Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "www.senado.leg.br/datasenado"

Transcrição

1

2 Lei Maria da Penha completa 9 Promulgada em 2006, a Lei Maria da Penha busca garantir direitos da mulher, além da prevenção e punição de casos de violência doméstica e familiar. Com a legislação, é possível a prisão em flagrante do agressor, ou mesmo a prisão preventiva, quando houver indícios de ameaça à integridade física da mulher. Além disso, medidas protetivas foram estabelecidas, como: afastar o agressor do domicílio em situações de risco de vida da vítima, ou ainda proibir que ele se aproxime da mulher agredida e dos filhos. O tema da violência doméstica e familiar é acompanhado pelo DataSenado em série histórica desde A cada dois, uma nova rodada da pesquisa é realizada. Este ano, de 24 de junho a 7 de julho, o DataSenado ouviu brasileiras, na sexta edição da pesquisa. O levantamento é realizado apenas com mulheres, representando assim a opinião e vivência da população feminina brasileira, com acesso a telefone fixo, sobre o assunto. Na pesquisa DataSenado se questiona às entrevistadas se já ouviram falar da Lei Maria da Penha. Desde 2009 a pesquisa registra elevado percentual de conhecimento da lei e, em 2011 e 2013, chegou próximo à totalidade das respondentes - 98% e 99%, respectivamente. Esta realidade alcança todos os segmentos sociodemográficos, revelando que as brasileiras, independente de idade, escolaridade, nível social, credo ou raça, sabem ou já ouviram falar da Lei Maria da Penha. Nesta edição, praticamente 100% das entrevistadas sabem da existência da lei, mas há crescimento na percepção de desrespeito às mulheres e nos registros de violência psicológica. Permanece constante a crença no aumento dos casos de violência. Maridos, companheiros, namorados e ex continuam sendo apontados como os principais agressores. Ciúmes e bebida ainda aparecem como as principais causas da violência. 2

3 Cresce desrespeito, diminui sensação de proteção A pesquisa constatou aumento na impressão de desrespeito à mulher. Assim, 43% das entrevistadas afirmam que as mulheres não são tratadas com respeito no Brasil em 2013, 35% tinham essa percepção. Houve piora de oito pontos percentuais. 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Você acha que a mulher é tratada com respeito no Brasil? (%) Sim Às vezes Não A sensação é pior para mulheres mais idosas (grupo em que atinge 52%), e para mulheres menos escolarizadas (53%). Dentre as categorias profissionais, as empregadas domésticas são as que mais sentem falta de respeito (59%). Enquanto isso, em relação aos anteriores, menos mulheres acreditam na melhora da proteção à mulher, com a Lei Maria da Penha. Hoje, 56% apontam estar mais protegidas. Em 2013, eram 66%. 100% 80% 60% 40% 20% Depois da Lei Maria da Penha, a proteção da mulher está: (%) Melhor Igual Pior 0%

4 A análise por nível de instrução revela que, quanto maior a escolaridade, mais a mulher se sente protegida com a Lei. Entre as mulheres que já completaram o ensino superior, 70% acreditam na melhora. Já na fatia que cursou até o ensino médio, o percentual fica em 53% e cai para 42% no grupo que tem até o ensino fundamental. Para esse último grupo e entre as mulheres de cor preta, a avaliação do efeito positivo da lei foi menor no que tange a proteção à mulher. Em ambos o percentual ficou abaixo de 50%. 80% 60% 40% 20% 0% Para você, nos últimos, a violência doméstica e familiar contra a mulher: (%) Aumentou Continuou igual Diminuiu A violência está aumentando? A opinião geral das mulheres pesquisadas é que sim. Desde 2009 até 2015, um grande número delas afirma perceber aumento na violência doméstica. O percentual médio das que percebem esse aumento, ano a ano pesquisado, gira em torno de 63%. Mas seria esse um indício de que a violência de fato está aumentando? Excetuando-se o ano de 2009, quando parece ter havido um crescimento real da percepção de que aumentou a violência (acima da margem de erro), os demais apresentaram percentuais estatisticamente equivalentes. Então, ou a proporção de mulheres que tomam conhecimento de novos casos de violência tem sido constante a cada pesquisa, ou os dados na verdade apontam uma opinião cristalizada de que a violência está tendendo a piorar independente de piorar de fato ou não. 4

5 Percentual de vítimas permanece constante, mas ainda é alto Embora a maioria das entrevistadas aponte que a violência aumentou, a proporção de mulheres que declaram já ter sofrido agressão permanece a mesma (em torno de 18%). Casos novos declarados na pesquisa não têm causado diferenças nessa proporção. 100% 80% 60% 40% 20% Você já foi vítima de algum tipo de violência doméstica? (%) Sim Não Desse modo, aproximadamente uma em cada cinco brasileiras já sofreu algum tipo de violência doméstica ou familiar. A análise por perfil sociodemográfico revela que são as mulheres com menor nível de instrução as mais atingidas: 27% das respondentes com ensino fundamental informaram que já foram vítimas, percentual que cai para 18% e 12% quando consideradas as mulheres com ensino médio e ensino superior, respectivamente. Também não varia o percentual das que afirmam conhecer alguma mulher que já tenha sofrido agressão. Em 2015, esse percentual foi registrado em 56%, estando dentro da margem de erro em comparação com os anteriores. 0% Primeira agressão tende a ser na juventude De acordo com a pesquisa, as mulheres estão mais suscetíveis a sofrer violência doméstica pela primeira vez quando têm entre 20 e 29. Nessa idade, 34% das 5

6 vítimas sofreram a primeira agressão. Se contadas as idades mais jovens, veremos que 66% das vítimas reconhecem ter sido violentada inicialmente até os 29. Somente 15% dos casos ocorreram pela primeira vez após os 40. recentemente, sobretudo após 2013, os percentuais das duas faixas etárias se aproximaram bastante. Isto leva a crer que as primeiras agressões parecem estar ocorrendo cada vez mais cedo. Idade na primeira agressão (dentre as que foram agredidas) (%) até a a a a ou mais 50% 40% 30% 20% 10% 0% Idade na primeira agressão (dentre as que foram agredidas) (%) até a a a a ou mais Em 2009, as diferenças por idade em que a mulher declarava ter sofrido a primeira agressão eram muito mais evidentes 24% tinham até 19 e 46% tinham de 20 a 29. Marido ainda é principal agressor Praticamente metade das brasileiras vítimas de violência doméstica - 49% - teve como agressor o próprio marido ou companheiro. Outras 21% mencionaram ter sido agredida 6

7 pelo ex-namorado, ex-marido ou ex-companheiro e 3% foram vítimas do namorado. Dessa forma, revela-se que, dentre as mulheres vítimas de violência doméstica, 73% tiveram como opressor pessoa do sexo oposto sem laços consanguíneos e escolhida por elas para conviver intimamente. 100% 80% 60% 40% 20% 0% Quem foi o agressor? (%) No universo de mulheres agredidas por pessoa próxima, 26% ainda convivem com o agressor e 14% delas continuam sendo vítimas dessa violência (Ex)Marido / (ex)companheiro / (ex)namorado Filho/enteado Pai / padastro Tio, irmão, primo, cunhado Outros Ciúmes e bebidas alcoólicas continuam apontados como principais agentes provocadores da violência por 21% e 19% das mulheres agredidas, respectivamente. 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Motivação da violência (dentre as que declararam ter sofrido violência) (%) Violência física segue alta e violência psicológica aumenta Em pergunta de múltipla escolha sobre o tipo de violência que sofreram, as mulheres declaram (desde 2005) o predomínio de agressões físicas. Em 2015, 66% das Uso do álcool Ciúmes Traição conjugal Outros motivos 7

8 vítimas apontaram esse tipo de agressão. Merece atenção o crescimento da violência psicológica, apontada por 48% - era 38% em Tipo de violência sofrida (%) 80% % % % % Física Sexual Psicológica Moral Patrimonial A pesquisa do DataSenado mostra ainda que, além das 66% alcançadas por violência física, 11% das pesquisadas também sofreram abusos ou violência sexual de algum homem do seu convívio próximo. 21% das agredidas não procuraram ajuda Uma em cada cinco mulheres não fez nada quando agredida. Este percentual aumentou em relação a 2013, quando 15% das vítimas adotaram a mesma postura. Apesar de ainda existir quem, por motivos pessoais, opte por não fazer nada, a maior parte das pesquisadas procurou alguma forma de auxílio: 20% buscaram apoio da família, 17% formalizaram denúncia em delegacia comum e 11% denunciaram em delegacia da mulher. 40% 30% 20% 10% 0% Qual foi sua atitude em relação à última agressão? (%) Denunciou em delegacia da Mulher Denunciou em delegacia comum Procurou ajuda dos amigos Não fez nada Procurou ajuda da família Outra opção 8

