- Questão. Nos itens deverá: Item A. Quanto à distribuição de. pontos: 2 (dois) pontos. Item B. Caso responda só dois itens, obterá 10

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "- Questão. Nos itens deverá: Item A. Quanto à distribuição de. pontos: 2 (dois) pontos. Item B. Caso responda só dois itens, obterá 10"

Transcrição

1 1 Nos itens A e B, além de relacionar os dois textos o jornalístico e a narrativa Ensaio sobre a cegueira -, o candidato deverá: Item A A1- Identificar o fenômeno ecológico como sendo a causa para o surgimento de novos vírus e novas epidemias que vitimam as pessoas. A2 Fazer referência à gripe suína (H1N1) e à cegueira branca como sendo metáforas da alienação e do caos social. Quanto à distribuição de pontos: - O candidato que responder satisfatoriamente ao primeiro item (A1) ou ao segundo (A2) obterá 6 (seis) pontos. - Caso cite apenas a epidemia, a pandemia, gripe suina, H1n1 e/ /ou cegueira branca, mar de leite, obterá 2 (dois) pontos. Item B O candidato deverá: 1 Identificar a manipulação de informações que impedem sobretudoo o cidadão comum de ter acesso às informações corretas acerca dos acontecimentos que afetam sua vida. 2 Identificar a supremacia dos interesses econômicos e políticos em detrimento das questões sociais, humanas. 3 Identificar a omissão dos responsáveis pelas grandes tragédias sociais. Observação 1 Caso o aluno responda os três itens obterá os 14 (quatorze) pontos Caso responda só dois itens, obterá 10 (dez) pontos; caso responda um item apenas, obterá 6 (seis) pontos. Observação 2 A correção ortográfica e gramatical também será levada em conta para a atribuição da nota integral. Respostas com problemas ortográficos e gramatcais (concordância, coesão, coerência entre outros problemas a serem detectados na redação do candidato), terão de 1 (um) a 2 (dois) pontos descontados.

2 2 Alternativa A nota 10: Resposta bem argumentada e redigida. O aluno deverá demonstrar as semelhanças da experiência narrada no conto de Paulo Henriques Britto com o fragmento do texto de Baudelaire. O candidato deverá dizer que o conto Paraísos artificiais, de Britto relata uma experiência individual em que o personagem-narrador ou a segunda pessoa tratada por você observa-se a si mesmo, imerso no observatório do seu pensamento. No conto, o tempo desta experiência introspectiva, definido como minutos deliciosos por Baudelaire, decorre num instante do presente que se prolonga na duração da narrativa. O mundo exterior, sobretudo o próprio corpo, aparece- que leva lhe com indiscutível nitidez de contorno, posições e movimentos num momento de vigília e profunda introspecçãoo ao encontro consigo mesmo. Trata-se de um estado de espírito aguçado pelos sentidos, sobretudo a visão e o tato. A semelhança se completa com o fato de que esse estado de espírito não foi criado por nenhuma causa visível e fácil de ser definida. Portanto, para o candidato obter nota máxima deverá abranger na questão, esses pontos que se relacionam ao solipsismo, a sensação de desconforto e imobilidade, a solidão e angústia da personagem do conto contemporâneo. Nota 8:Resposta bem elaborada, mas com argumentação incompleta. A observação de si mesmo, o principal mote do encontroo das obras, não é explorada detalhadamente. O aluno evidenciará, por exemplo, somente duas semelhanças entre as duas obras (solipsismo e o desconforto/ imobilidade ). Nota 6: Resposta direta, clara, mas com pouca argumentação. O aluno utiliza de exemplos do contoo e fragmentos do trecho citado na prova, no entanto, não consegue definir uma argumentação satisfatória. Ou o aluno, ainda que trabalhe semelhanças entre as duas obras, as desenvolve pouco (os personagens estão voltados para a observação de si próprios, etc). Nota 4: Resposta incompleta, sem desenvolvimento, destacando apenas a questão do desconforto e da imobilidade da personagem do conto de Paulo Henriques Britto (preferência da personagem em permanecer sentado em vez de deitado ou em pé, por exemplo). Nota 2:Resposta vaga, mas que de algum modo faz referência ao conteúdo da questão (o espaço do quarto que o personagem observa o mundo, por exemplo). Nota 0:Resposta que foge completamente do tema da questão e não aborda nem de forma superficial o solicitado. Alternativa B Nota dez: Resposta bem argumentada e redigida que mostra de modo suficientee o elemento diferencial da experiência narrada do conto de Paulo H. Britto em relação ao texto de Baudelaire. O candidato deverá explicar que a experiência narrada no contoo não reproduz o estado de consciência paradisíaco, embora retrate um espírito livre de conflitos e temores, a diferença estaria na consciência angustiada deste personagem que sabe ser ilusória e finita a sensação de bem-estar, quando o corpo se cansar de sua imobilidade. O aluno poderá dizer também que no texto de Baudelaire a busca do paraíso artificial está nas drogas (ópio, haxixe, vinho), obtendo uma satisfação momentânea. Por outro lado, na obra de Britto, a busca do paraíso artificial é metalingüística, está na escrita, no fazer literário, a sensação alcançadaa com essa postura é de conforto. Outro também o aluno poderá mostrar a diferença do pontoo de vista narrativo: o de Baudelaire em terceira pessoa; o de Britto em primeira e segunda pessoa. Ou a diferença nas marcas de definição e indefinição do espaço entree as duas obras. Nota 8: Resposta bem elaborada, contemplando uma das diferenças acima, mas com argumentação incompleta. Nota 6:Resposta direta, clara, mas com pouca argumentação. Ou seja, o aluno apenas cita uma diferença com pouco desenvolvimento argumentativo. Nota 4:Resposta incompleta, sem desenvolvimento, apenas citando uma das diferenças. Nota 2:Resposta vaga, mas que de algum modo faz referência ao conteúdo da questão. Nota 0:Resposta que foge completamente do tema da questão e não aborda nem de forma superficial o solicitado.

