1. PÁTIO DE LAVAGEM 2. RESERVATÓRIO DE DECANTAÇÃO 3. CONJUNTO MOTOBOMBA 4. OZONIZADOR (1g de ozônio/hora) 5. RESERVATORIO DE OXIDAÇÃO (500 L PVC) 6.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. PÁTIO DE LAVAGEM 2. RESERVATÓRIO DE DECANTAÇÃO 3. CONJUNTO MOTOBOMBA 4. OZONIZADOR (1g de ozônio/hora) 5. RESERVATORIO DE OXIDAÇÃO (500 L PVC) 6."

Transcrição

1 Defensivos Agrícolas, Produtos Fitossanitários, Agrotóxicos ou Pesticidas? FCA / UNESP Campus de Botucatu DPV Defesa Fitossanitária

2 TERMINOLOGIA Agrotóxicos: Lei dos Agrotóxicos 7.802/89 Decreto Regulamentador de 04/01/02 Produtos Fitossanitários: MERCOSUL

3 LEGISLAÇÃO LEI 7.802/89 LEI DOS AGROTÓXICOS Decreto /90 Decreto /01/02 (Regulamentação) LEI 9.605/98 LEI DE CRIMES AMBIENTAIS LEI /06/2000 LEI DE DESCONTAMINAÇÃO E DESTINAÇÃO FINAL DE EMBALAGENS VAZIAS DE AGROTÓXICOS

4 LEGISLAÇÃO Portaria n. 86 de 03/2005 NR 31 Norma regulamentadora de segurança e saúde no trabalho na agricultura, pecuária, silvicultura, exploração florestal e aqüicultura NR 31 Instrução Normativa Nº. 2, de 03 de janeiro de 2008 Publicado no D.O.U. de 08/01/2008, Seção 1, página 5

5 LEGISLAÇÃO Instrução Normativa Nº. 2, de 03/01/2008 PÁTIO DE DESCONTAMINAÇÃO DE AERONAVES DEVERÁ CONTER: 1. PÁTIO DE LAVAGEM 2. RESERVATÓRIO DE DECANTAÇÃO 3. CONJUNTO MOTOBOMBA 4. OZONIZADOR (1g de ozônio/hora) 5. RESERVATORIO DE OXIDAÇÃO (500 L PVC) 6. RESERVATORIO DE CONTENÇÃO E EVAPORAÇÃO (impermeabilizado com geomembrana de 1 mm PEAD, cercado, sinalizado, a 250 m de mananciais hídricos)

6 DEFINIÇÃO DE AGROTÓXICOS Produtos e agentes de processos físicos, químicos ou biológicos, destinados ao uso nos setores de produção, no armazenamento e beneficiamento de produtos agrícolas, nas pastagens, na proteção de florestas, nativas ou implantadas, e de outros ecossistemas e também de ambientes urbanos, hídricos e industriais, cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, a fim de preservá-las da ação danosa de seres vivos considerados nocivos;

7 POR QUÊ UTILIZAR AGROTÓXICOS? Produzir alimentos em quantidade suficiente e de qualidade para alimentar a população mundial Garantir a produtividade de culturas agrícolas, florestais, pastagens e outras respeitando a sustentabilidade do ambiente Interferir nos ecossistemas para regulação de populações

8 INFORMAÇÕES RELACIONADAS AOS AGROTÓXICOS NO BRASIL ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DEFESA VEGETAL - ANDEF: INSTITUTO NACIONAL DE PROCESSAMENTO DAS EMBALAGENS VAZIAS INPEV: MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA: AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA ANVISA: SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES TÓXICO FARMACOLÓGICAS SINITOX FIOCRUZ: INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RUCURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA:

9 CLASSIFICAÇÃO QUANTO À FORMA DE USO Inseticidas Fungicidas Herbicidas Acaricidas Nematicidas Rodenticidas Moluscicidas Reguladores de crescimento Adjuvantes

10 CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA CLASSE I Extremamente Tóxico CLASSE II Altamente Tóxico CLASSE III Medianamente / Moderadamente Tóxico CLASSE IV Pouco Tóxico

11 CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA DL 50 ORAL(mg/kg) DL50 DERMICA (mg/kg) SÓLIDO LÍQUIDO SÓLIDO LÍQUIDO I <5 <20 <10 <40 II III IV >500 >2000 >1000 >4000

12 CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA OLHOS PELE CL50 INALATORIA (mg/h exposição) I Opac. da córnea Reversível ou Corrosivo <0,2 não em 7 dias II Sem opac.da córnea Irritação severa 0,2 2 Irritação reversível córnea em 7 dias III Sem opac. da córnea Irritação moderada 2 20 Irritação reversível em 72 h IV Sem opac. da córnea Irritação leve >20 Irritação reversível em 24 h

13 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL (PPA) A Portaria Normativa IBAMA N 84, de 15 de outubro de 1996, no seu Art. 3 classifica os agrotóxicos quanto ao potencial de periculosidade ambiental baseando-se nos parâmetros bioacumulação, persistência, transporte, toxicidade a diversos organismos, potencial mutagênico, teratogênico, carcinogênico, obedecendo a seguinte graduação: Classe I - Produto Altamente Perigoso Classe II - Produto Muito Perigoso Classe III - Produto Perigoso Classe IV - Produto Pouco Perigoso

