens para a construção da mesma e para colocar no local certo os vários componentes, tinta preta para pintar o interior da caixa, etc. A primeira parte deste manual está completa, fizemos a descrição de todos os componentes necessários, nas próximas duas partes vamos descrever como agrupar e colocar correctamente os componentes, e por fim dicas sobre ecrãs de projecção e os ajustes finais.

O VISOR TV. Texto e fotos: Paulo de Oliveira

O VISOR TV. Texto e fotos: Paulo de Oliveira O VISOR TV Texto e fotos: Paulo de Oliveira Quem quiser jogar pelo seguro e puder pagar esse conforto poderá adquirir, ou construir, um sistema de controlo remoto assistido por televisão. De qualquer modo

Leia mais

Forno Solar. Tipos de fornos solares: Caixa. Painel

Forno Solar. Tipos de fornos solares: Caixa. Painel Forno Solar O forno solar é um equipamento que, concentra os raios solares numa zona, permitindo aquecer os alimentos depositados num recipiente fechado, aí colocado. O primeiro forno solar foi criado

Leia mais

INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO

INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO ANTES DE UTILIZAR A PLACA DE FOGÃO SUGESTÕES PARA A PROTECÇÃO DO AMBIENTE PRECAUÇÕES E RECOMENDAÇÕES GERAIS SUGESTÕES PARA POUPANÇA DE ENERGIA CUIDADOS E MANUTENÇÃO GUIA PARA RESOLUÇÃO

Leia mais

NEX-3/NEX-5/NEX-5C A-DRG-100-52(1) 2010 Sony Corporation

NEX-3/NEX-5/NEX-5C A-DRG-100-52(1) 2010 Sony Corporation NEX-3/NEX-5/NEX-5C As funções 3D disponibilizadas por esta actualização de firmware são descritas neste folheto. Por favor consulte o Manual de instruções e o Manual da α que estão incluídos no CD-ROM

Leia mais

Página 1 de 15 MANUAL TÉCNICO

Página 1 de 15 MANUAL TÉCNICO Página 1 de 15 MANUAL TÉCNICO Antes de iniciar a montagem: Aconselhamos que as tábuas Easydeck sejam desembaladas 48 horas antes de proceder à sua montagem, de forma a permitir que estas se adaptem às

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA GRUAS TORRE 2 DESCRIÇÃO As gruas torre são máquinas utilizadas para elevação de cargas (por meio de um cabo), e transporte dentro de um raio

Leia mais

com a qualidade e características deste produto, mas recomendados que leia cuidadosamente estas instruções para tirar o melhor partido da sua compra.

com a qualidade e características deste produto, mas recomendados que leia cuidadosamente estas instruções para tirar o melhor partido da sua compra. ÍNDICE 1. Introdução 3. Instruções de segurança 4. Características do produto 5. Instruções de utilização 6. Manutenção 8. Informação de eliminação de pilhas e produto 9. Declaração de conformidade 1.

Leia mais

ANTES DE UTILIZAR A PLACA EM VIDRO CERÂMICO

ANTES DE UTILIZAR A PLACA EM VIDRO CERÂMICO MANUAL DE UTILIZAÇÃO ANTES DE UTILIZAR A PLACA EM VIDRO CERÂMICO INSTALAÇÃO LIGAÇÃO ELÉCTRICA SUGESTÕES PARA POUPANÇA DE ENERGIA SUGESTÕES PARA A PROTECÇÃO DO AMBIENTE PRECAUÇÕES E RECOMENDAÇÕES GERAIS

Leia mais

Escolha da Objectiva. Quais as principais características das objectivas que servem de base para a escolha das suas lentes?

Escolha da Objectiva. Quais as principais características das objectivas que servem de base para a escolha das suas lentes? Escolha da Objectiva Quais as principais características das objectivas que servem de base para a escolha das suas lentes? As lentes, também conhecidas como objectivas, são a parte mais importante do seu

Leia mais

A capacidade de carga total com uso moderado é de aproximadamente 80% após 300 ciclos.

A capacidade de carga total com uso moderado é de aproximadamente 80% após 300 ciclos. Segurança da bateria A HP encara a segurança com muita seriedade e disponibiliza Material Safety Data Sheets (MSDS) (Fichas de dados de segurança de material; em inglês) que fornecem informações gerais

Leia mais

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL Ficha Informativa Nº 6 Disco rígido externo Um disco rígido externo é um suporte de dados móvel, não integrado no computador e que se liga a este por um cabo USB. Os discos rígidos externos são muitas

Leia mais

Esmeriladora - martelo de soldador - escova metálica - alicate com bloqueador - serra juntas - máscara ou óculos de proteção - luvas.

