ANP DECRETA FIM DO POSTO-CLONE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANP DECRETA FIM DO POSTO-CLONE"

Transcrição

1 Postos & Serviços é uma publicação mensal do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Lavarápidos e Estacionamentos de Santos e Região (Resan). Rua Manoel Tourinho, Santos/SP Tel: (13) Presidente José Camargo Hernandes Jornalista responsável, textos e editoração eletrônica Christiane Lourenço (MT b /SP) Repórter Renato Santana (textos e fotos) Colaboração: Luiz Alberto Carvalho, Marize A. Ramos e Maria do Socorro G. Costa Impressão: Demar Gráfica Tiragem: exemplares As opiniões emitidas em artigos assinados publicados nesta revista são de total responsabilidade de seus autores. Reprodução de textos autorizada desde que citada a fonte. O Resan e os produtores da revista não se responsabilizam pela veracidade das informações e qualidade dos produtos e serviços divulgados em anúncios veiculados neste informativo. ESPECIAL NOVAS NORMAS DA ABNT PARA POSTOS Páginas 4, 5, 6 e 7 ANP DECRETA FIM DO POSTO-CLONE Resolução 33 atualiza a Portaria 116 e define, entre outras regras, que o posto não pode exibir marca de companhia se estiver cadastrado como bandeira branca na ANP. Confira! Páginas 8 e 9 EDIÇÃO DEZEMBRO / 2008 EDITORIAL Somos como uma vitrine...3 NR As cores e suas regras...9 RETROSPECTIVA Acompanhe a análise de especialistas sobre 2008 e as perspectivas para o ano novo...10, 11 e 12 NOVIDADE Projeto de lei dá novo nome aos combustíveis nas bombas...13 VENDAS Livros invadem as lojas de conveniência e garantem lucro...14 e 15 SEM ENXOFRE Diesel S-50 chegará à Baixada Santista apenas em INDICADORES Ranking de preços...17 ANIVERSÁRIO Confira nomes da 2ª quinzena de dezembro e 1ª de janeiro Agenda CAMPANHA Resan lança campanha contra exploração sexual de crianças

2 EDITORIAL JOSÉ CAMARGO HERNANDES SOMOS COMO UMA VITRINE AAo final de cada ano parece que somos atacados por crises nostálgicas. É bom sermos vítimas desse vírus. Afinal, recordar nos leva a refletir sobre como agimos e/ou reagimos em determinada situação. E autocrítica é uma virtude a ser cultivada, pois nos conduz ao aprimoramento, seja como empresário, cidadão e, principalmente, como ser humano. Assim, através dela tanto podemos rever posições equivocadas e erros, como reafirmar e incrementar convicções reconhecidamente construtivas. Nessa linha de reflexão e avaliação desse ano, quase em seu final, cobrado insistentemente pela equipe da Postos & Serviços, que queria o texto do editorial para esta edição da revista, tentei buscar inspiração relendo algumas de nossas publicações antigas. A crise nostálgica se acentuou... Constatei que desde quando foi fundado no não tão longínquo 1993 o Resan caracteriza-se por ser uma entidade inovadora e arrojada em suas propostas e, sobretudo, em sua forma de fazer sindicalismo patronal. Passados 15 finais de ano de sólido crescimento e amadurecimento, o Resan não só conseguiu conquistar, mas também consolidar confiabilidade e respeitabilidade junto ao quadro associativo, como também perante sindicatos congêneres, organismos governamentais e à opinião pública, particularmente dos consumidores de combustíveis da Baixada Santista, Litoral Sul e Vale do Ribeira. Isso pudemos constatar quando decidimos nos submeter à direta exposição e apreciação pública ao lançarmos em 2003 o Programa Permanente de Esclarecimento ao Consumidor de Combustíveis que tem na Cartilha do Consumidor de Combustíveis seu principal canal de comunicação. Agora, com o lançamento da campanha Diga Não à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, confesso que, a princípio fiquei preocupado com a abordagem pública que teria que fazer de um assunto muito delicado. O tema surgiu de discussões internas da Fecombustíveis, para dar cumprimento a uma lei federal que tornou obrigatória a divulgação de mensagem relativa à exploração sexual e tráfico de crianças e adolescentes apontando formas para efetuar denúncias. A preocupação se concentrava no fato de como seria entendido pelo associado e pelo público em geral a abordagem desse assunto. O Resan como entidade efetivamente transparente em sua ações e solidamente consciente de sua responsabilidades não pode omitir-se. Só para se ter uma idéia desse grave problema, somente em agosto último, segundo a Secretaria Especial dos Direitos Humanos, foram 94 denúncias recebidas no Disque 100, número de telefone gratuito para denúncias desse tipo de crime. Lastimavelmente em nossa região o problema também existe, por incrível que possa parecer. Para tanto, é nosso dever engajar o maior número possível de pessoas e empresas, justamente as que têm elevado conceito de cidadania, na divulgação dessa campanha. Figurativamente somos como uma vitrine que expõe o que de ruim e de bom possui a categoria empresarial que representamos, o ruim devemos extirpar; o bom temos que exaltar. Se através da campanha conseguirmos evitar que uma única criança seja poupada desse trágico destino, para nós do Resan, 2008 já terá sido um grande ano. Quanto as questões específicas da revenda, temos a consciência tranqüila de que também em 2008 cumprimos nosso dever, particularmente com a realização do I Encontro de Revendedores de Combustíveis da Baixada Santista, Litoral Sul e Vale do Ribeira, em agosto, no Mendes Convention Center. Um 2009 de muito sucesso e progresso para todos. Até!!! Para nós, do Resan, se uma única criança for poupada desse destino trágico, a campanha Diga não à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes já terá valido a pena 3

3 NOVA NORMA DA ABNT CRIA MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE POSTOS DDuas práticas mais do que comuns nos postos devem ser banidas imediatamente sob risco de autuação. São elas o abastecimento de motocicletas com o condutor sentado e a venda de combustíveis em saquinhos ou em garrafas PET. Esses são alguns dos poucos exemplos do que mudará no dia-a-dia de um posto com a publicação das normas de operação e manutenção para posto revendedor de combustíveis pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Depois de dois anos de estudo e de uma consulta nacional, a ABNT NBR passa a estabelecer os procedimentos mínimos para uma operação segura e ambientalmente adequada. Na prática, a NBR compila as práticas que já são conhecidas do setor, mas que nem sempre são aplicadas. Por enquanto estão disponíveis apenas duas das cinco fases já definidas: procedimento de operação e procedimento de manutenção. Ficarão para o final de 2009 as regras para troca de óleo e lavagem e de operação do sistema de armazenamento aéreo de combustíveis (SAAC). A última etapa será a de manutenção do SAAC, prevista para Segundo Maurício Prado, coordenador da Comissão de Distribuição e Armazenamento de Combustíveis de Postos e Serviços, da qual o Resan também é membro - representando a Fecombustíveis, no Brasil as normas são obrigatórias sempre que são citadas em alguma legislação, como é o caso da Conama 273. Por isso, diz ele, agentes de fiscalização poderão, sim, exigir o cumprimento da NBR e até autuar quem descumpri-la. Trata-se de um manual para administrar um posto de combustíveis. Não havia nada similar antes. Outras mudanças sempre foram revisões, mas essa é absolutamente nova. Surgiu da Resolução Conama 273 e guarda todas as relações com o posto revendedor, explica Avelino Morgado, assessor especial do Resan e membro da comissão de estudos da NBR. 4 Pela nova norma, o abastecimento em saquinhos plásticos e garrafas PET está proibido. Entretanto, ainda não há no mercado recipiente para este fim que esteja adequado às regras da NBR SEM MUITAS MUDANÇAS Embora a NBR não traga grandes novidades, sua função principal será a de dar transparência aos procedimentos adotados nos postos, principalmente aqueles que são vistoriados pelos agentes de fiscalização, explica Prado. Nos Estados Unidos, na década 90, foram gastos milhões de dólares para implantar novos procedimentos. Mas, só agora os postos estão passando por treinamento, o que novamente exigiu investimentos pesados. Aqui no Brasil, a NBR deve ser tida como a bíblia ou a cartilha do posto revendedor. Por isso, tanto o dono do posto quanto seus funcionários devem ser treinados para seguir as normas e, assim, operar adequadamente os equipamentos existentes. Minimizar prejuízos ao meio ambiente e garantir a segurança nas operações, protegendo tanto consumidores quanto os funcionários da revenda, são os principais objetivos da ABNT. Na prática, a publicação da NBR, que já está em vigor desde agosto deste ano, não complicará em nada o dia-adia da revenda. Pelo contrário: vai acabar com dúvidas e eliminar situações dúbias. É isso o que diz Maurício Prado: nos pressupúnhamos que essas normas estivessem sendo cumpridas, mas a prática revelou que havia muitas dúvidas e até desconhecimento.

4 MOTOS, A NOVIDADE Embora o revendedor já tivesse ouvido que não deveria permitir o abastecimento de motos com o condutor sentado, não existia nada na legislação que normatizasse o procedimento. É isso o que fez a NBR , que criou elencou os procedimentos de operação a serem seguidos nos postos. Por ele, o abastecimento de motocicletas, triciclos, bicicletas motorizadas ou outros veículos de pequeno porte deve ser feito sem pessoas sentadas, com vazão lenta, sem auxílio de funil e mantendo o contato entre o bico e o bocal durante o abastecimento. Imagine se há um transbordamento ou respingos que atinjam o condutor. Se houver alguma ignição o motociclista estará na linha de frente do fogo, adverte José Camargo Hernandes, presidente do Resan. SAQUINHOS OU PET, PROIBIDOS DE VEZ AAfinal, como atender um cliente que está com o carro em pane seca e vai ao posto buscar combustível? Pela nova NBR, os tradicionais saquinhos e as garrafas PET estão proibidos. Vender combustível fora do tanque do veículo só se for em embalagem rígida, adequada para este fim. O problema é que a indústria que atende aos postos não oferece ainda recipiente com essa finalidade. Numa das empresas consultadas por P&S, os saquinhos deixaram de ser vendidos há tempos por falta de qualidade por parte do fabricante. Havia muita reclamação de que ele rasgava no transporte, conta uma vendedora. Pelas regras, os recipientes de combustível devem ser rígidos, metálicos ou não-metálicos, devidamente certificados e fabricados para este fim, permitindo o escoamento da eletricidade estática gerada durante o abastecimento. Os não-metálicos devem ter capacidade máxima de 50 litros e atender aos regulamentos municipais, estaduais ou federais. Os recipientes devem ser abastecidos em até 95% de sua capacidade para evitar o transbordamento em caso de dilatação do produto. O abastecimento deve ser fora do veículo, apoiado sobre o piso, embutindo ao máximo possível o bico dentro do recipiente. BARCOS O abastecimento de volumes superiores a 50 litros, geralmente utilizados em embarcações ou maquinários, deve ser feito em recipientes metálicos, certificados N Nenhum equipamento instalado n u m posto pode ficar sem inspeção num intervalo máximo de três anos. O nível de inspeção e o intervalo devem ser determinados de acordo com o tipo de maquinário, as recomendações do fabricante, a zona da área classificada e o resultado de inspeções anteriores. A manutenção técnica deve ser obrigatoriamente realizada por profissionais comprovadamente qualificados. A rotina do posto exige, no entanto, manutenções e inspeções diárias, semanais, mensais, bimestrais e anuais. Entre as verificações diárias estão, por exemplo, bicos, mangueiras, válvulas de segurança de mangueira, filtro transparente, visor de pelo Inmetro, e pode ser feito sobre a carroceria do veículo, desde que garantida a continuidade elétrica do aterramento, durante o abastecimento, através do mínimo contato do bico com o bocal do recipiente. CARTILHA DEFINE PERIODICIDADE PARA INSPEÇÕES fluxo e unidade abastecedora (partes externa e interna). ESTOPA Atenção: a estopa não deve ser usada em hipótese alguma. Pela NBR , a limpeza deve ser feita com produto neutro biodegradável. TANQUE A norma exige que sempre ao substituir um produto no tanque seja realizada uma limpeza prévia. Também deve-se, com freqüência, verificar o nível de água no fundo dos tanques de diesel. Caso seja constatada a presença do líquido, deve ser efetuada a drenagem. A qualquer suspeita de vazamento deve ser solicitado ensaio de estanqueidade, a ser executado por empresa técnica especializada. Mensalmente, verifique o estado da sinalização de identificação dos produtos armazenados em cada um dos tanques. 5

