Painel B3: Transferência de Tecnologia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Painel B3: Transferência de Tecnologia"

Transcrição

1 Painel B3: Transferência de Tecnologia fatores de risco e de sucesso Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

2 Pró-Inova - Programa Nacional de Sensibilização e Mobilização para a Inovação MCT, FINEP, CNPq, CGEE, MDIC, INPI, INMETRO, ABDI, BNDES, SEBRAE, CNI, IEL, ANPEI, ANPROTEC, MBC, PROTEC, CONFAP, ABIPTI Principais resultados: - Edital de Eventos - R$ 8 milhões em 2009 e projetos aprovados. Cerca de 300 eventos e cursos apoiados. - Edital ETS - apoio à Entidades Setoriais de Apoio à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação: R$ 7 milhões Objetivo: fortalecer e criar entidades setoriais que contribuem para o incremento das atividades inovativas nas empresas: 20 projetos aprovados em todas as regiões do país. - Reconhecimento Nacional à Gestão da Inovação - Valor: R$ 2 milhões ao MBC: reconhecer empresas que adotam a inovação como estratégia de crescimento, com vistas a aumentar o grau de competitividade no mercado. Foi inserido como categoria do Prêmio FINEP em Parceria Pró-Inova/MEI - Mobilização Empresarial pela Inovação: 1. R$50 milhões - para apoio aos Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação NAGI, visando a elaboração de Planos e Projetos de Gestão da Inovação nas empresas brasileiras - CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP - PRÓ-INOVA - NÚCLEOS DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO - 11/ Apresentação das propostas: de 25/08/10 (disponibilização do formulário) a 27/09/10 (prazo final p/ envio eletrônico das propostas) 2. Parceria Pró-Inova MEI/CNI para a criação da Rede de Núcleos de Inovação (parceria MCT/SETEC/CNPq/Sistema CNI) 5 milhões, em negociação

3 Manual Prático de Inovação para Empresas Uma iniciativa: Pró-inova - Programa Nacional de Sensibilização e Mobilização para a Inovação OBJETIVO: Este material tem por objetivo ser uma referência para o acesso a benefícios, recursos e gestão da inovação Conheça o Simulador Financeiro de Incentivos Fiscais da Lei do Bem (Lei n.º , de ), que permite o usufruto de incentivos fiscais pelas pessoas jurídicas que realizem pesquisa tecnológica e desenvolvimento de inovação tecnológica. A empresa poderá simular os benefícios que poderá auferir.

4 Lei do Bem: incentivos fiscais à inovação Renúncia Fiscal por Setor (%) 2007 Outras indústrias 12% 38% Mecânica e Transportes Farmacêutica Eletro-Eletrônica Metalurgia 4% 5% 5% Bens de Consumo 6% 30% Petroquímica Total da renúncia fiscal decorrente dos investimentos em P&D aumentou de R$ 229 milhões, em 2006, para R$ 884 milhões, em 2007.

5 Lei do Bem: incentivos fiscais à inovação Renúncia Fiscal por Setor (%) 2008 Agroindústria Farmacêutica 3% 3% Bens de Consumo 6% 4% Eletro-Eletrônica Outras indústrias 14% Petroquímica 20% Mecânica e 46% Transportes Metalurgia 4% Total da renúncia fiscal decorrente dos investimentos em P&D aumentou de R$ 884 milhões, em 2007, para R$ 1,5 bilhão, em Ano 2009 foram recebidos 635 Formulários das empresas e encontram-se em análise.

6 Subvenção Econômica à Inovação Tecnológica Chamada Pública MCT/FINEP 2006 Valor do Edital: R$ 300 milhões Demanda: projetos, R$ 1,9 bilhão Resultado: 145 propostas aprovadas, R$ 272,5 milhões 2009 Valor do Edital: R$ 450 milhões Demanda: projetos, R$ 5,2 bilhões Resultado: 261 propostas aprovadas, R$ 466 milhões 2007 TICs 42,2% Valor do Edital: R$ 450 milhões Desenvolvimento Demanda: projetos, R$ 4,9 bilhões Social Resultado: 174 propostas aprovadas, 12,8% R$ 313,8 milhões 2008 Valor do Edital: R$ 450 milhões Demanda: projetos, R$ 6,0 bilhões Resultado: 245 propostas aprovadas, R$ 514,6 milhões Energia 8,2% Defesa nacional e Segurança pública 9,7% Saúde 15,4% Distribuição % por temas da demanda 2009 Biotecnologia 10,0%