Esmeriladora - martelo de soldador - escova metálica - alicate com bloqueador - serra juntas - máscara ou óculos de proteção - luvas. FERRAMENTAS NECESSÁRIAS Esmeriladora - martelo de soldador - escova metálica - alicate com bloqueador - serra juntas - máscara ou óculos de proteção - luvas. COMO ESCOLHER OS MATERIAIS NECESSÁRIOS A máquina

Leia mais

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA Núcleo de Educação a Distância UniEvangélica 2 ÍNDICE 1 Introdução à Informática... 3 1. O Computador... 3 Teclado... 3 Mouse... 5 Monitor...

Leia mais

Plano de Negocio. O presente roteiro compreende os quatros elementos fundamentais da montagem do plano:

Plano de Negocio. O presente roteiro compreende os quatros elementos fundamentais da montagem do plano: Plano de Negocio 1 Um plano de negócios bem estruturado é fundamental para o sucesso do novo empreendimento. Muitos empreendedores fracassam por não terem feito com a devida atenção a lição de casa. O

Leia mais

LED. Dados ténicos da consola multi-funções: 2.5" TFT 640 (H) x 480 (V), 16.7 Mio. cores

LED. Dados ténicos da consola multi-funções: 2.5 TFT 640 (H) x 480 (V), 16.7 Mio. cores 2.5-10 cm Angulo 70 4. Problemas Cabeça da camera com lente 5.5 mm LED CMOS Camera Sem luz LED : Por favor ajustar a luz LED. LCD ligado mas sem imagem depois de ligar: Por favor verificar a ligação do

Leia mais

4.1. UML Diagramas de casos de uso

4.1. UML Diagramas de casos de uso Engenharia de Software 4.1. UML Diagramas de casos de uso Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Utilizados para ajudar na análise de requisitos Através da forma como o utilizador usa o sistema

Leia mais

O telescópio ideal: algumas reflexões Guilherme de Almeida

O telescópio ideal: algumas reflexões Guilherme de Almeida O telescópio ideal: algumas reflexões Guilherme de Almeida O conceito de ideal é demasiado difuso. Quem é que no dia-a-dia tem o automóvel ideal, o computador ideal, a casa ideal, a aparelhagem de som

Leia mais

BB_TRACKER. Comando de rotores TV para seguimento de satélites. Parte I

BB_TRACKER. Comando de rotores TV para seguimento de satélites. Parte I Por Carlos Miranda, CT4BB (http://www.carlosmiranda.net) Do que consta o sistema A ideia de realizar um sistema económico para seguir satélites de amador surgiu logo no momento em que andei com as antenas

Leia mais

Conectores de Vídeo Radiofreqüência (RF)

Conectores de Vídeo Radiofreqüência (RF) 15 Conectores de Vídeo Existem vários tipos de conexões de vídeo que você pode encontrar no PC e em aparelhos eletrônicos como TVs, aparelhos de DVD e videoprojetores. Apesar de a finalidade geral desses

Leia mais

Manual do Utilizador. Câmara Dash

Manual do Utilizador. Câmara Dash Manual do Utilizador Câmara Dash 87230 1. Conteúdo da Embalagem DVR Ednet para carro Cabo de alimentação 1,2 m Montagem por sucção Manual do Utilizador Carregador de carro 2. Vista Geral do Produto 1 2

Leia mais

Professora Bruna CADERNO 3. Capítulo 7 Lentes Esféricas. Página 242

Professora Bruna CADERNO 3. Capítulo 7 Lentes Esféricas. Página 242 CADERNO 3 Capítulo 7 Lentes Esféricas Página 242 LENTES ESFÉRICAS Uma lente é um sistema óptico feito de material transparente com um índice de refração diferente do meio onde será utilizada. Possuem formas

Leia mais

Top Guia In.Fra: Perguntas para fazer ao seu fornecedor de CFTV

Top Guia In.Fra: Perguntas para fazer ao seu fornecedor de CFTV Top Guia In.Fra: Perguntas para fazer ao seu fornecedor de CFTV 1ª Edição (v1.4) 1 Um projeto de segurança bem feito Até pouco tempo atrás o mercado de CFTV era dividido entre fabricantes de alto custo

Leia mais

Espresso 3000 - Cod. M0S04159 - Edizione 1H10

Espresso 3000 - Cod. M0S04159 - Edizione 1H10 10 2 3 6 4 5 15 8 7 9 14 16 11 12 1 13 18 17 19 20 Espresso 3000 - Cod. M0S04159 - Edizione 1H10 PORTOGUÊS Espresso 3000 1) Interruptor geral 2) Luz de aviso de funcionamento ON: máquina ligada 3) Luz

Leia mais

Métodos de marcação direta de peças. Identificação legível de máquina para indústrias automotivas e aeroespaciais

Métodos de marcação direta de peças. Identificação legível de máquina para indústrias automotivas e aeroespaciais Guia técnico Métodos de marcação direta de peças Identificação legível de máquina para indústrias automotivas e aeroespaciais A prática da Marcação Direta de Peças (DPM) é utilizada em muitas indústrias

Leia mais

INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA E INSTALAÇÃO

INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA E INSTALAÇÃO l INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA E INSTALAÇÃO DOCUMENTO TRADUZIDO A PARTIR DO ORIGINAL IMPORTANTE: Deverá ler atentamente todos os documentos antes do armazenamento, da instalação ou da utilização do material

Leia mais

O painel solar que aqui te deixamos é muito simples e fácil de ser produzido em casa. Por tal motivo, mão à obra!

