Vulnerabilidade em área de Risco: O que fazer? - CBCS 08/03/2010. CBCS - Vulnerabilidade em área de risco: O que fazer?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Vulnerabilidade em área de Risco: O que fazer? - CBCS 08/03/2010. CBCS - Vulnerabilidade em área de risco: O que fazer?"

Transcrição

1 CBCS - Vulnerabilidade em área de risco: O que fazer? PREFEITO GILBERTO KASSAB SECRETARIA DAS SUBPREFEITURAS funcionários zelando pela cidade 31 subprefeituras ATUAÇÃO: Uso e ocupação do solo Obras e serviços Usinas de asfalto Abastecimento Programa de silêncio urbano Centro de Controle de Operações Integradas Áreas verdes e implantação de parques 1

2 CHUVAS EM SÃO PAULO DADOS DO CGE Volume de chuvas de janeiro/2010 2

3 RECORDE DE CHUVAS EM SP Record Batido INMET ,5mm 1mm para o Recorde 481,4mm CGE 461,3mm Recorde Batido Record anterior Medição feita desde 1943 no Mirante de Santana (Zona Norte) ,8mm USP Recorde Batido 653,2mm 424,9mm Record Batido Recorde anterior Medições feitas em 31 pontos da cidade desde Record anterior Medição feita no parque do Estado (Zonal sul) desde 1933 INVESTIMENTOS NO SISTEMA DE DRENAGEM Investimentos 3

4 LIMPEZA POÇOS DE VISITA Unidades limpas mil poços de visita - PMSP GALERIAS E RAMAIS 2.850km de galerias e ramais 4

5 LIMPEZA DE CÓRREGOS Limpeza manual e mecânica 2.295km 2.603km 1.591km 854,8km 995,8km km de córregos LOCALIZAÇÃO DOS 19 PISCINÕES DA CIDADE 5

6 PISCINÕES Capacidade dos piscinões: 5,3 milhões de metros³. Piscinão Piscinão Pedreira Sharp Zona Zona Leste Sul LIMPEZA DE PISCINÕES Mais de 1 milhão de m³ (600 mil toneladas) de detritos removidos em 5 anos 6

7 MONITORAMENTO DE PISCINÕES LIMPEZA EM BOCAS DE LOBO Limpeza manual mecanizada 7

8 LIMPEZA DE BOCAS DE LOBO Unidades limpas mil Bocas-de-Lobo BOCAS DE LOBO site 8

9 MUTIRÃO COM SABESP Prefeitura e Governo do Estado, através da Secretaria das Subprefeituras e Sabesp, unem esforços para realizar limpezas de bocas de lobo. Antes: a Prefeitura contava com 61 equipes de limpeza manual e 33 de limpeza mecânica. Objetivo: trabalhar com 200 equipes (100 de limpeza manual e 100 de limpeza mecânica caminhões com bomba de sucção -, sendo 50 equipes da Sabesp) 8 subprefeituras + SPUA 19 caminhões 105 homens Limpeza em: 445 bocas de lobo 818 metros de ramais e galerias 30 poços de visita SISTEMA DE BOMBEAMENTO DA CIDADE 56 nos túneis e passagens (veículos e pedestres) 30 nos piscinões 26 em diques nas pontes 4 na estação de bombeamento Eng. Eduardo Yassuda Reversão do Rio Pinheiros - Estação Elevatória da Traição AÇÕES PARA MOBILIDADE 9

10 HOMENS MOTO MOTO-BOMBAS Vistoriam diariamente a situação das bombas dos piscinões e túneis. São 4 homens para vistoria de rotina. Em época de chuvas, a vistoria é diária com deslocamentos para pontos estratégicos. LIMPEZA PÚBLICA Volume de lixo por dia: 15 mil toneladas Varrição: Média diária de 270 toneladas de varrição Entulho: cerca de 3 mil toneladas Funcionários, varrição e complementares: homens/dia Equipamentos: 770 caminhões Extensão varrida: km por dia Calçadões: m² Lixo domiciliar: cerca de 9,7 mil toneladas (3500 coletores e 490 caminhões) 10

11 LIMPEZA EMERGENCIAL PÓS-CHUVA Equipes próprias para a limpeza emergencial das vias alagadas. São compostas por 6 homens e um caminhão que entram em ação assim que a água abaixa. JARDIM PANTANAL Convênio com a PM 108 PMs para combater invasões em área de proteção ambiental ou de risco Data: 6 de janeiro de 2010 Começando pelo Jardim Romano, no Jardim Pantanal na região da Subprefeitura São Miguel 11

12 JARDIM ROMANO JARDIM ROMANO Aproximadamente 500 desfazimentos de residências; Entre 200 e 1000 homens realizando a varrição e retirada de entulhos; 30 caminhões de limpeza; 30 toneladas de entulho e lixo recolhidos diariamente Em abrigos provisórios: 550 pessoas Famílias cadastradas por SEHAB: mais de 5000 Famílias transferidas para CDHU s: 340 Optaram por aluguel social (mas ainda não se mudaram): famílias Optaram por aluguel social (e já se mudaram): cerca de 800 famílias 12

13 JARDIM ROMANO Kits emergenciais Entregues a famílias vitimadas pelas enchentes de 02/12/09 a 29/01/10 Cestas Básicas: mais de 12 mil Colchões: Cobertores: Kits de Higiene: Marmitex : PROGRAMA DE INTERVENÇÕES EM ÁREAS DE RISCO 13

