Índice. I. Vamos começar por estudar a bússola Página 7. II. E agora... vamos estudar ao ímanes Página 9

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice. I. Vamos começar por estudar a bússola Página 7. II. E agora... vamos estudar ao ímanes Página 9"

Transcrição

1

2 Índice Uma aventura no misterioso Mundo Magnético... página 3 Regras de segurança página 5 Um guia com Um pouco de Ciência pelo meio... página 6 I. Vamos começar por estudar a bússola Página 7 II. E agora... vamos estudar ao ímanes Página 9 III. Quando um íman se aproxima da bússola... Página 10 IV. O campo magnético Página 12 IV. O electromagnetismo Página 13 2

3 Uma aventura no misterioso Mundo Magnético... Hoje vamos experimentar o Magnetismo e o electromagnetismo. Esta força, que parece misteriosa, mora bem dentro da matéria e é provocada pela forma como os electrões rodam em torno dos átomos, como planetas em torno do Sol. É um pouco complicado perceber as origens do magnetismo mas podemos estudar os seus efeitos e poderes. A Física, e em particular a Física dos Materiais, permite compreender o Magnetismo e os seus fenómenos e desenvolver materiais avançados que têm uma grande importância nos dias de hoje. És capaz de indicar equipamentos e objectos onde os materiais magnéticos sejam muito importantes? Discute este assunto com os teus colegas de grupo e regista as tuas descobertas na Ficha de Experiência. 3

4 Bem, eu posso enumerar uma série deles: Fitas e discos magnéticos para gravação Cabeças de leitura de gravadores de vídeo e som e de computadores Motores eléctricos... como dos carros de pista... Telefones Electro-ímanes Colunas de som Tiras magnéticas de cartões de crédito, multibanco e outros...certamente que te lembraste de outras coisas e a lista não tem fim... Como vês, inesperadamente, os materiais magnéticos estão por todo o lado! Hoje vais ser um verdadeiro Físico e experimentar o magnetismo e os seus efeitos. Vais estudar a bússola e os ímanes, conhecer o campo magnético e as suas relações com a corrente eléctrica. Vais estudar materiais magnéticos e não magnéticos e mesmo construir uma bússola. Vamos a isso? 4

5 Regras de segurança Os dois ímanes que vais usar são muito fortes e por vezes atraem-se com muita força. Tem cuidado para não entalares as pontas dos dedos. Os ímanes que vais experimentar são fortes e podem alterar a magnetização da bússola, estragando-a. Nunca aproximes demasiado os ímanes da bússola. Deixa sempre, pelo menos, uma distância de 5 cm. 5

6 Um guia com Um pouco de Ciência pelo meio... I. Vamos começar por estudar a bússola. Crê-se que as primeiras bússolas tenham sido utilizadas por marinheiros chineses por volta do ano de 850 da nossa era. A invenção terá então sido espalhada por astrónomos e cosmógrafos. No mundo ocidental começou a ser utilizada por volta do ano de Uma das primeiras descrições surge num documento de origem árabe escrito em 1242: uma agulha magnetizada, presa a um bóia de madeira e flutuando na água, aponta a Estrela Polar. Alguns historiadores defendem que, já nos anos 80 da nossa era, os chineses usavam o zinan (ver figura) para alinhar templos e outros edifícios importantes. Uma peça de minério de ferro, Esquema da primeira bússola chinesa o zinan talhada em forma de concha, rodava sobre uma placa de bronze polido indicando o Sul. 6

7 Põe uma bússola na palma da mão. Espera que o seu ponteiro fique imóvel e observa. 1. Como é a bússola? Escreve quatro frases que ajudem a descrevê-la. Sem a levantar da palma da mão, roda-a lentamente. 2. O que acontece? A agulha escura da bússola é atraída para o pólo norte magnético terrestre. A Terra, devido à sua constituição, é um íman gigante: ao longo de todo o planeta existe um campo magnético (semelhante ao dos ímanes) que converge nos pólos magnéticos terrestres o pólo magnético sul e o pólo magnético norte. No hemisfério norte a agulha escura da bússola é atraída para o pólo magnético norte. O norte magnético, para onde a agulha da bússola aponta, não indica exactamente a direcção do ponto cardeal Norte nem a direcção do Pólo Norte. O Pólo Norte geográfico é o local por onde passa o eixo imaginário de rotação da Terra. A diferença entre as suas posições chamase declinação magnética. A declinação varia conforme o local do mundo. Em Portugal é preciso 7

8 rodar a bússola cerca de 7º no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio para a orientar correctamente (no Canadá, por exemplo, pode ser superior a 40º!). 3. Para onde aponta o ponteiro escuro? Conseguirás orientar correctamente a bússola? 4. Desenha a bússola correctamente orientada escrevendo o nome dos 4 pontos cardeais principais. Escreve também o nome dos outros 4. Se precisares, pede ajuda ao teu professor. No quadro está escrito o nome de seis objectos. 5. Preenche a tabela da Ficha de Experiência indicando a direcção do ponto cardeal que corresponde a cada objecto. 6. Compara os teus resultados com o dos outros grupos. O que está a acontecer? Que conclusões podes tirar? 8

9 II. E agora...vamos estudar os ímanes. Pega nos dois ímanes de aquário e, com os colegas do teu grupo, explora o comportamento desse misterioso par Escreve, na ficha de experiência, uma frase por cada descoberta e observação feita. 2. Quando todos tiverem terminado comunica as tuas descobertas aos teus colegas. Acrescenta as descobertas dos outros grupos à tua lista. 9

10 III. Quando um íman se aproxima da bússola Vamos usar apenas um íman 2. Sê paciente. Espera sempre até a agulha da bússola ficar imóvel Põe uma bússola num dos cantos da mesa e noutro coloca o íman. Escolhe os dois cantos de tal forma que a agulha da bússola fique perpendicular ao íman. Não te esqueças de orientar correctamente a bússola. Arrastando LENTAMENTE o íman sobre a mesa, aproxima-o da bússola perpendicularmente e observa-a. Quando observares alguma coisa de especial pára. 1. Qual a distância entre o íman e a bússola nesse momento? O que acontece? Aproxima o íman LENTAMENTE, na perpendicular, até chegar a 5 cm da bússola. 10