O painel solar que aqui te deixamos é muito simples e fácil de ser produzido em casa. Por tal motivo, mão à obra! Vamos aproveitar a energia do sol - Parte II - Painel Solar Ao abrirmos a torneira da água quente raramente nos lembramos que tal implica um consumo de energia, normalmente obtida através do uso de combustíveis

Leia mais

GME-100C Olho Mágico Digital com campainha

GME-100C Olho Mágico Digital com campainha GME-100C Olho Mágico Digital com campainha Manual de Instruções Antes de tentar conectar ou operar este produto, por favor, leia atentamente estas instruções. Índice 1. Apresentação do Produto 1.1 Embalagem

Leia mais

Pronto! Partida. Uma nova forma de pintar. Tudo a postos. O novo rolo de pintura eléctrico PPR 250 para tintas de parede.

Pronto! Partida. Uma nova forma de pintar. Tudo a postos. O novo rolo de pintura eléctrico PPR 250 para tintas de parede. Uma nova forma de pintar. Tudo a postos. Partida. Pronto! O novo rolo de pintura eléctrico PPR 250 para tintas de parede. NOVO! O novo rolo de pintura eléctrico PPR 250 da Bosch a maneira mais fácil de

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR DA WEBCAM HP

MANUAL DO UTILIZADOR DA WEBCAM HP MANUAL DO UTILIZADOR DA WEBCAM HP v4.3.pt Part number: 5992-4251 Copyright 2008 2009 Hewlett-Packard Development Company, L.P. A informação deste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio. As

Leia mais

Índice. I. Vamos começar por estudar a bússola Página 7. II. E agora... vamos estudar ao ímanes Página 9

Índice. I. Vamos começar por estudar a bússola Página 7. II. E agora... vamos estudar ao ímanes Página 9 Índice Uma aventura no misterioso Mundo Magnético... página 3 Regras de segurança página 5 Um guia com Um pouco de Ciência pelo meio... página 6 I. Vamos começar por estudar a bússola Página 7 II. E agora...

Leia mais

MASTRO TELESCÄPICO CT1BAT

MASTRO TELESCÄPICO CT1BAT MASTRO TELESCÄPICO CT1BAT ou COMO FAZER UM MASTRO TELESCÄPICO, APRESENTÅVEL E FUNCIONAL, POR POUCO DINHEIRO (menos de 150,00) OlÄ companheiros Radioamadores! Todos nås, Radioamadores, temos os nossos constrangimentos.

Leia mais

Como representar uma lente convergente e uma lente divergente.

Como representar uma lente convergente e uma lente divergente. Lentes Esféricas Lente é todo meio transparente limitado por duas superfícies curvas ou uma curva e uma plana. São encontradas em lupas, microscópios, telescópios, máquinas fotográficas, projetores, filmadoras,

Leia mais

defi departamento de física www.defi.isep.ipp.pt

defi departamento de física www.defi.isep.ipp.pt defi departamento de física Laboratórios de Física www.defi.isep.ipp.pt Condensador de Placas Paralelas Instituto Superior de Engenharia do Porto- Departamento de Física Rua Dr. António Bernardino de Almeida,

Leia mais

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6 MANUAL DO UTILIZADOR A informação contida neste manual, pode ser alterada sem qualquer aviso prévio. A Estratega Software, apesar dos esforços constantes de actualização deste manual e do produto de software,

Leia mais

Controlo do sistema PT100M-NR

Controlo do sistema PT100M-NR Controlo do sistema PT100M-NR Manual de instalação PT100MNR-IPT083510 98-0017910 Versão 1.0 PT Índice Índice 1 Indicações sobre estas instruções.................... 5 1.1 Área de aplicação...................................