14 GERENCIAMENTO DAS ÁREAS DE RISCO Contrato com o IPT Capacitação de técnicos municipais Integração de banco de dados PROGRAMA DE INTERVENÇÕES EM ÁREAS DE RISCO ÁREA DE RISCO Mapeamento das áreas de risco em revisão Contrato IPT 489 áreas sob avaliação em 27 subprefeituras Investimento: R$ 1,75 milhões Prazo para conclusão: out/2010 Subprefeituras que já concluiram JT, FO, MG, ST Subprefeituras que estão em andamento VP, SM, MB, CL, CS, IQ, EM,e PE Previsão mar/2010 PROGRAMA DE INTERVENÇÕES EM ÁREAS DE RISCO 14

15 ÁREA DE RISCO Estabilização de Encostas Contenção de Margens de Córregos 29,8 29,6 TOTAL DE OBRAS 376 Obras 10, , ,2 28, R$ 94,87 milhões investidos PROGRAMA DE INTERVENÇÕES EM ÁREAS DE RISCO ÁREA DE RISCO Resultados Redução do risco em 83% dos setores Alto e Muito Alto PROGRAMA DE INTERVENÇÕES EM ÁREAS DE RISCO 15

16 ÁREA DE RISCO Capacitação de técnicos municipais Continuidade das ações preventivas 90 técnicos/servidores já treinados Padronização de metodologia PROGRAMA DE INTERVENÇÕES EM ÁREAS DE RISCO ÁREA DE RISCO Exemplos de Intervenção Antes Depois Favela Mungo Park Subprefeitura Ermelino Matarazzo PROGRAMA DE INTERVENÇÕES EM ÁREAS DE RISCO 16

17 ÁREA DE RISCO Total de intervenções por região da cidade Região Norte 98 obras Região Leste 127 obras Total: 376 obras na cidade e R$ 94,87 milhões investidos Região Sul 137 obras Região Oeste 14 obras PROGRAMA DE INTERVENÇÕES EM ÁREAS DE RISCO CENTRAL DE OPERAÇÕES (CCOI) Condições de receber mais informações e capacidade para tomar as decisões necessárias. Mais de 17 mil ocorrências atendidas desde sua implantação. UP GRADE NA TECNOLOGIA DA OPERAÇÃO URBANA 17

18 CENTRO DE OPERAÇÕES INTEGRADAS - CCOI Como fica com a automação: UP GRADE NA TECNOLOGIA DA OPERAÇÃO URBANA CENTRO DE OPERAÇÕES INTEGRADAS - CCOI Soluções através da automação: UP GRADE NA TECNOLOGIA DA OPERAÇÃO URBANA 18

19 ACIDENTE DA TAM DESABAMENTO NAS OBRAS ESTAÇÃO PINHEIROS DO METRÔ 19

20 PASSARELA AEROPORTO DE CONGONHAS ENCHENTES 20

21 ALAGAMENTOS PREFEITO GILBERTO KASSAB 21

Prefeito Gilberto Kassab. Secretário Ronaldo Camargo

Prefeito Gilberto Kassab. Secretário Ronaldo Camargo Prefeito Gilberto Kassab Secretário Ronaldo Camargo SECRETARIA DAS SUBPREFEITURAS 18.000 funcionários zelando pela cidade 31 subprefeituras 96 distritos 2 mil PMs E mais 10.000 funcionários sazonais ATUAÇÃO:

Leia mais

Programa Paraisópolis

Programa Paraisópolis Programa Paraisópolis Identificação das Comunidades Cemitério Getsemani Jd. Colombo Paraisópolis Porto Seguro Cemitério do Morumbi Colégio Visconde de Porto Seguro Programa Paraisópolis Caracterização

Leia mais

Abordagens para Drenagem Urbana no Município de São Paulo: Ações de curto e longo prazos

Abordagens para Drenagem Urbana no Município de São Paulo: Ações de curto e longo prazos Abordagens para Drenagem Urbana no Município de São Paulo: Ações de curto e longo prazos Miguel Luiz Bucalem Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano Organização Agosto / 2010 São Paulo e a Bacia

Leia mais

Riscos de deslizamentos de encostas em áreas urbanas

Riscos de deslizamentos de encostas em áreas urbanas Riscos de deslizamentos de encostas em áreas urbanas Thiago Galvão Geógrafo Desenvolvimento Urbano MINISTÉRIO DAS CIDADES Celso Carvalho Frederico Seabra Leonardo Ferreira Thiago Galvão A resposta necessária

Leia mais

COSEMA - FIESP Programas e Ações A para os grandes problemas da RMSP. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp

COSEMA - FIESP Programas e Ações A para os grandes problemas da RMSP. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp COSEMA - FIESP Programas e Ações A da Sabesp para os grandes problemas da RMSP Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp Evolução Populacional - RMSP Reversão da centrifugação Menor pressão

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL BOQUEIRÃO 18/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Realizações no dia

