Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2009"

Transcrição

1 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Rio de Janeiro, 15/12/2010 1

2 PNAD 2009 Segurança Alimentar Vitimização e Educação Trabalho Rendimento Fecundidade Tecnologia da Informação etc 2

3 Domicílios visitados Pessoas entrevistadas 1850 Entrevistadores Vitimização e 1988 Suplemento de Participação Político Social 21 anos 2009 Na PNAD de 1988 foram investigados os temas Vitimização e 3

4 PNAD 2009 Vitimização Sensação de Segurança Tentativa de Roubo ou Furto Roubo Furto Agressão Física 10 anos ou mais de idade 18 anos ou mais de idade Para domicílios Dispositivos de Segurança Conhecer a percepção das pessoas no que diz respeito à segurança no período de 27/09/2008 a 26/09/2009 Estimar os totais de registros de ocorrência dos crimes citados em delegacias de polícia Vitimização Traçar o perfil socioeconômico das vítimas dos crimes Estimar o número de vítimas dos crimes 4

5 Você se sente seguro(a)... no seu domicílio? no seu bairro? na sua cidade? 86 milhões de pessoas se sentiam seguras no Brasil, em 2009 Sensação de Segurança na cidade 78,6 71,6 78,7 79,1 81,9 75,9 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Domicílio Bairro Cidade Na Região Sul foi verificado o maior percentual de pessoas seguras na cidade, 81,9 5

6 78,6 36,9 52,8 14,6 73,8 43,3 53,4 24,9 77,8 60,9 51,1 30,5 77,4 56,5 54,2 24,7 78,2 53,8 59,9 42,7 78,9 52,2 42,3 79,6 33,8 48,9 51,1 80,3 35,0 46,7 54,9 81,3 40,2 44,2 61,4 82,8 42,1 41,4 16/12/2010 Região Metropolitana Sensação de Segurança na cidade Pará Ceará Pernambuco Bahia Minas Gerais Rio de Janeiro UF RM São Paulo Paraná Rio Grande do Sul Nas Metrópoles, a sensação de segurança em relação a cidade em que moravam era menor Rendimento Sensação de Segurança Total Sem rendimento (2) Menos de 1/4 do SM 1/4 a menos 1/2 a menos 1 a menos de 1/2 SM de 1 SM de 2 SM Domicílio 2 a menos de 3 SM Cidade 3 a menos de 4 SM 4 a menos de 5 SM 5 SM ou mais Nos domicílios pertencentes às classes de rendimento domiciliar per capita mais baixas, a sensação de segurança na cidade em que moravam era maior 6

7 Dispositivos de Segurança Recurso utilizado para aumentar a segurança do domicílio Foi apresentado ao informante uma lista prévia com os principais dispositivos de segurança utilizados. 35,7 20,4 18,8 18,4 4,2 6,7 9,4 7

8 Existiam no Brasil, em 2009, 58,6 milhões de domicílios particulares Dispositivos de Segurança 59,4 dos domicílios brasileiros tinham algum dispositivo para aumentar a segurança. Dispositivos de Segurança 59,4 54,3 51,8 63,9 59,6 64,9 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Na Região Centro-Oeste 64,9 dos domicílios tinham pelo menos um dispositivo de segurança instalado. 8

9 57,6 78,1 54,4 74,8 55,6 76,2 49,9 76,5 55,2 72,8 60,0 67,5 70,3 69,2 56,6 70,0 68,0 76,1 16/12/2010 Região Metropolitana Dispositivos de Segurança Pará Ceará Pernambuco Bahia Minas Gerais Rio de Janeiro UF RM São Paulo Paraná Rio Grande do Sul Na maioria das metrópoles o de domicílios com algum dispositivo de segurança era maior. Tinham algum dispositivo instalado Casa 89,2 Dispositivos de Segurança Apartamento 10, Grade na janela e/ou porta Olho mágico corrente no trinco... Cerca eletrificada, muro... Fechaduras extras... Cachorro Segurança privada e/ou cancela Câmera de vídeo Outro mecanismo de segurança 9

10 Para caracterização Roubo Furto Último evento Agressão Física Vitimização Roubo Furto Roubo é o ato de subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência a pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência. Difere do ROUBO por ser praticado sem emprego de violência contra a pessoa ou grave ameaça. 10

11 48,5 48,4 48,2 54,6 50,7 50,6 51,8 7,3 7,9 45,4 43,4 42,7 12,9 5,9 18,3 22,3 19,4 22,9 24,1 26,6 11,9 11,9 7,4 6,3 6,0 4,2 16/12/2010 População de 10 anos ou mais Vítimas de roubo ou furto Roubo ou Furto 12 milhões de pessoas foram vítimas de roubo ou furto no Brasil em 2009 Homens Mulheres Branca Preta ou parda Preta Parda 10 a 15 anos 16 a 24 anos 25 a 34 anos 35 a 49 anos 50 a 59 anos 60 a 69 anos 70 anos ou mais de vítimas Vitimização 7,3 5,4 3,73,9 9,9 7,0 5,6 4,7 7,5 6,7 6,8 5,0 5,0 5,4 4,3 4,6 3,5 3,43,5 2,5 8,8 6,7 5,5 3,6 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Tentativa Roubo ou Furto Roubo Furto Na região Norte o de Roubo ou Furto era maior. 11