Leia mais

Tecnologias IXUS 210. Ecrã Táctil LCD PureColor II

Tecnologias IXUS 210. Ecrã Táctil LCD PureColor II Tecnologias IXUS 210 Interface Táctil Avançada A IXUS 210 inclui o ecrã táctil IXUS com a interface de utilizador mais avançada até hoje, proporcionando acesso ao menu principal da câmara, bem como ícones

Leia mais

Ao se falar sobre fotografia cinematográfica estão envolvidos diversos elementos que devem ser levados em consideração:

Ao se falar sobre fotografia cinematográfica estão envolvidos diversos elementos que devem ser levados em consideração: 1 OBJETIVAS E COMPOSIÇÃO Ao se falar sobre fotografia cinematográfica estão envolvidos diversos elementos que devem ser levados em consideração: 1 - AS LENTES: As objetivas são comumente chamadas de lentes,

Leia mais

Dicas de uso - Render Up (versão 3.6.7 ou superior)

Dicas de uso - Render Up (versão 3.6.7 ou superior) Dicas de uso - Render Up (versão 3.6.7 ou superior) Desenvolvido por: Procad Softwares para Layout Rua dos Cinamomos - 517 - Cinqüentenário CEP 95012-140 - Caxias do Sul - RS Brasil Fone/Fax: 54 3209 9200

Leia mais

Introdução... 3. 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação...

Introdução... 3. 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação... Índice Introdução... 3 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação... 4 II Entrada na Aplicação... 5 1. Informações... 6 1. Avaliação

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO DE CASAS DE BANHO

GUIA DE INSTALAÇÃO DE CASAS DE BANHO GUIA DE INSTALAÇÃO DE CASAS DE BANHO Guia passo a passo para instalar a sua nova casa de banho Esta brochura é o seu guia para preparar e instalar você mesmo a sua casa banho. No interior, vai encontrar

Leia mais

Guia de instalação AC 2014 AC 2017

Guia de instalação AC 2014 AC 2017 Guia de instalação AC 2014 AC 2017 Antena Yagi Dual Band AC 2014 AC 2017 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este guia foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

STC5 Redes de informação e comunicação

STC5 Redes de informação e comunicação STC5 Redes de informação e comunicação João Paulo Ferreira Técnico de organização de eventos Modulo: STC5 Redes de informação e comunicação Formador: Hélder Alvalade 0 Índice Introdução... 2 Desenvolvimento...

Leia mais

DEFIJI Semestre2014-1 10:07:19 1 INTRODUÇÃO

DEFIJI Semestre2014-1 10:07:19 1 INTRODUÇÃO 1 DEFIJI Semestre2014-1 Ótica Lentes Esféricos Prof. Robinson 10:07:19 1 O ÍNDICE DE REFRAÇÃO INTRODUÇÃO Quando a luz passa de um meio para outro, sua velocidade aumenta ou diminui devido as diferenças

Leia mais

Características das Imagens obtidas com o Microscópio Óptico Composto (M.O.C.)

Características das Imagens obtidas com o Microscópio Óptico Composto (M.O.C.) Escola Básica 2,3/S Michel Giacometti Características das Imagens obtidas com o Microscópio Óptico Composto (M.O.C.) Data de Entrega: Dia 2 de Fevereiro de 2010 Autor: Telmo Daniel Roseiro Rodrigues, Nº

Leia mais

Trabalho de Desenvolvimento de Sistemas de Software GereComSaber 2ª Fase

Trabalho de Desenvolvimento de Sistemas de Software GereComSaber 2ª Fase Universidade do Minho Departamento de Informática Desenvolvimento de Sistemas de Software Trabalho de Desenvolvimento de Sistemas de Software GereComSaber 2ª Fase Luana Georgia Lopes Telha nº 49379 Luís

Leia mais

FOTOGRAFAR O CÉU (PARTE I)

FOTOGRAFAR O CÉU (PARTE I) FOTOGRAFAR O CÉU (PARTE I) Pedro Ré http://www.astrosurf.com/re Fotografar o céu é uma ambição natural de muitas pessoas, entre as quais se contam os entusiastas de fotografia e de astronomia, os amantes

Leia mais

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional 40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional Essas 40 dicas são ótimas e assino embaixo. Foram passadas para mim pelo amigo Luiz Rodrigues, aluno também do Curso Online de Design Web. A fonte

Leia mais

Oficina de fotografia e tratamento de imagem. Facilitadora: Camila Silva Aula: 01

Oficina de fotografia e tratamento de imagem. Facilitadora: Camila Silva Aula: 01 Oficina de fotografia e tratamento de imagem Facilitadora: Camila Silva Aula: 01 Histórico da Fotografia A fotografia surgiu do desejo do homem retratar o mundo a sua volta. Desde os primórdios, com a

Leia mais

COMPONENTES PARA ANDAIMES PROFISSIONAIS

COMPONENTES PARA ANDAIMES PROFISSIONAIS Bastidores das Torres Rolantes Disponíveis em 2 larguras (0,75 e 1,35 m) de 4 degraus (1 m) e 7 degraus (2 m) Os degraus possuem uma superfície estriada antideslizante e a distância entre degraus é de

Leia mais

Os Computadores estão em todo o lado

Os Computadores estão em todo o lado Os Computadores estão em todo o lado => Os computadores na administração pública O governo dos Estados Unidos foi um dos primeiros utilizadores dos computadores durante a segunda Guerra Mundial e com a

Leia mais

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES OBJETIVO Assegurar a satisfação do cliente no pós-venda, desenvolvendo um relacionamento duradouro entre o vendedor e o cliente, além de conseguir indicações através de um sistema de follow-up (acompanhamento).