Leia mais

ZL VÓRTICE A ZONA LESTE DE SÃO PAULO SITUAÇÕES CRÍTICAS

ZL VÓRTICE A ZONA LESTE DE SÃO PAULO SITUAÇÕES CRÍTICAS ZL VÓRTICE A ZONA LESTE DE SÃO PAULO SITUAÇÕES CRÍTICAS ZL Vórtice é um projeto de investigação e práticas urbanas experimentais. Reúne pesquisadores, arquitetos, engenheiros e artistas, junto com as comunidades

Leia mais

Elevatórias de Esgoto Sanitário. Profª Gersina N.R.C. Junior

Elevatórias de Esgoto Sanitário. Profª Gersina N.R.C. Junior Elevatórias de Esgoto Sanitário Profª Gersina N.R.C. Junior Estações Elevatórias de Esgoto Todas as vezes que por algum motivo não seja possível, sob o ponto de vista técnico e econômico, o escoamento

Leia mais

ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014

ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 CULTURA: Pólo do Projeto Guri: O Projeto Guri tem como objetivo resgatar a auto-estima dos adolescentes, utilizando a música como agente transformador. Pólo Rua

Leia mais

Desafios e metas do Estado de São Paulo

Desafios e metas do Estado de São Paulo 1º Seminário Saneamento Básico Universalização do Saneamento: Desafios e Metas para o Setor 07 de novembro de 2011 Desafios e metas do Estado de São Paulo Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos

Leia mais

NOÇÕES GERAIS DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS DE RISCO

NOÇÕES GERAIS DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS DE RISCO NOÇÕES GERAIS DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS DE RISCO PERGUNTAS BÁSICAS 1. O QUE E COMO OCORRE: Processos 2. ONDE OCORREM OS PROBLEMAS: Mapeamento 3. QUANDO OCORREM OS PROBLEMAS: Correlação, monitoramento 4.

Leia mais

AÇÃO INTERSECRETARIAL

AÇÃO INTERSECRETARIAL AÇÃO INTERSECRETARIAL Programas Ambientes Verdes e Saudáveis (PAVS) Fortalecimento da ação integrada entre os setores de meio ambiente, saúde e desenvolvimento social, com enfoque multidisciplinar em saúde

Leia mais

os projetos de urbanização de favelas 221

os projetos de urbanização de favelas 221 5.15 Favela Jardim Floresta. Vielas e padrão de construção existente. 5.16 Favela Jardim Floresta. Plano geral de urbanização e paisagismo. 5.17 Favela Jardim Floresta. Seção transversal. 5.18 Favela Jardim

Leia mais

Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia.

Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia. MONTEALEGRE ALEGRE DO MONTE DOSUL SUL Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia. MONTE ALEGRE DO SUL Área 110,306 km² População (estimativa para 2014)

Leia mais

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL Roteiro para montagem de um Plano Preventivo de Defesa Civil Apresentamos o presente roteiro com conteúdo mínimo de um Plano Preventivo de Defesa Civil ou Plano de

Leia mais

Plano Verão 2014/2015

Plano Verão 2014/2015 Plano Verão 2014/2015 NOVO MODELO DE ESTÁGIOS OPERACIONAIS APLICATIVO OLHOS DA CIDADE AÇÕES PARA PREVENÇÃO DO IMPACTO DAS CHUVAS CENTRO DE OPERAÇÕES RIO Modelo atual com base em informações meteorológicas

Leia mais

Audiência Pública. Piedade. 20 de Junho de 2013

Audiência Pública. Piedade. 20 de Junho de 2013 Audiência Pública Piedade 20 de Junho de 2013 Objetivo do Encontro Audiência Pública sobre o Convênio com o Governo do Estado, Contrato de Programa com a Sabesp e Plano Municipal de Saneamento do município

Leia mais

PARQUE VÁRZEAS TIETÊ

PARQUE VÁRZEAS TIETÊ INTRODUÇÃO PARQUE VÁRZEAS TIETÊ O Programa Parque Várzeas do Tietê (PVT), visa a recuperação da capacidade de contenção de cheias que ocorrem nas várzeas do rio Tietê desde a barragem da Penha até o município

Leia mais

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A Diretoria Técnica

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A Diretoria Técnica TÍTULO: PLANO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA PARA REDES DE ÁGUA E ESGOTO NUMA CIDADE DE 01 MILHÃO DE HABITANTES. TEMA: Organização e Gestão dos Serviços de Saneamento. Nome dos Autores: 1 - Engº Marco Antonio

Leia mais

ANEXO VII ESTRATÉGIA DE COMPATIBILIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS

ANEXO VII ESTRATÉGIA DE COMPATIBILIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS ANEXO VII ESTRATÉGIA DE COMPATIBILIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS MUNICÍPIO DE SANTOS 1 1. OBJETIVO O presente Plano tem por objetivo ordenar os trabalhos necessários para a viabilização das obras de Saneamento

Leia mais

BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS

BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS Um programa para integrar objetivos ambientais e sociais na gestão das águas Superintendência de Desenvolvimento da Capital -

Leia mais

Departamento de Águas e Energia Elétrica

Departamento de Águas e Energia Elétrica 13 de Novembro de 2012 Departamento de Águas e Energia Elétrica O DAEE foi criado há 60 anos, em 12/12/1951, tendo como principais competências, no âmbito do Estado de SP: Elaborar o planejamento, os estudos,

Leia mais

População. Cidade de São Paulo. 11 milhões de habitantes. Portugal 10,7 milhões de habitantes. Suécia 9 milhões de habitantes

