tic-tac O relógio e o tempo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "tic-tac O relógio e o tempo"

Transcrição

1 tic-tac O relógio e o tempo

2 tic-tac O relógio e o tempo

3 índice Introdução Uma viagem pelas horas 4 História Milênios de inovação 6 REFERÊNCIAS Tipos Com a força dos elementos 10 Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) Brasil Cartier Paris, França Federation of the Swiss Watch Industry (Federação Suíça da Indústria de Relógios) Bienne, Suíça Fondation de la Haute Horlogerie (Fundação da Alta Horologia) Genebra, Suíça Grupo Swatch Biel, Suíça Pulso Mãos livres para o trabalho Despertador O toque certo para acordar Big Ben As badaladas da torre ISBN Projeto editorial desenvolvido pela Editora Contadino para o jornal Agora São Paulo. Projeto gráfico: Multi Design. Fotos: Shutterstock, Museu do Relógio, Cartier, The Long Now Foundation Agora São Paulo Diretoria Executiva de Circulação Al. Barão de Limeira, 401 Campos Elíseos São Paulo SP CEP Editora Contadino Ltda. Av. Paulista, 2006, conj Cerqueira César São Paulo SP CEP Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, arquivada ou transmitida de nenhuma forma ou por nenhum meio sem permissão expressa e por escrito. Museu do Relógio Dimas de Melo Pimenta São Paulo, Brasil National Association of Watch and Clock Collectors (Associação Nacional de Colecionadores de Relógios) Colúmbia, Estados Unidos National Institute of Standards and Technology (Instituto Nacional de Padronização e Tecnologia), Departamento de Comércio Estados Unidos O Relógio, Sua História Dimas de Melo Pimenta, 1976 Observatório Nacional Ministério da Ciência e Tecnologia Brasil Observatório Real Greenwich, Inglaterra The Long Now Foundation (Fundação do Longo Agora) São Francisco, Estados Unidos Time and Frequency: Theory and Fundamentals Byron E. Blair, NBS, 1974 Universidade de Alberta Edmonton, Canadá Time and Timekeepers Willis I. Milhan, Macmillan, 1974 Whitechapel Bell Foundry Londres, Inglaterra Greenwich Símbolo de pontualidade Referência Precisão com marca suíça Horologia Ciência estuda as horas e a arte de fabricar instrumentos Fusos horários Tempo cortado em fatias Economia Um horário só de verão São Paulo O valor de cada minuto Passeio Único museu do país guarda peças inusitadas Relógio dos 10 mil anos Um ícone de longo prazo

4 introdução Uma viagem pelas horas Desde sempre, o homem se preocupa em conhecer a evolução do tempo para organizar melhor a sua vida o primeiro motivo do homem para medir o tempo foi garantir a sua sobrevivência, com a caça e a pesca Todos se guiam por relógios para acordar, trabalhar, assistir à televisão, entre tantas atividades cotidianas. Mas quase nunca têm tempo para refletir sobre essa medição, que remonta a milênios. Este livro resgata essa história e a noção de que o tempo não escraviza, mas liberta as pessoas para tornar seus instantes mais produtivos e até mesmo prazerosos. Os primeiros motivos para a medição do tempo foram de sobrevivência. Eles vêm do Período Paleolítico, que aconteceu entre 2,7 milhões e 10 mil anos antes de Cristo (a.c.). Os homens primitivos viviam da caça e da pesca e precisavam entender como a Lua e as estações do ano influenciavam a migração dos animais ou o período mais farto para a captura dos peixes. A seguir, quando passou a se dedicar à agricultura, a intuição do homem era de que o ano se dividia em fases, sendo cada uma delas propícia à determinada cultura. Havia uma época melhor para plantar o trigo, outra para cultivar o algodão ou o linho. A cronologia (estudo do tempo) é uma das invenções fundamentais da espécie humana. É com base nesse conjunto de conhecimentos que a civilização consegue, até os dias de hoje, controlar e organizar sua vida e suas atividades, diz o professor Ricardo Normando Ferreira de Paula, da Universidade Federal do Ceará (UFC). Mas não é só uma questão disciplinadora, lembra Adalberto Tripicchio, neuropsiquiatra e doutor em Filosofia pelo Instituto de Viena, na Áustria. O tempo apresenta vários aspectos psicológicos e fisiológicos. Por isso, parece que os dias passam mais devagar quando estamos doentes, experimentamos dor, nos sentimos tristes ou entediados e fazemos algo que detestamos. Ao contrário, a impressão é que as horas voam quando estamos sadios, bem-dispostos, felizes e entretidos em uma atividade agradável. Convidamos para esta deliciosa viagem pelas horas e pelo tempo. Boa leitura! 4

5 HISTÓRIA Milênios de inovação Um dos artefatos mais utilizados pela humanidade surgiu a partir da luz do Sol e de um simples graveto cravado no chão 6 Mistério de pedra Alguns monumentos relacionados ao tempo nunca foram totalmente decifrados, como o Stonehenge (ou eixo de pedra, do inglês antigo stone = pedra e hencg = eixo), na Inglaterra. Acredita-se que sua construção, há mais de 4 mil anos, teve como finalidade a observação de eventos astronômicos. Algumas pedras estão alinhadas com o nascer e o pôr do Sol no início do verão e do inverno. O que seria a avenida central do monumento aponta para o local em que nasce o Sol no dia mais longo do verão (o chamado solstício de verão). Esse eixo de pedra também permitiria identificar os eclipses lunares. Seja para comemorar festas religiosas ou o momento adequado para plantar, colher e caçar, o homem começou a construir instrumentos para medir a passagem do tempo. Há cerca de 5 mil anos, surgiu o primeiro artefato para aferir as horas: o gnômon. Em sua forma mais simples, consiste de uma vara fincada no chão que, iluminada pelo Sol, projeta uma sombra que se move com o passar do dia. Mais tarde, os babilônios o aperfeiçoaram, dividindo o dia em 24 horas. Daí surgiu o relógio de Sol, com uma haste vertical se projetando do centro de um círculo. O maior pro- Os relógios no tempo 3000 a.c. Primeira referência a um instrumento para medir as horas, um gnômon (relógio de Sol) 1500 a.c. Pira funerária egípcia, de Amenophis I, menciona uma clepsidra (relógio de água) 600 a.c. Referência a um relógio de Sol, chamado pedra horária, construído na Babilônia 430 a.c. Clepsidra começa a ser usada na Grécia 260 a.c. Primeiro quadrante solar é construído em Roma 27 a.c. Em Roma, no Campo de Marte, é erguido um obelisco com a função de gnômon 250 Surgem referências aos primeiros relógios de areia, as ampulhetas 885 Alfredo, o Grande, usa velas para medir o tempo 1380 Surgem, na península itálica, os primeiros relógios domésticos 1386 Henry de Vicky fabrica, na Inglaterra, o primeiro relógio mecânico conhecido, que foi instalado na Catedral de Salisbury. Hoje, ele se encontra no Museu de Ciência, em Londres 1510 Peter Henlein, de Nuremberg (Alemanha), aperfeiçoou o mecanismo de corda e inventou o relógio portátil 1582 Galileu Galilei descobre que as oscilações do pêndulo são constantes, o que permitiu fabricar relógios mais precisos 1656 Christiaan Huygens inventa o relógio de pêndulo, fabricado depois pelo relojoeiro Salomão Coster, de Haia 7

6 1670 O ponteiro de minutos começa a ser aplicado 1675 Christiaan Huygens inventa a espiral de aço para relógios de bolso, substituindo a cerda de porco 1730 O primeiro relógio Cuco é fabricado na Floresta Negra 1790 Abraham Louis Breguet introduz inovações nos relógios de bolso, como corda automática e sistema a prova de choque Relógio de sol, de torre e de pulso: a evolução de instrumentos para medir as horas 1813 Surge o primeiro relógio montado em bracelete de ouro e esmalte, com forma de serpente. O exemplar está no museu da relojoaria Chateau dês Monts, na Suíça Portátil O primeiro relógio portátil foi inventado em 1510 pelo relojoeiro Peter Henlein, na Alemanha, que desenvolveu um aparelho para guardar no bolso. Sua invenção significou um grande salto tecnológico na cronometragem do tempo. Ele trabalhou dez anos na criação de um relógio redondo de apenas alguns centímetros de largura, contendo rodas e uma mola de aço o segredo para reduzir o tamanho da peça. Outro avanço foi quando o relógio passou do bolso para o pulso. Conta-se que a primeira pessoa que realmente usou um relógio de pulso foi o matemático e filósofo francês Blaise Pascal ( ). Com uma espécie de correia, ele amarrou o seu relógio de bolso no braço. O aparelho foi patenteado no século 20, pelo inglês Jon Harwook. O nome clepsidra, ou relógio de água, tem origem nas palavras gregas kleptein (roubar) e hydôr (água) blema é que em dias de chuva ou nublados não se conseguia ver as horas. O próximo passo foi o surgimento do relógio de água, a clepsidra, nome que vem de duas palavras gregas: kleptein (ocultar, roubar) e hydôr (água). Consiste de um recipiente cheio de água, com as paredes graduadas e um pequeno orifício para o líquido escoar para um segundo vaso. O problema é que, no inverno, a água congelava e o relógio não funcionava. Avanços Mas o homem não se cansava de buscar opções. E, no século 8, idealizou a ampulheta: dois cones de vidro ligados por um pequeno orifício que regulava a passagem da areia, destinada principalmente à contagem de períodos curtos de tempo. Avanços tecnológicos não foram notados até a metade do século 14, quando começaram a surgir enormes relógios mecânicos nas torres de cidades italianas, com mecanismo regulado por pesos. Em 1656, o matemático, físico e astrônomo holandês Christiaan Huygens fez o primeiro relógio a pêndulo. Ele apresentava um minuto de erro por dia, o que foi reduzido paulatinamente a apenas dez segundos ao dia. No ano de 1675, o mesmo cientista criou a engrenagem com rodinhas dentadas, que ainda hoje existe em relógios de pulso mecânicos. Muitos avanços foram feitos desde então. O mais importante, sem dúvida, depois do relógio mecânico, foi o surgimento do aparelho a quartzo, desenvolvido em 1928 pelos americanos Joseph Horton e Warren Morrison. Seu desempenho era infinitamente superior às engrenagens dentadas. Esses cristais fizeram com que a margem de erro caísse para menos de meio segundo por dia. A evolução seguinte foi o relógio atômico, ainda mais preciso: nos mais modernos,o atraso é de segundos em milhões de anos. O homem não se cansa de buscar opções para acompanhar com precisão a passagem do tempo 1842 A Patek Fellipe cria um mecanismo sem chave para dar corda em relógio, facilitando a produção dos relógios de pulso 1876 A Seth Thomas Corporation, de Nova York, registra a patente do relógio despertador 1923 John Hardwood, um relojoeiro inglês, registrou na Suíça a patente de um relógio automático 1928 Os americanos Joseph Horton e Warren Morrison criam o primeiro relógio a quartzo do mundo, reduzindo a margem de erro na medição para cerca de dez segundos a por mês 1948 O primeiro relógio atômico é construído no National Bureau of Standard (EUA). O atraso é medido em nanossegundos, ou um segundo em milhões de anos A Dimep, do Brasil, lança o Quartzo-Point, o primeiro relógio de ponto eletrônico do mundo Fontes: O Relógio, Sua História Dimas de Melo Pimenta, 1976; Time and Frequency: Theory and Fundamentals Byron E. Blair, NBS, 1974; Time and Timekeepers Willis I. Milhan, Macmillan,

