RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NAS ORGANIZAÇÕES: UM ENFOQUE SOBRE A EDUCAÇÃO COMO AGENTE DE TRANSFORMAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NAS ORGANIZAÇÕES: UM ENFOQUE SOBRE A EDUCAÇÃO COMO AGENTE DE TRANSFORMAÇÃO"

Transcrição

1 ISSN RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NAS ORGANIZAÇÕES: UM ENFOQUE SOBRE A EDUCAÇÃO COMO AGENTE DE TRANSFORMAÇÃO MÔNICA DE ARAÚJO MARTINS (LATEC/UFF) Resumo Este artigo tem por objetivo inicialmente expor alguns conceitos sobre Responsabilidade Socioambiental nas organizações e ensaios sobre sustentabilidade e educação. Como objetivo central pretende-se trabalhar a educação como agente de traansformação e influência nos aspectos ambientais. A metodologia aplicada consiste em uma revisão bibliográfica, sendo a busca de informações realizadas através de livros, artigos, sites, entre outros. Atualmente, o tema Responsabilidade Sócio- Ambiental tem sido motivo de discussões e fóruns de debates tanto no cenário organizacional, quanto no ambiente acadêmico. No primeiro capítulo, vemos a revisão da literatura e contextualização segundo Rodrigo C. da Rocha Loures em relação aos problemas dos excessivos maltratos ao meio ambiente. A seguir, o entendimento sobre o tema em questão e por fim, a educação como agente de transformação socioambiental. A motivação para este artigo foi adquirir um conhecimento melhor sobre Responsabilidade Socioambiental e de que maneira a educação pode interferir no processo de transformação do meio ambiente, no desenvolvimento do pensamento crítico e percepção de uma sociedade sustentável. Palavras-chaves: RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL, ORGANIZAÇÕES, EDUCAÇÃO, AGENTE DE TRANSFORMAÇÃO.

2 1. INTRODUÇÃO No Brasil, o movimento de valorização da responsabilidade social empresarial ganhou forte impulso na década de 90, através da ação de entidades não governamentais, institutos de pesquisa e empresas sensibilizadas para a questão nos principais centros da economia mundial. A obtenção de certificados de padrão de qualidade e de adequação ambiental, como as normas ISO, por centenas de empresas brasileiras, também é outro símbolo dos avanços que têm sido obtidos em alguns aspectos importantes da responsabilidade social empresarial. O Instituto Ethos é hoje uma referência internacional nos assuntos ligados a responsabilidade social e desenvolve ações, projetos, relatórios e parcerias com diversas entidades no mundo todo. É um pólo de trocas de conhecimentos, experiências e desenvolvimento de ferramentas que auxiliam as organizações a repensarem suas práticas de gestão e aprofundarem seus compromissos e ética empresarias para um mundo sustentável e socioambiental. Ainda de acordo com o Instituto Ethos (2009), responsabilidade social empresarial é a forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa com todos os públicos com os quais ela se relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariais que impulsionem o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para as gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais. Hoje, as preocupações ambientais e sociais estão presentes na pauta prioritária de muitas corporações e o mesmo acontece no ambiente dos governos, da academia e da sociedade civil, sendo parte integrante da vida das pessoas. Segundo pesquisas emitidas pelo próprio Instituto, já há algum tempo, ocorre divulgação de muitas informações sobre a participação das empresas em atividades sociais e como as mesmas se preocupam com a valorização do meio ambiente, do homem e da cultura. Para as empresas envolvidas, significa ganhar a preferência dos consumidores, contar com os melhores parceiros e ter suas ações valorizadas no mercado representando ganhos em ternos de negócios. 2

3 Para Loures (2008), Cada um desses atores estabelece ao seu modo, iniciativas próprias para o que considera vital para o desenvolvimento sustentável. No entanto, para que haja efetividade das ações e produtividade em prol da sustentabilidade é necessário estarmos amparados sobre três pilares fundamentais: Formação de novas competências, repensar o ensino no campo das ciências sociais e a geração de negócios sustentáveis. O que fica ainda mais evidente nos dias atuais. Segundo Lemos (2006), o grande desafio que a sociedade mundial enfrenta hoje é o de iniciar efetivamente o processo de transição em direção ao desenvolvimento sustentável. Contudo, para que isso seja uma realidade e atinja o maior número possível de organizações é preciso uma mudança fundamental na cultura, nos sistemas e nos processos que impactam a formação acadêmica dos nossos jovens e futuros líderes empresariais. Pode-se dizer que a educação tem sua base no processo de desenvolvimento intelectual, na formação ética, nos valores e na capacidade física de cada ser humano para que possa atuar e conviver na sociedade. Paulo Freire já dizia que não há seres educados e não educados, mas sim graus de educação que não são absolutos. Educar é um ato social e, portanto, reflexo dos momentos históricos e da cultura das sociedades. O fomento em torno da sustentabilidade demonstra a grande preocupação com as atuais condições de vida da espécie humana no nosso planeta. E o sétimo item descrito nos objetivos do milênio nos diz: Assegurar a sustentabilidade ambiental. 2. REVISÃO DA LITERATURA: RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES Quando Milton Friedman, um dos mais influentes teóricos do liberalismo econômico, declarou em 1970, que a responsabilidade social de uma empresa se limitava a gerar tanto dinheiro quanto possível para seus donos, dentro das regras do jogo, recebeu aplausos do establischment da época. Para ele, ações de responsabilidade social eram perigosas, antidemocráticas e imprudentes. Com o tempo, e a explosão dos problemas sociais e ambientais, outros começaram a enxergar nos negócios uma fonte potencialmente poderosa de ações para o bem do planeta, conseqüentemente, para os próprios mercados. 3

