CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE"

Transcrição

1 unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE Ecotoxicologia dos Agrotóxicos e Saúde Ocupacional 1a. Aula - Conceitos de ecotoxicologia e de agrotóxicos Dr. Joaquim Gonçalves Machado Neto Prof. Titular Responsável pela Disciplina Ago/2016

2 1a. Aula - Conceitos de ecotoxicologia e de agrotóxicos TEÓRICA 1 - Introdução 2 - Conceitos em ecotoxicologia. 3 - Agrotóxicos: conceitos, nomenclatura, classes de uso, consumo mundial e no Brasil. 4 - Legislação atual sobre agrotóxicos: rótulos e bulas. PRÁTICA - Reconhecimento de nomes e classes de uso de. agrotóxicos, leitura de rótulos e bulas

3 unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE ÁREAS DE: - Entomologia Agrícola - Nematologia Agrícola - Acarologia Agrícola - Fitopatologia - Matologia A G R O T Ó X I C O S -Tecnologia de Aplicação dos Agrotóxicos -Ecotoxicologia dos Agrotóxicos e Saúde Ocupacional - Disciplina Obrigatória - Curso de Graduação em Agronomia - 6o. Período 3 h / semana (45 h/semestre) Conteúdo: Três Blocos: Prof. Resp. Dr. Joaquim G. Machado Neto - Conhecendo os Agrotóxicos - Segurança Ocupacional - Segurança Ambiental

4 ECOTOXICOLOGIA Definida por Truhaut (1969) e Butler (1978) como: Ramo da Toxicologia que estuda os efeitos tóxicos das substâncias, naturais e artificiais, sobre os organismos vivos, animais ou vegetais, aquáticos ou terrestres, que constituem a biosfera.

5 A ECOTOXICOLOGIA ESTUDA: 1. A emissão, entrada, distribuição e destino dos poluentes nos diferentes compartimentos abióticos. 2. A entrada e o destino dos poluentes nas cadeias biológicas e as formas de transferência nas cadeias tróficas. 3. Efeitos qualitativo e quantitativo dos efeitos tóxicos dos poluentes ao ecossistema, incluindo o homem.

6 PARÂMETROS TOXICOLOGIA ECOTOXICOLOGIA ORGANISMOS TESTES EXTRAPO- LAÇÃO OBJETIVO RATOS, COELHOS, COBAIAS, CÃES. HOMEM PROTEÇÃO DOS INDIVÍDUOS AQUÁTICOS: ALGAS, MICROCRUSTÁCEOS, PEIXES. TERRESTRES: MICROORGANISMOS, MINHOCAS, PLANTAS, AVES. ECOSSISTEMA MANUTENÇÃO DA ESTRUTURA E DAS FUNÇÕES DOS SISTEMAS NATURAIS

7 - Agrofármaco AGROTÓXICOS : SINONÍMIAS - Agrotóxico - Defensivo Agrícola - Produto Fitossanitário - Pesticida - Agroquímico - Fitofármaco - Fitoterápico

8 AGROTÓXICOS : NOMENCLATURA 1.NOME QUÍMICO: É a expressão da fórmula estrutural. É dado de acordo com as regras do Código Internacional de Nomenclatura Química. Ácído 2,4-diclorofenoxiacético.

9 NOMENCLATURA DOS AGROTÓXICOS 2. NOME COMUM: É de uso internacional, são neologismos formados artificialmente, válidos quando aprovados por entidades oficialmente credenciadas. Ácído 2,4-diclorofenoxiacético. 2,4-D

10 NOMENCLATURA DOS AGROTÓXICOS 2. NOME COMUM: É de uso internacional, são neologismos formados artificialmente, válidos quando aprovados por entidades oficialmente credenciadas. USA WSSA Weed Science Society of Am. ANSI America National Standards Inst. INGLATERRA BSI British Standards Institut. SUIÇA - ISO International Standards Organization JAPÃO: JMAF Japanese Ministry of Agriculture and Forestry.

11 NOMENCLATURA DOS AGROTÓXICOS 2. NOME COMUM: 2,4-D CRITÉRIOS PARA CRIAÇÃO DO NOME COMUM: 1. Fácil pronuncia em qualquer língua 2. Não se assemelhar a palavras em qualquer língua 3. Não conflitar com marcas em qualquer país Desejável alguma relação com o nome químico

12 NOMENCLATURA DOS AGROTÓXICOS 3. NOME COMERCIAL OU DE FANTASIA: É um nome dado pelo fabricante e tem grafia própria e é propriedade particular do registrante. O nome comercial é registrado no Ministério da Agricultura, para comercialização no país. Normalmente é identificado pelo símbolo à direita e acima do nome (Roundup ).

13 LEGISLAÇÃO : HISTÓRICO... Lei de 11/07/1989 / Dec. Lei de 11/01/90 Lei de 06/06/00 Descarte das embalagens vazias Altera a Lei n 7.802, de 11/07/1989, Dec de 27/07/00 / Dec de 21/12/00 Dec de 31/05/01 (prazo de 1 ano para distribuidores atenderem requisitos da Lei 9.974) Decreto Lei de 04/01/02 13

14 título: Decreto nº 4074, de 04 de janeiro de 2002 alcance do ato: federal - Brasil área de atuação: Tecnologia de Serviços de Saúde, Toxicologia relacionamento(s): atos relacionados: Lei nº 9.294, de 15 de julho de 1996 Decreto nº 2.018, de 01 de outubro de 1996 regulamenta: Lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989 revoga: Decreto nº , de 11 de janeiro de 1990 Decreto nº , de 26 de outubro de 1990 Decreto nº 991, de 24 de novembro de 1993 Decreto nº 3.550, de 27 de julho de 2000 Decreto nº 3.694, de 21 de dezembro de 2000 Decreto nº 3.828, de 31 de maio de

15 AGROTÓXICOS LEI 7.802, DE 11/07/89 (Lei dos agrot.) - Art Agrotóxicos e afins: a) os produtos e os agentes de processos físicos, químicos ou biológicos, destinados ao uso nos setores de produção, no armazenamento e beneficiamento de produtos agrícolas, nas pastagens, na proteção de florestas, nativas ou implantadas, e de outros ecossistemas e também de ambientes urbanos, hídricos e industriais, cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, a fim de preservá-la da ação danosa de seres vivos considerados nocivos, b) substâncias e produtos empregados como desfolhantes, dessecantes, estimulantes e inibidores de crescimento.

16 CLASSES DE USO DOS AGROTÓXICOS 1. Herbicidas* 10. Fumigantes 2. Inseticidas* 11. Inset. biológicos 3. Fungicidas* 12. Moluscicidas 4. Acaricidas* 13. Espalhante ades. 5. Nematicidas* 14. Antibrotantes 6. Regulad. de cresc. 15. Antievaporantes 7. Formicidas 16. Dessecantes 8. Bactericidas* 17. Estim. horm. veg. 9. Feromônios 18. Rodenticidas

17 CONSUMO MUNDIAL DE AGROTÓXICOS

18 CONSUMO MUNDIAL DE AGROTÓXICOS As vendas de agrotóxicos no período cresceram 96,7% no mundo e 189,6% no Brasil.

19

20

21

22 CONSUMO MUNDIAL DE AGROTÓXICOS

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40 LEGISLAÇÃO SOBRE AGROTÓXICOS Decreto nº 4.074, de 4 / 01 / 2002, regulamenta a Lei ATIVIDADES UNIÃO ESTADOS MUNICÍPIOS 1. Registro X 2. Fiscalização X 3. Classificação X 4. Controle X 5. Inspeção X 6. Pesquisa X 7. Experimentação X 8. Rotulagem X 9. Embalagem X 10. Propaganda Comercial X 11. Importação X 12. Exportação X 13. Produção X X 14. Transporte X X 15. Armazenamento X X 16. Comercialização X X 17. Utilização X X 18. Destino Final de Resíduos e Embalagens X X X

41 RECEITUÁRIO AGRONÔMICO Lei 7.802, de 11/07/89 (Lei dos Agrotóxicos). Lei de 24/12/66 Regulamenta o Exercício Profissional de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos. Resolução CONFEA 344 de 27/07/90 - Competência dos Engenheiros Agrônomos e Engenheiros Florestais para PRESCREVER RECEITAS e assumir responsabilidades técnicas sobre: Pesquisa, Experimentação, Classificação, Produção, Embalagem, Transporte, Armazenamento, Comercialização, Inspeção, Fiscalização e Aplicação de agrotóxicos e afins.

42 Lei Art. 7º - para serem vendidos ou expostos à venda em todo território nacional, os agrotóxicos e afins ficam obrigados a exibir rótulos próprios, redigidos em português, que contenham,... Decreto nº 4.074, Rotulagem o ato de identificação impresso ou litografado, bem como dizeres ou figuras pintadas ou gravadas a fogo, por pressão ou decalque, aplicados sobre quaisquer tipos de embalagens unitária de agrotóxico ou afins, ou sobre qualquer outro tipo de proteção de embalagem incluída a complementação sob forma de etiqueta, carimbo indelével, bula ou folheto.

43 Decreto nº 4.074, Cap II Das competências, Art. 5º Responsabilidades para estabelecer os parâmetros da rotulagem de agrotóxicos e afins. quanto às informações técnico-agronômicas M. A. quanto às precauções de uso e cuidados com a saúde humana Ministério da Saúde. quanto às precauções de uso e proteção da qualidade ambiental; M. Interior - M. Meio Ambiente (IBAMA).

44 Decreto nº 4.074, Cap III - DOS REGISTROS SEÇÃO I I Requerimento em 4 vias, solicitando o registro... II Relatório técnico I M. A.... modelo de rótulo e bula III Relatório técnico II Ministério da Saúde IV Relatório técnico III - IBAMA Deverão constar obrigatoriamente do rótulo de agrotóxicos e afins, conforme modelo do anexo IV.

45 Nos rótulos deverão ser observados: I. data de fabricação e vencimento (mês e ano), II. confeccionado em fundo branco e dizeres em letras pretas, III. conste pictogramas internacionalmente aceitos, dispostos ao longo da faixa de classificação toxicológica, em preto com o fundo branco. IV. confeccionados com materiais cuja qualidade assegure a devida resistência à ação dos agentes atmosféricos e manipulações.

46 B E C D A B FAIXA COLORIDA (B) B = A / 5 Colorido - Vermelho - classe I - Azul - classe III - Amarelo - classe II - Verde - classe IV Caveira Cuidado Veneno Pictogramas uso de EPIs e procedimentos

47 B E C D A B FAIXA COLORIDA (B) B = A / 5 Colorido - Vermelho - classe I - Azul - classe III - Amarelo - classe II - Verde - classe IV Caveira Cuidado Veneno Pictogramas uso de EPIs e procedimentos

48 Na coluna central (C) a) marca comercial. b) número de registro e sigla do órgão registrante. c) composição quali-quantitativa das formulações (nomes químico, comum, em português, ou científico - biológico, internacionalmente aceitos). d) % total dos ingredientes inértes. e) quantidade total do conteúdo (unidade de medida). f) classe e tipo de formulação. g) nome e endereço do registrante, fabricante, formulador ou importador,

49 Na coluna central (C) h) número do lote ou da partida, data de fabricação e de vencimento. i) recomendação em destaque para que o usuário leia o rótulo e a bula antes de utilizar o produto e que a conserve em seu poder, j) indicações se a formulação é explosiva, inflamável, comburente, corrosiva ou irritante, k) os dizeres: É OBRIGATÓRIO O USO DE EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA, PROTEJA- SE. l) classificação toxicológica. m) classificação pelo potencial de periculosidade ambiental (PPA)

50 Na coluna da esquerda (E) a) precauções de uso e advertências quanto aos cuidados de proteção ao meio ambiente; e b) instruções de armazenamento do produto, visando sua conservação e prevenção contra acidentes. Na coluna da direita (D) a) precauções de uso e recomendações gerais, quanto a primeiros socorros, antídotos e tratamentos, no que diz respeito à saúde humana, e b) telefone de três dígitos dos centros de informações toxicológicas

51 I INSTRUÇÕES DE USO: a) culturas; CONTER TODOS OS DADOS DO RÓTULO + b) pragas, doenças, plantas daninhas, etc (nome comum e científico); c) dosagens do i.a./ha ou %; d) modo de aplicação; e) intervalo de segurança, dias entre o uso e a colheita, consumo, próxima semeadura; f) intervalo de reentrada; g) limitação de uso; h) equipamento de aplicação; i) EPIs Equipamentos de Proteção Individual; j) destino final de embalagens e sobras.

52 CONTER TODOS OS DADOS DO RÓTULO + II PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA: a) mecanismo de ação, absorção e excreção; b) efeitos agudos e crônicos; c) efeitos colaterais III PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE IV OUTRAS INFORMAÇÕES

53 PRÁTICA - Reconhecimento de nomes e classes de uso de agrotóxicos, 1 - Nome do fabricante leitura de rótulos e bulas 2 - Nome Comercial 3 - Número de registro e sigla do órgão registrante 4 - Nome químico o ingrediente ativo, nome comum e concentração (% ou g/l ou kg). 5 Concentração dos ingredientes inertes (% ou g/l ou kg) 6 Conteúdo (volume) da embalagem 7 Classe de uso 8 - Tipo de formulação 9 Titular do Registro 10 Número do lote ou da partida 11 - Recomendação em destaque: Antes de usar o produto leia o rótulo e a bula antes de utilizar o produto e que a conserve em seu poder 12 - Data de fabricação e de vencimento 13 - Indicações se a formulação é explosiva, inflamável, comburente, corrosiva ou irritante 14 - Classificação toxicológica 15 Classificação do potencial de periculosidade ambiental 16 - Telefones de contato

Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas. Exigências legais do MAPA. Jaguariúna SP junho de 2009

Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas. Exigências legais do MAPA. Jaguariúna SP junho de 2009 Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas Exigências legais do MAPA Jaguariúna SP junho de 2009 REGULAMENTAÇÃO Histórico da Legislação 1934: Decreto que aprova o Regulamento de

Leia mais

Registro de Agrotóxicos no Brasil

Registro de Agrotóxicos no Brasil Produtos Fitossanitários Registro de Agrotóxicos no Brasil HELEN CALAÇA 02/08/2016 O que é um agrotóxico? Produtos correlatos Impurezas FORMULAÇÃO INGREDIENTE ATIVO Produto Formulado Produto Comercial

Leia mais

XXX Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas Curitiba/PR, 23 de agosto de 2016

XXX Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas Curitiba/PR, 23 de agosto de 2016 PAINEL Aspectos Regulatórios da Área de Agrotóxicos: Processo de Reavaliação de Herbicidas no Brasil Avaliação e Reavaliação de Herbicidas: como funciona e o que o MAPA pode fazer. XXX Congresso Brasileiro

Leia mais

1. PÁTIO DE LAVAGEM 2. RESERVATÓRIO DE DECANTAÇÃO 3. CONJUNTO MOTOBOMBA 4. OZONIZADOR (1g de ozônio/hora) 5. RESERVATORIO DE OXIDAÇÃO (500 L PVC) 6.

1. PÁTIO DE LAVAGEM 2. RESERVATÓRIO DE DECANTAÇÃO 3. CONJUNTO MOTOBOMBA 4. OZONIZADOR (1g de ozônio/hora) 5. RESERVATORIO DE OXIDAÇÃO (500 L PVC) 6. Defensivos Agrícolas, Produtos Fitossanitários, Agrotóxicos ou Pesticidas? FCA / UNESP Campus de Botucatu DPV Defesa Fitossanitária raetano@fca.unesp.br TERMINOLOGIA Agrotóxicos: Lei dos Agrotóxicos 7.802/89

Leia mais

Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos

Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS VEIS - IBAMA Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos Reunião da Câmara Temática de Insumos Agropecuários

Leia mais

PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA. XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016

PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA. XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016 PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016 RESUMO Legislação Federal de Agrotóxicos Necessidade do

Leia mais

Insumos Naturais: conceitos de registro e controle de qualidade. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins

Insumos Naturais: conceitos de registro e controle de qualidade. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins Insumos Naturais: conceitos de registro e controle de qualidade. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins A Origem do Controle Parte do processo evolutivo da agricultura. Primeiros

Leia mais

Fiscalização de Agrotóxicos e Afins no Estado de São Paulo

Fiscalização de Agrotóxicos e Afins no Estado de São Paulo Fiscalização de Agrotóxicos e Afins no Estado de São Paulo Jaguariúna, SP Junho de 2009 Davi Carvalho de Souza Engenheiro Agrônomo Fiscal Federal Agropecuário BRASIL LEGISLAÇÃO FEDERAL DE AGROTÓXICOS Lei

Leia mais

NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes.

NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes. NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes. Gerência Geral de Toxicologia - GGTOX Gerência de Saneantes - GESAN Diretoria de Autorização

Leia mais

Receituário Agronômico. Aspectos legais e a fiscalização

Receituário Agronômico. Aspectos legais e a fiscalização Receituário Agronômico Aspectos legais e a fiscalização CONFEA / CREA O CONSELHO FEDERAL Órgão regulador das profissões. A ele compete baixar as Resoluções e demais normativos que dão corpo ao exercício

Leia mais

MISTURAS DE DEFENSIVOS

MISTURAS DE DEFENSIVOS MISTURAS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS EM TANQUE Ac. Albert Kenji Hirose Ac. André Hiroshi Kobayashi Ac. Fausto Nimer Terrabuio Ac. Gustavo Takeshi Hacimoto INTRODUÇÃO Misturas em tanque associações de dois

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS CAPÍTULO III MODELO DE BULA E RÓTULO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS CAPÍTULO III MODELO DE BULA E RÓTULO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE INSUMOS AGRICOLAS COORDENAÇÃO-GERAL DE AGROTÓXICOS E AFINS MANUAL DE PROCEDIMENTOS CAPÍTULO III MODELO DE BULA E RÓTULO BULA Registrado

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE ROTULAGEM OBRIGATÓRIA GERAL PARA PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL, COSMÉTICOS E PERFUMES

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE ROTULAGEM OBRIGATÓRIA GERAL PARA PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL, COSMÉTICOS E PERFUMES MERCOSUL/GMC/RES. N 36/04 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE ROTULAGEM OBRIGATÓRIA GERAL PARA PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL, COSMÉTICOS E PERFUMES TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro

Leia mais

Registro e Fiscalização de Agrotóxicos e Afins

Registro e Fiscalização de Agrotóxicos e Afins Registro e Fiscalização de Agrotóxicos e Afins Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins Departamento de Fiscalização de Insumos Agrícolas Secretaria de Defesa Agropecuária Luís Eduardo Pacifici Rangel

Leia mais

Ministério da Saúde - MS Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. (Publicada em DOU nº 181, de 18 de setembro de 2003)

Ministério da Saúde - MS Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. (Publicada em DOU nº 181, de 18 de setembro de 2003) RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 252, DE 16 DE SETEMBRO DE 2003 (Publicada em DOU nº 181, de 18 de setembro de 2003) A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da

Leia mais

LEGISLAÇÃO: MARCO REGULATÓRIO PARA O TRATAMENTO DE SEMENTES NO BRASIL

LEGISLAÇÃO: MARCO REGULATÓRIO PARA O TRATAMENTO DE SEMENTES NO BRASIL LEGISLAÇÃO: MARCO REGULATÓRIO PARA O TRATAMENTO DE SEMENTES NO BRASIL Júlio César Garcia Fiscal Federal Agropecuário LASO/LANAGRO/MG José Maurício Pereira Fiscal Federal Agropecuário UTRA/LRV/SDFA/MG Piracicaba/SP

Leia mais

PROFESSOR (A): Fernando Joly Campos, Leandro Luiz Marcuzzo, Rosana Ceolin Meneghetti.

PROFESSOR (A): Fernando Joly Campos, Leandro Luiz Marcuzzo, Rosana Ceolin Meneghetti. CURSO: Bacharelado em Agronomia DISCIPLINA: Defensivos Agrícolas (AG-57) TURMA: 5ª Fase SEMESTRE LETIVO: 1º/2016 CARGA HORARIA SEMESTRAL: 60horas PRÉ-REQUISITO: Química Geral e Orgânica (AG-14) PLANO DE

Leia mais

CHECK LIST PARA AVALIAÇÃO DE ROTULAGEM DE ALIMENTOS EMBALADOS Identificação da empresa: Designação do produto: Marca: Nome fantasia ou complemento de marca: INFORMAÇÕES GERAIS OBRIGATÓRIAS Conforme 1.1

Leia mais

O Paradoxo do Controle fitossanitário: conceito legal e prático. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins

O Paradoxo do Controle fitossanitário: conceito legal e prático. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins O Paradoxo do Controle fitossanitário: conceito legal e prático. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins A Origem do Controle Parte do processo evolutivo da agricultura. Primeiros

Leia mais

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Tipo de formulação: Aplicação: Empresa: N o : IL-013 SCORE 250 EC Líquido, concentrado emulsionável. Fungicida sistêmico do grupo dos triazóis.

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 5, DE 2 DE ABRIL DE 2012

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 5, DE 2 DE ABRIL DE 2012 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 5, DE 2 DE ABRIL DE 2012 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁ- RIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros

Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros MARCOS VINÍCIUS DE S. LEANDRO Jr. Médico Veterinário Fiscal Federal Agropecuário Ministério da Agricultura,

Leia mais

LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989

LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989 LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989 Dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização,

Leia mais

VENDA RESPONSÁVEL DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS DE USO PROFISSIONAL

VENDA RESPONSÁVEL DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS DE USO PROFISSIONAL Seminário Uso Sustentável de Produtos Fitofarmacêuticos VENDA RESPONSÁVEL DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS DE USO PROFISSIONAL Maria Paula Mourão DGAV Direção de Serviços de Meios de Defesa Sanitária SITUAÇÃO

Leia mais

Prof. Dr. Casimiro Dias Gadanha Jr. DER/ESALQ/USP

Prof. Dr. Casimiro Dias Gadanha Jr. DER/ESALQ/USP LER 432 Máquinas e Implementos Agrícolas TÓPICO: Máquinas para Aplicação de Produtos Fitossanitários Prof. Dr. Casimiro Dias Gadanha Jr. DER/ESALQ/USP AGROTÓXICO Sinônimos: Produto Fitossanitário Pesticida

Leia mais

LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE PREENCHER A RECEITA AGRONÔMICA

LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE PREENCHER A RECEITA AGRONÔMICA LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE PREENCHER A RECEITA AGRONÔMICA 1. A distribuição do Receituário Agronômico 1 ART, conforme modelo determinado pela Câmara de Agronomia, é efetuada pelo CREA-BA, através de sua

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO (FISPQ / MSDS) PEROXYDEX LOÇÃO

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO (FISPQ / MSDS) PEROXYDEX LOÇÃO FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO (FISPQ / MSDS) PEROXYDEX LOÇÃO 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Identificação do produto: Uso do produto: Descrição do produto: PEROXYDEX LOÇÃO

Leia mais

unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Ecotoxicologia dos Agrotóxicos e Saúde Ocupacional 2a. Aula Embalagens de agrotóxicos - Ago/2016

unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Ecotoxicologia dos Agrotóxicos e Saúde Ocupacional 2a. Aula Embalagens de agrotóxicos - Ago/2016 unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE Ecotoxicologia dos Agrotóxicos e Saúde Ocupacional 2a. Aula Embalagens

Leia mais

DEFINE FORMULÁRIO DE RECEITA AGRONÔMICA INFORMATIZADA E REGULAMENTA A IMPRESSÃO : E UTILIZAÇÃO DO RECEITUÁRIO PERSONALIZADO

DEFINE FORMULÁRIO DE RECEITA AGRONÔMICA INFORMATIZADA E REGULAMENTA A IMPRESSÃO : E UTILIZAÇÃO DO RECEITUÁRIO PERSONALIZADO Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Espírito Santo Av. César Hilal, 700-1º andar - Bento Ferreira - Vitória - ES CEP 290-522-232 Tel.: (27) 3334-9900 FAX: (27) 3324-3644 CEEA DEFINE

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: KYARAD MR Page: (1 of 5) Data de elaboração: (04 /01 / 2006) Data de revisão: (16 / 08 / 2006) Número de Revisão: (01) ATENÇÃO: Leia

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº 1, DE 1º DE ABRIL DE 2004

INSTRUÇÃO NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº 1, DE 1º DE ABRIL DE 2004 Título: Instrução Normativa nº 1, de 01 de abril de 2004 Ementa não oficial: Ficam definido os procedimentos complementares para aplicação do Decreto n o 4.680, de 24 de abril de 2003, que dispõe sobre

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional.Nº 62 DOU 29/03/12 seção 1 - p.104

Diário Oficial Imprensa Nacional.Nº 62 DOU 29/03/12 seção 1 - p.104 Diário Oficial Imprensa Nacional.Nº 62 DOU 29/03/12 seção 1 - p.104 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL BRASÍLIA - DF MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO - RDC Nº 21, DE 28

Leia mais

Prescrição e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos

Prescrição e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos Colégio de Engenharia Agronómica O ACTO DE ENGENHARIA AGRONÓMICA Ordem dos Engenheiros 6 de Janeiro de 2006 O Acto de Engenharia Agronómica Prescrição e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos Paulo Cruz

Leia mais

Critérios para a avaliação ambiental de agrotóxicos no Brasil. Danilo Lourenço de Sousa Analista Ambiental

Critérios para a avaliação ambiental de agrotóxicos no Brasil. Danilo Lourenço de Sousa Analista Ambiental Critérios para a avaliação ambiental de agrotóxicos no Brasil Danilo Lourenço de Sousa Analista Ambiental Workshop Agrotóxicos: onde estamos? Jaguariúna, 8 de outubro de 2013 1 Registro de Agrotóxicos

Leia mais

LEI Nº DE 20 DE NOVEMBRO DE 2001

LEI Nº DE 20 DE NOVEMBRO DE 2001 LEI Nº 1.017 DE 20 DE NOVEMBRO DE 2001 Dispõe sobre produção, comercialização, transporte, armazenamento e uso de agrotóxicos, seus componentes e afins no Estado de Rondônia, revoga a Lei nº 693, de 27

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) ÓLEO PARA MÓVEIS Q BRILHO

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) ÓLEO PARA MÓVEIS Q BRILHO Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: ÓLEO PARA MÓVEIS Q BRILHO Códigos internos: 12/200 ml: 7570 Aplicação: Proteger, dar brilho e revitalizar a madeira. Empresa: BOMBRIL

Leia mais

NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE

NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Instituto Superior de Tecnologia NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira NR-32 Tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação

Leia mais

Rotulagem de Produtos Químicos. Profª Loraine Jacobs

Rotulagem de Produtos Químicos. Profª Loraine Jacobs Rotulagem de Produtos Químicos Profª Loraine Jacobs lorainejacobs@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.br/lorainejacobs Importância As substâncias perigosas constituem um fator de risco em todos

Leia mais

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicament os Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicamentos Aspectos gerais Situação atual... No Brasil ainda não se tem uma regulamentação específica no âmbito nacional relacionada

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) NO AR ODORIZANTE DE AMBIENTES (PINK e LE LIS)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) NO AR ODORIZANTE DE AMBIENTES (PINK e LE LIS) Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Códigos internos: Le Lis (12/300ml): 9025 Pink (12/300ml): 9026 Aplicação: Odorizar ambientes e tecidos. Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do produto: Código interno: 5042 Aplicação: secante abrilhantador de louças para máquinas de lavar louças Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE

Leia mais

AGRONOMIA. COORDENADOR Carlos Alberto de Oliveira

AGRONOMIA. COORDENADOR Carlos Alberto de Oliveira AGRONOMIA COORDENADOR Carlos Alberto de Oliveira calberto@ufv.br 42 Currículos dos Cursos UFV Engenheiro Agrônomo ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro Agrônomo desempenhar as atividades profissionais previstas

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Q BRILHO CERA AUTO BRILHO

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Q BRILHO CERA AUTO BRILHO Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Q BRILHO CERA AUTO BRILHO Códigos internos: Incolor 12/750 ml: 7530 12/500 ml: 7531 - Refil Vermelha 12/750 ml: 7532 12/500 ml: 7537

Leia mais

REGISTRO ESPECIAL TEMPORÁRIO- RET

REGISTRO ESPECIAL TEMPORÁRIO- RET REGISTRO ESPECIAL TEMPORÁRIO- RET REUNIÃO TÉCNICA SOBRE PESQUISA COM AGROTÓXICO CURITIBA, 30 DE JULHO DE 2015 P Á T R I A E D U C A D O R A FASES DA PESQUISA Art. 6º A pesquisa e a experimentação serão

Leia mais

DOCUMENTO N : DATA DE ELABORAÇÃO: DATA DE REVISÃO: REVISÃO N : PÁGINA: FISPQ /11/ /11/ de 5

DOCUMENTO N : DATA DE ELABORAÇÃO: DATA DE REVISÃO: REVISÃO N : PÁGINA: FISPQ /11/ /11/ de 5 FISPQ.010 22/11/2016 22/11/2016 00 1 de 5 1.IDENTIFICAÇÃO Nome do Produto: Citronela Biocarb Nome da Empresa: Bio Carb Indústria Química Ltda. Endereço: Rua Luiz Valenza nº 100 Bairro: CIC, CEP: 81350-080.

Leia mais

ENGENHEIRO AGRÔNOMO: ATRIBUIÇÕES, FORMAÇÃO, PERFIL PROFISSIONAL E MERCADO DE TRABALHO

ENGENHEIRO AGRÔNOMO: ATRIBUIÇÕES, FORMAÇÃO, PERFIL PROFISSIONAL E MERCADO DE TRABALHO ENGENHEIRO AGRÔNOMO: ATRIBUIÇÕES, FORMAÇÃO, PERFIL PROFISSIONAL E MERCADO DE TRABALHO 0110113 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA AGRONÔMICA PIRACICABA 22/02/2016 ATRIBUIÇÕES Biológicas (23%) 1. Biologia Geral 2.

Leia mais

SABONETE LÍQUIDO SANDOMIS Sabonete Líquido para mãos

SABONETE LÍQUIDO SANDOMIS Sabonete Líquido para mãos Página 1 de 5 FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS SABONETE LÍQUIDO SANDOMIS Sabonete Líquido para mãos 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Produto: Nome Comercial: Empresa: Sabonete

Leia mais

A Proteção de Dados Como Incentivo à Inovação na Defesa Vegetal

A Proteção de Dados Como Incentivo à Inovação na Defesa Vegetal A Proteção de Dados Como Incentivo à Inovação na Defesa Vegetal José Eduardo Vieira de Moraes ANDEF Associação Nacional de Defesa Vegetal São Paulo, 25 de agosto de 2014 Desafios Por que Precisamos das

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS EM TOXICOLOGIA

CONCEITOS BÁSICOS EM TOXICOLOGIA CONCEITOS BÁSICOS EM TOXICOLOGIA Conceitos básicos TOXICOLOGIA: Agente tóxico Organismo vivo efeito nocivo 1 Transdisciplinaridade Patologia Saúde Pública Química Física Estatística TOXICOLOGIA Farmacologia

Leia mais

Fiscalização de Produtos para Alimentação Animal

Fiscalização de Produtos para Alimentação Animal Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso do Sul Serviço de Fiscalização de Insumos Pecuários Fiscalização de Produtos para Alimentação

Leia mais

Portaria nº 152, de 26 de fevereiro de 1999 (Publicada no DOU - Poder Executivo, 01 de março de 1999)

Portaria nº 152, de 26 de fevereiro de 1999 (Publicada no DOU - Poder Executivo, 01 de março de 1999) Portaria nº 152, de 26 de fevereiro de 1999 (Publicada no DOU - Poder Executivo, 01 de março de 1999) Alteração: ** Resolução nº 150, de 28 de maio de 1999, autoriza a inclusão da substância ÁCIDO DICLOROISOCIANÚRICO

Leia mais

Sistema AGRIS - Categorias de Assuntos: A AGRICULTURA. A01 Agricultura - aspectos gerais. A50 Investigação B GEOGRAFIA E HISTÓRIA.

Sistema AGRIS - Categorias de Assuntos: A AGRICULTURA. A01 Agricultura - aspectos gerais. A50 Investigação B GEOGRAFIA E HISTÓRIA. Sistema AGRIS - Categorias de Assuntos: A AGRICULTURA A01 Agricultura - aspectos gerais A50 Investigação B GEOGRAFIA E HISTÓRIA B10 Geografia B50 História C EDUCAÇÃO, EXTENSÃO E INFORMAÇÃO C10 Educação

Leia mais

Currículo do Curso de Agronomia

Currículo do Curso de Agronomia Currículo do Curso de Agronomia Engenheiro Agrônomo ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro Agrônomo desempenhar as atividades profissionais previstas na Resolução nº 218, de 29.6.73, do CONFEA, e atuar nos seguintes

Leia mais

Histórico, Evolução e Conceitos Básicos da Toxicologia... 1

Histórico, Evolução e Conceitos Básicos da Toxicologia... 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... PREFÁCIO... IX XI CAPÍTULO 1 Histórico, Evolução e Conceitos Básicos da Toxicologia.... 1 1.1 CONCEITOS E ELEMENTOS BÁSICOS.... 5 1.1.1 A Substância... 6 1.1.2 O Organismo Afetado....

Leia mais

DESENGRAXANTE SANDOMIS Limpador de Uso Geral

DESENGRAXANTE SANDOMIS Limpador de Uso Geral Página 1 de 5 FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS DESENGRAXANTE SANDOMIS Limpador de Uso Geral 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Produto: Nome Comercial: Empresa: Desengraxante

Leia mais

FISPQ DP /01/2012 Página 1 de 6

FISPQ DP /01/2012 Página 1 de 6 Página 1 de 6 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: HCl Algicida Choque Aplicação: Eliminação de Algas Nome da Empresa: Hidroall

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 7 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome: Sabão em Barra Limpol com Amaciante Código interno: 15503 Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 0800 014 8110 2 - COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES

Leia mais

KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO

KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO NOVEMBRO 2016 OGM NO BRASIL: SAÚDE E MEIO AMBIENTE 2º maior consumidor de sementes transgênicas > 40 mi ha plantados OGM NO BRASIL: SAÚDE E MEIO AMBIENTE 2º maior

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE SEGURANÇA DE BICICLETAS DE USO INFANTIL

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE SEGURANÇA DE BICICLETAS DE USO INFANTIL MERCOSUR/GMC/RES. N 45/03 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE SEGURANÇA DE BICICLETAS DE USO INFANTIL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Decisões Nº4/91 e 20/02 do Conselho

Leia mais

Resíduos eletro-eletrônicos. Identificação de Gargalos e Oportunidades na Gestão Adequada

Resíduos eletro-eletrônicos. Identificação de Gargalos e Oportunidades na Gestão Adequada Resíduos eletro-eletrônicos Identificação de Gargalos e Oportunidades na Gestão Adequada Junho de 2009 Alguns Modelos utilizados no mundo: Modelo Responsabilidade ampliada do Produtor - responsabiliza

Leia mais

Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Espaços Verdes

Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Espaços Verdes Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Espaços Verdes Mod 10-381 rev 0 Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação de

Leia mais

II - marcas comerciais registradas que utilizam o ingrediente ativo, os números de seus registros e seus respectivos titulares; e

II - marcas comerciais registradas que utilizam o ingrediente ativo, os números de seus registros e seus respectivos titulares; e INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 17, DE 29 DE MAIO DE 2009 O Presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA, no uso das atribuições que lhe confere o inciso V, art.

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ. Produto: PROTETOX NS EMULSÃO Data da última revisão: 01/11/2010 Página: 1 de 6

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ. Produto: PROTETOX NS EMULSÃO Data da última revisão: 01/11/2010 Página: 1 de 6 Data da última revisão: 01/11/2010 Página: 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome: Código interno de identificação: 000027 Nome da empresa: Endereço: PROTETOX NS EMULSÃO Telefone para emergências:

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 5 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Esponja Bombril Códigos Internos: Antiaderente Superfícies Delicadas: Unitária 17014 / Embalagem Econômica 17023 Multiuso Limpeza

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos NEUTROL

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos NEUTROL 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: Nome da empresa: Otto Baumgart Ind. e Com. S/A Endereço: Rua Coronel Marcílio Franco, 1063 São Paulo S.P. Telefone da empresa: (11) 6901-5522 /

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do produto: Códigos internos: Gatilho (12X500 ml): 07104 Refil (12X500 ml): 07105 Squeeze (12X500 ml): 07106 Aplicação: Limpa Vidros. Empresa:

Leia mais

FISCALIZAÇÃO DO COMÉRCIO E USO DE AGROTÓXICOS NO RIO GRANDE DO SUL. Departamento de Defesa Agropecuária Divisão de Insumos e Serviços Agropecuários

FISCALIZAÇÃO DO COMÉRCIO E USO DE AGROTÓXICOS NO RIO GRANDE DO SUL. Departamento de Defesa Agropecuária Divisão de Insumos e Serviços Agropecuários FISCALIZAÇÃO DO COMÉRCIO E USO DE AGROTÓXICOS NO RIO GRANDE DO SUL Departamento de Defesa Agropecuária Divisão de Insumos e Serviços Agropecuários 1 O que são agrotóxicos e afins? DEFINIÇÃO (Art. 1, inciso

Leia mais

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Algicida de Fibra e Vinil Aplicação: Desinfetante para piscinas Nome da Empresa: Marco Antonio Spaca Piscinas EPP Endereço: Rua: João Paulino dos

Leia mais

9. Classificação de agentes químicos quanto a toxicidade e periculosidade

9. Classificação de agentes químicos quanto a toxicidade e periculosidade 9. Classificação de agentes químicos quanto a toxicidade e periculosidade Existem certos riscos associados ao uso de produtos químicos: Danos materiais Danos à saúde humana Danos ambientais (seres vivos

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Produtos Perigosos: Emergências e Transporte Módulo Único

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Produtos Perigosos: Emergências e Transporte Módulo Único Curso Técnico Segurança do Trabalho Produtos Perigosos: Emergências e Transporte Módulo Único Preparação Prova Avaliação e Identificação de Perigos e Riscos Processo de Aquisição O produto perigoso (químico)

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) LUSTRA MÓVEIS Q BRILHO

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) LUSTRA MÓVEIS Q BRILHO Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: LUSTRA MÓVEIS Q BRILHO Códigos internos: Flor de Lavanda 12/200 ml: 7560 12/500 ml: 7561 Flor de Laranjeira 12/200 ml: 7564 12/500

Leia mais

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO - FISPQ Data da Revisão:

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO - FISPQ Data da Revisão: 01. Identificação do Produto e da Empresa. Nome do Produto: Óxido de Zinco Nome da Empresa: Domingos Araújo Neto Endereço: Av. Francisco Sá, 3405 Monte Castelo Fortaleza Ce CEP: 60130-000 Telefone: (0xx85)

Leia mais

FACULDADE DE AGRONOMIA. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE AGRONOMIA (Adequada conforme as exigências da Resolução CNE/CES n. 1, de 2 de fevereiro de 2006)

FACULDADE DE AGRONOMIA. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE AGRONOMIA (Adequada conforme as exigências da Resolução CNE/CES n. 1, de 2 de fevereiro de 2006) FACULDADE DE AGRONOMIA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE AGRONOMIA (Adequada conforme as exigências da Resolução CNE/CES n. 1, de 2 de fevereiro de 2006) PRIMEIRO PERÍODO NDC113 Biologia Celular 72 60 - AGR151

Leia mais

CURSO DE DISTRIBUIÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS

CURSO DE DISTRIBUIÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS CURSO DE DISTRIBUIÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS MODULO - II.2 Sistemas regulamentares dos Produtos Fitofarmacêutico Fevereiro 2015 1. Homologação dos Produtos Fitofarmacêuticos

Leia mais

DECRETO Nº 4.074, DE 4 DE JANEIRO DE 2002.

DECRETO Nº 4.074, DE 4 DE JANEIRO DE 2002. DECRETO Nº 4.074, DE 4 DE JANEIRO DE 2002. Regulamenta a Lei n o 7.802, de 11 de julho de 1989, que dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento,

Leia mais

GHS aplicado a óleos lubrificantes. Prof. MSc. Fabriciano Pinheiro Diretor Técnico - Intertox

GHS aplicado a óleos lubrificantes. Prof. MSc. Fabriciano Pinheiro Diretor Técnico - Intertox GHS aplicado a óleos lubrificantes Prof. MSc. Fabriciano Pinheiro Diretor Técnico - Intertox Outubro - 2013 www.intertox.com.br SEGURANÇA QUÍMICA Conceito É a prevenção dos efeitos adversos, para o ser

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE (Do Sr. Covatti Filho)

PROJETO DE LEI Nº, DE (Do Sr. Covatti Filho) PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Covatti Filho) Dispõe sobre a Política Nacional de Defensivos Fitossanitários e de Produtos de Controle Ambiental, seus Componentes e Afins, bem como sobre a pesquisa,

Leia mais

- FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ

- FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 01 Stripalene 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: STRIPALENE REMOVEDOR DE TINTAS Fórmula Química: Mistura a base de Diclorometano (CH 2 Cl 2 ). Uso / aplicação do produto: Removedor

Leia mais

2- COMPONENTES DE RISCO

2- COMPONENTES DE RISCO FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA FISP NOME COMERCIAL DO PRODUTO: ÓLEO DE SILICONE No interesse de Segurança, Saúde Ocupacional e meio ambiente, deve-se informar todos os funcionários, usuários e clientes

Leia mais

Ambiente, Segurança e Saúde do Trabalho Conselhos para Colaboradores e Parceiros da Securitas Portugal securitas.pt

Ambiente, Segurança e Saúde do Trabalho Conselhos para Colaboradores e Parceiros da Securitas Portugal securitas.pt Rotulagem de Substâncias Perigosas O Regulamento(CE) 1272/2008CLP(classificação, rotulagem e embalagem) harmoniza a legislação comunitária anterior com o GHS (Sistema Mundial Harmonizado de Classificação

Leia mais

nos locais de trabalho e capacitação de profissionais e trabalhadores

nos locais de trabalho e capacitação de profissionais e trabalhadores Estratégias para implantação do GHS nos locais de trabalho e capacitação de profissionais e trabalhadores Gilmar da Cunha Trivelato Pesquisador Titular FUNDACENTRO MG Membro do GT GHS GHS Brasil Seminário

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos FISPQ Em conformidade com a NBR :2009

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos FISPQ Em conformidade com a NBR :2009 1 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Amida 60. Empresa: AGROQUÍMICA DO NOREDESTE EPP Contato para emergências: 81-33757070 2. IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS Perigos mais importantes: Não

Leia mais

Conheça a NBR ABNT 7503/08 para o transporte de produtos perigosos. NBR ABNT 7503/08

Conheça a NBR ABNT 7503/08 para o transporte de produtos perigosos. NBR ABNT 7503/08 Conheça a NBR ABNT 7503/08 para o transporte de produtos perigosos. NBR ABNT 7503/08 As orientações fornecidas abaixo obedecem à Norma NBR ABNT 7503/08, e especificam as características e dimensões da

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES Nome do produto: ÓLEO DA POLPA DE TUCUMÃ Page: (1 of 1) Data de elaboração: (19 /01 / 2005) Data de revisão: (19 / 01 / 2005) Número de Revisão: (00) ATENÇÃO: Leia atentamente esta Ficha de Informações

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis Competências a serem trabalhadas nesta aula Conhecer o segmento econômico da Agroindústria

Leia mais

Classificação, embalagem e rotulagem de produtos fitofarmacêuticos novo quadro legal

Classificação, embalagem e rotulagem de produtos fitofarmacêuticos novo quadro legal Classificação, embalagem e rotulagem de produtos fitofarmacêuticos novo quadro legal Francisca Almeida Lei 26/2013, de 11 Abril Regula as atividades de distribuição, venda e aplicação de produtos fitofarmacêuticos

Leia mais

4.1 GUIA PARA UTILIZAÇÃO DA RELAÇÃO DE PRODUTOS PERIGOSOS

4.1 GUIA PARA UTILIZAÇÃO DA RELAÇÃO DE PRODUTOS PERIGOSOS 4 RELAÇÃO DE PRODUTOS PERIGOSOS 4.1 GUIA PARA UTILIZAÇÃO DA RELAÇÃO DE PRODUTOS PERIGOSOS Os itens 4.3 e 4.4, contêm a relação dos produtos perigosos mais comumente transportados, segundo as Recomendações

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ REAGENTE GENCO AT2. Revisão: 06 FISPQ nº: 031 Data: 06/2016 Página 1 de 6

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ REAGENTE GENCO AT2. Revisão: 06 FISPQ nº: 031 Data: 06/2016 Página 1 de 6 REAGENTE GENCO AT2 Revisão: 06 FISPQ nº: 031 Data: 06/2016 Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1 Identificação do produto Nome do produto: Principais usos recomendados: Reagente GENCO

Leia mais

DominiSolo. Empresa. A importância dos aminoácidos na agricultura. Matérias-primas DominiSolo para os fabricantes de fertilizantes

DominiSolo. Empresa. A importância dos aminoácidos na agricultura. Matérias-primas DominiSolo para os fabricantes de fertilizantes DominiSolo Empresa A DominiSolo é uma empresa dedicada à pesquisa, industrialização e comercialização de inovações no mercado de fertilizantes. Está localizada no norte do Estado do Paraná, no município

Leia mais

Proposições Legislativas que alteram a Lei nº 7.802, de 1989 Lei dos Agrotóxicos. Marcus Peixoto Consultor Legislativo

Proposições Legislativas que alteram a Lei nº 7.802, de 1989 Lei dos Agrotóxicos. Marcus Peixoto Consultor Legislativo Proposições Legislativas que alteram a Lei nº 7.802, de 1989 Lei dos Agrotóxicos Marcus Peixoto Consultor Legislativo Lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989 Conhecida como Lei dos Agrotóxicos, dispõe sobre:

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico PRODUTO: Eko Auto DATA: 18/02/2008 REVISADO: 26/01/2013 Revisado: 24/09/2014 1.IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Eko Auto Aplicação:

Leia mais

LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966

LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 Regula o exercício das profissões de Engenharia, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 7 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código interno: 12011 Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 0800 014 8110 2 - COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

Leia mais

Identificação do produto: Limpeza e desinfecção de solos, e outras superfícies laváveis em zonas de alto risco

Identificação do produto: Limpeza e desinfecção de solos, e outras superfícies laváveis em zonas de alto risco 1. Identificação do produto e da empresa Identificação do produto: Limpeza e desinfecção de solos, e outras superfícies laváveis em zonas de alto risco Nome comercial: LIMOSEPTIC CONCENTRADO Identificação

Leia mais

FICHA DE IDENTIFICAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE IDENTIFICAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS 1 Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto: Empresa: Koube Indústria de Produtos Automotivos Ltda Endereço: Av dos Pinheirais, 1347 Araucária - PR CEP: 83705-575 Tel/Fax: (41) 3404 2306 E-mail:

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ. REAGENTE GENCO ph. Revisão: 06 FISPQ nº: 076 Data: 06/2016 Página 1 de 6

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ. REAGENTE GENCO ph. Revisão: 06 FISPQ nº: 076 Data: 06/2016 Página 1 de 6 Revisão: 06 FISPQ nº: 076 Data: 06/2016 Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1 Identificação do produto Nome do produto: Principais usos recomendados: Reagente GENCO PH Produto utilizado

Leia mais

Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: Elaborado: 03/06/2013 Revisão: 00 Página 1 de 5. Elaboração: P&D Solange Hernandes

Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: Elaborado: 03/06/2013 Revisão: 00 Página 1 de 5. Elaboração: P&D Solange Hernandes Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Códigos internos: Múltipla Ação 1L / 10011 2L / 19300 Múltipla Ação Flores de Limão 1L / 10012 - Alta Performance 1L / 10013 - Maciez

Leia mais

Sistema Globalmente Harmonizado (GHS). Sistema Internacional para Comunicação e Classificação de Perigos Químicos. SISTEMA GLOBALMENTE HARMONIZADO

Sistema Globalmente Harmonizado (GHS). Sistema Internacional para Comunicação e Classificação de Perigos Químicos. SISTEMA GLOBALMENTE HARMONIZADO SISTEMA GLOBALMENTE HARMONIZADO Sistema Globalmente Harmonizado (GHS). Sistema Internacional para Comunicação e Classificação de Perigos Químicos. O QUE É GHS? A segurança é um valor fundamental da Quaker

Leia mais

Workshop Atualização Profissional. Medicamentos Veterinários

Workshop Atualização Profissional. Medicamentos Veterinários Workshop Atualização Profissional Medicamentos Veterinários Regulamentação e Fiscalização Mariana Filippi Ricciardi Curitiba, 5 de maio de 2016. Competências VISA prevenção de riscos e agravos à saúde

Leia mais

NORMA INTERNACIONAL DE MEDIDA FITOSSANITÁRIA - NIMF N. 15, DA FAO. CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA DE EMBALAGENS E SUPORTES

NORMA INTERNACIONAL DE MEDIDA FITOSSANITÁRIA - NIMF N. 15, DA FAO. CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA DE EMBALAGENS E SUPORTES NORMA INTERNACIONAL DE MEDIDA FITOSSANITÁRIA - NIMF N. 15, DA FAO. CERTIFICAÇÃO FITOSSANITÁRIA DE EMBALAGENS E SUPORTES DE MADEIRA. ALTERAÇÕES DA LEGISLAÇÃO FITOSSANITÁRIA BRASILEIRA A Norma Internacional

Leia mais