5 FRENTISTA DEVE SEGUIR MANUAL À RISCA As tantas placas obrigatórias na pista de um posto, desde a que proíbe o fumo até a que pede que o motor do veículo seja desligado ao abastecimento, ganham ainda mais força com a NBR No capítulo Abastecimento de veículos automotores, um passo a passo é apresentado ao revendedor para que o atendimento seja padrão em qualquer posto do território nacional. Confira os procedimentos e não deixe de capacitar seus funcionários. A excelência no atendimento é o nosso diferencial. O revendedor mais exigente é também o mais reconhecido pelo consumidor que preza cada dia mais a qualidade não só do produto, mas do serviço em geral, diz Hernandes. A operação de abastecimento somente deve ser iniciada quando: a) não houver fonte de ignição na área de abastecimento e as instalações/ equipamentos elétricos estiverem em conformidade com a ABNT NBR b) o motor do veículo estiver desligado c) não existir pessoas fumando d) o atendende deve confirmar com o motorista o combustível a ser abastecido e) o mostrador mecânico ou display da bomba deve estar zerado Para iniciar o abastecimento, o veículo deve estar parado de modo que evite que a mangueira fique transpassada por baixo dele. O atendente deve, ainda: a) acionar manualmente os teclados da bomba, sem uso de canetas ou outros objetos b) retirar o bico de abastecimento do suporte, mantendo a ponteira para cima c) operar manualmente a alavanca de acionamento da bomba, sem ajuda de nenhum objeto d) manter a mangueira estendida e) inserir o bico de abastecimento no bocal do tanque do veículo Durante o abastecimento, o atendente deve: a) manter o contato entre o bico de abastecimento e o bocal do tanque b) permanecer na área de abastecimento, podendo realizar outras tarefas enquanto o abastecimento for efetuado por meio de bico automático c) operar de maneira contínua quando o abastecimento for efetuado por meio de bico simples, sendo proibido o travamento do gatilho. Neste caso, o frentista não pode realizar outras tarefas simultâneas d) interromper imediatamente a operação em caso de derramamentos, utilizando material absorvente para a remoção do produto Após o abastecimento, o frentista deve: a) destravar o bico automático, caso ainda esteja acionado b) retirar o bico de abastecimento do bocal do veículo, mantendo a ponteira para cima c) desligar a bomba recolocando o bico no suporte 6

6 DESCARGA DEVE SEGUIR PADRÃO RÍGIDO DE OPERAÇÃO NNa maioria dos casos, revendedores e gerentes de postos sabem de cor os procedimentos para a descarga de caminhão-tanque. O perigo está quando a autoconfiança se sobrepõe aos riscos efetivos de acidentes. Assim, a NBR inclui um capítulo especial sobre o assunto. Confira: 1antes de iniciar a descarga, verificar a necessidade de drenagem e limpeza no interior da câmera de contenção da descarga de combustível 2 antes da descarga, o atendente deve assegurar que nenhum veículo ou equipamento esteja posicionado na área onde estiverem o caminhãotanque ou os mangotes de descarga 3 o motorista deve estacionar o ca minhão de forma a retirá-lo facilmente, facilitando a fuga em eventual emergência 4o local de descarga deve ser isolado com cones de sinalização de tráfego ou outras barreiras, que devem ser colocados pelos motoristas, isolando a área 5 o motorista deve posicionar placas não fume e os extintores, que devem ser posicionados na área de descarga, acessíveis e disponíveis para operação durante a descarga 6 assegurar que o produto seja descarregado no compartimento correto 7identificar o dispositivo anti-transbordamento do tanque subterrâneo 8os bocais que não estiverem sen do utilizados, devem permanecer fechados 9conectar o cabo terra sempre primeiramente no ponto de descarga de combustível do tanque subterrâneo ou a um ponto de aterramento indicado na instalação para, em seguida, conectar no caminhão no dispositivo de descarga selada, acoplar o cachimbo da 10 mangueira do caminhão-tanque (também chamado de joelho ou canhão) ao bocal do tanque subterrâneo ou a um ponto de aterramento indicado na instalação para, em seguida, conectar no caminhão 11 conectar primeiramente o cachimbo de descarga no colar da descarga selada do tanque subterrâneo e em seguida no caminhão o motorista deve acompanhar 12 toda a operação de descarga, não se afastando das válvulas de fluxo do caminhão e do ponto de conexão do tubo de enchimento proibida a entrada de estranhos 13 na área de descarga interrom per a descarga nos 14 casos: - vazamento na conexão da mangueira, no dispositivo da descarga selada ou em qualquer ponto da linha de descarga - ejetado líquido pela extremidade da linha de respiro - transbordamento de combustível pela unidade de filtragem, quando existir - transbordamento de combustível pelo eliminador de ar da unidade abastecedora Estes são procedimentos mínimos para uma operação segura e ambientalmente adequada para capacitação da equipe e elaboração do plano de operação do posto revendedor a operação dos dispositivos antitransbordamentos deve con- 15 templar pelo menos um dos dispositivos abaixo: - válvula anti-transbordamento: bloqueia o fluxo ao atingir 95% da capacidade do tanque, que é percebido pelo visor do joelho da mangueira, devendo a válvula do caminhão ser fechada - válvula de retenção de esfera flutuante: ao atingir 90% da capacidade do tanque, o acionamento da válvula restringe o fluxo, devendo a válvula do caminhão ser fechada. Caso não seja possível aguardar a drenagem da mangueira antes de desengatar as conexões por falha nos procedimentos de descarga é necessário acionar a unidade abastecedora correspondente ao tanque para reduzir o nível de combustível. ABNT NBR alarme de transbordamento: o acionamento do alarme sonoro e visual ocorre ao atingir 90% da capacidade do tanque, devendo a válvula do caminhão-tanque ser imediatamente fechada e a mangueira drenada antes de desengatar as conexões. Desconectar o cabo terra primeiramente no caminhão-tanque e 16 em seguida no ponto de descarga do tanque. assegurar que a tampa do dispositivo de descarga selada e a 17 da câmara da descarga tenham sido recolocadas nos devidos locais não deve ser acionada a unidade abastecedora interligada ao 18 tanque que estiver recebendo produto assegurar que o compartimento 19 do caminhão-tanque descarregado tenha sido totalmente esvaziado 20 após a descarga, verificar a necessidade de drenagem e limpeza no interior da câmara de contenção da descarga de combustível. 7

7 NOVA RESOLUÇÃO DA ANP ACABA COM POSTO CLONE E EXIGE CUMPRIMENTO DA FICHA CADASTRAL Posto credenciado como bandeira branca não pode ostentar marca de uma distribuidora, mesmo que compre combustível apenas dela há anos. Para isso, terá de mudar documentação A ANP publicou no dia 14 de novembro as alterações propostas para a Portaria 116, a mais importante para o setor varejista de combustíveis. Discutida em audiência pública em agosto do ano passado, a Resolução 33/08 tem como principal missão combater os chamados postos clonados. Com regras mais claras para os revendedores que quiserem operar sem ostentar marca de uma distribuidora, tornando-se postos bandeira branca, a resolução também define novos prazos para alteração cadastral, o que beneficiará inclusive os postos que querem apenas mudar de parceiro comercial. Na prática, se atualmente um revendedor pode comprar combustível de uma companhia e expor sua marca mesmo que ele esteja credenciado na ANP como bandeira branca, a partir desta resolução esse modo de operação não é mais permitido. Assim, a principal mudança se refere aos casos de alteração quanto à opção de exibir ou não a marca comercial de um distribuidor de combustíveis. Assim, o revendedor prestes a mudar de distribuidora ou deixar de estar vinculado a uma marca deverá: a protocolar, junto à ANP, Ficha Cadastral de Solicitação de Atualização Cadastral de Marca Comercial/ Sócios de Posto Revendedor, no prazo de até 15 (quinze) dias contados a partir da data da alteração indicada na Ficha Cadastral; b 8 retirar todas as referências visuais da marca comercial do distribuidor antigo a partir da data de alteração informada à ANP, indicada na Ficha Cadastral As demais alterações que não se refiram à ostentação de marca continuam a ter o prazo de 30 dias para atualização dos dados cadastrais junto à Agência. Está previsto na resolução que o revendedor que optar por uma distribuidora, deverá exibir sua logomarca, no mínimo, na testeira do estabelecimento, Os postos BR são os mais clonados. Pela Resolução 33, é proibida a utilização de cores e suas denominações, se dispostas ou combinadas de modo peculiar e distintivo, ou caracteres que possam, manifestamente, confundir ou induzir a erro o consumidor de forma destacada, visível à distância, de dia e de noite, permitindo que o consumidor o reconheça facilmente. Não é preciso dizer que o posto só poderá adquirir e revender combustível fornecido pela mesma empresa cuja marca exibir. E no caso do bandeira branca? A resolução é clara: ele não poderá exibir marca comercial de distribuidor em suas instalações e deverá identificar, de Caso no endereço eletrônico da ANP conste que o revendedor não optou por exibir a marca comercial de um distribuidor de combustíveis líquidos, o revendedor varejista não poderá exibir marca comercial de distribuidor em suas instalações; e... deverá identificar, de forma destacada e de fácil visualização, em cada bomba abastecedora, a razão social ou o nome fantasia do distribuidor fornecedor do respectivo combustível e o CNPJ forma destacada e de fácil visualização, em cada bomba abastecedora, a razão social ou o nome fantasia do distribuidor fornecedor do respectivo combustível e o CNPJ. Até mesmo as cores e suas denominações, se dispostas ou combinadas de modo peculiar e distintivo, ou caracteres que possam, manifestamente, confundir ou induzir a erro o con-

