Diferenças fisiológicas da pele negra e pele caucasóide. do Vale do Itajaí UNIVALI, Balneário Camboriú, Santa Catarina.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Diferenças fisiológicas da pele negra e pele caucasóide. do Vale do Itajaí UNIVALI, Balneário Camboriú, Santa Catarina."

Transcrição

1 Diferenças fisiológicas da pele negra e pele caucasóide 1 Mariane Fraga; Acadêmica do Curso de Cosmetologia e Estética da Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI, Balneário Camboriú, Santa Catarina. 2 Naiara Matos; Acadêmica do Curso de Cosmetologia e Estética da Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI, Balneário Camboriú, Santa Catarina. Ana Julia von Borel du Vernay França- ; Professora do Curso de Cosmetologia e Estética da Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI, Balneário Camboriú, Santa Catarina. Contatos 2 3 RESUMO A população negra vem crescendo ano após ano. A última pesquisa nacional realizada pelo IBGE apontou que a população brasileira alcança atualmente o índice de 49,5%. E com isso os aspectos étnicos ganham importância. A maior diferença entre negros e brancos, não está na cor de sua pele, mais sim em suas estruturas como as diferenças em função do tamanho, número e morfologia dos melanossomas. Além das diferenças que são também encontradas na epiderme, derme, glândulas anexas e folículos pilosos. Este trabalho busca esclarecer também a dúvidas quanto o uso de foto protetor e câncer de pele em peles negras. Para a formulação de produtos cosméticos, é importante saber das diferenças que a pele negra oferece e respeitá-las. A busca de compreender essas particularidades, este trabalho tem como objetivo demonstrar as diferenças dermatológicas da pele negra comparando com a pele caucasóide. Com este propósito a metodologia utilizada para fundamentar este tema foi de uma revisão teórica com analise qualitativa exploratória com base em artigos científicos, periódicos científicos, livros entre outros meios de pesquisas. Contatou-se com esta pesquisa, a falta de materiais científicos que abordem as diferenças entre pele negra e pele caucasóide. Sugeremse então novos estudos e novos tratamentos que sejam específicos para a pele negra. Palavras chaves: Pele negra, diferenças étnicas, tratamentos

2 INTRODUÇÃO O conceito raças humanas compreende as diferenças moforlogicas entre povos, com suas particularidades específicas de cada raça, como cor da pele, formato dos olhos, tipo de cabelo, ancestralidade, conformação facial e cranial, entre outros, desenvolvidas em um processo de adaptação a determinado espaço geográfico e ecossistema ao longo das gerações (ALCHORNE E ABREU, 2008), O IBGE classifica o povo brasileiro em cinco grupos: branco, preto, pardo, amarelo e vermelho. Ao se falar de etnia muitas pessoas demonstram total falta de informação ou apresentam idéias distorcidas sobre a questão. Prova disso é o termo étnico que ficou conhecido popularmente como referência aos negros (STEINER, 1996), A palavra étnica é derivada do grego ethonos e significa povo. Dessa forma um grupo étnico, refere-se a grupo de seres humanos unidos por fator em comum, como religião, língua, nacionalidade. A etnia é o que diferencia as muitas raças através de fatores biológicos como cor do cabelo, formato dos olhos, entre outros (STEINER, 1996), Dessa forma, neste trabalho propõe referenciar a pele negra, como indivíduo de raça negra ou afro descendentes. Contrapondo com o ponto de vista social, que divide a humanidade em diferentes grupos raciais, no aspecto biológico, não existem raças humanas, existe apenas o homo sapiens. Provavelmente esta é a razão de poucos estudos abordando as diferenças de peles entre as etnias Sendo que os estudos, que abordam essas diferenças começaram recentemente devido a crescente procura de produtos para pele negra (ALCHORNE E ABREU, 2008). O IBGE considera como negros tanto pardos como negros, sendo, portanto a população negra no Brasil a soma destes dois grupos (ALCHORNE E ABREU, 2008). A população brasileira vem crescendo desde 1980 onde 5,9% da população eram negras e 38,8% parda, somando 44,7% da população negra. Já 1991, dos milhões de habitantes, 5% eram negros e 42,53% pardos, somando-se uma parcela de 47,53% de negros no Brasil (IBGE, 2009).

3 A última pesquisa nacional por amostra de domicílios (PNAD) realizada pelo IBGE em 2005, apontou que a população brasileira, é composta por 93,096 milhões de brancos, 79,782 milhões de pardos, e 12,908 milhões de negros, em relação ao censo 2000 o número de pardos aumentou de 38,5% para 42,6% e os pretos de 6,2% para 6,9%. Desse modo a população negra no Brasil alcança atualmente, o índice de 49,5% da população total, diferenciando-se das diversas regiões do Brasil, sendo que desses 12,908 negros 7,7% concentra-se na região Sudeste e 6,9% na região centro oeste (STEINER, 1996). Segundo Britz e Kede, (2004) observa-se um crescimento de mercado de produtos cosméticos específicos para pele étnica de aproximadamente 15 a 20% ao ano nos Estados Unidos, onde também se constatou que os negros gastam Três vezes mais do que os brancos em produtos cosméticos e perfumaria. No Brasil, onde são grande a pluralidade e miscigenação racial, os aspectos étnicos ganham também crescente importância nas áreas de atendimento cosmiátrico, dermatológico e de cirurgia plástica (BRITZ E KED, 2004). Embora os tipos de pele pareçam semelhantes do ponto de vista anatômico, funcional e bioquímico, existem variações entre elas que necessariamente devem ser levadas em conta nas formulações de produtos cosméticos, principalmente quando se trata das influências raciais (BENY, 2000). Avaliando este cenário, e as necessidades encontradas neste tipo de pele, o presente trabalho tem como objetivo, demonstrar as diferenças dermatológicas da pele negra comparando com as características da pele caucasóide. METODOLOGIA Com o propósito de atingir o objetivo do trabalho que propõe demonstrar as características dermatológicas das peles negras e peles caucasóides, a metodologia utilizada para fundamentar este tema, foi de uma revisão teórica com análise qualitativa exploratória com base, artigos científicos, livros, periódicos científicos, entre outros meios. Segundo Marconi e Lakatos, 1999, destacam que a pesquisa bibliográfica se trata de dados e informações encontradas naqueles materiais construídos apartir das fontes primarias em pesquisas realizadas anteriormente, De Pádua, (2004)

4 complementa que a finalidade principal deste método é colocar o pesquisador com tudo aquilo que já foi produzido em relação ao problema de pesquisa. Diferenças Étnicas: Negróides e caucasóides Caucasoides: Originários da Europa, Mediterrâneo, e Norte Da África. Apresentam cabelos ondulados e pelos em abundância distribuídos pela face e corpo. A pele é clara, e ligeiramente morena e o nariz é estreito. Negroides: Originários da África sua característica marcante é a pele escura, cabelo crespo, nariz largo e geralmente achatado (STEINER, 1996). Diferenças estruturais, Biológicas e funcionais da pele negra. Epiderme: Estrato córneo, barreira cutânea. Diferentes estudos mostraram que não há diferença de espessura entre a camada córnea da pele negra e branca. Ainda que o extrato córneo da pele negra contenha mais camadas de células do que na pele branca, porém a espessura é igual em ambas mostrando que é mais compacto provavelmente por maior coesão intercelular (STEINER, 1996, BRITZ E KEDE, 2004, ALCHORNE E ABREU, 2008). Não há consenso, sobre as diferenças entre raças na função da barreira exercida sobre a pele (ALCHORNE E ABREU, 2008). A perda de água transepidérmica, é um método de medição da função da barreira da pele, e no momento esta definida como a quantidade total de perda de vapor de água através da pele e anexos em condições de não sudorese. È a medição objetiva mais estudada para definir as diferenças entre peles de diferentes etnias tanto basalmente quanto na resposta a irritantes tópicos (SAGGAR, WESLEY E MAIBACH, 2009). De acordo com Rocha Filho, 1996 a pele branca é mais permeável a certos compostos químicos do que a pele negra. Duas hipóteses podem ser formuladas para explicar este fato: a diferença metabólica na absorção do produto (entre os dois tipos de grupos) e a diferença de substantividade (capacidade de fixação na superfície da epiderme ou no estrato córneo) do produto sobre a pele clara e

5 pigmentada. A função barreira da pele baseia-se antes de tudo, nas propriedades da camada córnea: neste contexto é lógico que um estrato córneo mais compacto confira a pele negra permeabilidade menor. O inverso ocorre quando a pele negra é exposta a um irritante tópico. Demonstrou-se que a pele negra, tem maiores taxas de descamação, até 2,5 vezes, e maior perda de água transepidérmica quando comparada a branca, sugerindo menor resistência da barreira (BRITZ E KEDE, 2004, SAGGAR, WESLEY, MAIBACH, 2009). Berdaresca e Maibach, (1988), Kompaore et al. (1993) apud Saggar, Wesley, Maibach (2009) também constataram que negros apresentaram níveis mais elevados de perda de água transepidérmica do que indivíduos brancos após aplicação tópica de lauril sulfato de sódio ou aplicação tópica de nicotinato de metila, sugerindo maior susceptibilidade dos negros à irritação. Neste contexto, Saggar, Wesley e Maibach, em seus estudos feitos com descamação de fita adesiva, verificaram que a pele negra possui maior resistência da barreira basal, com rápida recuperação de sua função, sugerindo maior regeneração da barreira na pele negra. Sistema Melanocitario. A cor da pele é uma das características mais marcantes que diferenciam indivíduos brancos e negros, ela depende de quatro pigmentos básicos. Dois deles encontrados na epiderme: a melanina produzida nos melanócitos, os carotenóides de produção exógena e cor amarelada, e ainda sofrem a influência da oxiemoglobina e a hemoglobina encontrada na derme. Dentre estes a melanina é o principal fator determinante (BRITZ e KEDE, 2004). De acordo com Steiner (1999), as pessoas negras podem ter até 35 tons de pigmentação, que vai de creme, passando pelo marrom, até ébano. Portanto, há que se enfatizar que a cor da pele, e como consequência as diferenças raciais, não ocorrem em função dos números de melanócitos existentes mais sim em função do tamanho, morfologia, distribuição e grau dos melanossomas que são grânulos localizados dentro da célula e formados essencialmente de melanina (SAGGAR, 2009,ET AL, BATISTELA, CHORILLI, LEONARDI, 2007).

