Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT"

Transcrição

1 Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT

2 Inovação: motor da competitividade e do desenvolvimento sustentado O investimento bem sucedido em inovação: Aumenta produtividade e cria novos produtos: empresa e país Gera mais e melhores empregos: maior participação dos salários na renda nacional É vetor de competitividade: mais valor agregado e presença nos mercados globais Soluciona demandas da sociedade: Saúde, Meio Ambiente, Complexos Urbanos Protege as Nações: Defesa Crescimento com base na inovação Convergência de interesses: Cidadão, Empresas e Estado

3 O ritmo do progresso técnico : Evolução da disponibilidade de tecnologias de informação por habitante (klbts/per capita) Fonte: Hilbert, 2010 Inovações surgem e substituem produtos e práticas: Tecnologias de Informação, Nanotecnologia, Biotecnologia, Energias Renováveis Inovação: investimento de alto risco, alto retorno e de longo prazo

4 O presente confirma sua relevância A crise recente não afetou o ritmo e a intensidade de geração de inovações Empresas líderes mundiais 64% mantém inovação como prioridade estratégica. 58% pretendem aumentar dispêndios com inovação. Inovação: arma para manter ou expandir mercados em um ambiente de acirrada concorrência entre empresas e países

5 Inovação: protagonismo da empresa Investimento Público e Privado em P&D (% PIB) Rússia (2008) Brasil (2008) Espanha (2007) Canadá (2008) Re ino Unido (2008) China (2007) Ale manha (2007) Estados Unidos (2008) Core ia (2007) Japão (2007) 0,67 0,30 0,59 0,48 0,55 0,58 0,61 0,88 0,56 0,89 0,36 1,01 0,70 0,75 0,80 0,54 Governo Setor empresarial 1,72 1,86 2,36 2,67 0,00 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50 3,00 Fonte: Elaborado com base em Setor Privado é o protagonista. Nos países avançados, mais de 70% dos dispêndios são realizados pelas empresas. Grandes Empresas: mais de 60% do investimento em P&D no mundo. Inovação demanda comprometimento com o longo prazo, recursos e disposição ao risco

6 Política de Estado Gestão Compartilhada MCT/MDIC/MEC/MS/ MAPA/MF/MP Política Econômica Plano de Aceleração do Crescimento Infraestrutura PAC Plano de Desenvolvimento da Educação PDE Plano de Desenvolvimento da Saúde Política de Desenvolvimento Produtivo PDP Plano de Ação em Ciência, Tecnologia e Inovação PACTI Plano de Desenvolvimento da Agropecuária Foco dos investimentos: modernização P,D&I ampliação da capacidade Políticas em 2 níveis com atenção à dimensão regional: estrutural sistêmica

7 Consolidação Institucional do Sistema Nacional de C,T&I $ CENPES ANATEL ANEEL ANP Maior Interlocução Governo Federal Governo Estadual Secretarias p/ C,T&I e FAP FINEP BNDES CAPES CNPq $ $ Institutos Tecnológicos Centros de P&D Sibratec Universidades Empresas

8 Desafios 1. Manter o investimento liderando a expansão econômica para assegurar a estabilidade e defletir pressões inflacionárias Expandir fornecedores para Petróleo e Gás Fortalecer cadeias voltadas para o mercado interno Fomentar cadeias associadas aos investimentos em infraestrutura 2. Fortalecer a capacidade de inovação das empresas brasileiras Induzir investimentos de empresas líderes Fomentar Planos de inovação em MPEs Fortalecer Redes de Pesquisa e Inovação SIBRATEC- 3. Ampliar exportações de manufaturados e diminuir dependência de importação de itens estratégicos, com produção local competitiva Evitar dependência excessiva de commodities Cadeias da química, eletrônica e energia, por exemplo, merecem atenção especial 4. Ampliar a capacidade de formação de RH e a infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica

9 Prioridade à Política de Inovação Até 2002 os únicos instrumentos para apoiar a inovação nas empresas eram: Crédito da FINEP com juros de TJLP + 5%; Incentivos fiscais da Lei de Informática Principais instrumentos e programas atuais: Crédito com juros baixos para inovação (FINEP e BNDES) Participação em fundos de capital de risco (FINEP e BNDES) Participação acionária em empresas inovadoras (BNDES) Incentivos fiscais (Lei de Informática e Lei do Bem) Subvenção econômica para inovação (Editais Nacionais; PAPPE; PRIME) Programa nacional de incubadoras e parques tecnológicos Compras governamentais (MP 495) Apoio a P&D nas empresas por instituições de pesquisa, via SIBRATEC (Sistema Brasileiro de Tecnologia)