8 sumidor estão proibidas. Devemos ressaltar que o uso das cores é permitido, e que ninguém tem exclusividade na sua utilização; mas deve-se ter cuidado redobrado para que a disposição dessas cores não seja igual ou semelhante à forma de disposição de cores adotadas por outros agentes do mercado, analisa Leonardo Canabrava, consultor jurídico da Fecombustíveis. Segundo ele, o revendedor que desejar ostentar marca própria deve acautelar-se para que o seu estabelecimento tenha uma identidade visual suficientemente singular para que não produza a confusão no consumidor. Nesse contexto, especial cuidado deve ser adotado quando o revendedor utilizar cores já identificadas com distribuidoras consagradas. Canabrava adverte para a necessidade de a fiscalização da ANP ter a sensibilidade necessária para autuar apenas os casos em que a confusão das imagens é manifesta (a própria resolução utiliza essa palavra, significando que casos duvidosos não devem ser objeto de autuação da Agência). TRANSIÇÃO A Resolução 33 torna mais clara e segura para o dono do posto o processo de transição do contrato comercial entre uma marca e outra. Dentro do prazo de 45 dias, contados a partir da data da Ficha Cadastral de Solicitação de Atualização Cadastral de Marca Comercial / Sócios de Posto Revendedor, o revendedor poderá efetuar a aquisição de combustíveis de outra companhia. As únicas ressalvas é que a documentação seja entregue à nova distribuidora e mantidas cópias no posto. A alteração cadastral, quando for deferida pela ANP, terá efeitos retroativos à data da solicitação, permitindo que o posto possa tomar as suas decisões comerciais com liberdade e agilidade, completa Canabrava. As novas regras, entretanto, concedem prazo apertado de apenas 15 dias para postos que mudaram de companhia trocarem toda a sua identidade visual, contados da publicação da resolução, em 13 de novembro passado. Após esse prazo, ele estará sujeito a autuação. NR 26 ESTABELECE O USO DE CORES DE SINALIZAÇÃO E ADVERTÊNCIA NOS POSTOS A Norma Regulamentadora 26, última desta série de reportagens iniciada em abril e destinada à atualização da categoria, trata das cores que, entre outras funções têm como objetivo evitar acidentes, identificando as áreas dentro do posto. No total, a NR prevê o uso de 12 cores, das quais oito devem ser adotadas em um posto de combustíveis. No entanto, em muitos estabelecimentos, como as tubulações passam por baixo da terra, o uso de cores é menor. Para evitar distrações e confusões, as cores servem apenas para delimitar áreas, identificar canalizações para condução de líquidos e gases e advertir contra riscos. De acordo com a NR, os postos devem usar as cores vermelha, amarela, branco, preto, verde, alumínio e marrom. Cada uma possui uma funcionalidade e só deve ser empregada quando necessário. SIGNIFICADOS Cada cor é aplicada à respectiva indicação desta NR. O vermelho é usado para distinguir e indicar equipamentos, aparelhos de proteção e combate de incêndio, enquanto o amarelo sempre é para alertar, sinalizar um Cuidado!. No caso do branco, o revendedor deve usá-lo para indicar bebedouro, corredores, circulação, zonas de segurança, áreas em torno de equipamentos de segurança. Canalizações de inflamáveis e combustíveis de alta viscosidade (óleo lubrificante e combustível) Extintores de incêndio devem ser sinalizados com as cores vermelho (para equipamentos de proteção e combate a incêndio) e amarelo (significa cuidado! ) levam a cor preta. Verde é a cor que caracteriza segurança. Já o alumínio para canalizações contendo gases liquefeitos, inflamáveis e combustíveis de baixa viscosidade (óleo diesel, querosene, gasolina, lubrificantes). Por último, o marrom, que serve para identificar qualquer fluído nãoidentificado por nenhuma das outras cores, mas sua funcionalidade fica a cargo da direção do posto. Para fins de segurança, os depósitos ou tanques fixos que armazenem fluidos deverão ser identificados pelo mesmo sistema de cores que as canalizações. Toda identificação por meio de cores tem como premissa a fácil visualização e é determinada pelo especialista em segurança do trabalho. 9

9 RETROSPECTIVA um ano de crise num cenário de crescimento 10 CComo já dizia um velho ditado, o mais importante é o caminho e não a chegada. Pensando nisso, a revista Postos & Serviços voltou a fita de 2008 para relembrar as principais cenas e episódios de um ano marcado por uma crise financeira sem precedentes e descobertas de petróleo nunca antes imaginadas pelos brasileiros. Sob a ótica das principais lideranças do setor de combustíveis do País, essa retrospectiva pode ser tomada com um balanço e termômetro para o ano que chega. Por hora, segundo os entrevistados, ela é positiva. Para o presidente da Fecombustíveis, Paulo Miranda, 2008 vai embora e deixa um ótimo legado. A começar pela Medida Provisória (MP) 413. Seu texto pedia a cobrança do PIS/COFINS do álcool combustível direto na fonte, no caso as usinas, como já acontece com as distribuidoras. O lobby dos usineiros foi maior, a MP não foi para frente, mas para Miranda já foi uma grande vitória. Foi um golpe na chamada fraude do álcool e a tendência é a cobrança ser feita integralmente na fonte (por enquanto é de apenas 60%). Outro aspecto positivo lembrado pelo presidente da Fecombustíveis é a Resolução 33 da Agência Nacional do Petróleo (ANP), que atualiza a Portaria 116 (veja matéria nas páginas 8 e 9). A resolução acaba com a questão do posto clonado. Também melhorou a questão da sucessão nos postos, até então demorada e complicada. Miranda ressalta que a portaria protege os empresários que investem na marca. O ano registra mais eficiência na fiscalização, que melhorou muito. É nítida a diminuição de fraudes. Devemos lembrar ainda das descobertas no setor do petróleo e o bom desempenho da indústria automobilística, acrescenta Miranda. Sobre 2009, o presidente da Fecombustíveis é taxativo ao dizer que a preocupação com a crise financeira mundial, que no Brasil derrubou o crédito e aumentou os juros, é central. Estamos torcendo para que essa situação não afete mais o que já afetou o crescimento do País, indispensável para o bom desempenho da revenda. Segundo Miranda, o setor espera um crescimento de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB). No centro do poder, a Fecombustíveis estará de olho no Código Brasileiro de Combustíveis, em tramitação na Câmara dos Deputados, e na Reforma Tributária, já em curso. Defendemos para esta reforma a unificação das alíquotas do ICMS para combustíveis em todos os estados, diz Miranda. Inclusive, a Federação estuda uma forma de entrar na Justiça pedindo a unificação. A brecha já existe: segundo a Constituição Federal, não se pode cobrar alíquotas elevadas para produtos de primeira necessidade. Apesar da crise, 2008 foi um bom ano para a revenda. Paulo Miranda (à esq) comemora a redução de fraudes e medidas aprovadas para melhorar a fiscalização. Já Alcides Amazonas, da ANP, cita trabalho árduo para zerar a adultaração

10 ANP TAMBÉM COMEMORA O ano foi muito bom e produtivo, mas os fraudadores são muito hábeis, sempre com novidades. É preciso manter a linha de trabalho em 2009, Alcides Amazonas AAlcides Amazonas, coordenador da ANP no Estado de São Paulo, avalia 2008 como muito positivo. Principalmente quando se fala da qualidade dos combustíveis. Inicialmente estávamos com força-tarefa apenas na Capital, agora o movimento cresceu e já está muito bem na Baixada Santista e ABC, comemora Amazonas. Desde 2004 a ANP toca o Programa de Monitoramento de Qualidade, diariamente. Este ano, a Agência conseguiu seu menor índice de adulteração: 1,4% no último trimestre, quando no ano passado fechou em 4,7%. Esse é um número só observado em países bem mais desenvolvidos que o nosso, lembra o coordenador. Na Baixada Santista a força-tarefa, trabalhando em conjunto com a Agência Metropolitana (Agem), registrou 0% de adulteração em Santos, Guarujá e Praia Grande. Um trabalho árduo e que envolveu muitos outros órgãos, ressalta. Amazonas comemora também a contratação do dobro de agentes que possuía e o recente preenchimento das vagas ociosas na própria direção da Agência. O ano foi muito bom e produtivo, sem dúvida. Ainda assim, o coordenador prevê um 2009 de muito trabalho porque os fraudadores são muito hábeis, sempre com novidades. É preciso manter a linha de trabalho. Entre os pontos prioritários para a Agência no ano que vem estão a intensificação da fiscalização nas usinas de álcool e mais acompanhamento da qualidade de lubrificantes, biodiesel e GNV. Todo este trabalho terá o aporte de laboratórios novos e na Baixada Santista, especificamente, queremos consolidar a força-tarefa, conclui. SINDICOM APOSTA NUM CONTÍNUO CRESCIMENTO DO SETOR NNa distribuição de combustíveis, o ano será lembrado como o da continuidade do crescimento do mercado de combustíveis. Alísio Vaz, vice-presidente executivo do Sindicato das Distribuidoras de Combustíveis (Sindicom), afirma que 2008 deve fechar na ordem de 9% de crescimento. Destaca-se o etanol hidratado, cujo consumo aparente deve crescer cerca de 50%. Como Paulo Miranda, Alísio Vaz acredita que outros fatores positivos deste ano incluem duas evoluções na área tributária: a introdução da Nota Fiscal Eletrônica para os combustíveis e o aprimoramento da tributação federal sobre o etanol, através da lei n Estes dois mecanismos têm grande potencial para reduzir a sonegação de tributos. (...) estimamos que cerca de 25% do volume consumido apresentam algum grau de evasão de tributos, diz. Para Vaz, 2009, de relevante, deverá ter a ABIEPS ESTÁ OTIMISTA APESAR DA CRISE De relevante para 2009 esperamos que a luta contra a adulteração seja vencedora e traga ao mercado e principalmente ao revendedor que não participa dessas práticas, um melhor equilíbrio. Isso é o que espera Carlos Zeppini, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos para Postos de Serviços (Abieps). P&S - Quais suas perspectivas para 2009? O que de mais relevante está previsto para acontecer? Zeppini - Mesmo com os acontecimentos que estão preocupando os mercados no mundo todo, continuamos otimistas e esperamos que o setor continue com investimentos para Isso devido a dois fatores básicos: o primeiro com respeito a adequação ambiental, que é uma exigência legal e que vem sendo cumprida; o segundo fator é devido a frota de veículos ter crescido intensamente nos últimos anos e com mais carros nas ruas eles tem que abastecer e o revendedor que estiver investindo do seu empreendimento vai conquistar esses consumidores. Reforma Tributária, na qual ele destaca dois pontos: a preservação da Cide, que passaria a ser o único tributo federal sobre os combustíveis, e a uniformização das alíquotas de ICMS. Alísio Vaz comemora crescimento de 9% IPIRANGA DESTACA FUSÃO O aumento do volume de combustíveis comercializado em 11,8% de janeiro a setembro, chegando a 61,3 milhões de litros, é um dos pontos positivos em 2008 destacados por Ricardo Maia, diretor de Marketing da Ipiranga. Além disso, houve uma movimentação de consolidação de players com a aquisição da Texaco pela Ipiranga e da Esso pela Cosan. P&S - Então o ano foi bom? Maia - Para a Ipiranga, o ano foi muito importante. Conseguimos ampliar a venda de combustíveis líquidos (gasolina, álcool, diesel) em 9,8% de janeiro a setembro, totalizando 8,5 milhões de litros. Outros projetos como Cartão Carbono Zero e a loja virtual Ipirangashop.com tiveram resultados significativos. Mas o grande destaque de 2008 foi a aquisição da Texaco, realizada em agosto pelo Grupo Ultra. Com essa operação, a Ipiranga volta a atuar em todo País como uma rede de 5 mil postos. A participação de mercado da empresa subiu para 23% e isso mostra a nossa posição de consolidadora do setor de combustíveis. P&S - Quais as perspectivas para 2009? Maia -Será o ano de consolidar a nossa presença no território nacional com a fusão da Texaco com a Ipiranga. 11