12 Região Metropolitana 11,5 17,8 14,0 13,1 8,8 10,5 9,0 7,0 6,5 6,2 7,1 6,1 Roubo ou Furto de vítimas 11,1 8,5 7,1 7,4 8,9 7,1 Pará Ceará Pernambuco Bahia Minas Gerais Rio de Janeiro UF RM São Paulo Paraná Rio Grande do Sul Nas metrópoles, o percentual de vítimas de roubo ou furto era maior. Características Vitimização 5,9 8,1 2,1 3,0 5,9 8,3 4,8 6,4 7,3 7,9 7,2 5,7 5,6 4,9 Urbana Rural Homens Mulheres Tentativa Branca Preta Parda Roubo ou Furto O percentual de homens vítimas de roubo ou furto era maior. 12

13 Rendimento Roubo ou Furto 4,7 5,6 6,9 7,6 9,6 10,3 10,8 11,6 Sem rendimento a menos de 1/4 do SM 1/4 a menos de 1/2 SM 1/2 a menos de 1 SM 1 a menos de 2 SM 2 a menos de 3 SM 3 a menos de 4 a menos de 4 SM 5 SM 5 SM ou mais Nas faixas de rendimento domiciliar per capita mais altas o percentual de crimes era maior. Local do Roubo e Furto 70,5 Roubo Furto 47,6 26,8 12,2 8,5 12,2 6,2 4,4 2,6 9,0 Via pública Própria residência ou de terceiros Estabelecimento comercial Transporte Coletivo Outro local A maioria dos crimes de roubo aconteceu em via pública, já os furtos em residências. 13

14 Tipo de bem roubado ou furtado 54,2 54,0 Roubo Furto 27,4 28,4 30,0 22,7 12,7 7,3 6,5 3,8 2,0 1,4 14,0 37,3 Telefone celular Dinheiro, cartão de débito ou crédito, ou cheque Documentos ou objetos pessoais Bicicleta Carro Motocicleta Outro Celular e Dinheiro foram os bens com maior incidência de roubo e furto. Procurou a polícia 48,4 37,7 Roubo Furto Roubo Furto Quase metade das vítimas de roubo procurou a polícia. 14

15 Por que não procurou a polícia? 36,4 23,1 23,1 24,4 19,5 14,2 11,6 26,7 Roubo Furto 9,3 11,6 Não acreditavam na polícia Não era importante Não queriam envolver a polícia ou medo de represália Falta de provas Outro Mais de um terço das vítimas de roubo não procurou a polícia por não acreditar nela. Fez o registro da ocorrência Roubo Furto 90,2 89,8 Roubo Furto Em caso de roubo, dos que procuraram a polícia, 90,2 fizeram o registro da ocorrência. 15

16 48,5 40,8 9,7 13,9 50,7 58,5 7, ,0 43,4 47,5 21,1 12,9 14,2 26,2 27,4 18,3 25,9 26,2 19,4 24,6 21,8 24,1 21,7 17,5 25,3 12,7 13,6 16/12/ ,2 48,2 51,8 42,8 População de 10 anos ou mais Vítimas de agressão Agressão Física Homens Mulheres 2,5 milhões de pessoas foram vítimas de agressão física no Brasil em 2009 Branca Preta ou parda Preta Parda 10 a 15 anos 16 a 24 anos 25 a 34 anos 35 a 49 anos 50 anos ou mais Agressão Física Sem rendimento a menos de 1/4 (2) 1/4 a menos de 1/2 1/2 a menos de 1 População de 10 anos ou mais 1 a menos de 2 Vítimas de agressão 2 ou mais 16

17 Agressão Física 1,8 1,6 1,3 2,4 2,2 1,9 1,8 1,5 1,4 1,8 1,9 1,4 1,5 1,4 1,6 1,2 1,4 1,1 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Total Homens Mulheres O Norte foi a região com o maior percentual de pessoas que sofreram agressão. Região Metropolitana 2,6 2,0 1,81,7 1,5 1,3 1,9 3,0 Agressão Física de vítimas 1,6 1,8 1,5 1,4 1,6 1,4 1,4 1,3 1,0 1,0 Pará Ceará Pernambuco Bahia Minas Gerais Rio de Janeiro Total RM São Paulo Paraná Rio Grande do Sul No Pará e Bahia o de vítimas de agressão física era maior nas RMs das capitais. 17

18 Cor Agressão Física Idade 1,3 2,3 1,7 1,7 2,2 2,0 1,4 0,8 Branca Preta Parda 10 a 15 anos 16 a 24 anos 25 a 34 anos 35 a 49 anos 50 anos ou mais Entre os jovens o percentual de agredidos era maior. Agressão Física Rendimento domiciliar per capita 1,5 2,2 1,9 1,6 1,3 1,2 1,2 1,1 1,0 Total (1) Sem rendimento a menos de 1/4 do SM (2) 1/4 a menos de 1/2 SM 1/2 a 1 a menos menos de 1 de 2 SM SM 2 a menos de 3 SM 3 a menos de 4 SM 4 a menos de 5 SM 5 SM ou mais A medida que aumenta o rendimento, o percentual de vítimas de agressão física reduz. 18

19 Mulheres 17,3 23,5 25,7 35,6 49,5 35,9 31,1 24,4 23,6 11,3 33,2 33,1 35,7 27,5 28,1 16/12/2010 Agressão Física Agressor Local da Agressão 39,0 36,2 25,4 26,6 48,0 12,2 8,1 4,5 Pessoa desconhecida Pessoa conhecida Cônjuge ou ex-cônjuge Parente Policial ou Segurança privada Própria residência Outro Via pública Quase metade das agressões ocorreram em vias públicas. Mulheres Agredidas Agressão Física Menos de 1/4 do SM 1/4 a menos de 1/2 SM 1/2 a menos de 1 SM 1 a menos de 2 SM Pessoa desconhecida Cônjuge ou excônjuge Pessoa conhecida 2 SM ou mais O percentual de mulheres agredidas pelo cônjuge ou excônjuge era superior nas classes de rendimento domiciliar mais baixas. 19