3 3 Nota: Zero Quando o candidato não discorre nem de forma superficial sobre o tema comumm aos dois textos e, ainda, não cita as marcas textuais do texto 2 que denotam a postura adotada pelo sujeito lírico. Nota:1 Na alternativa B, quando ele menciona uma marca textual sem explicitá-la no poema ou quando ele apenas a aponta no texto sem Nota:2 Na alternativa A, quando ele apenas menciona o tema da morte comum aos dois textos sem explicar como o sujeito-lírico se manifesta em cada um. Nota: 3 Na alternativaa A, quando elee explica, de modo incompleto, como o sujeito lírico se manifesta em apenas um dos textos. 2. Na alternativaa A, quando ele apenas menciona o tema da morte comum aos dois textos e na alternativa B, quando ele cita uma marca textual sem explicitá-la no poema ou quando ele apenas a aponta no texto sem 3. Na alternativaa B, quando ele menciona duas marcas textuais sem explicitá-las no poema ou quando ele as aponta no texto sem especificá-las. 4. Na alternativaa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo. Nota:4 Na alternativaa A, quando elee explica, de modo incompleto, como o sujeito lírico se manifesta em apenas um dos textos e na alternativa B, quando ele menciona uma marca textual sem explicitá-la no poema ou quando ele apenas a aponta no texto sem especificá-la. 2. Na alternativaa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completoo além de mencionar uma segunda marca de modoo incompleto, ou seja, tal recurso textual ou é mencionado sem explicitação ou é apontado no poema sem especificação. Nota:5 Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois manifesta em apenas um deles. 2. Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois textos e na alternativa B, quando ele menciona duas marcas textuais sem explicitá-las no poema ou quando elee as aponta no texto sem especificá-las. Nota:6 Na alternativaa A, quando ele explica, de modo incompleto, como o sujeito-líriccomum aos dois manifesta em apenas um dos textos; e na alternativa B, quando ele menciona uma marca se dois textos. 2. Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte textual sem explicitá-la no poema ou quando ele apenas a aponta no texto sem especificá-la. 3. Na alternativaa A, quando elee explica, de modo incompleto, manifesta em apenas um dos textos e na alternativa B, quando ele menciona duas marcas textuais sem explicitá-las no poema ou quando ele as aponta no texto sem especificá-las. 4. Na alternativaa A, quando ele menciona o tema da morte comum aos dois textos e na alternativa B, quando ele cita e mostra no poema uma marca textual de modo completo além de mencionar uma segunda marca de modo incompleto. 5. Na alternativaa B, quando o candidato mencionar e explicitar duas marcas textuais de derramamento lírico no segundo texto tais como: interjeições: Ó, Ai ; adjetivos: desgraçados, duros, míseros ; interrogação, exclamações, versos mais Nota:7 Na alternativaa A, quando ele explica, de modo incompleto, dois textos e na alternativa B, quando ele menciona uma marca textual sem explicitá-la no poema ou quando ele apenas a aponta no texto sem especificá-la. 2. Na alternativaa A, quando elee explica, de modo incompleto, manifesta em apenas um dos textos e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completoo além de mencionar outra marca de modo incompleto. Nota: Nota:10 Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois dois textos. Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte e explica, de modo incompleto, manifesta em apenas um dos textos; e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo ou ainda quando ele menciona duas marcas textuais sem explicitá-las no poema ou quando ele as aponta no texto sem especificá-las. Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois textos e na alternativa B, quando o candidato mencionar e explicitar duas marcas textuais de derramamento lírico no segundo texto tais como: interjeições: Ó, Ai ; adjetivos: desgraçados, duros, míseros ; interrogação, exclamações, versos mais Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois dois textos e na alternativa B, quando ele menciona uma marca textual sem

4 explicitá-la no poema ou quando ele apenas a aponta no texto sem 2. Na alternativaa A, quando ele explica, de modo incompleto, dois textos e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo ou ainda quando ele menciona duas marcas textuais sem explicitá-las no poema ou quando ele as aponta no texto sem especificá- las. 3. Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois manifesta em apenas um deles e na alternativaa B, quando elee menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo além de mencionar uma segunda marca de modo incompleto. 4. Na alternativaa A, quando elee explica, de modo incompleto, manifesta em apenas um dos textos e na alternativa B, quando o candidato mencionar e explicitar duas marcas textuais de derramamento lírico no segundo texto tais como: interjeições: Ó, Ai ; adjetivos: desgraçados, duros, míseros ; interrogação, exclamações, versos mais Nota:10 Na alternativa A, quando ele explica, de modo incompleto, dois textos e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo além de mencionar uma segunda marca de modoo incompleto. Nota:11 Na alternativaa A, quando ele menciona o tema da morte comum aos dois textos e explica dois textos, um de modo completo e o outro de modo incompleto. 2. Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois dois textos e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo ou ainda quando ele menciona duas marcas textuais sem explicitá-las no poema ou quando ele as aponta no texto sem especificá-las. 3. Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois manifesta em apenas um deles e na alternativa B, quando o candidato mencionar e explicitar duas marcas textuais de derramamento lírico no segundo texto tais como: interjeições: Ó, Ai ; adjetivos: desgraçados, duros, míseros ; interrogação, exclamações, versos mais Nota:12 Na alternativaa A, quando ele explica, de modo completo, manifestaa nos dois textos. 2. Na alternativaa A, quando ele menciona o tema da morte comum aos dois textos e explica dois textos, um de modo completo e o outro de modo incompleto, e ainda na alternativa B, quando ele menciona uma marca textual sem explicitá-la no poema ou quando ele apenas a aponta no texto sem 3. Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois dois textos e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo além de mencionar uma segunda marca de modo incompleto. 4. Na alternativaa A, quando ele explica, de modo incompleto, dois textos e na alternativa B, quando o candidato mencionar e explicitar duas marcas textuais de derramamento lírico no segundo texto tais como: interjeições: Ó, Ai ; adjetivos: desgraçados, duros, míseros ; interrogação, exclamações, versos mais Nota:13 Na alternativa A, quando ele explica, de modo completo, dois textos e na alternativa B, quando ele menciona uma marca textual sem explicitá-la no poema ou quando ele apenas a aponta no texto sem Nota: Nota:15 2. Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois textos e explica, de modo completo, dois textos. Assim sendo, o aluno deverá responder que no primeiro texto o poeta é contido e trata a morte com eufemismo, usando o verbo dormir para exprimi-la. A contenção está também quando o sujeito-lírico argumenta que a vida é mesmo triste, que Glaura permaneceu no sono, uma vez que nem nasceu. Por fim, a morte é vista como aconchego e recolhimento, mas sem o transbordamento dos românticos e pré-românticos. A cantiga de ninar encerra o tratamento eufêmico da morte. No segundo poema, o sujeito-lírico manifesta seus sentimentos de forma transbordada, pois fala das lágrimas e do lamento incessantee desde a morte da amada. Para o sujeito-lírico, nada vai trazer a amada de volta nem abrandar seu tormento eterno. Na alternativaa A, quando ele menciona o tema da morte comum aos dois textos e explica dois textos, um de modo completo e o outro de modo incompleto, e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo ou ainda quando elee menciona duas marcas textuais sem explicitá-las no poema ou quando ele as aponta no texto sem especificá-las. Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois dois textos e na alternativa B, quando o candidato mencionar e explicitar duas marcas textuais de derramamento lírico no segundo texto tais como: interjeições: Ó, Ai ; adjetivos: desgraçados, duros, míseros ; interrogação, exclamações, versos mais Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois textos e explica, de modo completo, dois textos e na alternativa B, quando ele menciona uma marca textual sem explicitá-la no poema ou quando ele apenas a aponta no texto sem Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois textos e explica dois textos, um de modo completo e o outro de modo incompleto e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modoo completo além de mencionar uma segunda marca de