9 As vítimas que optaram por não denunciar alegaram, como principais motivos: a preocupação com a criação dos filhos (24%), o medo de vingança do agressor (21%) e acreditar que seria a última vez (16%). A crença na impunidade do agressor e a vergonha da agressão foram citadas por 10% e 7%, respectivamente. 89% das entrevistadas garantiram que, caso presenciassem um ato agressivo contra uma mulher, fariam denúncia. Nessa situação, a pesquisa quis saber quem a entrevistada procuraria primeiro. As delegacias, comum e da mulher, foram as opções majoritariamente apontadas, por 62% e 21%, respectivamente. A pesquisa também avaliou a qualidade do atendimento às vítimas de violência nas delegacias, comum ou da mulher. A maior parte das vitimas - 48% - qualificou como ótimo ou bom; 14% como regular e 38% como ruim ou péssimo. Entre as que procuraram algum tipo de ajuda, 34% o fizeram já na primeira agressão sofrida; 9% depois da segunda agressão, e 31% após terem sido agredidas três vezes ou mais. 80% 60% 40% 20% 0% Nesse caso (denunciaria agressão presenciada) quem você procuraria primeiro? (%) Delegacia da Mulher Polícia/Delegacia Comum Central de Atendimento à Mulher Outra Maioria afirma que faria denúncia A despeito do número reduzido de denúncias formais reportados pelas vítimas de violência doméstica ou familiar, E quais pessoas poderiam apresentar denúncia, em caso de agressão? A esse respeito, os números seguem estáveis em comparação com a pesquisa de Na opinião da maioria das brasileiras, casos de violência doméstica 9

10 merecem chegar ao conhecimento das autoridades brasileiras por meio de qualquer pessoa que tenha conhecimento deles, com 64% das respostas. Assim, mesmo que a vítima, por motivos pessoais, deixe de denunciar, para a maior parte das brasileiras o fato deverá ser tratado de acordo com a legislação vigente. 80% 60% 40% 20% 0% Em sua opinião, quem pode denunciar um ato de agressão física cometido contra uma mulher no seu ambiente familiar? (%) A vítima As pessoas que presenciaram a agressão Qualquer pessoa que tenha conhecimento do fato Para confirmar a assertiva anterior, 97% concordam que o agressor deve ser processado, mesmo contra a vontade da vítima. Apenas 2% acham o contrário. 10

11 Tabelas 11

12 De forma geral, você acha que a mulher é tratada com respeito no Brasil? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Sim 5% 3% 5% 2% 5% 4% 3% 5% 7% 5% 4% 6% Às vezes 52% 40% 55% 63% 56% 56% 54% 47% 39% 41% 54% 58% Não 43% 57% 40% 36% 38% 40% 43% 49% 52% 53% 42% 37% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 2% 1% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregad a doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregad a Sim 5% 6% 5% 5% 3% 3% 3% 5% 6% 4% 2% 6% 1% 5% 0% 6% Às vezes 52% 52% 50% 53% 60% 50% 48% 45% 35% 47% 61% 54% 66% 46% 68% 45% Não 43% 42% 45% 41% 37% 48% 45% 49% 59% 49% 37% 40% 33% 48% 32% 46% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 4% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 1% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

13 Centro -Oeste De forma geral, você acha que a mulher é tratada com respeito no Brasil? Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Sim 5% 6% 3% 5% 6% 5% 5% 5% 5% 3% 0% 5% 5% 4% 0% 3% Às vezes 52% 55% 48% 53% 53% 55% 52% 51% 43% 67% 54% 53% 52% 52% 14% 57% Não 43% 39% 49% 41% 41% 41% 42% 43% 52% 30% 46% 42% 42% 44% 86% 40% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes Onde você acha que a mulher é menos respeitada? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Na sociedade 57% 47% 59% 67% 64% 63% 54% 43% 54% 53% 61% 55% Na família 23% 35% 20% 7% 16% 17% 29% 31% 32% 32% 19% 21% No trabalho 18% 16% 19% 26% 21% 18% 15% 23% 10% 13% 19% 22% Outro ambiente 1% 0% 1% 0% 0% 0% 1% 1% 1% 2% 0% 0% 1% 1% 1% 0% 0% 1% 1% 2% 3% 1% 1% 2% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

14 renda Até 2 de 2 a 5 Renda Onde você acha que a mulher é menos respeitada? de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Na sociedade 57% 62% 59% 56% 51% 47% 50% 51% 49% 45% 64% 63% 71% 56% 52% 36% Na família 23% 22% 22% 24% 22% 21% 28% 29% 37% 29% 18% 18% 8% 31% 19% 30% No trabalho 18% 13% 18% 20% 24% 27% 15% 15% 10% 24% 15% 19% 21% 12% 28% 27% Outro ambiente 1% 3% 0% 0% 0% 0% 0% 2% 2% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 3% 1% 1% 1% 0% 3% 5% 7% 2% 2% 2% 2% 1% 0% 1% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes Região Religião ou crença Raça Centro- Oeste Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Na sociedade 57% 59% 61% 56% 64% 49% 56% 55% 51% 55% 76% 54% 62% 61% 71% 58% Na família 23% 22% 19% 23% 16% 33% 23% 26% 18% 25% 11% 25% 24% 19% 0% 21% No trabalho 18% 17% 18% 20% 16% 16% 19% 18% 27% 15% 10% 19% 13% 19% 29% 15% Outro ambiente 1% 1% 1% 0% 0% 1% 1% 0% 1% 0% 0% 0% 1% 1% 0% 3% 1% 1% 1% 1% 3% 1% 1% 1% 3% 5% 3% 2% 0% 1% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

15 Para você, nos últimos, a violência doméstica e familiar contra a mulher: Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Aumentou 63% 69% 62% 49% 52% 66% 66% 68% 76% 75% 64% 54% Continuou igual 23% 22% 23% 19% 29% 26% 22% 19% 13% 15% 22% 29% Diminuiu 13% 9% 14% 31% 18% 7% 10% 12% 10% 10% 13% 16% 1% 0% 1% 0% 1% 0% 2% 0% 1% 1% 1% 1% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Aumentou 63% 63% 69% 61% 54% 45% 59% 72% 75% 61% 57% 61% 45% 79% 54% 75% Continuou igual 23% 26% 19% 23% 25% 48% 29% 17% 15% 25% 27% 24% 26% 12% 40% 19% Diminuiu 13% 11% 12% 15% 19% 8% 12% 10% 8% 13% 15% 14% 29% 9% 6% 3% 1% 0% 1% 0% 3% 0% 0% 1% 2% 1% 1% 1% 0% 0% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

16 Para você, nos últimos, a violência doméstica e familiar contra a mulher: Centro -Oeste Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélic a Espírit a Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Aumentou 63% 65% 66% 64% 60% 57% 64% 66% 69% 65% 44% 62% 70% 64% 100% 49% Continuou igual 23% 23% 22% 22% 22% 27% 23% 18% 19% 28% 40% 24% 20% 22% 0% 24% Diminuiu 13% 12% 12% 12% 17% 15% 12% 14% 12% 7% 16% 13% 9% 14% 0% 24% 1% 0% 0% 1% 0% 1% 1% 1% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 3% 100 % 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

17 Em sua opinião, quem pode denunciar um ato de agressão física cometido contra uma mulher em seu ambiente familiar?* Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Qualquer pessoa que tenha conhecimento do 64% 63% 64% 67% 72% 66% 66% 55% 52% 0% 49% 65% 72% 57% fato A vítima 59% 61% 59% 60% 57% 56% 63% 64% 58% 100% 61% 56% 62% 58% As pessoas que presenciaram a 33% 28% 34% 24% 31% 38% 27% 36% 35% 0% 26% 33% 38% 14% agressão 1% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 2% 1% 0% 1% 1% 0% 0% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. Médio Superior 17

18 Em sua opinião, quem pode denunciar um ato de agressão física cometido contra uma mulher em seu ambiente familiar?* Qualquer pessoa que tenha conhecimento do fato renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada 64% 61% 62% 64% 78% 82% 51% 56% 51% 60% 76% 69% 68% 55% 56% 43% A vítima 59% 66% 56% 62% 53% 68% 59% 60% 58% 63% 57% 55% 68% 64% 66% 58% As pessoas que presenciaram a agressão 33% 31% 29% 39% 37% 44% 31% 29% 21% 36% 31% 35% 38% 34% 36% 15% 1% 1% 1% 0% 0% 0% 2% 2% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 6% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. 18

