Resoluções. ANP nº 12, de , DOU Estabelece a Regulamentação para Operação e Desativação das Instalações de Ponto de Abastecimento.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resoluções. ANP nº 12, de 21.3.2007, DOU 22.3.2207 Estabelece a Regulamentação para Operação e Desativação das Instalações de Ponto de Abastecimento."

Transcrição

1

2 Resoluções ANP nº 12, de , DOU Estabelece a Regulamentação para Operação e Desativação das Instalações de Ponto de Abastecimento. ANP n º 34, de , DOU Estabelece os critérios para Comercialização de Óleo Diesel e Mistura Óleo Diesel / Biodiesel especificada pela ANP, por Distribuidor e por Transportador Revendedor Retalhista.

3 PRINCIPAIS DEFINIÇÕES (Art. 2º) Combustíveis: de interesse para o TRR, somente o óleo diesel (mistura). Instalações de armazenamento de óleos combustíveis e querosene não são consideradas Ponto de Abastecimento.

4 Detentor das Instalações: a) Pessoa Física b) Pessoa Jurídica c) Grupo Fechado de Pessoas Físicas ou Jurídicas, legalmente constituído (grupo empresarial, cooperativas, associações, consórcios, condomínios) A exceção: CONDOMÍNIO EDILÍCIO

5 Exegese do Art. 10 da Res.. 12 à luz do Art. 1331, 1º: As partes suscetíveis de utilização independente, tais como apartamentos, escritórios, salas, lojas, sobrelojas ou abrigos para veículos, com as respectivas frações ideais no solo e nas outras partes comuns, sujeitam-se a propriedade exclusiva, podendo ser alienadas e gravadas livremente por seus proprietários.

6 Logo, a intenção da ANP foi excetuar os Condomínios em Edifícios, com lógica e razão, mas não os demais tipos de condomínio (uma fazenda em condomínio, por exemplo) Ponto de Abastecimento: instalação de armazenamento de combustíveis destinados ao abastecimento de equipamentos móveis, veículos automotores terrestres, aeronaves, embarcações ou locomotivas. NÃO SE CONSIDERA PONTO DE ABASTECIMENTO a instalação destinada ao armazenamento de combustíveis para a utilização em equipamentos fixos ou estacionários, DE QUALQUER CAPACIDADE

7 CURIOSIDADE: A instalação no TRR, destinada ao abastecimento de seus veículos, ou dos veículos de sociedade coligada (transportadora), com sede no mesmo local. Ausência de previsão: se constar no Projeto, desnecessidade de cadastro para autorização.

8 A AUTORIZAÇÃO (CAPACIDADE IGUAL OU SUPERIOR A 15 M3) (AÉREO OU SUBTERRÂNEO, NÃO IMPORTA) SE SUBTERRÂNEO, CUIDADO COM A CONAMA 273 (LO)

9 DOIS ASPECTOS: a) NOVAS INSTALAÇÕES (requerer autorização prévia) (Art. 4º) b) JÁ EXISTENTES EM 22/3/2007 PRAZO PARA CADASTRO E AUTORIZAÇÃO ATÉ 30/6/2008

10 PECULIARIDADE: Apesar de publicada em 22/3/2007, a Ficha do Sistema de Ponto de Abastecimento só foi disponibilizada NO INÍCIO DESTE ANO Ofício nº 15/2008/SAB). Logo, deve-se considerar que todos os PAs instalados entre 22/3 e a data da disponibilização da Ficha, terão o prazo até 30/6.

11 DA UTILIZAÇÃO DO PA (INFERIOR, IGUAL, OU SUPERIOR A 15 M3) (Art. 9º) DUAS SITUAÇÕES: a)consumo PRÓPRIO b)consumo PRÓPRIO E/OU ABASTECIMENTO DE TERCEIROS

12 CONSUMO PRÓPRIO PRIO ALÉM DA DOCUMENTAÇÃO DE NATUREZA TÉCNICA E LEGAL RELATIVA À INSTALAÇÃO (ART, PREFEITURA, CORPO DE BOMBEIROS, AMBIENTAL, SE FOR O CASO), O CONSUMIDOR DEVERÁ MANTER NO LOCAL: Relação dos equipamentos móveis, veículos, aeronaves, embarcações ou locomotivas abastecidos, discriminando o tipo de combustível Cópia do documento comprovando a propriedade, a locação, o comodato ou arrendamento mercantil, em nome do Detentor das Instalações

13 CONSUMO PRÓPRIO E/OU ABASTECIMENTO DE TERCEIROS VÁRIAS SITUAÇÕES: a-) abastecimento próprio e de pessoas jurídicas que sejam coligadas, controladas ou controladoras do Detentor das Instalações ALÉM DA DOCUMENTAÇÃO DE NATUREZA TÉCNICA E LEGAL RELATIVA À INSTALAÇÃO (ART, PREFEITURA, CORPO DE BOMBEIROS, AMBIENTAL, SE FOR O CASO), O CONSUMIDOR DEVERÁ MANTER NO LOCAL:

14 Relação das Pessoas Jurídicas, e a relação dos equipamentos móveis, veículos, aeronaves, embarcações ou locomotivas abastecidos, discriminando o tipo de combustível; Cópia do documento comprovando a propriedade, a locação, o comodato ou arrendamento mercantil dos equipamentos móveis, veículos, aeronaves, embarcações ou locomotivas, abastecidos no PA (em nome do Detentor das Instalações e das Pessoas Jurídicas coligadas, controladas ou controladoras).