10 Dispêndio nacional em P&D como razão do PIB (%) 0,65 % PIB em P&D pelo setor privado 1,40% % PIB 1,20% 1,00% 1,02% 1,04% 0,98% 0,96% 0,90% 0,97% 1,00% 1,07% 1,09% 1,18% 1,22% Total 0,80% 0,60% 0,40% Público 0,64% 0,66% 0,55% 0,57% 0,57% 0,59% 0,53% 0,52% 0,48% 0,48% 0,50% 0,54% 0,56% 0,47% 0,47% 0,49% 0,50% 0,50% 0,50% 0,46% 0,44% 0,42% Empresarial 0,20% 0,00%

11 1,80% 1,60% Dispêndio nacional em C&T e P&D como razão do PIB (%) C&T: 1,61 % 1,40% 1,20% P&D: 1,22 % 1,00% 0,80% 0,60% C&T P&D 2007 a 2010: aumento de 14% no dispêndio nacional em P&D como razão do PIB (1) (1) (1) 2009 a 2010 estimado pela variação percentual média de 2000 a

12 Dispêndio nacional em C&T e P&D em bilhões de reais correntes 60 bilhões de R$ correntes R$ 55,9 bilhões C&T P&D ACTC R$ 42,2 bilhões R$ 13,7 bilhões (1) (1) (1) 2009 a 2010 estimado pela variação percentual média de 2000 a

13 PACTI e PDP: principais medidas implementadas PACTI e PDP: meta comum para investimento empresarial em P&D De 0,51% do PIB em 2005 para 0,65% do PIB em 2010 Cerca de R$ 16 bilhões mobilizados p/ Inovação nas empresas Subvenção e Incentivos Fiscais: R$ 5,4 bilhões Financiamento: R$ 9,6 bilhões Programas Estruturantes: R$ 0,7 bilhão

14 Medidas em implementação Poder de compra (MP 495/2010) - Editada propõe alterações do artigo 3º da Lei nº 8.666/1993 Institui margem de preferência a produtos manufaturados nacionais e serviços nacionais, em compatibilização com a Lei de Inovação Fundações (MP Nº 495/2010, que altera as Leis /2003, e 8.745/1993) - Editada Permite que as ICTs e as Agências de Fomento possam realizar convênios, contratos e acordos com fundações criadas para dar apoio a projetos de pesquisa e de desenvolvimento institucional, científico e tecnológico, Desoneração tributária da Subvenção Econômica (MP 497/ 2010) - Editada Exclui da base de cálculo do IRPJ e da CSLL os recursos recebidos pelas empresa a título de subvenção econômica 19

15 Edital Subvenção Econômica 2010 Foco: Programas Mobilizadores PDP/PACTI Chamada Pública FINEP/MCT Ago/2010 Valor do Edital: R$ 500 milhões Temas: TIC Energia Nanotecnologia/Biotecnologia Saúde Defesa Desenvolvimento Social Participação: BNDES/MDIC, MS, MD, PETROBRAS/CENPES, MME, EMBRAPA

16 Apoio à Gestão de Inovação Parceria: MCT/FINEP, MDIC/BNDES, CNI, SEBRAE Apoio: Movimento Empresarial pela Inovação (MEI) Valor global: R$ 100 milhões 1) Edital FINEP Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação Chamada Pública MCT/FINEP PRÓ-INOVA: R$ 50 M Objetivo: ampliar a capacidade das empresas brasileiras na elaboração de planos e projetos de Gestão da Inovação. Para tanto serão constituídos NAGIs preferencialmente nas federações das indústrias Resultados esperados: atendimento de cerca de 800 a 1600 empresas através da criação de 20 NAGIs

17 Apoio à Gestão de Inovação 2) Redes de Núcleos de Inovação CNI/SEBRAE: R$ 50 M Objetivo: implantar planos de inovação nas MPEs industriais através de ações de mobilização, capacitação, consultoria e assessoria desenvolvidas pelos Núcleos Estaduais de Inovação da MEI Resultados esperados: implantação de 3000 planos de inovação nas empresas e assessorar a elaboração de 2400 projetos para submissão aos órgãos de fomento

18 Comprometimentos 1 Criação de Comitê de Articulação (Sala de Inovação) Mesa única de negociação empresa/instituições públicas para dar apoio efetivo, eficaz e facilitar o acesso a benefícios de política existentes Ligado às Secretarias Executivas da PDP e da PACTI Participantes: MF, MDIC, MCT e seus órgãos

19 Comprometimentos 2 Orçamento 2010 BNDES para inovação: R$ 1,6 Bilhões (fundos, participação acionária, recursos não reembolsáveis e crédito) Orçamento 2010 de crédito FINEP: R$ 1,6 B Programa de Sustentação do Investimento Inovação Até 31/12/2010: R$ 2 bilhões Taxas de 3,5% e 4,5% FINEP operará PSI em montante até R$ 750 milhões Não faltarão recursos do BNDES e da FINEP para a inovação!

