Automação de Testes. Quando e como? By Angelica de Lima, PMP em maio/2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Automação de Testes. Quando e como? By Angelica de Lima, PMP em maio/2015"

Transcrição

1

2 Automação de Testes. Quando e como? By Angelica de Lima, PMP em maio/2015

3 Faço o que gosto! Gosto do que faço!! By Angelica de Lima, PMP em maio/2015

4 O Básico O que? O propósito da automação de testes pode ser resumidamente descrito como a aplicação de estratégias e ferramentas tendo em vista a redução do envolvimento humano em atividades manuais repetitivas. Cem Kaner, autor do livro Lessons learned in software testing

5 O Básico Quem?

6 O Básico Como? Quando? Onde? Ambiente dedicado de QA Porque? Evita crash; inoperabilidade; macula na imagem da TI ; redução de custos

7 Porque? Mars Climate Orbiter (http://mars.jpl.nasa.gov/msp98/orbiter/) Desastre: Motivo: Se perdeu no espaço no momento em que entrava na atmosfera de Marte Misturou, em cálculos, valores com medidas de tamanho diferentes Na revisão de código descobriram que parte do código usava unidades de medidas americanas e parte em medidas Inglesas. Prejuízo: 125 milhões de dólares

8 Porque? AirBus 320 (http://en.wikipedia.org/wiki/iran_air_flight_655) : Desastre: USS Vicennes derrubou um airbus 320 em 1988 Motivo: Bug no software de reconhecimento, confundindo o avião com um F-14 Prejuízo: 290 mortes

9 Porque? London Ambulance Service (http://en.wikipedia.org/wiki/london_ambulance_service) Desastre: Motivo: Prejuízo: Serviço auxiliado por computador falhou em dois dias de Novembro de 1992, gerando várias falhas, como o envio de 2 ambulâncias para o mesmo loval, envio de uma ambulância para um local onde outras estavam mais perto, etc. Tudo indica que o problema estava relacionado a alta carga de emergências durante o período. Morte de 30 pessoas

10 Porque? Seu projeto (http://seuprojeto.com.br) Desastre: Motivo: Prejuízo: A area usuária encontra erros no que você implementou. Tudo indica que o problema estava relacionado a falta de atenção de um documento de especificação. No mínimo sua reputação.

11 O Momento essa atividade é vista como a salvação em termos de custo, prazo e produtividade para os projetos...

12 O Momento Na ação do herói

13 O Momento A reação da desmoralização

14 O Momento Pior ainda...

15

16

17 O Momento

18 Quando? Assim que um novo sistema fica pronto? Assim que um novo sistema é implantado em produção? Quando a equipe de testes for contratada? Quando os erros impactarem a area de negócio? Quando os erros deixarem o sistema fora do ar? Quando for adquirida a ferramenta de automação?

19 Quando? Ao identificar o que é essencial:: Testes Funcionalidades Tempos Niveis de tolerância O que é repetitivo. Qual o roteiro de testes é mais assertivo e tem maior acuracidade.

20 Quando? A automação de testes pode consumir até 10 vezes mais tempo em etapas como planejar, criar, documentar e executar, em comparação a um teste executado manualmente. Portanto, não automatize testes que você raramente executa. Automatizar exige programação de médio para alto nível. Ignorar isto pode inviabilizar os testes e ou mascarar os seus resultados. Não é indicado automatizar os testes muito cedo dentro do processo. O sistema a ser testado deverá possuir certa estabilidade.

21 Quando? Esteja ciente... A execução dos testes automáticos substitui a execução dos testes repetitivos, mas não os manuais e muito menos a análise de resultados. compromisso entre o esforço de criação dos scripts de testes versus a manutenção desses scripts.

22 Como? Tipos de ferramentas:: Gerenciamento de Testes/Defeitos: Ferramentas que auxiliam no planejamento e gerenciamento dos testes e de seus resultados; Automação de Testes de Carga e Stress: Ferramentas que simulam a carga de múltiplos usuários em uma aplicação para entender e ajustar a performance do sistema; Automação de Testes Funcionais: Testes de um único usuário na aplicação para encontrar falhas funcionais.

23 Como? O ferramental é essencial Tipo de Teste Nome da ferramenta/framework tipo de licença Funcionais Abbot open source Funcionais ActiWate open source Funcionais Apodora open source Gestao de Defeitos BugNET open source Gestao de Defeitos BugZilla open source Funcionais Canoo Web Test open source Estimativas Construx Estimate open source Funcionais FitNesse open source Funcionais GNU/Linux Desktop Testing Project open source Performance JMeter open source Gestao de Defeitos Jira pago Teste unitário JUnit Funcionais Lisa WS-Testing open source Gestao de Defeitos Mantis open source Funcionais Marathon open source Funcionais Mercury pago

24 Como? O ferramental é essencial Tipo de Teste Nome da ferramenta/framework tipo de licença Performance OpenSTA open source Gestao de Testes QA Manager open source Suite completa Rational pago Gestao de Testes RTH open source Gestao de Defeitos Scarab open source Funcionais Selenium open source Funcionais SharpRobo open source Funcionais SoapSonar Personal Edition open source Funcionais SoapUI open source Funcionais Squish for KDE open source Suite completa Plataforma Silk proprietário Gestao de Testes Test Case Web open source Funcionais Test Manager proprietário Gestao de Testes Test Master open source Funcionais TestComplete proprietário

25 Como? O ferramental é essencial Tipo de Teste Nome da ferramenta/framework tipo de licença Gestao de Testes Testitool open source Gestao de Testes TestLink open source Gestao de Testes Testopia open source Performance The Grinder open source Teste estruturado TMap Next open source Gestao de Defeitos TRAC open source Funcionais Watir open source Carga e Performance WebLoad open source

26 Como? A ferramenta não faz o profissional! Um estupido com a melhor ferramenta ainda é um estúpido

27 Como? Teste unitário. (+ de 150)

28 Como?

29 Como?

30 Como? Evite mitos:: Uma ferramenta de testes automatizados é a solução de todos os problemas de qualidade. Para criar testes automatizados será necessário modificar o sistema Basta gravar a digitação e os cliques do mouse e depois executar o script.