15 b) abastecimento próprio e/ou de prestadores de serviços contratados pelo Detentor das Instalações: ALÉM DA DOCUMENTAÇÃO DE NATUREZA TÉCNICA E LEGAL RELATIVA À INSTALAÇÃO (ART, PREFEITURA, CORPO DE BOMBEIROS, AMBIENTAL, SE FOR O CASO), O CONSUMIDOR DEVERÁ MANTER NO LOCAL:

16 Relação dos prestadores de serviços e dos equipamentos móveis, veículos, aeronaves, embarcações ou locomotivas abastecidos, discriminando o tipo de combustível Cópia do documento comprovando a propriedade, a locação, o comodato ou arrendamento mercantil dos equipamentos móveis, veículos, aeronaves, embarcações ou locomotivas, abastecidos no PA (em nome do Detentor das Instalações e/ou dos Prestadores de Serviços) Cópias dos Contratos celebrados entre o detentor das Instalações e os Prestadores de Serviços, registrados em Cartório de Títulos e Documentos

17 c) abastecimento próprio e/ou de máquinas e veículos operados por terceiros em virtude de contratos de fornecimento de produtos agrícolas ou pecuários para indústrias, ou contratos de parceria agrícola, pecuária, agroindustrial ou extrativista. ALÉM DA DOCUMENTAÇÃO DE NATUREZA TÉCNICA E LEGAL RELATIVA À INSTALAÇÃO, Relação dos terceiros contratados e dos equipamentos móveis, veículos, aeronaves, embarcações ou locomotivas abastecidos, discriminando o tipo de combustível

18 Cópia do documento comprovando a propriedade, a locação, o comodato ou arrendamento mercantil dos equipamentos móveis, veículos, aeronaves, embarcações ou locomotivas, abastecidos no PA (em nome do Detentor das Instalações e/ou dos Contratados) Cópias dos Contratos celebrados entre o detentor das Instalações e os Operadores, devidamente registrados em Cartório de Títulos e Documentos

19 d) Detentor das Instalações identificado como grupos fechados de pessoas físicas ou jurídicas, devidamente organizados (cooperativas, ASSOCIAÇÕES (não prevê), consórcios, condomínios ALÉM DA DOCUMENTAÇÃO DE NATUREZA TÉCNICA E LEGAL RELATIVA À INSTALAÇÃO, Relação dos associados que integram o respectivo grupo, cooperados, consorciados, condôminos e dos equipamentos móveis, veículos, aeronaves, embarcações ou locomotivas abastecidos, discriminando o tipo de combustível

20 Cópia do documento comprovando a propriedade, a locação, o comodato ou arrendamento mercantil dos equipamentos móveis, veículos, aeronaves, embarcações ou locomotivas, abastecidos no PA (em nome do Detentor das Instalações e/ou dos associados, cooperados, consorciados, condôminos) Cópias dos Contratos celebrados entre o detentor das Instalações e os Operadores, devidamente registrados em Cartório de Títulos e Documentos

21 PODERÁ OCORRER TAMBÉM A SITUAÇÃO DESSES GRUPOS FECHADOS, COMO DETENTOR DA INSTALAÇÃO, nos moldes de a, b e c

22 MAS ATENÇÃO: (Art. 11) Ficam vedadas a comercialização, a alienação, o empréstimo, a permuta e qualquer tipo de vantagem com terceiros pelo combustível armazenado na Instalação de Ponto de Abastecimento... Entenda-se por terceiros, lógico, aqueles que se abastecem no PA, nas situações a, b, c e d.

23 É também vedado o compartilhamento do PA por diferentes detentores de instalações, fora dos casos previstos, à exceção de pessoa jurídica de direito público, com outra pessoa jurídica de direito público. Com esta disposição, a nota fiscal deve sempre ser emitida AO DETENTOR DAS INSTALAÇÕES. APESAR DA RESPONSABILIDADE PELO CADASTRAMENTO DO PA SER DO CONSUMIDOR, O TRR DEVERÁ ORIENTAR SEU CLIENTE PARA FAZÊ-LO, ADVERTINDO SOBRE AS REGRAS E PROCEDIMENTOS DA RES. 12.

24 PARA TANTO, ELABORE UMA CARTA E ENTREGUE A SEU CLIENTE, CONTENDO INSTRUÇÕES, MEDIANTE RECIBO, ESTEJA ELE EM QUALQUER UMA DAS SITUAÇÕES PREVISTAS. O SINDTRR DISPONIBILIZARÁ EM SEU SITE MODELOS DESSAS CARTAS, QUE PODERÃO SER ADAPTADOS PELOS ASSOCIADOS A SEU CRITÉRIO. APROVEITE, E ENTREGUE A FISPQ. PODERÁ, TAMBÉM, UTILIZAR A CARTA COMO ANEXO AO CONTRATO DE FORNECIMENTO, OU DE COMODATO

25 ALTERAÇÃO QUALQUER ALTERAÇÃO NOS DADOS CADASTRAIS DO PA DEVERÁ SER COMUNICADA PARA A ANP, NO PRAZO DE 30 DIAS (SENHA E FORMA ELETRÔNICA) DESATIVAÇÃO NO CASO DE DESATIVAÇÃO, O DETENTOR DAS INSTALAÇÕES TERÁ O PRAZO DE 60 DIAS PARA REQUERER O CANCELAMENTO DA AUTORIZAÇÃO (JUNTAR REQUERIMENTO ÓRGÃO AMBIENTAL)

26 FINALIZANDO APESAR DA SIMILARIDADE ENTRE AS DEFINIÇÕES, NÃO CONFUNDIR INSTALAÇÃO DE PONTO DE ABASTECIMENTO COM CAPACIDADE IGUAL OU SUPERIOR A 15 m3, COM A FIGURA DO GRANDE CONSUMIDOR O GRANDE CONSUMIDOR É DEFINIDO COMO PESSOA FÍSICA OU JURÍDICA QUE POSSUA PONTO DE ABASTECIMENTO COM CAPACIDADE IGUAL OU SUPERIOR A 15 m3, MAS SOMENTE DE ÓLEO DIESEL (MISTURA) SE TIVER 10 m3 DE MISTURA, E 10 DE GASOLINA, DEVE CADASTRAR O PA, MAS NÃO É UM GRANDE CONSUMIDOR

27 CONCEITO O entendimento quanto as exigências para licenciamento (Ambiental, Segurança, Incêndio,...) e exigências técnicas (Ambiental, Segurança, Incêndio,...). Independente da exigência legal para o eventual licenciamento, há a exigência legal para os aspectos técnicos.

