Modelo de Rastreabilidade da Cadeia do Vinho para Exportação Utilizando Redes de Sensores Sem Fio e RFID

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Modelo de Rastreabilidade da Cadeia do Vinho para Exportação Utilizando Redes de Sensores Sem Fio e RFID"

Transcrição

1 Modelo de Rastreabilidade da Cadeia do Vinho para Exportação Utilizando Redes de Sensores Sem Fio e RFID Roberto Fray da Silva, Leonardo Barreto Campos, Carlos Eduardo Cugnasca Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais, Escola Politécnica Universidade de São Paulo (USP) Caixa Postal São Paulo SP Brasil Abstract. Currently, consumers are increasing their demand for quality, especially for high value products, such as wine. This paper shows a traceability model for the supply chain of wine for exportation purposes, allowing the supply chain agents to monitor its quality in real time. RFID and WSN technologies are used to trace and to monitor the product from the grape production farm to the end consumer of the wine. Resumo. Atualmente observa-se um aumento da exigência por qualidade por parte dos consumidores, principalmente em produtos de alto valor agregado, como é o caso do vinho. Este trabalho apresenta um modelo de rastreabilidade para a cadeia do vinho destinado à exportação que possibilita aos agentes da cadeia monitorar esta qualidade em tempo real. Utilizam-se as tecnologias de RFID e RSSF para rastrear e monitorar o produto desde a unidade produtiva de uvas até o consumidor final do vinho, no país de destino. 1. Introdução As capacidades de identificar e rastrear automaticamente objetos são necessidades do mercado atual que estão influenciando os processos de produção e logística de produtos (Ilie-zudor et al, 2011). Juran e Godfrey (1999) caracterizam rastreabilidade como a coleta e disponibilização de informações dos produtos de sua fabricação até o seu descarte, envolvendo todos os processos de diferentes agentes da cadeia de suprimentos. Os modelos de rastreabildade são importantes no contexto agroindustrial para coibir problemas, como a Encefalopatia Espongiforme Bovina (Latouche, Rainelli e Vermersch, 1998) ocorrido na União Europeia em 1992, a carne de cavalo em carne processada (Staff, 2013) e a adulteração do leite com ureia (Nota Técnica 003/2012- DDA/SFA-RS, 2013). No caso de produtos de alto valor agregado, como o vinho, estes modelos ajudam a assegurar a sua qualidade (Minjie et al, 2011). Esses modelos possibilitam assegurar a qualidade dos insumos e produtos finais, evitando a mescla de produtos, facilitando chamadas de retorno de produto defeituoso e reduzindo os impactos da localização e correção de falhas (Juran e Godfrey, 1999). A identificação por radiofrequência (RFID) é uma das tecnologias que vêm sendo pesquisadas atualmente para possibilitar a automação no processo de coleta de dados dos produtos. Esta tecnologia pode ser descrita como o uso de etiquetas (tags)

2 contendo um circuito integrado e uma antena cada uma, para o recebimento e envio de ondas de rádio a um leitor, transmitindo uma série de informações (Wu et al, 2006). Porém, esta tecnologia não permite o acompanhamento em tempo real das variáveis ambientais as quais o produto está exposto, fatores essenciais a serem considerados para a manutenção da qualidade de diversos produtos agroindustriais. Visando suprir esta lacuna de informação, a aplicação da tecnologia de Redes de Sensores Sem Fio (RSSF) vem sendo estudada em conjunto com a tecnologia de RFID, em sistemas integrados. A tecnologia RSSF pode ser definida como um grande número de sensores em atuação em uma área delimitada, captando informações do ambiente em que estão inseridos e comunicando-se entre si (Wilson, 2004, Glisic e Lorenzo, 2009). As principais variáveis medidas no acompanhamento de cargas são temperatura (T), umidade relativa (UR), luminosidade (L) e pressão (P) (Wang et al, 2006). Para o vinho, caso a T ou a UR estejam fora de limites aceitáveis, pode resultar em alterações químicas e sensoriais, diminuindo a qualidade do produto (Sims e Morris, 1984, Presa-Owens e Noble, 1997, Pérez-Coello et al, 2003). Assim, o monitoramento do ambiente nos processos de produção e logística é de grande importância. O vinho para exportação foi escolhido como o objeto de estudo, devido ao grande impacto na qualidade do produto imposto pelas variáveis ambientais durante os processos de transporte, armazenagem e distribuição do produto, e seu grande volume exportado, de 6,34 milhões de litros e US$ 7,83 milhões em 2012 (Aliceweb, 2013). Portanto, o principal objetivo deste trabalho foi desenvolver um modelo de rastreabilidade do vinho ao longo de sua cadeia de suprimentos utilizando RFID e RSSF. Este modelo possui informações relacionadas a todos os agentes da cadeia, da unidade produtora de uvas ao consumidor final do vinho, ao país de destino do produto. O presente trabalho está dividido em 6 seções: a seção 2 explica a metodologia utilizada para o desenvolvimento do modelo proposto; a seção 3 possui uma descrição do modelo atual de rastreabilidade do vinho; a seção 4 descreve o estado da arte no uso de RFID e RSSF na rastreabilidade de produtos agrícolas; a seção 5 contém o modelo de rastreabilidade proposto; e a seção 6 descreve as conclusões obtidas e os trabalhos futuros a serem realizados para aprimorar o modelo de rastreabilidade proposto. 2. Material e Métodos Primeiramente um levantamento bibliográfico foi realizado para caracterizar a cadeia de suprimentos do vinho para exportação, e seu atual sistema de rastreabilidade. Esta etapa foi realizada utilizando-se dados secundários de artigos em periódicos e eventos científicos e teses, e um levantamento de dados primário com organizações relacionadas à pesquisa e ao mercado, para entender possíveis limitações do sistema atual. A próxima etapa contou com uma revisão aprofundada nas tecnologias de RFID e RSSF, visando identificar pontos nos quais estas poderiam auxiliar na elaboração do modelo proposto. Com base nestas informações, o modelo de rastreabilidade foi desenvolvido, visando diminuir a perda de qualidade do produto ao longo da cadeia, e aumentar a disponibilidade de informações úteis aos agentes da cadeia de suprimentos.