5 modo incompleto. 3. Na alternativaa A, quando elee explica, de modo completo, como o sujeito-lírico marca textual de modo completo ou ainda quando se dois textos e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma ele menciona duas marcas textuais sem explicitá-las no poema ou quando ele as aponta no texto sem especificá- las. Nota:16 Na alternativa A, quando ele explica, de modo completo, dois textos; e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo além de mencionar uma segunda marca de modoo incompleto. Nota:17 Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois textos e explica, de modo completo, dois textos; e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo ou ainda quando ele menciona duas marcas textuais sem explicitá-las no poema ou quando ele as aponta no texto sem especificá-las. 2. Na alternativaa A, quando ele menciona o tema da morte comum aos dois textos e explica dois textos, um de modo completo e o outro de modo incompleto; e na alternativa B, quando o candidato mencionar e explicitar duas marcas textuais de derramamento lírico no segundo texto tais como: interjeições: Ó, Ai ; adjetivos: desgraçados, duros, míseros ; interrogação, exclamações, versos mais Nota:18 Na alternativaa A, quando elee menciona o tema da morte comum aos dois textos e explica, de modo completo, dois textos; e na alternativa B, quando ele menciona e mostra no poema uma marca textual de modo completo além de mencionar uma segunda marca de modo incompleto. 2. Na alternativaa A, quando elee explica, de modo completo, dois textos; e na alternativa B, quando o candidato mencionar e explicitar duas marcas textuais de derramamento lírico no segundo texto tais como: interjeições: Ó, Ai ; adjetivos: desgraçados, duros, míseros ; interrogação, exclamações, versos mais Nota:20-14 pontos para o item A, quando o candidato mencionar o tema da morte comum aos dois textos e explicar, de modo completo, dois textos. Assim sendo, o aluno deverá responder que no primeiro texto o poeta é contido e trata a morte com eufemismo, usando o verbo dormir para exprimi-la. A contençãoo está também quando o sujeito-lírico argumenta que a vida é mesmo triste, que Glaura permaneceu no sono, uma vez que nem nasceu. Por fim, a morte é vista como aconchego e recolhimento, mas sem o transbordamento dos românticos e pré-românticos. manifesta seus sentimentos de forma A cantiga de ninar encerra o tratamento eufêmico da morte. No segundo poema, o sujeito-líricoo transbordada, pois fala das lágrimas e do lamento incessante desde a morte da amada. Para o sujeito-lírico, nada vai trazer a amada de volta nem abrandar seu tormento eterno. - 6 pontos para o item B, quando ele mencionar e explicitar duas marcas textuais de derramamento lírico no segundo texto tais como: interjeições: Ó, Ai ; adjetivos: desgraçados, duros, míseros ; interrogação, exclamações, versos mais

6 4 Valor total 20 (vinte) pontos assim distribuídos. A 8 (oito) pontos Uma característicaa do universo de Guimarães Rosa presente nos dois textos. Total: 8 (oito) pontos para a resposta completa: o candidato deverá citar a presença do universo regional sertanejo, referindo-se à sua gente ou aos seus problemas ou à sua linguagem ou ao seu ambiente específico. do Brasil 4 (quatro) pontos: resposta parcial, para a referência a itens do universo cotidiano do sertanejo como: sua gente, problemas, linguagem, neologismos. Zero para quaisquer respostas que não as citadas B 12(doze) pontos Um elemento comum às duas obras citadas: maleita e sarapalha Total 12 (doze) pontos para resposta completa, com redação coerente e argumentos bem fundamentados quando o candidato citar elementos comuns aos dois textos, como: terra, gente, língua, diálogos, paisagens, hábitos, personagens, nomes, costumes, etc., e os relacionar a cada uma das obras 10 (dez) pontos - Para resposta completa, quando o candidato citar elementos comuns aos dois textos, como: terra, gente, língua, diálogos, paisagens, hábitos, personagens, nomes, costumes etc., e os relacionar a cada uma das obras. 6 (seis) pontos Resposta parcial, quando o candidato citar elementos comuns aos dois textos sem relacioná-los corretamente. Zero Para quaisquer respostas que não as citadas. Valor total 20 (vinte) pontos assim distribuídos. A 8 (oito) pontos Uma característicaa do universo de Guimarães Rosa presente nos dois textos. Total: 8 (oito) pontos para a resposta completa: o candidato deverá citar a presença do universo regional do Brasil sertanejo, referindo-se à sua gente ou aos seus problemas ou à sua linguagem ou ao seu ambiente específico. 4 (quatro) pontos: resposta parcial, para a referência a itens do universo cotidiano do sertanejo como: sua gente, problemas, linguagem, neologismos. Zero para quaisquer respostas que não as citadas B 12(doze) pontos Um elemento comum às duas obras citadas: maleita e sarapalha Total 12 (doze) pontos para resposta completa, com redação coerente e argumentos bem fundamentados quando o candidato citar elementos comuns aos dois textos, como: terra, gente, língua, diálogos, paisagens, hábitos, personagens, nomes, costumes, etc., e os relacionar a cada uma das obras 10 (dez) pontos - Para resposta completa, quando o candidato citar elementos comuns aos dois textos, como: terra, gente, língua, diálogos, paisagens, hábitos, personagens, nomes, costumes etc., e os relacionar a cada uma das obras. 6 (seis) pontos Resposta parcial, quando o candidato citar elementos comuns aos dois textos sem relacioná-los corretamente. Zero Para quaisquer respostas que não as citadas.