14 VOLUME DE VENDAS (t) DE AGROTÓXICOS NO BRASIL (2004/09) ELABORADO A PARTIR DE INFORMAÇÕES DO SINDAG (2010)

15 VOLUME DE VENDAS (t) DE AGROTÓXICOS NO BRASIL (2004/2011) SINDAG (2012)

16 Participação (%) das Classes na quantidade vendida em produto comercial no Brasil ELABORADO A PARTIR DE INFORMAÇÕES DO SINDAG (2010)

17 Participação (%) das Classes na quantidade vendida em produto comercial no Brasil 2009

18 PARTICIPAÇÃO DOS AGROTÓXICOS GENÉRICOS X ESPECIALIDADES Vendas Genéricos x Especialidades US$ Especialidades (45,81%) Genéricos (54,19%) O QUE SÃO PRODUTOS GENÉRICOS?

19 PARTICIPAÇÃO DOS AGROTÓXICOS GENÉRICOS X ESPECIALIDADES - IA Vendas Genéricos x Especialidades - Ingrediente Ativo (t) Especialidad es (11,79%) Genéricos (88,21%)

20 PARTICIPAÇÃO (%) DAS VENDAS POR CULTURA NO BRASIL Vendas Culturas 2006-US$ 1000 Feijão (2,6) TS (3,1%) Algodão (10,4%) Café (4,9%) Soja (38,5%) Milho (7,5%) Citros (4,2%) Batata (2,1) As demais (12,9%) Cana (12,6%)

21 MERCADO DE AGROTÓXICOS NO BRASIL 2010/2011 Em 2010 Maior mercado consumidor do mundo: Brasil % EUA % Outros % Em 2011 Volume de vendas US$ 8,5 bilhões

22 Competência para registrar agrotóxicos (Lei 7.802/89 - Art.. 3º ) Os agrotóxicos seus componentes e afins deverão ser registrados de acordo com as diretrizes e exigências dos órgãos federais responsáveis pelos setores de saúde, do meio ambiente e da agricultura.

23 REGISTRO DE AGROTÓXICOS NO BRASIL ÓRGÃOS ENVOLVIDOS Ministério da Saúde ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Ministério do Meio Ambiente MMA IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis)

24 CONTROLE DE AGROTÓXICOS PÓS - REGISTRO RENACIAT Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica PARA - Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos Reavaliação Toxicológica dos Agrotóxicos

25 NOMENCLATURA DOS AGROTÓXICOS Nome técnico ou comum diz respeito ao ingrediente ativo (i.a.) Nome químico descrição química da molécula Nome comercial denominação estabelecida e registrada pelo fabricante

Registro de Agrotóxicos no Brasil

Registro de Agrotóxicos no Brasil Produtos Fitossanitários Registro de Agrotóxicos no Brasil HELEN CALAÇA 02/08/2016 O que é um agrotóxico? Produtos correlatos Impurezas FORMULAÇÃO INGREDIENTE ATIVO Produto Formulado Produto Comercial

Leia mais

Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas. Exigências legais do MAPA. Jaguariúna SP junho de 2009

Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas. Exigências legais do MAPA. Jaguariúna SP junho de 2009 Vantagens do registro de produtos biológicos de controle de pragas Exigências legais do MAPA Jaguariúna SP junho de 2009 REGULAMENTAÇÃO Histórico da Legislação 1934: Decreto que aprova o Regulamento de

Leia mais

Prof. Dr. Casimiro Dias Gadanha Jr. DER/ESALQ/USP

Prof. Dr. Casimiro Dias Gadanha Jr. DER/ESALQ/USP LER 432 Máquinas e Implementos Agrícolas TÓPICO: Máquinas para Aplicação de Produtos Fitossanitários Prof. Dr. Casimiro Dias Gadanha Jr. DER/ESALQ/USP AGROTÓXICO Sinônimos: Produto Fitossanitário Pesticida

Leia mais

XXX Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas Curitiba/PR, 23 de agosto de 2016

XXX Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas Curitiba/PR, 23 de agosto de 2016 PAINEL Aspectos Regulatórios da Área de Agrotóxicos: Processo de Reavaliação de Herbicidas no Brasil Avaliação e Reavaliação de Herbicidas: como funciona e o que o MAPA pode fazer. XXX Congresso Brasileiro

Leia mais

NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes.

NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes. NOTA TÉCNICA 04/2016 Esclarecimentos sobre capina química em ambiente urbano de intersecção com outros ambientes. Gerência Geral de Toxicologia - GGTOX Gerência de Saneantes - GESAN Diretoria de Autorização

Leia mais

Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos

Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS VEIS - IBAMA Avaliação ambiental e a atuação do IBAMA no registro de agrotóxicos Reunião da Câmara Temática de Insumos Agropecuários

Leia mais

PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA. XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016

PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA. XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016 PAINEL Produtos (princípios ativos) reavaliados pela ANVISA, IBAMA e MAPA XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR Foz do Iguaçú/PR, 24 de agosto de 2016 RESUMO Legislação Federal de Agrotóxicos Necessidade do

Leia mais

Insumos Naturais: conceitos de registro e controle de qualidade. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins

Insumos Naturais: conceitos de registro e controle de qualidade. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins Insumos Naturais: conceitos de registro e controle de qualidade. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins A Origem do Controle Parte do processo evolutivo da agricultura. Primeiros

Leia mais

II - marcas comerciais registradas que utilizam o ingrediente ativo, os números de seus registros e seus respectivos titulares; e

II - marcas comerciais registradas que utilizam o ingrediente ativo, os números de seus registros e seus respectivos titulares; e INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 17, DE 29 DE MAIO DE 2009 O Presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA, no uso das atribuições que lhe confere o inciso V, art.

Leia mais

SINDIVEG e o setor de Defensivos Agrícolas

SINDIVEG e o setor de Defensivos Agrícolas SINDIVEG e o setor de Defensivos Agrícolas SINDIVEG Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal Fundado em 15 de maio de 1941 44 empresas associadas Representa 97,7% do Setor de Defensivos

Leia mais

Registro e Fiscalização de Agrotóxicos e Afins

Registro e Fiscalização de Agrotóxicos e Afins Registro e Fiscalização de Agrotóxicos e Afins Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins Departamento de Fiscalização de Insumos Agrícolas Secretaria de Defesa Agropecuária Luís Eduardo Pacifici Rangel

Leia mais

O Paradoxo do Controle fitossanitário: conceito legal e prático. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins

O Paradoxo do Controle fitossanitário: conceito legal e prático. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins O Paradoxo do Controle fitossanitário: conceito legal e prático. Luís Eduardo Pacifici Rangel Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins A Origem do Controle Parte do processo evolutivo da agricultura. Primeiros

Leia mais

FISPQ DP /01/2012 Página 1 de 6

FISPQ DP /01/2012 Página 1 de 6 Página 1 de 6 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: HCl Algicida Choque Aplicação: Eliminação de Algas Nome da Empresa: Hidroall

Leia mais

PO PROCEDIMENTO OPERACIONAL PO_QSM_13

PO PROCEDIMENTO OPERACIONAL PO_QSM_13 PO PROCEDIMENTO OPERACIONAL PO_QSM_13 Titulo do Procedimento: LAVAGEM DE EPI S DE APLICAÇÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS Data de Versão: Autor: 18/01/2010 00 Alan Rígolo Geovana Timpani Elves Pinheiro Observações:

Leia mais

MISTURAS DE DEFENSIVOS

MISTURAS DE DEFENSIVOS MISTURAS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS EM TANQUE Ac. Albert Kenji Hirose Ac. André Hiroshi Kobayashi Ac. Fausto Nimer Terrabuio Ac. Gustavo Takeshi Hacimoto INTRODUÇÃO Misturas em tanque associações de dois

Leia mais

Fiscalização de Agrotóxicos e Afins no Estado de São Paulo

Fiscalização de Agrotóxicos e Afins no Estado de São Paulo Fiscalização de Agrotóxicos e Afins no Estado de São Paulo Jaguariúna, SP Junho de 2009 Davi Carvalho de Souza Engenheiro Agrônomo Fiscal Federal Agropecuário BRASIL LEGISLAÇÃO FEDERAL DE AGROTÓXICOS Lei

Leia mais

Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas. Edivandro Seron

Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas. Edivandro Seron Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas Edivandro Seron Foz do Iguaçu, 25 de agosto de 2016 Aplicação da Legislação Lei nº 7.802 de 11 de julho de 1989 Decreto nº 4.074 de 4 de janeiro

Leia mais

CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE

CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE Ecotoxicologia dos Agrotóxicos e Saúde Ocupacional 1a. Aula - Conceitos

Leia mais

Reavaliação toxicológica de agrotóxicos realizada pela Anvisa: atualização dos procedimentos

Reavaliação toxicológica de agrotóxicos realizada pela Anvisa: atualização dos procedimentos Reavaliação toxicológica de agrotóxicos realizada pela Anvisa: atualização dos procedimentos Camila Queiroz Moreira Coordenação de Reavaliação Gerência de Pós-registro Gerência Geral de Toxicologia 23

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis Competências a serem trabalhadas nesta aula Conhecer o segmento econômico da Agroindústria

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 30, DE 27 DE SETEMBRO DE 1999

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 30, DE 27 DE SETEMBRO DE 1999 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 30, DE 27 DE SETEMBRO DE 1999 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 38, DE 21 DE MARÇO DE 2001

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 38, DE 21 DE MARÇO DE 2001 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 38, DE 21 DE MARÇO DE 2001 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11, inciso IV, do Regulamento

Leia mais

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS Emprego de todos os conhecimentos científicos que proporcionem a correta colocação do produto biologicamente ativo no alvo, em quantidade necessária, de forma econômica,

Leia mais

Workshop Extensão da Vida Útil de Produtos Químicos

Workshop Extensão da Vida Útil de Produtos Químicos Workshop Extensão da Vida Útil de Produtos Químicos O estabelecimento de um programa de gestão do ciclo de vida ativa de materiais pode reduzir a geração de resíduos sólidos, o uso de matérias primas originais