20 Mulheres Mulheres 16/12/2010 Agressão Física Pessoas agredidas que procuraram a polícia 38,9 51,6 Pouco mais da metade (57,1) das mulheres agredidas pelo cônjuge procuraram a polícia Homens Mulheres 88 das que procuraram fizeram registro da ocorrência 1 milhão de mulheres sofreram agressão física, sendo 280 mil delas agredidas pelo cônjuge ou ex-cônjuge. Agressão Física Motivos que levaram as mulheres agredidas pelo cônjuge a não procurarem a polícia 55,6 30,8 2,3 6,2 5,0 Falta de provas Não era importante Não acreditavam na polícia Não queriam envolver a polícia ou medo de represália Outro Medo de represália foi o principal motivo das mulheres não terem procurado a polícia. 20

21 Mulheres Mulheres 16/12/2010 Agressão Física 46,4 29,1 25,9 39,3 32,2 6,7 1,5 2,0 11,3 5,6 Pessoa desconhecida Policial ou segurança privada Cônjuge ou excônjuge Parente Pessoa conhecida Homens Mulheres Para 25 das mulheres agredidas, o agressor foi o cônjuge ou ex-cônjuge. Agressão Física 56,3 27,4 16,2 Ocupadas Desocupadas Inativas Mais da metade das mulheres agredidas pelo cônjuge trabalhavam. 21

22 Pessoas de 18 anos ou mais de idade Identificar as áreas de conflito que representaram os maiores problemas A quem é atribuído o sucesso na solução do conflito Tempo que se gasta na solução (judicial ou não) dos conflito A quem as pessoas recorrem quando estão diante de Qual é a situações de percepção sobre conflito os principais obstáculos para se recorrer ao Poder Judiciário no período de 27/09/2004 a 26/09/2009 Para caracterização Conflito mais grave 22

23 Pessoas de 18 anos ou mais de idade 12,6 milhões de pessoas tiveram situação de conflito nos últimos 5 anos 23,3 22,0 12,6 10,4 9,7 8,6 7,4 4,8 1,2 Trabalhista Família Criminal Outra Serviços de Benefícios Bancos ou água, luz do INSS da instituições ou telefone previdência financeiras Terras ou moradia Impostos ou tributação Área da situação de conflito Conflitos trabalhistas e de família foram os que mais ocorreram. Pessoas de 18 anos ou mais de idade de pessoas que tiveram situação de conflito nos últimos 5 anos 9,4 10,1 8,7 6,8 6,5 6,2 8,2 8,5 8,0 10,5 9,7 8,9 12,7 11,4 11,3 10,5 10,3 9,8 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro- Oeste Total Homens Mulheres Em todas as regiões, o percentual de homens que tiveram situação de conflito foi superior ao de mulheres. 23

24 Pessoas de 18 anos ou mais de idade de pessoas que tiveram situação de conflito nos últimos 5 anos 6,8 5,9 9,6 9,2 8,9 6,9 14,2 12,4 10,7 8,8 9,8 9,3 9,6 8,9 13,7 12,6 12,6 10,0 Pará Ceará Pernambuco Bahia Minas Gerais Rio de Janeiro UF RM São Paulo Paraná Rio Grande do Sul Na maioria da metrópoles o de pessoas que tiveram situação de conflito era maior. Pessoas de 18 anos ou mais de idade de pessoas que tiveram situação de conflito nos últimos 5 anos 8,3 8,0 8,6 9,0 10,8 12,5 14,1 15,9 Sem rendimento a menos de 1/4 do SM (1) 1/4 a menos de 1/2 SM 1/2 a menos de 1 SM 1 a menos de 2 SM 2 a menos de 3 SM 3 a menos de 4 4 a menos de 5 5 SM ou mais SM SM Faixas de salários mínimos Nas faixas de renda mais alta, o de pessoas que tiveram situação de conflito era maior. 24

25 Pessoas de 18 anos ou mais de idade de pessoas que tiveram situação de conflito nos últimos 5 anos 90,4 92,2 87,1 90,8 92,9 91,3 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Buscaram solução do conflito Mais de 90 das pessoas que tiveram situação de conflito buscaram soluciona-lo Pessoas de 18 anos ou mais de idade de pessoas que tiveram situação de conflito nos últimos 5 anos 57,8 12,4 6,6 3,9 2,4 1,5 8,0 Juizado especial Polícia Procon Amigo ou parente Sindicato ou associação Outra Local de busca da solução do conflito Mais da metade recorreu a justiça para solucionar a situação de conflito. 25

26 Pessoas de 18 anos ou mais de idade Entre as pessoas que buscaram solução do conflito 43,5 55,6 64,0 51,9 69,4 47,7 Juizado especial Amigo ou parente Polícia Procon Sindicato ou associação de pessoas com conflito solucionado Menos da metade das pessoas que buscaram solução do conflito, o mesmo já havia sido solucionado Pessoas de 18 anos ou mais de idade de pessoas que tiveram situação de conflito e buscaram solução 70,2 89,4 86,6 85,9 82,2 73,0 69,6 61,2 14,4 7,0 5,8 6,0 8,0 16,2 14,7 18,0 Total Procon Polícia Outros Amigo ou parente Até 1 ano Juizado especial Sindicato ou associação Mais de 1 a 2 anos Tempo de solução do conflito A maioria dos conflitos foi solucionada em até um ano. 26