19 Em sua opinião, quem pode denunciar um ato de agressão física cometido contra uma mulher em seu ambiente familiar?* Qualquer pessoa que tenha conhecimento do fato Centro- Oeste Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela 64% 65% 65% 62% 58% 70% 59% 66% 74% 70% 73% 52% 66% 65% 62% 43% 45% 40% A vítima 59% 59% 58% 62% 61% 53% 61% 58% 55% 62% 53% 75% 59% 62% 57% 86% 73% 60% As pessoas que presenciaram a agressão 33% 28% 32% 36% 35% 28% 33% 32% 30% 35% 40% 12% 33% 29% 34% 0% 45% 26% 1% 4% 0% 0% 1% 1% 1% 0% 0% 3% 0% 12% 0% 0% 1% 0% 6% 0% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. 19

20 Em sua opinião, as mulheres que sofrem agressão denunciam o fato às autoridades? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Na maioria das vezes 5% 5% 5% 3% 3% 2% 6% 7% 9% 9% 4% 3% Na minoria das vezes 75% 70% 76% 85% 87% 78% 73% 69% 54% 53% 80% 84% Não denunciam 19% 25% 18% 12% 9% 20% 20% 23% 33% 35% 15% 12% 1% 0% 1% 0% 0% 0% 1% 1% 3% 2% 1% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes Na maioria das vezes Na minoria das vezes renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada 5% 8% 5% 3% 6% 3% 2% 10% 13% 4% 4% 3% 4% 5% 3% 3% 75% 69% 74% 79% 77% 92% 69% 55% 48% 77% 85% 81% 90% 64% 85% 75% Não denunciam 19% 23% 19% 18% 17% 5% 28% 33% 39% 17% 10% 16% 5% 28% 13% 18% 1% 1% 2% 0% 0% 0% 2% 2% 0% 1% 0% 0% 0% 2% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

21 Na maioria das vezes Na minoria das vezes Em sua opinião, as mulheres que sofrem agressão denunciam o fato às autoridades? Centro- Oeste Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela 5% 5% 6% 4% 9% 4% 6% 3% 6% 9% 2% 4% 8% 4% 15% 9% 75% 73% 76% 73% 77% 79% 70% 77% 82% 78% 88% 75% 72% 79% 58% 60% Não denunciam 19% 20% 17% 22% 14% 17% 22% 19% 12% 13% 9% 19% 19% 16% 28% 31% 1% 3% 1% 1% 0% 1% 1% 1% 0% 0% 0% 1% 1% 1% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

22 O que leva a mulher a não denunciar uma agressão? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Medo do agressor 74% 68% 75% 79% 80% 71% 77% 72% 63% 0% 71% 73% 77% 83% Dependência financeira Preocupação com a criação dos filhos 36% 38% 35% 29% 35% 40% 36% 34% 37% 0% 19% 35% 49% 35% 34% 39% 33% 33% 41% 36% 29% 35% 27% 0% 31% 33% 39% 17% Não existir punição 30% 36% 29% 15% 30% 34% 32% 36% 23% 0% 23% 29% 38% 16% Vergonha da agressão Acreditar que seria a última vez Não conhecer seus direitos 30% 28% 30% 27% 29% 34% 29% 29% 27% 100% 24% 27% 39% 0% 22% 21% 22% 25% 26% 28% 18% 15% 13% 0% 10% 23% 28% 18% 19% 18% 20% 15% 22% 24% 15% 22% 11% 0% 13% 17% 27% 18% Outros 2% 3% 2% 0% 2% 3% 2% 4% 3% 0% 1% 2% 3% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 1% 1% 0% 0% 0% 0% 0% * 247% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. 22

23 Medo do agressor Dependência financeira Preocupação com a criação dos filhos Não existir punição Vergonha da agressão Acreditar que seria a última vez Não conhecer seus direitos renda Até 2 de 2 a 5 O que leva a mulher a não denunciar uma agressão? Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada 74% 70% 77% 70% 74% 79% 73% 70% 72% 77% 77% 75% 77% 66% 71% 62% 36% 32% 28% 42% 54% 68% 31% 34% 21% 37% 46% 36% 36% 32% 31% 25% 34% 29% 35% 35% 39% 45% 26% 32% 43% 36% 34% 37% 34% 31% 18% 25% 30% 24% 29% 32% 42% 37% 26% 28% 17% 32% 34% 33% 21% 31% 26% 34% 30% 27% 26% 34% 37% 47% 25% 27% 13% 33% 39% 29% 28% 34% 25% 28% 22% 17% 21% 23% 29% 29% 14% 11% 17% 23% 26% 24% 30% 14% 16% 28% 19% 14% 16% 24% 24% 37% 16% 10% 17% 24% 24% 21% 21% 11% 10% 31% Outros 2% 1% 2% 4% 2% 0% 3% 1% 0% 2% 5% 2% 0% 3% 9% 3% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 2% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 1% 0% 0% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. 23

24 Medo do agressor Dependência financeira Preocupação com a criação dos filhos Não existir punição Vergonha da agressão Acreditar que seria a última vez Não conhecer seus direitos Centro- Oeste O que leva a mulher a não denunciar uma agressão? Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela 74% 76% 75% 73% 68% 76% 74% 74% 85% 62% 74% 37% 75% 71% 72% 56% 76% 74% 36% 31% 36% 36% 39% 37% 32% 35% 55% 33% 52% 37% 37% 34% 34% 14% 39% 26% 34% 36% 35% 34% 33% 35% 32% 32% 43% 40% 45% 75% 32% 37% 36% 15% 45% 46% 30% 24% 30% 34% 22% 26% 27% 33% 35% 38% 37% 12% 34% 33% 26% 15% 17% 14% 30% 32% 32% 29% 28% 29% 28% 26% 37% 45% 45% 0% 32% 23% 29% 42% 30% 27% 22% 18% 22% 23% 21% 19% 17% 22% 36% 18% 39% 13% 21% 23% 23% 14% 18% 14% 19% 17% 19% 20% 15% 22% 18% 16% 27% 32% 27% 0% 21% 21% 17% 13% 12% 21% Outros 2% 5% 3% 2% 2% 1% 2% 2% 3% 5% 2% 12% 2% 2% 3% 0% 0% 7% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 2% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. 24

25 Você acha que as leis brasileiras protegem as mulheres contra a violência doméstica e familiar? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Sim 14% 8% 15% 18% 19% 15% 11% 7% 12% 10% 14% 15% Em parte 52% 49% 53% 66% 61% 55% 51% 47% 35% 40% 53% 61% Não 33% 42% 31% 16% 19% 30% 38% 45% 50% 49% 32% 23% 1% 0% 1% 0% 0% 0% 1% 0% 3% 1% 1% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Sim 14% 12% 14% 13% 11% 21% 12% 9% 8% 13% 14% 16% 25% 10% 3% 11% Em parte 52% 49% 50% 56% 58% 55% 50% 38% 33% 56% 62% 56% 57% 48% 49% 54% Não 33% 37% 34% 30% 31% 24% 39% 51% 58% 30% 23% 27% 18% 42% 48% 34% 1% 1% 1% 0% 0% 0% 0% 2% 0% 1% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

26 Você acha que as leis brasileiras protegem as mulheres contra a violência doméstica e familiar? Centro- Oeste Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Sim 14% 20% 16% 10% 14% 16% 14% 14% 12% 15% 14% 14% 13% 14% 0% 15% Em parte 52% 61% 50% 49% 59% 58% 52% 51% 63% 52% 51% 52% 56% 53% 13% 54% Não 33% 18% 33% 40% 25% 25% 34% 35% 25% 33% 34% 34% 31% 32% 87% 28% 1% 1% 1% 0% 1% 1% 1% 0% 0% 0% 1% 1% 0% 1% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes Você já ouviu falar da Lei Maria da Penha? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Sim 100% 100% 100% 100% 100% 99% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Não 0% 0% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

27 renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 Você já ouviu falar da Lei Maria da Penha? de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Sim 100% 99% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 97% Não 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 3% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes Centro- Oeste Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Sim 100% 100% 100% 100% 99% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Não 0% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

28 Depois da Lei Maria da Penha, a proteção da mulher está: Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Melhor 56% 46% 58% 61% 64% 51% 52% 56% 50% 42% 53% 70% Igual 35% 43% 33% 33% 33% 41% 35% 34% 31% 43% 39% 25% Pior 8% 10% 7% 6% 2% 6% 12% 8% 16% 14% 7% 4% 1% 1% 1% 0% 1% 2% 1% 1% 2% 2% 1% 1% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Melhor 56% 51% 51% 64% 59% 80% 50% 51% 51% 64% 59% 80% 50% 51% 51% 64% Igual 35% 39% 38% 30% 34% 18% 33% 39% 38% 30% 34% 18% 33% 39% 38% 30% Pior 8% 9% 9% 5% 7% 3% 12% 9% 9% 5% 7% 3% 12% 9% 9% 5% 1% 1% 2% 1% 0% 0% 5% 1% 2% 1% 0% 0% 5% 1% 2% 1% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