3 3. O Modelo Atual de Rastreabilidade do Vinho Os modelos atuais de rastreabilidade do vinho no Brasil possuem limitações com relação à coleta de dados e a disponibilização de informações. Um modelo proposto por Porto et al (2007) engloba os diferentes elos da cadeia, porém seu foco é em fornecer informações para o consumidor final, dando pouca ênfase aos processos de transporte e armazenamento e coordenação da cadeia. Porém, este sistema possui dois pontos negativos: a necessidade de inserir os dados manualmente no sistema, aumentando a complexidade de sua implementação, e a possibilidade de erros nesta inserção de dados. A cadeia do vinho começa com a produção da uva, que é transportada por caminhões à indústria produtora de vinho. Nesta, a uva é esmagada, processada e fermentada (Meneguzzo, Rizzon e Antenor, 2006). O vinho é, então, engarrafado, as garrafas são colocadas em caixas de papelão, que são então empilhadas em pallets. Etiquetas de códigos de barras são utilizadas no processo. Os pallets recebem mantas plásticas para evitar oscilações de T, e são carregados em contêineres sem resfriamento, que são transportados aos terminais portuários para seu carregamento nos navios. Cada contêiner possui um datalogger para registro da T, porém estes dados precisam ser coletados manualmente nos pontos de parada. A UR dentro do contêiner não é monitorada. 4. Aplicações de RSSF e RFID na Rastreabilidade de Produtos Agrícolas Lam et al (2013) desenvolveram um sistema para monitoramento do vinho armazenado, utilizando RFID e RSSF. As principais variáveis monitoradas foram T e UR nas adegas, e o sistema possui um algoritmo que permite a identificação automática de anomalias e o envio de mensagens aos administradores do sistema. Porém, este sistema não considera o monitoramento do transporte do produto entre os elos da cadeia. Evers e Havinga (2007) e Jedermann et al (2010) fornecem algumas alternativas para o acompanhamento da logística de produtos alimentícios, desenvolvendo um modelo denominado Contêiner Inteligente. Jedermann et al (2010) sugerem um mínimo de 8 sensores por contêiner para identificar as variações de T e UR. Porém, este modelo foi desenvolvido para a cadeia de exportação de bananas, uma cadeia consideravelmente menos complexa que a do vinho, por envolver um menor número de agentes e etapas. Hsueh e Chang (2010) complementam esta pesquisa facilitando a implementação do sistema por meio do uso de leitores RFID nos pontos de parada. Estes autores também adicionam a tecnologia GPS para permitir a localização dos produtos. Gogliano Sobrinho et al (2010) por sua vez, apesar de modelar um Sistema de Informação específico para a indústria do vinho, não suporta grandes trocas de dados, bem como, não considera maior granularidade da cadeia. 5. Proposta de um Modelo para a Rastreabilidade do Vinho O modelo proposto, representado na Figura 1, é composto por sete etapas, englobando da produção das uvas até a venda do vinho para o consumidor. As etapas se conectam, por meio da web, à nuvem, na qual as informações coletadas são armazenadas, e podem ser acessadas pelos usuários nas diferentes etapas da cadeia em tempo real. As principais contribuições do presente modelo para melhorar o sistema proposto por Porto et al (2007) dizem respeito a: disponibilização de informações em tempo real;

4 maior facilidade na coleta dos dados; e possibilidade de detecção de falhas antes que estas impactem de forma signficativa na qualidade dos produtos. Figura 1. Modelo de rastreabilidade para a cadeia do vinho para exportação. Na Etapa 1, uma RSSF é instalada para monitorar T, UR e L do ambiente, e potencial hídrico do solo. As atividades realizadas na unidade produtiva, considerando os insumos utilizados e sua quantidade, são inseridas no sistema pelo produtor rural. A Etapa 2 irá acompanhar o produto durante o processo de produção do vinho. Após o engarrafamento, uma etiqueta RFID é colocada em cada caixa, e pallets são montados. Sensores monitorando T, UR e L nos ambientes pelos quais as garrafas passarão irão coletar estas informações e enviar à nuvem, por meio de gateways. Os pallets são carregados em contêineres, com sensores que irão monitorar T e UR durante o transporte. As tags são lidas automaticamente quando o pallet é carregado. Nas Etapas 3 e 4, o produto está em trânsito, e gateways contidos nos caminhões (nos segmentos de transporte rodoviário) e nos navios (no segmento de transporte marítimo) irão coletar dados relacionados a T e UR dentro do contêiner e transmiti-los à nuvem, por meio de tecnologia General Packet Radio Service (GPRS). Na presença de conexão WLAN, esta será utilizada para reduzir os custos. A instalação de GPS nos gateways possibilitará a localização do produto em qualquer ponto de seu trajeto. As Etapas 5 e 6 são similares a Etapa 2, com monitoramento de T, UR e L. A transmissão de informações nestas etapas será realizada utilizando-se WLAN. A Etapa 7 não conta com coleta obrigatória de informações, porém o consumidor pode responder, caso queira, a um questionário relacionado ao produto e a experiência de compra. Este também pode utilizar o código na etiqueta da garrafa para verificar, via web, informações no website do fabricante. Cada agente da cadeia possui seu próprio sistema de informações, e só possui acesso a determinadas informações, facilitando o uso do sistema e protegendo

5 informações que não precisam ser divulgadas. Caso uma anomalia seja detectada pelo sistema, uma notificação via Short Message Service (SMS) é enviada ao agente da cadeia em questão, para que este verifique o problema e tome uma decisão. A etapa seguinte da pesquisa diz respeito à realização de simulações em softwares especializados: Rifidi (Rifidi, 2013) e Arena (Arena Simulation Software, 2013), observando o custo total e de operação do sistema, o número de falhas em relação ao modelo atual, e os tempos de cada etapa. As principais limitações observadas se relacionam à falta de informações disponíveis; à falta de pesquisa relacionada a rastreabilidade do vinho nas condições brasileiras; à complexidade da cadeia, envolvendo diferentes formas de transporte; e a falta de uma metodologia padronizada para o desenho de modelos de rastreabilidade utilizando RFID e RSSF para produtos agroindustriais, o que pode gerar dificuldade na utilização de sistemas caso estes sejam desenvolvidos e implementados separadamente. 6. Conclusões e Trabalhos Futuros Com o aumento das exigências dos consumidores em relação à qualidade e rastreabilidade dos produtos da cadeia agroindustrial, a necessidade de sistemas de acompanhamento e monitoramento dos produtos torna-se essencial. Os agentes da cadeia precisam de um sistema único que os permita assegurar a qualidade do produto. O modelo proposto considerou estes fatores, levando em conta minimizar o impacto de sua implementação nos processos atuais realizados pelos agentes da cadeia. As próximas etapas no processo de pesquisa são relacionadas à: simulação deste modelo utilizando softwares específicos, levantando custos de implementação e impactos na cadeia de suprimentos como um todo; apresentação dos resultados a representantes de cada um dos elos da cadeia; e implementação de um projeto piloto em uma cadeia simples envolvendo uma pequena quantidade de agentes dessa cadeia. Referências Aliceweb - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC (2013) Sistema de Análise das Informações de Comércio Exterior via Internet Alice Web. Site: Arena Simulation Software. (2013). Disponível em: <http://www.arenasimulation.com/arena_home.aspx >. Acesso em: 25 de Maio. Evers, M. and Havinga, P. (2007) Supply Chain Management Automation Using Wireless Sensor Networks. In: 2007 IEEE International Conference on Mobile Adhoc and Sensor Systems, Pisa, Proceedings, pages 1-3. Glisic, S. and Lorenzo, B. (2009) Advanced Wireless Networks, 4G technology, 2e John Wiley and Sons, London. Gogliano Sobrinho, O. et al. (2010) Modelagem de um sistema de informação para rastreabilidade na indústria do vinho baseado em uma arquitetura orientada a serviços. Engenharia Agrícola, v. 30, n.1. Hsueh, C. and Chang, M. (2010) A model for intelligent transportation of perishable products. In International Journal of Intelligent Transportation Systems Research, n. 8, pages