Leia mais

Pulverização aérea no Paraná O Direito de Saber SOJA

Pulverização aérea no Paraná O Direito de Saber SOJA Pulverização aérea no Paraná O Direito de Saber Quase nada se sabe sobre a pulverização aérea no Paraná. Em análise do banco de dados da ADAPAR, há um grande numero de produtos liberados; inseticidas,

Leia mais

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Algicida de Fibra e Vinil Aplicação: Desinfetante para piscinas Nome da Empresa: Marco Antonio Spaca Piscinas EPP Endereço: Rua: João Paulino dos

Leia mais

A Proteção de Dados Como Incentivo à Inovação na Defesa Vegetal

A Proteção de Dados Como Incentivo à Inovação na Defesa Vegetal A Proteção de Dados Como Incentivo à Inovação na Defesa Vegetal José Eduardo Vieira de Moraes ANDEF Associação Nacional de Defesa Vegetal São Paulo, 25 de agosto de 2014 Desafios Por que Precisamos das

Leia mais

declaração do registrante contendo o nome dos produtos a serem formulados e o destino do produto, enquanto vigorar o registro do produto. 2ºOs dados b

declaração do registrante contendo o nome dos produtos a serem formulados e o destino do produto, enquanto vigorar o registro do produto. 2ºOs dados b Senado Federal ANVISA Banco Central Sec. do Tesouro Nacional IBAMA Palácio do Planalto Ajuda Situação: Vigente Instrução Normativa Conjunta Nº 2, DE 20 DE JUNHO DE 2008 Publicado no Diário Oficial da União

Leia mais

SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº 25, DE 14 DE SETEMBRO DE 2005,

SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº 25, DE 14 DE SETEMBRO DE 2005, SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº 25, DE 14 DE SETEMBRO DE 2005, O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO (MAPA), O DIRETOR-PRESIDENTE

Leia mais

Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros

Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros Impactos do uso de Produtos Veterinários e de Alimentos para Animais na produção de alimentos seguros MARCOS VINÍCIUS DE S. LEANDRO Jr. Médico Veterinário Fiscal Federal Agropecuário Ministério da Agricultura,

Leia mais

Portaria nº 152, de 26 de fevereiro de 1999 (Publicada no DOU - Poder Executivo, 01 de março de 1999)

Portaria nº 152, de 26 de fevereiro de 1999 (Publicada no DOU - Poder Executivo, 01 de março de 1999) Portaria nº 152, de 26 de fevereiro de 1999 (Publicada no DOU - Poder Executivo, 01 de março de 1999) Alteração: ** Resolução nº 150, de 28 de maio de 1999, autoriza a inclusão da substância ÁCIDO DICLOROISOCIANÚRICO

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO QUÍMICO I. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO. Nome comercial: Detergente Luna. Empresa: E.C Cassiolato Pinto Prod. Limpeza EPP. COMPOSIÇÃO: II. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES. Dodecil benzeno sulfonato

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº 25, DE 14 DE SETEMBRO DE 2005

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº 25, DE 14 DE SETEMBRO DE 2005 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTRUÇÃO

Leia mais

unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Ecotoxicologia dos Agrotóxicos e Saúde Ocupacional 2a. Aula Embalagens de agrotóxicos - Ago/2016

unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Ecotoxicologia dos Agrotóxicos e Saúde Ocupacional 2a. Aula Embalagens de agrotóxicos - Ago/2016 unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE JABOTICABAL FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE Ecotoxicologia dos Agrotóxicos e Saúde Ocupacional 2a. Aula Embalagens

Leia mais

Laca Wideprint BOLETIM TÉCNICO COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES PERIGOSOS SUBSTÂNCIA COMPOSIÇÃO (%) CLASSIFICAÇÃO

Laca Wideprint BOLETIM TÉCNICO COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES PERIGOSOS SUBSTÂNCIA COMPOSIÇÃO (%) CLASSIFICAÇÃO COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES PERIGOSOS SUBSTÂNCIA PRODUTO BASE ÁGUA COMPOSIÇÃO (%) PROPRIETÁRIA CLASSIFICAÇÃO Não contém substâncias ou preparações perigosas, de acordo com as diretrizes

Leia mais

Remediação de Solo e Diretrizes para Gestão de Aguas Subterrâneas

Remediação de Solo e Diretrizes para Gestão de Aguas Subterrâneas RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA DIRETORIA DE QUALIDADE AMBIENTAL - DIQUA Seminário FIESP Cooperação Brasil-Holanda: Remediação de Solo e Diretrizes para Gestão de Aguas Subterrâneas Recuperação de

Leia mais

Rastreabilidade e recall no mundo das frutas e hortaliças frescas

Rastreabilidade e recall no mundo das frutas e hortaliças frescas Rastreabilidade e recall no mundo das frutas e hortaliças frescas Anita de Souza Dias Gutierrez Centro de Qualidade, Pesquisa e Desenvolvimento da CEAGESP 24 de novembro de 2015 Frutas e hortaliças frescas