7 TIPOS Com a força dos elementos Sol, fogo, água e areia foram usados para criar relógios. Hoje, o quartzo é o material mais empregado projeção da sombra do sol SOBRE A PLACA indica as frações das horas ao longo do dia sol O aparente movimento do Sol foi a primeira forma de marcação do tempo conhecida pelo homem. No começo, os instrumentos eram formados simplesmente por uma vareta cravada verticalmente no chão o comprimento de sua sombra indicava o período do dia. Esses artefatos eram conhecidos como gnômons. Gradualmente, o aperfeiçoamento dos relógios de Sol permitiu maior exatidão e pontualidade. Acredita-se que, em 380 a.c., foi criado o quadrante, nada mais do que uma placa com um marco em uma lateral. Esse objeto era bem mais preciso para medir o avanço do dia. O ponteiro ou placa é ajustado à posição da Terra para apresentar projeção de sombra semelhante em todas as épocas do ano, e o mostrador é divido em áreas que indicam as frações do tempo. O mais antigo relógio de Sol, que supostamente pertenceu ao faraó Tutmés II do Egito ( a.c.), hoje está exposto no Museu de Berlim, na Alemanha. areia Baseada no princípio da gravidade, a ampulheta, ou relógio de areia, é composta por dois recipientes de vidro entre os quais há uma abertura estreita, por onde a areia escoa devagar. A passagem de todo o conteúdo de um lado para o outro determina um período de tempo, a exemplo de dez minutos ou uma hora. Bastante utilizada na Antiguidade, a ampulheta podia ser transportada sem dificuldades, facilitando seu uso na navegação. Ainda sobrevive hoje em dia para fins lúdicos. AREIA ESCOA DEVAGAR ENTRE OS DOIS RECIPIENTES DE VIDRO QUE FORMAM UMA AMPULHETA 10 11

8 antigo relógio de água no palácio ChangGyoung, em seul, na coreia do sul Invenção permitiu medir as horas em qualquer condição atmosférica, tanto de dia como de noite água Uma das primeiras soluções encontradas pelo homem para vencer o desafio de medir o tempo à noite ou em dias sem Sol foi a invenção do relógio de água, ou clepsidra. Historiadores atribuem a ideia ao grego Ctésibios, que desenvolveu um sistema que mantinha o nível de água constante pelo uso de vasos que se comunicavam com um dreno. O instrumento utiliza o princípio da gravidade e inicialmente foi montado com dois recipientes em níveis diferentes, regulados de forma que o gotejamento do líquido de um para outro marcasse os períodos de tempo. Entre o ponto em que o vaso estava cheio até ficar completamente vazio, foi criada uma escala para dividir o dia. Hoje, os relógios de água têm diferentes formatos e são utilizados como objetos decorativos. desenho de relógio de água egípcio, publicado no século 19 vela Riscos em torno do corpo da vela ou em um suporte determinavam o tempo consumido durante a sua queima. As divisões apresentavam números indicando o período equivalente, e velas com diferentes diâmetros e comprimentos serviam para assinalar espaços de tempo mais ou menos extensos. Normalmente, a divisão mínima era o período de um quarto de hora. Utilizados principalmente à noite, também para iluminar o ambiente, os relógios-vela apresentavam como desvantagem seu alto consumo, visto que não podiam ser abastecidos ou reutilizados. Como não podia deixar de ser, seu funcionamento também apresentava erros bastante significativos na marcação da passagem das horas. A disseminação desse tipo de relógio é atribuída a Alfredo, o Grande, que foi rei de Wessex, na Inglaterra, e viveu entre 849 e 899. azeite Utilizado na mesma época da clepsidra, o relógio de azeite funcionava de forma semelhante. O líquido era armazenado em um reservatório de vidro que tinha em sua parte externa uma faixa graduada que representava as horas. O tempo era medido pela queima de um pavio imerso no óleo, em escala baseada na diminuição do volume. Como esses instrumentos eram bastante usados à noite, servindo como relógio e também como iluminação, a maioria possuía uma escala que ia das oito da noite às sete horas da manhã. O uso mais acentuado do relógio de azeite ocorreu na Europa, no século 18. Essa difusão deve-se evidentemente à sua dupla finalidade e ao fato de poder funcionar muitas vezes, simplesmente repondo azeite no recipiente. modelo de relógio-vela, que combinava funções de iluminação do ambiente e marcação da passagem do tempo 12 13

9 pêndulo Utilizando o princípio da regularidade da oscilação, os relógios de pêndulo surgiram no século 17 e se tornaram uma das formas mais confiáveis de medida do tempo durante três séculos, até a criação dos relógios de quartzo. O peso serve como armazenador da energia obtida por meio do movimento de corda é assim que o relógio funciona sozinho. Nos relógios de pulso, o pêndulo é substituído por molas. O mecanismo do primeiro relógio de pêndulo foi desenvolvido pelo holandês Christiaan Huygens, que se baseou em uma das mais importantes descobertas do cientista italiano Galileu Galilei, no século 16. A história conta que Galileu assistia a uma missa quando se distraiu com as oscilações de um candelabro. Observou que elas se tornavam cada vez menores na medida em que diminuía o ritmo do movimento. Ele comparou essas oscilações com sua pulsação e verificou que, mesmo quando a amplitude era menor, o tempo de cada vai e vem era sempre o mesmo. galileu descobriu que o pêndulo mantém a mesma oscilação em movimentos longos ou curtos ilustração de peças isoladas do relógio de pêndulo criado pelo holandês Christiaan huygens, em 1656 sistema consistia em queimar uma corda para marcar o tempo de combustão entre um nó e outro Corda com nós Sistema muito simples, é constituído de uma corda com nós em intervalos regulares, correspondentes a um período de tempo predefinido. A corda era pendurada, sendo colocado fogo na extremidade inferior. Como o tempo que levava para queimar entre um nó e outro era basicamente o mesmo, o instrumento ajudava a identificar a passagem das horas. O sistema é muito precário, uma vez que fatores como umidade e vento influenciam a velocidade da combustão. Por essa razão, era usado em momentos em que a precisão era menos importante do que ter uma referência de tempo. Um exemplo era acompanhar a queima dos nós para definir o intervalo da mudança de sentinelas em fortalezas

10 quartzo Os relógios de quartzo estão entre os mais precisos do mundo, pois utilizam as propriedades desse mineral para produzir impulsos e vibrações constantes. Isso acontece porque o cristal gera pulsos elétricos quando submetido a uma pressão física e também vibra quando é atravessado por uma corrente elétrica. Essa propriedade foi descoberta por Marie e Pierre Curie, que também foram os primeiros cientistas a identificar a radioatividade. A vibração é transmitida a um circuito eletrônico, que se baseia nesses pulsos para formar os números do mostrador digital, ou, caso o aparelho seja analógico, dividir a vibração a apenas um impulso por segundo. Esse impulso regula um pequeno motor que move as engrenagens do relógio. O primeiro relógio de cristal de quartzo foi desenvolvido nos laboratórios da Bell Telephone, nos Estados Unidos, em Esse tipo de relógio se popularizou na década de 1970 e substituiu quase completamente os mecânicos, regulados por mola e corda. Seu grande diferencial é a precisão. Enquanto os antigos relógios mecânicos perdiam um décimo de segundo por dia, os de quartzo não erram mais do que um milésimo. Em um mês, são apenas dez segundos de atraso. Além de serem precisos, os relógios de quartzo ficaram muito baratos, tornando quase obsoletos os mecanismos de corda, ainda usados como peças decorativas ou de coleção. grande diferencial dos relógios a quartzo é a precisão, com atraso de apenas dez segundos por mês bolso Fundamental para o desenvolvimento de diversas outras invenções, o relógio de bolso surgiu no século 16. Por seu formato, a peça foi denominada Ovo de Nuremberg, referência à cidade alemã onde foi criada. O relógio era de ferro e apresentava mola espiral, com apenas um indicador de hora. Ele surgiu como um aperfeiçoamento do mecanismo de pêndulo. É fruto do trabalho do serralheiro alemão Peter Heinlein, que substituiu o peso por uma cinta de aço que tinha a mesma função. Isso permitiu reduzir o tamanho das máquinas até chegar ao relógio de bolso. A peça que conseguia movimentar o ponteiro dos minutos foi chamada de balancim, responsável pelo tic-tac dos relógios. A patente do mecanismo, entretanto, só foi registrada por Louis Recordon em 1780, em Londres. Esses relógios eram muito raros e considerados como verdadeiras joias e símbolo da alta aristocracia. os primeiros relógios de bolso surgiram no século 16 e eram considerados símbolos de aristocracia 16 17