6 Ilie-zudor, E., Kemeny, Z., Blommestein, F., Monostori, L. and Meulen, A. (2011) A survey of applications and requirements of unique identification systems and RFID techniques. In Computers in Industry, v. 62, n. 3, pages Jedermann, R., Moehrke, A. and Lang, W. (2010) Supervision of Banana Transport by the Intelligent Container. In: International Workshop on Coolchain Management, 2010, Bonn, Proceedings, pages Juran, J. and Godfrey, A. B. (1999) Quality Handbook. Republished McGraw-Hill. Lam, H. Y., Choy, K. L., Ho, G. T. S., Kwong, C. K. and Lee, C. K. M. (2013) A Realtime Risk Control and Monitoring System for Incident Handling in Wine Storage. In Expert Systems with Applications, v. 40, 2013, pages Latouche, K.; Rainelli, P. and Vermersch, D. (1998) Food safety issues and the BSE scare: some lessons from the French case. In Food policy, v. 23, n. 5, pages Meneguzzo, J., Rizzon, L., Antenor, L. (2006), Sistema de Produção de Vinho Tinto. Sistemas de Produção, 12. Disponível em: Minjie, Y., Ning, X., Zhong, W., and Hongyang, D. (2011) The Application of the Internet of Things in Agriculture. In Chinese Agricultural Science Bulletin, v.8, n. 91. Nota Técnica 003/2012-DDA/SFA-RS (2013), Operação Leite Compen$ado. Disponível em: Pérez-Coello, M. S., González-Viñas, M.A., Garća-Romero, E., Díaz-Maroto, M.C. and Cabezudo, M.D. (2003) Influence of storage temperature on the volatile compounds of young white wines. In Food Control, v. 14, n. 5, pages Porto, L. F. A., Lopes, M. A., Zambalde, A. L. (2007) Desenvolvimento de um Sistema de Rastreabilidade Aplicado à Cadeia de Produção do Vinho. In Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 31, n. 5, pages Presa-Owens, C. D. L. and Noble, A. C. (1997) Effect of storage at elevated temperatures on aroma of Chardonnay wines. In American Journal of Enology and Viticulture, v. 48, n. 3, pages Rifidi. Disponível em: < >. Acesso em: 23 de Maio. Sims, C. and Morris, J. (1984) Effects of ph, sulfur dioxide, storage time, and temperature on the color and stability of red muscadine grape wine. In American Journal of Enology and Viticulture, v. 35, n. 1, pages Staff, C. Food giant Nestle recalls products after horse meat discovery Wang, N., Zhang, N. and Wang, M. (2006) Wireless Sensors in Agriculture and Food Industry Recent Development and Future Perspectives. In Computers and Electronics in Agriculture, v. 50, pages Wilson, J. S. (2004) Sensor technology handbook, Newnes Publishing. Wu, N. C., Nystrom, M.A., Lin, T.R. and Yu, H.C. (2006) Challenges to global RFID adoption. In Technovation, v. 26, n. 12, pages

RASTREABILIDADE NA CADEIA PRODUTIVA DO VINHO: CONSIDERAÇÕES SOBRE SUA APLICAÇÃO AO MERCADO BRASILEIRO RESUMO

RASTREABILIDADE NA CADEIA PRODUTIVA DO VINHO: CONSIDERAÇÕES SOBRE SUA APLICAÇÃO AO MERCADO BRASILEIRO RESUMO RASTREABILIDADE NA CADEIA PRODUTIVA DO VINHO: CONSIDERAÇÕES SOBRE SUA APLICAÇÃO AO MERCADO BRASILEIRO RESUMO OSVALDO GOGLIANO SOBRINHO 1 CARLOS EDUARDO CUGNASCA 2 O objetivo deste trabalho é apresentar

Leia mais

MODELO DE RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS USANDO RFID E O CONCEITO DE INTERNET DAS COISAS

MODELO DE RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS USANDO RFID E O CONCEITO DE INTERNET DAS COISAS MODELO DE RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS USANDO RFID E O CONCEITO DE INTERNET DAS COISAS Vivian Cristina Velloso Metzner (USP) vivian.metzner@gmail.com Carlos Eduardo Cugnasca (USP) carlos.cugnasca@poli.usp.br

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém Bloco Suprimentos WMS Gerenciamento de Armazém Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo WMS, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas foram

Leia mais

Framework para Rastreabilidade de Grãos com Tecnologia QR Code

Framework para Rastreabilidade de Grãos com Tecnologia QR Code Framework para Rastreabilidade de Grãos com Tecnologia QR Code Monica Cristine Scherer Vaz 1, Paulo Cézar Santana 2, Maria Salete Marcon Gomes Vaz 3 1, 2, 3 Departamento de Informática Universidade Estadual

Leia mais

Autor(es) BARBARA STEFANI RANIERI. Orientador(es) LUIZ EDUARDO GALVÃO MARTINS, ANDERSON BELGAMO. Apoio Financeiro PIBIC/CNPQ. 1.