27 Pessoas de 18 anos ou mais de idade de pessoas que tiveram situação de conflito nos últimos 5 anos 75,1 75,9 84,3 66,8 88,5 75,8 90,5 Juizado especial Amigo ou parente Polícia Procon Sindicato ou associação Outra Solução do conflito X área que buscou Parte expressiva das pessoas que tiveram a solução do conflito, o mesmo foi solucionado onde iniciou a ação. Pessoas de 18 anos ou mais de idade Motivos de não terem procurado a justiça Resolveram o problema por meio de mediação Outro Demoraria muito 16,1 15,9 27,6 Cabia à(s) outra(s) parte(s) iniciar(em) a ação 9,1 Não sabiam que podiam utilizar a justiça Não acreditavam na justiça Por falta de provas Custaria muito caro 6,8 6,6 6,1 6,0 Por medo da(s) outra(s) parte(s) envolvida(s) 4,4 Era muito longe 1,4 Em todas as regiões o percentual de homens que tiveram situação de conflito foi superior ao de mulheres. 27

28 7,6 Tentativa de Roubo ou Furto 5,4 5,0 5,0 5,4 1,6 2,6 1,2 1,8 1,5 Brasil (1) Norte e Centro- Oeste urbanas Nordeste Sudeste Sul Aumentou o de pessoas que sofreu tentativa de Roubo ou Furto. Roubo ou Furto 10,3 5,4 7,4 6,6 4,3 7,5 6,7 6,8 5,8 6,1 Brasil (1) Norte e Centro- Oeste urbanas Nordeste Sudeste Sul A Região Nordeste foi onde o de pessoas vítimas de roubo ou furto que mais aumentou. 28

29 Agressão Física 1,0 1,6 1,2 1,9 1,8 0,8 1,1 1,4 1,4 1,2 Brasil (1) Norte e Centro- Oeste urbanas Nordeste Sudeste Sul A Região Nordeste foi onde o de pessoas vítimas de agressão física que mais aumentou. 13,9 10,5 9,4 10,1 9,2 7,5 8,2 11,2 9,7 11,4 Brasil (1) Norte e Centro- Oeste urbanas Nordeste Sudeste Sul Reduziu o de pessoas que tiveram situação de conflito. 29

30 Em relação a 1988: Aumentou o percentual de vítimas dos crimes de roubo, furto e agressão e reduziu o percentual de pessoas com situação de conflito. 30

PNAD 2011. Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal

PNAD 2011. Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal PNAD 2011 Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal Rio de Janeiro, 16/05/2013 1 Características Em 2011 foram visitados 146 mil domicílios e entrevistadas 359 mil pessoas. 2

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Rio de Janeiro, 21/09/2012 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Censo Demográfico 2010 Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2012 As presentes publicações dão continuidade à divulgação dos resultados do Censo Demográfico 2010

Leia mais

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros 1 of 5 11/26/2010 2:57 PM Comunicação Social 26 de novembro de 2010 PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009 Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros O número de domicílios

Leia mais

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas.

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas. Rio de Janeiro, 18/09/2014 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho e rendimento Trabalho infantil Fecundidade Características

Leia mais

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas.

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas. Rio de Janeiro, 18/09/2014 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho e rendimento Trabalho infantil Fecundidade Características

Leia mais

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional 08/09/2010-10h00 Pesquisa visitou mais de 150 mil domicílios em 2009 Do UOL Notícias A edição 2009 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

Relatório da Pesquisa de Vitimização em São Paulo 2003-2013

Relatório da Pesquisa de Vitimização em São Paulo 2003-2013 Relatório da Pesquisa de Vitimização em São Paulo 2003-2013 Centro de Políticas Públicas (CPP) Insper - Instituto de Ensino e Pesquisa São Paulo, 2013 CPP-Insper Vitimização em São Paulo: 2003 2013 Centro

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sistema de pesquisas domiciliares existe no Brasil desde 1967, com a criação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD; Trata-se de um sistema de pesquisas

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese 2014 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese Dieese Subseção Força Sindical 19/09/2014 PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICILIOS - PNAD 2013 Síntese dos Indicadores POPULAÇÃO A Pesquisa

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública SEGURANÇA PÚBLICA. Janeiro/2015

Pesquisa de Opinião Pública SEGURANÇA PÚBLICA. Janeiro/2015 Pesquisa de Opinião Pública SEGURANÇA PÚBLICA Janeiro/2015 OBJETIVOS Objetivo Principal: Esta estudo teve como objetivo principal verificar e quantificar a opinião pública brasileira quanto ao tema Segurança

Leia mais

É uma medida de desigualdade, mas comumente utilizada para calcular a desigualdade na distribuição de renda. É um número entre 0 e 1.

É uma medida de desigualdade, mas comumente utilizada para calcular a desigualdade na distribuição de renda. É um número entre 0 e 1. COEFICIENTE GINI É uma medida de desigualdade, mas comumente utilizada para calcular a desigualdade na distribuição de renda. É um número entre 0 e 1. 0 = completa igualdade 1= completa desigualdade. Desigualdade

Leia mais

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht Page 1 of 7 Comunicação Social 17 de setembro de 2010 Síntese de Indicadores Sociais 2010 SIS 2010: Mulheres mais escolarizadas são mães mais tarde e têm menos filhos Embora abaixo do nível de reposição

Leia mais

Síntese de Indicadores Sociais 2003

Síntese de Indicadores Sociais 2003 Comunicação Social 13 de abril de 2004 Síntese de Indicadores Sociais 2003 Em 2030, cerca de 40% da população brasileira deverá ter entre 30 e 60 anos O estudo tem capítulos específicos sobre Educação,

Leia mais

SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social

SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social Mobilidade Urbana IPEA 24 de janeiro de 2011 Sumário 1. Introdução 2. Mobilidade e meios de transporte 3. Meios de transporte e questões de infraestrutura