11 2. O que observas? Que ponto cardeal indica a bússola? Roda o íman 180º sobre si próprio. 3. O que observas? Que ponto cardeal indica agora a bússola? O íman, tal como o campo magnético terrestre, também tem dois pólos. Marca, nas etiquetas existentes nas pontas do íman, o Pólo Norte e o Pólo Sul. Usando a mesma técnica marca, no outro íman, o Pólo Norte e o Pólo Sul. Sabendo quais são os pólos dos dois ímanes, repete a investigação que fizeste há pouco sobre os ímanes. Agora já podes responder a estas perguntas: 4. Quantos pólos magnéticos tem um íman? Quais são? 5. O pólo sul e o pólo norte do íman atraem-se ou repelem-se? 6. Os pólos sul de dois ímans atraem-se ou repelem-se? 11

12 7. Os pólos norte de dois ímans atraem-se ou repelem-se? 8. Que materiais atrai o pólo sul de um íman? E o pólo norte? 9. A agulha da bússola também está magnetizada. Onde está o Pólo Sul da agulha? Lembra-te do dito popular: os contrários atraem-se! 12

13 IV. O campo magnético. Agora vais tentar ver a forma do campo magnético do íman. Põe o íman por baixo da caixa com a limalha e observa. Move lentamente o íman pelas paredes da caixa. Segura o íman e a caixa ao mesmo tempo e sacode. Observa as formas e as linhas feitas pela limalha de ferro. Essas linhas são as linhas do Campo Magnético e indicam a sua força em cada ponto. Quanto mais próximas estiverem, mais forte é o campo magnético. 1. Faz um desenho do campo magnético, como tu achares que ele é. 2. Onde pensas que o campo magnético é mais forte? 3. Achas que o campo magnético tem volume? 13

14 V. O Electromagnetismo. Monta o circuito da figura usando a chave de fendas para ligar a forquilha ao casquilho (A) e a boca dos crocodilos para as outras ligações. Usa a ligação (B) para interruptor. Nos pontos (C) e (D) liga os crocodilos aos terminais dos fios. D B C A Verifica, fechando o interruptor se não tens problemas eléctricos. Abre o circuito. Coloca uma bússola dentro da caixa de acrílico e, rodando a caixa, alinha a agulha da bússola com o enrolamento de cobre. Orienta correctamente a bússola. 14

15 1. Fecha o circuito. O que aconteceu? 2. Que ponto cardeal indica a bússola? 3. Abre o circuito novamente. O que acontece? Sem alterar nem a posição da caixa nem a da bússola troca as ligações (C) e (D). 4. Que ponto cardeal indica agora a bússola? 5. O que acontece? Porque será que mexe a agulha quando passa corrente eléctrica na bobine? 15

Efeito magnético da corrente elétrica

Efeito magnético da corrente elétrica Efeito magnético da corrente elétrica Descoberta Um condutor percorrido por uma corrente elétrica faz desviar uma agulha magnética - efeito magnético da corrente elétrica. Observação Um condutor percorrido

Leia mais

VAMOS FAZER IOGURTE... E CONSTRUIR UMA IOGURTEIRA

VAMOS FAZER IOGURTE... E CONSTRUIR UMA IOGURTEIRA VAMOS FAZER IOGURTE... E CONSTRUIR UMA IOGURTEIRA Muitos de nós gostamos de iogurte. É um alimento rico, saudável e acessível. Mas já pensaste um pouco sobre o que é o iogurte? 1. Consegues dar exemplos

Leia mais

Eletromagnetismo: imãs, bobinas e campo magnético

Eletromagnetismo: imãs, bobinas e campo magnético Eletromagnetismo: imãs, bobinas e campo magnético 22 Eletromagnetismo: imãs, bobinas e campo magnético 23 Linhas do campo magnético O mapeamento do campo magnético produzido por um imã, pode ser feito

Leia mais

Laboratório de robótica

Laboratório de robótica CAMINHÃO TRANSPORTADOR 1. Introdução Laboratório Em uma região muito arborizada da cidade, há muitas árvores altas que perdem algumas folhas durante o dia, derrubando-as nos telhados das casas. Como as

Leia mais

XXIX Olimpíada Internacional de Física

XXIX Olimpíada Internacional de Física XXIX Olimpíada Internacional de Física Reykjavík, Islândia Parte Experimental Segunda-feira, 6 de Julho de 1998 Lê isto primeiro: Duração: 5 H 1. Utiliza apenas a esferográfica que te foi dada. 2. Usa

Leia mais

Navegar NA NET SEM PROBLEMAS

Navegar NA NET SEM PROBLEMAS r Navegar NA NET a SEM PROBLEMAS rr r rrr r rr r REDES SOCIAIS Atualmente a Internet faz parte das nossas vidas e todos utilizamos ou conhecemos alguém que utiliza uma ou várias Redes Sociais, que são

Leia mais

1- Nem sempre os alunos da tua turma se portam bem na aula de Ciências da Natureza. Porque razão isso acontece?

1- Nem sempre os alunos da tua turma se portam bem na aula de Ciências da Natureza. Porque razão isso acontece? 1.7.2. Regra de reconhecimento e de realização Questionários aos alunos do 2º Ciclo do Ensino Básico (2001) QUESTIONÁRIO AOS ALUNOS Escola Ano Turma Sexo F M Data / / Este questionário tem por objectivo

Leia mais

Competição internacional de Literacia Estatística do ISLP http://www.stat.auckland.ac.nz/~iase/islp/competition

Competição internacional de Literacia Estatística do ISLP http://www.stat.auckland.ac.nz/~iase/islp/competition Competição internacional de Literacia Estatística do ISLP http://www.stat.auckland.ac.nz/~iase/islp/competition 1.- Beber Coca-Cola e a saúde dos ossos. http://figurethis.org/ Os dados organizados em tabelas

Leia mais

Onde está o Polo Sul?