28 Aspectos TécnicosT Para o Projeto e Construção dos PAs, deverão ser observadas, principalmente, as seguintes Normas Técnicas: ABNT / NBR ( Parte 1 a 7) / Armazenamento de Líquidos Inflamáveis e Combustíveis. ABNT / NBR 7821 / 1983 Tanque Soldados para Armazenamento de Petróleo e Derivados ABNT / NBR / 2007 Armazenamento de Líquidos Inflamáveis e Combustíveis Construção e Instalação de Tanque Aéreo de Aço Carbono

29 Aspectos TécnicosT (continuação) ABNT / NBR / 2005 Posto de Serviço Seleção dos Equipamentos para Sistemas para Instalações Subterrâneas de Combustíveis ABNT / NBR / 2005 Posto de Serviço Construção de Tanque Atmosférico Subterrâneo em Aço Carbono ABNT / NBR / 2001 Posto de Serviço Instalações Elétricas ABNT / NBR / IEC / 2007 Equipamentos Elétricos para Atmosferas Explosivas Parte 14

30 Aspectos TécnicosT (continuação) Além das Normas Técnicas, devem ser verificadas as exigências, quanto a: Instalações de Combate a Incêndios (Normalmente Bombeiros Legislação Estadual) Aspectos Construtivos e de Uso e Ocupação do Solo ( Normalmente Prefeitura Legislação Municipal) Aspectos Ambientais ( Normalmente OEMAs Legislação Estadual) Aspectos de Proteção aos trabalhadores ( Normalmente NRs Ministério do Trabalho)

31 Diferenças Resolução ANP nº 12 Resolução ANP nº 34 Todos os combustíveis automotivos. Para equipamentos móveis, veículos automotores terrestres, aeronaves, embarcações ou locomotivas. Não é considerado PA, instalações para abastecimento de equipamentos fixos e estacionários. Para operação, depende de autorização., nos casos de volumes de armazenagem maiores ou igual a 15 m3. A classificação de grande consumidor GC, só vale para consumos de Óleo Diesel e mistura Óleo Diesel / Biodiesel. Para ser considerado GC, além de consumir os combustíveis acima, tem que: Possuir PA, maior ou igual a 15 m3

32 Conceitos Resolução ANP nº 12 Resolução ANP nº 34 Detentor das Instalações: Pessoa Física ou Jurídica Grupo Fechado de Pessoas Físicas ou Jurídicas, associadas em forma de empresas, cooperativas, consórcios ou condomínios, à execeção de condomínios de edilícios, que seja comodatária ou arrendatária das instalações. Grande Consumidor : Pessoa Física ou Jurídica

33 Contato SindTRR Eng. Maurício Prado Alves Dr. Edison Gonzales Tel.:

RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000

RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 O Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, no uso das competências que lhe foram conferidas pela Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Postos (Revendedores e de Abastecimento) e Sistemas

Leia mais

Instituto de Meio Ambiente de Alagoas IMA Diretoria da Presidência DIPRE Diretoria Técnica DIT Diretoria de Licenciamento DILIC POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

Instituto de Meio Ambiente de Alagoas IMA Diretoria da Presidência DIPRE Diretoria Técnica DIT Diretoria de Licenciamento DILIC POSTOS DE COMBUSTÍVEIS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS LICENÇA PRÉVIA 1. Formulário de requerimento padrão dirigido à Presidência do IMA, devidamente preenchido e assinado; 2. Comprovante de pagamento da Taxa de Concessão da Licença

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA ANP Nº 29, DE 9 DE FEVEREIRO DE 1999 Estabelece a regulamentação da atividade de distribuição de combustíveis líquidos derivados de petróleo, álcool combustível, mistura

Leia mais

RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000

RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 O Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, no uso das competências que lhe foram conferidas pela Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

Instituto do Meio Ambiente ESTADO DE ALAGOAS DOCUMENTAÇÃO PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS NOVOS

Instituto do Meio Ambiente ESTADO DE ALAGOAS DOCUMENTAÇÃO PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS NOVOS DOCUMENTAÇÃO PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS NOVOS LICENÇA PRÉVIA - Documentação necessária 1. Requerimento Padrão definido pelo IMA, devidamente preenchido e assinado; 2. Cadastro do empreendimento, definido

Leia mais

Termo de Referência para Posto de Combustível no Município de Teresina

Termo de Referência para Posto de Combustível no Município de Teresina Termo de Referência para Posto de Combustível no Município de Teresina Requisitos e procedimentos para expedição do Licenciamento Ambiental de postos de combustíveis instalados/localizados e/ou a serem

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST)

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) CÓDIGO 09.00 GRUPO/ATIVIDADES 09.07 Postos de Revenda de Combustíveis e Derivados de Petróleo com ou sem lavagem e ou lubrificação de veículos PPD M AGRUPAMENTO NORMATIVO

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria nº 185,de 04 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE

Leia mais

O EXERCÍCIO REGULAR DA ATIVIDADE DA REVENDA VAREJISTA

O EXERCÍCIO REGULAR DA ATIVIDADE DA REVENDA VAREJISTA O EXERCÍCIO REGULAR DA ATIVIDADE DA REVENDA VAREJISTA Diante do elevado número de autuações de postos revendedores pela Agência Nacional do Petróleo ANP, por situações que podem ser evitadas, lembramos

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA ANP N. 127, DE 30.07.99 REVOGADA PELA RESOLUÇÃO ANP N. 20, DE 18.06.09 O DIRETOR da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO ANP, no uso de suas atribuições legais, conferidas

Leia mais

zeppini@zeppini.com.br www.zeppini.com.br Estrada Sadae Takagi, 665 CEP 09852-070 Fone (11) 4393-3600 Fax (11) 4393-3609 Zeppini Comercial Ltda

zeppini@zeppini.com.br www.zeppini.com.br Estrada Sadae Takagi, 665 CEP 09852-070 Fone (11) 4393-3600 Fax (11) 4393-3609 Zeppini Comercial Ltda + Sideraço Industrial do Brasil Ltda Rua Francisco Reis, 785-3º Distrito Industrial CEP 88311-710 Itajaí - SC Fone (47) 3341-6700 Fax (47) 3341-6717 vendas@sideraco.com.br www.sideraco.ind.br Zeppini Comercial

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS COMBUSTÍVEIS PMQC

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS COMBUSTÍVEIS PMQC PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS COMBUSTÍVEIS PMQC SUPERINTEDÊNCIA DE BIOCOMBUSTÍVEIS E DE QUALIDADE DE PRODUTOS SBQ Alexandre de Souza Lima Salvador Junho/2008 AGENTES DO ABASTECIMENTO Posição

Leia mais

RESOLUÇÃO ANP Nº 57, DE 17.10.2014 - DOU 20.10.2014

RESOLUÇÃO ANP Nº 57, DE 17.10.2014 - DOU 20.10.2014 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 57, DE 17.10.2014 - DOU 20.10.2014 A DIRETORA-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS - ANP, no

Leia mais

PCP 001 Tanques de Armazenamento Subterrâneo de Combustíveis.