6 Segundo Britz e kede (2004), há diferença na velocidade e produção de melanina, entre as peles brancas e negras. A relação entre síntese de eumelanina e feomelanina é maior em negros do que em brancos, porém este não é o principal fator de diferenciação. O tamanho, a densidade e a distribuição dessas estruturas explicam as diferenças de pigmentação entre várias raças, bem como as nuances de tonalidade dentro de uma mesma raça (BRITZ E KEDE, 2004). A pele negra tem melanossomas grandes e não-agregados, estão dispersos individualmente no citoplasma do queratinocitos e apresentam tamanho maior (800 nm), não sendo degradados e chegando intactos a camada córnea. Na pele branca, tem melassomas pequenos (400nm) e agrupados entre si em números de três no interior dos queratinocitos, sendo degradados por enzimas nas camadas superficiais da epiderme (ALCHORNE E ABREU, 2008, STEINER, 2009). Diferenças frente à radiação solar Na pele negra estes melanossomas maiores e não agregados, ou seja, mais dispersos, absorvem mais energia e promovem uma coloração mais uniforme e densa que o observado em peles claras, conferindo assim 3 a 4 vezes mais proteção contra a radiação UV, diminuindo, absorvendo e retardando a radiação de forma eficiente (BRITZ E KEDE, 2004, ALCHORNE E ABREU, 2008, STEINER, 2009). Segundo Steiner, 2009 quando no negro a melanina atinge o estrato córneo, esta perde em grande parte sua capacidade protetora e a razão disto ainda é desconhecida. A absorção e a difusão dos raios pela melanina dependem da densidade e da distribuição dos melanossomas no interior dos queratinócitos. A dose eritematosa mínima, quantidade de radiação para produzir um eritema mínimo, chega a ser de 15 a 33 vezes maior se comparado a pele branca. Como vermelhidão é difícil de observar em peles negras, o único índice considerável é a descamação observada alguns dias após a exposição. Desta forma, os negroides têm menos chances de desenvolver câncer de pele (não melanoma) e menor fotoenvelhecimento, em relação aos caucasoides. Porém isto não dispensa o uso do

7 protetor solar, pois estão mais propensos a manchas (BRITZ E KEDE, 2004 STEINER, 1996, STEINER, 2009). De acordo com a quinta edição da campanha nacional de prevenção ao câncer de pele, realizada pela (SBD) Sociedade Brasileira e Dermatologia, em novembro de 2003, das pessoas atendidas 69,6% se expõe ao sol sem nenhum tipo de proteção. As pessoas de pele negra também preocupam já que dos negros participantes 78,7% não utilizam nenhuma proteção, sendo que 1,7% apresentam câncer de pele. Ainda que o índice de câncer de pele seja bem menor se comparado a pele branca que apresenta cerca de quinze vezes mais chances de apresentar a doença que em indivíduos afro descendentes, quando descoberta a doença ela já esta em estagio avançado (STEINER, 1996). Segundo Britz e Kede (2004), os indivíduos de peles negras, necessitam das mesmas precauções contra a exposição solar que as pessoas de pele clara, pois ainda que a melanina pareça proteger a pele negra das propriedades oncogênicas da radiação solar, ela não protege dos danos ao sistema imunológico, causados pela radiação UVA Qualquer que seja a cor de pele, uma única exposição aos raios UV, em baixa dose altera o sistema imunológico da pele, e pode destruir o sistema de defesa e aumentar a susceptibilidade a infecções (BRITZ E KEDE, 2004). Derme: Segundo Alchorne e Abreu, (2008), não há diferenças de espessura na derme entre negros e brancos, contrapondo com Steiner, (2009) que defende que a pele negra tem camada mais espessa e compacta. Os feixes de fibras colágenas são menores e dispostas paralelamente à epiderme. Notam-se muitas fibrilas colágenas e fragmentos fibrosos entre as fibras e os vasos. A quantidade de glicoproteínas no interstício dérmico é maior em negros (ALCHORN E ABREU, 2008, STEINER, 2009). Vasos superficiais e subepidérmicos são mais numerosos na pele negra. Na derme papilar tem mais fibroblastos e os macrófagos são maiores e mais numerosos, não havendo diferenças entre raça nos mastócitos (ALCHORNE E ABREU, 2008, STEINER, 2009).

8 Os fibroblastos são hipertrofiados e com grande extensão da retícula endotelial. Há menor quantidade de fibras elásticas na pele negra, mas sua disposição é diferente (STEINER, 2009). Segundo Britz e Kede, (2004) a elasticidade é maior no rosto e pernas dos negros. Glândulas anexas: De acordo com Alchorne e Abreu, 2008 os poucos estudos quanto às glândulas anexas são contraditórios. Sugere-se que não há diferença no número de glândulas sudoríparas écrinas, embora segundo Alchorne e Abreu, 2008 se verifique mais sudorese em branco, porém, de acordo com Steiner, 1996, a pele negra absorve mais calor, o que é compensado com sudorese mais eficiente e intensa, e sintetiza maior quantidade de vitamina B. As glândulas sudoríparas apócrinas são maiores, mais numerosas e produzem maior quantidade de secreção nas peles negras (ALCHORNE e ABREU, 2008). Porém, Child, et al (1999 apud PUGGIANA; CINTRA; SOUZA, 2008) em seus estudos observaram que a pele negra tem maiores números de glândulas sudoríparas, tanto apócrinas quanto écrinas. Segundo Steiner, 2009 o odor corporal estará na dependência de bactérias, e não existem ainda explicações sobre os diferentes tipos de odores. Quanto às glândulas sebáceas não há diferença no número, porém são maiores e produz mais quantidade de sebo na pele negra, o que segundo Neiva, 2007 torna mais susceptível à acne. Corroborando Dóris Hexel, (2007), explicita que tais características faz com que a pele do rosto, geralmente se apresenta mais oleosa. Estas peculiaridades também são destacadas por Viana (2007), onde complementa que os braços ainda se apresentam de forma oleosa. Há grandes quantidades de lipídios, extraídos do couro cabeludo ou dos cabelos de pessoas negras, (cerca de 60 a 70 % a mais do que em indivíduos brancos) estes lipídios provem em grande parte da secreção sebácea (STEINER, 2009).

9 Termorregulação: Apesar de não haver diferença no número de glândulas sudoríparas entre negros e brancos, atribui-se pele negra maior resistência ao calor. A quantidade de suor produzida à dada temperatura esta mais ligada a climatização do que fatores anatômicos e fisiológicos de origem racial. (STEINER, 2009) Alterações inestéticas Vários estudos foram desenvolvidos nos Estados unidos e Reino Unido, para determinar a prevalência das afecções de pele em indivíduos negros. Halter et al, em um trabalho clínico incluindo 2000 pacientes negros, nos estados unidos, demonstraram que a doença mais prevalente na população, eram a acne vulgar, seguido pela dermatite tóxica e seborréia, alterações pigmentares e alopecia secundária a trauma de natureza cosmética. Da mesma forma Child, et al (1999 apud PUGGIANA, CINTRA, SOUZA, 2008) destacam que os mesmos encontraram 274 pacientes negros de um ambulatório geral de dermatologia em Londres, que as cinco dermatoses prevalentes eram a acne, acne queloideana na nuca e queloides. O câncer de pele do tipo carcinoma baso celular e espinocelular, é menos frequente em negros, e mais frequentes em brancos devido à maior proteção oferecida pelo sol (STEINER, 1996). Os negros apresentam dermatose papulosa nigra, caracterizadas por papulas achatadas suaves, acastanhadas, de aproximadamenteum a três mm, localizado principalmente nas regiões de face, pescoço e colo (STEINER, 1996). As lesões nódulos císticas são menos frequentes, mas mesmo lesão sem inflamação clínica como as comedoneanas, tem alto grau de inflamação histológica, o que explica o fato de deixar intensa hiperpigmentação após a inflamação. Alguns problemas mais comuns encontrados em negros como consequência da reação adversa a cosméticos são: a acne cosmética, a dermatite de contato alérgica ou por irritante primário, acronose induzida por hidroquinona e a hipo-

10 pigmentação pós inflamatória causadas por agentes irritantes como ácido retinóico (STEINER, 1999). Os negros desenvolvem a dermatite de contato menos frequentes que os caucasoides, devido à maior resistência oferecida pela pele negra, porém o caso muda quando a camada córnea é removida experimentalmente, ainda há controvérsias contra a dermatite de contato alérgica (BRITZ E KEDE, 2004). Grande parte, dos distúrbios vistos na pele negra é de origem pigmentar, representando as alterações mais obvias e angustiantes nesse grupo étnico, sendo em geral muito evidentes e difíceis de tratar. Os caucasoides e negroides apresentam à mesma incidência a acne, porém esta é mais grave nos indivíduos de raça branca (ALCHORNE E ABREU, 2008). A pele negra apresenta maior tendência a hipercromia residual. Dessa forma, qualquer cicatriz ou machucado pode manchar, seja resultado de procedimento estético, cicatriz ou acne. Apresentando também maior pigmentação nas áreas de dobras como axila e virilha e áreas de trauma (STEINER, et al, 2007). Hiperpigmentação e hipo-pigmentação pós inflamatória. Surgem após lesões inflamatórias devido à lábil e exarcebada resposta dos melanossitos a irritação e inflamação. Doenças inflamatórias causam liberação de peptídeos na pele que alteram a atividade dos melanócitos por dois mecanismos: pelo aumento em seu número e tamanho, ou levando a incontinência do pigmento pela célula e consequente depósito na derme (BRITZ E KEDE, 2004, ALCHORNE E ABREU, 2008) Essa patogênese é seqüela comum de acne vulgar, líquen plano, queimaduras traumas, entre outras condições (ALCHORNE E ABREU, 2008). Os tipos IV, V, e VI, de Fitzpatrick, são os mais propensos a desenvolver hiperpigmentação pós inflamatória (LEONHARDT E LAWRENCE, 2007). Pode observar-se que a hiperpigmentação da pele caucasiana é o resultado de algumas anormalidades no mecanismo enzimático que controla a pigmentação podendo ser causada por uma variedade de fatores incluindo inflamação, idade avançada, fatores genéticos e distúrbios hormonais. Em compensação a pele dos