29 Centro- Oeste Depois da Lei Maria da Penha, a proteção da mulher está: Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Melhor 56% 66% 59% 50% 60% 59% 58% 50% 61% 50% 59% 54% 46% 61% 14% 75% Igual 35% 26% 30% 41% 31% 34% 32% 41% 35% 35% 32% 38% 45% 28% 71% 19% Pior 8% 7% 9% 8% 8% 6% 8% 8% 4% 12% 7% 7% 8% 9% 15% 6% 1% 1% 2% 1% 1% 1% 2% 1% 0% 3% 2% 1% 1% 2% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes De acordo com a Lei Maria da Penha, em alguns casos, após denunciar a agressão, a mulher NÃO pode mais retirar a queixa na delegacia. Para você, esta regra faz com que a mulher deixe de denunciar o agressor? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Sim 67% 66% 67% 59% 69% 64% 68% 66% 70% 66% 67% 67% Não 32% 34% 32% 41% 31% 36% 31% 32% 27% 33% 33% 32% 1% 0% 1% 0% 0% 0% 1% 2% 3% 2% 1% 1% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes Médio Superior 29

30 De acordo com a Lei Maria da Penha, em alguns casos, após denunciar a agressão, a mulher NÃO pode mais retirar a queixa na delegacia. Para você, esta regra faz com que a mulher deixe de denunciar o agressor? renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Sim 67% 65% 67% 67% 65% 71% 66% 68% 62% 64% 65% 69% 59% 67% 79% 59% Não 32% 34% 32% 32% 34% 29% 31% 29% 36% 36% 33% 31% 41% 32% 21% 37% 1% 1% 1% 1% 1% 0% 4% 2% 2% 0% 2% 0% 0% 1% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes Centro- Oeste Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Sim 67% 65% 67% 64% 74% 71% 64% 69% 72% 80% 62% 67% 66% 65% 58% 70% Não 32% 34% 33% 35% 25% 27% 34% 30% 27% 20% 38% 32% 32% 34% 42% 30% 1% 1% 1% 1% 1% 1% 1% 1% 1% 0% 0% 1% 2% 1% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

31 Na sua opinião, o agressor deve ou não deve ser processado mesmo contra a vontade da vítima? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Deve 97% 94% 98% 100% 97% 98% 97% 96% 97% 96% 98% 97% Não deve 2% 4% 1% 0% 2% 2% 2% 3% 2% 3% 1% 2% 1% 2% 1% 0% 0% 0% 2% 1% 1% 2% 0% 1% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Deve 97% 94% 99% 97% 98% 100% 95% 96% 98% 98% 95% 98% 96% 98% 97% 100% Não deve 2% 4% 1% 3% 2% 0% 2% 2% 0% 1% 3% 2% 4% 1% 3% 0% 1% 2% 0% 0% 0% 0% 3% 1% 2% 1% 2% 0% 0% 1% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

32 Na sua opinião, o agressor deve ou não deve ser processado mesmo contra a vontade da vítima? Centro- Oeste Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Deve 97% 96% 97% 97% 98% 99% 97% 98% 100% 95% 97% 98% 97% 97% 100% 97% Não deve 2% 2% 3% 2% 1% 1% 2% 2% 0% 0% 2% 2% 3% 1% 0% 0% 1% 1% 1% 1% 1% 0% 1% 1% 0% 5% 1% 0% 0% 1% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes Se você presenciasse um ato de agressão contra uma mulher, você denunciaria? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Sim 89% 86% 90% 96% 90% 89% 89% 89% 85% 87% 89% 91% Não 8% 10% 8% 4% 9% 8% 7% 10% 10% 10% 9% 6% 2% 3% 2% 0% 1% 3% 3% 1% 5% 3% 2% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

33 Se você presenciasse um ato de agressão contra uma mulher, você denunciaria? renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Sim 89% 89% 89% 90% 91% 92% 85% 87% 83% 90% 91% 92% 92% 87% 81% 73% Não 8% 8% 9% 8% 9% 5% 12% 10% 13% 10% 7% 6% 7% 10% 9% 15% 2% 4% 3% 2% 0% 3% 3% 3% 4% 0% 2% 2% 1% 2% 9% 12% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes Centro- Oeste Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Sim 89% 95% 86% 89% 89% 91% 89% 89% 96% 80% 91% 89% 90% 89% 100% 88% Não 8% 5% 9% 9% 8% 7% 9% 8% 4% 17% 7% 9% 8% 8% 0% 9% 2% 0% 4% 2% 3% 2% 3% 3% 0% 3% 2% 2% 2% 3% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

34 Polícia / Delegacia comum Nesse caso, quem você procuraria primeiro? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior 62% 62% 62% 63% 70% 71% 60% 52% 49% 59% 67% 57% Delegacia da Mulher 21% 21% 22% 15% 18% 19% 26% 25% 25% 13% 18% 32% Família 2% 1% 2% 5% 2% 0% 1% 3% 0% 3% 1% 2% Central de Atendimento à Mulher (Ligue 180) 1% 2% 1% 0% 1% 1% 0% 1% 3% 2% 1% 1% Amigos 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Entidades ou Associações de proteção à mulher (ONGs) 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Igreja 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Outras respostas 13% 12% 13% 17% 8% 8% 12% 19% 18% 21% 11% 9% 1% 1% 1% 0% 1% 0% 0% 1% 4% 2% 1% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

35 Polícia / Delegacia comum Delegacia da Mulher renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 Nesse caso, quem você procuraria primeiro? de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada 62% 65% 64% 59% 63% 48% 59% 63% 59% 62% 61% 66% 67% 44% 71% 50% 21% 17% 18% 27% 26% 40% 12% 15% 15% 25% 22% 22% 17% 35% 18% 13% Família 2% 2% 1% 1% 1% 0% 6% 3% 3% 1% 0% 1% 3% 0% 0% 4% Central de Atendimento à Mulher (Ligue 1% 0% 2% 1% 0% 3% 2% 0% 0% 1% 2% 1% 0% 4% 4% 0% 180) Amigos 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Entidades ou Associações de proteção à 0% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% mulher (ONGs) Igreja 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Outras respostas 13% 15% 14% 10% 9% 9% 20% 18% 23% 10% 14% 9% 12% 13% 4% 34% 1% 1% 1% 1% 0% 0% 0% 2% 0% 0% 1% 0% 0% 4% 4% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

36 Polícia / Delegacia comum Delegacia da Mulher Centro- Oeste Nesse caso, quem você procuraria primeiro? Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela 62% 61% 54% 69% 52% 60% 63% 61% 56% 54% 69% 64% 62% 60% 73% 55% 21% 22% 27% 17% 27% 22% 21% 20% 30% 31% 20% 20% 22% 24% 13% 35% Família 2% 0% 1% 2% 2% 1% 1% 2% 3% 3% 0% 1% 2% 2% 0% 0% Central de Atendimento à 1% 3% 1% 1% 2% 1% 1% 2% 0% 0% 0% 1% 0% 2% 14% 0% Mulher (Ligue 180) Amigos 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Entidades ou Associações de proteção à mulher (ONGs) 0% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 2% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Igreja 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Outras respostas 13% 13% 15% 10% 14% 16% 13% 14% 10% 9% 10% 14% 13% 11% 0% 7% 1% 1% 1% 1% 1% 1% 1% 1% 2% 0% 0% 0% 2% 1% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

37 Você conhece alguma mulher que já sofreu algum tipo de violência doméstica ou familiar? Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Sim 56% 86% 49% 48% 55% 61% 57% 57% 47% 54% 57% 55% Não 44% 13% 51% 52% 45% 38% 43% 43% 53% 46% 43% 44% 0% 1% 0% 0% 0% 1% 1% 0% 0% 0% 0% 1% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Sim 56% 52% 56% 58% 56% 60% 53% 50% 56% 63% 62% 56% 52% 46% 47% 61% Não 44% 48% 44% 41% 44% 40% 47% 50% 44% 36% 38% 44% 48% 54% 53% 36% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

38 Você conhece alguma mulher que já sofreu algum tipo de violência doméstica ou familiar? Centro- Oeste Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Sim 56% 53% 60% 52% 63% 57% 51% 60% 60% 67% 60% 55% 63% 54% 58% 63% Não 44% 47% 40% 48% 37% 43% 49% 40% 40% 33% 40% 45% 37% 46% 42% 34% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 3% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes E qual foi o tipo de violência sofrida pela pessoa conhecida?* Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Física 83% 78% 85% 91% 90% 88% 82% 72% 73% 0% 80% 85% 83% 50% Moral 38% 45% 35% 28% 43% 35% 33% 42% 36% 0% 37% 37% 39% 50% Psicológica 34% 43% 30% 28% 37% 36% 33% 29% 34% 0% 27% 32% 42% 100% Sexual 8% 13% 6% 9% 7% 8% 8% 7% 9% 0% 8% 7% 8% 0% Patrimonial 7% 7% 7% 3% 3% 3% 13% 12% 9% 0% 3% 7% 10% 0% Todas 4% 6% 3% 3% 1% 5% 3% 7% 3% 0% 2% 4% 5% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 1% 3% 0% 1% 0% 0% 0% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. 38

