ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS"

Transcrição

1 ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Gestão da Tecnologia da Informação 3ª Série Análise Orientada a Objetos A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo professor, e que tem por objetivos:! Favorecer a autoaprendizagem do aluno.! Estimular a corresponsabilidade do aluno pelo seu aprendizado.! Promover o estudo, a convivência e o trabalho em grupo.! Auxiliar no desenvolvimento das competências requeridas para o exercício profissional.! Promover a aplicação da teoria na solução de situações que simulam a realidade.! Oferecer diferenciados ambientes de aprendizagem Para atingir estes objetivos, a ATPS propõe um desafio e indica os passos a serem percorridos ao longo do semestre para a sua solução. Aproveite esta oportunidade de estudar e aprender com desafios da vida profissional. AUTORIA: Thiago Salhab Alves Faculdade Anhanguera de Santa Bárbara.

2 CST em Gestão da Tecnologia da Informação - 3ª Série - Análise Orientada a Objetos Pág. 2 de 11 COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Ao concluir as etapas propostas neste desafio, você terá desenvolvido as competências e habilidades que constam, nas Diretrizes Curriculares Nacionais, descritas a seguir.! Capacidade para iniciar, projetar, desenvolver, implementar, validar e gerenciar soluções usando a tecnologia de computação em organizações privadas e públicas, aplicando metodologias para análise e desenvolvimento de projetos de sistemas;! Capacidade para levantar dados e empreender uma abordagem sistêmica no trato dos problemas de distribuição da informação;! Competência para identificar, analisar e documentar oportunidades, problemas e necessidades passíveis de solução via computação, e para empreender na concretização desta solução. Participação Esta atividade será, em parte, desenvolvida individualmente pelo aluno e, em parte, pelo grupo. Para tanto, os alunos deverão: organizar-se, previamente, em equipes de 2 a 5 participantes; entregar seus nomes, RAs e s ao professor da disciplina e observar, no decorrer das etapas, as indicações: Individual e Equipe. DESAFIO De acordo com LARMAN (2008), a análise tem por objetivo investigar um determinado problema e seus requisitos. Na Análise Orientada a Objeto a ênfase é encontrar e descrever objetos no domínio do problema. A Análise Orientada a Objetos busca determinar a descrição do domínio a partir da perspectiva dos objetos, identificando conceitos, atributos e associações que são de interesse para o sistema. A Empresa Aérea VOEBEM está encontrando dificuldades para o gerenciamento dos seus passageiros, bagagens e características técnicas de suas aeronaves e necessita de um sistema de gestão que permita controlar a lista de voos diários e de passageiros por vôos, realize a reserva de assentos e liberação para taxiamento das aeronaves, controle de armazenamento das bagagens no compartimento de carga e levantamento das rotas de voos. Neste desafio, a sua equipe deverá realizar contribuir com a empresa VOEBEM, realizando a especificação dos requisitos, análise e projeto de uma solução computacional para solucionar as dificulades enfrentadas. Deve-se adotar a UML (Linguagem de Modelagem Unificada para especificar, construir e documentar os artefatos dos sistemas que deseja automatizar alguns processos adotados pela empresa. Objetivo do desafio Realizar a análise orientada a objetos, especificação dos requisitos e projeto de uma solução computacional para a companhia aérea VOEBEM, permitindo controle de voos e