11 negros é normalmente muito pigmentada em razão da alta densidade de melanina, e as diferenças na pigmentação entre pele de brancos e negros são devidas as atividades enzimáticas diferentes (NICOLETTI, ET AL, 2002). De acordo com leonhardt e Lawrence, 2007 com orientação adequada, os pacientes com peles mais escuras podem ser submetidos à peelings superficiais com segurança, sem risco de causar alterações de coloração permanente, já que a hiperpigmentação é atenuada ao longo do tempo e com tratamento. Quelóide: Podendo erroneamente ser confundido com cicatriz hipertrófica, a quelóide, manifesta-se por um nódulo firme, às vezes pruriginoso causando dano estético. Geralmente esta patologia acomete a área pré esternal, dorso, região cervical posterior, região de deltóide e pavilhão auricular, por haver maior susceptibilidade nestas regiões. Por outro lado, são raras as ocorrências de queloides em pálpebras, pênis, escroto, regiões frontal, palmar e plantar (FERREIRA, D ASSUMPÇÃO, 2006). Podem manifestar-se cerca de 30 dias após a incisão e apresentam-se de forma mais elevada que as cicatrizes hipertróficas, de coloração violácea, invadindo a pele normal adjacente. Podem manifestar prurido, dor e ardor, não regride espontaneamente e muitas vezes com crescimento prolongado (PEREIRA, 2003, FERREIRA e D ASSUMPÇÃO, 2006). É de 3 a 18 vezes mais freqüentes em peles negras, e segundo ferreira e D Assumpção, 2006, não há relatos de queloides em albinos. Desenvolve-se após injurias cutâneas por interação entre fibroblastos e citocinas, que facilitam a produção de colágeno, e inibe a degradação de componentes da matriz extracelular isto se deve aos fibroblastos serem maiores, Bi ou multinucleados, em maior número, ou hiperativo, que combinados a diminuição de atividade da colegenase, resulta em queloides (ALCHORNE E ABREU, 2008). A localização básica das alterações do quelóide é a derme reticular. Neste local as fibras colágenas se arranjam sob a forma de nódulos que aumentam de tamanho e se distribuem de maneira irregular. Além do colágeno estão presentes

12 substâncias amorfas e capilares, que tendem a diminuir em favor do aumento do colágeno (FERREIRA E ASSUMPÇÃO, 2006) Ao referenciar Kelly, 2004, Ferreira e D Assumpção, 2006 busca explicar que esta patologia pode acometer todas as faixas etárias e ambos os sexos, porém a uma preponderância maior em mulheres devido ao uso dos brincos. Pessoas acima de 65 anos dificilmente desenvolvem queloides, a maioria dos casos acontecem na faixa etária entre 10 a 30 anos. Podem ser influenciadas por fatores como: Excesso de tensão e aproximação inadequada das bordas da ferida, área de pouca vascularização, área de tração ou pressão mecânica, materiais e técnicas de sutura e curativos inadequados, tabagismo, doenças vasculares, uso de corticosteróides, anticoagulantes, entre outros fatores que podem colaborar para a manifestação destas patologias (PEREIRA, 2003). A pele da lesão queloideana tem a epiderme achatada, além de serem desprovidas de pêlos, glândulas sebáceas e sudoríparas. A ausência de anexos associada à tensão no local da incisão lhe confere o aspecto brilhante (FERREIA E D ASSUMPÇÃO, 2006). Acne Dermatose crônica, considerada como doença do folículo pilossebáceo, desencadeada por fatores como, hiperprodução sebácea, hiperqueratinização folicular, aumento da colonização por propionibacterium acnes e inflamação dérmica Peri glandular (COSTA, ALCHORNE e GOLDSCHMIDT,2008). Segundo Alchorne e Abreu, 2008 a incidência da acne em indivíduos de pele negra é alta, porém segundo, Costa, Alchorne e goldshmidt, 2008, ocorrem em todas as raças, embora seja menos intensa em negros e orientais, e manifesta-se mais gravemente no sexo masculino. Devido seus cabelos frágeis e difíceis de disciplinar, é comum que os indivíduos de raça negra adotarem produtos muito gordurosos para usarem nos cabelos, o que acarreta um tipo de acne chamada acne por contatantes e consiste por comedões na área frontal e temporal (ALCHORNE E ABREU, 2008). De acordo com Alchorne e Abreu, 2008 o maior desafio em tratar a acne na pele pigmentada com agentes tópicos é a possível dermatite de contato irritativa que

13 causa hiperpigmentação pós inflamatória, sendo necessário selecionar agentes menos irritantes, adotar estratégias que melhorem a tolerabilidade e orientar o uso de foto protetor não comedogênicos. Através de estudos realizados Grimes e colaboradores relataram eficácia e mínimo efeito colaterais em 25 pacientes com pele negra tratados com peelings de ácido salicilico. As condições tratadas incluíam acne vulgar, melasma e hiperpigmentação pós-inflamatória. Além disso, em uma analise retrospectiva de 90 pacientes tratadas pelo autor com peelings de ácido salicilico, obtiveram melhora significativa, da acne e da pigmentação, 25% obtiveram melhora moderada e apenas 5% alcançaram mínima melhora. (Grimes, 2007) ANÁLISE DOS DADOS Considerando que o objetivo deste trabalho foi demonstrar as características da pele negra observou-se segundo estudos obtidos que a população negra no Brasil é emergente, e alcança atualmente o índice de 49,5%. E não é somente em números que a população negra vem crescendo, vem crescendo também a procura por produtos diferentes, tratamentos especializados e cirurgias plásticas. Esta pele tem características diferentes dos outros tipos de pele, e necessariamente devem ser levados em conta, no tratamento diário e nas formulações de produtos de embelezamento. Suas diferenças começam já na barreira cutânea, já que a pele negra contém mais camadas de células e estas são mais coesas do que a pele branca. E devido a esta coesão intercelular, associada ainda a maior quantidade de lipídios, maior quantidade de melanina depositada, a pele negra tem uma permeabilidade menor e menor perda de água transepidérmica que os outros tipos de pele, sendo assim, sabe-se que é necessário um esforço maior, para que os ativos penetrem a epiderme. A pele negra apresenta melanossomas grandes, não agregados e chegam intactos a camada córnea, já os melanossomas da pele branca são menores, agregados e degradados na epiderme.

14 Devido seus melanossomas ser maiores e dispersos a pele negra apresenta maior proteção contra os raios ultravioletas emitidos pelo sol, cerca de três a quatro vezes mais que a pele caucasiana. Em relação à derme atribui-se a pele negra feixes de fibras colágenas mais compactas e paralelas a epiderme. Tem vasos superficiais e subepidérmicos mais numerosos. Devido a todas essas particularidades que a pele negra apresenta, ela desenvolve algumas dermatoses de maneira mais frequente e mais complicado de tratar como acne vulgar, hiperpigmentação, dermatite de contato, descamação, e de 3 a 18 vezes maior probabilidade a queloides. Porém este tipo de pele também não sofre tanto com problemas mais comuns em caucasianos como foto envelhecimento, foto dermatoses e neoplasias cutâneas. Este tipo de pele também tem maior susceptibilidade a irritação e maior regeneração da barreira cutânea quando submetido a alguma agressão tópica. Ao se tratar da pele negra é necessário todo o conhecimento sobre as particularidades especificas dessa raça. Dessa maneira a escolha de produtos para o tratamento com este tipo de pele, deve levar em conta as diferenças raciais existentes, escolhendo de forma categórica os ativos, para que não ocorram reações inesperadas no tratamento em cabines. CONSIDERAÇÕES FINAIS Constatou-se com esta pesquisa a dificuldade de encontrar ativos específicos para a pele negra, que respeitem as diferenças que separam este tipo de pele. Devido a esta necessidade, sugerem-se novos estudos, que abordem esses conhecimentos para trazer novos tratamentos cosméticos e estéticos próprios para a pele negra. Vale ressaltar a importância de dados relacionando o tamanho do mercado consumidor de cosméticos para pele negra, visto que estes dados podem ser decisivos para o desenvolvimento de novas linhas de produtos cosméticos destinados a este público.