11 de xadrez Para controlar o tempo gasto em cada jogada, evitando atrasos, o relógio é peça fundamental nas competições de xadrez. Inicialmente, eram utilizadas ampulhetas. Em busca de uma medição mais precisa, os primeiros relógios mecânicos para esses jogos surgiram no fim do século 19. O relógio de xadrez é composto por duas peças montadas de forma a que uma nunca funcione ao mesmo tempo que a outra, determinando a alternância entre os jogadores. cuco O relógio Cuco nasceu na Alemanha, na região da Floresta Negra, por volta de Desde o início, as peças emitiam som semelhante ao canto do pássaro cuco, muito comum na região. Dos diversos estilos fabricados originalmente, dois ganharam destaque: o que apresenta um cenário típico da Floresta Negra e o pássaro no topo da cena; e o que representa uma casa ferroviária da época, com telhado pontudo, de dentro da qual o pássaro sai a cada hora. o metrônomo é usado no estudo de música, marcando o compasso correto o relógio de xadrez tem duas peças que indicam o tempo utilizado por cada jogador som do relógio cuco imita o canto de um pássaro comum na região da floresta negra, na alemanha Metrônomo De pêndulo ou eletrônicos, os metrônomos medem o tempo musical. Usados para estudos ou interpretação, os instrumentos apresentam pulsos regulares, que marcam o compasso. O objetivo é manter um tempo padrão ao longo de toda a peça. As marcações de metrônomo são indicadas nas partituras para identificar em que ritmo a música deve ser tocada. Beethoven é referido como o primeiro compositor a fazer esse tipo de registro

12 Entrada dos átomos 2. Gerador de campo magnético 3. Gerador de micro-ondas/oscilador 4. Gerador de campo magnético 5. Leitor de frequência de oscilações 6. Circuito que interpreta as oscilações 7. Divisores de frequência 8. Mostrador do relógio Fonte: Museu do Relógio Dimep pequenas baterias de quartzo são a fonte de energia dos relógios digitais Digital Criado no final dos anos 1960, o relógio digital utiliza energia elétrica por meio de pequenas baterias e mecanismos de quartzo. Seu visor, de LCD ou LED, apresenta os números de hora, minuto e segundo em vez de ponteiros. Além de serem amplamente utilizados como relógios de pulso, esses mecanismos estão presentes em aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos. precisão torna o relógio atômico indispensável no mundo moderno ATÔMICO O relógio atômico utiliza as vibrações de átomos, que ocorrem a intervalos regulares, sem atrasos ou adiantamentos. O primeiro modelo foi construído em 1949, nos Estados Unidos. Em 1955, o cientista Louis Essen, do Reino Unido, desenvolveu uma versão que utilizava o átomo de Césio-133, que vibra vezes em um segundo. A partir de 1967, 0 mundo passou a usar esse número como a definição de segundo. O erro de um relógio atômico é de alguns segundos em milhões de anos, em comparação a um segundo por dia em um relógio de pulso comum. O Brasil possui 11 relógios atômicos e o último entrou em operação no dia 1º de julho de 2010, no Observatório Nacional, no Rio de Janeiro

13 PULSO relógio atual inspirado na linha desenvolvida pela Cartier para Santos Dumont, em 1904 Não há dúvidas de que Alberto Santos Dumont, mais conhecido como o pai da aviação, era um gênio. Tanto que muitos acreditam ter sido o brasileiro também o responsável pela invenção do relógio de pulso. No entanto, a afirmação não é verdadeira. Apesar de não criar o modelo, foi o responsável por sua popularização, já que, até então, os cavalheiros usavam somente os relógios de bolso. Os relógios de pulso eram considerados modelos exclusivos de joalheria feminina. Há diferentes versões sobre quem foi o real inventor dessa facilidade. Uma é de que a primeira pessoa a usar o modelo foi o matemático e filósofo francês Blaise Pascal ( ), que amarrou no braço, com uma correia, o seu relógio de bolso. Outra é de que o primeiro modelo surgiu em 1814, criado pelo relojoeiro Abraham Louis Bréguet, por encomenda de Carolina Murat, princesa de Nápoles e irmã de Napoleão Bonaparte. Mas outras fontes indicam que foi a dupla Antoni Patek e Adrien Phillipe, fundadores da suíça Patek Phillipe, que criou o modelo em Morador da capital francesa, terra natal de seu pai, Santos Dumont era grande amigo do joalheiro Louis Cartier. Por estar sempre com as mãos ocupadas nos voos e necessitar cronometrar o tempo que permanecia no ar, os relógios de bolso mostravam-se pouco práticos, já que muitos modelos eram também protegidos por uma tampa. Cansado dessa dificuldade, ele queixou-se ao amigo e pediu uma solução. Exclusividade Em 1904, Cartier criou o primeiro relógio de pulso masculino, exclusivamente para Santos Dumont, batizado de Santos pronunciado Santôs, em francês. O modelo era simples: uma caixa retangular em metal presa a alças de couro. A partir de 1911, foi criada a linha Santos que, com design atemporal, é comercializada até hoje. E não demorou para que o novo e moderno acessório caísse no gosto popular e se espalhasse pelo mundo, inclusive tornando-se a maneira mais prática de ver as horas também para os aviadores que lutaram na Primeira Guerra Mundial. O francês Blaise Pascal teria sido a primeira pessoa a usar relógio de pulso Mãos livres para o trabalho Embora inicialmente criados como joias femininas, os relógios de pulso ficaram mais conhecidos por sua praticidade 22 23

14 DESPERTADOR O toque certo para acordar Ao longo de sua história, a humanidade tem encontrado soluções diversas e curiosas para não perder a hora Desde o início dos tempos, a luz do Sol foi o grande despertador das pessoas. A claridade do dia ajudava a regular o relógio biológico, sinalizando que era hora de levantar. Durante séculos, outra forma de indicar que o dia estava amanhecendo era o canto do galo. Um protótipo do despertador foi inventado pelos gregos em torno de 250 antes de Cristo. Era um relógio de água, que vertia de um recipiente para outro até acertar um pássaro mecânico que apitava um alarme. Uma variação usava uma haste com um sino na extremidade superior e uma rolha de cortiça na parte inferior. Quando o recipiente ficava cheio, a cortiça flutuava, empurrava e derrubava a haste, levando o sino a bater. O filósofo Platão dizia ter um relógio de água desse tipo para acordar pela manhã. Fogo Os chineses usavam um despertador de fogo, geralmente no formato de um barco com cabeça de dragão. Ele consistia de uma vareta colocada horizontalmente em cima de fios de arame. Sobre a vareta, ficava suspenso um fio de seda com duas esferas metálicas. O suporte do conjunto era colocado sobre um prato também metálico. Para acionar o despertador, a extremidade da vareta era acesa. Com o transcorrer das horas, o fogo avançava lentamente, até alcançar e queimar o fio de seda. Assim, as duas esferas eram soltas e caíam sobre o prato metálico produzindo um ruído suficientemente forte para acordar uma pessoa. No início do século 6, foi descrito um relógio público existente em Gaza, no Oriente Médio, em que um gongo tocava de hora em hora e figuras se movimentavam dia e noite. Em 1235, em Bagdá, no Iraque, foi inaugurado um monumental despertador à água. Instalado no hall de entrada da madrassa (escola) Mustansiriya, ele anunciava as horas de oração e a passagem do tempo durante o dia e ao longo da noite. O primeiro despertador do homem foi o Sol, que nasce e se põe com regularidade O canto do galo ao amanhecer ajudou a controlar o momento de levantar Igrejas e fábricas Na Europa, os relógios das igrejas passaram a ajudar os habitantes a despertar no início da manhã, assim como a chamar para as missas e a marcar outras horas do dia. O primeiro carrilhão desse tipo foi descrito em Florença, em 1319, por Dante Alighieri, autor de A Divina Comédia. Na década de 1850, durante a revolução industrial, era o apito da fábrica e não o galo ou a torre do relógio que acordava as pessoas. Os operários viviam nas proximidades das indústrias, que, dessa forma, asseguravam que ninguém perderia o horário de levantar e começar a trabalhar. Com corda Já o primeiro despertador mecânico, movido a corda, foi inventado pelo otomano Taqi al-din, em Seu instrumento era capaz de soar um alarme no momento determinado pelo usuário, o que foi conseguido por meio de um pino colocado na roda das horas. No Ocidente, Levi Hutchins, de New Hampshire (EUA), é considerado inventor do mecanismo, em No entanto, o alarme tocava apenas às 4 da manhã, o que era pouco flexível. O francês Antoine Redier foi o primeiro a patentear um despertador mecânico ajustável, em E em 1876, um relógio que podia despertar a qualquer tempo foi patenteado por Seth E. Thomas, em Nova York (EUA). Para assegurar o funcionamento, ele era movido por uma espécie de ventoinha, pela qual se dava corda no relógio. Música e soneca O primeiro rádiorrelógio despertador foi inventado por James Reynolds, nos anos As pessoas poderiam finalmente acordar com notícias ou músicas de sua estação favorita. E o primeiro despertador com a função soneca (do inglês snooze, que permite programar o relógio para tocar em determinado intervalo, dando tempo para uma viradinha ) surgiu em