População. Cidade de São Paulo. 11 milhões de habitantes. Portugal 10,7 milhões de habitantes. Suécia 9 milhões de habitantes População Portugal 10,7 milhões de habitantes Suécia 9 milhões de habitantes Suíça 7,5 milhões de habitantes Cidade de São Paulo 11 milhões de habitantes Dinamarca 5,2 milhões de habitantes Uruguai 3,5

Leia mais

- RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp

- RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp III Pré-ENCOB - RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - Sabesp 5ª Maior

Leia mais

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Este sistema garante tratamento e destino adequado aos resíduos gerados na cidade, de modo que eles não

Leia mais

Paulo Massato Yoshimoto. Diretor Metropolitano - Sabesp

Paulo Massato Yoshimoto. Diretor Metropolitano - Sabesp Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp O papel da SABESP no ciclo de vida da água Redução do volume produzido. Preservação e despoluição dos mananciais. Água de reúso Controle de Perdas

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Outubro 2013 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na

Leia mais

Gestão Corporativa e Redução de Despesas em São Paulo. Case da Prefeitura de São Paulo Projeto de Modernização da Administração Pública

Gestão Corporativa e Redução de Despesas em São Paulo. Case da Prefeitura de São Paulo Projeto de Modernização da Administração Pública Gestão Corporativa e Redução de Despesas em São Paulo Case da Prefeitura de São Paulo Projeto de Modernização da Administração Pública Rodrigo Mauro Ruiz de Matos III Encontro de Agentes Públicos 23/02/2011

Leia mais

Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Município de São Paulo

Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Município de São Paulo Estatísticas Cidade de São Paulo: Altamente complexa, com 11,04 milhões de habitantes, (cerca de 6 % da população do Brasil) Ocupa uma área de 1.523 km² Produz cerca de 13% do PIB nacional. Gestão administrativa

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DA HABITAÇÃO LESTE

PLANO MUNICIPAL DA HABITAÇÃO LESTE PLANO MUNICIPAL DA HABITAÇÃO PLANO DE AÇÃO REGIONAL LESTE Legenda: Subprefeitura Vias Principais de acesso Linha de Metrô / CPTM Região Leste 08 Subprefeituras: Penha, Ermelino Matarazzo, São Miguel Paulista,

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V o l u m e V R E L A T Ó R I O D O S P R O G R A M A S, P R O J E T O S E A Ç Õ E S P A R A O A L C A N C E D O C E N Á R I O R E F E R

Leia mais

TERRA ROXA. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 6.020.000,00

TERRA ROXA. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 6.020.000,00 TERRA ROXA OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 6.020.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 37.474 litros de leite, no período de Jan/2007 a Jul/2009 Custo: R$ 47 mil, beneficiando

Leia mais

PLANO DIRET O DIRET R O DE MACR MA ODRENA CR GEM ODRENA DA BACIA DO ALTO TIETÊ

PLANO DIRET O DIRET R O DE MACR MA ODRENA CR GEM ODRENA DA BACIA DO ALTO TIETÊ PLANO DIRETOR DE MACRODRENAGEM DA PLANO DIRETOR DE MACRODRENAGEM DA BACIA DO ALTO TIETÊ MAPA DE LOCALIZAÇÃO A ANÁLISE E O ENCAMINHAMENTO DE SOLUÇÕES PARA AS QUESTÕES DE DRENAGEM URBANA TÊM SIDO UM DOS

Leia mais

Localização Estratégica

Localização Estratégica PORTO MARAVILHA Localização Estratégica Aeroporto Internacional Tom Jobim 11 km Oceano Atlântico Maracanã 5 km Aeroporto Santos Dumont 2 km Corcovado 7 km Copacabana 8 km Pão de Açúcar 6 km Perímetro Porto

Leia mais

Município de Além Paraíba. 1. Aspectos Gerais

Município de Além Paraíba. 1. Aspectos Gerais Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Município de Além Paraíba 1. Aspectos Gerais Além da sede, o município de Além Paraíba possui um único distrito e quatro

Leia mais

Gestão da Limpeza Urbana no Município de São Paulo. Ariovaldo Caodaglio

Gestão da Limpeza Urbana no Município de São Paulo. Ariovaldo Caodaglio Gestão da Limpeza Urbana no Município de São Paulo Ariovaldo Caodaglio Município de São Paulo DADOS DEMOGRÁFICOS População (2010) 11.253.503 Densidade demográfica (hab./km²) 7.387,69 Território (Km²) 1.521,101

Leia mais

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais).

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais). PLANO DE GOVERNO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARTICIPATIVA PARA 2013/2016 COLIGAÇÃO O PRESENTE NOS PERMITE SEGUIR EM FRENTE - CANDIDATO A PREFEITO PEDRINHO DA MATA 11 Ações a serem realizadas por Secretarias:

Leia mais

JÚLIO MESQUITA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 4.649.800,00

JÚLIO MESQUITA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 4.649.800,00 JÚLIO MESQUITA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 4.649.800,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 117.338 litros de leite, de Jan/2007 a Fev/2009 Custo: R$ 146 mil, beneficiando 308 famílias

Leia mais

BÁLSAMO OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014

BÁLSAMO OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 BÁLSAMO OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 AGRICULTURA E ABASTECIMENTO: Programa Melhor Caminho: recuperação de 4,00 km da estrada BSM-420, BSM-010 e BSM-020 - BH Turvo Grande (3ª fase) - Custo: R$ 300 mil.