Leia mais

INSTALAÇÃO DE SISTEMAS AVAC

INSTALAÇÃO DE SISTEMAS AVAC INSTALAÇÃO DE SISTEMAS AVAC AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO Método de Soldadura X Método de Ranhurar INSTALAÇÃO DE SISTEMAS AVAC (AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO) Optimização Económica

Leia mais

Sistema de altifalantes Bluetooth 2.1 SP 120. Bedienungsanleitung Manual de instruções

Sistema de altifalantes Bluetooth 2.1 SP 120. Bedienungsanleitung Manual de instruções Sistema de altifalantes Bluetooth 2.1 SP 120 Bedienungsanleitung Manual de instruções Antes de conectar Agradecemos-lhe por haver adquirido este sistema de reprodução de multimédia. Para utilizar este

Leia mais

Projecto de uma mini mini-hídrica

Projecto de uma mini mini-hídrica Projecto de uma mini mini-hídrica José Pinto da Cunha 1 Lista de material 1 tupperware cilíndrico em PVC transparente com 20 cm e altura 9 cm;(marca Canasta; Continente; Jumbo) (ref. 5601323101891); 1

Leia mais

Estes sensores são constituídos por um reservatório, onde num dos lados está localizada uma fonte de raios gama (emissor) e do lado oposto um

Estes sensores são constituídos por um reservatório, onde num dos lados está localizada uma fonte de raios gama (emissor) e do lado oposto um Existem vários instrumentos de medição de nível que se baseiam na tendência que um determinado material tem de reflectir ou absorver radiação. Para medições de nível contínuas, os tipos mais comuns de

Leia mais

www.telecelula.com.br MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO, TERMO DE GARANTIA E SUPORTE Telecelula Magic LCD

www.telecelula.com.br MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO, TERMO DE GARANTIA E SUPORTE Telecelula Magic LCD www.telecelula.com.br MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO, TERMO DE GARANTIA E SUPORTE Telecelula Magic LCD INDÍCE MANUAL UTILIZAÇÃO MAGIC LCD 1. INTRODUÇÃO INSTALAÇÃO, GARANTIA... 3 1.1 COMO INSTALAR MAGIC

Leia mais

I. Perfil de elaboração:

I. Perfil de elaboração: Página: 1 I. Perfil de elaboração: Resultante do briefing com todas as partes intervenientes no projecto, com ênfase nas necessidades do cliente Zenlive será desenvolvido o supracitado projecto. Algumas

Leia mais

Manual de Atualização dos Móveis Make-up - Nova Iluminação Fev/08

Manual de Atualização dos Móveis Make-up - Nova Iluminação Fev/08 Manual de Atualização dos Móveis Make-up - Nova Iluminação Fev/08 bandeja de metal que fica na 1ª prateleira. Os Móveis Make-up estão passando por uma atualização. Ganharam um novo display e uma nova iluminação.

Leia mais

GIGrecibos. Sistema de Emissão de Recibos de Donativos. Para Igrejas. Produzido e distribuído por: VIBISinfor Rua Nova, 10 7490-250 MORA

GIGrecibos. Sistema de Emissão de Recibos de Donativos. Para Igrejas. Produzido e distribuído por: VIBISinfor Rua Nova, 10 7490-250 MORA wgig GIGrecibos Sistema de Emissão de Recibos de Donativos Para Igrejas Produzido e distribuído por: VIBISinfor Rua Nova, 10 7490-250 MORA tel: 266403273 www.vibis.com 1 Conteúdo wgig... 1 Avisos legais...

Leia mais

Termossifão pressurizado (EA8896) Manual de instruções. Manual de instruções. Termossifão pressurizado (EA8896)

Termossifão pressurizado (EA8896) Manual de instruções. Manual de instruções. Termossifão pressurizado (EA8896) Manual de instruções Termossifão pressurizado (EA8896) Índice 1. Aviso... 3 2. Caracteristicas técnicas... 4 3. Princípios da Operação... 4 3.1. Tubos de vácuo... 4 3.2. Heat Pipe... 5 4. Instalação...