PCP 001 Tanques de Armazenamento Subterrâneo de Combustíveis. rev 06 06/01/2016 Aprovado por PAG 1 / 10 1 OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo estabelecer as condições para a avaliação da conformidade do produto tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis,

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50. Fonte: Metalsinter

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50. Fonte: Metalsinter DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 1) O que são os Diesel S-50 e S-10? Significa Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos que serão utilizados em veículos: o S-50 e o S-10.

Leia mais

Nota Técnica n o 128 /SAB. Rio de Janeiro, 29 de abril de 2014

Nota Técnica n o 128 /SAB. Rio de Janeiro, 29 de abril de 2014 Nota Técnica n o 128 /SAB Rio de Janeiro, 29 de abril de 2014 Assunto: Minuta de resolução que tem por objetivo propor ajustes de redação nas Resoluções ANP nº 17 e nº 18, de 26/07/06, de forma a regular

Leia mais

OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis em posto revendedor. ORIGEM: Inmetro/MDIC

OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis em posto revendedor. ORIGEM: Inmetro/MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 130, de 31 de julho de 2003. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

Documentação Exigida para Inscrição no Cadastro Fiscal do Distrito Federal

Documentação Exigida para Inscrição no Cadastro Fiscal do Distrito Federal Documentação Exigida para Inscrição no Cadastro Fiscal do Distrito Federal Secretaria de Estado de Fazenda do Distrito Federal 2005 ÍNDICE 1) SOCIEDADE EMPRESÁRIA LTDA:... 3 2) SOCIEDADE ANONIMA S/A:...

Leia mais

PORTARIA Nº 116, DE 5 DE JULHO DE 2000. Das Disposições Gerais

PORTARIA Nº 116, DE 5 DE JULHO DE 2000. Das Disposições Gerais AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA Nº 116, DE 5 DE JULHO DE 2000 Regulamenta o exercício da atividade de revenda varejista de combustível automotivo. O DIRETOR-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO

Leia mais

ANO CL Nº 216. Brasília DF, quarta-feira, 6 de novembro de 2013 págs. 71,72,73 e 74 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

ANO CL Nº 216. Brasília DF, quarta-feira, 6 de novembro de 2013 págs. 71,72,73 e 74 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANO CL Nº 216 Brasília DF, quarta-feira, 6 de novembro de 2013 págs. 71,72,73 e 74 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO Nº 41, DE 5 DE NOVEMBRO

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 1) O que são os Diesel S-50 e S-10? Significa Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos que serão utilizados em veículos: o S-50 e o S-10.

Leia mais

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Postos (Revendedores e de Abastecimento) e Sistemas

Leia mais

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS CIRCULAR Nº 003/2015 Curitiba, 05/06/2015. ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS A Síndica do Condomínio Le Jardin Residencial, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS <!ID546934-1> RESOLUÇÃO Nº 15, DE 17 DE JULHO DE 2006

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS <!ID546934-1> RESOLUÇÃO Nº 15, DE 17 DE JULHO DE 2006 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO Nº 15, DE 17 DE JULHO DE 2006 Estabelece as especificações de óleo diesel e mistura óleo diesel/biodiesel - B2 de uso

Leia mais

CONQUISTAS E DESAFIOS PARA A REVENDA DE COMBUSTÍVEIS. Simone Marçoni R. C. Decat Advogada do Minaspetro (Departamento Metrológico)

CONQUISTAS E DESAFIOS PARA A REVENDA DE COMBUSTÍVEIS. Simone Marçoni R. C. Decat Advogada do Minaspetro (Departamento Metrológico) CONQUISTAS E DESAFIOS PARA A REVENDA DE COMBUSTÍVEIS Simone Marçoni R. C. Decat Advogada do Minaspetro (Departamento Metrológico) CONQUISTAS IMPORTANTES RESOLUÇÃO DE DIRETORIA Nº 181/13 Aprovou como regra

Leia mais

PORTARIA ANP Nº 116, DE 5.7.2000 - DOU 6.7.2000 - RETIFICADA DOU 7.7.2000

PORTARIA ANP Nº 116, DE 5.7.2000 - DOU 6.7.2000 - RETIFICADA DOU 7.7.2000 Página 1 de 6 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS PORTARIA ANP Nº 116, DE 5.7.2000 - DOU 6.7.2000 - RETIFICADA DOU 7.7.2000 Regulamenta o exercício da atividade de revenda varejista

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10 DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10 1) O que significa DBTE? Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos: o S-50 (2012) e o S-10 a partir de 2.013, onde S= enxofre, 10 ou 50 ppm=

Leia mais

Índice alfabético: janeiro a dezembro de 2007

Índice alfabético: janeiro a dezembro de 2007 Boletim Índice ICMS - IPI e Outros Índice alfabético: janeiro a dezembro de 2007 A primeira coluna deste índice refere-se a textos publicados neste Caderno (ICMS - IPI e Outros). A segunda coluna remete

Leia mais

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resolução CONAMA Nº 009/1993 - "Estabelece definições e torna obrigatório o recolhimento e destinação adequada de todo o óleo lubrificante usado ou contaminado".