20 MISSÃO DO MCT: Cultura da Inovação I N O V A Ç Ã O ABSORÇÃO DA CULTURA DA INOVAÇÃO Motivação SBRT Extensão Tecnológica SIBRATEC Superação de Exigências Técnicas do Mercado Serviços Tecnológicos Parcerias com ICT Centros de Inovação EI INSTRUMENTOS Recursos próprios Financiamentos Subvenção econômica Incentivos fiscais Bolsas para P,D&I Cursos de capacitação em P,D&I Outros

21 Programas para apoio às Empresas Inovadoras P R Ó - Empresas de Base Tecnológica em consolidação PNI Incubadoras Parques Tecnológicos INOVAR Incubadora de fundos Fórum Brasil de inovação Portal capital de risco Brasil Rede inovar Capacitação/Treinamento de agentes PRIME Subvenção Econômica Juro Zero I N O V A SIBRATEC EI Empresas Consolidadas Financiamento Inova Brasil Juro Zero Outros Subvenção Econômica Subvenção à Inovação Pappe-Subvenção Outros Incentivos Fiscais Lei do Bem Lei de Informática Outros RH para P,D&I Capacitação de dirigentes de PME RHAE Pesquisador na Empresa Outras bolsas de P,D&I do CNPq

22 Maior gargalo para inovar? Recursos humanos Desafio complexo: Como formar gente preparada para inovar? Forma agentes inovadores com: Conteúdo técnico especializado e interdisciplinar Criatividade Empreendorismo Disciplina Clareza de propósitos

23 Plano de Ação Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Mestres e doutores titulados anualmente Mestrado Doutorado 36 mil mestres formados em ,7 mil doutores formados em fonte: Capes/MEC

24 Valor relativo Plano de Ação Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Crescimento das publicações científicas Aumento de 11,3%/ano 4,8 x a média mundial e 2,12% da produção mundial em Brasil Mundo Ano

25 Plano de Ação Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Participação do Brasil no mundo atual PIB 2% O Brasil tem hoje mais de pesquisadores. Tem a maior e mais qualificada comunidade de C&T da América Latina Publicações científicas 2,4% Entretanto, Patentes 0,2%

26 Novos contextos: redefinindo a missão da Universidade Etzkowitz e Leydesdorff: a Tríplice Hélice Interação universidade, empresa e governo: papéis compartilhados e sobrepostos Vontade política da administração central da universidade e institutos de pesquisa Vocação e convicção do corpo docente e de pesquisadores Estrutura de gestão em moldes empresariais Articulação institucional entre a academia, o mercado e as instituições governamentais: NITs

27 Novos contextos: redefinindo a missão da Universidade Gibbons: o Modo 2 de produção do conhecimento "Accountability" e reflexividade: responsabilidade social da IES e dos pesquisadores Conhecimento produzido no contexto das aplicações Transdisciplinaridade e diversidade organizacional Maior colaboração com quem possui conhecimento prático sobre problemas específicos e localizados

28 Torna-se fundamental a atuação de instâncias mediadoras para articular os interesses da academia e das empresas de acordo com as políticas estratégicas do país. O papel dos Núcleos de Inovação Tecnológica - NIT

29 Desafios para a academia Adequado dimensionamento dos NIT e seu reconhecimento pelos órgãos dirigentes da ICT e pelas áreas acadêmicas Articulação dos pesquisadores com o mundo empresarial, compatibilizando os interesses da ICT, do pesquisador e das empresas Capacitação do pessoal do NIT e de pesquisadores no uso da PI e gestão dos ativos intangíveis, especialmente em buscas de anterioridades e redação de patentes Institucionalização de procedimentos para as atividades de depósitos de patentes e contratos de licenciamento Envolvimento de docentes e alunos: reformulação dos currículos sintonizados com o mercado de trabalho (conceitos de inovação, empreendedorismo e PI): a questão dos critérios de avaliação das ICT pelo MEC e CAPES

30 Convite Workshop Nacional dos Núcleos de Inovação Tecnológica Data: 8 e 9 de novembro Brasília DF Objetivo: conferir visibilidade as ações dos NIT e possibilitar a troca de experiências e compartilhamento das boas práticas. Os NIT poderão encaminhar informações de boas práticas preenchendo formulário específico, até o dia 04 de outubro de Informações:

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

Tributação e Incentivos à Inovação

Tributação e Incentivos à Inovação VIII Seminário do Setor de Saúde - BRITCHAM Tributação e Incentivos à Inovação São Paulo/SP, 17 de junho de 2009 Inovação Tecnológica no Brasil 30% das empresas industriais realizam algum tipo de inovação

Leia mais

Políticas de Propriedade

Políticas de Propriedade Políticas de Propriedade Intelectual Rubens de Oliveira Martins SETEC/MCT Ministério da Ciência e Tecnologia Propriedade Intelectual Conceito: sistema de proteção que gera direito de propriedade ou exclusividade