4 Segundo Loures (2008), hoje, o raciocínio é outro e muita coisa mudou desde a década de 70. Existe um consenso crescente em torno da questão de mudanças ambientais e efeitos econômicos. E o maior desafio passou a ser a construção de uma nova teoria econômica do crescimento sustentável para melhor distribuição de riqueza. Conforme definido pela Comissão Brundtland, no seu relatório Nosso Futuro Comum, o desenvolvimento sustentável é aquele que atende às necessidades do presente, sem comprometer a possibilidade das gerações futuras atenderem às suas próprias necessidades. De acordo com Duarte e Dias (1986), a responsabilidade social na empresa tem sua gênese no trabalho de Bowen de 1957, quando o tema era tratado com maior profundidade no qual define que o conceito de responsabilidade social é como a obrigação do homem de negócios de adotar orientações, tomar decisões e seguir linhas de ação que sejam compatíveis com os fins e valores da sociedade. A partir deste marco o tema assumiu relevância nos meios acadêmicos e empresariais, universidades, principalmente, nos Estados Unidos e Europa. Para Bowen (1957), a doutrina de responsabilidade social corporativa (RSC) significa uma transformação radical na concepção da empresa e de seu papel na sociedade, no qual atinge cinco grandes grupos beneficiados pela RSC: funcionários, clientes, fornecedores, competidores e outros com os quais a empresa mantenha transações comerciais. Ressaltando desde então, o envolvimento de todos. De acordo com Loures (2008,p.31), nos últimos 25 anos, surgiram muitas iniciativas que, reconhecendo a necessidade de reconceitualizar as premissas e modelos de gestão, as empresas começaram a entender e aplicar os conceitos em relação à responsabilidade socioambiental dos negócios. Com isso, grandes, médias e pequenas empresas passaram a incorporar em suas decisões ações relacionadas ao tema ou mesmo, reflexões sobre ele. Deste modo, também adotaram uma visão de longo prazo em vez da ênfase tradicional do curto prazo, embora algumas dúvidas ainda permaneçam como por exemplo: 1- Como uma empresa pode ser sustentável sem comprometer seus lucros? 2- Que estratégias podem ser utilizadas a fim de alcançar sustentabilidade? 3- Como construir vantagem competitiva respeitando e valorizando os preceitos de sustentabilidade? 4

5 Atualmente, a economia global e a nacional ainda mostram algumas fragilidades em responder a essas perguntas. No entanto, com a fundação do Instituto Ethos no Brasil, em 1998, houve a possibilidade de engajar as empresas de forma prática para dar respostas a estas e outras fragilidades. Michel Porter é considerado até hoje um dos mais importantes gurus da administração e maior autoridade em estratégia competitiva e em uma de suas citações nos diz em 1996: No futuro, o desenvolvimento econômico sustentável será alcançado a partir da melhoria da produtividade no uso de insumos. Vantagens em mão de obra e recursos naturais não serão mais sustentáveis na Era da Competição Total, porque existem muitos países oferecendo a mesma coisa. Melhorar a performance ambiental e aumentar a competitividade são virtualmente sinônimos. Poluição é desperdício. Para Lemos (2006), um dos problemas que as empresas vem enfrentando atualmente com o conceito de Responsabilidade Social Corporativa (RSC), é a cobrança cada vez maior por parte da sociedade, da aplicação desses princípios às suas atividades fundamentais e, não apenas, os mecanismos tradicionais de treinamento e a melhoria da qualidade de vida de seus funcionários e das comunidades onde se inserem. E com isso, as empresas estão sendo cada vez mais pressionadas para minimizar os impactos ambientais de seus produtos e serviços. Ainda de acordo com Lemos (2006, p.222), sustenta-se ainda que as empresas têm obrigações morais com a sociedade que permite que elas exerçam suas funções produtivas e dessa forma, devem fazer com que os benefícios materiais de suas ações empresariais atinjam diretamente os mais diversos setores da sociedade. Assumindo um papel mais ativo na resolução dos problemas sociais já que são atores que detêm muitos recursos, o que as permite e de certa forma as obriga assumir esse papel. A esse respeito, Maximiano (2000, p. 28) comenta que: Muitos produtos e serviços essenciais para a simples sobrevivência somente se tornam disponíveis quando há organizações empenhadas em realizá-los [..]A energia, a segurança pública, o controle da poluição tudo depende de uma organização. Robbins (2002) concorda com as ideias mencionadas ao inferir que o contexto das organizações do século XXI é formado por um conjunto de organizações que visa corresponder às expectativas do homem, adaptando-se às mudanças nas tendências sociais, nos hábitos dos consumidores e no trabalho em si. E como protagonistas do 5

6 contexto social, antes de tentar ajustar seus produtos e serviços, as organizações devem reconhecer as influências que exercem no ambiente, tomando atitudes coerentes relacionadas as preocupações da sociedade, principalmente com relação às questões socioambientais. Isso porque para sobreviver no mercado, não basta oferecer produtos e serviços que satisfaçam às necessidades humanas, mas também desenvolver soluções que evitem danos ao meio-ambiente. 3. EDUCAÇÃO SOCIOAMBIENTAL TRANSFORMADORA Paulo Freire (1983, p. 41), um dos mais notáveis referenciais da Teoria Crítica e fundador da Pedagogia Libertadora, como forma de estimular a formação de sujeitos críticos emancipados e autores da sua própria história, ressaltou que devemos assumir como seres sociais, históricos, pensantes, comunicadores, transformadores, criadores, realizadores de sonhos, defendendo assim, o protagonismo social. O pensamento pedagógico de Freire (1983, p.149) aponta para a comunicação, como princípio que transforma o homem em sujeito de sua própria história através de uma relação dialética vivida na sua inserção na natureza e na cultura, diferenciando-o dos outros animais. Sabemos que a educação exerce um papel fundamental na formação do indivíduo, no meio social e no mundo do trabalho. De acordo com Nascimento (2006, p.13), o conhecimento relaciona-se, direta e essencialmente, com o ser humano que reage e atua na sociedade, a partir do acesso que tem ou não à educação e à sua iniciativa de buscar o seu aprimoramento constante, através da capacidade de aprender a aprender. E nas organizações, é considerado um recurso determinante. Do ponto de vista da educação brasileira, segundo Niskier (1999, p.28) É importante que a consciência coletiva seja alertada de que somente através da Educação teremos a transformação social, econômica e política do indivíduo e do país. A partir desse contexto, analisaremos sobre a necessidade de mudarmos hábitos e comportamentos que possibilitem uma melhoria nas atuais condições sociais e ambientais de preservação ao meio ambiente, através de uma educação transformadora. O que ouço esqueço. O que vejo lembro. Mas o que faço aprendo Confúcio. 6