Onde está o Polo Sul? Onde está o Polo Sul? Guião da Actividade Texto de apoio para a actividade do professor na sala de aula Autor: Alberto Cabral Ferro Ilustrações: Paula Borrego Onde está o Polo Sul? Guião da Actividade

Leia mais

Percurso de 1 hora e meia, nem muito forte, nem muito suave, mas tens de suar e manter o ritmo cardíaco no regime aeróbico (de 70 a 80%).

Percurso de 1 hora e meia, nem muito forte, nem muito suave, mas tens de suar e manter o ritmo cardíaco no regime aeróbico (de 70 a 80%). PLANO DE TREINO Para competir é necessário algo mais do que pedalar, é necessário um plano de treino específico para XC. Este plano inclui treino de força no ginásio e horas a pedalar em estrada e montanha,

Leia mais

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Conhece os teus Direitos A caminho da tua Casa de Acolhimento Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Dados Pessoais Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - Telefone: Telemóvel: E

Leia mais

Projecto de uma mini mini-hídrica

Projecto de uma mini mini-hídrica Projecto de uma mini mini-hídrica José Pinto da Cunha 1 Lista de material 1 tupperware cilíndrico em PVC transparente com 20 cm e altura 9 cm;(marca Canasta; Continente; Jumbo) (ref. 5601323101891); 1

Leia mais

Como criar um Utilizador no Windows

Como criar um Utilizador no Windows 2013-05-08 11:00:17 Olá, como estás? Hoje vamos falar de um assunto que te vai ajudar a organizar o teu computador, assim como o dos teus pais, se o utilizares para as tuas aventuras informáticas. Muitas

Leia mais

Museu e Memória: os objectos contam a sua história Os objectos que encontras nos museus contam diversas histórias, sobre quem os fez, onde foram

Museu e Memória: os objectos contam a sua história Os objectos que encontras nos museus contam diversas histórias, sobre quem os fez, onde foram 4 Museu e Memória: os objectos contam a sua história Os objectos que encontras nos museus contam diversas histórias, sobre quem os fez, onde foram feitos e quando foram feitos. Queres saber algumas das

Leia mais

Ciências E Programa de Saúde

Ciências E Programa de Saúde Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Estado da Educação Ciências E Programa de Saúde 19 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE SP Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de

Leia mais

4ª - Sim, já instalei o programa em casa e tudo. Vou fazer muitas músicas e gravar-me a cantar nelas também.

4ª - Sim, já instalei o programa em casa e tudo. Vou fazer muitas músicas e gravar-me a cantar nelas também. Entrevistas: Por escrito: A_5: 1ª - É fazer uma música sozinha, como eu gosto, com a ajuda do computador. Abrimos a Ableton Live, criamos as faixas que precisamos, escolhemos a forma e como é que cada

Leia mais

Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos

Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos Apresentação da obra Sempre me disseram que os dragões eram todos maus e que devíamos fugir deles a sete pés. Mas,

Leia mais

Actividade: Semelhança de triângulos

Actividade: Semelhança de triângulos Apêndice 5 A Nota Explicativa Actividade: Semelhança de triângulos A tarefa de geometria dinâmica proposta, tem como principal objectivo proporcionar o envolvimento dos alunos em ambientes geométricos

Leia mais

Vamos Criar um Ponto de Restauro no Windows

Vamos Criar um Ponto de Restauro no Windows 2013-05-20 19:43:57 Olá meus caros pequenos génios informáticos. Hoje vamos continuar a ajudar-vos na protecção do vosso computador. Já falámos em melhorar o arranque do Windows, libertando-o de processos

Leia mais

COMO TRABALHAR COM BLOCOS LÓGICOS

COMO TRABALHAR COM BLOCOS LÓGICOS I. Descrição do Material: COMO TRABALHAR COM BLOCOS LÓGICOS Material criado por Dienes. Constitui-se de 48 peças, que combinam quatro atributos em cada uma sendo: Tamanho (grande e pequeno) Cor (amarelo,

Leia mais

A formação moral de um povo

A formação moral de um povo É um grande desafio evangelizar crianças nos dias de hoje. Somos a primeira geração que irá dizer aos pais e evangelizadores como evangelizar os pequeninos conectados. Houve um tempo em que nos colocávamos

Leia mais

Sequência (Níveis) na medida de área

Sequência (Níveis) na medida de área Sequência (Níveis) na medida de área Comparação A: Decalques da mão Rectângulo e triângulo Sobreposição das mãos Unidades não Estandardizadas Unidades Estandardizadas Concreto Representacional Símbólico

Leia mais

TESTE TIPO Nº2 SISTEMA SOLAR/ DISTÂNCIAS NO UNIVERSO/MOVIMENTOS DA TERRA

TESTE TIPO Nº2 SISTEMA SOLAR/ DISTÂNCIAS NO UNIVERSO/MOVIMENTOS DA TERRA TESTE TIPO Nº2 SISTEMA SOLAR/ DISTÂNCIAS NO UNIVERSO/MOVIMENTOS DA TERRA 1. Considera a figura 1, que representa um observador e o Sol no seu movimento, em três posições diferentes. Indica: Figura 1: O

Leia mais

I- EMISSÕES DE CO 2 E O FUTURO DO MUNDO

I- EMISSÕES DE CO 2 E O FUTURO DO MUNDO I- EMISSÕES DE CO 2 E O FUTURO DO MUNDO Começa por abrir o ficheiro TOP 20 CO2_PIB. Para além de uma página introdutória, encontrarás na página 2.1 os valores de emissão de dióxido de carbono (CO 2 ),