Leia mais

PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas

PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas Página 1 de 7 PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas Página 2 de 7 PROCESSO CONSTRUTIVO 1. EECUÇÃO DE PINTURAS Esta actividade consiste nos trabalhos de pinturas nas paredes simples

Leia mais

Vídeo porteiro IV 300 LCD Intelbras

Vídeo porteiro IV 300 LCD Intelbras Vídeo porteiro IV 300 LCD Intelbras Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O vídeo porteiro IV 300 LCD Intelbras, com seu sistema de quatro cabos, oferece segurança

Leia mais

CM 50 P Aparelho anti-celulite Instruções de utilização

CM 50 P Aparelho anti-celulite Instruções de utilização CM 50 P P Aparelho anti-celulite Instruções de utilização Beurer GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm, Germany Tel.: +49 (0)731 / 39 89-144 Fax: +49 (0)731 / 39 89-255 www.beurer.de Mail: kd@beurer.de Portugues

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL INFRAVERMELHO TD-955

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL INFRAVERMELHO TD-955 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL INFRAVERMELHO TD-955 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

... Altamente eficiente. Fatiadora totalmente automática A 510 da Bizerba com balança integrada

... Altamente eficiente. Fatiadora totalmente automática A 510 da Bizerba com balança integrada ... Altamente eficiente Fatiadora totalmente automática A 510 da Bizerba com balança integrada A nova fatiadora totalmente automática A 510, combina apresentações apelativas de porções de produtos fatiados

Leia mais

2ºCiclo (5º e 6º Anos de escolaridade) 3ºCiclo (7º e 8º Anos de escolaridade)

2ºCiclo (5º e 6º Anos de escolaridade) 3ºCiclo (7º e 8º Anos de escolaridade) Escola Básica e Secundária de Velas Linhas de Exploração do Quadro de da Disciplina de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) Oferta de Escola 2ºCiclo (5º e 6º Anos de escolaridade) 3ºCiclo (7º

Leia mais

Suporte Universal para TV LCD/LED/Plasma de 32 até 60

Suporte Universal para TV LCD/LED/Plasma de 32 até 60 Suporte Universal para TV LCD/LED/Plasma de 32 até 60 Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas

Leia mais

Office Pro 850. Manual do utilizador User s Manual. www.mygrowing.com

Office Pro 850. Manual do utilizador User s Manual. www.mygrowing.com Office Pro 850 Manual do utilizador User s Manual www.mygrowing.com 1 Segurança e Precauções de utilização - Conservar estas instruções - este manual contém instruções importantes que devem ser seguidas

Leia mais

Seu manual do usuário KONICA MINOLTA BIZHUB PRO C5500 http://pt.yourpdfguides.com/dref/589352

Seu manual do usuário KONICA MINOLTA BIZHUB PRO C5500 http://pt.yourpdfguides.com/dref/589352 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para KONICA MINOLTA BIZHUB PRO C5500. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre

Leia mais

ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA

ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA Passos para Ligar 1. Verificar se o projector de Vídeo está ligado à corrente tomada do lado esquerdo do quadro, junto à porta, caso não esteja ligue a ficha tripla

Leia mais

SUPORTE FIXO DE PAREDE UNIVERSAL SIMPLE PARA PLASMA/LCD

SUPORTE FIXO DE PAREDE UNIVERSAL SIMPLE PARA PLASMA/LCD SUPORTE FIXO DE PAREDE UNIVERSAL SIMPLE PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 CARACTERÍSTICAS: -Para TV's Plasma ou LCD. -Compatível com todos os padrões VESA a partir de 100 (H) x 100 (V) mm. -Fixação

Leia mais

Refração da Luz Índice de refração absoluto Índice de refração relativo Leis da refração Reflexão total da luz Lentes Esféricas Vergência de uma lente

Refração da Luz Índice de refração absoluto Índice de refração relativo Leis da refração Reflexão total da luz Lentes Esféricas Vergência de uma lente Refração da Luz Índice de refração absoluto Índice de refração relativo Leis da refração Reflexão total da luz Lentes Esféricas Vergência de uma lente Introdução Você já deve ter reparado que, quando colocamos

Leia mais

CM 50. P Aparelho Anti-celulite. Instruções de utilização

CM 50. P Aparelho Anti-celulite. Instruções de utilização CM 50 PT P Aparelho Anti-celulite Instruções de utilização Beurer GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm, Germany Tel.: +49 (0)731 / 39 89-144 Fax: +49 (0)731 / 39 89-255 www.beurer.com Mail: kd@beurer.de Componentes

Leia mais

Como Fazer um Vídeo no Windows Live Movie Maker

Como Fazer um Vídeo no Windows Live Movie Maker Como Fazer um Vídeo no Windows Live Movie Maker Versão deste documento: 1 Data de edição deste documento: 12 de Julho de 2011 1. Vá ao Iniciar -> Todos os Programas -> Windows Live Movie Maker Iniciar

Leia mais

ESQUADRIAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II

ESQUADRIAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II ESQUADRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II ESQUADRIA Elemento da Vedação Vertical utilizado no fechamento de aberturas