7 Confúcio nos instiga a refletir sobre o ônus do esquecimento ou da importância primordial de recuperarmos a consciência de quem somos verdadeiramente e dos saberes que temos da nossa vida. Segundo Loures (2008, p.59), a educação é frequentemente conceituada como processo de desenvolvimento da capacidade física, intelectual e moral do ser humano, a fim de que possa atuar na sociedade. Hoje, considera-se necessário que a educação atinja a vida das pessoas e da coletividade e contribua para o fortalecimento da participação crítica e reflexiva dos grupos e nas decisões dos assuntos que lhes dizem respeito. De acordo com Paulo Freire (1983), não há seres educados e não educados, mas sim graus de educação, que não são absolutos. Educar é um ato social e, portanto, reflexo dos momentos históricos e da cultura das sociedades. As relações de ensino-aprendizagem são dinâmicas e se modificam de acordo com os valores de cada época e de cada situação vivida. Nos últimos tempos, percebemos como a temática que gira em torno da sustentabilidade vem ganhado destaque nos fóruns de debates, nas organizações e nos sistemas de ensino. Tal direcionamento e postura demonstra a crescente preocupação com as condições de vida da espécie humana e do nosso planeta. E nesta lógica, diversos autores escrevem e falam sobre a Educação para a Sustentabilidade. A fim de complementar a pesquisa, buscou-se ainda informação através do Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global de 1992, em que fala: Consideramos que a educação ambiental para uma sustentabilidade eqüitativa é um processo de aprendizagem permanente, baseado no respeito a todas as formas de vida. Tal educação afirma valores e ações que contribuem para a transformação humana e social e para a preservação ecológica. Ela estimula a formação de sociedades socialmente justas e ecologicamente equilibradas, que conservam entre si relação de interdependência e diversidade. Isto requer responsabilidade individual e coletiva em nível local, nacional e planetário. Esta definição deixa clara o nosso entendimento sobre importância de educarmos de forma consciente a sociedade sob o âmbito ecológico e sustentável a partir das salas de aula e consequentemente, nas organizações. 7

8 Quando se trabalha a educação nas instituições com disciplinas relacionadas a sustentabilidade, meio ambiente e reponsabilidade social a possibilidade de formarmos cidadãos corresponsáveis, críticos e mais conscientes é muito maior. No contexto empresarial, a educação também terá um papel fundamental pois, reforçará a ideia a respeito da cultura organizacional, a missão e os programas voltados para Responsabilidade Socioambiental a partir dos treinamentos direcionados e dos resultados obtidos. No âmbito do Pacto Global de 2001, foram criados seis princípios para Educação de Gestão Responsável, que foram escritos por educadores de escolas de gestão do mundo inteiro. Uma proposta de reforma de profundidade chamada de educação executiva de alto nível e que está baseada em uma reconceitualização de propósitos, valores, métodos, pesquisas, ampliação de parcerias e diálogos. O pacto também serviu para uma iniciativa importante e de base para a criação da ISO de Responsabilidade Social Empresarial- SER. Não trataremos de todos os itens citados aqui neste artigo no entanto, refletiremos algumas questões cruciais como por exemplo: 1- Como disseminar estes princípios de forma transdisciplinar? 2- Como ajudar as empresas e organizações de governo a agirem de uma forma sóciopolítico-ambiental responsável? Segundo Loures (2008, p. 39), os principais desafios que definem o começo deste novo milênio são a escassez de água potável e outras crises ambientais como a violência, a homogeneização cultural global, a pobreza, a crise mundial de alimentos e a globalização da inflação. Todos apontam claramente para soluções que vão além da esfera de disciplinas individuais e específicas como economia, engenharia, etc. Por essas razões, é fundamental termos uma mudança no sistema de educação. Especialmente no que diz respeito ao contexto socioambiental. Arnaldo Niskier (1999, p.28), acadêmico, educador e profundo conhecedor do sistema Educacional Brasileiro, relata que há uma necessidade de se estabelecer uma consciência coletiva, para que sejamos alertados que: Somente através da educação teremos a transformação social, econômica e política do indivíduo e do país. Contudo, Loures (2008) relata que infelizmente ainda existe uma grande parte das instituições acadêmicas e das organizações que limitam suas práticas voltadas para a 8