15 REFERÊNCIAS ALCHORNE, MM, ABREU, MAMM. Dermatologia na pele negra. Anais Brasileiros de dermatologia, v.83, n.1, p. 7-20, Disponível em:< Acesso em: 10 jul BATISTELA, M.A, CHORILLI, M, LEONARDI, G. R. Abordagens no estudo do envelhecimento cutâneo em diferentes etnias. Disponível em:< Acesso em: 10 ago BENY, M.G. Fisiologia da pele. Cosmetics & Toiletries, n.12, p.44-50, COSTA, A, ALCHORNE, M.M.A, GOLDSCHMIDT, M.C.B. Fatores etiopatogênicos da acne vulgar. Anais da dermatologia Brasileira. v.83, n. 5, Disponível em:< Acesso em 13 set DE PÁDUA, E.M.M. Metolodologia de pesquisa: Abordagem teórico-prática. 4ª ed. Campinas. Editora Papirus,2004. FERREIRA, C.M, D ASSUMPÇÃO.E.A. Cicatrizes hipertróficas e quelóides. Disponível em < Acesso em: 13 ago GRIMES, P.E. Peeling de acido salicílico. In: RUBIN, M.G. Peeling químico. Rio de Janeiro: Elsevier, cap. 5, p IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia estatística. Disponível em: Acesso em: 30 ago KEDE,M.P.V, SABATOVICH,O. Dermatologia Estética. In KEDE, M.P.V. Discromias em peles negras. São Paulo: Atheneu, cap. 83, p, KEDE,M.P.V, SABATOVICH, O. Dermatologia Estetica.in BRENNER, E. Cuidados com os diferentes tipos de pele. São Paulo: Atheneu cap. 3, p LEONHARDT, J.N., LAWRENCE, N. Peeling de ácido tricloroacetico (ATA). In RUBIN, M.G. Peeling químico. Rio de Janeiro: Elsevier, cap. 7, p MARCONI, M.A; LAKATOS,E.M. Técnicas de Pesquisa. São Paulo. Atlas,1999. NEVES, K. Rosto sem oleosidade e livre da acne. Adcos profissional. v.1, n.1, Disponível em: Acesso em: 20 ago NICOLETTI, M.A et al. Hipercromia: aspectos gerais e uso de despigmentantes cutâneos. Cosmectis e toiletries. v.14, p.4, maio/jun

16 PEREIRA, J. R.C. Tratamento de cicatrizes patológicas com a associação de cepalin, heparina e alantantoina. Disponível em: < Acesso em: 10 out PUGGINA. J, CINTRA. M.L, SOUZA E.M. Frequencia das doenças dermatológicas investigadas por biopsia nos indivíduos de cor branca e negra: analise comparativa. UNICAMP. ROCHA FILHO, P.A.Cosméticos étnicos: aspectos fisiológicos da pele. Cosmetics & Toiletries,v.8, n.3, p.34-38, SAGGAR, S, WESLEY, N.O, MAIBACH, H.I. Variação étnica nas propriedades da pele: quo vadis. Cosmetics Toiletries, São Paulo, v.21, n.3, p.32-40, STEINER, D. As Influências raciais e a pele. Cosmetics & Toiletries, v.8, p , STEINER, D. Pele Negra. Disponível em:< Acesso em: 11 ago STEINER, D. Produtos étnicos. Cosmetics Toiletries, São Paulo, n.3, p. 24, STEINER, D, et al. As cores do Brasil. Temática: revista de negócios da indústria da beleza, v.2, n.6, p.14-20, out TSE,Y. Escolhendo o peeling correto para cada paciente. In: RUBIN, M.G. Peeling químico. Rio de Janeiro: Elsevier, cap. 2, p.11-15

17 Ativos contra-indicados para peles negras Tratamentos Autores Ação Ativos contra indicados Hiper pigmentação pós inflamatória Britz e Kede, 2004 Peeling profundos AC retinóico Peróxido de Benzoila Corticóide intralesionais Peeling AC.Tricloroacético e fenol Kátia Neves, 2008 Rosorcinol Descamação e aspecto acinzentado na pele Steiner, 1996 Produtos para maquiagem Dióxido de titânio Queloides Britz e Kede, 2004 Hiper produção de colágeno Centella Asiática Quadro 1- Ativos contra-indicados para peles negras Fonte: Elaborado pe

18 Sugestões de ativos para peles negras TRATAMENTOS AUTORES AÇÃO ATIVO INDICADO Acne Vulgar Pharma especial Renovador celular, reduz a formação de comedões Brenner,2004 Adstringente, bactericida, fungicida Gluconolactona Extrato de hamamelis Salvia óleo de melaleuca Yard Tse, 2008 Renovador celular Peeling de acido glicólico Acido salicílico Kátia Neves Esfoliante, cicatrizante e hidratante. Acido Lactobionico Cosmectis toiletries Clareador e anti radicais livres Fosfato de ascorbil magnésio Acido salicílico Acido ascórbico Brenner,2004 Despigmentantes Acido malico Hiper pigmentação pós inflamatória Yard Tse, 2008 Cherrie Grimes, 2008 Despigmentantes Ac. Glicólico Ac. Láctico Ac. Salicilico AHA Beta Hidroxiacidos Tretinoina tópica Quadro 2: Ativos indicados para peles negras Fonte: Elaborado pelas autoras

19 Sugestões de ativo indicados para pele negra Tratamentos Autores Ação Ativo indicado Hiper pigmentação pós inflamatória Kátia Neves, 2008 Age na melanogenese degradando a melanina Alphawhite complex Fluido HPG Descamação e aspecto acinzentado da pele Brenner, 2004 Hidratação e renovador celular Cerâmicas PCA-NA Vit. A Ac. Láctico Óleo de germem de trigo Óleo de uva Ac. Glicólico Proteína da soja Steiner, 1996 Reduz a perda de água cutânea Ac. Linoléico Quelóide Pereira,2003 USO EXCLUSIVO MÉDICO. Inibição da quimiotaxia dos fibroblastos. Redução do colágeno. Cepalin Heperina Alantoina Quadro 3: Ativos indicados para peles negras Fonte: Elaborado pela autoras

TRATAMENTO ESTÉTICO DA PELE NEGRA. Prof. Esp. Maria Goreti de Vasconcelos

TRATAMENTO ESTÉTICO DA PELE NEGRA. Prof. Esp. Maria Goreti de Vasconcelos TRATAMENTO ESTÉTICO DA PELE NEGRA Prof. Esp. Maria Goreti de Vasconcelos A etnia confere características herdadas que devem ser valorizadas na indicação de procedimentos e tratamentos e na avaliação de

Leia mais

A Moda do Bronzeado... Entre as duas grandes Guerras inicia-se a liberação feminina. Coco Chanel lança a moda do bronzeado.

A Moda do Bronzeado... Entre as duas grandes Guerras inicia-se a liberação feminina. Coco Chanel lança a moda do bronzeado. Histórico A Moda do Bronzeado... Entre as duas grandes Guerras inicia-se a liberação feminina. Coco Chanel lança a moda do bronzeado. A pele bronzeada tornou-se moda, sinal de status e saúde. Histórico

Leia mais

Despigmentantes ou agentes clareadores:

Despigmentantes ou agentes clareadores: Despigmentantes ou agentes clareadores: Na pele os melanócitos estão presentes na camada basal da epiderme,na junção dermoepiderme e são responsáveis pela produção de melanina. Ocorrem numa taxa de aproximadamente

Leia mais

24/03/2014. Enzimocosmética, peeling químico e despigmentantes: Clareamento de Pele 100% seguro para todos os fototipos

24/03/2014. Enzimocosmética, peeling químico e despigmentantes: Clareamento de Pele 100% seguro para todos os fototipos Enzimocosmética, peeling químico e despigmentantes: Clareamento de Pele 100% seguro para todos os fototipos Marcela Altvater canaldoprofissional@buonavita.com.br ENZIMOCOSMÉTICA NA RENOVAÇÃO CELULAR Para

Leia mais

A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções:

A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções: CUIDADOS COM A PELE A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções: Regular a temperatura do nosso corpo; Perceber os estímulos dolorosos e agradáveis; Impedir a entrada

Leia mais

A EFETIVIDADE DO PEELING DE ÁCIDO MANDÉLICO NO TRATAMENTO DA ACNE VULGAR

A EFETIVIDADE DO PEELING DE ÁCIDO MANDÉLICO NO TRATAMENTO DA ACNE VULGAR A EFETIVIDADE DO PEELING DE ÁCIDO MANDÉLICO NO TRATAMENTO DA ACNE VULGAR INTRODUÇÃO Zeferina Alexandra Trizotti da Silva Talita de Oliveira da Silva A acne é uma das alterações cutâneas mais comuns, sua

Leia mais

Especial Melanodermias Diversidade de ativos seguros e completos que tratam as hipercromias faciais nos mais diversos estágios

Especial Melanodermias Diversidade de ativos seguros e completos que tratam as hipercromias faciais nos mais diversos estágios Especial Melanodermias Diversidade de ativos seguros e completos que tratam as hipercromias faciais nos mais diversos estágios Bioafinidade dermo epidérmica para o Clareamento & Controle da pele hiperpigmentada.

Leia mais

ANATOMIA HUMANA II. Roteiro Sistema tegumentar. Enfermagem SISTEMA TEGUMENTAR. Prof. Me. Fabio Milioni. Conceito Estruturas. Pele Anexos.