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia PRIMEIRA QUESTÃO A) É importante que o candidato ressalte o fato de que, na ilha, a princípio, tudo é eletivo : cabe aos indivíduos escolher os seus papéis. Esta liberdade da constituição do sujeito deve

Leia mais

ATIVIDADES DISCURSIVAS 2 E POSSIBILIDADES DE RESPOSTAS

ATIVIDADES DISCURSIVAS 2 E POSSIBILIDADES DE RESPOSTAS ATIVIDADES DISCURSIVAS 2 E NED Núcleo de Estudos Dirigidos ED 2/ED Comunicação e Expressão /2012/2 Prof. Cleuber Cristiano de Sousa ATIVIDADE DISCURSIVA 2 Habilidade: ED 2: Compreender e expressar Temáticas

Leia mais

EDITAL N.º 01/2015. Edital de Abertura de Inscrições. Curso de Educação Profissional de Nível Técnico. Noturno 2015/02

EDITAL N.º 01/2015. Edital de Abertura de Inscrições. Curso de Educação Profissional de Nível Técnico. Noturno 2015/02 EDITAL N.º 01/2015 Edital de Abertura de Inscrições Curso de Educação Profissional de Nível Técnico Noturno 2015/02 A Direção da Escola Técnica Estadual Portão Portão torna público, para o conhecimento

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa ENSINO FUNDAMENTAL O processo de sondagem Colégio Sion busca detectar, no aluno, pré-requisitos que possibilitem inseri-lo adequadamente no ano pretendido. As disciplinas de Língua Portuguesa e são os

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

Dissertar é expor determinada opinião em relação a um tema e defendê-la através de argumentos coerentes com a realidade.

Dissertar é expor determinada opinião em relação a um tema e defendê-la através de argumentos coerentes com a realidade. PROF. BRUNO AUGUSTO Dissertar é expor determinada opinião em relação a um tema e defendê-la através de argumentos coerentes com a realidade. Deve apresentar uma linguagem clara e condizente aopúblicoemqueotextoserádestinado.

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação I - Proposta de Redação INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação A proposta de redação do vestibular do ITA pode ser composta de textos verbais, não verbais (foto ou ilustração,

Leia mais

A classificação do teste deve respeitar integralmente os critérios gerais e os critérios específicos a seguir apresentados.

A classificação do teste deve respeitar integralmente os critérios gerais e os critérios específicos a seguir apresentados. Teste Intermédio de Português Teste Intermédio Português Duração do Teste: 45 min (Caderno 1) + 30 min (pausa) + 45 min (Caderno 2) 28.05.2013 2.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de janeiro

Leia mais

COLETÂNEA CONTINUA...

COLETÂNEA CONTINUA... Natal, 05 de abril de 2011 PROVA DE REDAÇÃO A prova de redação apresenta uma proposta de construção textual: uma CARTA ABERTA. Com a finalidade de auxiliá-lo(a) na compreensão prévia da temática em foco,

Leia mais

PROVA DE REDAÇÃO NO VESTIBULAR DA UFSM 2014

PROVA DE REDAÇÃO NO VESTIBULAR DA UFSM 2014 1 PROVA DE REDAÇÃO NO VESTIBULAR DA UFSM 2014 Prova de redação na perspectiva de gênero textual Com o propósito de avaliar a proficiência dos candidatos na leitura e na escrita pelo uso da língua portuguesa

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este caderno contém seis questões, abrangendo um total de nove

Leia mais

EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA PORTUGUESA CURSO DE DIREITO - 2014 EDITAL N.º

EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA PORTUGUESA CURSO DE DIREITO - 2014 EDITAL N.º EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA PORTUGUESA CURSO DE DIREITO - 2014 EDITAL N.º /2013 O Reitor do Centro Universitário de Ensino Superior do Amazonas, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto

Leia mais

Colégio Monteiro Lobato

Colégio Monteiro Lobato Colégio Monteiro Lobato Disciplina: Anual 2013 Redação Professor (a): Barbara Venturoso Série: 6º ano Turma: A PLANEJAMENTO ANUAL 2013 Plano de curso Conteúdos Procedimentos Objetivos Avaliações 1º Trimestre

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

INFORMATIVO DO CANDIDATO 2009

INFORMATIVO DO CANDIDATO 2009 INFORMATIVO DO CANDIDATO 2009 Seleção Pré Vestibular Gratuito da ONG Oficina de Cidadania 2009 A Origem A ONG Oficina de Cidadania funciona desde 1998 e agrega outros projetos, todos com ações visando

Leia mais

1. Linguagens e Códigos; 2. Raciocínio Lógico e Matemática; 3. Leitura e Interpretação de Textos; 4. Atualidades.

1. Linguagens e Códigos; 2. Raciocínio Lógico e Matemática; 3. Leitura e Interpretação de Textos; 4. Atualidades. ANEXO I - PROGRAMA DAS PROVAS DE CONHECIMENTOS GERAIS E DE REDAÇÃO Prova (Todos os Cursos) Trabalhando em consonância com as diretrizes curriculares nacionais, o UNIFEMM entende que as avaliações do processo

Leia mais

Content Area: Língua Portuguesa Grade 1 Quarter I

Content Area: Língua Portuguesa Grade 1 Quarter I Content Area: Língua Portuguesa Grade 1 Quarter I 1- Produção de escrita 1.1- Escrita livre 1.2 - Listas (animais, brinquedos, alimentos, etc); 1.3 - Narrações sequenciadas com apoio de ilustrações; 1.4

Leia mais

Colégio Internato dos Carvalhos

Colégio Internato dos Carvalhos Grupo Disciplinar de Línguas Românicas aøväxé wé XÇá ÇÉ fxvâçwöü É Matriz do Teste Intermédio de Português do 12.º ano Ano letivo 2014-2015 Objeto de avaliação INFORMAÇÃO-TESTE de Português 12.º ano (a

Leia mais

Profª Fernanda Lemos fernanda.lemos@universitario.net

Profª Fernanda Lemos fernanda.lemos@universitario.net Redação, por que não? Profª Fernanda Lemos fernanda.lemos@universitario.net Primeiro passo: leitura Como interpretar propostas? F U VE S T 2 0 0 9 F U VE S T 2 0 0 9 Escolha uma [definição de fronteira],

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS 2015 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)» INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características da prova

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 1º BIMESTRE 4º ANO. Cruzeiro 3213-3838 Octogonal 3213-3737. Língua Portuguesa

ENSINO FUNDAMENTAL MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 1º BIMESTRE 4º ANO. Cruzeiro 3213-3838 Octogonal 3213-3737. Língua Portuguesa ENSINO FUNDAMENTAL Cruzeiro 3213-3838 Octogonal 3213-3737 www.ciman.com.br MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 1º BIMESTRE 4º ANO CPG Língua Portuguesa Leitura e interpretação de textos (características e função

Leia mais

Uma análise apurada da redação feita pela estudante Bianca Peixoto Pinheiro Lucena no Enem 2011 aponta para um erro grave na atribuição da nota.