9 sustentabilidade e as ações locais, sem realmente mergulhar nas profundezas das razões e questionar, porque temos comportamentos, práticas e crenças tão insustentáveis. Com base nessa análise, é preciso colocar em evidência a importância crucial do desenvolvimento da prática da ética e do cuidado em todas as nossas ações, de forma profunda e abrangente. Pois o ser humano que preda o ambiente natural também preda o ambiente social. 4. A EDUCAÇÃO COMO AGENTE DE TRANSFORMAÇÃO Peter Drucker foi o maior pensador no campo da administração em todos os tempos e costumava afirmar que todos os problemas que existem no planeta devem ser vistos como oportunidade de novos negócios. E para enxergar por este prisma é preciso quebrar paradigmas nos processos e nos modelos de educação. Paulo Freire (1991), em uma de suas citações nos revela que a educação sozinha não transforma a sociedade, sem tampouco a sociedade muda. Já para Nascimento (2006, p.18), julga importante a necessidade de se estabelecer um diálogo entre as empresas e as universidades a fim de buscarem alternativas para trazer a educação mais perto do mundo dos negócios. A educação é vista como ato de conhecimento e transformação social com certo cunho político. Segundo Brandão (1986), aprender é formar-se pessoa a partir do organismo, realizando a passagem da natureza à cultura. Onde costuma valorizar a educação popular. A Educação Popular é uma educação comprometida e participativa orientada pela perspectiva de realização de todos os direitos do povo. Neste caso, vale ressaltar que baseado nesses princípios, este modelo de educação contribui para uma formação mais homogênea da sociedade, com valores determinantes no processo da construção de conhecimentos e, portanto considerada como um importante instrumento de transformação social. E este movimento também se baseia na fundamentação de Paulo Freire, que aponta essa teoria educacional com uma das mais importantes para a mudança social cujo os aspectos encontram-se amparados nos valores culturais. Ainda de acordo com Freire, a força dessa transformação assenta na consciência crítica das relações do homem com o mundo e os outros homens. 9

10 O modelo de mundo que está sendo apresentado atualmente não acompanha a evolução do ser humano enquanto agentes de mudanças. Precisamos nos reinventar a cada momento, como seres que se preparam para uma nova evolução. As empresas pensam em gerar lucros, mas não preservam as riquezas naturais. Consideram que o capital intelectual é o valor mais importante no mercado, no entanto são raras as organizações que desenvolvem políticas de treinamentos adequadas voltadas para a sustentabilidade dos negócios e do planeta. Por outro lado, nas salas de aula, ainda é grande a demanda de professores comprometidos, estimulados e empenhados a ensinarem a seus alunos se tornarem cidadãos corresponsáveis pela meio ambiente e pela vida de cada espécie presente no planeta. Hoje, os autores que ajudam a escrever as experiências vividas no ambiente escolar ainda crescem acreditando que o nosso oxigênio vem das árvores e a experiência mais marcante que tiveram na aula de ciências, foi a do caroço de feijão no algodão. E isso acontece até hoje. A educação precisa mudar e acompanhar essa evolução que teve início há muitas décadas atrás com a teoria evolucionista de Charles Darwin que desmistificou os fatos narrados e nos trouxe o conhecimento de que quando uma espécie encontra-se em um meio favorável, o número de indivíduos daquela espécie aumentará até o limite de capacidade daquele ambiente. A esse processo, deu o nome de seleção natural. 5. CONCLUSÃO Embora ainda estejamos distantes dessa mudança, o cenário atual nos obriga a repensar nossas práticas em relação ao meio ambiente e a importância de atitudes consciente de forma que acompanhe a evolução do planeta e da sociedade. As empresas, cenários também de grandes aprendizagens ocupam um papel primordial no que diz respeito a mudanças de posturas relacionadas ao meio ambiente. Elas devem ser significativas e dotadas de condutas organizacionais que visam a responsabilidade socioambiental, fica claro que fortalecendo as ações de planejamento estratégico, colaborando para moldar os comportamentos nos negócios, as atitudes das lideranças e consequentemente, dos seus liderados, gerarão uma onda de mudanças positivas, promovendo assim, um cenário melhor para que as empresas e sociedades possam prosperar, 10

11 preservando o meio. E para que isso ocorra naturalmente e a curto prazo é preciso fazer as mudanças. Fica óbvio que somente através de uma visão compartilhada de valores básicos como ética, consciência igualitária, modificar hábitos e posturas, seremos os novos atores do contexto socioambiental com base numa qualidade de vida melhor e mais sustentável. Para que isso aconteça, faz-se necessário a união de esforços de todos os indivíduos envolvidos: organizações, empresas, governos e instituições privadas e públicas. Conclui-se, portanto, que a educação sobre todos os aspectos é o melhor caminho para transformar a sociedade atual nos verdadeiros agentes de mudança. Em cidadãos mais conscientes e justos. 6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRANDAO, Carlos R. Educação Popular. 3ª ed. SP, Brasiliense, 1986 DUARTE, Gleuso D. e DIAS, José Maria A. M. Responsabilidade Social; a empresa hoje. Rio de Janeiro, LTC- Livros Técnicos e Cientificos, DRUCKER, Peter. A Sociedade pós-capitalista. São Paulo: Ática, FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. Rio de Janeiro. Paz e Terra, FREIRE, Paulo. A Educação na Cidade. São Paulo: Cortez, FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. 35ª ed. São Paulo: Paz e Terra, FRIEDMAN, Georges. O trabalho em migalhas. São Paulo: Perspectiva, INSTITUTO ETHOS. Indicadores Ethos de Responsabilidade Social Empresarial. São Paulo: Instituto de Empresas e Responsabilidade Social, LEMOS, H. M.; SANTOS, C. H.; QUELHAS, O. L. G. Sustentabilidade das Organizações Brasileiras. Niterói: ABEPRO, LOURES, Rodrigo C. da R. Proposições Provocativas: Ensaios sobre Sustentabilidade e Educação. Publicação do Sistema de Federação das Indústrias do Estado do Paraná, MAXIMIANO, Antonio C. A. Teoria geral da administração: da escola cientifica à competitividade na economia globalizada. 2ª ed. São Paulo: Atlas,