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DE RISCO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. Fundação GEORIO. Marcio Machado Presidente

PLANO DE GESTÃO DE RISCO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. Fundação GEORIO. Marcio Machado Presidente Fundação GEORIO Marcio Machado Presidente PROPOSTA DO PLANO Eliminar as áreas de ALTO RISCO nas encostas mapeadas. CIDADE DO 3. Diagnóstico RIO DE JANEIRO 2. Prevenção 4. Intervenção 1.Conhecimento Plano

Leia mais

PROPOSTA E ORIENTAÇÃO PARA A REESTRUTURAÇÃO DAS POLÍTICAS DE RESÍDUOS

PROPOSTA E ORIENTAÇÃO PARA A REESTRUTURAÇÃO DAS POLÍTICAS DE RESÍDUOS PROPOSTA E ORIENTAÇÃO PARA A REESTRUTURAÇÃO DAS POLÍTICAS DE RESÍDUOS Texto de apoio à discussão sobre o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos do município de Osasco Secretaria de Planejamento

Leia mais

Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano na Cidade de São Paulo Vigiagua

Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano na Cidade de São Paulo Vigiagua Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano na Cidade de São Paulo Vigiagua Marília Rodrigues Médica Veterinária Sanitarista PMSP/SMS/COVISA/GVISAM Objetivo: Realizar a vigilância da qualidade

Leia mais

5002 - EMPRESA DE MANUTENÇÃO E LIMPEZA URBANA - EMLURB

5002 - EMPRESA DE MANUTENÇÃO E LIMPEZA URBANA - EMLURB 5002 - EMPRESA DE MANUTENÇÃO E LIMPEZA URBANA - EMLURB Legislação: Lei nº 13.535, de 26 de abril de 1979; Decreto nº 11.256, de 21 de maio de 1979; Lei nº 13.802, de 06 de julho de 1979; Lei nº 14.091,

Leia mais

Empresas não cumprem metas de limpeza de rua em São Paulo

Empresas não cumprem metas de limpeza de rua em São Paulo Clipping 14/12 1 Empresas não cumprem metas de limpeza de rua em São Paulo EVANDROS PINELLI DE SÃO PAULO Contratadas para manter a cidade limpa e evitar o agravamento das enchentes em São Paulo com bocas

Leia mais

UNIDADE DE NEGÓCIO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA METROPOLITANA MT. Aquapolo Ambiental Uma Parceria de Sucesso

UNIDADE DE NEGÓCIO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA METROPOLITANA MT. Aquapolo Ambiental Uma Parceria de Sucesso UNIDADE DE NEGÓCIO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA METROPOLITANA MT Aquapolo Ambiental Uma Parceria de Sucesso José Luiz Salvadori Lorenzi Superintendente Abril/2008 PAUTA SABESP SOLUÇÕES AMBIENTAIS ÁGUA DE

Leia mais

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 Frota antiga e tecnologia obsoleta; Serviço irregular de vans operando em todo o DF 850 veículos; Ausência de integração entre os modos e serviços; Dispersão das linhas;

Leia mais

A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2

A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2 A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2 SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PROBLEMÁTICA POSSÍVEIS SOLUÇÕES ETAPAS OPORTUNIDADES - Ampliação do atendimento (75% de cobertura);

Leia mais

Desafios para Melhoria da Mobilidade Urbana

Desafios para Melhoria da Mobilidade Urbana Desafios para Melhoria da Mobilidade Urbana O Desafio da CET 7,2 milhões de veículos registrados 12 milhões de habitantes 7,3 milhões de viagens a pé 156 mil viagens de bicicleta 15 milhões de viagens

Leia mais

MUNICÍPIO DE CASCAVEL SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE CASCAVEL PR.

MUNICÍPIO DE CASCAVEL SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE CASCAVEL PR. MUNICÍPIO DE CASCAVEL SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE CASCAVEL PR. KEILA KOCHEM ENG.ª AMBIENTAL DIVISÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Leia mais

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável nos núcleos rurais com mais de 10 economias nas áreas quilombolas nas áreas indígenas Planilha de Objetivos, Indicadores e Ações Viabilizadoras GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: "Que até

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 031 Ação Legislativa 0001 - Execução da Ação Legislativa Manutenção das Atividades Legislativas FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006 - Defesa Jurídica do Município

Leia mais

Experiência do Município do Rio de Janeiro na Gestão de Risco de Deslizamentos de Encostas através da Fundação GEO RIO

Experiência do Município do Rio de Janeiro na Gestão de Risco de Deslizamentos de Encostas através da Fundação GEO RIO Experiência do Município do Rio de Janeiro na Gestão de Risco de Deslizamentos de Encostas através da Fundação GEO RIO Caracterização do Município e Descrição do Problema O Município do Rio de Janeiro

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/OGU BACIA LUZ D AYARA Coletor Luz D ayara 500 mm Execução de Poços de Visita

Leia mais

O PAE, parte integrante do PGR, contempla também a prevenção do risco de acidentes com produtos perigosos e de combate a incêndio.