Leia mais

Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados

Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados III Workshop das Unidades de Pesquisa do MCT e a Inovação Tecnológica Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados Campinas, São Paulo, 30 e 31 de agosto de 2010 Subsecretaria de Coordenação das

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação 2007-2010. Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008

Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação 2007-2010. Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008 Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Plano de Ação 2007-2010 Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008 Política de Estado Configuração da Política Gestão Compartilhada

Leia mais

O Papel da FINEP como Fomentadora de Projetos de Inovação Tecnológica EDGARD ROCCA Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa AITP

O Papel da FINEP como Fomentadora de Projetos de Inovação Tecnológica EDGARD ROCCA Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa AITP O Papel da FINEP como Fomentadora de Projetos de Inovação Tecnológica EDGARD ROCCA Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa AITP erocca@finep.gov.br Tel: 21 2555-0641 Financiadora de Estudos e Projetos

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 O momento e as tendências Fundamentos macroeconômicos em ordem Mercados de crédito e de capitais em expansão Aumento do emprego

Leia mais

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI:

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria de Política de Informática - SEPIN outubro/2010 Agenda

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Estratégias de Inovação A Nova Estratégia Internacional do Brasil: Investimentos, Serviços e Inovação na Agenda Externa São Paulo,

Leia mais

XCIX Reunião Ordinária Andifes

XCIX Reunião Ordinária Andifes XCIX Reunião Ordinária Andifes Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Ciência e Tecnologia Brasília, 24 de março de 2011 O Desenvolvimento Brasileiro: Perspectiva Histórica Taxas Médias do Crescimento

Leia mais

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira:

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Plano Inova Empresa Inovação e desenvolvimento econômico Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Ampliação do patamar de investimentos Maior apoio

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto do Mercado de Carbono no Brasil Rio de Janeiro RJ, 09 de novembro de 2010 FINEP

Leia mais

A Mobilização Empresarial pela Inovação: síntese dos trabalhos e principais resultados

A Mobilização Empresarial pela Inovação: síntese dos trabalhos e principais resultados A Mobilização Empresarial pela Inovação: síntese dos trabalhos e principais resultados Pedro Wongtschowski São Paulo - 4/2/2011 CNI e vários líderes empresariais fizeram um balanço crítico da agenda empresarial

Leia mais

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Brasília 22 de março o de 2009 Inovação Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 EQPS Belo Horizonte Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria

Leia mais

Apresentação Institucional. Instrumentos de apoio. Evolução dos recursos. Apresentação de propostas

Apresentação Institucional. Instrumentos de apoio. Evolução dos recursos. Apresentação de propostas FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação da Finep São Paulo, 28/04/2009 O desenvolvimento das economias modernas demonstra o papel fundamental que, nesse processo, compete

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE EMPRESAS E PARQUES TECNOLÓGICOS P N I. Ministério da Ciência e Tecnologia

PROGRAMA NACIONAL DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE EMPRESAS E PARQUES TECNOLÓGICOS P N I. Ministério da Ciência e Tecnologia PROGRAMA NACIONAL DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE EMPRESAS E PARQUES TECNOLÓGICOS P N I 10/11/2008 Ministério da Ciência e Tecnologia Configuração da Política de Estado Gestão Compartilhada MCT/MDIC/MEC/MS/MAPA/MF/M

Leia mais

FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação

FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Fomento à Inovação no Brasil Desenvolvimento e Sustentabilidade ALIDE Fortaleza, maio 2010 FINEP Empresa pública federal, vinculada

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação

Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Missão da FINEP Promover e financiar a Inovação e a Pesquisa científica e tecnológica em: Empresas; Universidades; Centros de pesquisa;

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

Painel: Reestruturação do Marco Legal da Inovação Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados

Painel: Reestruturação do Marco Legal da Inovação Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados Painel: Reestruturação do Marco Legal da Inovação Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados Rio de Janeiro, 1 e 2 de setembro de 2010 Marco Legal da Inovação PODER DE COMPRA DO ESTADO E MARCO

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos

Financiadora de Estudos e Projetos Financiadora de Estudos e Projetos Cenário da Metrologia Nacional: Demandas e Oportunidades Carlos A. M. Couto Superintendente da ATED Área dos Institutos de Pesquisa Tecnológica. Rio de Janeiro, 17 de

Leia mais

Financiamento de Projetos para a Inovação

Financiamento de Projetos para a Inovação GESTÃO Financiamento de Projetos para a Inovação Objetivos da Aula Conhecer sobre o financiamento de projetos de pesquisa aplicada; Conhecer a dinâmica do processo de elaboração de projetos de pesquisa

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 2º Workshop Platec E&P Onshore - Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos

Leia mais

Painel B3: Transferência de Tecnologia

Painel B3: Transferência de Tecnologia Painel B3: Transferência de Tecnologia fatores de risco e de sucesso Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Pró-Inova

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de Tecnologia e Inovação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de Tecnologia e Inovação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo do MDIC Rio de Janeiro, Agosto de 2011 Introdução 1 Contexto

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil

Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil ANAIS DA 65ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC RECIFE, PE JULHO/2013 Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil Glauco Arbix Somente a inovação será capaz de reverter o quadro de estagnação da economia brasileira,

Leia mais

Cenário brasileiro do investimento da empresa em P&D. Ricardo Magnani

Cenário brasileiro do investimento da empresa em P&D. Ricardo Magnani Cenário brasileiro do investimento da empresa em P&D Ricardo Magnani Corporate Connect 2011 Agenda PACTI 2007-2010 Leis e Instrumentos Desafios de se investir em Inovação no Brasil E se eu não investir...