3 CST em Gestão da Tecnologia da Informação - 3ª Série - Análise Orientada a Objetos Pág. 3 de 11 passageiros, reserva de assentos e liberação para taxiamento de aeronaves, controle de armazenamento das bagagens e levantamento das rotas de voos. Livro Texto da disciplina A produção desta ATPS é fundamentada no livro-texto da disciplina, que deverá ser utilizado para solução do desafio: LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: Uma introdução a análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3ª ed. Porto Alegre: Bookman, ETAPA 1 (tempo para realização: 05 horas)! Aula-tema: Introdução ao Levantamento e Análise de Requisitos Orientados a Objetos; Apresentação da UML. Abordagem resumida dos diagramas UML. Apresentação de Ferramenta para modelagem de dados. Esta atividade é importante para que você conheça e aplique os conceitos de análise de requisitos orientados a objetos para elicitação, análise, especificação e validação dos requisitos para o sistema computacional da empresa VOEBEM. Para realizá-la, devem ser seguidos os passos descritos. PASSOS Passo 1 (Equipe) 1. Fazer a leitura sobre Análise e Projeto Orientado a Objetos; Processos de Desenvolvimento de Software do livro (LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: Uma introdução a análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.) focando a leitura nos conceitos de projeto e análise orientado a objetos, UML e Processos de Desenvolvimento de Software. 2. Fazer o Resumo Análise e Projetos Orientado a Objetos, de pelo menos 1 página, com o conteúdo lido. 3. Fazer a leitura do material de aula: Conceitos Gerais de Engenharia de Software Disponível em: < Acesso em: 23 out Busque compreender os métodos de Engenharia de Software, processos de software e modelos de processo de software. 4. Fazer o Resumo 1.2 Conceitos Gerais de Engenharia de Software, de pelo menos 1 página, com o conteúdo lido. Passo 2 (Equipe) 1. Fazer a leitura sobre Concepção de Requisitos, Elicitação e Tipos de Requisitos do livro (LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: Uma introdução a análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.) focando a leitura em como realizar a concepção de um software, como elicitar requisitos, tipos de requisitos.

4 CST em Gestão da Tecnologia da Informação - 3ª Série - Análise Orientada a Objetos Pág. 4 de Fazer o Resumo 1.3 Concepção, Elicitação e Tipos de Requisitos, de pelo menos 1 página, com o conteúdo lido. 3. Fazer a leitura do material de aula: Engenharia de Requisitos Disponível em: < >. Acesso em: 23 out. 2013, focando a leitura nas práticas de engenharia de requisitos, requisitos funcionais e não funcionais. 4. Fazer o Resumo 1.4 Engenharia de Requisitos, de pelo menos 1 página com o conteúdo lido. Passo 3 (Equipe) Fazer as seguintes atividades com base nos conteúdos lidos: 1. Realizar a Elicitação dos Requisitos para a solução computacional da empresa aérea VOEBEM, considerando nesta etapa a análise de sistemas correlatos existentes, discussão com potenciais usuários e utilizando as técnicas de elicitação aprendidas para auxiliar nesta etapa. Produzir uma listagem informal dos requisitos obtidos. 2. Realizar a Análise dos Requisitos que foram elicitados buscando encontrar possíveis problemas na declaração informal dos requisitos. 3. Realizar a Especificação dos Requisitos, produzindo uma tabela de Requisitos Funcionais e Não Funcionais. Considerar como exemplo para a construção da tabela, os requisitos funcionais e não funcionais apresentados Tabela 1 e 2 abaixo: Tabela 1. Exemplo de Requisitos Funcionais de Sistema de Gestão Médica RF1. O software deve permitir que o Auxiliar de Escritório efetue o cadastro (inclusão, exclusão, alteração) de Fichas Médicas. RF2. O software deve permitir que o Auxiliar de Escritório efetue o bloqueio de uma Ficha Médica que não possa ser mais alterada, apenas consultada. RF3. O software deve garantir que apenas usuários autenticados tenham acesso ao sistema RF3. O software deve permitir que usuários possam recuperar sua senha Tabela 2. Exemplo de Requisitos Não Funcionais de Sistema de Gestão Médica RNF1. As informações devem passar por processo de backup ao menos 1 vez por dia RNF2. O sistema deve ser intuitivo ao ponto de novos usuários serem treinados em no máximo 3 dias. 4. Fazer a validação dos requisitos funcionais e não funcionais especificados e produza a lista de requisitos funcionais e não funcionais acordados. Passo 4 (Equipe) Elaborar e entregar ao professor da disciplina um relatório com o nome de Relatório 1 Análise dos Requisitos contendo as seguintes atividades desenvolvidas nos passos anteriores: 1. Resumo Análise e Projetos Orientado a Objetos; 2. Resumo 1.2 Conceitos Gerais de Engenharia de Software; 3. Resumo 1.3 Concepção, Elicitação e Tipos de Requisitos; 4. Resumo 1.4 Engenharia de Requisitos; 5. Listagem Informal dos Requisitos obtidos; 6. Listagem de Requisitos Funcionais e Não Funcionais validados.