7 Subvenção Econômica à Inovação Tecnológica Seleção Pública MCT/FINEP/FNDCT - Subvenção Econômica 01/2010 OBJETIVO: apoiar por meio da concessão de recursos de subvenção econômica (recursos não-reembolsáveis) o desenvolvimento por empresas brasileiras de produtos, processos e serviços inovadores, visando ao desenvolvimento das áreas consideradas estratégicas nas políticas públicas federais. ÁREAS TEMÁTICAS: Tecnologias da Informação e Comunicação Energia Biotecnologia Saúde Defesa Desenvolvimento Social Contrapartida a ser aportada: de acordo com o porte da empresa Apresentação das propostas: de 31/08/2010 (disponibilização do formulário) a 07/10/2010 (Término do prazo para envio eletrônico das propostas) Para mais informações acesse: Página FINEP - Subvenção Econômica-01/2010

8 RHAE Pesquisador na Empresa Chamada Pública MCT/SETEC/CNPq nº 32/2007 R$ 20 milhões em 3 rodadas 385 bolsas 131 empresas

9 RHAE Pesquisador na Empresa Chamada Pública MCT/SETEC/CNPq nº 67/2008 R$ 26 milhões em 3 rodadas 130 doutores 182 mestres 690 bolsas 155 técnicos DTI 223 técnicos ITI Distribuição por tipo de bolsa 172 empresas

10 RHAE Pesquisador na Empresa Chamada Pública MCT/SETEC/CNPq nº 62/2009 Temas - Seguindo o que é definido na PDP, as propostas de projetos devem abordar os setores industriais: - Programas Mobilizadores em Áreas Estratégicas (Tecnologias de Informação e Comunicação, Nanotecnologia, Biotecnologia, Complexo Industrial da Defesa, Complexo Industrial da Energia Nuclear e Complexo Industrial da Saúde). - Programas Para Fortalecer Competitividade - Programas para Consolidar e Expandir Liderança Valor global: R$ 30 milhões + R$ 10 milhões para parceria com as FAP (+ R$ 5 milhões das FAP) 3 Rodadas: máximo de R$ 300 mil por projeto Resultados esperados: Inserção de 200 novos pesquisadores em atividades de P,D&I nas empresas 1ª Rodada (resultado em abril/2010): 60 empresas aprovadas. 2ª Rodada (resultado em julho/2010): 70 empresas aprovadas. 3ª Rodada (submissão das propostas até 27agosto/2010): para mais informações sobre a 3ª rodada acesse:

11 Rede de Centros de Inovação em Insumos para a Saúde Humana Coordenador: Ivan da Rocha Pitta/ UFPE Núcleo de Coordenação Nº de Instituições = 11 Projeto em análise pela FINEP UFPE/CCB Recife USP/IFSC São Carlos USP/ Faculdade de Ciências Farmacêuticas São Paulo Instituto Ludwig São Paulo DF UFG/Faculdade de Farmácia Goiânia UFRJ/LASSBio Rio de Janeiro FIOCRUZ/CDTS Rio de Janeiro Instituto Butantan São Paulo Irmandade da Santa Casa de Misericórdia São Paulo FIOCRUZ/ Instituto Carlos Chagas Curitiba PUCRS/ Centro de Pesquisa em Biologia Molecular e Funcional Porto alegre

12 Rede de Serviços Tecnológicos de Insumos Farmacêuticos, Medicamentos e Cosméticos Coordenador Geral: Luis Carlos Brigido de Moura / UFC Núcleo de Coordenação Nº de Laboratórios = 17 Nº de Instituições = 10 Projeto em análise pela FINEP UFC LACEN (2 laboratórios) SENAI-BA/CIMATEC IAL (3 laboratórios) DF CETEC IPT (2 laboratórios) ITAL REMESP TECPAR (3 laboratórios) PUC-RJ SENAI-RJ/CETIQT

13 SETEC Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Para maior detalhamento das informações acesse a página do MCT Muito obrigada! Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta da SETEC

Painel 3: Estímulo à Inovação, Pesquisa e Desenvolvimento. Ronaldo Mota (Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação / MCT)

Painel 3: Estímulo à Inovação, Pesquisa e Desenvolvimento. Ronaldo Mota (Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação / MCT) Painel 3: Estímulo à Inovação, Pesquisa e Desenvolvimento Ronaldo Mota (Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação / MCT) 01 de março de 2010 I N O ABSORÇÃO DA CULTURA DA INOVAÇÃO EI V A Ç Ã

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

Apresentação Institucional. Instrumentos de apoio. Evolução dos recursos. Apresentação de propostas

Apresentação Institucional. Instrumentos de apoio. Evolução dos recursos. Apresentação de propostas FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação da Finep São Paulo, 28/04/2009 O desenvolvimento das economias modernas demonstra o papel fundamental que, nesse processo, compete