Leia mais

Os Caminhos das Inovações na Sociedade Contemporânea. Ronaldo Mota

Os Caminhos das Inovações na Sociedade Contemporânea. Ronaldo Mota FÓRUM GEduc -2011: Os Caminhos das Inovações na Sociedade Contemporânea Ronaldo Mota (Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação/MCT) IX Congresso Brasileiro de Gestão Educacional & I Congresso

Leia mais

Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL. Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas

Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL. Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Rochester Gomes da Costa Departamento de Capital Semente 29 de outubro

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Inovação Estratégia para o desenvolvimento do Brasil

Ciência, Tecnologia e Inovação Estratégia para o desenvolvimento do Brasil Ciência, Tecnologia e Inovação Estratégia para o desenvolvimento do Brasil José Antônio Silvério Coordenador de Capacitação Tecnológica Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação 1 Plano Brasil

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

FINEP UMA AGÊNCIA DE INOVAÇÃO. Vânia Damiani. Departamento de Instituições de Pesquisa Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa

FINEP UMA AGÊNCIA DE INOVAÇÃO. Vânia Damiani. Departamento de Instituições de Pesquisa Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa FINEP UMA AGÊNCIA DE INOVAÇÃO Vânia Damiani Departamento de Instituições de Pesquisa Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa A Missão da FINEP Promover o desenvolvimento econômico e social do Brasil

Leia mais

Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI!

Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI! Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI! 1 É preciso elevar a produtividade da economia brasileira (Fonte: BID ECLAC, Índice 1980=100) Produtividade na Ásia (média

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a Política Industrial

Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a Política Industrial 4o. Congresso Internacional de Inovação FIERGS Política Industrial em Mercados Emergentes Porto Alegre, 17 de novembro de 2011 Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a Política Industrial João Carlos

Leia mais

Inovar para competir. Competir para crescer.

Inovar para competir. Competir para crescer. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Plano 2011/2014 sumário Plano Brasil Maior...7 Dimensões do Plano...8 Dimensão Estruturante...11

Leia mais

Agenda. Inovação. A Finep. Instrumentos de Apoio (Reembolsável, Não-Reembolsável, Fundos) Inova Empresa / Inova Saúde. Programas de Descentralização

Agenda. Inovação. A Finep. Instrumentos de Apoio (Reembolsável, Não-Reembolsável, Fundos) Inova Empresa / Inova Saúde. Programas de Descentralização Agenda Inovação A Finep Instrumentos de Apoio (Reembolsável, Não-Reembolsável, Fundos) Inova Empresa / Inova Saúde Programas de Descentralização Nova fase da FINEP O que é inovação? Inovação é a introdução

Leia mais

O BNDES E A INOVAÇÃO

O BNDES E A INOVAÇÃO O BNDES E A INOVAÇÃO LUCIANO COUTINHO PRESIDENTE DO BNDES FÓRUM NACIONAL - INAE 17 de Maio de 2007 1 Onde Estamos A indústria de transformação precisa voltar a funcionar como motor propulsor da economia

Leia mais

OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE

OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE Maria Rita de Morais Chaves Santos (UFPI) Coordenação Regional FORTEC NE Coordenação NIT UFPI REDE NIT - NE Mrita/ufpi/2008 PERFIL Maria

Leia mais

Inovação no Complexo Industrial da Saúde

Inovação no Complexo Industrial da Saúde 3º ENCONTRO NACIONAL DE INOVAÇÃO EM FÁRMACOS E MEDICAMENTOS Inovação no Complexo Industrial da Saúde Painel: Fomento, Preços, Compras e Encomendas São Paulo SP, 15 de setembro de 2009 FINEP Empresa pública

Leia mais

Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com

Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com BRASIL - TERRITÓRIO, POPULAÇÃO E ECONOMIA: COMBINAÇÃO VITORIOSA Indonésia Área População > 4 milhões km 2 > 100 milhões Nigéria Canadá Rússia EUA Brasil China

Leia mais

A FINEP e a Inovação nas Empresas

A FINEP e a Inovação nas Empresas A FINEP e a Inovação nas Empresas Avílio Antônio Franco afranco@finep.gov.br A Missão da FINEP Promover e financiar a inovação e a pesquisa científica e tecnológica em empresas, universidades, centros