Leia mais

SIPS. Paulo Corbucci

SIPS. Paulo Corbucci SIPS Educação Paulo Corbucci Brasília lia,, 28 de fevereiro de 2011 SOBRE O SIPS O Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS), elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), é uma

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

Dimensão social. Educação

Dimensão social. Educação Dimensão social Educação 218 Indicadores de desenvolvimento sustentável - Brasil 2004 36 Taxa de escolarização Representa a proporção da população infanto-juvenil que freqüenta a escola. Descrição As variáveis

Leia mais

Censo Demográfico 2010 Retratos do Brasil e do Piauí

Censo Demográfico 2010 Retratos do Brasil e do Piauí Censo Demográfico 2010 Retratos do Brasil e do Piauí Eduardo Pereira Nunes Presidente do IBGE Teresina, 12 de Agosto de 2011 Brasil Todos os domicílios residenciais particulares foram recenseados A coleta

Leia mais

Sumário Executivo. Amanda Reis. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo

Sumário Executivo. Amanda Reis. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Comparativo entre o rendimento médio dos beneficiários de planos de saúde individuais e da população não coberta por planos de saúde regional e por faixa etária Amanda Reis Luiz Augusto Carneiro Superintendente

Leia mais

www.senado.leg.br/datasenado

www.senado.leg.br/datasenado www.senado.leg.br/datasenado Lei Maria da Penha completa 9 Promulgada em 2006, a Lei Maria da Penha busca garantir direitos da mulher, além da prevenção e punição de casos de violência doméstica e familiar.

Leia mais

Apesquisa suplementar sobre acesso à Internet e posse de telefone

Apesquisa suplementar sobre acesso à Internet e posse de telefone Análise dos resultados Apesquisa suplementar sobre acesso à Internet e posse de telefone móvel celular para uso pessoal ampliou a investigação rotineira da PNAD, que restringe o levantamento sobre o assunto

Leia mais

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE Agentes de Crédito e Grupos Solidários Segurado Segurador Agente de Seguro Segurado Segurado Definição de Microseguros Critério Renda Per Capita % Pop E 13.48 DE 34.96 83.83 1 SM 51.05 2 SM 74.82 3 SM

Leia mais

ESTATÍSTICAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NO BRASIL: POSSIBILIDADES DE ANÁLISE

ESTATÍSTICAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NO BRASIL: POSSIBILIDADES DE ANÁLISE ESTATÍSTICAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NO BRASIL: POSSIBILIDADES DE ANÁLISE Rosane Teixeira de Siqueira e Oliveira O desconhecimento sobre a questão da violência doméstica e de estatísticas sobre o tema dificultam

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência

Censo Demográfico 2010. Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência Censo Demográfico 2010 Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência Rio de Janeiro, 29 de junho de 2012 A presente publicação dá continuidade à divulgação dos resultados do Censo

Leia mais

Vitimização e Armas de fogo no Brasil. Claudio Beato CRISP Centro de Estudos em Criminalidade e Segurança Pública

Vitimização e Armas de fogo no Brasil. Claudio Beato CRISP Centro de Estudos em Criminalidade e Segurança Pública Vitimização e Armas de fogo no Brasil Claudio Beato CRISP Centro de Estudos em Criminalidade e Segurança Pública Questões relacionadas ao controle de armas As armas protegem as pessoas? A sociedade está

Leia mais

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485 cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485 Este encarte Tendências aborda as manifestações populares que tomaram as grandes cidades brasileiras em junho

Leia mais

Relatório da Pessoa Idosa

Relatório da Pessoa Idosa Relatório da Pessoa Idosa 2012 O Relatório da Pessoa Idosa 2012, com base nos dados de 2011, se destina à divulgação dos dados de criminalidade contra a pessoa idosa (idade igual ou superior a 60 anos),

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014 CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA

Leia mais

Pesquisa de Qualidade de Vida 2015 ACIRP

Pesquisa de Qualidade de Vida 2015 ACIRP Pesquisa de Qualidade de Vida ACIRP Núcleo de Economia Qualidade de Vida Ribeirão Preto November 19, Resultados em : A Pesquisa de Qualidade de Vida da Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto

Leia mais

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 INSTITUTO AVANTE BRASIL Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Pesquisadora: Flávia Mestriner Botelho VIOLÊNCIA GLOBAL CONTRA DAS MULHERES - (ONU) De acordo com

Leia mais

ENGENHARIA E ARQUITETURA PÚBLICA UMA VISÃO SISTÊMICA DA POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA A HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL.

ENGENHARIA E ARQUITETURA PÚBLICA UMA VISÃO SISTÊMICA DA POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA A HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL. ENGENHARIA E ARQUITETURA PÚBLICA UMA VISÃO SISTÊMICA DA POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA A HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL. 1- Apresentação A Constituição de 1988, denominada pelo saudoso Deputado

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: INCLUSÃO FINANCEIRA JUNHO/2012

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: INCLUSÃO FINANCEIRA JUNHO/2012 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: INCLUSÃO FINANCEIRA JUNHO/2012 Pesquisa CNI-IBOPE CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Presidente: Robson Braga de Andrade DIRETORIA DE POLÍTICAS E ESTRATÉGIA José

Leia mais

CONSUMO DOMICILIAR E USO RACIONAL DA ÁGUA EM ÁREAS DE BAIXA RENDA: PESQUISA DE OPINIÃO

CONSUMO DOMICILIAR E USO RACIONAL DA ÁGUA EM ÁREAS DE BAIXA RENDA: PESQUISA DE OPINIÃO CONSUMO DOMICILIAR E USO RACIONAL DA ÁGUA EM ÁREAS DE BAIXA RENDA: PESQUISA DE OPINIÃO Ana Garcia Mirian Santos Dijara Conceição Adriana Machado Asher Kiperstok REDE DE TECNOLOGIAS LIMPAS DA BAHIA PPG