5 CST em Gestão da Tecnologia da Informação - 3ª Série - Análise Orientada a Objetos Pág. 5 de 11 ETAPA 2 (tempo para realização: 05 horas)! Aula-tema: Diagramas de Casos de Uso. Documentação dos Casos de Uso. Atores, Associações (Inclusão, Extensão); Diagramas de Classes e Objetos da UML. Esta atividade é importante para que você aplique os conceitos de Diagramas de Casos de Uso e Diagramas de Classes para modelagem, através da ferramenta case Astah Community, dos requisitos para o sistema computacional da empresa VOEBEM. Para realizá-la, devem ser seguidos os passos descritos. PASSOS Passo 1 (Equipe) 1. Fazer a leitura sobre Casos de Uso do livro (LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: Uma introdução a análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.) focando a leitura na definição de casos de uso e seus componentes. 2. Fazer o Resumo 2.1 Casos de Uso, de pelo menos 1 página, com o conteúdo lido. 3. Fazer a leitura do material de aula: Diagrama de Casos de Uso. Disponível em: < Acesso em: 23 out. 2013, buscando compreender a estrutura do diagrama de casos de uso, seus componentes e como utilizar para modelagem dos dados. 4. Fazer o Resumo 2.2 Diagrama de Casos de Uso, de pelo menos 1 página, com o conteúdo lido. Passo 2 (Equipe) 1. Fazer a leitura sobre Diagramas de Classe UML do livro (LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: Uma introdução a análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.) focando a leitura na definição de diagramas de classe e seus componentes. 2. Fazer o Resumo 2.3 Diagramas de Classe UML, de pelo menos 1 página, com o conteúdo lido. 3. Fazer a leitura do trabalho de conclusão de curso: Desenvolvimento de um Sistema de Controle Acadêmico. Disponível em: < >. Acesso em: 06 nov Fazer o acesso ao site do Astah Community e baixar software Astah Community. Disponível em:< Acesso em: 24 out Fazer acesso aos tutoriais do Astah Community. Disponível em: < >. Acesso em: 24 out Faça leitura dos tutoriais para aprender a utilizar a ferramenta para produzir os digramas de casos de uso e de classe.

6 CST em Gestão da Tecnologia da Informação - 3ª Série - Análise Orientada a Objetos Pág. 6 de 11 Passo 3 (Equipe) Fazer as seguintes atividades: 1. Construir, utilizando o Astah Community e com base na lista de requisitos funcionais acordados, o diagrama de casos de uso. Considere como exemplo de construção, o diagrama de casos de uso apresentado na Figura 1 abaixo: Figura 1 Exemplo de Diagrama de Casos de Uso (LARMAN, 2008)

7 CST em Gestão da Tecnologia da Informação - 3ª Série - Análise Orientada a Objetos Pág. 7 de Construir, utilizando o Astah Community e com base na lista de requisitos funcionais acordados, o diagrama de classes. Considere como exemplo de construção, o diagrama de classes apresentado na Figura 2 abaixo: Figura 2 Exemplo de Domínio Conceitual usando Diagrama de Classes (LARMAN, 2008) Passo 4 (Equipe) Elaborar e entregar ao professor da disciplina um relatório com o nome de Relatório 2 Modelagem Casos de Uso e Classe contendo as seguintes atividades desenvolvidas nos passos anteriores: 1. Resumo 2.1 Casos de Uso; 2. Resumo 2.2 Diagrama de Casos de Uso; 3. Resumo 2.3 Diagramas de Classe UML; 4. Diagrama de Casos de Uso do sistema; 5. Diagrama de Classe do sistema.