15 BIG BEN As badaladas da torre O Parlamento britânico tem em seu prédio um dos maiores símbolos internacionais de medição do tempo Como parte da celebração dos 60 anos de reinado de Elizabeth II, a torre passou a se chamar Elizabeth Tower Mais famoso do mundo e símbolo da cidade de Londres, o Big Ben badalou pela primeira vez no dia 11 de julho de 1859, 11 dias depois de ser inaugurado. O nome, na realidade, é uma referência ao sino de mais de 13 toneladas, instalado em uma das torres do Palácio de Westminster, sede do Parlamento britânico, às margens do Rio Tâmisa, também conhecida como Clock Tower (Torre do Relógio). Não se sabe exatamente por que o sino foi batizado com o nome, mas existem duas teorias a respeito. A primeira diz que foi uma homenagem a Benjamin Hall, ministro de Obras Públicas da Inglaterra no período de construção da torre. Benjamin era um homem grande, apelidado de Big Ben, daí a origem. A segunda teoria é que seria referência ao campeão de boxe peso-pesado da época, Benjamin Caunt, que, por sua estatura, também era conhecido como Big Ben. História Um incêndio destruiu quase a totalidade do Palácio de Westminster, em Dez anos depois, ainda com as obras de recuperação em andamento, terceiro relógio de torre mais alto do mundo, o big ben tem ponteiros com 4,26 metros de comprimento o Parlamento decidiu que a nova estrutura deveria incluir uma torre e um relógio. O relógio foi construído por EJ Dent & Co., e o sino, o Big Ben, foi modelado pela Whitechapel Bell Foundry. O relógio raramente parou de funcionar, nem mesmo durante o bombardeio que atingiu Londres na Segunda Guerra Mundial. Características O Big Ben é o terceiro relógio de torre mais alto do mundo.o prédio, construído em estilo gótico, mede 96,3 metros de altura. Os ponteiros que marcam os minutos medem 4,26 metros e originalmente eram de ferro, mas, devido ao peso, foram substituídos por cobre; já as figuras têm 60 centímetros. A hora é regulada por uma pilha de moedas colocadas sobre um pêndulo. Cinco sinos constituem o carrilhão que emite a cada 15 minutos um som conhecido como Westminster Chimes (expressão que pode ser traduzida como Melodias Westminster). Já o número de badaladas coincide com o de horas cheias. Diariamente, o som é transmitido ao vivo por TV e rádio. Isso ocorreu pela primeira vez em em 31 de dezembro de O acesso ao alto da torre é fechado para estrangeiros, mas é possível conhecer os salões do Parlamento por meio de visitas monitoradas. Quando os parlamentares estão reunidos, é acesa uma luz especial acima da face do relógio, para que o público fique sabendo do funcionamento da Casa. big ben e os guardas da rainha são símbolo da capital britânica Inclinação O Big Ben está inclinado 0,26 grau para Noroeste, o que significa existir um desvio de cerca de meio metro entre a base e o ponto mais alto da estrutura da torre que o abriga. A medição consta de um estudo encomendado pela autoridade responsável pelos transportes em Londres pois uma linha de metrô passa por baixo do Parlamento. De acordo com as medições, a torre está se inclinando, desde 2003, a um ritmo de 0,9 milímetro por ano. Nessa proporção, serão necessários alguns milhares de anos (entre 4 mil a 10 mil) para que isso se torne um problema semelhante ao da Torre de Pisa, na Itália, inclinada cerca de quatro graus

16 Greenwich Símbolo de pontualidade O Observatório de Greenwich é referência mundial na marcação das horas e se tornou atração turística em Londres É exatamente na localidade de Greenwich que se mede a hora zero do mundo O conjunto de prédios foi tombado pela Unesco como patrimônio da humanidade Todo mundo já deve ter ouvido a expressão pontualidade britânica. Não é à toa que o inglês é um povo famoso por esse aspecto. Além de abrigar o Big Ben, o mais famoso relógio do mundo, é na Inglaterra mais precisamente em Greenwich que se mede a hora zero do mundo. Ali está localizado o Primeiro Meridiano, o zero grau de longitude, que serviu de base para definir o Tempo Médio de Greenwich (GMT). (Veja detalhes na página 34) É sobre essa localidade, a 20 minutos de Londres, que passa uma linha imaginária que divide o planeta Terra em Ocidente e Oriente. É o chamado Meridiano de Greenwich. Outra linha imaginária, a Linha do Equador, divide o planeta em dois hemisférios: Sul e Norte. Patrimônio O distrito de Greenwich é famoso por abrigar uma coleção de prédios históricos, que incluem o Observatório Real, o Museu Marítimo Nacional, a Casa da Rainha e o Old Royal Naval College. Devido ao grande interesse arquitetônico, o Maritime Greenwich como é conhecido o conjunto de edificações foi declarado patrimônio da humanidade pela Unesco, em Em fevereiro de 2012, como parte das celebrações do jubileu de diamante do reinado de Elizabeth II, o distrito tornou-se Royal Borough (cidade real). Observatório Real O Observatório Real é uma das construções mais importantes de todo o Reino Unido, pois desempenha um papel importante nas histórias da astronomia e da navegação. É exatamente sobre ele que passa o Meridiano de Greenwich. O prédio está situado em uma colina, em meio a um parque, de onde é possível ter uma vista privilegiada da região, incluindo o Rio Tâmisa. O Observatório Real foi encomendado em 1675, pelo Rei Charles II, para contribuir no desenvolvimento de conhecimentos astronômicos essenciais à navegação. Ali trabalharam astrônomos como John Flamsteed e Edmond Halley, os dois primeiros detentores do título de Astrônomo Real Britânico. Entre suas funções, estudavam as estrelas, a fim de entender o movimento do céu. Halley descobriu o cometa que leva o seu nome. Os meridianos e as horas Os meridianos são linhas imaginárias que cortam a Terra verticalmente. O principal é o de Greenwich, definido em 1851, que divide o globo em Ocidente e Oriente. Ele atravessa dois continentes e sete países: Europa (Reino Unido, França e Espanha) e África (Argélia, Mali, Burkina Faso e Gana). O seu reconhecimento como referência ocorreu anos mais tarde, a partir de um acordo mundial firmado em 1884, na cidade de Washington (EUA), O Meridiano de Greenwich passa exatamente sobre o Observatório Real, o marco zero da hora no mundo com o objetivo de estabelecer uma padronização de horários e datas em todo o mundo. A Hora Média de Greenwich (Greenwich Mean Time, ou GMT), baseada na rotação da Terra, foi utilizada como padrão mundial de tempo até 1972, quando um acordo internacional criou o Tempo Universal Coordenado (Coordinated Universal Time ou UTC). Zero hora UTC corresponde à meia-noite no Meridiano de Greenwich

17 Referência Os relógios suíços são conhecidos como referência de precisão e qualidade. É uma tradição que vem do século 16, época em que a Suíça era uma importante produtora de joias. Em 1541, por determinação da Igreja Protestante, os sinais de luxo e pompa foram proibidos em Genebra, uma das maiores cidades do país. Com isso, joalheiros e ourives (profissionais que trabalham com ouro e prata) foram obrigados a procurar novas atividades e muitos dedicaram sua atenção à produção de relógios. Em 1601, foi criada em Genebra a primeira associação de relojoeiros do mundo. Por volta de 1700, os profissionais começaram a buscar novos mercados, se estabelecendo em outras cidades da região. Embora o método de trabalho continuasse artesanal, em 1790 já eram exportados mais de 60 mil relógios. Escala Os avanços industriais permitiram a fabricação de peças em grande es- Durante muitos anos, a Suíça produziu quase a metade dos relógios do mundo Joalheiros e ourives dedicaram atenção à produção de relógios cala no começo do século 20 e, durante muitos anos, a Suíça foi responsável por quase a metade de toda a produção mundial de relógios. Em 1967, o Centro de Horloger Electronique (CEH), na cidade de Neuchâtel, apresentou o primeiro relógio de quartzo analógico, chamado Beta 21, um avanço na precisão do tempo. A nova tecnologia ganhou a preferência do mercado na década de Por causa dela, entretanto, os suíços perderam espaço de mercado para os fabricantes asiáticos, que conseguiam fazer o produto com preços menores. ícone Outra inovação fundamental para recolocar o país no topo da indústria relojoeira foi a criação dos relógios Swatch, lançados em Feitos de plástico e muito finos, tinham apenas 51 componentes, quase a metade das peças habituais. Com qualidade suíça, design inovador e preço acessível, os relógios Swatch rapidamente viraram um ícone mundial. Precisão com marca suíça Cinco séculos de produção e pesquisa justificam a especialidade dos mecanismos fabricados pelas empresas do país europeu regras rígidas determinam como os relógios podem exibir a marca Swiss made atestado de qualidade A designação Swiss Made (Feito na Suíça) dá ao relógio um atestado de qualidade. O país tem acordos internacionais e reforça instrumentos jurídicos com o objetivo de evitar seu uso por equipamentos não autênticos. Para ganhar a marca, o relógio precisa ter mecanismo fabricado na Suíça, bem como ser montado e inspecionado no país. Há especificações para determinar a origem dos componentes, o local e a forma de aplicação das palavras na peça. Até mesmo a inscrição na pulseira é regulamentada. Se o relógio tiver o mecanismo suíço, mas for montado em outro país, não poderá ter inscrição na parte de fora e sim apenas no interior da peça

18 HOROLOGIA Ciência estuda as horas e a arte de fabricar instrumentos Escolas e centros especializados tratam do estudo do tema. Além de pesquisadores, colecionadores também se dedicam ao assunto Horologia é a ciência que estuda as horas, criada há muito tempo, na época da Babilônia (civilização que data dos anos 1900 a.c.). Naquele período, convencionou-se que um minuto teria 60 segundos e uma hora, 60 minutos. Hoje, os especialistas medem o tempo em bilhões de frações. É também a arte de fazer relógios, assim como conservá los e repará-los. Milhares de pessoas são fascinadas por esses instrumentos; são colecionadores e se interessam em aprofundar os estudos sobre o tempo e suas medidas. Há escolas especializadas nessa ciência, além de centenas de publicações e museus espalhados por todo o mundo. Não por acaso, a Suíça concentra o maior número de locais dedicados ao tema. Não se trata de uma disciplina estática. Sempre foi impulsionada por técnica, materiais e design. O que antes era moderno, agora representa um retorno ao passado. Mas as novidades não param de surgir. Existe até, a exemplo do que ocorre na alta costura, uma alta horologia. Não é a produção em massa, mas relógios construídos à mão, difíceis de serem encontrados e caríssimos. ciência é impulsionada por técnica, materiais e design, que fazem do estudo das horas tema de museus e centros internacionais 32 33