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

Agenda de Políticas para Inovação. Brasília, 14 de fevereiro de 2013

Agenda de Políticas para Inovação. Brasília, 14 de fevereiro de 2013 Agenda de Políticas para Inovação Brasília, 14 de fevereiro de 2013 Recursos Humanos para Inovação Horácio Lafer Piva - Klabin A Agenda Promover uma mudança no ensino brasileiro com direcionamento claro

Leia mais

COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E

COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E INDUSTRIA: POR UMA ESTRATÉGIA OUSADA DE INOVAÇÃO NO BRASIL Alvaro Toubes Prata Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação MCTI Open Innovation Seminar

Leia mais

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados Sistema Indústria CNI 27 Federações de Indústrias 1.136 Sindicatos Associados 622.874 Indústrias SENAI SESI IEL 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57

Leia mais

RELATÓRIO DE FOMENTO 2008

RELATÓRIO DE FOMENTO 2008 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação RELATÓRIO DE FOMENTO 2008 MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE Dados do Formulário sobre os investimentos das

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Financiamento para Inovação em Saúde Seminário sobre o Complexo Econômico-Industrial da Saúde Política Industrial para o Complexo

Leia mais

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico SIBRATEC Instituído por meio do Decreto 6.259, de 20 de novembro de 2007 e complementado pela Resolução do Comitê Gestor SIBRATEC nº 001, de 17 de março de 2008, para atender as demandas específicas de

Leia mais

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira:

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Plano Inova Empresa Inovação e desenvolvimento econômico Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Ampliação do patamar de investimentos Maior apoio

Leia mais

2003: ajuste macroeconômico, com corte substancial nos gastos públicos e aumento nas taxas reais de juro.

2003: ajuste macroeconômico, com corte substancial nos gastos públicos e aumento nas taxas reais de juro. 1 1 2 2 3 2003: ajuste macroeconômico, com corte substancial nos gastos públicos e aumento nas taxas reais de juro. 2004-06: recuperação econômica, com direcionamento do aumento da arrecadação federal

Leia mais

VII Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia. Angela Uller

VII Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia. Angela Uller VII Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia Angela Uller P&D Invenção Saber C&T Descoberta Conhecimento Um dos maiores problemas para se tratar da Inovação, seja para o estabelecimento

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Christimara Garcia CEO Inventta+bgi São Paulo, 29 de abril de 2015 CONTEXTO BRASILEIRO APOIO DIRETO Captação de Recursos Evolução dos desembolsos

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010 Plano Nacional de Banda Larga Brasília, 05 de maio de 2010 Sumário 1. Importância Estratégica 2. Diagnóstico 3. Objetivos e Metas 4. Ações 5. Investimento 6. Governança e Fórum Brasil Digital 2 1. Importância

Leia mais

o Fomento Público Federal

o Fomento Público Federal Seminário Biotecnologia e Inovação: Programas de Inovação e Incubadoras de Base Biotecnológicas Manaus, novembro de 2009 Algumas informações sobre o Fomento Público Federal Marcio de Miranda Santos Diretor

Leia mais

Fomento à Produção Nacional. Painel de Debate 16/4/2013

Fomento à Produção Nacional. Painel de Debate 16/4/2013 Fomento à Produção Nacional Painel de Debate 16/4/2013 A FINEP A FINEP - Agência Brasileira da Inovação - é uma empresa pública vinculada ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) criada em

Leia mais

Fomento e Incentivos Fiscais à Inovação. São Paulo, 12 de abril de 2011.

Fomento e Incentivos Fiscais à Inovação. São Paulo, 12 de abril de 2011. Fomento e Incentivos Fiscais à Inovação São Paulo, 12 de abril de 2011. MARCO LEGAL Lei de Inovação nº 10.973 02.12.04 Incentivo à Inovação Tecnológica e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Cooperação CSMIA-ABIMAQ/ IPT / POLI-USP 29 de Abril 2013 - AGRISHOW Desafios da Competitividade e Consolidação do Setor 1. A maioria

Leia mais

A Engenharia e o Desenvolvimento Regional. Palestrante: Prof. Dr. Ivaldo Leão Ferreira Professor Adjunto II VEM/EEIMVR/UFF

A Engenharia e o Desenvolvimento Regional. Palestrante: Prof. Dr. Ivaldo Leão Ferreira Professor Adjunto II VEM/EEIMVR/UFF A Engenharia e o Desenvolvimento Regional A Engenharia e o Desenvolvimento Regional Resumo A importância da qualidade e diversidade na formação do corpo de engenheiros regionais e a integração da indústria

Leia mais

Recursos subsidiados disponíveis hoje. empresas. para investimentos, giro e inovação nas. Palestrante: Antônio Carlos Rocha