12 NASCIMENTO, Leyla. Gestores de Pessoas: Os impactos nas Transformações no Mercado de Trabalho. Rio de Janeiro: Qualitymark, NISKIER, Arnaldo. Novos rumos da educação brasileira. João Pessoa: A União, PORTER, Michael E. and KRAMER, Mark R. Strategy and Society: The Link between Competitive Advantage and Corporate Social Responsibility. Harvard Bussines Review, ROBBINS, Stephen. Comportamento organizacional. 11.ed. São Paulo: Prentice Hall, TRATADO de educação ambiental para sociedades sustentáveis e responsabilidade global, Rio de Janeiro, Disponível em: <http://www.ufpa.br/npadc/gpeea/docsea/tratadoea.pdf> Acesso em 10 mai

13 13

A FUNÇÃO SOCIAL DA EMPRESA SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO

A FUNÇÃO SOCIAL DA EMPRESA SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO A FUNÇÃO SOCIAL DA EMPRESA SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Bruna Medeiros David de Souza Advogada. Pós-graduanda em Direito Civil pela Faculdade de Direito Milton Campos. A função social da

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Dimensão Social

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Dimensão Social DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Dimensão Social Por Daiane Fontes 1 A preocupação da sociedade com relação aos temas ética, cidadania, direitos humanos, desenvolvimento econômico, Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES 2º. Bimestre Capítulos: I Ética: noções e conceitos básicos II Processo de Decisão Ética III - Responsabilidade Social Apostila elaborada pela Profa. Ana

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

INVESTIMENTO EM RESPONSABILIDADE SOCIAL E SUA RELAÇÃO COM O DESEMPENHO ECONÔMICO DAS EMPRESAS

INVESTIMENTO EM RESPONSABILIDADE SOCIAL E SUA RELAÇÃO COM O DESEMPENHO ECONÔMICO DAS EMPRESAS ARTIGO INVESTIMENTO EM RESPONSABILIDADE SOCIAL E SUA RELAÇÃO COM O DESEMPENHO ECONÔMICO DAS EMPRESAS Elaine Arantes Graduada em Administração- FAE; Especialista em Planejamento e Gestão de Negócios FAE.

Leia mais

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Camila Cristina S. Honório 1 Maristela Perpétua Ferreira 1 Rosecleia Perpétua Gomes dos Santos 1 RESUMO O presente artigo tem por finalidade mostrar a importância de ser

Leia mais

Plataforma por uma Economia Inclusiva, Verde e Responsável

Plataforma por uma Economia Inclusiva, Verde e Responsável 2 Plataforma por uma Economia Inclusiva, Verde e Responsável Fevereiro de 2011 1 2 Plataforma por uma Economia Inclusiva, Verde e Responsável 1Apresentação Esta plataforma expressa a visão e os objetivos

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL E EMPRESAS

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL E EMPRESAS RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL E EMPRESAS RESUMO DIADOSK, A.; FERREIRA, A. H. Valendo-se da real mudança de valores, as empresas estão engajadas à ideia de desenvolvimento sustentável e à preservação

Leia mais

Política de Responsabilidade Sócio Ambiental (PRSA) w w w. b a n c o g u a n a b a r a. c o m. b r

Política de Responsabilidade Sócio Ambiental (PRSA) w w w. b a n c o g u a n a b a r a. c o m. b r Sócio Ambiental (PRSA) w w w. b a n c o g u a n a b a r a. c o m. b r ÍNDICE: 1. SOBRE A DOCUMENTAÇÃO... 3 1.1. CONTROLE DE VERSÃO... 3 1.2. OBJETIVO... 4 1.3. ESCOPO... 4 2. RESPONSABILIDADE SÓCIO AMBIENTAL...

Leia mais

PROJETO RECICLAR PARA PRESERVAR

PROJETO RECICLAR PARA PRESERVAR PROJETO RECICLAR PARA PRESERVAR FABIA GRAVINA VIEIRA ROCHA Colégio e Faculdade Modelo do Paraná- Curitiba/PR fabiagravina@hotmail.com RESUMO Sensível à necessidade de reflexão sobre as relações dos seres

Leia mais

II Simpósio Gestão Empresarial e Sustentabilidade 16, 17 e 18 de outubro de 2012, Campo Grande MS

II Simpósio Gestão Empresarial e Sustentabilidade 16, 17 e 18 de outubro de 2012, Campo Grande MS RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO ESTRATÉGIA EMPRESARIAL E A FORMAÇÃO DO ADMINISTRADOR Kétura Silva Paiva; Juliana Ricardo Bispo de Almeida; Rosamaria Cox Moura-Leite Área Temática: Estratégias Sustentáveis

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES

A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES Ítalo Camilo da Silva Nogueira Mestrando em Desenvolvimento Regional (mídias sociais), docente na Faculdade Nossa Senhora Aparecida/FANAP-GO.

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES

O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES KOWALCZUK, Lidiane Mendes Ferreira - PUCPR lidianemendesf@gmail.com VIEIRA, Alboni Marisa Dudeque Pianovski - PUCPR alboni@alboni.com Eixo Temático: Formação de Professores

Leia mais

Aula 07 Planejamento Estratégico de RH

Aula 07 Planejamento Estratégico de RH Aula 07 Planejamento Estratégico de RH Objetivos da aula: Nesta aula o objetivo será Apresentar uma visão diferenciada sobre como as ações integradas de planejamento estratégico de Recursos Humanos (RH)

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

Aula 01 - Introdução à Gestão Organizacional e Educação Corporativa

Aula 01 - Introdução à Gestão Organizacional e Educação Corporativa Aula 01 - Introdução à Gestão Organizacional e Educação Corporativa Objetivos da aula: Nesta aula o principal objetivo será conceituar itens que irão embasar o conteúdo das aulas seguintes. Serão conceituados

Leia mais

INDICADORES ETHOS. De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000

INDICADORES ETHOS. De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000 INDICADORES ETHOS De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000 Instrumento de avaliação e planejamento para empresas que buscam excelência e sustentabilidade em seus negócios Abril/2000

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

INESUL / FAEC FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO. Programa de Responsabilidade Social