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IX DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS GERAIS Art. 238. A lei ordenará a venda e revenda de combustíveis de petróleo, álcool carburante e outros combustíveis

Leia mais

EBDQUIM 2014. Abastecimento de Derivados e Biocombustíveis. Distribuição Missão e Valores. Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento

EBDQUIM 2014. Abastecimento de Derivados e Biocombustíveis. Distribuição Missão e Valores. Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento EBDQUIM 2014 Abastecimento de Derivados e Biocombustíveis Distribuição Missão e Valores Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento 19 de Março de 2014 Atividades da ANP Números do Setor de Petróleo

Leia mais

DIVISÃO DE LICENCIAMENTO E CONTROLE DA POLUIÇÃO DO PETRÓLEO E PETROQUÍMICOS DPP

DIVISÃO DE LICENCIAMENTO E CONTROLE DA POLUIÇÃO DO PETRÓLEO E PETROQUÍMICOS DPP DIVISÃO DE LICENCIAMENTO E CONTROLE DA POLUIÇÃO DO PETRÓLEO E PETROQUÍMICOS DPP MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ON LINE PARA RENOVAÇÃO DE LICENÇAS DE OPERAÇÃO PARA COMÉRCIO VAREJISTA DE COMBUSTÍVEIS

Leia mais

Cartilha da atividade de Transportador-Revendedor-Retalhista (TRR) 2ª Edição

Cartilha da atividade de Transportador-Revendedor-Retalhista (TRR) 2ª Edição Cartilha da atividade de Transportador-Revendedor-Retalhista (TRR) 2ª Edição inclui procedimentos para testes de qualidade do óleo diesel e normas para sua comercialização. Cartilha da atividade de Transportador-Revendedor-Retalhista

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS PORTARIA Nº 118, DE 11.7.2000 - DOU 12.7.2000 Regulamenta as atividades de distribuição de gás natural liqüefeito (GNL) a granel e de construção,

Leia mais

TRANSPORTADOR REVENDEDOR RETALHISTA DE COMBUSTÍVEIS - TRR

TRANSPORTADOR REVENDEDOR RETALHISTA DE COMBUSTÍVEIS - TRR TRANSPORTADOR REVENDEDOR RETALHISTA DE COMBUSTÍVEIS - TRR ASSUNTO: Operações interestaduais. De início, ressalte-se que, para efeito deste trabalho, toda alusão genérica feita a Estado é extensiva ao Distrito

Leia mais

Sistema Integrado de Licenciamento - SIL

Sistema Integrado de Licenciamento - SIL Sistema Integrado de Licenciamento - SIL CERTIFICADO DE LICENCIAMENTO INTEGRADO SECRETARIA ESTADUAL DE GESTÃO PÚBLICA Prefeitura do Município de Tatuí Governo do Estado de São Paulo É importante saber

Leia mais

Guarda Moveis e Armazenagem Self Storage em São Paulo Depósitos privativos de diversos tamanhos

Guarda Moveis e Armazenagem Self Storage em São Paulo Depósitos privativos de diversos tamanhos Guarda Moveis e Armazenagem Self Storage em São Paulo Depósitos privativos de diversos tamanhos www.unidosgv.com.br adm@unidosgv.com.br 11 4135-2033 / 11 2762-6288 Guarda Moveis Unidos Self Storage O Guarda

Leia mais

Conferência biodieselbr 2010

Conferência biodieselbr 2010 Conferência biodieselbr 2010 Construindo o caminho para o B10 Rubens Cerqueira FREITAS, M.Sc. Superintendente Adjunto de Abastecimento Superintendência de Abastecimento - SAB Sistema Nacional de Abastecimento

Leia mais

O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados

O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados Proteção e Participação da Sociedade Março/2015 Lubrificante deterioração contaminação Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado OLUC

Leia mais

RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010

RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010 RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010 Dispõe sobre a coleta, armazenamento e destinação de embalagens plásticas de óleo lubrificante pós-consumo no Estado do Paraná. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS

Leia mais

Anexo 7 Requisitos para prestadores de serviços

Anexo 7 Requisitos para prestadores de serviços Para execução dos serviços o contratado deve enviar a documentação abaixo conforme a atividade que será desenvolvida. Para outras atividades que não constam na lista, o contratado deve enviar os documentos

Leia mais

TIPO MCS. Câmara de Espuma Argus. Descrição do Produto. Normas aplicáveis. Aplicação. Operação

TIPO MCS. Câmara de Espuma Argus. Descrição do Produto. Normas aplicáveis. Aplicação. Operação Câmara de Espuma Argus TIPO MCS Descrição do Produto As Câmaras Modelo MCS foram desenvolvidas para proporcionar correta expansão e aplicação de espuma no interior de tanques de teto fixo de armazenagem

Leia mais

Regulação Mercado de Solventes 6º EBDQUIM

Regulação Mercado de Solventes 6º EBDQUIM Regulação Mercado de Solventes 6º EBDQUIM Bahia, março 2012 Rubens Cerqueira FREITAS, M.Sc. Superintendência de Abastecimento - SAB Sistema Nacional de Abastecimento de Solventes Produtor Importador Distribuidor

Leia mais

Norma Regulamentadora NR 20 Segurança e Saúde no Trabalho com Inflamáveis e Combustíveis. Portaria nº 308/12 DOU 06/03/12

Norma Regulamentadora NR 20 Segurança e Saúde no Trabalho com Inflamáveis e Combustíveis. Portaria nº 308/12 DOU 06/03/12 Norma Regulamentadora NR 20 Segurança e Saúde no Trabalho com Inflamáveis e Combustíveis Portaria nº 308/12 DOU 06/03/12 Entrou em vigor na data de sua publicação exceto para os itens com prazos diferenciados.