Leia mais

Conteúdos: Pronomes possessivos e demonstrativos

Conteúdos: Pronomes possessivos e demonstrativos Conteúdos: Pronomes possessivos e demonstrativos Habilidades: Reconhecer os pronomes demonstrativos como marca em relação à posição, ao espaço e ao tempo no texto; Habilidades: Compreender os pronomes

Leia mais

Exercícios de Física Eletromagnetismo

Exercícios de Física Eletromagnetismo Exercícios de Física Eletromagnetismo 1-Considerando as propriedades dos ímãs, assinale a alternativa correta. a) Quando temos dois ímãs, podemos afirmar que seus pólos magnéticos de mesmo nome (norte

Leia mais

Exercícios de Física Eletromagnetismo

Exercícios de Física Eletromagnetismo Exercícios de Física Eletromagnetismo 1-Considerando as propriedades dos ímãs, assinale a alternativa correta. a) Quando temos dois ímãs, podemos afirmar que seus pólos magnéticos de mesmo nome (norte

Leia mais

Exercícios Eletromagnetismo

Exercícios Eletromagnetismo Exercícios Eletromagnetismo 1-Considerando as propriedades dos ímãs, assinale a alternativa correta. a) Quando temos dois ímãs, podemos afirmar que seus pólos magnéticos de mesmo nome (norte e norte, ou

Leia mais

COMO PASSAR DE UMA IDEIA A UM PROJETO

COMO PASSAR DE UMA IDEIA A UM PROJETO COMO PASSAR DE UMA IDEIA A UM PROJETO TUTORIAL DE APOIO A IDEIA É O INÍCIO DO PERCURSO, E NÃO O FIM. AGORA QUE JÁ PARTILHASTE IDEIAS COM O TÉCNICO DO PROJETO E/OU COM OUTROS COLEGAS COM QUEM CRIASTE ATÉ

Leia mais

Sexta Lista - Fontes de Campo Magnético

Sexta Lista - Fontes de Campo Magnético Sexta Lista - Fontes de Campo Magnético FGE211 - Física III Sumário A Lei de Biot-Savart afirma que o campo magnético d B em um certo ponto devido a um elemento de comprimento d l que carrega consigo uma

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

Empurra e puxa. Domingo, Gaspar reúne a família para uma. A força é um vetor

Empurra e puxa. Domingo, Gaspar reúne a família para uma. A força é um vetor A U A UL LA Empurra e puxa Domingo, Gaspar reúne a família para uma voltinha de carro. Ele senta ao volante e dá a partida. Nada. Tenta outra vez e nada consegue. Diz então para todos: O carro não quer

Leia mais

Prova Final de Matemática. Caderno 2: 45 minutos. Tolerância: 15 minutos. 1.º Ciclo do Ensino Básico. Prova 42/2.ª Fase

Prova Final de Matemática. Caderno 2: 45 minutos. Tolerância: 15 minutos. 1.º Ciclo do Ensino Básico. Prova 42/2.ª Fase Prova Final de Matemática 1.º Ciclo do Ensino Básico Prova 42/2.ª Fase/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Documento de identificação Assinatura do Aluno CC

Leia mais

Matemática. Prova a de Aferição de. 1.º Ciclo do Ensino Básico. A preencher pelo aluno (não escrevas o teu nome): idade sexo: F M.

Matemática. Prova a de Aferição de. 1.º Ciclo do Ensino Básico. A preencher pelo aluno (não escrevas o teu nome): idade sexo: F M. A preencher pelo aluno (não escrevas o teu nome): idade sexo: F M A preencher pelo GAVE: n.º convencional da escola 2003 Prova a de Aferição de Matemática 1.º Ciclo do Ensino Básico A B C D E F Observações

Leia mais

Sequência de Ensino. É primordial que os alunos consigam compreender a ideia de que a Terra é esférica e do efeito gravidade associado a este facto.

Sequência de Ensino. É primordial que os alunos consigam compreender a ideia de que a Terra é esférica e do efeito gravidade associado a este facto. Sequência de Ensino Objectivos Qual a causa dos dias e das noites? E qual a causa das estações do ano? Explicar fenómenos como o dia e a noite e o movimento aparente do Sol. Representar o sistema solar

Leia mais

Projecto Ciência Viva: Ao Encontro do. Património. II Parte Tema: É HÚMIDO?

Projecto Ciência Viva: Ao Encontro do. Património. II Parte Tema: É HÚMIDO? Projecto Ciência Viva: Ao Encontro do Património II Parte Tema: É HÚMIDO? INTRODUÇÃO No nosso dia-a-dia utilizamos frequentemente o termo húmido(a), que significa levemente molhado. Usamos expressões como:

Leia mais

professordanilo.com Considerando a intensidade da aceleração da gravidade de tração em cada corda é de g 10 m / s, a intensidade da força

professordanilo.com Considerando a intensidade da aceleração da gravidade de tração em cada corda é de g 10 m / s, a intensidade da força 1. (Espcex (Aman) 015) Em uma espira condutora triangular equilátera, rígida e homogênea, com lado medindo 18 cm e massa igual a 4,0 g, circula uma corrente elétrica i de 6,0 A, no sentido anti-horário.

Leia mais

29-09-2011. Sumário. O Universo. Como nos podemos orientar com a ajuda das estrelas? Constelações. 05 e 06 29/09/2011

29-09-2011. Sumário. O Universo. Como nos podemos orientar com a ajuda das estrelas? Constelações. 05 e 06 29/09/2011 Sumário Conclusão da lição anterior. Correção do TPC. Figuras no céu estrelado: as constelações. Mapas celestes. Orientação pelas estrelas: pelo Sol e pela Estrela Polar. Atividade experimental: Será possível

Leia mais

O meu nome é PLIM. Tenho o nome do som de uma gota de água a cair. Sou a mascote em forma de gota de água, da empresa Águas de Coimbra.