INESUL / FAEC FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO. Programa de Responsabilidade Social INESUL / FAEC FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO Programa de Responsabilidade Social APRESENTAÇÃO 2 O equilíbrio de uma sociedade em última instância, é formada pelo tripé: governo, família e empresa. Esperar

Leia mais

Gestão por Competências

Gestão por Competências Gestão por Competências 2 Professora: Zeila Susan Keli Silva 2º semestre 2012 1 Contexto Economia globalizada; Mudanças contextuais; Alto nível de complexidade do ambiente; Descoberta da ineficiência dos

Leia mais

UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR

UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR Neiva Maestro 1 A participação, sem dúvida, é o principal meio de se assegurar a gestão da escola que se quer democrática. Deve possibilitar

Leia mais

A importância da Educação para competitividade da Indústria

A importância da Educação para competitividade da Indústria A importância da Educação para competitividade da Indústria Educação para o trabalho não tem sido tradicionalmente colocado na pauta da sociedade brasileira, mas hoje é essencial; Ênfase no Direito à Educação

Leia mais

Movimento Paraná Educando na Sustentabilidade

Movimento Paraná Educando na Sustentabilidade Movimento Paraná Educando na Sustentabilidade Sumário 1. Apresentação 4 2. Bases conceituais para o Movimento 6 2.1 Carta da Terra 6 2.2. Carta do Milênio 7 2.3. Pacto Global 8 2.3.1 PRME 9 2.3.1.1 Princípios

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Fundação Dom Cabral EDUCAÇÃO DE LIDERANÇAS PARA A SUSTENTABILIDADE (ELS)

Fundação Dom Cabral EDUCAÇÃO DE LIDERANÇAS PARA A SUSTENTABILIDADE (ELS) Fundação Dom Cabral Ritual de Passagem: A Educação de Lideranças para a Sustentabilidade INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO ALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO DE LIDERANÇAS PARA A SUSTENTABILIDADE (ELS) Prof. Raimundo Soares

Leia mais

Lei 17505-11 de Janeiro de 2013. Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013

Lei 17505-11 de Janeiro de 2013. Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013 Lei 17505-11 de Janeiro de 2013 Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013 Súmula: Institui a Política Estadual de Educação Ambiental e o Sistema de Educação Ambiental e adota outras

Leia mais

ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social

ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social Características essenciais de Responsabilidade Social Incorporação por parte da organização de considerações sociais e ambientais nas suas decisões tornando-se

Leia mais

desenvolvimento dos profissionais e atingimento dos resultados.

desenvolvimento dos profissionais e atingimento dos resultados. 1- OFICINAS DE FEEDBACK Aprofundar a reflexão e abordagem de Feedback como processo, fluxo e ferramenta indispensável no desenvolvimento dos profissionais, bem como elementos fundamentais de comunicação

Leia mais

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA. Zig Koch

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA. Zig Koch DOCUMENTO DE REFERÊNCIA Zig Koch O Programa E-CONS, Empreendedores da Conservação, é uma iniciativa idealizada pela SPVS - Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental e implementada em

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria Mostra de Projetos 2011 Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria Mostra Local de: Umuarama Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivo Geral da Disciplina: Compreender

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA. Contrato por Produto - Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA. Contrato por Produto - Nacional Número e Título do Projeto: TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA Contrato por Produto - Nacional BRA/09/004 Fortalecimento das Capacidades da CAIXA para seu processo de

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Resumo Aula-tema 01: As relações com as grandes empresas e com o Estado e as relações com a contabilidade e com os empregados.

Resumo Aula-tema 01: As relações com as grandes empresas e com o Estado e as relações com a contabilidade e com os empregados. Resumo Aula-tema 01: As relações com as grandes empresas e com o Estado e as relações com a contabilidade e com os empregados. Todos nós já vivenciamos casos de empreendedores, na família ou no grupo de

Leia mais

Análise do Ambiente estudo aprofundado

Análise do Ambiente estudo aprofundado Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Análise do Ambiente estudo aprofundado Agenda: ANÁLISE DO AMBIENTE Fundamentos Ambientes

Leia mais

O PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR ESCOLAR: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS

O PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR ESCOLAR: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS O PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR ESCOLAR: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS Kely-Anee de Oliveira Nascimento Graduanda em Pedagogia - UFPI Patrícia Sara Lopes Melo Mestre em Educação

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO CONTEÚDO 1 APRESENTAÇÃO 2 PÁGINA 4 3 4 PÁGINA 9 PÁGINA 5 PÁGINA 3 APRESENTAÇÃO 1 O cenário de inovação e incertezas do século 21 posiciona o trabalho

Leia mais

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações Mariane Frascareli Lelis Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho UNESP, Bauru/SP e-mail: mariane_lelis@yahoo.com.br;

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Sustentabilidade e Competitividade SUSTENTABILIDADE pode ser entendida como

Leia mais

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli Café com Responsabilidade Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro Vitor Seravalli Manaus, 11 de Abril de 2012 Desafios que o Mundo Enfrenta Hoje Crescimento Populacional Desafios que o Mundo

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

Lançamento. 25/agosto/2009

Lançamento. 25/agosto/2009 Lançamento Programa de Voluntariado Empresarial Sabesp 25/agosto/2009 Cenário externo Modelo de desenvolvimento insustentável; Desequilíbrio ambiental e escassez de recursos naturais; Aumento da pobreza,

Leia mais

Eixo Temático ET-13-025 - Educação Ambiental

Eixo Temático ET-13-025 - Educação Ambiental 546 Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - Vol. 1: Congestas 2013 Eixo Temático ET-13-025 - Educação Ambiental AVALIAÇÃO DO CONSUMO CONSCIENTE DE ALUNOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS

Leia mais

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7 ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7 Índice 1. Ética empresarial...3 2 1. ÉTICA EMPRESARIAL É neste contexto, e com o objetivo de o mundo empresarial recuperar a confiança, que vai surgindo a ética Empresarial.