Uma análise apurada da redação feita pela estudante Bianca Peixoto Pinheiro Lucena no Enem 2011 aponta para um erro grave na atribuição da nota. Avaliação da redação Professor 1 Uma análise apurada da redação feita pela estudante Bianca Peixoto Pinheiro Lucena no Enem 2011 aponta para um erro grave na atribuição da nota. Para perceber isso, basta

Leia mais

Português. 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede:

Português. 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede: Português Leitura de texto 3 os anos Wilton fev/11 Nome: Nº: Turma: 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede: Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino escreve! No aconchego Do claustro, na

Leia mais

PORTUGUÊS EFICIENTE. Prof. Matheus Gustavo

PORTUGUÊS EFICIENTE. Prof. Matheus Gustavo PORTUGUÊS EFICIENTE Prof. Matheus Gustavo 10 Dicas simples do que NÃO FAZER em uma REDAÇÃO 1 FUGA DO TEMA Fugir ao tema solicitado pela prova é motivo para invalidar o texto, a FUVEST, por exemplo, informa

Leia mais

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais:

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais: DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 9º ANO C Ano Letivo: 204 /205. Introdução / Metas Curriculares Na disciplina de Português o desenvolvimento do ensino será orientado por Metas Curriculares cuja definição

Leia mais

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano Departamento de Línguas Currículo de Português - Domínio: Oralidade Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, tratar e reter a informação. Participar oportuna

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PROVA 3) 1º Ano / Ensino Médio

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PROVA 3) 1º Ano / Ensino Médio Leia atentamente o texto 1 e responda às questões de 01 a 06, assinalando a única alternativa correta. Texto 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs UMA IDEIA TODA AZUL

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs UMA IDEIA TODA AZUL Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: UMA IDEIA TODA AZUL Um dia o Rei teve uma ideia. Era a primeira da vida

Leia mais

Salesianos Mogofores Colégio

Salesianos Mogofores Colégio Salesianos Mogofores Colégio Rota de Aprendizagem PORTUGUÊS 6º ano Grupo de Português 2015-16 * Em anexo encontram-se Lista de Obras e Textos para Iniciação à Educação literária; e Metas Curriculares (2º

Leia mais

PED LÍNGUA PORTUGUESA ORIENTAÇÕES ACADÊMICAS

PED LÍNGUA PORTUGUESA ORIENTAÇÕES ACADÊMICAS PED LÍNGUA PORTUGUESA ORIENTAÇÕES ACADÊMICAS Prezado aluno, O maior diferencial deste projeto pedagógico é o desenvolvimento da autonomia do estudante durante sua formação. O currículo acadêmico do seu

Leia mais

UFPR 2014-2015. Língua Portuguesa. Resolução: Resolução:

UFPR 2014-2015. Língua Portuguesa. Resolução: Resolução: Língua Portuguesa UFPR 2014-2015 19 - Ao fazer o elogio à democracia, o autor aponta, também, defeitos do regime. Tendo isso em vista, considere as seguintes afirmativas: 1. A democracia apresenta grandes

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC: PROFª NAIR LUCCAS RIBEIRO Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Componente

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência

Informação Prova de Equivalência à Frequência Ano letivo 2014/2015 Ensino Secundário - 1ª e 2ª Fase Disciplina de ESPANHOL (INICIAÇÃO BIENAL) - 375 Informação Prova de Equivalência à Frequência 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

LENDO, ESCREVENDO E PRODUZINDO JORNAL: A APROPRIAÇÃO DA ESCRITA POR ALUNOS DE EJA

LENDO, ESCREVENDO E PRODUZINDO JORNAL: A APROPRIAÇÃO DA ESCRITA POR ALUNOS DE EJA LENDO, ESCREVENDO E PRODUZINDO JORNAL: A APROPRIAÇÃO DA ESCRITA POR ALUNOS DE EJA CENTRO MUNICIPAL DE REFERÊNCIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PROFESSORA FABÍOLA DANIELE DA SILVA A lingüística moderna

Leia mais

Admissão de alunos 2016

Admissão de alunos 2016 Tradição em Excelência Admissão de alunos 2016 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 8⁰ ANO ENSINO FUNDAMENTAL II CIÊNCIAS 1. ORIGEM DA TERRA 1.1. Origem da vida no Planeta Terra (principais teorias). 1.2. Fósseis,

Leia mais

2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 8.º ANO

2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 8.º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ BELCHIOR VIEGAS ESCOLA BÁSICA 2.3 POETA BERNARDO DE PASSOS PORTUGUÊS 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 8.º ANO (cerca de 165 aulas) 1 ORALIDADE Interpretar discursos orais com diferentes

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL REBECCA TAVARES DE MELO TOSCANO DE BRITO (UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA). Resumo Nos dias atuais a prática da leitura está se tornando cada vez mais rara

Leia mais

Reflexões sobre a Língua Portuguesa. Kátia França

Reflexões sobre a Língua Portuguesa. Kátia França Reflexões sobre a Língua Portuguesa Kátia França Níveis de aprendizagem dos alunos Abaixo do básico: os alunos demonstram que não desenvolveram as habilidades básicas requeridas para o nível de escolaridade

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL

EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL 1) PARA O ENSINO MÉDIO REDAÇÃO Do 1º ano ao 3º ano do ensino médio, a prova discursiva será composta

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 346 779 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 346 779 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ( Aprovados em Conselho Pedagógico de21 de outubro de 2014 ) No caso específico da disciplina de Português, do 6.º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ao nível

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO 2004

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO 2004 O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás coloca à disposição dos candidatos as respostas esperadas

Leia mais

(46) 3243-1371 EDITAL N. 041/2014 VESTIBULAR UNILAGOS 2015

(46) 3243-1371 EDITAL N. 041/2014 VESTIBULAR UNILAGOS 2015 1 Fundação de Ensino Superior de Mangueirinha Faculdade Unilagos Rua Saldanha Marinho, 85 www.unilagos.com.br CNPJ 05.428.075/0001-91 (46) 3243-1371 EDITAL N. 041/2014 VESTIBULAR UNILAGOS 2015 A Diretora

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR Página 1/3 CURSO: LETRAS - GRADUAÇÃO - LICENCIATURA GRADE: INGRESSANTES 2015/1