31 Como? Capture and replay (ou playback) Se for necessário testar, por exemplo, o cadastro de 100 formulários, o testador terá que gravar 100 scripts manualmente; Se o campo Nome do Usuário mudar para Login, todas as referências ao campo Nome do Usuário presentes no script terão que ser localizadas e alteradas. E isto pode ocorrer com vários outros campos Data driven (orientado a dados) substituir os dados gravados por variáveis

32 Como? API / Framework driven (orientado a API / Framework) suporte à programação dos scripts de testes por fornecer classes que tratam da leitura de arquivos textos, do acesso a banco de dados, que são responsáveis pelo logging dos scripts e pela geração dos resultados dos testes Keyword driven (orientado a palavras chave) conjunto pré-definido de palavras-chaves para a montagem dos testes. Cada palavra-chave é um comando em alto nível. Descrevem ações realizadas no sistema, como por exemplo, Logar, Acessar, Cadastrar, Remover, etc

33 Como? Uma opção é utilizar a suite Open Source do Selenium = auxiliam na execução de testes funcionais a partir da camada de apresentação de um sistema Web. A ThoughtWorks precisava de uma ferramenta pata testar uma aplicação de rastreamento de despesas pela web e baseado no conhecimento do Mercury estabeleceram a base para o Selenium;

34 Como? Uma opção é utilizar a suite Open Source do Selenium = auxiliam na execução de testes funcionais a partir da camada de apresentação de um sistema Web. A ThoughtWorks precisava de uma ferramenta pata testar uma aplicação de rastreamento de despesas pela web e baseado no conhecimento do Mercury estabeleceram a base para o Selenium;

35 Como?

36 Como? Linguagens :: Browsers:: Plataformas ::

37 Como? Selenium Suite

38 Como? Selenium IDE :: Ambiente integrado para o desenvolvimento de testes no Selenium Fornece funcionalidade de gravação e reprodução. Proporciona a capacidade de depurar scripts de teste. "Auto complete" dos comandos do Selenium Permite a exportação dos scripts de teste em diferentes formatos como HTML, Java, Ruby, Python, etc. contem os scripts

39 Como? Selenium IDE ::

40 Como?

41 Como?

42 Como? automaticamente iniciar/finalizar/controlar, qualquer browser suportado Selenium RC = O Selenium Remote Control é um cliente/servidor que controla um browser local ou em outro computador utilizando scripts do Selenium IDE (html) ou scripts criados em diferentes linguagens de programação. Ele é dividido em duas partes: 1. Um servidor que, automaticamente, abre e fecha um browser web e age como um proxy HTTP para as requisições web dos scripts do Selenium 2. Bibliotecas para as linguagens de programação suportadas pelo Selenium Essencial para executar os scripts do Selenium IDE fora do Firefox. (por linha de comando para executar suítes de teste em qualquer computador). Esse método pode ser utilizado em ambientes de Integração Contínua. Essencial para usar o Webdriver.

43 Como? Selenium RC

44 Como? Selenium Grid é usado para execução paralela de testes em diferentes maquinas e browsers ao mesmo tempo.

45 Selenium IDE Selenium RC Selenium WebDriver It supports with all browsers like Firefox, IE, Chrome, Safari, Opera etc. It supports with all browsers like Firefox, IE, Chrome, Safari, Opera etc. It only works in Mozilla browser. It supports Record and It doesn t supports Record and playbac k playbac k It doesn t supports Rec ord and playbac k Doesn t required to start server before executing Required to start server before Doesn't required to start server before the test script. executing the test script. executing the test script. It is standalone java program which allow you to run Html test It actual core API which has binding in a It is a GUI Plug-in suites range of languages Core engine is Javascript based Core engine is Javasc ript based Interac ts natively with browser applic ation Very simple to use as it is As compared to RC, it is bit complex and record & playback. It is easy and small API large API. It is not objec t oriented API s are less Objec t oriented API s are entirely Objec t oriented It doesn t supports of moving mouse c ursors. It doesn t supports of moving mouse c ursors. It supports of moving mouse c ursors Need to append full xpath with xpath=\\ syntax Need to append full xpath with xpath=\\ syntax No need to append full xpath with xpath=\\ syntax It does not supports listeners It does not supports listeners It supports the implementation of listeners It does not support to test iphone/android applic ations It does not support to test iphone/android applic ations It support to test iphone/android applic ations

46 Quer mais? BARBOSA, E.; MALDONADO, J.C.; VINCENZI, A.M.R.; DELA MARO, M.E; SOUZA, S.R.S. e JINO, M.. Introdução ao Teste de Software. XIV Simpósio Brasileiro de Engenharia de Software, CRAIG, R.D., JASKIEL, S. P., Systematic Software Testing, Artech House Publishers, Boston, PFLEEGER, S. L., Engenharia de Software: Teoria e Prática, Prentice Hall- Cap. 08, PRESSMAN, R. S., Software Engineering: A Practitioner s Approach, McGraw-Hill, 6th ed, Nova York, NY, RAPP S, S., WEYUKER, E.J., Data Flow analysis techniques for test data selection, In: International Conference on Software Engineering, p , Tokio, Sep ROCHA, A. R. C., MALDONADO, J. C., WEBER, K. C. et al., Qualidade de software Teoria e prática, Prentice Hall, São Paulo, 2001.