O meu nome é PLIM. Tenho o nome do som de uma gota de água a cair. Sou a mascote em forma de gota de água, da empresa Águas de Coimbra. DESCOBRIR COM A ÁGUA DESCOBRIR COM A ÁGUA 2 Olá, O meu nome é PLIM. Tenho o nome do som de uma gota de água a cair. Sou a mascote em forma de gota de água, da empresa Águas de Coimbra. Eu e os meus irmãos

Leia mais

EXPOSIÇÕES. PROGRAMAÇÃO GERAL Público Geral Setembro 2012 NOVAS EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS

EXPOSIÇÕES. PROGRAMAÇÃO GERAL Público Geral Setembro 2012 NOVAS EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS PROGRAMAÇÃO GERAL Público Geral Setembro 2012 EXPOSIÇÕES Exposições Permanentes Exposições Temporárias Vencer a Distância - Cinco Séculos de Comunicações em Portugal História dos Correios e Telecomunicações

Leia mais

Curso de Formação Especializada em BE/CRE Módulo: Software Educativo e aprendizagem com as TIC

Curso de Formação Especializada em BE/CRE Módulo: Software Educativo e aprendizagem com as TIC Módulo: Software Educativo e aprendizagem com as TIC Trabalho realizado pelas professoras: Graça Pedrosa Ivone Pedroso Outubro 2003 Introdução Concordando com Papert, pensamos que a aprendizagem tipo familiar

Leia mais

Energia: Conceitos, produção, consumo e experimentos demonstrativos.

Energia: Conceitos, produção, consumo e experimentos demonstrativos. Energia: Conceitos, produção, consumo e experimentos demonstrativos. Ministrante: Janaína Rocha da Silva EXPERIMENTOS REALIZADOS NA OFICINA 1 MOTOR ELÉTRICO Material: 1 pilha grande Fio de cobre esmaltado

Leia mais

O que é coleta de dados?

O que é coleta de dados? O que é coleta de dados? Segundo Bandeira (2004) no projeto de pesquisa, o pesquisador deverá descrever detalhadamente o método que usará para coletar seus dados. Basicamente ele pode adotar como método

Leia mais

Livro com atividades para colorir, desenhar, construir, e muito mais! Este livro pertence a

Livro com atividades para colorir, desenhar, construir, e muito mais! Este livro pertence a Livro com atividades para colorir, desenhar, construir, e muito mais! Este livro pertence a CENTRO DE PSICOLOGIA APLICADA DO EXÉRCITO NÚCLEO DE APOIO PSICOLÓGICO E INTERVENÇÃO NA CRISE Edição - Julho 2014

Leia mais

Deverão ser apresentados os cálculos e/ou as justificativas das respostas.

Deverão ser apresentados os cálculos e/ou as justificativas das respostas. Ensino Médio Unidade Parque Atheneu Professor (a): Pedro Paulo Aluno (a): Série: 2ª Data: / / 2015. LISTA DE FÍSICA I Deverão ser apresentados os cálculos e/ou as justificativas das respostas. 1) (FAMERP

Leia mais

UNIDADE 1: PRECISA DE SABEDORIA? A BÍBLIA É A AUTORIDADE FINAL

UNIDADE 1: PRECISA DE SABEDORIA? A BÍBLIA É A AUTORIDADE FINAL Frutos-1 Impact0 LIÇÃO 1 VIVENDO A VIDA COM DEUS 9-11 Anos UNIDADE 1: PRECISA DE SABEDORIA? A BÍBLIA É A AUTORIDADE FINAL CONCEITO CHAVE A BÍBLIA ORIGINOU- SE COM DEUS E NÓS PODEMOS OLHAR PARA ELA COMO

Leia mais

PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS A PARTIR DE JOGOS 2º ANO. Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática

PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS A PARTIR DE JOGOS 2º ANO. Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS A PARTIR DE JOGOS 2º ANO Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática Piraquara Abril/214 1 JOGOS E PROPOSTAS DE TRABALHO PARA OS ALUNOS JOGO DOS 6 PALITOS

Leia mais

Aprender... Verónica & Ricardo 29 Outubro 2011. Brincando

Aprender... Verónica & Ricardo 29 Outubro 2011. Brincando Aprender... Verónica & Ricardo 29 Outubro 2011 Brincando A Cigana - Caravaggio Vamos colorir??? Reparaste qual o tema do nosso casamento? Estavas desatento? Pois é, hoje falámos de pintura. Que tal fazermos

Leia mais

Relatório Pré-Final de F709

Relatório Pré-Final de F709 Relatório Pré-Final de F709 Nome: Youssef Eduardo Khalifa RA:083108 Youssefkagebunshin x gmail.com Coordenador da Disciplina: Professor Dr. José Joaquin Lunazzi Extra-aula No primeiro extra-aula conversamos

Leia mais

O Conselho da Europa é uma organização internacional com 47 países membros. O seu trabalho afecta a vida de 150 milhões de crianças e jovens.

O Conselho da Europa é uma organização internacional com 47 países membros. O seu trabalho afecta a vida de 150 milhões de crianças e jovens. Os Serviços de Saúde Amigos das Crianças Crianças e Jovens: digam-nos o que pensam! O Conselho da Europa é uma organização internacional com 47 países membros. O seu trabalho afecta a vida de 150 milhões

Leia mais

SOBRE ESTE LIVRO > SIGAM AS PISTAS...

SOBRE ESTE LIVRO > SIGAM AS PISTAS... As pistas e propostas de trabalho que se seguem são apenas isso mesmo: propostas e pistas, pontos de partida, sugestões, pontapés de saída... Não são lições nem fichas de trabalho, não procuram respostas

Leia mais

Instrumentos de medidas Elétricas

Instrumentos de medidas Elétricas Instrumentos de medidas Elétricas Introdução Os instrumentos elétricos empregados na medição das grandezas elétricas apresentam um conjunto móvel que é deslocado aproveitando um dos efeitos da corrente

Leia mais

Campo magnético e campo eléctrico

Campo magnético e campo eléctrico Campo magnético e campo eléctrico Uma experiência muito simples permite ilustrar a ideia de campo de forças. Polvilhando com limalha de ferro um vidro colocado sobre um ou vários ímanes, observa-se um

Leia mais

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a Página 1 1 Como escrever um Estudo de Caso O que é um estudo de caso? Um estudo de caso é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a lembre-se de escrever um estudo de caso é que o caso

Leia mais

Introdução... 3. 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação...

Introdução... 3. 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação... Índice Introdução... 3 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação... 4 II Entrada na Aplicação... 5 1. Informações... 6 1. Avaliação

Leia mais

Entrevista A2. 2. Que idade tinhas quando começaste a pertencer a esta associação? R.: 13, 14 anos.

Entrevista A2. 2. Que idade tinhas quando começaste a pertencer a esta associação? R.: 13, 14 anos. Entrevista A2 1. Onde iniciaste o teu percurso na vida associativa? R.: Em Viana, convidaram-me para fazer parte do grupo de teatro, faltava uma pessoa para integrar o elenco. Mas em que associação? Na

Leia mais

Gabinete de Aconselhamento Vocacional e Psicológico FCT/UNL

Gabinete de Aconselhamento Vocacional e Psicológico FCT/UNL Sugestões Para o Teu Estudo Não há regras rígidas para um estudo efectivo e bem sucedido, pelo que cada pessoa deve desenvolver a sua própria abordagem ao mesmo. Contudo, no geral, o acto de estudar envolve

Leia mais

Laboratório didático de Física

Laboratório didático de Física Laboratório didático de Física Como redigir um relatório Como escrever um relatório? Esperamos nos próximos parágrafos passar algumas informações úteis para escrever um relatório. É possível que algumas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática Mestrado Profissional. Produto da Dissertação

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática Mestrado Profissional. Produto da Dissertação UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática Mestrado Profissional Produto da Dissertação Um estudo de caso sobre uma possibilidade para o ensino de Matemática

Leia mais

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa Este questionário contém perguntas sobre as tuas experiências e tipo de aprendizagem na disciplina de Ciências Naturais. Não há respostas correctas nem erradas, apenas as que correspondem à forma como

Leia mais

Configurando um Sensor

Configurando um Sensor Configurando um Sensor Vamos supor que temos um bloco NXT com um sensor de luz ligado na porta 3. Como dizemos isto ao Enchanting? 1. Clicar no botão Sensores. 2. Clicar no Botão Configurar Sensores. Aparece

Leia mais

MÚSICAS. Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé

MÚSICAS. Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé MÚSICAS Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé Hino da Praznik Do Fá Gosto de aqui estar Sol Do E contigo brincar E ao fim vou arranjar

Leia mais

Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Sistemas Digitais 2010/2011 Instituto Superior Técnico - Universidade Técnica de Lisboa

Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Sistemas Digitais 2010/2011 Instituto Superior Técnico - Universidade Técnica de Lisboa SISTEMAS DIGITAIS Ambiente de Trabalho e Portas Lógicas (Hardware) Objectivo: Este trabalho destina-se a pôr os alunos em contacto com o equipamento do laboratório, com os componentes a utilizar e com

Leia mais

GRITO CONTRA AS DROGAS

GRITO CONTRA AS DROGAS 7.º A GRITO CONTRA AS DROGAS As drogas são boas no início mas no fim, apanhas o vicio. Ficas intoxicado não te preocupes eu estou ao teu lado. Não tomes drogas ou ficas nas lonas não queiras ficar pedrado

Leia mais

Objetivo principal: aprender como definir e chamar funções.

Objetivo principal: aprender como definir e chamar funções. 12 NOME DA AULA: Escrevendo músicas Duração da aula: 45 60 minutos de músicas durante vários dias) Preparação: 5 minutos (se possível com introduções Objetivo principal: aprender como definir e chamar

Leia mais

Energia da Ponte. marcio.santos

Energia da Ponte. marcio.santos Energia da Ponte marcio.santos Energia das Pontes 1 Agradecimentos Agradeço a partir da essência do meu ser...... ao todo por todas as maravilhosas experiências que me tem oferecido durante este tempo

Leia mais

Actividade 2 Intensidade da luz

Actividade 2 Intensidade da luz Actividade 2 Intensidade da luz Conceitos matemáticos Materiais Representação gráfica dos dados Comparação de previsões de dados Relações: o quadrado do inverso Origens de erro e respectivos efeitos Conceitos

Leia mais

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro O meu brinquedo é um livro é um projecto de promoção da leitura proposto pela Associação

Leia mais

ESCOLA SALESIANA DE MANIQUE TESTE DE AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS FÍSICO-QUÍMICAS ANO LECTIVO 2010/2011

ESCOLA SALESIANA DE MANIQUE TESTE DE AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS FÍSICO-QUÍMICAS ANO LECTIVO 2010/2011 ESCOLA SALESIANA DE MANIQUE TESTE DE AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS FÍSICO-QUÍMICAS ANO LECTIVO 2010/2011 Nome: 7.º Ano Turma Nº: Encarregado de Educação: Classificação: Professor: 1. Observe a figura seguinte,

Leia mais

Antes de tudo fica aqui o aviso mais importante de todos os documentos relacionados com esta temática: este é um documento conceptual.

Antes de tudo fica aqui o aviso mais importante de todos os documentos relacionados com esta temática: este é um documento conceptual. PROJECTOR CASEIRO Antes de tudo fica aqui o aviso mais importante de todos os documentos relacionados com esta temática: este é um documento conceptual. Se não tem jeito para as pequenas ou grandes bricolages

Leia mais

EXPERIMENTO 11: DEMONSTRAÇÕES SOBRE ELETROMAGNETISMO. Observar, descrever e explicar algumas demonstrações de eletromagnetismo.

EXPERIMENTO 11: DEMONSTRAÇÕES SOBRE ELETROMAGNETISMO. Observar, descrever e explicar algumas demonstrações de eletromagnetismo. EXPERIMENTO 11: DEMONSTRAÇÕES SOBRE ELETROMAGNETISMO 11.1 OBJETIVOS Observar, descrever e explicar algumas demonstrações de eletromagnetismo. 11.2 INTRODUÇÃO Força de Lorentz Do ponto de vista formal,

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS CAMPO MAGNÉTICO

LISTA DE EXERCÍCIOS CAMPO MAGNÉTICO 1. (Fuvest 96) A figura esquematiza um ímã permanente, em forma de cruz de pequena espessura, e oito pequenas bússolas, colocadas sobre uma mesa. As letras N e S representam, respectivamente, pólos norte

Leia mais

Disciples of Christ Church Ministerio vida com vida Israel Costa 1

Disciples of Christ Church Ministerio vida com vida Israel Costa 1 Disciples of Christ Church Ministerio vida com vida Israel Costa 1 MANTO QUE TRAZ DE VOLTA O QUE FOI PERDIDO. Orou Eliseu e disse: Jeová, abre os seus olhos, para que veja. Abriu Jeová os olhos do moço,

Leia mais

A Escola e o Relógio de Sol Resumo

A Escola e o Relógio de Sol Resumo Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Matemática A Escola e o Relógio de Sol Resumo Autora: Raquel Duarte de Souza Orientador: Prof. Dr. José Antônio

Leia mais

defi departamento de física www.defi.isep.ipp.pt

defi departamento de física www.defi.isep.ipp.pt defi departamento de física Laboratórios de Física www.defi.isep.ipp.pt Condensador de Placas Paralelas Instituto Superior de Engenharia do Porto- Departamento de Física Rua Dr. António Bernardino de Almeida,

Leia mais

Dez Mandamentos. Índice. Moisés com as Tábuas da Lei, por Rembrandt

Dez Mandamentos. Índice. Moisés com as Tábuas da Lei, por Rembrandt Dez Mandamentos Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. (Redirecionado de Os dez mandamentos) Ir para: navegação, pesquisa Nota: Para outros significados, veja Dez Mandamentos (desambiguação). Moisés

Leia mais

Experimento 3 # Professor: Data: / / Nome: RA:

Experimento 3 # Professor: Data: / / Nome: RA: BC-0209 Fenômenos Eletromagnéticos Experimento 3 # Campo Magnético de Correntes Elétricas Professor: Data: / / Introdução e Objetivos Relatos históricos indicam que a bússola já era um instrumento utilizado

Leia mais

Microfone e altifalante. Conversão de um sinal sonoro num sinal elétrico. sinal elétrico num sinal sonoro.

Microfone e altifalante. Conversão de um sinal sonoro num sinal elétrico. sinal elétrico num sinal sonoro. Microfone e altifalante Conversão de um sinal sonoro num sinal elétrico. Conversão de um sinal elétrico num sinal sonoro. O funcionamento dos microfones e dos altifalantes baseia-se na: - acústica; - no

Leia mais

Caderno 1. Língua Portuguesa. Teste Intermédio de Língua Portuguesa. Caderno 1. Teste Intermédio. 2.º Ano de Escolaridade

Caderno 1. Língua Portuguesa. Teste Intermédio de Língua Portuguesa. Caderno 1. Teste Intermédio. 2.º Ano de Escolaridade Teste Intermédio de Língua Portuguesa Caderno 1 Teste Intermédio Língua Portuguesa 2.º Ano de Escolaridade Duração do Teste: 45 min (Caderno 1) + 30 min (pausa) + 45 min (Caderno 2) 31.05.2012 Nome do

Leia mais

TUTORIAL Noções básicas de PowerPoint 2007

TUTORIAL Noções básicas de PowerPoint 2007 TUTORIAL Noções básicas de PowerPoint 2007 Elaborado por: Miguel Marques (Professor TIC) Introdução As apresentações em PowerPoint servem para apoiar uma apresentação oral dos teus trabalhos. Neste tutorial

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADE 1

PLANO DE ATIVIDADE 1 PLANO DE ATIVIDADE 1 Questão-Problema Para que serve e como funciona o filtro? Material - Filtro de Aquário - 2 Garrafas de Plástico 2L - Tesoura - Colher - Copo transparente - Terra - Areia de Aquário

Leia mais

Transformador Trifásico [de isolamento]

Transformador Trifásico [de isolamento] ISTITTO POLITÉCICO DE ISE ESCOLA SPERIOR DE TECOLOGIA Transformador Trifásico [de isolamento] Ligações do transformador trifásico de isolamento. Objectivos * Conhecer as possibilidades para a transformação

Leia mais

Gabinete de Apoio ao Aluno e à Comunidade Educativa (GACE)

Gabinete de Apoio ao Aluno e à Comunidade Educativa (GACE) Núcleos de Estudo Caderno de Apoio Núcleos de Estudo 1 Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui? [perguntou a Alice] Isso depende muito de para onde é que queres ir disse o Gato.

Leia mais

EXPERIMENTAR PODE SER VOAR PARA OUTRO ESPAÇO

EXPERIMENTAR PODE SER VOAR PARA OUTRO ESPAÇO EXPERIMENTAR PODE SER VOAR PARA OUTRO ESPAÇO In: Pensar avaliação, melhorar a aprendizagem /IIE Lisboa: IIE, 1994 (...) tenho de observar o mundo a partir de outra óptica, outra lógica, e outros métodos

Leia mais

E L E T R O M AG N E T I S M O. Professor Alex Siqueira

E L E T R O M AG N E T I S M O. Professor Alex Siqueira E L E T R O M AG N E T I S M O Professor Alex Siqueira Equipe de Física UP 2015 DESCOBERTA DOS IMÃS Há muito tempo se observou que certos corpos tem a propriedade de atrair o ferro. Esses corpos foram

Leia mais

Sentido de número e visualização no pré escolar e primeiros anos

Sentido de número e visualização no pré escolar e primeiros anos no pré escolar e primeiros anos Cenfores 2009 As relações mais, menos e o mesmo que Estes conceitos são as relações mais básicas para o conceito de número no seu aspecto mais global e a criança começa