Leia mais

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Brasília 22 de março o de 2009 Inovação Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

Mobilização Empresarial pela Inovação: Estratégia e Objetivos

Mobilização Empresarial pela Inovação: Estratégia e Objetivos Mobilização Empresarial pela Inovação: Estratégia e Objetivos 1. Introdução Inovar é transformar ideias em valor. Seu motor é o mercado: é um imperativo da concorrência. É a capacidade de atender as necessidades

Leia mais

Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT

Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT Inovação: motor da competitividade e do desenvolvimento sustentado O investimento bem sucedido em inovação: Aumenta produtividade e cria novos produtos:

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 EQPS Belo Horizonte Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

O Papel da FINEP como Fomentadora de Projetos de Inovação Tecnológica EDGARD ROCCA Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa AITP

O Papel da FINEP como Fomentadora de Projetos de Inovação Tecnológica EDGARD ROCCA Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa AITP O Papel da FINEP como Fomentadora de Projetos de Inovação Tecnológica EDGARD ROCCA Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa AITP erocca@finep.gov.br Tel: 21 2555-0641 Financiadora de Estudos e Projetos

Leia mais

DESTAQUES ESTRATÉGICOS: PROJETOS E INICIATIVAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

DESTAQUES ESTRATÉGICOS: PROJETOS E INICIATIVAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Destaques Estratégicos: projetos e iniciativas PDP setembro/09 DESTAQUES ESTRATÉGICOS: PROJETOS E INICIATIVAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos

Financiadora de Estudos e Projetos Financiadora de Estudos e Projetos Cenário da Metrologia Nacional: Demandas e Oportunidades Carlos A. M. Couto Superintendente da ATED Área dos Institutos de Pesquisa Tecnológica. Rio de Janeiro, 17 de

Leia mais

Palestra Divulgação PAPPE Paraná. PAPPE Subvenção Paraná Chamada Pública 01/2009. Fomento à Inovação Tecnológica

Palestra Divulgação PAPPE Paraná. PAPPE Subvenção Paraná Chamada Pública 01/2009. Fomento à Inovação Tecnológica Palestra Divulgação PAPPE Paraná PAPPE Subvenção Paraná Chamada Pública 01/2009 Fomento à Inovação Tecnológica Programa PAPPE Programa de Apoio à Pesquisa na Pequena Empresa Operacionalização: Consórcio

Leia mais

Conheça a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras

Conheça a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras Conheça a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA ESTRATÉGIA COMPETITIVA A MISSÃO da Anpei é: Estimular a Inovação Tecnológica nas Empresas Ação

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 O momento e as tendências Fundamentos macroeconômicos em ordem Mercados de crédito e de capitais em expansão Aumento do emprego

Leia mais

Tendências Tecnológicas da Siderurgia Brasileira

Tendências Tecnológicas da Siderurgia Brasileira Tendências Tecnológicas da Siderurgia Brasileira ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO Parte 1 Estudo Prospectivo do Setor Siderúrgico Recomendações tecnológicas Parte 2 Proposta da ABM para ampliar sua participação

Leia mais

Núcleo de Capital Inovador. Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica

Núcleo de Capital Inovador. Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica Núcleo de Capital Inovador Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica Anápolis cenário atual Segunda maior cidade do estado, com mais de 335 mil habitantes; 4,7 bilhões de reais de produto interno bruto,

Leia mais

Ministério do Planejamento,Orçamento e Gestão Brasília, 06 de maio de 2009. Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério do Planejamento,Orçamento e Gestão Brasília, 06 de maio de 2009. Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério do Planejamento,Orçamento e Gestão Brasília, 06 de maio de 2009 Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Contribuições solicitadas pelo MCT para o Aperfeiçoamento

Leia mais

A Mobilização Empresarial pela Inovação: síntese dos trabalhos e principais resultados

A Mobilização Empresarial pela Inovação: síntese dos trabalhos e principais resultados A Mobilização Empresarial pela Inovação: síntese dos trabalhos e principais resultados Pedro Wongtschowski São Paulo - 4/2/2011 CNI e vários líderes empresariais fizeram um balanço crítico da agenda empresarial

Leia mais

Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados

Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados III Workshop das Unidades de Pesquisa do MCT e a Inovação Tecnológica Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados Campinas, São Paulo, 30 e 31 de agosto de 2010 Subsecretaria de Coordenação das

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto do Mercado de Carbono no Brasil Rio de Janeiro RJ, 09 de novembro de 2010 FINEP

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação 2007-2010. Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008

Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação 2007-2010. Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008 Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Plano de Ação 2007-2010 Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008 Política de Estado Configuração da Política Gestão Compartilhada

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS BIOTECNOLOGIA

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS BIOTECNOLOGIA Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS BIOTECNOLOGIA Legenda: Branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho =

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Programas para fortalecer a PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS 1 Madeira e Móveis Estratégias: conquista de mercados, focalização, diferenciação e ampliação do acesso Objetivos:

Leia mais

INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES

INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES 1. Programa CAPES/MES-Cuba PRAZO DE INSCRIÇÃO: 30 de março de 2010 OBJETIVOS: O Programa CAPES/MES-Cuba visa apoiar

Leia mais

Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL. Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas

Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL. Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Rochester Gomes da Costa Departamento de Capital Semente 29 de outubro

Leia mais

OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE

OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE Maria Rita de Morais Chaves Santos (UFPI) Coordenação Regional FORTEC NE Coordenação NIT UFPI REDE NIT - NE Mrita/ufpi/2008 PERFIL Maria

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS 1 Setor de Brinquedos Estratégias: Ampliação de Acesso e Conquista de Mercado Objetivos: 1 - Aumentar a competitividade; 2 - consolidar o

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS NANOTECNOLOGIA

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS NANOTECNOLOGIA Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS NANOTECNOLOGIA Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho =

Leia mais

Financiamento de Projetos para a Inovação

Financiamento de Projetos para a Inovação GESTÃO Financiamento de Projetos para a Inovação Objetivos da Aula Conhecer sobre o financiamento de projetos de pesquisa aplicada; Conhecer a dinâmica do processo de elaboração de projetos de pesquisa

Leia mais

POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS & POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS & POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS & POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO REGINALDO BRAGA ARCURI Presidente Brasilia, 08 de março de 2010 Brasil: dados sobre educação FONTE: IBGE Segundo a ONU, na América Latina

Leia mais

Tributação e Incentivos à Inovação

Tributação e Incentivos à Inovação VIII Seminário do Setor de Saúde - BRITCHAM Tributação e Incentivos à Inovação São Paulo/SP, 17 de junho de 2009 Inovação Tecnológica no Brasil 30% das empresas industriais realizam algum tipo de inovação

Leia mais

COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E

COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E INDUSTRIA: POR UMA ESTRATÉGIA OUSADA DE INOVAÇÃO NO BRASIL Alvaro Toubes Prata Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação MCTI Open Innovation Seminar

Leia mais

Cenário brasileiro do investimento da empresa em P&D. Ricardo Magnani

Cenário brasileiro do investimento da empresa em P&D. Ricardo Magnani Cenário brasileiro do investimento da empresa em P&D Ricardo Magnani Corporate Connect 2011 Agenda PACTI 2007-2010 Leis e Instrumentos Desafios de se investir em Inovação no Brasil E se eu não investir...

Leia mais

Recursos subsidiados disponíveis hoje. empresas. para investimentos, giro e inovação nas. Palestrante: Antônio Carlos Rocha

Recursos subsidiados disponíveis hoje. empresas. para investimentos, giro e inovação nas. Palestrante: Antônio Carlos Rocha Competitividade para Gerar Negócios Recursos subsidiados disponíveis hoje para investimentos, giro e inovação nas empresas Palestrante: Antônio Carlos Rocha Coordenação: Nicolás Honorato SINAIS DA RECUPERAÇÃO

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação

Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Missão da FINEP Promover e financiar a Inovação e a Pesquisa científica e tecnológica em: Empresas; Universidades; Centros de pesquisa;

Leia mais

Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com

Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com BRASIL - TERRITÓRIO, POPULAÇÃO E ECONOMIA: COMBINAÇÃO VITORIOSA Indonésia Área População > 4 milhões km 2 > 100 milhões Nigéria Canadá Rússia EUA Brasil China

Leia mais

Reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação -MEI

Reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação -MEI Reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação -MEI Informações do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Ministro Marco Antonio Raupp 27/09/2012 Cenário orçamento FNDCT 2013 PLOA PROJETO DE LEI

Leia mais

Bem Vindos NAGI P&G MOGI DAS CRUZES

Bem Vindos NAGI P&G MOGI DAS CRUZES Bem Vindos NAGI P&G MOGI DAS CRUZES Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação da Cadeia de Petróleo e Gás do Estado de São Paulo 2013-2014 Edital Pro-Inova FINEP/2010 SETOR DE PETRÓLEO E GÁS NO BRASIL TIPOS

Leia mais

2003: ajuste macroeconômico, com corte substancial nos gastos públicos e aumento nas taxas reais de juro.