ANATOMIA HUMANA II. Roteiro Sistema tegumentar. Enfermagem SISTEMA TEGUMENTAR. Prof. Me. Fabio Milioni. Conceito Estruturas. Pele Anexos. ANATOMIA HUMANA II Enfermagem SISTEMA TEGUMENTAR Prof. Me. Fabio Milioni Roteiro Sistema tegumentar Conceito Estruturas Pele Anexos Funções 1 CONCEITO Estudo Microscópico Maior orgão do corpo humano Proporciona

Leia mais

A verdade Sobre os Cosméticos e suas Ações Sobre a Pele

A verdade Sobre os Cosméticos e suas Ações Sobre a Pele Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira A verdade Sobre os Cosméticos e suas Ações Sobre a Pele A cosmetologia atualmente vem ganhando notoriedade,

Leia mais

PREVENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO E ATENUAÇÃO DE LINHAS DE EXPRESSÃO PELO AUMENTO DA SÍNTESE DE COLÁGENO RESUMO

PREVENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO E ATENUAÇÃO DE LINHAS DE EXPRESSÃO PELO AUMENTO DA SÍNTESE DE COLÁGENO RESUMO PREVENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO E ATENUAÇÃO DE LINHAS DE EXPRESSÃO PELO AUMENTO DA SÍNTESE DE COLÁGENO MACIEL, D. 1 ; OLIVEIRA, G.G. 2. 1. Acadêmica do 3ºano do Curso Superior Tecnólogo em Estética

Leia mais

A acne é uma complicação da pele oleosa que afeta os folículos pilo sebáceos e os fatores envolvidos no aparecimento e na evolução são:

A acne é uma complicação da pele oleosa que afeta os folículos pilo sebáceos e os fatores envolvidos no aparecimento e na evolução são: Acne Segundo dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), em 2009, acne é o problema dermatológico mais comum na população brasileira, afetando 56,4% das pessoas, além de ser o motivo

Leia mais

PEELING ORAL FOTOENVELHECIMENTO DA PELE EFÉLIDES HIPERCROMIAS 13/3/2014. Cloasma ou Melasma. Efélides ou Sardas

PEELING ORAL FOTOENVELHECIMENTO DA PELE EFÉLIDES HIPERCROMIAS 13/3/2014. Cloasma ou Melasma. Efélides ou Sardas FOTOENVELHECIMENTO DA PELE Mudanças do fotoenvelhecimento da pele incluem pigmentação irregular, rugas e perda de elasticidade. (Rendon et al., 2010) Profª Luisa Amábile Wolpe Simas DISCROMIAS HIPERCROMIAS

Leia mais

1. Ato de esfoliar ou descamar a pele. 2. Denominada esfoliação ou peeling. 3. Técnica utilizada em adição à limpeza da pele.

1. Ato de esfoliar ou descamar a pele. 2. Denominada esfoliação ou peeling. 3. Técnica utilizada em adição à limpeza da pele. 1. Ato de esfoliar ou descamar a pele. 2. Denominada esfoliação ou peeling. 3. Técnica utilizada em adição à limpeza da pele. 4. São preparações cosméticas que aceleram a descamação natural dos corneócitos

Leia mais

Uso do ácido glicólico em produtos cosméticos para tratamento tópico da acne

Uso do ácido glicólico em produtos cosméticos para tratamento tópico da acne Uso do ácido glicólico em produtos cosméticos para tratamento tópico da acne 1 Ana Paula Wippel - Acadêmica do Curso de Tecnologia em Cosmetologia e Estética, da Universidade do Vale do Itajaí, Balneário

Leia mais

ESTE MATERIAL FAZ PARTE DO CURSO 2 em 1: Despigmentantes: Conhecimento, Automedicação Responsável e Visita ao Médico

ESTE MATERIAL FAZ PARTE DO CURSO 2 em 1: Despigmentantes: Conhecimento, Automedicação Responsável e Visita ao Médico ESTE MATERIAL FAZ PARTE DO CURSO 2 em 1: Despigmentantes: Conhecimento, Automedicação Responsável e Visita ao Médico FICHA RESUMO Hiperpigmentação da Pele Condições-chave Hiperpigmentação da pele: Excesso

Leia mais

PREVENÇÃO DA FORMAÇÃO DE ESTRIAS

PREVENÇÃO DA FORMAÇÃO DE ESTRIAS PREVENÇÃO DA FORMAÇÃO DE ESTRIAS Existem fatores extrínsecos e intrínsecos que predispõem a ocorrência das estrias. O principal fator extrínseco é o trauma mecânico ( estresse mecânico), porém, ainda mais

Leia mais

MENOPAUSA E PELE. Dra Cintia Lima Procopio

MENOPAUSA E PELE. Dra Cintia Lima Procopio MENOPAUSA E PELE Dra Cintia Lima Procopio Graduação em Medicina pela Universidade de Cuiabá- UNIC. Pós-graduação em Dermatologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro- UFRJ Titulo de Especialista

Leia mais

THALITAN Bronzeado mais rápido, seguro e duradouro.

THALITAN Bronzeado mais rápido, seguro e duradouro. THALITAN Bronzeado mais rápido, seguro e duradouro. Thalitan é um complexo formado por um oligossacarídeo marinho quelado a moléculas de magnésio e manganês. Esse oligossacarídeo é obtido a partir da despolimerização

Leia mais

38 Por que o sol queima a nossa pele?

38 Por que o sol queima a nossa pele? A U A UL LA Por que o sol queima a nossa pele? Férias, verão e muito sol... Vamos à praia! Não importa se vai haver congestionamento nas estradas, muita gente na areia, nem mesmo se está faltando água

Leia mais

Despigmentantes: Informação e aconselhamento para uma correcta utilização

Despigmentantes: Informação e aconselhamento para uma correcta utilização Despigmentantes: Informação e aconselhamento para uma correcta utilização Pele e suas Funções A pele é um órgão multifuncional, complexo, resistente e flexível, que reveste o corpo e o protege contra as

Leia mais

Peptídeo DESPIGMENTANTE com ação anti-mitf (MECANISMO INOVADOR)

Peptídeo DESPIGMENTANTE com ação anti-mitf (MECANISMO INOVADOR) TGP-2 PEPTÍDEO Oligopeptídeo 34 Peptídeo DESPIGMENTANTE com ação anti-mitf (MECANISMO INOVADOR) Comprovadamente ANTINFLAMATÓRIO: incidência de manchas decorrentes de processos inflamatórios; RETARDA O

Leia mais

D E R M A T I T E S HISTÓRIA

D E R M A T I T E S HISTÓRIA D E R M A T I T E S As dermatoses ocupacionais, conhecidas como dermatites de contato, manifestam-se através de alterações da pele e decorrem direta ou indiretamente de certas atividades profissionais.

Leia mais

Gomagem e Esfoliação. Métodos e Técnicas Aplicadas à Estética Corporal I Profª. Mayara L. Vareschi

Gomagem e Esfoliação. Métodos e Técnicas Aplicadas à Estética Corporal I Profª. Mayara L. Vareschi Gomagem e Esfoliação Métodos e Técnicas Aplicadas à Estética Corporal I Profª. Mayara L. Vareschi Membrana que recobre toda a superfície corpórea Maior órgão do corpo humano (2m² e 4kg) Resistente e flexível

Leia mais

- CURSO DE MAQUIAGEM -

- CURSO DE MAQUIAGEM - - CURSO DE MAQUIAGEM - Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos autorais. (Lei nº 9.610). A PELE CONHECENDO

Leia mais

Peelings cosméticos Nova abordagem conceitual e técnica

Peelings cosméticos Nova abordagem conceitual e técnica Peelings cosméticos Nova abordagem conceitual e técnica Prof. Paschoal Rossetti Filho Março/2012 Fatores que influenciam na profundidade e conseqüente a classificação do peeling: 1. Escolha do agente queratolítico

Leia mais

Acnase Creme Enxofre 2% Peróxido de Benzoíla 5%

Acnase Creme Enxofre 2% Peróxido de Benzoíla 5% Acnase Creme Enxofre 2% Peróxido de Benzoíla 5% Creme: apresentado em bisnagas com 25 g. USO TÓPICO. USO ADULTO E EM PACIENTES ACIMA DE 12 ANOS. Cada g de creme contém: Peróxido de Benzoíla... 50 mg Enxofre...

Leia mais

PROTOCOLOS. O poder dos ácidos no tratamento intenso de recuperação da pele MATERIAL EXCLUSIVO PARA PROFISSIONAIS

PROTOCOLOS. O poder dos ácidos no tratamento intenso de recuperação da pele MATERIAL EXCLUSIVO PARA PROFISSIONAIS S O poder dos ácidos no tratamento intenso de recuperação da pele MATERIAL EXCLUSIVO PARA PROFISSIONAIS SUPORTE AO PROFISSIONAL Um canal exclusivo para você Com o objetivo de reforçar o trabalho do profissional

Leia mais

TECNOLOGIA FARMACÊUTICA E DE COSMÉTICOS -ACNE TRATAMENTOS - 12/05/2015. Manifestações clínicas. Geral:

TECNOLOGIA FARMACÊUTICA E DE COSMÉTICOS -ACNE TRATAMENTOS - 12/05/2015. Manifestações clínicas. Geral: Geral: TECNOLOGIA FARMACÊUTICA E DE COSMÉTICOS -ACNE TRATAMENTOS - Profa. Ms. Priscila Torres ACNE: síndrome cutânea exteriorizada clinicamente por elementos eruptivos, onde podem estar presente comedões,

Leia mais

LUZ INTENSA PULSADA FOTOREJUVENESCIMENTO. Princípios Básicos - P arte II. Dra Dolores Gonzalez Fabra

LUZ INTENSA PULSADA FOTOREJUVENESCIMENTO. Princípios Básicos - P arte II. Dra Dolores Gonzalez Fabra LUZ INTENSA PULSADA Princípios Básicos - P arte II FOTOREJUVENESCIMENTO Dra Dolores Gonzalez Fabra O Que é Fotorejuvescimento? Procedimento não ablativo e não invasivo. Trata simultaneamente hiperpigmentações,

Leia mais

NANOMATERNITY QUAIS SÃO OS ATIVOS?