19 fusos horários Tempo cortado em fatias Linhas imaginárias padronizam a contagem mundial, facilitando a mobilidade das pessoas e as relações comerciais entre os países OCEANO PACÍFICO OCEANO PACÍFICO OCEANO ATLÂNTICO Meridiano de Greenwich OCEANO ÍNDICO OCEANO PACÍFICO Desde o início da contagem das horas, o Sol foi fundamental para que o homem pudesse definir a passagem do tempo. Quando estava a pino, determinava o horário do meio-dia. Assim, cada comunidade tinha seu próprio tempo solar. Foi no século 19, com a criação das ferrovias e do telégrafo, que essas diferenças se transformaram em problemas para os moradores de diferentes cidades. Na América do Norte, havia 74 modos diferentes de contar as horas. As empresas ajustavam a saída de seus trens de acordo com o horário da cidade natal. Como informar a hora certa do trem para os passageiros e funcio- nários de cada local? Gradualmente, as ferrovias foram criando sistemas para o melhor funcionamento. Grã-Bretanha, Estados Unidos e Canadá foram pioneiros nesse movimento, adotando padrões que utilizavam o Meridiano de Greenwich como referência. A escolha se deu pela exatidão que o Observatório de Greenwich, nos arredores de Londres, na Inglaterra, apresentava nos dados de navegação na época, a maior parte das cartas geográficas era feita pelos ingleses. Assim, o padrão Greenwich Mean Time (Tempo Médio de Greenwich GMT) se tornou uma referência para o mundo

20 Padrões de tempo Em 1972, o padrão GMT foi substituído pelo Coordinated Universal Time (Tempo Universal Coordenado UTC). A diferença entre UTC e GMT está na variação de milésimos de segundo que acontece na rotação do planeta Terra. As horas são contadas com a soma ou subtração de um número inteiro para cada fuso, sendo zero o horário de Greenwich. Na direção Leste, somam-se horas. Para Oeste, é preciso subtrair. Assim o Japão, que fica nove fusos a Leste de Greenwich, está na faixa UTC +9:00. E o Peru, cinco fusos a Oeste, adota o UTC -5:00. Países que têm maior extensão leste-oeste podem ter mais de um fuso. É o caso da Rússia, cujo território apresenta nove fusos horários; dos Estados Unidos, que tem quatro faixas em sua área continental; e do Brasil, com três fusos. Cada país tem liberdade para definir a sua hora legal, ou seja, estabelecer em qual faixa de tempo vai se encaixar. Assim, as linhas que separam os fusos não necessariamente coincidem com os meridianos, de forma reta, e sim seguem as fronteiras estabelecidas pelos países. A Argentina é um exemplo: embora a maior parte de seu território esteja sobre o fuso a quatro horas de Greenwich, o país definiu sua hora legal como UTC -3:00. Você sabia? Linha internacional de data: Exatamente oposta à Greenwich, a linha internacional de data passa sobre o Oceano Pacífico. Ela marca o ponto da Terra onde é necessário ajustar o calendário, não o relógio: a diferença de tempo entre um lado e outro da linha é 24 horas, ou seja, um dia inteiro. Samoa: O dia 30 de dezembro de 2011 não existiu em Samoa, ilha com 180 mil habitantes localizada no Oceano Pacífico. Para melhorar sua relação com seus principais parceiros comerciais, Nova Zelândia e Austrália, o governo local decidiu pular a linha internacional de data e ajustar seu calendário. Antes, Samoa era UTC -11:00, agora é UTC +13:00. Rússia: País com maior extensão do mundo, a Rússia não poderia deixar de ter vários fusos em seu território. No total são nove faixas, variando de UTC +2:00 a UTC +11:00. Nepal: Em 1986, o Nepal, na Ásia, foi o último país a integrar o sistema internacional, adotando o padrão UTC +5:45. Venezuela: Embora os fusos se refiram a horas inteiras, alguns países adotam tempos intermediários. É o caso da Venezuela, que em 2007 retornou à faixa UTC -4:30, que o país já havia utilizado entre 1912 e OCEANO PACÍFICO FUSOS HORÁRIOS DO BRASIL Limite teórico Limite prático civil ou político -4 horas* *Em relação ao horário Meridiano de Greenwich -3 horas* -2 horas* Brasil: De 1913 a 2008, o Brasil teve quatro fusos horários: UTC -2:00 (Fernando de Noronha e outras ilhas), UTC -3:00 (Brasília e a maior parte do território nacional), UTC -4:00 (parte das regiões Norte e Centro-Oeste) e UTC -5:00 OCEANO (Acre e parte PACÍFICO do Amazonas). Essa última zona foi extinta em 2008, sendo integrada à faixa anterior, e assim o país passou a integrar apenas três fusos. Tramita no Congresso Nacional projeto que deve restabelecer o antigo padrão. OCE Estados Unidos: O dia 18 de novembro de 1883 ficou conhecido nos Estados Unidos como the day of two noons (o dia de dois meios-dias), pois foi nessa data que os relógios das companhias ferroviárias do país foram ajustados seguindo o padrão internacional. A mudança foi de até 30 minutos

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO : ENGENHARIA CIVIL GEODÉSIA AULA 04. Professora : Thaís Prado Avancini

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO : ENGENHARIA CIVIL GEODÉSIA AULA 04. Professora : Thaís Prado Avancini UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO : ENGENHARIA CIVIL GEODÉSIA AULA 04 Professora : Thaís Prado Avancini Base Astronômica dos Calendários Desde a antiguidade movimento aparente dos astros serviu de referência

Leia mais

Movimentos da Terra. 4) Número de aulas: São seis etapas que serão divididas em aulas a critério do professor.

Movimentos da Terra. 4) Número de aulas: São seis etapas que serão divididas em aulas a critério do professor. Movimentos da Terra 1) Objetivo Geral Aplicar os conhecimentos sobre os movimentos da Terra e da Lua para o cotidiano, e mais especificamente, para a economia de energia elétrica como o horário de verão

Leia mais

Hora Legal e Fuso Horário

Hora Legal e Fuso Horário Hora Legal e Fuso Horário { Colégio Salesiano São José Geografia - 8º ano FUSO HORÁRIO Relembrando: A Terra é dividida por linhas imaginárias chamadas de paralelos e meridianos. Latitude: é a distância

Leia mais

ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO

ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO Para se orientar o homem teve de desenvolver sua capacidade de observação. Observando a natureza o homem percebeu que o Sol aparece todas as manhãs aproximadamente, num mesmo lado

Leia mais

A HORA PELO MUNDO. Inicial

A HORA PELO MUNDO. Inicial Inicial Até o final do século XIX, cada cidade utilizava um sistema de horas exclusivo, baseado no momento em que o Sol atingia o ponto mais alto no céu. Nesse instante, era meio-dia na cidade. A marcação

Leia mais

serendipity (serendipismo) que significa fazer, acidentalmente, descobertas felizes e inesperadas. É

serendipity (serendipismo) que significa fazer, acidentalmente, descobertas felizes e inesperadas. É Introdução Londres, com uma população de mais de 8 milhões de habitantes, é uma das maiores cidades da Europa. E como as grandes cidades com história milenar, embora tenha se desenvolvido muito no decorrer

Leia mais

Observe o mapa múndi e responda.

Observe o mapa múndi e responda. EXERCÍCIOS DE REVISÃO COM RESPOSTAS PARA O EXAME FINAL GEOGRAFIA 5ª SÉRIE 1) Escreva V para verdadeiro e F para falso: ( V ) No globo terrestre, no planisfério e em outros mapas são traçadas linhas que

Leia mais

Preparado por Irene Lemos 1

Preparado por Irene Lemos 1 Preparado por Irene Lemos 1 Preparado por Irene Lemos 2 M e d i ç ã o d o T e m p o Uma das principais actividades do ser humano desde os primórdios da civilização foi a medição do tempo. A primeira divisão

Leia mais

Aula 14 FUSOS HORÁRIOS: CONCEITOS E DETERMINAÇÕES. Antônio Carlos Campos. META Apresentar as diferenças horárias entre lugares.

Aula 14 FUSOS HORÁRIOS: CONCEITOS E DETERMINAÇÕES. Antônio Carlos Campos. META Apresentar as diferenças horárias entre lugares. Aula 14 FUSOS HORÁRIOS: CONCEITOS E DETERMINAÇÕES META Apresentar as diferenças horárias entre lugares. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: estabelecer as diferenças horárias do globo; identificar

Leia mais

MOVIMENTOS DA TERRA e FUSOS HORÁRIOS

MOVIMENTOS DA TERRA e FUSOS HORÁRIOS MOVIMENTOS DA TERRA e FUSOS HORÁRIOS MOVIMENTO DE ROTAÇÃO Movimento que a Terra realiza ao redor do seu próprio eixo de oeste para leste com duração aproximada de 24 horas (23h, 56 e 4 ). MOVIMENTO DE

Leia mais

Fundamentação Teórica

Fundamentação Teórica Fundamentação Teórica Etimologicamente significa, buscar o oriente. Orientar-se sempre foi uma das preocupações básicas do ser humano e se justificava inicialmente pela busca de e de. No decorrer do tempo

Leia mais

AULA O4 COORDENADAS GEOGRÁFICAS E FUSOS HORÁRIOS

AULA O4 COORDENADAS GEOGRÁFICAS E FUSOS HORÁRIOS AULA O4 COORDENADAS GEOGRÁFICAS E FUSOS HORÁRIOS As coordenadas geográficas são de suma importância pra Geografia, pois a partir delas é possível localizar qualquer ponto na superfície terrestre. Devemos

Leia mais

O RELÓGIO CLÁSSICO SEGUNDO A ROLEX

O RELÓGIO CLÁSSICO SEGUNDO A ROLEX 2 O RELÓGIO CLÁSSICO SEGUNDO A ROLEX A Rolex apresenta a nova coleção Cellini, celebração contemporânea do estilo clássico e da elegância eterna dos relógios tradicionais. Composta de doze modelos de inspiração

Leia mais

Fusos Horários do Brasil

Fusos Horários do Brasil CARTOGRAFIA Fusos Horários do Brasil Por causa de seu movimento de rotação, a Terra apresenta dias e noites. Como consequência, vários pontos da superfície do planeta apresentam diferença de horários.

Leia mais

A NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA É SIMPLES?

A NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA É SIMPLES? A NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA É SIMPLES? 2005 Curso de Capitão o Amador: PROGRAMA E INSTRUÇÕES GERAIS PARA O EXAME DE CAPITÃO O exame para a categoria de Capitão Amador constará de uma prova escrita, com duração

Leia mais

Material de apoio para o exame final

Material de apoio para o exame final Professor Rui Piassini Geografia 1ºEM Material de apoio para o exame final Questão 01) Uma cidade localizada a 70º de longitude está adiantada em quantas horas do meridiano de Greenwich? a) 3 horas b)

Leia mais

Aula 04 Medidas de tempo

Aula 04 Medidas de tempo Aula 04 Medidas de tempo O que é tempo? Os fenômenos astronômicos são periódicos e regulares: tornaram-se os primeiros relógios. E foram os relógios mais precisos até a construção dos relógios atômicos

Leia mais

Lista de exercícios de Cartografia Coordenadas Geográficas, Fusos Horários

Lista de exercícios de Cartografia Coordenadas Geográficas, Fusos Horários Lista de exercícios de Cartografia Coordenadas Geográficas, Fusos Horários 1) (UFPE) Assinale, de acordo com o mapa, a alternativa correta. a) Londres é uma cidade localizada em baixa latitudes. b) Guayaquil

Leia mais

LATITUDE, LONGITUDE E GPS

LATITUDE, LONGITUDE E GPS LATITUDE, LONGITUDE E GPS Anselmo Lazaro Branco* ENTENDA O QUE É LATITUDE, LONGITUDE, E COMO FUNCIONA UM APARELHO DE GPS. GPS O GPS é um aparelho digital de localização, que determinada a posição exata

Leia mais

Job 150904 Setembro / 2015

Job 150904 Setembro / 2015 Job 50904 Setembro / Metodologia TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA: Município de São Paulo. UNIVERSO: Moradores de 6 anos ou mais de

Leia mais

A Hora Legal Brasileira e o sistema de fusos horários Sabina Alexandre Luz

A Hora Legal Brasileira e o sistema de fusos horários Sabina Alexandre Luz A Hora Legal Brasileira e o sistema de fusos horários Sabina Alexandre Luz Estamos certamente acostumados a ouvir a indicação horário de Brasília quando a hora é anunciada na rádio. Esta indicação refere-se

Leia mais

A Eurafrásia A, Afro-Eurásia ou África-Eurásia é formada por: Europa, África e Ásia e estende-se por mais de 84 milhões de km² (quase 60% da superfície sólida da Terra) com uma população de cerca de 5.5

Leia mais

Encontrando o seu lugar na Terra

Encontrando o seu lugar na Terra Encontrando o seu lugar na Terra A UU L AL A Nesta aula vamos aprender que a Terra tem a forma de uma esfera, e que é possível indicar e localizar qualquer lugar em sua superfície utilizando suas coordenadas

Leia mais

I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL

I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL Questão 1 a) (VALOR: 0,2 pts) Quais os planetas do Sistema Solar que têm sistema de anéis? R: Saturno, Júpiter,

Leia mais

GEOGRAFIA 1. Cartografia 1 Aulas 1 e 2

GEOGRAFIA 1. Cartografia 1 Aulas 1 e 2 GEOGRAFIA 1 Cartografia 1 Aulas 1 e 2 O QUE É CARTOGRAFIA Cartografia é a área do conhecimento que se preocupa em produzir, analisar e interpretar as diversas formas de se representar a superfície, como

Leia mais

A Escola e o Relógio de Sol Resumo

A Escola e o Relógio de Sol Resumo Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Matemática A Escola e o Relógio de Sol Resumo Autora: Raquel Duarte de Souza Orientador: Prof. Dr. José Antônio

Leia mais

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 INTRODUÇÃO Trata-se de um modelo científico de trabalho, representando o Sol, a Terra e a Lua, e mostrando como estes se relacionam entre si. Foi concebido para mostrar

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA Aluno(a): Nº Ano: 6º Turma: Data: 26/03/2011 Nota: Professora: Élida Valor da Prova: 50 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

INFORMAÇÕES ADICIONAIS SOBRE O HORÁRIO BRASILEIRO DE VERÃO

INFORMAÇÕES ADICIONAIS SOBRE O HORÁRIO BRASILEIRO DE VERÃO INFORMAÇÕES ADICIONAIS SOBRE O HORÁRIO BRASILEIRO DE VERÃO SRT Data atualização: 10/02/2004 pág. ================================================================ HORÁRIO BRASILEIRO DE VERÃO ================================================================

Leia mais

Relógios. Objetivo Geral Aprofundar os conhecimentos sobre a contagem e marcação do tempo com os vários tipos de relógios.

Relógios. Objetivo Geral Aprofundar os conhecimentos sobre a contagem e marcação do tempo com os vários tipos de relógios. Relógios Objetivo Geral Aprofundar os conhecimentos sobre a contagem e marcação do tempo com os vários tipos de relógios. Objetivo Específico Conhecer mais a reciclagem dos relógios, principalmente os

Leia mais

CREBi TradeShow Report. VicenzaOro First. Macau Jewellery and Watch Fair

CREBi TradeShow Report. VicenzaOro First. Macau Jewellery and Watch Fair VicenzaOro First Macau Jewellery and Watch Fair Enquanto no hemisfério sul, janeiro é um mês morno para os negócios e de férias, no hemisfério norte, as atividades de negócios ocorrem com maior vigor.

Leia mais

Questão 01) A linha imaginária que circula a Terra a 23 27 de latitude norte denomina-se:

Questão 01) A linha imaginária que circula a Terra a 23 27 de latitude norte denomina-se: Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Anderson José Soares Série: 1º Disciplina: GEOGRAFIA Data da prova: 22/02/14 Questão 01) A linha imaginária que circula a Terra

Leia mais

Professor Ventura Ensina Tecnologia

Professor Ventura Ensina Tecnologia Professor Ventura Ensina Tecnologia Experimento PV003 Telefone Experimental Ensino Fundamental Direitos Reservados = Newton C. Braga 1 Prof. Ventura Ensina Tecnologia Telefone O telefone pode ser considerado

Leia mais

Movimentos da Terra e da Lua Medidas de Tempo

Movimentos da Terra e da Lua Medidas de Tempo Movimentos da Terra e da Lua Medidas de Tempo Fases da Lua Eclipses do Sol e da Lua Tempo Solar e Sideral Analema Tempo Atômico Tempo Civil Calendários: egípcio, romano, juliano, gregoriano Ano Bissexto

Leia mais

GEOGRAFIA Profª. Raquel Matos

GEOGRAFIA Profª. Raquel Matos GEOGRAFIA Profª. Raquel Matos 01. Os jogos da última Copa do Mundo, realizados na Coréia do Sul e no Japão, foram transmitidos no Brasil com uma diferença de 12 horas, devido ao fuso horário. "Trabalhando

Leia mais

Aluno(a): Nº. Professor: Anderson José Soares Série: 7º Disciplina: Geografia. Pré Universitário Uni-Anhanguera. Observe o mapa abaixo e responda

Aluno(a): Nº. Professor: Anderson José Soares Série: 7º Disciplina: Geografia. Pré Universitário Uni-Anhanguera. Observe o mapa abaixo e responda Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Anderson José Soares Série: 7º Disciplina: Geografia Observe o mapa abaixo e responda Questão 01) O Brasil é o maior país em

Leia mais

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores 1 Conhecer a influência do sol, terra e lua nas estações do ano (exs: culturas, flores, frutos, árvores, entre outros) 2 Conhecer

Leia mais

Aluno(a): Nº. Professor: ANDERSON JOSÉ SOARES Série: 1º

Aluno(a): Nº. Professor: ANDERSON JOSÉ SOARES Série: 1º Lista de Exercícios1-1 Aluno(a): Nº. Professor: ANDERSON JOSÉ SOARES Série: 1º Disciplina: GEOGRAFIA Data da prova: 01 - A linha imaginária, que corresponde ao marco inicial (0 ) dos fusos horários é:

Leia mais

Uma aventura no céu. Para você que gosta de pipa e quer empinar com segurança.

Uma aventura no céu. Para você que gosta de pipa e quer empinar com segurança. Uma aventura no céu Para você que gosta de pipa e quer empinar com segurança. O bom pipeiro solta pipa sem colocar a sua vida e a dos outros em perigo. Há muita história e descobertas escondidas atrás

Leia mais

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de A U A U L L A A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de rotação. É esse movimento que dá origem à sucessão dos dias

Leia mais

Extensivo noite - Aulas 01 e 02

Extensivo noite - Aulas 01 e 02 1. (Unesp 2011) A figura 1 mostra um quadro de Georges Seurat, grande expressão do pontilhismo. De forma grosseira podemos dizer que a pintura consiste de uma enorme quantidade de pontos de cores puras,

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 5 LUA E SUAS FASES. ECLIPSES. Lua. Fases da Lua. Sombra de um Corpo Extenso. Linha dos Nodos. Eclipses do Sol. Eclipses da Lua. Temporada de Eclipses. Saros. Recapitulando a aula anterior: Capítulo

Leia mais

ARGÉLIA ALEMANHA ARGENTINA AUSTRÁLIA. África. Europa. Capital. Argel. Berlim. Capital. árabe. Idioma. Idioma. alemão. Extensão territorial

ARGÉLIA ALEMANHA ARGENTINA AUSTRÁLIA. África. Europa. Capital. Argel. Berlim. Capital. árabe. Idioma. Idioma. alemão. Extensão territorial ALEMANHA ARGÉLIA Berlim Argel alemão árabe cerca de 8 milhões de habitantes cerca de 6 milhões de habitantes 17 Curiosidade: Existem mais de 1.5 Curiosidade: A seleção de futebol da Argélia é conhecida

Leia mais

Exercícios de Cartografia II

Exercícios de Cartografia II Exercícios de Cartografia II 1. (UFRN) Um estudante australiano, ao realizar pesquisas sobre o Brasil, considerou importante saber a localização exata de sua capital, a cidade de Brasília. Para isso, consultou

Leia mais

O Oyster Perpetual. oyster perpetual

O Oyster Perpetual. oyster perpetual O Oyster Perpetual oyster perpetual sumário O Universo do Oyster Perpetual Introdução Estilo ATEMPORAL E SEMPRE ATUAL 4 Função IMPERMEABILIDADE 5 Universo UM POUCO DE HISTÓRIA 6 HANS WILSDORF 7 Características

Leia mais

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos.