O PAE, parte integrante do PGR, contempla também a prevenção do risco de acidentes com produtos perigosos e de combate a incêndio. OBJETIVO O PGR - Programa de Gerenciamento de Risco e PAE - Plano de Ação de Emergências são parte integrante do PBA Plano Básico Ambiental da Estrada-Parque Visconde de Mauá, que compreende a identificação,

Leia mais

Governo Estadual RS 509

Governo Estadual RS 509 1 - RODOVIAS / TRAVESSIA URBANA Governo Federal BR 158, BR 287 e BR 392 Governo Estadual RS 509 Governo Municipal Av. Helvio Basso 2 - MOBILIDADE URBANA Plano Diretor de Mobilidade Urbana TR está pronto.

Leia mais

Estado do Piauí PI Prefeitura Municipal de Castelo do Piauí Plano Municipal de Saneamento Básico

Estado do Piauí PI Prefeitura Municipal de Castelo do Piauí Plano Municipal de Saneamento Básico QUESTIONÁRIO-MOBILIZAÇÃO SOCIAL Nome: Endereço: Município: Bairro: CEP: Quanto tempo reside nessa localidade? 1. ÁGUA AGESPISA ( ) PIPA ( ) BICA COLETOR ( ) POÇO ( ) OUTROS Você limpa sua cisterna e ou

Leia mais

CEDRAL OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014

CEDRAL OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 CEDRAL OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 DESENVOLVIMENTO SOCIAL: Distribuição de Leite: distribuídos 22.532 litros de leite, no período de Jan/2011 a Set/2011 Custo: R$ 30 mil, beneficiando 272 famílias

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (Módulo: Resíduos Sólidos) Rio Claro SP LEI Nº 11.445/2007 LEI Nº 12.305/2010 1. OBJETIVOS - Realizar diagnósticos; - Elaborar propostas de intervenções; - Definir

Leia mais

Mais de 206 mil imóveis visitados em Combate à Dengue De acordo com a Secretaria de Saúde, 59% das vistorias previstas já foram realizadas.

Mais de 206 mil imóveis visitados em Combate à Dengue De acordo com a Secretaria de Saúde, 59% das vistorias previstas já foram realizadas. www.portalamazonia.com.br Coluna: Mais de 206 mil imóveis visitados em Combate à Dengue Mais de 206 mil imóveis visitados em Combate à Dengue De acordo com a Secretaria de Saúde, 59% das vistorias previstas

Leia mais

Conscientização da Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de São Paulo

Conscientização da Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de São Paulo SECRETARIA MUNICIPAL DE SERVIÇOS Conscientização da Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de São Paulo DEPARTAMENTO DE LIMPEZA URBANA LIMPURB ATRIBUIÇÕES DO LIMPURB LIMPURB E ATRIBUIÇÕES TÉCNICAS LEI

Leia mais

Cidades e Biodiversidade

Cidades e Biodiversidade Cidades e Biodiversidade Curitiba, 26 a 28 de março Ronaldo Vasconcellos Vice-Prefeito de Belo Horizonte Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, é uma das maiores cidade do Brasil. BH Fica a 585 Km de

Leia mais

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Introdução Este material surge como resultado do acompanhamento das apresentações do Plano de Mobilidade

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. PROGRAMA : ADMINISTRAÇÃO GERAL OBJETIVO : Manter as atividades administrativas e operacionais dos órgãos para melhoria da prestação de serviços ao público Valores (R$ 1,00) 2006 11.700,000 Manutenção das

Leia mais

Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife.

Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife. Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife. Data: dia 29 de abril de 2009 Local: sede da ONG Etapas no Recife PROGRAMA REABILITAÇÃO

Leia mais

CDN Serviços de Água e Esgoto S.A. CONCESSÃO DO GERENCIAMENTO DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO

CDN Serviços de Água e Esgoto S.A. CONCESSÃO DO GERENCIAMENTO DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO CONCESSÃO DO GERENCIAMENTO DOS SISTEMAS DE E ESGOTO DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO OBJETIVOS PRINCIPAIS DA CONCESSÃO Redução das tarifas pagas pela INFRAERO e pelos concessionários;

Leia mais

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Meio Ambiente GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Meio Ambiente GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Meio Ambiente GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Seminário Ecoinnvacion Eima2013 9 a 10 de Julho de 2013 Edificio del

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO

MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS E REGIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO DOS MUNICÍPIOS DO CONSÓRCIO PRÓ-SINOS PRODUTO 4 CONCEPÇÃO DOS PROGRAMAS, PROJETOS E AÇÕES NECESSÁRIAS. AÇÕES PARA

Leia mais

ANEXO I ORÇ AMENTO B ÁSI CO

ANEXO I ORÇ AMENTO B ÁSI CO ANEXO I ORÇ AMENTO B ÁSI CO MÓDULO SERVIÇOS CONTRATANTE I II III PLANILHA RESUMO DE INVESTIMENTOS ANUAIS Sistema de Coleta e Transporte de Resíduos Sólidos Urbanos Sistema de Serviços Complementares de

Leia mais

IBATÉ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 5.816.5 6.500,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite:

IBATÉ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 5.816.5 6.500,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: IBATÉ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 5.816.5 6.500,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 31.760 litros de leite, de Jan/2007 a Mar/2009 Custo: R$ 39 mil, beneficiando 80 famílias carentes,

Leia mais

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE PREFEITURA DE BELO HORIZONTE DADOS DA CIDADE Data de fundação: 12 de dezembro de 1897 Área: 331 km 2 Latitude y Longitude 19 55'S, 43 56'W Minas Gerais BH INDICADORES DEMOGRÁFICOS População: 2.375.151

Leia mais

VÁRZEA PAULISTA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 37.530.000,00

VÁRZEA PAULISTA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 37.530.000,00 VÁRZEA PAULISTA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 37.530.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 59.550 litros de leite de Jan/2007 a Mar/2009 - Custo: R$ 75 mil, beneficiando 150 famílias

Leia mais

AULA 3. Aspectos Técnicos da Regularização Fundiária.