Leia mais

GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE E DA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA

GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE E DA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE E DA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA Rachel Cavalcanti Stefanuto O CONTEXTO DA SUSTENTABILIDADE A preocupação crescente com a sustentabilidade associa-se ao reconhecimento

Leia mais

Plano de Trabalho 2013/2015

Plano de Trabalho 2013/2015 SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FUNDAP SEADE CEPAM CONVÊNIO SPDR USP FUNDAP SEADE CEPAM ANEXO I Plano de Trabalho 2013/2015 OUTUBRO DE 2013 I. JUSTIFICATIVAS

Leia mais

Informação estratégica

Informação estratégica IVENS CONSULT Informação estratégica Ivan Leão diretor da Ivens Consult Introdução A revolução em andamento é que a manufatura ou produção não é mais principal centro de lucro e sim a logística, os sistemas

Leia mais

FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS

FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS IV CONFERÊNCIA INTERAMERICANA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL RIAL Cláudio Boechat Fundação Dom Cabral 12 DE DEZEMBRO, 2006 F U N D A Ç Ã O

Leia mais

ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE

ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE Elaine Barbosa da Silva Xavier Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco - Mestranda Neuma Kelly Vitorino

Leia mais

Conceito de Educação Corporativa no âmbito dos Fóruns de Competitividade Ismar Ferreira da Costa Filho 1

Conceito de Educação Corporativa no âmbito dos Fóruns de Competitividade Ismar Ferreira da Costa Filho 1 Conceito de Educação Corporativa no âmbito dos Fóruns de Competitividade Ismar Ferreira da Costa Filho 1 RESUMO Este artigo apresenta conceitos sobre Educação Corporativa e Educação Setorial e uma avaliação

Leia mais

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Existe a compreensão evidente por parte das lideranças empresariais, agentes de mercado e outros formadores de opinião do setor privado

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE JULIANA APARECIDA DE SOUZA REIS MAIARA NATALIA MARINHO DUARTE SUSELI SANTOS DIAS RESUMO Neste artigo temos por objetivo apresentar que as micros e pequenas

Leia mais

O que é ser um RH estratégico

O que é ser um RH estratégico O que é ser um RH estratégico O RH é estratégico quando percebido como essencial nas decisões estratégicas para a empresa. Enquanto a área de tecnologia das empresas concentra seus investimentos em sistemas

Leia mais

Agenda 21 e a Pedagogia da Terra

Agenda 21 e a Pedagogia da Terra Agenda 21 e a Pedagogia da Terra A Carta da Terra como marco ético e conceito de sustentabilidade no século XXI Valéria Viana - NAIA O que está no início, o jardim ou o jardineiro? É o segundo. Havendo

Leia mais

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O TRABALHO DO TUTOR COMO MEDIADOR DO CONHECIMENTO SOEK, Ana Maria (asoek@bol.com.br) Universidade Federal do Paraná (UFPR) - Brasil HARACEMIV,

Leia mais

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Eliane Aparecida Toledo Pinto Docente da Faculdade Municipal de Filosofia,

Leia mais

Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com o ambiente.

Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com o ambiente. Mário Sérgio Azevedo Resta CONSULTOR TÉCNICO EM NEGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com

Leia mais

DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) PARA OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)

DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) PARA OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) PARA OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) INTRODUÇÃO A Organização das Nações Unidas (ONU) está conduzindo um amplo debate entre governos

Leia mais

Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global

Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global (texto extraído da publicação IRVING, M.A.; BOTELHO, E.S.; SANCHO, A.; MORAES, E &

Leia mais

Aula 12 Tecnologia da Informação e a Gestão de Pessoas

Aula 12 Tecnologia da Informação e a Gestão de Pessoas Aula 12 Tecnologia da Informação e a Gestão de Pessoas Objetivos da aula: Os objetivos desta aula visam permitir com que você compreenda melhor a relação da área de recursos humanos com a tecnologia da

Leia mais

Marketing sustentável ferramentas eficazes para atrair e manter clientes

Marketing sustentável ferramentas eficazes para atrair e manter clientes Marketing sustentável ferramentas eficazes para atrair e manter clientes CONCEITOS: Responsabilidade Social Sustentabilidade Consumo consciente Marketing REFLEXÃO: Marketing sustentável Papel da escola

Leia mais

A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO

A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 624 A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO Fabiane Carniel 1,

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS FATOR CHAVE DE SUCESSO PARA AS ORGANIZAÇÕES.

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS FATOR CHAVE DE SUCESSO PARA AS ORGANIZAÇÕES. 1 GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS FATOR CHAVE DE SUCESSO PARA AS ORGANIZAÇÕES. Alessandra Cristina Rubio¹ Regina Aparecida de Alcântara Gonzaga 1 Thiago Silva Guimarães³ RESUMO É notória e cada vez mais

Leia mais

MISSÃO ORGANIZACIONAL A MISSÃO É A RAZÃO DE SER DE UMA ORGANIZAÇÃO, IDENTIFICANDO O FOCO FUNDAMENTAL DE SUA ATIVIDADE.