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE UM POSTO REVENDEDOR DE COMBUSTÍVEIS (PRC) NA CIDADE DE NATAL/RN Cleciana Raylle Lopes Ferreira¹ ; Dayanne Costa da Silva²; Estefhany Marreiros de Lima³; Robson Garcia da Silva

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA nº 273, de 29 de novembro de 2000 Publicada no DOU n o 5, de 8 de janeiro de 2001, Seção 1, páginas 20-23

RESOLUÇÃO CONAMA nº 273, de 29 de novembro de 2000 Publicada no DOU n o 5, de 8 de janeiro de 2001, Seção 1, páginas 20-23 LICENCIAMENTO AMBIENTAL Por atividade RESOLUÇÃO CONAMA nº 273 de 2000 RESOLUÇÃO CONAMA nº 273, de 29 de novembro de 2000 Publicada no DOU n o 5, de 8 de janeiro de 2001, Seção 1, páginas 20-23 Correlações:

Leia mais

LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS (para esclarecimentos consultar Anexo III) DATA DA VISITA: / /

LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS (para esclarecimentos consultar Anexo III) DATA DA VISITA: / / LIC - LEVANTAMENTO DE INDÍCIOS DE CONTAMINAÇÃO EM IMÓVEIS URBANOS (para esclarecimentos consultar Anexo III) 1. DADOS GERAIS DO IMÓVEL DATA DA VISITA: / / 1.1. Identificação do Imóvel: 1.2. Endereço: Cidade:

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 (*)

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 (*) ANO CXLIX Nº 249 Brasília DF, quinta-feira, 27 de dezembro de 2012 pág 232 e 233 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO

Leia mais

SMAMA LICENÇA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL LO N : 0019/2013.

SMAMA LICENÇA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL LO N : 0019/2013. LO N : 0019/2013. A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, criada pela Lei Municipal n 368 de 20/05/77, no uso das atribuições que lhe confere a Lei n 6.938, de 31/08/81, que dispõe sobre

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO Importação, Exportação e Transporte de Petróleo e seus Derivados

REGULAMENTAÇÃO Importação, Exportação e Transporte de Petróleo e seus Derivados REGULAMENTAÇÃO Importação, Exportação e Transporte de Petróleo e seus Derivados Carlos Valois Maciel Braga Superintendência de Comercialização e Movimentação de Petróleo e seus Derivados Agência Nacional

Leia mais

PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS POR PEQUENOS PRODUTORES

PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS POR PEQUENOS PRODUTORES PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS POR PEQUENOS PRODUTORES PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos NOVEMBRO/2004 Paulo César Ribeiro

Leia mais

ENCONTRO TÉCNICO SOBRE LOGÍSTICA REVERSA DE ÓLEOS LUBRIFICANTES Lei Federal 12.305/2010 PNRS e Resolução Conama 362/2005 DIRETRIZES PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DAS ATIVIDADES LIGADAS AOS OLUCs 13 de

Leia mais

AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE

AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE Conforme a Lei Estadual nº 1., de de embro de 200, FORMULÁRIO PARA EMPREENDIMENTOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS 1. IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO EMPREENDIMENTO NOME: IDENTIDADE: ENDEREÇO: ÓRGÃO EXPEDIDOR:

Leia mais

A N E X O RESOLUÇÃO ANP Nº 20, DE 3.4.2014 - DOU 4.4.2014. Brasília, 04 de abril de 2014. Prezado (a) Revendedor (a),

A N E X O RESOLUÇÃO ANP Nº 20, DE 3.4.2014 - DOU 4.4.2014. Brasília, 04 de abril de 2014. Prezado (a) Revendedor (a), CIRCULAR SINDICOMBUSTÍVEIS-DF Nº 043/2014 Brasília, 04 de abril de 2014. Prezado (a) Revendedor (a), Enviamos, abaixo, cópia da Resolução ANP 20, de 03 de abril de 2014, publicada no DOU de 04.04.2014,

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST)

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) CÓDIGO 03.00 GRUPO/ATIVIDADES RESÍDUOS SÓLIDOS E PPD Armazenamento Temporário de Resíduos A 03.01 das Classes I Perigoso ou A Serviço de Saúde 03.02 Armazenamento Temporário

Leia mais

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 109, de 13 de junho de 2005. O PRESIDENTE DO

Leia mais

REGISTRO DE CONTRADOS / ES

REGISTRO DE CONTRADOS / ES REGISTRO DE CONTRADOS / ES O presente trabalho tem como objetivo padronizar procedimentos para implantação do sistema de registro de contratos de financiamentos de veículos com cláusula de alienação fiduciária,

Leia mais

01/01/2009 em quantidade e com adequação de distribuição que assegure sua disponibilização em pelo menos uma bomba de cada um dos postos revendedores

01/01/2009 em quantidade e com adequação de distribuição que assegure sua disponibilização em pelo menos uma bomba de cada um dos postos revendedores 19ª Vara Cível Federal Autos nº 2007.61.00.034636-2 e 2008.61.00.013278-0 AÇÕES CIVIS PÚBLICAS Autores: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, ESTADO DE SÃO PAULO, INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS

Leia mais

LEGISLAÇÃO BÁSICA. Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis

LEGISLAÇÃO BÁSICA. Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis LEGISLAÇÃO BÁSICA Especificações GPL Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis Portaria nº 348/96, de 8 de Agosto Estabelece as

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) COLETA, TRANSPORTE, ARMAZENAMENTO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E PRODUTOS

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) COLETA, TRANSPORTE, ARMAZENAMENTO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E PRODUTOS ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) CÓDIGO 03.00 GRUPO/ATIVIDADES RESÍDUOS SÓLIDOS E PPD Armazenamento Temporário de Resíduos A 03.01 das Classes I Perigoso ou A Serviço de Saúde 03.02 Armazenamento Temporário

Leia mais

A Atividade Regulatória da ANP e sua Interação com o Processo de Licenciamento Ambiental.