39 renda Até 2 E qual foi o tipo de violência sofrida pela pessoa conhecida?* de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Física 83% 86% 82% 87% 81% 57% 90% 80% 77% 79% 80% 86% 89% 86% 86% 79% Moral 38% 33% 38% 45% 28% 30% 34% 47% 23% 41% 33% 39% 27% 30% 26% 45% Psicológica 34% 26% 33% 35% 33% 56% 44% 21% 31% 42% 41% 31% 31% 46% 40% 25% Sexual 8% 6% 8% 6% 7% 13% 13% 2% 19% 12% 7% 5% 13% 11% 0% 5% Patrimonial 7% 5% 7% 6% 9% 17% 13% 4% 11% 11% 8% 4% 8% 14% 19% 5% Todas 4% 2% 3% 3% 12% 4% 3% 4% 0% 4% 6% 4% 3% 5% 0% 0% 0% 1% 1% 0% 0% 0% 0% 1% 4% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. 39

40 Centro- Oeste E qual foi o tipo de violência sofrida pela pessoa conhecida?* Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Física 83% 77% 87% 83% 83% 78% 82% 85% 85% 81% 79% 100% 83% 85% 85% 50% 77% 59% Moral 38% 36% 35% 41% 34% 35% 38% 36% 52% 30% 34% 39% 38% 34% 36% 24% 66% 20% Psicológica 34% 34% 28% 35% 36% 41% 30% 32% 45% 37% 53% 20% 36% 24% 35% 0% 28% 21% Sexual 8% 5% 8% 7% 16% 5% 7% 7% 7% 11% 11% 0% 7% 12% 6% 24% 9% 0% Patrimonial 7% 9% 6% 9% 5% 5% 6% 9% 5% 15% 6% 0% 9% 5% 5% 0% 13% 20% Todas 4% 11% 2% 4% 5% 2% 3% 2% 5% 7% 8% 0% 5% 6% 2% 25% 0% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 1% 0% 0% 20% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. 40

41 Vítima de violência Idade Escolaridade De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Sim 18% 6% 12% 19% 22% 25% 20% 0% 27% 18% 12% 15% Não 82% 94% 88% 81% 78% 75% 80% 100% 73% 82% 87% 85% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Sim 18% 16% 19% 20% 12% 24% 15% 20% 24% 23% 16% 16% 15% 22% 6% 24% Não 82% 84% 81% 80% 88% 76% 85% 80% 76% 77% 84% 84% 85% 78% 94% 76% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

42 Centro- Oeste Vítima de violência Região Religião ou crença Raça Nordeste Sudeste Norte Sul Católica Evangélica Espírita Outra religião/crença Branca Preta Parda Indígena Amarela Sim 18% 17% 19% 18% 21% 18% 14% 21% 27% 32% 20% 17% 20% 18% 29% 30% Não 82% 83% 81% 82% 79% 82% 86% 79% 73% 68% 80% 83% 80% 82% 71% 70% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Base ponderada Respondentes

43 O que motivou essa violência?* Vítima de violência Idade Escolaridade Sim Não De 16 a 19 De 20 a 29 De 30 a 39 De 40 a 49 De 50 a ou mais Até Fundamental Médio Superior Ciúmes 21% 21% 0% 0% 28% 26% 25% 20% 7% 0% 20% 24% 18% 0% Uso de álcool 19% 19% 0% 0% 6% 21% 18% 22% 27% 0% 24% 14% 17% 100% Uso de drogas 4% 4% 0% 0% 3% 7% 5% 4% 0% 0% 4% 2% 5% 100% Traição conjugal 3% 3% 0% 0% 3% 0% 2% 6% 3% 0% 1% 3% 4% 0% Influência de familiares 3% 3% 0% 0% 0% 2% 5% 4% 3% 0% 3% 4% 2% 0% Pedido de separação 3% 3% 0% 0% 0% 7% 2% 4% 0% 0% 1% 2% 7% 0% Falta de dinheiro 2% 2% 0% 0% 0% 2% 5% 2% 0% 0% 4% 0% 2% 0% Influência das amizades 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Vício em jogos 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Outros motivos 46% 46% 0% 75% 48% 45% 38% 38% 63% 0% 43% 48% 47% 0% 11% 11% 0% 25% 15% 13% 13% 6% 7% 0% 13% 11% 9% 0% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. 43

44 renda Até 2 de 2 a 5 Renda de 5 a 10 de 10 O que motivou essa violência? Dona de casa / Do lar Empregada doméstica Profissional Liberal (Autônoma) Servidora Pública Ocupação Funcionária de empresa privada Estudante Aposentada / Pensionista Desempregada Ciúmes 21% 16% 29% 11% 17% 11% 32% 19% 36% 18% 20% 24% 16% 0% 0% 62% Uso de álcool 19% 20% 16% 22% 24% 11% 22% 12% 38% 21% 25% 13% 18% 34% 48% 0% Uso de drogas 4% 0% 4% 8% 0% 0% 0% 3% 0% 3% 0% 8% 0% 6% 0% 0% Traição conjugal 3% 3% 3% 2% 6% 0% 0% 3% 0% 0% 9% 3% 0% 6% 0% 0% Influência de familiares Pedido de separação 3% 0% 4% 4% 0% 0% 0% 0% 0% 3% 5% 5% 0% 6% 0% 0% 3% 4% 2% 2% 0% 12% 11% 0% 9% 3% 5% 3% 0% 6% 0% 0% Falta de dinheiro 2% 0% 2% 4% 0% 0% 0% 3% 0% 0% 0% 4% 0% 0% 0% 0% Influência das amizades 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Vício em jogos 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Outros motivos 46% 52% 41% 45% 55% 57% 58% 59% 18% 47% 41% 39% 64% 55% 52% 39% 11% 16% 12% 8% 15% 10% 0% 12% 8% 19% 0% 13% 9% 0% 0% 12% Base ponderada Respondentes *Nessa questão, a entrevistada tinha a possibilidade de escolher mais de uma resposta, podendo a soma total ultrapassar 100%. 44

DataSenado. Secretaria de Transparência DataSenado. Março de 2013

DataSenado. Secretaria de Transparência DataSenado. Março de 2013 Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher DataSenado Março de 2013 Mulheres conhecem a Lei Maria da Penha, mas 700 mil ainda sofrem agressões no Brasil Passados quase 7 desde sua sanção, a Lei 11.340

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Relatório Analítico PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER DATASENADO SECS PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER Há dois anos, o DataSenado

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER Fevereiro/2009 2 Mulheres conhecem a Lei Maria da Penha, mas têm medo de denunciar os agressores O destaque da terceira

Leia mais

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PERCEPÇÕES E REAÇÕES DA SOCIEDADE SOBRE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER 2009 PARCERIAS INSTITUTO PATRÍCIA GALVÃO Planejamento e supervisão da pesquisa IBOPE INTELIGÊNCIA Campo

Leia mais

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: PANDEMIA ATUAL

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: PANDEMIA ATUAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: PANDEMIA ATUAL INTRODUÇÃO A cada hora, dez mulheres foram vítimas de violência no Brasil em 2012 Violência é: 1 É o uso intencional da força física ou poder, real ou em ameaça contra

Leia mais

Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher. Pesquisa de opinião pública nacional

Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher. Pesquisa de opinião pública nacional Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher Pesquisa de opinião pública nacional Metodologia As pesquisas do DataSenado são feitas por meio de entrevistas telefônicas, usando levantamentos por amostragem.

Leia mais

PESQUISA MAIORIDADE PENAL

PESQUISA MAIORIDADE PENAL PESQUISA MAIORIDADE PENAL OBJETIVOS Entender o pensamento da população do Rio sobre a redução da maioridade penal; Saber se ela é favorável a mudança das penalidades aplicadas ao menor infrator; Buscar

Leia mais

METODOLOGIA AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais.

METODOLOGIA AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais. METODOLOGIA METODOLOGIA AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO 2.085 pessoas foram entrevistadas, a partir de 16 anos, de todos os níveis econômicos em todas as regiões do país. As entrevistas foram

Leia mais

Palavras-chaves: denuncia, consumo de álcool, consumo de drogas.