NANOMATERNITY QUAIS SÃO OS ATIVOS? NANOMATERNITY QUAIS SÃO OS ATIVOS? Ø Nanomaternity care Óleo de Amêndoas Doce Óleo de Semente de Uva Óleo de Linhaça Vitamina E Ø Colágeno Hidrolisado Ø Plantec Olive Active Ø Óleo de Rosa Mosqueta Ø Manteiga

Leia mais

Acne. Como Podemos Tratar em Parceria

Acne. Como Podemos Tratar em Parceria Acne Como Podemos Tratar em Parceria Ademir Júnior - Médico Fabiana Padovez Esteticista Espaço de Medicina e Saúde Dr Ademir Júnior Universidade Anhembi Morumbi Acne Nome popular: Cravos e Espinhas Doença

Leia mais

REVISAGE 3D Dr. Milton Beltrão Jr. Consultor Facial - Onodera

REVISAGE 3D Dr. Milton Beltrão Jr. Consultor Facial - Onodera REVISAGE 3D Dr. Milton Beltrão Jr. Consultor Facial - Onodera Revisage3D Você verá nesta aula: Definição Envelhecimento; Sistema Tegumentar; Alterações Envelhecimento; Revisage 3D; Indicações e Contra-Indicações;

Leia mais

Métodos e Técnicas Aplicadas à Estética Facial Prof a. Bianca. Lesões elementares

Métodos e Técnicas Aplicadas à Estética Facial Prof a. Bianca. Lesões elementares Lesões elementares Modificações da pele determinadas por processos inflamatórios, circulatórios, metabólicos, degenerativos, tumorais, defeitos de formação. Lesões Elementares Lesões Primárias Alteração

Leia mais

Anatomia da pele. Prof. Dr. Marcos Roberto de Oliveira. marcos.oliveira@fadergs.edu.br

Anatomia da pele. Prof. Dr. Marcos Roberto de Oliveira. marcos.oliveira@fadergs.edu.br Anatomia da pele Prof. Dr. Marcos Roberto de Oliveira marcos.oliveira@fadergs.edu.br SISTEMA TEGUMENTAR: PELE E FÁSCIA Funções: proteção regulação térmica sensibilidade Sua espessura varia de 0.5mm nas

Leia mais

Peeling Diamante. Auxiliando no rejuvenescimento e na limpeza de pele

Peeling Diamante. Auxiliando no rejuvenescimento e na limpeza de pele Auxiliando no rejuvenescimento e na limpeza de pele Promove o rejuvenescimento da pele Atenua rugas e linhas finas Eficaz no tratamento de estrias Altamente indicado no tratamento de cicatrizes de acne

Leia mais

A SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) constatou por meio de uma pesquisa realizada em 2011 que 59,85% dos entrevistados se expõe à luz solar

A SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) constatou por meio de uma pesquisa realizada em 2011 que 59,85% dos entrevistados se expõe à luz solar A SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) constatou por meio de uma pesquisa realizada em 2011 que 59,85% dos entrevistados se expõe à luz solar sem qualquer proteção, enquanto apenas 34,31% usam protetor

Leia mais

Ácido Retinóico (Tretinoina)

Ácido Retinóico (Tretinoina) Material Técnico Ácido Retinóico (Tretinoina) Identificação Fórmula Molecular: C 20 H 28 O 2 Peso molecular: 300,4 DCB / DCI: 08848 Tretinoina CAS: 302-79-4 INCI: Não aplicável Denominação botânica: Não

Leia mais

2- Causas A Acne é causada por alteração em 4 fatores principais

2- Causas A Acne é causada por alteração em 4 fatores principais ACNE Autor: Prof. Dr. Miguel Francischelli Neto Mestre e Doutor em Cirurgia Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas Professor do Curso de Pós-Graduação em Medicina Estética da Universidade

Leia mais

Betacariofileno: é um germicida natural obtido do óleo essencial da Copaifera officinalis, sendo excelente para prevenção de infecções e inflamações.

Betacariofileno: é um germicida natural obtido do óleo essencial da Copaifera officinalis, sendo excelente para prevenção de infecções e inflamações. TRIPLE A SYSTEM TRIPLO NO COMBATE CONTRA A ACNE Redução de 30% dos comedões e de 65% da oleosidade Aprovado por mais de 85% dos pacientes TRIPLE A SYSTEM é um sistema triplo no combate à acne, formado

Leia mais

Campanha de prevenção do cancro da pele

Campanha de prevenção do cancro da pele Campanha de prevenção do cancro da pele Use o protetor solar adequado. Proteja-se com chapéu e óculos de sol. Evite a exposição solar entre as 11:00 e as 17:00. www.cm-loures.pt facebook.com/municipiodeloures

Leia mais

APLICAÇÃO DO ULTRASSOM NA ESTÉTICA CORPORAL NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE (FEG).

APLICAÇÃO DO ULTRASSOM NA ESTÉTICA CORPORAL NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE (FEG). APLICAÇÃO DO ULTRASSOM NA ESTÉTICA CORPORAL NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE (FEG). Cintia Tosoni Leonardo Ribeiro (*) Monia Luci Pawlowski (*) Tatiane Costa de Sousa (*) (*) Acadêmicas do CST em Estética

Leia mais

Sistema de Cuidados com a Pele com Tendência a Acne Mary Kay

Sistema de Cuidados com a Pele com Tendência a Acne Mary Kay Sistema de Cuidados com a Pele com Tendência a Acne Mary Kay O que é Acne? Acne é uma condição da pele que ocorre quando os pelos ficam obstruídos por sebo e células mortas, ficando colonizados por bactérias

Leia mais

Hydrasalinol Anti-aging com fator 60 de hidratação

Hydrasalinol Anti-aging com fator 60 de hidratação Hydrasalinol Anti-aging com fator 60 de hidratação Reestruturação Biológica para até 6000% + Hidratação Cutânea e Redução de Linhas e Rugas AQP8 a Serviço da Beleza: Síntese de Uréia Epidermal Codif Recherche

Leia mais

AQUAPORINAs - 3 ª GERAÇÃO DE HIDRATANTES. LLepiscopo

AQUAPORINAs - 3 ª GERAÇÃO DE HIDRATANTES. LLepiscopo AQUAPORINAs - 3 ª GERAÇÃO DE HIDRATANTES ÁGUA: ORIGEM DA VIDA A vida se iniciou nos oceanos, onde se originaram os primeiros espécimes Necessária a todos os organismos; Fonte renovável, porém preciosa.

Leia mais

Um novo conceito em peeling sequencial. Prof.Ms.Edivana Poltronieri Fisioterapeuta Dermato-Funcional e Esteticista

Um novo conceito em peeling sequencial. Prof.Ms.Edivana Poltronieri Fisioterapeuta Dermato-Funcional e Esteticista Um novo conceito em peeling sequencial Prof.Ms.Edivana Poltronieri Fisioterapeuta Dermato-Funcional e Esteticista O QUE É O PEELING 3D? Método diferenciado e patenteado de peeling superficial sequencial

Leia mais

Sistema Tegumentar. Arquitetura do Tegumento. Funções do Sistema Tegumentar Proteção 09/03/2015

Sistema Tegumentar. Arquitetura do Tegumento. Funções do Sistema Tegumentar Proteção 09/03/2015 Sistema Tegumentar Sistema Tegumentar É constituído pela pele, tela subcutânea e seus anexos cutâneos Recobre quase toda superfície do corpo Profa Elaine C. S. Ovalle Arquitetura do Tegumento Funções do

Leia mais

Tratamentos Pós-Escleroterapia. Guia de Formulações para Hipercromia Pós-Inflamatória e Por Deposição de Hemossiderina

Tratamentos Pós-Escleroterapia. Guia de Formulações para Hipercromia Pós-Inflamatória e Por Deposição de Hemossiderina Tratamentos Guia de Formulações para Hipercromia Pós-Inflamatória e Por Deposição de Hemossiderina Escleroterapia na Cirurgia Vascular e Dermatologia Overview, Complicações da Escleroterapia, Hiperpigmentação

Leia mais

Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos

Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos Os cuidados com a aparência física e a busca incessante pelo ideal de beleza levam as pessoas a se submeterem aos mais variados tratamentos estéticos

Leia mais

A Utilização da Vitamina C e do Peeling de Diamante no Tratamento do Melasma Facial: um estudo comparativo

A Utilização da Vitamina C e do Peeling de Diamante no Tratamento do Melasma Facial: um estudo comparativo A Utilização da Vitamina C e do Peeling de Diamante no Tratamento do Melasma Facial: um estudo comparativo The Use of Vitamin C and Peeling Diamond in the Treatment of Facial Melasma: a comparative study

Leia mais

Câncer de Pele. Os sinais de aviso de Câncer de Pele. Lesões pré câncerigenas. Melanoma. Melanoma. Carcinoma Basocelular. PEC SOGAB Júlia Käfer

Câncer de Pele. Os sinais de aviso de Câncer de Pele. Lesões pré câncerigenas. Melanoma. Melanoma. Carcinoma Basocelular. PEC SOGAB Júlia Käfer Lesões pré câncerigenas Os sinais de aviso de Câncer de Pele Câncer de Pele PEC SOGAB Júlia Käfer Lesões pré-cancerosas, incluindo melanoma, carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular. Estas lesões

Leia mais

RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA E CÂNCER DE PELE

RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA E CÂNCER DE PELE UNIFESP UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIRURGIA PLÁSTICA REPARADORA Coordenadora e Professora Titular: Profa.Dra.Lydia Masako Ferreira RADIAÇÃO

Leia mais

AA 2-G (Vitamina C estabilizada)

AA 2-G (Vitamina C estabilizada) AA 2-G (Vitamina C estabilizada) INCI NAME: Ácido ascórbico-2-glicosilado CAS Number: 129499-78-1 Descrição: O AA2G (Ácido Ascórbico 2-Glicosídeo) é a vitamina C (ácido ascórbico) estabilizada com glicose.

Leia mais

O que é Depilação com Laser?

O que é Depilação com Laser? O que é Depilação com Laser? Autor Prof. Dr. Miguel Francischelli Neto Clínica Naturale Av. Moema, 87 cj 51-52, Moema, São Paulo - SP, Brasil Fone 11 50511075 Clínica Naturale 2008 Pêlos indesejáveis são

Leia mais

Tralen 1% tioconazol. Tralen 1% pó dermatológico em embalagem contendo 1 frasco plástico com 30 gramas.