11 EM 2008 TIVEMOS SIGNIFICATIVAS MELHORIAS NO AMBIENTE COMPETITIVO, Edmario Machado, Diretor da Rede de Postos de Serviços da BR P&S - O que de mais importante ocorreu em 2008? Edmario - Acho que o ponto de maior destaque foi o aperfeiçoamento dos mecanismos de combate ao comércio irregular de combustíveis. Ações na área regulatória, como a Resolução ANP 7/07, por exemplo; na área fiscal, como a NF-e e o Sistema Público de Escrituração Digital- SPED; na área tributária, como a maior concentração do PIS/COFINS nos produtores de álcool; e na área de repressão, com a ação integrada entre ANP, Sefaz, Procon, polícias e prefeituras. Houve significativas melhorias no ambiente competitivo, o que nos leva a acreditar que poderemos ter uma competição mais saudável no próximo ano. P&S - Qual o saldo deste ano? Edmario - Muito positivo. Na BR vamos fechar o ano com uma forte consolidação de nossa marca nos principais mercados do país. Em 2009 continuaremos atuando para modernizar nossa rede e melhorar a qualidade dos serviços e do atendimento nos postos BR, pois acreditamos que a competição se deslocará dos preços para a qualidade dos produtos e do atendimento. Considerando que o mercado estará melhor regulado e fiscalizado, acreditamos que a chave do sucesso da revenda estará na mão do frentista. No caso da BR, o frentista representa toda a cadeia produtiva, do poço ao tanque dos automóveis, sendo a figura de maior importância, por atuar no momento final, em que precisamos assegurar que o consumidor seja bem atendido e retorne ao posto BR. Assim, é imprescindível que ele seja receptivo, ágil e esteja capacitado. Um simples erro ou uma postura inconveniente pode resultar em graves conseqüências. P&S - Quais suas perspectivas para 2009? O que de mais relevante está previsto? Edmario - Deveremos ter a aprovação pela ANP de alterações na Resolução 116, medida que é muito esperada pelo setor, uma vez que reforçará o combate ao comércio irregular de combustíveis. Desejamos que sejam intensificadas medidas dos órgãos fiscalizadores contra a adulteração de bombas e equipamentos de medição dos combustíveis, práticas que têm se revelado altamente prejudiciais aos consumidores e ao comércio ético. Outro ponto que certamente está gerando forte expectativa no setor é a resistência de alguns agentes econômicos na comercialização irregular de álcool, o que vem causando graves prejuízos aos estados e à livre concorrência. 12 É PRECISO MAIS EMPENHO E PARTICIPAÇÃO, PRINCIPALMENTE DO PODER JUDICIÁRIO, Jucelino Sousa, vice-presidente da ALE Combustíveis P&S - Qual balanço o sr. faz deste ano? Sousa - Intensificação do combate às irregularidades (sonegação de impostos) nas vendas de álcool hidratado, com ênfase na aprovação da MP 413. Aceleração do processo de consolidação do segmento com as aquisições da Esso, Texaco e Polipetro. Entrada de produtores de álcool no segmento de distribuição. Introdução da mistura obrigatória de 3% do biodiesel no diesel comum. O início da nota fiscal eletrônica nos combustíveis. P&S - Qual o saldo deste ano? Sousa - O saldo é positivo, muita coisa evoluiu, porém não foi neste ano ainda que os principais problemas do setor foram resolvidos definitivamente. A sonegação de impostos no álcool hidratado ainda é grande e a utilização da Nota Fiscal eletrônica como ferramenta de combate ainda não tem sido feita de forma eficiente pelos estados. A fiscalização por parte da ANP e do IPEM, principalmente em São Paulo, tem sido rigorosa, porém ainda insuficiente para debelar por completo as ações criminosas. Faz-se necessário mais empenho e participação, principalmente do Poder Judiciário. O biodiesel já é uma realidade, mas existem preocupações quanto a sustentabilidade dos fabricantes e do equilíbrio do sistema após a saída da Petrobras como agente regulador nos leilões. P&S - Quais suas perspectivas para 2009? O que de mais relevante está previsto para acontecer? Sousa - A grande questão é quanto ao impacto da crise financeira no segmento; o consumo deve crescer num ritmo mais lento que nos anos anteriores e a inadimplência deve aumentar. Outro aspecto é que os investimentos certamente serão mais seletivos e o nível de exigências na área ambiental deverá ser cada vez maior. O somatório desses fatores deverá acelerar mais ainda o processo de consolidação no segmento de distribuição. Infelizmente, momentos de crise são territórios férteis para a volta de irregularidades. Por isso, o Sindicom, a Fecombustíveis, o Poder Público e a sociedade precisam estar vigilantes e atuantes para que o combate à sonegação e às práticas de adulteração de produtos continue evoluindo. Existe também grande expectativa do segmento quanto à evolução da reforma tributária. É uma ótima oportunidade para correção de distorções derivadas das diferenças de alíquotas entre os Estados. Outro ponto importante para 2009 é o início de distribuição do diesel S-50 em algumas localidades. Foto Bruno Magalhães

12 PROJETO DE LEI DÁ NOVO NOME AOS COMBUSTÍVEIS VENDIDOS NAS BOMBAS JJá tramita em caráter conclusivo na Câmara dos Deputados um projeto de lei que dá novo nome aos combustíveis na bomba dos postos: o álcool passará a ser chamado de bio-etanol e a gasolina com mistura de 25% de álcool, de bio-gasolina G25E- Brasil. De autoria do deputado Gilmar Machado (PT-MG), o PL 4120/08 também fixa em 25% o percentual obrigatório de adição de álcool etílico anidro combustível à gasolina em todo o território nacional. A proposta em análise dá ao Governo autorização para reduzir esse percentual ao limite de 20%. A legislação atual (Lei 8723/03, que trata da redução de emissão de poluentes por veículos automotores) prevê um percentual obrigatório de 22%, podendo variar, de acordo com autorização do Poder Executivo, entre 20% e 25%. BIO-GASOLINA É inadmissível que até hoje o maior programa de bio-etanol do mundo, desenvolvido em nosso País e invejado por todos os outros países, não tenha feito registro do seu nome junto às bombas dos postos de combustível de todo o Brasil, afirma o deputado. Machado lembra ainda que a adição de etanol à gasolina é feita no Brasil há vários anos, sem que se tenha o registro desse fato nas bombas de combustível. Com sua proposta, explica, a cifra G25E deixa claro ao consumidor que a gasolina contém 25% de bio-etanol. PREÇO EM QUEDA? A ministra Dilma Roussef, presidente do Conselho de Administração da Petrobras, disse em audiência na Câmara dos Deputados, no final de novembro, que o preço dos combustíveis poderá cair nas refinarias em função da queda na cotação do barril de petróleo no mercado internacional. Vai haver, eu acredito, a partir do momento em que se estabilize o preço (do barril de petróleo) uma acomodação para baixo. A última redução de preços aconteceu em abril de 2003 (-6,5% para gasolina e -8,6% para o diesel). De lá para cá, o preço subiu cinco vezes. COLABORE!! A campanha Abasteça o Natal de Quem Precisa chegou ao seu 13º. ano consecutivo, reafirmando o compromisso do Resan de arrecadar várias toneladas de alimentos não-perecíveis e cestas básicas para a doação às entidades assistenciais credenciadas pelo sindicato em toda a região. O objetivo deste ano é superar o volume de doações de todos os anos, numa demonstração de que a categoria continua primando pela responsabilidade social mesmo num momento de crise como o vivido pelo mundo em Para participar, você pode comunicar a quantidade de cestas que serão doadas pela sua empresa e o total de doações conseguidas entre clientes e amigos pelo telefone (13) , com a srta. Socorro. 13

13 COM O CONSUMO EM ASCENÇÃO, LIVROS INVADEM AS GÔNDOLAS DAS LOJAS DE CONVENIÊNCIA JJosé Saramago, Érico Veríssimo e Dostoievski se tornaram personagens comuns nas lojas de conveniência. Tudo porque a venda de livros é, hoje, uma das grandes maneiras de diversificar o comércio nos postos de combustíveis, atendendo um perfil de consumo em ascensão no País. Os títulos esotéricos, espirituais, motivacionais e de auto-ajuda estão na lista dos mais vendidos. Tenho uma cliente que, a cada quinze dias, sai da loja com três, quatro livros, conta Daniela Carvalho, gerente do posto Portal 500 Anos, em São Vicente, onde os livros fazem parte das gôndolas há oito anos. Lá, por dia são vendidos 10 livros, enquanto aos finais de semana o número pula para 15. A revenda pode ser o termômetro do que vem acontecendo no País. Em 2001, a Câmara Brasileira do Livro (CBL) fez uma pesquisa sobre o índice anual de leitura e o resultado foi de 1,8 livros por habitante. No início deste ano, a CBL divulgou novo estudo com um salto para 4,7 livros por habitante. Por outro lado, o Fundo Pró-Leitura é a contrapartida do setor livreiro à desoneração de PIS/Cofins sobre o livro 1% do faturamento anual. O fundo tem a capacidade de gerar cerca de R$ 46 milhões por ano para financiar as ações previstas no Plano Nacional do Livro e da Leitura (PNLL). Tais fatores indicam aquecimento do setor livreiro. Segundo o relatório de produção e vendas do setor editorial brasileiro, feito pelo Sindicato Nacional de Editores de Livros (SNEL), o faturamento do segmento, em 2007, aumentou 6,41% em relação ao ano anterior; seguindo o mesmo critério de análise, cresceu 8,21% a quantidade de exemplares vendidos e 37,94% o números de livros rodados em 1ª edição. 14 NICHO A SER EXPLORADO MMais livros, mais consumidores. Sempre vendi razoavelmente. De uns meses para cá as vendas estão superando as expectativas, observa Daniela. A gerente aponta que o perfil dos consumidores é de mulheres, na faixa dos 30 aos 50 anos. Ponto, esse, comprovado pela CBL. Segundo a entidade, as mulheres lêem mais que os homens. Mesmo com o público feminino dominando a compra de livros nas lojas de conveniência, Daniela lembra que o serviço é muito abrangente e acaba satisfazendo perfis diferenciados de freqüentadores dos postos. Tenho clientes que compram sempre; chegam a levar quatro livros de uma vez. Como os títulos são variados, atendo a todos os gostos, explica. Ela aconselha: É um meio de conquistar um cliente diferenciado. Os preços das obras variam de R$ 9,90 a R$ 50,00 e ficam no posto por consignação. O revendedor ganha 20% sobre o valor de cada livro vendido. A média de saída, por loja de conveniência, é de 50 exemplares por mês. Mas os benefícios vão muito além dos números, principalmente quando as vendas aumentaram 32%, em apenas dois anos.

14 LOJAS DA REGIÃO RECEBEM 38 MIL LIVROS POR ANO A Catavento é uma empresa que trabalha desde 1964 com distribuição de livros. No começo fazia o serviço apenas para livrarias, depois avançou para hipermercados e há dois anos distribui livros para postos de combustíveis. Hoje, atende 450 lojas de conveniência nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, além da região Sul do País. Nesse perímetro de atuação, distribui 567 mil livros por ano. Na região do Resan, a empresa trabalha com quase 30 lojas de conveniência, com maior concentração na Baixada Santista. Para essas lojas a distribuição chega livros por ano. Uma de suas táticas para absorção no mercado varejista de combustíveis é fechar acordos nacionais, como, por exemplo, com a AM PM, da rede Ipiranga. Para um dos diretores da Catavento, Júlio César Cruz, o revendedor que disponibiliza livros em seu estabelecimento acaba atendendo outras necessidades dos clientes. Ambientes com maior pluralidade agregam mais pessoas. Buscamos oferecer um mix de produtos pensando nessa pluralidade, explica. SEM PREJUÍZOS Para o revendedor, os prejuízos são nulos. Todo material é consignado e por isso não gera estoque; a venda é de impacto, ou seja, os livros não concorrem com nenhum outro produto; para o comerciante não há gastos, apenas a necessidade de reservar um espaço para o display (local onde os livros ficam expostos) e, além de tudo isso, a possibilidade de diversificar a loja de conveniência, cada dia mais completa. A cada 30 dias a Catavento troca os 35 títulos consignados por outros diferentes, respeitando as obras de maior preferência dos consumidores. No geral, livros de desenvolvimento pessoal (motivacionais, por exemplo) são os que mais saem. Depois temos os de auto-ajuda, livros com temas femininos. Os livros infantis, afirma Cruz, estão surpreendendo em vendas. Entretanto, a cabeça do comerciante não deve ficar só no lucro. O revendedor acaba cumprindo um papel social importante porque os livros e a leitura são essenciais para o desenvolvimento social. É uma característica que agrega valor ao comércio, completa. SIMULADOR CALCULA VANTAGEM DO GNV SOBRE OUTROS COMBUSTÍVEIS EEstá disponível no site da CEG (www.ceg.com.br ) um simulador que calcula se o uso do Gás Natural Veicular (GNV) continua vantajoso perante outros combustíveis. Basta informar a quantidade de quilômetros rodados no mês para o sistema devolver um comparativo de gasto mensal com gasolina, álcool e GNV, de acordo com os preços médios conferidos na pesquisa semanal da ANP. O serviço é completo: o simulador informa também se a conversão do motor para GNV é vantajosa, mostrando o tempo de retorno do investimento. Na verdade, o cálculo é resultado da divisão do preço do álcool pelo do GNV. Se o resultado ficar acima de 0,5, vale utilizar o GNV. APEX-BRASIL PATROCINARÁ A FÓRMULA INDY PARA CONSOLIDAR O ETANOL A Fórmula Indy, movida exclusivamente a etanol desde 2007, será patrocinada pela APEX-Brasil. A decisão contribui para consolidar o etanol como commodity global. A assinatura do pré-acordo entre a APEX-Brasil e a Indy Racing League (IRL) ganha ainda mais destaque por envolver dois países que respondem juntos por mais de 75% do etanol mundial. O Brasil porque é o principal produtor, e os Estados Unidos por serem o maior consumidor. O presidente da UNICA (União da Indústria da Cana-de-Açúcar), Marcos Sawaya Jank, comemorou a notícia. Para ele, o uso de etanol oriundo de diferentes matérias-primas agrícolas na Formula Indy simbolizaria o sonho de uma maior integração energética dos países americanos, com potencial para se estender por todo o planeta. ANÚNCIO DA SEBIVAL ROSE, DA GRÁFICA DEMAR, JÁ ESTÁ COM ARTE ORIGINAL 15