MATRIZ CURRICULAR Página 1/3 CURSO: LETRAS - GRADUAÇÃO - LICENCIATURA GRADE: INGRESSANTES 2015/1 Página 1/3 Período: 1 ENADE INGRESSANTE 0 ESTILÍSTICA 36 LITERATURA BRASILEIRA: CONTEMPORÂNEA 72 LITERATURA EM LÍNGUA INGLESA 72 LITERATURA EM LÍNGUA INGLESA: AS ÉPOCAS VITORIANA E CONTEMPORÂNEA 36 LÍNGUA

Leia mais

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES NA PRÁTICA ESCRITA: Trabalhando com a redação do ENEM

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES NA PRÁTICA ESCRITA: Trabalhando com a redação do ENEM COMPETÊNCIAS E HABILIDADES NA PRÁTICA ESCRITA: Trabalhando com a redação do ENEM Mayara Myrthes Henriques Santos Universidade Estadual da Paraíba, mayara.mhs@gmail.com RESUMO: O processo de ensino e aprendizagem

Leia mais

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8 Conteúdos Objectivos/Competências a desenvolver Tempo* Estratégias Recursos Avaliação Apresentação: Turma e professor Programa Critérios de avaliação Normas de funcionamento Conhecer os elementos que constituem

Leia mais

Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. FUVEST e UNESP

Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. FUVEST e UNESP Singular-Anglo Vestibulares Professora Natália Sanches Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. Retirado do site oficial do vestibular. FUVEST e UNESP Na correção, três

Leia mais

OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM

OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM Disciplina Curso Profª Série REDACÃO Ensino Médio Silvia Zanutto 3º Lembre-se: ESTUDO APROVAÇÃO SUCESSO OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM Aluno,LEIA COM ATENÇÃO! Na redação, o ENEM avalia

Leia mais

4ºano. 3º período 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA. 30 de agosto de 2013

4ºano. 3º período 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA. 30 de agosto de 2013 4ºano 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA 3º período 30 de agosto de 2013 Cuide da organização da sua avaliação, escreva de forma legível, fique atento à ortografia e elabore respostas claras. Tudo isso será considerado

Leia mais

ESCOLA ELEVA EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O ANO LETIVO DE 2017

ESCOLA ELEVA EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O ANO LETIVO DE 2017 Rua General Severiano 159 Botafogo Rio de Janeiro RJ 22290-040 escolaeleva@elevaeducacao.com.br ESCOLA ELEVA EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O ANO LETIVO DE 2017 Edital Nº 1/2016 admissão às turmas do

Leia mais

Formação. Edição 234 Agosto 2010 Título original: Nunca é tarde para gostar de ler

Formação. Edição 234 Agosto 2010 Título original: Nunca é tarde para gostar de ler Page 1 of 5 Formação Formação continuada Professores Prática Edição 234 Agosto 2010 Título original: Nunca é tarde para gostar de ler Muitos professores brasileiros não tiveram a chance de construir uma

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE INGRESSO INSTRUÇÕES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE INGRESSO INSTRUÇÕES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTRUÇÕES 1 1. Confira seu nome e número de inscrição no cartão-resposta. Se houver algum erro, comunique-o ao fiscal de sala. Assine o cartão-resposta no campo indicado. 2. No

Leia mais

português língua não materna (a2) Dezembro de 2013

português língua não materna (a2) Dezembro de 2013 Informação prova final / Exame Final Nacional português língua não materna (a2) Dezembro de 2013 Prova 63/93/739 2014 6.º Ano, 9.º Ano ou 12.º Ano de Escolaridade O presente documento divulga as características

Leia mais

inglês MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM Comparativos Curriculares SM língua estrangeira moderna ensino médio

inglês MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM Comparativos Curriculares SM língua estrangeira moderna ensino médio MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM língua estrangeira moderna Comparativos Curriculares SM inglês ensino médio A coleção Alive High Língua Estrangeira Moderna Inglês e o currículo do Estado de Goiás

Leia mais

Edital 01/2015 da Comissão de Pós-Graduação (ComPG)

Edital 01/2015 da Comissão de Pós-Graduação (ComPG) Edital 01/2015 da Comissão de Pós-Graduação (ComPG) Exame de Proficiência direcionado para a Comunidade de discentes dos Programas de Pós-Graduação da UFCSPA 1. PREÂMBULO O Exame de Proficiência em Língua

Leia mais

OBJETIVOS 3º TRIMESTRE ENSINO MÉDIO

OBJETIVOS 3º TRIMESTRE ENSINO MÉDIO Ano: 3º ANO Disciplina: História Professor Responsável: Wladson Quiozine OBJETIVOS 3º TRIMESTRE ENSINO MÉDIO 1. Retomar os aspectos essenciais do conteúdo programático da disciplina de História do Ensino

Leia mais

Palavras-chave: gêneros textuais, resenha crítica, ensino, leitura e produção textual

Palavras-chave: gêneros textuais, resenha crítica, ensino, leitura e produção textual RESENHA CRÍTICA NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: PRÁTICAS DE ANÁLISE E PRODUÇÃO DE TEXTOS Valdisnei Martins de CAMPOS Letras - CAC/UFG; valdis_martins@hotmail.com Erislane Rodrigues RIBEIRO Letras - CAC/UFG;

Leia mais

Compreensão/Expressão oral

Compreensão/Expressão oral ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL 3º C.E.B DISCIPLINA: Português ANO: 7º ANO : 2011/2012 SEQUÊNCIA 1 COMPETÊNCIAS/ Compreensão/Expressão oral Dispor-se a escutar. LEITURA

Leia mais

VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216

VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216 O EMPREGO GRAMATICAL NO LIVRO DIDÁTICO Desiree Bueno TIBÚRCIO (G-UENP/campus Jac.) desiree_skotbu@hotmail.com Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (orientadora-uenp/campus Jac.) marilucia.ss@uol.com.br

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA ALUNOS NOVOS. 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental 2016 Unidade Recreio

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA ALUNOS NOVOS. 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental 2016 Unidade Recreio PROCESSO DE SELEÇÃO PARA ALUNOS NOVOS 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental 2016 Unidade Recreio I ORIENTAÇÕES GERAIS a) As famílias que desejarem conhecer a Escola e inscrever seus filhos para o processo

Leia mais

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA CARTAS: REGISTRANDO A VIDA A carta abaixo foi escrita na época da ditadura militar. Ela traduz a alegria de um pai por acreditar estar próxima sua liberdade e, assim, a possibilidade do reencontro com