Recursos subsidiados disponíveis hoje. empresas. para investimentos, giro e inovação nas. Palestrante: Antônio Carlos Rocha Competitividade para Gerar Negócios Recursos subsidiados disponíveis hoje para investimentos, giro e inovação nas empresas Palestrante: Antônio Carlos Rocha Coordenação: Nicolás Honorato SINAIS DA RECUPERAÇÃO

Leia mais

Levantamento da Base. Industrial de Defesa. Levantamento da Base. Industrial de Defesa (BID) Reunião Plenária do COMDEFESA

Levantamento da Base. Industrial de Defesa. Levantamento da Base. Industrial de Defesa (BID) Reunião Plenária do COMDEFESA Levantamento da Base Industrial de Defesa (BID) Levantamento da Base Reunião Plenária do COMDEFESA Industrial de Defesa São Paulo, 05 de março de 2012 (BID) Reunião Ordinária ABIMDE São Bernardo do Campo,

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Workshop: Os Desafios para a Industria Nacional de Petróleo e Gás BNDES, Rio de Janeiro - RJ, 02 de julho de 2008 FINEP Empresa pública

Leia mais

A Inovação. como Fator de Desenvolvimento das MPEs. Luiz Carlos Barboza. Diretor-Técnico del SEBRAE Nacional. 27 de outubro 2009

A Inovação. como Fator de Desenvolvimento das MPEs. Luiz Carlos Barboza. Diretor-Técnico del SEBRAE Nacional. 27 de outubro 2009 A Inovação como Fator de Desenvolvimento das MPEs Luiz Carlos Barboza Diretor-Técnico del SEBRAE Nacional 27 de outubro 2009 Ambiente Institucional Pro-inovaç inovação Fundos setoriais (16) estabilidade

Leia mais

PLANO DIRETOR 2014 2019

PLANO DIRETOR 2014 2019 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL EMBRAPII PLANO DIRETOR 2014 2019 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 4 2. MISSÃO... 8 3. VISÃO... 8 4. VALORES... 8 5. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 8 6. DIFERENCIAIS

Leia mais

- ATENÇÃO PESQUISADORES -

- ATENÇÃO PESQUISADORES - - ATENÇÃO PESQUISADORES - Informamos abaixo os últimos editais para fomento à pesquisa divulgados pela FAPESB e CNPQ, para conhecimento e possível envio de propostas de projetos: Órgão Responsável: FAPESP

Leia mais

NUCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - UESC

NUCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - UESC Boletim 13 Editais / FAPESB Visite nosso blog: / Edital 029/2010 Popularização da Ciência Educação Científica - financiamento de projetos institucionais de educação científica que propiciem a difusão e

Leia mais

Expandir, integrar, modernizar e consolidar o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação

Expandir, integrar, modernizar e consolidar o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Resumo Executivo Prioridade Estratégica I Expansão e Consolidação do Sistema Nacional de C,T&I Expandir, integrar, modernizar e consolidar o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Linha de

Leia mais

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Objetivos Avanço da ciência brasileira em tecnologia, inovação e competitividade, através da expansão da mobilidade internacional:

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Legenda: Branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento

Leia mais

Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia

Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia Visão Atual e 2021 3º CB APL 29 de novembro de 2007. Brasília - DF 1 CONTEXTO Fórum de Competitividade de Biotecnologia: Política de Desenvolvimento da

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO. I. Objetivos e Metas. Objetivo (o quê) Alcance (quanto) Prazo de realização (quando)

INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO. I. Objetivos e Metas. Objetivo (o quê) Alcance (quanto) Prazo de realização (quando) INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO I. Objetivos e Metas 1. Liste os 5 principais objetivos de inovação para o horizonte de cinco anos, identificando: Objetivo 1 Objetivo 2 Objetivo 3 Objetivo

Leia mais

Núcleo de Capital Inovador. Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica

Núcleo de Capital Inovador. Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica Núcleo de Capital Inovador Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica Anápolis cenário atual Segunda maior cidade do estado, com mais de 335 mil habitantes; 4,7 bilhões de reais de produto interno bruto,

Leia mais

Instituto de Engenharia

Instituto de Engenharia Instituto de Engenharia Os Caminhos da Engenharia Brasileira A Engenharia como Principal Vetor para a Inovação e Competitividade Benedito G. Aguiar Neto Reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie Introdução

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

Seminário: Investimentos e Incentivos Fiscais para Projetos de Inovação tecnológica. Câmara Brasil Alemanha Fevereiro - 2011

Seminário: Investimentos e Incentivos Fiscais para Projetos de Inovação tecnológica. Câmara Brasil Alemanha Fevereiro - 2011 Seminário: Investimentos e Incentivos Fiscais para Projetos de Inovação tecnológica Câmara Brasil Alemanha Fevereiro - 2011 A FINEP e as empresas inovadoras. Contexto Brasil - Baixo investimento em Inovação:

Leia mais

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje?