15 DIESEL S-50, COM BAIXO TEOR DE ENXOFRE, CHEGARÁ À BAIXADA SANTISTA APENAS EM 2012 UUm Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado no dia 30 de outubro prevê que a partir do dia 1º. de janeiro de 2009 será obrigatória a utilização do diesel S-50 apenas nas frotas cativas de ônibus urbanos dos municípios de São Paulo e Rio de Janeiro. A Baixada Santista deverá receber o S- 50 apenas em Aprovado em uma reunião do Conselho Nacional do Meio Ambiente, o documento inclui a antecipação da adoção do diesel S-10 nos ônibus e caminhões em circulação no Brasil, para O impasse surgiu a partir da ação civil pública proposta pelo Governo de São Paulo, Cetesb e por entidades ambientalistas que não concordaram com o atraso das ações para o cumprimento da Resolução Conama 315/ 2002, que previa a utilização do diesel S-50, que reduz em 90% a poluição emitida pelos veículos, a partir de janeiro de Segundo nota oficial do Ministério do Meio Ambiente, a Petrobras investiu 4 bilhões de dólares em 12 refinarias para dessulfurizar (retirar o enxofre) o diesel, mas está atrasada e só produzirá a quantidade necessária do S-50 em O acordo muito criticado por ambientalistas que exigiam o cumprimento imediato da resolução estabeleceu uma nova etapa do Proconve (Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores), instituindo um padrão para 2012 equivalente ao Euro 5 e ao S-10, cinco vezes menos poluidor do que o S-50. Além disso, pelo TAC, também a partir de 1º. de janeiro, o diesel S-2000, distribuído no interior, terá que ter 1800 partes por milhão (ppm) de enxofre, pouco abaixo das 2000 ppm presentes no diesel atual. A sua extinção deverá ocorrer em Pelo TAC, os postos de combustíveis deverão ter pelo menos uma bomba para a venda do novo combustível até o início de REFINARIA DE CUBATÃO Já há condições de produzir esse combustível na RPBC, que faz parte de um programa negociado com o Ministério do Meio Ambiente, para a região metropolitana de São Paulo, afirmou o superintendente da RPBC, Willian França, em entrevista a Postos & Serviços. Em números, a Refinaria de Cubatão pode despejar no mercado IMPASSE O TAC patrocinado pelo Ministério Público Federal de São Paulo foi assinado pelo Governo Federal, Petrobras, Fecombustíveis, Agência Nacional do Petróleo (ANP), Anfavea, Governo do Estado de São Paulo e Cetesb esses dois últimos também autores da ação civil pública que colocou a questão na Justiça Federal. Pelo acordo entre MP Federal, Governo e outros órgãos, a partir de 1º. de janeiro de 2009 será obrigatória a utilização do diesel S-50 apenas nas frotas cativas de ônibus urbanos dos municípios de SP e RJ 30 mil m³ do Diesel S-50 por mês. Hoje a RPBC atende 85% da região de São Paulo produzindo em torno de 450 mil m³ de diesel metropolitano e marítimo, equivalentes ao S-500 e ao S O projeto não é necessariamente de apenas uma refinaria, mas de todo Sistema Petrobras. A companhia vai atender ao que ficou acordado entre as partes envolvidas, completou França. O superintendente ressaltou que o projeto do S-50 segue conforme o previsto, mesmo com a crise financeira, mas lembra da dependência do desenvolvimento de motores de veículos para a utilização do combustível. A Anfavea, por sua vez, alegou que a resolução concedia 36 meses para adequação de motores novos a partir da especificação do diesel limpo pela ANP, o que só ocorreu no ano passado. Ainda segundo o TAC, a Petrobras e montadoras terão de subsidiar projetos ambientais, como a construção de um laboratório de testes de motores que custará à Anfavea cerca de R$ 12 milhões e o investimento de R$ 1 milhão, por parte da Petrobras, no sistema de fiscalização da fumaça de São Paulo. BAIXADA SANTISTA Pelo TAC, somente em 2012 as determinações da resolução passam a entrar em vigor nas cidades de Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador e para as regiões metropolitanas de São Paulo, Baixada Santista, Campinas, São José dos Campos e Rio de Janeiro. Para as outras cidades, o diesel vai, até 2014, ser substituído gradativamente pelo S-500.

16 RANKING DE CUSTOS E PREÇOS OUTUBRO X NOVEMBRO 2008 Confira os índices máximos e mínimos e as variações de preços e custos de combustíveis, segundo dados oficiais da Agência Nacional de Petróleo (ANP). Os índices citados são referentes à média nacional, do Estado de São Paulo e de cinco cidades da Baixada Santista (Santos, São Vicente, Praia Grande, Itanhaém, Cubatão e Guarujá) e devem ser utilizados apenas como fonte de informação para o gerenciamento dos postos revendedores. INDICADORES OUTUBRO (1) Semana 26 a 31 PREÇO AO CONSUMIDOR NOVEMBRO(2) Semana 23 a 29 PREÇO AO CONSUMIDOR PREÇO DA DISTRIBUIDORA PREÇO DA DISTRIBUIDORA METODOLOGIA: O Levantamento de Preços e de Margens de Comercialização de Combustíveis abrange Gasolina Comum, Álcool Etílico Hidratado Combustível e Óleo Diesel Comum, pesquisados em 411 municípios em todo o Brasil, inclusive Estado de São Paulo e as cidades de Santos, São Vicente, Praia Grande, Itanhaém, Cubatão e Guarujá. O serviço é realizado pela empresa Polis Pesquisa LTDA., de acordo com procedimentos estabelecidos pela Portaria ANP Nº 202, de 15/08/00. O trabalho paralelo desenvolvido pelo Resan consiste em compilar os dados e calcular as médias de preços e custos praticados pela revenda e pelas distribuidoras, sempre com base nos dados fornecidos pelo site da ANP. Mais informações pelo ou pelo CONFIRA OS VALORES DE FORMAÇÃO DOS PREÇOS DA GASOLINA E DIESEL VARIAÇÕES (2-1) Média Consumidor Média Distribuidora Fonte: Fecombustíveis (*) Valores médios estimados 17

17 Variedades ANIVERSARIANTES 2ª QUINZENA DE DEZEMBRO 16 Reinaldo Kensuke Monma Auto Posto Cajati - Cajati 17 Cristina Nunes Bento Auto Posto Bom Amigo - Guarujá 18 Wilson Roberto Calpena Posto Conselheiro Nébias - Santos 23 Luciana Vilela de Carvalho Fase Quattro Comércio de Combustíveis Juquiá 24 Antônio Carlos Quintas de Pinho A. G. de Pinho & Cia Ltda - Guarujá 25 José Luiz Eboli Villamarim Auto Posto Espumas - Santos 29 Marcello Francisco Ameixeiro Super Posto 800 Milhas - São Vicente Super Posto Constituição Ltda. - Santos Super Posto 800 Milhas Náuticas - SV 31 José Roberto D Elia Sampaio de Oliveira Auto Posto Praia de São Lourenço - Bertioga 1ª QUINZENA DE JANEIRO 1 Antônia Mateus Auto Posto Retiro das Caravelas Cananéia 2 Sanny Royas de Aguiar Posto de Serviços Califórnia - Santos 5 Laurindo Carlos Rozinelli Auto Posto Redentor - Guarujá 6 Naide Albers Comércio de Combustíveis 568 da Régis Ltda. - Barra do Turvo 7 Sérgio de Souza Auto Posto Falcão do Terminal - Guarujá Auto Posto Carga Pesada do Guarujá Ltda.- Guarujá 8 Luciano Jair Ongarato Posto JB 4 Irmãos - Jacupiranga Auto Posto Búfalo do Vale Ltda - Pariquera-açu Severina Simões Leone Auto Posto Cinese - Guarujá 10 Ricardo Eugênio Meirelles de Araújo Posto Avenida - Santos Auto Posto La Caniza - Guarujá A. G. de Pinho & Cia Ltda. - Guarujá 13 Luzia de Fátima Rodrigues Campagnaro Posto de Serviços Travessia de Santos Ltda - Santos Auto Posto Brumar - Santos 14 Cristiane do Prado Verderano Auto Posto da Balança - Santos Flávio Ribas de Souza Linha Um Produtos de Petróleo Ltda. - Santos 15 Carlos Alberto Duque Posto de Serviços Vereda Tropical Ltda. - Guarujá Presidentes dos Sindicatos 18/DEZ - Paulo Miranda Soares Presidente da Fecombustíveis; 28/DEZ - José Fernando Chaparro Presidente do Sindicato do Mato Grosso 11 Resan promoverá novos treinamentos para funcionários; 12 Assistec cancela workshop do dia 27/11; - Resan lança em sua base territorial a campanha Diga Não à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes; - Campanha Abasteça o Natal de Quem Precisa NOVEMBRO 05 Reunião com a Subdelegada do Trabalho, Rosângela Mendes Ribeiro Silva, para apresentação da campanha Diga Não à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes; 15 Participação na Festa do Revendedor do Paraná, acompanhado dos diretores Ricardo Lopez, Artur Schor e Ricardo Araújo, em Curitiba/PR; 18 Reunião do grupo da ABNT que trata da NBR , representado pelo assessor técnico Avelino Morgado, em São Paulo; 24 Visita à redação do Jornal A Tribuna de Santos para apresentação da campanha Diga Não à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes; - Cerimônia de Posse do Diretor Executivo da AGEM, Sr. Edmur Mesquita 25 Participação no Programa Café da Manhã da Rádio Saudade FM - Reunião Ordinária do Conselho Regional do SENAC, em São Paulo; 26 Reunião do grupo da ABNT que trata da NBR , representado pelo assessor técnico Avelino Morgado, em SP; - Solenidade de lançamento da campanha Diga Não à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes na sede do sindicato, em Santos; - Participação no Programa Painel Regional na TV Santa Cecília. - Participação na Convenção Regional dos Revendedores de Combustíveis de Pernambuco. Dados fornecidos pela secretaria do Resan: Marize Albino Ramos Secretária Maria do Socorro G. Costa Telemarketing SAÚDE OCUPACIONAL AV. ANA COSTA, VILA MATHIAS - SANTOS TELEFAX (013): ESTACIONAMENTO PARA CLIENTES NO LOCAL 18 PARA ANUNCIAR, LIGUE (11) OU (11)