Leia mais

CONTEÚDO DA 1ª AVALIAÇÃO BIMESTRAL 2014. Disciplina: Redação Poema(forma e estrutura) Narrativa em prosa poética (momentos e elementos)

CONTEÚDO DA 1ª AVALIAÇÃO BIMESTRAL 2014. Disciplina: Redação Poema(forma e estrutura) Narrativa em prosa poética (momentos e elementos) Série: 6º Ano CESEP- CENTRO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS DO PARÁ COORDENAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTLA/2º CICLO CONTEÚDO DA 1ª AVALIAÇÃO BIMESTRAL 2014 Disciplina: Português Variedades linguísticas(formal e informal)

Leia mais

OS DOCENTES E A PRÁTICA DO ENSINO DA ESCRITA: TENSÕES ENTRE UNIVERSIDADE E ESCOLA

OS DOCENTES E A PRÁTICA DO ENSINO DA ESCRITA: TENSÕES ENTRE UNIVERSIDADE E ESCOLA OS DOCENTES E A PRÁTICA DO ENSINO DA ESCRITA: TENSÕES ENTRE UNIVERSIDADE E ESCOLA ANATULA DA SILVA AXIOTELIS (UFRJ). Resumo Este trabalho é um desdobramento do artigo Indicadores objetivos de novas práticas

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS S DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DISCIPLINA: COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO Leitura e compreensão de textos. Gêneros textuais. Linguagem verbal e não verbal. Linguagem

Leia mais

1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA. 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens

1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA. 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens PAG - 1 1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens Marque no cartão de respostas a única alternativa que responde de maneira correta ao pedido de cada item: PORTUGUÊS Considere

Leia mais

Edital 01/2013 da Comissão de Pós Graduação (ComPG)

Edital 01/2013 da Comissão de Pós Graduação (ComPG) Edital 01/2013 da Comissão de Pós Graduação (ComPG) Exame de Proficiência direcionado para a Comunidade de discentes dos Programas de Pós-Graduação da UFCSPA 1. PREÂMBULO O exame de proficiência em língua

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV OBJETIVOS GERAIS Construção da autoimagem e do desenvolvimento da autoestima; Reconhecimento e descoberta do

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS: 1 ano Levar o estudante a realizar a escrita do próprio nome e outros nomes. Promover a escrita das letras do alfabeto. Utilizar a linguagem oral para conversar,

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III EDUCAÇÃO INFANTIL 2013 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III DISCIPLINA : LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS GERAIS Ampliar gradativamente suas possibilidades de comunicação e expressão, interessando-se por conhecer

Leia mais

Sugestão de avaliação

Sugestão de avaliação Sugestão de avaliação 8 PORTUGUÊS Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao primeiro bimestre escolar ou às Unidades 1 e 2 do Livro do Aluno. Avaliação - Língua Portuguesa NOME: TURMA: escola:

Leia mais

COMBINADOS PARA O SEMESTRE:

COMBINADOS PARA O SEMESTRE: COMBINADOS PARA O SEMESTRE: Temas de redação serão dados durantes as aulas. É importante pesquisá-los e estudá-los, pois alguns deles serão utilizados para as produções em sala ou em simulados; Toda a

Leia mais

Vestibular 2012/2º semestre MANUAL DO CANDIDATO

Vestibular 2012/2º semestre MANUAL DO CANDIDATO Vestibular 2012/2º semestre MANUAL DO CANDIDATO INSCRIÇÕES De 13 de abril a 23 de maio de 2012: Via internet: pelo site www.unimonte.br Presencial: das 9h às 15h e das 16h às 21h30 no CAA - Central de

Leia mais

Objetivos Domínios/ Conteúdos Atividades Avaliação Tempo

Objetivos Domínios/ Conteúdos Atividades Avaliação Tempo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º 1 DE GONDOMAR EB 2/3 de Jovim PLANIFICAÇÃO ANUAL DE PORTUGUÊS 1º Período 5º Ano ANO LETIVO 2013/2014 Objetivos Domínios/ Conteúdos Atividades Avaliação Tempo Conhecer o alfabeto.

Leia mais

FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data:

FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data: FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data: Listagem Conteúdos: 6º ano ensino fundamental Morfologia Fonética

Leia mais

Plano Curricular de Português. 6ºano Ano Letivo 2015/2016

Plano Curricular de Português. 6ºano Ano Letivo 2015/2016 Plano Curricular de Português 6ºano Ano Letivo 2015/2016 1º Período Conteúdos Programados Texto Narrativo: contos tradicionais, lendas e fábulas Categorias da Narrativa: Obra/autor Narrador (presente e

Leia mais

Redação um de texto dissertativo, de ate 30 linhas, a respeito de um tema relacionado aos conhecimentos específicos dos respectivos cargos

Redação um de texto dissertativo, de ate 30 linhas, a respeito de um tema relacionado aos conhecimentos específicos dos respectivos cargos MPOG - Cargo: Analista de Tecnologia da Informação 2015 Inscrições Data: 16/06/2015 a 06/07/2015 Observação:Via GRU Confirmação de Inscrição: Até dia 29/07/2015. Provas Data de aplicação: 30 de agosto

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DANIEL SAMPAIO. Departamento de 1º Ciclo. Ano letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO. 4º ANO DISCIPLINA: Português

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DANIEL SAMPAIO. Departamento de 1º Ciclo. Ano letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO. 4º ANO DISCIPLINA: Português AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DANIEL SAMPAIO Departamento de 1º Ciclo Ano letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO 4º ANO DISCIPLINA: Português PERÍODO 1º *Oralidade Interação discursiva >Princípio de cortesia;

Leia mais

FACULDADES SENAC PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º SEMESTRE/2016 ANEXO I

FACULDADES SENAC PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º SEMESTRE/2016 ANEXO I ANEXO I As Faculdades Senac Minas, com o intuito de atender às diversas demandas, oferece à comunidade dois processos vestibular: o vestibular e o vestibular agendado. Ambos os processos buscam selecionar

Leia mais

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS PEF 367 PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS TIPO DE PROVA DURAÇÃO Teórico/prática 90 Minutos (escrita) +25 Minutos (oral) X Escrita Com tolerância de 30 minutos X Oral X Sem tolerância 11º ANO

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí UNIVALE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí UNIVALE Faculdades Integradas do Vale do Ivaí UNIVALE Ivaiporã - PR Faculdades Integradas do Vale do Ivaí - UNIVALE COMISSÃO DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR 2016 MATRÍCULA DOS APROVADOS NO VESTIBULAR A matrícula

Leia mais

Objetivos Domínios/ Conteúdos Atividades

Objetivos Domínios/ Conteúdos Atividades AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º 1 DE GONDOMAR EB 2/3 de Jovim e Foz do Sousa PLANIFICAÇÃO ANUAL DE PORTUGUÊS 1º Período 5º Ano ANO LETIVO 2014/2015 Objetivos Domínios/ Conteúdos Atividades Conhecer o alfabeto.