Leia mais

Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE II Tecnologias de Aproveitamento de Calor -

Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE II Tecnologias de Aproveitamento de Calor - Tecnologias de Micro-Geração e Sistemas Periféricos PARTE II Tecnologias de Aproveitamento de Calor - 53 7 - Chillers de Absorção 54 7.1 Descrição da tecnologia Um chiller de água é uma máquina que tem

Leia mais

Controle e execute tudo o que está relacionado com Pessoal e Salários com um software eficaz e preparado para completar todas as tarefas nesta área

Controle e execute tudo o que está relacionado com Pessoal e Salários com um software eficaz e preparado para completar todas as tarefas nesta área Descritivo completo Pessoal 2008 Controle e execute tudo o que está relacionado com Pessoal e Salários com um software eficaz e preparado para completar todas as tarefas nesta área Benefícios Solução completa;

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS RELATÓRIO FINAL DE INSTRUMENTAÇÃO PARA ENSINO - F-809

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS RELATÓRIO FINAL DE INSTRUMENTAÇÃO PARA ENSINO - F-809 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS 10-1 RELATÓRIO FINAL DE INSTRUMENTAÇÃO PARA ENSINO - F-809 CONSTRUÇÃO DE SISTEMA ÓTICO A PARTIR DE LENTES DE ÁGUA Aluno: Rubens Granguelli Antoniazi RA: 009849 Professor

Leia mais

Deixar de dever e ter dinheiro para investir em 3 meses

Deixar de dever e ter dinheiro para investir em 3 meses Deixar de dever e ter dinheiro para investir em 3 meses Descubra a sua real situação financeira para ter controle sobre ela. É muito comum encontrar pessoas que gastam mais do que ganham e nem sequer se

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro I Curso Planejamento e Educação Financeira Uma parceria Órama e Dinheirama. Planejamento Financeiro Por Sandra Blanco Consultora de Investimentos da Órama, mais de anos de mercado,

Leia mais

http://www.comoorganizarcasamento.com

http://www.comoorganizarcasamento.com Como Planejar seu Casamento Sem Stress Copyright 2014 Este e- book é protegido pela Lei dos Direitos Autorais (Lei 9.610/98), é proibida a reprodução do livro por meio eletrônico ou impresso. O e- book

Leia mais

CLIPPER DE LA COURONNE

CLIPPER DE LA COURONNE Gebruiksaanwijzing Instructions for use Mode d emploi Anleitung Instrucciones de Uso Istruzioni d uso Bruksanvisning Brugsanvisning Bruksanvisning Käyttöohje Instruções de utilização TYPE 535409 V1 CLIPPER

Leia mais

5.3 Fabricação das placas PCB

5.3 Fabricação das placas PCB 5.3 Fabricação das placas PCB Algumas das placas acima mencionadas foram fabricadas pelo processo desenvolvido pelo departamento. No início, todas as placas eram para ser fabricadas com este processo,

Leia mais

HD 100. P Cobertor elétrico Instruções de utilização. BEURER GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm (Germany) www.beurer.com. 06.0.

HD 100. P Cobertor elétrico Instruções de utilização. BEURER GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm (Germany) www.beurer.com. 06.0. HD 100 P 06.0.43510 Hohenstein P Cobertor elétrico Instruções de utilização BEURER GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm (Germany) www.beurer.com Conteúdo 1. Volume de fornecimento... 3 1.1 Descrição do aparelho...

Leia mais

Detalhes DBC. - Manual versão 1.05 - Junho de 2012. o x i g ê n i o. Máscara de Solda de auto-escurecimento DBC-600 CA 27617.

Detalhes DBC. - Manual versão 1.05 - Junho de 2012. o x i g ê n i o. Máscara de Solda de auto-escurecimento DBC-600 CA 27617. DBC o x i g ê n i o Detalhes - Manual versão 1.0 - Junho de 2012 Máscara de Solda de auto-escurecimento DBC-00 CA 21 Manual do Usuário Índice Conteúdo 1) Breve histórico das máscaras 2) Componentes deste

Leia mais

AOM-7694 MONITOR DE OBSERVAÇÃO COLORIDO TELA PLANA DE 7 POLEGADAS MANUAL DO PROPRIETÁRIO. Características do modelo AOM-7694: www.asaelectronics.