18 RESPONSABILIDADE SOCIAL RESAN DÁ INÍCIO À CAMPANHA CONTRA EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA REGIÃO A exploração sexual de crianças e adolescentes é um dos crimes mais difíceis de serem combatidos por conta de questões culturais. A erotização transmitida, sobretudo, por programas de televisão também está na linha de frente da ordem de fatores que influenciam na formação de uma sociedade permissiva. Essas são algumas das conclusões apresentadas por especialistas durante o lançamento da campanha Diga Não à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, desenvolvida pela Fecombustíveis com apoio de seus sindicatos filiados, entre eles o Resan, e do Sindicom. O start da campanha na base territorial do Resan ocorreu no dia 26 de novembro, na sede do sindicato. A participação dos associados consiste na divulgação do material da campanha em seu posto. Os revendedores já estão recebendo cartazes e folders que têm como objetivo principal conscientizar o cidadão para a necessidade da denúncia de casos de exploração pelo Disque- 100, um serviço do Governo Federal gratuito e que garante o anonimato. O lançamento da campanha contou com a participação do secretário de Assistência Social de Santos, Carlos Teixeira Filho, do presidente da Unimed-Santos, Raimundo Macedo, entre outros agentes do setor de atendimento às crianças e adolescentes da região. A Prefeitura de Santos e a Unimed são parceiros do Resan ao lado de outras entidades como o Sindisan e de outras empresas, como a Rede VTV, Rádio Saudade e a Demar Gráfica. Além dos cartazes, a campanha será divulgada na Baixada Santista e Vale do Ribeira através de busdoors, de spots em rádios e vinhetas na Rede VTV. A coordenadora do projeto Camará, de São Vicente, Lumena Celi, e o jornalista Carlos Ratton, diretor de vários curtas metragens que estão concorrendo a diversos prêmios nacionais, participaram do evento. Essa iniciativa coloca cidadãos comuns na linha de frente do enfrentamento sexual infantojuvenil, disse Lumena Celi. Segundo ela, é preciso antes de tudo entender a diferença entre abuso sexual (aquele que é praticado por pais, padrastos, tios, irmãos...) e a exploração sexual (em que há a busca pelo lucro). Ela continua: A mobilização é tão necessária numa região portuária como Santos quanto no Nordeste, apesar das diferenças. O importante é desenvolver ações de prevenção. PARCEIROS Para Raimundo Macedo, presidente da Unimed, o foco da campanha está diretamente ligado ao DNA Campanha foi lançada no Resan com a presença de apoiadores e entidades que trabalham com crianças e adolescentes. Na foto, da esquerda para direita, o secretário de Assistência Social de Santos, Carlos Teixeira Filho, o presidente da Unimed- Santos, Raimundo Macedo, e a coordenadora do projeto Camará, Lumena Celi do sistema Unimed. A cooperativa de médicos está colaborando com a inserção de spots da campanha nas suas cotas de publicidade. Já o secretário de Assistência Social, Carlos Alberto Teixeira Filho, falou sobre projetos desenvolvidos pela Prefeitura, como o Espaço Meninas, e as dificuldades para resgatar jovens de situações de risco. Poucos dão oportunidade de trabalho a esses adolescentes, lamentou. As pessoas que estiveram no lançamento da campanha assistiram ainda ao curta metragem Esquina, escrito e dirigido pelo jornalista Carlos Ratton, que filmou as agruras de uma adolescente pobre, filha de pais desempregados, e que sem oportunidades acabou na prostituição. 19

A N E X O RESOLUÇÃO ANP Nº 20, DE 3.4.2014 - DOU 4.4.2014. Brasília, 04 de abril de 2014. Prezado (a) Revendedor (a),

A N E X O RESOLUÇÃO ANP Nº 20, DE 3.4.2014 - DOU 4.4.2014. Brasília, 04 de abril de 2014. Prezado (a) Revendedor (a), CIRCULAR SINDICOMBUSTÍVEIS-DF Nº 043/2014 Brasília, 04 de abril de 2014. Prezado (a) Revendedor (a), Enviamos, abaixo, cópia da Resolução ANP 20, de 03 de abril de 2014, publicada no DOU de 04.04.2014,

Leia mais

Mercado Irregular de Combustíveis Evolução Recente

Mercado Irregular de Combustíveis Evolução Recente Fórum Nacional de Secretários rios de Estado para Assuntos de Energia Mercado Irregular de Combustíveis Evolução Recente Alisio Vaz Vice-Presidente Executivo Rio de Janeiro 29 de outubro de 2009 SINDICOM

Leia mais

O EXERCÍCIO REGULAR DA ATIVIDADE DA REVENDA VAREJISTA

O EXERCÍCIO REGULAR DA ATIVIDADE DA REVENDA VAREJISTA O EXERCÍCIO REGULAR DA ATIVIDADE DA REVENDA VAREJISTA Diante do elevado número de autuações de postos revendedores pela Agência Nacional do Petróleo ANP, por situações que podem ser evitadas, lembramos

Leia mais

Normas da ABNT precisam ser seguidas

Normas da ABNT precisam ser seguidas Normas da ABNT precisam ser seguidas Além das leis ambientais e toda a burocracia que o negócio da revenda exige, o revendedor precisa realizar os procedimentos de acordo com as normas da Associação Brasileira

Leia mais

Medida Provisória 532/2011

Medida Provisória 532/2011 Ciclo de palestras e debates Agricultura em Debate Medida Provisória 532/2011 Manoel Polycarpo de Castro Neto Assessor da Diretoria da ANP Chefe da URF/DF Maio,2011 Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10 DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10 1) O que significa DBTE? Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos: o S-50 (2012) e o S-10 a partir de 2.013, onde S= enxofre, 10 ou 50 ppm=

Leia mais

$ $ À espera da competitividade

$ $ À espera da competitividade etanol À espera da competitividade foi mais um ano de sufoco para o setor sucroalcooleiro, que ainda sente os reflexos da crise de 2008, que deixou as usinas sem crédito, justamente quando haviam assumido

Leia mais

AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE

AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE Conforme a Lei Estadual nº 1., de de embro de 200, FORMULÁRIO PARA EMPREENDIMENTOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS 1. IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO EMPREENDIMENTO NOME: IDENTIDADE: ENDEREÇO: ÓRGÃO EXPEDIDOR:

Leia mais

CHECK LIST EM POSTOS REVENDEDORES

CHECK LIST EM POSTOS REVENDEDORES CHECK LIST EM POSTOS REVENDEDORES Material disponibilizado pelo Fecombustíveis para a verificação do atendimento das principais demandas relativas à regulamentação da atividade e fiscalização. 1) Informações

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN Cleciana Raylle Lopes Ferreira¹ ; Dayanne Costa da Silva²; Estefhany Marreiros de Lima³; Robson Garcia da Silva

Leia mais

5.662. postos de serviços. A Ipiranga manteve em 2010 sua trajetória de crescimento sólido de resultados.

5.662. postos de serviços. A Ipiranga manteve em 2010 sua trajetória de crescimento sólido de resultados. ipiranga 35 A Ipiranga manteve em 2010 sua trajetória de crescimento sólido de resultados. 5.662 postos de serviços Este crescimento é fruto dos benefícios da expansão do mercado de combustíveis, dos investimentos

Leia mais

Não abasteça combustível adulterado

Não abasteça combustível adulterado Não abasteça combustível adulterado A maioria das pessoas acha que uma vez que o posto de gasolina tem bandeira (BR, Shell, Texaco, Esso, Ipiranga, etc) a qualidade do combustível está garantida. Não é

Leia mais

$ $ Alto consumo. Nova fase: S10

$ $ Alto consumo. Nova fase: S10 diesel Alto consumo Em 2013, o cenário do mercado de diesel no país prosseguiu trajetória ascendente, assim como em anos anteriores. Impulsionado pela forte demanda pelo combustível, o faturamento do segmento

Leia mais

DICAS PARA OPERAÇÃO DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS.

DICAS PARA OPERAÇÃO DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS. DICAS PARA OPERAÇÃO DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS. Nosso dia a dia é feito de escolhas e o resultado delas é o que vai definir o quanto somos bem-sucedidos nas nossas ações. Como você sabe, a venda de combustíveis

Leia mais

Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil. Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP

Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil. Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP Novembro de 2011 Evolução dos Biocombustíveis no Brasil 1973 Primeira

Leia mais

III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000)

III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000) III - ANEXO I e ANEXO II (Conforme Resolução CONAMA n. 273/2000) 1. IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO EMPREENDIMENTO Nome: Endereço: CEP: CPF: RG: e-mail: 2. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO Nome Fantasia:

Leia mais

.3 - Registro obrigatório para abastecimento de GNC Gás Natural Comprimido (se comercializado) ANP - Agência Nacional do Petróleo;

.3 - Registro obrigatório para abastecimento de GNC Gás Natural Comprimido (se comercializado) ANP - Agência Nacional do Petróleo; CHECK LIST 1- Registros Obrigatórios.1 - Registro junto a ANP revenda de GLP.2 - Registro obrigatório para comercio de GNV Gás Natural Veicular (se comercializado) ANP - Agência Nacional de Petróleo, devendo

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50. Fonte: Metalsinter

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50. Fonte: Metalsinter DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 1) O que são os Diesel S-50 e S-10? Significa Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos que serão utilizados em veículos: o S-50 e o S-10.

Leia mais

COMPRA. certa. Treinamento para o profissional de compras. Tributação e seus impactos na rentabilidade. www.contento.com.br

COMPRA. certa. Treinamento para o profissional de compras. Tributação e seus impactos na rentabilidade. www.contento.com.br COMPRA certa Treinamento para o profissional de compras www.contento.com.br 503117 Tributação e seus impactos na rentabilidade editorial Calculando a rentabilidade Gerir uma farmácia requer conhecimentos

Leia mais

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País o que é O QUE É. Lançado em Brasília em dezembro de 2011, o Movimento Mais Etanol visa detalhar e disseminar políticas públicas e privadas indispensáveis para: w O restabelecimento da competitividade do

Leia mais

Conferência biodieselbr 2010

Conferência biodieselbr 2010 Conferência biodieselbr 2010 Construindo o caminho para o B10 Rubens Cerqueira FREITAS, M.Sc. Superintendente Adjunto de Abastecimento Superintendência de Abastecimento - SAB Sistema Nacional de Abastecimento

Leia mais

CHECK LIST EM POSTOS REVENDEDORES

CHECK LIST EM POSTOS REVENDEDORES CHECK LIST EM POSTOS REVENDEDORES Este trabalho é apenas um simples instrumento de auxílio ao posto, na verificação do atendimento das principais demandas relativas à fiscalização. 1) Informações Cadastrais:

Leia mais

Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10

Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10 Plano de Abastecimento do Novo Diesel S50 e S10 ALLAN KARDEC DUAILIBE Diretor Anfavea 30 de Maio, 2011 Sistema Nacional de Abastecimento de Combustíveis Produtor de Biodiesel e Etanol Produtor de GNV,

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 1) O que são os Diesel S-50 e S-10? Significa Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos que serão utilizados em veículos: o S-50 e o S-10.