AULA 3. Aspectos Técnicos da Regularização Fundiária. Regularização Fundiária de Assentamentos Informais em Áreas Urbanas Disciplina: Regularização Fundiária e Plano Diretor Unidade 03 Professor(a): Laura Bueno e Pedro Monteiro AULA 3. Aspectos Técnicos da

Leia mais

O AGENTE DA MOBILIDADE URBANA NO SISTEMA MUNICIPAL DE DEFESA CIVIL

O AGENTE DA MOBILIDADE URBANA NO SISTEMA MUNICIPAL DE DEFESA CIVIL O AGENTE DA MOBILIDADE URBANA NO SISTEMA MUNICIPAL DE DEFESA CIVIL Autores: Carlos Aparecido de Lima - carlosaparecido@emdec.com.br José Eduardo Vasconcellos - eduardovasconcellos@emdec.com.br Carlos Roberto

Leia mais

Proposta da ECOS DO VITÓRIA para implantação da Estação Socioambiental no Metrô Tucuruvi, com vistas a inclusão deste no Programa Biobairro Escola -

Proposta da ECOS DO VITÓRIA para implantação da Estação Socioambiental no Metrô Tucuruvi, com vistas a inclusão deste no Programa Biobairro Escola - Proposta da ECOS DO VITÓRIA para implantação da Estação Socioambiental no Metrô Tucuruvi, com vistas a inclusão deste no Programa Biobairro Escola - Parque Vitória. APRESENTAÇÃO ECOS DO VITÓRIA A Ecos

Leia mais

Jardins Paulistano e das Bandeiras são beneficiados com importantes obras

Jardins Paulistano e das Bandeiras são beneficiados com importantes obras DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Município de Salto de Pirapora Órgão Oficial da Prefeitura Municipal de Salto de Pirapora Criado pela Lei Municipal Nº 1122/2005, de 3 de março de 2005 Ano 4 Edição 42 Salto de Pirapora,

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda PAC/BNDES BACIA D-E Parque Universitário BACIA I Coletor Vila Goulart 300 mm Instalações

Leia mais

CONHEÇA A VALECARD TODA ESSA ESTRUTURA EXISTE PRA VOCÊ: Reduzir custos. Ganhar tempo. Organizar processos.

CONHEÇA A VALECARD TODA ESSA ESTRUTURA EXISTE PRA VOCÊ: Reduzir custos. Ganhar tempo. Organizar processos. CONHEÇA A VALECARD Soluções completas e integradas para a gestão de benefícios, gestão financeira e de frotas. Cartões aceitos em todo território nacional, por meio da Redecard, Cielo e ValeNet, o que

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha

Operação Urbana Porto Maravilha Operação Urbana Porto Maravilha AGENDA 1. VISÃO GERAL DO PROJETO PORTO MARAVILHA 2. MODELAGEM FINANCEIRA 1. ARCABOUÇO JURÍDICO 2. ESTUDOS TÉCNICOS 3. MODELAGEM DA PPP 4. RECEITAS X DESPESAS 5. LEILÃO DOS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 148

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 148 PROGRAMA Nº- 148 GESTÃO E CONTROLE DE PERDAS FUNÇÃO: 17 SANEAMENTO SUB-FUNÇÃO: 512 SANEAMENTO BÁSICO URBANO - Reduzir perdas de água reais e aparentes; reduzir os custos de exploração, produção e distribuição

Leia mais

ANEXO - I. REF.: Processo nº 2013-0.128.991-0 Licitação na modalidade PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/SMSP/COGEL/2013.

ANEXO - I. REF.: Processo nº 2013-0.128.991-0 Licitação na modalidade PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/SMSP/COGEL/2013. ANEXO - I TERMO DE REFERÊNCIA REF.: Processo nº 2013-0.128.991-0 Licitação na modalidade PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/SMSP/COGEL/2013. Objeto: Celebração de ATA de Registro de Preço para fornecimento de Concreto

Leia mais

Indicadores técnicos e de percepção

Indicadores técnicos e de percepção Indicadores técnicos e de percepção Observatório Cidadão Nossa São Paulo Banco virtual que disponibiliza um conjunto de indicadores sociais, ambientais, econômicos, políticos e culturais sobre a cidade

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE IVAIPORÃ Estado do Paraná PLE 136/2012

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE IVAIPORÃ Estado do Paraná PLE 136/2012 1 LEI N 2.242, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2012 Abre um Crédito Adicional Suplementar e dá outras providências Art. 1 Fica o Poder Executivo autorizado a abrir no corrente exercício financeiro, um Crédito Adicional