Palavras-chaves: denuncia, consumo de álcool, consumo de drogas. VIOLENCIA CONTRA A MULHER E A DEPENDENCIA FINACEIRA. UM ESTUDO DE CASO NO MUNICIPIO DE PITANGA. MARLY APARECIDA MAZUR MACHADO/UNICENTRO E-MAIL: maymazur@outlook.com SIMÃO TERNOSKI (ORIENTADOR)/UNICENTRO

Leia mais

Intenção de voto para presidente da República PO813749. www.datafolha.com.br

Intenção de voto para presidente da República PO813749. www.datafolha.com.br Intenção de voto para presidente da República PO813749 01 e 02/07/2014 INTENÇÃO DE VOTO PARA PRESIDENTE JULHO DE 2014 EM MÊS MARCADO POR COPA, DILMA RECUPERA PREFERÊNCIA DE ELEITORES Queda nos votos em

Leia mais

Atitudes pela Educação Novembro de 2014

Atitudes pela Educação Novembro de 2014 Atitudes pela Educação Novembro de 2014 Realização: Instituto Paulo Montenegro IBOPE Inteligência Parceiros da pesquisa: Todos Pela Educação Fundação Itaú Social Fundação Maria Cecília Souto Vidigal Fundação

Leia mais

O retrato do comportamento sexual do brasileiro

O retrato do comportamento sexual do brasileiro O retrato do comportamento sexual do brasileiro O Ministério da Saúde acaba de concluir a maior pesquisa já realizada sobre comportamento sexual do brasileiro. Entre os meses de setembro e novembro de

Leia mais

UNIÃO HOMOAFETIVA. Tâmara Barros

UNIÃO HOMOAFETIVA. Tâmara Barros UNIÃO HOMOAFETIVA Tâmara Barros O relacionamento entre pessoas do mesmo sexo ainda é uma questão controversa para a maior parte da população da Grande Vitória, conforme pode ser averiguado através de pesquisa

Leia mais

Lei Maria da Penha: uma evolução histórica

Lei Maria da Penha: uma evolução histórica Lei Maria da Penha: uma evolução histórica Karina Balduino Leite e Rivadavio Anadão de Oliveira Guassú Maria da Penha foi uma entre as incontáveis vítimas de violência doméstica espalhadas pelo planeta.

Leia mais

ASSALTO E MEDO. Dihego Pansini

ASSALTO E MEDO. Dihego Pansini ASSALTO E MEDO Dihego Pansini As relações humanas têm se aprofundado cada vez mais nas últimas décadas. Nesse processo, um dos grandes desafios do ser humano moderno é aprender a lidar com as diferenças

Leia mais

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht Page 1 of 7 Comunicação Social 17 de setembro de 2010 Síntese de Indicadores Sociais 2010 SIS 2010: Mulheres mais escolarizadas são mães mais tarde e têm menos filhos Embora abaixo do nível de reposição

Leia mais

QUERIDO(A) ALUNO(A),

QUERIDO(A) ALUNO(A), LANÇADA EM 15 MAIO DE 2008, A CAMPANHA PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS É UMA DAS MAIORES MOBILIZAÇÕES PERMANENTES JÁ REALIZADAS NO PAÍS, COM FOCO NO COMBATE À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E À EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS

Leia mais

1ª RODADA NOVA S/B-IBOPE Comunicação de Interesse Público PESQUISA TELEFÔNICA NACIONAL SOBRE AQUECIMENTO GLOBAL. IBOPE Opinião

1ª RODADA NOVA S/B-IBOPE Comunicação de Interesse Público PESQUISA TELEFÔNICA NACIONAL SOBRE AQUECIMENTO GLOBAL. IBOPE Opinião 1ª RODADA NOVA S/B-IBOPE Comunicação de Interesse Público PESQUISA TELEFÔNICA NACIONAL SOBRE AQUECIMENTO GLOBAL Metodologia Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER A Organização Mundial de Saúde (OMS) define violência como o uso intencional da força física ou do poder, real ou em ameaça, contra si próprio, contra outra pessoa, ou contra

Leia mais

AUTORES RESUMO PALAVRAS-CHAVE

AUTORES RESUMO PALAVRAS-CHAVE MANIFESTAÇÕES DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER UM ESTUDO DO SERVIÇO SOCIAL NO NÚCLEO DE PRÁTI- CA JURÍDICA DA UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS AUTORES Danieli Cristina Oliveira VELANI Érika Cristina

Leia mais

Projeto Mulher Atuação

Projeto Mulher Atuação Projeto Mulher Atuação Relatório Geral da Consulta Participativa de Opinião Município de Mogi das Cruzes (SP) Bairros consultados: César de Souza, Jardim Aeroporto e Jundiapeba. Junho de 2012 SUMÁRIO SUMÁRIO...

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência

Censo Demográfico 2010. Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência Censo Demográfico 2010 Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência Rio de Janeiro, 29 de junho de 2012 A presente publicação dá continuidade à divulgação dos resultados do Censo

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego PME. Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada

Pesquisa Mensal de Emprego PME. Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada Pesquisa Mensal de Emprego PME Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Algumas das principais

Leia mais

A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR EM PONTA GROSSA: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE

A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR EM PONTA GROSSA: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A MULHER

Leia mais

(1979) Convenção Sobre Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra a Mulher CEDAW

(1979) Convenção Sobre Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra a Mulher CEDAW (1979) Convenção Sobre Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra a Mulher CEDAW (1994) Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra a Mulher (Convenção de Belém

Leia mais

Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres

Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres META 3 Eliminar as disparidades entre os sexos no ensino fundamental e médio, se possível, até 2005, e em todos os níveis de ensino, o mais

Leia mais

Pesquisa Data Popular e Instituto Patrícia Galvão

Pesquisa Data Popular e Instituto Patrícia Galvão Caderno Campanha Compromisso e Atitude PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE VIOLÊNCIA E ASSASSINATOS DE MULHERES Realização Data Popular / Instituto Patrícia Galvão Apoio - Secretaria de Políticas para as Mulheres

Leia mais

METODOLOGIA & PERFIL

METODOLOGIA & PERFIL Maio2010 JOB 100283 METODOLOGIA & PERFIL Metodologia e Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo Geral Levantar um conjunto de informações

Leia mais

Educação Integral Relatório em Junho/2013

Educação Integral Relatório em Junho/2013 Comunidade Escola Família Educação Integral Relatório em Junho/2013 Objetivo 3 O principal objetivo desta pesquisa é avaliar o conhecimento da população brasileira sobre educação integral. Metodologia

Leia mais

Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois

Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois Três anos depois, lei Maria da Penha diversifica perfil de mulheres que procuram ajuda contra violência doméstica. Quais são os resultados trazidos pela lei Maria da Penha?

Leia mais

MULHER NO MERCADO DE TRABALHO

MULHER NO MERCADO DE TRABALHO MULHER NO MERCADO DE TRABALHO Tâmara Freitas Barros A mulher continua a ser discriminada no mercado de trabalho. Foi o que 53,2% dos moradores da Grande Vitória afirmaram em recente pesquisa da Futura,

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

Gabinetes de Atendimento da Mulher e da Criança: a análise dos casos registados. Margarita Mejia, Conceição Osório, Maria José Arthur

Gabinetes de Atendimento da Mulher e da Criança: a análise dos casos registados. Margarita Mejia, Conceição Osório, Maria José Arthur Gabinetes de Atendimento da Mulher e da Criança: análise dos casos registados Margarita Mejia, Conceição Osório, Maria José Arthur Publicado em Outras Vozes, nº 7, Maio de 2004 A WLSA Moçambique concluiu

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2009

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2009 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2009 1 1 Rio de Janeiro, 15/12/2010 1 PNAD 2009 Segurança Alimentar Vitimização e Educação Trabalho Rendimento Fecundidade Tecnologia da Informação etc 2 153

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga IlanaPinsky Maria Carmen Viana Divulgação: Maio de 2014. 1. Porque esse estudo é relevante? Segundo a Subsecretaria

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SAÚDE PÚBLICA JANEIRO/2012

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SAÚDE PÚBLICA JANEIRO/2012 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: SAÚDE PÚBLICA JANEIRO/2012 Pesquisa CNI-IBOPE CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria Executiva - DIREX José Augusto Coelho

Leia mais

Pesquisa de opinião pública Crise Econômica Mundial e as Políticas Sociais do Governo, na Opinião

Pesquisa de opinião pública Crise Econômica Mundial e as Políticas Sociais do Governo, na Opinião Sumário Executivo Pesquisa de opinião pública Crise Econômica Mundial e as Políticas Sociais do Governo, na Opinião dos Brasileiros Vox Populi Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação Ministério

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME Dia Internacional da Mulher 08 de março de 2012 M U L H E R N O M E R C A D O D E T R A B A L H O: P E R G U N T A S E R E S P O S T A S A Pesquisa Mensal de Emprego PME,

Leia mais

SIPS. Paulo Corbucci

SIPS. Paulo Corbucci SIPS Educação Paulo Corbucci Brasília lia,, 28 de fevereiro de 2011 SOBRE O SIPS O Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS), elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), é uma

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA

RELATÓRIO DE PESQUISA 2011 14 RELATÓRIO DE PESQUISA Relatório da Pesquisa de Satisfação dos Usuários do SUS quanto aos aspectos de acesso e qualidade percebida na atenção à saúde, mediante inquérito amostral. Ministério da

Leia mais

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros 1 of 5 11/26/2010 2:57 PM Comunicação Social 26 de novembro de 2010 PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009 Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros O número de domicílios

Leia mais

Pesquisa revela o maior medo dos paulistas.