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO DE PORTUGUÊS 6.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No final do 6.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir textos orais com diferentes finalidades e coerência, apresentando

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 1º BIMESTRE 2º ANO. Português

ENSINO FUNDAMENTAL MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 1º BIMESTRE 2º ANO. Português ENSINO FUNDAMENTAL Cruzeiro 3213-3838 Octogonal 3213-3737 www.ciman.com.br MAPA DE CONTEÚDOS E OBJETIVOS 1º BIMESTRE 2º ANO ESCUTA/ LEITURA/ PRODUÇÃO DE TEXTO ORAL E ESCRITO Textos narrativos Contos de

Leia mais

Planificação de Língua Portuguesa 7º ano 2012/2013. Conteúdos Leitura/Escrita/Oralidade Atividades de Diagnose. PNL O Cavaleiro da Dinamarca

Planificação de Língua Portuguesa 7º ano 2012/2013. Conteúdos Leitura/Escrita/Oralidade Atividades de Diagnose. PNL O Cavaleiro da Dinamarca Planificação de Língua Portuguesa 7º ano 2012/2013 Metas Compreensão do oral Capacidade de compreensão de formas complexas do oral, exigidas para o prosseguimento de estudos ou para a entrada na vida ativa;

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 Segundo Semestre

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 Segundo Semestre EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 Segundo Semestre O Diretor Geral da Faculdade Capital Federal, credenciada pela Portaria MEC no. 596 de 18 de junho de 2015 e publicada no Diário Oficial da União em 19 de

Leia mais

Dia 07 de novembro (sábado) 10h Osasco e Granja Viana

Dia 07 de novembro (sábado) 10h Osasco e Granja Viana PROVA BOLSA MÉRITO ENSINO FUNDAMENTAL II (6º, 7º, 8º e 9º ano) Dia 07 de novembro (sábado) 10h Osasco e Granja Viana 1. Ingresso de novos alunos. O ingresso de alunos, no Ensino Fundamental II do Colégio

Leia mais

4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP. Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura)

4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP. Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura) 4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura) ESCALA DE PROFICIÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA LEITURA A

Leia mais

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Professor Rafael Cardoso Ferreira O que é linguagem? A linguagem é o instrumento graças ao qual o homem modela seu pensamento, seus sentimentos, suas emoções,

Leia mais

ARTES VISUAIS E LITERATURA

ARTES VISUAIS E LITERATURA Vestibular 2009 1ª Fase ARTES VISUAIS E LITERATURA Instruções Gerais: No dia de hoje (09/11), você deverá responder às questões de Geografia, História, Artes Visuais e Literatura e de Raciocínio Lógico-Matemático.

Leia mais

Elaboração de projetos

Elaboração de projetos Ano: 2013 CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ARLINDO RIBEIRO Professor: ELIANE STAVINSKI PORTUGUÊS Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA Série: 2ª A e B CONTEÚDO ESTRUTURANTE: DISCURSO COMO

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL V

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL V CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL V OBJETIVOS GERAIS. Desenvolvimento da autoestima; Reconhecimento e descoberta do próprio corpo; Desenvolvimento

Leia mais

ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Código 102 CADERNO 1 PROVA DISSERTATIVA

ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Código 102 CADERNO 1 PROVA DISSERTATIVA CONCURSO PÚBLICO Edital n. 01/2008-CMBH ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Código 102 CADERNO 1 PROVA DISSERTATIVA ATENÇÃO Leia as instruções deste Caderno. Elas fazem parte da sua prova 1. Este caderno

Leia mais

QUEM SOMOS. Consultoria especializada em desenvolvimento de pessoas e em soluções sustentáveis para sua empresa.

QUEM SOMOS. Consultoria especializada em desenvolvimento de pessoas e em soluções sustentáveis para sua empresa. QUEM SOMOS Consultoria especializada em desenvolvimento de pessoas e em soluções sustentáveis para sua empresa. Há mais de 10 anos desenvolvemos soluções para recursos humanos e administração estratégica.

Leia mais

Este documento vai ser divulgado na escola-sede do Agrupamento e na página eletrónica: www.aepjm.pt/joomla

Este documento vai ser divulgado na escola-sede do Agrupamento e na página eletrónica: www.aepjm.pt/joomla Agrupamento de Escolas Pedro Jacques de Magalhães INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS 2014 3.º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga a informação relativa à prova de Equivalência

Leia mais

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Curso: Nome do (a) Aluno (a): Ano: 3º Componente Curricular: Língua Portuguesa Professor

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA

INFORMAÇÃO - PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VIEIRA DE ARAÚJO INFORMAÇÃO - PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA 4.º ANO DE ESCOLARIDADE / PORTUGUÊS INTRODUÇÃO O presente documento divulga informação relativa à prova final a nível

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL 2014 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV OBJETIVOS GERAIS Construção da autoimagem e do desenvolvimento da autoestima; Reconhecimento e descoberta do

Leia mais

Escreva seu futuro nas Faculdades Integradas - 4ª edição - ano 2014

Escreva seu futuro nas Faculdades Integradas - 4ª edição - ano 2014 Escreva seu futuro nas Faculdades Integradas - 4ª edição - ano 2014 Justificativa Procurando manter um canal de comunicação entre a Instituição de Ensino Superior e as escolas de Educação Básica, bem promover

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO-AM Nº 001 DE 02 DE MARÇO DE 2015.

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO-AM Nº 001 DE 02 DE MARÇO DE 2015. RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO-AM Nº 001 DE 02 DE MARÇO DE 2015. A Prefeitura Municipal de Presidente Figueiredo-AM torna Público, para conhecimento dos interessados que o EDITAL 001/2015,

Leia mais

SIMULADO DE PORTUGUÊS

SIMULADO DE PORTUGUÊS SIMULADO DE PORTUGUÊS Professora: Fabyana Muniz Texto I O desafio da qualidade É uma conquista civilizatória para o Brasil ter a imensa maioria das crianças em idade escolar com acesso às salas de aula,

Leia mais