2003: ajuste macroeconômico, com corte substancial nos gastos públicos e aumento nas taxas reais de juro. 1 1 2 2 3 2003: ajuste macroeconômico, com corte substancial nos gastos públicos e aumento nas taxas reais de juro. 2004-06: recuperação econômica, com direcionamento do aumento da arrecadação federal

Leia mais

Políticas de inovação no Brasil: uma análise com base na PINTEC 2008

Políticas de inovação no Brasil: uma análise com base na PINTEC 2008 Políticas de inovação no Brasil: uma análise com base na PINTEC 2008 Ana Paula Avellar * RESUMO O objetivo desse artigo é apresentar as principais políticas de inovação em vigência no Brasil e discutir

Leia mais

COMO VENCER ESSES DESAFIOS?

COMO VENCER ESSES DESAFIOS? ONDE ESTÃO NOSSOS RECURSOS HUMANOS PARA INOVAÇÃO Apenas 30% dos pesquisadores estão na iniciativa privada Alocação dos Pesquisadores por setor - 2009 e 2010 (%) 100% 0% Empresas Governo Academia Setor

Leia mais

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira:

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Plano Inova Empresa Inovação e desenvolvimento econômico Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Ampliação do patamar de investimentos Maior apoio

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Workshop: Os Desafios para a Industria Nacional de Petróleo e Gás BNDES, Rio de Janeiro - RJ, 02 de julho de 2008 FINEP Empresa pública

Leia mais

Centro de Referência em Inovação (CRI) Multinacionais. Incentivos governamentais (financiamentos e subsídios) para a inovação no Brasil

Centro de Referência em Inovação (CRI) Multinacionais. Incentivos governamentais (financiamentos e subsídios) para a inovação no Brasil Centro de Referência em Inovação (CRI) Multinacionais Incentivos governamentais (financiamentos e subsídios) para a inovação no Brasil Carlos Arruda Erika Barcellos Cleonir Tumelero Agenda Abertura e apresentação

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil

Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil ANAIS DA 65ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC RECIFE, PE JULHO/2013 Ciência, Tecnologia e Indústria para um novo Brasil Glauco Arbix Somente a inovação será capaz de reverter o quadro de estagnação da economia brasileira,

Leia mais

OS INCENTIVOS FISCAIS À

OS INCENTIVOS FISCAIS À DECOMTEC OS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA LEI Nº 11.196/2005 Departamento de Competividade e Tecnologia - DECOMTEC São Paulo, 08 de outubro de 2012 Principais incentivos da Lei do Bem (Cap.

Leia mais

Integração produtiva e cooperação industrial: LEONARDO SANTANA

Integração produtiva e cooperação industrial: LEONARDO SANTANA Integração produtiva e cooperação industrial: a experiência da ABDI LEONARDO SANTANA Montevidéu, 15 de julho de 2009 Roteiro da Apresentação 1. Política de Desenvolvimento Produtivo PDP 2. Integração Produtiva

Leia mais

OS NOVOS INSTRUMENTOS DA POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR (PITCE) Lei do Bem, Lei de Inovação

OS NOVOS INSTRUMENTOS DA POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR (PITCE) Lei do Bem, Lei de Inovação OS NOVOS INSTRUMENTOS DA POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR (PITCE) Lei do Bem, Lei de Inovação Mario Sergio Salerno Professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica

Leia mais

Departamento de Financiamentos APEI FINEP. julho de 2009

Departamento de Financiamentos APEI FINEP. julho de 2009 Departamento de Financiamentos APEI FINEP julho de 2009 Objetivo Apresentar a FINEP e seus mecanismos de fomento; Orientar as empresas sobre aplicabilidade desses mecanismos; Apresentação Institucional

Leia mais

GOVERNANÇA E COOPERAÇÃO

GOVERNANÇA E COOPERAÇÃO Reunião Plenária do GTP-APL GOVERNANÇA E COOPERAÇÃO Brasília, 19 de agosto de 2010 SEBRAE Governança Envolve uma rede de diferentes agentes - governos, instituições financeiras, instituições de ensino

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Programas para fortalecer a PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho = destaques para novas

Leia mais

Financiamento à Inovação

Financiamento à Inovação Financiamento à Inovação Slide 1 MP1 Micro Padrão; 03/04/2008 Objetivo Baseado no conceito de cartão de crédito, visa financiar de forma ágil e simplificada os investimentos das MPMEs. Como funciona? As

Leia mais

Ciência e Tecnologia no Brasil no Século XXI

Ciência e Tecnologia no Brasil no Século XXI Ciência e Tecnologia no Brasil no Século XXI Ronaldo Mota (Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação/MCT) Encontro das Sociedades e Associações de Física da América Latina (25/02/2010) C,T&I