A Atividade Regulatória da ANP e sua Interação com o Processo de Licenciamento Ambiental. 18 Encontro da ANAMMA Interpretação da Res. CONAMA nº 362/05 A Atividade Regulatória da ANP e sua Interação com o Processo de Licenciamento Ambiental. 12 de Agosto de 2008 Eduardo Carmo Agência Nacional

Leia mais

GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS

GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS GASES PERIGOSOS NOS ESPAÇOS CONFINADOS Nos diversos ambientes, muitos deles existentes no subsolo, como galerias, esgotos, os porões nas edificações, tanques etc., pela natureza de seus projetos e finalidades,

Leia mais

Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil. Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP

Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil. Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP Novembro de 2011 Evolução dos Biocombustíveis no Brasil 1973 Primeira

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL RESOLUÇÃO Nº 113, DE 22 DE SETEMBRO DE 2009.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL RESOLUÇÃO Nº 113, DE 22 DE SETEMBRO DE 2009. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL RESOLUÇÃO Nº 113, DE 22 DE SETEMBRO DE 2009. Estabelece critérios e procedimentos para a alocação de áreas aeroportuárias. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL

Leia mais

NORMA OPERACIONAL PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

NORMA OPERACIONAL PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios para o licenciamento ambiental das atividades de transporte rodoviário de produtos perigosos (exceto os das classes 1 e 7 da Resolução ANTT 42) que circulam apenas no

Leia mais

ABNT/ONS 34 Organismo de Normalização Setorial de Petróleo

ABNT/ONS 34 Organismo de Normalização Setorial de Petróleo ATA DE REUNIÃO PLENÁRIA CE-34:000.04 - COMISSÃO DE ESTUDO DE DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEIS - CEDAC ATA da (111) 3ª REUNIÃO de 2012 DATA: 12/07/2012 INÍCIO: 13h30min TÉRMINO: 16h00 LOCAL:

Leia mais

MANUSEIO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS

MANUSEIO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei 11.097, de 13 de janeiro de 2005,

Leia mais

OBRIGAÇÕES ESTADUAIS RIO DE JANEIRO MARÇO/2008

OBRIGAÇÕES ESTADUAIS RIO DE JANEIRO MARÇO/2008 OBRIGAÇÕES ESTADUAIS RIO DE JANEIRO MARÇO/2008 5 ICMS/CONTRIBUINTES DE GRANDE PORTE Recolhimento do imposto devido pelos contribuintes relacionados no Decreto 31.235/2002, relativamente ao mês de fevereiro/2008.

Leia mais

Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Veículos Utilitários BNDES Pro- Utilitário

Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Veículos Utilitários BNDES Pro- Utilitário Grau: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 39/2015-BNDES Rio de Janeiro, 21 de setembro de 2015. Ref.: Ass.: Produto BNDES Automático Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Veículos

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) COMÉRCIO E SERVIÇOS POSTOS DE SERVIÇOS E COMBUSTÍVEIS (CÓDIGO: 08.04)

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) COMÉRCIO E SERVIÇOS POSTOS DE SERVIÇOS E COMBUSTÍVEIS (CÓDIGO: 08.04) ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) COMÉRCIO E SERVIÇOS POSTOS DE SERVIÇOS E COMBUSTÍVEIS (CÓDIGO: 08.04) CÓDIGO 08.00 08.04 GRUPO/ATIVIDADES COMÉRCIO E SERVIÇOS Postos de Revenda de Combustíveis e Derivados

Leia mais

Se você for substituir o seu bem por um USADO, providenciar a vistoria do bem (se for um bem NOVO, passar para o 2º passo)

Se você for substituir o seu bem por um USADO, providenciar a vistoria do bem (se for um bem NOVO, passar para o 2º passo) Orientações para Substituição de Garantia Bens Móveis Nesse documento você encontra todas as orientações para concluir a substituição do bem adquirido no Consórcio, de maneira ágil e fácil. Esse processo

Leia mais

CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA

CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA O processo de contratação centralizada utilizado pelo Governo do Estado de Sergipe: a experiência de gestão do abastecimento da frota de veículos Autores: Jorge Alberto

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O USO DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) EM EDIFICAÇÕES CLASSIFICADAS COMO PROCEDIMENTO SIMPLIFICADO

ORIENTAÇÕES PARA O USO DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) EM EDIFICAÇÕES CLASSIFICADAS COMO PROCEDIMENTO SIMPLIFICADO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO PARÁ CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS ORIENTAÇÕES PARA O USO DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) EM EDIFICAÇÕES CLASSIFICADAS COMO PROCEDIMENTO SIMPLIFICADO Belém 2014 / Versão

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 022/DAT/CBMSC) INSTALAÇÕES PARA REABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL DE USO PRIVATIVO

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 022/DAT/CBMSC) INSTALAÇÕES PARA REABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL DE USO PRIVATIVO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 022/DAT/CBMSC)

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CERTIFICADO DE REGULARIDADE Emitido em: Cadastro de Atividades Potencialmente Poluidoras

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CERTIFICADO DE REGULARIDADE Emitido em: Cadastro de Atividades Potencialmente Poluidoras Registro http://servicos.ibama.gov.br/ctf/modulos/certificadoregistro/certificado... 1 de 1 25/09/2013 09:16 Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000

RESOLUÇÃO Nº 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 RESOLUÇÃO Nº 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 O Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, no uso das competências que lhe foram conferidas pela Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA FISCALIZAÇÃO DE ÓLEOS LUBRIFICANTES USADOS OU CONTAMINADOS ( OLUCs

PROCEDIMENTOS PARA FISCALIZAÇÃO DE ÓLEOS LUBRIFICANTES USADOS OU CONTAMINADOS ( OLUCs Óleos lubrificantes Usados e o Meio Ambiente Resolução CONAMA Nº 362/2005 PROCEDIMENTOS PARA FISCALIZAÇÃO DE ÓLEOS LUBRIFICANTES USADOS OU CONTAMINADOS ( OLUCs OLUCs ) APOIO: SINDIRREFINO SÃO PAULO NOVEMBRO/2006

Leia mais

MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS

MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei nº 11.097, de 13 de janeiro de 2005,

Leia mais

Cap 4: Principais Aspectos Jurídicos na Distribuição de Insumos no Brasil

Cap 4: Principais Aspectos Jurídicos na Distribuição de Insumos no Brasil Cap 4: Principais Aspectos Jurídicos na Distribuição de Insumos no Brasil AGRODISTRIBUIDOR: O Futuro da Distribuição de Insumos no Brasil. São Paulo: Atlas, 2011. Org: Matheus Alberto Cônsoli, Lucas Sciencia

Leia mais

LICENÇA DE OPERAÇÃO Regularização

LICENÇA DE OPERAÇÃO Regularização LO N : 0001/2013. A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, criada pela Lei Municipal n 368 de 20/05/77, no uso das atribuições que lhe confere a Lei n 6.938, de 31/08/81, que dispõe sobre

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE RESOLUÇÃO CONEMA Nº 56 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013. ESTABELECE CRITÉRIOS PARA A INEXIGIBILIDADE DE

Leia mais

LEI Nº. 6.612, DE 12 DE SETEMBRO DE 2014.