Leia mais

Escola Básica do 2º e 3º Ciclos S. Paio de Moreira de Cónegos

Escola Básica do 2º e 3º Ciclos S. Paio de Moreira de Cónegos Escola Básica do 2º e 3º Ciclos S. Paio de Moreira de Cónegos Ficha de Avaliação - Matemática 7. Ano A Nome: N.º: Turma: Classificação: Professor: Enc. Educ.: Esta ficha é constituída por duas partes,

Leia mais

Autores Larissa de Matos Guedes. Pedro Augusto do Nascimento. Thiago Moreira Brito

Autores Larissa de Matos Guedes. Pedro Augusto do Nascimento. Thiago Moreira Brito Autores Larissa de Matos Guedes Possui Curso Técnico Profissionalizante em Eletrotécnica pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás (1997). Graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade

Leia mais

SOCIEDADE ASTRONÔMICA BRASILEIRA SAB VII Olimpíada Brasileira de Astronomia VII OBA - 2004 Gabarito do nível 3 (para alunos da 5ª à 8ª série)

SOCIEDADE ASTRONÔMICA BRASILEIRA SAB VII Olimpíada Brasileira de Astronomia VII OBA - 2004 Gabarito do nível 3 (para alunos da 5ª à 8ª série) SOCIEDADE ASTRONÔMICA BRASILEIRA SAB VII Olimpíada Brasileira de Astronomia VII OBA - 2004 Gabarito do nível 3 (para alunos da 5ª à 8ª série) Questão 1) (1 ponto) Como você já deve saber o sistema solar

Leia mais

Define claramente o tema, o seu objectivo e os aspectos a desenvolver. De seguida deves ser capaz de levantar questões sobre o que pretendes

Define claramente o tema, o seu objectivo e os aspectos a desenvolver. De seguida deves ser capaz de levantar questões sobre o que pretendes Como fazes os teus trabalhos escritos? Há dois métodos para fazer trabalhos 1-Vais à Net copias a informação, colas num novo documento, imprimes e já está! 2-Pesquisas informação em fontes diversas, retiras

Leia mais

Modelo tridimensional das linhas de campo magnético

Modelo tridimensional das linhas de campo magnético F 609A Tópicos de Ensino de Física Modelo tridimensional das linhas de campo magnético Aluno: Marcelo Baldin Marco RA: 062694 baldinmarco@ig.com.br Orientador: Professor Doutor Ennio Peres da Silva lh2ennio@ifi.unicamp.br

Leia mais

PLANEJAMENTO IDENTIDADE

PLANEJAMENTO IDENTIDADE Professora: Clévis Appio PLANEJAMENTO IDENTIDADE Planejamento: Atividades envolvendo o nome Competências Leitura, escrita, oralidade e análise linguística. Objetivos Estratégias em Língua Portuguesa (contemplando

Leia mais

Instruções da Experiência

Instruções da Experiência Instruções da Experiência Duração A experiência terá a duração de 30 dias, com início no dia 4 de novembro de 2014 e podes dar-nos o teu contributo tanto quanto queiras, utilizando a funcionalidade de

Leia mais

C 1. 45 minutos. Prova de Aferição de Matemática. 1.º Ciclo do Ensino Básico 8 Páginas. Matemática/2012. PA Matemática/Cad.

C 1. 45 minutos. Prova de Aferição de Matemática. 1.º Ciclo do Ensino Básico 8 Páginas. Matemática/2012. PA Matemática/Cad. PROVA DE AFERIÇÃO DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO Matemática/2012 Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de janeiro A PREENCHER PELO ALUNO Rubrica do Professor Aplicador Nome completo A PREENCHER PELO AGRUPAMENTO

Leia mais

PARADOXO DA REALIZAÇÃO DE TRABALHO PELA FORÇA MAGNÉTICA

PARADOXO DA REALIZAÇÃO DE TRABALHO PELA FORÇA MAGNÉTICA PARADOXO DA REALIZAÇÃO DE TRABALHO PELA FORÇA MAGNÉTICA Marcelo da S. VIEIRA 1, Elder Eldervitch C. de OLIVEIRA 2, Pedro Carlos de Assis JÚNIOR 3,Christianne Vitor da SILVA 4, Félix Miguel de Oliveira

Leia mais

O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY.

O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY. O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY. Silvana da Silva Nogueira (FECLESC/UECE) Priscila Cavalcante Silva (FECLESC/UECE) Resumo O processo de aquisição

Leia mais

Data 23/01/2008. Guia do Professor. Introdução

Data 23/01/2008. Guia do Professor. Introdução Guia do Professor Data 23/01/2008 Introdução A inserção de tópicos da Eletricidade nas escolas de nível básico e médio é fundamental para a compreensão de alguns fenômenos da vida moderna. Você já imaginou

Leia mais

Cria o teu sinalizador de Morse e mostrada e envia algumas mensagens para teus amigos.

Cria o teu sinalizador de Morse e mostrada e envia algumas mensagens para teus amigos. Cria o teu sinalizador de Morse e mostrada e envia algumas mensagens para teus amigos. Vais precisar de um pouco de madeira, fios, bateria, suporte da lâmpada pequena e uma lâmpada, de lâminas de cobre

Leia mais

1. Descobertas de Oersted

1. Descobertas de Oersted Parte II - ELETROMAGNETISMO 1. Descobertas de Oersted Até o início do século XIX acreditava-se que não existia relação entre os fenômenos elétricos e magnéticos. Em 1819, um professor e físico dinamarquês

Leia mais

SUB12 Campeonato de Resolução de Problemas de Matemática Edição 2009/2010

SUB12 Campeonato de Resolução de Problemas de Matemática Edição 2009/2010 Puxa um banco ou uma cadeira O Sr. António fabrica na sua oficina de marcenaria bancos e cadeiras de madeira. Os bancos e as cadeiras têm pés exactamente iguais. Cada banco leva 3 pés e cada cadeira tem

Leia mais