Tralen 1% tioconazol. Tralen 1% pó dermatológico em embalagem contendo 1 frasco plástico com 30 gramas. Tralen 1% tioconazol I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Tralen Nome genérico: tioconazol APRESENTAÇÕES Tralen 1% pó dermatológico em embalagem contendo 1 frasco plástico com 30 gramas. VIA

Leia mais

ACADEMIA DE PRODUTOS. Linha Even Complexion

ACADEMIA DE PRODUTOS. Linha Even Complexion ACADEMIA DE PRODUTOS Linha Even Complexion Tipos de Manchas É definida pelo agente produtor daquela mancha: 1. Melasma O melasma é o tipo mais comum de mancha na pele, manifestando-se como pequenas manchas

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO HISTOLOGIA

TECIDO CONJUNTIVO HISTOLOGIA TECIDO CONJUNTIVO HISTOLOGIA CARACTERÍSTICAS GERAIS: - Unem e sustentam outros tecidos - Não apresentam células justapostas - Possuem vários tipos de células - Possuem matriz intercelular material gelatinoso

Leia mais

FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: - Vitacid Gel Gel 0,025% e Creme dermatológico 0,05%.Gel e Creme: bisnaga com 25g.

FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: - Vitacid Gel Gel 0,025% e Creme dermatológico 0,05%.Gel e Creme: bisnaga com 25g. Vitacid Gel tretinoína CREME 0,05% GEL 0,025% Uso adulto Uso externo FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: - Vitacid Gel Gel 0,025% e Creme dermatológico 0,05%.Gel e Creme: bisnaga com 25g. COMPOSIÇÃO:

Leia mais

Semissólidos ERIKA LIZ

Semissólidos ERIKA LIZ Semissólidos ERIKA LIZ Ação As preparações são aplicadas à pele por seus efeitos físicos, ou seja, sua capacidade de agir como protetores, lubrificantes, emolientes, secantes, ou devido ao efeito específico

Leia mais

TREINAMENTO TÉCNICO PONTEIRAS DIAMANTADAS

TREINAMENTO TÉCNICO PONTEIRAS DIAMANTADAS TREINAMENTO TÉCNICO PONTEIRAS DIAMANTADAS BIOSET Indústria de Tecnologia Eletrônica Ltda. EPP Av. 55, 1212 -Jardim Kennedy - Rio Claro SP - CEP 13501-540 SAC: (19) 3534-3693 www.bioset.com.br CNPJ: 68.099.431/0001-90

Leia mais

TRINULOX. hidroquinona, tretinoína e fluocinolona acetonida EMS S/A. Creme dermatológico. 40 mg/g + 0,5 mg/g + 0,1 mg/g

TRINULOX. hidroquinona, tretinoína e fluocinolona acetonida EMS S/A. Creme dermatológico. 40 mg/g + 0,5 mg/g + 0,1 mg/g TRINULOX hidroquinona, tretinoína e fluocinolona acetonida EMS S/A. Creme dermatológico 40 mg/g + 0,5 mg/g + 0,1 mg/g TRINULOX hidroquinona, tretinoína e fluocinolona acetonida APRESENTAÇÕES Creme para

Leia mais

Antes de falar sobre protetor solar vamos falar um pouco sobre a Radiação Solar.

Antes de falar sobre protetor solar vamos falar um pouco sobre a Radiação Solar. Proteção Solar PERFECT*SUN Antes de falar sobre protetor solar vamos falar um pouco sobre a Radiação Solar. A Radiação Solar é composta por diversos raios, com diferentes comprimentos de onda, conforme

Leia mais

Clarifique Dermo Radiance

Clarifique Dermo Radiance Clareia e uniformiza o tom da pele Minimiza manchas Ilumina o rosto Protege Hidrata e nutre Treinamento Clareamento 100% seguro Resultados comprovados em 14 dias Clarifique Dermo Radiance é pura paixão

Leia mais

Nicotinamida. Identificação

Nicotinamida. Identificação Material Técnico Nicotinamida Identificação Fórmula Molecular: C 6 H 6 N 2 O Peso molecular: 122.1 DCB / DCI: 06346 - nicotinamida CAS: 98-92-0 INCI: Não aplicável Denominação botânica: Não aplicável Sinonímia:

Leia mais

Clindoxyl Control peróxido de benzoíla

Clindoxyl Control peróxido de benzoíla Clindoxyl Control peróxido de benzoíla APRESENTAÇÕES Gel 50 mg/g (5%) ou 100 mg/g (10%) em bisnaga de 45g USO EXTERNO VIA TÓPICA USO ADULTO E PACIENTES ACIMA DE 12 ANOS COMPOSIÇÃO Clindoxyl Control 5%

Leia mais

ENVELHECIMENTO CUTÂNEO E RUGAS

ENVELHECIMENTO CUTÂNEO E RUGAS ENVELHECIMENTO CUTÂNEO E RUGAS BIOTIPOS CUTÂNEOS Pele normal Pele lisa, fina, firme, sólida; Há um equilíbrio das secreções sebáceas e sudoríparas; Elástica e flexível; Ausência visível de lesões ou desconforto.

Leia mais

A indústria cosmética e a medicina contam com as mais diversas fórmulas para combater o envelhecimento e os sinais faciais presentes com a idade.

A indústria cosmética e a medicina contam com as mais diversas fórmulas para combater o envelhecimento e os sinais faciais presentes com a idade. A indústria cosmética e a medicina contam com as mais diversas fórmulas para combater o envelhecimento e os sinais faciais presentes com a idade. Cremes, loções, preenchimento, peelings, máscaras e lasers

Leia mais

Tralen 28% tioconazol. Tralen 28% solução para unhas em embalagem contendo 1 frasco com 12 ml.

Tralen 28% tioconazol. Tralen 28% solução para unhas em embalagem contendo 1 frasco com 12 ml. Tralen 28% tioconazol I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Tralen Nome genérico: tioconazol APRESENTAÇÕES Tralen 28% solução para unhas em embalagem contendo 1 frasco com 12 ml. VIA DE ADMINISTRAÇÃO:

Leia mais

Acnase Avert Laboratórios Ltda. Creme Dermatológico. Enxofre + Peróxido de benzoíla. 20mg/g + 50 mg/g

Acnase Avert Laboratórios Ltda. Creme Dermatológico. Enxofre + Peróxido de benzoíla. 20mg/g + 50 mg/g Acnase Ltda. Creme Dermatológico Enxofre + Peróxido de benzoíla 20mg/g + 50 mg/g IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Acnase enxofre peróxido de benzoíla APRESENTAÇÕES: Creme dermatológico com 20 mg/g de enxofre

Leia mais

COLÉGIO TÉCNICO SÃO BENTO

COLÉGIO TÉCNICO SÃO BENTO Manchas e Patologias da Pele O espectro das lesões melanócitas vai de suma simples mancha tipo as sardas, nevos atípicos, que podem ser precursores do melanoma. Os cuidados tomados com qualquer tipo de

Leia mais

Os cuidados com. A sua pele

Os cuidados com. A sua pele Os cuidados com A sua pele Supervisão editorial: Dr. Gilberto Ururahy UNIDADE BOTAFOGO Rua Lauro Müller, 116-34º Andar Torre Rio Sul CEP 22290-160 Botafogo Rio de Janeiro RJ Tel.: (21) 2546.3000 UNIDADE

Leia mais

HYDROPOM Licopeno Bioliquefeito

HYDROPOM Licopeno Bioliquefeito HYDROPOM Licopeno Bioliquefeito INCI: hydrolyzed Tomato Skin Contém: Polifenóis Açúcares Naturais Licopeno Aquoso Microdispersível 1. Introdução HYDROPOM é o primeiro produto aquoso que contém licopeno

Leia mais

Tratamentos de Rosto 1. Limpeza de Pele 1 Benefícios: Duração: Preço: 2. Limpeza de Pele 2 Duração: Preço:

Tratamentos de Rosto 1. Limpeza de Pele 1 Benefícios: Duração: Preço: 2. Limpeza de Pele 2 Duração: Preço: Tratamentos de Rosto 1. Limpeza de Pele para rosto e pescoço com extracção manual de impurezas com vapor. 2. Limpeza de Pele para rosto e pescoço com aplicação de mousse. 3. Limpeza de Pele com peeling

Leia mais

Fibro Edema Gelóide. Tecido Tegumentar. Epiderme. Epiderme. Fisiopatologia do FibroEdema Gelóide

Fibro Edema Gelóide. Tecido Tegumentar. Epiderme. Epiderme. Fisiopatologia do FibroEdema Gelóide Lipodistrofia Ginóide Estria Discromia Distúrbios inestéticos O termo "celulite" foi primeiro usado na década de 1920, para descrever uma alteração estética da superfície cutânea (ROSSI & VERGNANINI, 2000)

Leia mais

Conceito InflammAging

Conceito InflammAging Conceito InflammAging Em cosméticos, inflamação e envelhecimento normalmente são tratados separadamente. Pesquisas recentes tem mostrado que o envelhecer está acompanhado por um pequeno grau de inflamação

Leia mais

Azeloglicina. Clareador, sebonormalizante, antiacnéico e hidratante. INCI Name: potassium azeloyl diglycinate.