8 CST em Gestão da Tecnologia da Informação - 3ª Série - Análise Orientada a Objetos Pág. 8 de 11 ETAPA 3 (tempo para realização: 05 horas)! Aula-tema: Relacionamentos ou Associações (Agregação, Composição, Generalização/Especialização); Diagrama de Sequência (Troca de Mensagens entre Objetos). Atores, Linha de Vida, Mensagens. Esta atividade é importante para que você realize a modelagem do sistema através do diagrama de sequência. Para realizá-la, devem ser seguidos os passos descritos. PASSOS Passo 1 (Equipe) 1. Fazer a leitura sobre Diagramas de Sequência do livro (LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: Uma introdução a análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.) focando a leitura na definição de diagramas de sequência e seus componentes. 2. Fazer o Resumo 3.1 Diagrama de Sequência, de pelo menos 1 página, com o conteúdo lido. Passo 2 (Equipe) 1. Fazer a leitura do artigo Proposta de Utilização do Diagrama de Sequência para Definição de Casos de Teste de Unidade. Disponível em: < g >. Acesso em: 24 out Foque a leitura no uso de diagramas de sequência. 2. Fazer o Resumo 3.2 Utilização do Diagrama de Sequência, de pelo menos 1 página, com o conteúdo lido. Passo 3 (Equipe) 1. Construir, utilizando o Astah Community e com base na lista de requisitos funcionais acordados, o diagrama de sequência do sistema. Considere como exemplo de construção, o diagrama de casos de uso apresentado na Figura 3 abaixo:

9 CST em Gestão da Tecnologia da Informação - 3ª Série - Análise Orientada a Objetos Pág. 9 de 11 Figura 3 Exemplo de Diagrama de Sequência derivado de casos de uso cenário (LARMAN, 2008) Passo 4 (Equipe) Elaborar e entregar ao professor da disciplina um relatório com o nome de Relatório 3 Modelagem Diagrama de Sequência contendo as seguintes atividades desenvolvidas nos passos anteriores: 1. Resumo 3.1 Diagrama de Sequência; 2. Resumo 3.2 Utilização do Diagrama de Sequência; 3. Diagrama de Sequência do sistema. ETAPA 4 (tempo para realização: 05 horas)! Aula-tema: Diagrama de Atividade. Atividade, nó de ação, fluxo de controle. Esta atividade é importante para que você realize a modelagem do sistema através do diagrama de atividades. Para realizá-la, devem ser seguidos os passos descritos. PASSOS Passo 1 (Equipe) 1. Fazer a leitura sobre Diagrama de Atividades do livro (LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: Uma introdução a análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.) focando a leitura na definição de diagrama de atividades e seus componentes. 2. Fazer o Resumo 4.1 Diagrama de Atividades, de pelo menos 1 página, com o conteúdo lido.

10 CST em Gestão da Tecnologia da Informação - 3ª Série - Análise Orientada a Objetos Pág. 10 de 11 Passo 2 (Equipe) 1. Fazer a leitura do material de aula Diagrama de Atividades. Disponível em: < >. Acesso em: 24 out Foque a leitura no uso de diagramas de atividades. 2. Fazer o Resumo 4.2 Componentes Diagrama de Atividades, de pelo menos 1 página, com o conteúdo lido. Passo 3 (Equipe) 1. Construir, utilizando o Astah Community e com base na lista de requisitos funcionais acordados, o diagrama de atividades do sistema. Considere como exemplo de construção, o diagrama de casos de uso apresentado na Figura 4 abaixo: Figura 4 Exemplo de Diagrama de Atividades (LARMAN, 2008) Passo 4 (Equipe) Elaborar e entregar ao professor da disciplina um relatório com o nome de Relatório 4 Modelagem Diagrama de Atividades contendo as seguintes atividades desenvolvidas nos passos anteriores:

11 CST em Gestão da Tecnologia da Informação - 3ª Série - Análise Orientada a Objetos Pág. 11 de Resumo 4.1 Diagrama de Atividades; 2. Resumo 4.2 Componentes Diagrama de Atividades; 3. Diagrama de Atividades do sistema.

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 2ª Série Programação Estruturada II A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 4ª Série Programação em Dispositivos Móveis A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de

Leia mais

CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 2ª Série Programação Estruturada II

CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 2ª Série Programação Estruturada II CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 2ª Série Programação Estruturada II A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 1ª. Série Análise Estruturada de Sistemas Sistemas de Informação A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Administração 5ª Série Administração de Recursos Humanos I A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Engenharia Elétrica 7ª Série Dispositivos e Circuitos Eletrônicos A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 4ª Série Desenvolvimento de Software Seguro A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Gestão da Tecnologia da Informação 1ª. Série Estratégia em Tecnologia da Informação A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de

Leia mais

Engenharia Mecânica. 1ª Série Álgebra Linear e Geometria Analítica

Engenharia Mecânica. 1ª Série Álgebra Linear e Geometria Analítica Engenharia Mecânica 1ª Série Álgebra Linear e Geometria Analítica A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Engenharia de Produção 7ª Série Planejamento, Programação e Controle de Produção. A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 3ª Série Fundamentos de Análise Orientada a Objetos A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 5ª. Série Programação e Design para Web A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Educação Física 1ª Série Teoria e Pratica de Esportes - Atletismo A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Gestão de Recursos Humanos 4ª Série Treinamento e Desenvolvimento A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 8ª Série Estrutura do Concreto II Engenharia Civil A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio

Leia mais

Engenharia Mecânica 3ª Série Física II

Engenharia Mecânica 3ª Série Física II Engenharia Mecânica 3ª Série Física II A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo professor, e que

Leia mais

CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada

CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Gestão da Produção Industrial 4ª Série Gerenciamento da Produção A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

Administração 5ª Série Estrutura e Análise das Demonstrações Financeiras

Administração 5ª Série Estrutura e Análise das Demonstrações Financeiras Administração 5ª Série Estrutura e Análise das Demonstrações Financeiras A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas,

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 3ª Série Gestão de Custos Logísticos CST em Logística A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 4ª Série Estratégias de Preço CST em Marketing A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Logística 4ª Série Operações de Terminais e Armazéns A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 4ª Série Informática Industrial CST em Mecatrônica Industrial A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Engenharia Mecânica 9ª Série Fabricação Assistida por Computador A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 6ª Série Controle Integrado de Manufatura CST em Mecatrônica Industrial A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 2ª Série Anatomia I Educação Física A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 1ª série Empreendedorismo Administração A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação 4ª. Série Administração de Banco de Dados A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Administração Geral 7ª Série Sistemas de Informações Gerenciais A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Gestão da Tecnologia da Informação 3ª Série Programação para Web A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1ª. Série Ferramentas para Sistemas Web A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 1ª Série Empreendedorismo Administração A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de etapas,

Leia mais

CST em Gestão de Recursos Humanos 1ª Série Técnicas de Negociação

CST em Gestão de Recursos Humanos 1ª Série Técnicas de Negociação CST em Gestão de Recursos Humanos 1ª Série Técnicas de Negociação A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 3ª Série Programação em Banco de Dados A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Administração 6ª Série Planejamento, Programação e Controle de Produção A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 8ª. Série Compiladores Ciência da Computação A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 6ª Série Teoria da Computação Ciência da Computação A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 2ª Série Anatomia II Educação Física A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Marketing 4ª Série Gestão do Relacionamento com os Consumidores A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 6ª Série Classificação e Pesquisa Sistemas de Informação A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido

Leia mais

Administração 5ª Série Contabilidade de Custos

Administração 5ª Série Contabilidade de Custos Administração 5ª Série Contabilidade de Custos A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizag desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo professor,

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 3 ª Série Programação Orientada a Objetos A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1ª Série Programação Estruturada I A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Gestão de Recursos Humanos 1ª Série Comportamento Organizacional A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Tecnologia em Redes de Computadores 4ª Série Gerência de Redes A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 1ª Série Comportamento Organizacional CST em Marketing A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por

Leia mais

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619

Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Tópicos em Engenharia de Software (Optativa III) AULA 2 Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com (81 )9801-6619 Engenharia de Software Objetivo da aula Depois desta aula você terá uma revisão sobre o

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 4ª. Série Linguagem para Organização e Transferência de Dados para Web A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 3ª Série Gestão em Marketing CST em Marketing A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades

Leia mais

Processo de Desenvolvimento Unificado

Processo de Desenvolvimento Unificado Processo de Desenvolvimento Unificado Processo de Desenvolvimento de Software? Conjunto de atividades bem definidas; com responsáveis; com artefatos de entrada e saída; com dependências entre as mesmas

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Pedagogia 4ª Série Organização e Metodologia da Educação Infantil A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 4 a série Programação Orientada a Objetos A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 5ª Série Materiais Elétricos Engenharia Elétrica A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio

Leia mais

Administração 7ª Série Administração Mercadológica

Administração 7ª Série Administração Mercadológica Administração 7ª Série Administração Mercadológica A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo professor,

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 2ª Série Processos Gerenciais CST em Gestão Financeira A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

Projeto de Sistemas I

Projeto de Sistemas I Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Projeto de Sistemas I Professora: Kelly de Paula Cunha E-mail:kellypcsoares@ifsp.edu.br Requisitos: base para todo projeto, definindo o

Leia mais

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML)

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Aécio Costa A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Percebeu-se a necessidade de um padrão para a modelagem de sistemas, que fosse aceito e utilizado amplamente. Surge a UML (Unified Modeling Language)

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 2ª Série Matemática CST em Marketing A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

Portaria Inep nº 190 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 13

Portaria Inep nº 190 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 13 Portaria Inep nº 190 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 13 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos. Requisitos

APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos. Requisitos + APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos Requisitos Requisitos 2 n Segundo Larman: n São capacidades e condições às quais o sistema e em termos mais amplos, o projeto deve atender n Não são apenas

Leia mais

Introdução à Engenharia de Software

Introdução à Engenharia de Software Introdução à Engenharia de Software Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Imagem Clássica Objetivo da aula Depois desta aula você terá uma visão sobre o que é a engenharia

Leia mais

Notas de Aula 04: Casos de uso de um sistema

Notas de Aula 04: Casos de uso de um sistema Notas de Aula 04: Casos de uso de um sistema Objetivos da aula: Aprender os elementos básicos da modelagem por casos de uso Utilizar as associações entre casos de uso, atores e demais artefatos Compreender

Leia mais

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 A LEGO Education tem o prazer de trazer até você a edição para tablet do Software LEGO MINDSTORMS Education EV3 - um jeito divertido

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 3ª Série Programação Estruturada II A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido

Leia mais

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2007 Slide 1 Engenharia de Requisitos Exemplo 1 Reserva de Hotel 1. INTRODUÇÃO Este

Leia mais

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 SUMÁRIO 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 O que é Software?... 3 1.2 Situações Críticas no desenvolvimento

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO Departamento: Disciplina: Pré-Requisitos: I D E N T I F I C A Ç Ã O Sistemas de Informação Engenharia de Software Aplicada (ESA) Engenharia de Software (ES) CH: 7 Curso: Bacharelado em Sistemas de Informação