Leia mais

Instrução Normativa Nº 1, de 10 de setembro de 2002

Instrução Normativa Nº 1, de 10 de setembro de 2002 Instrução Normativa Nº 1, de 10 de setembro de 2002 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 83, inciso IV,

Leia mais

- FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ

- FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 01 Stripalene 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: STRIPALENE REMOVEDOR DE TINTAS Fórmula Química: Mistura a base de Diclorometano (CH 2 Cl 2 ). Uso / aplicação do produto: Removedor

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos FISPQ Em conformidade com a NBR :2009

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos FISPQ Em conformidade com a NBR :2009 1 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Amida 60. Empresa: AGROQUÍMICA DO NOREDESTE EPP Contato para emergências: 81-33757070 2. IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS Perigos mais importantes: Não

Leia mais

NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE

NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Instituto Superior de Tecnologia NR-32 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira NR-32 Tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação

Leia mais

Aplicação aérea de inseticidas, efeito sobre as abelhas e períodos em que as aplicações são necessárias em soja

Aplicação aérea de inseticidas, efeito sobre as abelhas e períodos em que as aplicações são necessárias em soja Aplicação aérea de inseticidas, efeito sobre as abelhas e períodos em que as aplicações são necessárias em soja Audiência pública Câmara Federal 11 de dezembro de 2012 Alexandre J. Cattelan Chefe-Geral

Leia mais

NR-24 e 25. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Curso: Tecnólogo em Gestão Ambiental

NR-24 e 25. Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Curso: Tecnólogo em Gestão Ambiental NR-24 e 25 Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Curso: Tecnólogo em Gestão Ambiental NR-24 Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho NR- 24 Determina as condições de higiene e conforto

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FISPQ LIMPADOR A BASE DE ÁLCOOL

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FISPQ LIMPADOR A BASE DE ÁLCOOL FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FISPQ LIMPADOR A BASE DE ÁLCOOL SEÇÇAO 1.0 INFORMAÇÕES DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME DO PRODUTO : LIMPADOR A BASE DE ALCOOL - FLORAL NOME DO FABRICANTE:

Leia mais

PANDOLFO E CARDOSO LTDA. Sabonete Líquido Bell Plus Higgie Soft

PANDOLFO E CARDOSO LTDA. Sabonete Líquido Bell Plus Higgie Soft DATAS DA ELABORAÇÃO: 04/11/09 REVISADA EM: 21.08.13 PÁGINA 1 DE 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME DO PRODUTO: SABONETE LÍQUIDO BOTANIC ERVA DOCE GLICERINADO CÓDIGO INTERNO DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Página 1 de 7 SEÇÃO 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Fornecedor: TerpenOil Tecnologia Orgânica Ltda. Endereço: Av. Arquimedes 1070, Jundiaí SP, Telefone de Emergência: 0800 722 6001 DISQUE INTOXICAÇÃO

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ) FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS Nome do Produto Página 01/06 ODORGEL - HERMON Alteração/Revisão AGOSTO DE 2016 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO Desinfetante de Uso Geral ODORGEL - HERMON Limpeza-

Leia mais

Não é Toxico A composição adequada para uso em alimentos garante que Sumaveg não provoca nenhum dano ao organismo quando utilizado corretamente.

Não é Toxico A composição adequada para uso em alimentos garante que Sumaveg não provoca nenhum dano ao organismo quando utilizado corretamente. JohnsonDiversey Sumaveg Desinfetante para Hortifrutícolas Ação antimicrobiana comprovada Sumaveg apresenta ação antimicrobiana comprovada por laboratório oficial, se usado dentro das concentrações indicadas.

Leia mais

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Tipo de formulação: Aplicação: Empresa: N o : IL-013 SCORE 250 EC Líquido, concentrado emulsionável. Fungicida sistêmico do grupo dos triazóis.

Leia mais

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada

Descarte de Medicament os. Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicament os Responsabilidade compartilhada Descarte de Medicamentos Aspectos gerais Situação atual... No Brasil ainda não se tem uma regulamentação específica no âmbito nacional relacionada

Leia mais

FISPQ FITA ANTIDERRAPANTE FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FISPQ FITA ANTIDERRAPANTE FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: FITA ANTIDERRAPANTE Categoria: Adesivo Acrílico Nome da empresa: ATB Ind. e Com. de Adesivos S/A Endereço: Rua Marcelino Pinto Teixeira, 1268 Parque

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2001 e 91/155 EC

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2001 e 91/155 EC Pág.:1/4 1 Identificação do produto e da empresa Fabricante: JohnsonDiversey Brasil Ltda. Rua Nossa Senhora do Socorro, 125 Socorro São Paulo SP CEP 04764-020 Tel.: 0XX11 5681-1300 / Fax: 0XX11 5523-1923

Leia mais

AGRONOMIA. COORDENADOR Carlos Alberto de Oliveira

AGRONOMIA. COORDENADOR Carlos Alberto de Oliveira AGRONOMIA COORDENADOR Carlos Alberto de Oliveira calberto@ufv.br 42 Currículos dos Cursos UFV Engenheiro Agrônomo ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro Agrônomo desempenhar as atividades profissionais previstas

Leia mais

Produto: Amaciante de Roupa

Produto: Amaciante de Roupa 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Empresa: Micheloto Ind. e Com. de Prod. Químicos Ltda EPP Endereço: Est. Vic. Dr. Eduardo Dias de Castro Km 03 B Zona Rural Fernão/SP Telefone: (XX14) 3214-1874

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: KYARAD MR Page: (1 of 5) Data de elaboração: (04 /01 / 2006) Data de revisão: (16 / 08 / 2006) Número de Revisão: (01) ATENÇÃO: Leia

Leia mais

Proposições Legislativas que alteram a Lei nº 7.802, de 1989 Lei dos Agrotóxicos. Marcus Peixoto Consultor Legislativo

Proposições Legislativas que alteram a Lei nº 7.802, de 1989 Lei dos Agrotóxicos. Marcus Peixoto Consultor Legislativo Proposições Legislativas que alteram a Lei nº 7.802, de 1989 Lei dos Agrotóxicos Marcus Peixoto Consultor Legislativo Lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989 Conhecida como Lei dos Agrotóxicos, dispõe sobre:

Leia mais

SITUAÇÃO DA PRODUÇÃO DE SEMENTES NO BRASIL

SITUAÇÃO DA PRODUÇÃO DE SEMENTES NO BRASIL SITUAÇÃO DA PRODUÇÃO DE SEMENTES NO BRASIL AGRICULTURA NA ECONOMIA BRASILEIRA REPRESENTA 28% PIB EMPREGA 37% DOS TRABALHADORES GERA 44% DAS EXPORTAÇÕES PRINCIPAIS CULTURAS BRASILEIRAS: SOJA, MILHO, ALGODÃO,

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico PRODUTO: Eko Auto DATA: 18/02/2008 REVISADO: 26/01/2013 Revisado: 24/09/2014 1.IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Eko Auto Aplicação:

Leia mais

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: PASTILHA TRICLORO CRIS ÁGUA (Pastilha de Tricloro 90%) Aplicação: Desinfetante para Piscinas Nome da Empresa: Marco Antonio Spaca Piscinas EPP

Leia mais

KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO

KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO NOVEMBRO 2016 OGM NO BRASIL: SAÚDE E MEIO AMBIENTE 2º maior consumidor de sementes transgênicas > 40 mi ha plantados OGM NO BRASIL: SAÚDE E MEIO AMBIENTE 2º maior

Leia mais

AS FLORESTAS NO MUNDO

AS FLORESTAS NO MUNDO AS FLORESTAS NO MUNDO ÁREA - Naturais = 3,682 bilhões ha (95%) - Plantadas = 187 milhões ha (5%) - Total = 3,869 bilhões ha (100%) SUPRIMENTO DE MADEIRA - Naturais = 65% - Plantadas = 35% - Total = 100%

Leia mais

FISPQ-FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FISPQ-FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FISPQ-FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Pág. 1 de 7 SEÇÃO 1 - Identificação do produto e da empresa NOME DO PRODUTO CREMOL LG 1000 NOME DO FABRICANTE LG INDÚSTRIA QUÍMICA LTDA ME ENDEREÇO

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DA CAERN COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CARGO: ANALISTA AMBIENTAL PROGRAMA

CONCURSO PÚBLICO DA CAERN COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CARGO: ANALISTA AMBIENTAL PROGRAMA CONCURSO PÚBLICO DA CAERN COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CARGO: ANALISTA AMBIENTAL PROGRAMA 1 POLUIÇÃO E CONTROLE AMBIENTAL a- Crise ambiental b- Ética ambiental c- Meio ambiente e saúde Saúde e qualidade

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Pág. 1/6 FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: FORMITEK GEL Código do Produto: 101.061/ 101.067 Nome da Empresa: ROGAMA INDÚSTRIA

Leia mais

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos

FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: HIPOCLORO (Hipoclorito de Cá Aplicação: Tratamento da Água Nome da Empresa: Marco Antonio Spaca Piscinas EPP Endereço: Rua: João Paulino dos Santos,

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos - FISPQ PASTA LUBRIFICANTE AMANCO

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos - FISPQ PASTA LUBRIFICANTE AMANCO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: PASTA LUBRIFICANTE Código Interno de identificação do produto: 90131 90129 90130 92678 Nome da empresa : MEXICHEM BRASIL INDUSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO

Leia mais

FISPQ FITA FIXA TUDO (Espuma) FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FISPQ FITA FIXA TUDO (Espuma) FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: FITA FIXA TUDO (Espuma) Categoria: EVA Nome da empresa: ATB Ind. e Com. de Adesivos S/A Endereço: Rua Marcelino Pinto Teixeira, 1268 Parque Industrial

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Página (1 de 6)

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Página (1 de 6) Página (1 de 6) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Pó Para Extinção de Incêndio - Classe BC Código do produto: 130090040/50/90 Empresa: Resil Comercial Industrial Ltda. Endereço:

Leia mais

Aula 1: Introdução à Química Ambiental

Aula 1: Introdução à Química Ambiental DISCIPLINA: QUÍMICA ANALÍTICA AMBIENTAL Aula 1: Introdução à Química Ambiental Prof a. Lilian Silva 2012 Análises químicas para fornecer informações relevantes sobre estudos ambientais ou para o monitoramento

Leia mais

ICADERM SABONETE LÍQUIDO

ICADERM SABONETE LÍQUIDO FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO ICADERM SABONETE LÍQUIDO 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA a) Nome do Produto: ICADERM SABONETE LÍQUIDO b) Código do Produto: c) Nome da Empresa:

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO GLIFOSATO

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO GLIFOSATO FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO GLIFOSATO 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA a) Nome do Produto: GLIFOSATO ICARAÍ b) Nome da Empresa: ICARAÍ DO BRASIL IND. COM. LTDA. c) Endereço:

Leia mais

VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE POPULAÇÕES EXPOSTAS A AGROTÓXICOS

VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE POPULAÇÕES EXPOSTAS A AGROTÓXICOS Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador - CGST VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE POPULAÇÕES

Leia mais

Currículo do Curso de Agronomia

Currículo do Curso de Agronomia Currículo do Curso de Agronomia Engenheiro Agrônomo ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro Agrônomo desempenhar as atividades profissionais previstas na Resolução nº 218, de 29.6.73, do CONFEA, e atuar nos seguintes

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: TEKBOND Categoria: Nome da empresa: ATB Ind. e Com. de Adesivos S/A Endereço: Rua Marcelino Pinto Teixeira, 1268 Parque Industrial Ramos de Oliveira

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 7 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome: Sabão em Barra Limpol com Amaciante Código interno: 15503 Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 0800 014 8110 2 - COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) NO AR ODORIZANTE DE AMBIENTES (PINK e LE LIS)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) NO AR ODORIZANTE DE AMBIENTES (PINK e LE LIS) Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Códigos internos: Le Lis (12/300ml): 9025 Pink (12/300ml): 9026 Aplicação: Odorizar ambientes e tecidos. Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do produto: Código interno: 5042 Aplicação: secante abrilhantador de louças para máquinas de lavar louças Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE

Leia mais

ESALQ. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo. Prof. Dr. Walter F. Molina Jr Depto de Eng. de Biossistemas 2015

ESALQ. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo. Prof. Dr. Walter F. Molina Jr Depto de Eng. de Biossistemas 2015 ESALQ Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Prof. Dr. Walter F. Molina Jr Depto de Eng. de Biossistemas 2015 www.ler.esalq.usp.br/molina.htm Walter Molina: wfmolina@usp.br

Leia mais

Pele: Lavar a pele com água. Procurar auxílio médico caso alguma irritação se desenvolva.

Pele: Lavar a pele com água. Procurar auxílio médico caso alguma irritação se desenvolva. F0LHA...: 1 / 5 1 Identificação do Produto e da Empresa: Nome do Produto: Nome da Empresa: Cosmoquimica Indústria e Comércio Ltda Endereço: Av. Gupê, 10497 / 10837 Telefone: 55 11 4772 4900 55 11 4707

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Professor: Graduação: Valmir Gonçalves Carriço www.professorvalmir.com.br / valmir.carrico@anhanguera.com Engenheiro Industrial Mecânico UNISANTA Universidade Santa Cecília Pós Graduação: Engenheiro de

Leia mais

Abrangência, Legislação e Impacto do GHS, FISPQ e Rotulagem

Abrangência, Legislação e Impacto do GHS, FISPQ e Rotulagem Abrangência, Legislação e Impacto do GHS, FISPQ e Rotulagem Prof. MSc. Fabriciano Pinheiro Diretor Intertox Março - 2016 http://www.unece.org/trans/danger/publi/ghs/ghs_rev05/05files_e.html GHS - Globally

Leia mais

b) Comprovante de pagamento do Documento de Recolhimento de Receitas DR, realizado em qualquer agência da rede bancária autorizada, segundo códigos da

b) Comprovante de pagamento do Documento de Recolhimento de Receitas DR, realizado em qualquer agência da rede bancária autorizada, segundo códigos da INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº03, de 10 de Março de 2006 O SEETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA, O DIRETOR PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA

Leia mais

9. Classificação de agentes químicos quanto a toxicidade e periculosidade

9. Classificação de agentes químicos quanto a toxicidade e periculosidade 9. Classificação de agentes químicos quanto a toxicidade e periculosidade Existem certos riscos associados ao uso de produtos químicos: Danos materiais Danos à saúde humana Danos ambientais (seres vivos

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) ÓLEO PARA MÓVEIS Q BRILHO

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) ÓLEO PARA MÓVEIS Q BRILHO Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: ÓLEO PARA MÓVEIS Q BRILHO Códigos internos: 12/200 ml: 7570 Aplicação: Proteger, dar brilho e revitalizar a madeira. Empresa: BOMBRIL

Leia mais

Registro de Agrotóxicos e Afins

Registro de Agrotóxicos e Afins MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA Registro de Agrotóxicos e Afins 5ª ª Reunião do GT/CONAMA-agrotóxicos Brasília, 29 de

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS- IBAMA

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS- IBAMA DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS- IBAMA "Debate: a intoxicação de profissionais e estudantes da Escola Municipal de São José do Pontal, localizada na zona rural do Município de Rio Verde, estado de Goiás,

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do produto: Códigos internos: Gatilho (12X500 ml): 07104 Refil (12X500 ml): 07105 Squeeze (12X500 ml): 07106 Aplicação: Limpa Vidros. Empresa:

Leia mais

SPANTA POMBOS PASTILHAS CÓDIGO: 702 Página 1 de 6

SPANTA POMBOS PASTILHAS CÓDIGO: 702 Página 1 de 6 SPANTA POMBOS PASTILHAS CÓDIGO: 702 Página 1 de 6 01 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO: Nome do produto... : SPANTA POMBOS - PASTILHAS Fabricante... : INSETIMAX INDÚSTRIA QUÍMICA EIRELI Endereço... : Rua Adelaide

Leia mais

Última Revisão Data : 13/01/2016 Página 1/5

Última Revisão Data : 13/01/2016 Página 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO DA EMPRESA Nome do produto: SOLUÇÃO ANTIEMBAÇANTE BLUECARE Aplicação do produto: Limpeza e antiembaçamento de lentes de EPIs Fornecedor: BLUECARE DO BRASIL INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Leia mais

Situação Atual da Reavaliação Ambiental de Agrotóxicos

Situação Atual da Reavaliação Ambiental de Agrotóxicos Situação Atual da Reavaliação Ambiental de Agrotóxicos Colmeia Viva, 01/09/16 Flávia Viana-Silva Colaboração: Equipe Reavaliação Risco Especificamente falando de substâncias tóxicas: Risco é a probabilidade

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº 1, DE 1º DE ABRIL DE 2004

INSTRUÇÃO NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº 1, DE 1º DE ABRIL DE 2004 Título: Instrução Normativa nº 1, de 01 de abril de 2004 Ementa não oficial: Ficam definido os procedimentos complementares para aplicação do Decreto n o 4.680, de 24 de abril de 2003, que dispõe sobre

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ Página 1 de 4 NOME DO PRODUTO: DESIN CONCENTRADO CÓDIGO DO PRODUTO: 2289 SEÇÃO 1 - Identificação do produto e da empresa NOME DO FABRICANTE: TELEFO DE EMERGÊNCIA: HENLAU QUÍMICA LTDA. 193 ENDEREÇO: AV

Leia mais

O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências

O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências AMCHAM 13 de Julho de 2016 Agronegócio - Balança Comercial - US$ Bilhões Fonte: WTO. Elaboração MBAGro. Brasil: Liderança Global no Agronegócio Suco de laranja

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES Nome do produto: ÓLEO DA POLPA DE TUCUMÃ Page: (1 of 1) Data de elaboração: (19 /01 / 2005) Data de revisão: (19 / 01 / 2005) Número de Revisão: (00) ATENÇÃO: Leia atentamente esta Ficha de Informações

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS CAPÍTULO III MODELO DE BULA E RÓTULO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS CAPÍTULO III MODELO DE BULA E RÓTULO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE INSUMOS AGRICOLAS COORDENAÇÃO-GERAL DE AGROTÓXICOS E AFINS MANUAL DE PROCEDIMENTOS CAPÍTULO III MODELO DE BULA E RÓTULO BULA Registrado

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos FISPQ NBR 14725

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos FISPQ NBR 14725 Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos FISPQ NBR 14725 Produto Elaborado Revisado AGIFÁCIL ÁLCOOL GEL 17/08/2009 03/09/2012 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: Agifácil

Leia mais

ABRASIVO POLIÉSTER PE/PA

ABRASIVO POLIÉSTER PE/PA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Abrasivo Poliéster PE/PA Nome da Empresa: Rebarba, Brilhos Ind. Com. de Prod. de Polimento Ltda Fone/Fax: (1) 4043-3151/4043-3202 E-mail: comercial@rebarba.com.br

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS - FISPQ AGUA DESMINERALIZADA

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS - FISPQ AGUA DESMINERALIZADA Página 1/8 1. IDENTIFICAÇÃO Nome da substância ou mistura (nome comercial) Código interno de identificação do produto Principais usos recomendados para a substância ou mistura Nome da Empresa Agua Desmineralizada

Leia mais

RESOLUÇÃO-RDC Nº 47, DE 8 DE SETEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO-RDC Nº 47, DE 8 DE SETEMBRO DE 2009 RESOLUÇÃO-RDC Nº 47, DE 8 DE SETEMBRO DE 2009 Estabelece regras para elaboração, harmonização, atualização, publicação e disponibilização de bulas de medicamentos para pacientes e para profissionais de

Leia mais

Critérios para a avaliação ambiental de agrotóxicos no Brasil. Danilo Lourenço de Sousa Analista Ambiental

Critérios para a avaliação ambiental de agrotóxicos no Brasil. Danilo Lourenço de Sousa Analista Ambiental Critérios para a avaliação ambiental de agrotóxicos no Brasil Danilo Lourenço de Sousa Analista Ambiental Workshop Agrotóxicos: onde estamos? Jaguariúna, 8 de outubro de 2013 1 Registro de Agrotóxicos

Leia mais