Pesquisa revela o maior medo dos paulistas. Pesquisa revela o maior medo dos paulistas. Pesquisa analisou o maior medo dos paulistas de acordo com seu sexo, faixa etária, estado civil, escolaridade, renda, ocupação e também por região. De acordo

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Indicadores CNI ISSN 27-702 Ano 5 Número 24 Agosto de 205 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Crise econômica I - Mercado de trabalho 24 Crise econômica muda relação de brasileiros com o mercado de trabalho

Leia mais

O Paraná Está Ligado!

O Paraná Está Ligado! VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER O Paraná Está Ligado! Lançamento de rede estadual marca o enfrentamento à violência contra a mulher no Paraná O lançamento simbólico de uma rede de atenção à mulher em situação

Leia mais

Violência contra as Mulheres em Pernambuco

Violência contra as Mulheres em Pernambuco Violência contra as Mulheres em Pernambuco Recife, 25 de novembro de 2015 FICHA TÉCNICA Coordenação: Equipe do SOS Corpo Instituto Feminista para Democracia Pesquisadora: Ana Paula Melo (pesquisadora convidada)

Leia mais

Qualidade da Internet Banda Larga

Qualidade da Internet Banda Larga Qualidade da Internet Banda Larga Secretaria de Transparência Coordenação de Controle Social DataSenado Novembro de 2014 www.senado.leg.br/datasenado 1 Um terço dos entrevistados já ouviu falar do Programa

Leia mais

FUNDEP. Pesquisa de Opinião Pública Nacional

FUNDEP. Pesquisa de Opinião Pública Nacional FUNDEP Pesquisa de Opinião Pública P Nacional Junho de 2008 ROTEIRO I. METODOLOGIA II. PERFIL DOS ENTREVISTADOS III. PERCEPÇÃO DA CORRUPÇÃO IV. INTERESSE PÚBLICO E CORRUPÇÃO V. COMBATE À CORRUPÇÃO: POLÍCIA

Leia mais

Intenção de voto para presidente 2014 PO813734. www.datafolha.com.br

Intenção de voto para presidente 2014 PO813734. www.datafolha.com.br Intenção de voto para presidente 2014 PO813734 19 e 20/02/2014 INTENÇÃO DE VOTO PARA PRESIDENTE FEVEREIRO DE 2014 MESMO COM DESEJO DE MUDANÇA, DILMA MANTÉM LIDERANÇA NA CORRIDA ELEITORAL 67% preferem ações

Leia mais

MITOS E REALIDADES A QUESTÃO DA VIOLÊNCIA

MITOS E REALIDADES A QUESTÃO DA VIOLÊNCIA MITOS E REALIDADES A QUESTÃO DA VIOLÊNCIA Mitos e Realidades Algumas considerações O álcool e as drogas são as causas reais da violência. O consumo de álcool pode favorecer a emergência de condutas violentas,

Leia mais

Legalização da maconha

Legalização da maconha Legalização da maconha Secretaria de Transparência Coordenação de Controle Social Serviço de Pesquisa DataSenado Julho de 2014 www.senado.leg.br/datasenado 1 57% dos brasileiros apoiam a legalização da

Leia mais

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR 8 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR Secretaria de Vigilância em Saúde/MS 435 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA/COR MORTALIDADE POR CAUSAS EXTERNAS Evolução da mortalidade por causas externas

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE. Leandro de Souza Lino

PLANOS DE SAÚDE. Leandro de Souza Lino 1 PLANOS DE SAÚDE Leandro de Souza Lino Na atualidade, as pessoas estão cada vez mais preocupadas com a qualidade de vida e, por sua vez, com a saúde. Assim, a necessidade de ter planos de saúde se faz

Leia mais

Combate à Violência contra a mulher

Combate à Violência contra a mulher Respeitar a mulher: Esta é a lei! Respeitar a mulher: Esta é a lei! Combate à Violência contra a mulher Respeitar a mulher: esta é a lei! RESPEITAR A MULHER: ESTA É A LEI! Durante muito tempo o ambiente

Leia mais

Barómetro APAV INTERCAMPUS Perceção da População Portuguesa sobre a Violência contra Crianças e Jovens Preparado para: Associação Portuguesa de Apoio

Barómetro APAV INTERCAMPUS Perceção da População Portuguesa sobre a Violência contra Crianças e Jovens Preparado para: Associação Portuguesa de Apoio 1 Barómetro APAV Perceção da População Portuguesa sobre a Violência contra Crianças e Jovens Preparado para: Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) Outubro de 2015 2 Índice 1 Objetivos e Metodologia

Leia mais

Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais.

Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais. Junho / 2014 Metodologia Metodologia AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO 2.126 pessoas foram entrevistadas, a partir de 16 anos, de todos os níveis econômicos em todas as regiões do país. As entrevistas

Leia mais

Combate e prevenção à violência contra a mulher

Combate e prevenção à violência contra a mulher Combate e prevenção à violência contra a mulher O CIM - Centro Integrado de Atendimento à Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar - tem por objetivo fazer valer a Lei n.º 11.340/06, Lei Maria da

Leia mais

01 REGIÃO METROPOLITANA 03 ENDEREÇO

01 REGIÃO METROPOLITANA 03 ENDEREÇO IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Gerência de Pesquisa Mensal PESQUISA MENSAL DE EMPREGO PME 1.0 QUESTIONÁRIO DE MÃO-DE-OBRA

Leia mais

Apresentação. Soluções para resolv. Legislação penal. Conclusão

Apresentação. Soluções para resolv. Legislação penal. Conclusão SUMÁRIO Apresentação Introdução Soluções para resolv esolver er a violência e a criminalidade Popularidade de possíveis soluções Políticas sociais x políticas de segurança Redução da maioridade penal Legislação

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA NO BRASIL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA NO BRASIL PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL VIOLÊNCIA NO BRASIL ABRIL DE 2007 1 Dados Técnicos Pesquisa Pesquisa de opinião pública nacional Universo Pessoas com idade igual ou acima de 16 anos Entrevistas 1.068

Leia mais

LISTAS DE FIGURAS, GRÁFICOS E TABELAS

LISTAS DE FIGURAS, GRÁFICOS E TABELAS LISTAS DE FIGURAS, GRÁFICOS E TABELAS FIGURAS Figura A Distribuição das porcentagens da amostra total e população total por sexo. 41 Figura B Distribuição das porcentagens da amostra e da população, para

Leia mais

Seguros de Vida no Mercado Brasileiro

Seguros de Vida no Mercado Brasileiro Seguros de Vida no Mercado Brasileiro São Paulo, /06/0 Job -034743 Nobody s Unpredictable Objetivos e metodologia Metodologia Quantitativa, por meio de pesquisa amostral com questionário estruturado a

Leia mais

ESTUDO VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

ESTUDO VIOLÊNCIA DOMÉSTICA ESTUDO VIOLÊNCIA DOMÉSTICA Luiz Fernando Botelho de Carvalho Consultor Legislativo da Área II Direito Civil e Processual Civil, Direito Penal e Processual Penal, de Família, do Autor, de Sucessões, Internacional

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública SEGURANÇA PÚBLICA. Janeiro/2015

Pesquisa de Opinião Pública SEGURANÇA PÚBLICA. Janeiro/2015 Pesquisa de Opinião Pública SEGURANÇA PÚBLICA Janeiro/2015 OBJETIVOS Objetivo Principal: Esta estudo teve como objetivo principal verificar e quantificar a opinião pública brasileira quanto ao tema Segurança

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Rio de Janeiro, 21/09/2012 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho

Leia mais

1. Em relação aos crimes contra a violência doméstica, analise as afirmações e em seguida assinale a alternativa correta.