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Serviço Social 2ª Série Filosofia Aplicada ao Serviço Social A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido

Leia mais

Utilizando os Diagramas da UML (Linguagem Unificada de Modelagem) para desenvolver aplicação em JSF

Utilizando os Diagramas da UML (Linguagem Unificada de Modelagem) para desenvolver aplicação em JSF Utilizando os Diagramas da UML (Linguagem Unificada de Modelagem) para desenvolver aplicação em JSF Ben-Hur de Sousa Lopes¹, Jaime William Dias¹ ¹Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí Paraná Brasil

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Roteiro Introdução Descrição: Sistema de Ponto de Vendas Casos de Usos Atores Fluxo de Eventos Cenários Formato de Documentação de Casos de Uso Diagramas de Casos de

Leia mais

Análise e Projeto Orientado a Objetos. Modelagem de Domínio

Análise e Projeto Orientado a Objetos. Modelagem de Domínio + Análise e Projeto Orientado a Objetos Modelagem de Domínio Introdução 2 n A modelagem do domínio está relacionada à descoberta das informações que são gerenciadas pelo sistema. O resultado dessa investigação

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Recursos Humanos 2ª Série Processos Gerenciais A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no

O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no 1.1 RATIONAL UNIFIED PROCESS (RUP) O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no processo que atende pelo nome de Processo Unificado (ou UP do inglês Unified

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 10ª Série Automação Industrial Engenharia Elétrica A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio

Leia mais

REVISÃO ENGENHARIA DO SOFTWARE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

REVISÃO ENGENHARIA DO SOFTWARE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com REVISÃO ENGENHARIA DO SOFTWARE Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Software Sequencia de Instruções a serem seguidas ou executadas Dados e rotinas desenvolvidos por computadores Programas

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software com Ênfase em Software Livre ESL2/2008. Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML

Especialização em Engenharia de Software com Ênfase em Software Livre ESL2/2008. Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML Histórico de Revisão Versão 0.1 Data 01/06/09 Revisor Descrição Versão inicial Sumário 1. Introdução...4 1.1 Visão geral deste documento...4 1.2 Módulos

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação SOFT DISCIPLINA: Engenharia de software AULA NÚMERO: 08 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO O objetivo desta aula é apresentar e discutir conceitos relacionados a modelos e especificações. Nesta aula

Leia mais

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER Objetivo dessa aula é descrever as características e a simbologia dos diagramas UML e MER na modelagem de sistemas de informação de uma forma a permitir a comunicação entre técnicos e gestores. Modelagem

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO 1 UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS (Orientações para a realização das APS dos Cursos de Engenharia

Leia mais

Documento de Visão. Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto. Versão 1.0

Documento de Visão. Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto. Versão 1.0 Documento de Visão Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto Versão 1.0 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 23/10/2010 #1 Elaboração do documento. Eduardo Neto Versão 1.0 Documento de Visão A2ME

Leia mais

Prova de Conhecimento para Consultores de Implementação MPS.BR INSTRUÇÕES

Prova de Conhecimento para Consultores de Implementação MPS.BR INSTRUÇÕES Implementação MPS.BR 26 de maio de 2008 4 horas de duração e-mail: (DEIXAR EM BRANCO) RESULTADO: Q1 Q2 Q3 Q4 Q5 Q6 Q7 Q8 Q9 Q10 Nota INSTRUÇÕES Para a maioria das questões você tem mais de uma opção e

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Engenharia de Software III Casos de uso http://dl.dropbox.com/u/3025380/es3/aula6.pdf (flavio.ceci@unisul.br) 09/09/2010 O que são casos de uso? Um caso de uso procura documentar as ações necessárias,

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 5ª. Série Segurança de Redes CST em Redes de Computadores A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2015 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos EE: Arlindo Bittencourt Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação

Leia mais

Metodologia para Gestão do Processo de Qualidade de Software para Incremento da Competitividade da Mobile S/A Julia Brito Julia.brito@mobile.com.