Leia mais

ANÁLISE DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO EM 2012

ANÁLISE DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO EM 2012 Fevereiro 2014 Um olhar da Inventta: ANÁLISE DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO EM 2012 Maria Carolina Rocha, Marina Loures e Otávio Vianna 1. Introdução A Lei do Bem, cujo principal objetivo é promover

Leia mais

CARTILHA INOVAÇÃO PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE

CARTILHA INOVAÇÃO PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS DEPARTAMENTO DE MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS CARTILHA INOVAÇÃO PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Inovação Estratégia para o desenvolvimento do Brasil

Ciência, Tecnologia e Inovação Estratégia para o desenvolvimento do Brasil Ciência, Tecnologia e Inovação Estratégia para o desenvolvimento do Brasil José Antônio Silvério Coordenador de Capacitação Tecnológica Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação 1 Plano Brasil

Leia mais

Incentivos Fiscais para P,D&I Lei 11.196/2005 (Lei do Bem)

Incentivos Fiscais para P,D&I Lei 11.196/2005 (Lei do Bem) Incentivos Fiscais para P,D&I Lei 11.196/2005 (Lei do Bem) Características Básicas dos Incentivos Fiscais: Atende empresas que operam em regime de lucro real e que realizam atividades de P&D; Introduziu

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

Seminário Em Busca da Excelência 2008

Seminário Em Busca da Excelência 2008 Seminário Em Busca da Excelência 2008 IEL/SC - Implementação de sistema de gestão com base nos fundamentos da excelência Natalino Uggioni Maio, 2008 1 IEL em Santa Catarina Integrante da FIESC Federação

Leia mais

PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA BIOETANOL

PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA BIOETANOL Programas para consolidar e expandir a liderança PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA BIOETANOL Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 2º Workshop Platec E&P Onshore - Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos

Leia mais

BDMG. Linhas de financiamento para INOVAÇÃO

BDMG. Linhas de financiamento para INOVAÇÃO BDMG Linhas de financiamento para INOVAÇÃO Setembro/2015 Portfólio BDMG em Inovação Participação em fundos de investimento BDMG TEC Estruturação de parques tecnológicos Financiamentos a projetos inovadores

Leia mais

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR 3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV 0DUoR $'0,1,675$d 2 Aprovação junto a CPPG da Resolução nº 01/2001 que dispõe sobre as atribuições da Comissão de Pós-Graduação

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho

Leia mais

- ATENÇÃO PESQUISADORES -

- ATENÇÃO PESQUISADORES - - ATENÇÃO PESQUISADORES - Informamos abaixo os últimos editais para fomento à pesquisa divulgados pela FAPESB e CNPQ, para conhecimento e possível envio de propostas de projetos: Órgão Responsável: FAPESP

Leia mais

Bem-Vindos NAGI P&G Campinas

Bem-Vindos NAGI P&G Campinas Bem-Vindos NAGI P&G Campinas Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação da Cadeia de Petróleo e Gás do Estado de São Paulo 2013-2014 Edital Pro-Inova FINEP/2010 Há oportunidades para participação de empresas

Leia mais

Incentivos da lei de Informática Lei 8.248/91

Incentivos da lei de Informática Lei 8.248/91 Incentivos da lei de Informática Lei 8.248/91 Francisco Silveira Chefe de Divisão/CGTE/SEPIN MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Lei de Informática Lei 7.232 29.out.1984 Lei 8.248 23.out.1991 Lei 10.176

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO O momento e as tendências Fundamentos macroeconômicos em ordem Mercados de crédito e de capitais em expansão Aumento do emprego formal, crescimento da massa

Leia mais

INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO. I. Objetivos e Metas. Objetivo (o quê) Alcance (quanto) Prazo de realização (quando)

INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO. I. Objetivos e Metas. Objetivo (o quê) Alcance (quanto) Prazo de realização (quando) INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO I. Objetivos e Metas 1. Liste os 5 principais objetivos de inovação para o horizonte de cinco anos, identificando: Objetivo 1 Objetivo 2 Objetivo 3 Objetivo

Leia mais

Diretrizes para a Construção de uma Política Tecnológica com Foco na Inovação 1

Diretrizes para a Construção de uma Política Tecnológica com Foco na Inovação 1 Diretrizes para a Construção de uma Política Tecnológica com Foco na Inovação 1 No mundo atual, um dos campos prioritários de intervenção do Estado está sendo a promoção do desenvolvimento tecnológico,