47

SELENIUM 28/03/2011. Márcio Delamaro Harry Trinta

SELENIUM 28/03/2011. Márcio Delamaro Harry Trinta 1 SELENIUM 28/03/2011 Márcio Delamaro Harry Trinta O que é a Selenium? Selenium é uma ferramenta desenvolvida para a automação de testes em aplicações Web Suporta diversos browsers: Firefox Internet Explorer

Leia mais

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB Testes de Software 1 AULA 04 FERRAMENTAS DE AUTOMAÇÃO DE TESTES FUNCIONAIS Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Conteúdo Programático Aula 04 Automação de testes funcionais Ferramentas

Leia mais

Testes de Software. Por quê testar? 3/28/2011. Andrew Diniz da Costa. andrew@les.inf.puc-rio.br. Manter alta qualidade. Prevenir e encontrar defeitos

Testes de Software. Por quê testar? 3/28/2011. Andrew Diniz da Costa. andrew@les.inf.puc-rio.br. Manter alta qualidade. Prevenir e encontrar defeitos Testes de Software Andrew Diniz da Costa andrew@les.inf.puc-rio.br Por quê testar? Manter alta qualidade Prevenir e encontrar defeitos Ganhar confiança sobre o nível de qualidade e prover informações.

Leia mais

Se observarmos nos diferentes livros. Planejamento de Testes a partir de Casos de Uso

Se observarmos nos diferentes livros. Planejamento de Testes a partir de Casos de Uso Planejamento de Testes a partir de Casos de Uso Arilo Cláudio Dias Neto ariloclaudio@gmail.com É Bacharel em Ciência da Computação formado na Universidade Federal do Amazonas, Mestre em Engenharia de Sistemas

Leia mais

Introdução a Teste de Software

Introdução a Teste de Software Introdução a Teste de Software T Arilo Cláudio Dias Neto (ariloclaudio@gmail.com) É Bacharel em Ciência da Computação formado na Universidade Federal do Amazonas, Mestre em Engenharia de Sistemas e Computação

Leia mais

Estratégias para testes: a metáfora da pirâmide alimentar

Estratégias para testes: a metáfora da pirâmide alimentar Estratégias para testes: a metáfora da pirâmide alimentar Jorge Diz Instrutor Globalcode Kleber Xavier Instrutor Globalcode 1 Agenda > O que são testes? > Tipos de testes > A pirâmide de testes (Huggins)

Leia mais

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Testes de Software 1 AULA 01 INTRODUÇÃO A TESTES DE SOFTWARE Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Conteúdo Programático do Curso Introdução a Testes de Software Técnicas de Testes de Software

Leia mais

TESTES AUTOMATIZADOS COM JUNITE MOCKITO

TESTES AUTOMATIZADOS COM JUNITE MOCKITO TESTES AUTOMATIZADOS COM JUNITE MOCKITO Jaime William Dias 12, Dener Barranco 1, Douglas Delapria 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) 2 Universidade Estadual de Maringá (UEM) Paranavaí PR Brasil dener_barranco@hotmail.com,

Leia mais

Linha Silk: a maneira leve para testar, desenvolver e gerenciar

Linha Silk: a maneira leve para testar, desenvolver e gerenciar Linha : a maneira leve para testar, desenvolver e gerenciar Leve Criado apenas com a funcionalidade que você precisa Barato Do uso gratuito ao licenciamento flexível Eficiente Software fácil de usar e

Leia mais

Questionário. A ferramenta auxilia na alocação de Não (0) x x x. Satisfatório (5) complexidade de um caso de uso? de uso (72) Sim (10)

Questionário. A ferramenta auxilia na alocação de Não (0) x x x. Satisfatório (5) complexidade de um caso de uso? de uso (72) Sim (10) Questionário Nível Avaliado Gerador de plano de teste Gerador de dados Função/característica do produto Gestão dos dados do plano de teste (51) Perguntas Pontuação Selenium BadBoy Canoo A ferramenta auilia

Leia mais

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB Testes de Software 1 AULA 05 FERRAMENTAS TESTE DE CARGA E GERÊNCIA DE TESTE Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB Conteúdo Programático Aula 05 Ferramentas para gerência dos testes Ferramentas

Leia mais

UMA ABORDAGEM SOBRE TESTES AUTOMATIZADO DE SOFTWARES EM AMBIENTES DE DESENVOLVIMENTO

UMA ABORDAGEM SOBRE TESTES AUTOMATIZADO DE SOFTWARES EM AMBIENTES DE DESENVOLVIMENTO UMA ABORDAGEM SOBRE TESTES AUTOMATIZADO DE SOFTWARES EM AMBIENTES DE DESENVOLVIMENTO Robson L. Nascimento 1, Késsia R. C. Marchi¹ 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí-PR-Brasil robsonluisn@yahoo.com.br,

Leia mais

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 Rational Quality Manager Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 1 Informações Gerais Informações Gerais sobre o RQM http://www-01.ibm.com/software/awdtools/rqm/ Link para o RQM https://rqmtreina.mvrec.local:9443/jazz/web/console

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. Prestação de Serviços de Treinamento Profissional em Teste de Software

TERMO DE REFERENCIA. Prestação de Serviços de Treinamento Profissional em Teste de Software TERMO DE REFERENCIA Prestação de Serviços de Treinamento Profissional em Teste de Software Novembro 2012 1. OBJETO Contratação de empresa para prestação de serviço(s) de treinamento de em Teste de Software

Leia mais

ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR

ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR Acompanhe o ritmo de aceleração dos ciclos de lançamento. Descubra a automatização com um toque humano EXECUTE UM TESTE 26032015 Com a Borland, tanto analistas de negócios

Leia mais

Rastreabilidade de requisitos através da web

Rastreabilidade de requisitos através da web Rastreabilidade de requisitos através da web Fernando dos Santos (FURB) fds@inf.furb.br Karly Schubert Vargas (FURB) karly@inf.furb.br Christian Rogério Câmara de Abreu (FURB) crca@inf.furb.br Resumo.