Leia mais

A ANP e a Resolução CONAMA 315/2002 Waldyr Luiz Ribeiro Gallo Assessor de Diretor - ANP

A ANP e a Resolução CONAMA 315/2002 Waldyr Luiz Ribeiro Gallo Assessor de Diretor - ANP A ANP e a Resolução CONAMA 315/2002 Waldyr Luiz Ribeiro Gallo Assessor de Diretor - ANP Câmara dos Deputados - Comissão de Minas e Energia Audiência Pública 22 de novembro de 2007 Brasília, DF Sumário

Leia mais

zeppini@zeppini.com.br www.zeppini.com.br Estrada Sadae Takagi, 665 CEP 09852-070 Fone (11) 4393-3600 Fax (11) 4393-3609 Zeppini Comercial Ltda

zeppini@zeppini.com.br www.zeppini.com.br Estrada Sadae Takagi, 665 CEP 09852-070 Fone (11) 4393-3600 Fax (11) 4393-3609 Zeppini Comercial Ltda + Sideraço Industrial do Brasil Ltda Rua Francisco Reis, 785-3º Distrito Industrial CEP 88311-710 Itajaí - SC Fone (47) 3341-6700 Fax (47) 3341-6717 vendas@sideraco.com.br www.sideraco.ind.br Zeppini Comercial

Leia mais

5.500 postos de serviço

5.500 postos de serviço 5.500 postos de serviço Em 2009, a Ipiranga manteve sua trajetória de expansão acelerada da escala, com a aquisição das operações da rede de distribuição de combustíveis da Texaco no Brasil e investimentos

Leia mais

Em busca do fôlego perdido

Em busca do fôlego perdido gnv Em busca do fôlego perdido Distante dos tempos áureos de crescimento Em 2012, o etanol enfrentou safra ruim e preços elevados, em meio a uma crise que se arrasta desde 2008. Por causa disso, motoristas

Leia mais

Visão geral das operações

Visão geral das operações Visão geral das operações Visão geral das operações Ipiranga O forte posicionamento no mercado e a sua agilidade comercial permitiram à Ipiranga se beneficiar do bom desempenho do setor automobilístico

Leia mais

Sindipostos cria grupo de trabalho sobre legislação ambiental

Sindipostos cria grupo de trabalho sobre legislação ambiental NATAL-RIO GRANDE DO NORTE - ANO 03 - EDIÇÃO 19 Sindipostos cria grupo de trabalho sobre legislação ambiental O Sindicato do Comércio Varejista dos Derivados de Petróleo continua investindo alto no t r

Leia mais

Perguntas mais Frequentes

Perguntas mais Frequentes Perguntas mais Frequentes 1. O que significa PROCONVE fases P7 e L6? PROCONVE é o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, criado pelo conselho Nacional de Meio Ambiente - CONAMA.

Leia mais

PORTARIA Nº 116, DE 5 DE JULHO DE 2000. Das Disposições Gerais

PORTARIA Nº 116, DE 5 DE JULHO DE 2000. Das Disposições Gerais AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA Nº 116, DE 5 DE JULHO DE 2000 Regulamenta o exercício da atividade de revenda varejista de combustível automotivo. O DIRETOR-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO

Leia mais

Distrito Federal > Novembro/2015

Distrito Federal > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Distrito Federal

Leia mais

ANO XIX - 2008-2ª SEMANA DE MAIO DE 2008 BOLETIM INFORMARE Nº 19/2008 TRIBUTOS FEDERAIS ICMS - CE

ANO XIX - 2008-2ª SEMANA DE MAIO DE 2008 BOLETIM INFORMARE Nº 19/2008 TRIBUTOS FEDERAIS ICMS - CE ANO XIX - 2008-2ª SEMANA DE MAIO DE 2008 BOLETIM INFORMARE Nº 19/2008 TRIBUTOS FEDERAIS SIMPLES NACIONAL - DECLARAÇÃO ANUAL - 2008 - PROCEDIMENTOS Introdução - Obrigatoriedade de Entrega - Preenchimento

Leia mais

PORTARIA ANP Nº 116, DE 5.7.2000 - DOU 6.7.2000 - RETIFICADA DOU 7.7.2000

PORTARIA ANP Nº 116, DE 5.7.2000 - DOU 6.7.2000 - RETIFICADA DOU 7.7.2000 Página 1 de 6 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS PORTARIA ANP Nº 116, DE 5.7.2000 - DOU 6.7.2000 - RETIFICADA DOU 7.7.2000 Regulamenta o exercício da atividade de revenda varejista

Leia mais

PUBLICADO DOC 16/10/2013, PÁG 159 JUSTIFICATIVA PL 0738/2013

PUBLICADO DOC 16/10/2013, PÁG 159 JUSTIFICATIVA PL 0738/2013 PUBLICADO DOC 16/10/2013, PÁG 159 JUSTIFICATIVA PL 0738/2013 Se exigir, por questões de segurança que, na Cidade de São Paulo no ato do abastecimento dos veículos com sistemas para uso do Gás Natural Veicular

Leia mais

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 Os Biocombustíveis no Brasil RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 SUMÁRIO 1. Alguns dados d sobre o Brasil e a ANP 2. Os biocombustíveis no Brasil 3. O etanol 4. O biodiesel PANORAMA

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROJETO DE LEI N o 1.013, DE 2011 Dispõe sobre a fabricação e venda, em território nacional, de veículos utilitários movidos a óleo diesel, e dá

Leia mais

$ $ Sem folga à vista

$ $ Sem folga à vista gasolina Sem folga à vista Nunca se consumiu tanta gasolina no Brasil. Somente em, a demanda cresceu 12%, totalizando 39,7 milhões de metros cúbicos. Um patamar recorde, especialmente se levarmos em conta

Leia mais

OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL

OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos MARÇO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 SUMÁRIO 1. Introdução...3 2. Histórico...3

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

4 ESCOLHA O BOTIJÃO CERTO 2

4 ESCOLHA O BOTIJÃO CERTO 2 1 COMPRE DE REVENDEDOR AUTORIZADO 3 CUIDADOS COM A ENTREGA EM CASA Só o comerciante que tiver autorização (em dia) da ANP pode vender gás de botijão (GLP, gás liquefeito de petróleo). O Código de Defesa

Leia mais

Inovar-Auto: novas perspectivas para a indústria automotiva nacional?

Inovar-Auto: novas perspectivas para a indústria automotiva nacional? Inovar-Auto: novas perspectivas para a indústria automotiva nacional? Com a participação ativa dos Metalúrgicos da CNM/CUT, em 3 de outubro de 2012 o Governo Federal publicou o decreto 7.819/2012 1 que

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze)

PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze) *C0051416A* C0051416A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze) Institui isenção da contribuição para o PIS/PASEP, COFINS e CIDE- Combustíveis incidente sobre o óleo

Leia mais

QUEM SOMOS NOSSO NEGÓCIO

QUEM SOMOS NOSSO NEGÓCIO QUEM SOMOS Somos uma empresa brasileira dedicada a construir e prover soluções que empregam tecnologias inovadoras, combinadas com a identificação por rádio frequência (RFID), análise de imagens (imagens

Leia mais

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL.

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 1 BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DO BIODIESEL Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 2 BIODIESEL. A ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Eu Rodo UM NOVO TEMPO. Volvo

Eu Rodo UM NOVO TEMPO. Volvo Volvo Eu Rodo PUBLICAÇÃO DA VOLVO DO BRASIL VEÍCULOS LTDA. 2006 ANO XX Nº 108 UM NOVO TEMPO Com 1.779 articulados Volvo, novo sistema de transportes de Santiago investe na melhoria da qualidade de vida

Leia mais

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ÁREA DE ABASTECIMENTO E ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEL 6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ambiente e seu manuseio e armazenagem também apresentam considerável grau

Leia mais

$ $ $ $ $ $ $ $ $ Um novo mercado

$ $ $ $ $ $ $ $ $ Um novo mercado diesel Um novo mercado Por mais um ano, as vendas de diesel superaram o desempenho do PIB, encerrando com expansão de 5,2% no volume e respondendo por quase 50% da matriz veicular brasileira. Foram quase

Leia mais

NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA. ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem.

NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA. ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem. NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem. NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA 26.1.1 Esta Norma Regulamentadora NR tem por objetivo fixar as

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ DECRETO Nº 1.742

ESTADO DO PARANÁ DECRETO Nº 1.742 Publicado no Diário Oficial Nº 8488 de 15/06/2011 DECRETO Nº 1.742 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, DECRETA Art. 1º

Leia mais

Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010

Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010 Combustíveis Alternativos e a Redução das Emissões de Poluentes 12ª Transpo-Sul Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010 Tecnologias, Combustíveis mais limpos e Redução das

Leia mais

Luz no fim do túnel. de combustíveis foram responsáveis por US$ 501 bilhões

Luz no fim do túnel. de combustíveis foram responsáveis por US$ 501 bilhões Estados unidos Luz no fim do túnel Os Estados Unidos ainda não se recuperaram totalmente da última crise financeira, que fez estrago nos dos dois lados do Atlântico, mas vêm ensaiando uma recuperação e,

Leia mais

RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000

RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 O Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, no uso das competências que lhe foram conferidas pela Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

ANÁLISE DOS POSTOS DE SERVIÇOS NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE - PB: TIPOS DE COMBUSTÍVEIS E TANQUES SUBTERRÂNEOS

ANÁLISE DOS POSTOS DE SERVIÇOS NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE - PB: TIPOS DE COMBUSTÍVEIS E TANQUES SUBTERRÂNEOS ANÁLISE DOS POSTOS DE SERVIÇOS NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE - PB: TIPOS DE COMBUSTÍVEIS E TANQUES SUBTERRÂNEOS Ayrton Flavio Nascimento de Sousa 1 ; Marcos Mesquita da Silva 2 ; Clarice Oliveira da Rocha

Leia mais

Os ganhos ambientais para a sociedade

Os ganhos ambientais para a sociedade Proconve P7 Diesel e emissões A nova legislação 2012 Tudo o que você deve saber sobre o proconve P7 A nova etapa Proconve P7 estabelece limites de emissões mais rígidos para veículos pesados a diesel.

Leia mais

Informações Úteis Dúvidas Frequentes

Informações Úteis Dúvidas Frequentes Página 0 2013 Informações Úteis Dúvidas Frequentes Organização Rezende Acesse o site: www.organizacaorezende.com.br 19/04/2013 Página 1 DÚVIDAS FREQUENTES: GASOLINAS PETROBRAS 1 - Como são obtidas as gasolinas?

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO Nº 15, DE 17 DE JULHO DE 2006

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS <!ID546934-1> RESOLUÇÃO Nº 15, DE 17 DE JULHO DE 2006 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO Nº 15, DE 17 DE JULHO DE 2006 Estabelece as especificações de óleo diesel e mistura óleo diesel/biodiesel - B2 de uso

Leia mais

POSTOS E SISTEMAS RETALHISTAS DE COMBUSTÍVEIS ROTEIRO PARA POSTOS NOVOS REFORMA E AMPLIAÇÕES PROCEDIMENTOS PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE POSTOS E SISTEMAS RETALHISTAS DE COMBUSTÍVEIS CAD ADASTRO ASTRO

Leia mais

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Agenda Arcabouço Legal Panorama Brasil o Matriz Energética Brasileira o Biodiesel o Etanol o Novos Biocombustíveis Comentários Finais Arcabouço

Leia mais

CADASTRO 3 - Comércio varejista de combustível

CADASTRO 3 - Comércio varejista de combustível CADASTRO 3 - Comércio varejista de combustível 1. Identificação Empresa/Interessado: Nome fantasia: para correspondência: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Fone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do

Leia mais

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica sumário >> Introdução... 3 >> Nota fiscal eletrônica: o começo de tudo... 6 >> Nota fiscal de consumidor eletrônica (NFC-e)... 10 >> Quais as vantagens

Leia mais

Jornada de Trabalho: 44 horas semanais. Repouso remunerado por escala de revezamento

Jornada de Trabalho: 44 horas semanais. Repouso remunerado por escala de revezamento O Profissional Postos Combustíveis FRENTISTA Requisito de escolaridade para exercício da função: Mínimo: Ensino fundamental completo; Comum: Ensino médio em curso; Desejável: estudantes universitários.