AOM-7694 MONITOR DE OBSERVAÇÃO COLORIDO TELA PLANA DE 7 POLEGADAS MANUAL DO PROPRIETÁRIO. Características do modelo AOM-7694: www.asaelectronics. MONITOR DE OBSERVAÇÃO COLORIDO TELA PLANA DE 7 POLEGADAS MANUAL DO PROPRIETÁRIO Características do modelo AOM-7694: Painel de LCD colorido padrão automotivo de alto desempenho de 7 polegadas Entrada A/V

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DOS ORGANISMOS PROCARIOTAS

CARACTERÍSTICAS DOS ORGANISMOS PROCARIOTAS Escola Secundária do Padre António Manuel Oliveira de Lagoa Técnicas Laboratoriais de Biologia CARACTERÍSTICAS DOS ORGANISMOS PROCARIOTAS Pedro Pinto Nº 20 10ºA 23/01/2003 Introdução Esta actividade serviu

Leia mais

Albaenergy Solutions, Lda. Ar Condicionado

Albaenergy Solutions, Lda. Ar Condicionado Ar Condicionado Recorrendo à movimentação do ar estes equipamentos permitem, num curto espaço de tempo, climatizar um determinado espaço. Com estes sistemas podemos aquecer ou arrefecer o ambiente por

Leia mais

Instruções para utilização

Instruções para utilização Instruções para utilização MÁQUINA DE LAVAR ROUPA Português AWM 129 Sumário Instalação, 16-17-18-19 Desembalar e nivelar Ligações hidráulicas e eléctricas Primeiro ciclo de lavagem Dados técnicos Instruções

Leia mais

Actividade 2 Intensidade da luz

Actividade 2 Intensidade da luz Actividade 2 Intensidade da luz Conceitos matemáticos Materiais Representação gráfica dos dados Comparação de previsões de dados Relações: o quadrado do inverso Origens de erro e respectivos efeitos Conceitos

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO

MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO 1 1. AVISOS Leia este manual cuidadosamente antes de instalar e operar o equipamento. A operação da máquina deve estar de acordo com as instruções

Leia mais

PNV Divulgação de Boas Práticas. Rede de Frio. Ana Paula Abreu

PNV Divulgação de Boas Práticas. Rede de Frio. Ana Paula Abreu PNV Divulgação de Boas Práticas Rede de Frio Dezembro 2011 Ana Paula Abreu S. Farmacêuticos A efectividade e a segurança das vacinas dependem também das suas condições de transporte, de conservação e de

Leia mais

PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS

PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS SUMÁRIO INTRODUÇÃO 03 CONTROLE DE CONTAS 04 ENTENDER E CONTROLAR AS DESPESAS FIXAS E VARIÁVEIS 05 DEFINIR PRIORIDADES 07 IDENTIFICAR

Leia mais

FESTIVAL INTERNACIONAL DE JARDINS DE PONTE DE LIMA REGULAMENTO. 1º Objectivos

FESTIVAL INTERNACIONAL DE JARDINS DE PONTE DE LIMA REGULAMENTO. 1º Objectivos FESTIVAL INTERNACIONAL DE JARDINS DE PONTE DE LIMA REGULAMENTO 1º Objectivos São objectivos do Festival contribuir a nível local, nacional e internacional para uma maior sensibilidade para a arte dos jardins

Leia mais

PRIMEIRO A SEGURANÇA. Armazenamento e Manuseamento Seguro de Produtos de Limpeza e de Desinfecção. Seguir as Regras de Segurança:

PRIMEIRO A SEGURANÇA. Armazenamento e Manuseamento Seguro de Produtos de Limpeza e de Desinfecção. Seguir as Regras de Segurança: Seguir as Regras de Segurança: 1. Seguir sempre as recomendações e instruções de aplicação dos produtos de limpeza e de desinfecção. 2. Observar os pictogramas de perigo, as advertências de perigo e as

Leia mais

Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático

Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático Elementos que constituem o Computador O funcionamento do computador é possível devido aos vários elementos interligados que o constituem:

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Ultrassom Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13 Sensor Smart Ultrassom 1. Introdução Os sensores de ultrassom ou ultrassônicos são sensores que detectam

Leia mais

Lentes esféricas. Introdução. Materiais Necessários

Lentes esféricas. Introdução. Materiais Necessários Intro 01 Introdução Algumas lentes são chamadas convergentes e outras divergentes, mas você já viu alguma delas em ação? Mãos a obra para verificar esse fenômeno! Cadastrada por Xambim Baldez Material

Leia mais

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - CAMPUS DE PARNAÍBA CURSO: Técnico em Informática DISCIPLINA: Empreendedorismo PROFESSORA: CAROLINE PINTO GUEDES FERREIRA ELEMENTOS DO PLANO

Leia mais

Inspiron 14. Manual de serviço. 5000 Series. Modelo do computador: Inspiron 5448 Modelo normativo: P49G Tipo normativo: P49G001

Inspiron 14. Manual de serviço. 5000 Series. Modelo do computador: Inspiron 5448 Modelo normativo: P49G Tipo normativo: P49G001 Inspiron 14 5000 Series Manual de serviço Modelo do computador: Inspiron 5448 Modelo normativo: P49G Tipo normativo: P49G001 Notas, avisos e advertências NOTA: uma NOTA indica informações importantes que

Leia mais