Leia mais

Diretoria de Pesquisas. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009. crianças, adolescentes e adultos no Brasil

Diretoria de Pesquisas. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009. crianças, adolescentes e adultos no Brasil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Gerência da Pesquisa de Orçamentos Familiares Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 Antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Resultados gerais da amostra

Censo Demográfico 2010. Resultados gerais da amostra Censo Demográfico 2010 Resultados gerais da amostra Rio de Janeiro, 27 de abril de 2012 População e distribuição relativa População e distribuição relativa (%) para o Brasil e as Grandes Regiões 2000/2010

Leia mais

EDITAL Residências Universitárias de PATOS

EDITAL Residências Universitárias de PATOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL RESIDÊNCIA UNIVERSITÁRIA DO SEMI-ÁRIDO NORDESTINO RUSAN CAMPUS DE PATOS EDITAL Residências Universitárias de PATOS A Diretoria

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública Nacional. Associação dos Magistrados Brasileiros AMB Voto, Eleições e Corrupção Eleitoral

Pesquisa de Opinião Pública Nacional. Associação dos Magistrados Brasileiros AMB Voto, Eleições e Corrupção Eleitoral Pesquisa de Opinião Pública Nacional Associação dos Magistrados Brasileiros AMB Voto, Eleições e Corrupção Eleitoral Julho de 2008 Roteiro I. Metodologia II. III. IV. Eleições e Política Corrupção eleitoral

Leia mais

Previdência Privada no Mercado Brasileiro. Nobody s Unpredictable

Previdência Privada no Mercado Brasileiro. Nobody s Unpredictable Previdência Privada no Mercado Brasileiro Nobody s Unpredictable Objetivos e Características 2 Objetivos e metodologia Metodologia Quantitativa, por meio de pesquisa amostral com questionário estruturado

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Cabo Verde, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 368,15 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 13823 hab. Densidade

Leia mais

Educação Financeira na Infância. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1

Educação Financeira na Infância. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Educação Financeira na Infância 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: A sondagem teve por objetivo identificar informações relacionadas à educação financeira durante

Leia mais

Daniel Cerqueira. Diretor de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia DIEST/IPEA

Daniel Cerqueira. Diretor de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia DIEST/IPEA Daniel Cerqueira Diretor de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia DIEST/IPEA Mais de 60 mil pessoas são assassinadas a cada ano no Brasil; Há um forte viés de cor/raça nessas

Leia mais

Indicadores da Saúde no Ceará 2008

Indicadores da Saúde no Ceará 2008 Indicadores da Saúde no Ceará 2008 Fortaleza - 2010 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Cid Ferreira Gomes Governador SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO (SEPLAG) Desirée Mota Secretária INSTITUTO DE PESQUISA

Leia mais

Uma análise das condições de vida da população brasileira

Uma análise das condições de vida da população brasileira Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais Gerência de Indicadores Sociais SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS 2013 Uma análise das condições de vida da população brasileira 29 de

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Características Gerais dos Indígenas: Resultados do Universo

Censo Demográfico 2010. Características Gerais dos Indígenas: Resultados do Universo Censo Demográfico 2010 Características Gerais dos Indígenas: Resultados do Universo Rio de Janeiro, 10 de agosto de 2012 Identificação da população indígena nos Censos Demográficos do Brasil 1991 e 2000

Leia mais

ANEXO II QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DADOS DO ESTUDANTE

ANEXO II QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DADOS DO ESTUDANTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS SÃO CARLOS Rod. Washington Luis, km 235 Prédio AT6 Sala 136 Monjolinho São Paulo/SP - CEP 13565-905 - Fone

Leia mais

Geélison F. Silva, CRISP/UFMG Cláudio C. Beato Filho, CRISP/UFMG

Geélison F. Silva, CRISP/UFMG Cláudio C. Beato Filho, CRISP/UFMG Geélison F. Silva, CRISP/UFMG Cláudio C. Beato Filho, CRISP/UFMG Analisar a confiança na polícia identificando a influência de: 1) Características socioeconômicas; 2) Contato com a instituição policial;

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Porto Alegre do Norte, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 3994,51 km² IDHM 2010 0,673 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10748 hab.

Leia mais

Equipe: Ronaldo Laranjeira Helena Sakiyama Maria de Fátima Rato Padin Sandro Mitsuhiro Clarice Sandi Madruga

Equipe: Ronaldo Laranjeira Helena Sakiyama Maria de Fátima Rato Padin Sandro Mitsuhiro Clarice Sandi Madruga Equipe: Ronaldo Laranjeira Helena Sakiyama Maria de Fátima Rato Padin Sandro Mitsuhiro Clarice Sandi Madruga 1. Por que este estudo é relevante? Segundo o relatório sobre a Carga Global das Doenças (Global

Leia mais

Estudo Estratégico n o 4. Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco

Estudo Estratégico n o 4. Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco Estudo Estratégico n o 4 Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco PANORAMA GERAL ERJ receberá investimentos recordes da ordem

Leia mais

PERÍODO AMOSTRA ABRANGÊNCIA MARGEM DE ERRO METODOLOGIA. População adulta: 148,9 milhões

PERÍODO AMOSTRA ABRANGÊNCIA MARGEM DE ERRO METODOLOGIA. População adulta: 148,9 milhões OBJETIVOS CONSULTAR A OPINIÃO DOS BRASILEIROS SOBRE A SAÚDE NO PAÍS, INVESTIGANDO A SATISFAÇÃO COM SERVIÇOS PÚBLICO E PRIVADO, ASSIM COMO HÁBITOS DE SAÚDE PESSOAL E DE CONSUMO DE MEDICAMENTOS METODOLOGIA