Leia mais

o Fomento Público Federal

o Fomento Público Federal Seminário Biotecnologia e Inovação: Programas de Inovação e Incubadoras de Base Biotecnológicas Manaus, novembro de 2009 Algumas informações sobre o Fomento Público Federal Marcio de Miranda Santos Diretor

Leia mais

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira:

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Plano Inova Empresa Inovação e desenvolvimento econômico Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Ampliação do patamar de investimentos Maior apoio

Leia mais

Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica: MCT divulga relatório anual (ano base 2009)

Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica: MCT divulga relatório anual (ano base 2009) Incentivos Fiscais à Inovação Tecnológica: MCT divulga relatório anual (ano base 2009) Ao todo, 635 formulários foram enviados, sendo que 542 empresas foram efetivamente beneficiadas pelos incentivos,

Leia mais

A Inovação nas Micro e Pequenas Empresas. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br

A Inovação nas Micro e Pequenas Empresas. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br A Inovação nas Micro e Pequenas Empresas O Brasileiro é Empreendedor Fonte:GEM 2010 O Brasileiro é Empreendedor Dados Oficiais Público-Alvo POTENCIAL do Sebrae 22,9 milhões de empreendedores 23% da PEA

Leia mais

BALANÇO DA PITCE Avanços Conquistados e Desafios Imediatos

BALANÇO DA PITCE Avanços Conquistados e Desafios Imediatos BALANÇO DA PITCE Avanços Conquistados e Desafios Imediatos Conselho Deliberativo da ABDI 11 de abril de 2006 PITCE: induzir novo patamar competitivo na indústria Nem o fechamento e o protecionismo dos

Leia mais

TEXTO RERRATIFICADO EM 17 DE AGOSTO DE 2010 CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP - AT - PRÓ-INOVA - NÚCLEOS DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO - 11/2010

TEXTO RERRATIFICADO EM 17 DE AGOSTO DE 2010 CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP - AT - PRÓ-INOVA - NÚCLEOS DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO - 11/2010 TEXTO RERRATIFICADO EM 17 DE AGOSTO DE 2010 CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP - AT - PRÓ-INOVA - NÚCLEOS DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO - 11/2010 SELEÇÃO PUBLICA DE PROPOSTAS VISANDO À ESTRUTURAÇÃO E OPERAÇÃO DE

Leia mais

PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA PETRÓLEO, GÁS NATURAL E PETROQUÍMICA

PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA PETRÓLEO, GÁS NATURAL E PETROQUÍMICA Programas para consolidar e expandir a liderança PROGRAMAS PARA CONSOLIDAR E EXPANDIR A LIDERANÇA PETRÓLEO, GÁS NATURAL E PETROQUÍMICA 1 Petróleo, Gás Natural e Petroquímica Estratégias: liderança mundial

Leia mais

Cartão BNDES. Volta Redonda RJ. 06 de abril de 2011

Cartão BNDES. Volta Redonda RJ. 06 de abril de 2011 Cartão BNDES Volta Redonda RJ 06 de abril de 2011 Cartão BNDES Baseado no conceito de cartão de crédito, visa financiar de forma ágil e simplificada os investimentos das MPMEs. Como Funciona? Ambiente

Leia mais

PROJETO AGENDAS TECNOLÓGICAS SETORIAIS ATS Setor de Construção Civil 12/08/2009

PROJETO AGENDAS TECNOLÓGICAS SETORIAIS ATS Setor de Construção Civil 12/08/2009 PROJETO AGENDAS TECNOLÓGICAS SETORIAIS ATS Setor de Construção Civil 12/08/2009 Realização e Coordenação: Execução: Apresentação O projeto Agendas Tecnológicas Setoriais ATS - tem como objetivo identificar

Leia mais

Desenvolvimento. Tecnológico e Industrial para. os Próximos Dez Anos. Prof. Adm. Dr. Welington da Silva Vieira

Desenvolvimento. Tecnológico e Industrial para. os Próximos Dez Anos. Prof. Adm. Dr. Welington da Silva Vieira Desenvolvimento Tecnológico e Industrial para os Próximos Dez Anos Prof. Adm. Dr. Welington da Silva Vieira PANORAMA GERAL DA INDÚSTRIA EM GOIÁS E NO BRASIL - 2013 INDICADOR GOIÁS BRASIL Número de indústrias

Leia mais

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Políticas de Inovação para o Crescimento Inclusivo: Tendências, Políticas e Avaliação PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria Rio

Leia mais

Seminário: Investimentos e Incentivos Fiscais para Projetos de Inovação tecnológica. Câmara Brasil Alemanha Fevereiro - 2011