1. Em relação aos crimes contra a violência doméstica, analise as afirmações e em seguida assinale a alternativa correta. 1. Em relação aos crimes contra a violência doméstica, analise as afirmações e em seguida assinale a alternativa correta. I. Por expressa determinação legal não se aplicam aos crimes praticados com violência

Leia mais

A vivência na conjugalidade é todo um processo que engloba outros processos como a intimidade, a vida sexual, o trabalho, a procriação, a partilha

A vivência na conjugalidade é todo um processo que engloba outros processos como a intimidade, a vida sexual, o trabalho, a procriação, a partilha Existe um facto para o qual também devemos dar atenção: o agressor poderá estar numa posição de solidão. Poucos serão os agressores que terão a consciência do problema que têm, a agressividade que não

Leia mais

Os números da violência contra a

Os números da violência contra a Mensagem à Mulher Os números da violência contra a mulher são alarmantes. São vários os tipos de violência. Para se ter uma ideia, a cada ano 50 mil mulheres sofrem violência, sendo dez delas assassinadas.

Leia mais

Soraya Oliveira 3. Palavras Chaves: Gênero; Violência intrafamiliar; Políticas Públicas

Soraya Oliveira 3. Palavras Chaves: Gênero; Violência intrafamiliar; Políticas Públicas Violência intrafamiliar baseada em gênero com implicação de risco de vida: mulheres abrigadas na Casa Abrigo Maria Haydeé / Rio Mulher / Rio de Janeiro 1 Alcides Carneiro 2 Soraya Oliveira 3 Palavras Chaves:

Leia mais

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado?

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Pesquisa Instituto Avon / Data Popular Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Com quem falamos? Jovens brasileiros Mulheres Homens Pesquisa online Autopreenchimento Amostra nacional de 16 a 24

Leia mais

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado?

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Pesquisa Instituto Avon / Data Popular Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Com quem falamos? Jovens brasileiros Mulheres Homens Pesquisa online Autopreenchimento Amostra nacional de 16 a 24

Leia mais

ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO: AS ESPACIALIDADES COMO COMPONENTES DA VIOLÊNCIA CONTRA MULHERES NA CIDADE DE PONTA GROSSA PR NO ANO DE

ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO: AS ESPACIALIDADES COMO COMPONENTES DA VIOLÊNCIA CONTRA MULHERES NA CIDADE DE PONTA GROSSA PR NO ANO DE 146 Anais Semana de Geografia. Volume 1, Número 1. Ponta Grossa: UEPG, 2014. ISSN 2317-9759 ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO: AS ESPACIALIDADES COMO COMPONENTES DA VIOLÊNCIA CONTRA MULHERES NA CIDADE DE PONTA

Leia mais

Formas de Violência Doméstica (contra crianças, adolescentes e mulheres)

Formas de Violência Doméstica (contra crianças, adolescentes e mulheres) VIOLÊNCIA DOMÉSTICA A violência é uma questão social que afeta a todas as pessoas, mulheres e homens, sejam elas crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos. Ela acontece em todas as classes sociais,

Leia mais

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa Especificações Técnicas Período 28 a 31 de julho de 2011 Abrangência Nacional Universo Eleitores com 16 anos e mais Amostra 2.002 entrevistas em 140 municípios Margem de erro 2 pontos percentuais e grau

Leia mais

Violência Doméstica no Brasil

Violência Doméstica no Brasil Violência Doméstica no Brasil Breve perfil das agressões domésticas no Brasil com base nos registros da Central de Atendimento à Mulher - Ligue 180 e dados obtidos junto às s Secretarias de Segurança Pública

Leia mais

MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro

MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro Notícias - 18/06/2009, às 13h08 Foram realizadas 8 mil entrevistas com homens e mulheres entre 15 e 64 anos. A análise das informações auxiliará

Leia mais

DISCRIMINAÇÃO RACIAL PRECONCEITO DE COR NO BRASIL

DISCRIMINAÇÃO RACIAL PRECONCEITO DE COR NO BRASIL DISCRIMINAÇÃO RACIAL E PRECONCEITO DE COR NO BRASIL Fundação Perseu Abramo Fundação Rosa Luxemburgo DISCRIMINAÇÃO RACIAL E PRECONCEITO DE COR NO BRASIL TRABALHO REMUNERADO PARTICIPAÇÃO NA PEA POSIÇÃO NA

Leia mais

1.4 Objeto e Metodologia

1.4 Objeto e Metodologia 1.4 Objeto e Metodologia O objeto a pesquisa cujos dados serão apresentados foi definido juntamente com a SAS- Secretaria de Assistência Social de Presidente Prudente em especial com a equipe do CREAS

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO: GRUPO DE TRABALHO (ALTERAÇÃO): ASSEMBLEIA MUNICIPAL - EMÍLIA SOARES CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO ESTELA SILVA

GRUPO DE TRABALHO: GRUPO DE TRABALHO (ALTERAÇÃO): ASSEMBLEIA MUNICIPAL - EMÍLIA SOARES CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO ESTELA SILVA GRUPO DE TRABALHO: ASSEMBLEIA MUNICIPAL - EMÍLIA SOARES CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO ESTELA SILVA CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO ISABELA CHAGAS CÂMARA MUNICIPAL DO CARTAXO MARTA AZEVEDO GUARDA NACIONAL REPUBLICANA

Leia mais

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013

HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 HOMICÍDIOS DE MULHERES NO BRASIL EM 2013 INSTITUTO AVANTE BRASIL Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Pesquisadora: Flávia Mestriner Botelho VIOLÊNCIA GLOBAL CONTRA DAS MULHERES - (ONU) De acordo com

Leia mais

ESTATÍSTICAS APAV VIOLÊNCIA SEXUAL 2012 WWW.APAV.PT/ESTATISTICAS

ESTATÍSTICAS APAV VIOLÊNCIA SEXUAL 2012 WWW.APAV.PT/ESTATISTICAS ESTATÍSTICAS APAV VIOLÊNCIA SEXUAL 2012 WWW.APAV.PT/ESTATISTICAS índice - introdução 2 - vítima 3 - autor(a) do crime 9 - vitimação 14 - crianças vítimas de violência sexual 20 1 introdução A violência

Leia mais

QUESTIONÁRIO: VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS NOME: CLASSIFIQUE EM VERDADEIRO (V) OU FALSO (F) AS SENTENÇAS ABAIXO:

QUESTIONÁRIO: VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS NOME: CLASSIFIQUE EM VERDADEIRO (V) OU FALSO (F) AS SENTENÇAS ABAIXO: QUESTIONÁRIO: VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS NOME: 1. Um tapinha no bumbum não é considerado violência devido ao baixo grau de agressão. 2. A prática sexual com indivíduos menores de 14 anos, com o consentimento

Leia mais

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares CADERNO DE PROVA 2.ª FASE Nome do candidato Nome do curso / Turno Local de oferta do curso N.º de inscrição Assinatura do candidato Coordenação de Exames Vestibulares I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM ATENÇÃO

Leia mais

Secretaria de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres 1º Fórum de Violência contra a Mulher: Múltiplos olhares

Secretaria de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres 1º Fórum de Violência contra a Mulher: Múltiplos olhares Secretaria de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres 1º Fórum de Violência contra a Mulher: Múltiplos olhares Campinas, Abril de 2014 Violência contra as Mulheres: dados Internacional: 1 de cada

Leia mais

Estatísticas sobre as Pessoas com Deficiência

Estatísticas sobre as Pessoas com Deficiência Estatísticas sobre as Pessoas com Deficiência Alicia Bercovich IETS Seminário Internacional sobre Cidades e Inclusão Social Instituto JNG Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2014 Principais Temas Pessoas

Leia mais

Avaliação governo Dilma Rousseff. Expectativas econômicas. 03 a 05/06/2014. www.datafolha.com.br

Avaliação governo Dilma Rousseff. Expectativas econômicas. 03 a 05/06/2014. www.datafolha.com.br Intenção de voto presidente Avaliação governo Dilma Rousseff Opinião sobre os protestos Expectativas econômicas PO813747 03 a 05/06/2014 INTENÇÃO DE VOTO PARA PRESIDENTE JUNHO DE 2014 DILMA CAI, MAS ADVERSÁRIOS

Leia mais

Enquete. Dia dos Professores

Enquete. Dia dos Professores Enquete Dia dos Professores No dia 15 de outubro será comemorado o dia do professor. Muito se fala que a profissão, apesar de muito importante, perdeu seu glamour e prestígio, sendo incapaz de atrair a

Leia mais

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO TEXTO I

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO TEXTO I TEXTO I Igualdade de Gênero no Enfrentamento à Violência Contra a Mulher As desigualdades são sentidas de formas diferentes pelas pessoas dependendo do seu envolvimento com a questão. As mulheres sentem

Leia mais

Copa do Mundo de Futebol Brasil 2014

Copa do Mundo de Futebol Brasil 2014 Copa do Mundo de Futebol Brasil 2014 Pesquisa de opinião pública nacional Janeiro/Fevereiro 2012 População não quer bebida alcoólica na Copa De acordo com pesquisa realizada pelo DataSenado, 80% dos brasileiros

Leia mais