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje? Entrevista A diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Cândida Cervieri, foi entrevistada pelo Informativo RENAPI.

Leia mais

POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS & POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS & POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS & POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO REGINALDO BRAGA ARCURI Presidente Brasilia, 08 de março de 2010 Brasil: dados sobre educação FONTE: IBGE Segundo a ONU, na América Latina

Leia mais

Workshop sobre Apoio a Empresas de Base Tecnológica em SP Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico FAPESP

Workshop sobre Apoio a Empresas de Base Tecnológica em SP Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico FAPESP Workshop sobre Apoio a Empresas de Base Tecnológica em SP Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico FAPESP Aluysio Asti Superintendente da Área de Planejamento- BNDES Abril/2006 Marcos

Leia mais

ASSESSORIA ADJUNTA DE. Gerência de Propriedade Intelectual Gerência de Inovação

ASSESSORIA ADJUNTA DE. Gerência de Propriedade Intelectual Gerência de Inovação ASSESSORIA ADJUNTA DE INOVAÇÃO Gerência de Propriedade Intelectual Gerência de Inovação Estruturar o ambiente de inovação - Como ampliar o papel das universidades (instituições de pesquisa) no desenvolvimento

Leia mais

Plano BrasilMaior 2011/2014

Plano BrasilMaior 2011/2014 Plano BrasilMaior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Agenda de Ações para a Competitividade dos Pequenos Negócios Dimensões do Plano Brasil Maior -Quadro Síntese Dimensão Estruturante:

Leia mais

Reações do Brasil: A Ação das Outras Agências do Governo - Finep

Reações do Brasil: A Ação das Outras Agências do Governo - Finep ESTUDOS E PESQUISAS Nº 301 Reações do Brasil: A Ação das Outras Agências do Governo - Finep Luis Manuel Rebelo Fernandes* XXI Fórum Nacional - Na Crise Global, o Novo Papel Mundial dos BRICs (BRIMCs?)

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS BIOTECNOLOGIA

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS BIOTECNOLOGIA Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS BIOTECNOLOGIA Legenda: Branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho =

Leia mais

Política Industrial para o setor de TI: resultados, abrangência e aperfeiçoamentos

Política Industrial para o setor de TI: resultados, abrangência e aperfeiçoamentos Ministério da Ciência e Tecnologia Política Industrial para o setor de TI: resultados, abrangência e aperfeiçoamentos Augusto Gadelha Secretário de Política de Informática Câmara dos Deputados Comissão

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Programas de Financiamento à Inovação III WORKSHOP DAS UNIDADES DE PESQUISA DO MCT Campinas, 30 e 31 de agosto de 2010 Inovação Inovação

Leia mais

BDMG. Linhas de financiamento para INOVAÇÃO

BDMG. Linhas de financiamento para INOVAÇÃO BDMG Linhas de financiamento para INOVAÇÃO Setembro/2015 Portfólio BDMG em Inovação Participação em fundos de investimento BDMG TEC Estruturação de parques tecnológicos Financiamentos a projetos inovadores

Leia mais

Apoio à Inovação. Junho de 2013

Apoio à Inovação. Junho de 2013 Apoio à Inovação Junho de 2013 Inovação: Conceito (...) implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente aprimorado, ou um processo, ou um novo método de marketing, ou um novo método

Leia mais

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos A formação em Farmácia Seminário do BNDES 7 de maio de 2003 Por que RH para Fármacos e Medicamentos? Fármacos e Medicamentos como campo estratégico

Leia mais

INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES

INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES 1. Programa CAPES/MES-Cuba PRAZO DE INSCRIÇÃO: 30 de março de 2010 OBJETIVOS: O Programa CAPES/MES-Cuba visa apoiar

Leia mais

LINHAS DE CRÉDITO PARA EMPRESAS DE TECNOLOGIA E EMPRESAS INOVADORAS. Resumo. Djalma Petit Consultor

LINHAS DE CRÉDITO PARA EMPRESAS DE TECNOLOGIA E EMPRESAS INOVADORAS. Resumo. Djalma Petit Consultor LINHAS DE CRÉDITO PARA EMPRESAS DE TECNOLOGIA E EMPRESAS INOVADORAS Resumo Djalma Petit Consultor Brasília São Paulo, novembro de 2014 FINANCIAMENTO Recursos reembolsáveis. Operado por bancos Requerem

Leia mais

Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri

Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri Inovação e Tecnológia na Gestão Pública Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri Doutorado em Administração (UnB) Mestrado em Contabilidade e Controladoria (UFMG) Graduação em Ciências Contábeis

Leia mais

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014 Os Desafios do Pré-Sal: Riscos e Oportunidades para o País As Políticas Industrial e de Inovação no setor de Petróleo e Gás Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho

Leia mais