Azeloglicina. Clareador, sebonormalizante, antiacnéico e hidratante. INCI Name: potassium azeloyl diglycinate. Azeloglicina Clareador, sebonormalizante, antiacnéico e hidratante INCI Name: potassium azeloyl diglycinate. Azeloglicina é o diglicinato de azeloil potássio, um ativo dermocosmético derivado da condensação

Leia mais

APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA

APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA Questões associadas à aplicação dos lasers na Medicina Princípios Físicos e aspectos técnicos do equipamento Interacção da luz laser com os tecidos: fotocoagulação, fotovaporização,

Leia mais

Tratamento cosmetológico da pele

Tratamento cosmetológico da pele A pele Considerada o maior órgão do corpo humano, constituindo 16% do peso corporal. Funções de: Revestir as superfícies externas do corpo protegendo contra: Raios UV; Poluição; Mudanças climáticas controle

Leia mais

Nota Técnica 125/2014. Betaterapia para tratamento de queloide

Nota Técnica 125/2014. Betaterapia para tratamento de queloide 05/07/2014 Nota Técnica 125/2014 Betaterapia para tratamento de queloide SOLICITANTE :Dra. Luciene Cristina Marassi Cagnin Juíza de Direito de Itajubá - MG NÚMERO DO PROCESSO: 0324.14.007196-4 SOLICITAÇÃO/

Leia mais

Proteção Solar na Infância. Cláudia Márcia de Resende Silva (1) Luciana Baptista Pereira(1) Bernardo Gontijo(1, 2) Maria Ester Massara Café(1)

Proteção Solar na Infância. Cláudia Márcia de Resende Silva (1) Luciana Baptista Pereira(1) Bernardo Gontijo(1, 2) Maria Ester Massara Café(1) Proteção Solar na Infância Cláudia Márcia de Resende Silva (1) Luciana Baptista Pereira(1) Bernardo Gontijo(1, 2) Maria Ester Massara Café(1) O sol emite um amplo espectro de radiações eletromagnéticas

Leia mais

28-02-2015. Sumário. Atmosfera da Terra. Interação Radiação-Matéria 23/02/2015

28-02-2015. Sumário. Atmosfera da Terra. Interação Radiação-Matéria 23/02/2015 Sumário Na : Radiação, Matéria e Estrutura Unidade temática 2. O ozono como filtro protetor da Terra. Formação e decomposição do ozono na atmosfera. Filtros solares. Alternativas aos CFC. Como se mede

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO DIRETORIA DE ENFERMAGEM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO DIRETORIA DE ENFERMAGEM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO DIRETORIA DE ENFERMAGEM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM MINICURSO: Assistência de enfermagem ao cliente com feridas Ferida cirúrgica 1º Semestre de 2013 Instrutora:

Leia mais

Dica: O visitador pode acompanhar a manipulação dos produtos, bem como sua aditivação com os ativos para melhor entendimento desta forma cosmética.

Dica: O visitador pode acompanhar a manipulação dos produtos, bem como sua aditivação com os ativos para melhor entendimento desta forma cosmética. Acne e Hidratação. Objetivo da Escolha do Tema A hidratação da pele é de fundamental importância para a manutenção dos mecanismos fisiológicos e bioquímicos da pele como os mecanismos celulares de proteção

Leia mais

COLÉGIO JARDINS. Aluno: Data: / / SÉRIE: 1º A( ) B( ) Profº Marcos Andrade

COLÉGIO JARDINS. Aluno: Data: / / SÉRIE: 1º A( ) B( ) Profº Marcos Andrade COLÉGIO JARDINS Aluno: Data: / / SÉRIE: 1º A( ) B( ) Profº Marcos Andrade TECIDO CONJUNTIVO I São aqueles que atuam nas funções de preenchimento de espaços entre órgãos, sustentação, defesa e nutrição.

Leia mais

CÂNCER DA PELE PATROCÍNIO

CÂNCER DA PELE PATROCÍNIO Luizinho e Chiquinho CÂNCER DA PELE PATROCÍNIO SBD: DERMATOLOGISTA COM TÍTULO DE ESPECIALISTA CUIDANDO DE VOCÊ. Luizinho/Chiquinho e o câncer da pele Oi Luiz. NOssO país é privilegiado, pois temos sol

Leia mais

-10/11/2009. Nosso cartão de visita A PELE. Epiderme. Derme. Hipoderme

-10/11/2009. Nosso cartão de visita A PELE. Epiderme. Derme. Hipoderme ROSTO Nosso cartão de visita A PELE Epiderme Derme Hipoderme -1 Sem vascularização EPIDERME Várias camadas (última: morta) Renova: 14-30 dias DERME Elasticidade, resistência, flexibilidade e hidratação

Leia mais

Reparo, formação de cicatriz e fibrose. Prof. Thais Almeida

Reparo, formação de cicatriz e fibrose. Prof. Thais Almeida Reparo, formação de cicatriz e fibrose Prof. Thais Almeida Reparo Definição: Restituição incompleta do tecido lesado, com substituição apenas de algumas estruturas perdidas. Quando há acometimento do parênquima

Leia mais

02 ChromabrightTM. Cosmetologia e Doenças de Pele. Índice

02 ChromabrightTM. Cosmetologia e Doenças de Pele. Índice Cosmetologia e Doenças de Pele Clareamento Cutâneo Eficaz Sem Causar Efeito Citotóxico Ativo Inibidor da Melanogênese de Forma Similar à Hidroquinona e Mais Efetivo que Arbutin, Fosfato de Ascorbil Magnésio

Leia mais

Para o Rejuvenescimento Facial a Clínica Naturale oferece 3 tipos de tratamento :

Para o Rejuvenescimento Facial a Clínica Naturale oferece 3 tipos de tratamento : Tratamento para Rejuvenescimento Facial da Clínica Naturale. Autor: Prof. Dr. Miguel Francischelli Neto Mestre e Doutor em Cirurgia Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas Professor do

Leia mais

Câncer de Pele. Faculdade de Medicina UFC. Catharine Louise Melo Araújo

Câncer de Pele. Faculdade de Medicina UFC. Catharine Louise Melo Araújo Câncer de Pele Faculdade de Medicina UFC Catharine Louise Melo Araújo Data: 25/10/2011 Camadas da Pele Câncer de Pele Os carcinomas cutâneos são as neoplasias malignas mais comuns. O principal fator para

Leia mais

Histologia animal. Equipe de Biologia

Histologia animal. Equipe de Biologia Histologia animal Equipe de Biologia Tipos de tecidos animais Tecidos epiteliais Tecidos conjuntivos Tecidos musculares http://www.simbiotica.org/tecidosanimal.htm Tecido nervoso Tecidos epiteliais Apresenta

Leia mais

Níveis de organização do corpo humano - TECIDOS. HISTOLOGIA = estudo dos tecidos

Níveis de organização do corpo humano - TECIDOS. HISTOLOGIA = estudo dos tecidos Níveis de organização do corpo humano - TECIDOS HISTOLOGIA = estudo dos tecidos TECIDOS Grupos de células especializadas, semelhantes ou diferentes entre si, e que desempenham funções específicas. Num

Leia mais

MOLIOR TECNOLOGIA MÉDICA LTDA. Manual do Usuário. Versão 1.0

MOLIOR TECNOLOGIA MÉDICA LTDA. Manual do Usuário. Versão 1.0 MOLIOR TECNOLOGIA MÉDICA LTDA Manual do Usuário Versão 1.0 1 Sumário 1. DIREITOS AUTORAIS... 3 2. INTRODUÇÃO... 4 3. TRATAMENTOS... 5 4. UTILIZAÇÃO... 5 5. ESCOLHA DO TAMANHO IDEAL... 6 6. CUIDADOS APÓS

Leia mais

(SPCFar), referiu que os problemas

(SPCFar), referiu que os problemas Envelhecerem beleza Já diz o velho ditado que «mais vale prevenir do que remediar». A palavra "prevenção" ganha preponderância quando abordamos o tema da pele, aquele que é somente o nosso órgão mais extenso,

Leia mais

Aline das Chagas Diretora de Vendas Independente

Aline das Chagas Diretora de Vendas Independente Aline das Chagas Diretora de Vendas Independente Recentemente notamos no mercado um aumento na procura por produtos com propriedades luminosas. Uma pele radiante é um benefício cada vez mais desejado em

Leia mais

abscessos interconectados e cicatrizes.

abscessos interconectados e cicatrizes. Tabela 1. Tipologia da acne e suas características clinicas TIPO DE ACNE CARACTERÍSTICA Acne Vulgar ou Juvenil Forma mais comum da acne, de elevada prevalência na adolescência (85%) acomete ambos os sexos.

Leia mais

O QUE É REJUVENESCIMENTO A LASER

O QUE É REJUVENESCIMENTO A LASER O QUE É REJUVENESCIMENTO A LASER O TITAN, A LUZ PULSADA e o ND: YAG Clínica Naturale 2008 Autor Prof. Dr. Miguel Francischelli Neto Clínica Naturale Av. Moema, 87 cj 51-52, Moema, São Paulo - SP, Brasil

Leia mais

ARTIGO CIENTÍFICO. Produtos Cosméticos Despigmentantes Nacionais disponíveis no mercado.

ARTIGO CIENTÍFICO. Produtos Cosméticos Despigmentantes Nacionais disponíveis no mercado. ARTIGO CIENTÍFICO Produtos Cosméticos Despigmentantes Nacionais disponíveis no mercado. 1 Ionice Remião Tedesco - Acadêmica do Curso de Tecnologia em Cosmetologia e Estética, da Universidade do Vale do

Leia mais

O que é Radiação Ultravioleta (R-UV)?

O que é Radiação Ultravioleta (R-UV)? O que é Radiação Ultravioleta (R-UV)? A radiação solar mais conhecida é a faixa do visível. No entanto, outras duas faixas muito importantes são as do ultravioleta (UV) e do infravermelho (IV). A faixa

Leia mais

Envelhecimento Cutâneo e Uso de Antioxidantes

Envelhecimento Cutâneo e Uso de Antioxidantes Envelhecimento Cutâneo e Uso de Antioxidantes Nutr. Ana Luísa Kremer Faller Doutora em Ciências Nutricionais - UFRJ Profª Adjunto Departamento de Nutrição e Dietética Instituto de Nutrição Josué de Castro

Leia mais

EPIDUO adapaleno e peróxido de benzoíla GEL. 1,0 mg/g e 25,0 mg/g

EPIDUO adapaleno e peróxido de benzoíla GEL. 1,0 mg/g e 25,0 mg/g EPIDUO adapaleno e peróxido de benzoíla GEL 1,0 mg/g e 25,0 mg/g 1 EPIDUO adapaleno e peróxido de benzoíla APRESENTAÇÕES Gel contendo adapaleno 1mg/g e peróxido de benzoíla 25mg/g. Apresentado em bisnagas

Leia mais