Autor(es) BARBARA STEFANI RANIERI. Orientador(es) LUIZ EDUARDO GALVÃO MARTINS, ANDERSON BELGAMO. Apoio Financeiro PIBIC/CNPQ. 1. 19 Congresso de Iniciação Científica ESPECIFICAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE UMA FERRAMENTA AUTOMATIZADA DE APOIO AO GERSE: GUIA DE ELICITAÇÃO DE REQUISITOS PARA SISTEMAS EMBARCADOS Autor(es) BARBARA STEFANI

Leia mais

MODELO DE RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS UTILIZANDO IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA, REDES DE SENSORES SEM FIO E O CONCEITO DE INTERNET DAS COISAS

MODELO DE RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS UTILIZANDO IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA, REDES DE SENSORES SEM FIO E O CONCEITO DE INTERNET DAS COISAS MODELO DE RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS UTILIZANDO IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA, REDES DE SENSORES SEM FIO E O CONCEITO DE INTERNET DAS COISAS Vivian Cristina Velloso Metzner Roberto Fray da Silva

Leia mais

A RASTREABILIDADE DA CADEIA DE TRANSPORTE DE SOJA E PROPOSTA DE UM SISTEMA DE MONITORAMENTO PARA GRANÉIS SÓLIDOS AGRĺCOLAS

A RASTREABILIDADE DA CADEIA DE TRANSPORTE DE SOJA E PROPOSTA DE UM SISTEMA DE MONITORAMENTO PARA GRANÉIS SÓLIDOS AGRĺCOLAS XLIII Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola - CONBEA 2014 Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo - Campo Grande -MS 27 a 31 de julho de 2014 A RASTREABILIDADE DA CADEIA DE TRANSPORTE

Leia mais

Acadêmico: Maicon Machado Orientador: José Carlos Toniazzo

Acadêmico: Maicon Machado Orientador: José Carlos Toniazzo Acadêmico: Maicon Machado Orientador: José Carlos Toniazzo Tema; Delimitação do Problema; Hipóteses ou questões de pesquisa; Objetivos; Justificativa; Revisão Bibliográfica; Cronograma; Referências. Desenvolver

Leia mais

O USO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO DE VEÍCULOS POR RADIOFREQUÊNCIA RFID NO PLANEJAMENTO DE TRANSPORTES

O USO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO DE VEÍCULOS POR RADIOFREQUÊNCIA RFID NO PLANEJAMENTO DE TRANSPORTES O USO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO DE VEÍCULOS POR RADIOFREQUÊNCIA RFID NO PLANEJAMENTO DE TRANSPORTES Rone Evaldo Barbosa Pastor Willy Gonzales-Taco O USO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO DE VEÍCULOS

Leia mais

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS INTRODUÇÃO: Entende-se por Mobilidade a possibilidade de poder se comunicar em qualquer momento e de qualquer lugar. Ela é possível graças às redes wireless, que podem

Leia mais

Monitoramento e Controle Remotos do Microclima de uma Adega: Interface Programada em Java

Monitoramento e Controle Remotos do Microclima de uma Adega: Interface Programada em Java Monitoramento e Controle Remotos do Microclima de uma Adega: Interface Programada em Java Anderson P. Colvero 1, Guilherme P. Silva 1, Humberto B. Poetini 1 1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software Revista Cadware Ed.22 versão online 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente em sistemas ERP (Enterprise Resource

Leia mais

APLICAÇÕES AGRÍCOLAS PARA REDES DE SENSORES SEM FIO RESUMO

APLICAÇÕES AGRÍCOLAS PARA REDES DE SENSORES SEM FIO RESUMO APLICAÇÕES AGRÍCOLAS PARA REDES DE SENSORES SEM FIO RESUMO LUCIANO GONDA 1 CARLOS EDUARDO CUGNASCA 2 ALBERTO CAMILLI 3 O controle e monitoramento em aplicações agrícolas são estratégias fundamentais para

Leia mais

O Sistema Way foi além, idealizou uma forma não só de garantir a qualidade do produto final, como deotimizar a logística de transporte e entrega.

O Sistema Way foi além, idealizou uma forma não só de garantir a qualidade do produto final, como deotimizar a logística de transporte e entrega. A Way Data Solution se especializou em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para criar um sistema inovador de logística e monitoramento de temperatura/ umidade, através do qual empresas poderão

Leia mais

Utilização da Internet das Coisas para o desenvolvimento de miniestação de baixo custo para monitoramento de condições do tempo em áreas agrícolas

Utilização da Internet das Coisas para o desenvolvimento de miniestação de baixo custo para monitoramento de condições do tempo em áreas agrícolas Utilização da Internet das Coisas para o desenvolvimento de miniestação de baixo custo para monitoramento de condições do tempo em áreas agrícolas Bruno Silva Afonso 1, Roberto Benedito de O. Pereira 1,

Leia mais

APLICADO À CADEIA DE PRODUÇÃO DO VINHO 1

APLICADO À CADEIA DE PRODUÇÃO DO VINHO 1 1310 DESENVOLVIMENTO DE PORTO, UM L. SISTEMA F. de A. et al. DE RASTREABILIDADE APLICADO À CADEIA DE PRODUÇÃO DO VINHO 1 Development of a traceability system applied to the wine production chain Luís Fernando

Leia mais

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Contexto As pressões do mercado por excelência em qualidade e baixo custo obrigam as empresas a adotarem sistemas de produção automatizados

Leia mais

artigo SUPPLY CHAIN Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda.

artigo SUPPLY CHAIN Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda. O PAPEL DA AUTOMAÇÃO NA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda. INTRODUÇÃO Peter Drucker, um dos pensadores

Leia mais

Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias

Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias São Paulo, 21 de setembro de 2010 Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias e Dario Thober Centro de Pesquisas von Braun Centro de Pesquisa sem fins lucrativos Soluções inovadoras

Leia mais

For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço

For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço For-All - Uma Plataforma para Sistemas Pervasivos Orientados a Serviço Elenilson Vieira da S. Filho 1, Ângelo L. Vidal de Negreiros 1, Alisson V. Brito 2 1 Departamento de Informática Universidade Federal

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

FIT's Software Laboratory conducts research, development and innovation projects in software and information systems, focusing on applying new

FIT's Software Laboratory conducts research, development and innovation projects in software and information systems, focusing on applying new FIT's Software Laboratory conducts research, development and innovation projects in software and information systems, focusing on applying new technologies to add value to its Tópicos Competências em Software

Leia mais

MODELO PARA A RASTREABILIDADE DO AÇÚCAR UTILIZANDO IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA, REDE DE SENSORES SEM FIO E INTERNET DAS COISAS

MODELO PARA A RASTREABILIDADE DO AÇÚCAR UTILIZANDO IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA, REDE DE SENSORES SEM FIO E INTERNET DAS COISAS MODELO PARA A RASTREABILIDADE DO AÇÚCAR UTILIZANDO IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA, REDE DE SENSORES SEM FIO E INTERNET DAS COISAS José Henrique Leite Rodrigues Carlos Eduardo Cugnasca MODELO PARA A

Leia mais

WMS - Warehouse Management System

WMS - Warehouse Management System Sistema de Gestão Empresarial LUSANA SOUZA NATÁLIA BATUTA MARIA DAS GRAÇAS TATIANE ROCHA GTI V Matutino Prof.: Itair Pereira Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. WMS... 2 3. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 2 4. POLÍTICA

Leia mais

A TECNOLOGIA DE REDES DE SENSORES SEM FIO E A LOGÍSTICA

A TECNOLOGIA DE REDES DE SENSORES SEM FIO E A LOGÍSTICA in the World Economic Scenario. Belo Horizonte, Brazil, 04 to 07 October 2011 A TECNOLOGIA DE REDES DE SENSORES SEM FIO E A LOGÍSTICA Roberto Fray da Silva (USP) roberto.fray.silva@gmail.com Carlos Eduardo

Leia mais

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi e Sistema Integrado Objetivos do Tema Apresentar: Uma visão da logística e seu desenvolvimento com o marketing. A participação da logística como elemento agregador

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - FUNDAMENTOS DA GESTÃO DE ESTOQUES 1

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - FUNDAMENTOS DA GESTÃO DE ESTOQUES 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO XIll CAPÍTULO 1 - FUNDAMENTOS DA GESTÃO DE ESTOQUES 1 OBJETIVO DO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1 APRESENTAÇÃO 1 BREVE HISTÓRICO DA ABORDAGEM SOBRE os ESTOQUES 4 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE ESTOQUES

Leia mais

Considerações do mundo real. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Eng. Luiz Renato Costa - RFID CoE

Considerações do mundo real. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Eng. Luiz Renato Costa - RFID CoE Considerações do mundo real Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Eng. Luiz Renato Costa - RFID CoE 2 Benefícios e oportunidades com RFID 3 Benefícios e oportunidades com RFID São os benefícios

Leia mais

Lenke e Meitech é um grupo de empresas especializadas em fornecer equipamentos e sistemas para a indústria de alimentos.

Lenke e Meitech é um grupo de empresas especializadas em fornecer equipamentos e sistemas para a indústria de alimentos. Lenke e Meitech é um grupo de empresas especializadas em fornecer equipamentos e sistemas para a indústria de alimentos. Atuando a mais de 10 anos no mercado brasileiro, com o apoio de profissionais experientes,

Leia mais

Emprego de Código de Barras Bidimensionais para Conferência da Autenticidade de Certificados Digitais

Emprego de Código de Barras Bidimensionais para Conferência da Autenticidade de Certificados Digitais Emprego de Código de Barras Bidimensionais para Conferência da Autenticidade de Certificados Digitais Caroline F. Vicentini 1, Francisco T. M. Avelar 1, João Carlos D. Lima 2, Iara Augustin 2 1 Ciência

Leia mais

ESTUDO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA

ESTUDO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ESTUDO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA Camila de Brito Miranda 1 ; Rafaela do

Leia mais

DESEMPENHO DE REDES. Fundamentos de desempenho e otimização de redes. Prof. Ulisses Cotta Cavalca

DESEMPENHO DE REDES. Fundamentos de desempenho e otimização de redes. Prof. Ulisses Cotta Cavalca <ulisses.cotta@gmail.com> DESEMPENHO DE REDES Fundamentos de desempenho e otimização de redes Prof. Ulisses Cotta Cavalca Belo Horizonte/MG 2015 Sumário 1. Introdução 2. Gerência de redes 3. Fundamentos

Leia mais

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda

Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Prof. Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br Este material foi adaptado de apresentação de Marco Aurelio Meda Como garantir

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

SUSTENTABILIDADE TECNOLÓGICA EM CADEIA PRODUTIVA AVÍCOLA DE CORTE, ATRAVÉS DA TECNOLOGIA RFID. Resumo

SUSTENTABILIDADE TECNOLÓGICA EM CADEIA PRODUTIVA AVÍCOLA DE CORTE, ATRAVÉS DA TECNOLOGIA RFID. Resumo SUSTENTABILIDADE TECNOLÓGICA EM CADEIA PRODUTIVA AVÍCOLA DE CORTE, ATRAVÉS DA TECNOLOGIA RFID Área de Temática: Tecnologia e Produção Regina Barwaldt¹ Diana Francisca Adamatti; Felipe Bittencourt; Gilberto

Leia mais

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO Umberto Sales Mazzei Bruno Vieira Bertoncini PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO

Leia mais

Rastreabilidade a Prática. Amanda Prado - Itaueira Flávia Ponte - GS1 Brasil

Rastreabilidade a Prática. Amanda Prado - Itaueira Flávia Ponte - GS1 Brasil 1 Rastreabilidade a Prática Amanda Prado - Itaueira Flávia Ponte - GS1 Brasil O que é Rastreabilidade? É a capacidade de recuperação do histórico, da aplicação ou da localização de uma entidade (ou item)

Leia mais

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência RFID RFID - Identificação por Radiofreqüência Sistema de Identificação por Radio Frequência O que é RFID? Objetivo e utilidade similares ao código de barras; Composto por 3 elementos: Uma antena; Um leitor;

Leia mais

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3 Brasil EPC Código Eletrônico de Produto Volume 3 A implementação do código eletrônico de produto (EPC) e da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), promete importantes benefícios aos consumidores

Leia mais

A Internet das Coisas

A Internet das Coisas A Internet das Coisas Seminário de Sistemas e Tecnologias de Informação Clarisse Silveira 20111507 Jaime Correia 20011477 José Virtudes 20111493 Rui Venâncio 20111509 Movie Time! IoT Universidade Atlântica

Leia mais

Introdução a computação móvel. Middlewares para Rede de Sensores sem Fio. Uma avaliação na ótica de Adaptação ao Contexto

Introdução a computação móvel. Middlewares para Rede de Sensores sem Fio. Uma avaliação na ótica de Adaptação ao Contexto Introdução a computação móvel Monografia: Middlewares para Rede de Sensores sem Fio Uma avaliação na ótica de Adaptação ao Contexto Adriano Branco Agenda Objetivo do trabalho O que é uma WSN Middlewares

Leia mais

White Paper. Como os sistemas portáteis de identificação por radiofrequência (RFID) melhoram as operações e o retorno sobre o investimento (ROI)

White Paper. Como os sistemas portáteis de identificação por radiofrequência (RFID) melhoram as operações e o retorno sobre o investimento (ROI) White Paper Como os sistemas portáteis de identificação por radiofrequência (RFID) melhoram as operações e o retorno sobre o investimento (ROI) Escalabilidade inerente elimina o custo incremental Introdução

Leia mais

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA PROJETO SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO ALUNO RICARDO CARDOSO TERZELLA

Leia mais

A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico

A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico Avenida Prudente de Morais, 290 4º andar Cidade Jardim (31) 2531 0166 contato@idel.com.br www.idel.com.br 1 Palestrante Mac

Leia mais

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA TÍTULO: UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES DEDICADOS PARA O DESENVOLVIMENTO E ELABORAÇÃO DO MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR (MFV) EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO ENXUTA LEAN PRODUCTION CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

Qualidade de Dados em Data Warehouse

Qualidade de Dados em Data Warehouse Qualidade de Dados em Data Warehouse Prof. Dr. Jorge Rady de Almeida Jr. Escola Politécnica da USP C/1 Relevância do Tema Principal motivação p/ manter alta QD: impactos nos lucros DW: tomada de decisões

Leia mais

Supply Chain Management. SCM e Ti aplicada à Logística Marco Aurelio Meda

Supply Chain Management. SCM e Ti aplicada à Logística Marco Aurelio Meda Supply Chain Management e TI aplicada à Logística 24 de Junho de 2004 SCM e Ti aplicada à Logística Cenário de Competição... Operações Globalizadas Operações Integradas Introdução LOGÍSTICA Tecnologia

Leia mais

SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO PELA SOFTHOUSE

SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO PELA SOFTHOUSE SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO PELA SOFTHOUSE Marcelo Pereira Barbosa Email: mpbbarbosa@bol.com.br Vínculo: Professor da Escola Técnica Estadual "Lauro Gomes"

Leia mais

MONITORAMENTO WIRELESS EM TEMPERATURA, UMIDADE, PRESSÃO & GPS

MONITORAMENTO WIRELESS EM TEMPERATURA, UMIDADE, PRESSÃO & GPS 1 AR AUTOMAÇÃO EMPRESA & SOLUÇÕES A AR Automação é uma empresa especializada no desenvolvimento de sistemas wireless (sem fios) que atualmente, negocia comercialmente seus produtos e sistemas para diferentes

Leia mais

Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais

Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais Proposta de Trabalho

Leia mais

A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing

A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing Marcello de Lima Azambuja A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing Dissertação de Mestrado Dissertation presented to the Postgraduate Program in Informatics of the Departamento

Leia mais

O GERENCIAMENTO DE REQUISITOS E A SUA IMPORTÂNCIA EM PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

O GERENCIAMENTO DE REQUISITOS E A SUA IMPORTÂNCIA EM PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE O GERENCIAMENTO DE REQUISITOS E A SUA IMPORTÂNCIA EM PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Leonardo Manoel Mendes¹, Rogério Homem da Costa², Reinaldo Lorenso³ 1. Especializando do Curso de Pós-Graduação

Leia mais

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Maycon Cirilo dos Santos¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil mayconsi2012@gmail.com, wyllian@unipar.br

Leia mais

O USO DE PLATAFORMAS OPEN SOURCE PARA O ENSINO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA (RFID)

O USO DE PLATAFORMAS OPEN SOURCE PARA O ENSINO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA (RFID) O USO DE PLATAFORMAS OPEN SOURCE PARA O ENSINO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA (RFID) Katielle Dantas Oliveira 1 katielledantas@gmail.com Maurício Barros de Almeida Neto 1 mauricio.ifce.br@gmail.com

Leia mais

FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS

FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS FUNCIONAMENTO DOS RFID s O Um sistema de RFID é composto, basicamente, por uma antena, que funciona como receptor, faz a leitura do sinal

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, setembro de 2014 Roteiro PARTE I Apresentação da Disciplina PARTE II Introdução à Redes Sem Fio Apresentação do Professor

Leia mais

LINGUAGEM DE ESPECIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO (SDL) APLICADA AO PROCESSO DE VERIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DE SISTEMAS REATIVOS

LINGUAGEM DE ESPECIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO (SDL) APLICADA AO PROCESSO DE VERIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DE SISTEMAS REATIVOS LINGUAGEM DE ESPECIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO (SDL) APLICADA AO PROCESSO DE VERIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DE SISTEMAS REATIVOS Fabiana Fraga Ferreira Bacharelanda em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

SOLUÇÕES DE MOBILIDADE E COMUNICAÇÃO PARA EFICIÊNCIA E SEGURANÇA PORTUÁRIAS

SOLUÇÕES DE MOBILIDADE E COMUNICAÇÃO PARA EFICIÊNCIA E SEGURANÇA PORTUÁRIAS SOLUÇÕES DE MOBILIDADE E COMUNICAÇÃO PARA EFICIÊNCIA E SEGURANÇA PORTUÁRIAS O PULSO VITAL DA ATIVIDADE PORTUÁRIA Cerca de 80% de todo o comércio mundial é despachado por contêineres, de modo que o gerenciamento

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração. Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Marcus Fontes

FTAD Formação Técnica em Administração. Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Marcus Fontes FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Marcus Fontes AULA PASSADA: CADASTRAMENTO DE MATERIAIS UMA REVISÃO RÁPIDA CONCEITO DE CADASTRAMENTO DE MATERIAIS E SUAS

Leia mais

Developers Magazine http://www.developers.com.br

Developers Magazine http://www.developers.com.br Developers Magazine http://www.developers.com.br Edição 54, Fevereiro de 2001. Mobilidade na Segurança Corporativa A Aliança dos Agentes Móveis e Tecnologias de Segurança Contra os Crackers Francisco Gomes

Leia mais

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento A solução para relacionamento de Smart Grid com os consumidores Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento asmart Grid + Relacionamento ferramenta

Leia mais

ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS

ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS Fabiana da Silva Podeleski Faculdade de Engenharia Elétrica CEATEC podeleski@yahoo.com.br Prof. Dr. Omar Carvalho Branquinho Grupo de Pesquisa

Leia mais

DEFINIÇÃO DE UMA REDE DE SENSORES SEM FIO PARA A ARQUITETURA AGROMOBILE 1

DEFINIÇÃO DE UMA REDE DE SENSORES SEM FIO PARA A ARQUITETURA AGROMOBILE 1 DEFINIÇÃO DE UMA REDE DE SENSORES SEM FIO PARA A ARQUITETURA AGROMOBILE 1 Marcos Sulzbach Morgenstern 2, Roger Victor Alves 3, Vinicius Maran 4. 1 Projeto de Pesquisa Agromobile - Uma Arquitetura de Auxílio

Leia mais

Análise qualitativa do processo de workflow da ouvidoria do IFMG campus Bambuí: um estudo de caso

Análise qualitativa do processo de workflow da ouvidoria do IFMG campus Bambuí: um estudo de caso Análise qualitativa do processo de workflow da ouvidoria do IFMG campus Bambuí: um estudo de caso Estefânia Paula da SILVA¹; Lígia Maria SOARES PASSOS² ¹ Aluna do curso de Engenharia de Produção do IFMG

Leia mais

APLICAÇÃO DE SCRUM NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PARA O PROGRAMA DE MONITORAMENTO DO CLIMA ESPACIAL (INPE) - ESTUDO DE CASO. André A.

APLICAÇÃO DE SCRUM NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PARA O PROGRAMA DE MONITORAMENTO DO CLIMA ESPACIAL (INPE) - ESTUDO DE CASO. André A. APLICAÇÃO DE SCRUM NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PARA O PROGRAMA DE MONITORAMENTO DO CLIMA ESPACIAL (INPE) - ESTUDO DE CASO André A. de Souza Ivo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Brasil,

Leia mais

NOVO MODELO PARA AUTORIZAÇÃO EM FEDERAÇÕES DE IDENTIDADE PARA COMPUTAÇÃO EM NUVEM

NOVO MODELO PARA AUTORIZAÇÃO EM FEDERAÇÕES DE IDENTIDADE PARA COMPUTAÇÃO EM NUVEM NOVO MODELO PARA AUTORIZAÇÃO EM FEDERAÇÕES DE IDENTIDADE PARA COMPUTAÇÃO EM NUVEM Paulo Fernando da Silva Orientador Prof. Dr. Carlos Becker Westphall Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação

Leia mais

Grande parte dos planejadores

Grande parte dos planejadores ARTIGO Fotos: Divulgação Decidindo com o apoio integrado de simulação e otimização Oscar Porto e Marcelo Moretti Fioroni O processo de tomada de decisão Grande parte dos planejadores das empresas ainda

Leia mais

Utilização de FMEA nos Processos de Desenvolvimento e Teste de Software

Utilização de FMEA nos Processos de Desenvolvimento e Teste de Software Utilização de FMEA nos Processos de Desenvolvimento e Teste de Software Bolívar Arthur Butzke 1, Karine Baiotto 1, Msc. Adalberto Lovato 1, Msc. Vera Lúcia Lorenset Benedetti 1 1 Sistemas de Informação

Leia mais

definido por um documento de padronização. A Fig. 1 representa a organização dos Grupos de Processos juntamente com os documentos exigidos.

definido por um documento de padronização. A Fig. 1 representa a organização dos Grupos de Processos juntamente com os documentos exigidos. A GESTÃO DE PROJETOS EXISTENTE NA NORMA DO-178B Matheus da Silva Souza, matheusdasilvasouza@gmail.com Prof. Dr. Luiz Alberto Vieira Dias, vdias@ita.br Instituto Tecnológico de Aeronáutica Praça Marechal

Leia mais

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 5 Conclusões 133

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 5 Conclusões 133 Capítulo 5 Conclusões 133 CAPÍTULO 5 CONCLUSÕES Neste capítulo são abordadas as conclusões traçadas no desenvolvimento e validação do SMD, e indicação de estudos futuros. Ressalta-se o atendimento aos

Leia mais

Rastreamento na Produção de Açúcar

Rastreamento na Produção de Açúcar CASE Rastreamento na Produção de Açúcar Com este objetivo foi desenhado o projeto, visando capturar as informações dos Big bags em momentos chave do processo produtivo. A Solução Com estas informações

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE RASTREABILIDADE APLICADO À CADEIA DE PRODUÇÃO DO VINHO RESUMO

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE RASTREABILIDADE APLICADO À CADEIA DE PRODUÇÃO DO VINHO RESUMO DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE RASTREABILIDADE APLICADO À CADEIA DE PRODUÇÃO DO VINHO RESUMO LUÍS FERNANDO DE ABREU PORTO 1 MARCOS AURÉLIO LOPES 2 ANDRÉ LUIZ ZAMBALDE 3 O presente trabalho teve por objetivo

Leia mais

Integração de Projetos na Fase de Engenharia

Integração de Projetos na Fase de Engenharia 1 Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação MBA Gestão de Projetos Turma 19 20 de Dezembro 2014 Integração de Projetos na Fase de Engenharia Josie de Fátima Alves Almeida Engenheira Civil josiealmeida@bol.com.br

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO PÉGASUS GPRS STUDIO V3.03 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO 3i Soluções Ind. Com. de Equip. Eletrônicos e Serviços em Materiais Elétricos Ltda. Rua Marcilio Dias, 65 Lapa CEP 05077-120 São Paulo - SP Brasil

Leia mais

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL Solução Tecnologia Monitoramento Instalação SOLUÇÃO A solução de rastreamento Unepxmil foi desenvolvida para atender as principais necessidades

Leia mais

PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES *

PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES * PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES * Rosemar Aquino de Rezende JUNIOR 1 ; Laura Vitória Rezende DIAS 2 ; Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 3. 1 Bolsista do PET

Leia mais

Simulação de coleta de dados em redes de sensores sem o por robôs móveis utilizando a ferramenta Player/Stage

Simulação de coleta de dados em redes de sensores sem o por robôs móveis utilizando a ferramenta Player/Stage Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM Simulação de coleta de dados em redes de sensores sem o por robôs móveis utilizando

Leia mais

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02 Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02 Agenda 1. Segurança da Informação 1.1.Introdução 1.2.Conceitos 1.3.Ameaças a Segurança da

Leia mais

Pesquisa Européia Sustentabilidade na agropecuária

Pesquisa Européia Sustentabilidade na agropecuária Pesquisa Européia Sustentabilidade na agropecuária Dr. Peter Zuurbier Europa FP7 - Objetivos chave Proteção ambiental : Proteger a diversidade de espécies, respeitar os limites dos recursos naturais, previnir

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais UNIDADE CURRICULAR Qualidade Total e Gestão das Operações MESTRADO Gestão Negócios ANO E

Leia mais

Jonathan J. Campos, Jefferson de Faria, William de O. Sant Ana

Jonathan J. Campos, Jefferson de Faria, William de O. Sant Ana APLICAÇÕES GEOGRÁFICAS NA WEB PARA INTEGRACÃO DE DADOS DO MONITORAMENTO AMBIENTAL DE ÁREAS DEGRADADAS PELA MINERAÇÃO DE CARVÃO NA BACIA CARBONÍFERA DO SUL DO ESTADO DE SANTA CATARINA Jonathan J. Campos,

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Ênfase em Gestão da Qualidade e Processos. ENDEREÇO CIDADE ESTÂNCIA VELHA E-MAIL ZENIR.SANTOS@GMAIL.

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Ênfase em Gestão da Qualidade e Processos. ENDEREÇO CIDADE ESTÂNCIA VELHA E-MAIL ZENIR.SANTOS@GMAIL. PROPOSTA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO ALUNO ZENIR SALETE DOS SANTOS CURSO IDENTIFICAÇÃO MATRÍCULA: 1010033 ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Ênfase em Gestão da Qualidade e Processos. ENDEREÇO AV. AÇORES,

Leia mais

13560-320 - São Carlos SP Brasil. {colenci, rodrigo, fredy}@cossconsulting.com

13560-320 - São Carlos SP Brasil. {colenci, rodrigo, fredy}@cossconsulting.com Rastreabilidade na Saúde com WelCOSS-iHealth: Sistema inteligente para controle de estoque e movimentação de sangue e hemoderivados baseada em etiquetas RFID EPC Colenci Neto. Alfredo 1, Bianchi, Rodrigo

Leia mais

Busca Estocástica Baseada em Planejamento para Maximizar Metas em Jogos de RTS

Busca Estocástica Baseada em Planejamento para Maximizar Metas em Jogos de RTS Busca Estocástica Baseada em Planejamento para Maximizar Metas em Jogos de RTS Autor:Thiago França Naves 1, Orientador: Carlos Roberto Lopes 1 1 Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR (Currículo 2006.2) Agosto de 2010 Hodiernamente não mais se concebe que a formação do futuro profissional

Leia mais

Conexão Sem Fio Guia do Usuário

Conexão Sem Fio Guia do Usuário Conexão Sem Fio Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. Bluetooth é marca comercial dos respectivos

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração. Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Gildo Neves Baptista jr

FTAD Formação Técnica em Administração. Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Gildo Neves Baptista jr FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais Aula 2 Prof. Gildo Neves Baptista jr AULA PASSADA: CADASTRAMENTO DE MATERIAIS UMA REVISÃO RÁPIDA CONCEITO DE CADASTRAMENTO DE MATERIAIS

Leia mais

O WMS Armhazena desenvolvido e mantido pela MHA, é uma ferramenta TOTALMENTE WEB

O WMS Armhazena desenvolvido e mantido pela MHA, é uma ferramenta TOTALMENTE WEB ArMHAzena (WMS) Ferramenta Gestora Supply Chain TRAGA SUA EMPRESA PARA NUVEM O WMS Armhazena senvolvido e mantido pela MHA, é uma ferramenta TOTALMENTE WEB. Após zesseis (16) anos mercado e inúmeras implementações

Leia mais

Logística Integrada. Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente.

Logística Integrada. Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente. Logística Integrada Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente. Ballou (1993) Fonte: BALLOU, R. H. Logística Empresarial.

Leia mais

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a...

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... INNOVA Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... Maximizar o rendimento e a produtividade Estar em conformidade com os padrões de qualidade e garantir a segurança dos alimentos Obter

Leia mais

Modelo e Implementação para Gestão de Conhecimento em Comunidades Virtuais de Software Livre

Modelo e Implementação para Gestão de Conhecimento em Comunidades Virtuais de Software Livre Modelo e Implementação para Gestão de Conhecimento em Comunidades Virtuais de Software Livre Tiago Nicola Veloso, Licia de Cassia Nascimento, Flávia Maria Santoro Departamento de Informática Aplicada Universidade

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas......8 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 é um rastreador desenvolvido com os mais rígidos padrões de qualidade

Leia mais

COMO AS SOLUÇÕES DIGITAIS ESTÃO TRANSFORMANDO A GESTÃO DO SUPPLY CHAIN CARLOS VALLE, OUTUBRO/2015

COMO AS SOLUÇÕES DIGITAIS ESTÃO TRANSFORMANDO A GESTÃO DO SUPPLY CHAIN CARLOS VALLE, OUTUBRO/2015 COMO AS SOLUÇÕES DIGITAIS ESTÃO TRANSFORMANDO A GESTÃO DO SUPPLY CHAIN CARLOS VALLE, OUTUBRO/2015 UM MUNDO SUPER CONECTADO! Redefinir o seu modelo de negócio Conectando pessoas, devices e redes de negócios

Leia mais

IO-Link T15 - Soluções em sensores inteligentes IO Link

IO-Link T15 - Soluções em sensores inteligentes IO Link 5058-CO900F IO-Link T15 - Soluções em sensores inteligentes IO Link Programação Quem/O que é IO-Link? A importância do IO-Link Exemplos de aplicações (situações de uso) Arquitetura do Sistema IO-Link Configuração/Demonstração

Leia mais

Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos

Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos GS1 Brasil Rio Janeiro Rastreabilida e Autenticida Medicamentos XV ENCONTRO TÉCNICO E XI ENCONTRO EMPRESARIAL Wilson Cruz - 2010 GS1: trabalhando em colaboração com as empresas GS1 trabalha em colaboração

Leia mais

Sistemas de Automação

Sistemas de Automação Sistemas de Automação Introdução Walter Fetter Lages w.fetter@ieee.org Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Elétrica Programa de Pós-Graduação em Engenharia

Leia mais

Table 1. Dados do trabalho

Table 1. Dados do trabalho Título: Desenvolvimento de geradores de aplicação configuráveis por linguagens de padrões Aluno: Edison Kicho Shimabukuro Junior Orientador: Prof. Dr. Paulo Cesar Masiero Co-Orientadora: Prof a. Dr. Rosana

Leia mais

Uma Abordagem para Tratamento de Regras de Negócio nas Fases Iniciais do Desenvolvimento

Uma Abordagem para Tratamento de Regras de Negócio nas Fases Iniciais do Desenvolvimento Uma Abordagem para Tratamento de Regras de Negócio nas Fases Iniciais do Desenvolvimento Marco Antonio De Grandi, Valter Vieira de Camargo, Edmundo Sérgio Spoto Centro Universitário Eurípides de Marília

Leia mais