Leia mais

Ações técnicas e governamentais no contexto de enchentes em Campos dos Goytacazes/RJ

Ações técnicas e governamentais no contexto de enchentes em Campos dos Goytacazes/RJ Ações técnicas e governamentais no contexto de enchentes em Campos dos Goytacazes/RJ Edison Pessanha Campos dos Goytacazes, que já enfrentou grandes enchentes, como as de 2007, com o rio Paraíba atingindo

Leia mais

SAÚDE AMBIENTAL E DESASTRES. Mara Lúcia Oliveira Saúde e Ambiente

SAÚDE AMBIENTAL E DESASTRES. Mara Lúcia Oliveira Saúde e Ambiente SAÚDE AMBIENTAL E DESASTRES Mara Lúcia Oliveira Saúde e Ambiente PROBLEMAS AMBIENTAIS LOCAIS Contaminação atmosférica (industrial e doméstica) Contaminação acústica Contaminação dos mananciais Abastecimento

Leia mais

SISTEMA DE CONTENÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS

SISTEMA DE CONTENÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS SISTEMA DE CONTENÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS Com a crescente urbanização e expansão das cidades os problemas resultantes das chuvas tem se tornado cada vez mais frequentes e mais graves devido a diversos fatores:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS Drenagem de Bacias SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS PROGRAMA Nº - 035 Garantir a captação e drenagem das bacias hidrográficas; Eliminar pontos de alagamento junto a córregos e canais; Proteger as margens

Leia mais

VALOR (R$) - c/ BDI 12.675.927,42 74,64% 15.818.304,02 74,67% 4.307.581,46 25,36% 5.366.018,71 25,33% 16.983.508,88 21.184.322,73

VALOR (R$) - c/ BDI 12.675.927,42 74,64% 15.818.304,02 74,67% 4.307.581,46 25,36% 5.366.018,71 25,33% 16.983.508,88 21.184.322,73 LOCAL OBRA : RIO VERDE : CANALIZAÇÃO E PISTAS MARGINAIS - CÓRREGO SAPO R E S U M O D O O R Ç A M E N T O SERVIÇO VALOR (R$) - s/ % VALOR (R$) - c/ % 1.0 - CANAL 1.1 - TERRAPLENAGEM... 5.269.441,44 31,03%

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Setembro 2015 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Outubro 2015

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Outubro 2015 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Outubro 2015 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Proposta de revisão dos. Calçadões do Centro

Proposta de revisão dos. Calçadões do Centro Proposta de revisão dos Calçadões do Centro Apresentação Durante a campanha eleitoral para a Prefeitura, em 2004, a Associação Viva o Centro apresentou aos candidatos dez propostas para impulsionar o desenvolvimento

Leia mais

Direito à moradia e áreas de preservação ambiental - o caso da Favela Monte Taó SP

Direito à moradia e áreas de preservação ambiental - o caso da Favela Monte Taó SP Direito à moradia e áreas de preservação ambiental - o caso da Favela Monte Taó SP Maria de Lourdes Pereira Fonseca, Fabiana Cristina Luz, Jean Leonardo Tanajura Correia Resumo Grande parcela da população

Leia mais

Celso Santos Carvalho Diretor de Assuntos Fundiários Urbanos Secretaria Nacional de Programas Urbanos Ministério das Cidades

Celso Santos Carvalho Diretor de Assuntos Fundiários Urbanos Secretaria Nacional de Programas Urbanos Ministério das Cidades Gerenciamento de riscos a escorregamentos em encostas Celso Santos Carvalho Diretor de Assuntos Fundiários Urbanos Secretaria Nacional de Programas Urbanos Ministério das Cidades Característica estrutural

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Dezembro 2014

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Dezembro 2014 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Dezembro 2014 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Março 2014

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Março 2014 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Março 2014 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Julho 2014

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Julho 2014 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Julho 2014 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Programa Cisternas MDS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional

Programa Cisternas MDS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Programa Cisternas MDS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Coordenação Geral de Acesso à Água Carolina Bernardes Água e Segurança

Leia mais

POLÍTICA DE REDUÇÃO DO RISCO DE INUNDAÇÕES EM BELO HORIZONTE

POLÍTICA DE REDUÇÃO DO RISCO DE INUNDAÇÕES EM BELO HORIZONTE POLÍTICA DE REDUÇÃO DO RISCO DE INUNDAÇÕES EM BELO HORIZONTE Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura - SMOBI Superintendência de Desenvolvimento da Capital - SUDECAP OUTUBRO DE 2013 POLÍTICA DO

Leia mais

LINHA DO TEMPO DA CONCESSÃO

LINHA DO TEMPO DA CONCESSÃO LINHA DO TEMPO DA CONCESSÃO Abril/14 Julho/14 Agosto/14 Outubro/14 Dezembro/14 Abril/15 Via 040 assume a BR-040 Início dos trabalhos de conservação e manutenção, realizados de forma contínua desde então.

Leia mais

Gestão das Águas urbanas e a Drenagem

Gestão das Águas urbanas e a Drenagem Gestão das Águas urbanas e a Drenagem Carlos E. M. Tucci Instituto de Pesquisas Hidráulicas UFRGS Porto Alegre-RS Brasil Conteúdo Desenvolvimento urbano e a fonte de impacto na gestão das águas As fases

Leia mais