Leia mais

PROPOSTA DE REAJUSTE PARA O VALE- TRANSPORTE

PROPOSTA DE REAJUSTE PARA O VALE- TRANSPORTE PROPOSTA DE REAJUSTE PARA O VALE- TRANSPORTE EBSERH ACT 2015 Brasília, XX de março de 2015. 1. Informações Iniciais O valor do Vale transporte é atualmente pago de acordo com o local de residência do empregado,

Leia mais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais m³ ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE BIODIESEL: EDIÇÃO Nº 6 - JULHO DE 2013 A, documento elaborado pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ABIOVE, possui o intuito de levar ao mercado informações

Leia mais

INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014

INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014 Página1 1. APRESENTAÇÃO INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014 Os indicadores Cork Services contemplam os principais números de referência para a gestão de frotas, incluindo índices de inflação e variação

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO

FUNDAMENTOS DA GESTÃO A Ultrapar realizou em 2011 um programa de comunicação e disseminação do tema sustentabilidade entre seus colaboradores, com uma série de iniciativas voltadas para o engajamento e treinamento das pessoas.

Leia mais

Cores na segurança do trabalho PRODUTOR > CABRAL VERÍSSIMO

Cores na segurança do trabalho PRODUTOR > CABRAL VERÍSSIMO Cores na segurança do trabalho PRODUTOR > CABRAL VERÍSSIMO DESCRIÇÃO: 26.1.5 As cores aqui adotadas serão as seguintes: - vermelho; - amarelo; - branco; - preto; - azul; - verde; - laranja; - púrpura;

Leia mais

3 O Cimento no Brasil. 10 Características da Indústria Cimenteira. 12 O Cimento no Custo da Construção. 13 Carga Tributária. 15 Panorama Internacional

3 O Cimento no Brasil. 10 Características da Indústria Cimenteira. 12 O Cimento no Custo da Construção. 13 Carga Tributária. 15 Panorama Internacional 3 O Cimento no Brasil 3 Processo produtivo 4 Histórico 5 Indústria 6 Produção 7 Consumo 8 Produção e consumo aparente regional 9 Vendas internas e exportação 10 Características da Indústria Cimenteira

Leia mais

http://www81.dataprev.gov.br/sislex/paginas/05/mtb/20.htm

http://www81.dataprev.gov.br/sislex/paginas/05/mtb/20.htm Page 1 of 5 20.1 Líquidos combustíveis. NR 20 - Líquidos combustíveis e inflamáveis (120.000-3) 20.1.1 Para efeito desta Norma Regulamentadora - NR fica definido "líquido combustível" como todo aquele

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA ANP Nº 29, DE 9 DE FEVEREIRO DE 1999 Estabelece a regulamentação da atividade de distribuição de combustíveis líquidos derivados de petróleo, álcool combustível, mistura

Leia mais

CADASTRO 6- Garagens de ônibus, transportadoras e similares

CADASTRO 6- Garagens de ônibus, transportadoras e similares CADASTRO 6- Garagens de ônibus, transportadoras e similares 1. Identificação Empresa/Interessado: para correspondência: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Fone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento:

Leia mais

INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Manual de Operação Revisão 2 - Data 22/03/2011 EQUITEST LEAKTEST 1000 Sistema de Detecção de Variação Volumétrica para Teste de Estanqueidade em tanques UNIDADE DE LEITURA SÉRIE I INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

Leia mais

Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise

Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise O forte período de estiagem que assola a região é o tema desta edição especial do

Leia mais

DISTRIBUIDORES DE COMBUSTÍVEIS E POSTOS

DISTRIBUIDORES DE COMBUSTÍVEIS E POSTOS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRIBUIDORES DE COMBUSTÍVEIS E POSTOS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS Vendas, pelas distribuidoras, dos derivados combustíveis de petróleo por produto -

Leia mais

NR 26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA EDUARDO RODOLPHO ALCANTÚ VALDOMIRO SANTI NETO

NR 26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA EDUARDO RODOLPHO ALCANTÚ VALDOMIRO SANTI NETO NR 26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA EDUARDO RODOLPHO ALCANTÚ VALDOMIRO SANTI NETO O QUE E NR26? É a NORMA REGULAMENTADORA 26 que tem por objetivo fixar as cores que devem ser usadas nos locais de trabalho para

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 (*)

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 (*) ANO CXLIX Nº 249 Brasília DF, quinta-feira, 27 de dezembro de 2012 pág 232 e 233 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO

Leia mais

Sinalização de Segurança. As cores na segurança do trabalho

Sinalização de Segurança. As cores na segurança do trabalho Sinalização de Segurança As cores na segurança do trabalho Funções das cores na segurança Prevenção de Acidentes; Identificar os equipamentos de segurança; Delimitando áreas; Identificação de Tubulações

Leia mais

RESOLUÇÃO ANP Nº 57, DE 17.10.2014 - DOU 20.10.2014

RESOLUÇÃO ANP Nº 57, DE 17.10.2014 - DOU 20.10.2014 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 57, DE 17.10.2014 - DOU 20.10.2014 A DIRETORA-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS - ANP, no

Leia mais

Biocombustível 100% Renovável Produção Pela Usina

Biocombustível 100% Renovável Produção Pela Usina Biocombustível 100% Renovável Produção Pela Usina 1. Quem somos 2. O que é o Ethabiodiesel 2.1. Diferencial competitivo 2.2. Certificações/Autorizações 3. Transportes com Ethabiodiesel Quem somos Vinna

Leia mais

Manual Operacional do Medidor de Vazão Modelo 30.000 l/h

Manual Operacional do Medidor de Vazão Modelo 30.000 l/h Manual Operacional do Medidor de Vazão Modelo 30.000 l/h RUA CARLOS ESSENFELDER, 3087, BOQUEIRÃO - TEL: 41 3286-1401 - FAX: 41 3287-8974 - CEP 81730-060 - CURITIBA - PARANÁ E-MAIL: martim@fabobombas.com.br

Leia mais

PALESTRA SINDIPOSTO 11/12/13

PALESTRA SINDIPOSTO 11/12/13 PALESTRA SINDIPOSTO 11/12/13 Empresa criada em maio de 2012 com o objetivo de prestar serviços no segmento Revendedor com foco principal nas relações Revenda x Distribuidoras, Treinamento de Pessoal, qualificando

Leia mais

CADASTROS 2013 AOB SOFTWARE

CADASTROS 2013 AOB SOFTWARE CADASTROS 2 CADASTROS Tabela de Conteúdo Cadastro de Clientes 4 Cadastro de Produtos 5 1 Cadastro... de Produtos Básico 5 2 Cadastro... de Produtos Básico + Grade de Produtos 7 3 Cadastro... de Produtos

Leia mais

Por: Marco Lassen. Diesel

Por: Marco Lassen. Diesel Por: Marco Lassen Diesel Óleo Diesel e a Evolução do Teor de Enxofre Evolução do Teor de Enxofre 3 Legislação e Teor de Enxofre 2000 ppm 350 ppm 500 ppm 10 ppm 50 ppm 10 ppm EUROPA EURO III EURO IV EURO

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IX DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS GERAIS Art. 238. A lei ordenará a venda e revenda de combustíveis de petróleo, álcool carburante e outros combustíveis

Leia mais

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL Introdução: O marketing verde já não é tendência. Ele se tornou uma realidade e as empresas o enxergam como uma oportunidade para atrair

Leia mais

CIDADE DE CURITIBA GANHA MAIS UM POSTO RDP PETRÓLEO CONHEÇA AS NORMAS DA ANP SOBRE AS PLACAS E ADESIVOS OBRIGATÓRIOS PARA POSTOS

CIDADE DE CURITIBA GANHA MAIS UM POSTO RDP PETRÓLEO CONHEÇA AS NORMAS DA ANP SOBRE AS PLACAS E ADESIVOS OBRIGATÓRIOS PARA POSTOS s Conexao Julho e Agosto 2013 Ano 07 Ed. 36 Págs. 3 e 4 EXPANSÃO GESTÃO CIDADE DE CURITIBA GANHA MAIS UM POSTO RDP PETRÓLEO CONHEÇA AS NORMAS DA ANP SOBRE AS PLACAS E ADESIVOS OBRIGATÓRIOS PARA POSTOS

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROJETO DE LEI N o 418, DE 2011 Proíbe o envasamento e a comercialização de bebida em embalagem PET e dá providências correlatas Autor: Deputado

Leia mais

Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília.

Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília. Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília Mobilidade Urbana Renato Boareto 1 Organização Não Governamental fundada em 2006

Leia mais

Mudança tecnológica na indústria automotiva

Mudança tecnológica na indústria automotiva ESTUDOS E PESQUISAS Nº 380 Mudança tecnológica na indústria automotiva Dyogo Oliveira * Fórum Especial 2010 Manifesto por um Brasil Desenvolvido (Fórum Nacional) Como Tornar o Brasil um País Desenvolvido,

Leia mais

Resultados dos testes de Uso Experimental e Específico. Óleo diesel com teor de biodiesel superior ao disposto em lei

Resultados dos testes de Uso Experimental e Específico. Óleo diesel com teor de biodiesel superior ao disposto em lei Resultados dos testes de Uso Experimental e Específico Óleo diesel com teor de biodiesel superior ao disposto em lei Agenda Regulamentação; Resultados dos testes de uso experimental e específico; Companhia

Leia mais

JSindipostos. Esse ano não

JSindipostos. Esse ano não NATAL-RIO GRANDE DO NORTE -JULHO - AGOSTO/2010- Sindipostosreúne associados e promove grande arraiá á se transformou em tradição o arraia do JSindipostos. Esse ano não foi diferente. O 2º Arraia ocorreu

Leia mais

ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS

ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 124 ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS Fernando Henrique Camargo Jardim¹ 1 Engenheiro

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 11.097, DE 13 DE JANEIRO DE 2005. Mensagem de veto Conversão da MPv nº 214, de 2004 Dispõe sobre a introdução do biodiesel

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009. DOU 26.11.2009, republic. em 23.04.2010

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009. DOU 26.11.2009, republic. em 23.04.2010 RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009 DOU 26.11.2009, republic. em 23.04.2010 Dispõe sobre critérios para a elaboração de Planos de Controle de Poluição Veicular-PCPV e para a implantação

Leia mais

Incentivar o Etanol e o Biodiesel. (Promessa 13 da planilha 1) Entendimento:

Incentivar o Etanol e o Biodiesel. (Promessa 13 da planilha 1) Entendimento: Incentivar o Etanol e o Biodiesel (Promessa 13 da planilha 1) Entendimento: O governo adota medidas econômicas de forma a ampliar relativamente o emprego dos dois combustíveis. O termo ampliar relativamente

Leia mais

URBS. Urbanização de Curitiba S.A

URBS. Urbanização de Curitiba S.A URBS Urbanização de Curitiba S.A Principais Atribuições Planejamento e Gerenciamento dos Serviços de Transporte Transporte Coletivo Urbano Metropolitano Transporte Comercial Transporte Escolar Táxi Principais

Leia mais

01/01/2009 em quantidade e com adequação de distribuição que assegure sua disponibilização em pelo menos uma bomba de cada um dos postos revendedores

01/01/2009 em quantidade e com adequação de distribuição que assegure sua disponibilização em pelo menos uma bomba de cada um dos postos revendedores 19ª Vara Cível Federal Autos nº 2007.61.00.034636-2 e 2008.61.00.013278-0 AÇÕES CIVIS PÚBLICAS Autores: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, ESTADO DE SÃO PAULO, INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS

Leia mais