Leia mais

Teste de software. Engenharia de software Profª karine sato da silva

Teste de software. Engenharia de software Profª karine sato da silva Teste de software Engenharia de software Profª karine sato da silva Mais sobre o TDD Test Driven Development (TDD); TDD reivindica um desenvolvimento incremental do código que inicia com testes, incluindo

Leia mais

Retorno de Investimento em Testes. Robert Pereira Pinto robert@base2.com.br

Retorno de Investimento em Testes. Robert Pereira Pinto robert@base2.com.br Retorno de Investimento em Testes Robert Pereira Pinto robert@base2.com.br Palestrante Robert Pereira Pinto Sócio diretor da Base2 Tecnologia Mestre e Bacharel em Ciência da Computação pela UFMG Certified

Leia mais

Test-Module: uma ferramenta para gerenciamento de testes de software integrada ao FireScrum

Test-Module: uma ferramenta para gerenciamento de testes de software integrada ao FireScrum Test-Module: uma ferramenta para gerenciamento de testes de software integrada ao FireScrum Audrey B. Vasconcelos, Iuri Santos Souza, Ivonei F. da Silva, Keldjan Alves Centro de Informática Universidade

Leia mais

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64 direcionados por comportamento 64 5 Estudo de caso Neste capítulo serão apresentadas as aplicações web utilizadas na aplicação da abordagem proposta, bem como a tecnologia em que foram desenvolvidas, o

Leia mais

Orientador Informal. Co-orientador(es) Informal(is)

Orientador Informal. Co-orientador(es) Informal(is) RELATÓRIO FINAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Discente: Luís Gustavo Spern Barreto Curso: Análise e Desenvolvimento de Sistemas E-mail: gustavosbarreto@gmail.com Endereço: Rua Três, 490 - Pestano -

Leia mais

JMeter x WebLoad. Uma análise de duas soluções para execução de testes de desempenho para você decidir qual é a melhor para sua empresa.

JMeter x WebLoad. Uma análise de duas soluções para execução de testes de desempenho para você decidir qual é a melhor para sua empresa. JMeter x WebLoad_ Ferramentas para Teste de Desempenho JMeter x WebLoad Uma análise de duas soluções para execução de testes de desempenho para você decidir qual é a melhor para sua empresa. O artigo fornece

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) ARQUITETURA DE SISTEMAS Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Definição Documento de arquitetura Modelos de representação da arquitetura Estilos arquiteturais Arquitetura de sistemas web Arquitetura

Leia mais

4 Desenvolvimento da ferramenta

4 Desenvolvimento da ferramenta direcionados por comportamento 38 4 Desenvolvimento da ferramenta Visando facilitar a tarefa de documentar requisitos funcionais e de gerar testes automáticos em uma única ferramenta para proporcionar

Leia mais

FERRARI FERRAmenta de Automação dos testes de RequIsitos de Desempenho e Estresse

FERRARI FERRAmenta de Automação dos testes de RequIsitos de Desempenho e Estresse FERRARI FERRAmenta de Automação dos testes de RequIsitos de Desempenho e Estresse Teresina, 28 de maio de 2008 1 Sumário 1. Introdução...03 2. Conceitos Iniciais 2.1 O que é Teste de Software?...04 2.2

Leia mais

A U T O R I Z O R R I GUIA DE INSTALAÇÃO W E B. Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006

A U T O R I Z O R R I GUIA DE INSTALAÇÃO W E B. Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006 A U T O R I Z A D O R W E B B I O M E T R I A GUIA DE INSTALAÇÃO Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 UTILIZANDO A BIOMETRIA... 4 INSTALAÇÃO... 5 CADASTRO DA DIGITAL...15

Leia mais

18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB

18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB 18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB Autor(es) HARLEI MIGUEL DE ARRUDA LEITE Orientador(es) PLÍNIO ROBERTO SOUZA VILELA Apoio Financeiro PIBIC/CNPQ

Leia mais

Manual de Instalação da Ferramenta Selenium para Apoiar o Processo de Teste Freetest

Manual de Instalação da Ferramenta Selenium para Apoiar o Processo de Teste Freetest FAPEG UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA PAPPE INTEGRAÇÃO Manual de Instalação da Ferramenta Selenium para Apoiar o Processo de Teste Freetest Goiânia 2013 Esta obra está

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

Guia do usuário GLPI. Versão 0.78.5 Modificada- Thiago Passamani

Guia do usuário GLPI. Versão 0.78.5 Modificada- Thiago Passamani Guia do usuário GLPI Versão 0.78.5 Modificada- Thiago Passamani 1 -O que é GLPI? GLPI(Gestionnaire Libre de Parc Informatique ) é a uma sigla em Francês, que significa Gestão de Parque de Informática Livre.

Leia mais

Requisitos Técnicos para Usuário Doméstico

Requisitos Técnicos para Usuário Doméstico Requisitos Técnicos para Usuário Doméstico MindQuest Educação S.A. 29/08/2013 1 / 52 AGENDA 1 Requisitos técnicos para usuários domésticos 1.1. Configurações para os Browsers 1.2. Player multimídia 1.3.

Leia mais

Universidade Federal de Campina Grande UFCG Centro de Engenharia Elétrica e Informática - CEEI Departamento de Sistemas e Computação - DSC Curso de

Universidade Federal de Campina Grande UFCG Centro de Engenharia Elétrica e Informática - CEEI Departamento de Sistemas e Computação - DSC Curso de Universidade Federal de Campina Grande UFCG Centro de Engenharia Elétrica e Informática - CEEI Departamento de Sistemas e Computação - DSC Curso de Ciência da Computação Disciplina: LES Equipe: David Candeia

Leia mais

MANUAL PORTAL CLIENTE AVANÇO

MANUAL PORTAL CLIENTE AVANÇO MANUAL PORTAL CLIENTE AVANÇO [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para Suporte Avanço Autor:

Leia mais

Manual de Utilização do GLPI

Manual de Utilização do GLPI Manual de Utilização do GLPI Perfil Usuário Versão 1.0 NTI Campus Muzambinho 1 Introdução Prezado servidor, o GLPI é um sistema de Service Desk composto por um conjunto de serviços para a administração