MISSÃO ORGANIZACIONAL A MISSÃO É A RAZÃO DE SER DE UMA ORGANIZAÇÃO, IDENTIFICANDO O FOCO FUNDAMENTAL DE SUA ATIVIDADE. A TRÍADE Missão MISSÃO ORGANIZACIONAL A MISSÃO É A RAZÃO DE SER DE UMA ORGANIZAÇÃO, IDENTIFICANDO O FOCO FUNDAMENTAL DE SUA ATIVIDADE. MISSÃO ORGANIZACIONAL Assim como O REGISTRO DE NASCIMENTO nos identifica

Leia mais

R E G U L A M E N T O

R E G U L A M E N T O Premiação para associações comunitárias, empreendedores sociais, institutos de pesquisa, micro e pequenas empresas, ONGs e universidades sobre Iniciativas Inovadoras em Sustentabilidade R E G U L A M E

Leia mais

Ética e responsabilidade social. Cesar Eduardo Stevens Kroetz cesark@unijui.edu.br

Ética e responsabilidade social. Cesar Eduardo Stevens Kroetz cesark@unijui.edu.br Ética e responsabilidade social Cesar Eduardo Stevens Kroetz cesark@unijui.edu.br Contexto... - Economia e sociedade global - Maior interdependência - Importância da liderança ética nas empresas - Aumento

Leia mais

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Gestão de Negócios Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL CLAUDIA LISETE OLIVEIRA GROENWALD UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CANOAS RS.

EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL CLAUDIA LISETE OLIVEIRA GROENWALD UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CANOAS RS. 1 EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL CLAUDIA LISETE OLIVEIRA GROENWALD UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CANOAS RS. Viver com sustentação tornou-se, nos últimos anos, um conceito de vida que

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

EDUCAÇÃO CORPORATIVA NO BRASIL NO CONTEXTO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO

EDUCAÇÃO CORPORATIVA NO BRASIL NO CONTEXTO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO EDUCAÇÃO CORPORATIVA NO BRASIL NO CONTEXTO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO Remígio Todeschini 1 1.Introdução O presente texto pretende ser uma contribuição inicial da relação de cooperação entre a Educação

Leia mais

1.1 Missão de uma empresa

1.1 Missão de uma empresa CI069 - Administração de Empresas de Informática - Turma 2010-1 Nome: Carlos Augusto Ligmanowski Junior GRR 20081238 Título: 3 - Estrutura, missão, valores e visão organizacionais Data: 01/06/2010 e como

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES

PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES Outubro/2009 1/8 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. ABRANGÊNCIA 3. OBJETIVOS 4. CÓDIGO DE CONDUTA EMPRESARIAL 4.1 NORMAS DE CONDUTA

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL COMO RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS ORGANIZAÇÕES RESUMO

GESTÃO AMBIENTAL COMO RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS ORGANIZAÇÕES RESUMO GESTÃO AMBIENTAL COMO RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS ORGANIZAÇÕES Alessandra Aparecida da Silva, Unisalesiano de Lins e-mail: alessandrasilvamig@yahoo.com.br Renata Angélica Freitas, Unisalesiano de Lins

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

CRA-SP Centro do Conhecimento O Administrador Premium e Soluções Lucrativas Exigem Falling Walls in Management

CRA-SP Centro do Conhecimento O Administrador Premium e Soluções Lucrativas Exigem Falling Walls in Management CRA-SP Centro do Conhecimento O Administrador Premium e Soluções Lucrativas Exigem Falling Walls in Management Profº Walter Lerner lernerwl@terra.com.br Filme 7 CONTEXTUALIZAÇÃO da ADM e do Administrador

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

A PRÁTICA DO MARKETING SOCIETAL PELAS ORGANIZAÇÕES DO SÉCULO XXI

A PRÁTICA DO MARKETING SOCIETAL PELAS ORGANIZAÇÕES DO SÉCULO XXI A PRÁTICA DO MARKETING SOCIETAL PELAS ORGANIZAÇÕES DO SÉCULO XXI Saulo Ribeiro dos Santos 1 Rafael Cezar Souza Reis 2 1 INTRODUÇÃO Com o crescimento do terceiro setor e sua profissionalização, as modernas

Leia mais

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Nome Desarrollo de Sistemas de Gobierno y Gestión en Empresas de Propiedad Familiar en el Perú Objetivo Contribuir

Leia mais

Gestão por Valores. com foco em Liderança. Carlos Legal

Gestão por Valores. com foco em Liderança. Carlos Legal Gestão por Valores com foco em Liderança Carlos Legal Quem somos Resultados melhores podem ser alcançados de forma sustentável. Pessoas melhores, geram lideranças e organizações melhores Nosso propósito

Leia mais

O PEDAGOGO COMO MEDIADOR NA GESTÃO DOS PROCESSOS EDUCATIVOS: UMA PROPOSTA DE PARCERIA ENTRE UNIVERSIDADE E EMPRESA Elisabeth Caldeira UNIVALI/ Itajaí

O PEDAGOGO COMO MEDIADOR NA GESTÃO DOS PROCESSOS EDUCATIVOS: UMA PROPOSTA DE PARCERIA ENTRE UNIVERSIDADE E EMPRESA Elisabeth Caldeira UNIVALI/ Itajaí O PEDAGOGO COMO MEDIADOR NA GESTÃO DOS PROCESSOS EDUCATIVOS: UMA PROPOSTA DE PARCERIA ENTRE UNIVERSIDADE E EMPRESA Elisabeth Caldeira UNIVALI/ Itajaí Resumo Este trabalho resulta de pesquisa sobre o perfil

Leia mais

Sustentabilidade aplicada aos negócios: um estudo de caso da empresa Natura S.A.

Sustentabilidade aplicada aos negócios: um estudo de caso da empresa Natura S.A. Sustentabilidade aplicada aos negócios: um estudo de caso da empresa Natura S.A. Autoria: Silas Dias Mendes Costa 1 e Antônio Oscar Santos Góes 2 1 UESC, E-mail: silas.mendes@hotmail.com 2 UESC, E-mail:

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

também padecem de preocupações de curto prazo; construção de um consenso falso; desinformação; lógicas oligárquicas; particularismos.

também padecem de preocupações de curto prazo; construção de um consenso falso; desinformação; lógicas oligárquicas; particularismos. O processo de COACHING aplicado nos pólos de crescimento econômico do País: uma abordagem sistêmica com foco na qualificação profissional e na sustentabilidade social das regiões. Por Wagner Duarte Nunca

Leia mais