Leia mais

Munic 2014: 45% dos municípios tinham política de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica

Munic 2014: 45% dos municípios tinham política de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica Munic 2014: 45% dos municípios tinham política de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica A Pesquisa de Informações Básicas Estaduais (Estadic) e a Pesquisa de Informações Básicas Municipais

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guaranésia, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 294,28 km² IDHM 2010 0,701 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 18714 hab. Densidade

Leia mais

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS ASPECTOS 11 SOCIOECONÔMICOS 11.1. INFORMAÇÕES GERAIS O suprimento de energia elétrica tem-se tornado fator indispensável ao bem-estar social e ao crescimento econômico do Brasil. Contudo, é ainda muito

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Indicadores CNI RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Problemas e prioridades 22 Inflação volta a ser uma das principais preocupações do brasileiro Nos últimos dois anos, os problemas e prioridades da população

Leia mais

Nº 161. Indicadores de mobilidade urbana da PNAD 2012

Nº 161. Indicadores de mobilidade urbana da PNAD 2012 Nº 161 Indicadores de mobilidade urbana da PNAD 2012 24 de outubro de 2013 1 Governo Federal Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República Ministro Marcelo Côrtes Neri (interino) Fundação

Leia mais

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa Especificações Técnicas Período 28 a 31 de julho de 2011 Abrangência Nacional Universo Eleitores com 16 anos e mais Amostra 2.002 entrevistas em 140 municípios Margem de erro 2 pontos percentuais e grau

Leia mais

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR 8 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR Secretaria de Vigilância em Saúde/MS 435 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA/COR MORTALIDADE POR CAUSAS EXTERNAS Evolução da mortalidade por causas externas

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 *

RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 * RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 * Os resultados aqui apresentados foram extraídos do Atlas da Vulnerabilidade Social nos Municípios Brasileiros, elaborado pelo Instituto

Leia mais

Sala de Imprensa Notícias do Enem

Sala de Imprensa Notícias do Enem Imprimir Fechar janela Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Sala de Imprensa Notícias do En 07 de fevereiro de 2007 Inep divulga os resultados do En 2006 por UF e Maioria

Leia mais

FORMULÁRIO SOCIOECONÔMICO

FORMULÁRIO SOCIOECONÔMICO MEC/SETEC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS CAMPUS SÃO JOÃO DEL REI FORMULÁRIO SOCIOECONÔMICO Modalidades a ser solicitada pelo estudante: ( ) Manutenção ( ) Moradia

Leia mais

Taxa de analfabetismo

Taxa de analfabetismo B Taxa de analfabetismo B.1................................ 92 Níveis de escolaridade B.2................................ 94 Produto Interno Bruto (PIB) per capita B.3....................... 96 Razão de

Leia mais

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro A taxa de desocupação registrada pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, nas seis principais Regiões Metropolitanas do país (Recife, Salvador, Belo Horizonte,

Leia mais

Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (Marque com X as modalidades solicitadas):

Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (Marque com X as modalidades solicitadas): INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS RIO POMBA ANEXO I FORMULÁRIO SOCIOECONÔMICO Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (Marque com X as modalidades

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS ANEXO IV

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS ANEXO IV ANEXO IV DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA OS CANDIDATOS APROVADOS PELA RESERVA DE VAGAS LEI 12.711 1. Não será aceita documentação incompleta. a) Modalidade 1 Reserva de Vagas: Escola Pública, Cor/Etnia e Renda

Leia mais

na região metropolitana do Rio de Janeiro

na região metropolitana do Rio de Janeiro O PERFIL DOS JOVENS EMPREENDEDORES na região metropolitana do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL MARÇO DE 2013 Nº21 PANORAMA GERAL Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE) de 2011,

Leia mais

Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois

Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois Três anos depois, lei Maria da Penha diversifica perfil de mulheres que procuram ajuda contra violência doméstica. Quais são os resultados trazidos pela lei Maria da Penha?

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Peruíbe, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 323,17 km² IDHM 2010 0,749 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 59773 hab. Densidade

Leia mais

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 METODOLOGIA Plano amostral Público alvo: Consumidores de todas as Capitais do Brasil. Tamanho amostral da Pesquisa: 623 casos, gerando um erro máximo de 3,9%

Leia mais

ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito

ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito CRIMINALIDADE causas e soluções Juruá Editora Curitiba, 2006 CATALOGAÇÃO NA FONTE S237 Santos, Alberto Marques dos. Criminalidade: causas e soluções./ Alberto

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Perspectivas da economia / Comprometimento de renda Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Novo Mundo, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5826,18 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 7332 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Vera, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2962,4 km² IDHM 2010 0,680 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10235 hab. Densidade demográfica

Leia mais

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS ESTUDOS & pesquisas INFORMAÇÃO DEMOGRÁFICA E SOCIoeconômica 5 SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS 2000 IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Presidente da República Fernando Henrique Cardoso

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SAÚDE PÚBLICA JANEIRO/2012

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SAÚDE PÚBLICA JANEIRO/2012 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SAÚDE PÚBLICA JANEIRO/2012 Pesquisa CNI-IBOPE CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria Executiva - DIREX José Augusto Coelho

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego EVOLUÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA DE TRABALHO ASSINADA 2003-2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 2 Pesquisa Mensal de Emprego - PME I - Introdução A Pesquisa

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL

DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL Seminário sobre Educação Superior e Envelhecimento Populacional no Brasil MEC - SESU/CAPES DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL Maria Isabel Parahyba Coordenação de População e Indicadores

Leia mais

Pesquisa Nacional de Vitimização. Sumário Executivo SENASP

Pesquisa Nacional de Vitimização. Sumário Executivo SENASP Pesquisa Nacional de Vitimização Sumário Executivo SENASP Maio de 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A primeira feita no Brasil quantifica e caracteriza 12 tipos de ocorrências passíveis de registro policial no país,

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego Rio de Janeiro, 28 de janeiro de 2016. PME Retrospectiva 2003-2015 13 anos Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento 1 (IBGE / DPE / COREN) 1 Rio de Janeiro,

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Rio Claro, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5074,56 km² IDHM 2010 0,682 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 17124 hab.