Metodologia para Gestão do Processo de Qualidade de Software para Incremento da Competitividade da Mobile S/A Julia Brito Julia.brito@mobile.com. Metodologia para Gestão do Processo de Qualidade de Software para Incremento da Competitividade da Mobile S/A Julia Brito Julia.brito@mobile.com.br A Empresa Surgiu há dois anos em Recife, um dos principais

Leia mais

Diagrama de Caso de Uso e Diagrama de Sequência

Diagrama de Caso de Uso e Diagrama de Sequência Diagrama de Caso de Uso e Diagrama de Sequência Milena Alexandre dos Santos Baesso (Mestranda em Engenharia Elétrica) Agenda Ciclo de Vida de um Sistema A Fase de Análise Análise Orientada à Objetos Diagramas

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CURSO TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL Série do Curso: 4ª SÉRIE Nome da Disciplina: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

Engenharia de Requisitos

Engenharia de Requisitos Engenharia de Requisitos Conteúdo Definição Questionamentos Típicos Visão Geral Ciclo de Vida dos Requisitos Síntese dos Objetivos Gerência de Mudança Identificação de Requisitos Classificação de Requisitos

Leia mais

Análise e projeto de sistemas PROF. REGILAN SILVA

Análise e projeto de sistemas PROF. REGILAN SILVA Análise e projeto de sistemas PROF. REGILAN SILVA Apresentação da disciplina Ver ementa... Solução Técnicas para identificação e detalhamento de requisitos Técnicas para modelagem de sistemas Definir

Leia mais

PIM. CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Projeto Integrado Multidisciplinar. 4º/3º Períodos 2010/2 UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO

PIM. CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Projeto Integrado Multidisciplinar. 4º/3º Períodos 2010/2 UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PIM Projeto Integrado Multidisciplinar 4º/3º Períodos 2010/2 PIM - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA Projeto e implementação

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK

Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK 0 2015 Projeto: Conecta Contábil Sistema de controle e depreciação de patrimônio Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK Plano de Gerenciamento desenvolvido para a realização

Leia mais

INF 2125 PROJETO DE SISTEMAS DE SOFTWARE Prof. Carlos J. P. de Lucena

INF 2125 PROJETO DE SISTEMAS DE SOFTWARE Prof. Carlos J. P. de Lucena INF 2125 PROJETO DE SISTEMAS DE SOFTWARE Prof. Carlos J. P. de Lucena Trabalho Experimental Sistema de Gestão Hoteleira 1. Objetivo Este trabalho tem o objetivo de consolidar o conhecimento sobre UML e

Leia mais

Introdução à Engenharia de. Software. Introdução à Engenharia de. Software. O que é a Engenharia de Software? Software

Introdução à Engenharia de. Software. Introdução à Engenharia de. Software. O que é a Engenharia de Software? Software Introdução à Engenharia de Gidevaldo Novais (gidevaldo.vic@ftc.br) Introdução à Engenharia de Objetivo Depois desta aula você terá uma noção geral do que é a engenharia de software e dos seus objetivos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Etec Dr. José Luiz Viana Coutinho Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Componente

Leia mais

:: aula 11. :: Diagrama de Seqüência e Protótipos. :: Olá! Nesta aula, continuaremos a 4ª fase do Projeto Desenho.

:: aula 11. :: Diagrama de Seqüência e Protótipos. :: Olá! Nesta aula, continuaremos a 4ª fase do Projeto Desenho. :: Nome do Curso Sistemas da informação :: Nome da Unidade Curricular PI Sistemas orientados a objetos :: Tema da aula Diagrama de Seqüência e Prototipação :: Fase / Etapa Fase 4 Desenho do Projeto e Interligação

Leia mais