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos. Óptica Os fenômenos ópticos que observamos através do nosso aparelho de visão (Olho Humano) são todos devidos às propriedades da luz. Para estudarmos a óptica, ou seja, os efeitos sofridos pela luz, utilizaremos

Leia mais

QUE HORAS SÃO? Neuza Machado Vieira Professora Assistente Doutora (aposentada) em Geografia da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais UNESP/Franca

QUE HORAS SÃO? Neuza Machado Vieira Professora Assistente Doutora (aposentada) em Geografia da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais UNESP/Franca QUE HORAS SÃO? Analúcia Bueno dos Reis Giometti Professora Doutora Titular do Departamento de Educação, Ciências Sociais e Políticas Públicas da Faculdade de História, Direito e Serviço Social UNESP/Franca.

Leia mais

TÍTULO: Plano de Aula OS DIAS, AS NOITES E AS ESTAÇÕES DO ANO. Ensino Fundamental/Anos Iniciais. 2º Ano. Ciências. Vida e meio ambiente

TÍTULO: Plano de Aula OS DIAS, AS NOITES E AS ESTAÇÕES DO ANO. Ensino Fundamental/Anos Iniciais. 2º Ano. Ciências. Vida e meio ambiente Org.: Claudio André - 1 Autora: Maria Silva TÍTULO: OS DIAS, AS NOITES E AS ESTAÇÕES DO ANO Nível de Ensino: Ano/Semestre de Estudo Ensino Fundamental/Anos Iniciais 2º Ano Componente Curricular: Ciências

Leia mais

As aventuras do Geodetetive 5: Como viajar e chegar no dia anterior. Série Matemática na Escola

As aventuras do Geodetetive 5: Como viajar e chegar no dia anterior. Série Matemática na Escola As aventuras do Geodetetive 5: Como viajar e chegar no dia anterior. Série Matemática na Escola Objetivos 1. Mostrar como são estabelecidos os fusos horários e fatos a estes relacionados. 2. Apresentar

Leia mais

Recuperação - 1ª Etapa Ensino Fundamental II

Recuperação - 1ª Etapa Ensino Fundamental II 1 HISTÓRIA 6º ANO ENS. FUNDAMENTAL II PROFESSOR (A): SEBASTIÃO ABICEU NOME: Nº QUESTÃO 01: O que a História estuda? Responda com suas palavras. QUESTÃO 02: O que são fontes históricas? QUESTÃO 03: Dê exemplos

Leia mais

ASTRO 3D: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO DE ASTRONOMIA

ASTRO 3D: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO DE ASTRONOMIA 0 ASTRO 3D: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO DE ASTRONOMIA Eliza M. Silva 1, Rafael B. Botelho, Artur Justiniano, Paulo A. Bresan. Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Resumo O Ensino de Astronomia está

Leia mais

Os natos Beto Junqueyra

Os natos Beto Junqueyra ATIVIDADE III Ensino Fundamental Conteúdo: Atividades de Geografia e História para livro Os Natos Os natos Beto Junqueyra O Ícaro, nome dado ao meio de transporte utilizado pela equipe dos Natos, apresentava

Leia mais

GABARITO DA PROVA OLÍMPICA DO NÍVEL II DA II OBA

GABARITO DA PROVA OLÍMPICA DO NÍVEL II DA II OBA 1. A astronomia estuda tudo que está fora da Terra, como por exemplo, os planetas, as estrelas, os cometas, as galáxias, as constelações, os movimentos destes corpos, etc. Para observar estes corpos basta

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 5.º ANO/EF 2015

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 5.º ANO/EF 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 5.º ANO/EF 2015 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados na

Leia mais

Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis

Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis A origem do Universo A teoria do Big Bang foi anunciada em 1948 pelo cientista russo naturalizado estadunidense,

Leia mais

As condições de acessibilidade e mobilidade nas cidades receptoras. Diretoria de Engenharia - DE

As condições de acessibilidade e mobilidade nas cidades receptoras. Diretoria de Engenharia - DE As condições de acessibilidade e mobilidade nas cidades receptoras Diretoria de Engenharia - DE Cidades candidatas e seus aeroportos Aeroportos da INFRAERO primeira e última imagem que o turista estrangeiro

Leia mais

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Ciências AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Graduada em História e Pedagogia, Doutora em Filosofia e Metodologia de Ensino, Autora da Metodologia ACRESCER. REGINALDO STOIANOV Licenciatura Plena em Biologia,

Leia mais

Rotação. Movimentos da Terra. Translação. Estações do Ano. Movimento aparente do Sol. Trópicos: limites da trajetória do Sol

Rotação. Movimentos da Terra. Translação. Estações do Ano. Movimento aparente do Sol. Trópicos: limites da trajetória do Sol Movimentos da Terra Rotação 14 movimentos; Rotação; Translação. Sucessão de dias e noites; Desvio das correntes marítimas; Atração gravitacional; Necessidade de fusos horários. Translação Estações do Ano

Leia mais

O Q U E É U M REL Ó G I O DE S O L? Relógio de Sol é um instrumento que determina as divisões. do dia através do movimento da sombra de um objecto, o

O Q U E É U M REL Ó G I O DE S O L? Relógio de Sol é um instrumento que determina as divisões. do dia através do movimento da sombra de um objecto, o O Q U E É U M REL Ó G I O DE S O L? Relógio de Sol é um instrumento que determina as divisões do dia através do movimento da sombra de um objecto, o gnómon, sobre o qual incidem os raios solares e que

Leia mais

Sincronização de Relógios

Sincronização de Relógios Sistemas de Tempo Real: Sincronização de Relógios Rômulo Silva de Oliveira Departamento de Automação e Sistemas DAS UFSC romulo@das.ufsc.br http://www.das.ufsc.br/~romulo 1 Sincronização de Relógios Motivação

Leia mais

LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTIC

LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTIC LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO Professora: Selma Regina Aranha Ribeiro Estagiários: Ricardo Kwiatkowski Silva / Carlos André Batista de Mello DEFINIÇÃO DE DECLINAÇÃO MAGNÉTICA Muitas pessoas

Leia mais

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado.

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. Job 44/4 Setembro/04 Metodologia TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA: Município de São Paulo. UNIVERSO: Moradores de 6 anos ou mais de

Leia mais

Elementos de Astronomia

Elementos de Astronomia Elementos de Astronomia Astronomia Antiga, Esfera Celeste, Coordenadas e Movimento Diurno dos Astros Rogemar A. Riffel Sala 1316 e-mail: rogemar@ufsm.br http://www.ufsm.br/rogemar/ensino.html Por que estudar

Leia mais

Aula 1. Atividades. V. A cartografia é a arte que tem o interesse de explicar a origem do planeta Terra. Estão corretas: e) II, IV e V.

Aula 1. Atividades. V. A cartografia é a arte que tem o interesse de explicar a origem do planeta Terra. Estão corretas: e) II, IV e V. Aula 1 1. Atividades A palavra cartografia é relativamente nova, sendo utilizada pela primeira vez em 8 de dezembro de 1839. Seu uso aconteceu na carta escrita em Paris, enviada pelo português Visconde

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Mercado Brasileiro de Relógios 2011

Mercado Brasileiro de Relógios 2011 Mercado Brasileiro de Relógios Preparado pelo Centro de Estudos, Pesquisas, e Desenvolvimento CREBi Research Nota: Este trabalho desenvolvido pelo CREBi.com pode ser reproduzido livremente, desde que citada

Leia mais

PARABÉNS POR TER ADQUIRIDO O RELÓGIO NAUTICA. DESENVOLVIDO COM AVANÇADA TECNOLOGIA ELETRÔNICA, SEU MECANISMO É CONSTITUÍDO POR COMPONENTES DA MELHOR

PARABÉNS POR TER ADQUIRIDO O RELÓGIO NAUTICA. DESENVOLVIDO COM AVANÇADA TECNOLOGIA ELETRÔNICA, SEU MECANISMO É CONSTITUÍDO POR COMPONENTES DA MELHOR PARABÉNS POR TER ADQUIRIDO O RELÓGIO NAUTICA. DESENVOLVIDO COM AVANÇADA TECNOLOGIA ELETRÔNICA, SEU MECANISMO É CONSTITUÍDO POR COMPONENTES DA MELHOR QUALIDADE E ALIMENTADO POR UMA BATERIA DE VIDA LONGA.

Leia mais

Neste ano estudaremos a Mecânica, que divide-se em dois tópicos:

Neste ano estudaremos a Mecânica, que divide-se em dois tópicos: CINEMÁTICA ESCALAR A Física objetiva o estudo dos fenômenos físicos por meio de observação, medição e experimentação, permite aos cientistas identificar os princípios e leis que regem estes fenômenos e

Leia mais

SIM SIM SIM NÃO SIM NÃO SIM NÃO NÃO SIM NÃO SIM NÃO NÃO SIM NÃO. Resistência a água 5 ATM (50 metros) SEM INDICAÇÃO

SIM SIM SIM NÃO SIM NÃO SIM NÃO NÃO SIM NÃO SIM NÃO NÃO SIM NÃO. Resistência a água 5 ATM (50 metros) SEM INDICAÇÃO 1 CRONÓGRAFO O seu relógio é resistente à água, apenas quando estiver indicado na face do relógio ou na traseira da caixa. Não é aconselhável a utilização em ambientes muito quentes/ sauna. Os ajustes

Leia mais

Com a Fotografia foi assim também. Ela nasce movida pela curiosidade, em um processo que envolveu estudo, observação e muita experimentação.

Com a Fotografia foi assim também. Ela nasce movida pela curiosidade, em um processo que envolveu estudo, observação e muita experimentação. Capítulo I. História da Fotografia As leis da Física Ao longo de sua evolução o Homem foi descobrindo e inventando coisas, desenvolvendo conhecimento, tecnologia e instrumentos para suprir suas necessidades.