Leia mais

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDO (Turma 2012) Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/dep_biologia_animal/be310 A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA)

Leia mais

Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (enumere as modalidades conforme interesse):

Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (enumere as modalidades conforme interesse): INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS BARBACENA ANEXO I FORMULÁRIO SOCIOECONÔMICO Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (enumere as modalidades conforme

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros O que o brasileiro pensa sobre a conservação e o uso da água no Brasil METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para subsidiar o planejamento

Leia mais

Módulo: Indicadores de Segurança Pública. Palestrante: Renato Sérgio de Lima

Módulo: Indicadores de Segurança Pública. Palestrante: Renato Sérgio de Lima Módulo: Indicadores de Segurança Pública Palestrante: Renato Sérgio de Lima Recente publicação de Fórum Brasileiro de Segurança Pública (2007 e 2008) afirma que não existe no Brasil um canal de disseminação

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME Dia Internacional da Mulher 08 de março de 2012 M U L H E R N O M E R C A D O D E T R A B A L H O: P E R G U N T A S E R E S P O S T A S A Pesquisa Mensal de Emprego PME,

Leia mais

Informações práticas para denunciar crimes raciais

Informações práticas para denunciar crimes raciais Informações práticas para denunciar crimes raciais O que é racismo? Racismo é tratar alguém de forma diferente (e inferior) por causa de sua cor, raça, etnia, religião ou procedência nacional. Para se

Leia mais

INDICADORES DEMOGRÁFICOS E NORDESTE

INDICADORES DEMOGRÁFICOS E NORDESTE INDICADORES DEMOGRÁFICOS E SOCIAIS E ECONÔMICOS DO NORDESTE Verônica Maria Miranda Brasileiro Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento

Leia mais

Procedimento de distribuição de vagas em conformidade a Lei Nº 12.711/2012 segundo o Curso ofertado

Procedimento de distribuição de vagas em conformidade a Lei Nº 12.711/2012 segundo o Curso ofertado TOTAL DE VAGAS ANEXO I Distribuição das Vagas Reservadas pela Lei n 12.711/2012 e pelo Decreto n 7824 Observação: Procedimento de distribuição de vagas em conformidade a Lei Nº 12.711/2012 segundo o Curso

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde

Pesquisa Nacional de Saúde Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Nacional de Saúde 21/08/15 Histórico INVESTIGAÇÃO DO TEMA SAÚDE... 1998 2003 2008 2013 PNAD Características da PNS Pesquisa Domiciliar

Leia mais

Feminicídios: a violência fatal contra a mulher

Feminicídios: a violência fatal contra a mulher Violência contra a mulher: feminicídios no Brasil Leila Posenato Garcia*, Lúcia Rolim Santana de Freitas, Gabriela Drummond Marques da Silva, Doroteia Aparecida Höfelmann * Instituto de Pesquisa Econômica

Leia mais

ANEXO I QUESTIONARIO SÓCIO-ECONÔMICO

ANEXO I QUESTIONARIO SÓCIO-ECONÔMICO PROJETO DE LEI DE ASSISTENCIA ESTUDANTIL AO TRANSPORTE DE ALUNOS UNIVERSITÁRIOS DE DOM EXPEDITO LOPES-PI À PICOS-PI EXERCÍCIO DE 2015 1- DADOS PESSOAIS Nome: Instituição de Ensino: ANEXO I QUESTIONARIO

Leia mais

Painel de Banca. Brasil 1 / 17. Perfil sociodemográfico Real delivery Painel IR % Total painelistas: 37.144 88,0% Sexo Homem 13.341.

Painel de Banca. Brasil 1 / 17. Perfil sociodemográfico Real delivery Painel IR % Total painelistas: 37.144 88,0% Sexo Homem 13.341. 1 / 17 Painel de Banca Brasil Características Tamanho painel (ISO): 121.966 Pessoas perfiladas (ISO): 49.597 Taxa de resposta estimada (ISO): 30% Atualizado: 15/12/2014 Tamanho (ISO): o número de participantes

Leia mais

PESQUISA MAIORIDADE PENAL

PESQUISA MAIORIDADE PENAL PESQUISA MAIORIDADE PENAL OBJETIVOS Entender o pensamento da população do Rio sobre a redução da maioridade penal; Saber se ela é favorável a mudança das penalidades aplicadas ao menor infrator; Buscar

Leia mais

ICS. Índice de Confiança Social 2015

ICS. Índice de Confiança Social 2015 ICS Índice de Confiança Social 2015 Introdução Metodologia Pesquisa quantitativa com aplicação de questionário estruturado, por meio de entrevistas face-a-face. Local da pesquisa Brasil. Universo A pesquisa

Leia mais

Workshop de Telecomunicações da FIESP

Workshop de Telecomunicações da FIESP Workshop de Telecomunicações da FIESP A Qualidade da Banda Larga no Brasil Alexandre Barbosa Cetic.br São Paulo 27 de agosto de 15 Trajetória do CETIC.br Países da América Latina e PALOPs 1995 5 12 q Produção

Leia mais