Seminário: Investimentos e Incentivos Fiscais para Projetos de Inovação tecnológica. Câmara Brasil Alemanha Fevereiro - 2011 Seminário: Investimentos e Incentivos Fiscais para Projetos de Inovação tecnológica Câmara Brasil Alemanha Fevereiro - 2011 A FINEP e as empresas inovadoras. Contexto Brasil - Baixo investimento em Inovação:

Leia mais

A evolução do uso dos incentivos fiscais à inovação tecnológica

A evolução do uso dos incentivos fiscais à inovação tecnológica Radar Inovação - Março de 2010 A evolução do uso dos incentivos fiscais à inovação tecnológica Bruna Soly, Carina Leão, Manuela Soares e Pollyana Souza A EVOLUÇÃO DO USO DOS INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO

Leia mais

ENCTI. C,T&I: Protagonistas do Desenvolvimento Sustentável. Ministro Marco Antonio Raupp. Estratégia Nacional 2012 2015 Ciência, Tecnologia e Inovação

ENCTI. C,T&I: Protagonistas do Desenvolvimento Sustentável. Ministro Marco Antonio Raupp. Estratégia Nacional 2012 2015 Ciência, Tecnologia e Inovação C,T&I: Protagonistas do Desenvolvimento Sustentável Ministro Marco Antonio Raupp Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI) Aprovada pelo CCT em 15 de dezembro de 2011 Elaborada com

Leia mais

Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações

Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações Painel Setorial de Telecomunicações INMETRO 27 de outubro de 2006 Missão da FINEP Promover e financiar a inovação e a pesquisa científica e

Leia mais

GESTÃO DA INOVAÇÃO E USO OTIMIZADO DE INCENTIVOS E FOMENTO

GESTÃO DA INOVAÇÃO E USO OTIMIZADO DE INCENTIVOS E FOMENTO GESTÃO DA INOVAÇÃO E USO OTIMIZADO DE INCENTIVOS E FOMENTO 1 PROGRAMA DE APOIO A OBTENÇÃO DE FOMENTO - IABM PARCERIA: 2 Estruturaremos a gestão e o portfólio de inovação das empresas participantes do programa,

Leia mais

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Christimara Garcia CEO Inventta+bgi São Paulo, 29 de abril de 2015 CONTEXTO BRASILEIRO APOIO DIRETO Captação de Recursos Evolução dos desembolsos

Leia mais

O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA?

O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA? O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA? O IEL O Instituto Euvaldo Lodi é uma entidade vinculada à CNI - Confederação Nacional da Indústria. Com 101 unidades em 26 estados e no Distrito

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

Aspectos da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Redes Elétricas Inteligentes no Brasil

Aspectos da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Redes Elétricas Inteligentes no Brasil Aspectos da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Redes Elétricas Inteligentes no Brasil Dante Hollanda Tecnologista em Ciência e Tecnologia Curitiba, 08 de maio de 2014 1 Estrutura do MCTI 2 Secretaria

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás Dezembro 2013 Tópicos Cenário P&G Rede de Núcleos de P&G - CNI e Federações Desenvolvimento de APLs

Leia mais

PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO

PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO SUMÁRIO EXECUTIVO O Parque Tecnológico de Ribeirão Preto é um empreendimento imobiliário e tecnológico com características especificamente projetadas, incluindo serviços

Leia mais

Fronteira tecnológica e escassez de recursos: uma análise da nanotecnologia no Brasil

Fronteira tecnológica e escassez de recursos: uma análise da nanotecnologia no Brasil Fronteira tecnológica e escassez de recursos: uma análise da nanotecnologia no Brasil Samuel César Jr IPEA Agosto 2010 1 Fronteira tecnológica e escassez de recursos: uma análise da nanotecnologia no Brasil

Leia mais

Conheça a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras

Conheça a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras Conheça a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA ESTRATÉGIA COMPETITIVA A MISSÃO da Anpei é: Estimular a Inovação Tecnológica nas Empresas Ação

Leia mais

Programa Complexo Industrial da Saúde

Programa Complexo Industrial da Saúde Programa Complexo Industrial da Saúde Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Setembro/2009 Gestor: Reinaldo Guimarães Cargo: Secretário de Ciência, Tecnologia

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Departamento de Tecnologias da Informação e Serviços DTIS Área de

Leia mais

Os novos instrumentos de apoio à inovação: uma avaliação inicial

Os novos instrumentos de apoio à inovação: uma avaliação inicial Os novos instrumentos de apoio à inovação: uma avaliação inicial Brasília DF 2009 2009 Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) Os novos instrumentos de apoio à inovação: uma avaliação inicial ISBN

Leia mais