Leia mais

www.google.com.br/search?q=gabarito

www.google.com.br/search?q=gabarito COLEGIO MÓDULO ALUNO (A) série 6 ano PROFESSOR GABARITO DA REVISÃO DE GEOGRAFIA www.google.com.br/search?q=gabarito QUESTÃO 01. a) Espaço Geográfico RESPOSTA: representa aquele espaço construído ou produzido

Leia mais

APRESENTAÇÃO APLICAÇÃO

APRESENTAÇÃO APLICAÇÃO APRESENTAÇÃO Acompanhando a constante evolução tecnológica e correspondendo as exigências do mercado, a KL oferece um equipamento que reúne a mais avançada tecnologia, integrando um moderno sistema de

Leia mais

SINCRONISMO USANDO GPS

SINCRONISMO USANDO GPS SINCRONISMO USANDO GPS Mario Piai Júnior Diretor Técnico da empresa TESC Sistemas de Controle Ltda mpiai@tesc.com.br Várias aplicações exigem que eventos, que acontecem fisicamente distantes entre si,

Leia mais

METEOROLOGIA OBSERVACIONAL I VENTO DIREÇÃO E INTENSIDADE

METEOROLOGIA OBSERVACIONAL I VENTO DIREÇÃO E INTENSIDADE METEOROLOGIA OBSERVACIONAL I VENTO DIREÇÃO E INTENSIDADE COMET Professor: Vento é definido como o ar em movimento constante, podendo seu deslocamento se processar tanto no sentido horizontal como no vertical.

Leia mais

REPRESE TAÇÃO SIMPLIFICADA DAS FASES DA LUA

REPRESE TAÇÃO SIMPLIFICADA DAS FASES DA LUA FASES DA LUA O ASPECTO DA LUA SE MODIFICA DIARIAMENTE. Mas isso se deve tão somente a posição relativa da Lua, Terra e Sol. A cada dia o Sol ilumina a Lua sob um ângulo diferente, à medida que ela se desloca

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Ver também Túnel do Canal da Mancha.

Ver também Túnel do Canal da Mancha. Estrada de ferro, Sistema de transporte sobre trilhos, que compreende a via permanente e outras instalações fixas, o material rodante e o equipamento de tráfego. É também chamado ferrovia ou via férrea.

Leia mais

CAPÍTULO 11 O FENÔMENO EL NINO

CAPÍTULO 11 O FENÔMENO EL NINO CAPÍTULO 11 O FENÔMENO EL NINO 1.0. O que é o El Nino? É o aquecimento anômalo das águas superficiais na porção leste e central do oceano Pacífico equatorial, ou seja, desde a costa da América do Sul até

Leia mais

Fuso horário. Faixa que vai de um pólo a outro, limitada por dois meridianos

Fuso horário. Faixa que vai de um pólo a outro, limitada por dois meridianos Fuso horário Faixa que vai de um pólo a outro, limitada por dois meridianos Já na segunda metade do século XIX, com a evolução dos meios de comunicações e dos transportes a questão dos horários, por tempo

Leia mais

47º Problema de Euclides

47º Problema de Euclides 47º Problema de Euclides Como esquadrejar seu esquadro 1 O 47º Problema de Euclides, também chamado de 47ª Proposição de Euclides, assim como o Teorema de Pitágoras é representado por 3 quadrados. Para

Leia mais

Coordenadas Geográficas

Coordenadas Geográficas Orientação A rosa-dos-ventos possibilita encontrar a direção de qualquer ponto da linha do horizonte. Por convenção internacional, a língua inglesa é utilizada como padrão, portanto o Leste muitas vezes

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL. São Paulo - 2012 BRUNO HENRIQUE CESAR ALBUQUERQUE GUILHERME CAVALHEIRO GUILHERME FERREIRA VINICIUS LIMA

ENGENHARIA CIVIL. São Paulo - 2012 BRUNO HENRIQUE CESAR ALBUQUERQUE GUILHERME CAVALHEIRO GUILHERME FERREIRA VINICIUS LIMA ENGENHARIA CIVIL São Paulo - 2012 BRUNO HENRIQUE CESAR ALBUQUERQUE GUILHERME CAVALHEIRO GUILHERME FERREIRA VINICIUS LIMA Sumário Como escolher sua carreira?...3 Bases disciplinares...4 O mar está para

Leia mais

MAT. DIDÁTICO 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO - GEOGRAFIA - VOLUME 1 - PG 2 - CIANO MAGENTA AMARELO PRETO

MAT. DIDÁTICO 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO - GEOGRAFIA - VOLUME 1 - PG 2 - CIANO MAGENTA AMARELO PRETO 1. 03 1.1 Isto é arte? 06 1.2 Tic-tac - marcando o tempo 07 1.3 Grafite 11 1.4 Pinturas rupestres 12 1.5 Pinturas rupestres no Brasil 13 1.6 A arte egípcia 15 1.7 Elementos da linguagem visual: signos

Leia mais

Entrevista a Galileu Galilei

Entrevista a Galileu Galilei Escola Secundária Emidio Navarro 2009/2010 Disciplina: Físico-Quimica Entrevista a Galileu Galilei Trabalho realizado por: Cristiana Monteiro nº5 Francisco Pinto nº9 11ºCT2 Entrevista a Galileu Galilei

Leia mais

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global 1 Sistema de Posicionamento Global é um sistema de posicionamento por satélite que permite posicionar um corpo que se encontre à superfície

Leia mais

UD II - EUROPA FÍSICA

UD II - EUROPA FÍSICA UD II - EUROPA FÍSICA 7. Hidrografia 8. Tipos de mares 9. Hidrovias Referências: Geografia em Mapas (pgs. 46 e 47). Geoatlas 9º ANO 2º BIMESTRE - TU 902 AULA 2 7. HIDROGRAFIA As regiões mais elevadas do

Leia mais

GEOGRAFIA. Estão corretos apenas os itens. A) I e III. B) I e IV. C) II e IV. D) I, II e III. E) II, III e IV.

GEOGRAFIA. Estão corretos apenas os itens. A) I e III. B) I e IV. C) II e IV. D) I, II e III. E) II, III e IV. GEOGRAFIA 11) Ao ler o mapa do estado do Rio Grande do Sul, podese reconhecer diferentes paisagens que se configuram por apresentarem significativas relações entre os elementos que as compõem. Dentre os

Leia mais

A primeira nação da América espanhola, incluindo a Espanha e Portugal, que utilizou máquinas e barcos a vapor foi Cuba foi em 1829.

A primeira nação da América espanhola, incluindo a Espanha e Portugal, que utilizou máquinas e barcos a vapor foi Cuba foi em 1829. A primeira nação da América espanhola, incluindo a Espanha e Portugal, que utilizou máquinas e barcos a vapor foi Cuba foi em 1829. A primeira nação da América Latina e a terceira no mundo (atrás da Inglaterra

Leia mais

FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS 1. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa

FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS 1. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa pelo km 240. Determine: a) a velocidade escalar média desenvolvida

Leia mais

Oyster Perpetual GMT-MASTER II

Oyster Perpetual GMT-MASTER II Oyster Perpetual GMT-MASTER II Oyster, 40 mm, aço GMT-MASTER II O GMT Master, lançado em 1955, foi desenvolvido para atender às necessidades dos pilotos internacionais. O GMT Master II, lançado em 2005,

Leia mais

Níve v l e 4 Prof. Alex Samyr

Níve v l e 4 Prof. Alex Samyr Nível 4 Prof. Alex Samyr - Origem e desenvolvimento - Origem do universo - Teoria do Big-Bang É a mais antiga das ciências (desde os pré-históricos) Desde a antiguidade o céu é usado como: MAPA, RELÓGIO

Leia mais

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS A correção de cada questão será restrita somente ao que estiver registrado no espaço

Leia mais

b) A distância X, em km, entre o receptor R, no avião, e o ponto O.

b) A distância X, em km, entre o receptor R, no avião, e o ponto O. 1. (Fuvest 94) Dois carros, A e B, movem-se no mesmo sentido, em uma estrada reta, com velocidades constantes Va = 100 km/h e Vb = 80 km/h, respectivamente. a) Qual é, em módulo, a velocidade do carro

Leia mais

Metrologia Aplicada e Instrumentação e Controle

Metrologia Aplicada e Instrumentação e Controle 25/11/2012 1 2012 Metrologia Aplicada e Instrumentação e Controle A disciplina de Metrologia Aplicada e Instrumentação e Controle, com 40 horas/aulas, será dividida em 2 (duas) partes, sendo : Metrologia

Leia mais

CARTOGRAFIA APLICADA AO E SI O DE HISTÓRIA. Ivison de Souza Silva 1, Universidade Federal de Alagoas.

CARTOGRAFIA APLICADA AO E SI O DE HISTÓRIA. Ivison de Souza Silva 1, Universidade Federal de Alagoas. CARTOGRAFIA APLICADA AO E SI O DE HISTÓRIA Ivison de Souza Silva 1, Universidade Federal de Alagoas. Resumo: Esse trabalho trata da necessidade do uso da Ciência Cartográfica para o entendimento da História,

Leia mais

INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA SANDRO FERNANDES

INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA SANDRO FERNANDES INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA SANDRO FERNANDES O que é a Astronomia? É a ciência que estuda o universo, numa tentativa de perceber a sua estrutura e evolução. Histórico É a ciência mais antiga. Os registros

Leia mais

Exercícios de Física sobre Vetores com Gabarito

Exercícios de Física sobre Vetores com Gabarito Exercícios de Física sobre Vetores com Gabarito 1) (UFPE-1996) Uma pessoa atravessa uma piscina de 4,0m de largura, nadando com uma velocidade de módulo 4,0m/s em uma direção que faz um ângulo de 60 com

Leia mais

INTRODUÇÃO À CINEMÁTICA (ATÉ VELOCIDADE ESCALAR MÉDIA) NÍVEL 1

INTRODUÇÃO À CINEMÁTICA (ATÉ VELOCIDADE ESCALAR MÉDIA) NÍVEL 1 INTRODUÇÃO À CINEMÁTICA (ATÉ VELOCIDADE ESCALAR MÉDIA) 1) Marque com V de verdadeiro ou F de falso: NÍVEL 1 ( ) 1. Denominamos ponto material aos corpos de pequenas dimensões. ( ) 2. Um ponto material

Leia mais

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses FIS02010 Professora Ana Chies Santos IF/UFRGS https://anachiessantos.wordpress.com/ensino/fis02010/ Facebook #AstroUFRGS Relembrando... Sistemas de Coordenadas

Leia mais