Leia mais

Manual de Apoio à Assinatura Eletrônica DISO

Manual de Apoio à Assinatura Eletrônica DISO Manual de Apoio à Assinatura Eletrônica DISO Índice Hyperlinks Descanse o mouse na frase, aperte sem largar o botão Ctrl do seu teclado e click com o botão esquerdo do mouse para confirmar. Introdução

Leia mais

Melhoria no Desenvolvimento Ágil com Implantação de Processo de Integração Contínua Multiplataforma para Java e.net. Hudson

Melhoria no Desenvolvimento Ágil com Implantação de Processo de Integração Contínua Multiplataforma para Java e.net. Hudson QUALIDADE Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software - SBQS Instituto Nokia de Tecnologia Unit Test Sucess Bug INdT Melhoria no Desenvolvimento Ágil com Implantação de Processo de Integração Contínua

Leia mais

M A N U A L D O U S U Á R I O

M A N U A L D O U S U Á R I O M A N U A L D O U S U Á R I O S I S T E M A D E A B E R T U R A D E C H A M A D O S D E S E R V I Ç O S Sumário 1. Apresentação... 3 2. Introdução do GLPI... 4 3. Acessando o GLPI... 5 4. Abertura e Registro

Leia mais

O projeto Metasploit é um framework que foi criado em 2003 por HD Moore e é uma plataforma que permite a verificação do estado da segurança dos

O projeto Metasploit é um framework que foi criado em 2003 por HD Moore e é uma plataforma que permite a verificação do estado da segurança dos O projeto Metasploit é um framework que foi criado em 2003 por HD Moore e é uma plataforma que permite a verificação do estado da segurança dos computadores existentes numa determinada rede, permitindo

Leia mais

Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário

Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas SESAU Coordenadoria Setorial de Gestão a Informática - CSGI Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário Maceió 06/02/2012 Técnico Responsável: Bruno Cavalcante

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS

SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS SISTEMA DE GESTÃO DE PROJETOS DE SOFTWARE - SGPS Lilian R. M. Paiva, Luciene C. Oliveira, Mariana D. Justino, Mateus S. Silva, Mylene L. Rodrigues Engenharia de Computação - Universidade de Uberaba (UNIUBE)

Leia mais

Veja passo a passo como configurar o servidor para entregar aplicações remotamente com o Remote Desktop Services. Neste tutorial você verá

Veja passo a passo como configurar o servidor para entregar aplicações remotamente com o Remote Desktop Services. Neste tutorial você verá Veja passo a passo como configurar o servidor para entregar aplicações remotamente com o Remote Desktop Services. Neste tutorial você verá - Instalação da Role Remote Desktop Services - Configurando Certificado

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas Tolerantes a Falhas

Desenvolvimento de Sistemas Tolerantes a Falhas Confiança de software Desenvolvimento de Sistemas Tolerantes a Falhas Em geral, os usuários de um sistema de software esperam ele seja confiável Para aplicações não-críticas, podem estar dispostos a aceitar

Leia mais

Gerência de Configuração. Professor: Dr. Eduardo Santana de Almeida Universidade Federal da Bahia esa@dcc.ufba.br

Gerência de Configuração. Professor: Dr. Eduardo Santana de Almeida Universidade Federal da Bahia esa@dcc.ufba.br Gerência de Configuração Professor: Dr. Eduardo Santana de Almeida Universidade Federal da Bahia esa@dcc.ufba.br Introdução Mudanças durante o desenvolvimento de software são inevitáveis: os interesses

Leia mais

Testware: ferramenta de planejamento e execução de casos de teste

Testware: ferramenta de planejamento e execução de casos de teste Testware: ferramenta de planejamento e execução de casos de teste Fabiane Barreto Vavassori Benitti 1, 2, Ana Paula Zimmermann 1 1 Centro de Ciências Tecnológico da Terra e do Mar Universidade do Vale

Leia mais

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Testes de Software 1 AULA 03 FERRAMENTAS DE AUTOMAÇÃO DE TESTES Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Conteúdo Programático Aula 03 O que é automação de testes? Conceitos de automação de

Leia mais

Implementação de Web Services em Projetos de LabVIEW

Implementação de Web Services em Projetos de LabVIEW 1 Implementação de Web Services em Projetos de LabVIEW Alisson Kokot Engenheiro de Vendas Osvaldo Santos Engenheiro de Sistemas 2 Aplicações Web surgem como soluções viáveis profissionalmente 3 Aplicações

Leia mais

Qlik Sense Desktop. Qlik Sense 1.1 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Qlik Sense Desktop. Qlik Sense 1.1 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik Sense Desktop Qlik Sense 1.1 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik, QlikTech,

Leia mais

Como e Quando Testar Para Obter Qualidade

Como e Quando Testar Para Obter Qualidade Como e Quando Testar Para Obter Qualidade Cursos Ministrados no 1 Workshop de Testes de Software Técnicas de Testes de Software Faça um Levantamento e uma Especificação Eficaz, saiba o que testar Objetivos

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

V1.1 SITE EM UM SITE 11/2015 MINUTOS APRENDA A PROGRAMAR IMAGINE FAZER O SEU PRIMEIRO PROGRAMA EM 180 SEGUNDOS WWW.DESAFIO3MINUTOS.COM.

V1.1 SITE EM UM SITE 11/2015 MINUTOS APRENDA A PROGRAMAR IMAGINE FAZER O SEU PRIMEIRO PROGRAMA EM 180 SEGUNDOS WWW.DESAFIO3MINUTOS.COM. 11/2015 UM SITE SITE EM EM UM 3 APRENDA A PROGRAMAR IMAGINE FAZER O SEU PRIMEIRO PROGRAMA EM 180 SEGUNDOS MINUTOS V1.1 WWW.DESAFIO3MINUTOS.COM.BR ELIELBARONE RUBY ON RAILS O que é? Ruby on Rails é um framework,

Leia mais

Testes Orientação Visão Conceitual em Testes Versão 0.3

Testes Orientação Visão Conceitual em Testes Versão 0.3 Testes Versão 0.3 ori_visao_conceitual_testes.odt 1 de 10 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/04/2010 0.1 Versão inicial Fernanda Monteiro 07/10/10 0.2 Verificação ortográfica Ana Eckel

Leia mais

AVALIAÇÃO DE QUALIDADE NO SISTEMA DE LOCAÇÕES DA FACULDADE DE BALSAS ATRAVÉS DE TESTES FUNCIONAIS AUTOMATIZADOS

AVALIAÇÃO DE QUALIDADE NO SISTEMA DE LOCAÇÕES DA FACULDADE DE BALSAS ATRAVÉS DE TESTES FUNCIONAIS AUTOMATIZADOS 0 FACULDADE DE BALSAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AVALIAÇÃO DE QUALIDADE NO SISTEMA DE LOCAÇÕES DA FACULDADE DE BALSAS ATRAVÉS DE TESTES FUNCIONAIS AUTOMATIZADOS de Oliveira Barbosa BALSAS MA 013 1

Leia mais

requirements and test for a better software Palestra automação inteligente em testes de software

requirements and test for a better software Palestra automação inteligente em testes de software requirements and test for a better software 66 a reunião SPIN Palestra automação inteligente em testes de software founder & co-director CLICK TO EDIT MASTER TITLE professional em Gestão de STYLE certified

Leia mais

Manual de Apoio SIBE Atestado Eletrônico. Emissão de Atestado Eletrônico pelo Site da Agência da Previdência Social

Manual de Apoio SIBE Atestado Eletrônico. Emissão de Atestado Eletrônico pelo Site da Agência da Previdência Social Manual de Apoio SIBE Atestado Eletrônico Emissão de Atestado Eletrônico pelo Site da Agência da Previdência Social Índice Hyperlinks Descanse o mouse na frase, aperte sem largar o botão Ctrl do seu teclado

Leia mais

Guia do Usuário PRONAVTECH GUIA DO USUÁRIO ARMAZENADOR

Guia do Usuário PRONAVTECH GUIA DO USUÁRIO ARMAZENADOR GUIA DO USUÁRIO ARMAZENADOR 1 Índice INTRODUÇÃO... 3 ACESSANDO O PRONAVTECH... 4 Primeiro Acesso... 5 Demais Acessos... 6 Esqueci Minha Senha... 7 Esqueci o usuário principal... 7 ÁREA DE TRABALHO DO PRONAVTECH...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS QUIXADÁ BACHARELADO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE ANTONIO GERBSON DA SILVA LIMA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS QUIXADÁ BACHARELADO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE ANTONIO GERBSON DA SILVA LIMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS QUIXADÁ BACHARELADO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE ANTONIO GERBSON DA SILVA LIMA AUTOMAÇÃO DE TESTES FUNCIONAIS EM AMBIENTES WEB: UM ESTUDO DE CASO NO LABORATÓRIO DE SISTEMA

Leia mais

Guia do Usuário PRONAVTECH GUIA DO USUÁRIO VALIDADOR

Guia do Usuário PRONAVTECH GUIA DO USUÁRIO VALIDADOR GUIA DO USUÁRIO VALIDADOR 1 Índice INTRODUÇÃO... 3 ACESSANDO O PRONAVTECH... 4 Primeiro Acesso... 5 Demais Acessos... 6 Esqueci Minha Senha... 6 Esqueci o usuário principal... 7 ÁREA DE TRABALHO DO PRONAVTECH...

Leia mais

ANEXO VII PROCESSO E METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO PROCERGS MDP. Processo de Desenvolvimento de Sistemas

ANEXO VII PROCESSO E METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO PROCERGS MDP. Processo de Desenvolvimento de Sistemas ANEXO VII PROCESSO E METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO PROCERGS MDP Processo de Desenvolvimento de Sistemas MDP - Metodologia de Desenvolvimento PROCERGS - é uma estrutura básica de definição de processos

Leia mais

Estima-se que o custo decorrente. Gestão de Testes Ferramentas Open Source e melhores práticas na gestão de testes

Estima-se que o custo decorrente. Gestão de Testes Ferramentas Open Source e melhores práticas na gestão de testes Gestão de Testes Ferramentas Open Source e melhores práticas na gestão de testes Cristiano Caetano c_caetano@hotmail.com É certificado CBTS pela ALATS. Consultor de teste de software sênior com mais de

Leia mais

Programação Web Prof. Wladimir

Programação Web Prof. Wladimir Programação Web Prof. Wladimir Linguagem de Script e PHP @wre2008 1 Sumário Introdução; PHP: Introdução. Enviando dados para o servidor HTTP; PHP: Instalação; Formato básico de um programa PHP; Manipulação

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB

PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB Sumep Julho/2006 PROCEDIMENTOS PARA A INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO DE LEILÃO ELETRÔNICO DA CONAB Objetivo

Leia mais

Introdução à Automação de Testes

Introdução à Automação de Testes Introdução à Automação de Testes S Cristiano Caetano c_caetano@hotmail.com É certificado CBTS pela ALATS. Consultor de teste de software sênior com mais de 10 anos de experiência, já trabalhou na área

Leia mais

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia.

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia. Explorando e tratando a falha de Cross-site-scripting (XSS) 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 5 Muito pouco falada e com alto nível crítico dentro das vulnerabilidades relatadas, o Cross-site-scripting (XSS)

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

OPORTUNIDADES CWI: Analista de Sistemas Sênior

OPORTUNIDADES CWI: Analista de Sistemas Sênior OPORTUNIDADES CWI: Analista de Sistemas Sênior - Experiência em levantamento de requisitos. - Elaboração de especificação funcional. - Desejável conhecimento em logística e transporte. Analista de Testes

Leia mais

Polycom RealPresence Content Sharing Suite Guia rápido do usuário

Polycom RealPresence Content Sharing Suite Guia rápido do usuário Polycom RealPresence Content Sharing Suite Guia rápido do usuário Versão 1.2 3725-69877-001 Rev.A Novembro de 2013 Neste guia, você aprenderá a compartilhar e visualizar conteúdos durante uma conferência

Leia mais

Especificação e Automação Colaborativas de Testes utilizando a técnica BDD

Especificação e Automação Colaborativas de Testes utilizando a técnica BDD Especificação e Automação Colaborativas de Testes utilizando a técnica BDD Rafael Chiavegatto¹, Vanilton Pinheiro¹, Andréia Freitas Vieira¹, João Clineu¹, Erbett Hinton Oliveira¹, Ellen Barroso¹, Alexandre

Leia mais

Introdução ao Sistema. Características

Introdução ao Sistema. Características Introdução ao Sistema O sistema Provinha Brasil foi desenvolvido com o intuito de cadastrar as resposta da avaliação que é sugerida pelo MEC e que possui o mesmo nome do sistema. Após a digitação, os dados

Leia mais

Teste e Depuração de Sistemas Web. Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br)

Teste e Depuração de Sistemas Web. Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br) Teste e Depuração de Sistemas Web Prof. Fellipe Aleixo (fellipe.aleixo@ifrn.edu.br) Testando Aplicações Web Ê É bem mais complicado testar interfaces Web do que classes de objetos Ê Aplicações WEB não

Leia mais

Guia Rápido ClaireAssist

Guia Rápido ClaireAssist Guia Rápido ClaireAssist Informações do Evento Nossa equipe de Operações enviará por email todos os dados para o evento. Você receberá dois numeros de acesso, um para moderador e outro para os participantes,

Leia mais

Rede de Laboratórios de Produtividade de Software

Rede de Laboratórios de Produtividade de Software Rede de Laboratórios de Produtividade de Software Testes em aplicações WEB Uma Visão Geral Programa de Capacitação em Testes de Software Desktop system WEB system Ambiente de aplicativo da Web Rede de

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS 1 Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS EDILBERTO SILVA 1, AQUILA ISRAEL (1316079) 2, CYNTHIA FERREIRA (1316079) 2, MARKO DE CASTRO (1316119) 2, RAFAELA ALMEIDA (1316189)

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DE DOCUMENTOS PARA CERTAMES SIGEDCERT - MODO USUÁRIO

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DE DOCUMENTOS PARA CERTAMES SIGEDCERT - MODO USUÁRIO MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DE DOCUMENTOS PARA CERTAMES SIGEDCERT - MODO USUÁRIO 1. Acesse através do navegador (preferencialmente Mozilla Firefox ou Google Chrome) o endereço web do sistema:

Leia mais

Manual 2010 Webmaster

Manual 2010 Webmaster Manual 2010 Webmaster Menu 1. Acesso ao sistema 2. Campanhas 2.1 Ver Campanhas Disponíveis 2.2 Minhas Campanhas 3. Formatos 3.1 Banners Automáticos 3.2 Banners Manuais 3.3 E-mail Marketing 3.4 Vitrines

Leia mais

AutoTest Um Framework Reutilizável para a Automação de Teste Funcional de Software

AutoTest Um Framework Reutilizável para a Automação de Teste Funcional de Software AutoTest Um Framework Reutilizável para a Automação de Teste Funcional de Software Marcelo Fantinato CPqD Telecom & IT Solutions UNICAMP Instituto de Computação Campinas SP Agenda Motivação Objetivo Automação

Leia mais

Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos

Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos Este tutorial visa preparar o computador com os softwares necessários para a utilização dos sistemas de visualização

Leia mais

Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2

Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2 Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center Versão 5.4.2 2006-2014 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que seja expressamente concedido por escrito, nenhuma licença é

Leia mais

Tutorial Zotero (UFJF)

Tutorial Zotero (UFJF) Tutorial Zotero (UFJF) Um guia elaborado pelo GET Luiz Gonzaga Engenharia de Produção / UFJF Elaboração Felipe Oliveira Gustavo Mol Maria Daibert 1 Introdução O Zotero Um gerenciador de citações. Projetado

Leia mais

KalumaFin. Manual do Usuário

KalumaFin. Manual do Usuário KalumaFin Manual do Usuário Sumário 1. DICIONÁRIO... 4 1.1 ÍCONES... Erro! Indicador não definido. 1.2 DEFINIÇÕES... 5 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 7 3. ACESSAR O SISTEMA... 8 4. PRINCIPAL... 9 4.1 MENU

Leia mais

Instalando e Atualizando a Solução... 3. Arquivos de Instalação... 4. Instalação do Servidor de Aplicação... 7. Instalação JDK...

Instalando e Atualizando a Solução... 3. Arquivos de Instalação... 4. Instalação do Servidor de Aplicação... 7. Instalação JDK... Instalando e Atualizando a Solução... 3 Arquivos de Instalação... 4 Instalação do Servidor de Aplicação... 7 Instalação JDK... 7 Instalação Apache Tomcat... 8 Configurando Tomcat... 9 Configurando Banco

Leia mais

CAPÍTULO 4. AG8 Informática

CAPÍTULO 4. AG8 Informática 2ª PARTE CAPÍTULO 4 Este capítulo têm como objetivo: 1. Tratar das etapas do projeto de um Website 2. Quais os profissionais envolvidos 3. Administração do site 4. Dicas para não cometer erros graves na

Leia mais

PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE RASTREAMENTO PARA COMPUTADORES

PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE RASTREAMENTO PARA COMPUTADORES UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE RASTREAMENTO PARA COMPUTADORES Bárbara Dias Pereira Prof. Miguel Alexandre Wisintainer, Orientador ROTEIRO DA

Leia mais

Apresentação da Empresa. CAPO Software. your team more agile

Apresentação da Empresa. CAPO Software. your team more agile Apresentação da Empresa CAPO Software QUEM SOMOS A CAPO SOFTWARE é provedora de serviços diversificados de TI com vasta experiência em desenvolvimento de sistemas e processo de configuração que compreende

Leia mais

Adobe Connect Manual de Início Rápido para o Participante

Adobe Connect Manual de Início Rápido para o Participante M A N U A L D O U S U Á R I O Adobe Connect Manual de Início Rápido para o Participante Software Necessário para Participar de uma Reunião O Adobe Connect apenas requer que você tenha uma conexão de internet

Leia mais

Experiência em Automação do Processo de Testes em Ambiente Ágil com SCRUM e ferramentas OpenSource

Experiência em Automação do Processo de Testes em Ambiente Ágil com SCRUM e ferramentas OpenSource Experiência em Automação do Processo de Testes em Ambiente Ágil com SCRUM e ferramentas OpenSource Eliane F. Collins 1, Luana M. de A. Lobão 1, 2 1 Instituto Nokia de Tecnologia (INdT) Caixa Postal 7200

Leia mais

O sistema está pedindo que eu faça meu login novamente e diz que minha sessão expirou. O que isso significa?

O sistema está pedindo que eu faça meu login novamente e diz que minha sessão expirou. O que isso significa? Que tipo de navegadores são suportados? Preciso permitir 'cookies' O que são 'cookies' da sessão? O sistema está pedindo que eu faça meu login novamente e diz que minha sessão expirou. O que isso significa?

Leia mais

Estrutura de Relacionamento:

Estrutura de Relacionamento: 1 Índice Por que ter Guia de Relacionamento e Suporte?... 3 Qual a Estrutura de Relacionamento com o Cliente?... 3 Agente de Atendimento (CAT):... 3 Gerente de Contas (GC):... 3 Gerente de Serviço (GS):...

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI Setembro de 2013 Objetivo: Esse manual, baseado no manual GLPI feito pela DTI, tem como objetivo principal instruir os usuários quanto à utilização do GLPI, sistema

Leia mais

Model Checking of Statecharts using Automatic White Box Test Generation

Model Checking of Statecharts using Automatic White Box Test Generation Model Checking of Statecharts using Automatic White Box Test Generation Um artigo de: Doron Drusinsky (Cupertino, CA) Apresentado por: Charles-Edouard Winandy Disciplina: CSE310-4 Engenharia de Software

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS Servidor: O servidor é todo computador no qual um banco de dados ou um programa (aplicação) está instalado e será COMPARTILHADO para outros computadores,

Leia mais

SUPPORTER TEST - FERRAMENTA DE APOIO AO GERENCIAMENTO DE TESTES DE SOFTWARE

SUPPORTER TEST - FERRAMENTA DE APOIO AO GERENCIAMENTO DE TESTES DE SOFTWARE CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CASSIANO PATRIC WEISS SUPPORTER TEST - FERRAMENTA DE APOIO AO GERENCIAMENTO DE TESTES DE SOFTWARE

Leia mais

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador Microsoft Internet Explorer Browser/navegador/paginador Browser (Navegador) É um programa que habilita seus usuários a interagir com documentos HTML hospedados em um servidor web. São programas para navegar.

Leia mais

Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software. Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl

Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software. Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Gerência de Configuração

Leia mais

O CONCEITO DE TDD NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

O CONCEITO DE TDD NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE O CONCEITO DE TDD NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Renan Leme Nazário, Ricardo Rufino Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR - Brasil renazariorln@gmail.com, ricardo@unipar.br Resumo. Este artigo

Leia mais

Introdução a Engenharia de Software. Alterações na aula do Prof. Reinaldo Bianchi Alterado por: Antonio Carlos Souza ADS - IFBA

Introdução a Engenharia de Software. Alterações na aula do Prof. Reinaldo Bianchi Alterado por: Antonio Carlos Souza ADS - IFBA Introdução a Engenharia de Software Alterações na aula do Prof. Reinaldo Bianchi Alterado por: Antonio Carlos Souza ADS - IFBA Bibliografia Engenharia de Software, Roger Pressman, Makron Books: o mais

Leia mais

Universidade Estadual de Campinas UNICAMP. Instituto de Física Gleb Wataghin - IFGW RELATÓRIO FINAL

Universidade Estadual de Campinas UNICAMP. Instituto de Física Gleb Wataghin - IFGW RELATÓRIO FINAL Universidade Estadual de Campinas UNICAMP Instituto de Física Gleb Wataghin - IFGW RELATÓRIO FINAL INSERÇÃO DE LEGENDAS EM VÍDEOS DA DISCIPLINA INSTRUMENTAÇÃO PARA O ENSINO Gustavo Benedetti Rossi José

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Aplicações Desktop: Swing/SubMacroForms. Carlos Renato Alves Gouveia Novembro/2008 cgouveia@fes.br

Aplicações Desktop: Swing/SubMacroForms. Carlos Renato Alves Gouveia Novembro/2008 cgouveia@fes.br Aplicações Desktop: Swing/SubMacroForms Carlos Renato Alves Gouveia Novembro/2008 cgouveia@fes.br Carlos Renato Alves Gouveia Especialista em Engenharia de Web Sites pela UFMS; Professor Universitário

Leia mais

SISTEMA DISTRIBUÍDO DE MONITORAMENTO/DETERMINAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DIPONÍVEIS DE UM AMBIENTE DE GRID COMPUTACIONAL

SISTEMA DISTRIBUÍDO DE MONITORAMENTO/DETERMINAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DIPONÍVEIS DE UM AMBIENTE DE GRID COMPUTACIONAL SISTEMA DISTRIBUÍDO DE MONITORAMENTO/DETERMINAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DIPONÍVEIS DE UM AMBIENTE DE GRID COMPUTACIONAL Thais Cabral de Mello, Bruno Schulze, Luis Rodrigo de Oliveira Gonçalves 1 Laboratório

Leia mais