LEI Nº. 6.612, DE 12 DE SETEMBRO DE 2014. LEI Nº. 6.612, DE 12 DE SETEMBRO DE 2014. Disciplina o funcionamento de Feiras no Município de Chapecó e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Chapecó, Estado de Santa Catarina, no uso de suas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 302, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 302, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 302, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2014. Estabelece critérios e procedimentos para a alocação e remuneração de áreas aeroportuárias. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC, no exercício

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS E PRODUTOS PERIGOSOS Tratamento... RESOLUÇÃO CONAMA nº 362 de 2005

GESTÃO DE RESÍDUOS E PRODUTOS PERIGOSOS Tratamento... RESOLUÇÃO CONAMA nº 362 de 2005 RESOLUÇÃO CONAMA nº 362, de 23 de junho de 2005 Publicada no DOU n o 121, de 27 de junho de 2005, Seção 1, páginas 128-130 Correlações: Revoga a Resolução n o 9/93 Dispõe sobre o recolhimento, coleta e

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL 1 OBJETIVO: Estabelecer requisitos e exigências para o Credenciamento de Empresas Revendedoras, Instaladoras e Conservadoras de Sistemas de Proteção Contra Incêndio e Pânico, complementando o Art. 9º do

Leia mais

CFOP - CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES

CFOP - CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES CFOP - CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES A presente relação de códigos fiscais é baseada no Convênio SINIEF s/nº, de 15.12.1970, com suas respectivas alterações. A relação encontra-se devidamente

Leia mais

M a n u a l d o M e c â n i c o

M a n u a l d o M e c â n i c o M a n u a l d o M e c â n i c o folder2.indd 1 20/11/2009 14 12 35 Manual do Mecânico GNV GÁS NATURAL VEICULAR Entenda o GNV e saiba quais os cuidados necessários para a manutenção de veículos que utilizam

Leia mais

Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B

Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B Setembro, 2010. Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei 11.097, de 13

Leia mais

LEGISLAÇÃO ESTADUAL DE AGROTÓXICOS PARTICULARIDADES

LEGISLAÇÃO ESTADUAL DE AGROTÓXICOS PARTICULARIDADES ADAPI - Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Piauí LEGISLAÇÃO ESTADUAL DE AGROTÓXICOS PARTICULARIDADES Francisco de Assis Filho Gerente de Defesa Vegetal Bom Jesus, agosto/2013 BASE LEGAL: Lei Estadual

Leia mais

ABNT/ONS 34 Organismo de Normalização Setorial de Petróleo

ABNT/ONS 34 Organismo de Normalização Setorial de Petróleo ATA DE REUNIÃO RELATORIA CE-34:000.04 - COMISSÃO DE ESTUDO DE DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEIS - CEDAC ATA da (112) 4ª REUNIÃO de 2012 DATA: 13/12/2012 INÍCIO: 10h00min TÉRMINO: 13h00. LOCAL:

Leia mais

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ÁREA DE ABASTECIMENTO E ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEL 6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ambiente e seu manuseio e armazenagem também apresentam considerável grau

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 32/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 32/2015 Instrução Técnica nº 26/2011 - Sistema fixo de gases para combate a incêndio 645 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO

Leia mais

SPED Sistema Público de Escrituração Fiscal CONTROLES MÍNIMOS PARA A SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Prof. Ms. Edison Fontes, CISM, CISA, CRISC

SPED Sistema Público de Escrituração Fiscal CONTROLES MÍNIMOS PARA A SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Prof. Ms. Edison Fontes, CISM, CISA, CRISC NUCLEO CONSULTORIA EM SEGURANÇA Artigo SPED Sistema Público de Escrituração Fiscal CONTROLES MÍNIMOS PARA A SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO BRASIL, São Paulo Novembro, 2013 V.1.0 1. RESUMO Este artigo apresenta

Leia mais

PORTARIA N.º 034/2009, de 03 de agosto de 2009

PORTARIA N.º 034/2009, de 03 de agosto de 2009 PORTARIA N.º 034/2009, de 03 de agosto de 2009 Aprova o MANIFESTO DE TRANSPORTE DE RESÍDUOS MTR e dá outras providências. A DIRETORA PRESIDENTA DA FUNDAÇÃO ESTADUAL DE PROTEÇÃO AMBIENTAL HENRIQUE LUIZ

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-00416/2015 do Vereador Ricardo Young (PPS)

PROJETO DE LEI 01-00416/2015 do Vereador Ricardo Young (PPS) Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo PROJETO DE LEI 01-00416/2015 do Vereador Ricardo Young (PPS) "Dispõe sobre a organização e funcionamento do

Leia mais

XIII CONGRESSO DOS REVENDEDORES DE COMBUSTÍVEIS DE MINAS GERAIS. ANP - Regulação no setor de combustíveis

XIII CONGRESSO DOS REVENDEDORES DE COMBUSTÍVEIS DE MINAS GERAIS. ANP - Regulação no setor de combustíveis XIII CONGRESSO DOS REVENDEDORES DE COMBUSTÍVEIS DE MINAS GERAIS ANP - Regulação no setor de combustíveis Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento Abril de 2013 O que é a ANP A Agência Nacional

Leia mais

TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se:

TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se: TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal 1. DEFINIÇÕES: Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se: EMPRESA CONCESSIONÁRIA Viação Atibaia

Leia mais

Distrito Federal > Novembro/2015

Distrito Federal > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Distrito Federal

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO DESPACHO 2007 N O PROJETO DE LEI Nº 1310/2007 INSTITUI O SERVIÇO E COLETA DE PEQUENAS CARGAS, MEDIANTE UTILIZAÇÃO DE MOTOCICLETAS, NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO, DENOMINADO MOTO-FRETE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais