Estudo Estratégico n o 5. Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo Estratégico n o 5. Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz"

Transcrição

1 Estudo Estratégico n o 5 Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz

2 PANORAMA GERAL ERJ é o estado mais urbano e metropolitano do país A Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ) concentra: 74% da população do estado (40% na Capital) 76% do emprego do estado (57% na Capital) 68% das empresas do estado (49% na Capital) 74% da pobreza do estado (44% na periferia da RMRJ e 30% na Capital)

3 SUMÁRIO I. A questão metropolitana e o Rio de Janeiro II. Como se expressa a desigualdade nos diferentes recortes regionais do ERJ? RMRJ Capital RMRJ sem capital Área não metropolitana

4 CRESCIMENTO ECONÔMICO De 2002 a 2010, a RMRJ (2% a.a.) e a RMSP (4,2% a.a.) cresceram menos do que a média brasileira (4,6% a.a.). A RMRJ puxou para baixo o crescimento do ERJ (3,5%) Evolução do PIB (R$ de 2000) Estado de São Paulo Estado do Rio de Janeiro Brasil RMRJ RMSP Fonte: IETS com base nos dados do Ipeadata.

5 1200 Renda Domiciliar per Capita A RMRJ apresenta um renda per capita superior à média do Brasil mas inferior às regiões metropolitanas do Sul e Sudeste Renda per capita Regiões metropolitanas e Brasil Brasil: R$ Curitiba Porto Alegre São Paulo Belo Horizonte Rio de Janeiro Salvador Belém Fortaleza Recife Fonte: IETS, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2011.

6 Renda domiciliar per capita Renda domiciliar per capital (Número índice base 2001=100) Brasil RMRJ RMSP Fonte: IETS, a partir de dados da PNAD/IBGE.

7 Desigualdade de Renda RMRJ é segunda mais desigual das 9 Regiões Metropolitanas da PNAD. Seu índice de Gini é superior à média brasileira e só perde para Salvador Índice de GINI Regiões metropolitanas e Brasil ,58 0,56 0,54 Brasil: 0,53 0,52 0,50 0,48 0,46 0,44 0,42 Curitiba São Paulo Porto Alegre Fortaleza Belém Belo Horizonte Recife Rio de Janeiro Salvador Fonte: IETS, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2011.

8 DESIGUALDADE DE RENDA A persistência da desigualdade no ERJ se deve, sobretudo, a trajetória da desigualdade na sua região metropolitana 0,61 Evolução do coeficiente de Gini 0,59 0,57 0,55 0,53 0,51 0, ERJ SE Brasil RMRJ Fonte: IETS com base nos dados da PNAD/IBGE.

9 Desigualdade de Renda Entre 2001 e 2011, a queda da desigualdade da RMRJ foi de 5,1% menos da metade da queda da desigualdade da RMSP (10,8%) e brasileira (11,1%) Coeficiente de Gini: 2001 a ,6 Brasil Região metropolitana do Rio de Janeiro Região metropolitana de São Paulo 0,6 0,6 0,6 0,5 0,5 0, Ano Fonte: Estimativ as produzidas pelo IETS com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), exceto área rural da região Norte.

10 DESIGUALDADE DE RENDA Variação do Coeficiente de Gini entre 2001 e % -2% -4% -6% -8% -10% -12% -14% -16% -18% -20% RM Estado Fonte: IETS a partir de dados da PNAD/IBGE.

11 (%) Pobreza A combinação de desaceleração do crescimento da renda com avanços lentos na redução da desigualdade resultou na diminuição mais tímida do número de pobres na metrópole fluminense. Porcentagem de pobres: 2001 a ,0 45,0 40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 Brasil Região metropolitana do Rio de Janeiro Região metropolitana de São Paulo 0, Ano Fonte: Estimativ as produzidas pelo IETS com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), exceto área rural da região Norte. A redução do percentual de pobres na RMRJ foi de 40%, entre 2001 e 2011, inferior à brasileira (47%) e da RMSP (49%)

12 Mercado de Trabalho A taxa de desocupação da RMRJ é inferior a do Brasil Metropolitano e a de São Paulo (e é a terceira menor das 6 RMs da PME) Taxa de desocupação (%) Brasil metropolitano RMRJ RMSP 16,0 14,0 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2, Fonte: Pesquisa Mensal de Emprego - IBGE. Nota: Para o ano de 2002 a média foi calculada utilizando os meses de março a dezembro, já para o ano de 2013 a média do primeiro semestre.

13 R$ de 2013 Mercado de Trabalho Os rendimentos do trabalho na RMRJ (38%) apresentaram desempenho superior ao da RMSP (17%) e do Brasil (27%) Rendimento médio real dos ocupados Brasil metropolitano RMRJ RMSP Fonte: IETS, com base na Pesquisa Mensal de Emprego IBGE Nota: Estimativas referentes ao rendimento habitualmente recebido recebido no trabalho principal (média dos 12 meses). Para 2002 foram considerados apenas os meses de março a dezembro e em 2013 os meses de janeiro a maio.

14 Desigualdade de renda do trabalho A RMRJ é a metrópole mais desigual em termos de renda do trabalho Coeficiente de Gini dos rendimentos do trabalho 0,489 0,456 0,457 0,460 0,469 0,477 0,433 Porto Alegre Recife São Paulo Salvador Brasil Belo Horizonte Rio de Janeiro Fonte: IETS com base na PME/IBGE. Nota: Estimativas considerando ao rendimento habitualmente recebido nos meses de janeiro a maio de 2013.

15 Mercado de trabalho A queda na desigualdade de renda do trabalho também foi menor na RMRJ e nos últimos 3 anos o Gini ultrapassou o Brasil Metropolitano e a RMSP Fonte: PME/IBGE. Nota: Estimativas referentes ao rendimento habitualmente recebido no trabalho principal (média dos 12 meses). Para 2002 foram considerados apenas os meses de março a dezembro e em 2013 os meses de janeiro a maio.

16 Mercado de trabalho Uma das possíveis explicações para a persistência da desigualdade de renda nos últimos anos reside na trajetória dos diferenciais salariais por nível educacional no Rio de Janeiro 30,0 Diferencial salarial (%) dos ocupados com o ensino superior em relação aqueles com mesmas características, porém com ensino médio completo 25,0 22,3 22,8 24,9 24,3 22,5 22,3 23,7 24,3 20,0 20,2 15,0 10, ,0 0,0 Brasil RMSP RMRJ Fonte: IETS a partir de dado da PNAD/IBGE.

17 Mercado de trabalho Apesar da expansão do percentual de empregados com carteira assinada na última década, passando de 41% em 2002 para 48,4% dos ocupados, em 2012, a RMRJ permanece com um dos menores índices, perdendo apenas para a do Recife (48,1%) Proporção de empregados com carteira e de funcionários públicos no total de ocupados Funcionários públicos Empregados com carteira 48,1 48,4 51,3 53,9 55,1 57,7 9,4 9,9 8,2 7,8 7,8 6,2 RMRE RMRJ RMSA RMBH RMPoA RMSP Fonte: IETS a partir de dados da Pesquisa Mensal de Emprego/IBGE

18 Mercado de trabalho A RMRJ tem o mais alto percentual de trabalhadores por conta própria (21% dos ocupados) das regiões metropolitanas, porém baixa taxa de sucesso Taxa de sucesso dos empreendedores ,2% 22,9% 23,4% 15,5% 17,3% 17,3% Salvador Recife Rio de Janeiro São Paulo Porto Alegre Belo Horizonte Fonte: IETS a partir de dados da Pesquisa Mensal de Emprego/IBGE

19 MERCADO DE TRABALHO Formalização dos empreendedores 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0 Percentual de Conta própria com CNPJ (%) nas Regiões Metropolitanas Porto Alegre Curitiba São Paulo Belo Horizonte Recife Rio de Janeiro 100,0 90,0 80,0 70,0 60,0 50,0 40,0 30,0 Curitiba Porto Alegre São Paulo Belo Salvador Recife Rio de Horizonte Janeiro Fonte: IETS com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Fortaleza Salvador Belém Percentual de Empregadores com CNPJ (%) nas Regiões Metropolitanas Belém Fortaleza Em termos de formalização dos empreendedores, a RMRJ está entre o grupo que apresenta percentuais mais baixos, tanto de Conta Própria quanto de Empregadores com CNPJ

20 Mercado de trabalho Destaca-se a maior participação da administração pública e pela menor representatividade dos segmentos industriais na RMRJ. Houve crescimento dos serviços e da administração pública e a queda da indústria e do comércio na década. 25,0 Distribuição (%) dos ocupados por setor de atividade ,0 19,4 18,0 18,0 16,9 15,9 19,1 20,3 18,2 15,0 14,4 12,0 10,0 7,7 6,8 6,5 5,8 RMRJ RMSP 5,0 0,0 Indústria extrativa e de transformação Construção Comércio e reparação Serviços financeiros e prestados à empresas Administração pública Serviços domésticos Outros serviços 0,5 0,4 Outras atividades Fonte: Pesquisa Mensal de Emprego IBGE

21 Fonte: Pesquisa Mensal de Emprego IBGE Nota: Estimativas referentes ao rendimento habitualmente recebidos no trabalho principal (média dos 12 meses). Para 2002 foram considerados apenas os meses de março a dezembro Mercado de trabalho Houve aumento generalizado dos rendimentos nos setores, com exceção de serviços e no comércio 3000 Rendimento dos ocupados por setor de atividade na RMRJ 2002 e Indústria extrativa e de transformação Construção Comércio e reparação Serviços financeiros e prestados à empresas Administração pública Serviços domésticos Outros serviços Outras atividades

22 ENCRENCA METROPOLITANA - PANORAMA A evolução da região metropolitana do Rio tem sido aquém de outras metrópoles e do Brasil em termos de desigualdade, pobreza e informalidade Os avanços no combate à pobreza foram menores do que na RMSP e do que na média nacional porque a desigualdade caiu menos na RMRJ Características estruturais do mercado de trabalho: menor participação da indústria e maior da administração pública e do comércio e de serviços de mais baixa qualidade Modelo de crescimento econômico recente, ancorado em poucos setores e em grandes empresas, não foi capaz de alterar significativamente essas características Baixo desemprego, baixa taxa de participação no mercado de trabalho e elevada informalidade Capital dos conta-próprias, mas com baixa performance Rendimentos do trabalho têm crescido acima da média, porém a desigualdade dos rendimentos do trabalho é a maior das regiões metropolitanas.

23 DIFERENÇAS ENTRE OS RECORTES TERRITORIAIS DO ERJ Diferenças entre os recortes territoriais (RMRJ, Capital, RMRJ sem capital, área não metropolitana): Crescimento econômico Renda, desigualdade e pobreza Mercado de Trabalho Mobilidade urbana MPE Educação

24 CRESCIMENTO ECONÔMICO De 2002 a 2010, o PIB do Município do Rio de Janeiro cresceu 1,5% a.a., enquanto os demais municípios da RMRJ (exceto a Capital) e a área não metropolitana cresceram, respectivamente, 2,9% e 8,8% no mesmo período. Evolução do PIB (R$ de 2000) O Norte Fluminense apresentou a maior taxa de crescimento no mesmo período (11,4% a.a.) seguido do Sul Fluminense com 9% a.a. Capital RMRJ sem capital Área não metropolitana Fonte: IETS com base nos dados do Ipeadata.

25 DESIGUALDADE DE RENDA A persistência da desigualdade ocorre com mais força na Capital. Entre 2001 e 2011, o coeficiente de Gini diminuiu de maneira mais tímida no Rio do que em SP em todos os recortes geográficos Evolução do coeficiente de Gini Capital RJ RMRJ sem capital Área não metropolitana RJ 0,62 Capital SP RMSP sem a Capital Área não metropolitana SP 0,60 0,58 0,56 0,54 0,52 0,50 0,48 0,46 0,44 0, Fonte: IETS com base nos dados da PNAD/IBGE.

26 RENDA E POBREZA No período considerado, há uma diminuição do percentual de pobres, sendo menos intensa na capital do Estado. Ainda assim, em 2011, o percentual de pobres no município do Rio de Janeiro (13,5%) é inferior ao do interior, de 15%, e da média da periferia, de 19% Renda domiciliar per capita % de pobres 25% 20% 15% 10% 5% R$ % 15% R$ % R$ 749 R$ % R$ R$ R$ R$ 800 R$ 600 R$ 400 R$ 200 Embora o interior tenha renda mais baixa que a periferia, tem uma proporção de pobres menor 0% Estado Interior Periferia Capital R$ 0 Fonte: IETS a partir de dado da PNAD/IBGE.

27 MERCADO DE TRABALHO Os indicadores do mercado de trabalho mais críticos estão na periferia da região metropolitana Resumo dos indicadores de mercado de trabalho Estado Interior Periferia Capital Taxa de desemprego 8,2% 8,7% 9,7% 6,7% % empregados com carteira 48,8% 44,7% 47,9% 52,1% % conta-própria 20,9% 19,7% 23,3% 19,8% Taxa de sucesso dos empreendedores 12,8% 12,4% 10,9% 14,7% % de conta própria com CNPJ 15,2% 18,2% 13,7% 17,5% % de empregador com CNPJ 77,2% 80,0% 71,5% 83,9% Remuneração média do trabalho R$ R$ R$ R$ Fonte: IETS com base nos dados da PNAD/IBGE.

28 MOBILIDADE TEMPO DE DESLOCAMENTO PARA O TRABALHO Tempo de deslocamento de casa ao trabalho cresce entre 2001 e No RJ, a periferia da região metropolitana possui a mais alta proporção da população que demora mais de 1 hora no transporte para trabalhar, porém abaixo da capital paulista. Percentual de pessoas que leva mais de uma hora no deslocamento casa-trabalho RJ SP RJ SP Estado Área não metropolitana RM RM sem capital Capital Fonte: IETS com base nos dados da PNAD/IBGE.

29 Estabelecimentos Empregos Fonte: IETS com base nos dados da RAIS/MTE. EMPRESAS ESTABELECIMENTOS E EMPREGOS FORMAIS NO ESTADO A RMRJ concentra 75% dos empregos e 68% dos estabelecimentos totais. Aproximadamente 2/3 de ambos concentram-se na Capital. Houve um leve movimento de descentralização da atividade produtiva para o interior Distribuição dos estabelecimentos e empregos formais no estado do Rio de Janeiro % 18% 21% % 17% 19% % 19% 32% % 19% 29% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Capital RMRJ sem capital Área não metropolitana

30 MPE PARTICIPAÇÃO NO EMPREGO E NA MASSA SALARIAL A participação das MPE no emprego formal e na massa salarial caiu nos três recortes analisados entre 2001 e 2011, sendo mais baixa na Capital Participação das MPE no emprego formal e na massa salarial 50% 40% 30% % 31% 29% 26% 36% 33% 44% 41% 47% 43% 20% 22% 20% 10% 0% Capital RMRJ sem capital Massa salarial Fonte: IETS com base nos dados da RAIS/MTE. Área não metropolitana Capital RMRJ sem capital Emprego formal Área não metropolitana

31 MPE Diferencial salarial entre MPE e MGE Diferencial salarial entre MPE e MGE Diferencial salarial - São Paulo Diferencial salarial - Rio de Janeiro Estado RM Capital RM sem capital Área não metropolitana Fonte: IETS, com base na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), 2001 e 2011 O diferencial salarial entre MPE e MGE são menores no estado de São Paulo, além de variarem menos entre distintos recortes territoriais

32 MPE Salário médio Salário médio (R$/empregado) para os recortes do ERJ Salário médio - MPE Salário médio - MGE 2612,1 2705,5 2954,3 2622,3 1835,2 1292,0 1371,3 1469,5 1120,8 1191,0 ERJ RMRJ Capital RMRJ sem Capital Área não metropolitana Os menores salários tanto entre as MPE quanto nas MGE estão na Periferia ao passo que Capital do Rio de Janeiro apresenta os maiores salários médios Fonte: Dados extraídos da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), 2001 e 2011

33 (Anos de estudo) EDUCAÇÃO A despeito da melhoria educacional em quase todas as áreas do estado do Rio de Janeiro, de 2001 a 2011 a RMRJ (exceto a Capital) e a Área não metropolitana apresentam níveis bastante inferiores de escolaridade média quando comparados à Capital. 10,0 Evolução da escolaridade média da população de 25 anos e mais: 2001 a 2011 Estado Região metropolitana Cidade Interior do estado Periferia da RM 9,5 9,0 8,5 8,0 7,5 7,0 6,5 6,0 A diferença dentre a periferia de SP e a capital é de 1 ano de estudo, enquanto no Rio de Janeiro é de cerca de dois anos 5,5 5, Ano Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2001 a 2011.

34 EDUCAÇÃO QUALIDADE DO ENSINO A capital registra os melhores índices, seguida pela área não metropolitana do RJ. A melhoria do IDEB de 2009 a 2011 foi mais forte na Capital (alta de 0,8 p.p.) do que na RMRJ sem a Capital (alta de 0,2p.p.), aumentando a distância IDEB - Ensino fundamental 6 5 5,1 5,4 4, ,9 4,2 4,4 3,5 4,3 3,1 3,3 3,6 3, Capital RMRJ sem capital Área não metropolitana Capital RMRJ sem capital Área não metropolitana Séries Iniciais Fonte: IETS com base nos dados do INEP. Séries Finais

35 JOVENS Os jovens de 18 a 24 anos na RMRJ participam menos do mercado de trabalho do que nas outras regiões metropolitanas do Sudeste. Por um lado, a frequencia à escola é maior, mas há também maior ociosidade. Além disso, o desemprego dos jovens é maior na RMRJ Indicadores de Jovens de 18 a 24 anos Indicadores Brasil RMRJ RMBH RMSP Frequência a escola (%) 30,5 33,9 28,6 26,0 Taxa de Participação (%) 73,0 64,6 78,6 78,8 Taxa de desemprego (%) 15,5 17,9 13,9 13,6 Jovens que não estudam, não trabalham, não procuram emprego (%) 14,6 17,1 11,3 12,9 Fonte: Estimativas produzidas com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE).

36 CONSIDERAÇÕES FINAIS A capital concentra maiores níveis de renda per capita, maiores níveis de escolarização e maior formalização de seus postos de trabalho. É a líder em desigualdade (Gini, diferencial salarial para nível de ensino superior) A pobreza concentra-se sobretudo na periferia da Região Metropolitana do estado, que também reúne os piores indicadores de escolaridade, mobilidade urbana e desemprego Periferia e, principalmente, a capital não foram capazes de reduzir a alta desigualdade de renda na última década, como o interior A periferia tem maior participação das MPE na renda e no emprego do que a capital. No entanto, os empregos são de baixa qualidade, com rendimentos inferiores. O empreendedorismo é de baixa performance e predomina a informalidade

37 CONSIDERAÇÕES FINAIS Para o Estado do Rio de Janeiro avançar no seu desenvolvimento precisa encontrar soluções para a sua região metropolitana que tem freado os avanços na redução da desigualdade de renda O enfrentamento dos problemas da metrópole na sua complexidade requer visão integrada da região metropolitana e coordenação dos esforços -> governança metropolitana Pontos da agenda metropolitana que merecem ser aprofundados para orientar as estratégias de atuação: Desenvolvimento dos pequenos negócios Acesso e qualidade da educação e qualificação profissional a fim de reduzir as distâncias entre as diferentes áreas Avanços no ambiente de negócios Ampliação da inserção produtiva dos jovens Soluções de mobilidade urbana que possibilitem maior acesso ao mercado de trabalho e maior qualidade de vida em toda a região metropolitana

Estudo Estratégico n o 4. Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco

Estudo Estratégico n o 4. Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco Estudo Estratégico n o 4 Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco PANORAMA GERAL ERJ receberá investimentos recordes da ordem

Leia mais

RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28

RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 no Estado do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 PANORAMA GERAL Na última década, o Brasil passou por profundas mudanças

Leia mais

na região metropolitana do Rio de Janeiro

na região metropolitana do Rio de Janeiro O PERFIL DOS JOVENS EMPREENDEDORES na região metropolitana do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL MARÇO DE 2013 Nº21 PANORAMA GERAL Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE) de 2011,

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME Dia Internacional da Mulher 08 de março de 2012 M U L H E R N O M E R C A D O D E T R A B A L H O: P E R G U N T A S E R E S P O S T A S A Pesquisa Mensal de Emprego PME,

Leia mais

MOBILIDADE DOS EMPREENDEDORES E VARIAÇÕES NOS RENDIMENTOS

MOBILIDADE DOS EMPREENDEDORES E VARIAÇÕES NOS RENDIMENTOS MOBILIDADE DOS EMPREENDEDORES NOTA CONJUNTURAL ABRIL DE 2014 Nº31 E VARIAÇÕES NOS RENDIMENTOS NOTA CONJUNTURAL ABRIL DE 2014 Nº31 PANORAMA GERAL Os movimentos de transição da população ocupada entre as

Leia mais

RENDA, TRABALHO E EMPREENDEDORISMO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

RENDA, TRABALHO E EMPREENDEDORISMO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RENDA, TRABALHO E EMPREENDEDORISMO NOTA CONJUNTURAL Nº35 2015 NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL Nº35 2015 PANORAMA GERAL O ano de 2015 se inicia com grandes incertezas com relação à economia

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego EVOLUÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA DE TRABALHO ASSINADA 2003-2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 2 Pesquisa Mensal de Emprego - PME I - Introdução A Pesquisa

Leia mais

O Mercado de Trabalho no Rio de Janeiro na Última Década

O Mercado de Trabalho no Rio de Janeiro na Última Década O Mercado de Trabalho no Rio de Janeiro na Última Década João Saboia 1 1) Introdução A década de noventa foi marcada por grandes flutuações na economia brasileira. Iniciou sob forte recessão no governo

Leia mais

Pobreza e Prosperidade. Metropolitanas Brasileiras: Balanço e Identificação de Prioridades. Compartilhada nas Regiões

Pobreza e Prosperidade. Metropolitanas Brasileiras: Balanço e Identificação de Prioridades. Compartilhada nas Regiões Pobreza e Prosperidade Compartilhada nas Regiões Metropolitanas Brasileiras: Balanço e Identificação de Prioridades Aude-Sophie Rodella Grupo Sectorial da Pobreza Brasilia, June 2015 No Brasil, a pobreza

Leia mais

COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA

COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Desigualdade e Pobreza no Brasil Metropolitano Durante a Crise Internacional: Primeiros COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada BRASIL Brasília, 4 de agosto de 2009 Brasil:

Leia mais

SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro

SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, NOVEMBRO DE 2012 17 2012

Leia mais

COMO ANDA O ESTUDO ESTRATÉGICO DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO? Nº 04 AGOSTO DE 2013 RIO DE JANEIRO

COMO ANDA O ESTUDO ESTRATÉGICO DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO? Nº 04 AGOSTO DE 2013 RIO DE JANEIRO COMO ANDA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO? ESTUDO ESTRATÉGICO Nº 04 AGOSTO DE 2013 RIO DE JANEIRO SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio do Janeiro Rua Santa

Leia mais

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro A taxa de desocupação registrada pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, nas seis principais Regiões Metropolitanas do país (Recife, Salvador, Belo Horizonte,

Leia mais

ANÁLISE CONJUNTURAL DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO CATARINENSE: 2012-2013

ANÁLISE CONJUNTURAL DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO CATARINENSE: 2012-2013 GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO DITE COORDENAÇÃO ESTADUAL DO SISTEMA NACIONAL DE EMPREGO SINE SETOR

Leia mais

PAINEL REGIONAL RIO DE JANEIRO

PAINEL REGIONAL RIO DE JANEIRO PAINEL REGIOL N O R T E RIO DE JANEIRO PAINEL REGIOL NORTE RIO DE JANEIRO 2013 SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio do Janeiro Rua Santa Luzia, 685 6º, 7º e 9º andares

Leia mais

PAINEL REGIONAL RIO DE JANEIRO

PAINEL REGIONAL RIO DE JANEIRO PAINEL REGIOL M É D I O P A R A Í B A RIO DE JANEIRO PAINEL REGIOL MÉDIO PARAÍBA RIO DE JANEIRO 2013 SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio do Janeiro Rua Santa Luzia,

Leia mais

A INSERÇÃO DOS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS

A INSERÇÃO DOS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS NOVEMBRO DE 2013 A INSERÇÃO DOS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS A sociedade brasileira comemora, no próximo dia 20 de novembro, o Dia da

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego. Abril 2011

Pesquisa Mensal de Emprego. Abril 2011 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2011 1 1 Rio de Janeiro, 26/05/2011 Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro O Janeiro

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego PME. Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada

Pesquisa Mensal de Emprego PME. Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada Pesquisa Mensal de Emprego PME Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Algumas das principais

Leia mais

ipea 45 NOTA TÉCNICA Pobreza e crise econômica: o que há de novo no Brasil metropolitano anos

ipea 45 NOTA TÉCNICA Pobreza e crise econômica: o que há de novo no Brasil metropolitano anos ipea 45 anos NOTA TÉCNICA Pobreza e crise econômica: o que há de novo no Brasil metropolitano Rio de Janeiro, maio de 2009 1 Pobreza e crise econômica: o que há de novo no Brasil metropolitano Marcio Pochmann

Leia mais

{dybanners}1,1,,meioweb Links Patrocinados{/dybanners} Fonte: IBGE

{dybanners}1,1,,meioweb Links Patrocinados{/dybanners} Fonte: IBGE {dybanners}1,1,,meioweb Links Patrocinados{/dybanners} Fonte: IBGE A taxa de desocupação ficou praticamente estável, pois suas variações em relação a março (9,0%) de 2009 e também a abril de 2008 (8,5%)

Leia mais

Boletim Econômico. Federação Nacional dos Portuários. Sumário

Boletim Econômico. Federação Nacional dos Portuários. Sumário Boletim Econômico Federação Nacional dos Portuários Agosto de 2014 Sumário Indicadores de desenvolvimento brasileiro... 2 Emprego... 2 Reajuste dos salários e do salário mínimo... 3 Desigualdade Social

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO NA METRÓPOLE E NO INTERIOR DO RIO DE JANEIRO ESTUDO ESTRATÉGICO Nº 05 JULHO DE 2013 RIO DE JANEIRO

DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO NA METRÓPOLE E NO INTERIOR DO RIO DE JANEIRO ESTUDO ESTRATÉGICO Nº 05 JULHO DE 2013 RIO DE JANEIRO DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO NA METRÓPOLE E NO INTERIOR DO RIO DE JANEIRO ESTUDO ESTRATÉGICO Nº 05 JULHO DE 2013 RIO DE JANEIRO SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

A inserção das mulheres nos mercados de trabalho metropolitanos e a desigualdade nos rendimentos

A inserção das mulheres nos mercados de trabalho metropolitanos e a desigualdade nos rendimentos A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO MARÇO 2013 A inserção das mulheres nos mercados de trabalho metropolitanos e a desigualdade nos rendimentos De maneira geral, as mulheres enfrentam grandes dificuldades

Leia mais

TEMAS SOCIAIS O UTUBRO DE 2000 CONJUNTURA ECONÔMICA 28

TEMAS SOCIAIS O UTUBRO DE 2000 CONJUNTURA ECONÔMICA 28 O UTUBRO DE 2000 CONJUNTURA ECONÔMICA 28 TEMAS SOCIAIS Diferentes histórias, diferentes cidades A evolução social brasileira entre 1996 e 1999 não comporta apenas uma mas muitas histórias. O enredo de

Leia mais

INCT Observatório das Metrópoles

INCT Observatório das Metrópoles INCT Observatório das Metrópoles INDICADORES SOCIAIS PARA AS REGIÕES METROPOLITANAS BRASILEIRAS: EXPLORANDO DADOS DE 2001 A 2009 Apresentação Equipe Responsável Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro Marcelo Gomes

Leia mais

V Pedreiros e Vendedores. 1 Introdução

V Pedreiros e Vendedores. 1 Introdução V Pedreiros e Vendedores 1 Introdução No contexto da análise dos trabalhadores por conta própria, tendo em vista a destacada participação nos grupamentos de atividades da construção (17,4%) e do comércio

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Peruíbe, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 323,17 km² IDHM 2010 0,749 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 59773 hab. Densidade

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego Rio de Janeiro, 28 de janeiro de 2016. PME Retrospectiva 2003-2015 13 anos Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento 1 (IBGE / DPE / COREN) 1 Rio de Janeiro,

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Rio de Janeiro, 21/09/2012 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho

Leia mais

Sobre a queda recente na desigualdade de renda no Brasil

Sobre a queda recente na desigualdade de renda no Brasil Sobre a queda recente na desigualdade de renda no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IPEA) Samuel Franco (IPEA) Rosane Mendonça (UFF) Brasília, agosto de 2006 Entre 2001 e 2004 a

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Novo Mundo, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5826,18 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 7332 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Vera, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2962,4 km² IDHM 2010 0,680 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10235 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Rio Claro, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5074,56 km² IDHM 2010 0,682 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 17124 hab.

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Porto Alegre do Norte, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 3994,51 km² IDHM 2010 0,673 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10748 hab.

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Cabo Verde, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 368,15 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 13823 hab. Densidade

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

Análise do mercado de trabalho

Análise do mercado de trabalho Análise do mercado de trabalho 1 Introdução Esta análise tem como propósito a apresentação do desempenho do mercado de trabalho brasileiro no primeiro trimestre de 2010 com base, principalmente, nos indicadores

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guaranésia, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 294,28 km² IDHM 2010 0,701 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 18714 hab. Densidade

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL ANO 01 NÚMERO 14 MARÇO DE 2001 APRESENTAÇÃO

INFORMATIVO MENSAL ANO 01 NÚMERO 14 MARÇO DE 2001 APRESENTAÇÃO INFORMATIVO MENSAL ANO 01 NÚMERO 14 MARÇO DE 2001 APRESENTAÇÃO Neste número apresentamos dados alentadores sobre o mercado de trabalho em nossa região metropolitana. Os dados referentes ao desemprego em

Leia mais

Anuário das MULHERES. Empreendedoras. e Trabalhadoras em Micro e. Pequenas Empresas

Anuário das MULHERES. Empreendedoras. e Trabalhadoras em Micro e. Pequenas Empresas Anuário das MULHERES Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas 2014 SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto

Leia mais

Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas 2013

Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas 2013 SEBRAE (Org.) Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas 2013 São Paulo, 2013 SEBRAE (Org.) S492a Anuário

Leia mais

O MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA EM 2011 E

O MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA EM 2011 E O MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA EM 2011 E 2012 Camila Cristina Farinhaki Henrique Alves dos Santos Lucas Fruet Fialla Patricia Uille Gomes Introdução Este artigo tem como objetivo

Leia mais

Tópico: RBC e o Trabalho (questões éticas, políticas e empíricas relacionadas aos mercados laborais formais e informais).

Tópico: RBC e o Trabalho (questões éticas, políticas e empíricas relacionadas aos mercados laborais formais e informais). Tópico: RBC e o Trabalho (questões éticas, políticas e empíricas relacionadas aos mercados laborais formais e informais). Título: MERCADO DE TRABALHO NO BRASIL: EVOLUÇÃO RECENTE, DESAFIOS E COMBATE À POBREZA

Leia mais

Taxa de analfabetismo

Taxa de analfabetismo B Taxa de analfabetismo B.1................................ 92 Níveis de escolaridade B.2................................ 94 Produto Interno Bruto (PIB) per capita B.3....................... 96 Razão de

Leia mais

Desenvolvimento Socioeconômico na NOTA CONJUNTURAL MAIO DE 2013 Nº23

Desenvolvimento Socioeconômico na NOTA CONJUNTURAL MAIO DE 2013 Nº23 Desenvolvimento Socioeconômico na NOTA CONJUNTURAL MAIO DE 2013 Nº23 METRÓPOLE E NO INTERIOR DO RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL MAIO DE 2013 Nº23 PANORAMA GERAL O Estado do Rio de Janeiro (ERJ) é caracterizado

Leia mais

COMO ANDA O RIO DE JANEIRO?

COMO ANDA O RIO DE JANEIRO? COMO ANDA O RIO DE JANEIRO? NOTA CONJUNTURAL ABRIL DE 2013 Nº22 PANORAMA GERAL Nos últimos anos, o Estado do Rio de Janeiro (ERJ) tem sido o destino de diversos investimentos de grande porte. E as perspectivas

Leia mais

Desigualdade de renda e mercado de trabalho na metrópole e no interior do Rio de Janeiro 1

Desigualdade de renda e mercado de trabalho na metrópole e no interior do Rio de Janeiro 1 Desigualdade de renda e mercado de trabalho na metrópole e no interior do Rio de Janeiro 1 Valéria Pero Adriana Fontes Camila Ferraz 2 RESUMO O Estado do Rio de Janeiro tem avançado menos que a média brasileira

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

MUDANÇAS NA RELAÇÃO ENTRE A PME E A PED COM A NOVA METODOLOGIA DA PME

MUDANÇAS NA RELAÇÃO ENTRE A PME E A PED COM A NOVA METODOLOGIA DA PME MUDANÇAS NA RELAÇÃO ENTRE A PME E A PED COM A NOVA METODOLOGIA DA PME Maurício Cortez Reis Professor do Dept de Economia da PUC - Rio 1 INTRODUÇÃO A Pesquisa Mensal de Emprego (PME), realizada pelo IBGE

Leia mais

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht Page 1 of 7 Comunicação Social 17 de setembro de 2010 Síntese de Indicadores Sociais 2010 SIS 2010: Mulheres mais escolarizadas são mães mais tarde e têm menos filhos Embora abaixo do nível de reposição

Leia mais

I - A inserção dos trabalhadores negros nos mercados de trabalho metropolitanos entre 1998 e 2004

I - A inserção dos trabalhadores negros nos mercados de trabalho metropolitanos entre 1998 e 2004 DESIGUALDADE RACIAL EM MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS (ROTEIRO DE DIVULGAÇÃO) Embora a segregação racial esteja presente em várias manifestações e estruturas da sociedade brasileira, o mercado de

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Censo Demográfico 2010 Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2012 As presentes publicações dão continuidade à divulgação dos resultados do Censo Demográfico 2010

Leia mais

Taxa de desemprego sobe para 5,7% em março

Taxa de desemprego sobe para 5,7% em março Taxa de desemprego sobe para 5,7% em março A taxa de desemprego registrou elevação para 5,7% em março ante 5, observado em fevereiro nas seis regiões metropolitanas pesquisadas na apuração da Pesquisa

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005

Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005 Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento

Leia mais

ipea PESQUISA MENSAL DE EMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA INTRODUÇÃO

ipea PESQUISA MENSAL DE EMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA INTRODUÇÃO PESQUISA MENSAL DE EMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA Sachiko Araki Lira* Paulo Roberto Delgado** INTRODUÇÃO O objetivo desta nota é fazer uma breve apresentação do comportamento do mercado de

Leia mais

EQUILÍBRIOS E ASSIMETRIAS NA. distribuição da população e do pib. entre núcleo e periferia. nas 15 principais regiões. metropolitanas brasileiras

EQUILÍBRIOS E ASSIMETRIAS NA. distribuição da população e do pib. entre núcleo e periferia. nas 15 principais regiões. metropolitanas brasileiras CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA - COFECON COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INSTITUTO BRASILIENSE DE ESTUDOS DA ECONOMIA REGIONAL IBRASE EQUILÍBRIOS E ASSIMETRIAS NA distribuição da população e do pib

Leia mais

3 O Panorama Social Brasileiro

3 O Panorama Social Brasileiro 3 O Panorama Social Brasileiro 3.1 A Estrutura Social Brasileira O Brasil é um país caracterizado por uma distribuição desigual de renda. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios

Leia mais

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sistema de pesquisas domiciliares existe no Brasil desde 1967, com a criação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD; Trata-se de um sistema de pesquisas

Leia mais

Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2012: análise dos principais resultados de Santa Catarina

Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2012: análise dos principais resultados de Santa Catarina Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2012: análise dos principais resultados de Santa Catarina A 5ª edição do Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa é um dos produtos elaborados por meio

Leia mais

Salários na Construção Civil nos anos 2000: entre a formalização e a rotatividade

Salários na Construção Civil nos anos 2000: entre a formalização e a rotatividade Dezembro 2011 Nº 6 Salários na Construção Civil nos anos 2000: entre a formalização e a rotatividade Durante a década de 1990, com o enfraquecimento das instituições reguladoras da economia e da sociedade

Leia mais

ANUÁRIO DO TRABALHO. namicro e. Pequena 2010 / 2011. Empresa

ANUÁRIO DO TRABALHO. namicro e. Pequena 2010 / 2011. Empresa ANUÁRIO DO TRABALHO namicro e Pequena Empresa 2010 / 2011 SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões Diretor-Presidente

Leia mais

de 1,000 (um) for o IDH, melhor a qualidade de vida de sua população.

de 1,000 (um) for o IDH, melhor a qualidade de vida de sua população. RESULTADOS O Espírito Santo que se deseja em 2015 é um Estado referência para o País, na geração de emprego e renda na sua indústria, com conseqüente eliminação das desigualdades entre os municípios capixabas.

Leia mais

Dinamismo do mercado de trabalho eleva a formalização das relações de trabalho de homens e mulheres, mas a desigualdade persiste

Dinamismo do mercado de trabalho eleva a formalização das relações de trabalho de homens e mulheres, mas a desigualdade persiste Dinamismo do mercado de trabalho eleva a formalização das relações de trabalho de homens e mulheres, mas a desigualdade persiste Introdução De maneira geral, as mulheres enfrentam grandes dificuldades

Leia mais

SETOR DE ALIMENTOS: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro

SETOR DE ALIMENTOS: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL SETOR DE ALIMENTOS: estabelecimentos e empregos formais no Rio de Janeiro OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, DEZEMBRO DE 2012 18 2012 PANORAMA GERAL

Leia mais

Manutenção das desigualdades nas condições de inserção

Manutenção das desigualdades nas condições de inserção A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE MARÇO 2014 Manutenção das desigualdades nas condições de inserção De maneira geral, as mulheres enfrentam grandes dificuldades

Leia mais

---- ibeu ---- ÍNDICE DE BEM-ESTAR URBANO

---- ibeu ---- ÍNDICE DE BEM-ESTAR URBANO INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA CNPq/FAPERJ/CAPES ---- ibeu ---- ÍNDICE DE BEM-ESTAR URBANO COORDENAÇÃO LUIZ CÉSAR DE QUEIROZ RIBEIRO EQUIPE RESPONSÁVEL ANDRÉ RICARDO SALATA LYGIA GONÇALVES

Leia mais

ESCOLARIDADE AUMENTA NA ÚLTIMA DÉCADA, MAS A DESIGUALDADE ENTRE NEGROS E NÃO NEGROS AINDA É BASTANTE ALTA 1

ESCOLARIDADE AUMENTA NA ÚLTIMA DÉCADA, MAS A DESIGUALDADE ENTRE NEGROS E NÃO NEGROS AINDA É BASTANTE ALTA 1 OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS ESCOLARIDADE AUMENTA NA ÚLTIMA DÉCADA, MAS A DESIGUALDADE ENTRE NEGROS E NÃO NEGROS AINDA É BASTANTE ALTA 1 Nos últimos anos, o Brasil experimentou expressiva

Leia mais

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA SETEMBRO /2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 1. Dimensão e características da ocupação no setor da construção civil no Brasil e na Bahia (2000 e 2010)...

Leia mais

OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS NOVEMBRO DE 2015

OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS NOVEMBRO DE 2015 OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS NOVEMBRO DE 2015 OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS E m comemoração ao 20 de novembro, consagrado como o Dia da Consciência Negra, o DIEESE

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese 2014 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese Dieese Subseção Força Sindical 19/09/2014 PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICILIOS - PNAD 2013 Síntese dos Indicadores POPULAÇÃO A Pesquisa

Leia mais

Comunicado da. Presidência

Comunicado da. Presidência Número 7, agosto de 2008 Comunicado da Presidência Pobreza e riqueza no Brasil metropolitano Realização: Assessoria Técnica da Presidência 2 1. Apresentação 1 A economia brasileira, ao longo dos últimos

Leia mais

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005 Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento

Leia mais

EFEITOS DA POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA SOBRE A TAXA DE DESEMPREGO

EFEITOS DA POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA SOBRE A TAXA DE DESEMPREGO NOTA TÉCNICA EFEITOS DA POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA SOBRE A TAXA DE DESEMPREGO Maria Andréia Parente Lameiras* 1 INTRODUÇÃO Ao longo da última década, o mercado de trabalho no Brasil vem apresentando

Leia mais

Melhora nos indicadores da presença feminina no mercado de trabalho não elimina desigualdades

Melhora nos indicadores da presença feminina no mercado de trabalho não elimina desigualdades A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DE PORTO ALEGRE NOS ANOS 2000 Boletim Especial: Dia Internacional das Mulheres MARÇO/2010 Melhora nos indicadores da presença feminina no mercado de trabalho

Leia mais

Pesquisa / Estudo (Análise de Dados)

Pesquisa / Estudo (Análise de Dados) SUBPROJETO I DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA DE ANÁLISE DE MERCADO DE TRABALHO MUNICIPAL E QUALIFICAÇÃO SOCIAL PARA APOIO À GESTÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA Pesquisa / Estudo (Análise

Leia mais

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Novembro 2013 OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO O mercado de trabalho em 2012 Dia Nacional da Consciência Negra A rota de redução de desigualdades na RMSP O crescimento

Leia mais

PRINCIPAIS DESTAQUES DA EVOLUÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO NAS SEIS REGIõES METROPOLITANAS ABRANGIDAS PELA PESQUISA MENSAL DE EMPREGO DO IBGE

PRINCIPAIS DESTAQUES DA EVOLUÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO NAS SEIS REGIõES METROPOLITANAS ABRANGIDAS PELA PESQUISA MENSAL DE EMPREGO DO IBGE PRINCIPAIS DESTAQUES DA EVOLUÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO NAS SEIS REGIõES METROPOLITANAS ABRANGIDAS PELA PESQUISA MENSAL DE EMPREGO DO IBGE (RECIFE, SALVADOR, BELO HORIZONTE, RIO DE JANEIRO, SÃO PAULO E

Leia mais

Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015. Coordenação: Juciano Martins Rodrigues. Observatório das Metrópoles

Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015. Coordenação: Juciano Martins Rodrigues. Observatório das Metrópoles Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015 Estado da motorização individual no Brasil Relatório 2015 Coordenação: Juciano Martins Rodrigues Observatório das Metrópoles Luiz Cesar de Queiroz

Leia mais

TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás.

TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás. TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás. O Dia Internacional da Mulher, celebrado dia 8 de março, traz avanços do gênero feminino no mercado de trabalho formal. Segundo informações disponibilizadas

Leia mais

ISSN 1519-9568. INFORMATIVO MENSAL Ano 1 Número 20 Março de 2002 APRESENTAÇÃO

ISSN 1519-9568. INFORMATIVO MENSAL Ano 1 Número 20 Março de 2002 APRESENTAÇÃO ISSN 119-968 INFORMATIVO MENSAL Ano 1 Número Março de APRESENTAÇÃO O Boletim apresenta uma síntese do documento Panorama Social de América Latina -1, uma publicação da Comissão Especial para a América

Leia mais

namicro e Pequena Anuário do Trabalho Empresa

namicro e Pequena Anuário do Trabalho Empresa Anuário do Trabalho namicro e Pequena Empresa 2014 SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Presidente do Conselho Deliberativo Robson Braga de Andrade Diretor-Presidente Luiz

Leia mais

A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014

A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014 A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Março de 2015 A presença feminina no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo 2014 Em 2014, a presença de

Leia mais

DIEESE e SEBRAE lançam Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa

DIEESE e SEBRAE lançam Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa São Paulo, 05 de dezembro de 2011 NOTA À IMPRENSA DIEESE e SEBRAE lançam Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa O aumento no número de estabelecimentos de micro e pequenas empresas no Brasil, bem

Leia mais

Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007. Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos

Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007. Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007 Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho

Leia mais

Risco Social na Região Metropolitana do Rio de Janeiro:

Risco Social na Região Metropolitana do Rio de Janeiro: Risco Social na Região Metropolitana do Rio de Janeiro: Um quadro sobre as condições socioeconômicas das crianças e jovens 1995-2003 *. André Urani, Érica Amorim, Juliana Speranza, Mauricio Blanco - IETS

Leia mais

Figura 2 Pirâmide etária em percentual - Goiás, 2013.

Figura 2 Pirâmide etária em percentual - Goiás, 2013. PNAD 2013: Uma análise para o Estado de A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2013, realizada anualmente pelo Instituto eiro de Geografia e Estatística (IBGE), é dividida em duas partes,

Leia mais

Ao longo dos anos 90, ocorreram diversas mudanças no mercado de trabalho

Ao longo dos anos 90, ocorreram diversas mudanças no mercado de trabalho RIO DE JANEIRO: TRABALHO E SOCIEDADE -Ano 1-Nº 1 JOVENS NO MERCADO DE TRABALHO DO RIO DE JANEIRO* 1. Introdução DANIELLE CARUSI MACHADO** Ao longo dos anos 90, ocorreram diversas mudanças no mercado de

Leia mais

CRESCIMENTO DO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL FAVORECE A EXPANSÃO DE POSTOS DE TRABALHO E DO RENDIMENTO

CRESCIMENTO DO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL FAVORECE A EXPANSÃO DE POSTOS DE TRABALHO E DO RENDIMENTO Nº 4 Outubro CRESCIMENTO DO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL FAVORECE A EXPANSÃO DE POSTOS DE TRABALHO E DO RENDIMENTO Em, a retomada do crescimento econômico em patamar superior ao verificado nos últimos anos

Leia mais

ANUÁRIO DO TRABALHO. namicro e. Pequena. Empresa

ANUÁRIO DO TRABALHO. namicro e. Pequena. Empresa ANUÁRIO DO TRABALHO namicro e Pequena Empresa 2013 SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões Diretor-Presidente Luiz

Leia mais

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324 SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHOEMSANTA DE EM CATARINA CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS CARACTERÍSTICA GERAIS DE SANTA CATARINA Área

Leia mais

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos POPULAÇÃO BRASILEIRA Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos Desde a colonização do Brasil o povoamento se concentrou no litoral do país. No início do século XXI, a população brasileira ainda

Leia mais

TEMA: POPULAÇÃO JOVEM DE 16 A 24 ANOS

TEMA: POPULAÇÃO JOVEM DE 16 A 24 ANOS Em 5 de agosto de 2013 foi sancionado o Estatuto da Juventude que dispõe sobre os direitos da população jovem (a Cidadania, a Participação Social e Política e a Representação Juvenil, a Educação, a Profissionalização,

Leia mais

TEMA: A importância da Micro e Pequena Empresa para Goiás

TEMA: A importância da Micro e Pequena Empresa para Goiás TEMA: A importância da Micro e Pequena Empresa para Goiás O presente informe técnico tem o objetivo de mostrar a importância da micro e pequena empresa para o Estado de Goiás, em termos de geração de emprego

Leia mais

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros 1 of 5 11/26/2010 2:57 PM Comunicação Social 26 de novembro de 2010 PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009 Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros O número de domicílios

Leia mais

A Contribuição da Educação para o Desenvolvimento Social

A Contribuição da Educação para o Desenvolvimento Social A Contribuição da Educação para o Desenvolvimento Social Setembro 2010 Wanda Engel Superintendente Executiva Desenvolvimento Humano Sujeito Sujeito Objeto Desenvolvimento Social Desenvolvimento Econômico

Leia mais

A MULHER EMPREENDEDORA DA REGIÃO METROPOLITANA DE MARINGÁ

A MULHER EMPREENDEDORA DA REGIÃO METROPOLITANA DE MARINGÁ A MULHER EMPREENDEDORA DA REGIÃO METROPOLITANA DE MARINGÁ 1.0 Introdução Prof. Dr. Joilson Dias Assistente Científica: Cássia Kely Favoretto Costa Departamento de Economia Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

CONSEQÜÊNCIAS E CAUSAS IMEDIATAS DA QUEDA RECENTE DA DESIGUALDADE DE RENDA BRASILEIRA

CONSEQÜÊNCIAS E CAUSAS IMEDIATAS DA QUEDA RECENTE DA DESIGUALDADE DE RENDA BRASILEIRA CONSEQÜÊNCIAS E CAUSAS IMEDIATAS DA QUEDA RECENTE DA DESIGUALDADE DE RENDA BRASILEIRA 1. INTRODUÇÃO Ricardo Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IPEA) Samuel Franco (IPEA) Rosane Mendonça (UFF) A boa notícia

Leia mais